Page 1

Boletim informativo do Instituto Politécnico de Portalegre N.º 101 | Ano 15 | 12/2014

Dia do IPP 2014

Atuação da Enftuna. Prof. Wilson Abreu, Prof. Joaquim Mourato e aluno Eduardo Gual. Prof. David Justino.

Entrega do Prémio “Caixa Geral de Depósitos”. Homenagem aos trabalhadores aposentados em 2014. Vencedores do 6.º Prémio de Boas Práticas no IPP, com o presidente do Instituto.

A

sessão comemorativa do Dia do Instituto Politécnico de Portalegre realizou-se no auditório dos Serviços Centrais, na tarde de 25 de novembro. Na cerimónia intervieram o presidente do IPP, o presidente do Conselho Geral do IPP e o presidente da Associação Académica do IPP. O presidente do Conselho Nacional de Educação (Prof. David Justino) foi responsável pela conferência “Cenários de desenvolvimento do Ensino Superior”.

Mais uma vez, a instituição aproveitou a efeméride para reconhecer o trabalho da sua comunidade. Na ocasião, foram entregues os prémios aos melhores alunos do primeiro ano, patrocinados pela Caixa Geral de Depósitos, e aos melhores alunos diplomados: os prémios “Delta Cafés”, “Câmara Municipal de Portalegre”, “Cidade de Elvas”, “Alain Afflelou-Portalegre”, “Dr. Francisco Tomatas” e “Ensino Magazine”. Foram homenageados os trabalhadores aposentados este ano e anunciaram-se os resultados do 6º Prémio de Boas Práticas no IPP. (continua na pág.3)


2

PORTAL N.º 101 | 12/2014

OPINIÃO

Temos Associação Académica!

N

ão quero deixar passar em claro a edição de cem boletins informativos do Instituto Politécnico de Portalegre, sendo a primeira edição de novembro de 1999. Estão de parabéns todos aqueles que, de alguma forma, participaram no PORTAL ao longo dos vários anos da sua existência, realçando particularmente o papel determinante das colaboradoras do Gabinete de Relações Públicas e Cooperação do IPP. Apesar de ter passado por diversas fases do seu desenvolvimento, com coordenações e periodicidades diferentes, nunca deixou de cumprir a função de informar dentro e fora do IPP, sintetizando os marcos e os factos mais relevantes que vão acontecendo no IPP e nas suas Escolas. Tem sido o jornal institucional do Instituto, o veículo comunicacional entre a comunidade académica, onde juntamos todas as Escolas e Serviços e partilhamos a sua atividade. Também tem permitido que o próprio IPP se conheça melhor, que os colaboradores se apresentem. Sei que o PORTAL, ao longo das 100 edições, tem transportado informação e vida e sido rosto do IPP. O contributo indelével que reside nos testemunhos, nas fotografias, nos acontecimentos e nas mensagens inseridas nas edições do PORTAL é património do IPP. A vida institucional pode ser conhecida e seguida através da leitura atenta do PORTAL. O PORTAL já faz parte do IPP! Cabe a cada um de nós tudo fazer para o preservar e melhorar. Hoje começa a segunda centena da edição do PORTAL (N.º 101). Joaquim Mourato Presidente do Instituto Politécnico de Portalegre

A

25 de novembro tomaram posse os órgãos sociais da Associação Académica do IPP. Eduardo Gual, aluno da Escola Superior de Saúde, é o presidente da Direção. “Hoje é um dia bastante importante para o Instituto Politécnico de Portalegre e para todos os alunos, porque pela primeira vez toma posse uma Associação Académica, que reúne as três Escolas de Portalegre”, resumiu. São objetivos: aproximar as Escolas e representar todos os alunos, a uma só voz e trabalhar com parceiros (Instituto Politécnico, autarquia, juntas de freguesia, empresas e associações do distrito). “Muito trabalho” foi uma expressão que repetiu várias vezes, ao perspetivar o ano. Depois de empossados todos os membros da AA, o presidente do IPP expressou a sua satisfação: “as Associações de Estudantes têm prestado um trabalho inestimável, muito importante, mas era fundamental que dessemos também este passo, de ter uma associação que representasse todos os estudantes. Eu estou convicto que vocês vão ser muito importantes, no futuro, para a instituição, não só em termos internos (de representação nos órgãos do Instituto e da Ação Social), mas também na representação externa”. Deixou um desafio para o futuro: a integração dos alunos da Escola Superior Agrária de Elvas, na AA IPP.


PORTAL N.º 101 | 12/2014

3

Dia do IPP 2014 (continuação pág.1)

Prémios para os melhores alunos do 1.º ano (500 euros) Prémio Caixa Geral de Depósitos ESE: Andreia Maurício – licenciatura em Serviço Social (16,37 valores); ESTG: Joana Damas – licenciatura em Administração de Publicidade e Marketing (16,33 valores); ESAE: José Gama – licenciatura em Agronomia (18 valores); ESS: Cláudia Vaz – – licenciatura em Enfermagem (16,79 valores).

Prémios para os melhores diplomados (500 euros) Prémio Câmara Municipal de Portalegre/ Melhor diplomado da ESE: Cláudia Dias – licenciatura em Serviço Social (16,53 valores); Prémio Delta Cafés/ Melhor diplomado da ESTG: João Rodrigues – licenciatura em Design e Animação Multimédia (15,15 valores); Prémio Cidade de Elvas/ Melhor diplomado da ESAE: Ana Barrocas – licenciatura em Equinicultura (16,37 valores); Prémio Alain Afflelou-Portalegre/Melhor diplomado da ESS: Joaquim Rodrigues – licenciatura em Enfermagem (18 valores); Prémio Dr. Francisco Tomatas/ Melhor diplomado do ramo de Contabilidade da licenciatura em Gestão: Carolina Raimundo (13,99 valores). Prémio Ensino Magazine (300 euros)/ Melhor diplomado do IPP – grau de mestre: Raquel Carmo – mestrado em Educação e Proteção de Crianças e Jovens em Risco (17,54 valores).

Prémio de Boas Práticas no IPP (6.ª edição) Patrocínio: Caixa Geral de Depósitos 1.º Prémio (1500 euros): Intervenção Psicossocial em situações de Crise, Emergência e Catástrofe (Miguel Arriaga, João Junceiro e Raul Cordeiro). Menções honrosas (250 euros, cada): “Programa IPP Amigo” (Miguel Arriaga, Helena Morgado e Antero Teixeira); Horta Pedagógica do Projeto de Alimentação Saudável nas Escolas do Concelho de Portalegre do Instituto Politécnico de Portalegre (Adriano Pedro, Ana Lopes, Anita Lucindo, Ascensão Calha, Beatriz Costa Pinto, Celeste Vilela, Conceição Antunes, José Almeida, Graça Gama, Olívia Mourato, Sofia Roque, Vera Pombo e Margarida Malcata). Foram apresentadas dez candidaturas. A todos os participantes foram atribuídos dois dias suplementares de férias.

Trabalhadores aposentados em 2014 Álvaro Setoca (SC), António Felício (SC), Celeste Rodrigues (ESS), Domingos Bucho (ESE), Fernanda Barrocas (ESE), José Sousa (ESTG), Manuel Silva (ESTG), Maria Alice Alves (SC), Maria Catarina Martins (SC), Maria da Conceição Laranjo (ESTG), Maria Manuela Reis (SAS), Maria Olinda Carvalho (ESTG), Maria Paula Cara d´Anjo (ESTG).

Discursos no Dia do IPP Presidente da Associação Académica A cerimónia do Dia do IPP teve início com a intervenção do representante dos alunos; o recém-empossado presidente da Associação Académica. Na altura, Eduardo Gual resumiu os objetivos da AA IPP (ver página 2) e fez questão de esclarecer: “não vamos abandonar as Escolas. Estaremos sempre presentes”.

Presidente do IPP, Prof. Joaquim Mourato Começo por saudar todos os presentes e agradecer a vossa presença nas comemorações do Dia do IPP. Sejam bem-vindos ao Instituto Politécnico de Portalegre. Permitam-me que a minha primeira referência seja dirigida aos estudantes, de forma particular, à Associação Académica do IPP. Pela primeira vez temos no dia do IPP o presidente da AAIPP, eleito no passado dia 13 de novembro e empossado hoje mesmo. Finalmente nasceu a AAIPP! Há muito que a desejávamos porque entendemos que todos juntos poderão defender e representar melhor os estudantes do IPP. Este projeto global não impede nem deve retirar de cada uma das Escolas o associativismo estudantil. As atividades muito próprias em cada Escola devem continuar. Queremos uma participação forte dos estudantes nos órgãos das Escolas, da Ação Social e do Instituto. São parte interessada e parceiros no desenvolvimento do projeto IPP. Parabéns ao Eduardo e a todos os estudantes que integram os órgãos da Associação. Espero que seja o primeiro de muitos presidentes da AAIPP. Conte connosco para desenvolver a Associação.

Quero dirigir um agradecimento especial ao Senhor Professor Doutor David Justino, por ter aceitado o nosso convite e juntar-se a nós neste dia de comemorações do IPP. O tema da conferência e o currículo do conferencista são motivos suficientes para gerarem elevadas expetativas em cada um de nós. Aproveito a ocasião para, publicamente, lhe agradecer a colaboração que, na qualidade de Presidente do CNE, tem mantido com o IPP e com todas as instituições politécnicas. Dos estudos, pareceres e posições, conferências e reuniões que o CNE tem promovido têm resultado importantes contributos para a educação em geral e para o ensino superior em particular. Muito obrigado senhor Professor. Não posso deixar de agradecer a presença dos meus colegas dos Institutos Politécnicos, das Escolas não integradas e das Universidades, que se deslocaram a Portalegre para uma reunião do CCISP e que nos acompanham nesta sessão. Obrigado pelo vosso apoio. As comemorações tiveram o seu início com a inauguração do Trilho do IPP, com partida e chegada aos SC do IPP, 7 Km a percorrer, parte no tecido urbano de Portalegre mas maioritariamente no interior do Parque Natural da Serra de São Mamede, passeio a cargo do Centro de Cultura e Desporto do IPP. Excelente iniciativa que provoca a aproximação do ser humano à natureza e promove a contínua descoberta das maravilhas, sempre renovadas, do Parque Natural da Serra de São Mamede. Felicito também os estudantes e diplomados que hoje vão ser premiados “Devemos sentir alegria pelo pelo seu extraordinário desempenho. que foi feito e convictos do Agradeço aos trabalhadores aposentados que somos capazes ainda em 2014, hoje aqui homenageados, a de fazer. Os resultados colaboração prestada ao longo de tantos conseguidos dão-nos fortes anos de trabalho. O IPP de hoje resulta razões para acreditarmos que em muito do vosso trabalho. Queremos podemos ir mais longe.” continuar a contar convosco. Agradeço ainda aos patrocinadores dos Prof. Joaquim Mourato prémios hoje entregues (CGD, Delta Cafés, CMP, CME, Alain Afflelou, Família do Dr. Francisco Tomatas, Ensino Magazine). A aliança que estabeleceram com o IPP, através da atribuição destes prémios, assume cada vez maior relevância e importância. Queremos continuar a premiar o mérito e a dar sinais de esperança a quem mais se esforça. Muito obrigado. Também vamos destacar os vencedores do 6.º Prémio de Boas Práticas do IPP. Este concurso, com o lema “Mostre o que faz”, é ilustrativo da cultura de melhoria contínua que existe no IPP. O contributo individual ou em equipa transformam diariamente a instituição e tornam-na mais capaz de responder às expetativas das partes interessadas. Muitos parabéns a todos os colaboradores, que foram muitos, que participaram nesta edição das Boas Práticas. Hoje é um dia de festa para a Comunidade Académica do IPP e também para todos os nossos parceiros. Assinalamos mais um ano de trabalho e de progresso. Devemos, por isso, sentir alegria pelo que foi feito e convictos do que somos capazes ainda de fazer. Os resultados conseguidos dão-nos fortes razões para acreditarmos que podemos ir mais longe. Neste meu discurso vou apenas deixar algumas notas sobre o que considero que deve estar no centro da reflexão sobre o ensino superior e termino com alguns apontamentos sobre a vida recente do IPP e enuncio alguns desafios. Que ensino superior queremos para Portugal? Queremos um ensino superior que se esgota na formação para as profissões? Um ensino superior centrado exclusivamente no valor económico e na competitividade imediata? Um ensino superior minimalista? Um sistema mais britânico que o britânico? Ou queremos um ensino superior que vá para além da preparação para as profissões? Um sistema que responda à dimensão da educação e da cultura? Centrado na pessoa humana? Que forma para a vida? Mais ensino superior significa dispor de uma sociedade mais apta para o exercício pleno da cidadania, fundamental para a solidez da democracia em Portugal. Por isso, para além dos números que o demonstram de forma inequívoca, devemos sempre afirmar que não temos licenciados a mais, ao contrário do que disse a chanceler alemã. Temos feito importantes progressos nos últimos anos mas ainda estamos longe das metas europeias e da OCDE. Não nos podemos desviar do objetivo, a bem de Portugal e dos portugueses. O financiamento do ensino superior tem mais de ideologia que de técnica! Desta vez não vou falar dos cortes sofridos e dos orçamentos desequilibrados. Todos estamos cansados do tema. Vou antes falar-vos de qual deveria ser o debate a este respeito. As questões do financiamento do ensino superior são, sobretudo, de natureza ideológica. Sem esta questão estar resolvida não faz sentido escolher o método ou o modelo de financiamento. Primeiro temos que decidir que ensino superior queremos. Depois que sistema de ensino superior melhor serve os nossos objetivos. Só depois vem o modelo de financiamento que não é mais do que um meio para atingir o que antes foi definido.


4

PORTAL N.º 101 | 12/2014

Devo dizer, com toda a franqueza e humildade, que já não vou tendo paciência para Instituto. Hoje mesmo terminou o IV Seminário de Investigação e Desenvolvimento discutir fórmulas de financiamento. Enquanto se discutem fórmulas retira-se do debate Tecnológico, onde os nossos investigadores partilharam os seus projetos. Depositamos a ideologia, o objetivo e a finalidade do ensino superior. As questões técnicas não se muitas esperanças nestas estruturas. podem sobrepor à ideologia. Este é o caminho errado que não nos conduz a uma boa No capítulo da internacionalização o IPP continua em crescimento. Durante o ano de solução para o país. 2013/2014 tivemos 243 fluxos de estudantes, docentes e não docentes, envolvendo 28 Temos assistido, ano após ano, a uma discussão em torno da repartição do “bolo países. Para além de instituições da generalidade dos países da Europa, surgem outros orçamental” sem se discutir a dimensão desse “bolo”. Ora menos comuns nas listas de mobilidade: Lituânia, se o “bolo” é pequeno, independentemente da fórmula Chipre, Brasil, Turquia, Macau. de repartição desse “bolo”, ninguém é saciado. Esta é uma aposta que queremos dar continuidade. “As questões do financiamento do ensino superior Temos antes assistido à transferência da intriga para dentro Por isso temos em curso a reformulação da estratégia são, sobretudo, de natureza ideológica. Sem esta das instituições de ensino superior. O problema de fundo de internacionalização que a partir de janeiro deve ser questão estar resolvida não faz sentido escolher o não se resolve e opta-se por colocar as instituições umas concretizada e implementada. método ou o modelo de financiamento.” contra as outras, na disputa por mais uns euros, cada O IPP lançou este verão o programa “Cidades Amigas Prof. Joaquim Mourato uma com argumentos válidos, assentes em critérios que dos Estudantes”, convidando os parceiros da região a lhes são favoráveis. Algumas, porque têm mais alunos, associar-se. O apelo consiste em que cada empresa invocam o critério do financiamento por aluno, outras, porque são mais pequenas, ou entidade dê um pouco de si para juntos disponibilizarmos condições que tornem o IPP referem os custos de estrutura e o impacto regional. Pergunto, qual deixa de ter razão? e a região mais atrativos para os estudantes, nacionais e internacionais. Podemos aplicar o ditado popular, “em casa onde não há pão todas ralham e ninguém Posso afirmar que já fazem parte deste programa uma dúzia de organizações, públicas tem razão”. Neste caso todas têm razão! e privadas, desde Câmaras Municipais, a empresas da área da saúde, ginásios, escolas Ora o problema, como já expliquei, está a montante de qualquer fórmula de financiamento. de condução, entre outras. Por isso o meu apelo vai no sentido de cada um de nós se recusar a discutir fórmulas Precisamos que mais organizações adiram, todos são necessários. É um projeto para sem se definir primeiro que ensino superior queremos para Portugal. Não podemos cair potenciar a atratividade da região. na armadilha que promove a divisão entre as instituições. É fundamental estarmos unidos Realizou-se há dias a 7.ª edição da ENOVE+, Feira do Emprego e do Empreendedorismo, para, em conjunto, colocarmos o debate no sítio certo. desta vez em Alter do Chão. Ponto de encontro entre os estudantes e as empresas da Há que clarificar se queremos continuar nos últimos lugares do pelotão ou se queremos região. Registámos cerca de 2000 visitantes em dois dias. Mais uma vez contámos com o estar entre os primeiros. apoio de muitas entidades regionais, em particular da Câmara Municipal de Alter do Chão. Clarifique-se a missão e o posicionamento do ensino superior português. Esta é uma Depois da certificação do Sistema de Gestão da Qualidade e do Sistema de Gestão de decisão política que não pode continuar a ser adiada. Deve ser antes encarada de frente, Responsabilidade Social, ainda único entre instituições de ensino superior em Portugal, com uma perspetiva de longo prazo e com metas bem definidas. está em curso a acreditação do Sistema Interno de Garantida da Qualidade pela Agência Neste debate estou interessado em participar! de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior. Porque conheço o trabalho que é feito em Por fim alguns apontamentos sobre o IPP. todo o Instituto, estou seguro de que este desafio também resultará em sucesso. Começo com as colocações para o ano letivo 2014/2015. Várias foram as distinções obtidas este ano. Segundo um estudo de uma consultora de No ano de 2014/2015, matricularam-se no Instituto Politécnico de Portalegre 732 novos Marketing e do Diário Económico, o IPP foi referido como uma das marcas com maior alunos (CET, licenciaturas e mestrados). Esta marca ainda poderá aumentar com a notoriedade espontânea, junto dos portugueses. O IPP também recebeu da Câmara entrada em funcionamento de mais alguns cursos. Municipal de Portalegre a medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro. Uma honra! Nas 3 fases do Concurso Nacional de Acesso, registou-se uma melhoria acentuada, em Alunos de Design de Comunicação ganharam prémio internacional da FESPA 2013, relação ao ano anterior, na ordem dos 10%. federação mundial da área do design e tiveram um projeto selecionado para a fase final Esperamos que o ano de 2014 seja um ano de viragem e que corresponda ao primeiro da 3.ª edição do Concurso Universitário da Confederação de Agricultores Portugueses. de muitos anos de crescimento do número de estudantes do IPP. Uma equipa de alunos de Administração de Publicidade e Marketing chegaram à fase O ano de 2014 começou com a aprovação do Plano de Desenvolvimento do IPP para final da 8.ª edição do Prémio EDP University Challenge. o período de 2014-2017. Depois aprovámos, pela primeira vez, um Projeto Educativo, Dois filmes de Animação, realizados por alunos do Curso de Animação e Multimédia, Científico, Cultural e Desportivo. foram selecionados para o CINANIMA, Festival de Cinema de Animação que existe há Estes documentos contêm as linhas estratégicas e os programas de ação para o 37 anos. desenvolvimento do IPP. Um grupo de docentes da ESS levou o projeto “Intervenção Psicossocial em situações de Temos vindo a trabalhar na sua concretização, focados na afirmação da identidade crise, emergência e catástrofe” à final nacional dos prémios de boas práticas em saúde. própria e única do IPP, a partir da matriz de desenvolvimento da região. Vários docentes viram posters e artigos científicos e teses de doutoramento premiados em Por isso apostamos na proximidade da oferta formativa à realidade regional. O IPP e as congressos e concursos internacionais. Escolas estão a trabalhar para que em breve tenhamos cursos Técnicos Superiores Refiro estes exemplos para realçar o reconhecimento externo da qualidade do trabalho Profissionais em vários pontos da região, possibilitando a desenvolvido pelos professores e pelos estudantes do qualificação de jovens e adultos que de outra forma não IPP. Toda a comunidade académica está de parabéns. “Segundo um estudo de uma consultora de prosseguiam estudos. A aposta centra-se nos recursos Tal como previsto está em curso a revisão dos estatutos Marketing e do Diário Económico, o IPP foi endógenos, para que possam ser potenciados e assim do IPP. O Conselho Geral tem procurado envolver referido como uma das marcas com maior contribuirmos para o desenvolvimento regional de forma toda a comunidade académica que, em breve, será notoriedade espontânea, junto dos portugueses.” sustentada. novamente chamada a participar. Prof. Joaquim Mourato Neste projeto, ambicioso e absolutamente necessário, Apelamos à maior participação para que possamos queremos contar com todos os atores regionais. dispor de estatutos que ajudem o IPP a prosseguir um Recentemente o IPP assinou acordos de cooperação com os Municípios de Ponte caminho sustentável. de Sor e de Estremoz para que em conjunto consigamos alargar a intervenção do IPP, Temos à nossa frente um novo programa comunitário que requer articulação dos atores prolongando-o no território e aproximando-o das pessoas que nele habita. regionais para nos centrarmos no potencial dos recursos endógenos e assim podermos Nesta articulação também se incluem as instituições de ensino superior mais próximas. alavancar o desenvolvimento da região. Temos como bom exemplo a recente parceria entre os Politécnicos de Portalegre, Beja, O sucesso desta operação em rede é decisivo. O IPP tem participado ativamente no Castelo Branco e Setúbal e a Universidade de Évora na criação de uma oferta única ao programa de ação regional e continua disponível para a sua concretização. nível do mestrado em enfermagem para toda esta região. Certamente que é possível e Acredito que é possível termos uma instituição mais forte e assim continuarmos a contribuir desejável que façamos muito mais. para o desenvolvimento da nossa região. Também prosseguimos uma política de investigação e internacionalização cada vez mais Termino com um renovado agradecimento a toda a comunidade académica do Instituto exigente e abrangente. e a todos os parceiros pelo trabalho realizado. Obrigado. Está em curso a construção do Centro de Bioenergia e da Incubadora de empresas de base tecnológica. Investimento de 1,775 milhões no âmbito do Sistema Regional de Presidente do Conselho Geral do IPP, Prof. Wilson Abreu Transferência de Tecnologia. Esperamos que este Centro inicie a sua atividade ainda no primeiro semestre de 2015. Celebrámos recentemente um acordo com a Galp As minhas palavras iniciais são de agradecimento a todos os que nos acompanham Energia para ser parceiro estratégico nesta valência. O mesmo irá acontecer com outras neste dia. empresas, principalmente da nossa região. A vossa presença tem para nós um enorme significado. Com esta cerimónia se Foram criados e estruturados quatro Núcleos de Investigação, transversais a todo o comemora, mais uma vez, o Dia do Instituto Politécnico de Portalegre.


PORTAL N.º 101 | 12/2014

5

Apesar dos constrangimentos, provenientes de um contexto geral de ajustamento a As inovações tecnológicas e o grande volume de informação que está disponível nível financeiro, temos cumprido, com determinação, uma das mais nobres missões na internet, remetem para outro tipo de opções didáticas e ferramentas mais de uma instituição de ensino superior: a de colaborar ativamente na formação de adequadas a um público diferente: os blogues, o YouTube, o Facebook, o Twitter, o sucessivas gerações. Smartphone e outras formas de media ganharam visibilidade e importância crescente Ao longo dos anos no cumprimento da sua missão, o IPP tem proporcionado na comunicação entre professor e alunos, o que se consubstancia em novas oportunidades para a formação de profissionais competentes, capazes de enfrentar oportunidades para a formação. Por exemplo, diversos estudos apontam hoje para desafios como os que o hoje se colocam. Sabemos, mais do que nunca, que o Smartphone como um instrumento que marcará num futuro próximo o processo de as instituições de ensino superior são avaliadas pela forma como respondem às ensino/ aprendizagem. Internet, redes sociais, salas virtuais. Estaremos todos capazes necessidades sociais e económicas da comunidade. de lidar com estes novos desafios? Para facilitar a mobilidade social, melhorar a empregabilidade dos diplomados, promover Quinto aspeto que gostaria de salientar: A formação à distância também evoluiu. E de o crescimento da economia nacional e o desenvolvimento local, as instituições têm que que maneira. A crescente oferta de cursos em parceria, por vezes transcontinentais, ser apoiadas na sua missão – e é este um dos problemas que mais tem suscitado conduziu-nos do E-learning − as antigas experiências de E-learning − para os atuais preocupações. Deparamo-nos com orçamentos progressivamente mais reduzidos, MOC − Massive Open Online Courses. Trata-se de uma formação com um grande pouco restando para o investimento, para a investigação e para a inovação. potencial para a aprendizagem do aluno, atraindo milhares de estudantes em todo As complexidades com que nos deparamos nos dias de hoje também resultam da o nosso planeta. Os MOC constituirão um desafio para a formação à distância, não sucessão de novos desafios às instituições de Ensino Superior. Mas nem todos estes apenas pela multiplicação das oportunidades de aprendizagem mas também pela sua desafios são suscetíveis de se resolverem apenas com respostas internas. Existem certificação que ainda, como sabem, não é uma realidade. respostas a nível nacional e europeu. Um exemplo muito elucidativo é o orçamento Apresentei aqui apenas alguns exemplos que se constituem em importantes desafios destinado à investigação. As instituições sabem que devem gerar e captar por si para todos nós. Responder a estes desafios e oportunidades implica uma abordagem recursos para a investigação. Mas sem os prometidos 3% do PIB para a investigação, diferente do ensino. Requer repensar os modelos de formação e um esforço significativo as instituições não conseguem preparar-se e organizar-se para integrarem redes de inovação; novas dinâmicas de formação, abordagens multidisciplinares, programas e promoverem a internacionalização, aspetos relevantes para a captação de de estudo interdisciplinares e flexíveis. O aparecimento de cursos de natureza financiamento. profissionalizante poderá (eventualmente) facilitar a criação de novos espaços e de Todos sabemos que o ensino superior necessita de uma transformação profunda, saberes processuais, mais virados para os contextos de trabalho. A história recente do radical e urgente. Não se trata propriamente de uma revolução, mas de uma processo de industrialização europeu mostra bem o quanto esta formação é importante transformação a partir do que de positivo se tem para o tecido produtivo. feito. Temos que pensar em novos modelos As Escolas do IPP têm-se esforçado no sentido de “As Escolas do IPP têm-se esforçado no sentido de conceituais e organizacionais, trazer novos públicos proporcionar aos estudantes competências e maior proporcionar aos estudantes competências e maior ao ensino superior e ajudar a nossa Europa a capacidade para integrarem o mercado de trabalho e capacidade para integrarem o mercado de trabalho e inverter a degradação que tem experimentado nos serem capazes de se assumir como cidadãos ativos serem capazes de se assumir como cidadãos ativos últimos anos, face à emergência de novos espaços nesta Europa em transformação. nesta Europa em transformação.” financeiros e académicos mundiais. Mas o mundo do trabalho, como sabemos, não está Minhas senhoras e meus senhores, caros colegas. fácil. Apesar disso o Instituto sente que tem deixado e No quadro da Estratégia Europa 2020, assume-se o pretende continuar a deixar uma marca profunda na “Mais importante do que celebrar, neste dia, o importante contributo que o Ensino Superior pode dar formação de sucessivas gerações de profissionais e passado de que nos orgulhamos, é manifestar esta para a estratégia da União Europeia em matéria de tentar dar o seu contributo para o desenvolvimento nossa força e determinação para encarar o futuro, crescimento do emprego. Parte-se do pressuposto da região e para o progresso das condições de vida respeitando a nossa identidade, a identidade do IPP.” que é necessário incentivar o crescimento das pessoas, tão difíceis pelas razões que todos nós económico inteligente, assente nas forças motrizes conhecemos. Prof. Wilson Abreu do conhecimento e da inovação, como disse o Não podia deixar de referir, novamente, as dificuldades nosso comissário, aliás uma pessoa aqui do Alentejo. que hoje o IPP tem no desempenho da sua missão A Estratégia Europa 2020 − assim conhecida, o plano europeu para o lançamento como instituição de ensino superior. As limitações financeiras, que nos são impostas, da economia, remete para o aumento das capacidades em matéria de educação, em muito condicionam o quotidiano do nosso instituto. Para além disso acresce investigação e inovação. Trata-se de um conjunto de dimensões cruciais para resolver a diminuição de candidatos provenientes, fundamentalmente, de uma região em os principais desafios económicos e sociais com que se depara a Europa. Mas o depressão socioeconómica e demográfica. A esta realidade o IPP tem respondido com acesso aos diversos programas só se pode concretizar se as instituições de ensino novas ofertas formativas, uma racionalização significativa de recursos e parcerias com superior forem empreendedoras, ou pelo menos mais empreendedoras. A este outras instituições do ensino superior. propósito gostaria de deixar aqui alguns pontos para reflexão. Minhas senhoras e meus senhores, as instituições de ensino superior não mais serão Primeiro: Mais formação, mais pesquisa e mais informação são processos que instituições que formam para toda a vida. as instituições de ensino superior sabem fazer. Uma instituição empreendedora As realidades, os saberes e as tecnologias mudam todos os dias. As instituições de antecipa-se às necessidades da sociedade. Ajuda o tecido empresarial a encontrar ensino superior, principalmente as vocacionadas para as ciências aplicadas, devem novas soluções para os problemas e colabora com as empresas para melhorar a preparar-se para acolher novos públicos. capacidade de inovação já instalada. Numa altura em que o IPP comemora o seu dia, estes aspetos que invoquei são Segundo: Uma instituição de ensino superior empreendedora deve estar disponível outros tantos convites para reflexão. Uma reflexão que temos que desenvolver com a para uma mudança tectónica, na relação entre a ciência e a sociedade. A expressão: sociedade e com o sistema político. Vivemos numa Europa e num mundo em processo “Educação sem fronteiras” apela para uma nova forma de pensar os currículos mas acelerado de transformações e tensões, mudanças rápidas e nem sempre esperadas, também para uma mudança de paradigma, na criação de conhecimento, transitando o que coloca novos e crescentes desafios de adaptação às sociedades, aos quais as de uma identidade institucional local para um repositório transnacional, onde a ciências não podem ficar alheias. formação à distância possa paralelizar com a constituição de redes de conhecimento. Estou certo que todo o esforço que o Ensino Superior tem feito tem ajudado e ajudará Terceiro ponto: A par da produção do saber e da constituição de redes de formação o país a desenvolver uma economia mais inteligente, mais sustentável, mais inclusiva, e de inovação cabe também às instituições questionar e escrutinar a forma como mais próxima das pessoas e das empresas. Não há uma coordenação económica se tem apostado na disseminação da informação. Hoje é questionável se as europeia sem uma educação consistente e bem pensada. oportunidades de publicação têm em linha de conta exclusivamente a qualidade dos Uma palavra final para toda a comunidade. estudos. Confrontamo-nos progressivamente com variáveis de natureza economicista O IPP é uma instituição com profundas raízes na comunidade em que se insere. e financeira que medeiam a atividade de publicação, favorecendo as organizações e Motivem os vossos jovens para aqui fazerem a sua formação superior. Por parte do os países mais ricos. Não é certamente o ambiente de transparência e de honestidade Conselho Geral, que aqui hoje represento, sempre existirá abertura para essa reforçar que os investigadores esperam. Os resultados desta política de publicação científica esta parceria ampla com a comunidade. e de indexação não são compatíveis com as características democráticas da ciência. Mais importante do que celebrar, neste dia, o passado de que nos orgulhamos, é No entanto, a crítica a este estado de coisas não deve desviar-nos da necessidade de manifestar esta nossa força e determinação para encarar o futuro, respeitando a nossa preservar a qualidade, criar parcerias para a disseminação e promover as abordagens identidade, a identidade do IPP. transdisciplinares. A todos os que de uma forma ou de outra integram esta instituição, bem como todos os Quarto aspeto: Outra dimensão que caracteriza uma instituição empreendedora é que com o seu esforço, inteligência e dedicação honraram e honram o nome do IPP, os a capacidade didática, a capacidade de saber trabalhar e transmitir a informação. meus sinceros cumprimentos. Obrigado por me terem ouvido.


6

PORTAL N.º 101 | 12/2014

Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Portalegre inicia oficialmente o ano letivo com mais uma edição da “Semana da ESE”

A

Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Portalegre realizou, de 13 a 17 de outubro, a Semana da Escola, que integrou um conjunto de iniciativas propostas por Áreas Científicas, Direções de Curso, docentes e discentes, que responderam ao desafio lançado pela Direção para que a Escola construísse um momento de maior interação entre todos os seus agentes, através da realização de Encontros, Conferências e Seminários. A semana foi iniciada com uma conferência sobre “A erradicação da pobreza em Portugal: trajetória e perspetivas futuras” tendo sido proferidas duas comunicações: “Pobreza e exclusão social, significados, números e tendências”, pelo prof. João Emílio Alves e “A Rede Europeia contra a pobreza”, pela Prof.ª Cristina Coelho, ambos docentes da ESE-IPP. O primeiro dia da semana terminou com a realização de uma mesa redonda sobre o tema “O papel das instituições de primeira linha no combate à pobreza e exclusão social”, na qual participaram a Diretora Técnica da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, a Coordenadora do Departamento de Ação Social da Cáritas Diocesana de Portalegre-Castelo Branco e a Responsável pela Divisão dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal de Portalegre. “Experiências vividas e ensinamentos para o futuro” foi o tema do debate que iniciou o dia 14 de outubro. Organizado pela direção do curso de Turismo, que visou assinalar os 20 anos do curso, neste debate participaram antigos alunos do curso e atuais docentes, que partilharam experiências e histórias vividas ao longo do seu percurso académico e na sua vida profissional.

ESAE: 18 anos a crescer juntos

A

ESAE comemorou no passado dia 14 de outubro o 18º aniversário do início das suas atividades letivas. Nesta sessão comemorativa algumas individualidades deram o seu testemunho sobre os 18 anos da ESAE, nomeadamente: Presidente do Instituto Politécnico de Portalegre, Doutor Joaquim Mourato; Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Dr. Nuno Mocinha; Diretor do Museu Militar de Elvas, Coronel José Manuel Aragão Varandas; Diretor da Unidade Estratégica de Investigação e Serviços de Biotecnologia e Recursos Genéticos do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, Eng.º Benvindo Maçãs; Diretor da ESAE, Doutor José Manuel Rato Nunes; Presidente da Associação de Estudantes, Luís Pereira.

A Sessão Solene de Abertura do ano letivo decorreu na tarde do dia 14, no auditório, e contou com a presença da Prof.ª Doutora Maria do Céu Roldão, docente da Universidade Católica, que apresentou a conferência intitulada “O saber dos professores: o alfa e o omega de uma educação de qualidade. Reconstruindo caminhos e desfazendo equívocos”. O Diretor da Escola deu as boas vindas a todos os presentes e aproveitou a ocasião para dar relevo aos resultados obtidos com as colocações, uma vez que “das 129 vagas, 118 ficaram preenchidas após as matrículas, o que corresponde a uma taxa de ocupação de 90 por cento”. Este dia assinalou a particular atenção que a Escola dedica a todos os que fazem parte da rede de cooperação científica, pedagógica, social e cultural. Durante o seu discurso, o Prof. Luís Cardoso aproveitou para recordar que, em 2015, a Escola comemora o seu trigésimo aniversário: “Durante o próximo ano, a ESE terá como objetivo principal divulgar a sua unidade na pluralidade e na diversidade. A sua identidade nas múltiplas facetas da sua missão como instituição de ensino superior, espaço de formação, construtora de cidadania e de cultura, mediadora, dinamizadora, mas sempre na vanguarda em prol da cidade, da região, da comunidade envolvente”. O Diretor salientou que a Semana teve como tema a Educação, não só porque a “Educação e a Formação de Professores atravessa momentos mais complexos e difíceis dos últimos anos em Portugal”, mas também porque “decidimos que deveríamos contribuir para o enriquecimento do debate sobre o domínio e para a tão necessária valorização da profissão docente no nosso País”. No dia 15, teve lugar a sessão de abertura dos Mestrados, durante a qual as direções dos diversos cursos deram as boas vindas aos novos estudantes. A manhã de quinta-feira foi marcada pelo primeiro evento que assinala a comemoração dos 20 anos do curso de Jornalismo e Comunicação. “JC/20 anos do passado para o futuro” contou com a presença do Prof. Carlos Afonso, primeiro coordenador do curso, da Prof. Cláudia Pacheco, que esteve na coordenação do curso de 1998 a 2013, do Prof. Luís Cardoso, atual diretor da Escola, e do jornalista do Correio da Manhã, Alexandre Silva, aluno do primeiro ano do curso. O debate foi moderado pelo Prof. Luís Bonixe, e envolveu uma troca de experiências e histórias relacionadas com as duas décadas do curso que já formou centenas de estudantes. No dia 16 de outubro, da parte da tarde, realizou-se o seminário “Viver em igualdade e valorizar as crianças como cidadãs” durante o qual a Prof.ª Cristina Coimbra Vieira, docente da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra proferiu a conferência “Igualdade de oportunidades entre homens e mulheres e o papel da família”. A semana terminou com a apresentação do livro “Documentar os projetos nos serviços educativos”, de Laura Malavasi e Barbara Zoccatelli.


PORTAL N.º 101 | 12/2014

Plantas Aromáticas e Medicinais na ESAE

7

Comportamento e Treino de Animais de Companhia

N

o âmbito da unidade curricular de Comportamento e Treino de Animais de Companhia da Licenciatura em Enfermagem Veterinária e do Curso de Especialização Tecnológica em Cuidados Veterinários, realizou-se no dia 18 de novembro, um seminário sobre Treino de Cães de raças potencialmente perigosas. Esta atividade foi organizada por alunos e contou com a participação do Presidente do Rottweiler Clube de Portugal.

Puppy party

A

ESAE acolheu nos dias 23 e 24, as Jornadas de Plantas Aromáticas e Medicinais de Elvas. Estas jornadas foram promovidas pela Escola e pela ADCMoura numa articulação de dois dos seus projetos em curso sobre Plantas Aromáticas e Medicinais (PAM). No âmbito do projeto “Formar para a produção de plantas aromáticas e medicinais em Portugal” da ADCMoura, realizou-se na manhã do dia 23, um Encontro local de Produtores de Plantas Aromáticas e Medicinais (o 11º Encontro EPAM) e um Workshop sobre Propagação de PAM, na tarde do mesmo dia. No âmbito do projeto PRODER 18660: “Colheita, conservação e valorização de germoplasma de poejos e coentros no Alentejo” sob coordenação da ESAE, realizou-se no dia 24 um Seminário de divulgação do projeto. As jornadas contaram com a presença da Presidente da Sociedade Portuguesa de Horticultura, Doutora Elvira Ferreira e da Eng.ª Ana Barata, Diretora do Banco Português de Germoplasma Vegetal.

BIG DATA

U

m grupo de alunas da licenciatura de Enfermagem Veterinária realizou no passado dia 30 de outubro, na ESAE, uma Puppy Party. Nesta ação contou-se com a presença e participação duma turma da Escola Secundária D. Sancho II, tendo-se procurado sensibilizar os alunos para os cuidados a ter com os cachorros. A Puppy Party teve o apoio da Bayer e da Clilegre.

Dia da ESTG

U

ma série de workshops sobre a Investigação Operacional em ambiente de Big Data foram desenvolvidos na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG), Portalegre, numa colaboração entre a Associação Portuguesa de Investigação Operacional (APDIO), a IBM-Portugal e o Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), nos dias 8 e 9 de outubro de 2014. Esta série de workshops, e esta sessão visando aplicações laboratoriais “Hadoop” e “Big Data”, foram importantes para docentes, investigadores, estudantes avançados e profissionais de TIC, Logística, Business/Strategic Management, em instituições públicas ou empresas industriais/serviços, bem como para todos os interessados em desenvolvimentos práticos e aplicações Big Data.

A

ESTG comemorou, no dia 6 de novembro, 24 anos de atividade letiva definindo que se pretende que este seja o “Ano da Internacionalização”. Nas comemorações foi divulgado que se pretende focar mais a atenção e o trabalho nos aspetos relacionados com a internacionalização da Escola. Ir-se-á procurar concretizar 3 objetivos específicos: 1. Intensificar a mobilidade dos alunos, em particular o envio dos nossos alunos para Erasmus; 2. Dinamizar a criação de projetos Erasmus+ que possam conduzir à criação de Intensive Programs; 3. Criar condições para receber estudantes internacionais, em particular, de países lusófonos.


8

PORTAL N.º 101 | 12/2014

Semana Europeia das PME

Exposição Less is more: É MENTIRA

A

E

ESAE, através do Centro de Informação Europe Direct do Alto Alentejo, realizou de 15 a 17 de outubro, a Semana Europeia PME. Durante estes três dias, realizaram-se várias atividades: a Feira do Aluno, seminários sobre antigos alunos que criaram os seus negócios e sobre o financiamento e estabelecimento no empreendedorismo, Concurso de Ideias e um Workshop sobre o Poliempreende. Esta iniciativa teve o apoio da ADER-AL (Associação para o Desenvolvimento em Espaço Rural do Norte Alentejo) e da Comissão Europeia.

stá patente no Museu Municipal de Coimbra, Edificio Chiado, desde 11 de outubro de 2014 e até 25 de janeiro de 2015 a exposição Less is more: É MENTIRA, do Professor Nuno Chuva Vasco. Segundo o autor “Quando Robert Browning propõe less is more, e mais tarde Mies van der Rohe anuncia o minimalismo, fazendo uso dessa máxima, pressupunhase um entendimento fenomenológico sediado na experiência artística. “Less is more: É MENTIRA”, é indicador da importância dada à função semiótica dos constituintes formais, realçando a contrario sensu, a sua inutilidade enquanto objeto comunicacional. Trata-se de uma declinação [moderadamente acentuada] do espaço ilusionista, e do entendimento contextual das formas, com absoluta valorização do espaço exterior ao plano do quadro, na geração de toda a significação atribuída à obra.

Projeto +Design +Valor Prémio ICA para Design de Animação

O

s alunos finalistas da licenciatura em Design de Comunicação da ESTG participaram no projeto +Design +Valor no âmbito do trabalho desenvolvido na Unidade Curricular de Seminário. O +Design +Valor foi um projeto da AIP-CCI (Associação Comercial Portuguesa – Câmara de Comercio e Indústria), financiado pelo QREN e o programa Compete, que consistiu num programa global de sensibilização para o uso do Design nas suas diferentes formas e que permitiu a diversas empresas incorporarem na sua vivência a experiência de profissionais de Design, alunos de licenciatura e mestrado das Instituições de Ensino Superior Participantes (para além do Instituto Politécnico de Portalegre, a Universidade de Évora e o Instituto Politécnico de Castelo Branco). O encontro IPP – Empresas foi facilitado pela Associação Empresarial Regional de Portalegre – NERPOR. As empresas que se associaram ao projeto são todas do Norte Alentejano, cobrindo um leque muito variado de atividades: desde as associadas ao setor primário, em negócios mais tradicionalmente ligados à região, como as do setor agroalimentar, da produção de vinhos ou de azeite; passando pela transformação da cortiça e pelo turismo; até projetos mais distintos, em áreas de serviços menos tradicionais, como a saúde oral ou um projeto para um núcleo empresarial. Quanto à dimensão destas empresas, e sendo a sua maioria PME, é igualmente interessante a variedade, indo desde uma sociedade unipessoal a uma das maiores empresas da região, passando por cooperativas e associações. A maioria dos trabalhos de design, realizados pelos estudantes, são da área da identidade visual corporativa, uma necessidade continuamente presente ao nível de todo o tipo de instituição. A criação ou melhoria de sítios virtuais encontra-se igualmente entre os tipos de trabalhos mais solicitados pelas empresas. Finalmente, foi realizado ainda um conjunto bastante variado outras de peças, associadas à divulgação de produtos e serviços, como flyers ou catálogos, bem como situações mais específicas de alguns setores, como rótulos para embalagens. Estes trabalhos cobrem assim uma grande variedade de setores de atividade e de tipos de empresas, constituindo possíveis exemplos de situações que podem conduzir estas entidades a uma diferenciação e, em certos casos, à produção de soluções inovadoras que serão parte inevitavelmente imprescindível dos possíveis contributos para a projeção dos produtos e serviços de uma região. Os resultados finais do projeto foram apresentados no âmbito do Dia da Inovação, no passado 20 de novembro, na Feira de Congressos de Lisboa e deram origem à publicação de um catálogo do Projeto. As empresas participantes do projeto foram as seguintes: Móveis Solano, Associação da Fileira da Carne do Alentejo, Núcleo Empresarial do Conselho de Sousel, Cooperativa Agrícola dos Ovicultores de Sousel, Quinta do Barrieiro, Terrius, Ponte Final, Robcork, Monte da Colónia, Monte da Esperança, Herdade do Carvalhal, Amatoscar e Medinfotec.

O

Instituto do Cinema e Audiovisual decidiu apoiar, através do seu Programa de Formação de Públicos nas Escolas, a Unidade Curricular de Projeto de Animação II da licenciatura Design de Animação e Multimédia. Os apoios revestem a modalidade de apoio plurianual, compreendendo um período de três anos e destinam-se a suportar as despesas com a realização de planos anuais de ações de formação a executar nesse período. O valor total do apoio é de 30.000€. Os principais objetivos da Unidade Curricular de Projeto são juntar às competências técnicas e competências de animação a capacidade de comunicar ideias que vão ao encontro das inquietações da comunidade que rodeia a escola. Daí a importância que damos à escolha dos temas e o esforço desenvolvido no sentido de criar uma ligação forte à realidade, quer os filmes tenham características de cinema de ficção ou tenham uma forte base documental. Através desta ligação à comunidade e à escolha de temas de cariz humanista, esperamos estimular a realização de filmes capazes de ter alguma ressonância e criar identificação no público regional e nacional. Um dos testes de aferição da qualidade do trabalho efetuado no projeto será a aceitação dos nossos filmes em festivais nacionais e internacionais. Embora os filmes produzidos até agora tenham conseguido esporadicamente entrar nas competições mais importantes do país pensamos que a exploração de temas mais profundos pode ajudar a dar mais visibilidade aos alunos, à região e à animação produzida em Portugal. No documento em que se avalia e classifica a proposta feita pela coordenação da licenciatura em Design de Animação e Multimédia «sublinha-se a especificidade do projeto educativo da entidade, em torno do cinema de animação, com uma primeira licenciatura nesta área, surgida em 2006. A equipa é liderada por uma das mais relevantes figuras do cinema de animação nacional e internacional acompanhada por um pequeno grupo de formadores, mas de relevo também, além da presença regular de profissionais de cinema, exteriores à entidade, convidados para lecionação ou masterclasses. (...) Valoriza-se ainda o amadurecimento dos objetivos formativos (temas e metodologias) da entidade, através da colocação de novas exigências no plano cultural e artístico dos filmes a realizar, bem como a boa inserção no mercado de trabalho dos seus ex-alunos.» No mesmo texto, os avaliadores do Instituto para o cinema e audiovisual afirmam ainda que «o projeto evidencia uma clara preocupação com a questão do impacto e capacidade de comunicar do cinema de animação, desde logo no plano dos filmes de escola. A relação do projeto com a cultura nacional e local visa reforçar esse impacto, aprofundando os seus fundamentos culturais e as suas formas de comunicação com o público.» O presente projeto foi proposta dos docentes José Miguel Ribeiro, Luís Vintém, Magda Cordas, João Paulo Miranda, Paulo Moreira e Tiago Baginha.


PORTAL N.º 101 | 12/2014

Bolsa de Pesquisador Visitante Especial

A

Professora Anabela Sousa de Oliveira obteve uma Bolsa de Pesquisador Visitante Especial, para em parceria com a Professora Doutora Roberta Lourenço Zeolli, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UniRio, no Rio de Janeiro, Brasil, desenvolver o projeto “Remediação Ambiental de Poluentes Persistentes e de Poluentes Emergentes por Processos Oxidativos Avançados Ativados por Luz Solar utilizando reatores CPC”. A bolsa, destinada a investigadores seniores, é atribuída pelo Governo Brasileiro no Âmbito do Programa Ciência sem Fronteiras na medida de atracão de Cientistas para o Brasil e prevê que a investigadora desenvolva um grupo de pesquisa na temática do projeto na instituição de acolhimento. O projeto que se estenderá até 2017, prevê diversas estadias curtas da investigadora na instituição de acolhimento e contempla ainda a atribuição de bolsas de pós-Doutoramento e Doutoramento a estudantes Brasileiros, que se deslocaram ao Instituto Politécnico de Portalegre no âmbito dos trabalhos a desenvolver.

Participações de Docentes em Congressos, Seminários ou Conferências com apresentação de comunicações

O

Professor Nuno Chuva Vasco apresentou o artigo intitulado “Ética e polémica em Habacuc Guillermo Vargas” no 6º Congresso Internacional em Artes, Novas Tecnologias e Comunicação [CIANTEC], sob o tema: Arte, Novas Tecnologias e Comunicação: A Natureza Contemporânea da Arte, realizado no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso, realizado de 13 a 15 de outubro. Os Professores Paulo Brito e Luiz Rodrigues do Departamento de Tecnologias e Design da ESTG do IPP, participaram na 4ª Conferência Internacional sobre Sistemas de Potência e Energia (International Conference on Power and Energy Systems – ICPES 2014) que decorreu entre 21 e 23 de novembro deste ano na cidade-estado de Singapura. Na conferência, organizada pela IACSIT (International Association of Computer Science and Information Technology) o Prof. Paulo Brito foi chairman de uma das sessões, enquanto que o Prof. Luiz Rodrigues esteve encarregue da apresentação da comunicação intitulada “Preparation and characterization of nickel and copper oxide/hidroxides films on stainless steel substrates for use as cathodes in alkaline water electrolyzers”. Nesta comunicação foram apresentados os resultados parciais dos trabalhos de investigação desenvolvidos pelo Mestre David Cardoso no período da sua residência e estágio no Laboratório de Química e Bioquímica da ESTG, no âmbito de um projeto financiado pela FCT e que conta com a parceria de dois grupos de investigação do IST da Universidade de Lisboa. O projeto que visa a descoberta de elétrodos com capacidade catalíticas em relação à reação de produção de hidrogénio por eletrólise de soluções aquosas alcalinas, baseados em metais não nobre e, por isso baratos, insere-se numa estratégia do núcleo de Bioenergia e materiais sustentáveis do C3i de desenvolvimento de sistemas de armazenamento da energia das diferentes biomassas produzidas de forma sazonal na região de Portalegre (agroindustriais, pecuárias, florestais) através da sua conversão em hidrogénio e outros gases combustíveis e também da utilização de energias renováveis (prioritariamente solar e eólica) com elevada disponibilidade na região. A Professora Margarida Coelho, participou na ReCLes.pt 2014 International Conference on Languages and the Market: Competitiveness and Employability, realizada a 27 e 28 de outubro de 2014, organização conjunta da ReCLes.pt 2014 e da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE). Foi apresentada a comunicação “Scaffolding Strategies

9

in CLIL Classes: Supporting Learners Towards Autonomy”, Moderação de uma sessão sobre o tema “LEARNING STRATEGIES IN LSP AND CLIL” e Participação como oradora na mesa redonda sobre “ ReCLes.pt CLIL Training Project”. A Professora Fernanda Policarpo, participou no TMS ALgarve 2014 – – Management Studies International Conference, realizado a 28 de novembro de 2014 na Universidad Extremadura Y Fundacion Xavier de Salas. Foi apresentada a comunicação “AS REGIÕES DE FRONTEIRA, QUE BARREIRAS DIFICULTAM O SEU DESENVOLVIMENTO?” (Publicação ISBN N84-88611-37-4). A Professora Ana Clara Borrego, participou na TMS Algarve 2014 – – Management Studies International Conference, realizado a 21 de novembro de 2014 na Universidade do Algarve. Foi apresentado um paper denominado “The perception of tax complexity and tax compliance: an overview of Portuguese chartered accountants and some previous findings” Co-Autores: Cidália Maria M. Lopes; Carlos M. Santos Ferreira. A Professora Cristina Guerra, participou na 7th International Conference of Education, Research and Innovation, realizada de 17 a 19 de novembro de 2014 na International Academy of Technology, Education and Development. Foi apresentada a comunicação “Cognitive flexibility: to rethink the intelligence concept and measure” Publicação: C. Guerra, A. Candeias, G. Prieto (2014) COGNITIVE FLEXIBILITY: TO RETHINK THE INTELLIGENCE CONCEPT AND MEASURE, ICERI2014 Proceedings, pp. 2873-2879. ISBN: 978-84-617-2484-0. A Professora Margarida Coelho, foi co-autora da publicação M. Morgado, M. Coelho (2014). “Learning Different Subjects by Using Other Languages… or the Other Way Round? – The relevance of the Content and Language Integrated Learning (CLIL) Approach” (2014). COMMUNICATION WITHOUT BORDERS -Selected Papers of the International Conference Languages 2011: X Meeting of Aprolíngu@s and the II Meeting of ReCLes.pt. Ed. Instituto Politécnico da Guarda, Guarda, Portugal, pp. 153-162. ISBN 978-972-8681. Participação de Docente em Prova de Doutoramento A convite da Universidade de Évora, a Professora Cristina Guerra, docente do Departamento de Ciências Empresariais, Sociais e Humanas da ESTG foi Vogal da Prova de Doutoramento de Ricardo Jorge Fortes da Costa com o tema “Avaliação de Perceções de Inteligência: Operacionalização do modelo de inteligência de Sucesso de Robert Sternberg em gestores”. Provas de Agregação O Professor Paulo Sérgio Duque de Brito, nos dias 3 e 4 de dezembro de 2014, prestou Provas de Agregação em Engenharia Civil, na Universidade da Beira Interior com Aula e Lição respetivamente sobre “Patologia dos Materiais” e “Técnicas Eletroquímicas de Inspeção e Monitorização de Degradação de Estruturas de Betão Armado”.

Atribuição do Título de Especialista na Área de Engenharia e Gestão Industrial

Prova Pública – Agostinho Manuel Antunes da Silva Título do Trabalho – “Inovação Tecnológica lean para a Pedra Natural – A incorporação de tecnologias lean thinking como base para a competitividade e internacionalização das Indústrias transformadoras de Pedra Natural“.


10

PORTAL N.º 101 | 12/2014

ENOVE+ no centro do distrito Feira de Emprego e Empreendedorismo em Alter do Chão

A

vila de Alter do Chão acolheu, entre 12 e 13 de novembro, a 7ª edição da ENOVE+, mantendo-se assim a regularidade e a itinerância da iniciativa pelos concelhos do Alto Alentejo. Cerca de 2000 pessoas visitaram e participaram neste Feira, a qual alcançou nesta edição um amplo sucesso, reconhecido por visitantes, expositores, palestrantes e organizadores. Com a realização desta edição de um evento, que se constitui já como uma marca saliente e que se tem vindo a consolidar no panorama regional de promoção do emprego, do empreendedorismo, da inovação e do desenvolvimento regional, o IPP manteve a continuidade a uma sua importante aposta, cumprindo também o seu papel de agente dinamizador do desenvolvimento regional. Para esta concretização o Politécnico contou com o apoio de diversos parceiros: pessoas, empresas, associações, escolas, órgãos de comunicação social e várias entidades, com natural realce para Câmara Municipal de Alter do Chão. A sessão de abertura decorreu no auditório do Castelo de Alter, com a presença de Pedro Gonçalves, Secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade. No espaço principal da Feira, no Mercado Municipal, sujeito a uma magnífica adaptação concebida e executada por pessoal do IPP, instalaram-se dezenas de bancas de exposição, um auditório e duas salas polivalentes e áreas de alimentação. Aí estiveram representados o conjunto dos expositores – com destaque para a dinâmica presença de alguns dos cursos do Politécnico de Portalegre –, decorreram atividades de animação, conferências, workshops, cumprindo-se assim um intenso programa, repartido

em dois dias, que permitiu conhecer projetos inovadores, oportunidades de futuro associadas ao ensino e à formação profissional, descobrir novas formas de transformar ideias em negócios, contactar com empreendedores, ouvir e debater temas orientados para o crescimento sustentado da região, a iniciativa empresarial e a criação de emprego. Para além de diversas atividades de animação realizadas no decurso do certame, com participação da Banda Municipal Alterense, da Tunapapasmisto, e da Tuninfas, e dos alunos da Escola Profissional Abreu Calado, constituiu novidade a realização de um espetáculo, no serão de dia 12, no Cine-teatro, designado “Festa em Alter”, oferecido pelo IPP à população e com a receita da entrada a reverter a favor da Santa Casa da Misericórdia de Alter do Chão, e no qual atuaram a grande nível do Grupo de Cantares Abelterium, o Grupo de Serenatas do IPP, a Tuna Académica de Portalegre e a Trupe Euterpe. Teve lugar ainda lugar, no Auditório do Mercado Municipal a sessão de entrega dos prémios aos vencedores do Poliempreende – Concurso Regional 2014 – 11ª edição. No decurso da sessão de encerramento, os Presidentes do Instituto Politécnico de Portalegre e do Município de Alter do Chão, Joaquim Mourato e Joviano Vitorino, manifestaram a sua ampla satisfação pelo êxito alcançado com a realização da Enove+ 2014, tendo, na mesma sessão, Hugo Hilário, Presidente da Câmara de Ponte de Sor, declarado aceitar o desafio de acolher no seu concelho a próxima edição da Enove+, propondo-se contribuir para a continuidade do seu sucesso.

Novos diplomados nos mestrados em curso no IPP

R

ealizaram-se nos últimos três meses várias provas públicas dos mestrados atualmente em curso nas Escolas do IPP, das quais resultaram os seguintes novos diplomados com o título de mestre (indica-se o nome e o título da tese, dissertação, projeto ou relatório, conforme os casos):

Mestrado em Educação e Proteção de Crianças e Jovens em Risco (ESE) Carla Marina Guerra Baptista | “A violência Interparental na vida das crianças. Práticas educativas de mães vítimas de violência conjugal e consequências no comportamento da criança”. Mestrado em Empreendedorismo e Gestão de PME (ESTG) Adriano Joaquim Calçadas Guilhermino | “Avaliação do aproveitamento dos resíduos da biomassa florestal da região do Alto Alentejo, nas perspetivas logística, económica e financeira”. Luísa Maria Campos Calado | “Relação entre motivação e incentivos na EVERTIS Ibérica, S.A.”.

Mestrado em Reabilitação Urbana (ESTG) Luís Pedro da Siva Cruz | “Reabilitação e Autenticidade – Consequências no Tecido Urbano”. Mestrado em Tecnologias de Valorização Ambiental e Produção de Energia (ESTG) Octávio Rodrigues Alves | “Estudo e Melhoria da Eficiência Energética no Setor Agroindustrial”.


PORTAL N.º 101 | 12/2014

ESS assinala 42º aniversário

11

INVESTIGAÇÃO NO IPP IV Seminário de I&DT: cooperar para inovar

F

oi inaugurada a 12 de novembro de 1972 e é, desde 2001, unidade orgânica do Instituto Politécnico de Portalegre. O dia da Escola Superior de Saúde foi celebrado com uma sessão solene, em que intervieram o presidente do IPP (Prof. Joaquim Mourato), o diretor da ESS (Prof. Adriano Pedro), a presidente do Conselho de Representantes (Dra. Graça Carvalho) e a presidente da Associação de Estudantes (aluna Joana Monteiro). Seguiu-se uma conferência sobre o Serviço Nacional de Saúde, com o Enf. Sérgio Gomes (Direção-Geral da Saúde); a atuação da Enftuna, que nesta data comemorou 11 anos, e um momento de convívio. No hall de entrada foram expostas algumas curiosidades sobre a Escola, como o convite para a sua inauguração e as fotografias dos docentes, da época em que aqui foram alunos. Na comemoração do aniversário da Escola, estiveram presentes funcionários aposentados, entre os quais a Enf.ª Bual, que esteve à frente da Escola de Enfermagem durante cerca de 28 anos. Lamentavelmente, a antiga diretora faleceu, no passado mês de dezembro. À sua família apresentamos as condolências.

Foi Natal

N

os dias 24 e 25 de novembro decorreu, nas instalações da ESTG – Instituto Politécnico de Portalegre, o IV Seminário de I&DT: cooperar para inovar, que contou com a participação de investigadores, docentes e mestrandos do IPP. Na sessão de abertura o Coordenador Institucional da C3i, João Alves, e o Presidente do Instituto Politécnico de Portalegre, Joaquim Mourato, valorizaram e destacaram a participação e a apresentação de comunicações fruto das investigações e dos projetos em curso. A convite da Comissão Organizadora, a Professora Maria Teresa Patrício da Escola de Sociologia e Políticas Públicas, ISCTE-IUL e Investigadora do CIES-IUL proferiu a comunicação O Futuro da Ciência: redes, colaborações e internacionalização. Para além da apresentação de comunicações transversais às várias áreas do saber, organizadas em dez painéis, foi também apresentado o livro Coentros do Alentejo – Conservação do Conhecimento Tradicional e dos Recursos Genéticos, fruto da investigação desenvolvida no âmbito do projeto Colheita, conservação e valorização de germoplasma de poejos e coentros no Alentejo, cofinanciado pelo FEADER – PRODER. A sessão de encerramento coube aos coordenadores dos Núcleos de Investigação da C3i-IPP, criados recentemente, que efetuaram um balanço dos trabalhos apresentados e fizeram sugestões para as edições futuras.

Workshops do Projeto Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) e Desenvolvimento de Novos Produtos (DNP)

A

festa de Natal dos trabalhadores do IPP juntou nos Serviços Centrais cerca de 200 participantes (colaboradores e seus familiares), na tarde de 18 de dezembro. Houve convívio, com bolo confecionado pela APPCDM – – Elvas, a instituição que apresentou trabalhos dos seus utentes no espaço de exposições, em dezembro, e no postal de boas-festas. O CCDP IPP fez a habitual distribuição de presentes pelos seus sócios. Os mais novos receberam a visita do Pai Natal. E todos puderam assistir a um momento musical, com o duo de clarinetes formado pelos alunos da Escola Superior de Saúde, Eduardo Gual e Adriano Martins. Natal no IPP tem uma prática que já é tradição: “Todos temos amor para dar”. Este ano, a iniciativa que procura recolher na comunidade académica presentes novos para crianças carenciadas, além de abranger crianças de instituições de Portalegre e Elvas chegou mais longe, às crianças de São Tomé e Príncipe, através de uma parceria com a HELPO (ONGD).

N

o âmbito do projeto Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) e Desenvolvimento de Novos Produtos (DNP), cofinanciado pelo FEDER, através do Programa Operacional Fatores de Competitividade (COMPETE), realizaram-se, no dia 16 de dezembro, em Évora, nas instalações do NERE-AE, dois workshops sobre Certificação em IDI e sobre Desenvolvimento de Novos Produtos.

Informação da responsabilidade da C3i − Coordenação Interdisciplinar para a Investigação e Inovação do Instituto Politécnico de Portalegre.


IPP fortalece relações com municípios de Estremoz e de Ponte de Sor

C

om o propósito de potenciar as relações de colaboração, o Instituto Politécnico de Portalegre assinou acordos com o Município de Ponte de Sor e com o Município de Estremoz. Os protocolos, estabelecidos em outubro, têm como objetivos: a cooperação institucional, para que o IPP possa vir a desenvolver atividade na área académica e científica, nas duas localidades; a organização de cursos de formação, formais e não formais, seminários, pós-graduações, colóquios, conferências, visitas programadas, bem como

Protocolo entre IES enquadra criação e funcionamento de curso em associação interinstitucional

o desenvolvimento de projetos de investigação nas áreas de interesse para as respetivas regiões, entre outras iniciativas. Propõe-se que a matriz do Polo do IPP a desenvolver em Estremoz assente nos seguintes vetores estratégicos: “cursos de formação nas áreas da pedra natural, da vinha e do vinho, do turismo, da ação social e da agropecuária”; centro de investigação e desenvolvimento sobre áreas de especialização regional e Centro de Línguas e Cultura”. Considerando a especificidade da região de Ponte de Sor, o protocolo prevê que “as áreas de intervenção assentem em sectores onde o concelho é já referência e apresentam fortes indícios de crescimento como a agroflorestal, a aeronáutica, o ambiente e energia, entre outras que se venham a revelar interessantes”.

Laboratório da ESTG serve comunidade

O

Laboratório de Química e Bioquímica da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Portalegre oferece, desde novembro, um conjunto de análises físico-químicas aos Azeites, prestando assim apoio à comunidade local. O laboratório está preparado para efetuar também análises na área ambiental e agroalimentar, como é o caso de Águas, Vinhos, Leites e Queijos. Além destas análises, poderão dirigir-se-nos e expressar as suas necessidades de maneira a irmos ao seu encontro.

Este caminho também vai dar ao IPP

A

16 de outubro foi assinado o acordo de colaboração que enquadra a criação e funcionamento de um curso – Mestrado em Enfermagem – proposto à A3ES, em associação interinstitucional, entre os Institutos Politécnicos de Portalegre, Beja, Setúbal e Castelo Branco e a Universidade de Évora. “Esta iniciativa, formalizada através de um protocolo, é um dos primeiros passos dados por estas cinco organizações com vista à adequação da oferta formativa às necessidades da comunidade onde se inserem e do país, oferecendo-se pela primeira vez uma formação conjunta nesta área, envolvendo as respetivas Escolas de Enfermagem e de Saúde. Entre os grandes objetivos da assinatura do protocolo está a formação de profissionais com competências clínicas avançadas em todas as áreas de especialização legalmente previstas. Estes profissionais contribuirão para uma maior capacidade de resposta às necessidades de saúde das populações e consequentemente para a fixação de pessoas no interior do país. Espera-se ainda, através da concretização das medidas previstas, que a região se torne, a curto prazo, num polo de maior atração para a formação na área de enfermagem, aumentando consequentemente a sua competitividade”.

A

25 de novembro foi apresentado/ percorrido o “Trilho do IPP”, cuja criação resulta da parceria estabelecida com o Parque Natural da Serra de São Mamede. Além de poder ser explorado, em contexto de lazer, o trilho tem potencial educativo, que o Instituto Politécnico pretende fomentar. Este percurso pedestre apresenta duas marcas distintivas: uma no interface urbano da cidade de Portalegre, percorrendo algumas artérias históricas, e a outra percorrendo a encosta norte da cidade, já em pleno Parque Natural da Serra de São Mamede, onde é possível observar a paisagem característica do nordeste alentejano. O trilho tem início e fim em frente aos Serviços Centrais do Instituto e tem uma distância de 9 km.

FICHA TÉCNICA Edição Gabinete de Relações Públicas e Cooperação do Instituto Politécnico de Portalegre | Direção Joaquim Mourato | Coordenação editorial Carlos Afonso | Redação Maria do Carmo Maridalho | Secretariado Susana Dias | Paginação Margarida Dias | Colaboração Gabinetes de comunicação e Direções das Escolas / estruturas e serviços do IPP | Periodicidade Trimestral | Contactos Praça do Município, apartado 84, 7301-901 Portalegre | Telef. 245 301 500 | Fax 245 330 353 | Site www.ipportalegre.pt | E-mail grpc@ipportalegre.pt

Portal 101 – Boletim Informativo do Instituto Politécnico de Portalegre  
Advertisement