Page 1

1


EDITORIAL O SHOW CHEGOU AO FIM.

Os eleitores brasileiros foram às urnas usando o poder do seu voto para eleger o seu presidente, governador, deputado estadual, deputado federal e senador. No pódio armado, hipócritas cenários e muitas estratégias têm sido utilizadas para convencer os eleitores a votar para o melhor. Na verdade, as propostas do governo foram ofuscados neste grande show. Cada querendo jogar a merda no ventilador no outro, e se tornar um santo. Foi exatamente isso que tivemos durante esses meses antes das eleições. Muitas pessoas alimentado e lucrou com esta guerra de lavar roupa suja em público, fabricando mentiras e esconder verdades. Mas, finalmente, tudo acabou. O resultado das urnas resta agora é lá ... esperar ... Vamos ver o que vai acontecer com as promessas e propostas dos vencedores. O palco foi desmontado, resta agora ver as máscaras caem no chão.

THE SHOW HAS REACHED THE END. Brazilian voters went to the polls using the power of their vote to elect its president, governor, state legislator, congressman, and senator. In the armed podium, hypocrites scenarios and many strategies have been used to convince voters to vote for the best. In fact, government proposals were overshadowed on this big show. Each wanting to play the shit the fan in another, and becoming a saint. It was just that we had during these months before the elections. Many people fueled and profited from this war washing dirty linen in public, fabricating lies, and hiding truths. But finally everything is over. The result of the ballot box remains now is there ... wait ... Let's see what will happen to the promises and proposals of the winners. The stage was dismantled, it now remains to see the masks fall down the floor.

revistaencenacao@gmail.com

Iolanda Brazão 2


HOMENAGEM


A cultura nunca mais será a mesma... Diante do olhar futurista, olhar que penetra no fundo do saber, exalta a alma do artista, que resgata valores esquecidos e principalmente, enaltece o ser humano. Diante de este olhar uma explosão de sabedoria, que visa o coletivo, ao mesmo tempo em que destaca o individual, o amor pela Baixada Fluminense, pela arte em todos os seus segmentos. E nesta parceria, entre o poder publico e o privado a cultura explode, e resplandece ao reconhecer o brilho de suas ESTRELAS. Foi da sensibilidade destes olhares, união de pensamentos, criatividade, e da ousadia de Paulo Mainhard e Gênesis Torres, que nasceu o FORUM CULTURAL DA BAIXADA FLUMINENSE. Portanto recebam os nossos aplausos de pé, com direito a milhares de bis ,pela grandiosa iniciativa.

Presidente: Gênesis Pereira Torres Vice-Presidente: Paulo Cristiano Mainhard Primeiro Secretário: Marcelo Borges Soares de Almeida Segundo Secretário: Tânia Amaro de Almeida Primeiro Tesoureiro: Reginaldo Francisco de Oliveira Segundo Tesoureiro: Iraci Gomes da Silva Torres Coordenadora Cultural: Claudina Nunes de Souza Oliveira

4


A paix達o na vis達o de Fernando Naviskas "Prefiro morrer de paix達o a morrer de t辿dio." dizia Vincent Van Gogh.


Matizes vibrantes em pinceladas intensas é a forma que Fernando Naviskas encontrou para expressar a paixão pelo mundo que vê. Sentimento que fica absolutamente evidente para o expectador, em características marcantes, que tem conquistado a crítica internacional. Bacharel na Faculdade de Belas Artes de São Paulo e na Faculdade Marcelo Tupinambák, na década de 80, suas paisagens e figuras sentem e emitem esta paixão. Temas que foram apresentadas neste ano nas seguintes exposições: - 5ª International Bienal Madeira - Funchal Portugal Collective exhibition Entrepanos Ibirapuera São Paulo Brazil - Collective on the group Structurellistes - Provins - França - Collective exhibition 92 anos years Modern art week São Paulo - Brazil - Individual exhibition Scarsdale - NY Estados Unidos - Article published american newspaper Scarsdale Inquirer - Article on the digital magazine Obras de Arte - Collective exhibition Art en Couer d'Europe Illzach - Mulhouse Alsace France - Become artist member of ZARCO INTERNATIONAL ACADEMY OF ARTS Madeira Portugal - Collective exhibition IAPAJ 1ª Edition Europe – Funchal – Ilha da Madeira - Portugal - The painting “Nosce Te Ipsum” is cover book doctoral thesis in psychology Ribeirão Preto - Brazil - Collective exhibition in Oizumi Bunkamura Gun-Ma – Japão - Collective exhibition in Funchal – Madeira - Portugal - Exposição coletiva em Eki-Naka Gallery Gun-Ma - Japão - Salão de Sta Bárbara D’Oeste SP - Exposição em Capivari SP Centro de Cultura Contemporânea - Exposição em Belgrado – Sérvia com participação de artistas sérvios. Fernando Naviskas collectors in France, Italy, Germany, Spain, United States and Brazil.

6


TRUFFAUT: 30 ANOS SEM O GÊNIO DO CINEMA FRANCÊS.

Neste mês, completou 30 anos da ausência de um dos maiores ícones do cinema mundial, o cineasta francês, François Truffaut. Sua paixão pelo cinema veio desde cedo, quando ainda na escola, matava aulas para assistir a filmes. Teve uma vida problemática, com seus pais, na escola,onde chegou a ser expulso e posteriormente internado num reformatório. Esta experiência rendeu para o mundo a autobiografia "Os Incompreendidos". Em 1947, fundou o cineclube ‘Círculo de Cinema’, fechado meses depois. Neste ínterim, conheceu André Bazin, famoso crítico de cinema francês que o ‘adotou’ e levou o futuro fundador da ‘Nouvelle Vague’ a mudar a sua vida em 180 graus. Truffaut via 3 filmes por dia e lia 3 livros por semana, resultado de um acordo com Roland, que custearia isto, caso o jovem arrumasse trabalho estável e saísse do cineclube de Bazin. O aperto de mãos durou pouco. O arquiteto internou-o num reformatório juvenil cuidado pela polícia. Aos 18, fora ao internato, emancipado pelos pais e novamente aos cuidados de André Bazin, Truffaut começou nas críticas de fitas – o primeiro texto foi sobre ‘A Regra do Jogo’ (1939). A mente de Truffaut era instável e após algum tempo, sem ninguém entender, largou tudo para se alistar nas Forças Armadas Francesas. Claro, se arrependeu logo e tentou escapar. Foi preso. Quem o salvou de novo? Sim, Bazin. Em 52, foi morar com a família dele. Estava desempregado e se tornou freelancer.


Em 1951, a revista ‘ Cadernos de Cinema’ foi lançada por Bazin e um grupo de cinéfilos. Dois depois, Truffaut entrou para o time de colunistas e seu primeiro artigo deu o que falar: ‘Uma certa tendência do cinema francês’ teve grande repercussão . Em seis anos na publicação, o cineasta escreveu 170 textos e entrevistas com os diretores, que se tornariam seus bons amigos, como Jean Renoir, Max Ophuls e o Roberto Rossellini.Crítico e cineasta, Truffaut foi um dos fundadores da "Nouvelle Vague", e provou que um crítico também poderia fazer cinema. Em quase 25 anos de carreira como diretor, Truffaut dirigiu 26 filmes. Em sua renomada carreira, seus prêmios foram o Oscar de Melhor Diretor, por "La nuit américaine" (1973). Recebeu duas nomeações, na categoria de Melhor Argumento Original, por "Les 400 coups" (1959) e "La nuit américaine" (1973), de Melhor Realizador no Festival de Cannes, por "Les 400 coups" (1959), o César de Melhor Realizador e Melhor Argumento, por "Le dernier métro" (1980). Foi ainda nomeado na categoria de Melhor Realizador em1983, por "Vivement Dimanche!" e ganhou o Prémio OCIC, no Festival de Berlim, por "L'Argent de Poche" (1976). Trinta anos atrás, em 21 de outubro de 1984, ele morria na comunidade de Neuilly-sur-Seine, em seu país natal, devido a um tumor cerebral. Tinha apenas 52 anos. Em compensação, deixou uma vasta história de mais de duas décadas de carreira, com dezenas de filmes, centenas de artigos a revistas especializadas.

Luiz Eduardo Ozório

8


10


QUE TEU ALIMENTO SEJA TEU REMÉDIO... Hipócrates

A frutinha roxa, que nasce em um cacho na palmeira chamada de açaizeiro (Euterpe oleracea mart) é uma das frutas brasileiras que se tornaram mais conhecidas e consumida nos últimos anos. Especialmente para as pessoas que frequentam academias de ginástica, praticam esportes ou cuidam da saúde e do bem-estar, de modo geral. Isto porque,a fruta é um grande energético natural! Nativa das várzeas da região amazônica, o fruto é consumido pela população local desde sempre e de diversas formas, em várias receitas, inclusive salgadas, como acompanhando peixes, garantindo, além de energia, muitos outros benefícios à saúde. Desde que seu consumo se popularizou e o açaí passou a ser consumido no resto do país, a curiosidade sobre as propriedades dessa pequena fruta aumentou, principalmente porque outros países também passaram a consumir esse poderoso suplemento nutricional. Rico em vitaminas E, B1, B2, B3 e C, fibras, cálcio, fósforo, ferro, minerais e potássio, além de ácidos graxos, o açaí possui pigmentos que dão à fruta aquela cor roxa intensa e estes, possuem ingredientes que são antioxidantes e, de tão nutritivos, fazem dele um dos alimentos mais saudáveis que existem! Por conta disso, ele é um poderoso combatente dos radicais livres, causadores de inúmeras doenças e envelhecimento precoce de todas as células! http://www.remedio-caseiro.com/


ESSÊNCIA Às vezes ando às cegas, desafiando os meus dias Caminho ora firme, ora trôpega, Esfregando à frente minhas mãos frias Tudo na vida é tão imprevisto Embora algumas coisas pareçam naturais Nada programo, nada planejo Mas persisto sonhando, persigo meus ideais Pode parecer utopia, isto que vou dizer Mas hei de viver todos os meus afetos, E dar todo o meu amor, a quem ele quiser, e merecer Um dia, bem sei, minhas forças fenecerão Envelhecida, e talvez esquecida, deixarei de viver Mas sei que minha sensibilidade é uma essência que brotará quando eu me for

Em algum lugar, ela nascerá novamente Firme e forte, linda e colorida Visitando mil flores, na forma de um beija-flor Cláudia Banegas

ETERNA LIBERDADE Sou livre tal qual o vento Que sibila na pastagem Tal queda de cachoeira Ou trepadeira ramagem; Tal o pássaro que canta E a teus ouvidos encanta E os sentimentos reagem. Sou livre para criar Momentos de amor e paz Amor aos rios, aos ventos A esta vida que me apraz, Arranjar um companheiro que seja meu por inteiro Sem nunca voltar atrás.

Sou livre para correr Co’os filhos pelas veredas Até a lua nascer... Peço - te então que intercedas, Oh, vida, depois concedas O fim da longeva idade. Num leito às margens do rio Deixa descer este frio De uma eterna liberdade! Benedita Azevedo 12


BAIRRO DA TIJUCA Rua Padre José de Anchieta bairro da tijuca onde morei. Onde muito sonhei, e versos escrevi, frutos colhi da terra que cuidei. Palmeiras, roseiras, lírios e bananeiras ali cultivei sonhos que vi morrer. Luiza e Rafaela, duas flores arteiras, flores lindas que eu vi crescer. Saudades cantam meus canarinhos, presos a uma gaiola de isopor. Olhando a cadeira na varanda vazia, lembro-me do velho professor.

Tartaruga Catarina esconde a cabeça, os cães correm no gramado verde. E o pica pau Chico, preso numa gaiola passa o tempo furando a parede. Sem rumo e destino vou como cheguei, plantar em outros lugares flores de verdades. Aqui, por onde muito tempo eu passei, deixo meus versos tristes de saudades.

Nilo Costa

SORRISO ESPECIAL No teu sorriso, uma simpatia de amor No teu gesto um carinho de vida No seu olhar, uma visão de esplendor No seu abraço a amizade convida Sua presença encanta e eterniza Sua alegria nos deixa muito feliz Seu afeto incorpora e protagoniza Seu espaço é o que sempre quis Você é o personagem do nosso mundo Você tem a liberdade da mente aberta Você é a beleza de universo profundo Você tem o sorriso da descoberta

Seja uma mente brilhante e eficiente Seja um modelo de pessoa legal Seja uma ajuda para alguém carente Seja um sorriso de um poema real.

Jorge Luis


OUTRORA Ver-te pés na Terra No verde faz sorrir Flores que o Azul rega Pra vida vir florir Ter-te nua o Sol Na boca faz beijar Ondas que o vento veste Brincando de ser Mar Ser-te agora imensa Flor que beija beija-flor De chuva que orienta Quente a pele da sua cor Saber-te sou sereno Azougue em cais que a noite chora Decifra-me a Lua minguando Na manhã do amor de outrora .

Fabio Thomaz

Encruzilhadas Entre as ruas Nos sinais que engarrafam Uma cantiga de roda Onde estará a viga, os trens, os homens honestos? Nem homem, nem mulher. Pode dar jacaré! Ninguém quer ir para esquerda e nem para direita. Todos estão incontentes... Infelizes esses atores e atrizes. Sem saber o que fazer? Levam a matilha nas costas Sentam e esperam A boiada passar. Contabilizam os lucros esses mineiros, Estão em todas as manchetes do país. E dessa espera insana, Nada será mudado. Nem o Rio que corre e esgota-se Nem o Brasil que só se repete, repete, repete. Diana Balis

14


EXERTOS CONSAGRADOS DA LITERATURA UNIVERSAL.

"Os poetas e os romancistas são aliados preciosos, e o seu testemunho merece a mais alta consideração, porque eles conhecem, entre o céu e a terra, muitas coisas que a nossa sabedoria escolar nem sequer sonha ainda. São, no conhecimento da alma, nossos mestres, que somos homens vulgares, pois bebem de fontes que não se tornaram ainda acessíveis à ciência.“

Sigmund Freud

"Os leitores extraem dos livros, consoante o seu carácter, a exemplo da abelha ou da aranha que, do suco das flores retiram, uma o mel, a outra o veneno.“

Friedrich Nietzsche


Falando de cultura... Ao poeta, Sylvio Neto. Prezado poeta e irmão, Sylvio Neto , muito me preocupa tal manifesto, pois o nosso problema cultural em Belford Roxo, se fosse somente pela gestão, “talvez", justificasse o fato. Porém, não é só isso, pois temos pessoas capacitadas in loco para tal, portanto, em tempo, cabe dizer, que seja quem for o SMC dessa pasta, passará em branco. Explicando: Temos na Baixada o costume (política) de achar que fazer cultura e arte é trazer artistas âncoras para atrair multidões visando mais os votos do que a descoberta das vocações locais da arte pela arte. Bom, quando se exclui o artista da comunidade dessa inserção social você acaba com qualquer possibilidade de desenvolvimento das políticas culturais. Quanto aos parcos investimentos, na visão do político ignorante, é melhor investir para o retorno imediato do que investir na costura dos vários retalhos culturais da Baixada Fluminense. Em suma, não se tem dinheiro para investir no que não da mídia e retorno. Lutaremos sempre contra essa visão dos "mu" das nossas sofridas cidades da periferia do Rio de Janeiro... Texto-resposta às indagações do poeta, acima, em referência a saúde cultural de Belford Roxo.

Vicente Freire

16


O adeus ao Poeta Manoel de Barros “Quando as aves falam com as pedras e as rãs com as águas é de poesia que estão falando”. Manoel de Barros

O poeta Manoel Wenceslau Leite de Barros, mais conhecido como Manoel de Barros, nasceu no Beco da Marinha, em Cuiabá, estado do Mato Grosso, no dia 19 de dezembro de 1916. Seu pai, João Venceslau Barros, famoso capataz naquelas terras, decidiu erguer uma pequena fazenda quando o garoto tinha apenas um ano de idade, no coração do Pantanal. Tinha um ano de idade quando o pai decidiu fundar fazenda com a família no Pantanal. Nequinho, como era chamado carinhosamente pelos familiares, cresceu brincando no terreiro em frente à casa, pé no chão, entre os currais e as coisas "desimportantes" que marcariam sua obra para sempre. Com oito anos foi para o colégio interno em Campo Grande, e depois no Rio de Janeiro. Não gostava de estudar até descobrir os livros do padre Antônio Vieira.Dez anos de internato lhe ensinaram a disciplina e os clássicos a rebeldia da escrita. Aos 19 anos, Manoel de Barros escreveu seu primeiro poema, e a partir de então sua veia poética não mais deixou de pulsar. Ele conheceu a liberdade criativa ao mergulhar em Une Saison en Enfer, de Arthur Rimbaud, pois aí se deu conta do rico material sensitivo à disposição do poeta, pronto para despertar e se traduzir nas páginas em branco. O escritor teve sua fase de militância política, engajou-se no Partido Comunista, e deixou de ser preso graças ao seu primeiro livro, que não chegou a ser publicado, pois a única cópia foi confiscada por um policial no lugar do jovem Manoel. Mas abandonou o Partido quando se desapontou profundamente com Prestes. Neste momento, decidiu voltar para o Pantanal. Ainda não estava pronto, porém, para criar raízes neste local, pois o mundo o aguardava. Passou um período na Bolívia e no Peru, depois partiu para Nova York, onde residiu por um ano, estudando cinema e pintura, povoando assim sua poesia com as imagens mais ricas e distintas. Ao retornar para seu país, o poeta conhece Stella, sua futura esposa com quem teve três filhos, Pedro, João e Marta, e sete netos e com quem ficou casado até falecer.


Depois de tantas aventuras, formado em Direito em 1949, no Rio de Janeiro, o poeta finalmente se decide pelo Pantanal e lá se fixa, tornandose fazendeiro como o pai. Sua primeira obra nasceu no Rio de Janeiro e lá despertou para o público, há mais de sessenta anos, e foi batizada de Poemas Concebidos sem Pecado, lançada em pequena tiragem, com a ajuda de um grupo de amigos. Foi o primogênito de tantos outros que viriam. O poeta ganhou prêmios importantes, como o Prêmio Orlando Dantas, em 1960, doado pela Academia Brasileira de Letras, pelo livro Compêndio para Uso dos Pássaros. Sua obra posterior, Gramática Expositiva do Chão, foi contemplada com o Prêmio da Fundação Cultural do Distrito Federal, enquanto Sobre Nada ganhou outra honraria, desta vez de contexto nacional. Nosso POETA depois de enfrentar sérias complicações de saúde,aos 97 anos, faleceu no dia 13 de novembro de 2014 em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Prefácio Assim é que elas foram feitas (todas as coisas) — sem nome. Depois é que veio a harpa e a fêmea em pé. Insetos errados de cor caíam no mar. A voz se estendeu na direção da boca. Caranguejos apertavam mangues. Vendo que havia na terra Dependimentos demais E tarefas muitas — Os homens começaram a roer unhas. Ficou certo pois não Que as moscas iriam iluminar O silêncio das coisas anônimas. Porém, vendo o Homem Que as moscas não davam conta de iluminar o Silêncio das coisas anônimas — Passaram essa tarefa para os poetas.

18


DITADOS POPULARES

Eles fazem parte da nossa vida com muita frequência. Mas nem sempre sabemos sua origem.

RASGAR SEDA

A expressão que é utilizada quando alguém elogia grandemente outra pessoa, surgiu através da peça de teatro do teatrólogo Luís Carlos Martins Pena. Na peça, um vendedor de tecidos usa o pretexto de sua profissão pra cortejar uma moça e começa a elogiar exageradamente sua beleza, até que a moça percebe a intenção do rapaz e diz: "Não rasgue a seda, que se esfiapa".

QUEM NÃO TEM CÃO, CAÇA COM GATO

Na verdade, a expressão, com o passar dos anos, se adulterou. Inicialmente se dizia quem não tem cão caça como gato, ou seja, se esgueirando, astutamente, traiçoeiramente, como fazem os gatos.

DA PÁ VIRADA

A origem do ditado é em relação ao instrumento, a pá.. Quando a pá está virada pra baixo, voltada pro solo, está inútil, abandonada decorrentemente pelo Homem vagabundo, irresponsável, parasita.


ALAM É OURO NA BAIXADA FLUMINENSE

Eva Correia Derossi , Adriana Igrejas ,Iolanda Brazão e Douglas Mucciolo

20


O “Prêmio Baixada 2014” foi o evento mais esperado e deslumbrado do ano foi realizado às 18 horas, no ginásio da Vila Olímpica de Mesquita (antigo Parque dos Eventos), no último dia 15 do corrente ano, sediado pela Prefeitura Municipal de Mesquita, através de sua Secretaria Municipal de Cultura, promovido pelo Fórum Cultural da Baixada Fluminense que é presidido pelo renomado Historiador Gênesis Torres. Os finalistas concorreram em 13 categoriais diferentes do Prêmio Baixada 2014: Artes Cênicas (Dança, Circo e Teatro), Artesanato, Audiovisual, Artes Plásticas (atual Artes Visuais), Cidadania, Ciência, Comunicação, Educação, História, Literatura (Autoajuda, Dramaturgia, Romance e Poesias), Meio Ambiente e Produção Cultural. A eloqüente Mestre do Cerimonial Cida Gomes convidou para compor a mesa as autoridades locais presentes: o vereador Joelson Cavalcante da Silva (Vulgo professor Max), o presidente de Honra da ALAM Durval Meirelles Coelho, os Secretários (as) Municipais de Mesquita: Douglas Mucciolo (Cultura), Wellington de Oliveira (Defesa da Pessoa com Deficiência e dos Idosos), Maria Camardella (Assuntos Institucionais) Rogério Sant’Anna da Silva (Mobilização Social e Direitos Humanos) entre outros. O evento teve vários informativos e vídeos apresentados dos projetos: “Quem é quem na Baixada” e Mapa Afetivo da Baixada/Rio de Janeiro, onde a Coordenadora de Cultura do Fórum Claudina Oliveira ressaltou: “A cidade que se sonha, que se espera. Como ela acontece?! Como ela pulsa?! Mapeá-la afetivamente é descobrir seus movimentos, sua maneira de existir cidade, gente. Constante movimento pulsante e provisório que nos aproxima. Aqui ela continua, ela flui, recriando novas formas de ser e de estar. ” O município de Mesquita foi um dos grandes destaques da noite ao recebeu no total de sete (7), prêmios entre eles cinco (5) são membros da ALAM - Academia de Letras e Artes de Mesquita, fundada por 11 Artistas e escritores em 09/11/2000, reconhecida como de Utilidade Pública, consagrou-se nessa noite de gala do “Oscar da Baixada”, por levar quatro (4) estatuetas (que, diga-se de passagem, são lindíssimas) e uma (1) Menção Honrosa: Adriana Igrejas (Literatura – Romance); Eva Correia Derossi ( Literatura – Auto ajuda); Iolanda Brazão (Literatura –Dramaturgia ); Flávia Cardin Salgado (Artes Cênicas) e Alair Nepomuceno (Menção Honrosa - Comunicação) que vai tomar posse na ALAM em 2015 . ALAM é o orgulho e o maior Patrimônio Cultural de Mesquita!


Nesse turbilhão de emoções estampadas nas faces de todos os profissionais laureados na Baixada Fluminense.Os atores culturais mesquitenses vivenciam as duas fases das faces da máscara do teatro (alegria/comédia X tristeza/drama), ou seja, a classe de artista do município de Mesquita está convivendo com o conflito paradoxal de suas emoções. Ora os seus talentos, aptidões e seus valores culturais são contemplados e exaltados por toda a baixada e ao mesmo tempo são desvalorizados e excluídos pela gestão governamental e nada democrática. Pois,hoje essa classe sofre uma verdadeira tragédia, mediante um extremo absurdo de abuso de poder na arbitrariedade do Decreto n° 1546 de 21 outubro de 2014 publicado nos “Atos Oficiais do Jornal de Hoje”,onde concede “Cessão de Uso do imóvel público e administração do Centro Cultural Mister Watkies, localizado na rua Barão de Mesquita,57,Centro,Mesquita/RJ, que será inaugurado em dezembro de 2014, exclusivamente para fins pedagógicos da Secretaria Municipal de Educação.Mas, a classe artística não se deu por derrotada e uniu forças com o Conselho Municipal de Cultura, juntamente com o Secretário Municipal de Cultura Douglas Muciolo e a vereadora Cris Gêmeas .É triste saber que eles são os únicos gladiadores que estão lutando para vencer esse desafio e regatar o Direito Constitucional e legítimo ao acesso de uso comum e posse do espaço público (Centro Cultural de Mesquita) para todos os cidadãos mesquitenses e a adjacências. Atenção senhores governantes de Mesquita um povo privado de exercer sua cidadania, sua arte, sua cultura, sendo excluído pela elite dos letrados, pode pedir um impeachment no legislativo e no judiciário! Porém acreditamos que o nosso prefeito Gelsinho como todo bom guerreiro Hobin Hood, e um talentoso artista, mágico ou malabarista vai devolver o que é de Direito do povo e sancionar uma gestão compartilhada entre a Cultura e a Educação. Nós artistas e cidadãos mesquitenses agradeceremos! Mas ainda não acabou: Ontem (19)a nossa confreira o poetisa e escritora Lydia Mendes Santana representando ALAM, foi uma das grandes homenageadas pela luta "contra o racismo",promovido pela Prefeitura de Mesquita,através da Secretaria de Mobilização Social e de Direitos Humanos. Eu fui a madrinha dela nesse evento. Mais ouro e louros para ALAM.

Flavia Cardin Salgado

22


SOBRE IDAS Fomos... Sem poder ir, querendo ir e deixando o sopro de vida num lugar tão remoto e perdido na latitude sul. O corpo foi. O coração ficou, e esse coração, tanta falta faz. No "lá" tantos outros corações existem, mas corações sem aquela ternura no abraço, sem aquele amor que transborda daqueles graúdos olhos castanhos, sem aquela doçura daquele dar de mãos daquela mão tão queimada do Sol de onde sempre é verão. Fui. Querendo ir e querendo ficar. Ficar pra mais um café da manhã com torradas de pão doce. Ficar pra conversar sobre a noite, o luar, o céu, as guerrilhas existenciais, os ventos do final de setembro, o almoço de amanhã, a comida dos coelhos; Ficar pra me lembrar da bênção, pra ver teu sorriso, pra ter teu abraço; Ficar pra falar asneira, pra caçoar dos deuses e da vida. Fomos. Querendo ficar. Fomos e deixamos os pincéis, as tintas, os sorrisos amarelados; Deixamos o calor; Deixamos o Sol e agora somos só linha transoceânica ligada por amor. Havia ido.


NOVIDADES Meus amigos e minhas amigas é uma alegria imensa poder dividir com vocês este espaço, e poder falar de tudo que rola no meu programa. O programa a cada dia que passa vem passando por transformações, e está cheio de novidades: Quadros novos para janeiro Canal 6, bailarinas, assistentes de palco, e muito mais. Agora chegou a hora... Quer participar do programa “AQUI VOCÊ É A ESTREALA” com Jéssica Trigo? Então vamos lá: Mandem e-mail, com fotos e contatos, para minha produção dizendo porque você merece uma transformação ao vivo? Ou para o programa “Aqui Você e a Estrela na Minha Casa”. Mais lembrando, que só poderá participar de um quadro por vez. As três respostas mais votada, receberá da minha produção o convite por email, para participar do programa contando sua história. Você ainda poderá aparecer aqui, na minha Coluna. 24


Bem, apresento agora as modelos aprovadas no concurso: Bruna ,Fernanda, Mayara , Brenda , Emilly, Junto com elas as assistente de palco Vitoria Freitas e Sthefany Vidal . E Você quer o Programa Aqui Você e a Estrela Fazendo toda cobertura do seu evento com estas lindas modelos ? Ligue e fale com a produção. Contatos: 021-987018743 / 021-997801375/


OPINIÃO Nestes tempos em que parece que tudo já foi dito e feito, é bom tomarmos muito cuidado com as nossas ideias originalmente "geniais"... E até que se prove o contrário, originais. Como temos as facilidades da web, não custa nada pesquisarmos para saber se alguém já não teve as mesmas ideias. Bem recentemente aconteceu comigo algo meio frustrante: compus um texto inicialmente "genial", na minha secreta opinião, pela suposta originalidade na construção vertiginosa do mesmo. Feliz da vida, mas responsável, decidi pesquisar. Não demorei a me surpreender com a constatação de que o texto, embora fosse original na escrita, ou na redação, tinha o mesmo engenho de um poema já famoso. Não houve plágio nem cópia, mas a construção de minha escrita fazia lembrar o poema famoso do qual estava esquecido havia tempo... Mas habitava o meu inconsciente. Ler ambos os textos era como ouvir as músicas Esqueça, de Roberto Carlos, e Pense em mim, gravada pela dupla sertaneja Leandro e Leonardo. Ou assistir ao clássico mundial O mágico de Oz e à minissérie brasileira Hoje é dia de Maria. À eterna escolinha do Chaves e a também eterna escolinha do Professor Raimundo. Cada qual com seu texto e construção; recursos universais. Sem cópias ou plágios; porém, todos bebendo em fontes parecidas. Pondo carnes diferentes em esqueletos semelhantes. Pela consciência de não ter copiado nem cometido plágio, publiquei o texto. No entanto, me senti mal. Desconfortável. Não demorei a retirar. Devo desconstruí-lo, tirar da forma em comum, reconstruí-lo e criar um esqueleto próprio para suas carnes. Toda alma reclama um corpo seu. Somente seu.

26


V Encontro de Poetas do Portal Brasileiro. Rio de Janeiro

PRESIDENTE ALINE ROMARIZ


A POESIA INVADIU O RIO DE JANEIRO Aconteceu na Cidade do Rio de Janeiro nos dias 17,18 e 19 de outubro de 2014, o V Encontro de Poetas do Portal Brasileiro. A cerimônia de abertura e posse de novos membros da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro que conta atualmente com (109) cento nove membros, incluindo poetas de Portugal e Itália, aconteceu na ALERJ. Foram várias as atividades realizadas: Os poetas subiram o Morro Dona Marta e lá contaram histórias, declamaram poesias, e seguiram inovando com a Poesia na Bandeja na praia do Arpoador e Ipanema, oferecendo as pessoas que por lá passeavam uma bandeja com poesias escritas, e ainda o Sarau noturno na orla da praia. Poetas de vários estados estiveram presentes, na fotos o almoço de confraternização com a Presidente Aline Romariz (Alagoas) Vice-Presidente Ana Stoppa (São Paulo) e o Diretor Cultural David Seade Neto com poetas participantes e a colunista Gisele Lemos que é também membro da ANLPPB. A POESIA encantou, seduziu e conquistou novos adeptos.

28


ENTREVISTA P.F- Maestro Stefan, como se desenvolvera seus estudos musicais? Stefan - Comecei com a flauta doce com quatro anos de idade. Como sempre acompanhava o meu irmão para as aulas de piano, perguntava a minha mãe porque eu não podia aprender musica também. Assim comecei estudar com a Prof.ª Ingrid Preuss flauta doce, e depois com seis anos , o piano. Participando do grupo de flautas do Colégio Cruzeiro, fizemos uma tournee no Rio Grande do Sul, onde vi a apresentação de uma Orquestra Jovem. Voltando para casa, já tinha um desejo: aprender violino. E com oito anos tive a primeira aula com o Prof. Jose Alves, na Escola Villa-Lobos. Os anos passaram, varias apresentações vieram, cursei o curso técnico da Escola de Musica UFRJ e depois de 10 anos de aprendizado com o Prof. José Alves, fui selecionado para fazer a faculdade de musica na "Musikhochschule Köln, Abt. Wuppertal" na classe do Prof. Johannes Prelle. P.F- Quando jovem se apresentou como solista da Orquestra Sinfônica Brasileira e posteriormente ingressou na Orquestra Sinfônica Jovem da Funarte.Como você lidou com essa precocidade musical?


Stefan - Solar com a Orquestra Sinfônica Brasileira nos Concertos da Juventude em 1991 foi um sonho realizado. A primeira apresentação com uma orquestra no Theatro Municipal do Rio de Janeiro lotado, jamais será esquecida. Lembrome ate do nervosismo inicial. Mas tive a sorte de ter o Maestro David Machado como regente, o Prof. João Daltro como spalla e meu Prof. também tocando na orquestra para me tirarem o famoso "medo do palco". E através do Maestro David Machado ingressei na Orquestra Jovem da Funarte. Minha primeira peca: Quinta de Beethoven,foi difícil acertar todas as notas, mas ainda bem que recebi um ajuda enorme de todos os integrantes. Como se pode ver nos dois exemplos: sem a ajuda dos companheiros músicos, tudo isso não teria sido possível. É muito bom saber que alguém acreditava em um jovem no começo de carreira. P.F - Como foi o processo seletivo para seguir seus estudos de Graduação na Alemanha? Stefan - Através de uma família de músicos de Wuppertal, conheci o Professor Johannes Prelle que me incentivou para fazer a prova de aptidão para a "Musikhochschule Köln, Abt. Wuppertal". Depois de estudar bastante, principalmente teoria musical em alemão, fiz a prova e de 40 candidatos, fiquei entre os seis primeiros. P.F- Já formado em musico de performance, violinista e violista, como surgiu o interesse pela área da regência orquestra?Comente como se dissolverá nesta nova trajetória? Stefan- O interesse pela regência veio antes de ter estudado viola. Eu tinha que estudar outras claves musicais, e optei por fazer no método que mais funciona: o prático. Comecei a estudar viola para aprender a clave de Do, e este foi o início da minha aventura com a viola. Fui solista com varias orquestras,mas a vontade de reger sempre esteve lá no fundo, ate aparecer à primeira oportunidade (com um coral bem pequeno, mas bem interessado). Depois desse desafio, fiz vários cursos e comecei a ter oportunidades de reger orquestras. E assim foi começando a aventura seguinte.

P.F- Junto da carreira de regente, você obteve grande êxito como professor de musica em escolas de musica, onde havia alunos que visavam o interesse em estudar profundamente a musica,e em colégios que a musica fora uma matéria obrigatória. Como foi trabalhar nesses distintos campos conciliar o interesse dos jovens para a musica clássica.Você trabalhou também com o processo da globalização musical.Como levou a musica brasileira aos jovens alemães? 30


Stefan - Dou aula na Escola de Musica de Neukölln e sou o coordenador do setor das cordas e orquestras. Preparo alunos (apenas violas) para as provas de aptidão para as "Musikhochschule" na Alemanha inteira. Vejo vários jovens com muito talento, mas que não querem entrar para uma faculdade.Há ainda, alunos que "são forçados" a ter aulas (ou pelos pais, ou pela escola). Ai entra a pergunta: se você quer aprender musica, tem que ser apenas a clássica? Existe a possibilidade de se aprender qualquer instrumento sem precisar aprender musica erudita? Hoje em dia é possível encontrar alunos aprendendo violino para tocar "musicas de filmes" ou Rock/Pop. Existem também varias musicas infantis brasileiras que eu fiz arranjos para as orquestras de iniciantes, utilizada principalmente quando o tema do ensaio era ritmo. P.F - Em que ano fundou a MSO Neukölln?Como a organizou e quais foram os critérios para os jovens ingressarem neste grupo? Stefan - A MSO Neukölln existe ha três anos. Como o bairro de Neukölln não tinha orquestra, os jovens tinham que ir para outros lugares para tocar em orquestras. Através da escola de musica de Neukölln, fundei essa orquestra exatamente para os estudantes, amadores e amantes de musica tivessem um lugar em Neukölln para tocarem juntos. No repertorio temos as 4 estações de Vivaldi, a Sinfonia Nr. 3 de Mozart, a Sinfonia Nr. 1 de Beethoven etc. O aluno mais novo dessa orquestra tem 11 anos e me lembra muito um garoto no Rio de Janeiro na década de 90 que começou a tocar na orquestra jovem. E o mais velho tem quase 50 anos. Atualmente sou maestro e diretor artístico da Kammeorchester Festival Schloss Britz (Berlin-Neukölln). P.F - Na função de diretor artístico e maestro principal da Orquestra Sinfônica Jovem de Schwerin,como você analisa o cenário da musica clássica europeia e brasileira.O que poderia melhorar nesse processo de globalização da cultura da musica clássica, no Brasil e os demais países do mundo? Stefan - Infelizmente , não tenho muito contato com a atual musica brasileira, já que moro na Alemanha ha 20 anos. Como diretor artístico de uma Orquestra Jovem, tenho tido dificuldades de encontrar partituras brasileiras aqui na Alemanha. Realmente é mais fácil você encomendar uma Sinfonia de Beethoven no Brasil, do que encomendar uma peca do Ernani Aguiar, Lourenço Fernandez, Alberto Nepomuceno, Carlos Gomes, Edino Krieger, Camargo Guarnieri entre outros. Villa Lobos existe a possibilidade de se encomendar, mas é difícil achar varias peca. A Internet melhorou um pouco a comunicação, mas a troca cultural ainda é muito pequena.


Uma das ultimas peças tocadas pela a orquestra jovem de Schwerin foi a Danzon Nr. 2 de Marquez. Uma peca que realmente alcançou um sucesso mundial e foi muito bem tocada pelos jovens alemães. Foi apenas difícil aprender o ritmo mexicano. Para o processo de globalização seria ótimo se houvesse um intercambio cultural maior entre os países e não apenas entre uma ou outra orquestra. O melhor exemplo para um intercâmbio que deu certo é a West-Eastern Divan Orchestra (diretor: Daniel Barenboim), onde jovens músicos de Israel e do Oriente Médio se comunicam e aprendem a respeitar um a cultura do outro.A única coisa que ainda não mudou muito no Brasil é o financiamento da cultura. Orquestras jovens que não tem mais verbas, a Rádio MEC fechando, músicos sem receber salários. Investir em cultura é o melhor investimento a médio e longo prazo que existe. Olhem um pouco para a Venezuela e para o "El Sistema". Se a Venezuela pode, por que o Brasil não pode também? P.F- Como musico brasileiro, você pensa em reger também uma orquestra no Brasil? Stefan - Com certeza, eu gostaria muito.

32


A TV Comunitária de Duque de Caxias

é um canal de TV local, formado por associações e entidades sem fins lucrativos, Terceiro Setor, e tem existência garantida pela: Lei n° 8.977, de 6 de janeiro de 1995. Caracterizada por uma produção de vídeos educativo -culturais para exibição em circuito fechado ou em praça pública.Ela surgiu para trazer entretenimento , além de retratar a cultura, a identidade e os interesses da localidade. Este Canal Comunitário, é administrado por várias entidades, entre elas ; Sindicato dos Bancários da Baixada, Feuduc, SINDPETRO Duque de Caxias, Associação das Bibliotecas Comunitárias de D. Caxias, Banco Comunitário de Saracuruna, SEPE, ACDUC (Ass. Carnavalesca de Duque de Caxias). A TV CAXIAS chegou para transformar sonhos em realidades.Muitos são os projetos e metas a serem alcançados, entretanto, o desafio é transmitir a programação via Internet com programas ao vivo e gravados. Assim por entre muitas lutas, perdas e conquistas ,Fábio Gonçalves, Carlos José Santana ,Murilo Detogne, seguem juntos, superando seus limites, lutando sempre em benéficio da comundidade, neste trabalho árduo , porem muito gratificante, de incentivar a criação e o desenvolvimento de progrmas com fins culturais, educacionais, e desta forma levar entretenimento, educação e informação para a comunidade.Por isso, a TV Comunitária de Duque de Caxias é “Uma Caxias de surpresas”.


POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA : LULA E DILMA

http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Itamaraty.jpg

Em momentos de intenso debate pré e pós-eleitorais muitos brasileiros colocam-se na discussão de temas de segurança, saúde, e educação na busca de avaliarem propostas políticas e perspectivas que atendam aos interesses gerais da população, contudo nada se ouve sobre política externa, e menos ainda comenta-se acerca dela, pois para diversas pessoas ela não é importante, e parece não ter utilidade para a sociedade brasileira. O Brasil possui grande tradição no âmbito de política externa, e seu objetivo preza pelo interesse nacional a fim de projetar sua imagem, e de dar voz ao país no cenário internacional. No decorrer da história do Brasil vários governos souberam fazer uso deste mecanismo, mas o governo Lula conseguiu sobejar êxito e transformar o modo de atuação do país em âmbito externo. O principal motivo de sucesso pode-se observar na mudança ideológica na política externa, onde se verifica a troca de uma filosofia liberal, durante o governo FHC, para uma de caráter socialista que possui uma concepção de liberdade que envolve a luta de classes. No contexto internacional o governo Lula buscou implementar políticas de aproximação com os países africanos, tentou liberalizar o comércio agrícola na Rodada Doha, em 2003, insistiu na formação da Unasul, promoveu o diálogo entre os Estados do IBAS, e argumentou sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU. O objetivo era correlacionar à política externa com a cooperação Sul-Sul, e deste modo expandir a atuação brasileira no mundo e contrapor-se aos entraves internacionais.

34


Durante o governo Lula o Brasil teve uma política externa ativa, sobretudo pelo uso da diplomacia presidencial, que forjou boas estratégias, e manteve-se nos limites da realidade político-econômica que favoreceram ao crescimento e ascensão do país, contudo o mesmo não pode ser dito pelo governo Dilma. O governo Dilma comprometeu-se, em 2010, a manter os pilares do governo anterior por meio da valorização da política externa no projeto de desenvolvimento nacional, fortalecer as relações com a África, a integração latino-americana, e a busca pela reforma de organismos multilaterais, contudo no decorrer do mandato as ações vistas foram praticamente nulas. Vê-se favorável a ênfase de continuidade na cooperação Sul-Sul por meio do impulso na estratégia dos BRICS, e as atitudes contra a política de espionagem dos EUA, entretanto os projetos regionais como o MERCOSUL e a Unasul não avançou, e a política de expansão para a África não despertou nenhum entusiasmo. A política externa de Dilma tem característica de ser inativa, e apesar de manter metas semelhantes do governo Lula ela mostrou-se insatisfatória na esfera política, e não demonstrava sinais de expressividade econômica, pois, diferente de Lula, Dilma valorizou mais o aspecto ideológico do que o realista e estratégico, a exemplo do acordo unilateral com Cuba, que não é um país comunista, e sim uma ditadura, para o programa Mais Médicos, que possivelmente trouxe maiores dificuldades na percepção e formulação de novas estratagemas internacionais. Em meio à ascensão de um novo governo os brasileiros devem mostrar-se atentos as perspectivas futuras, a saírem do óbvio, e se afastarem dos embates inúteis, pois a grande questão posta ao país é: como alcanço o equilíbrio? Para tal questionamento lembram-se as palavras de E.H.Carr em seu livro Vinte Anos de Crise (1919-1939): “A ciência política tem de ser baseada no reconhecimento da interdependência da teoria e da prática, que só pode ser atingida através da combinação de utopia e realidade.” (p.20)


36


Uma verdadeira homenagem à cultura popular brasileira! 13 atores, 12 músicos, composições musicais de Chico Buarque com a belíssima orquestração pelo nosso maestro Cyrano Moreno Sales. Um espaço aberto, um grande espetáculo! Teatro popular, folclore nordestino, musica e literatura se juntam para contar uma história forte e marcante, numa grande crítica e uma reflexão sobre a essência do nosso povo! 21, 22, 23 de Novembro - 18H30 (XIV Mostra de Teatro da UFRJ) Campinho - UFRJ Campus Praia Vermelha! Mais informações na nossa página: www.facebook.com/morteevidaseverinaufrj Com Thiago Prado, Sandra Incutto, Roni Cruz, Sebastian Junior, Rebeca Abdo, Vinicius Domingues, Débora Rodrigues, Giselda Prado, Mara Souto, Bayron Alencar Luiz Alfredo Montenegro, Alfredo Garcês, Giuliano Dino Coelho, Preparaçao Corporal: Natty Silva e David Abreu. Cenografia: Guilherme Ribeiro Assistência:Luziana Eleutério, Vanessa Alves, Renata Moreira Figurino: Gustavo Fernandes, Anne Carestiato e Ignez Quintella. Visagismo e bonecos: Ivete Dibo. (em breve os nomes da nossa orquestra popular!) — com David Abreu, Luiz Alfredo Montenegro, Sebastian Junior e outras 12 pessoas em UFRJ - Campus Praia Vermelha.


Meu bebê está de Mudança? Gisele Sant' Ana Lemos- Psicóloga Prezados leitores, convidada a falar sobre o tema: “Meu bebê está de Mudança? da Creche a Pré-Escola” que é um tema considerado importante diante das modificações emocionais vividas pelos pais, nesse momento em que seus filhos saem de uma creche e vão estudar em outras escolas maiores, resolvi transpor o texto dessa palestra nessa coluna. Hoje a angústia permeia nossas vidas em temas escritos em jornais, televisão e no contexto social o qual pertencemos. No atual cenário nacional, acabamos de eleger novos candidatos a Governador do Estado e o cargo de Presidente do país. 38 .


O tempo todo nós nos deparamos com as modificações de vida, trabalho, moradia e as questões mais familiares e pessoais como quando lidamos com os nossos sentimentos e relações afetivas: nascimento, desenvolvimento, crescimento, integração social e com os relacionamentos afetivos, por fim, vida que nos permite e a morte que nos limita. Como diria o poeta João Cabral de Melo Neto: Tecendo a Manhã Um galo sozinho não tece uma manhã: ele precisará sempre de outros galos. De um que apanhe esse grito que ele e o lance a outro; de um outro galo que apanhe o grito de um galo antes e o lance a outro; e de outros galos que com muitos outros galos se cruzem os fios de sol de seus gritos de galo, para que a manhã, desde uma teia tênue, se vá tecendo, entre todos os galos. E se encorpando em tela, entre todos, se erguendo tenda, onde entrem todos, se entre tendendo para todos, no toldo (a manhã) que plana livre de armação. A manhã, toldo de um tecido tão aéreo que, tecido, se eleva por si: luz balão. Somos unidos nessa espera e expectativa de mudanças de vida. Até poucos dias o bebê era guardado na barriga materna quentinha e quando nasceram? “Já estavam aguados por essa poesia que é o viver”. Mas todos necessitamos trabalhar e as creches vieram para auxiliar as mães. E agora, ao confiarmos nossos filhos à creche eles cresceram e vão passar para outro seguimento da escola. E boas mudanças virão e com certeza faremos novas perguntas nessa nova fase de vida de nossos filhos. Na espera que tragam suas questões à vida familiar e ao futuro da família. Sim, quando o novo comportamento acontece, por vezes nos surpreende, mas vamos refletir: não é assim que acontece o tempo todo conosco? Quando o bebê esboçou um sorriso ou disse a sua primeira palavra, a sua alegria, mães e pais, não foi surpreendente? E quando ele engatinhou pela primeira vez e deu os seus primeiros passos? Tudo no crescimento é uma surpresa agradável.


Mas também vocês observaram as mordidas e agora virão os tombos, sim, isso é uma constante nas novas situações de vida, andar com agilidade, correr, girar, pular, dar cambalhotas é o futuro e tudo é uma nova adaptação. O corpo no espaço, solto, livre e com limites, curiosidades. Claro, os limites são necessários em qualquer fase de vida de uma criança. Na creche foi o primeiro local de acolhimento de seu bebê e assim ele já passou dessa fase, mas agora ele irá sair dessa casa e irá para outro segmento da educação infantil e escola, mudará o seu ambiente social. Mas você poderá perceber que nem sempre é tudo tão difícil. Tudo é uma crescente. Como uma nota musical que vai do dó ao dó, temos que verificar com carinho as vozes e as nuances de cada um, do agudo ao grave. Vejamos nossas mãos, um dedo jamais será igual ao outro e é com essa diversidade que a escola trabalha na formação de seu filho. Na educação o reconhecimento de cada indivíduo como o único que vai sendo inserido no grupo social e a uma nova turminha. Na nova fase de sua vida, devemos comemorar sua socialização, e também nos despedirmos da antiga creche. É uma nova história de confraternização que virá para todos os familiares. É chegada uma nova e boa etapa. Sim, os bebês, estão mudando de casa. (fase) A vida vai aos poucos tirando o nosso sono e trazendo outros sentimentos? As novas alegrias do viver e os constantes entre laços com os novos amigos e novos profissionais virão a seguir, bem como deixarão de serem eles os bebês, e serão chamados por seus nomes por seus próximos amiguinhos. Os meninos e meninas cresceram. E assim formarão uma nova turminha. Numa nova fase de vida e ciclo social. E como antes nossos bebês que saíram da um ambiente úmido para a terra e ar e hoje já aprenderam a pedir água ou a falar com o olhar, engatinhar, andar, apalpar, pegar, comer, explorar os mundos inseridos em sua sala de aula, seus brinquedos, brincadeiras, jogos, cantar, rodar, tocar instrumentos, aprender a ler e sim, respeitando cada um, por que cada criança tem o seu limite e possibilidades. Cada criança no seu tempo de aprender e ritmo. Eles estão crescendo e desenvolvendo e nós pais e educadores responsáveis, iremos acompanhar as novas modificações e fases necessárias ao agregar valores, informações de nossa cultura diversa. Por que vivemos num mundo globalizado e cada vez mais integrado com os problemas alheios. 40


Estamos inseridos no contexto social e buscamos a comunicação global no entendimento de fazer o ser humano feliz, livre de preconceitos e com valores humanitários, onde há comunicação e solidariedade. E assim o seu filho cresce com discernimento e atitudes como um ser humano reflexivo. E Isso nós chamamos de crescimento integrado ao novo. Integrados a essa angústia comum a todos os pais com um monte de perguntas acompanharemos de longe a nova formação de seus filhos, com a tranquilidade de que tudo ficará bem e será resolvido. E para a nova acomodação e aprendizagem, constantes serão as nossas atitudes e ações em prol da alegria e felicidade de tê-los conosco nessa segunda jornada na escola. Sabedores que todos os questionamentos abordados durante todo o ano serão bem-vindos e respondidos há seu tempo. Então seguiremos em frente com ações propositivas e produtivas. Aguardaremos a nova fase de seus filhos com questionamentos e com certeza virão e também muitos os “nãos” que eles vão repetir, por que ouvirão muito essa palavra de vocês. “Não!” Ele correrá e descobrirá o que pode e não pode fazer, com a sua ajuda nós ensinaremos regras e os limites para sua independência. Educar é um ato de liberdade. Nem todos os comportamentos, temos as respostas prontas, mas somos educadores, pais, profissionais responsáveis e pessoas observadoras. Comunicaremos o que necessitamos aprender e saber. Para cada vez mais com o outro e junto com vocês, nosso trabalho seja integrado e por isso acolheremos as suas dúvidas. Seguiremos com nossas vidas e trabalhos, vivenciaremos com os seus filhos o crescimento e o desenvolvimento futuro. Agradecemos por termos vivido com seus filhos o primeiro momento de vida social. É com muito orgulho que eu faço parte desse momento especial em suas vidas.

Agora vocês serão acolhidos e bem recebidos pelos outros profissionais que virão. Estamos muito contentes com tudo isso e agradecemos a sua presença. Eu espero poder ter auxiliado vocês nessa fase de transição e como uma porta nova que se abrem cito o poema de minha autoria: Abrem-se Abrem-se as portas Adentrando frestas As janelas sorriem Há gosto no mundo Onde o tempo É o humor das ventanias.


Paulo Botica,

nasceu dia 17 de outubro de 1966 em Lisboa, Portugal. Ainda jovem, o futuro médico já apresentava um brilho especial, aluno aplicado, destacava-se por onde passava. Em 1986, Paulo veio residir no Rio de Janeiro, com determinação prestou vestibular,onde fora aprovado em Medicina na Universidade do Rio de Janeiro (UNIRIO) , e em 1992 ingressou na Escola de Medicina e Cirurgia ,aonde concluiu a licenciatura. Já formado em clínica geral no Brasil, o jovem medico é aprovado em primeiro lugar em cirurgia geral na Residência Medica da Clínica do Hospital Universitário Gaffrée Guinle da Universidade do Rio de Janeiro (UNIRIO) ano de 1993. Mas o jovem médico tinha outras aspirações, fazer extensão na área de cirurgia plástica ao mesmo tempo que dedicava-se a residência no Instituto do Câncer INCA, entre 1996 a 1999. 42


Com a formação solida, nosso medico estudou no Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, em 1993 e 1994 cirurgias relacionadas ao aparelho digestivo(esôfago, estômago duodeno, pâncreas e vias biliares), participou do Curso Integrado dos Serviços Integrados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica em 1996 e 1997, no Colégio Brasileiro de Cirurgiões, onde apresentou diversos trabalhos científicos como autor e coautor para XII, XIII Jornada Cientifica do Hospital Universitário Gaffrée Guinle, VII Jornada Científica do Hospital Geral de Jacarepaguá, II Fórum Avançado de Mastologia e IV Curso de Atualização em Mastologia do Instituto Fiocruz , II Encontro dos Serviços Credenciados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica do Rio de Janeiro, além dos XXXIII, XXXIV e XXXV Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica. Em 2000 é aprovado em primeiro lugar no Concurso Publico para o Município do RJ em cirurgia plástica . Em 2002 após o aproveitamento no de sua tese Nódulos Mamários Benignos em pacientes Jovens, Botica ascende a Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em 2004 recebe o a Moção Honrosa pela Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro e o reconhecimento como membro titular em Cirurgia Plástica do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Em 2005 e empossado como Membro Ativo na Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Internacional Society of Asethetic Plastic Surgery) nos Estados Unidos. Doutor Paulo Botica atualmente compõe o quadro de cirurgiões médicos do Hospital Publico do Andaraí e possui duas clínicas no Brasil e uma em Portugal. Com coração e dedicação aos brasileiros, portugueses e leitores da Revista Encenação, ele nos traz em sua reportagem a visão de sua carreira médica, do país e sua vida. Priscila - Dr. Paulo, quais são os procedimentos metodológicos para uma cirurgia? Doutor Botica - A preparação para uma cirúrgica pode demorar de duas a três horas, pois o paciente deve ser previamente preparado para a mesa cirúrgica. Tais procedimentos englobam a anestesia,colocação da sonda entre outros procedimentos que requerem também o tempo de resguardo do corpo do paciente e a devida preparação da equipe medica. Priscila - O senhor acompanha o paciente após as cirurgias? Doutor Botica - Sim, principalmente as mais delicadas e de difícil recuperação.


Priscila - Quanta cirurgia realiza ao longo do dia? Dr. Botica – Duas. Priscila - Seu trabalho no Hospital Universitário Gaffrée Guinle fora muito notável. O que isso contribui para sua carreira medica? Dr. Botica - O Hospital do Gaffrée proporcionou muitas gratificações, pois lá realizei minha pós, como aluno aperfeiçoei na cirurgia digestiva, alem de contribuir com pesquisas cientificas nos Congressos oferecidos pela instituição e o amadurecimento profissional ao lidar com o grande público. Como medico e pessoa, o hospital também representa um trabalho de cunho publico social muito edificante e gratificante para minha carreira e de todos os meus colegas médicos . Priscila - Com sua formação sólida, como analisa o campo da cirurgia plástica no Brasil. Dr. Botica - O campo de cirurgia plástica no Brasil corresponde ao segundo maior do mundo, após o primeiro lugar que são os EUA.Trabalho em clínicas particulares e hospitais públicos.No Brasil procuramos sanar as dificuldades da melhor maneira possível,pois muitas vezes deparamos com situações limitantes.No caso das cirurgias de mamas,reposição mamaria para mulheres que perderam os seios vitimas de câncer,são temas que tratamos com muito zelo.Quando não ha prótese oferecida pelo governo e a paciente possui uma gordura abdominal,refazemos o órgão extraindo dessa parte do corpo.Assim também são os procedimentos de reconstruções causadas por tumores e deformidades a serem corrigidas. Deve a equipe estar sempre atenta aos devidos procedimentos. Priscila - Como o senhor analisa sua carreira medica e docenteDoutor Botica - A minha carreira de medico e muito gratificante. Dediquei muito aos estudos e acredito que e muito importante estar em um centro de formação acadêmica cirúrgica.Compartilhar o conhecimento com os residentes , futuros médicos que irão auxiliar em diversos tratamentos e levar a cura, é um fato muito importante para aquele que deseja ser medico ,e salvar vidas.

44


DILATAÇÃO A VIDA COMO ELA É...


Substantivo feminino que significa aumento de volume, ampliação, desenvolvimento, expansão. Com 41 semanas e seis dias precisamos da interferência da dilatação induzida através de medicamento... De imediato, senti o calor de sua grande mão me dizendo "o norte". Logo, retornaram as dores das contrações de ensaio que tivemos ao longo da gestação e o reconhecimento foi motivador. Cerca de 3 horas depois, se intensificaram, porém, suportáveis. Olhava dos olhos dele que me sorria mostrando empoderamento momentâneo. Mais outro bloco de horas e outras dores divinas com ele conversando com a nossa prole estimulando o marco. Troca de plantão e tentativa de cesariana, mas negativa nossa e mais uma dose de medicamento. Transito de santa à mulher com dores humanas. Ele me apoia e incita repetitivas chuveiradas quentes, caminhadas e massagens nas coloridas bolas macias... As aberturas se fazem com colo do útero com 90% de apagamento e cinco de dilatação. Passam as horas e a noite fria e intensa chega. Descontrole cansaço e dor, mais dor. E mais amor também... Lágrimas dele, oração nossa. Extrema confiança minha depositada nele. Outro plantão e tentativa de violência obstétrica com cesariana sem consentimento. Ele outra vez, firme impõe respeito à nossa família que escolhe ser sujeito da ação. Mais dores e amores e, mais amores e dores. Resistência. Estacionamento do trabalho de parto, bebê macrossômico, possibilidade de aspiração de mecônio e... Outro plantão sugerindo Cesário. Decisão emocionada e assertiva. Ok, vamos lá, estamos prontos. Com a certeza de que dilatamos muito mais de cinco na escala da entrega! Sim, grande aumento de volume, ampliação, desenvolvimento e expansão não para um parto normal. Mas sim, para toda uma vida que se inicia sem adjetivos já criados pela Língua Portuguesa. Nosso maior casamento veio nessas 32 horas de trabalho de parto, sem dúvida. Salve!

Adriana Rolin

46


REVISTA ENCENAÇÃO Revista Encenação – Pág 01 Novembro 2014 Nossa Capa: De.Paulo Botica

A todas as pessoas envolvidas na produção nossos agradecimentos Nas próximas páginas... 02 - Editorial 03 - Homenagem 04 - Fernando Naviskas 07- O gênio do cinema francês 09- Viajando em sabores 11- Açaí 12- Poesia em cena 15- Excertos da literatura 16 -Falando de cultura 17 -Perdas na literatura 19 -Ditados Populares 20 -O ouro da Baixada 23 -Mini conto 24 -Jéssica Trigo 26- Opinião 27 - Portal Brasileiro 29 - Entrevista 3 3- TV Comunitária 34 - Relações Internacionais 36 - Teatro 38 – Prosa de Psicóloga 42 – Médico...Obrigado! 45 – Dilatação 47 – Expediente 48 – Contra capa

Uma publicação De N.F.S CNPJ – 14.215.207/0001 – 98 Inscrição – 33 - 8 -0772661 - Edição de Revista e Jornais – ME Endereço: Administração,Redação, e Publicidade. Rua Cel. Francisco Soares 76 – Grupo 301 – Centro – Nova Iguaçu Idealizadora: Iolanda Marta Brazão Protázio

Jornalistas Responsáveis: Nildo Faustino Dos Santos Mtb RJ - 85 faustino.perfildanoticia@gmail.com Durval Meirelles Coelho Mtb RJ – 26667 durvalmeirelles@gmail.com Diagramação e Capa: Paulo Vieira Reportagem: Flavia Cardin Iolanda Brazão,Priscila Farias Géssica Trigo,Geórgia Aguillar Colaboradores: Gênesis Torres Pablo Protázio,Bruno Veillard,Gisele Lemos,Lorena Brazão, Vicente Freire Fotografia: Patrícia Munique De Lucena Da Silva

47


Revista novembro 2014  

REVISTA ENCENAÇÃO - Um passeio enriquecedor para mente e para coração! Onde a literatura, a música,a ciência, artes, teatro, passeiam de mão...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you