__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Revista

Editora Pública do Estado do Pará Dalcídio Jurandir Belém - Pa, 24 de agosto de 2020


EDITORIAL

2

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

A aventura de valorizar os autores paraenses e a nossa literatura

H

á um ano, no dia 24 de agosto de 2019, o governador Helder Barbalho assinou o decreto que estabeleceu a política pública de publicação e edição de livros. Com esse decreto foram criados critérios objetivos para a publicação de livros e instituída a Editora Pública do Estado do Pará Dalcídio Jurandir, coordenada pela Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa).

A construção do decreto, dos critérios para publicação e da editora foi um trabalho iniciado assim que fomos nomeados para a presidência da Imprensa Oficial. Um trabalho desenvolvido por uma equipe, que se dedicou a conhecer a experiência realizada pela Ioepa, as iniciativas de outras Imprensas Oficiais no Brasil e a mergulhar na rica tradição de nosso Estado na revelação de talentosos escritores. Nessa aventura que embarcamos, na valorização dos autores paraenses e de nossa literatura, foram lançados 29 títulos novos e republicação de importantes obras. A Editora Pública do Estado do Pará teve importante participação na 23ª Feira do Livro e das Multivozes, realizada pela Secult, tanto na edição de Belém, quanto em Marabá e Santarém. Com lançamentos de livros, espaços para contadores de histórias, lançamento de nosso primeiro edital público de literatura, além do lançamento da própria Editora Dalcídio Jurandir. Estamos em pleno funcionamento de nossa editora, mesmo em tempo de pandemia. O nosso Edital Público está em processo de preparação dos livros para lançamento, serão 11 trabalhos inéditos, escolhidos por especialistas e espalhados em todo o território do Estado. Estamos também finalizando a seleção de outro Edital, em parceria com o Centro de Ciências Sociais e da Educação da Universidade do Estado do Pará (Uepa). Também estamos em processo de produção de outros livros, em parceria com autores e outras instituições, para mais uma vez lançar trabalhos relevantes para nosso Estado. A aventura pelo livro, na construção de uma política pública de publicação e edição completa um ano, abrindo perspectiva para se firmar como importante instrumento de valorização dos autores locais, de integração do Estado, publicando livros de todas as regiões. Sabemos que livros não mudam o mundo, mas livros mudam pessoas e as pessoas é que mudam o mundo. Dessa forma estamos contribuindo na caminhada de construção de um Estado do Pará mais justo e desenvolvido, seguindo a premissa do Governador Helder, de um Governo por Todo o Pará.

Jorge Panzera Presidente da Ioepa


3

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Trabalho em prol da literatura do Pará

A

Editora Editora Pública Pública Dalcídio Dalcídio Jurandir, ImprenJurandir, da Imprensa sa Oficialdo do Estado Estado do Oficial do Pará (Ioepa), Pará (Ioepa), completa compleum anoano de de existência, ta um existênno de 2020. Rocia,dia no24 diade24agosto de agosto de 2020. drigo Moraes, coordenador da ediRodrigo Moraes, coordenador da tora, e Moisés Alves, elaborador e editora, e Moisés Alves, elaborador coordenador e coordenadordodoEdital Edital “Prêmio “Prêmio Literário Literário Dalcídio Dalcídio Jurandir”, Jurandir”, ee resresponsável ponsável pela pela elaboração elaboração do do dedecreto creto que que criou criou aa editora, editora, avaliam avaliam esses esses365 365dias diasde detrabalho. trabalho.

Rodrigo Moraes também Moraes também lembrou lembrou o lançaomento lançamento dois um editais, um de dois de editais, em parem parceria com a Universidade ceria com a Universidade do Estado do do Pará (Uepa), valorizar buscando Estado Pará (Uepa), buscando do valorizar acientífica, produçãoecientifica, a produção outro sobe outro a total responsabilidaa totalsobre responsabilidade da Ioepa, de da Ioepa, o Edital do “Prêmio o Edital do “Prêmio Literário DalLiterário Dalcídio Jurandir cídio Jurandir 2019”, com2019”, valoricom da literária produção zaçãovalorização da produção de litenorária de novos autores paraenses vos autores paraenses com obras com obras inéditas. Para o coorinéditas. Para o coordenador da denador da Editora PúblicaDalcídio da IoEditora Pública da Ioepa epa Dalcídio tem uma Jurandir, ela Jurandir, tem umaela grande imgrande importância para o Estado portância para o Estado do Pará e Para o Governo do do Pará e para cultura, e principalParaRodrigo RodrigoMoraes, Moraes, o Governo para cultura, e principalmente para Pará deu um importante para mente paraparaense. a literatura paraense. do Pará deupasso um passo importana literatura otefortalecimento de uma de política para o fortalecimento uma pública edições publicações, política de pública de eedições e pu- “A “A editora vai se afirmando como assinando Decreto nº 272, de 24 blicações, oassinando o Decreto nº um um instrumento de fomento e de de agosto de 2019, no qual criou valorização 272, de 24 de agosto de 2019, no valorização literária do Estado do aqual Editora Dalcídio Jurandir. criouPública a Editora Pública Dalcí- Pará. Pará. O desafio agora é fortalecer “Com isso constituímos espa- aa editora pública para que ela se dio Jurandir. “Com issoum constituço paraum valorização da literatura pa- transforme ímos espaço para valorização transforme de política de governo raense”, definiu Rodrigo Moraes. para da literatura paraense”, definiu para política de Estado. Mas acima Ele ressaltou que,Ele emressaltou um anoque, de de Rodrigo Moraes. de tudo, o que considero o mais trabalho, a editora já publicou 29 importante em um ano de trabalho, a editoimportante é a forma como a edilivros, participou das feiras literárias tora ra já publicou 29 livros, participou tora estabeleceu um elo de parceria regionais da 23ª feira Pan-Amaautores paraenses; paraenses;como comosea das feirase literárias regionais e da com com os autores zônica doPan-Amazônica Livro e das Multivozes, se tornou uma referência para 23ª feira do Livro e ela tornou uma referência para quem fez lançamentos de vários livros quem faz literatura e que quer mosdas Multivozes, fez lançamentos de faz literatura e que quer mostrar que buscam resgatar a produção mundo seutrabalho. trabalho. Essas vários livros que buscam resgatar trar ao ao mundo o oseu cultural e literária dose autores a produção cultural literária pados pessoas pessoas sabem que podem conraenses, que tiveram importância autores eparaenses, e que tiveram tar tar com nossa experiência e com nacional e para o Estado do Pará, nosso importância nacional e para o Esta- nosso parque gráfico para execucomo obras “Flauta Bam- tar, do do as Pará, como as obrasde “Flauta tar, em em forma de livro, os seus sobu”, do escritor Haroldo nhos”, afirmou Rodrigo RodrigoMoraes. Moraes. de Bambu”, do paraense escritor paraense nhos”, afirmou Maranhão; “Mair –Abá – Coração Haroldo Maranhão; “Mair –Abá – de Mãe”, João do Monteiro, do Segundo Coração dedo Mãe”, João MonSegundo Moisés MoisésAlves, Alves,organizador organizasudeste e “Tupaiulân“O prêmio vai se vai transteiro, doparaense; sudeste paraense; e “Tu- do dorEdital, do Edital, “O prêmio se dia”, do historiador Paulo Rodriformando em um espaço imporpaiulândia”, do historiador Paulo transformando em um espaço imgues dos Santos, que éque uma das tante de valorização e fomento da Rodrigues dos Santos, é uma portante de valorização e fomenmais importantes obras sobre a produção literárialiterária paraense, incendas mais importantes obras sobre to da produção paraense, história e democratizando a particia históriadadacidade cidadede de Santarém. Santarém. tivando incentivando e democratizando a “Além de lançamento de várias pação de novos autores com “Além de lançamento de várias participação de novos autoresobras com obras e, de forma obras de de novos novos autores, autores, que que vão vão inéditas obras inéditas e, dedescentralizada, forma descense contemplar todas as regiões se destacando destacando na na produção produção literáliterá- busca tralizada, busca contemplar todas ria paraense”, destacou. do Estado do Pará”. ria paraense”, destacou. Rodrigo as regiões do Estado do Pará”.

O Decreto Estadual 272 de 24 de agosto de 2019 veio consolidar a Imprensa Oficial do Estado como editora que impulsiona e fomenta a produção intelectual dos escritores paraenses, de maneira que valoriza a cultura amazônica . E nesse aspecto o decreto dá diretrizes que abrem oportunidades a todos . Parabéns ! Cláudio Rendeiro Rendeiro Cláudio Epaminondas Gustavo Epaminondas Gustavo (( autor autor de de Líricas Líricas ee outras outras margens e Sátiras de um margens e Sátiras de um ribeirinho, editados e ribeirinho, editados e pupublicados pela Ioepa) blicados pela IOE)


4

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Governador Helder Barbalho e Jorje Panzera na assinatura do Governador Helder Barbalho e Jorge Panzera na assinatura do decreto. decreto.

NOME DO CANDIDATO

Expediente

comemorativa do1º ano da Editora Pública Dalcídio Jurandir, com edição online publicaRELAÇÃO FINAL DOS CANDIDATOS Revista VENCEDORES DO CONCURSO PÚBLICO da no site da IOEPA (www.ioepa.com.br). Tiragem impressa pela gráfica da Imprensa Oficial do Estado: 500 exemplares. Travessa do Chaco, 2271 – CEP: 66093-410. Bairro do Marco, Telefone: DE INCENTIVO A LITERATURA PARAENSE 4009-7800/4009-7802.

Coordenação e edição: Leila Márcia. Textos: Ailson Braga. Revisão: Leila Márcia.

NOME DA Projeto gráfico e diagramação: PONTOS MODALIDADE Márcio Euclides (DRT -Pa 2193). OBRA Imagens: Eduardo Rosas e Arquivo/IOEPA. LITERÁRIA

REGIÃO DE INTEGRAÇÃO

TAION REHM COSTS DE ALMEIDA

“PEDRA PRECIOSA – Ou a incrível aventura que o garoto Heliodoro viveu após ouvir a música misteriosa que emanava da floresta

70

Prosa

Araguaia

FRANCISCO EGON DA CONCEIÇÃO PACHECO

Marias e Encantarias II - Num tempo do era ...

80

Prosa

Baixo Amazonas

AIRTON SOUZA DE OLIVEIRA

Receita para angustiar o amor no coração da noite

70

Prosa

Carajás

FELIPE FIGUEIREDO DE CAMPOS RIBEIRO

Ínfimas Infâmias

90

Prosa

Guajará

FRANCIORLIS FREITAS VIANA

Bicho do Mato

100

Prosa

Guamá

MARCOS SAMUEL COSTA DA CONCEIÇÃO

O Cheiro dos Homens

100

Prosa

Marajó

JOÃO PEREIRA LOUREIRO JUNIOR

As Cores da Meia-Noite

90

Prosa

Caeté

LINCOLN CAMPOS PEREIRA

Sapinho Perereco e o Grilo Saltitante

75

Prosa

Rio Capim

JOÃO GABRIEL DOS SANTOS BRITO

Pelo Caminho do Rio Envelhecido

93

Prosa

Tocantins

FERNANDA KARLA MIRANDA DALMAM

Inveja

73

Prosa

Xingu

MARIA DE FÁTIMA ARAÚJO TELES

O Boi Pavulagem

70

Poesia

Araguaia

70

Poesia

Guajará

70

Poesia

Carajás

70

Poesia

Guajará

Governador Helder Barbalho e Jorje Panzera na assinatura do IGOR BARBOSA MARQUES Sem mais, adeus! decreto.

Expediente Expediente

Somos Terra, Somos Água, Somos ADALBERTO MARCOS DA SILVA Governador Helder Barbalho e Jorje Panzera na assinaturaVida do decreto. NATHÁLIA DA COSTA CRUZ Cobaia

Presidente IoepaPública : Jorge Luiz Guimarães Panzera Revista comemorativa do1º ano dada Editora Dalcídio Jurandir, com edição online publicaDiretor Industrial: Allan Brandão - Coordenador da Editora Pública Dalcidio Jurandir:Rodrigo Moraes da no site da IOEPA (www.ioepa.com.br). Tiragem impressa pela gráfica da Imprensa Oficial do Revista500 comemorativa do1º ano da Chaco, Editora2271 Pública Dalcídio Jurandir, comdo edição online publicaEstado: exemplares. Travessa – CEP: 66093-410. Bairro Marco, Telefone: Revista comemorativa do1º ano dado Editora Pública Dalcídio Jurandir, com edição online publicada no da no site da IOEPA (www.ioepa.com.br). Tiragem impressa pela gráfica da Imprensa Oficial do site da IOEPA (www.ioepa.com.br). 4009-7800/4009-7802.

Estado: 500Tiragem exemplares. Travessa do Chaco, 2271 – Oficial CEP: 66093-410. do Marco, Telefone: impressa pela gráfica da Imprensa do Estado: Bairro 1000 exemplares. Travessa do Chaco, 2271 – CEP: 66093-410. Bairro do Marco, Telefone: 4009-7800/4009-7802. 4009-7800/4009-7802.

Coordenação e edição: Leila Márcia. Textos: Ailson Braga. Revisão: Leila Márcia. Coordenação e edição: Leila Márcia. Textos: Ailson Braga. Revisão: Leila Márcia. Projeto gráfico diagramação: Márcio Euclides (DRT -PaEuclides 2193). Coordenação eeedição: Leila Márcia. Textos: Ailson Braga. Revisão: Leila Projeto gráfico e diagramação: Márcio (DRT -Pa Márcia. 2193). Imagens: Eduardo Rosas e Arquivo/IOEPA. Imagens: Eduardo Rosas, Ailson Braga, Weldon Luciano. Projeto gráfico e diagramação: Márcio Euclides (DRT -Pa 2193). Imagens: Eduardo Rosas e Arquivo/IOEPA.


5

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Edital literário da Ioepa consolida política pública de valorização da literatura do Pará

O

“Prêmio Literário Dalcídio Jurandir 2019” foi criado com o objetivo principal de fomentar e incentivar a produção literária paraense de novos autores. Organizado e coordenado por Moisés Alves de Souza, da Editora Pública Dalcídio Jurandir, da Imprensa Oficial do Estado (Ioepa), que elaborou o edital e, no final do processo, presidiu a comissão julgadora do prêmio, o edital, nessa primeira edição, tem um papel importante na democratização da participação dos autores paraenses. “O edital vai se transformando em um espaço importante de valorização e fomento da produção literária paraense, incentivando e democratizando a participação de novos autores com obras inéditas, e de forma descentralizada, buscando assim contemplar todas as regiões do Estado do Pará”, afirmou Moisés Alves. A Ioepa também lançou um edital em parceira com a Universidade do Estado do Pará (Uepa) para a publicação de trabalhos científicos de pesquisadores daquela instituição de ensino superior. A apresentação do edital ocorreu em uma cerimônia simples, mas carregada de significado pela importância para as letras paraenses, na noite do dia 29 de agosto de 2019, no estande da Ioepa, na 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, no Hangar, em Belém. O edital “Prêmio Literário Dalcídio Jurandir 2019” premiará obras literárias inéditas sobre a cultura e a literatura paraense. Na ocasião

do lançamento, todas as informações sobre a premiação foram detalhadas a escritores, autoridades e outros convidados, por Moisés Alves, da Editora Pública da Ioepa . “Acreditamos que por meio de concorrência pública nós damos chances iguais para todo mundo; igualitárias para todo o Estado. E esse é o objetivo principal desse nosso primeiro edital: deixar vir a público, livros e trabalhos inéditos”, observou Moisés Alves. Ele informou que o edital foi lançado no dia 27 de agosto de 2019 e premiará 13 livros, sendo 12 em prosa (um livro para cada microrregião do Estado); e uma coletânea de poesias com pelo menos 10 poesias de um autor de cada uma dessas microrregiões do Pará. O “Prêmio Literário Dalcídio Jurandir 2019” é o primeiro da linha de editais públicos de publicações que a editora do governo do Estado, por meio da Imprensa Oficial, está lançando a partir da instituição do decreto do governador Helder Barbalho sobre a Política de Edições e Publicações. O decreto foi assinado na abertura da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, dia 24 de agosto, no Hangar. Moisés Alves ressaltou que a Imprensa Oficial procurou, neste ano de 2019, estabelecer uma política de publicações de livros, revistas, jornais, e-books e cartilhas para o Estado do Pará. “A gente inaugura um tempo de valorização da literatura paraense. Estamos muito felizes porque passamos a atender a um pedido que ouvimos muito, em todas as viagens que fizemos

A AEscola SenaEscolaM Senador dor Álvaro Adolfo Álvaro Adolfo pacom muitoa respeirabeniza ImprentosaporOficial seu trabalho notável pela conquista junto ao nosso Estadocontrido do título de Editora, Pará parabeniza a Imprenbuindo significativamensate Oficial conquista para opela estímulo e dedo título de Editora, consenvolvimento cultural de tribuindo significativamencrianças, jovens e adultos te para o estímulo e deleitores. Para nossa escola senvolvimento cultural de é uma satisfação a mais ter crianças, jovens e adultos recebido todo o apoio para leitores. Para nossa escola a publicação e lançamento é uma satisfação a mais ter do Livrotodo SÁAPECA, recebido o apoio que para já está na sua IV edição Esta a publicação e lançamento ação foi SÁAPECA, fundamental do Livro que para já dar na mais visibilidaestá sua valor, IV edição Esta de foi e reconhecimento aos ação fundamental para novos . Um livro dar maisescritores valor, visibilidade com muito empenho efeito reconhecimento aos noporescritores alunos, docentes funvos . Um livroefeitocionários com muitode empenho por uma escola alunos, e funciopública.docentes Muito somos granários de uma pútos pelo apoioescola incondicioblica. Muitoórgão somosque gratos nal deste certapelo apoio incondicional mente só vai aumentar seu deste órgão que certamenbrilhantismo no oferecitemento só vai aumentar seu bri-séde um trabalho lhantismo no oferecimenrio e compromissado com toseus de um trabalho sério e O leitores e usuários. compromissado com seus nosso muito obrigada . leitores e usuários. O nosso muito obrigada . Carmen Maranhão Diretora da Escola Senador Álvaro Adolfo


6

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

aos mais diversos municípios paraenses: ‘tudo é muito centrado na capital; nós somos invisíveis. Mudem isso’. Isso começou a mudar a partir do lançamento deste edital. E é apenas o começo dessa mudança, que quer tornar as políticas públicas mais inclusivas”, informou Moisés Alves. O “Prêmio Literário Dalcídio Jurandir 2019” visou a publicação de obras de escritores de todas as regiões de integração do Estado: Araguaia, Baixo Amazonas, Carajás, Guajará, Guamá, Lago de Tucuruí, Marajó, Rio Caeté, Rio Capim, Tapajós, Tocantins e Xingu.

quatro na de poesia. “A entrega solene das obras está prevista para o dia 1º de dezembro”, disse Moisés Alves. Serão 11 livros a serem lançados, sendo 10 de prosa e um de uma coletânea de poesia, que mostram uma parte do grande panorama que é a nossa arte literária do Pará. As inscrições ocorreram de 4 de novembro de 2019 até 14 de janeiro de 2020, e o resultado foi divulgado o último dia 25 de junho.

RESULTADO O edital recebeu mais 130 inscritos. Destes, passaram por uma comissão de habilitação, que selecionou 70 autores e, depois, a comissão julgadora avaliou o mérito das obras, para se chegar ao resultado final. Foram selecionados 10 autores na categoria prosa e

Moisés Alves, coordenador do Edital

Jorge JorgePanzera, Pnzera eDiretor equipeAllan da Brandão eEditora parte da equipe da Editora Pública Pública


7

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Decreto concretiza sonho de criação de uma editora pública e democrática

N N

o dia 24 de agosto de 2019, o governador oHelder dia 24 de agosto asde Barbalho 2019, governador sinouo o decreto Helque der Barbalho assinou o instituiu a Política Púdecreto que instituiu a blica de Edições e Publicações de Política Pública de EdiLivros, Revistas, Cartilhas, Jornais ções e Publicações de Livros, Ree E-books do Estado do Pará, vistas, Cartilhas, Jornais e E-books outorgando à Imprensa Oficial do Estado do do Pará Pará,(Ioepa) outorgando do Estado a resàponsabilidade Imprensa Oficial do Estado do de publicar obras Pará (Ioepa) a responsabilidade em formatos variados. A asside publicar obras em formatos natura do decreto que criou a variados. A assinatura do decreto Editora Pública do Estado Dalcíque criou a Editora Pública do Esdio Jurandir ocorreu na noite de tado Dalcídio Jurandir ocorreu na abertura da 23ª Feira Pan -Amanoite de abertura da 23ª Feira Pan zônica do Livro das Multivozes, -Amazônica do eLivro e das Mulno Hangar – Convenções e feiras tivozes, no Hangar – Convenções Amazônia, em Belém. seu edafeiras da Amazônia, em Em Belém. discurso de abertura, o governaEm seu discurso de abertura, o dor lembrou lembrou da missãodadesignagovernador missão da a Jorge aPanzera ao assumir designada Jorge Panzera ao as-a Imprensa Oficial do Estado, que sumir a Imprensa Oficial do Estatinha como a expedição do, que tinhafunção como função a exdo DiáriodoOficial, pedição Diário assim Oficial, como assim as informações dos atosdosgovercomo as informações atos governamentais a cada amanhenamentais a cada amanhecer, cer, deixá-lo fazerapenas apenas esmasmas deixá-lo fazer essas funções, segundo ele, “seria sas funções, segundo ele, “seapequenar um órgão histórico e ria apequenar um órgão históimportante para o Pará”. rico e importante para o Pará.

com custo reduzido”, reforçou. O Governador Helder Barbalho O Governador Helder Barbalho disse, ainda, “que o decreto vai disse, ainda, o decreto vai permitir que“que a Imprensa Oficial permitir que a aImprensa possa utilizar estruturaOficial exispossa utilizar a estrutura existente para a produção literária, tente para ea beneficiando produção literária, facilitando a pofacilitando e beneficiando a população com um custo menor pulação com um nós custo menor e, efetivamente, possamos e, efetivamente, nós possamos mostrar ao Brasil e ao mundo a mostrar aoliterária Brasil eparaense”. ao mundo a produção produção literária paraense”.

Helder também lembrou Helder Barblho Barbalho também lemda primeira medida designada ao brou da primeira medida desiggestor da Imprensa Oficial, para nada ao gestor da Imprensa Ofitorná-la digital, além da cial, para100% torná-la 100% digital, orientação para usar a autarquia além da orientação para usar a para“a produção de literatura a autarquia para“a produção de um preço que permita que todas as literatura a um preço que permanifestações literárias não precimita que as alternativas manifestações sem maistodas buscar no literárias não precisem mais mercado privado, mas que enxerbuscar na alternativas mercado guem, estrutura no pública, algo privado, mas que enxerguem, que permita a pluralidade e a amna estrutura pública, algo que pliação da oferta literária paraenpermita a pluralidade e a ampliase, com custo diluído”, reforçou. ção da oferta literária paraense,

“Com da editora pú“Comaa acriação criação editora “Com criação dada editora pública, o Governo do Estado gapública, o Governo do Establica, o Governo do Estado garantiu, por da Ioepa, aa edido garantiu, por da Iorantiu, pormeio meio dameio Ioepa, edição e aa publicação obras de epa, e adas publicação ção e a edição publicação das obras de autores paraenses históricos e das obras de autores para-e autores paraenses históricos contemporâneos nas mais diverenses históricosnase mais contemcontemporâneos diversas regiões do Estado do Pará, porâneos mais diversas sas regiõesnas do Estado do Pará, desde que não contenham qualregiões do Pará, desde quedo nãoEstado contenham qualquer tipo de discriminação ou desde que não contenham quer tipo de discriminação ou infrinjam os direitos fundamenqualquer tipo de discriminainfrinjam os direitos fundamentais humanos. ”, comentou o ção humanos. ou infrinjam os direitos tais ”, comentou coordenador da editora, Rodrigoo fundamentais humanos. ”, coordenador da editora, Moares. responsável pelaRodrigo elabocomentou o coordenador da Moares. responsável pela elaboração dos editais e do decreto editora, ração dosRodrigo editais eMoaraes. do decreto

LINHAS EDITORIAIS LINHAS EDITORIAIS Decorrido um ano de sua criação, Decorrido um ano de sua criação, a Editora Dalcídio Jurandir consoa Editora Dalcídio Jurandir consolidou junto juntoà àsociedade sociedadeparaense paraenlidou se suas linhas editoriais. A IOEPA, suas linhas editoriais. A IOEPA, por meio de sua editora, trabalha por meio de sua editora, trabalha com quatro quatro linhas linhas editoriais editoriais de de com forma aa atender atender aa todos todos os os segsegforma mentos literários literáriosdo do Estado, Estado, com com mentos edição e publicação de obras de edição e publicação de obras de interesse coletivo, coletivo, científico, científico, acaacainteresse dêmico eesocial: social:linha linha de de publicapublicadêmico ções de deautores autoresee títulos títulos fora fora de de ções catálogo, linha de editais públicatálogo, de editais públicos cos de publicações, de pude publicações, linhalinha de publicablicações científicas, acadêmicas ções científicas, acadêmicas e reelações relações interinstitucionais e interinstitucionais e linha linha de publicações comerciais. de publicações comerciais.

Em nome do Centro de Ciências Sociais e Educação da UEPA, parabenizamos a Editora Pública Oficial do Estado, por seus doze meses de existência. Criada por meio do Decreto 272/2019, publicado no dia 24 de agosto de 2019, a Editora, marca com suas produções e parcerias interinstitucionais um novo tempo, gerando visibilidade e valorização para as literaturas científicas, culturais e artísticas dos escritores. Que sua existência, continue sendo esse campo de conhecimento, tão importante e necessário, não só aos pesquisadores mais também a sociedade paraense. Parabéns Editora Publica Oficial do Estado, com votos de vida longa. Prof. Me. Anderson Maia Diretor do CCSE/UEPA


8

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Odepresidente Ioepa,pública. Jorge criação da da política Panzera, ressaltou ocasião O presidente da Ioepa,naJorge Panda assinatura do decreto, zera, ressaltou na ocasião daque asasinatura partir daquela edição Feira do decreto, queda a partir do Livro,edição a Imprensa já daquela da FeiraOficial do Livro, se constituía como editora púa Imprensa Oficial já se constituía blica, ainda mais a comoincentivando editora pública, incentivanpublicação de livros de autores do ainda mais a publicação de paraenses. “A Imprensa livros de autores paraenses. Ofi“A cial já tem uma experiência imImprensa Oficial já tem uma portante e deimportante muita produção experiência e de literária, como vamos apresenmuita produção literária, como tar nas obras que serão vamos apresentar nas lançaobras das nosso estande. que no serão lançadas no Agora, nosso éestande. agregarAgora, os elementos é agregarpara os

Equipe da Editora

construir uma pública elementos paraeditora construir umae enfrentar aindaemais esse ainbom editora pública enfrentar desafio que é produzir livros”, da mais esse bom desafio que encerrou citando o écomentou. produzir Elivros”, comentou. Paescitando Loureiro um dos Eescritor encerrou o escritor homenageados da dos feira homedo LiPaes Loureiro um vro e Multivozes de 2019: nageados da feira do Livro“O e escritor Paes que Multivozes de Loureiro 2019: “Odiz escrilivroPaes é uma felicidade encadertor Loureiro diz que livro nada. Nós queremos construir é uma felicidade encadernada. nessaqueremos caminhada, uma nessa camiNós construir nhada de felicidade, de paz,de de caminhada, uma caminhada tranquilidade, ainda mais no felicidade, de paz, de tranquilimomento qualnoestamos vidade, aindanomais momento vendo”. no qual estamos vivendo”.

Rodrigo Moraes coordenador da Editora


9

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Editora tem atuação marcante em eventos literários

A

Editora Pública Dalcídio Jurandir participou ativamente da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, da 1ª Festa Literária de Marabá e da 1ª Festa Literária de Santarém, eventos ocorridos entre agosto e novembro de 2019; lançando livros, fazendo reuniões com escritores e educadores para ouvir as demandas desses segmentos; e lançando e divulgando o edital “Prêmio Literário Dalcídio Jurandir 2019”, direcionado a escritores com trabalhos inéditos e que não conseguem publicação de suas obras.

BELÉM O lançamento de 10 títulos inéditos e os relançamentos de outros quatro livros marcaram de forma positiva a participação da Editora Pública Dalcídio Jurandir na 23ª Feira do livro e das Multivozes, ocorrida de 24 de agosto a 1º de setembro de 2019, no Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém do Pará. O estande da Imprensa Oficial teve uma das participações mais marcantes em todas as edições do evento. O livro de crônicas “Flauta de Bambu”, do paraense Haroldo Maranhão, foi o recordista de vendas das publicações ofertadas naquele ano pela editora pública Dalcídio Jurandir.

Outros lançamentos Outros lançamentosque quetiveram tiveram uma boa vendagem foram os livros: uma boa vendagem foram os li“A Colônia União eUnião a Luta ePela Tervros: “A Colônia a Luta ra naTerra Rodovia Belém-Brasília”, uma Pela na Rodovia Belém-Bra-

obra queuma resgata o conflito agrárioo sília”, obra que resgata de uma ocupação conflito agrário ocorrido de uma naquela ocuparodovia entre as décadas de 80 90, ção ocorrido naquela rodoviaeenescrita por Marcos Altre as décadas de Carmo 80 e 90,deescrita por Marcos Carmo dedaAlmeida; meida; e “Heróis do País CabaA Editora da Ime “Heróis do em País da de Cabananagem”, poesias forma cordel prensa Oficial do gem”, poesias em forma de corEstado do Pará de Jetro Fagundes. Houve um del de Jetro Fagundes. Houve um está abrindo aumento de 30% nas vendasMarcos dos Carmo de Almeidauma oportunidade de significado aumento de 30% nas vendas dos livros da Ioepa este ano, em relação especial aos pesquisadores livros da Ioepa este ano, em relaao ano de 2018. Alguns livros do e autores paraenses. ção ao ano de 2018. Alguns livros acervo da Ioepa como “Cabanagem Significado maior ainda do acervo da Ioepa como “Cabapara a comunidade que é –nagem Documentos Ingleses”,Ingleses”, de David – Documentos consumidora e, muitas veCleary, e “Romanceiro da Cabade David Cleary, e “Romanceiro zes, personagem contida nagem”, poesias de José Ildone; e da Cabanagem”, poesias de José nas preciosas páginas dos “Sátiras um Ribeirinho/Líricas Ildone; de e “Sátiras de um Ribeirilivros: Nas páginas da nho/Líricas eRibeirinhas e Outras Ribeirinhas Outras Margens”, de história, da memória, do roMargens”, de Cláudio Rendeiro, mance, do conto e da Cláudio Rendeiro, também tiveram poesia. também tiveram vendas expressivendas expressivas. vas.

Marcos Carmo de Almeida Escritor

Zélia homenageados Zélia Amador AmadoreePaes PaesLoureiro, Loureiro,foram homengedos na feirana feira

A Ed está espec Signi consu nas p histór poesi


10

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Autoridades prestigiam o estande

SANTARÉM SANTARÉM

e cultura local”, afirmou Rodrigo.

Quarenta ee sete sua A última edição, uma das mais Festa Literária de obras Santarém Quarenta seteanos anosdepois depoisdede importantes sobre uma a história de Santarém, o livro “Tupaiulândia”, de também recebeu a presença de sua última edição, das obras Paulo Rodrigues dos Santos, foi destaque na Festa Literária de SantaMoisés Alves, um dos articulamais importantes sobre a histórém,denaSantarém, noite deo16 de “Tupainovembro de 2019, quando da a editora pública dores principais Editora, que ria livro da Imprensa Oficial Rodrigues do Estado do fez o lançamento da 4ª da elaborou o edital doedição “Prêlândia” de Paulo dosPará obra. Rodrigo Moraes, na coordenador da editora, lembrou que oJurandir livro foi Literário Dalcídio Santos , foi destaque Feira Li- mio relançado anos após primeira publicação. “’Tupaiulândia’ éo e que promoveu a sua terária de 47 Santarém, nasua noite de 2019” resultado de mais de 40 anos de anotações e pesquisas do escritor Paulo 16 de Novembro de 2019, quan- divulgação juntos às comuniRodrigues dos Santos, aindadades anos 70,literária mas queedeixou um proartística lodo a Imprensa Oficial falecido do Estado fundo legado para a memória e cultura local”, afirmou Rodrigo Moraes. cal.”Naquela época(em 2019) fez o lançamento da 4ª edição da A Festa Professor Literária de Santarém tambémestávamos recebeu a muito presença de Moisés Alfocados na diobra.O Rodrigo Moraes, ves, que elaborou o “Prêmio Literário Dalcídio 2019” e toque vulgação doJurandir edital, para que coordenador da Editora lembrou promoveu a sua divulgação junto às comunidades literária e artística lodos pudessem conhecer e saber que a reedição do livro represencal. “Naquela época (em 2019) estávamos muito focados na divulgação como funcionava essa política ta um resgate histórico. “A obra do edital, para que pudessem conhecerdee saber funcionava ediçãocomo de obras;fala“Tupailândia” é otodos resultado de pública essa política pública de de edição de obras; sobreocorreria como ocorreria mos falamos sobre como todo mais de quarenta anos anotatodo o processo, desde as inscrições até o julgamento. Foi um trabalho o processo, desde as inscrições, ções e pesquisas do escritor Paumuito intensodos e proveitoso”, declarou Alves, integrante da ediatéMoisés o julgamento.Foi um trabalo Rodrigues Santos, falecido tora anos pública. nos 70, mas que deixou um lho muito intenso e proveitoprofundo legado para a memória so”, declarou Moisés Alves.


Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

11

João Brasil Monteiro, autor do livro Mair-Abá - Coração de mãe (à esquerda) e Luiz Carlos Pies, ex-prefeito de Marabá

MARABÁ A cidade do sudeste do Pará recebeu a 1ª Festa Literária no período de 21 a 29 de setembro 2019 que também contou com a participação da editora da Ioepa, promovendo o lançamento do livro “Mair –Abá – Coração de Mãe”, de João Brasil Monteiro; e a divulgação do edital “Prêmio Literário Dalcídio Jurandir 2019. A 1ª Festa Literária de Marabá fez parte da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), e funcionou de 10 às 22h, no Carajás Centro de Convenções, em Marabá. Um dos lançamentos mais prestigiados foi o do escritor João Brasil Monteiro, que lançou um livro que resgata boa parte da história de Marabá, falando da atuação de autoridades e também registrando a vida de pessoas simples, mas que contribuíram para o desenvolvimento daquela cidade. “Mair-Abá - Coração de mãe” foi editado e impresso pela Editora Pública Dalcídio Jurandir juyrandir, a partir da es-

colha dos produtores literários da região sudeste e de Marabá, após reuniões com integrantes da Ioepa. O lançamento contou com escritores, escritoras, autoridades, professores, do secretário municipal de Cultura José Scherer, do escritor marabaense Airton Souza, entre outros convidados ligados às áreas de educação e cultura. O estande da Ioepa em Marabá também foi o espaço escolhido para a divulgação do “Prêmio Literário Dalcídio Jurandir 2019”, elaborado por Moisés Alves. A divulgação do prêmio contou com a presença especial da secretária de Cultura do Estado, Ursula Vidal, que prestigiou o evento, e que reuniu o movimento literário de Marabá e da região sudeste. Jorge Panzera, presidente da Ioepa, esteve presente na Festa Literária marabaense e analisou a participação da autarquia no evento: “Foi um sucesso total e que nos anima a perseguir num caminho de semear mais e mais livros pra produzir livros dos nossos autores e construir efetivamente uma política pública de edição e de publicação para o Estado do Pará.”


12

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Lançamentos e relançamentos de obras importantes marcam um ano de atuação de editora

E

m um ano de trabalho, a Editora Pública Dalcídio Jurandir, da Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa) se estabeleceu como uma referência entre escritores das mais diversas vertentes do Estado do Pará. Desde sua criação, em agosto de 2019, a editora da Ioepa já lançou e relançou 25 publicações, entre livros de prosa, poesia, publicações acadêmicas, materiais didáticos e paradidáticos, além de folders, cartazes, pastas e crachás para projetos e ações de entidades parceiras da Ioepa como a OAB -Pará, Santa Casa de Misericórdia, escolas públicas, entre outras. O coordenador da Editora Pública Dalcídio Jurandir, Rodrigo Moraes, destaca, porém, o relançamento de três obras como fundamentais para consolidar a presença da editora no meio literário do Estado neste um ano de existência: o livro de crônicas “Flauta de Bambu”, de Haroldo Maranhão; a coletânea memorialista sobre a cidade do sudeste paraense Marabá, “Mair –Abá – Coração de Mãe”, de João Brasil Monteiro; e “Tupaiulândia”, de Paulo Rodrigues dos Santos, que narra fatos históricos da cidade de Santarém, no oeste do Pará. De acordo com Rodrigo Moraes, cada uma dessas obras revela a multiplicidade de estilos da literatura paraense, além de ressaltar a vocação da editora de reconhecer os talentos de todas as regiões do Pará. “A editora tem um propósito fundamental, que é o de ajudar a

fomentar o debate literário no Estado, além de apresentar para os escritores e para as pessoas que produzem literatura, as possibilidades reais de desenvolver essa arte. Desde o seu lançamento, a editora assumiu o papel de dar à população paraense que produz arte, um espaço de discussões, de produção e de fomento da cultura paraense”, observou Rodrigo Moraes.

Rocha; e “Tupaiulândia”, foi destaque na Festa Literária de Santarém, no Espaço Pérola do Tapajós, em Santarém, no oeste do Pará, entre os dias 9 e 17 de novembro

“Flauta de Bambu” foi lançado no estande da Ioepa, na 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, ocorrida de 24 de agosto a 1º de setembro de 2019, no Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém do Pará; “Mair –Abá – Coração de Mãe”, teve um concorrido lançamento durante a Festa Literária de Marabá, nos dias 21 a 29 de setembro de 2019, no Centro de Convenções Carajás Leonildo Borges Victor Dias, deputado estadual recebendo autógrafo em seu exemplar do livro SAAPECA’.

Monge iogue Dada Niverdananda na roda de conversa com o tema ‘O que não se Fala Sobre a Destruição da Amazônia’, acontecido na 23ª Feira Pan-amazônica do livro e das Multivozes.

Escritor paraense Lincoln Campos


Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Escritor paraense Claudio Rendeiro interpretando o seu personagem, Epaminondas Gustavo

Escritor paraense, Marcos Carmo de Almeida (à direita)

Escritor paraense, Edvaldo Pereira

Escritora paraense, Lorena Valente

Lançamento do livro, Flauta de Bambu de Haroldo Maranhão. Na foto o professor Paulo Maués, escritor, pesquisador e responsável pela revisão do livro de crônicas de Maranhão, Jorge Panzera, presidente da Imprensa Oficial e Rodrigo Moraes, coordenador da Editora Pública da Ioepa.

Escritor paraense, Jetro Fagundes (à direita).

13


7

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

14

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Decreto concretiza sonho de criação de Comunidades acadêmicas uma editora pública e democrática receberam ações literárias da Ioepa IOEPA

IIN

o dia 24 de agosto de O Governador Helder Barbalho r ao encontro do público lei- Belém, além de outras obras 2019, o governador Hel- disse, ainda, “que o decreto vai tor, especialmente dos estu- pertencentes ao acervo da autarpermitir que a Imprensa“A Oficial der Barbalho assinou ao acervo da literária autarquia. ação r ao encontro do público lei-o quia.”A Ioepa dantes e professores.Esse foi ação da IOEPA possa utilizar estrutura exisdecreto que instituiu a literária Ioepaa levar tem como objetor, especialmente estudanum dos objetivososdas sete tem comodaobjetivo o trabaPolítica Pública de Edi- tente para a produção literária, tes e professores. Esse foi um tivodos levar o trabalho de escritores ações literárias promovidas escritores paraenses facilitando e beneficiando a ao poções e Publicações de Livros, Re- lho paraenses ao encontro do público dos objetivos das sete ações pela Editora Pública Dalcídio Juencontro do público universitávistas, Cartilhas, Jornais e E-books pulação com um custo menor literárias promovidas pela universitário”, Rodrigo Morandir, da Imprensa do rio” diz Rodrigodisse Moraes, coore, efetivamente, nós possamos do Estado do Pará, Oficial outorgando raes, coordenador da editora. Editora Pública Dalcídio JuranEstado do ParáOficial (IOEPA), mostrarda aoEditora Brasil Pública. e ao mundo a à Imprensa do entre Estadoosdo denador dir, da Imprensa Oficial do Estado meses de junho a novembro de Para Roony Oliveira, coordePará (Ioepa) a responsabilidade produção literária paraense”. do Pará (Ioepa), entre os meses Para Roony Oliveira, coordendor 2019.Nas ações literárias foram nador das ações itinerantes da de publicar obras em formatos das ações itinerntes da Editora as de junho e novembro de 2019. divulgados livros de vários estiEditora, as ações visam divulgar variados. A assinatura do decreto LINHAS EDITORIAIS ações visam divulgar as obras com Nas ações literárias, livros de válosque como criouprosa,poesia,acadêmia Editora Pública do Es- as ações com o selo da IOEPA/ oDecorrido selo para da Ioepa/Editora que rios estilos como prosa, poesia, cos, pesquisa científica e social, que a de comunidade tado Dalcídio Jurandir ocorreu na Editora um ano suapara criação, acadêmicos, pesquisa científica aa Editora comunidade acadêmica tenha ficção, outros.As obras editenha acesso às obras noiteentre de abertura da 23ª Feira Pan acadêmica Dalcídio Jurandir consoacesso as obras dos escritores pae social, ficção,doentre outros, edi- dos -Amazônica Livro e Editora das Multadas e impressas pela paraenses.”A lidouescritores junto à sociedade paraense raenses tados e impressos pela Editlora tivozes,ficaram no Hangar – Convenções Pública à disposição da nossa é divulgarAo acersuas intenção linhas editoriais. IOEPA, Pública à disposição e feirasficaram da acadêmica Amazônia, em comunidade da Belém. Uni-de vopor e estimular o interesse pela meio de sua editora, trabalha Em 2020, as ações literárias foestudantes e professores da uniEm seu discurso de abertura, o versidade Federal do Pará(UF- leitura umalinhas formaeditoriais mais am-de com de quatro governador lembrou da missão ram interrompidas devido à panversidade Federal do Pará, e da forma a atender a todos os segPA), Universidade do Estado do pla visando gerar conhecimento designada aeJorge Panzera as- e demia do novo coronavírus. UFPA, e da universidade do ao Estamentos do Estado, com Pará( UEPA) Instituto Federal acesso literários à cultura”, esclarece a Imprensa do do do Pará (Uepa) ,Oficial além do EstaIns- Roony. edição e publicação de obras de desumir Educação, Ciência e Tecnolotinhadecomo funçãoCiêna ex- interesse coletivo, científico, acatituto Federal Educação, giado, doque Pará(IFPA). pedição do Diário Oficial, assim dêmico linha de publicacia e Tecnologia do Pará, o IFPA. Por contae social: da pandemia e do como as informações dos atos ções de autores e títulos fora de O público teve a chance de ad- distanciamento social, as ações governamentais a cada amanhecatálogo, linha de editais A comunidade acadêmica teve a quirir os lançamentos da Im- não puderam ser realizadaspúblino cer, mas deixá-lo fazer apenas es- cos de publicações, linha de puchance adquirir os lançamentos prensa de Oficial na 23ª Feira Pan primeiro semestre de 2020, mas sas funções, segundo ele, “seria blicações de científicas, da Imprensa Oficial na e23ª Feira Pan retornarão Amazônica do Livro das Mulforma acadêmicas ampliada apequenar um órgão histórico e e relações interinstitucionais e -Amazônica do Livro e das Multivotivozes, ocorrido no Hangar, em assim que possível. importante para o Pará”. linha de publicações comerciais. zes, ocorrida no Hangar, em Belém, além de outras obras pertencentes Helder Barblho também lembrou “Com a criação da editora púda primeira medida designada ao blica, o Governo do Estado gagestor da Imprensa Oficial, para rantiu, por meio da Ioepa, a editorná-la 100% digital, além da ção e a publicação das obras de orientação para usar a autarquia autores paraenses históricos e para“a produção de literatura a contemporâneos nas mais diverum preço que permita que todas as sas regiões do Estado do Pará, manifestações literárias não preci- desde que não contenham qualsem mais buscar alternativas no quer tipo de discriminação ou mercado privado, mas que enxer- infrinjam os direitos fundamenguem, na estrutura pública, algo tais humanos. ”, comentou o que permita a pluralidade e a am- coordenador da editora, Rodrigo pliação da oferta literária paraen- Moares. responsável pela elabose, com custo diluído”, reforçou. ração dos editais e do decreto

Em nome do intenção CenA nossa é troA de Ciências Sodivulgar o acervo e Editora Pública ciais e Educação estimular o interesDalcídio Jurandir, da se UEPA, parabenizamos pelos livros e pela leitura da Imprensa Ofia Editora Pública Ofide uma forma mais ampla cial do Estado, completa cial do Estado, seus gerarpor conheimento um visando ano cumprindo um dozee meses de existência. acessopapel à cultura ”o importante para Criada por meio do DecreRegistrou Roony. aquecimento e o desento 272/2019, publicado no volvimento do universo dia 24 de agosto de 2019, literário regional, a Editora, marca comsendo suas uma grande iniciativa inde produções e parcerias incentivo à leituraum e ao coterinstitucionais novo nhecimento. tempo, gerando visibilidade Estivemos a frente Die valorização para as da literaretoria Industrialculturais desde turas científicas, oe início da dos gestão, juntaartísticas escritores. mente uma equipe de Que suacom existência, continue profissionais, assegurando sendo esse campo de coimportananhecimento, qualidade,tão a beleza eo te e necessário, não só aos brilhantismo das produpesquisadores tamções literárias mais de nossa bém a sociedade paraense. Editora, através de um Parabéns articulado, Editora Putrabalho que blica Oficial do Estado, começa na criação artísticomagrega votos adeelaboração vida longa.e ca, se consolida na produção de nossos trabalhadores Prof. Me. Anderson Maia gráficos. Diretor do CCSE/UEPA O aniversário da Editora é um marco importante para a nossa gestão e para a história da Imprensa Oficial.Quem ganha é a população paraense e seus artistas”.

Allan Brandão Diretor Industrial da Ioepa


Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

15


16

Revista da Editora Pública do Estado - Dalcídio Jurandir

Conheça um pouco o trabalho da Equipe da Editora da Ioepa IOEPA

R

odrigo Moraes, coordenador da editora: Acompanha e coordena todo o trabalho da editora e a relação com os autores. Moisés Alves, editor: Elabora os editais e projetos, faz relação com os escritores e acompanha o processo de produção das obras. Roony Oliveira, assessor: Responsável pelo trabalho de divulgação das obras realizadas pela editora da Ioepa nas universidades, por

meio de caravanas itinerantes. Edilberto Silva e Robson Keller, diagramadores: Responsáveis pela diagramação, design e arte final de todo o material gráfico produzido pela editora; eles são os que dão a forma final aos livros, cartilhas, cartazes etc impressos pela Ioepa. Elisangela Oliveira (Lica), secretária - Responsável pela relação com a Câmara Brasileira do Livro na solicitação do código ISBN, pelos processos e trâmites das documentações internas.

Gostaria de parabenizar a imprensa oficial nesse momento que ficará para a história da literatura paraense como um passo mais no desenvolvimento de novos escritores, novos leitores e pelo incentivo à cultura e literatura Lorena Lorena Valente valente Escritora Escritora

Rodrigo Moraes, Roony Oliveira, Lica Oliveira, Robson Keller, Moisés Alves Edilberto Silva

Roony Oliveira Assessor Robson Keller Diagramador

Rodrigo Moraes Coordenador da editora

Edilberto Silva Diagramador

Moisés Alves Editor Elisangêla Oliveira (Lica) Secretária Executiva

Profile for IOEPA

Revista comemorativa de 1 ano da Editora Pública Dalcídio Jurandir  

Leia a revista comemorativa de 1 ano da Editora Pública do Pará - Dalcídio Jurandir, da Imprensa Oficial do Estado do Pará. A data é comemor...

Revista comemorativa de 1 ano da Editora Pública Dalcídio Jurandir  

Leia a revista comemorativa de 1 ano da Editora Pública do Pará - Dalcídio Jurandir, da Imprensa Oficial do Estado do Pará. A data é comemor...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded