Page 1

São Paulo, 18 de Maio de 2014

V Domingo de Páscoa - Ano A www.ipbcocaia.blogspot.com.br

N° 0086

JESUS nos Fala “...E vocês? Quem é que voces dizem que eu sou? perguntou Jesus.” - Lucas 9.20 (Leia João 14.1-12) Na leitura bíblica de hoje, no Evangelho de João, lemos a respeito da noite de despedida de Jesus aos seus discípulos. Jesus diz que Ele é a personificação de Deus: “Quem me vê, vê também o Pai”. Essa foi a razão primária para a sua vinda, deixar-nos saber claramente quem é Deus. Ele também revela que Ele é para nós “o caminho, a verdade e a vida”, em outras palavras, o caminho da verdadeira vida. A fim de sabermos que espécie de pessoas devemos ser, precisamos olhar para Ele. Além do mais, Jesus indica que Ele é o grande desafio de nossa vida: “Eu afirmo que quem crê em mim fará as coisas que eu faço, e até maiores do que estas”. É impossível ter um alvo maior ainda para a vida! Ele nos convida a continuar o Seu ministério e a estendê-lo até o fim do mundo e do tempo. Uma tarefa tremenda e gloriosa! Oração: Senhor, ajuda-me a ser semelhante a Jesus hoje e sempre! Amém. Pensamento para o dia: Na companhia de Jesus, levado pelo Seu espírito, posso ajudar na expansão da sua obra neste mundo. Autor: Sante Uberto Barbieri (Argentina) - transcrito de “No Cenáculo” Ano 36 - Jan/Fev - N . 1

SERVIÇOS DE ADORAÇÃO SEMANAIS QUARTA.............................................................................................. Culto nos Lares - 20h SÁBADO.......................................................................................... Consultar Agenda/Blog DOMINGO......................................................................................... Escola Bíblica - 16h30 DOMINGO........................................................................................................Culto - 18h30 2°DOMINGO.................................................................................................Ceia do Senhor B

O

L

E

T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


São Paulo, 18 de Maio de 2014

V Domingo de Páscoa - Ano A

Texto da capa da edição passada, que nãi foi impressa.

PAINEL PENIEL

A cada a semana um irmão é convidado a discorrer sobre a vida cristã...

Feliz Dia das Mães!

prindo os propósitos de Deus? O que sentir ao ver o descaso com sua preocupação materna, surpreendendo-se com o fato de que isso pouco importava diante da busca inevitável do outro por ser ele mesmo? Maria experimentou grandes enfrentamentos no aprendizado do descrédito materno. Outro episódio que chama a atenção quanto à assimilação da diferenciação entre mãe e filho aconteceu durante uma pregação do Mestre. Maria chegou acompanhada de outros filhos e pediu que isso fosse comunicado a Jesus, esperando que sua posição de mãe fosse suficiente para o seu pronto atendimento (Mt 12.46-49). A resposta de Jesus testifica sua autonomia ontológica. Chega a ser cruel. Entretanto, nada substitui os momentos de verbalização filial quanto aos limites necessários entre mães e filhos, para a apreensão da realidade de que eles não são nossos. Maria nos surpreende com uma honrosa atitude de superação dos sentimentos maternos de grandiosidade: apesar de constatar o quanto era dispensável, permaneceu caminhando com Jesus, contemplando o seu estar divino-humano no mundo. Mas nada é mais pedagógico para a aprendizagem da essencialidade do despapel gradativo de mãe, do que quando a vida nos impõe separações irreversíveis, pela distância, por impossibilidades reais, pela morte. Maria viu Jesus nascer. Maria viu Jesus morrer. E nada nela poderia impedir isso. Grande humilhação. Nisso residiu sua grandeza: saber-se cada vez menos importante diante de uma narrativa pessoal que não poderia ser impedida. Por isso, tem minha admiração. Com ela, aprendo da arte de tornar-se insignificante para ser mais humana. Com ela, reflito sobre o quanto preciso deixar meu filho ser mais ele mesmo, ao mesmo tempo em que me permito a alegria de contemplá-lo sendo tudo o que pode ser, mesmo sem mim.

Entre tantos artigos da internet e em jornais sobre o Dia das Mães, li uma frase que muito me chamou a atenção: “A boa mãe torna-se desnecessária”. Tal citação me faz refletir sobre o papel de mãe e minha relação com meu filho, hoje um lindo homem. Faz-me pensar também sobre uma figura especial, exemplo de mãe. E de mulher e seguidora de Jesus: Maria. Penso que Maria soube encarar a desnecessidade materna. Isso poderia não ter acontecido, uma vez que foi designada para cuidar, no ventre e na vida, do “Deus Conosco”. Carregar alguém especial dentro de si e dar de seu próprio corpo, ainda mais ao Deus-Homem, pode criar uma inimaginável sensação de indispensabilidade. Não é à toa que Maria exultou em canção: “O meu coração louva ao Senhor... Ele se lembrou de mim...” (Lc 1.46-55). Todavia, ela experimentou o aprendizado de tornar-se desnecessária. Na verdade, toda mãe começa a alcançar isso já no início da gestação. Com a gravidez, passa a ser apenas uma barriga cada vez maior. Sem perguntarem sobre o seu bem estar, o bebê já é o assunto. Ela se vê apenas como um meio de transporte. Maria, porém, mais do que qualquer outra mãe, sentiu o peso de seu desprestígio, proporcional à grandeza de quem trazia à luz: comitivas humanas e celestes vieram presentear o seu filho, reconhecer o milagre daquele nascimento. Ele era o centro. No entanto, a alegria indizível de fazer parte de uma grande história estava ali: “A minha alma está alegre por causa de Deus” (Lc 1.47). Mas os primeiros fatos da vida do bebê, pela dependência natural da espécie, criam alguma ilusão de perceber-se presença obrigatória. Por isso, é difícil enfrentar o crescimento do filho. Ver que ele simplesmente é, cada vez mais, causa perplexidade e um misto de orgulho e frustração. Maria também enfrentou esses sentimentos ao longo de todo o desenvolvimento de Jesus. O que dizer do momento em que o viu entre doutores da lei, com apenas doze anos, dialogando sobre temas que ela pouco compreendia, cum-

O

L

http://ipesperanca.blogspot.com.br/2011/01/travessiada-vida-lucas-2413-25.html

Sua Presença muito nos alegra. Volte sempre! “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar”. - O Evangelho Segundo João 14.2.

Visitante! B

Texto de SILVANA PINHEIRO é educadora, escritora, seguidora de Cristo e também mãe. (Texto extraído site www.ultimato.com.br)

E

T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


São Paulo, 18 de Maio de 2014

V Domingo de Páscoa - Ano A

Avisos: 6ª feira - culto no lar, às 20h. Aos Sábados, às 17h Projeto ANA, venha orar! Parabéns a todos que trouxeram seus talentos e não os esconderam. Até a IV Noite de Talentos!

Amor que Muda Antes conhecia esse amor só de ouvir Mas agora Posso Sentir Antes era escravo do mais vil pecado Mas Cristo já Vive em Mim.

Motivos de Oração - Consolo para a família do João Paulo que veio a falecer. - Missionários amigos da Rosângela Fabiano e Joyce e sua filha Ester que atuam em Portugal. Por seus projetos e pela direção de Deus no que eles fizerem. - Adriana, Carol e D. Marlene. Estão morando em S.J. dos Pinhais-PR. - Agradecer pois tudo correu bem na cirurgia, da Adriana e pedir para que Deus seja com ela e cuide de sua recuperação. - Alcançados pelo UMP na Praça. - Para que Deus prepar um emprego para o Bruno, irmão da Nayelen.

Antes eu andava num mundo em trevas Mas agora Posso enxergar Encontrei então Jesus O caminho,a verdade e a Vida. Deus amou o mundo,de uma tal maneira Que entregou seu filho Jesus

Lucas Alves Do Nascimento

Por que sou dizimista?

“Sou dizimista porque amo a obra de Deus na face da terra”. (Malaquias 3.10)

Devocional da Semana 2° - At 14,5-18; Sl 113; Jo 14,21-26. 3° - At 14,19-28; Sl 144; Jo 14,27-31a. 4° - At 15,1-6; Sl 121; Jo 15,1-8. 5° - At 15,7-21; Sl 95; Jo 15,9-11. 6° - At 15,22-31; Sl 58; Jo 15,12-17. Sáb. - At 16,1-10; Sl 99; Jo 15,18-21.

Aprendendo sobre a Bíblia com os Catecismos de Westminster 66 - Qual é a razão anexa ao quinto mandamento? R: A razão anexa ao quinto mandamento é: uma promessa de longa vida e prosperidade (tanto quanto sirva para a glória de Deus e o próprio bem do homem) a todos aqueles que guardam este mandamento. Ref.: Ef 6.2,3 B

O

L

E

T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


São Paulo, 18 de Maio de 2014

V Domingo de Páscoa - Ano A

Liturgia - o serviço cristão. Oração Inicial Leituras: At 7. 55-60 Sl 31 1. -5, 15-16 1Pe 2. 2-10 Jo 14. 1-14 Oração por iluminação / Edificação pela explicação da Palvra hino n° 17 Oração de gratidão hino n° 127 Oração Dominical Divisão das Classes

Pastor Rev. Valter Lopes Terrão Tel: 5928-9734 Cel: 9-6579-8261

Seminarista Magnilson Reis Marcos Cel: 9-5020-4581

Diáconos Luciano de Almeida Valverde Tel: 5528-1062 Cel: 9-7603-2058 Paulo Lopes Terrão

Tel: 5933-1021

Paulo José da Silva Tel: 5976-2524

B

O

L

SERVIÇOS SOCIAIS SÁBADO..................................................................................Reforço Escolar - 14h às 17h E

T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


Boletim n° 0086 - 18/05/2014  

V Domingo de Páscoa

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you