Page 1

11

Smart Cities PortugaL EM BARCELONA

FEVEREIRO 2014 1


Portugal no maior evento mundial de Smart Cities

05

2

Smart Cities Portugal agrega empresas, cidades e conhecimento

Portugal e Espanha unidos com inteligĂŞncia nas cidades

06

12


Notícias Inteli Breves Eventos Sugestões

Tecnologia avançada ao serviço dos territórios

22

16 Cidades smart partilham conhecimento

Factos: Smart Cities em números

18

20 3


4


Portugal no maior evento mundial de Smart Cities 9.000 participantes, 300 cidades, 80 países, 160 empresas e 320 oradores juntaram-se em Barcelona no maior evento mundial de smart cities – o “Smart City Expo World Congress”, que decorreu de 19 a 21 de Novembro de 2013. “Smart Cities change the World” foi o mote para o encontro, que abordou áreas como a energia, governação e economia, mobilidade, construção sustentável, segurança e resiliência urbana, tecnologia e inovação, sociedade inteligente e cidade colaborativa.

A participação portuguesa ocorreu em diversos palcos, com comunicações nas conferências, presença na feira, lançamento de publicações e organização de encontros internacionais. Dois eventos de relevo, sob a organização da INTELI, merecem destaque. O primeiro traduziu-se na reunião da Rede Ibérica de Cidades Inteligentes, que juntou autarcas da RECI - Rede Espanhola de Cidades Inteligentes e da RENER – Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes num encontro inicial para discutir oportunidades de colaboração na área das smart cities, após formalização de protocolo entre as partes.

E Portugal marcou presença no debate, com uma comitiva integrada por municípios, empresas e clusters da plataforma Smart Cities Portugal. A INTELI, o CEIIA – Centro para a Excelência e Inovação da Indústria Automóvel, o Pólo de Competitividade e Tecnologia da Energia, empresas como a Oracle, a Indra, a Magnum Cap, a Conteúdo Chave e a Prio.e, e as cidades de Cascais, Porto, Coimbra, Águeda e Torres Vedras aliaram esforços para integrar o movimento mundial das cidades inteligentes.

O segundo foi o lançamento do briefing “Roadmap Smart Cities Portugal”, um catálogo das competências e capacidades das empresas e centros de I&D nacionais que operam no mercado das cidades inteligentes. Pretendeu-se dar visibilidade aos produtos, sistemas e soluções urbanas inovadoras desenvolvidas em Portugal, com capacidade de replicação a nível global. O balanço foi positivo, na opinião das cidades e das empresas. Em Novembro deste ano encontramo-nos novamente em Barcelona, na edição de 2014 do “Smart City Expo World Congress”!

5


Smart Cities Portugal agrega empresas, cidades e conhecimento 6


A plataforma Smart Cities Portugal esteve presente no maior congresso mundial de smart cities, em Barcelona - o “Smart City Expo World Congress”. Na comitiva portuguesa participaram municípios, empresas e clusters. A marcar o posicionamento do país no movimento das cidades inteligentes. Empresas, clusters, universidades, centros de I&D, municípios e outros actores económicos e sociais que operam no mercado das cidades inteligentes juntaram esforços para lançar a plataforma colaborativa Smart Cities Portugal. Sob a coordenação da INTELI, a aliança pretende afirmar Portugal como exportador de tecnologias, produtos e sistemas de elevado valor acrescentado para smart cities a nível global, assim como palco de desenvolvimento e experimentação de soluções urbanas inovadoras em contexto real. Agregar a oferta, dinamizar a procura A plataforma pretende estabelecer sinergias entre os diferentes actores que trabalham na área das cidades inteligentes, em domínios como a energia, a mobilidade, o ambiente, os edifícios, a governação, o turismo, a saúde ou a segurança, com vista a promover a estruturação da oferta e a sua valorização dos mercados internacionais. Trata-se de induzir o desenvolvimento e demonstração de soluções integradas capazes de responder, de forma criativa e inovadora, a necessidades e problemas urbanos, com potencial de replicação em cidades de todo o mundo. É esta a filosofia defendida pela Parceria Europeia de Inovação “Smart Cities and Communities”, promovida pela Comissão Europeia, e que se encontra incorporada nos programas de financiamento à investigação e inovação do período de programação 2014-2020.

7


8


Mas, não basta desenvolver e agregar a oferta. A aliança Smart Cities Portugal visa também actuar do lado da procura, contribuindo para a eliminação de barreiras de mercado, em domínios como as compras públicas, a normalização e estandardização, os modelos de negócio, o financiamento ou o envolvimento dos stakeholders. A participação dos cidadãos é determinante nos processos de transformação urbana, sendo um factor crítico de sucesso para a definição e implementação de estratégias de smart city, numa lógica de co-criação e de inovação aberta. Até porque a Smart Cities Portugal parte de um conceito de ‘cidade inteligente’ centrado nas pessoas, apelando a um novo ambiente de colaboração entre as cidades e as empresas fornecedoras de soluções tecnológicas. Roadmap Smart Cities Portugal O Roadmap Smart Cities Portugal – In Brief foi lançado em Barcelona, em Novembro de 2013, no “Smart City Expo World Congress” com vista a apresentar as competências e capacidades das empresas e centros de I&D que operam no mercado das cidades inteligentes, no sentido de dar visibilidade às soluções urbanas inovadoras desenvolvidas em Portugal no mercado internacional. Trata-se de uma base de intelligence, promovida pela INTELI, que visa colmatar uma lacuna do mercado das cidades inteligentes, que se afirma como um sector emergente, cujos actores estão muitas vezes dispersos e desarticulados. Para atingir este objectivo, cerca de 80 empresas e instituições de I&D colaboraram no processo de geração de informação e conhecimento acerca do cluster associado às smart cities.

Não basta desenvolver e agregar a oferta. A aliança Smart Cities Portugal visa também actuar do lado da procura.

Em termos preliminares, as conclusões apontam para um mercado onde as empresas actuam privilegiadamente nos domínios da governação e participação pública, mobilidade e energia, seguindo-se a área do turismo e cultura. O roadmap apresenta uma amostra destes produtos, serviços, aplicações e projectos, funcionando como um catálogo da oferta nacional. Em Março de 2014 vai ser publicada uma 2ª edição do roadmap, com informação adicional e aprofundada acerca dos actores que integram a plataforma Smart Cities Portugal.

9


Smart Cities Portugal - Objectivos específicos - Promover o desenvolvimento e produção de soluções urbanas inovadoras para cidades inteligentes de forma integrada - Incentivar a replicação de conceitos e modelos de smart cities testados em Portugal noutras cidades do mundo - Fomentar a criação de novas empresas associadas ao mercado das cidades inteligentes - Promover a incorporação nacional em projectos de investimento directo estrangeiro associados a smart cities - Incentivar as cidades a desenvolver projectos urbanos inteligentes em coerência com as suas especificidades territoriais - Fomentar a avaliação do impacto das estratégias e projectos smart na qualidade de vida dos cidadãos - Afirmar as empresas e as cidades portuguesas no mercado das cidades inteligentes, com o estabelecimento de sinergias com redes internacionais - Promover a participação de empresas e cidades portuguesas nos programas de financiamento 2014-2020

Smart Cities Portugal - Áreas de Intervenção

Financiamento

---

---

----

--

-------

Regulamentação

-

Internacionalização

---

---

---

-------

I&D e Inovação -----

Empreendedorismo

10

----

--

--

-

----

Governação Mobilidade Energia Ambiente Edíficios Qualidade de vida


Parceiros INTELI – Inteligência em Inovação, Centro de Inovação RENER – Rede de Cidades Inteligentes de Portugal Pólo de Competitividade e Tecnologia da Energia - EnergyIN Pólo de Competitividade e Tecnologia das Indústrias da Mobilidade Pólo das Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica – TICE.PT Cluster Habitat Sustentável CEIIA – Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel Universidade do Minho Centro de Competências para as Cidades do Futuro – FEUP Oracle Portugal Siemens Portugal Indra Portugal

11


Portugal e Espanha unidos com inteligĂŞncia nas cidades 12


Barcelona foi o ponto de encontro das redes de cidades inteligentes portuguesa (RENER) e espanhola (RECI). A reunião assinalou formalmente a cooperação ibérica para o desenvolvimento de projectos nas áreas da energia, ambiente, inovação social, reabilitação urbana e governação. Os autarcas estão focados em aumentar a massa crítica e o índice de desenvolvimento sustentável, de forma a garantir o bom posicionamento das cidades ibéricas no ranking da competitividade global. A RENER, rede portuguesa liderada pela INTELI, e a RECI acordaram dar início a reuniões de trabalho sectoriais, com o objectivo de posicionar as respectivas cidades em vantagem na grelha de partida para o acesso aos fundos europeus. Na reunião realizada no âmbito do Congresso Mundial de Smart Cities, em Barcelona, estiveram presentes representantes do Porto, Coimbra, Torres Vedras e Cascais. De sublinhar a participação do presidente da Câmara de Águeda, Gil Nadais, ainda que a título de observador. O autarca integra um novo grupo de cidades portuguesas que querem aderir à RENER. Também do lado espanhol foram aprovadas as entradas de mais oito cidades. Esta “movida” em torno de um novo paradigma de desenvolvimento das cidades está a mobilizar políticos, empresas e universidades. Na reunião, em Barcelona, foi ratificado o acto de assinatura do acordo Luso-Espanhol, realizado em Cascais, a 13 de Novembro, na presença do administrador da INTELI Alexandre Videira, do presidente da RECI, Iñigo de la Serna, e do presidente da autarquia anfitriã, Carlos Carreiras. A parceria das cidades do espaço ibérico aposta na criação de uma plataforma de teste e experimentação de soluções tecnológicas e reforça o posicionamento estratégico e a capacidade de negociação com a União Europeia e com a América do Sul.

13


14


Sobre a RENER A Rede RENER constituiu-se originalmente como uma Rede Piloto para a Mobilidade Eléctrica, no âmbito do Programa Nacional de Mobilidade Eléctrica. Gerida pela INTELI e membro da “Rede Europeia de Living Labs”, a rede integra 25 municípios nacionais. Em 2012 abrem-se novos caminhos para o desenvolvimento da RENER, com a aplicação do Índice de Cidades Inteligentes pela INTELI a 20 dos 25 municípios da rede, numa lógica de avaliação da inteligência urbana e da proposta de projectos concretos a desenvolver em cooperação. Face aos resultados alcançados, os membros da RENER aprovaram, em 12 de Novembro de 2013, o alargamento da rede com a inclusão de novos temas de cooperação para a além da mobilidade eléctrica (energia, ambiente, edificado, governação, inovação social, etc.). Perspectivase ainda a integração de novos municípios que têm vindo a manifestar interesse em participar neste movimento.

Sobre a RECI A RECI – Rede Espanhola de Cidades Inteligentes é uma associação liderada pelo Município de Santander e integrada por 49 cidades espanholas que visa criar um intercâmbio de conhecimento entre as cidades, implementar instrumentos de identificação de áreas tecnológicas e de detecção de oportunidades, e promover redes de cooperação científica e empresarial. A rede operacionaliza a sua actividade através de um conjunto de grupos de trabalho temáticos, cada um deles liderado por um ou mais municípios: inovação social; energia; meio ambiente, infra-estruturas e habitação; mobilidade urbana; governação, economia e negócios, que reúnem regularmente. Está também activamente envolvida no Comité Técnico de Normalização para Cidades Inteligentes (AENOR), que visa definir normas técnicas para smart cities, em coerência com os trabalhos internacionais e europeus.

15


Tecnologia avanรงada ao serviรงo dos territรณrios

16


Por Vitor Pereira | Conteúdo Chave A plataforma “Welcome Guides”, implementada já em diversos municípios portugueses, integra o “Roadmap Smart Cities Portugal”, que foi recentemente apresentado em Barcelona, no Congresso Mundial de Smart Cities, uma publicação com as empresas, infraestruturas tecnológicas e centros de I&D com competências e capacidades na área das cidades inteligentes. Trata-se de um briefing de um estudo completo que irá ser lançado em Março de 2014. Esta publicação foi coordenada pela INTELI – Inteligência e Inovação, gestora da rede de cidades inteligentes portuguesas.

A aplicação vocacionada para as Cidades e Destinos, para além da georeferenciação por Realidade Aumentada, inclui também um scanner de Realidade Amentada que funcionará com imagens diversas, por exemplo, cartazes, mupis, quadros de museu, flyers, menus de restaurante, logos, etc., apresentando conteúdo multimédia diverso (vídeos, elementos 3d, áudio, botões, etc.) enriquecendo os suportes de promoção e também a interação com os visitantes e utilizadores. A aplicação está pronta e deverá ficar disponível ainda no corrente mês para a plataforma Android e iOS. A Conteúdo Chave vai também lançar dentro de dias uma solução ‘chave na mão’ para aplicações de cidades e localidades, tendo a solução mobile mais básica um custo “acessível” a todos e em moldes de parceria e partilha de recursos. No âmbito do “Smart City Expo World Congress”, que decorreu em Barcelona (19 a 21 de Novembro), o projecto “Welcome Guides” foi também selecionado para ser apresentado no “Smart City Open Innovation Marketplace”, despertando enorme interesse dos investidores.

O “Welcome Guides” é um projeto desenvolvido pela Empresa Conteúdo Chave Lda. O simples facto de ter sido selecionada esta plataforma, que recorre à tecnologia em Realidade Aumentada, como um exemplo de excelência na gestão inteligente de destinos turísticos representa para a Conteúdo Chave um enorme estímulo e um grande incentivo para continuar a trabalhar aliando as soluções tecnologicamente mais avançadas à comunicação. Através do “Welcome Guides” o utilizador, munido de um smartphone tem acesso imediato a todos os Pontos de Interesse (POI) existentes em determinado território, com informação específica sobre cada um, imagens, vídeos, contactos, etc., e até percursos definidos através de GPS, para ajudar o utilizador a encontrar cada local sem a menor dificuldade.

O congresso mundial de cidades inteligentes reuniu decisores políticos e governamentais, empresários, empreendedores, investigadores e diversos líderes mundiais do pensamento. Ali se discutiu, ao mais alto nível, o futuro das cidades em áreas como a tecnologia e inovação, mobilidade, energia, desenvolvimento, segurança urbana, sustentabilidade ambiental, entre outros. Neste congresso participam 80 países e mais de 3 mil delegados representativos de diversas cidades de todo o mundo. A Conteúdo Chave Lda. participa anualmente neste Congresso orgulhando-se, este ano, de pela primeira vez fazer parte das soluções inteligentes ali apresentadas e recomendadas.

17


Cidades smart partilham conhecimento

18


Por Sandra Pedro | Câmara Municipal de Torres Vedras

O “Smart City Expo World Congress” reúne os principais especialistas e líderes da área possibilitando a partilha, discussão de ideias e soluções para cidades inteligentes. Diversas cidades/municípios apresentam os projectos que dinamizam e os seus principais resultados. Neste contexto, também muitas empresas apresentam as suas soluções para tornar as cidades mais smart quer para o sector público, quer para o sector privado.

A participação neste evento permite aos técnicos o contacto com estas novas soluções e projectos e, também, o benchmarking da sua cidade em comparação com outras. O ambiente que se vive no evento desafia e motiva para a mudança e para a implementação de novos projectos e iniciativas.

O elevado número de participantes e oradores, a diversidade de projectos apresentados e a quantidade de informação disponibilizada no “Smart City Expo World Congress” revela a dinâmica que esta área apresenta actualmente e a sua importância para quem gere as cidades. Trata-se de um evento incontornável para perceber como este conceito de “Cidade Inteligente” é determinante para aumentar a competitividade económica, a sustentabilidade ambiental, bem como promover o desenvolvimento cultural, a inclusão social e a promoção da qualidade de vida das populações. Deve ainda ser destacada a nossa participação na reunião entre a Rede RENER (portuguesa) e a RECI (rede espanhola para as smart cities), na qual se estabeleceu um acordo para uma pareceria Ibérica de Smart Cities. Com o claro objectivo de desenvolver trabalho em rede nas diversas áreas sectoriais, que permitirá o desenvolvimento de projectos integrados, a partilha de experiências e eventuais candidaturas conjuntas a fundos europeus.

A possibilidade de ouvir os grandes especialistas como AMORY LOVINS, RICHARD FLORIDA e KENT LARSON, que inspiram plateias, inspiranos para fazer melhor, inovar e experimentar novas soluções e estratégias para resolver os problemas das nossas cidades e áreas urbanas.

19


factos

Smart Cities em números

(mil milhões de dólares)

3.2

3.0

Fonte: Navigant Research 2013

Fonte: Navigant Research 2013

20


factos

Smart Cities em números

Número de Smart Cities na União Europeia

Áreas cobertas pelo conceito de “cidade inteligente”

Fonte: Parlamento Europeu 2014

Percentagem de Smart Cities por país na União Europeia

76-100 51-75 26-50 1-25 0

%

Fonte: Parlamento Europeu 2014

21


Roadshow Smart Cities Portugal 2014 A plataforma Smart Cities Portugal vai realizar, durante 2014, um roadshow de workshops sobre temas associados às cidades inteligentes. Em diversas cidades do país vão ser abordados os domínios privilegiados pela “European Innovation Partnership on Smart Cities and Communities” da Comissão Europeia: mobilidade, energia, TIC e habitat sustentável, sob a coordenação dos Pólos de Competitividade e Tecnologia e Clusters associados. O roadshow terminará com uma conferência internacional, organizada pela INTELI, que contará com a intervenção de peritos da Europa, América Latina e África. Pretende-se que destes eventos resultem projectos e acções concretas a apresentar ao Horizon 2020 ou aos programas nacionais e regionais 2014-2020.

22


Eixo Atlântico convida INTELI para formação em Smart Cities

INTELI apresenta Smart Cities Portugal no ALTEC

A INTELI foi convidada pelo Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular, uma associação de cidades portuguesas e galegas, para ministrar formação no âmbito do projecto ADL – Agenda Digital Local financiado pelo POCTEP, que ocorreu no dia 29 de Outubro de 2013, na Galiza.

O workshop “O Futuro das Cidades, as Cidades do Futuro: Desafios e oportunidades para projectos urbanos inovadores no contexto Latino-iberoamericano” decorreu no dia 31 de Outubro de 2013, no Porto, no âmbito do XV Congresso Latino -Iberoamericano de Gestão de Tecnologia, ALTEC 2013, com a colaboração da INTELI e do CEIIA.

O tema do evento foram as cidades inteligentes, tendo Catarina Selada da INTELI (e RENER – Rede de Cidades Inteligentes de Portugal) e May Escobar (RECI – Rede de Cidades Inteligentes de Espanha) assegurado uma parte da formação. Participaram como formandos diversos técnicos de autarquias dos dois lados da fronteira, como Porto e Matosinhos. Em sequência, a INTELI teve a oportunidade de participar em evento similar destinado a representantes políticos, realizado no dia 11 de Dezembro, no Porto, sobre o tema “construindo as cidades do futuro”.

O evento teve como objectivo estimular o debate sobre desafios e oportunidades para o desenvolvimento de projectos urbanos inovadores, com ênfase no contexto Latino-Iberoamericano. Neste âmbito, a INTELI apresentou a plataforma colaborativa Smart Cities Portugal, como uma arena de projecção de Portugal como exportador de soluções para smart cities a nível global. O contraponto entre uma visão mais “tecnológica” e outra mais “humana” das cidades inteligentes marcou o debate, que contou com participantes de Portugal, Espanha, Brasil, México, etc.

NOTÍCIAS INTELI 23


INTELI participa em projecto “Crescer com Eficiência”

Aprovado projecto Bioatlas com coordenação da INTELI

A INTELI iniciou, em Dezembro de 2013, o desenvolvimento de mais um projecto de promoção da eficiência energética no território nacional. Dando continuidade à parceria firmada com o Centro de Investigação IN+ do Instituto Superior Técnico no âmbito do PPEC, esta nova iniciativa, denominada “Crescer com Eficiência”, tem como público-alvo 40 lares de acolhimento de crianças e jovens, que serão seleccionados através de um concurso livre, com data prevista de lançamento para o mês de Março.

Criar um sistema de informação geográfica digital, user friendly, que ilustre o potencial de mercado dos produtos bioenergéticos made in Portugal, é o objectivo do novo projecto da INTELI – o Bioatlas. Esta iniciativa, aprovada no âmbito do SIAC – Sistema de Apoio a Acções Colectivas (QREN), permitirá aliar de forma inovadora, a investigação científica realizada nas universidades portuguesas, os dados e sistemas de informação geográfica nacionais e a indústria portuguesa de bioenergia.

Este projecto inclui não só o desenvolvimento de planos individuais de melhoria da eficiência energética, tendo por base um diagnóstico traçado previamente a cada uma das instituições envolvidas, através de auditorias, mas também a sensibilização dos residentes e funcionários do lar para a temática em foco. Neste sentido, cada uma das instituições será desafiada a cumprir uma série de actividades didácticas, adequadas às diversas faixas etárias dos jovens e crianças envolvidos, cujo sucesso será recompensado com diversos prémios adequados a necessidades concretas.

O projecto disponibilizará informação georreferenciada sobre a disponibilidade biomássica florestal e agrícola, centrais de processamento que integram as cadeias de produção dos vários produtos bioenergéticos nacionais, assim como as estimativas dos volumes de produção potencial e respectivos custos operacionais. Serão ainda integrados algoritmos de estimativa de energia e emissões associadas às mesmas cadeias de produção.

As diferentes actividades do projecto “Crescer com eficiência” serão desenvolvidas ao longo de 24 meses e poderão ser acompanhadas através de um portal que será lançado em breve.

A ferramenta terá como principal público-alvo as PMEs nacionais, que serão convidadas a participar no seu processo de desenvolvimento. Esta estratégia participativa permitirá, por um lado, garantir a pertinência, relevância e viabilidade da sua utilização e, por outro lado, promover uma dinâmica de cooperação entre a comunidade científica e as empresas e entre o próprio tecido empresarial entre si. Para além da INTELI, o projecto Bioatlas conta com a participação da Universidade de Aveiro, da Agência Regional de Energia e Ambiente - AREANATEJO e do Pólo de Competitividade e Tecnologia da Energia – ENERGYIN.

24


INTELI integra rede para promoção de cidades pós-carbono A INTELI é parceira do projecto POCACITO – “Post-carbon Cities of Tomorrow”, apoiado pelo 7º Programa-Quadro da Comissão Europeia, sob a liderança do Ecologic Institute (Alemanha). O consórcio integra, ainda, prestigiadas universidades, institutos e centros de investigação de 11 países distintos (Alemanha, Portugal, Itália, Bélgica, Turquia, Croácia, França, Dinamarca, Áustria, República Checa, Suécia). A iniciativa tem como objectivo definir um roadmap 2050 para a transição das cidades europeias em direcção a uma economia pós-carbono, através de processos de cenarização participativos. No território nacional, Lisboa foi o caso de estudo escolhido. A par da capital portuguesa, também Barcelona, Copenhaga, Malmö, Istambul, Litomerice, Milão, Turim, Offenburg e Zagrebe integram esta rede de cidades que funcionará como um laboratório vivo na busca de propostas inovadoras para o desenvolvimento urbano sustentável. Embora tenha como ponto de partida o território europeu, as ambições do POCACITO extravasam as fronteiras da Europa. Consciente do potencial dos chamados BASIC (Brasil, África do Sul, Índia e China), a parceira tem nos seus planos a criação de um “mercado de ideias” online, onde será fomentado o intercâmbio de ideias, soluções, boas práticas e a criação de parcerias com diversas instituições daqueles países, em particular o Brasil e a China. A reunião de arranque do projecto teve lugar em Berlim, nos passados dias 15-17 de Janeiro de 2014, com a participação de uma equipa da INTELI.

25


Estão abertas as Calls sobre Smart Cities no Horizon 2020

Portugal bate record de produção de electricidade limpa

No dia 11 de Dezembro de 2013, foram lançados os apelos à apresentação de candidaturas no âmbito do Horizon 2020, o grande programa de investigação e inovação da Europa entre 2014 e 2020. As calls especificamente dedicadas a cidades inteligentes são anunciadas no programa de trabalhos “Secure, Clean and Eficient Energy”, integrando dois tipos de iniciativas.

O ano de 2013 foi, até ao momento, o mais renovável deste século em Portugal no que toca à produção e consumo de eletricidade. A produção de eletricidade a partir de fontes renováveis no país foi responsável por 58,3% do total de energia eléctrica consumida, um aumento de 20% em relação a 2012.

Por um lado, os designados “projectos farol” que se traduzem em acções de demonstração de soluções na intersecção das áreas de energia, mobilidade e TIC num número seleccionado de cidades europeias. Cada proposta deverá integrar 2 a 3 cidades líder e 2 a 3 cidades seguidoras em parceria com empresas, centros de investigação, universidades ou consultoras, estando disponível um orçamento de 92 milhões de euros para a aprovação de cerca de 3 projectos em 2014. Por outro lado, um conjunto de iniciativas horizontais que pretendem actuar na criação e dinamização dos mercados, nas áreas do public procurement, normalização, indicadores, empreendedorismo urbano, etc.

breves 26

Baseado nos números publicados pela REN no início do mês, considerando apenas a produção energética nacional, a contribuição das energias renováveis em 2013 cifrou-se no valor record de 61,7%. Como resultado deste aumento de produção das renováveis, assistiu-se a uma redução do valor de eletricidade importada em 2,8 vezes, o que, na prática, se traduz num decréscimo de 10% do total consumido.

Seis cidades portuguesas disputam prémio do Mayors Challenge O concurso “Mayors Challenge” é lançado pela Bloomberg Philantropies, a divisão de filantropia do grupo de comunicação fundado pelo empresário e ex-mayor de Nova Iorque Michael Bloomberg. À semelhança do sucedido em 2012, ano em que a primeira edição do concurso foi reservada a cidades dos Estados Unidos da América, o Mayors Challenge 2013-2014 propõe-se distinguir ideias “visionárias”, “impactantes”, “exequíveis” e “replicáveis” de autarquias europeias com 100 mil habitantes ou mais. A Europa tem cerca de 600 cidades que cumprem este requisito, sendo que Portugal tem apenas 20. As cidades portuguesas que disputam o “Mayors Challenge” são Braga, Cascais, Coimbra, Lisboa, Odivelas e Sintra – cinco milhões para a vencedora e um milhão de euros para cada uma classificada entre o 2.º e o 5.º lugares.


Comissão Europeia lança edição 2014 dos Prémios de Promoção Empresarial

Conferência Future Cities 2014 destaca boas práticas na Cidade do Porto

A Comissão Europeia lançou, no fim do mês de Janeiro, a edição de 2014 dos Prémios Europeus de Promoção Empresarial, um concurso para premiar as iniciativas mais criativas e bem-sucedidas de organismos públicos e parcerias público-privadas da UE que apoiam o empreendedorismo, e as Pequenas e Médias Empresas, em particular.

A Conferência Future Cites 2014 – Porto: Living the Future teve lugar no Porto no passado dia 28 de Janeiro, contando com mais de 400 participantes.

A competição a nível nacional começa em Maio, sendo os vencedores portugueses seleccionados para competir a nível internacional. O objetivo final dos participantes é ganhar um Grande Prémio do Júri, em Nápoles, em Outubro. As seis categorias de entrada são: Promover o espírito empreendedor; Investir em habilidades; Melhorar o ambiente de negócios; Apoio à internacionalização das empresas; Apoiar o desenvolvimento de mercados verdes e eficiência dos recursos; Empreendedorismo responsável e inclusivo.

Anunciados os seis finalistas da Capital Europeia da Inovação Barcelona, Espoo, Grenoble, Groningen, Málaga e Paris são as seis cidades finalistas para a primeira edição do prémio Capital Europeia da Inovação ou iCapital. O prémio, no montante de 500 mil euros, servirá para as cidades desenvolverem esforços na melhoria dos seus “ecossistemas de inovação” - que ligam os cidadãos, organizações públicas, universidades e empresas. A cidade vencedora será anunciada na Convenção da Inovação 2014 que se realiza nos dias 10 e 11 de Março, em Bruxelas.

O Future Cities é um projecto de capacitação liderado pelo Centro de Competências para as Cidades do Futuro da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto que está a ser implementado num modelo de living lab, tendo a cidade do Porto como palco de experimentação de soluções urbanas inovadoras. Foram vários os exemplos apresentados na conferência que comprovam que o projecto Future Cities está a transformar o Porto num laboratório vivo de soluções para as cidades, como por exemplo, a maior rede de comunicação em movimento do mundo, projectada pelo projecto ao instalar pontos de rede em 400 autocarros da STCP. O coordenador do Centro de Competências para as Cidades do Futuro, João Barros, acredita que o projecto Future Cities pode atrair a atenção dos gigantes das tecnologias para a cidade.

breves 27


eventos 03 02 Inovação e Sustentabilidade nas Cidades do Futuro Lisboa – Portugal 27 de Fevereiro de 2014 Organizada pelo Green Project Awards (GPA), a conferência “Inovação e Sustentabilidade nas Cidades do Futuro”, que se realiza no Grande Auditório da Culturgest, edifício-sede da Caixa Geral de Depósitos em Lisboa, assinala também o lançamento da sétima edição do GPA Portugal. O evento pretende promover o debate sobre o papel das cidades sustentáveis na construção de um país competitivo com enfoque nos temas da mobilidade, metabolismo urbano, inovação, governança e cooperação, entre outros. “O papel das Cidades Sustentáveis na construção de um País Competitivo” e “Os desafios das Cidades do Futuro: Economia, Sociedade e Ambiente” são os dois painéis que compõem o debate.

Smart Cities International Exhibition Sofia – Bulgária 5-7 de Março de 2014 O primeiro evento de cidades inteligentes do Sudeste da Europa estará focalizado nas áreas da energia, mobilidade e transportes, gestão de emergências, gestão de resíduos e tecnologias de informação e comunicação. O objectivo é demonstrar soluções que irão ajudar os sistemas urbanos a oferecer serviços melhores e mais eficientes para seus cidadãos.

05 Smart City Event Amesterdão – Holanda 13 - 14 de Maio de 2014 É um dos maiores eventos de smart cities, onde durante 2 dias são apresentados alguns dos projectos mais bem-sucedidos da Europa. Cidades e empresas de todo o mundo partilham os seus conhecimentos e experiências sobre projetos para o desenvolvimento das cidades inteligentes. Com mais de 450 delegados na edição de 2013, o evento foi um grande sucesso. O foco desta edição será a partilha de conhecimentos para realizar as ambições climáticas e a transição energética.

28


eventos 04 Smart to Future Cities 2014 Londres – Reino Unido 29 - 30 de Abril de 2014 Trata-se de um grande evento de smart cities que na edição de 2013 focou a forma como o mercado está num ponto de inflexão entre falar sobre o que é uma “smart city” e entender como implementá-la. Em 2014 o enfoque será a passagem das cidades inteligentes para o mainstream, com uma crescente atenção dos governos para políticas de desenvolvimento da cidade inteligente, implementação de protocolos e de plataformas operacionais para a cidade inteligente e aceitação de tecnologias inteligentes como a norma em áreas distintas das cidades como transportes, energia, segurança, etc

09 Pluris 2014 – Re (inventar) a Cidade em Tempos de Mudança Lisboa – Portugal 24-26 de Setembro 2014 6º Congresso Luso-Brasileiro para o Planeamento Urbano, Regional, Integrado e Sustentável Este congresso aborda o tema “mundo em mudança” e as implicações nas cidades e territórios. O foco no (re)inventar pretende refazer ligações conhecidas com nova matéria-prima, projectar conexões e vivências com a memória do que se conhece e se respeita, mas com a criatividade e o engenho ao serviço do futuro. Além do mais, com a mudança é necessário reconhecer limitações e potencialidades, e preferencialmente ter controlo sobre as acções e decisões a tomar para que não haja rupturas tanto na esfera pessoal como na colectiva. Perceber e reflectir sobre esta mudança que se anuncia, mas que tarda em se materializar, é o objectivo deste congresso.

29


sugestões Livros & Artigos

Smart Cities: Best of the Best Smart Cities Council, Outubro 2013

Smart Cities Readiness Guide Smart Cities Council, Novembro 2013 Este documento surge de um esforço colaborativo entre várias entidades, incluindo grandes empresas das diversas áreas abrangidas pelas cidades inteligentes e mais de 50 especialistas independentes no desenvolvimento de cidades inteligentes. O Guia é um roteiro conceptual para abordar estratégias de crescimento, concentrando-se em princípios universais que unem áreas-chave como energia, transportes, água e segurança pública. Uma base de conhecimento global de práticas e políticas dá às cidades um mandato para a acção informada e um alicerce para o sucesso. O Guia serve para focar e estruturar um caminho para a cidade do século XXI.

30

O documento apresenta um compêndio de rankings de cidades inteligentes, dando respostas a questões como: Quais as cidades mais competitivas do mundo? Quais são as mais criativas? Onde estão as melhores cidades para as start-ups tecnológicas?

Strategic Implementation Plan European Innovation Partnership on Smart Cities and Communities, Outubro 2013 O plano descreve as ideias da “European Innovation Partnership on Smart Cities and Communities” sobre a melhor forma de aproveitar tecnologias, mecanismos de financiamento e parcerias público-privadas no sentido da criação de cidades inteligentes. O documento destaca as acções necessárias para criar as condições adequadas para tornar as cidades lugares melhores para viver e fazer negócios, para reduzir o consumo de energia, as emissões de carbono e o congestionamento.


Using EU funding mechanism for Smart Cities Smart Cities Stakeholder Platform, Novembro 2013

Smart Cities: Big Data, Civic Hackers, and the Quest for a New Utopia

O objectivo deste documento é fornecer informação sobre as oportunidades oferecidas pelos instrumentos de financiamento da UE no período de 2014-2020, apoiando as entidades regionais na preparação dos documentos de programação. O relatório apresenta os novos instrumentos e fornece orientações sobre a forma de integrar os investimentos das cidades inteligentes no processo de programação, aproveitando as oportunidades de combinar o financiamento regional com outras fontes.

Anthony M. Townsend, 2013 O livro do urbanista e especialista em tecnologia Anthony Townsend lança um olhar histórico para as forças que moldaram o planeamento e desenho das cidades e das tecnologias de informação desde a ascensão das grandes cidades industriais do século XIX até ao presente. Smart Cities considera as motivações, aspirações e carências de todos os intervenientes do novo paradigma das cidades inteligentes, oferecendo uma nova educação cívica para orientar os esforços de todos na construção conjunta do futuro.

10 Year Rolling Agenda Smart Cities Stakeholder Platform, Dezembro 2013 O objectivo desta agenda é apresentar as ideias da “Smart Cities Stakeholder Platform”, materializada numa visão prática sobre como avançar na aceleração da implantação e integração de tecnologias que são necessárias para transformar as cidades e comunidades europeias em cidades e comunidades mais inteligentes.

31


Sites & Links SMART CITY EXPO WORLD CONGRESS http://www.smartcityexpo.com/pt/home

SMART CITIES and Communities http://eu-smartcities.eu/

Smart Cities Council http://smartcitiescouncil.com/

Smart Cities Portugal https://www.facebook.com/SmartCitiesPortugal

FUTURE CITIES PROJECT.EU http://futurecities.up.pt/site/

32


FICHA TÉCNICA FEV 2014 | N°11 Edição e Coordenação INTELI Equipa Catarina Selada, Maria João Rocha, Ana Luísa Almeida, Diana Reis e Anthony Malhado Colaboraram nesta edição Sandra Pedro - CM Torres Vedras Vitor Pereira - Conteúdo Chave Design gráfico Mónica Sousa

33


A INTELI é um think-and-do-thank que actua na área do desenvolvimento integrado dos territórios a nível económico, social, cultural e ambiental, através do apoio às políticas públicas e às estratégias dos actores locais. Opera nos domínios da cultura e criatividade, energia e mobilidade e inovação social, procurando contribuir para a afirmação de cidades e regiões mais criativas, sustentáveis e inclusivas.

Edição: INTELI – Inteligência em Inovação, Centro de Inovação Av. Conselheiro Fernando de Sousa, 11, 4º 1070-072 Lisboa – Portugal Tel: (351) 21 711 22 10 Fax: (351) 21 711 22 20 Website: www.inteli.pt E-mail: citiesbrief@inteli.pt

34

Profile for INTELI - Inteligência em Inovação

CitiesBrief#11_pt  

CitiesBrief#11_pt  

Profile for inteli_
Advertisement