Page 136

Rui Marques

A. Contributos teóricos A.1. Proposta de definição de “governação integrada” Para além das definições e conceitos que se elencaram a partir da literatura sobre governação integrada, propõe-se como definição própria de “governação integrada”, no quadro do presente modelo teórico, a seguinte formulação: Governação integrada é um processo sustentável de construção, desenvolvimento e manutenção de relações interorganizacionais de colaboração, para gerir problemas complexos, com eficácia e eficiência. Propõe-se uma análise detalhada desta definição. Começando pela expressão “governação integrada”, há a consciência que se ousou consolidar, neste trabalho e em projetos conexos como o Fórum para a Governação Integrada, uma nova expressão, em língua portuguesa, para definir um dado modelo de governação, que ainda não estava estabilizada nestes termos. As referências mais próximas, como “governação em rede”292, “governança”293, ou “governação colaborativa”294 sendo muito relevantes, não abrangem todo o alcance que se pretende com a designação “governação integradaXVI”. Recupera-se só, pela sua relevância, o forte acento tónico que se quer dar ao termo “integrada”. A importância atribuída a este conceito prende-se com a ideia que a principal ameaça à abordagem da complexidade é a fragmentação, quer da sua compreensão, quer da ação sobre ela desencadeada295. Opta-se pelo conceito “integrada”, enquanto adjetivo de governação, para sublinhar esta dimensão de relação coerente e convergente de partes em interação/interdependência, que constituem um novo “todo”, distinto da simples soma das partes, assumindo as características da “emergência”296”. A tese segundo a qual a governação integrada é capaz de gerar uma realidade nova, diferente da simples soma das partes (sendo expressão da emergência, típica dos sistemas complexos adaptativos) é reforçada pelas conclusões dos estudos de caso. Quer o CNAI (estudo de caso I), quer a CPCJ da Amadora (estudo de caso II) se constituem enquanto organizações distintas das que as integram, mas sobretudo o seu resultado é diferente de uma simples soma ou sobreposição das partes. As interações fazem a diferença. XVI A opção pela utilização destes termos, respetivamente “governação” e “integrada”, é apresentada no anexo I.

134

Profile for Instituto Padre António Vieira

Problemas Sociais Complexos e Governação Integrada  

Esta publicação resulta de uma versão resumida e atualizada da tese de doutoramento de Rui Marques “Problemas Sociais Complexos e Governação...

Problemas Sociais Complexos e Governação Integrada  

Esta publicação resulta de uma versão resumida e atualizada da tese de doutoramento de Rui Marques “Problemas Sociais Complexos e Governação...

Profile for ipav
Advertisement