Issuu on Google+

S E T N E I C S I PA A I C E P S E A V E D IA U G

A N I C

O Ã Ç

M I B S

2013/14


Guia de Vacinação SBIm - Pacientes Especiais SBIm - Sociedade Brasileira de Imunizações

Diretoria SBIm Presidente: Renato de Ávila Kfouri Vice-Presidente: Guido Carlos Levi 1a Secretária: Miriam Martho de Moura 2a Secretária: Jacy Andrade 1a Tesoureira: Naomy Helena Wagner 2a Tesoureira: Isabella Ballalai

Coordenação e revisão final Isabella Ballalai (RJ) Tania Petraglia (RJ) Revisão científica Angela Rocha (PE) Isabella Ballalai (RJ) Jacy Andrade (BA) Lily Wecks (SP) Marta Heloisa Lopes (SP) Renato Kfouri Tania Petraglia (RJ) Coordenação editorial Ricardo Machado Direção de arte e produção gráfica Silvia Fittipaldi Design gráfico Lucas Moraes Copidesque e revisão Sonia Cardoso

Su

o i r má

ação

5

6 ent s e r s Ap co 8 bási s o t i s e a ic 9 nc crôn e co s s i a s i a t a ca er 10 rôni atop es g c p õ e ç a i a H t s t a a n r p o so 11 Orie n e u m s s u p re s P a u c ni /o no 12 imu l crô tia e a a s n p l a e o i r rog ona 14 C a rd ença de d unci o f o D e s a u a c i ic m g 16 ou e atôm umatoló n s a a s i re ria plas enia 18 nça rimá Neo p Aspl s Doe cia 20 ao hiv ciên s fi a t e s d o o p n aids ex 22 Imu hiv/ ças n m a s i o c Cr do 24 ltos anta l p s Adu s n a a l tr lu s ou e cé ados o d d i e l t 26 lan splant s só p o s ã n s n i g ia t ra or t ra spec os a icas ou e de t e t a n s d a t di pl çõe Can atopoié ra n s itua t s a s m a e tos Outr co-h dida n n o r a t C


Apresentação

O aumento da expectativa de vida, aliado aos avanços tecnológicos e da medicina, levam a um incremento no número de pessoas com doenças crônicas, o que faz das imunizações uma ferramenta de grande importância para se reduzir a morbidade e mortalidade nesse grupo. Contudo, a demanda crescente torna necessário um olhar diferenciado na assistência, olhar esse que vá além das recomendações dos calendários básicos. Muitas doenças crônicas aumentam o risco para infecções que podem ser prevenidas por imunização, evitando-se também uma descompensação da doença de base. Assim, a indicação de imunobiológicos deve ser norteada pela fisiopatologia da doença e a predisposição para infecções imunopreveníveis. O Programa Nacional de Imunizações (PNI), por meio dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Cries), oferece aos portadores de doenças crônicas e seus contactantes o acesso à imunização, obedecendo às normas publicadas em manual específico. A imunização de pessoas com doenças crônicas é assunto de grande complexidade, com diferentes recomendações entre os diversos protocolos, o que requer atualização e incorporação constante de novos conhecimentos. Todo indivíduo deve estar com seu calendário de vacinação em dia. Para orientar o profissional da saúde, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) publica, anualmente, seus diferentes calendários de vacinação: PREMATURO, CRIANÇA, ADOLESCENTE, MULHER, HOMEM, IDOSO e OCUPACIONAL. Neste Guia, apresentamos as vacinas que devem ser especialmente indicadas aos indivíduos com risco aumentado para aquisição e/ou complicações de doenças imunopreveníveis. Nele, você encontra a fundamentação de cada indicação e as orientações conforme a patologia e a presença de outras condições especiais. Boa leitura!


Orientações gerais e conceitos básicos Contraindicações e precauções em pacientes portadores de comorbidades

Eficácia das vacinas em pacientes portadores de comorbidades O surgimento de inúmeros novos medicamentos para tratar as doenças reumatológicas, inflamatórias e as neoplasias possibilitou o prolongamento da vida em condições variáveis de imunossupressão, aumentando o risco para se contrair infecções. As vacinas são aliadas na prevenção. Contudo, sua eficácia pode ser comprometida pelo grau de imunossupressão desencadeado pela doença de base ou pela utilização de drogas imunossupressoras durante o tratamento. Mesmo os indivíduos portadores de doenças crônicas que não causem imunodepressão, quando vacinados poderão apresentar menor resposta imunológica, devido, por exemplo, à idade avançada que leva à imunossenescência1.

Risco de eventos adversos em pacientes com comorbidades Pacientes imunodeprimidos, ou imunocompetentes com doenças de base, não apresentam risco maior para eventos adversos ao receberem vacinas inativadas. No entanto, as vacinas vivas atenuadas podem representar riscos e seu uso deve ser analisado caso a caso.

1 - Deterioração do sistema imunológico em função da idade.

As doenças crônicas que não alteram a imunidade não contraindicam a aplicação de vacinas vivas atenuadas ou inativadas. A contraindicação formal, para esse grupo, é a ocorrência de anafilaxia devido à dose anterior ou provocada por um dos componentes da vacina. Pessoas com coagulopatias podem apresentar riscos de sangramentos após aplicações intramusculares. Como alternativa, indica-se a aplicação subcutânea ou após a administração do fator de coagulação ou concentrado de plaquetas. Atenção também aos cuidados locais habituais. No caso de paciente que fará uso de drogas imunossupresoras, o ideal é vacinar antes do uso da medicação, de forma que ele usufrua da melhor eficácia das vacinas e possa receber vacinas vivas atenuadas com mais segurança. Pessoas na vigência de imunossupressão por doença ou drogas podem receber vacinas inativadas. É importante atentar para os diferentes resultados de eficácia, que dependerão das condições do hospedeiro e do nível de imunossupressão. Em relação às vacinas vivas atenuadas, estas em geral são contraindicadas. No caso de transplantados de órgãos sólidos, todas as vacinas inativadas estão indicadas no pré e pós-transplante. Já as vacinas vivas estão contraindicadas no pós-transplante. Cabe ressaltar que devemos ter cuidados especiais com pacientes alérgicos ao látex, pois algumas vacinas possuem traços dessa substância. Recomenda-se sempre consultar a bula antes da prescrição/aplicação.

Principais vacinas indicadas para os contactantes

Aplicações concomitantes de vacinas em pacientes com comorbidades Em indivíduos portadores de comorbidades não podem haver oportunidades perdidas para imunização. Falsas contraindicações, como a não vacinação concomitante, podem favorecer a exposição a doenças. As normas para vacinação concomitante são as mesmas da pessoa hígida.

Importância da vacinação dos contactantes A vacinação dos principais contactantes reduz os riscos de infecção dos portadores de doenças crônicas, principalmente no caso de imunodeprimidos para os quais a vacinação está contraindicada ou a eficácia da vacina está comprometida pela condição clínica do paciente. Pais, irmãos e outros familiares de convívio, cuidadores, profissionais da educação e da saúde, por exemplo, devem manter atualizado o calendário vacinal, incluindo os imunobiológicos do PNI e outros não oferecidos de rotina, observando-se a necessidade de troca do esquema vacinal quando a administração oferecer risco para o imunodeprimido. A vacinação do doador de órgão deve ser recomendada para evitar transmissão de doença imunoprevenível para o receptor.

1. Influenza: para contactantes de portadores de asma, pneumopatias, cardiopatias, hepatopatias graves, doenças metabólicas, renais, imunossupressão, entre outras. 2. Hepatite A e B: para contactantes de hepatopatas. 3. dTpa: para os que convivem com portadores de doenças cardíacas, pulmonares crônicas e imunossupressão em geral. 4. Tríplice viral e varicela: para contactantes de imunodeprimidos. Atenção: no caso de aparecimento de rash após o uso da vacina da varicela, o receptor deverá ser afastado do imunodeprimido até que o rash desapareça. A vacina oral contra a poliomielite deve ser substituída pela vacina inativada.

Importância da vacinação dos profissionais da saúde O profissional de saúde que mantém sua caderneta de vacinação atualizada, além de se proteger contribui para reduzir o risco de infectar os pacientes sob seus cuidados. Fique atento, principalmente, às seguintes vacinas: tríplice viral, hepatite B, dT, influenza, varicela, meningocócica conjugada e dTpa.


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVIDUOS COM HEPATOPATIAS CRÔNICAS Vacinas

Faixa etária de início

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

Esquema de doses

VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVIDUOS COM CARDIOPATIA E/OU PNEUMOPATIA CRÔNICAS DisponibilIdade nos CRIEs

Vacinas

Faixa etária de início

DTPa

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade e até os 6 anos.

• Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

SIM

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Três doses: 0 - 1 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses.

NÃO

1. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a última dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. 2. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de três doses.

Pneumocócica 23V

8

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

sim

• Esquema padrão para a idade (ver calendários

Triplice bacteriana do tipo adulto (dTpa)

VPC10 - SIM até 59 meses Pneumocócica 23V VPC13 - NÃO

SIM

Vacina indicada a partir dos 4 anos de idade.

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário vacinal básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

não

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois meses entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13. Duas doses com intervalo mínimo de cinco anos entre elas.

VPC10 - sim, até 59 meses VPC13 - não

Sim

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar por vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. • Na primovacinação de crianças menores de 9 anos

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

NÃO

1. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, ainda será necessária a aplicação de duas doses após 1 ano de idade. 2. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada.

de vacinação SBIm). • Para crianças maiores de 4 anos, adolescentes

e adultos.

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar por vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. • Para menores de 13 anos: duas doses com intervalo de três meses entre elas. • Para maiores de 13 anos: duas doses com intervalo de um a três meses entre elas.

de vacinação SBIm). • Para crianças menores de 2 anos de idade com risco

de descompensação na vigência de febre.

Vacina indicada a partir do nascimento.

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

DisponibilIdade nos CRIEs

• Esquema padrão para a idade (ver Calendários

necessárias duas doses com intervalo de um mês, seguidas de dose anual. • Para maiores de 9 anos: dose única anual.

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois meses entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

Esquema de doses

são necessárias duas doses com intervalo de um mês, seguidas de dose anual. • Para maiores de 9 anos: dose única anual. • Para menores de 1 ano (ver Calendário SBIm de

vacinação da criança). • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

Sim

SIM, até 18 anos

• Para menores de 13 anos: duas doses com intervalo

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

de 3 meses entre elas. • Para maiores de 13 anos: duas doses com intervalo

NÃO

de um a três meses entre elas. 1. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, a aplicação de duas doses após a idade de 1 ano, ainda será necessária. 2. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada. Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário vacinal básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e|ou suas complicações.

9


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS COM DOENÇA RENAL CRÔNICA

VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS COM NEOPLASIAS OU EM USO DE DROGAS IMUNOSSUPRESSORAS Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

DisponibilIdade nos CRIEs

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

(ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois meses entre elas (indicação VPC10 fora de bula). • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

DisponibilIdade nos CRIEs

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM em caso de transplante

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

Quatro doses: 0 - 1 - 2 - 6 meses.

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM

1. Vacina hepatite B: aplicar dose dobrada para a faixa etária. 2. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a quarta dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. 3. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de quatro doses. 4. Repetir sorologia anualmente, se Anti HBs <10 UI/mL, fazer dose de reforço. • Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

SIM

Triplice bacteriana do tipo adulto (dTpa)

Vacina indicada a partir dos 4 anos de idade.

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

(ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

10

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

Quatro doses: 0 - 1 - 2 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses. • Completar esquema de quatro doses dobradas com

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Pneumocócica 23V SIM até 18 anos

VPC13 - NÃO

SIM

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

de três meses entre elas. • Para maiores de 13 anos: duas doses com intervalo

SIM

de um a três meses entre elas.

• Para menores de 1 ano (Men C): ver Calendário SBIm de

vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e menores de 5 anos (Men C):

Duas doses com intervalo de cimco anos entre elas.

VPC10 - SIM até 59 meses

• Para menores de 13 anos: duas doses com intervalo

NÃO

1. Vacina hepatite B: aplicar dose dobrada para a faixa etária. 2. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a quarta dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. 3. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de quatro doses.

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

anteriormente: duas doses com intervalo de dois meses entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

a vacina hepatite B.

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

NÃO

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da

criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única ou duas doses com intervalo de dois meses para os imunodeprimidos.

SIM

• Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas

necessárias duas doses com intervalo de um mês, seguidas de dose anual. • Para maiores de 9 anos: dose única anual. Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança, adolescente, homem e mulher).

necessárias duas doses com intervalo de um mês, seguidas de dose anual. • Para maiores de 9 anos: dose única anual. • Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária

• Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são

Influenza

NÃO

a vacina hepatite B.

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos é indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses. • Completar esquema de quatro doses dobradas com

SIM

1. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, ainda será necessária a aplicação de duas doses após a idade de 1 ano. 2. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada.

NÃO

dose única. • Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY): dose única.

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da

criança.

SIM até 18 anos

• Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

11


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS COM ASPLENIA ANATÔMICA E FUNCIONAL Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinados anteriormente: duas doses com intervalo de dois

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

meses entre elas (indicação VPC10 fora de bula). • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

DisponibilIdade nos CRIEs

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

12

• Para menores de 1 ano (Men C): ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e menores de 5 anos (Men C): duas doses com intervalo de dois meses. • Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY): 2 doses com intervalo de dois meses. • Dose de reforço a cada cinco anos.

Men C - SIM sem reforços

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para crianças entre 12 e 59 meses de idade: duas doses com intervalo de um a dois meses entre elas. • Para maiores de 5 anos e adultos: dose única.

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são necessárias duas doses com intervalo de um mês, seguidas de dose anual. Para maiores de 9 anos: dose única anual.

SIM

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 13 anos: duas doses com intervalo de três meses entre elas. • Para maiores de 13 anos: duas doses com intervalo de um a três meses entre elas.

SIM

Men ACWY - NÃO

SIM até 18 anos

1. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, ainda será necessária a aplicação de duas doses após a idade de 1 ano. 2. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada.

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

Três doses: 0 - 1 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses.

NÃO

1. Necessário fazer a sorologia para hepatite B uma a dois meses após a última dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de três doses. 2. Em vigência de imunodepressão, aplicar dose dobrada da vacina hepatite B para a faixa etária em esquema de quatro doses (0 - 1 - 2 - 6 meses).

Nos pacientes que serão submetidos a esplenectomia eletiva, a vacinação deverá ser realizada, se possível, pelo menos duas semanas antes da cirurgia. Em caso de esplenectomia de urgência, recomenda-se administrar as vacinas indicadas duas semanas após a cirurgia.

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

13


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS COM DOENÇA REUMATOLÓGICA Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois meses

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

entre elas (indicação VPC10 fora de bula). • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

DisponibilIdade nos CRIEs

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

14

• Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são necessárias duas doses com intervalo de um mês,

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

seguidas de dose anual.

SIM

• Para maiores de 9 anos: dose única anual.

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 13 anos: duas doses com intervalo de três meses entre elas. • Para maiores de 13 anos: duas doses com intervalo de um a três meses entre elas.

SIM até 18 anos

SIM (na pré-imunossupressão somente)

1. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, ainda será necessária a aplicação de duas doses após a idade de 1 ano. 2. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. 3. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada.

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

• Para menores de 1 ano (Men C): ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e menores de 5 anos (Men C): dose única. • Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY): dose única.

NÃO

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

Três doses: 0 - 1 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses.

NÃO

1. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a última dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou > 10 UI/mL. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de três doses.

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

15


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVíDUOS COM IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

Poliomilelite inativada (VIP)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: três doses na falta de esquema básico.

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinados anteriormente: duas doses com intervalo de dois

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

meses entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

DisponibilIdade nos CRIEs

SIM

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

16

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

• Para menores de 1 ano (Men C): ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e menores de 5 anos (Men C): duas doses com intervalo de dois meses entre elas. • Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY): duas doses com intervalo de dois meses entre elas. • Dose de reforço a cada cinco anos.

Men C - SIM sem reforços Men ACWY - NÃO

• Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são necessárias duas doses com intervalo de um

mês entre elas, seguidas de dose anual.

SIM

• Para maiores de 9 anos: dose única anual.

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

Quatro doses: 0 - 1 - 2 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses. • Completar esquema de quatro doses dobradas com a vacina hepatite B.

NÃO

Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a quarta dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou > 10 UI/mL. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de quatro doses.

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 13 anos: duas doses com intervalo de três meses entre elas. • Para maiores de 13 anos: duas doses com intervalo de um a três meses entre elas.

SIM

1. Contraindicada em indivíduos com deficiência combinada da imunidade celular e humoral e deficiencias da fagocitose: doença granulomatosa crônica. 2. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, a aplicação de duas doses após a idade de 1 ano, ainda será necessária. 3. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. 4. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada.

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para crianças entre 12 e 59 meses de idade: duas doses com intervalo de um a dois meses entre elas. • Para maiores de 5 anos e adultos: dose única.

SIM até 18 anos

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

17


VACINAS RECOMENDADAS PARA CRIANÇAS EXPOSTAS Ao HIV

18

Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

DISPONIBILIDADE nos CRIEs

BCG

O mais precocemente após o nascimento.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

SIM

Rotavírus

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

SIM

DTPw ou DTPa

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade e até os 6 anos.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano: duas doses em caso de HIV+.

Poliomielite inativada (VIP)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

SIM

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

NÃO

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

Quatro doses: 0 - 1 - 2 e 6 meses.

SIM

DTPw - SIM DTPa - NÃO

SIM até 18 anos

1. Vacina hepatite B: aplicar dose dobrada para a faixa etária. 2. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a quarta dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de quatro doses. 3. Repetir sorologia anualmente, se Anti HBs <10 UI/mL, fazer dose de reforço.

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

meses entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses: dose única de VPC13.

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente, após os 2 anos de idade. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica.

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

Febre amarela

Vacina indicada a partir dos 9 meses de idade.

• Para menores de 1 ano (Men C): ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e menores de 5 anos (Men C): ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY) • Dose de reforço a cada cinco anos.

• Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Não deve ser aplicada em crianças com sintomatologia grave (categoria clínica C) ou imunodepressão

Men C - SIM Men ACWY - NÃO

NÃO

grave (categoria imunológica 3). Tríplice viral

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

SIM

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Deve ser aplicada em crianças nas categorias N, A e B com CD4 ≥ 15%.

SIM

1. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, ainda será necessária a aplicação de duas doses após a idade de 1 ano. 2. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. 3. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada. HPV

Vacina indicada a partir dos 9 anos de idade.

Esquema padrão para a idade (ver calendário de vacinação SBIm para adolescente).

NÃO

Tríplice bacteriana do tipo adulto (dTpa)

Vacina indicada a partir dos 4 anos de idade.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

NÃO

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

19


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS ADULTOS COM HIV/AIDS Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

DISPONIBILIDADE nos CRIEs

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

Quatro doses: 0 - 1 - 2 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses. • Completar esquema de quatro doses dobradas com a vacina hepatite B.

NÃO

1. Vacina hepatite B: aplicar dose dobrada para a faixa etária. 2. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a quarta dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de quatro doses.

20

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

Dose única anual.

SIM

HPV

Vacina indicada a partir dos 9 anos de idade.

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm para adolescente, homem e mulher).

NÃO

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

• Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY): duas doses com intervalo de dois meses. • Dose de reforço a cada cinco anos.

NÃO

Triplice bacteriana do tipo adulto (dTpa)

Vacina indicada a partir dos 4 anos de idade.

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm para adolescente, homem e mulher).

NÃO

Pneumocócica conjugada (VPC13)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Para adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

Tríplice viral

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm para homem e mulher). • Contraindicar ou indicar na dependência do CD4 (ver quadro abaixo).

SIM

Febre amarela

Vacina indicada a partir dos 9 meses de idade.

• Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm para homem e mulher). • Contraindicar ou indicar na dependência do CD4 (ver quadro abaixo).

SIM

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm para homem e mulher). • Contraindicar ou indicar na dependência do CD4 (ver Tabela abaixo).

NÃO

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

ParÂmetros imunológicos para tomada de decisão em imunizações com vacinas vivas atenuadas em adultos com HIV/aids Contagem de CD4 em células / mm3

RECOMENDAÇÃO

> 350 (≥ 20%)

Indicar uso.

200 - 350 (15% a 19%)

Avaliar parâmetros clínicos e risco epidemiológico para tomada de decisão.

< 200 (<15%)

Não vacinar.

Fonte: Adaptado Manual CRIEs/MS,2006

21


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS CANDIDATOS A TRANSPLANTE DE ORGÃOS SÓLIDOS OU TRANSPLANTADOS DISPONIBILIDADE nos CRIEs

Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

Poliomielite inativada (VIP)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: três doses na falta de esquema básico.

SIM

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

3 doses: 0 - 1 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 - 6 meses.

NÃO

1. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a última dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de três doses. 2. Em vigência de imunodepressão, aplicar dose dobrada da vacina hepatite B para a faixa etária em esquema de quatro doses (0 - 1 - 2 - 6 meses).

22

DTPw ou DTPa

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade e até os 6 anos.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

SIM

Triplice bacteriana do tipo adulto (dTpa)

Vacina indicada a partir dos 4 anos de idade.

Esquema padrão para a idade (ver calendário de vacinação SBIm).

NÃO

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única ou duas doses com intervalo de dois meses para os

SIM até 18 anos

imunodeprimidos.

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinados anteriormente: duas doses com intervalo de dois

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

meses entre elas (indicação VPC10 fora de bula). • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. • Para menores de 1 ano (Men C): ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e menores de 5 anos (Men C): dose única. • Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY): dose única.

NÃO

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Esquema padrão para a idade (ver calendário de vacinação SBIm). • Contrandicada no pós-transplante.

SIM

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Contrandicada no pós-transplante.

SIM

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

Tríplice viral

Varicela

23

1. Durante surto ou situação de exposição, a vacina varicela pode ser aplicada a partir dos 9 meses. Nesses casos, ainda será necessária a aplicação de duas doses após a idade de 1 ano. 2. A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada. • Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são necessárias duas doses com intervalo de um

Influenza

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

mês, seguidas de dose anual.

SIM

• Para maiores de 9 anos: dose única anual.

Febre amarela

Vacina indicada a partir dos 9 meses de idade.

• Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Contrandicada no pós-transplante.

SIM

PREFERENCIALMENTE VACINAR ANTES DO TRANSPLANTE PARA GARANTIR MELHORES RESPOSTAS IMUNOLÓGICAS. NO PÓS-TRANSPLANTE, CONTRAINDICAR VACINAS ATENUADAS ATÉ QUE PACIENTE IMUNOCOMPETENTE. Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS CANDIDATOS A TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOIÉTICAS OU TRANSPLANTADOS DISPONIBILIDADE nos CRIEs

Vacinas

Faixa etária de início

Esquema de doses

DTPw ou DTPa

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade e até os 6 anos.

Esquema padrão para a idade (ver Calendário SBIm de vacinação da criança).

SIM

Triplice bacteriana do tipo adulto (dTpa)

Vacina indicada a partir dos 4 anos de idade.

Esquema padrão para a idade (ver calendários SBIm de vacinação).

NÃO

Poliomielite inativada (VIP)

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Início de seis a 12 meses pós-transplante. • Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: três doses (intervalo de dois meses ou mínimo de 30 dias entre elas)

SIM

na falta de esquema básico.

24

Hepatite A

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Início de seis a 12 meses pós-transplante. • Duas doses: 0 - 6 meses.

SIM

Hepatite B

Vacina indicada a partir do nascimento.

• Início de seis a 12 meses pós-transplante. • Três doses: 0 - 1 - 6 meses.

SIM

Hepatite A e B

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Para menores de 15 anos: duas doses: 0 - 6 meses. • Para maiores de 15 anos: três doses: 0 - 1 e 6 meses. • Completar esquema de quatro doses dobradas com a vacina da hepatite B.

NÃO

1. Vacina hepatite B: aplicar dose dobrada para a faixa etária. 2. Necessário fazer a sorologia para hepatite B um a dois meses após a quarta dose. Considera-se imunizado se Anti HBs = ou >10 UI/mL. Se sorologia negativa, repetir o esquema vacinal de quatro doses.

Haemophilus influenzae b

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

• Início de seis a 12 meses pós-transplante. • Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única ou duas doses com intervalo de dois meses

SIM

para os imunodeprimidos.

Influenza

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Vacina indicada a partir dos 6 meses de idade.

• Início de seis a 12 meses pós-transplante. • Na primovacinação de crianças menores de 9 anos são necessárias duas doses com intervalo de um mês,

• Início de seis a 12 meses pós-transplante. • Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois meses

Vacina indicada a partir dos 2 meses de idade.

SIM

seguidas de dose anual. • Para maiores de 9 anos: dose única anual.

entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

25 Pneumocócica 23V

Vacina indicada a partir dos 2 anos de idade.

• Início de seis a 12 meses pós-transplante. • Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Vacina indicada a partir dos 3 meses de idade.

• Para menores de 1 ano (Men C): ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e menores de 5 anos (Men C): dose única. • Para adolescentes e adultos (Men C ou Men ACWY): dose única.

Não

Tríplice viral

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Pode ser iniciada 12 a 24 meses pós-transplante. • Esquema padrão para a idade (ver calendários SBIm de vacinação).

SIM

Varicela

Vacina indicada a partir dos 12 meses de idade.

• Inicia-se entre 12 e 24 meses pós-transplante. • Esquema padrão para a idade (ver calendários SBIm de vacinação).

SIM

A vacina quádrupla viral – constituída pela combinação da vacina tríplice viral com a vacina da varicela – é uma opção quando coincidir a indicação dessas duas vacinas para menores de 12 anos. Devem ser considerados riscos aumentados para febre alta e ocorrência mais frequente de exantema após a primeira aplicação dessa vacina combinada. Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS EM OUTRAS SITUAÇÕES ESPECIAIs Condições especiais

EM USO CRÔNICO DE AAS

DISPONIBILIDADE nos Cries

Vacinas

Esquema de doses

Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Varicela

• Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm). • Interromper o uso de AAS por seis meses após a vacinação.

SIM

A Síndrome de Reye é uma doença grave, rara, de rápida progressão e, muitas vezes, fatal, que acomete o cérebro e o fígado e está relacionada ao uso de salicilatos, em conjunto com uma infecção viral. A doença afeta principalmente crianças e adolescentes, embora possa ocorrer em qualquer idade.

COAGULOPATIAS

Hepatite A

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Hepatite B

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

1. Evitar via intramuscular; fazer via subcutânea profunda com agulha de menor calibre e aplicar gelo local por 3-5 minutos após a aplicação. Se o uso do Fator VIII for < 24 horas até 48 horas, a via intramuscular pode ser utilizada; fazer compressa de gelo local após a aplicação. 2. Intervalos recomendados entre a utilização de transfusão sanguinea/imunoglobulinas e vacinas virais atenuadas parenterais (varicela, sarampo, caxumba, rubéola e febre amarela), ver quadro p.31. 3. Outras vacinas devem ser utilizadas na dependência da situação clínica de base associada à coagulopatia. Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

Haemophilus influenzae b

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois

26 Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

DIABETES MELLITUS

Pneumocócica 23V

meses entre elas (indicação VPC10 fora de bula). • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM SIM até 18 anos

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

Sim

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos é indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas, e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Considerar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas.

3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

DOENÇAS DERMATOLÓGICAS CRÔNICAS

Hepatite B

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

não

Varicela

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

não

Varicela

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Pneumocócica 23V

DOENÇAS DE DEPÓSITO

meses entre elas (indicação VPC10 fora de bula). • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13. Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos é indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

DTPa ou dTpa (de acordo com a idade)

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

Haemophilus influenzae b

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única

Varicela

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Hepatite A

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Hepatite B

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

Men C - SIM Men ACWY - NÃO

SIM até 18 anos

27


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS EM OUTRAS SITUAÇÕES ESPECIAIs Condições especiais

ALCOOLISMO

28

TABAGISMO

Esquema de doses

Pneumocócica conjugada (VPC13)

Para adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

NÃO

Pneumocócica 23V

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

não

1. VPC13: entre 6 e 49 anos é indicação fora de bula. 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

não

Hepatite A

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

Hepatite B

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

Varicela

Duas doses com intervalo de um a três meses entre elas.

NÃO

Pneumocócica conjugada (VPC13)

Para adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

NÃO

Pneumocócica 23V

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

não

1. VPC13: entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula. 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose.

Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

não

Hepatite A

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Hepatite B

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois

FIBROSE CÍSTICA

DISPONIBILIDADE nos Cries

Vacinas

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Pneumocócica 23V

meses entre elas (indicação VPC10 fora de bula). • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13. Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. Haemophilus influenzae b

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

Varicela

Duas doses com intervalo de um a três meses entre elas.

NÃO

DTPa e dTpa (de acordo com a faixa etária)

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Pneumocócica 23V

TRISSOMIAS

meses entre elas (indicação VPC10 fora de bula) • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13. Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM até 18 anos

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos é indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente.Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

Haemophilus influenzae b

• Para menores de 1 ano, ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

SIM até 18 anos

Hepatite A

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Hepatite B

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Varicela

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

29


VACINAS ESPECIALMENTE RECOMENDADAS PARA INDIVÍDUOS EM OUTRAS SITUAÇÕES ESPECIAIs Condições especiais

Vacinas

DISPONIBILIDADE nos Cries

Esquema de doses

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

Pneumocócica 23V

DOENÇA NEUROLÓGICA CRÔNICA INCAPACITANTE

30

DOENÇA CONVULSIVA CRÔNICA NA INFÂNCIA

VPC10 - SIM até 59 meses

meses entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

VPC13 - NÃO

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

DTPa e dTpa (de acordo com a faixa etária)

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

Haemophilus influenzae b

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

Varicela

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

NÃO

DTPa e dTpa (de acordo com a faixa etária)

• Substituir a DTP de células inteiras em todas as doses por DTPa. • Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

SIM até 18 anos

1. CUIDADOS ADICIONAIS: Evitar a administraçãosimultânea da vacina influenza e pneumocócica conjugada 13V. 2. Administrar preferencialmente SRC e varicela separadamente e não sob a forma combinada SCRV, na primeira dose entre 12 e 47 meses.

• Para menores de 2 anos, de acordo com a faixa etária (ver Calendário SBIm de vacinação da criança). • Para crianças entre 24 e 59 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses com intervalo de dois

FÍSTULA LIQUÓRICA

Pneumocócica conjugada (VPC10 ou VPC13)

meses entre elas. • Para crianças de 59 a 71 meses, não vacinadas anteriormente: duas doses de VPC13 com intervalo de dois meses entre elas. • Para maiores de 71 meses, adolescentes e adultos: dose única de VPC13.

Pneumocócica 23V

Duas doses com intervalo de cinco anos entre elas.

VPC10 - SIM até 59 meses VPC13 - NÃO

SIM

1. Sempre preferir VPC13 (entre 6 e 49 anos, indicação fora de bula). 2. O esquema de doses deve iniciar com vacinas conjugadas e seguido da aplicação da vacina pneumocócica 23 valente. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses entre as duas vacinas. 3. Para indivíduos que já receberam a VPP23, não vacinados com VPC13, recomenda-se o intervalo mínimo de um ano para a aplicação de VPC13 e de cinco anos para a aplicação da segunda dose da VPP23, com intervalo mínimo de dois meses entre a vacina conjugada e a polissacarídica. 4. Se a segunda dose de VPP23 foi aplicada antes dos 65 anos, está indicada uma terceira dose depois dessa idade, com intervalo mínimo de cinco anos da última dose. Influenza

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM

Haemophilus influenzae b

• Para menores de 1 ano: ver Calendário SBIm de vacinação da criança. • Para maiores de 1 ano e adultos: dose única.

Meningocócica conjugada (Men C ou Men ACWY)

Esquema padrão para a idade (ver calendários de vacinação SBIm).

SIM até 18 anos NÃO

Todo indivíduo deve estar em dia com as vacinas do calendário básico de sua faixa etária, recomendado pela SBIm. As recomendações nesta tabela levam em consideração aquelas vacinas especialmente indicadas para o grupo com risco aumentado para a infecção e/ou suas complicações.

Doses e intervalos sugeridos entre a administração de produtos contendo imunoglobulinas e vacinas virais vivas injetáveis Imunoglobulinas humanas específicas administradas por via IM Imunobiológicos

Dose habitual

Intervalo (meses)

Imunoglobulina humana antitetânica

250 U (10 mg de IgG/kg)

Hepatite B – Imunoglobulina humana anti-hepatite B

0,06 mL/kg (10 mg de IgG/kg)

Raiva – Imunoglobulina humana antirrábica

20 UI/kg (22 mg de IgG/kg)

quatro

Varicela – Imunoglobulina humana antivaricela-zoster

125 U/10 kg – máximo 625 U

cinco

três três

Sangue e hemoderivados Produtos

Dose habitual

Hemácias lavadas

10 mL/kg (quase sem IgG)

Intervalo (meses)

Concentrado de hemácias

10 mL/kg (20-60 mg de IgG/kg)

Sangue total

10 mL/kg (80-100 mg de IgG/kg)

seis

Plasma ou plaquetas

10 mL/kg (160 mg de IgG/kg)

sete

0 cinco

Fonte: AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS. Simultaneous admnistration of multiple vaccines. In: PICKERING, L. K. (Ed.). Red Book: report of the Committee on Infectious Diseases. 26th ed. Elk Grove Village: American Academy of Pediatrics, 2003.

31


Essa publicação foi composta com as fontes Helvetica Neue, para textos e tabelas e Futura Std para textos introdutórios e títulos. Impresso na Walprint Gráfica e Editora, em junho de 2013.


Conteúdo de responsabilidade exclusiva da SBIm   JUN/2013   MAGIC | RM 130606

de gran tocolos, e d . to ro ssun versos p cimentos a é i sd nhe icas crôn s entre o ovos co s a os õe enç de n as a enças d m do omendaç nstante a o c c i do o c nd as nte i ções de ção e as esso rentes re oração c e p m e l ica cia . lica od ife orp espe ou comp cada ind speciais izaçã e, com d ão e inc r n e u s e/ se m de A im lexidad tualizaç deve quisição entação ondiçõe p a e r u m q a ue co m sc cinas do para a funda de outra e req a u v q s a o ent ntra nça ão a , est isco aum cê enco a prese a i u r e eG , vo Nest uos com is. Nele patologia e íd indiv prevenív nforme a o imun ações co t orien


Vacinação