Issuu on Google+

São Paulo, 30 de Junho de 2013

XIII Domingo do Tempo Comum - Ano C www.ipbcocaia.blogspot.com.br

N° 0043

I G R E J A P R E S BI T E R I A N A P E N I E L D O PA R Q U E R E S I D E N C I A L C O C A I A

Tema Anual: “Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor! ”

Rua vereador José Gomes de Moraes Neto, 57 - Pq. Res. Cocaia - CEP - 04849-030 - São Paulo - SP

B

O

L

Hoje recordamos da fidelidade de dois servos de Jesus, os apóstolos Pedro e Paulo. Dentre os discípulos de Cristo estes dois, pessoas completamente diferentes, foram escolhidos por Deus para apascentar seu rebanho de forma especial, exercendo um papal de grande destaque na igreja primitiva. Pedro, homem impulsivo, sempre pronto a servir a Cristo, mostra muito de nossa natureza humana. Ele comete erros que nós também cometemos. Não era um homem culto, mas um pescador da Galileia, que após ser chamado por Jesus, deixou de pescar peixes para pescar homens. Simão Pedro, uma pedra que o Senhor Jesus lapidou e poliu, decidindo enviar seu Santo Espírito durante uma de suas pregações, a meu ver, está aqui a interpretação da frase “Tu és Pedro, e sobre esta pedra fundarei minha Igreja”. Adiante, em suas cartas e em seu discurso perante o Sinédrio (At 4.11), ele diz que a pedra que os construtores rejeitaram, isto é, Jesus, veio a ser a pedra angular, aquela que dá todo o fundamento e sustentação à Igreja. A igreja de Cristo foi fundada sobre Pedro, a pedra, cujo fundamento está em Jesus, a pedra angular. Já Paulo, anteriormen-

te Saulo, o grande perseguidor da Igreja, testemunha da morte do diácono e primeiro mártir da Igreja, Estevão, era homem zeloso para com a Lei, protetor das tradições judaicas, fariseu, homem culto e cidadão romano. Seu apostolado é confirmado por seu encontro com Jesus no deserto, quando tem sua vida e nome alterados para sempre. Saulo, o esperado, tornou-se Paulo, o regenerado. De perseguidor, passou a ser perseguido, sendo inspirado por Deus para trazer grande parte da Palavra à Igreja nascente. Suas epístolas nos enchem de alegria, e nos ensinam a conhecer o Cristo e servi-lo com dedicação e amor. Nenhuma das mortes foi relatada em Atos dos Apóstolos, ou em qualquer escrito canônico, mas sabe-se por meio de fontes históricas cristãs e seculares, que Pedro e Paulo morreram ambos em Roma, primeiro Pedro, por volta de 65 d.C e depois Paulo, em 67 d.C. A vida desses homens de personalidades tão diferentes e objetivos tão comuns nos ensinam a servir o Mestre como eles serviram, e como eles, poder afirmar que combatemos um bom combate e guardamos a fé ao final de nossas vidas. William de Almeida Santos

SERVIÇOS SEMANAIS QUARTA.............................................................................................. Culto nos Lares - 20h SÁBADO.......................................................................................... Consultar Agenda/Blog DOMINGO......................................................................................... Escola Bíblica - 16h30 DOMINGO........................................................................................................Culto - 18h30 2°DOMINGO.................................................................................................Ceia do Senhor E

T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


XIII Domingo do Tempo Comum - Ano C

São Paulo, 30 de Junho de 2013

www.ipbcocaia.blogspot.com.br

PAINEL PENIEL Série de textos: Uma Igreja que dá alegria.

Texto 3 “Uma Igreja que dá alegria à comunidade” A Igreja não é do mundo, mas está nele. Como sal da terra, a Igreja deve fazer a diferença na comunidade local em que está inserida. A violência chega a números assustadores, os hospitais são verdadeiros depósitos de doentes e vitrines exemplares de descaso, as escolas padecem vergonhosamente e o transporte público ignora a lei que afirma que dois corpos não PODEM ocupar o mesmo espaço. Essa é a realidade da nossa cidade, estado e país, mas diante de tudo isso o que fazer? Nós não sabemos! Alguns apostam em manifestações em forma de protesto, abaixo-assinados e vandalismo, mas não temos garantias da eficiência disso. A Bíblia, nossa única regra de fé e prática orienta o povo a agir diante da calamidade, creio que a história de Neemias serve de norte para a nossa conduta diante de um estado arrebentado e corrompido. Neemias tinha um dos cargos de maior confiança em um país estrangeiro, e ao receber a notícia de que seu país estava em estado de calamidade, foi invadido por um nacionalismo patriota, mas não foi impulsivo, ele chorou (porque sentia pesar pela situação da sua cidade) e orou (porque sabia que diante de tamanha devastação, somente Deus ONIPOTENTE poderia resolver). Neemias pede autorização ao rei da Pérsia e volta à sua cidade, ao chegar ele

VISITANTE! B

O

L

E

se depara com uma situação assustadora: a cidade estava queimada, quebrada, as poucas pessoas que não foram levadas cativas estavam deprimidas, perdidas sem saber o que fazer. Toda a trajetória de Neemias foi marcada por grades desafios impostos pelo seu povo e também pelos inimigos, mas independentemente da fonte do problema a postura de Neemias era a mesma: ORAR! Para que Deus preservasse o povo, a sua comunidade. A Igreja deve posicionar-se de forma a demonstrar a sua posição diante de todas as situações, sendo biblicamente orientados, com TODA certeza a Igreja se consolidará como um grupo inserido na comunidade para dar alegria. Sem. Magnilson Reis Marcos

S u a P r e s e n ç a mu it o n o s a l e g r a . Vo l t e s e mp r e ! “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar”. - O Evangelho Segundo João 14.2. T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


São Paulo, 30 de Junho de 2013

XIII Domingo do Tempo Comum - Ano C

www.ipbcocaia.blogspot.com.br

Motivos de Oração - Igreja de Cristo na Terra. - Bairro no qual estamos e vizinhos. - Equipe pastoral. - Conselho. - Mesa Administrativa. - Igreja Presbiteriana de Interlagos. - Igreja Presbiteriana de Vila Natal. - Missionários. - Cristãos Perseguidos. - Governantes do País. - Orar pelo processo judicial dos mis. no Senegal. - Pela EBF a ser realizada na Peniel. - Pela saúde do Fernando, sobrinho da Maria. - Pela vida da Jozyanne, amiga da Tati que está com Lupus. - Pelas vidas alcançadas na evangelização. - Pela nova fase do projeto Social com as crianças. - Pelo projeto de evangelização dos bolivianos. - André, amigo da Rosângela que se encontra enfermo com dengue.

DEUS ESTÁ CONOSCO Em meio a lutas em nossas vidas Devemos a Deus as vitórias obtidas, E quando abandonados parecemos Temos a certeza que com Deus ao nosso Lado nada temeremos. Deus nos levanta quando estamos Quase caindo, E nas orações sempre esta nos ouvindo E quando estamos fracos, abatidos,e Sem forças pra lutar ele logo nos faz alegrar. E quando temos que tomar difíceis decisões Nós nunca estamos sozinhos, Pois se orarmos a Deus ele nos mostra O melhor caminho.

Avisos:

- Quarta-feira 03, culto na casa ? às 20h. - 06, Palestra sobre política. Às 19h. - EBF - Dias 18, 19 e 20.

Deus que em meio as dificuldades Faz aparecer em nossas vidas oportunidades E nos da confiança, além da certeza que Depois da tempestade vem a bonança Ele nos ama e não nos deixa nunca perder a esperança

Por que sou dizimista?

“Sou dizimista porque amo a obra de Deus na face da terra”. (Malaquias 3.10)

Devocional da Semana 2° - Gn 18.16-33; Sl 102; Mt 8.18-22. 3° - Gn 19.15-29; Sl 25; Mt 8.23-27. 4° - Ef 2.19-22; Sl 116; Jo 20.24-29. 5° - Gn 22.1-19; Sl 114; Mt 9.1-8. 6° - Gn 23.1-4,19. 24.1-8, 62-67; Sl 105; Mt 9.9-13. Sáb. - Gn 27.1-5,15-29; Sl 134; Mt 9.14-17.

Lucas Alves Do Nascimento

Acesse:

http://tempora-mores.blogspot.com.br/

Aprendendo sobre a Bíblia com os Catecismos de Westminster

23 – Que ofícios Cristo exerce como nosso Redentor? R: Cristo, como nosso Redentor, exerce o ofício de profeta, sacerdote e rei, tanto no seu estado de humilhação como no de exaltação. Ref.: At 3.22; Lc 4.18,21; Hb 5.5,6; Hb 4.14,15; Ap 19.16; Is 9.6,7; Sal 2.6 B

O

L

E

T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


São Paulo, 30 de Junho de 2013

E.B.D - Hino n° 001 - Oração inicial - Leitura: Is 65.1-9 Sl 22.18-27 (U) Gl 3.23-29 Lc 8.26-39 (L) - Oração por iluminação hino n° 175 - Oração de gratidão. hino n° 176 - Oração Dominical. - Divisão das classes. Pastor Rev. Valter Lopes Terrão Tel: 5928-9734 Cel: 9-6579-8261

Seminarista Magnilson Reis Marcos

Cel: 9-5020-4581 Diáconos Luciano de Almeida Valverde Tel: 5528-1062 Cel: 9-7603-2058

XIII Domingo do Tempo Comum - Ano C www.ipbcocaia.blogspot.com.br

Liturgia - o serviço cristão Liturgia de Abertura - SAUDAÇÃO E AVISOS vide página 3 - PRELÚDIO Momento Novo - LEITURA DA PALAVRA Evangelho s. Mateus 6.26-30 Liturgia de Adoração - ATO DE CONTRIÇÃO Quebrantado Mateus 6.33 Deixa tudo - OFERTÓRIO - 2 coríntios 9.7 Tributo a Jeová

Oração diaconal O Nosso General é Cristo - ATO DE INTERCESSÃO Liturgia da Palavra hino n° 362 - SAÍDA DAS CRIANÇAS Culto infantil: Bê - PRÉDICA Rev. Claudio César Gonçalves

Paulo Lopes Terrão

Liturgia de Despedida - ABRAÇO DA PAZ

Paulo José da Silva Tel: 5976-2524

Tel: 5933-1021

B

O

L

Aliança

E

- ORAÇÃO FINAL - TRRÍPLICE AMÉM

T

I

M

D

O

M

I

N

I

C

A

L


Boletim n° 0043 - 30/06/2013