Page 1

Ano 7 – Número 45 – Abril de 2012

Nossa Voz Distribuição Gratuita

In f or m at i v o

“Quem recebe a vocês, recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou” (Mt 10, 40). Abril de 2012

01 1


Nossa Mensagem Estimado benfeitor,

Como tudo começou (parte 1)

A história do IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu) teve início com o pe. João Büscher, scj. Fundador da Paróquia São Judas Tadeu, da avenida Jabaquara, foi ele quem comprou o terreno que hoje está instalado o IMSJT e quem inaugurou a obra social em 15 de novembro de 1946, como Orfanato São Judas Tadeu, numa casa localizada na avenida Itacira, esquina com a alameda Ubiatans. Padre Lorival João Back, scj é dehoniano da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, gaúcho de Crissiumal décimo filho e de Albrecht e Casilda Back. É especialista em Psicopedago atuou em comunidade gia e sempre s de vulneração social. Dedicou os primeiros anos de seu sacerdócio na região Alegre do Pindaré missionária Alto (MA). Depois, na Paróquia trabalhou São José de Americanóp em São Paulo olis, (SP), onde foi pároco por seis anos, e na coordenação das pastorais sociais da Diocese de Santo Amaro Desde 2005 é (SP). diretor do Instituto de São Judas Meninos Tadeu. Neste livro, quis registrar com transparênci ele históricos e a bela experiência a os fatos de Deus testemunhad do amor pessoas generosas. a na vida de tantas

Nossa miss

ão

Acolher, amparar e situação de educar crianças risco e de alcancem vulnerabilidade , adolescentes e jovens em o pleno exercíci pessoal e social, a responsabilidad o de sua cidadan ia e despert fim de que e social e em-se a solidari edade humana para a .

“Do lado

Nossa míst ica

aberto de

(Padre Dehon

Amor restaur

Cristo na

– fundador

ador

cruz, nasce

da Congrega

o

ção dos Padreshomem de coração do Sagrado novo” Coração de Jesus).

Amor Gratuidade Solidariedade Fraternidade

Nossos valo res Integridade Bondade Acolhida

Responsabilidad Sinceridade e Generosidade Cidadania

“Esta história de décadas, regadavárias por tantas lágrimas doloridas e iluminad a por sorrisos vitoriosomuitos s, fala por si mesma. Contudo, os autores, pe. Lorival João Back e Terêzia Dias, deram palavras e nomes às pessoas e aos fatos, aos sentimen e aos atos. tos E aqui está, como resultado, um lindo livro!” Padre Mariano Weizenmann,scj

Terêzia Padre Lorival Dias João Back, scj

Conheça mais lendo o livro: “Uma história de amor e doação” Terêzia Dias, nascida em Belo Horizonte (MG) em 1951, é jornalista, a primeira dos seis filhos de Dimas e Célia da Silva Dias e mãe de dois filhos. Trabalha muitos anos há na imprensa católica, tendo atuado na revista Família Cristã, na revista IRaoPovo como redatora e, mais recentemente, do departament comunicação o de do São Judas Tadeu. Instituto Meninos de Ao escrever em parceria com o pe. João esse livro Back, ela pretendeu, sobretudo, mostrar bondade e a união das pessoas como a construir uma podem sociedade mais humana e solidária. justa,

Uma histó ria de amo r e doação

Agradeço a ajuda que nos dá a cada mês! Tê-lo como parceiro e colaborador é a concretização de que podemos acolher sempre mais e melhor crianças, adolescentes e jovens em nossas unidades. Foi pensando no compromisso de informar e formar que o Informativo Nossa Voz cresceu. Agora, com mais espaço, ele ganhou novas páginas, possibilitando-nos abordar mais assuntos como: “Nossa história”, em que resgataremos e divulgaremos etapas da história do IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu) a partir do livro “Uma história de amor e doação”; “Nossa dica”, em que a cada mês, um profissional do IMSJT contribuirá com uma pequena dica na sua área de atuação; e “Nossa espiritualidade”, em que a cada edição um padre convidado nos trará uma reflexão e formação sobre a espiritualidade litúrgica do momento. Seguindo nossa proposta de divulgar os onze valores do IMSJT, esse mês, a capa do informativo traz: acolhida. O fato de todos nós sermos irmãos uns dos outros, filhos do mesmo Deus que é Pai, é razão principal para acolhermos bem uns aos outros. No IMSJT, queremos acolher bem a todos, pois, sabemos que nos sentimos melhor quando somos bem recebidos. Vemos um irmão naquele que acolhemos e nele aco-

lhemos o próprio Cristo. É por esse motivo que reformamos e modernizamos o hall da recepção do IMSJT, para que você, benfeitor, seja melhor acolhido e se sinta acariciado por Deus. Comunico, em primeira mão, que está no ar o novo site do IMSJT; acesse e divulgue-o: www.imsjt.org.br. Dia 8 de abril celebramos a Páscoa do Senhor. A ressurreição de Jesus vem nos ensinar que Deus tem um propósito para cada um de nós que não termina no túmulo. Ele não nos abandona, mas leva-nos à plenitude da vida. A morte foi vencida, a vida triunfou, não há mais motivo para a tristeza e desolação. Ele está vivo no meio de nós e por causa dele e de sua ressurreição a nossa vida se eterniza. A esperança venceu, aleluia! Finalizo na expectativa de que você tenha gostado das mudanças. Que o Informativo Nossa Voz continue sendo um veículo de integração, de boa informação e que proporcione momentos agradáveis de boa leitura. Que a luz do Cristo Ressuscitado ilumine sua vida e seu caminho! Feliz Páscoa!

Nossa Historia

Capa-A_Histori

a_do_IMSJT-04

.indd 1

Padre Lorival João Back, scj Diretor do IMSJT

Terêzia Padre Loriva Dias l João Back,

scj

15/02/2012

MISSAS E ATENDIMENTO RELIGIOSO

EXPEDIENTE Diretor Pe. Lorival João Back, scj Jornalistas Responsáveis Elisângela Borges – MTb 51.973 Bruno Lourenço – MTb 62.799 Designer gráfico Rejane Souza Impressão Jetgrafia – Gráfica e Serviços Tiragem 16.000

120

Fale conosco: Envie sugestões, opiniões, dicas para: imprensa@imsjt.org.br Instituto Meninos de São Judas Tadeu Associação Dehoniana Brasil Meridional Av. Itacira, 2801 – CEP.: 04061-003 Planalto Paulista – São Paulo (SP) (11) 5586-8666 Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que mencionado a fonte. As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores.

Abril de 2012

“O Instituto Meninos de São Judas Tadeu singular, entre é um oásis outros, que restaura a vida das adolescentes crianças, na cidade de e jovens São Paulo. Ele nasceu e vive como fruto da vida Congregação e da ação da dos Sagrado Coração Padres do de Jesus – Dehonianos, que faz pelas crianças, adolescen tes e jovens o que pela sociedad lhes é negado e e pelo Estado.” Dom Tomé Ferreira da Silva

Missas: • Segunda, terça, quinta e sexta-feira, às 10h • Quarta-feira, às 10h e 20h • Sábado, às 10h e 17h • Domingo, às 10h, 12h e 17h30 • Dia 21 – missa em memória de pe. Gregório, às 10h • Dia 28 – missa em honra a São Judas Tadeu, às 10h, 14h30, 17h e 20h Adoração: • Quarta-feira, das 19h às 20h • Sexta-feira e sábado, das 9h às 10h Bênçãos e confissões: • Diariamente, das 10h às 18h

Batizados e Casamentos: • Informações na recepção do IMSJT ou pelo telefone (11) 5586-8666.

13:34:24


ia

Nossa Espiritualidade

Dois dias depois da cruz

ou

medo do depois. Por isso falamos com os santos que Jesus nos deu e já levou para o céu. Por isso valorizamos tanto os que viveram bem seus ramos, suas ceias, seus lava-pés, suas cruzes e suas ressurreições e os chamamos de santos. As alegrias da festa de Ramos falam de Eles entenderam. Nós ainda não captamos essas reconhecimento e vitória do evangelho; a da coisas. Saber ser feliz, saber festejar, saber sofrer, última ceia fala de unidade e comunidade que partilha afeto e projetos. As dores da sexta-feira saber lavar os pés dos outros, saber sentar juntos santa, as calúnias, os apupos, as bofetadas, os e partilhar o futuro, saber tirar da cruz e saber que espinhos, o sangue, os açoites, a cruz e o silêncio quando se morre é só por um momento porque do sábado falam de derrota momentânea. depois a vida continua, tudo isso é ser cristão A ressurreição fala de vitória sobre a morte e católico. de resposta aos torturadores. Quem vencera Não importa se outros não nos entendem. perdeu e quem perdera venceu. O importante é que nós entendamos nossas Para bom entendedor católico, meia palavra basta. Para católico que ainda se lembra do catecismo da adolescência, os acontecimentos desde o Domingo de Ramos até o Domingo da Ressurreição continuam a provocar.

uto eu) ão da eu, ele ue Te cial 46, as da om “Esta história de décadas, regadavárias por tantas lágrimas doloridas e iluminad a por sorrisos vitoriosomuitos s, fala por si mesma. Contudo, os autores, pe. Lorival João Back e Terêzia Dias, deram palavras e nomes às pessoas e aos fatos, aos sentimen e aos atos. tos E aqui está, como resultado, um lindo livro!” Padre Mariano Weizenmann,scj

“O Instituto Meninos de São Judas Tadeu singular, entre é um oásis outros, que restaura a vida das adolescentes crianças, na cidade de e jovens São Paulo. Ele nasceu e vive como fruto da vida Congregação e da ação da dos Sagrado Coração Padres do de Jesus – Dehonianos, que faz pelas crianças, adolescen tes e jovens o que pela sociedad lhes é negado e e pelo Estado.” Dom Tomé Ferreira da Silva

15/02/2012

13:34:24

Por que nós católicos lembramos tristezas e alegrias, vitórias e derrotas de Jesus? Por que, como os hebreus no deserto que olhavam para uma serpente de bronze num poste, nós olhamos para imagens de Jesus numa cruz? Os hebreus olhavam para um poste e ali viam o símbolo de tantas mortes, a venenosa “neushtan”, derrotada pela misericórdia de Javé, que era mais poderoso do que ela. (Jo 3,14; Nm 21,6-9) Os cristãos erguem cruzes nas suas igrejas e nós católicos as erguemos e levamos ao peito com uma imagem de Jesus derrotado, para lembrar-nos que até ele perdeu. ( 1 Cor 1,13-23; 2,2) Mas, para um católico, cruz que é derrota é também anúncio de futura vitória, porque Jesus ficou apenas algumas horas naquele madeiro. Depois veio o silêncio e depois a ressurreição.

quaresmas e semanas santas e, principalmente, a vitória da ressurreição. Nunca seremos vitoriosos de ponta a ponta. Haverá perdas e cruzes e contrariedades. Mas, no cômputo geral, somos os filhos da ressurreição. A dor machuca, mas não nos assusta. De um jeito ou de outro achamos forças, mas a maior força está naquele que foi caluniado, cuspido, espancado, torturado, crucificado e sepultado como perdedor e, dois dias depois da cruz, voltou a viver.

Hoje, levamos cruzes e as penduramos nas paredes ou as erguemos à entrada de nossas instituições, não para dizer onde ele está, mas onde esteve e como foi que nos salvou. Católico não rejeita, nem tem vergonha da cruz: carrega-a no peito, serenamente, como sinal de gratidão. Cremos que toda cruz tem Para nós, católicos, a cruz nunca vem sozinha. um depois. A ressurreição de Jesus tem sido e Há um domingo de vitória chamado Domingo de será a nossa resposta! Jesus está vivo! Ramos, uma quinta-feira de ceia, de ordenação dos primeiros padres, de lava-pés e de eucaristia, José Fernandes de Oliveira um sábado de silêncio e um domingo de vitória (Pe. Zezinho, scj) é sacerdote dehosobre a morte. Assim cremos, assim proclamamos. Por isso, oramos a Maria, a mãe santificada pelo filho, que nos ensine a viver agora e a morrer direito, porque ela participou da vida e da morte dele. Por isso repetimos o tempo todo que não temos

niano da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, filósofo, teólogo, apresentador de programas no rádio e na televisão, professor, cantor, compositor e escritor.

Abril de 2012

01 3


Nosso Benfeitor

O benfeitor que chegou a governador Natural de São Manoel, cidade do interior paulistano, Laudo Natel foi criado na humilde vida do campo. Filho de pai administrador de fazenda, tornou-se empresário formado em Economia e Administração de Empresas e chegou à direção do Banco Bradesco. Foi no meio bancário que Laudo conheceu pe. Gregório Westrupp e consequentemente o IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu). “Há muitos anos conheci o IMSJT e a partir de então acompanho a sua grande vocação para o exercício da caridade e do bem que tem proporcionado a tantas crianças, adolescentes e jovens da nossa comunidade”, explica. Benfeitor desde o início dos trabalhos da instituição, Laudo foi amigo próximo de pe. Gregório. Ao falar do idealizador da instituição, ele ressalta: “A caridade, sem dúvida, foi uma virtude preponderante de pe. Gregório, além da sua atuação e perseverança. Ele foi um grande sacerdote que marcou a sua existência pelo bem que proporcionou.” Laudo Natel ficou bem conhecido, do povo paulistano e do país como cartola do São Paulo Futebol Clube, onde foi diretor financeiro e chegou à presidência, em 1956, ficando até 1972. Teve participação marcante na construção do estádio do Morumbi e hoje é patrono do Tricolor. Olhando para os benefícios do esporte, Laudo destacou a importância dos atendidos do IMSJT terem o esporte inclu-

Siga-nos e cadastre-se em nossas páginas. Acesse já! 140

ído no dia a dia deles. “O esporte faz bem ao físico e, além disso, é uma escola na formação humana. Forma o atleta e também o cidadão. Parabéns ao IMSJT por oferecer o esporte a esse pessoal.” Politicamente, Laudo também contribuiu na história do Estado de São Paulo. Foi governador de São Paulo por dois períodos. O primeiro, quando sucedeu o governador Adhemar de Barros, destituído em 1966. Laudo cumpriu o mandato faltando seis meses para acabar a administração. Voltou ao cargo de governador do Estado em 1971, permanecendo até 1975. Em meio à carreira profissional e aos altos cargos públicos, Laudo Natel nunca se esquece do IMSJT. “O IMSJT realiza um trabalho de valor imensurável para a cidade de São Paulo. A instituição respira respeito e amor ao próximo. Vejo que a semente que o pe. Gregório plantou tem dado frutos constantes. Os seguidores do pe. Gregório merecem sucesso, estima e respeito. E digo a todas as pessoas que conhecem o IMSJT que, se possível, ajudem essa instituição. Procurem conhecê-la e verificar o bem que ela faz à sociedade”, finalizou. Hoje, aos seus quase 92 anos de idade, não se esquece das crianças, dos adolescentes e jovens beneficiados pela casa. A ajuda fiel é marca indelével deste paulistano que podemos dizer: teve uma vida repleta de sucessos!

www.twitter.com/imsjt www.facebook.com/imsjt www.orkut.com Abril de 2012

Visit

e nosso novo site w w w. i m : sjt.org .br

M c “P

v

M

e m


Nosso Convidado

r

ão Violência e exploraç sexual infantil

to com o Conselho bém, entrar em conta ância e AdolescênTutelar ou a Vara da Inf percebe que uma cia. Toda pessoa que psilentada tem a obriMaria Inês Rondello é criança está sendo vio ervenção. do gação de fazer uma int cóloga, coordenadora erten é feito... “Programa Cuidar” (p Que tipo de trabalho ixote Qu to oje Pr o e com a sua cente ao rad plo ex • Com o e s ça ian cr e e que atend família? de alização e a autoadolescentes vítimas Trabalha-se a profission ro mb me e é explorado preciviolência sexual), estima. O adolescente qu ão iss legal de se relacioda CMESCA (Com sa descobrir outra forma de tudo, prazerosa na me nar, de respeito, e, acim Municipal de Enfrenta , busca-se fortalecer, o de viver. Quanto à família to à Violência, ao Abus ões e psicoterapias, por meio de orientaç e à Exploração Sexual scente entra nesse se porque quando o adole Comercial de Criança sexual, como via de sta va universo da exploração m Co ). tes en sc ole Ad a família fragilizada regra, sempre existe um anh pa om ac no ia nc r acompanhada. experiê que também precisa se s ça ian cr de s so ca ou mento de e freram violência sexual freu violência sexual e adolescentes que so eu ed Com a criança que so nc • co s no ela te, en alm foram explorados sexu a. com a sua família? ferida e clarecedora sobre o tem es ia para cuidar da dor, da ta vis tre esta en Trabalhamos com terap m a família é e sofreu. O processo co qu ão siç po ex a a tod de sexual? violência sexual, violência e exploração . A criança que sofreu nte ere dif o uc po e um põ Qual a diferença entre se ex na maioria dos calência sexual, é quando r alguém da família. E, po foi , nte me ral ge ida Quando se fala em vio a para quando era criança. ncia sexual não própria r também sofreu violência so res ag o s, so tes en sc a criança a uma experiê ole mente, esse familiar é xual envolve mais os ad ntifica isso, automatica ide se do an Qu ciclo. de dela. A exploração se ial. apia para quebrar esse lor monetário ou mater encaminhado à psicoter e os jovens, e há um va fra e sofre r que uma criança so s de uma criança qu Qual a forma de evita Quais as característica violência sexual? a caisa, porém, violência sexual? nhecer a criança e a su uém sofra qualquer co co alg e e qu qu r ita tem , ev nte ícil me dif ira É Prime ortamento ndo a ocorrência observar algum comp sa e atenta estará evita do ra pa ida cu al tur ília na fam a ca ísti um es racter deverá gundo dados essinais a que o adulto contra a criança. Mas, se os s tos rio len vá vio o os Sã . fat nte de te, en ere dif tantem a criança e o adoviolência sexual contra é tímida, mas que, cons da % 70 s, co ísti e tat l, ve tar atento: criança que sociá a criança deveria estar sinibida; criança muito rafamiliar, ou seja, onde int é nte ce ; les ém gu mostra-se excitada e de nin m encontra mais exposta. se fechar e não falar co tida é o lugar em que se sis as is ma tem e de repente, começa a qu e a de determinada pesso que nça e enfrentar a criança que tem medo meio para fazer muda ra a sua idade; criança o pa al do Qu tiza ero to en am comport a primeira adulto; menina que tem exploração? e o aluno busca toque erótico de do; crianera ag ucação. A escola acolh ex ed to na en ito rrim mu co e ito nte red Ac me r, cuidar da menstruação precoce tem como educar, forma nhos erotizados. e o se nh de ini faz en e qu qu pe ça e an sd cri de sexual. Fortaça que usa drogas; venir contra exploração pre e ar orm inf e, úd sa al? sexu nsequentemencomuns de exploração por meio da escola, co ça an cri a do en a lec e Quais os lugares mais rqu po ços de convivência vulnerável e fragilizada, is noção dos seus espa ma á ter ela r, te, cita Onde a família está muito de r deixa relações saudáveis. dinheiro. E, não posso e o lugar ideal para ter e dos exploração sexual gera as nin me s da o risc o e s, porqu bilização do todos os lugares turístico ma eventos, como a mo diados é muito grande. se for as e e qu os De ad lor ão sexual exp rem meninos se rnaval contra a exploraç “Marcha do grito de ca cretaria Se la pe o movid usas? ças e adolescentes”, pro an cri l da em cia cia Quais as principais ca lên So vio to u en fre im so senvolv , a criança que ipal de Assistência e De nic m? da Mu da É triste, mas, infelizmente ida aju , cu e iro a ere ad fev nh , no mês de ente acompa ulo am Pa vid o de Sã foi de o ra nã e itu qu efe e e Pr nte sexual s some stram qu existe relacionar com os outro sas manifestações mo es se e a qu ia nc ito dê red ten Ac a ua um tem e está atenta e r outra ling cidade de São Paulo qu não conseguir identifica na de o po ssã Ela mi . co ma a for al. um xu ssa se de cia sexual em m da a exploração e a violên de carinho e de afeto, alé preocupada em evitar gem de demonstração la. Em todas as nossas olescentes e denunciáad is e s ma ça o an sã cri te s em quaen alm as sexu nfletos com orientaçõe As crianças violentad mpanhas entregamos pa , já que ca ol) nh pa es e ? ncês, inglês fra , ês gu rtu ten (po s a meninos ou meninas ma um idio tro s do munlência sexual, tem-se os turistas de várias parte em eb rec no tos Quando se fala de vio en ica ev íst s tat sse es ne pessoas que em meninas. Mas a ações, além de inibirem s sa es e qu dência de falar muito o julg ; do ela também strado que é igual. com esse objetivo, rev Projeto Quixote tem mo vêm de outros lugares sendo protegidos. ■ que nossos jovens estão er uma denúncia? faz l íve ss po é e mo Co cional, que é um número na Temos o disque 100, 01 Abril de 2012 , tam5 -se de Po . da nti nciante é ma nu de do e ad cid va pri a


Nossa Estrutura

Departamento Administrativo Depois

Antes

Antes

Recepção A recepção do IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu) está mais ampla e agradável. O objetivo principal da reforma é atender e acolher melhor todos os benfeitores e fiéis que frequentam a Capela São José e que nos visitam. Nos dias 28 de cada mês, aos finais de semanas e dias de batizados, casamentos e missas de sétimo dia, o número de pessoas que circulam pela recepção é bem maior, por isso, ampliou-se o balcão da recepção e o hall de entrada, deixando-os mais acessíveis e confortáveis.

160

Abril de 2012

O Departamento Administrativo do IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu) passou por algumas mudanças que vieram ordenar e estruturar melhor o espaço. As divisórias do local foram retiradas, deixando o espaço arejado e amplo. As áreas de recursos humanos e voluntariado ganharam novas salas e o Departamento de Comunicação agora está integrado no mesmo espaço que a secretaria e o Departamento Financeiro da instituição.

Depois


Nossas Noticias

Abril de 2012

01 7


Nossa Dica

UMA REC

Salpicão crocante Rendimento: 8 porções Tempo de preparo: 30 min. Ingredientes: 1 ½ xícara (chá) de casca de abóbora limpa e ralada 1 ¾ xícara (chá) de cenoura ralada 1 ½ repolho cortado em fatias finas 1 ½ talo de salsão cortado em fatias finas Folhas de salsão picadas 7 colheres (sopa) de maionese 1 xícara (chá) de proteína texturizada de soja Sal a gosto Modo de Fazer: Afervente a casca da abóbora ralada até que fique macia. Junte todos os legumes, tempere com sal e acres180 Abril de 2012 cente a maionese. Por último, acrescente a proteína de soja e misture bem. Sirva frio.

EITA S AUDÁV EL E SEM DESPERDÍCIOS As cascas das hortaliças são fontes de fibras, vitaminas e sais minerais que atuam no organismo humano como antioxidantes (fatores que evitam o envelhecimento da pele); além disso, regularizam o intestino, previnem a anemia e auxiliam no processo de cicatrização.

Priscila Paludeto é nutricionista do IMSJT e coordena a equipe de cozinha da instituição. É ela quem elabora o cardápio semanal das refeições dos atendidos, dos funcionários e dos religiosos.

nformativo - Abril 2012  

Instituto Meninos de São Judas Tadeu / Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus / Ano 7 - Número 45 - Abril de 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you