Page 1

Série Vivendo Além de nós Mesmos O Profeta Elias – A ESCOLA DE DEUS Cinco Lições da Primeira Aula I Reis 17:1-6 IPCci 22/09/2011 INTRODUÇÃO Semana passada estudamos os versículos 2 e 3 e vimos que Deus ordenou que Elias se retirasse por três motivos específicos: (1) Para proteger temporariamente o profeta pois o Rei Acabe acampou uma caçada ao profeta. Apesar de não ser o principal movito porque posteriormente Elias enfrentaria Acabe de qualquer forma; (2) Para aumentar o desfavor de Deus através da seca e fome e agora com a ausência do profeta. Esse sim é o grande motivo e a gente pode inferir isso através das profecias de Isaías que é interpretada por João Batista: “Vos do que clama no deserto...” (3) Para trabalhar um pouco mais com o próprio profeta. E é exatamente este terceiro ponto que vamos estudar nesta noite. Deus apareceu ao profeta e o ordenou a se retirar para ser tratado pr três anos. Imagine, irmãos, o profeta esta pronto para a obra de Deus e talvez até ansioso para deflagrar o ministério devido ao zelo pela glória de Deus, diante de uma nação idólatra. Aí Deus aparece para ele e diz: Ainda não é o momento. Retira-te daqui e vai para o deserto. Diante disto, gostaria de entitular o estudo desta noite de A escola de Deus. Elias estava pronto, já tinha feito a declaração diante do Rei, já tinha passado pelo aprendizado dos profetas. E agora Deus aparece para ele e diz: Retira-te daqui. Como compreender que a Palavra (o específico) de Deus as vezes parece ir contrário a vontade de Deus (o todo)?

2


Série Vivendo Além de nós Mesmos Há três milagres neste acontecimento que os colocamos como as matérias indispensáveis ao profeta na escola de Deus. Esses três milagres estão acomodados em duas circunstãncias: (1) Elias no deserto e (2) Elias na casa da viúva de Sarepta. Hoje, a primeira aula da escola de Deus, vamos analisar o primeiro milagre: Os corvos trazem pão e carne enquanto o riacho de Querite vai minguando – Vrs. 4-7 Vamos começar com o riacho de Querite. Estava alí o profeta bebendo da água que dia a pós dia vai diminuindo enquanto próximo a ele estava o Jordão. Que matéria na escola de Deus mais difícil: Depender de que Deus sustente o pouco que você tem enquanto próximo a você há fartura. Me vem a mente o grande acontecimento de Isaque na terra dos filisteus em Gênesis 26. Seu pai Abraão já havia morrido quando o texto diz: “Sobrevindo fome à terra... foi Isaque avistar-se com Abimeleque, rei dos Filisteus. Apareceu-lhe o Senhor e disse: Não desça ao Egito...” (Mas isso é história para uma outra oportunidade). O certo é que esse pequeno riacho que vai sustentar o profeta Elias é a provisão de Deus. Descer ao Jordão naquela circunstãncia significa estar fora da ordem de Deus. Arthur Pink em seu livro “A Vida de Elias” afirma que estudiosos têm pesquisado a possível região da torrente do Querite e chegado a conclusão que aquele riacho era provavelmente o resultado de águas que desciam das montanhas da região. E a própria palava “Querite” que signficava “seca” demonstrava que aquela torrente se secava mais rapidamente que os rios da região. Imagine: Deus aparece a Elias e diz: Você vai para um lugar que tem toda a probabilidade de secar mais rapidamente do que o Jordão. Com isso, fica evidente que a água que Deus provera para Elias estava ligada à ordem da natureza.

2


Série Vivendo Além de nós Mesmos Outro escritor (Lighfoot) acredita que a expressão “passados alguns dias” seja aproximadamente um ano, devido a expressão estar em outros lugares neste contexto. Elias teria, então, ficado ali no deserto por aproximadamente um ano bebendo da água que vinha diretamente da natureza. Há também o milagre dos corvos alimentarem o profeta. Vr. 6 “Os corvos lhes traziam pela manhã pão e carne, como tmbém pão e carne ao anoitecer...” Eram duas refeições diárias. Alguns ensinamentos sobre a junção desses milagres (o riacho do Querite e os corvos). Ou seja,Vejamos alguns assuntos sobre... A PRIMEIRA MATÉRIA NA ESCOLA DE DEUS 1. Ao ser sustentado pela natureza – água dos montes e pássaros – Elias aprende mais uma vez sobre a grande soberania de Deus – Ou seja, Deus é soberano. No Salmo 135:6 nos é dito: “Tudo quanto aprouve ao Senhor, Ele o fez, nos céus e na terra, no mar e em todos os abismos.” Veja a expressão do Salmo 133 “Ali ordena o Senhor a Sua bênção”. Deus é Senhor, soberado. E a terra e os céus O adoram. Para estar na presença do rei Acabe, na cidade e diante de toda a idolatria, Elias precisava aprender quem estaria no controle: Ele ou Deus. Ele havia dito “segundo a minha palavra não choverá”. É certo que ele sabia que dizer “segundo a minha palavra” significava dizer”segundo a vontade do Senhor”. Mas Elias estaria para viver os grandes momentos de seu ministéro. Ele precisava ter consciência de quem estava no controle. Deus é soberano. 2. Ao ser sustentado pelos corvos, Elias aprende mais uma vez sobre a grande sabedoria de Deus.

2


Série Vivendo Além de nós Mesmos 1 Coríntios 2:16 nos diz: “Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir...” Este texto de 1 Coríntios 2:16 é um eco do que Paulo falou em Romanos 11:33-36. Em Levíticos 11:15 e Deuteronômio 14:14, Deus proibiu ao seu povo que comece corvos, classificando os entre os animais imundos. E agora Deus usa esse animal para levar comida ao seu servo. Os caminhos de Deus são inescrutáveis, impenetráveis no seu todo. Em Atos 10 Pedro também tem a visão de um lençol que desce do céu com todo tipo de animais imundos. E a voz de Deus vem a ele dizendo: Mata e come. “O que Deus purificou não consideres comum” (Vr. 15) 3. Ao ser sustentado pela natureza – água dos montes e pássaros – Elias aprende mais uma vez sobre o equilíbrio entre o natural e o sobrenarural de Deus. Sobre o riacho de Querite não havia aparentemente nenhum milagre nele. Era algo natural. Era um riacho que com o profeta obedeceu o seu próprio ritmo na natureza. Num tempo de seca, a torrente de Querite iria secar mesmo. Mas com os corvos trazendo comida, o milagre de Deus estava estabelecido. Elias é sustentado pelo curso natural da natureza (os riacho) e o curso sobrenatural dos animais (corvos). Um autor diz o seguinte: Deus não realizará milagres apenas para evitar trabalho ao homem. A Bíblia está cheia da mistura do natural e do sobrenatural: (1) A ressurreição de Lázaro (Tirai a pedra); (2) A multiplicação dos pães – (Está ai um jovem que tem 5 pães e 3 peixinhos). A mistura do natural e do sobrenatural de Deus na nossa vida é tamanha que nem mesmo conseguimos discerní-las no nosso coditidano. Na realidade, tudo para nós se parece natural e ao mesmo tempo tudo é reputado como sobrenatural de Deus.

2


Série Vivendo Além de nós Mesmos 4. Ao ser sustentado pelos corvos, Elias aprende mais uma vez sobre a proteção de Deus. Quando Elias proferiu o castigo da seca e da fome, Ele estava ciente de que o próprio profeta iria passar por ela. Lembremos, irmãos, que o justo não é um alienígena da sociedade. Viver com Deus não significa possuir uma capa protetora para nos livrar das dores que caem sobre àqueles que não andam com Deus. A Bíblia diz que Deus faz vir chuva sobre os justos e injustos. É preciso entender também que Deus faz vir a seca sobre os injustos e sobre os justos. A proteção de Deus não significa que Deus vai nos arrancar, nos rapitar, do meio dos problemas; mas que Ele vai estar conosco e provê o sustento necessário para passarmos pelas situações. Isso pode ser na área da saúde, do emprego, da família, dos relacionamentos. Em todas as áreas da vida. 5. Ao ser sustentado pelos corvos, Elias aprende mais uma vez sobre o grande cuidado de Deus. Então o ponto anterior é proteção. Isto é, nos fazendo passar pelos problemas. Neste quinto assunto da matéria focamos no cuidado de Deus. Deus provê o que necessitamos em meio as nossas dificuldades. Mateus 6:25-34 fala sobre a ansiosa solicitude pela vida: “Não andeis ansiosos pela vida quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo quanto ao que haveis de vestir...” Oséias 2:18 nos diz: “Naquele dia, farei a favor dela aliança com a bestas-feras do campo, e com as aves do céu...” Deus cuida do seu servo e para tal movimenta a natureza e os pássaros para que o profeta seja alimentado. Veja alguns detalhes do vr. 6 que demonstra o cuidado de Deus com o profeta:

2


Série Vivendo Além de nós Mesmos 3.1. Os corvos traziam pela manhã e à tarde – Eram duas refeições básicas e bem substanciosas. Não havia atraso. É essa a oração que o Senhor nos ensiou: “O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje...” 3.2. Os corvos traziam pão e carne – Perguntas: 1. Porque Deus usou os corvos? Porque Deus não usou um anjo como faria mais a frente (Capítulo 19: 7) Ou porque Deus não usou um servo dEle? Por exemplo: Obadias, que apesar de ser mordomo de Acabe, temia muito ao Senhor. No capítulo 18:3-4 nos diz que Obadias temia ao Senhor e sustentou 100 profetas numa caverna provendo para eles “pão e água”. O interessante aqui é que a dieta de Elias providenciada pelos corvos (pão e carne) era melhor do que a dos profetas providenciada pelo homem Obadias (pão e água). CONCLUSÃO Essa foi a primeira matéria na escola de Deus. Uma matéria que envolve 5 assuntos:     

Soberania de Deus Sabedoria de Deus Natural e sobrenatural de Deus Proteção de Deus Cuidado de Deus

2

Estudo 4 Elias e a Escola de Deus  

Estudo sobre a vida do profeta Elias.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you