Page 1

IDOSOS

ALIMENTAÇÃO

UBSs oferecem atendimento especial a pacientes da Terceira Idade

Projeto estimula beneficiários do Leite do meu Filho a cultivar hortas caseiras

PÁGINA 2

PÁGINA 4

SAÚDEMANAUS EDIÇÃO Nº 9 | MAIO DE 2019

Mais de dez mil servidores da Saúde serão beneficiados com reajuste da data-base O acordo salarial vai beneficiar mais de dez mil trabalhadores da Saúde da ativa e aposentados que se enquadrem nos critérios específicos, na cidade de Manaus. O percentual de 6% da data-base da categoria foi definido em reunião da Mesa de Negociação, que teve a participação dos representantes das secretarias municipais de Saúde, de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef) e da categoria dos trabalhadores, por meio dos Sindicatos dos Trabalhadores na Saúde. O reajuste será pago no final do mês de junho, corrigido, contando a partir do mês de abril, que é o mês da data-base, estabelecida no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) e vai beneficiar estatutários, temporários e Agentes Comunitários de Saúde (ACS). PÁGINA 3 FOTO: DIVULGAÇÃO/SEMSA

FOTO: DIVULGAÇÃO/SEMSA

FOTO: JOSÉ NILDO/SEMSA

SAVVIS

MOSQUITO

Serviço recebe as vítimas de violência sexual

Semsa alerta a população sobre controle do Aedes

PÁGINA 5

PÁGINA 7


2

SAÚDE MANAUS

MAIO DE 2019

ATENÇÃO

Idosos recebem atendimento e cuidados especiais nas unidades de saúde da Semsa FOTO: JOSÉ NILDO/SEMSA

Nas unidades de saúde do município, os idosos têm acompanhamento permanente, desde a consulta médica à realização de exames a dispensação de medicamentos necessários

A

s pessoas idosas, aquelas a partir dos 60 anos, podem contar com atendimento e acompanhamento especial nas unidades de Saúde do município. A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) tem em sua estrutura, um núcleo que oferece serviços e atenção à saúde desse público. Chegando a uma unidade, o idoso é acolhido e encaminhado segundo a sua necessidade. O processo é bem simples. O primeiro passo, após o acolhimento, é

o preenchimento de uma ficha e a entrega da “Caderneta do Idoso”, documento onde serão registrados todos os atendimentos realizados, e indicações do que a pessoa precisará fazer. De acordo com a necessidade, ela é encaminhada ao serviço correspondente. Consulta médica, enfermagem, vacinação, preventivo e mamografia (para as idosas), serviços de imagem básicos, farmácia, entre outros. Os atendimentos são realizados pelo Médico ou Enfermeiro da Ava-

liação Multidimensional da Pessoa Idosa, por meio do VES-13, que é o Protocolo de Identificação do Idoso Vulnerável. Tudo é observado pela equipe: a situação vacinal do idoso é avaliada, é feito o Teste Rápido, que pode identificar Infecções Sexualmente Transmissíveis e Hepatites Virais, e Avaliação Bucal, mesmo que a pessoa utilize prótese dentária, porque o idoso pode apresentar alguns problemas na boca. No atendimento, também pode ser feito o encami-

nhamento para outras especialidades, segundo avaliação médica. Entre os serviços disponibilizados pela Semsa para os idosos estão as atividades de Educação em Saúde, com palestras sobre qualidade de vida, prevenção à violência, estímulo a uma vida saudável com manutenção da autonomia e independência, para mostrar que envelhecimento não é sinônimo de doenças e que nem tudo que aparece no idoso está relacionado ao envelhecimento.

Conselho Municipal de Saúde realizará eleição complementar para o mandato 2018-2021

O

Conselho Municipal de Saúde (CMS) está realizando processo eleitoral complementar para o mandato 2018-2021. O Edital de Convocação e o Regulamento do Processo Eleitoral podem ser consultados no Diário Oficial do Município (DOM), edição 4.580, publicado no dia 17 de abril de 2019 (https://bit.ly/2vgFi59). A eleição será realizada no dia 24 de maio. Estão concorrendo representantes de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), de organizações de

moradores das zonas Sul (Suplente) e Centro-Sul (titular e suplente) do município de Manaus. A eleição contempla, ainda, entidades ou Associações de Pessoas com Patologia (titular e suplente), Associações de Pessoas com Deficiência (Suplente) e Movimentos Sociais e Populares Organizados (Movimento Negro, LGBT, etc. – titular e suplente). Os Conselhos de Saúde são espaços de expressão e participação social, de exercício de cidadania,

com importante papel na implementação de políticas públicas. Além disso, o conselho fiscaliza a execução das ações na área da saúde, participa da formulação das metas pactuadas para cada ano de atuação, reúne-se regularmente e faz o acompanhamento das verbas que são encaminhadas pelo SUS e também os repasses de programas federais. O CMS é composto, paritariamente, por 32 membros titulares e seus respectivos suplentes, sendo 25%

escolhidos entre representantes do governo e entidades prestadoras de serviço de saúde; 25% escolhidos entre representantes de trabalhadores de saúde; e 50% entre representantes de usuários do SUS. O processo de eleição complementar no CMS acontece em razão da existência de vagas não ocupadas nos dois processos eleitorais realizados no mandato 2018-2021. O número de vagas do segmento usuário consta do regulamento eleitoral do edital.


SAÚDE MANAUS

MAIO DE 2019

3

CORREÇÃO

Cumprimento da data-base vai beneficiar mais de dez mil servidores da Semsa

O

FOTO: DIVULGAÇÃO/SEMSA

A Mesa Municipal de Negociações do SUS discute os interesses salariais dos profissionais de saúde

s mais de dez mil trabalhadores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) terão seus salários reajustados em 6% (seis por cento) no final do mês de junho, com efeito retroativo a 1º de abril, mês da data-base da categoria. A medida vai beneficiar os servidores estatutários, os contratados em regime temporário, os Agentes Comunitários de Saúde, e os aposentados que se enquadrem em critérios que assegurem o recebimento da correção. Esse índice percentual foi definido em reunião da Mesa Municipal de Negociação do Sistema Único de Saúde (SUS), com a participação de representantes de trabalhadores e gestores da administração municipal. As tratativas já vinham acontecendo há dois meses, com o objetivo de discutir o índice para reposição da inflação no período e garantir, por consequência, o reajuste dos salários dos profissionais

no exercício 2019. "Ficamos muito satisfeitos com essa negociação. Foi um processo cordial entre gestores e trabalhadores do SUS, em que garantimos o Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) de 2019, mais um porcentual de 2017 nesse reajuste. É importante destacar que os gestores da mesa permaneceram abertos às negociações posteriores de nossas demandas", disse Marilene Vilhena, coordenadora da mesa e representante do SindSaúde. “Agora, a Casa Civil enviará o Projeto de Lei à Câmara Municipal de Manaus, para que seja discutido e aprovado pelos vereadores. O acordo entre as partes foi concluído após muitas negociações e conta com a aprovação da Secretaria de Finanças do município, representada pelo secretário Lourival Praia”, destaca Marcelo Magaldi, titular da Semsa.

Semsa instala mosquiteiros para combater a malária onde há maior incidência da doença

A

s famílias que moram em áreas onde há grande ocorrência de casos de malária estão recebendo mosquiteiros para o controle da transmissão da doença na cidade. O trabalho de instalação é executado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Ao todo, serão colocados nove mil mosquiteiros, repassados pelo Ministério da Saúde, por meio da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), beneficiando moradores dessas. De acordo com o chefe do Núcleo de Controle da Malária da Semsa, João Altecir Nepomuceno da Silva, os mosquiteiros são impregnados com inseticidas de longa duração, para cobertura de camas e de redes, e estão sendo distribuídos para a população de acordo com avaliação do risco epidemiológico, inicialmente nas áreas do ramal do Brasileirinho e em comunidades da área rural terrestre e fluvial. “A distribuição é feita de forma criteriosa para que o equipamento possa beneficiar a população que realmente precisa, em mais uma estratégia utilizada para complementar o trabalho de combate à malária que já

FOTO: ALTEMAR ALCÂNTARA/SEMCOM

é realizado em Manaus”, afirma João Altecir. No período de janeiro a março deste ano, foram notificados 1.368 casos de malária em Manaus, representando uma redução de 43,84% em comparação com o mesmo período do ano de 2018. “Em janeiro a redução foi de 33,8%, em fevereiro foi de 50,7% e em março chegou a 52,8%. Mas, mesmo com a redução, Manaus tem que continuar em alerta, já que é uma doença endêmica na região amazônica, ou seja, o risco para o aumento de casos e de novos surtos de malária é permanente”, destacou João Altecir. A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. Uma pessoa doente não é capaz de transmitir diretamente para outra pessoa, sendo necessária a presença do vetor, que é a fêmea do mosquito Anopheles. Isso significa que, com um menor número de pessoas infectadas, há menos risco do protozoário causador da doença ser transmitido para outros moradores em uma comunidade.

A instalação de mosquiteiros é uma das ações para combater a malária onde ocorrem mais casos


4

SAÚDE MANAUS

MAIO DE 2019

PROJETO

Programa 'Leite do Meu Filho' estimula criação de hortas caseiras A s famílias que participam do Programa de Nutrição Infantil "Leite do Meu Filho", são incentivadas a cultivar hortas caseiras como forma de estimular a adoção de alimentação nutricional e saudável. O ponto de partida foi a distribuição, na sede da central, situada na avenida Pedro Teixeira, zona Oeste, de mudas de plantas medicinais e frutíferas a responsáveis pelas crianças. A ação desenvolvida foi possível em função da parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas). As mudas distribuídas aos segurados do programa "Leite do Meu Filho", atualmente atendendo cerca de 20 mil famílias cadastradas em Manaus, foram obtidas junto à produção do Horto Municipal. A atividade servirá de base ao estímulo e planejamento de criação da horta, que ocupará a área dos fundos da central. "Quando estiver produzindo, a nossa horta servirá de espaço educativo aos parceiros e à população. E nossa ideia é, mais tarde, avançar

FOTO: DIVULGAÇÃO/SEMSA

Cultivo de verduras e legumes é uma forma de incentivar a alimentação saudável

para criação de uma feira de produtos orgânicos. Com esse objetivo já iniciamos conversas, além da parceria do Horto Municipal, com representantes da Secretaria de Produção Rural do Amazonas", observa o as-

sistente social e membro da comissão do programa, Daniel Leandro.

Fitoterápicos

Em fase de conclusão das medidas de cooperação técnica com a Univer-

sidade Federal do Amazonas (Ufam/ Embrapa), a Semsa deverá implementar, ainda neste ano, as ações do Projeto de Plantas Medicinais e Fitoterápicas. Voltado à pesquisa e seu uso junto à população, o projeto será uma referência à produção de medicamentos fitoterápicos na Amazônia. Segundo a farmacêutica Mie Muroya, coordenadora do Projeto da Semsa, o projeto deverá funcionar em um dos blocos que compõem a Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF), no campus da Ufam, em Manaus. Os medicamentos fitoterápicos são definidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como aqueles obtidos a partir de derivados vegetais e onde os riscos, os mecanismos de ação e a atuação no corpo humano são conhecidos. Esses medicamentos são feitos exclusivamente de matéria-prima vegetal. É importante, também, destacar que não é considerado um fitoterápico aquele medicamento que contém substâncias ativas isoladas, bem como sua associação com extratos vegetais.

Crianças que precisam da segunda dose da vacina contra Influenza devem ir às UBSs

A

s crianças que precisam tomar a segunda dose da vacina contra a Influenza devem ser levadas às Salas de Vacinação que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) tem em toda a cidade. O público-alvo estimado é de cerca de 20 mil crianças que, dependendo da indicação no cartão de vacina, precisam receber um reforço nessa imunização. A diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira, explica que a ação faz parte da Campanha de Vacinação contra a Influenza 2019, iniciada no mês de março, completando o esquema vacinal das crianças contra a doença. “O público-alvo nesta nova fase da campanha não é o mesmo da primeira etapa, que envolveu todas as crianças de seis meses a menores de seis anos. Agora, a imunização vai depender da avaliação do profissional de saúde a respeito do histórico vacinal da criança, po-

dendo atingir a faixa etária de até menores de nove anos, que têm indicação médica para a vacina. Pais e responsáveis também podem consultar o cartão de vacina, que deverá ter registrada a data em que a criança precisa receber a segunda dose. No caso de dúvida, podem procurar uma Unidade Básica de Saúde para avaliação do cartão por um profissional”, informa Marinélia Ferreira. O serviço para a imunização das crianças está disponível em 183 salas de vacina no município de Manaus. A lista com endereço e horário de funcionamento das salas de vacina pode ser acessada no site da Semsa (semsa.manaus.am.gov.br). A segunda dose da vacina contra Influenza deve ser aplicada com um intervalo mínimo de 30 dias após a aplicação da primeira dose.

Campanha

A Campanha de Vacinação contra a Influenza 2019 teve início em Manaus no dia 20 de março, tendo

FOTO: JOSÉ NILDO/SEMSA

Crianças que tenham a indicação, devem tomar a segunda dose da vacina contra o H1N1

como público-alvo crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, como doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica,

doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias (síndrome de Down, síndrome de Edward, síndrome de Patau, síndrome de Warkany). Com o trabalho nas Unidades de Saúde, a campanha atingiu 108,55% da meta inicial do público-alvo, estimado em 455.083 pessoas, com a aplicação de 493.970 da vacina.


SAÚDE MANAUS

MAIO DE 2019

5

SAVVIS

Evento discute o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

O

ferecer atendimento especializado, com equipe multidisciplinar, para reduzir danos e minimizar possíveis sequelas físicas e psicológicas a pessoas vítimas de violência sexual. Esse é o objetivo do Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (Savvis), instalado na maternidade municipal Moura Tapajóz, na Compensa, zona Oeste. Parte integrante da rede de atendimento da Secretaria Municipal de Saúde, o serviço é preparado para atender casos de violência sexual, funcionando 24 horas. Desde 2006, o Savvis já atendeu oito mil pessoas. Desse total, segundo a coordenadora Zélia Campos, crianças e adolescentes representam cerca de 90% do atendimento. “É um número alto de pacientes, mas sabemos que vários casos de violência sexual não são denunciados e muitas vezes a pessoa não sabe que pode procurar os serviços de saúde para receber o atendimento necessário. É importante debater esse tema, colocar o assunto em pauta e divulgar as informações”, lembrou a médica. Para promover esse debate, o Savvis, em parceria com o Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, realizou evento em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado nacionalmente no dia 18 de maio. A programação, no Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, bairro Santo Antônio, zona Oeste abordou questões como o conceito de violência sexual e as formas de proteção a crianças e adolescentes, sendo aberta ao público interessado, per-

FOTO: BANCO DE IMAGENS PXL

De acordo com os registros do Savvis, as ocorrências de violência sexual contra crianças e adolescentes chegam a 90% dos casos atendidos

mitindo a discussão sobre o tema e divulgando os serviços existentes na rede de atendimento. “Muitas pessoas ainda acham que a violência sexual é apenas caso de polícia e esquecem que também pode ter um impacto para o resto da vida na saúde das pessoas que sofrem esse tipo de violência. Os danos podem ser tanto físicos, incluindo infecções sexualmente transmissíveis e a gravidez indesejada, quanto psicológicos, onde o paciente pode ter insônia, terror noturno, problemas cognitivos, com dificuldade de aprendizado e de memorização”, relatou a médica.

FOTO: DIVULGAÇÃO/SEMSA

Antropólogo Natã Souza Lima analisou a vinculação entre violência sexual e homens

Discussão permanente

A coordenadora do Savvis defende que a prevenção das agressões não é somente uma questão de segurança pública. “Tem que começar desde cedo, pois comportamentos precisam ser mudados, ideias precisam ser desconstruídas, e essa mudança só pode acontecer por meio da informação”, aposta Zélia Campos. Na maternidade Moura Tapajós, onde funciona o serviço, são realizados cursos e encontros para discussão permanente do tema. Como foi o curso sobre “Masculinidades”, que debateu a extensão da participação e a responsabilidade da sociedade na construção do adulto agressor. Participaram os antropólogos Raquel Wiggers e Natã Souza Lima, e a psicóloga Lígia Maria Duque. “A pessoa não se torna agressora de uma hora para outra. É algo que vem sendo construído, muitas vezes, desde a infância, e avaliar a participação da sociedade nesse processo é muito importante”, sugeriu a coordenadora do Savvis na MMT. Segundo a professora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Raquel Wiggers existem ferramentas teórico-conceituais para orientar as ações práticas do cotidiano profissional de combate à violência. “Nossa sociedade cria os homens de forma a valorizar a capacidade de ser violento, como acontece com o estímulo a brincadeiras de lutas,

de guerra, de tiro. O menino é ensinado a ser violento desde pequeno e isso traz repercussões para uma sociedade que recorre à violência para resolver seus conflitos”, explicou. A psicóloga Lígia Duque, que trabalhou durante oito anos com grupos reflexivos de autores de agressão, relata que comprovou mudanças de comportamento nos autores e presenciou vários resgates, a ponto de haver casos de homens que, mesmo sem a família denunciar, foram espontaneamente à delegacia se acusar, após terem chegado à conclusão de que deveriam responder pelo que fizeram. “O agressor, até pelo que aprendeu do que é ser homem, entende que pode agredir. Quando você inicia o tratamento do agressor, é estranho, porque ele próprio não acha errado o que faz e defende que pode fazer. Temos que trabalhar com uma crença muito enraizada e o nosso desafio na psicologia é fazê-lo perceber que precisa mudar”, esclareceu Duque. O antropólogo Natã Lima falou sobre o problema em torno da vinculação entre homens e violência, além de ter refutado a associação entre violência, homens e pobreza ou raça, e ainda a ideia de pulsão biológica do homem à violência. “Sem anular as posições de vítima ou agressor, precisamos ampliar nossa análise e enfatizar o aspecto relacional dos conflitos”, explicou.


6

SAÚDE MANAUS

MAIO DE 2019

ESTRATÉGIA

Equipes de Saúde superam desafios diários do território levando atendimento às comunidades

L

evar saúde para todos com o objetivo de reduzir o risco de doenças e de outros agravos mediante políticas sociais e econômicas, é o desafio que as equipes de profissionais da Semsa enfrentam no dia a dia. Muita gente não sabe, mas na rotina de Agentes Comunitários de Saúde, Agentes de Endemias, Enfermeiros, Técnicos em Enfermagem, Dentistas, Médicos, entre tantos outros profissionais, estão as visitas domiciliares e ações nos territórios. Esses profissionais vão às casas de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) levar as ações necessárias, sejam elas de atendimento, acompanhamento ou de prevenção a doenças e promoção da saúde, com ações educativas. Um exemplo são os profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF), que realizam atividades em sua base territorial de atuação nas Unidades Básicas e Distritos de Saúde sob a gestão da Prefeitura de Manaus. A rede de saúde da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) conta, atualmente, com 225 equipes da ESF, distribuídas nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF), entre os cinco Distritos de Saúde (Norte, Sul, Leste, Oeste e Rural). Elas são compostas por um médico generalista, um enfermeiro generalista, um auxiliar ou técnico de enfermagem, um cirurgião-dentista, um auxiliar ou técnico de Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde. A ESF, entre outros objetivos, visa à reorganização da Atenção Básica ou Primária da Saúde e possibilita a ordenação das ações na rede de saúde do município, com base no cuidado e à maior re-

FOTOS: JOSÉ NILDO/SEMSA

O trabalho da cirurgiã-dentista na Estratégia Saúde da Família, inclui visitas semanais às casas da comunidade para levar educação e prevenção

solutividade dos problemas na rede de serviços, atuando na promoção da qualidade de vida junto à população manauara.

Superação dos desafios nos territórios

O exemplo de compromisso dos profissionais da ESF com a saúde pública se materializa nas atividades diárias quanto ao atendimento às demandas da população, como realiza a equipe de Saúde Bucal, coordenada pela cirurgiã-dentista Aira Veras, com auxílio da Técnica de Saúde Bucal Elline Botelho e a ACS, Adriana Oliveira, da Unidade

Básica de Saúde da Família O-19, localizada na rua Plínio Coelho, 182, Compensa II, Distrito de Saúde (Disa) Oeste. Uma vez por semana, a CD Aira Veras e sua equipe deixam o consultório da UBSF e, no interior da residência de um morador ou mesmo ao ar livre, realizam a visita domiciliar, ação voltada para o atendimento assistencial e educativo. "Essa ação possibilita uma interação mais efetiva entre os membros da equipe de saúde com a realidade vivida pelas famílias na comunidade", observa. Com seis anos atuando na ESF,

em atividades preconizadas pelo SUS, Aira Veras promove palestras, orientando mães e crianças sobre como melhor realizar a escovação, faz encaminhamentos para tratamento e cuida, com pequenos procedimentos, da saúde bucal dos membros das famílias situadas no bairro da Compensa II, zona Oeste. De acordo com as diretrizes da estratégia, as visitas domiciliares são utilizadas, também, para controle de usuários faltosos, acompanhamento de puérperas (mulheres no pós-parto), de recém-nascidos, acamados e idosos com dificuldade de locomoção, dentre outros.

Atendimento domiciliar alcança não só as pessoas que moram na casa, mas moradores da área, que participam das reuniões nas quais a equipe da ESF promove ações de educação e saúde


SAÚDE MANAUS

MAIO DE 2019

7

DOENÇAS

População deve estar atenta aos cuidados necessários para combater o Aedes aegypti FOTOS: JOSÉ NILDO/SEMSA

Agentes de combate às endemias da rede municipal de saúde fazem visitas domiciliares durante as quais avaliam a existência de possíveis criadouros do mosquito, eliminando-os se necessário

A

Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) está reforçando as orientações para população sobre a importância da eliminação de depósitos de água encontrados em residências, o que inclui vasos de planta, bebedouros e outros frascos de água, que favorecem a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, zika vírus e febre chikungunya. Segundo a gerente de Vigilância Ambiental da secretaria, enfermeira Alinne Antolini, no início de 2018, o índice desse tipo de depósito era de 17,9%, passando para 20,4% no diagnóstico realizado em outubro do ano passado, chegando a 23,6% no  levantamento feito em fevereiro deste ano. “O aumento é motivo de preocupação porque já vem sendo identificado nos últimos três diagnósticos de infestação do Aedes. Além disso, são depósitos encontrados dentro de residências, aumentando a ex-

posição de todos os moradores ao risco para a transmissão de dengue, zika ou chikungunya”, alerta Alinne Antolini. A diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira, informa que a preocupação atual nos serviços de saúde é com o registro de casos de dengue, já que Manaus tem 92 casos confirmados da doença este ano, sendo que em 2018, de janeiro a abril, houve a confirmação de 58 casos. “Nos primeiros meses deste ano, o número de casos de dengue tem apresentado crescimento em todo o Brasil e por isso os serviços de saúde da rede municipal estão mais atentos aos casos suspeitos, aumentando, assim, o índice de notificação e confirmação da doença. E este ano, como Manaus está registrando um período de chuvas mais prolongado, o aumento no número de casos já era esperado”, destaca

Marinélia Ferreira. Apesar do aumento de casos confirmados, informa Marinélia Ferreira, o número de casos notificados de dengue este ano, que são os casos suspeitos, apresentam uma redução de 31,04%, em comparação com o período de janeiro a abril do ano passado. Os dados apresentados pela Semsa também mostram variação nas notificações de casos de zika vírus e chikungunya. Entre janeiro e 25 de abril deste ano, Manaus teve 39 casos notificados de chikungunya e 43 de zika vírus. Entre janeiro e abril do ano passado, foram 70 casos notificados de chikungunya e 205 de zika vírus. As notificações de dengue, que foram de 905 casos nesse mesmo período do ano passado, chegaram a 624 este ano. No total, Manaus apresenta este ano uma redução de 40,1% na notificação das três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. “Sempre ocorre um aumento dos

Locais mais propícios para a reprodução do Aedes aegypti são vasos de plantas e objetos onde a água possa ficar acumulada

casos de doenças transmitidas pelo Aedes no início do ano, seguindo até maio, devido ao inverno amazônico e o aumento do número de depósitos de água que servem como focos de proliferação do mosquito. Depois desse período, há sempre redução nas notificações, mas é preciso que a população fique atenta na eliminação dos depósitos dentro das residências, para que as medidas de controle executadas pelos serviços de saúde tenham eficácia”, alerta Marinélia.

Controle

As ações de controle executadas pela Semsa incluem o trabalho de orientação da população para a aplicação do checklist “10 minutos contra o Aedes”, com verificação semanal para manter o ambiente domiciliar livre de larvas do mosquito. Agentes comunitários de saúde e agentes de endemias realizam ainda ações de educação em saúde, para orientar a população sobre os sinais e sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes, e as formas de prevenção para combater os focos propícios para a criação e reprodução do mosquito transmissor. Durante as visitas domiciliares, quando necessário, os agentes aplicam o larvicida nos depósitos que não podem ser eliminados e fazem a distribuição de capas protetoras para reservatórios de água em nível do solo. A Semsa, a partir de notificação de casos pelo sistema de saúde, também faz o controle químico com inseticida.


8

SAÚDE MANAUS

MAIO DE 2019

RESOLUTIVIDADE

Regula+Brasil vai agilizar a regulação de serviços na Atenção Primária

M

FOTO: JOSÉ NILDO/SEMSA

anaus é a quarta capital brasileira a ser contemplada pelo projeto Regula+Brasil, ação do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), do Ministério da Saúde, desenvolvido pelo Hospital Sírio-Libanês, em parceria com os municípios brasileiros. A subsecretária municipal de Gestão da Saúde, da Semsa, Adriana Elias, recebeu os coordenadores do Regula+Brasil, Rodrigo Wilson de Souza e Marcus Zuanazzi, para tratar dos ajustes para que o projeto seja implementado ainda no primeiro semestre. “Estamos definindo ações conjuntas e de articulação para a implantação na rede municipal de saúde, já a partir do mês de maio”, explicou Adriana. Segundo os coordenadores, a implementação desse projeto resultará em maior qualificação dos processos de regulação, o que deverá assegurar maior resolutividade nos serviços oferecidos na Atenção Primária do município. A ação deverá permitir a expansão do programa de Telessaúde Brasil

participam do núcleo remoto de regulação. Esses profissionais, de forma integrada a uma rede de Telemedicina avaliam, baseados em protocolos, o caso do paciente com o objetivo de acelerar o processo de direcionamento às unidades de saúde especializadas. Atualmente, a marcação de exames e consultas de maior complexidade precisa passar pelo Sistema de Regulação, o SisReg, processo demorado, com grande fila de espera.

Resolutividade

Equipe do hospital Sírio Libanês esteve na Semsa tratando dos detalhes do projeto

Redes do MS, com foco na telerregulação. O Regula+Brasil já está em funcionamento em Porto Alegre, Belo Horizonte e Distrito Federal. De acordo com os coordenadores, Rodrigo de Souza e Marcos Zuanazzi, existe a previsão, até o fim do primeiro semestre de 2019, do lançamento e da

implementação do projeto no Estado do Amazonas.

Regulação

De acordo com o projeto, o paciente que necessita do encaminhamento especializado passa de imediato por uma avaliação feita por uma equipe de médicos, que

O Regula+Brasil permite que os médicos do núcleo remoto de regulação, em caso de dúvidas sobre o encaminhamento do paciente, entrem em contato com o profissional da Unidade Básica de Saúde (UBS) para reavaliar o caso. A medida vai evitar que o paciente seja encaminhado de forma desnecessária a especialistas, além de reduzir filas de espera no atendimento. A ação aumenta ainda a taxa de resolução na própria unidade de saúde e ajuda a capacitar os médicos das UBSs, a partir da discussão de casos.

Projeto Consultório na Rua é selecionado para a mostra nacional “Brasil, aqui tem SUS”

O

FOTO: DIVULGAÇÃO/SEMSA

projeto Consultório na Rua, que o Núcleo de Saúde dos Grupos Especiais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) desenvolve desde 2015, em Manaus, foi um dos seis selecionados, no Amazonas, para participar da 16ª “Mostra Brasil aqui tem SUS”, realizada em Brasília/DF, entre os dias 2 e 5 de maio, pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), durante o XXXV Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. A mostra, que vai reunir 500 experiências bem-sucedidas de práticas de promoção da saúde dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), distribuídas por todos os Estados do país, é um espaço de troca de experiências e de reconhecimento do trabalho que os municípios vêm desenvolvendo para garantir atenção à saúde de qualidade. No Amazonas, o projeto Consultó-

EXPEDIENTE

rio na Rua concorreu com trabalhos como a “elaboração de estratégias de cuidado para gestantes”; “um perfil dos beneficiários do programa Leite do Meu Filho em Manaus”, entre outros. O Consultório na Rua é formado por uma equipe de profissionais de diferentes áreas. A equipe percorre as ruas de Manaus levando a essas pessoas atendimento, exames e tratamentos médicos. A coordenadora do “Consultório” em Manaus, Wanja Leal, classifica essa ação como gratificante “A cada vez que a gente consegue propiciar esse atendimento a alguém, pegar um morador de rua e recuperar a saúde, a alegria, até a reaproximação do convívio familiar, é uma vitória muito grande. Isso é realmente fazer a diferença na vida de uma pessoa, o que é uma felicidade enorme para todos”, conta. Uma enfermeira, um técnico em

Experiência bem-sucedida de Manaus foi uma das 500 apresentadas na mostra em Brasília

enfermagem, uma assistente social, uma psicóloga e um motorista formam a equipe que, diariamente, vai até as áreas que concentram os grupos em situação de rua de Manaus. “O trabalho que nós fazemos é

in loco. É preciso levar a oferta de saúde para além dos muros dos hospitais e unidades de saúde, levá-la às pessoas que não têm acesso a esses serviços, como infelizmente é o caso da população de rua”, afirma Wanja.

Eric Gamboa Secretário Municipal de Comunicação | Elendrea Cavalcante Subsecretária Municipal de Comunicação | Jornalista Responsável Sandra Monteiro MTB 001219/AM Textos Decom Semsa | Revisão Dernando Monteiro | Fotos Decom/Semsa | Projeto Gráfico Aline Ribeiro

Profile for intranet.semsa

Saúde Manaus 09  

Saúde Manaus 09  

Advertisement