Page 1

Boletim 330 – 08/07/2012

VEM COMIGO! “Andando à beira do mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Eles estavam lançando redes ao mar, pois eram pescadores.E disse Jesus: "Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens". (Mateus 4:18-19)

Você já se perguntou por que tem passado por algumas situações? Talvez esteja sofrendo as consequências de problemas que não foram causados por você; talvez palavras que você não disse sejam usadas contra si; talvez suas posturas acabem sendo julgadas, mas ninguém vem conversar com você. Diante de tudo isso, você se pergunta: por que essas coisas têm acontecido comigo? Isto porque nós queremos sempre entender as intenções, as razões e os porquês das muitas situações que vivemos. No texto de Mateus 4.18, Jesus estava andando na beira da praia, e a primeira ideia que pode nos passar pela cabeça é que Jesus estava num andar despretensioso, e, assim, encontrou Simão Pedro e André. Mas será que Jesus estava ali apenas olhando o mar, a beleza do lugar? Será que Jesus estava naquela praia, mas poderia estar em qualquer outra? Será que Jesus não pretendia encontrar Simão e André? Para responder a estas perguntas, e a tantas outras, precisamos entender que tudo que Deus faz tem um propósito e que nada, absolutamente nada, acontece por acaso,ou seja, naquele momento, Jesus só poderia estar naquela praia, naquele lugar, naquele horário e sabia exatamente que encontraria, naquele local, dois homens chamados Simão e André e que a eles seriam dirigidas as palavras certas. Isso aponta para a intencionalidade de Deus em suas ações, no seu plano eterno que é realizado a cada dia em nossas vidas. Tudo está debaixo do controle de Deus e nada foge ao seu controle. Sendo assim, gostaria que pensasse na segunda parte do encontro de Jesus com Simão e André. A partir de um momento da conversa, Jesus faz um convite a Simão e André: que eles abandonem a pesca de peixes e o sigam para uma pesca que tem como foco alcançar as pessoas que estão perdidas, que estão longe de Deus. Esse não é um convite comum, pois os convites feitos por Deus jamais podem ser negados, uma vez que ele nos alcança de forma irresistível. Com esta história, devemos entender o plano de salvação feito por Deus. Para que Deus enviou seu Filho Jesus a morrer, na cruz, em nosso lugar? Apenas para vivermos na eternidade? Não! Foi para que, hoje, vivamos de forma dedicada ao Senhor, deixando de lado o que estamos fazendo para segui-lo. E aí, vem comigo? Eu vou com Jesus! Pastor Fábio Quintanilha

Editorial 2012-07-08