Issuu on Google+

O Livro de Apocalipse – Rev. Jocarli A. G. Junior

Estudo Trinta em Um:

A Colheita e a Ira de Deus [ Apocalipse 14.14-20 ] O apóstolo João encerra o capítulo 14 (v. 14-20) com duas visões: a seara da terra e a colheita das uvas da ira de Deus; isto é, positivamente, a colheita dos santos; e, negativamente, a condenação dos incrédulos. É interessante observar o paralelismo dos versículos 14-16 e 17-20: há duas foices, dois indivíduos brandindo as foices, dois anjos saindo do templo, dois anjos bradando em alta voz, duas ordens para se usar a foice, duas referências ao grão maduro e às uvas maduras e duas searas. Além disso, a palavra foice ocorre exatamente sete vezes nos versículos 14-20 para ilustrar a completude do juízo divino.474

I. A Colheita dos Cereais 14

Olhei, e eis uma nuvem branca, e sentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem, tendo na cabeça uma coroa de ouro e na mão uma foice afiada.

É relvante notar que ambas as colheitas envolvem uma foice e ceifa, e ambas são descritas da mesma forma: o ceifeiro, a ceifa e a colheita.

1. O Ceifeiro A frase familiar, “olhei, e eis”, muitas vezes apresenta um tema novo e importante no Apocalipse (cf. 4.1, 6.2, 5, 8; 7.9; 14.1). O que chamou a atenção de João foi uma nuvem branca, uma imagem descrita pelo profeta Daniel em 7.13-14. “Uma nuvem branca” – A cor branca, neste caso, é símbolo da santidade e do juízo do Altíssimo.475 No Apocalipse a cor branca tem um significado simbólico e está sempre relacionada à santidade de Deus (Ap 4.3; Ap 21.11). “E sentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem” – Remonta a promessa da vinda do Messias dada ao profeta Daniel (Dn 7.13). O temo “filho do Homem” era o título favorito do Senhor Jesus durante Sua encarnação (Mt 8.20; 9.6; 24.27, 30; Mc 2.10, 28; 8.31, 9.9, Lc 6.22; 7.34, 9.22, 12.8, João 5.27, 6.27, 62; 8.28). Além disso, esta é a última vez que as Escrituras se referem ao Senhor Jesus como “Filho do Homem”, e apresenta um contraste marcante quando foi pronunciado

474

KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento, Apocalipse. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2004, p. 528. 475 HENDRIKSEN, William. Mais que vencedores. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2001, p. 186.

Igreja Presbiteriana em Tabuazeiro – 2010/2011

197


O Livro de Apocalipse – Rev. Jocarli A. G. Junior

pela primeira vez. Quando, Ele não tinha nada, nem mesmo um lugar para reclinar a cabeça (Mt 8.20), agora Ele está prestes a tomar posse de toda a terra. “Uma coroa de ouro...” – O ceifador é ainda descrito como tendo uma coroa dourada sobre a sua cabeça; Esta não é a coroa de Diadema usada por um rei (cf. 19.12), mas o stephanos usado pelos vencedores da guerra ou eventos esportivos é a coroa do triunfo (cf. 2.10; 1Co 4.8; 1Tess 9.25;. 2Tm 2.19;. Tiago 1.12; 1Pe 5.4). Descreve o Filho do homem não em sua identidade como o soberano, mas como o conquistador vitorioso sobre todos os Seus inimigos (cf. Mt 24.30).476 “... e na mão uma foice afiada” – O ceifador também tinha uma foice afiada na mão. A foice era uma longa lâmina de ferro com um cabo de madeira. Essa lâmina era utilizada na colheita dos cereais.

2. A Ceifa 15

Outro anjo saiu do santuário, gritando em grande voz para aquele que se achava sentado sobre a nuvem: Toma a tua foice e ceifa, pois chegou a hora de ceifar, visto que a seara da terra já amadureceu!

“Outro anjo” – O quarto anjo mencionado neste capítulo (cf. v. 6, 8, 9), aparece em cena. Os três primeiros anjos proclamaram que o julgamento estava chegando, o quarto traz a ordem para executá-lo. “... saiu do santuário, gritando em grande voz” – Este anjo veio do céu (cf. v. 17) do templo, de diante do trono de Deus. Em voz alta transmitindo com urgência a ordem do julgamento delegada a ele por Deus. “... Para aquele que se achava sentado sobre a nuvem...” – O anjo clamou ao que estava assentado sobre a nuvem, “Toma a tua foice e ceifa, pois chegou a hora de ceifar, visto que a seara da terra já amadureceu!”. Ele entrega a mensagem de Deus Pai ao Deus Filho proclamando que é tempo de começar a colheita. O anjo não ordena ao “Filho do Homem” (Ap 14.14), mas é um simples mensageiro que anuncia a vontade do Deus Pai, em cujas mãos estão mantidos os tempos e as estações.477 Essa é a lavoura simbólica de trigo que é ceifada no tempo certo, quando os talos e as espigas estão secos. Sem delonga, o grão é debulhado. Aqui, o tempo de ceifar se refere, figuradamente, ao Dia do Juízo (ver Jr 51.33; Jl 3.13; Mt 13.30, 40-42). É o tempo de congregar os crentes no reino, pois a foice sai para ajuntar o povo de Deus (Mc 4.29; Jo 4.35-38). Ao “Filho do Homem” foi dada a autoridade de pôr a foice em ação, ainda que use seus anjos para assisti-lo (Mt 13.39; 24.31).

476

MacArthur, John: Revelation 12-22. Chicago, Ill. : Moody Press, 2000, S. 113 Jamieson, Robert ; Fausset, A. R. ; Fausset, A. R. ; Brown, David ; Brown, David: A Commentary, Critical and Explanatory, on the Old and New Testaments. Oak Harbor, WA : Logos Research Systems, Inc., 1997, S. Ap 14:15 477

Igreja Presbiteriana em Tabuazeiro – 2010/2011

198


O Livro de Apocalipse – Rev. Jocarli A. G. Junior

3. A Colheita 16

E aquele que estava sentado sobre a nuvem passou a sua foice sobre a terra, e a terra foi ceifada. O comentarista bíblico, George Ladd estava certo quando escreveu: “A história e os acontecimentos do mundo não são determinados por um destino cego e sem sentido, que não leva a nada. Deus vela sobre a história, e em sua sabedoria divina virá a hora em que a humanidade estará madura para o julgamento. A história não está sem controle; na hora de Deus serão colocados os pingos nos is”.478 O tempo de colheita é quando o grão está maduro; quando os crentes estão amadurecidos para o céu, então o grão da terra será reunido no celeiro de Cristo por uma colheita. Esses talvez sejam dois aspectos dos mesmos eventos do juízo. Porém, a colheita de cereais pode simbolizar a colheita dos justos (Lc 3.17), seguida pela colheita dos ímpios (uvas).479 Tanto Cristo como os anjos são os ceifeiros. O relacionamento de Cristo e os seus anjos é um mistério que não podemos resolver, mas é evidente que ele é íntimo. Os remidos serão reunidos como o trigo no celeiro, mas o ímpios como joio na fornalha (Mt 13.40-43).

II. A Colheita das Uvas 17

Então, saiu do santuário, que se encontra no céu, outro anjo, tendo ele mesmo também uma foice afiada. 18 Saiu ainda do altar outro anjo, aquele que tem autoridade sobre o fogo, e falou em grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo: Toma a tua foice afiada e ajunta os cachos da videira da terra, porquanto as suas uvas estão amadurecidas! A visão da colheita dos cereais é seguido pela visão da colheita das uvas, que trata do julgmento e a condenção dos perversos. Assim como os cereais, a colheita das uvas pode ser descrita em três pontos: o ceifeiro, a ceifa e a colheita.

1. O Ceifeiro “Então, saiu do santuário, que se encontra no céu, outro anjo” – A segunda foice é usada não para a colheita de grãos (o povo de Deus), mas para as uvas da ira de Deus (os inimigos de Deus). É interessante que o texto da Septuaginta de Joel 3.13 478

LADD, George. Apocalipse, introdução e comentário. São Paulo: Editora Vida Nova, 1984, p. 149. Nem todos os comentaristas concordam com esta interpretação de que a ceifa do trigo seja o ajuntamento dos justos. Para D.A Carson, “A colheita do trigo e da uva, assim, representam um ato de julgamento, inclusive, como em Joel 3.13, em que estes dois oráculos são baseados”. Carson, D. A.: New Bible Commentary : 21st Century Edition. 4th ed. Leicester, England; Downers Grove, Ill., USA: Inter-Varsity Press, 1994, S. Ap 14:6. De forma semelhante, Walvoord diz: “É difícil imaginar uma colheita de santos como secos ou maduros”. Walvoord, John F. ; Zuck, Roy B. ; Dallas Theological Seminary: The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures. Wheaton, IL: Victor Books, 1983-c1985, S. 2:965. 479

Igreja Presbiteriana em Tabuazeiro – 2010/2011

199


O Livro de Apocalipse – Rev. Jocarli A. G. Junior

realça o plural, “foices”, implicando a seqüência de duas colheitas. Isso fica claro no grego, onde encontramos dois verbos diferentes para “colher grãos” (therizein, v. 15) e “juntar uvas” (trygan, v. 18). Além do mais, o anjo diz que com relação aos cereais era necessário apenas debulhar, ou seja, um ato único e não é seguido de peneirar. Contudo, ao juntar as uvas, é seguido de pisá-las no lagar (v. 20). Aqui está à diferença entre juntar o povo de Deus pra sua glória e colher seus inimigos para ira.

2. A Ceifa 18

Saiu ainda do altar outro anjo, aquele que tem autoridade sobre o fogo, e falou em grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo: Toma a tua foice afiada e ajunta os cachos da videira da terra, porquanto as suas uvas estão amadurecidas!

Quando João observou, outro anjo apareceu, o sexto na visão. A ele foi dada a designação interessante de quem tem poder sobre o fogo. Esse título está intimamente ligado com o fato de que ele saiu do altar (6.9-11). Esse é o altar relacionado às orações incensadas dos santos que sobem ao trono. O julgamento do iníquo é a resposta final de Deus a essas orações.480 Neste caso, o fogo descreve figuradamente a vinda do juízo (8.5; comparar com 2Ts 1.7). A foice afiada indica que a obra de ajuntar as uvas será realizada de forma rápida. No entanto, essas uvas não são colhidas para o consumo, mas, colhidas para o grande lagar da ira de Deus. Essa é uma idéia clara do furor da ira de Deus contra os ímpios que blasfemaram do seu nome e perseguiram a sua igreja (Is 63.1-6).

3. A Colheita 19

Então, o anjo passou a sua foice na terra, e vindimou a videira da terra, e lançou-a no grande lagar da cólera de Deus. “Então, o anjo passou a sua foice na terra...” – É evidente neste versículo que a colheita das uvas significa julgamento e não salvação. O texto grego literalmente declara: “E o anjo ... ajuntou o videira da terra.” A palavra videira representa a totalidade das uvas produzidas. João parece ter em mente Isaías 63.2, onde a palavra lagar é posta dentro do contexto de Deus pisando as uvas da ira (Lm 1.15). As uvas são as nações, isto é, os adversários de Deus (Jo 3.13). A vinha da terra simboliza a totalidade da multidão dos homens maus. “E o lagar foi pisado fora da cidade...” (v. 20) – Alguns estudiosos identificam o lugar com Jerusalém, porque a santidade desta cidade não podia ser violada. No

480

HENDRIKSEN, William. Mais que vencedores. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2001, p. 211.

Igreja Presbiteriana em Tabuazeiro – 2010/2011

200


O Livro de Apocalipse – Rev. Jocarli A. G. Junior

Apocalipse, porém, o conceito refere-se à santa morada que é separada da habitação dos incrédulos (11.2, 8; 20.9; 21.27; 22.14, 15).481 “... e correu sangue do lagar até aos freios dos cavalos, numa extensão de mil e seiscentos estádios” – A quantidade de sangue que correu literalmente é inimaginável: O sangue vai até aos freios dos cavalos, ou seja, 1,5 metro de altura, numa extensão de “mil e seiscentos estádios”, uma distância de mais de 300 quilômetros. Isto é, toda a terra de Israel será inundada de sangue de um metro e meio de altura. George Ladd acertadamente declarou: “A idéia é clara: o julgamento é radical, destruindo qualquer vestígio de maldade e hostilidade contra o reinado de Deus”.482 João obviamente pinta um quadro fazendo uso de imagens simbólicas como o suco de uva de um lagar representando sangue e cavalos com freios retratando guerra. A menção das rédeas dos cavalos parece ser uma alusão à presença de um exército vitorioso celeste, como em 19.14.483 No capítulo 19, João menciona o cavaleiro que pisa o lagar da fúria da ira do Deus Onipotente, cuja roupa é salpicada pelo sangue e cujo nome é o Verbo de Deus, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Esse cavaleiro que monta um cavalo branco é o Juiz que julga com justiça e um general que engaja seus inimigos na guerra.484

Conclusão: No final do capítulo 14 encontramos imagens que simbolizam o juízo divino. São ações da vida cotidiana: a colheita e a fabricação do vinho. Um dia, o Senhor Jesus irá recolher pessoalmente os seus, para levá-los para a glória. Entretanto, o anjo da vingança divina recolherá os que estão destinados para a condenação eterna. O juízo será tão completo que, de fato, atignirá toda a Terra. Há uma enorme diferença entre aqueles que servem a Deus e aqueles que blasfemam contra o Altíssimo. Essa diferença será revelada no dia em que Deus preparou, um dia que vai consumir os ímpios como uma fornalha. Mas aqueles que temem a Deus não precisam temer, porque para eles será um dia de grande conforto e triunfo (Ml 4.1-3). Hoje, Deus está falando ao mundo em sua graça, mas os homens recusam-se a ouvir. O cálice amargo será bebido, a colheita do pecado será ceifada, e a videira da Terra será cortada e lançada no lagar.485 Você já tem o selo de Deus na sua vida? Logo o juízo chegará e então, será tarde demais!

481

KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento, Apocalipse. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2004, p. 533. 482 LADD, George. Apocalipse, introdução e comentário. São Paulo: Editora Vida Nova, 1984, p. 150. 483 Aune, David E.: Word Biblical Commentary : Revelation 6-16. Dallas : Word, Incorporated, 2002 (Word Biblical Commentary 52B), S. 847 484 KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento, Apocalipse. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2004, p. 534. 485 Wiersbe, Warren W.: The Bible Exposition Commentary. Wheaton, Ill. : Victor Books, 1996, c1989, S. Ap 14:6

Igreja Presbiteriana em Tabuazeiro – 2010/2011

201


estudo 31