Page 78

Rui Marques

simultaneamente, uma arma coerciva para a exploração. Na visão positiva, sublinha que os princípios burocráticos facilitam a gestão da escala e complexidade organizacional, sendo que as rotinas constituem a essência da competência organizacional. Na negativa, Adler destaca a face disciplinar da burocracia, com inerentes custos humanos. Mas, mesmo perante esta ambivalência, o autor não tem dúvidas: “A humanidade está condenada a aceitar os custos humanos da burocracia porque as sociedades modernas não podem viver sem os benefícios da racionalidade burocrática”145. Robbins (1990), tal como Adler, alinha argumentos válidos, quer para a sua extinção a prazo, quer para a sua perenidade no futuro próximo:

A burocracia vai morrer, porque…

A burocracia vai sobreviver porque…

• Há cada vez mais mudanças rápidas e inesperadas a que a burocracia não se consegue adaptar. • O crescimento em dimensão das organizações não é compatível com as regras burocráticas. • Se dá o aumento da diversidade. • Há mudança no comportamento de gestão, com novos conceitos da complexidade dos seres humanos, do exercício do poder e de valores organizativos.

• Funciona em muitos setores há muito tempo. • A seleção natural favorece a burocracia. • Os valores societais não mudam, nomeadamente os de desejo de ordem e de regulamentação. • A turbulência ambiental é exagerada. • Há a ascensão da burocracia profissional, mais sofisticada e adaptativa do que a burocracia mecânica de Weber. • A Burocracia mantém o controle.

Barberis (2011) identifica quatro forças de transformação que nos levarão a um período pós-burocrático: a procura de um controle político mais efetivo, o desejo de tornar as burocracias mais eficientes, com maior foco no resultado, o impacto da pós-modernidade e finalmente, as consequências da globalização. Neste contexto, a pós-modernidade e a globalização, por exemplo, são dinâmicas que redesenham o mundo e que têm consequências evidentes nas condições de aplicação da burocracia. De um mundo moderno relativamente estável, estruturado, ordenado e regular passámos a um mundo pós-moderno instável, desestruturado, desordenado e irregular146, qualificativos a que Mallouf (2009) acrescenta “um mundo sem regras”. 76

Profile for Instituto Padre António Vieira

Problemas Sociais Complexos e Governação Integrada  

Esta publicação resulta de uma versão resumida e atualizada da tese de doutoramento de Rui Marques “Problemas Sociais Complexos e Governação...

Problemas Sociais Complexos e Governação Integrada  

Esta publicação resulta de uma versão resumida e atualizada da tese de doutoramento de Rui Marques “Problemas Sociais Complexos e Governação...

Profile for ipav
Advertisement