Issuu on Google+


A

O Guia, com modelo prático, estará sempre à mão do profissional da construção civil oferecendo serviços e oportunidades para todos que fazem parte do segmento mais expressivo do país .

O Guia de Fornecedores de Materiais e Serviços será um facilitador de negócios e chegará às mãos dos profissionais de compras em cerca de 1.100 empresas da construção civil.

Para quem procura e para quem quer vender: O Guia de Fornecedores de Materiais e Serviços será a oportunidade de você divulgar sua marca por um preço menor e ser visto por centenas de pessoas do setor da construção civil.

partir do próximo mês o Sinduscon vai oferecer mais um serviço ao setor. Será um guia de serviços que chega junto com sua revista Notícias da Construção que completa a 7ª edição.

TABELA DE PREÇOS Dimensões (cm) Alt. x Larg.

(1) Edição

(6) Edições

(12) Edições

5x5

125,00

110,00

100,00

10 x 5

255,00

230,00

210,00

5x9

200,00

180,00

170,00

10 x 9

460,00

420,00

390,00

5 x 14,2

360,00

330,00

300,00

5 x 19,4

490,00

450,00

420,00

10,2 x 19,4

700,00

650,00

600,00

Seja visto por quem realmente interessa, anuncie no Guia da revista Notícias da Construção.

Anuncie: ( 12 )

3931.2356

contato@digitalpress.art.br


EDITORIAL

A José Roberto Alves

Diretor da Regional São José dos Campos do SindusCon-SP

UNIÃO DE FORÇAS PARA APROVEITAR O CICLO DE INVESTIMENTO O poder municipal e o legislativo, os líderes da sociedade civil, o setor privado local, os trabalhadores e seus representantes na região, todos devem se unir para que os investimentos que chegam à região fiquem em nossas cidades.

Agradecemos a todos os anunciantes e colaboradores. Envie sua sugestão de matéria, participe, dê sua opinião. sindusjc@sindusconsp.com.br Fone: (12) 3942-5007

s cidades da nossa região têm que crescer mantendo a qualidade de vida, de seus habitantes sem perder as oportunidades que surgem todo dia. Toda chance de negócio que ocorrer dentro da nossa região, nas nossas cidades, deve ser uma oportunidade que mobilize os atores regionais para que as empresas e os trabalhadores da região participam como protagonistas deste investimento. O poder municipal, o legislativo, os líderes da sociedade civil, o setor privado local, os trabalhadores e seus representantes na região, todos devem se unir para que os investimentos que chegam, fiquem em nossas cidades, sejam empreendidos e executados pelas nossas empresas e que empreguem os trabalhadores locais. O poder municipal deve ser o grande líder dessa iniciativa, juntamente com o Legislativo ele pode orientar e apoiar os empresários locais a ocupar melhor o seu espaço dentro das oportunidades que estão surgindo, simplificar e agilizar a burocracia na aprovação de projetos, criar um ambiente positivo para os negócios, definir regras claras, torcer pelo sucesso das empresas locais. As empresas da nossa região, devem se preparar e tornar-se cada vez mais competitivas e modernizar cada vez mais a sua gestão, buscar novas tecnologias, melhorar continuamente a qualidade de seus produtos, investir na qualificação de seus colaboradores e ter como principal objetivo, satisfazer seu cliente. As lideranças empresariais e dos trabalhadores juntamente com as instituições SESI, SENAI, SESC, SENAC, faculdades e escolas técnicas devem fazer um grande esforço para motivar e conscientizar os trabalhadores a buscarem o conhecimento e a qualificação para melhorar e ampliar a força de trabalho da região. Se os líderes políticos, empresariais e dos trabalhadores de nossa região se unirem, poderemos tornar nossa região,

cada vez mais próspera nos próximos anos, com menos violência, mais qualidade de vida, com empresas locais mais fortes e competentes e com mão de obra altamente qualificada. Para nós do SindusCon esse é o grande desafio de 2011: Retratarmos aqui na revista dirigida ao setor o cotidiano das ações promovidas pela Regional. Você vai acompanhar nessa sexta edição da Notícias da Construção temas como a parceria entre SindusCon-SP e as universidades visando ampliar a qualificação dos profissionais do setor. A Regional tem um compromisso permanente com a qualidade da formação de profissionais na área da construção civil. Na reportagem de capa tratamos a questão da Política Nacional de Resíduos Sólidos que São José dos Campos assume soluções dianteira com alternativas diante do o fechamento dos aterros públicos fazendo com que o empresário do setor seja integralmente responsável pelo descarte de seus resíduos. Debatemos nessa edição a importância das certificações da qualidade e produtividade, ótimas ferramentas para manter uma empresa atualizada e ativa no setor em que atua. Vai conferir ainda toda a programação de fevereiro 2011 preparada pela Regional e o impacto positivo dos cursos promovidos na cadeia produtiva em 2010. Vamos falar também do CompraCon que se consolida a cada dia e traz novidades este ano. Em Taubaté conferimos o `boom’ na área da construção com credibilidade e crescimento ordenado. E entre outras reportagens nessa edição destacamos a editoria Empresário Cidadão que fala sobre o projeto educacional que atende 220 crianças mantidas por uma empresa do setor da Construção. Investimento que evidência que nosso segmento está cada vez mais preocupado em manter um relacionamento estreito com a sociedade e com as comunidades onde atua.

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

3


índice

05 Compracon

Se consolida e traz novidades em 2011.

06 Urbanismo

O desafio da beleza sustentável.

08 QUALIDADE

Certificação é a ferramenta eficaz para manter uma empresa atualizada e ativa no setor em que atua.

10 Empresário cidadão

Lições de solidariedade dos empresários do setor.

12 Serviços

Para o sonho da casa própria não virar pesadelo.

14 Meio Ambiente & Sustentabilidade

Política Nacional de Resíduos Sólidos São José se adianta as regras da nova lei.

17 Taubaté

Cidade se expande na construção e mantém credibilidade e crescimento ordenado.

18 Mogi das Cruzes

Oferece curso sobre as novas regras para preenchimento da SEFIP/GFIP 8.4.

20 LOGÍSTICA

Parceria entre SindusCon-SP e universidades busca ampliar qualificação dos profissionais para o setor.

22 Agenda de fevereiro

Oferece cursos de Mestre de Obras em Mogi e Fundamentos da Engenharia econômica.

Presidente Sergio Tiaki Watanabe Vice-presidentes Cristiano Goldstein Delfino Paiva Teixeira de Freitas Francisco Antunes de Vasconcellos Neto Haruo Ishikawa José Antonio Marsílio Schwarz José Carlos Molina José Roberto Pereira Alvim Luiz Antônio Messias Marcos Roberto Campilongo Camargo Maristela Alves Lima Honda Mauricio Linn Bianchi Odair Garcia Senra Paulo Brasil Batistella Diretores das Regionais José Batista Ferreira (Ribeirão Preto) José Roberto Alves (São José dos Campos) Luís Gustavo Ribeiro (Presidente Prudente) Luiz Cláudio Minniti Amoroso (Campinas) Renato Tadeu Parreira Pinto (Bauru) Paulo Piagentini (Santo André) Ricardo Beschizza (Santos) Ronaldo de Oliveira Leme (Sorocaba) Silvio Benito Martini Filho (São José do Rio Preto) Representantes Junto à FIESP Titulares: Eduardo Capobianco, João Claudio Robusti Suplentes: Sergio Porto, Artur Quaresma Filho Assessoria de Imprensa Rafael Marko - (11) 3334-5662 Nathalia Barboza - (11) 3334-5647

sessão leitor É muito importante receber mensalmente o conteúdo da revista Notícias da Construção. Parabéns pela iniciativa. Carlos Alberto, Estudante e morador do Jardim Aquarius.

Eu e meu marido somos donos de um pequeno deposito. Recebemos e lemos juntos a revista Notícias da Construção. Julia M. Teixeira, Comerciante e moradora do Jardim Satélite.

Acho que o setor é bastante desunido e a revista é uma forma de trazer todos para debater problemas tão comuns ao segmento. Antonio N. Fonseca, Empresário e morador da Vila Adyana.

Acompanho as matérias de muita valia na revista Noticias da Construção e sugiro uma matéria referente a seguro de risco engenharia. Douglas Moreira, Corretor.

Faça como esses leitores da Revista Notícias da Construção: envie sugestão de matéria, participe, dê sua opinião.

55 12 3942-5007 - sindusjc@sindusconsp.com.br - www.sindusconsp.com.br Leia a revista on line no site: www.interarte.com.br 4

Regional São José dos Campos

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Assessoria de Imprensa e textos Alameda Comunicação Realização Interarte Comunicação - 12 3207.7910 Editora: Angela Lima (MTB 30.689). Direção de arte: Celso Prado. Design gráfico: Marcus Toledo. Comercial: Celso Battistini, Marlene Brandão, Mara Couto, Elisangela Sousa. Tiragem 3.000 exemplares. para anunciar Tel.: (12) 3931.2356 E-mail: contato@interarte.com.br


compracon

CompraCon se consolida e traz novidades em 2011 A Regional foi a primeira a reproduzir a experiência adotada pela entidade estadual e já comemora os resultados dessa implementação.

É

cada vez mais forte a percepção de que o CompraCon-SP (Associação de Compras da Construção Civil no Estado de São Paulo) se consolidou como uma importante ferramenta junto aos associados do SindusCon-SP Regional São José dos Campos. A Regional foi a primeira a reproduzir a experiência adotada pela entidade estadual e já comemora os resultados dessa implementação. Segundo o Diretor Administrativo da Costa Vituzzo Construtora e Incorporadora e Conselheiro do CompraCon da Regional de São José dos Campos, Marco Aurélio Vituzzo, a estrutura da associação está crescendo na medida que as construtoras vão se associando e utilizando os convênios. “Temos ainda muitas oportunidades no desenvolvimento de fornecedores parceiros não só da região como para todo o Estado de São Paulo”. Para o conselheiro, o fato do Vale do Paraíba ser um pólo econômico muito importante a nível nacional e onde as atividades de diversos setores, incluindo a construção civil, estão aquecidas, contribuiu para a regionalização do CompraCon. “Já coordenávamos uma Associação de Compras composta por 15 construtoras e havia fila de espera de associados. Vimos então no CompraCon uma oportunidade de organizar e profissionalizar esta atividade. O custo de materiais e serviços onde o CompraCon atua corresponde a aproximadamente 60% do custo de um obra, daí a importância dessas parcerias onde fornece-

Essa ferramenta nos proporcionou comprar alguns produtos com um preço realmente diferenciado. Fiz negócios vantajosos. Eli Carlos Rosa, sócio-diretor da Ópera Construtora e Incorporadora

dores conveniados ganham volume de vendas e os associados preço, qualidade e garantia de entrega”. De acordo com Vituzzo, todos os convênios – cerca de 10 -- estão sendo revistos e outros estão em fase de negociação. “Além disso, estamos planejando um evento para março a fim de divulgar nossos convênios para associados e não associados. Teremos ainda a divulgação de ofertas relâmpago de fornecedores pela internet, além de compras conjuntas com outras regionais”.

Experiência – Para o sócio-diretor da Ópera Construtora e Incorporadora, Eli Carlos Rosa, o CompraCon foi uma novidade muito boa. “Além de conhecer outras empresas, essa ferramenta nos proporcionou comprar alguns produtos com um preço realmente diferenciado. Fiz negócios vantajosos”. Segundo Rosa, a experiência em utilizar o CompraCon foi interessante e que ele recomenda.

Como se associar – Para aderir ao CompraCon, a construtora ou incorporadora precisa ser associada SindusCon-SP. Os interessados devem apresentar uma série de documentos e efetuar o pagamento de uma taxa única de adesão no valor de R$ 250,00. Não há mensalidade e após a adesão, a empresa passa a receber a tabela de preços dos fornecedores, além da atualização permanente das informações via e-mail. NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

5


URBANISMO

Foto: Marcos Pinto

O desafio da beleza sustentável Projeto elaborado pelos arquitetos Eduardo Bevilacqua e Vanessa Bevilacqua, de São José dos Campos.

Q

os últimos anos, é flagrante o aumento no número de obras, sejam residenciais ou comerciais em toda a região. O que, talvez, seja mais difícil de perceber é a relação deste ‘boom imobiliário’ com o surgimento de novidades no segmento da construção civil, especialmente em relação a materiais que valorizem a estética do empreendimento e o uso de tecnologias sustentáveis nas obras. que visam à preservação do meio ambiente através do uso correto dos recursos naturais. Em projetos de ampliação, reformas mais simples ou em construções de grande porte, as construtoras têm compreendido a necessidade da utilização dos “ecoprodutos”, materiais menos poluentes, atóxicos, que não prejudicam o meio ambiente e ainda garantem a saúde e o bem-estar dos consumidores. 6

Regional São José dos Campos

No entanto, de acordo com profissionais da área de construção civil como a Designer de Interiores Viviane Renó, de São José dos Campos, o Vale do Paraíba ainda é considerado uma região carente de obras que aliam a preocupação ambiental com a beleza exterior do empreendimento. Segundo Viviane, as empresas ainda estão iniciando seus investimentos em produtos mais resistentes e técnicas de aplicação mais duradouras, bem como no acompanhamento de tendências de cores diferenciadas visando alcançar esses dois importantes objetivos que atraem e muito o consumidor final. “Existem diversos materiais sendo lançados e que estão substituindo aos poucos os antigos, como, por exemplo, revestimentos utilizados na produção de texturas. Se antes elas duravam, em mé-

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

dia, quatro anos, hoje com novas marcas podem durar até oito anos”, diz. A designer afirma que atualmente os empresários, especialmente de obras de grande porte, podem contar com revestimentos de primeira linha, resistentes a mofos e fungos e que inibem aparições de fissuras e trincas, além de deixar o acabamento muito mais bonito, sem danificar o meio ambiente. “Os novos materiais estão sendo desenvolvidos a base de água, resina acrílica e pigmentos automotivos. São também atóxicos e possuem baixa emissão de COV (Componentes Orgânicos Voláteis) que respeitam a natureza. Por tudo isso é possível encontrar no mercado, produtos de empresas que atuam comprometidas com a beleza e a sustentabilidade do empreendimento”, afirma Viviane.


Foto: Marcos Pinto

Projeto elaborado pelos arquitetos Eduardo Bevilacqua e Vanessa Bevilacqua.

PERSOLO

Fundações e Sondagem

De acordo com a designer, as condições geográficas, topográficas, culturais e econômicas do local da obra e também do consumidor final devem ser respeitadas. Itens como beleza, conforto e praticidade são condições pré-definidas na elaboração de um projeto e podem ser variáveis, mas soluções básicas podem ser aplicadas tanto na área urbana quanto em construções nas áreas rurais. “O mercado nos oferece uma infinidade de produtos e novas técnicas, mas é importante lembrar que a própria natureza nos fornece materiais originados de fontes sustentáveis e que embelezam qualquer empreendimento, sejam em ambientes internos ou externos. Madeiras certificadas, bambus e pedras são alguns exemplos de recursos naturais que podem substituir peças industrializadas que causam impactos ambientais diretos e indiretos e podem custar muito mais caro,” completa.

• ESTACAS ESCAVADAS • TUBULÕES MECANIZADOS • SONDAGEM À PERCUSSÃO • SOLO GRAMPEADO

Desde 1988

(12)

3912-7181

Estr. Mun. Martins Guimarães, nº 911 - Vila Tesouro - SJCampos - SP - CEP: 12221-520

contato@persolo.com.br NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

7


QUALIDADE

Certificar

para melhorar A região possui pelo menos 43 empresas certificadas no PBQPh nos níveis de D a A.

E

m tempos de mercado competitivo e de mudanças constantes no comportamento e nas características de clientes e fornecedores, as certificações de qualidade e produtividade são ótimas ferramentas para manter uma empresa atualizada e ativa no setor em que atua. Na construção civil é cada vez maior o número de empresas que buscam se adequar as padronizações preconizadas por estas normas de procedimento padrão.

Hoje em dia, possuir uma certificação ISO 9000, por exemplo, não é mais um diferencial, mas quase uma obrigação exigida pelo mercado. A certificação de uma empresa é a confirmação de um trabalho intenso de qualidade, que engloba não somente processos, mas uma mudança na cultura empresarial em todos os níveis – da direção aos responsáveis pelos processos operacionais Segundo dados da Ágape Consultoria, empresa que trabalha com a implanFoto: Divulgação

Filipe Chede Almendary com o seu certificado. Construtora Chede e Almendary.

8

Regional São José dos Campos

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO


Hoje em dia, possuir uma certificação ISO 9000, por exemplo, não é mais um diferencial, mas quase uma obrigação exigida pelo mercado.

tação de ISO há mais de dez anos na região e agora com o PBQPh (Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat), ter uma certificação significa que a empresa está profissionalizada, controlada e sabendo exatamente o que, quando e como fazer. “A empresa que busca a certificação PBQPh e ISO 9000 está em dia com as exigências do mercado e pensa exclusivamente na satisfação dos seus clientes. Além disso, está apta a concorrer a financiamentos de empreendimentos em instituições bancárias e a participar de licitações e exigências comerciais de importantes clientes, não somente nacionais como internacionais”, afirmou a sócia diretora da Ágape, Eunice do Nascimento e Silva. Segundo ela, a região possui pelo menos 43 empresas certificadas no PBQPh nos níveis de D a A. Processo – Na costrução civil como em outros setores, o primeiro passo para a certificação é contatar uma empresa certificadora reconhecida no mercado para que seus analistas visitem e verifiquem dados como questões contratuais e comerciais da empresa a ser credenciada. O passo seguinte é a realização de diagnóstico para que a certificadora entenda melhor o funcionamento da construtora já confrontando a realidade da empresa com as exigências do PBQPh. Após o diagnóstico, é preciso formar um Comitê de Qualidade integrado por pessoas do escritório e da obra. A partir daí tem início a fase dos treinamentos. São 20 horas de treinamento antes da consultoria e 20 horas durante

a consultoria. Após essa fase, começa a implantação dos procedimentos e controles exigidos pela norma de padronização. Após a implantação, tem início a fase das auditorias. A auditoria interna é realizada pela certificadora e a auditoria externa pelo Órgão Certificador Credenciado. A empresa é certificada somente após a realização da auditoria externa e as soluções aos pontos não conformes encontrados. Experiência – Segundo o proprietário da Construtora Chede e Almendary, Filipe Chede Almendary, que possui a certificação do PBQPh nível B e que esse ano passará para o nível A, ter a certificação foi uma exigência da Caixa Econômica Federal. “Apesar de ter sido inicialmente uma exigência do banco, colhemos muitos frutos e otimizamos nossos processos que vão desde a aquisição da matéria prima até a execução de serviços no canteiro de obras”. De acordo com Almendary, com a certificação a empresa passou a ter maior controle de prazos e orçamentos, qualidade do serviço e do material adquirido. “E com a evolução do programa para o nível B, tivemos um foco maior na organização interna da empresa e atendimento ao cliente”. Para o empresário, o maior obstáculo enfrentado na busca pela certificação foi mudar a cultura de gestão da construtora. “Mesmo assim, eu recomendo, porque a certificação só traz benefícios. Para isso temos treinamento e fica claro qual a atividade cada um tem que exercer. Os funcionários ficam mais engajados”.

A certificação de uma empresa é a confirmação de um trabalho intenso de qualidade.

Empresas certificadas no PBQPh e ISO 9000 na região Nível A e ISO (100%) 10 empresas Nível B e ISO (70%) 08 empresas Nível C e ISO (50%) 10 empresas Nível D e ISO (10%) 15 empresas

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

9


Empresário Cidadão

Construindo

Responsabilidade As empresas do setor também estão preocupadas em alicerçar suas ações junto ao Terceiro Setor.

Q

ual é o papel da indústria da Construção Civil? Com certeza, ele vai muito além do que projetar e construir imóveis. O setor tem cada vez mais se preocupado em manter um relacionamento estreito com a sociedade e com as comunidades onde atua, ou seja, empresas do setor também estão preocupadas em alicerçar suas ações junto ao Terceiro Setor. Esse é o caso do proprietário da Barão Engenharia, Antonio Carlos Wolff Nadolny, que com a ajuda de amigos e a parceria de empresas e principalmente com o reconhecimento da sociedade civil organizada, colocou em prática o verdadeiro significado do termo Responsabilidade Social – criou, em 1999, a Sociedade Beneficente São Matheus. A entidade, que funciona no bairro Chácara Primavera, na zona leste de São José dos Campos, oferece atendimento social a um grupo de cerca de 220 crianças que são divididas entre a pré-escola e o ensino fundamental.

Empresa premiada: O projeto rendeu a Barão Engenharia o prêmio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção de Responsabilidade Social em 2007. “A verdadeira importância desse prêmio é ter a chance de passar para frente e a outros empresários a ideia de que é possível realizar uma ação social. O objetivo é que nosso trabalho sirva de exemplo e que esse tipo de ação se multiplique pelo Brasil inteiro”.

Outras 450 crianças estão cadastradas no Centro Social São Matheus que oferece cursos de informática e disponibiliza biblioteca, além de uma sala de teatro e cinema. “Temos o apoio da Escola Monteiro Lobato que oferece todo o suporte pedagógico às crianças, além dos materiais montessorianos. Mas a grande ajuda foi o “empréstimo” da marca Monteiro Lobato dado ao ensino fundamental. Temos muito orgulho dessa parceria”, afirmou Nadolny.

10

Regional São José dos Campos

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

O prêmio foi criado pelo Fórum de Ação Social e Cidadania com o objetivo de fortalecer e estimular o desenvolvimento de ações sociais no setor da construção e do mercado imobiliário, disseminar a cultura da responsabilidade social e promover o intercâmbio de informações com as organizações dedicadas ao tema Responsabilidade Social.

Sociedade Beneficente São Matheus; oferece atendimento social a um grupo de 220 crianças. Fotos: Barão


Foto: Barão

Cultura empresarial para a filantropia A Construtora Marcondes Cesar, de São José dos Campos, é parceira no trabalho em prol das pessoas com deficiência. Consciente da importância da capacitação e qualificação desses profissionais para o mercado de trabalho, ela apóia o projeto social SORRI – que oferece suporte para práticas cotidianas do mercado de trabalho como conceitos de assiduidade, postura, pontualidade, entre outros. Segundo a diretoria da construtora, a parceria começou com o voluntariado no desenvolvimento de projetos. A Marcondes Cesar também dá su-

porte e está ajudando na construção da sede de uma entidade que trabalha com crianças especiais oferecendo terapias alternativas. Com a realização de eventos, consegue arrecadar dinheiro para a construção. Para a diretoria da Marcondes Cesar, os empresários estão levando a cultura empresarial para a filantropia e isso é de grande importância para todos.

A verdadeira importância desse prêmio é ter a chance de passar para frente e a outros empresários a ideia de que é possível realizar uma ação social. Antonio Carlos Wolff Nadolny, proprietário da Barão Engenharia.

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

11


serviços

Para o sonho não virar pesadelo Compra de imóvel: O assunto deve ser tratado com critério e reflexão.

T

er uma casa própria é o sonho de muitos brasileiros. Alguns porque querem ter mais independência, outros porque vão se casar, tem também aqueles que precisam de um local maior porque vão chegar novos membros à família, enfim, os motivos são vários. Mas é preciso cuidado, porque o sonho pode muitas vezes se tornar um pesadelo. Segundo o Chefe da Divisão de Defesa do Consumidor do Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) de São José dos Campos, Sérgio Antonio Santos Neves, alguns pontos devem ser considerados na momento da assinatura do contrato para a compra do imóvel. “O consumidor deve conhecer outros empreendimentos que foram entregues pela empreendedora, saber se ela tem reclamações junto aos órgãos de defesa

12

Regional São José dos Campos

do consumidor ou do Poder Judiciário. É preciso verificar ainda se há autorização da prefeitura para as obras e se o projeto está registrado no Cartório de Imóveis”.

Mas em quais os casos em que se deve procurar o Procon? A entidade está apta a mediar casos de cobrança indevida, publicidade enganosa, não cumprimento da oferta, não entrega da via do contrato, entre outros. O órgão também pode ser procurado para orientação de direitos e deveres dos consumidores, inclusive acerca da proposta de contrato apresentada. De acordo com o chefe da divisão, um imóvel, seja ele casa ou apartamento, jamais deve ser comprado por impulso. “O assunto deve ser tratado com critério e reflexão. Muitas vezes, diante da possibilidade da realização do grande

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

sonho, o consumidor esquece-se de ter a atenção devida. É neste momento que assina o contrato sem levar em conta aspectos importantes”. Para evitar problemas, leia atentamente o contrato analisando todas as cláusulas e anotando as dúvidas que possam surgir quanto ao preço, prazo de pagamento, valor do sinal, forma e local de pagamento, taxas de financiamento e de mora, número e data do registro, área útil e comum, prazo de entrega da incorporação, entre outros itens. “Toda e qualquer incorporação deve estabelecer o prazo de entrega do imóvel. Portanto, é importante guardar todos os prospectos publicitários do imóvel para garantir o cumprimento da oferta por parte da empresa”. De acordo com o Procon, as construtoras com maior número de reclama-


ções em São José dos Campos são a Tenda,(por não cumprimento da oferta e prazo de entrega, e a MRV Engenharia, por não cumprimento da oferta, prazo de entrega, falta de habite-se, além de cobrança indevida).

Cuidados na hora de comprar um imóvel

O consumidor deve conhecer outros empreendimentos que foram entregues pela empreendedora, saber se ela tem reclamações junto aos órgãos de defesa do consumidor ou do Poder Judiciário. Sérgio Antonio Santos Neves, Chefe da Divisão de Defesa do Consumidor do Procon

• Verifique a oferta por meio de uma pes-

quisa minuciosa e realize o negócio com a intermediação de um corretor de imóveis inscrito no Creci.

• Leia atentamente o contrato e analise as cláusulas.

• Verifique

a periodicidade dos reajustes contratuais, fórmula de correção, juros pactuados ao mês e multas no caso de atraso do pagamento ou distrato por arrepedimento.

• Exija

uma via do contrato de compra e venda devidamente assinado pelas partes e duas testemunhas.

• Registre o contrato no Cartório de Imóveis para a efetiva garantia do negócio.

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

13


meio ambiente & sustentabilidade

São José dos Campos toma a dianteira na

Política Nacional de Resíduos Sólidos Foto: Alameda Comunicação

O

país vive hoje a expectativa das ações que deverão ser tomadas por toda a sociedade civil após a aprovação da ‘Política Nacional de Resíduos Sólidos’ por parte do governo federal que aconteceu em agosto de 2010. A iniciativa visa à redução dos impactos ambientais causados hoje pela porcentagem mínima de lixos que são reciclados em todas as regiões brasileiras.

Vinícius Geraidine Diretor Regional do Instituto Triângulo de Desenvolvimento Sustentável

Segundo o Diretor Regional do Instituto Triângulo de Desenvolvimento Sustentável de São José dos Campos, Vinicius Geraidine, atualmente, o Estado

A Regional São José do SindusCon-SP e o Instituto Triângulo estudam a criação de um projeto socioambiental com o objetivo de reduzir custos para a construção civil através do descarte adequado dos resíduos e da especialização de cooperativas de reciclagem.

14

Regional São José dos Campos

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

de São Paulo recicla apenas 4% dos resíduos, enquanto no Rio de Janeiro esse número não passa de 1%. Os dados são surpreendentes se comparado à quantidade de lixo produzida no Brasil que chega a 150 mil toneladas por ano, o equivalente a 156 estádios do Maracanã. Com a lei Federal nº12305/2010 que instituiu a ‘Política Nacional de Resíduos Sólidos’, o lixo passa a ser uma responsabilidade de todos: empresas, poder público e comunidades que deverão cumprir com uma destinação adequada pré-estabelecida.


Responsabilidade Compartilhada De acordo com o novo regulamento, as prefeituras têm um prazo de quatro anos para a apresentação de um plano de gestão de resíduos que inclua programas de coleta seletiva e reciclagem em todas as cidades do país. Já as indústrias terão como meta, a criação de projetos que atendam a ‘Logística Reversa’ ou ‘Responsabilidade Compartilhada’, o que significa criar mecanismos que visem o descarte adequado de seu produto. Um exemplo dessa política ecológica revés é o trabalho já realizado em algumas cidades com as baterias e pilhas. O papel do cidadão também será decisivo para o cumprimento da nova legislação, a partir do correto acondicionamento dos lixos que deverão continuar sendo separados nas residências e edifícios como reciclável e orgânico. Outros personagens fundamentais dessa nova história do Brasil no combate aos impactos ambientais são as cooperativas de reciclagem que deverão se especializar no manuseio de determinados materiais como plástico, madeira, vidro e papel.

Regionalização da Política nacional Atenta a todas essas boas práticas que se tornarão obrigatórias em breve, a Regional São José dos Campos do Sinduscon-SP e o Instituto Triângulo de Desenvolvimento Sustentável estudam a possibilidade de trazer antecipadamente para o segmento da construção civil do município, os benefícios que serão oferecidos em longo prazo pela Política Nacional de Resíduos Sólidos’. Entre os mais importantes e positivos resultados propostos pela nova lei está a redução de custos para as construtoras que, após o fechamento dos aterros públicos, estão integralmente responsáveis pelo descarte de seus resíduos. “Prevemos essa mudança de cenário na área da construção civil através da implantação do projeto ‘Triângulo Vale – Viva Mundo’, uma iniciativa em estudo do Instituto junto à Regional São José dos Campos do SindusCon-SP. A idéia é incentivar a especialização das cooperativas para que elas passem a se interessar pelo resíduo proveniente da construção civil”, explica o Diretor Vinicius Geraidine. O objetivo das duas entidades é buscar construtoras parceiras para fazerem parte do projeto, disponibilizando em suas obras, diferentes caçambas des-

recicle

tinadas ao descarte individualizado de cada tipo de material. “A Regional Sinduscon, através deste projeto piloto, busca propostas factíveis para o descarte dos resíduos gerados pela construção civil. Devemos fazer a nossa parte, separando os materiais para reciclagem nos canteiros. Vamos também investir mais em projetos e qualificação da mão de obra para diminuir os desperdícios e retrabalhos. Neste caso, todos ganham: a cidade, o meio ambiente, os empresários e as cooperativas”, diz José Roberto Alves, Diretor da Regional de São José. “Além de contribuir com a redução dos gastos das construtoras, o projeto torna-se social, gerando profissionalização e renda para as cooperativas e empresas recicladoras da cidade”, completa Vinícius. Apesar das boas notícias, o Diretor do Instituto alerta para a mudança comportamental dos profissionais da construção civil que irá promover, efetivamente, o bom funcionamento da nova política. “O sucesso do projeto só é possível com a educação sócioambiental e a conscientização dos trabalhadores que deverão se adaptar à nova classificação das caçambas durante o descarte dos resíduos das obras – plásticos, vidros, madeiras, entre outros. Além disso, é precisa evitar o desperdício que hoje chega a 10% ao ano na construção civil”, enfatiza. O objetivo do SindusCon-SP e do Instituto é promover também a interação com as comunidades vizinhas no entorno das obras, incentivando a participação de todos no descarte adequado de lixos através das Pev´s, melhorando a imagem e a participação do setor perante a sociedade.

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

15


meio ambiente & sustentabilidade

São José dá um passo à frente Além de contribuir com a redução dos gastos das construtoras, o projeto tornase social, gerando profissionalização e renda para as cooperativas e empresas recicladoras da cidade .

O fechamento dos aterros públicos de São José dos Campos realizado no ano passado demonstra o compromisso do município com o descarte adequado de lixos, especialmente na construção civil, segmento considerado o maior gerador de resíduos sólidos na atualidade. A ação fez parte da Lei Municipal nº7146/06 que colocou a cidade em um novo patamar frente às atuais exigências federais, já que a interrupção do funcionamento dessas áreas é um dos princi-

pais itens exigidos pela Lei Nacional. No entanto, a iniciativa chamou a atenção das construtoras que passou a arcar com o custo integral do descarte de resíduos em aterros particulares. Com a logística de coleta, o objetivo do SindusCon junto ao Instituto é fomentar o cooperativismo e os gastos das construtoras por meio da comercialização dos produtos gerados a partir da reciclagem.

Fiscalização A Política Nacional de Resíduos Sólidos prevê a aplicação de penas para quem infringi-la. Os responsáveis pela destinação corretas dos lixos poderão ser multados ou pegar até quatro anos de reclusão no caso do descarte inadequado de lixos perigosos, como sacos de cimentos, latas de tintas e solventes.

16

Regional São José dos Campos

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

O Instituto Triângulo de Desenvolvimento Sustentável, com Sede em Santo André, tem como missão incorporar, no cotidiano das pessoas, práticas urbanas de melhoria ambiental, inclusão social e de consumo responsável – bases do desenvolvimento sustentável. Mais informações: viniciusfilho@eccofibra.com.br


taubaté

Taubaté vive o ‘boom’ da construção com credibilidade e crescimento ordenado Foto: Depto. de Comunicação da Prefeitura de Taubaté

Mercado Imobiliário As construtoras e imobiliárias de Taubaté também contribuíram ativamente para o crescimento do município. A Imobiliária Danelli, por exemplo, que completa 60 anos de história em 2011, foi uma das grandes pioneiras na verticalização do município. A empresa foi responsável por construções que são referência para moradores e visitantes da cidade, como o Central Park e o Jardim Primavera. Daneli comercializou ainda, mais de 5.000 lotes taubateanos desde a sua fundação.

Vista aérea de Taubaté.

N

os últimos dois anos a cidade de Taubaté também viveu o chamado ‘boom’ da construção civil que beneficiou o segmento em regiões de todo o país. Com o aumento na renda média da população do município e o grande número de áreas disponíveis para a construção de edificações horizontais e verticais por parte da prefeitura, os empresários e construtores passaram a investir em novos empreendimentos o que aumentou consideravelmente o número de moradores na cidade. O Secretário de Planejamento Antonio Carlos Farias Pedrosa conta que as metas municipais de crescimento urbanístico foram ultrapassadas graças a esses e outros fatores que serviram como alavanca para o desenvolvimento da cidade, como o Programa ‘Minha Casa,

Minha Vida’. “O sistema oferecido pelo Governo Federal facilitou a compra, a venda e o financiamento de imóveis”, diz. De acordo com o Secretário, Taubaté está se preparando para essa expansão urbana por meio de legislações rigorosas, como o novo ‘Plano Diretor’ que teve a inclusão de 20 emendas aprovadas em janeiro pela Câmara. O instrumento aperfeiçoa as normas relacionadas às áreas industriais, incentiva o crescimento ordenado da cidade e define estratégias para os investimentos públicos. “Os grandes vazios urbanos estão sendo ocupados por novos conjuntos de empreendimentos habitacionais, especialmente nas zonas norte, oeste e leste. É preciso expandir as obras para a zona sul pra obter um crescimento ordenado e este é o objetivo do nosso novo Plano Diretor”, afirma Pedrosa.

Para Hodjes Danelli Filho, atual presidente da ACIST (Associação das Construtoras, Imobiliárias e Serviços Correlatos de Taubaté), os 60 anos da imobiliária, que serão comemorados em maio, não são apenas números, mas também a soma de projetos e resultados muito bem desenvolvidos e implantados em Taubaté. “A cidade vem crescendo muito bem e as construções e ampliações que têm sido realizadas em Taubaté por parte de investidores, sejam de fora ou locais, demonstram a credibilidade que os empresários depositam no município. Temos orgulho de poder fazer parte desse desenvolvimento”, afirma Danelli. Foto: Divulgação

Imobiliária Danelli: 60 anos de história em Taubaté. NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

17


mogi das cruzes

Curso oferecido pelo SindusCon esclarece e evita autuações. Mogi oferece curso sobre as novas regras para preenchimento da SEFIP/GFIP 8.4

A

Delegacia de Mogi das Cruzes do SindusCon-SP realiza no dia 24 de fevereiro o curso ‘Regras para preenchimento de SEFIP/GFIP – versão 8.4 com foco na Construção Civil’. (saiba mais sobre a guia ao lado) O objetivo é informar aos participantes a nova forma de preenchimento do formulário e evitar possíveis autuações por parte da fiscalização da Previdência Social. De acordo com o coordenador do curso, Mariano Carneiro, é fundamental que as informações contidas na SEFIP/GFIP estejam alinhadas à legislação para a obtenção de certidão negativa de débito de uma obra junto a Receita Federal.

ridades, especialmente no que se refere aos recolhimentos previdenciários e a responsabilidade solidária. Isso não poderia ser diferente em relação à SEFIP/ GFIP, já que na construção civil temos obras por empreitada total e parcial e há uma forma de recolhimento para cada situação. É aí que as construtoras e prestadoras de serviços podem se confundir”, explica Carneiro. O Coordenador afirma que, com o treinamento ministrado no Sinduscon, as empresas do segmento terão a oportunidade de esclarecer todas as dúvidas.

“A legislação previdenciária na área de construção civil tem muitas particula-

18

Regional São José dos Campos

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO


Conteúdo Programático: • Como recolher e informar; • Chave de SEFIP/GFIP: novas regras tratando-se de INSS • Previdência Social e FGTS: novos critérios para recolhimento; • Nova sistemática de retificação tanto para a Previdência como para o FGTS; • Acordo, Convenção e Dissídio coletivo (FGTS e INSS): nova metodologia de informação e recolhimento; • Processo trabalhista: regras de preenchimento diferenciado e vínculo empregatício, diferenças salariais e reintegração do empregado; • Novas regras para recolhimento e informação do FGTS – SEFIP/GFIP 660; • Novas regras para reprodução dos arquivos magnéticos; • Regras para o CNAE - atividade preponderante; • Novas regras de recolhimento exclusivo para o FGTS para Anistiados, Conversão em acidente do trabalho e conciliação prévia; • Novos indicadores de recolhimento do FGTS: Ação Fiscal, Individualização e Individualização Ação Fiscal; • Carga automática de atualização INSS e FGTS em atraso; • Empresas optantes pelo SIMPLES; • Nova SEFIP/GFIP na prestação de serviços; • SEFIP/GFIP versão 8.4 e a construção civil: obra parcial e total;

• Novos códigos de movimentação dos empregados; • Comissões pendentes: novas regras; • Novas regras para reintegração de empregados: SEFIP/GFIP diferenciada; • Opção de impressão dos relatórios em ordem alfabética das empresas e em formato ‘.pdf’; • Inibição das opções de SIMPLES 3 a 6, a partir da competência 01/2007; • Adequação da data de vencimento das contribuições previdenciárias; • Criação do campo ‘FAP’ - Fator Acidentário de Prevenção; • SEFIP/GFIP retificadora: nova abordagem para a Previdência e FGTS; • Alteração de modalidades: novas regras; • Inibição do uso das modalidades 7 (Retificação de Recolhimento ao FGTS e à Previdência) e 8 (Retificação de Declaração ao FGTS e à Previdência); • Recolhimento complementar de FGTS – novas regras; • SEFIP/GFIP de exclusão e sem movimento: regras a serem obedecidas na versão 8.4 • Novas regras de compensação previdenciária para valores indevidos, retenção previdenciária e construção civil – M.P. 449/2008 e I.N. 900/2008; • Observações gerais a respeito das contribuições previdenciárias.

A GFIP é a Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social. O formulário permite que a Previdência obtenha um cadastro eficiente de vínculos e remunerações dos seus segurados. A GFIP substituiu a Guia de Recolhimento do FGTS - GRE, trazendo novas informações de interesse da Previdência Social. As informações deverão ser apresentadas por meio magnético, gerado pelo programa SEFIP - disponível para download no site da Caixa Econômica Federal - CEF (www.cef.gov.br).

serviço Curso Regras para Preenchimento de SEFIP/GFIP com foco na Construção Civil.

Horário: 9h às 18h Carga horária: 8h Associado: SindusCon-SP AEAMC; AEAAS; IAB; CIESP; ARPEMEI; SEESP e estudantes: R$ 170,00

Não-associados: R$ 300,00 Público-alvo: empresas do ramo da construção civil, empresas em geral e prestadoras de serviços, advogados, gerentes, contadores, supervisores e demais profissionais ligados ao segmento Inscrições: Delegacia de Mogi das Cruzes Rua Benedito Aragão Franco, 28, sl. 21 e 22. Jardim Santista - Mogi das Cruzes - SP Telefone: (11) 4735 - 5274 Email: sindusmogi@sindusconsp.com.br

um novo conceito em lajes tudo em laje treliça, painel, areia e pedra.

rua Visconde de Inhauma, 26 • Jardim do Lago • Putim • multilajes@ig.com.br • Tel. (12) 3944.1591 NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

19


LOGÍSTICA

Parceria entre SindusCon-SP e universidades. busca ampliar qualificação dos profissionais para o setor

A

Regional São José dos Campos do SindusCon-SP tem um compromisso permanente com a qualidade da formação de profissionais na área da construção civil. O objetivo da entidade é proporcionar uma expansão segura e continuada dos negócios das empresas que fazem parte do setor. Estes projetos de apoio à educação estão sempre alinhados às variáveis do mercado da construção civil que atualmente vive um de seus principais gargalos em todo o país: a falta de mão de obra qualificada. Um bom exemplo desse incentivo é o Programa ‘Estudos de Logística na Construção Civil’ realizado com alunos do curso superior de tecnologia em Logística com Ênfase em Transportes da Fatec de São José dos Campos.

“Vamos analisar essa influência que a lei de zoneamento terá sob o modelo do sistema urbanístico, já que ela passa a definir a forma e os locais onde os empreendimentos serão posicionados. O objetivo do programa é obter respostas em relação aos impactos que essas migrações de empreendimentos terão no tecido urbano, no meio ambiente e na mobilidade da região”, explica. Segundo Tozzi, os novos rumos da construção civil estão inseridos num contexto de sistema urbano com diversas conexões, como saneamento básico e mobilidade urbana, fatores que influenciam na qualidade de vida da população e na preservação ambiental. “Defendemos a idéia de que regiões com maior adensamento populacional são ambientalmente mais adequadas.

A Regional estuda a implantação de outros projetos realizados em parcerias com as universidades da região. A ideia está alinhada à proposta educacional do ‘Programa ‘SindusCon em Ação 2011’ que tem a disseminação do conhecimento como um de seus mais importantes pilares.

Foto: Divulgação

A ação faz parte de uma parceria entre a Regional do SindusCon-SP e a Faculdade de Tecnologia, iniciada em janeiro de 2010 e que entra este mês em sua terceira etapa. Esta fase consiste em uma análise crítica por parte dos estudantes das atuais tendências do sistema urbano, assunto mais do que atual, devido a recente aprovação da nova Lei de Zoneamento de São José. De acordo com Luiz Antônio Tozi, especialista em logística e transporte, professor e pesquisador da Fatec, a nova legislação influência diretamente nas futuras decisões das construtoras, atuando como um direcionador dos novos rumos de investimentos das empresas que fazem parte do setor.

20

Regional São José dos Campos

Diretor do SindusCon-SP José Roberto em encontro na Fatec.

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO


As pessoas podem se locomover a pé ou de bicicleta, por exemplo, reduzindo o fluxo de trânsito”. A terceira fase do Programa ‘Estudos de Logística na Construção Civil’ visa ainda bons resultados, como menos intervenções nos solos, instalações elétricas e redes de esgoto, entre outras ações necessárias para a construção de um empreendimento e que podem degradar o meio ambiente.

O SindusCon e as universidades A Regional São José dos Campos do SindusCon-SP estuda para este ano a implantação de outros projetos realizados em parcerias com as universidades da região. A idéia está alinhada à proposta educacional do ‘Programa ‘SindusCon em Ação 2011’ que tem a disseminação do conhecimento como um de seus mais importantes pilares.

O objetivo da entidade é estreitar o relacionamento com as instituições de ensino, a fim de contribuir com a formação de uma grade curricular completa e totalmente adequada à realidade do mercado nos cursos relacionados ao setor, como os de Engenharia civil e Arquitetura. “Dessa forma, iremos preparar os futuros profissionais da construção civil para o dia a dia do mercado, possibilitando que eles tragam melhorias e criem novos cenários de crescimento para setor”, diz José Roberto Alves, Diretor da Regional São José dos Campos.

Primeira fase:

concluída em agosto de 2010. Um “Inventário Logístico dos Materiais de Construção de São José dos Campos e Região” foi realizado durante seis meses para o levantamento de dados como a localização das obras nos municípios, seus fornecedores de insumos, os materiais mais representa-

tivos utilizados pelas construtoras, entre outras informações que irão contribuir com o aperfeiçoamento das atividades e diminuição dos custos de transportes dos insumos.

SEGUNDA fase: concluída em dezembro de 2010. Uma pesquisa de campo com base na filosofia ‘Lean Construction (Construção Enxuta) foi realizada para avaliar as ferramentas da edificação e os possíveis ‘congestionamentos’ existentes nos canteiros e que são prejudiciais ao fluxo de trabalho nas obras. O trabalho resultou na apresentação de uma proposta mais enxuta do processo construtivo: sem desperdícios e estoques desnecessários, com menos deslocamentos de pessoas e movimentação de material no canteiro de obra.

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO

Regional São José dos Campos

21


agenda

fevereiro 2011

A

disseminação do conhecimento na construção civil durante todo o ano é um dos pilares do projeto ‘SindusCon-SP em Ação’ da Regional São José dos Campos. Entre as iniciativas de destaque realizadas em 2010 está o ‘Curso de Mestre de Obras’, uma parceria do SindusCon e do Senai que contou com a participação de mais de 60 pessoas das cidades de Taubaté, São José dos Campos e Mogi das Cruzes. Informações e Inscrições:

Telefone: (12) 3942-5007 E-mail: sindusjc@sindusconsp.com.br

Para Vanderlan Rodrigues dos Santos, aluno do curso em São José, o aprendizado permitiu que ele realizasse o desejo de mudar de área de atuação.

18/02

FORMATURA: 7ª TURMA DO CURSO DE MESTRE DE OBRAS

Horário: 18h30 Local: Salão da Associação dos Rotarianos de Mogi das Cruzes. Rua Franz Steiner, 200 - Alto do Ipiranga em Mogi das Cruzes (SP)

17/02

curso: ESTRUTURAÇÃO E TÉCNICAS EM ADMINISTRAÇÃO DE CARGOS E SALÁRIOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Inscrições: Rua José Mattar, 175 Jd. São Dimas - São José dos Campos - SP

28/02

curso: FUNDAMENTOS DA ENGENHARIA ECONÔMICA

Inscrições: Rua José Mattar, 175 Jd. São Dimas - São José dos Campos - SP

23/02

fórum: PERSPECTIVAS DA ECONOMIA PARA O BRASIL E A

“Sou formado em pedagogia e já atuei como vendedor. Após o término do curso e confiante de que estava apto para entrar na área da construção civil, fui contratado para administrar a obra de uma escola na região. Coloquei em prática todo o conhecimento em cálculos, liderança de equipes, entre outros aos quais tivesse acesso no curso de Mestre de Obras”, diz. Juntamente à construção da escola que coordenou como profissional contratado, Vanderlan conseguiu administrar com sucesso uma reforma que fez em sua própria residência. Confiram os dados da formatura do Curso de Mestre de Obras realizado em 2010:

Balanço 2010 de cursos oferecidos pelo Senai na construção civil Em 2010, o Senai, com o apoio da Regional São José dos Campos do SindusCon-SP capacitou mais de 900 profissionais na área de construção civil. Veja os números:

CURSO

QUANTIDADE DE ALUNOS CONCLUINTES

LOCAL S.J.CAMPOS

LITORAL NORTE TOTAL

Instalador Hidráulico

66

75

141

Eletricista Instalador Residencial

235

144

379

Pintor de Obras

31

29

60

Desenhista Copista de Edificações

140

zero

140

REGIÃO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOSL

Pedreiro Assentador

27

40

67

Horário: 18h30

Pedreiro Revestidor

48

15

63

Local: Hotel Blue Tree Towers (Av. Engenheiro Francisco José Longo, 511 no Jd. São Dimas em São José dos Campos (SP)

Carpinteiro de Telhados

33

zero

33

Armador de Ferros

11

zero

11

Aplicação de Revestimentos Argamassados Decorativos

zero

20

20

TOTAL

591

323

914

Público-Alvo: Rua José Mattar, 175 Jd. São Dimas - São José dos Campos - SP Tel: (12) 3942 – 5007 Email: sindusjc@sindusconsp.com.br Inscrições: Rua José Mattar, 175 - Jd. São Dimas - São José dos Campos - SP

22

Regional São José dos Campos

NOTÍCIAS DA CONSTRUÇÃO



Notícias da Construção 6