Page 1

REVISTA SEMANAL ESPECIAL GESTテグTRANSPARENTE.ORG

DEZEMBRO 2012


Revista de Imprensa 13-12-2012

1. (PT) - Visão, 13/12/2012, Gestão transparente

1

2. (PT) - Diário dos Açores, 11/12/2012, Cândida Almeida: Já detecto um aumento da grande fraude fiscal

2

3. (PT) - Diário Económico, 11/12/2012, Cândida Almeida acredita que a crise será " grande oportunidade" para reduzir corrupção nas empresas

3

4. (PT) - Correio da Manhã, 11/12/2012, A frase do dia

4

5. (PT) - Jornal de Negócios, 11/12/2012, PGR defende "tolerância zero" contra a corrupção

5

6. (PT) - Diário de Notícias, 11/12/2012, PGR diz que sensação de atividade corrupta é maior do que a realidade

6

7. (PT) - Diário de Notícias, 11/12/2012, Aumenta grande fraude fiscal

7

8. (PT) - Metro Portugal, 11/12/2012, Fraude fiscal sobe

8

9. (PT) - Portugalmail Online, 11/12/2012, "Grande fraude fiscal" está a aumentar

9

10. (PT) - Primeiro de Janeiro, 11/12/2012, Crise é boa oportunidade

10

11. (PT) - Público, 11/12/2012, Cândida Almeida alerta que grande fraude fiscal está a aumentar

12

12. (PT) - Destak.pt, 10/12/2012, Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

13

13. (PT) - Dinheiro Digital.pt, 10/12/2012, Crise é uma «grande oportunidade» para diminuir corrupção nas empresas, diz Cândida Almeida

14

14. (PT) - Dinheiro Digital.pt, 10/12/2012, Cândida Almeida diz que «grande fraude fiscal» está a aumentar

15

15. (PT) - Empresa Directo.com, 10/12/2012, Cândida Almeida: «Crise é oportunidade para diminuir a corrupção»

16

16. (PT) - GoBulling.com, 10/12/2012, 14:06 Cândida Almeida: ?Já detecto um aumento da grande fraude fiscal?

18

17. (PT) - GoBulling.com, 10/12/2012, 15:45 PGR pede ?tolerância zero? contra a corrupção

19

18. (PT) - Lusa.pt, 10/12/2012, Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

20

19. (PT) - Jornal da Madeira.pt, 10/12/2012, Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas, diz Cândida Almeida

21

20. (PT) - Antena 1 - Notícias, 10/12/2012, Gestãotransparente.org

23

21. (PT) - Antena 1 - Notícias, 10/12/2012, Gestãotransparente.org

24

22. (PT) - Jornal de Negócios Online, 10/12/2012, Cândida Almeida: "Já detecto um aumento da grande fraude fiscal" - Impostos

25

23. (PT) - Jornal de Negócios Online, 10/12/2012, PGR pede "tolerância zero" contra a corrupção - Justiça

26


24. (PT) - Expresso Online, 10/12/2012, Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

27

25. (PT) - Correio da Manhã Online, 10/12/2012, Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir corrupção

28

26. (PT) - i Online, 10/12/2012, Cândida Almeida. Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas

30

27. (PT) - Diário Digital Online, 10/12/2012, Cândida Almeida: Crise é uma «grande oportunidade» para diminuir a corrupção nas empresas | Sociedade

31

28. (PT) - Agência Financeira Online, 10/12/2012, Cândida Almeida: «Crise é oportunidade para diminuir a corrupção»

32

29. (PT) - Diário de Notícias Online, 10/12/2012, Crise é "grande oportunidade" para diminuir corrupção

33

30. (PT) - Notícias ao Minuto Online, 10/12/2012, Declaração Cândida Almeida diz que crise pode diminuir corrupção Mais Lidas Mais Recentes

35

31. (PT) - Renascença - Notícias, 10/12/2012, Simulador contra a corrupção

37

32. (PT) - Renascença Online, 10/12/2012, Simulador contra a corrupção disponível na internet

38

33. (PT) - RFM Online, 10/12/2012, Simulador contra a corrupção disponível na internet

39

34. (PT) - SIC Notícias Online, 10/12/2012, Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

40

35. (PT) - SIC - Jornal da Noite, 10/12/2012, Novo portal para combater a corrupção

41

36. (PT) - Rádio Sim.pt, 10/12/2012, Simulador contra a corrupção disponível na internet

42

37. (PT) - Sol Online, 10/12/2012, Cândida Almeida: Crise é ´uma grande oportunidade´ para diminuir corrupção nas empresas

43

38. (PT) - TSF - Notícias, 10/12/2012, Simulador para medir o grau de exposição à corrupção

45

39. (PT) - TSF - Negócios & Empresas, 10/12/2012, Gestãotransparente.org

46

40. (PT) - TSF - Notícias, 10/12/2012, Simulador para medir o grau de exposição à corrupção

47

41. (PT) - TSF Online, 10/12/2012, Simulador online para evitar casos de corrupção

48

42. (PT) - TVI 24 Online, 10/12/2012, Saiba se a empresa onde trabalha é corrupta

49

43. (PT) - TVI 24 - Notícias, 10/12/2012, Foi hoje lançado um novo simulador de corrupção

50

44. (PT) - TVI - Jornal das 8, 10/12/2012, Foi hoje lançado um novo simulador de corrupção

51

45. (PT) - Visão Online, 10/12/2012, Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

52


A1

ID: 45198668

13-12-2012

Tiragem: 112825

Pág: 34

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Semanal

Área: 5,15 x 7,96 cm²

Âmbito: Interesse Geral

Corte: 1 de 1

Página 1


A2

ID: 45162378

11-12-2012

Cândida Almeida: “Já detecto um aumento da grande fraude fiscal” “Já detecto um aumento da grande fraude fiscal, da fraude qualificada e de alguns crimes como a burla”, afirmou ontem a procuradora-geral adjunta Cândida Almeida. A directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) diz acreditar que a corrupção propriamente dita não deverá registar aumentos significativos na sequência dos tempos de crise que o País atravessa, mas está mais preocupada com a grande criminalidade que “pode integrar um conceito de corrupção abrangente e onde, ai sim, [o crescimento] é significativo” Cândida Almeida falava à margem da apresentação pública do projecto Gestão Transparente.org, uma nova ferramenta informática, online e gratuita que disponibiliza um simulador que permite às diversas entidades aferir, em cada momento – por exemplo na realização de um determinado negócio, num determinado país - os níveis de risco de exposição à corrupção, fornecendo também legislação e medidas e instrumentos a implementar nas empresas a cada momento. “Temos uma linha de denúncias anónimas com cerca de duas mil denúncias”, com uma evolução que tem sido pouco significativa, declarou Cândida Almeida, que tem dito, por várias vezes, que não considera Portugal “um País de corruptos”. “As generalizações, as abstracções são perigosas. Há

Tiragem: 3630

Pág: 15

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 17,70 x 13,10 cm²

Âmbito: Regional

Corte: 1 de 1

corrupção em Portugal, como há em qualquer país, porque o poder corrompe, mas na amostra que há faltam crimes como a burla ou a fraude fiscal, e essa temos muita”. Relativamente “à corruptela, a pequena corrupção, é mais uma posição de carácter e a pessoa que é séria não se venderá mesmo com dificuldades económicas, portanto a crise não tem de a aumentar”, acrescentou a directora do DCIAP. Dizendo-se “uma pessoa optimista”, Cândida Almeida frisou que “para haver corrupção, tem de haver corruptores, que normalmente vêm da sociedade civil, das empresas, dos particulares, e, aí, a crise “deveria ser uma oportunidade para as empresas diminuíram, em grande escala, comportamentos” susceptíveis de fomentarem a corrupção. Porque esta “aumenta os custos, diminui a concorrência e, em geral, torna a vida mais difícil às empresas”. O DCIAP foi uma das entidades que participa, como observador, na criação do site “Gestão Transparente.org”, juntamente com a Universidade do Minho e o Conselho de Prevenção da Corrupção (que funciona junto do Tribunal de Contas), no qual ficou, aliás, alojado o site. O projecto surgiu na sequência do ciclo de conferências sobre corrupção, realizado em 2011 pelo DCIAP, numa iniciativa da Siemens e da Inteli, e teve o apoio da AICEP e de várias grandes empresas, como a EDP, EPAL, REN ou ANA, entre outras. Jornal de Negócios

Página 2


A3

ID: 45160439

11-12-2012

Tiragem: 18100

Pág: 14

País: Portugal

Cores: Preto e Branco

Period.: Diária

Área: 26,56 x 15,05 cm²

Âmbito: Economia, Negócios e.

Corte: 1 de 1 Paulo Alexandre Coelho

CÂNDIDA ALMEIDA ACREDITA QUE A CRISE SERÁ “GRANDE OPORTUNIDADE” PARA REDUZIR CORRUPÇÃO NAS EMPRESAS

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, acredita que a crise actual é uma “grande oportunidade” para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesas, já que é um bom argumento para os “corruptores activos dizerem não”. Cândida falava no lançamento do projecto “GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações”, no CCB, que permitirá as empresas portuguesas que estão ou pretendam internacionalizar-se, ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará “uma informação completa sobre os riscos de corrupção”.

Página 3


A4

ID: 45161087

11-12-2012

Tiragem: 154679

Pág: 47

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 9,22 x 2,79 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Página 4


A5

ID: 45160478

11-12-2012

Tiragem: 16493

Pág: 30

País: Portugal

Cores: Preto e Branco

Period.: Diária

Área: 21,00 x 22,38 cm²

Âmbito: Economia, Negócios e.

Corte: 1 de 1

Página 5


A6

ID: 45160762

11-12-2012

Tiragem: 45723

Pág: 19

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 26,09 x 7,77 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Página 6


A7

ID: 45160608

11-12-2012

Tiragem: 45723

Pág: 34

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 4,95 x 12,24 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Página 7


A8

ID: 45161107

11-12-2012

Tiragem: 130000

Pág: 4

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 4,49 x 6,89 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Fraude fiscal sobe A diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), Cândida Almeida, defende que a fraude fiscal qualificada, de grandes dimensões, está a aumentar a cada dia com a crise. Pelo contrário, sustenta que a corrupção não deve registar aumentos significativos.

Página 8


A9

"Grande fraude fiscal" está a aumentar

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Portugalmail Online

URL:

http://noticias.portugalmail.pt/artigo/20121211/grande-fraude-fiscal-esta-aumentar

11/12/2012

/

11 Dezembro, 2012 - 08:50 Cândida Almeida, diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e procuradora-geral adjunta do Ministério Público, alertou que a grande fraude fiscal está a "aumentar" no país, indica a Lusa. "Já deteto um aumento da grande fraude fiscal, da fraude qualificada e de alguns crimes como a burla", revelou Cândida Almeida, destacando que existe "uma linha de denúncias anónimas com cerca de duas mil denúncias", mas que apresenta uma evolução que tem sido pouco significativa.

Página 9


A10

ID: 45161246

11-12-2012

Tiragem: 20000

Pág: 4

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 22,55 x 22,40 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 2

Procuradora-geral adjunta do MP lança projeto para diminuir a corrupção

“Crise é boa oportunidade” DR

«Site» GestãoTransparente.org também é ferramenta para as empresas terem informação completa sobre os riscos de corrupção.

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, defende que a crise atual é uma “grande oportunidade” para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. No lançamento do projeto «GestãoTransparente.org – Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações», que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), a também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) explicou no que consiste o novo «site». “Este é um sistema preventivo contra a corrupção. Em situações de crise como a que vivemos para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil. Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não”, destacou

Contra a corrupção. Cândida Almeida esteve ontem no Clube dos Pensadores Cândida Almeida, acrescentando que o projeto permitirá às empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que pretendam internacionalizar-se, ter acesso a um «site» que lhes dará “uma informação completa sobre os riscos de corrupção” para que possam exercer uma gestão transparente. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, ontem apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu “muita imaginação”, pois custou 10 mil euros, de acordo com o director do

Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher “uma lacuna muito importante no combate à corrupção”. “Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo os custos da sua exposição a más opções de internacionalização”, explicou. As pequenas e médias empresas

que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste «site» conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas. Para o presidente da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de “particular importância”, pelo que a agência vai participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas.

Página 10


ID: 45161246

11-12-2012

Tiragem: 20000

Pág: 1

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 28,54 x 26,22 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 2 de 2

CÂNDIDA ALMEIDA DIZ QUE A CRISE PODE SERVIR PARA DIMINUIR CORRUPÇÃO NAS EMPRESAS

GRANDE OPORTUNIDADE  A procuradora-geral adjunta defende que a crise atual é uma “grande oportunidade” para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública. “É a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não”, justifica Cândida Almeida, que esteve ontem à tarde no CCB, no lançamento do projeto “GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações” e à noite como última convidada do ano no Clube dos Pensadores. As empresas vão poder, a partir de agora, ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará “uma informação completa sobre os riscos de corrupção”, para que possam “exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas”, refere ainda a também diretora do DCIAP.

Página 11


A12

ID: 45160380

11-12-2012

Tiragem: 42175

Pág: 12

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 10,60 x 30,19 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Cândida Almeida alerta que “grande fraude fiscal” está a aumentar Corrupção Fabíola Maciel A procuradora-geral adjunta disse estar mais preocupada com “grande criminalidade” do que com “pequena corrupção” A directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), Cândida Almeida, deixou ontem um alerta: “Já detecto um aumento da grande fraude fiscal, da fraude qualificada e de alguns crimes como a burla”. A também procuradora-geral adjunta disse ainda acreditar que a crise é uma “grande oportunidade” para diminuir a corrupção nas empresas. Cândida Almeida, que falava no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, no lançamento de um site sobre transparência, admitiu estar mais preocupada com a “grande criminalidade” do que com a “pequena corrupção”, uma vez que, para a procuradora adjunta, essa está relacionada com “uma posição de carácter e a pessoa que é séria não se venderá mesmo com dificuldades económicas”. Contudo, em relação à “grande fraude fi scal”, a directora do DCIAP deixou uma certeza: “Há corrupção em Portugal, como há em qualquer país, porque o poder corrompe, mas, na amostra que há, faltam crimes como a burla ou a fraude fiscal, e essa temos muita.” Cândida Almeida defendeu que a “grande criminalidade pode integrar um conceito de corrupção abrangente e onde, aí sim,

Cândida Almeida elogiou novo projecto contra corrupção

[o crescimento] é significativo”. Para a directora do DCIAP, a crise é uma “grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na administração pública”. Cândida Almeida explicou: “Para haver corrupção, tem de haver corruptores, que normalmente vêm da sociedade civil, das empresas, dos particulares, e, aí, a crise deveria ser uma oportunidade para as empresas diminuírem, em grande escala, comportamentos” susceptíveis de fomentarem a corrupção. Uma ideia partilhada pela procuradora-geral da República (PGR), Joana Marques Vidal, que apelou à “tolerância zero” para casos de corrupção. “Temos de dizer um ‘não’ [à corrupção], e esse ‘não’ tem de ter o apoio empenhado de todos os sectores”, sublinhou. A PGR vincou que “a corrupção tem efeitos nocivos e é altamente lesiva dos próprios valores da democracia” e, por isso, salientou que “a luta contra a corrupção é também muito importante para o desenvolvimento económico, já que ela corrói o direito à livre concorrência”.

Projecto “inovador” O CCB recebeu ontem a apresentação pública do site GestãoTransparente. org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações. O projecto integra um simulador online e gratuito, que permite a pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se avaliar os níveis de risco de exposição à corrupção. Gualter Crisóstomo, director da empresa Inteli, que desenvolveu a ferramenta, afirmou ao PÚBLICO que a maior vantagem é “ter um português acessível para que todos saibam o que está em causa”. Crisóstomo salientou que, “em menos de dois minutos, é respondido um questionário que permite aferir o nível de risco mediante o negócio em causa” e ainda “é prescrito um conjunto de instrumentos para ajudar a empresa” a baixar o risco de corrupção. O projecto Gestão Transparente, elogiado por Cândida Almeida e Joana Marques Vidal, assume-se como uma “mais-valia inovadora” com o objectivo de “promover a partilha de valores de integridade, transparência e responsabilidade” nas empresas. A iniciativa teve, segundo Gualter Crisóstomo, um custo total de dez mil euros e contou com o apoio do Conselho de Prevenção da Corrupção, do DCIAP e da Universidade do Minho.

Página 12


A13

Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Destak.pt

URL:

http://www.destak.pt/artigo/148344-crise-e-uma-grande-oportunidade-para-diminuir-a-corrupcao-nas-empresas-candida-almeida

/

Actualidade 10 | 12 | 2012

16.16H

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas.

Página 13


A14

Crise é uma «grande oportunidade» para diminuir corrupção nas empresas, diz Cândida Almeida

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Dinheiro Digital.pt

URL:

http://dinheirodigital.sapo.pt/print.asp?id_news=191842

10/12/2012

/

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não, disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações, que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará uma informação completa sobre os riscos de corrupção para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Diário Digital / Lusa

Página 14


A15

Cândida Almeida diz que «grande fraude fiscal» está a aumentar

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Dinheiro Digital.pt

URL:

http://dinheirodigital.sapo.pt/print.asp?id_news=191838

10/12/2012

/

A directora do DCIAP uma das entidades que apoia o site Gestão Transparente.org, apresentado esta segunda-feira, afirma que a corrupção não deverá registar aumentos significativos com a crise, mas adianta que a fraude fiscal qualificada, de grandes dimensões, tem aumentado todos os dias. "Já detecto um aumento da grande fraude fiscal, da fraude qualificada e de alguns crimes como a burla", afirmou a procuradora-geral adjunta Cândida Almeida. A directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) diz acreditar que a corrupção propriamente dita não deverá registar aumentos significativos na sequência dos tempos de crise que o País atravessa, mas está mais preocupada com a grande criminalidade que "pode integrar um conceito de corrupção abrangente e onde, ai sim, [o crescimento] é significativo", afirmou citada num artigo do Negócios online. Cândida Almeida falava à margem da apresentação pública do projecto Gestão Transparente.org, uma nova ferramenta informática, on-line e gratuita que disponibiliza um simulador que permite às diversas entidades aferir, em cada momento - por exemplo na realização de um determinado negócio, num determinado país - os níveis de risco de exposição à corrupção, fornecendo também legislação e medidas e instrumentos a implementar nas empresas a cada momento. "Temos uma linha de denúncias anónimas com cerca de duas mil denúncias", com uma evolução que tem sido pouco significativa, declarou Cândida Almeida, que tem dito, por várias vezes, que não considera Portugal "um País de corruptos". "As generalizações, as abstracções são perigosas. Há corrupção em Portugal, como há em qualquer país, porque o poder corrompe, mas na amostra que há faltam crimes como a burla ou a fraude fiscal, e essa temos muita", concretizou a procuradora-geral adjunta citada no artigo do Jornal de Negócios. Aliás, refere ainda a fonte, o DCIAP foi uma das entidades que participa, como observador, na criação do site "Gestão Transparente.org", juntamente com a Universidade do Minho e o Conselho de Prevenção da Corrupção (que funciona junto do Tribunal de Contas), no qual ficou, aliás, alojado o site.

Página 15


A16

Cândida Almeida: «Crise é oportunidade para diminuir a corrupção»

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Empresa Directo.com

URL:

http://www.empresadirecto.com/incs/verinfo.php?duq=AF&qual=152174

10/12/2012

/

Notícia agenciafinanceira.com (10/12/12)-(Agência Financeira) A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, disse esta segunda-feira que a crise atual é uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptos ativos dizerem não, disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projeto GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações, que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará uma informação completa sobre os riscos de corrupção para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas, disse, citada pela Lusa. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projeto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. Este é um sistema preventivo contra a corrupção, adiantou a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção ativa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil. Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção), salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu muita imaginaçã, pois custou 10 mil euros, disse o diretor do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher uma lacuna muito importante no combate à corrupção. As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo os custos da sua exposição às más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de particular importância, pelo que a agência vai participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas. Página 16


Redacção

Página 17


A18

14:06 Cândida Almeida: ?Já detecto um aumento da grande fraude fiscal?

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

GoBulling.com

URL:

https://www.gobulling.com/ljc/col/public/NewsItem.tea?parNewsId=280608863

10/12/2012

/

"Já detecto um aumento da grande fraude fiscal, da fraude qualificada e de alguns crimes como a burla", afirmou hoje a procuradora-geral adjunta Cândida Almeida. A directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) diz acreditar que a corrupção propriamente dita não deverá registar aumentos significativos na sequência dos tempos de crise que o País atravessa, mas está mais preocupada com a grande criminalidade que "pode integrar um conceito de corrupção abrangente e onde, ai sim, é significativo" Cândida Almeida falava à margem da apresentação pública do projecto Gestão Transparente.org, uma nova ferramenta informática, on-line e gratuita que disponibiliza um simulador que permite às diversas entidades aferir, em cada momento - por exemplo na realização de um determinado negócio, num determinado país - os níveis de risco de exposição à corrupção, fornecendo também legislação e medidas e instrumentos a implementar nas empresas a cada momento. "Temos uma linha de denúncias anónimas com cerca de duas mil denúncias", com uma evolução que tem sido pouco significativa, declarou Cândida Almeida, que tem dito, por várias vezes, que não considera Portugal "um País de corruptos". "As generalizações, as abstracções são perigosas. Há corrupção em Portugal, como há em qualquer país, porque o poder corrompe, mas na amostra que há faltam crimes como a burla ou a fraude fiscal, e essa temos muita". Relativamente "à corruptela, a pequena corrupção, é mais uma posição de caracter e a pessoa que é séria não se venderá mesmo com dificuldades económicas, portanto a crise não tem de a aumentar", acrescentou a directora do DCIAP. Dizendo-se "uma pessoa optimista", Cândida Almeida frisou que "para haver corrupção, tem de haver corruptores, que normalmente vêm da sociedade civil, das empresas, dos particulares, e, aí, a crise "deveria ser uma oportunidade para as empresas diminuíram, em grande escala, comportamentos" susceptíveis de fomentarem a corrupção. Porque esta "aumenta os custos, diminui a concorrência e, em geral, torna a vida mais difícil às empresas". O DCIAP foi uma das entidades que participa, como observador, na criação do site "Gestão Transparente.org", juntamente com a Universidade do Minho e o Conselho de Prevenção da Corrupção (que funciona junto do Tribunal de Contas), no qual ficou, aliás, alojado o site. O projecto surgiu na sequência do ciclo de conferências sobre corrupção, realizado em 2011 pelo DCIAP, numa iniciativa da Siemens e da Inteli, e teve o apoio da AICEP e de várias grandes empresas, como a EDP, EPAL, REN ou ANA, entre outras.

Página 18


A19

15:45 PGR pede ?tolerância zero? contra a corrupção

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

GoBulling.com

URL:

https://www.gobulling.com/ljc/col/public/NewsItem.tea?parNewsId=280618882

10/12/2012

/

"Temos de dizer um não e esse não tem de ter o apoio empenhado de todos os sectores", declarou hoje a nova Procuradora-geral da República (PGR), Joana Marques Vidal, pedindo "tolerância zero" para este tipo de criminalidade. "A corrupção tem efeitos nocivos e é altamente lesiva dos próprios valores da democracia", sublinhou, afirmando que "a luta contra a corrupção é também muito importante para o desenvolvimento económico, já que ela corrói o direito à livre concorrência". Joana Marques Vidal participou hoje na apresentação pública do projecto Gestão Transparente.org, uma nova ferramenta informática, on-line e gratuita que permite às diversas entidades aferir, em cada momento - por exemplo na realização de um determinado negócio, num determinado país - os níveis de risco de exposição à corrupção, fornecendo também medidas a implementar nas empresas a cada momento. "A PGR vê com todo o agrado iniciativa como estas, que vão fomentar a capacidade de dizer não à corrupção e de admitir que a acção de cada um é importante nessa tolerância zero", afirmou a responsável, lembrando que "os índices de percepção de corrupção em Portugal são ainda bastante elevados. No computo geral a nível mundial, o País não está assim tão mal, mas já o está quando comparado com os países europeus, onde desceu mesmo um lugar no ranking". Porém, "se a sensação que a comunidade tem de que a corrupção é muito elevada, não corresponde à realidade, e que a corrupção não é assim tão elevada, isso só por si não nos pode deixar descansados", prosseguiu. "Assumindo aqui a importância da acção do Ministério Público na luta contra a corrupção, assumindo essa responsabilidade, convém não esquecer também a responsabilidade de outros sectores da sociedade, nomeadamente das empresas", avisou a nova PGR.

Página 19


A20

Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Lusa.pt

URL:

http://noticias.sapo.pt/nacional/artigo/crise-e-uma-grande-oportunidade-para-diminuir-a-corrupcao-nas-empresas-candidaalmeida_15444939.html

/

10 de Dezembro de 2012, 16:16 A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas.

Página 20


A21

Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas, diz Cândida Almeida

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Jornal da Madeira.pt

URL:

http://online.jornaldamadeira.pt/artigos/crise-%C3%A9-uma-grande-oportunidade-para-diminuir-corrup%C3%A7%C3%A3o-nasempresas-diz-c%C3%A2ndida-almeida

/

Artigo | Seg, 10/12/2012 - 16:22 A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projecto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. "Este é um sistema preventivo contra a corrupção", disse a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos "para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil". "Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção)", salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu "muita imaginação", pois custou 10 mil euros, disse à agência Lusa o director do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher "uma lacuna muito importante no combate à corrupção". As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo "os custos da sua exposição" a más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de "particular importância", pelo que a agência vai Página 21


participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas.

Página 22


A23

Antena 1 ID: 45151164

10/12/2012

Meio: Antena 1 - Notícias Duração: 00:02:30 Hora de emissão: 12:08:00

Gestãotransparente.org http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=d7f09f54-7aac-4adcae35-98df105d8ccb&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

A partir de hoje empresas e outras organizações vão poder saber se estão muito ou pouco expostas à corrupção. Para isso, basta entrar na Internet e clicar em Gestãotransparente.org. Comentários de Gualter Crisóstomo.

Página 23


A24

Antena 1 ID: 45146404

10/12/2012

Meio: Antena 1 - Notícias Duração: 00:02:14 Hora de emissão: 09:08:00

Gestãotransparente.org http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=a5a393aa-5e2940e5-9a7b-3be8ea53440d&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

A partir de hoje empresas e outras organizações vão poder saber se estão muito ou pouco expostas à corrupção. Para isso, basta entrar na Internet e clicar em Gestãotransparente.org. Comentários de Gualter Crisóstomo.

Página 24


A25

Cândida Almeida: "Já detecto um aumento da grande fraude fiscal" - Impostos

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Jornal de Negócios Online

URL:

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/impostos/detalhe/candida_almeida_ja_detecto_um_aumento_da_grande_fraude_fiscal.html

/

A directora do DCIAP uma das entidades que apoia o site Gestão Transparente.org, hoje apresentado, sustenta que a corrupção não deverá registar aumentos significativos com a crise, mas diz que a fraude fiscal qualificada, de grandes dimensões, está a aumentar todos os dias. "Já detecto um aumento da grande fraude fiscal, da fraude qualificada e de alguns crimes como a burla", afirmou hoje a procuradora-geral adjunta Cândida Almeida. A directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) diz acreditar que a corrupção propriamente dita não deverá registar aumentos significativos na sequência dos tempos de crise que o País atravessa, mas está mais preocupada com a grande criminalidade que "pode integrar um conceito de corrupção abrangente e onde, ai sim, [o crescimento] é significativo" Cândida Almeida falava à margem da apresentação pública do projecto Gestão Transparente.org, uma nova ferramenta informática, on-line e gratuita que disponibiliza um simulador que permite às diversas entidades aferir, em cada momento - por exemplo na realização de um determinado negócio, num determinado país - os níveis de risco de exposição à corrupção, fornecendo também legislação e medidas e instrumentos a implementar nas empresas a cada momento. "Temos uma linha de denúncias anónimas com cerca de duas mil denúncias", com uma evolução que tem sido pouco significativa, declarou Cândida Almeida, que tem dito, por várias vezes, que não considera Portugal "um País de corruptos". "As generalizações, as abstracções são perigosas. Há corrupção em Portugal, como há em qualquer país, porque o poder corrompe, mas na amostra que há faltam crimes como a burla ou a fraude fiscal, e essa temos muita". Relativamente "à corruptela, a pequena corrupção, é mais uma posição de caracter e a pessoa que é séria não se venderá mesmo com dificuldades económicas, portanto a crise não tem de a aumentar", acrescentou a directora do DCIAP. Dizendo-se "uma pessoa optimista", Cândida Almeida frisou que "para haver corrupção, tem de haver corruptores, que normalmente vêm da sociedade civil, das empresas, dos particulares, e, aí, a crise "deveria ser uma oportunidade para as empresas diminuíram, em grande escala, comportamentos" susceptíveis de fomentarem a corrupção. Porque esta "aumenta os custos, diminui a concorrência e, em geral, torna a vida mais difícil às empresas". O DCIAP foi uma das entidades que participa, como observador, na criação do site "Gestão Transparente.org", juntamente com a Universidade do Minho e o Conselho de Prevenção da Corrupção (que funciona junto do Tribunal de Contas), no qual ficou, aliás, alojado o site. O projecto surgiu na sequência do ciclo de conferências sobre corrupção, realizado em 2011 pelo DCIAP, numa iniciativa da Siemens e da Inteli, e teve o apoio da AICEP e de várias grandes empresas, como a EDP, EPAL, REN ou ANA, entre outras. 10 Dezembro 2012, 14:06 por Filomena Lança |

Página 25


A26

PGR pede "tolerância zero" contra a corrupção - Justiça

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Jornal de Negócios Online

URL:

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/justica/detalhe/pgr_pede_tolerancia_zero_contra_a_corrupcao.html

/

A nova Procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal defende que os níveis de percepção da corrupção em Portugal "são ainda bastante elevados" e pede a todos "tolerância zero" à corrupção. "Temos de dizer um não [à corrupção] e esse não tem de ter o apoio empenhado de todos os sectores", declarou hoje a nova Procuradora-geral da República (PGR), Joana Marques Vidal, pedindo "tolerância zero" para este tipo de criminalidade. "A corrupção tem efeitos nocivos e é altamente lesiva dos próprios valores da democracia", sublinhou, afirmando que "a luta contra a corrupção é também muito importante para o desenvolvimento económico, já que ela corrói o direito à livre concorrência". Joana Marques Vidal participou hoje na apresentação pública do projecto Gestão Transparente.org, uma nova ferramenta informática, on-line e gratuita que permite às diversas entidades aferir, em cada momento - por exemplo na realização de um determinado negócio, num determinado país - os níveis de risco de exposição à corrupção, fornecendo também medidas a implementar nas empresas a cada momento. "A PGR vê com todo o agrado iniciativa como estas, que vão fomentar a capacidade de dizer não à corrupção e de admitir que a acção de cada um é importante nessa tolerância zero", afirmou a responsável, lembrando que "os índices de percepção de corrupção em Portugal são ainda bastante elevados. No computo geral a nível mundial, o País não está assim tão mal, mas já o está quando comparado com os países europeus, onde desceu mesmo um lugar no ranking". Porém, "se a sensação que a comunidade tem de que a corrupção é muito elevada, não corresponde à realidade, e que a corrupção não é assim tão elevada, isso só por si não nos pode deixar descansados", prosseguiu. "Assumindo aqui a importância da acção do Ministério Público na luta contra a corrupção, assumindo essa responsabilidade, convém não esquecer também a responsabilidade de outros sectores da sociedade, nomeadamente das empresas", avisou a nova PGR. 10 Dezembro 2012, 15:45 por Filomena Lança |

Página 26


A27

Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Expresso Online

URL:

http://expresso.sapo.pt/crise-e-uma-grande-oportunidade-para-diminuir-a-corrupcao-nas-empresas-candida-almeida=f772878

/

16:16Segunda feira, 10 de dezembro de 2012 Lisboa, 10 dez (Lusa) -- A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas.

Página 27


A28

Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir corrupção

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Correio da Manhã Online

URL:

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/crise-e-uma-grande-oportunidade-para-diminuir-corrupcao

/

Diz Cândida Almeida A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou nesta segunda-feira que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na actual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores activos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um site na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projecto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. "Este é um sistema preventivo contra a corrupção", disse a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos "para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil". "Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção)", salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu "muita imaginação", pois custou 10 mil euros, disse à agência Lusa o director do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher "uma lacuna muito importante no combate à corrupção". As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo "os custos da sua exposição" a más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de "particular importância", pelo que a agência vai participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas. Página 28


Pรกgina 29


A30

Cândida Almeida. Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

i Online

URL:

http://www.ionline.pt/dinheiro/candida-almeida-crise-uma-grande-oportunidade-diminuir-corrupcao-nas-empresas

/

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projecto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. "Este é um sistema preventivo contra a corrupção", disse a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos "para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil". "Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção)", salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu "muita imaginação", pois custou 10 mil euros, disse à agência Lusa o director do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher "uma lacuna muito importante no combate à corrupção". As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo "os custos da sua exposição" a más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de "particular importância", pelo que a agência vai participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas. *Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa

Página 30


A31

Cândida Almeida: Crise é uma «grande oportunidade» para diminuir a corrupção nas empresas | Sociedade

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Diário Digital Online

URL:

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=605889

10/12/2012

/

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projecto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. "Este é um sistema preventivo contra a corrupção", disse a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos "para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil". "Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção)", salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu "muita imaginação", pois custou 10 mil euros, disse à agência Lusa o director do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher "uma lacuna muito importante no combate à corrupção". As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo "os custos da sua exposição" a más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de "particular importância", pelo que a agência vai participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas. Diário Digital com Lusa

Página 31


A32

Cândida Almeida: «Crise é oportunidade para diminuir a corrupção»

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Agência Financeira Online

URL:

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/candida-almeida-corrupcao-crise-oportunidades-empresas-agencia-financeira/14005701730.html

/

2012-12-10 16:48 A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, disse esta segunda-feira que a crise atual é uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptos ativos dizerem não, disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projeto GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações, que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará uma informação completa sobre os riscos de corrupção para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas, disse, citada pela Lusa. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projeto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. Este é um sistema preventivo contra a corrupção, adiantou a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção ativa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil. Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção), salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu muita imaginaçã, pois custou 10 mil euros, disse o diretor do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher uma lacuna muito importante no combate à corrupção. As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo os custos da sua exposição às más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de particular importância, pelo que a agência vai participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas.

Página 32


A33

Crise é "grande oportunidade" para diminuir corrupção

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Diário de Notícias Online

URL:

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2938480&page=-1

10/12/2012

/

Cândida Almeida por Lusa, publicado por Ana Meireles A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projecto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. "Este é um sistema preventivo contra a corrupção", disse a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos "para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil". "Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção)", salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu "muita imaginação", pois custou 10 mil euros, disse à agência Lusa o director do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher "uma lacuna muito importante no combate à corrupção". As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo "os custos da sua exposição" a más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de "particular importância", pelo que a agência vai Página 33


participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas.

Página 34


A35

Declaração Cândida Almeida diz que crise pode diminuir corrupção Mais Lidas Mais Recentes

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Notícias ao Minuto Online

URL:

http://www.noticiasaominuto.com/economia/27453/c%c3%a2ndida-almeida-diz-que-crise-pode-diminuir-corrup%c3%a7%c3%a3o

/

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou esta segunda-feira que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. 16:16 - 10 de Dezembro de 2012 | Por Lusa "Prefiro ver na actual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores activos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto 'GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações', que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projecto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. "Este é um sistema preventivo contra a corrupção", disse a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de cise como a que vivemos "para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil". "Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção) ", salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu "muita imaginação", pois custou 10 mil euros, disse à agência Lusa o director do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher "uma lacuna muito importante no combate à corrupção". As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo "os custos da sua exposição" a más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de "particular importância", pelo que Página 35


Pรกgina 36


A37

Renascença ID: 45147130

10/12/2012

Meio: Renascença - Notícias Duração: 00:01:50 Hora de emissão: 09:05:00

Simulador contra a corrupção http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=7ef4378a-ac974aba-88b3-513231d87796&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

Hoje é lançado um simulador contra a corrupção. O projeto vai ser apresentado esta manhã no CCB com o objetivo de identificar riscos e propor às empresas instrumentos de proteção. Comentários de Gualter Crisóstomo, diretor da Inteli.

Página 37


A38

Simulador contra a corrupção disponível na internet

Tipo Meio:

Internet

Meio:

Renascença Online

Jornalistas:

Sandra Afonso

URL:

http://rr.sapo.pt/printArticle.aspx?did=88417

Data Publicação:

10/12/2012

/

10-12-2012 10:00 O simulador é gratuito e vai estar acessível a todas as empresas, públicas e privadas. O objectivo é fomentar a transparência nos negócios. É apresentado, esta segunda-feira, em Lisboa, um simulador contra a corrupção. O projecto visa identificar riscos e propor às empresas instrumentos de protecção. Este instrumento, apresentado no Centro Cultural de Belém (CCB), vai estar disponível através da internet. O simulador é gratuito e vai estar acessível a todas as empresas, públicas e privadas. O objectivo é fomentar a transparência nos negócios e para isso bastam dois minutos, o tempo que leva a preencher o questionário, como garante à Renascença Gualter crisóstomo, director da Inteli, uma das empresas que participou na elaboração do simulador. Concluído o questionário o simulador apresenta conselhos aos empresários para combaterem situações de risco que sejam identificadas: "Por exemplo, ter um código de ética e de conduta, ter uma política de pagamento e recrutamentos, ensinamos também como escolher o seu parceiro ou intermediário , mas também tem instrumentos relacionados com a monotorização de todo o processo, ou seja, como e quais auditorias fazer". Os dados são depois tratados e anunciados regularmente, como uma radiografia do tecido empresarial português, sem identificar as empresas participantes. A iniciativa é da Gestão Transparente.Org, com o apoio do Conselho de Prevenção da Corrupção, o Departamento Central de Investigação e Acção Penal e a Universidade do Minho. Sandra Afonso

Página 38


A39

Simulador contra a corrupção disponível na internet

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

RFM Online

URL:

http://rfm.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=24&did=88417

10/12/2012

/

10-12-2012 10:00 O simulador é gratuito e vai estar acessível a todas as empresas, públicas e privadas. O objectivo é fomentar a transparência nos negócios. É apresentado, esta segunda-feira, em Lisboa, um simulador contra a corrupção. O projecto visa identificar riscos e propor às empresas instrumentos de protecção. Este instrumento, apresentado no Centro Cultural de Belém (CCB), vai estar disponível através da internet. O simulador é gratuito e vai estar acessível a todas as empresas, públicas e privadas. O objectivo é fomentar a transparência nos negócios e para isso bastam dois minutos, o tempo que leva a preencher o questionário, como garante à Renascença Gualter crisóstomo, director da Inteli, uma das empresas que participou na elaboração do simulador. Concluído o questionário o simulador apresenta conselhos aos empresários para combaterem situações de risco que sejam identificadas: "Por exemplo, ter um código de ética e de conduta, ter uma política de pagamento e recrutamentos, ensinamos também como escolher o seu parceiro ou intermediário , mas também tem instrumentos relacionados com a monotorização de todo o processo, ou seja, como e quais auditorias fazer". Os dados são depois tratados e anunciados regularmente, como uma radiografia do tecido empresarial português, sem identificar as empresas participantes. A iniciativa é da Gestão Transparente.Org, com o apoio do Conselho de Prevenção da Corrupção, o Departamento Central de Investigação e Acção Penal e a Universidade do Minho.

Página 39


A40

Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

SIC Notícias Online

URL:

http://sicnoticias.sapo.pt/Lusa/2012/12/10/crise-e-uma-grande-oportunidade-para-diminuir-a-corrupcao-nas-empresas---candidaalmeida?service=print

/

Data de Publicação: Dec 10, 2012 3:51 PM Última actualização: Dec 10, 2012 5:01 PM Lisboa, 10 dez (Lusa) -- A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas.

Página 40


A41

SIC ID: 45156904

10/12/2012

Meio: SIC - Jornal da Noite Duração: 00:02:59 Hora de emissão: 20:16:00

Novo portal para combater a corrupção http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=5b9e67b7-da0d4470-a51a-7dbddf7de7b9&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

As empresas e instituições públicas têm a partir de hoje, um instrumento para avaliar o risco e prevenir a corrupção. O manual de boas práticas conta com o apoio da Procuradoria-geral da República e também do Conselho de Prevenção da Corrupção. Comentários de José Tavares, secretário-geral do CPC; Joana Marques Vidal, procuradora-geral da República; Cândida Almeida, diretora do DCIAP.

Página 41


A42

Simulador contra a corrupção disponível na internet

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Rádio Sim.pt

URL:

http://radiosim.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=1&did=88417&FolderID=1111

10/12/2012

/

10-12-2012 10:00 O simulador é gratuito e vai estar acessível a todas as empresas, públicas e privadas. O objectivo é fomentar a transparência nos negócios. É apresentado, esta segunda-feira, em Lisboa, um simulador contra a corrupção. O projecto visa identificar riscos e propor às empresas instrumentos de protecção. Este instrumento, apresentado no Centro Cultural de Belém (CCB), vai estar disponível através da internet. O simulador é gratuito e vai estar acessível a todas as empresas, públicas e privadas. O objectivo é fomentar a transparência nos negócios e para isso bastam dois minutos, o tempo que leva a preencher o questionário, como garante à Renascença Gualter crisóstomo, director da Inteli, uma das empresas que participou na elaboração do simulador. Concluído o questionário o simulador apresenta conselhos aos empresários para combaterem situações de risco que sejam identificadas: "Por exemplo, ter um código de ética e de conduta, ter uma política de pagamento e recrutamentos, ensinamos também como escolher o seu parceiro ou intermediário , mas também tem instrumentos relacionados com a monotorização de todo o processo, ou seja, como e quais auditorias fazer". Os dados são depois tratados e anunciados regularmente, como uma radiografia do tecido empresarial português, sem identificar as empresas participantes. A iniciativa é da Gestão Transparente.Org, com o apoio do Conselho de Prevenção da Corrupção, o Departamento Central de Investigação e Acção Penal e a Universidade do Minho.

Página 42


A43

Cândida Almeida: Crise é ´uma grande oportunidade´ para diminuir corrupção nas empresas

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

Sol Online

URL:

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=64488

10/12/2012

/

A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na actual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores activos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas. Na ocasião, Cândida Almeida, que é também directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), congratulou-se com o lançamento do site, um projecto pioneiro a nível mundial, que as empresas poderão usar como instrumento na procura da internacionalização. "Este é um sistema preventivo contra a corrupção", disse a procuradora-geral adjunta, explicando que, normalmente e em situações de crise como a que vivemos "para haver corrupção passiva é preciso que haja corrupção activa, que tem a ver com as empresas e a sociedade civil". "Não estamos a falar da corruptela (pequena corrupção)", salientou. O guia prático de gestão de riscos de corrupção, hoje apresentado, além de ser grátis para quem o utilizar, em particular para as pequenas e médias empresas, exigiu "muita imaginação", pois custou 10 mil euros, disse à agência Lusa o director do Inteli, Centro de Inovação orientado para um novo modelo de desenvolvimento económico e social sustentável da economia portuguesa, Gualter Crisóstomo, destacando também que vem preencher "uma lacuna muito importante no combate à corrupção". As pequenas e médias empresas que queiram internacionalizar-se para diferentes geografias, sobretudo fora da União Europeia, podem através deste site conhecer o nível de risco de corrupção a que estão expostas, avançou à Lusa aquele responsável, sublinhando o carácter transversal do novo instrumento. Trata-se de um simulador, tem legislação muito completa, é também um glossário e poderá ser útil na orientação das decisões das empresas, reduzindo "os custos da sua exposição" a más opções de internacionalização, frisou. Para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Reis, o aparecimento deste guia reveste-se de "particular importância", pelo que a agência vai participar na sua divulgação como complemento do trabalho que faz ao nível da internacionalização das empresas portuguesas. Página 43


Lusa/SOL

Pรกgina 44


A45

TSF ID: 45145712

10/12/2012

Meio: TSF - Notícias Duração: 00:01:06 Hora de emissão: 08:32:00

Simulador para medir o grau de exposição à corrupção http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=17c70dfe-935949ec-9ba7-ccd225084704&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

As empresas e os serviços da administração pública têm a partir de hoje um simulador online gratuito para saber se estão muito ou pouco expostos à corrupção. Declarações de Gualter Crisóstomo, um dos responsáveis pelo projeto.

Página 45


A46

TSF ID: 45147883

10/12/2012

Meio: TSF - Negócios & Empresas Duração: 00:00:35 Hora de emissão: 08:47:00

Gestãotransparente.org http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=c8c14a93-c3494b02-8883-979e150abcda&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

Chama-se gestãotransparente.org, é o nome do guia prático de gestão de risco de corrupção nas organizações. Vai ser hoje apresentado no CCB, com a presença de algumas das principais empresas do PSI20, entre outras entidades públicas e privadas, também o DCIAP, ainda o Conselho de Prevenção da Corrupção e a Universidade do Minho.

Página 46


A47

TSF ID: 45148274

10/12/2012

Meio: TSF - Notícias Duração: 00:01:19 Hora de emissão: 10:08:00

Simulador para medir o grau de exposição à corrupção http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=c5abb29b-bb924fbd-8465-6a42caec67ea&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

As empresas e os serviços da administração pública têm a partir de hoje um simulador online gratuito para saber se estão muito ou pouco expostos à corrupção. Declarações de Gualter Crisóstomo, um dos responsáveis pelo projeto.

Página 47


A48

Simulador online para evitar casos de corrupção

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

Meio:

TSF Online

URL:

http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=2937653&page=-1

10/12/2012

/

As empresas e os serviços da administração pública têm, a partir de agora, um simulador online gratuito para perceberem se estão expostos à corrupção e o que devem fazer para evitar o surgimento de casos. O Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção é promovido por várias grandes empresas presentes em bolsa. O site tem um simulador que permite às empresas e serviços do Estado perceberem se estão muito ou pouco expostos à corrupção, nomeadamente quando exportam, e o que devem fazer para evitá-la. A metodologia foi validada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e pelo Concelho de Prevenção da Corrupção. Este simulador de riscos de corrupção para o Estado e para as empresas é apresentado esta segundafeira, com a presença da directora do DCIAP e da Procuradora-geral da República.

Página 48


A49

Saiba se a empresa onde trabalha é corrupta

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

TVI 24 Online

URL:

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/corrupcao-simulador-empresas-tvi24/1400651-4071.html

/

Simulador foi lançado esta segunda-feira e é grátis |

2012-12-10 20:31

As empresas e os serviços da administração pública têm, a partir de agora, um instrumento na Internet que lhes permite perceberem se estão expostos à corrupção e o que devem fazer para a evitar. O simulador de corrupção que avalia os riscos para empresas públicas e privadas foi lançado esta segunda-feira e é grátis. Presente no lançamento, a Procuradora-Geral da República, Joana Marques Vidal, avisou que o combate a este crime não se faz apenas nos tribunais.

Página 49


A50

TVI 24 ID: 45154497

10/12/2012

Meio: TVI 24 - Notícias Duração: 00:01:41 Hora de emissão: 16:17:00

Foi hoje lançado um novo simulador de corrupção http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=5516fd21-179e43a2-8cdc-621e5737ff83&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

Foi hoje lançado um novo simulador de corrupção. As empresas e os serviços da Administração Pública têm, a partir de agora, um instrumento on line que lhes permite perceber se estão expostos à corrupção e o que devem fazer para evitar o surgimento de casos. Declarações de Sérgio Filipe, Siemens Portugal; Joana Marques Vidal, Procuradora Geral da República

Página 50


A51

TVI ID: 45156925

10/12/2012

Meio: TVI - Jornal das 8 Duração: 00:01:37 Hora de emissão: 20:23:00

Foi hoje lançado um novo simulador de corrupção http://www.pt.cision.com/O4KPTWebNewLayout/ClientUser/GetClippingDetails.aspx?id=918b1339-22ef4d5b-a206-d167182804d7&userId=826acd5a-1dce-407a-a224-288af2411ecf /

Foi hoje lançado um novo simulador de corrupção. As empresas e os serviços da Administração Pública têm, a partir de agora, um instrumento on line que lhes permite perceber se estão expostos à corrupção e o que devem fazer para evitar o surgimento de casos. Declarações de Sérgio Filipe, Siemens Portugal; Joana Marques Vidal, Procuradora Geral da República.

Página 51


A52

Crise é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas - Cândida Almeida

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

10/12/2012

Meio:

Visão Online

URL:

http://visao.sapo.pt/crise-e-uma-grande-oportunidade-para-diminuir-a-corrupcao-nas-empresas-candida-almeida=f701473

/

Lusa - Esta notícia foi escrita nos termos do Acordo Ortográfico 16:16Segunda feira, 10 de Dezembro de 2012 Lisboa, 10 dez (Lusa) -- A procuradora-geral adjunta do Ministério Público, Cândida Almeida, afirmou hoje que a crise actual é uma "grande oportunidade" para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública portuguesa. "Prefiro ver na atual crise uma grande oportunidade para diminuir a corrupção nas empresas e na Administração Pública porque é a ocasião para os eventuais corruptores ativos dizerem não", disse Cândida Almeida que falava no lançamento do projecto "GestãoTransparente.org - Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção nas Organizações", que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. As empresas portuguesas, em particular as de pequena dimensão, que estão ou pretendam internacionalizar-se, vão poder a partir de agora ter acesso a um sítio na Internet que lhes dará "uma informação completa sobre os riscos de corrupção" para que possam exercer uma gestão transparente e que lhes permita serem mais competitivas.

Página 52

Revista Semanal - Edição Especial  

GestãoTransparente.org