Page 1

Boletim informativo do Instituto Politécnico de Portalegre N.º 98 | Ano 14 | 03/2014

Começa a obra do Centro de Bioenergia e Incubadora de Base Tecnológica

N

o Lugar da Abadessa, em Portalegre, está a começar a construção do Centro de Bioenergia e Incubadora de Base Tecnológica. A obra foi adjudicada à empresa “Damião & Belo, Lda.”, pelo valor de 1 117 332,74 euros (IVA incluído). No passado dia 18 de março, o presidente do IPP assinou o auto de consignação dos trabalhos. Devido a cortes na atribuição de financiamento ao projeto inicial, houve necessidade de reajustá-lo, tendo a construção da infraestrutura sido dividida em três fases. Nesta primeira fase, o investimento total elegível – maioritariamente construção e equipamentos – é de 1 775 935,07 euros (operação Bioenergia, com financiamento: FEDER através do INALENTEJO (85%), Orçamento do Estado e receitas próprias). O edifício que está a nascer nas imediações da Escola Superior de Tecnologia e Gestão terá uma superfície coberta de 1843 m2, dividida em duas zonas. O projeto de arquitetura está a cargo do Gabinete Técnico do IPP (Arq. João Cardoso).

Centro de Bioenergia e Incubadora de Base Tecnológica em construção Edifício 1: Espaço industrial amplo com cerca de 895 m2 para instalação de quatro zonas de produção distintas. Junto a este espaço existe uma zona coberta com 270 m2 para armazenamento, cargas e descargas dos produtos. Na ligação deste edifício com o edifício 2 existe ainda uma zona de oficina para uso comum. Edifício 2: Edifício de acesso onde se encontra a receção bem como a ligação funcional com os restantes edifícios. Neste edifício encontra-se uma rampa que garante a acessibilidade total a pessoas com deficiência. No RC existem oito salas de incubação bem como vestiários, receção e uma sala de convívio e, no piso 1, oito salas de incubação, sendo uma delas de grandes dimensões e uma sala de reuniões comum. Em ambos os pisos existem instalações sanitárias para ambos os sexos e para deficientes, bem como copas e arrumos de uso comum.

Edifícios não incluídos nesta fase da empreitada

Alçado nascente

(continua na pág.3)


2

PORTAL N.º 98 | 03/2014

OPINIÃO

(Re)acreditar na Europa

N

ão há dúvida que em Portugal, à semelhança do que acontece noutros países da Europa, se vivem tempos difíceis. De facto, a crise económica e financeira pela qual passamos tem potenciado o avolumar de problemas socioeconómicos e culturais, que não sendo novos, são cada vez mais evidentes e assolam cada vez mais famílias. O aumento progressivo das taxas de desemprego, os níveis de pobreza, que se pensavam fazer apenas parte do passado, a saída de milhares de jovens à procura de um futuro, aparentemente perdido no nosso país, são apenas alguns exemplos que evidenciam esta realidade… É dentro deste cenário que muitos se têm perguntado se haverá ainda razões para acreditar que a Europa poderá fazer algo por nós? Acreditamos que sim! Os quase 10 anos em que o Europe Direct do Alto Alentejo-IPP tem trabalhado na região levam-nos a perceber que muito se tem construído e feito crescer como resultado de um projeto de integração e cooperação europeia. Desde aqui, assistimos ao longo dos anos ao aparecimento de parcerias entre diversos atores regionais, nacionais e europeus – associações, escolas e autarquias – que, juntamente com

os seus congéneres europeus, têm promovido não só encontros de cidadãos, projetos de cooperação e partilha de boas práticas, mas também o desenvolvimento de formações, carreiras e atividades de voluntariado que os nossos jovens têm abraçado por esta Europa fora. É por isso que acreditamos no nosso trabalho. Continuaremos assim a desempenhar a nossa missão, divulgando e esclarecendo os cidadãos, a comunidade académica, as empresas, as associações, as autarquias e os restantes atores da comunidade sobre todas as oportunidades que poderão advir da União Europeia. Muito já foi feito, e ainda mais está por fazer. O caminho é longo, e a verdade é que só se pode fazer caminhando. Temos que crescer com as nossas empresas e entidades locais, ajudá-las a promoverem-se lá fora, a encontrar parceiros para os seus projetos e, acima de tudo, a desmontar a complexidade que algumas oportunidades de financiamento ainda oferecem. Queremos incentivar a cooperação com, cada vez mais, agentes de desenvolvimento local e aproximá-los dos centros de decisão. É neste sentido que proporemos mais uma vez, ainda este ano, uma visita à Comissão Europeia a Bruxelas, com um grupo de representantes da região para debater as necessidades locais com quem decide centralmente. As grandes preocupações do Europe Direct para os próximos anos serão, em consonância com o Programa de Desenvolvimento do IPP para o triénio 2014-2017, o desenvolvimento regional, a interação com a comunidade local, o apoio aos jovens da região na procura de oportunidades, o esclarecimento e informação sobre os direitos e liberdades dos cidadãos numa Europa em debate e em constante evolução. Tentaremos, por isso, divulgar cada vez mais na região as oportunidades de cooperação e formação provenientes do novo Programa Erasmus+; divulgar também as novas oportunidades de financiamento regional até 2020; trabalhar com as escolas, promover parcerias e, finalmente, sensibilizar a população para a importância do voto nas próximas eleições europeias, especialmente numa fase em que o Parlamento Europeu, a única instituição europeia eleita democraticamente pelos cidadãos, viu reforçados os seus poderes de decisão... são estes os desafios do Europe Direct do Alto Alentejo-IPP… crescer juntamente com a região, porque juntos somos mais FORTES. Luís Loures e Ana Pereira (Coordenador e Técnica de Informação) Europe Direct Alto Alentejo – Instituto Politécnico de Portalegre

O Luiz

O

Luiz Rosado trabalhava no IPP desde abril de 2002. Licenciado em Informática de Gestão, integrava a equipa da Administração de Sistemas Informáticos, nos Serviços Centrais, depois de ter desempenhado funções no Centro Informático da ESTG, durante mais de oito anos. Em abril do ano passado, deu início a uma dura luta contra a leucemia. Fase, após fase, o Luiz deu mostras de tenacidade. Com o intuito de ajudar a encontrar um dador compatível, alguns amigos reuniram-se e criaram o “Vida para dar” – Movimento Social para a Doação de Medula Óssea. Desde o primeiro momento, também o IPP abraçou esta causa. Em novembro, o Luiz voltou ao trabalho, antes de ser surpreendido com mais uma adversidade da doença. Deixou-nos no dia 20 de março.

Era natural do Crato e tinha 38 anos. Lembramos aqui o profissional. O colega tranquilo. O desportista (praticante de BTT e ciclismo; treinador de andebol). O filho único. O marido da Susana. O IPP perdeu um dos seus.


PORTAL N.º 98 | 03/2014

3

Começa a obra do Centro de Bioenergia e Incubadora de Base Tecnológica (continuação pág.1)

Este projeto tem como principal objetivo a criação e a instalação de uma incubadora de empresas de base tecnológica focada na área da BioEnergia. Esta, abreviadamente designada por BioEnergia, pretende ser uma estrutura de incubação de empresas e de desenvolvimento de projetos de spin-off tecnológicos em produção de combustíveis e energia a partir de fontes renováveis orgânicas, com base numa forte componente de atividades de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (I&DT). O BioEnergia é assim uma incubadora de base tecnológica, dispondo de, − Suporte à criação de empresas; − Suporte tecnológico de unidades de produção de combustíveis a uma escala piloto; − Suporte laboratorial na área da química, materiais e de microbiologia. Pretende-se que o BioEnergia contribua, com os seus recursos materiais e humanos, para o desenvolvimento e implementação industrial de tecnologias economicamente viáveis, que permitam uma conversão eficiente de biomassa em combustíveis sólidos, líquidos ou gasosos, energia elétrica e energia térmica e, também, encontrar metodologias de remediação ambiental eficientes e sustentáveis. Por outro lado, apresenta, também, como propósito auxiliar as empresas de melhores mecanismos energéticos, que se reflitam em maior poupança, eficiência e qualidade ambiental, possibilitando o desenvolvimento da sua atividade industrial com recurso a novas fontes de energia e tratando, reutilizando e valorizando os seus resíduos biomássicos que, em muitos casos, representam um problema e um custo adicional. (…) A incubadora de empresas integrada no projeto BioEnergia fará parte da rede de incubação regional, criada por intermédio do Sistema Regional de Transferência de Tecnologia, com o objetivo de valorizar o empreendedorismo e de estimular o surgimento de empresas de base científica e/ou tecnológica na região Alentejo.

Assinatura do auto de consignação da obra pelo presidente do IPP e os representantes da empresa construtora. Também estiveram presentes: o administrador do IPP, o subdiretor da ESTG e a equipa do IPP responsável pela arquitetura e pela fiscalização e coordenação de segurança da obra.

In Centro de BioEnergia/Memória descritiva | 2012

Revisão do enquadramento estratégico prestes a ser concluída

O

Círculo de Progresso e a Presidência do IPP promoveram uma nova reorganização do Sistema Integrado de Gestão, visando uma redução significativa dos processos, tendendo a aproximar ainda mais o SIG, quer da realidade do IPP, quer dos referenciais da A3ES e da importância aí dada aos processos realmente nucleares, relacionados com o ensino e a aprendizagem, a investigação e a internacionalização. No seguimento deste processo de alteração profunda do SIG pretendeu-se também articular a atual política da qualidade e da responsabilidade social, vetores estratégicos e objetivos do sistema com o Projeto Educativo, Científico, Cultural e Desportivo (proposto à aprovação pelo Conselho Geral, em maio) e com o Programa de Desenvolvimento 2014/2017 (aprovado pelo Conselho Geral, em fevereiro). Este processo foi acompanhado com uma nova revisão do Manual do SIG, que corresponde à revisão 11 e que foi concluída no final do primeiro trimestre de 2014. No site do IPP está disponível uma síntese bilingue do Manual (português/inglês).

A3ES vai auditar Sistema Integrado de Gestão do IPP

O

Instituto Politécnico de Portalegre é uma das seis instituições de ensino superior que, em 2014, verá o seu sistema interno de garantia da qualidade ser avaliado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES). Foi o próprio IPP a manifestar o interesse em participar neste processo de auditoria institucional, que tem como objetivo a certificação dos Sistemas Internos de Garantia da Qualidade. A 12 de março, no auditório dos Serviços Centrais, o Prof. Sérgio Machado dos Santos (membro executivo do Conselho de Administração da A3ES) elucidou os colaboradores do IPP sobre o tema “Auditoria de

Sistemas Internos de Garantia da Qualidade – enquadramento, princípios, referenciais e critérios”. Na ocasião, o Círculo de Progresso (Dr. Francisco Morais) apresentou o SIG do IPP. A fase de autoavaliação decorreu até final de março e implicou o trabalho dos colaboradores envolvidos nos processos de melhoria contínua, em diversos órgãos de direção e gestão e do grupo constituído para coordenar a tarefa. Previsivelmente, a visita de uma comissão de avaliação externa da A3ES deverá realizar-se entre maio/outubro.


4

PORTAL N.º 98 | 03/2014

“Escola de Saúde – uma porta aberta à comunidade” Tomada de Posse da Direção da ESTG

A N

o dia 30 de janeiro, na sessão aberta do Conselho de Representantes da ESTG e perante uma plateia de alunos, docentes, funcionários e entidades públicas e privadas, tomou posse como diretor o Doutor Paulo Sérgio Duque de Brito. O novo diretor garantiu que apesar dos tempos difíceis, irá fazer todos os possíveis para corresponder à confiança que o Conselho de Representantes nele depositou. Escolheu como subdiretor o Engº Luís Manuel Tremoceiro Baptista e como prioridades do mandato, apontou a captação de alunos e abertura de novos cursos. Referiu considerar que só na base de um diálogo franco, confiança mútua e espirito construtivo será possível avançar com uma estratégia coerente e ganhadora de captação de alunos, de melhoria da qualidade na formação ministrada e de afirmação regional e nacional em termos técnicos e científicos.

Escola Superior de Saúde de Portalegre promoveu no dia 31 de março o evento designado “Escola de Saúde – uma porta aberta à comunidade” tendo como objetivos a Promoção do desenvolvimento pessoal e profissional dos estudantes da ESSP; a Divulgação da oferta formativa da ESSP, no âmbito dos cursos de 1ª ciclo; a promoção a interação entre os estudantes da ESSP e os visitantes, nos contextos de prática profissional simulada, no âmbito da Enfermagem e da Higiene Oral e contribuir para uma visão real das profissões de Enfermeiro e Higienista oral, convidando e recebendo cerca de 90 alunos das escolas secundárias da região.

Jovens visitam ESAE

8 Hours’ Overtime for a Good Cause

N

o passado dia 26 de fevereiro, a ESAE foi visitada por um grupo de jovens da Associação Casa Juvenil Nossa Senhora da Assunção, de Arronches. A visita teve início cerca das 09h00 no Complexo de Animação e Formação Equestre de Elvas e continuou nas instalações da Escola até ao final da manhã. Na ESAE, o grupo pode ver a coleção de plantas aromáticas e medicinais e de suculentas com a docente Orlanda Póvoa e visitar o Laboratório de Biologia Vegetal onde puderam observar os trabalhos de investigação em curso (testes de germinação de sementes, sementeiras em alvéolos, etc.).

A

Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre, em conjunto com um grupo de criativos, constituído por alunos e docentes, participou este ano, pela terceira vez consecutiva, na organização do evento internacional “8 Hours Overtime for a Good Cause” (www.8-i.org), na cidade de Portalegre. Esta iniciativa de solidariedade e doação de serviços criativos decorreu a 28 de março em Portalegre e em várias cidades do mundo. Na ESTG, 37 voluntários, entre alunos e docentes dos cursos de Design de Comunicação, Design de Animação e Multimédia, e Administração de Publicidade e Marketing formaram equipas de trabalho, que durante oito horas doaram trabalho criativo a cinco Instituições de Solidariedade e Apoio Social do distrito, contribuindo para a renovação da identidade visual, das estratégias de comunicação e do reposicionamento social destas Instituições.

ESAE realizou Workshop sobre Maneio de Vitelos

D

ecorreu no passado dia 31 de janeiro e 1 de fevereiro, a 2ª edição do Workshop sobre Maneio de Vitelos organizado pelo Núcleo de Formação Contínua (NFC) do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP). O workshop destinou-se aos alunos de Enfermagem Veterinária e a tratadores de explorações agropecuárias. A formação esteve a cargo do Dr. Miguel Minas, docente da Escola Superior Agrária de Elvas(ESAE) e da Dra. Fátima Encarnação da Direção Geral de Alimentação e Veterinária. A componente teórica da formação decorreu na ESAE e a prática numa exploração agropecuária.


PORTAL N.º 98 | 03/2014

5

Docente da ESAE vê posters científicos premiados Novo diretor da ESAE tomou posse

N

os dias 8 e 9 de fevereiro, a Dra. Lina Costa, docente da Escola Superior Agrária de Elvas (ESAE), apresentou dois posters no concurso de posters científicos no X Congresso do Hospital Veterinário do Montenegro, no âmbito do diagnóstico e controlo de doenças infecto-contagiosas dos animais de companhia. Obteve o 3º lugar para o trabalho sobre “Estudo preliminar de enterites víricas em pequenos animais em Portalegre” que realizou em parceria com o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto e o 6º lugar para o trabalho sobre “Estudo retrospetivo da prevalência de hemoparasitas em cães assistidos na Clilegre”.

N

o passado dia 27 de janeiro, tomou posse como Diretor da ESAE, o Prof. Doutor José Manuel Rato Nunes. Os lugares disponíveis no Auditório da Escola não foram suficientes para acolher todas as pessoas que quiseram assistir à tomada de posse: colaboradores, alunos e representantes de diversas entidades e personalidades da região. O cargo de Subdiretor foi ocupado pelo Prof. Doutor Luís Carlos Loures. Breve nota biográfica do Prof. Doutor José Manuel Rato Nunes: Nasceu a 12 de junho de 1968 em Setúbal. Licenciou-se em Agronomia em 1992 no Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa, onde concluiu o Mestrado em Nutrição Vegetal, Fertilidade dos Solos e Fertilização em 1996. Em 2003, Doutorou-se em Engenharia Agronómica na Universidad de Extremadura, tendo-lhe sido atribuído o Grau de Doutor Europeu. Ao nível profissional iniciou a sua atividade enquanto técnico superior no Laboratório Rebelo da Silva do Instituto Nacional de Investigação Agrária, tendo em agosto de 1996 ingressado na Escola Superior Agrária de Elvas como Professor-Adjunto, onde, desde então, desenvolve atividade docente e de investigação na área da Química Agrícola e Ambiental. Ocupa ainda vários cargos de relevo não só no Instituto Politécnico de Portalegre, mas também em Associações e Instituições públicas e privadas quer a nível local, quer a nível regional. Breve nota biográfica do Prof. Doutor Luís Carlos Loures: Nasceu a 10 de março de 1982 em Faro. Licenciou-se em Arquitetura Paisagista em 2005 na Faculdade de Engenharias de Recursos Naturais do Algarve. Em 2011 concluiu o doutoramento em Ciências e Tecnologias do Ambiente, para o qual recebeu o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia com vista ao desenvolvimento dos trabalhos de investigação em três universidades: Universidade do Algarve, Michigan State University e Universidade de Toronto. A nível profissional, iniciou a atividade docente na qualidade de convidado em 2007, tendo em 2009 ingressado na ESAE onde desde então desenvolve atividade docente e de investigação. Paralelamente é membro integrado do Centro de Investigação sobre o Espaço e as Organizações, e Gestor/Coordenador do Centro de Informação Europe Direct do Alto Alentejo.

PAC apresentada na ESAE

N

o passado dia 19 de março, decorreu no Auditório da ESAE, uma palestra informativa subordinada ao tema “PAC: perspetivas 2014-2020”, organizada pela Associação para o Desenvolvimento do Espaço Rural do Norte Alentejano, mas da responsabilidade da Confederação de Agricultores de Portugal. O Auditório da ESAE esgotou a sua lotação com agricultores da região, docentes e alunos da Escola.

I Curso prático em Cuidados Básicos e 1os Socorros em Equinos

A

9 e 10 de maio terá lugar na Escola Superior Agrária de Elvas o I Curso prático em Cuidados Básicos e 1os Socorros em Equinos. Organizado pelo Núcleo de Formação Contínua, será ministrado pelo docente Miguel Minas, destinando-se a alunos e profissionais das áreas da Veterinária e Equinicultura. Com a duração de 12 horas, este curso visa que os formandos adquiram conhecimentos que lhes permitam ter uma abordagem de enfermagem veterinária na prestação dos cuidados básicos e 1os socorros em equinos.


6

PORTAL N.º 98 | 03/2014

NFC promove formação em Proteção de animais em transporte de curta duração

Prof. Luís Cardoso reeleito Diretor da ESEP

N

os dias 6, 7 e 8 de março, o Núcleo de Formação Contínua (NFC), organizou a ação de formação “Proteção de animais em transporte de curta duração – Ruminantes, Equinos e Suínos”. A coordenação da ação foi da responsabilidade do docente Luís Alcino da Conceição, tendo a formação sido ministrada pela Dr.ª Cheila David. À semelhança das anteriores formações do NFC, nesta formação participam alunos da Escola e outras pessoas da comunidade, tendo as 25 vagas sido preenchidas com formandos de Coimbra, Faro, Moura, Portalegre e Elvas. O principal objetivo desta formação foi capacitar os formandos com os conhecimentos técnicos e normativos relativos ao bem-estar animal durante o transporte de animais de uma dada espécie ou espécies, em viagens de curta duração. Após o exame final, os formandos ficaram habilitados à condução das viaturas de transporte de animais de curta duração. O curso foi homologado pela Direção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo e teve a duração de 24 h.

O

Prof. Luís Miguel Cardoso foi reeleito como Diretor da Escola Superior de Educação, por unanimidade, pelo Conselho de Representantes, e dará continuidade ao trabalho que desenvolveu no seu primeiro mandato. No dia em que renovou o compromisso, por mais quatro anos, o Prof. Luís Cardoso começou por defender que o principal desafio da Escola será a “consolidação do presente e a conquista do futuro”, afirmando ainda que “a ESEP saberá encontrar um caminho consentâneo com a sua missão, história e valores, e simultaneamente adequado para a construção de um futuro de excelência, qualidade e progresso”. O Diretor considerou como eixos prioritários e estratégicos a consolidação da oferta formativa (licenciaturas, mestrados, pós-graduações, CET e Short Cycles), os estudantes e a sua relação com o corpo docente e não docente, o reforço dos laços com a comunidade, o intercâmbio e cooperação com outras instituições, a comunicação interna e externa, a investigação, desenvolvimento e projetos, e a cultura organizacional. Ao longo do seu discurso o Prof. Luís Miguel Cardoso salientou os desafios que se aproximam e manifestou o seu desejo de que o orçamento de Estado para a Educação e Ciência “não continuasse a ser afetado pela vertigem de cortes” dos últimos anos e que têm criado enormes constrangimentos nas Instituições de Ensino Superior. Antes de concluir o seu discurso, o Diretor da ESEP anunciou que o Prof. Fernando Rebola irá ocupar o cargo de subdiretor, para construir uma equipa forte, leal e coesa.

Jornadas da Comunicação atingiram a maioridade

A

s Jornadas da Comunicação realizam-se consecutivamente há 18 anos, na Escola Superior de Educação. Este evento foi realizado pelos estudantes de Jornalismo e Comunicação, tendo o programa deste ano contado com um leque de debates que abrangeram as áreas do Jornalismo, das Relações Públicas e da Publicidade e que contaram com representantes de diversos órgãos de comunicação social como a SIC, TVI, Público, entre outros. O suplemento do Jornal Público, P3, recebeu o tributo de Jornalismo, e o grupo McCannPortugal foi distinguido com o tributo de Comunicação.

Embaixador do Irão visita o IPP

Alunas do Instituto Politécnico de Macau na ESS

N

a sequência da recente deslocação de uma comitiva de empresários e autarcas da região ao Irão, o Embaixador deste país em Portugal, Hossein Gharibi, acompanhado pelo Conselheiro Saeed Lashkari, esteve de visita ao IPP e a várias outras entidades do Alto Alentejo. Dentro da apertada agenda da visita, e no que respeita, especificamente ao IPP, o senhor embaixador teve oportunidade de se deslocar à ESEP, onde lhe foi apresentado um vídeo com as atividades desenvolvidas pelas várias Escolas, as perspetivas de cooperação internacional, bem como as linhas gerais de atuação na área concreta das energias renováveis e biocombustíveis. Como resultado da visita, ficaram abertas as portas para o prosseguimento dos contactos com o Irão e, concretamente, com as instituições de ensino superior, em especial as da região de Qazvin, onde decorreu a deslocação da comitiva da CIMAA.

A

abrigo do acordo existente entre o IPP e Instituto Politécnico de Macau, a Escola Superior de Saúde recebeu, no 2º semestre de 2013/2014, duas estudantes do IPM depois de, no ano anterior, terem estagiado, também duas estudantes da ESSP em Macau.


PORTAL N.º 98 | 03/2014

7

Mudança de direção na ESS

O

Prof. Adriano Pedro é o novo diretor da Escola Superior de Saúde. Foi eleito no passado dia 6 de janeiro, por unanimidade, pelo Conselho de Representantes da ESS, após audição pública. A sua tomada de posse realizou-se na sala de conferências da Escola, a 24 de janeiro. Para coadjuvá-lo, como subdiretor, escolheu o Prof. António Casa Nova. Ao assumir funções, o novo diretor agradeceu ao Conselho de Representantes. “Encaro este voto de confiança com um sentido de responsabilidade acrescido, até porque foi esta Escola que me ensinou a ser o profissional que sou hoje, e envidarei todos os esforços para a liderar, apostando na formação integral dos estudantes, onde seja evidente um bom clima de ensino e de aprendizagem, o rigor, a exigência, a disciplina e o respeito”, declarou. Recordou os valores que assumiu, aquando da sua candidatura, classificando-os como “um conjunto de princípios e de pressupostos que se pretende que estejam na base da cultura organizacional e que se integrem na conduta diária de toda a comunidade académica”. Designadamente: “os valores da responsabilidade, do humanismo, da ética e transparência, da liberdade intelectual, da inovação, da excelência, da cooperação, da subsidiariedade, da abertura, da cidadania e do desenvolvimento sustentável”. Relativamente à oferta formativa da escola, afirmou: “deve assentar numa definição clara dos domínios técnico-científicos e na oferta formativa que alimenta cada um destes domínios, considerando a especialização da oferta, a integração vertical do domínio, o cariz politécnico, a matriz regional, os recursos docentes, a base diferenciadora da oferta e a integração no curriculum de competências em línguas estrangeiras e empreendedorismo”. Sintetizando quais são os ciclos de estudos em funcionamento, assumiu que a sustentabilidade dos mesmos “será uma preocupação sempre presente”. No que respeita aos cursos de pós-graduação, desejou que possam evoluir para formação de 2º ciclo. Desenvolver ofertas de formação de nível 5, a oferta de unidades curriculares de opção lecionadas numa segunda língua e a formação em b-learning são exemplos de ações que pretende iniciar, para contribuir para a atração de novos públicos.

No que respeita à cooperação, defendeu “as parcerias com instituições diversas que se configurem relevantes, afirmando a escola e o conhecimento no âmbito da saúde, nesses contextos. O trabalho a ser desenvolvido no âmbito da coordenação regional da oferta formativa e investigação com as Instituições de Ensino Superior da Região Alentejo parece-me ser um exemplo a seguir”, sublinhou. Outro compromisso refere-se à investigação: “pretendo criar condições para o desenvolvimento das linhas de investigação já aprovadas e que se torne visível o trabalho desenvolvido por docentes e estudantes, através de publicações em revistas indexadas e com fator de impacto”, assumiu. Reconhecendo que a Escola deu um salto quantitativo na qualificação do seu corpo docente (“atualmente o curso de licenciatura em Enfermagem dispõe de 58% de doutores ou especialistas e o de Higiene Oral: 40%”), constatou que “importa manter este ritmo de qualificação, prevendo-se que no final de 2015 seja de 75% para o curso de licenciatura em Enfermagem e de 65% para o de licenciatura em Higiene Oral”. Outra “preocupação constante” que expressou refere-se à relação institucional com os estudantes, tendo manifestado o seu apoio pessoal para a criação de “condições para o desenvolvimento de ações científicas, culturais e desportivas que sejam promotoras de um ambiente favorável e que projetem o nome da Escola e do IPP a nível regional, nacional e internacional”.

Trabalho de Bioengenharia do Instituto Politécnico de Portalegre ganha prémio

O

trabalho de uma aluna da Licenciatura em Bioengenharia da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) ganhou uma Menção Honrosa nas 8as Jornadas de Medicina Nuclear do Hospital Garcia de Orta que decorreram no passado dia 8 de fevereiro.

O prémio foi atribuído ao trabalho que permite calcular o volume da tiroide por cintigrafia em pacientes com hipertiroidismo, desenvolvido no âmbito do projeto de licenciatura de Bioengenharia de Ana Rita Correia Manuel. O trabalho foi orientado pela docente do IPP Mónica Vieira Martins e realizado em parceria com o Serviço de Medicina Nuclear do Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada. Neste trabalho, desenvolveu-se software para cálculo automatizado e otimizado do volume da tiroide em imagens de Medicina Nuclear. Essa informação é de grande utilidade para os clínicos, pois é a partir dela que determinam a dose de fármaco que deverá ser prescrita a cada doente com hipertiroidismo. Depois dos testes experimentais, o sistema vai agora entrar em testes clínicos, também numa parceria entre as duas instituições. Espera-se que este trabalho permita aos médicos de Medicina Nuclear estimar com maior exatidão o volume da tiroide de cada paciente com hipertiroidismo, e, consequentemente, conduzir a taxas de cura ainda mais elevadas.


8

PORTAL N.º 98 | 03/2014

Enfermagem tem novo Centro de Simulação de Práticas

A

Escola Superior de Saúde inaugurou um espaço para a realização de aulas práticas e treino dos estudantes em procedimentos de Enfermagem, a 13 de janeiro. Este espaço visa proporcionar ao aluno “a aquisição de destreza manual e cognitiva, necessária para o profissional de Enfermagem, bem como facilitar o manuseamento de todo o equipamento, com liberdade, não o sobrecarregando com o stress e a ansiedade determinados pelos contextos reais”. O centro de simulação de práticas de enfermagem é composto por quatro laboratórios, equipados com tecnologias de aprendizagem. Aí são desenvolvidas atividades nas áreas da Enfermagem Comunitária, Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica, Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica, Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica, Enfermagem Médico-Cirúrgica e Fundamentos de Enfermagem. O treino para o desenvolvimento das competências dos estudantes inclui desde sessões de educação para a saúde até ao treino de atividades de vida diária, cuidados de enfermagem gerais, específicos e de emergência. O Centro também é vocacionado para a investigação e desenvolvimento, a inovação e outras formas de prestação de cuidados e de metodologias de ensino, bem como para a prestação de serviços à comunidade. A disponibilização do centro de simulação de práticas de enfermagem representou um investimento de 113 500 euros (obra e equipamentos). Curso acreditado por 5 anos O curso de licenciatura em Enfermagem foi acreditado pelo período máximo, de 5 anos, pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES).

Para tal, contribuíram: − O reapetrechamento e reorganização dos laboratórios de práticas simuladas em enfermagem; − A melhoria na qualificação do corpo docente; − A reestruturação curricular, atribuindo maior número de ECTS à área científica de enfermagem e aos ensinos clínicos e a existência de unidades curriculares de opção. Proporciona-se, ao longo do ciclo de estudos, uma aprendizagem de fenómenos do bem-estar e do adoecer, visando uma atuação de enfermagem holística, na família, comunidade, grávida, mãe, recém-nascido, criança, jovem, adolescente, adulto e idoso, não descurando os aspetos ligados à saúde e à doença mental. O curso contempla ainda a possibilidade do estudante escolher áreas onde pretende desenvolver, aprofundar ou reconfigurar competências, algumas já anteriormente adquiridas. Culmina com a integração à vida profissional, efetuada através de experiências clínicas em duas grandes áreas: Cuidados Hospitalares e Cuidados Comunitários.


PORTAL N.º 98 | 03/2014

9

CENTRO DE LÍNGUAS E CULTURAS DO IPP PROJETO English4U

I

niciaram-se em Estremoz as aulas do CLIC.IPP este semestre letivo, com o apoio da edilidade, com a qual foi celebrado um protocolo de colaboração. Apesar de diversas manifestações de interesse, apenas abriu uma turma de Inglês. Esperamos poder contar com maior número de interessados em próximas edições.

O

s Cursos de Línguas do CLiC.IPP tiveram início este semestre letivo em Portalegre e Elvas, coincidindo com o princípio das atividades das Unidades Orgânicas do IPP, como já vem sendo hábito. Abriram 2 turmas de Inglês em Elvas e 4 em Portalegre, mantendo-se em funcionamento os cursos anuais. Nas restantes línguas encontram-se a funcionar 2 grupos de Alemão e um grupo de Francês.

O

Ministério da Educação, no Despacho n.º 11838-A/2013, de 11 de setembro, definiu que os alunos de 9º ano realizarão já neste ano letivo de 2013-14, um exame de Inglês, no quadro de um projeto Key for Schools PORTUGAL – certificado Cambridge English Language Assessment (Universidade de Cambridge). Na tentativa de apoiar os alunos de Inglês da região nesta nova tarefa, o CLiC realizou no dia 29 de março um workshop que foi frequentado por jovens entre os 11 e os 15 anos.

T

eve início no 2º semestre do presente ano letivo o projeto “English4U”, que visa a formação em Língua Inglesa dos estudantes do IPP que não têm Língua Estrangeira (LE) nos seus planos de estudo. O IPP assumiu como uma das linhas estratégicas estruturantes da sua missão de bem formar o desenvolvimento de competências linguísticas em línguas estrangeiras da comunidade académica, fomentando a internacionalização e mobilidade dos estudantes. Assim, com o projeto “English4U”, o IPP, com a coordenação do CLiC, propõe-se garantir como competência transversal de todos os estudantes do 1º ciclo, a possibilidade de obter, durante o período da sua formação académica no IPP, competências linguísticas, numa língua estrangeira, como utilizador independente (B.1) do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECRL – 2001). Em termos práticos, os estudantes que entraram no 1º ano no ano letivo de 2013-2014 e que não têm no plano de estudos da sua licenciatura uma língua estrangeira poderão frequentar uma Unidade Extracurricular (UE) de LE, através de formação facultativa e gratuita, durante um ou dois semestres, 4 horas semanais. Para tal, os alunos realizam um teste de aferição de conhecimentos de Inglês (prova escrita e oral), com o objetivo de determinar o seu nível, de acordo com o QECRL. De acordo com o resultado do teste, serão integrados em turma de nível elementar (A2) ou intermédio (B1). Os estudantes que demonstrem, no teste de aferição, ter competências de nível mais avançado que o B1 serão dispensados da frequência da UE e a certificação respetiva será averbada em Suplemento ao Diploma. Para além disso, e também no âmbito do projeto “English4U”, já estão a decorrer desde o início do 2º Semestre as aulas de conversação de Inglês (extracurricular / nível B.2) direcionadas para os alunos do 1º ano dos cursos sem língua inglesa curricular, com o objetivo fundamental de proporcionar a possibilidade de desenvolver extra-curricularmente as suas competências em língua Inglesa, praticando oralmente a língua, adquirindo fluência e ampliando o vocabulário. As aulas de Conversação não envolvem quaisquer custos para os alunos e decorrem durante todo o 2º Semestre do ano letivo 2013-14, nas 5ªs feiras, das 18:00 às 19:00 (total de 30h), na sala 2.06, sendo lecionadas pela Dr.ª Margarida Coelho.

A

briram no 2º semestre deste ano letivo 2 novas turmas de Português Língua Estrangeira para estudantes ERASMUS das Unidades Orgânicas do IPP situadas em Portalegre: uma turma de estudantes hispânicos e outra de estudantes de línguas maternas não latinas. Abriu ainda uma turma de apoio em Língua Portuguesa para estudantes provenientes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa que, em alguns casos, têm outras línguas maternas e enfrentam a dificuldade acrescida de estudarem longe dos seus países origem e de o fazerem numa língua que não é a sua. Gostaríamos de manter esta oferta formativa em próximos anos letivos.

N

a qualidade de Coordenadora Institucional do CLiC a professora Margarida Coelho participou de 24 a 28 de março, em Bruxelas, numa “Study Visit” promovida, aprovada e financiada pelo CEDEFOP (European Centre for the Development of Vocational Training) e organizada pelo Departement Onderwijs en Vorming Dienst Beroepsopleiding, Bruxelas, sobre o tema “Improving entrepreneurial competences of teachers and trainers”.

CLiC e Higiene Oral em destaque nos media

A

s atividades do Centro de Línguas e Culturas do IPP (CLiC. IPP) e da licenciatura em Higiene Oral, da Escola de Saúde, estiveram em destaque em alguns órgãos de comunicação local e nacional. Assim, a Rádio Portalegre entrevistou as responsáveis pelo CLiC. IPP e passou a notícia nos blocos informativos, tendo também publicado informação na sua página online. Na sequência desta entrevista uma equipa da TVI deslocou-se a Portalegre e passou uma breve reportagem sobre o ensino das línguas no CLiC.IPP nos seus espaços informativos. Também uma equipa da SIC esteve na ESSP, onde efetuou uma reportagem no Laboratório de Higiene Oral sobre as práticas dos estudantes desta Licenciatura, a qual foi apresentada no noticiário nacional.


10

PORTAL N.º 98 | 03/2014

NOVOS DOUTORADOS DO IPP

Miguel José Sardica Garcia de Castro (docente da ESE) O docente da ESE concluiu o Doutoramento em Geografia, na especialidade de Geografia Humana, com a defesa da tese intitulada “A Fronteira Portugal/Espanha 18 Anos depois de Schengen. O Caso de Portalegre – Elvas / Valência de Alcântara – – Badajoz”. O objetivo da investigação foi provar que a eliminação do controlo alfandegário conduziu a uma nova realidade espacial regional, mais articulada a nível de cooperação das instituições locais e das populações. A análise foi realizada tendo em conta três dimensões: o nível institucional; o comportamento das populações; a atividade comercial retalhista. Sobressaíram o comércio e o lazer como maiores fatores de atracão das populações, estruturando grande parte da vida das cidades de fronteira. Verificou-se que os contactos populacionais são cada vez mais intensos e ambos os lados encaram o outro como

parte do um todo espacial, existindo sinais da construção de uma identidade transfronteiriça. A prova pública de defesa da tese ocorreu no dia 26 de junho de 2013, na Sala de Doutoramentos da Reitoria da Universidade de Lisboa, sendo o Júri constituído pela Professora Doutora Maria Lucinda Fonseca (Presidente do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território) por delegação do Vice-Reitor, Professora Doutora Iva Miranda Pires e Professor Doutor José Afonso Teixeira, ambos da Universidade Nova de Lisboa, Professora Doutora Teresa Barata Salgueiro (IGOT), orientadora da investigação, Professor Doutor Jorge Macaísta Malheiros (IGOT) e Professor Doutor Herculano Cachinho (IGOT). Reunido o Júri, após a defesa das provas públicas, em observância das formalidades legais, o mesmo deliberou, por unanimidade, atribuir a classificação final de “Aprovado com Distinção”.

Cristina Pereira (coordenadora técnica e gestora de projetos da C3i) Concluiu o doutoramento em Gestão, no passado dia 26 de fevereiro, na Universidade de Évora, com a média final de 18 valores. A tese, realizada na área de finanças, foi aprovada com a mesma classificação e intitulou-se “Estudos sobre a solidez do sistema bancário da OCDE: Crises bancárias, endividamento e incumprimento no período 1991 a 2009”, sob a orientação dos professores doutores Jacinto Vidigal da Silva e Joaquim J. S. Ramalho. As principais conclusões evidenciaram que as crises bancárias registadas por estes países são mais frequentes em sistemas financeiros orientados para o mercado de capitais, quando o endividamento médio dos bancos é superior, em momentos de recessão e elevada inflação. Existe contágio entre crises, sendo particularmente acentuado entre países adjacentes. O endividamento dos bancos é determinado pela sua

dimensão, rentabilidade e solvabilidade, bem como pelas taxas de juro, crescimento económico e nível de desenvolvimento dos países em que operam. O incumprimento de clientes resulta de baixa qualidade da gestão dos bancos e de momentos de recessão económica, sendo mais elevado em bancos menos rentáveis e que operam em países com menor rendimento per capita. Foi, ainda, observado, com particular relevância, o facto da adoção de níveis elevados de regulamentação e supervisão bancária não evitarem o registo de crises bancárias. Destaca-se, também, a criação de um índice de regulamentação e um índice de supervisão, bem como contributos de ordem metodológica, consubstanciados na aplicação de modelos de resposta binária para dados de painel, no estudo das crises bancárias, e de modelos fracionários para dados longitudinais nos estudos do endividamento e incumprimento.

Novos diplomados nos mestrados em curso no IPP

R

ealizaram-se nos últimos três meses várias provas públicas dos mestrados atualmente em curso nas Escolas do IPP, das quais resultaram os seguintes novos diplomados com o título de mestre (indica-se o nome e o título da tese, dissertação, projeto ou relatório, conforme os casos): Nuno Filipe Carita Castelo Grilo de Oliveira | “Redes Sociais e sua Influência nas Práticas de Gestão e Marketing Relacional: Uma aplicação ao Turismo do Distrito de Portalegre”. Raquel Azaruja Batista Neves do Carmo | “Relações entre crianças e jovens em instituições de acolhimento”.

Alexandra Margarida Ribeiro Venâncio | “Desempregados de longa duração e processos de desfiliação. População dos 35 aos 55 anos, concelho de Portalegre”. Ana Margarida Ferreira Pereira | “O Contributo das Rotinas Diárias para o Desenvolvimento da Autonomia das Crianças”. Sandra Isabel Milhinhos Lourenço | “Da Literacia Emergente à Emergência da Escrita no Jardim de Infância”. Ana Maria Correia Henriques | “Educação Sexual nos Jovens do 8º 9º e CEF – – Escola Básica 2,3 Cristóvão Falcão e Mouzinho da Silveira, Portalegre”. Leandro Manuel de Sousa Cardoso | “Sexualidade na Adolescência”. Paula de Jesus Abreu Capão | “Saúde Comunitária”.

Marli Isabel Guisadas da Silva | “Convivência escolar e clima relacional na escola”. Mónica Isabel Rico Nobre Prates | “Educação para a igualdade de género: um estudo de caso numa instituição de educação de infância”.

Alexandra Sofia Lourenço Rodrigues | “Especialidade em Enfermagem Comunitária Realizado nas Escolas EB 2.3 Cristóvão Falcão e Secundária Mouzinho da Silveira em Portalegre”.


PORTAL N.º 98 | 03/2014

Gabinete de Empreendedorismo e Emprego tem nova composição

N

o passado dia 10 de fevereiro, o presidente do IPP nomeou o Dr. Artur Romão como novo coordenador institucional do Gabinete de Empreendedorismo e Emprego. O propósito desta estrutura é contribuir para a empregabilidade dos diplomados do IPP, fomentando o espírito empreendedor e o desenvolvimento de competências na área do empreendedorismo. Integram a equipa de trabalho do Gabinete os subdiretores das Escolas (Professores António Casa Nova, Fernando Rebola, Luís Baptista e Luís Loures) e quatro técnicos superiores (Arq. João Cardoso, Dra. Ana Vinagre, Dra. Catarina Matos e Dr. Pedro Ranheta).

11

INVESTIGAÇÃO NO IPP

A

C3i/IPP acompanha a execução de vários projetos ligados às diferentes áreas de investigação e enquadrados nas áreas de intervenção/ação dos dois núcleos de I&DT atuais: Bioenergia e NEISES. Nesta edição apresentamos o projeto: Construindo caminhos para a morte: uma análise de quotidianos de trabalho em cuidados paliativos, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), no âmbito do programa Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico em todos os domínios científicos 2010.

Construindo caminhos para a morte: uma análise de quotidianos de trabalho em cuidados paliativos

O

Objetivos do projeto: estabelecer as bases de uma investigação sociológica sólida sobre o trabalho dos profissionais de saúde em cuidados paliativos em Portugal. Os seus propósitos centrais são descrever e analisar as formas pelas quais os profissionais de saúde lidam, nos cuidados paliativos, com a complexidade em situações sociais específicas e compreender se e como estes profissionais tentam construir arranjos sociais de molde a promoverem o conforto dos doentes e a diminuírem o seu sofrimento nas suas trajetórias de final de vida.

IPP esteve na Futurália

Investigador/coordenador: Alexandre Martins | a.martins@esep.pt Equipa: Alexandre Martins, Isabel Silva Ferreira, João Emílio Alves, Helena Arco. Líder do projeto: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa – Centro de Estudos de Sociologia (CesNova) Parceiros: Instituto Politécnico de Portalegre; Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Haute École de Santé Genève, Haute École de Travail Social Genève. Investimento total do projeto: 41.993,00 euros Componente IPP: 1.800,00 euros Duração do projeto: 01/03/2012 até 28/02/2014

Professor búlgaro em missão na ESTG Prof. Roumen Otouzbirov esteve presente em missão Erasmus de ensino na ESTG. Este professor da área da Gestão, oriundo da Universidade de Trakia, na Bulgaria, veio falar-nos de “Updating curricula in the professional fields of Economics and Administration and Management at the Faculty of Economics, Trakia University, in accordance with the requirements of the regional labour market” e de “Comptetitiveness of SME in applying standards and conformity assessment.”

C3i tem novo Coordenador Institucional Por Despacho do Senhor Presidente do IPP (DESPACHO PRES. N.º 5/2014), datado de 10 de fevereiro de 2014, o cargo de Coordenador Institucional da C3i passou a ser desempenhado pelo Professor Doutor João Emílio Alves.

N

a edição de 2014 da Futurália – Salão de Oferta Educativa, Formação e Empregabilidade, os oito institutos politécnicos do centro, membros da Associação Politécnica – Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Portalegre, Santarém, Tomar e Viseu –, reuniram-se para representar a oferta de ensino politécnico nesta região do País, otimizando recursos e apostando, acima de tudo, no conceito de qualidade e excelência do Ensino Politécnico, com realce para as ofertas e caraterísticas particulares de cada Instituto. Esta iniciativa conjunta dos oito politécnicos do centro espelhou o espírito da Associação Politécnica com o objetivo de constituir uma estrutura de defesa e afirmação do Ensino Superior Politécnico, numa perspetiva de atuação nacional e internacional e realização de ações de divulgação conjuntas dos seus associados, visando a captação de novos estudantes.

Nota biográfica João Emílio Alves é doutorado em Sociologia pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa-Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Professor Adjunto na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Portalegre. Investigador integrado na Coordenação Interdisciplinar para a Investigação e Inovação (C3I). Investigador associado do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (CIES-IUL) e do Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa (CESNOVA). Para além da docência, desenvolve a sua atividade de investigação nas áreas do desenvolvimento regional e local, das políticas sociais, do planeamento, da exclusão social e da avaliação de projetos. Tem organizado e participado em várias iniciativas de divulgação científica. Tem várias publicações em livros e revistas científicas, sobretudo na área da sociologia. Informação da responsabilidade da C3i − Coordenação Interdisciplinar para a Investigação e Inovação do Instituto Politécnico de Portalegre.


Secretário de Estado do Ensino Superior visita o IPP

O

Politécnico de Portalegre lança concurso de Design

Instituto Politécnico de Portalegre recebeu a visita do Secretário de Estado do Ensino Superior, Prof. Doutor José Ferreira Gomes, na tarde de 19 de fevereiro, no âmbito do seu períplo pelas instituições de ensino superior. O governante conheceu a Escola Superior de Tecnologia e Gestão e a Escola Superior de Saúde, onde interagiu com alunos, docentes, não docentes e direções das Escolas. A visita terminou nos Serviços Centrais, onde o Secretário de Estado reuniu com a Presidência do IPP, membros do Conselho Geral do Instituto e representantes da comunidade (os presidentes da CIMAA, da CM Portalegre, da CM Elvas e do NERPOR).

O IPP pretende renovar a sua imagem gráfica, de modo a refletir os seus valores e a sua missão, criando uma imagem global do Instituto e das suas Escolas, que constitua uma referência e transmita a sua identidade. Neste contexto, o Instituto Politécnico de Portalegre lança este concurso para apreciar candidaturas que estejam de acordo com este princípio e com o determinado no Regulamento, para que seja avaliada, posteriormente, a adoção da proposta considerada vencedora. Regulamento disponível a partir do site do IPP (www.ipportalegre.pt). Informações e contactos: concursomarcasgraficas@ipportalegre.pt

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE inscrição nas provas: 5 março a 30 maio 2014

Serviços Académicos (Portalegre e Elvas)

FICHA TÉCNICA Edição Gabinete de Relações Públicas e Cooperação do Instituto Politécnico de Portalegre | Direção Joaquim Mourato | Coordenação editorial Carlos Afonso | Redação Maria do Carmo Maridalho | Secretariado Susana Dias | Paginação Margarida Dias | Colaboração Gabinetes de comunicação e Direções das Escolas / estruturas e serviços do IPP | Periodicidade Trimestral | Contactos Praça do Município, apartado 84, 7301-901 Portalegre | Telef. 245 301 500 | Fax 245 330 353 | Site www.ipportalegre.pt | E-mail grpc@ipportalegre.pt

Portal 98 - Boletim informativo do Instituto Politécnico de Portalegre  
Portal 98 - Boletim informativo do Instituto Politécnico de Portalegre  
Advertisement