Issuu on Google+

SÁBADO 11, JANEIRO, 2014

Briga pela

SÉRIE D Expedito Madruga

Um campeonato à parte. É assim que o bloco intermediário encara o Paraibano 2014. Sem ter o mesma saúde financeira que os três grandes, o sonho em comum do "resto" é o mesmo: chegar à Série D e garantir calendário para o segundo semestre. E o trabalho ficou, em tese, mais fácil. Com Botafogo e Treze já garantidos na Série C, a vaga pode ficar até com o terceiro colocado - desde, é claro, que os alvinegros decidam o título. O adversário em comum no sonho de chegar ao Campeonato Brasileiro é o Campinense. E a fórmula para ter sucesso nessa empreitada também é a mesma. "Terminar a primeira fase em primeiro pode significar uma grande chance de disputar a Série D. Esse é o objetivo do Sousa", revelou o presidente do Dino, Aldeone Abrantes. De fato, esse realmente pode ser um diferencial. Afinal, quem se classificar já na primeira fase, além de se garantir no mata-mata, também terá o direito de jogar por dois resultados iguais contra os dois que vierem da segunda fase. O CSP também se anima em

disputar pela primeira vez uma competição nacional. Junto com o Sousa, é uma boa aposta para surpreender em 2014. Além de manter a base dos três últimos anos, com jogadores de qualidade como o volante Daniel e o meia Tazinho, o Tigre ainda procurou se reforçar. A grande aposta é o atacante Gil Bala, campeão brasileiro da Série D pelo Botafogo, que agora volta ao clube que o revelou. "Me sinto em casa aqui no CSP. O pensamento não pode

ser outro, senão ajudar esse clube a conseguir seus objetivos. E chegar à Série D é um deles", avisou Gil. EFEITO BATE-VOLTA Para os outros cinco times, a vaga na Série D é até possível, mas o primeiro objetivo é mesmo se manter na elite para 2015. E nesse grupo estão incluídos três ex-campeões estaduais: Auto Esporte, Atlético e Santa Cruz de Santa Rita. Apesar dos elencos modes-

tos, estão um degrau à frente da Queimadense, cuja maior contratação está no banco de reservas - o técnico Washington Lobo. Já o Sport Campina... Bem, para o caçula somar o primeiro pontinho em jogos oficiais já estará de bom tamanho. Disputar o Paraibano sem nunca ter sequer empatado uma partida na 2ª divisão dá a ideia do que virá pela frente: ser o saco de pancadas e o fiel da balança para a artilharia do Estadual.

Os principais estádios da Paraíba estão passando por reformas e tiveram suas capacidades reduzidas por determinação do MP

A POLÊMICA

ESTÁDIOS

Y CGE.

Campeão brasileiro da Série D pelo Botafogo, o atacante Gil Bala está de volta ao CSP, onde iniciou a carreira. O Tigre espera surpreender mais uma vez e garantir calendário para o segundo semestre

Entra ano, sai ano, e a história é a mesma: o Campeonato Paraibano corre o risco de não começar por causa da precariedade dos estádios, que não se ajustam ao Estatuto do Torcedor. Em 2014 o imbróglio ficou ainda mais sério. A competição, que começaria no dia 5, foi adiada em uma semana simplesmente porque não tinha estádio liberado. Até mesmo cidades sem clubes disputando o Paraibano, como Caaporã, Bananeiras e Lucena, chegaram a estar cotados para receber jogos. A situação ficou ainda mais complicada porque todos os estádios indicados pelos clubes passam por reformas: Almeidão e Graça (João Pessoa), Amigão (Campina Grande), Marizão (Sousa) e Perpetão (Cajazeiras). Já o Teixeirão, onde o Santa Cruz pretendia mandar seus jogos,

foi definitivamente vetado. A solução encontrada foi a mesma de sempre: limitar a presença dos torcedores, fechando alguns setores das arquibancadas. Assim, a capacidade do Almeidão e do Amigão, os maiores estádios da Paraíba, ficaram em 8.600 torcedores, e assim mesmo, só na arquibancada geral. SEM DATAS O adiamento do Campeonato Paraibano pode trazer um outro problema. Com o calendário já apertado por causa da Copa do Mundo, a Federação terá que quebrar a cabeça para formatar uma tabela com 32 rodadas, contando com duas fases e mais uma semifinal e uma final. A situação é ainda mais grave porque Botafogo e Treze também disputam a Copa do Brasil e, caso sigam adiante, precisarão de novas datas.

CAMPINENSE

SOUSA

Na Bela Vista, todos acreditam que o time só não foi campeão paraibano por causa do regulamento. Ainda assim, a perda custou caro para a Raposa. Do time campeão da Copa do Nordeste, apenas o volante Wellington e o meia Ricardo Maranhão fazem parte do grupo. Pelo menos, o roteiro é o mesmo do ano passado: um time desconhecido que foi longe. Quem sabe...

Se tem um clube que impõe respeito, este é o Sousa. O Dinossauro é mestre em surpreender os grandes. Que o diga o Treze, que viu os sertanejos fazerem a festa em pleno Amigão em 2009, no último título do clube. Para 2014, o objetivo é aproveitar o regulamento para ter vantagem no matamata e assim conseguir, pelo menos, beliscar uma vaguinha na Série D.

CAMPINENSE CLUBE

SOUSA ESPORTE CLUBE

COLOCAÇÃO EM 2013: 8º colocado

ENDEREÇO: Rua Rodrigues Alves, s/nº, Bela Vista - Campina Grande

ENDEREÇO: Rua Capitão Manoel

NOS ÚLTIMOS 10 ANOS:

Gadelha Filho 57, 1º andar - Sousa

FUNDAÇÃO: 12 de abril de 1915

FUNDAÇÃO: 10 de julho de 1991

PATROCINADOR: Prefeitura de Campina Grande e Unimix

PATROCINADOR: Não tem

MATERIAL ESPORTIVO: Rota do Mar

MATERIAL ESPORTIVO: Rota do Mar

TÍTULOS: Copa do Nordeste (2013) e Campeonato Paraibano (1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1967, 1971, 1972, 1973, 1974, 1979, 1980, 1991, 1993, 2004, 2008 e 2012)

TIME-BASE: Ivan, Osvaldir, David, Victor Cardoso e Adriano Chuva; Janderson, Wellington, Thiago Ferreira e Anderson Safira, Cláudio e Valdo. Técnico: Paulo Schardong

COLOCAÇÃO EM 2013: 4º colocado

2013 - 8º 2012 - 2º 2011 - 5º 2010 - 4º 2009 - campeão

2008 - 3º 2007 - 3º 2006 - 8º 2005 - 6º 2004 - 6º

L KGE.

TÍTULOS: Paraibano (1994 e 2009);

Eduardo Recife volta ao Dinossauro para tentar surpreender os grandes

Paraibano da 2ª divisão (1991)

TIME-BASE: Eduardo; Eduardo Recife, Kelvin, Rogério e Camilo; Algodão, Rafael Paraná, Dunga e Paulinho Mossoró; Agostinho e George. Técnico: Paulo Júnior

G G

NOS ÚLTIMOS 10 ANOS:

CSP

2013 - 4º 2012 - campeão 2011 - 3º 2010 - 3º 2009 - 3º 2008 - campeão 2007 - 4º 2006 - 3º 2005 - 4º 2004 - campeão

O Tigre não quer mais se contentar com migalhas. Depois de bater na trave em 2011, quando foi vice-campeão, e 2013, com o terceiro lugar, chegou a hora de entrar no rol dos grandes. Para isso, conta com um time que joga junto há mais de três anos e sob a batuta do mesmo técnico, Ramiro Sousa. Na pré-temporada, venceu o Botafogo e empatou com o ABC. Belas credenciais.

CENTRO SPORTIVO PARAIBANO

COLOCAÇÃO EM 2013: 3º colocado

ENDEREÇO:RuaJessédaCostaCabral,669,

NOS ÚLTIMOS 10 ANOS:

Funcionários II - João Pessoa

FUNDAÇÃO: 8 de abril de 1996 PATROCINADOR: Jads Temperos

2013 - 3º 2012 - 7º 2011 - 2º 2010 - n/d 2009 - n/d

2008 - n/d 2007 - n/d 2006 - n/d 2005 - n/d 2004 - n/d L B

MATERIAL ESPORTIVO: Rota do Mar TÍTULOS: Paraibano da 2ª divisão (2010) TIME-BASE: Ferreira; Rhair, Suellinton, Valdo Gigante foi o último a chegar para reforçar o ataque raposeiro: missão é reconquistar a hegemonia do futebol na PB

Luiz Paulo e Márcio; Peu, Daniel Paraíba, Leandro e Tazinho; Carioca e Helinho Paraíba. Técnico: Ramiro Sousa

Tazinho subiu com o CSP em 2010 e continua sendo a grande referência


03 espjp 11 01 14