Issuu on Google+

Ano 8 – Número 63 – Novembro de 2013

Nossa Voz Distribuição Gratuita

In f or m at i v o

BOA EXPRESSÃO

Trabalho voluntário de fonoaudiologia ajuda crianças do NSE Página 4

Novembro de 2013

01 1


Nossa Mensagem

Tempos de mudanças (parte 7)

Jornalistas Responsáveis Elisângela Borges – MTb 51.973 Bruno Lourenço – MTb 62.799 Designer gráfico Rejane Souza

Terêzia Dias, nascida em Belo Horizonte (MG) em 1951, é jornalista, a primeira dos seis filhos de Dimas e Célia da Silva Dias e mãe de dois filhos. Trabalha muitos anos há na imprensa católica, tendo atuado na revista revista IRaoPovo Família Cristã, na como redatora e, mais recentemente, do departament comunicação o de do Instituto Meninos de São Judas Tadeu. Ao escrever em parceria com o pe. João esse livro Back, ela pretendeu, sobretudo, mostrar bondade e a união das pessoas como a construir uma podem sociedade mais humana e solidária. justa,

Impressão Jetgrafia – Gráfica e Serviços Tiragem 17.000

120

aberto de

(Padre Dehon

ão

Amor restaur

Cristo na

ador

– fundador

Amor Gratuidade Solidariedade Fraternidade

cruz, nasce

da Congrega

o

ção dos Padreshomem de coração do Sagrado novo” Coração de Jesus).

Nossos valo res Integridade Bondade Acolhida

Responsabilidad Sinceridade e Generosidade Cidadania

“Esta história d décadas, regad tantas lágrimas do e iluminad a por sorrisos vitoriosom por si mesma. Cont autores, pe. Loriva Back e Terêzia Dias, palavras e nomes às p e aos fatos, aos sentim e aos atos. E aqui está, resultado, um lindo li Padre Mariano Weizenmann,scj

a_do_IMSJT-04

.indd 1

Terêzia Padre Loriva Dias l João Back,

scj

“O Instituto Meninos d São Judas Tadeu singular, entre é um oá outros, qu restaura a vida das adolescentes criança na cidade de e jovens São Paulo. Ele nasceu e vive como fruto da vida Congregação e da ação da dos Sagrado Coração Padres do de Jesus – Dehonianos, que faz pelas crianças, adolescen tes e jovens o que pela sociedad lhes é negado e e pelo Estado.” Dom Tomé Ferreira da Silva

15/02/2012

IMSJT nas redes:

Para doações: B. Brasil - ag 3572-6 | c/c 4.919-0 Bradesco - ag. 2818-5 | c/c 11.000-0 Itaú - ag. 0150 | c/c 73.410-1

Convênios:

Novembro de 2013

“Do lado

Nossa míst ica

Capa-A_Histori

Fale conosco: Envie sugestões, opiniões, dicas para: imprensa@imsjt.org.br www.imsjt.org.br

Instituto Meninos de São Judas Tadeu Associação Dehoniana Brasil Meridional Av. Itacira, 2801 – CEP.: 04061-003 Planalto Paulista – São Paulo (SP) (11) 5586-8666

Nossa miss

Acolher, amparar e situação de educar crianças risco e de alcancem vulnerabilidade , adolescentes e jovens em o pleno exercíci pessoal e social, a responsabilidad o de sua cidadan ia e despert fim de que e social e em-se a solidari edade humana para a .

Terêzia Padre Lorival Dias João Back, scj

Diretor Pe. Lorival João Back,scj

Padre Lorival João Back, scj é dehoniano da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, gaúcho de Crissiumal décimo filho e de Albrecht e Casilda Back. É especialista em Psicopedago atuou em comunidade gia e sempre s de vulneração social. Dedicou os primeiros anos de seu sacerdócio na região Alegre do Pindaré missionária Alto (MA). Depois, na Paróquia trabalhou São José de Americanóp em São Paulo olis, (SP), onde foi pároco por seis anos, e na coordenação das pastorais sociais da Diocese de Santo Amaro Desde 2005 é diretor do Instituto (SP). de São Judas Meninos Tadeu. Neste livro, quis registrar com transparênci ele históricos e a a os fatos bela experiência de Deus testemunhad do amor pessoas generosas. a na vida de tantas

Conheça mais lendo o livro: “Uma história de amor e doação”

Padre Lorival João Back,scj Diretor do IMSJT

EXPEDIENTE

Padre Aurélio Mariotto, scj realizou muitas obras e reformas estruturais no IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu). Seu primeiro trabalho, atendendo ao desejo de benfeitores, foi a criação do Memorial Padre Gregório Westrupp, inaugurado em janeiro de 1992. Até então nesse local moravam as Irmãs da Divina Providência, por isso se construiu o prédio anexo para servir-lhes de moradia. Hoje o prédio abriga o Seminário Propedêutico da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Uma histó ria de amo r e doação

Viver já é um grande dom, mas viver com fé é mais esplendoroso ainda, porque significa viver com os olhos fixos em Jesus, autor e consumador de nossa fé (cf. Hb 12,1). Este mês de novembro será um grande estímulo para nutrirmos e darmos testemunho daquilo em que cremos. Primeiramente quero lembrar as duas grandes festas religiosas que celebramos logo no início: a comemoração dos fiéis defuntos (finados) e a solenidade de todos os santos. “Todo aquele que crer em mim não ficará nas trevas.” (Jo 12,46). Com tal esperança nessas palavras de Jesus é que devemos crer que morrer não é o oposto de viver, mas passar para junto de Deus em condição definitiva e plena. Crer significa exatamente dar o coração a Deus, sabendo que dele viemos, nele vivemos e para ele caminhamos; esta é uma das preciosidades de nossa fé. Os santos da Igreja são para nós testemunhas da fé em Jesus Cristo e em seu evangelho. Não exibem sua bondade, mas a exercem com humildade. É uma lição de vida que todos nós devemos redescobrir. Suas virtudes são exemplos para todos nós, que também somos chamados a ser santos: “Sejam santos, porque eu, vosso Deus, sou santo” (Lv 19,2). É um convite que o Pai nos faz. A santidade é a essência dele, portanto, quanto mais nossa fé nos aproxima de Deus, mais nos identificamos com seu jeito de ser e de amar, mais viveremos os valores evangélicos e o amor ao próximo, alcançando assim nossa própria santidade.

Recentemente tivemos a Semana Missionária no IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu). O ardor missionário presente no coração de quase cem pessoas, que se juntaram a nós para evangelizar, levou-nos às casas das crianças atendidas pela instituição. Foram momentos de fé que ficarão na memória, pois a fé cresce quanto mais é partilhada. Mas agora queremos fazer um gesto concreto dessa Semana Missionária e para marcar o aniversário de 67 anos de fundação do IMSJT, no próximo dia 15. Por isso convido você, benfeitor, a fazer uma contribuição especial para reconstruirmos a moradia de uma família de nossos atendidos, que está em situação precária. “A fé, se não tiver obras, é morta em si mesma” (Tg 2,17). Dia 24 de novembro será a conclusão do “Ano da Fé”, convocado por Bento XVI, hoje papa emérito. Durante um ano fomos convidados a renovar o conhecimento e o apreço pela fé que recebemos e para a professarmos com firmeza e alegria. A propósito, essa deve ser uma tarefa pessoal e permanente. Para que efetivamente isso aconteça, clamemos constantemente: “Senhor, aumentai a minha fé!”. Que assim seja! Em agradecimento a seu amor solidário para conosco, receba o Calendário 2014 do IMSJT, que carinhosamente lhe enviamos neste mês. Abraço e bênção!

Arquivo IMSJT

Caríssimo benfeitor,

Nossa Historia

Twitter: www.twitter.com/imsjt Facebook: www.facebook.com/imsjt.digital YouTube: www.youtube.com/imsjtdigital

Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que mencionado a fonte. As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores.

MISSAS E ATENDIMENTO RELIGIOSO Missas: • Segunda a sexta-feira, às 10h • Sábado, às 10h e 17h • Domingo, às 10h, 12h e 17h30 • Dia 21 – missa em memória de pe. Gregório, às 10h • Dia 28 – missa em honra a São Judas Tadeu, às 10h, 14h30, 17h e 20h Adoração: • Quarta-feira, às 19h e missa às 20h • Sexta-feira e sábado, das 9h às 10h Bênçãos e confissões: • Diariamente, das 10h às 18h

Batizados e Casamentos: • Informações na recepção do IMSJT ou pelo telefone (11) 5586-8666.

13:34:


Nossa Estrutura

Creche Sagrado Coração de Jesus A reforma do prédio da nova unidade caminha agora para a fase final. A parte externa já está ganhando cor.

Perspectiva final

CONVITE CONTORNO PRETO VISITE O ESTANDE DO IMSJT PANTONE

Dias 28 e 29/11 das 13h às 20h e dia 30/11 das 10h às 16h, no Expo Center Norte

Instituto Meninos de São Judas Tadeu

Credencie-se gratuitamente como visitante em www.ongbrasil.com.br


Nosso Voluntario

Ordenando os sons da fala A cada vinda, várias crianças são acolhidas para o atendimento com bastante atenção, cuidado e bom trato, porque, como ela mesma afirma, fazer exercícios fonoaudiológicos já não é algo muito agradável, por isso é preciso cativá-las. “Às vezes elas estão numa atividade muito mais prazerosa, que ficamos com dó de tirá-las, mas com jeitinho conseguimos trazê-las para o trabalho de fono. Depois que se cria o vínculo com a criança, ela vem sem problemas.”

Cada pessoa é um ser em transformação. Acreditar na potencialidade de cada uma é desafio diário a todos, que o diga a fonoaudióloga Maria Aurélia Amatucci. Há mais de 25 anos ela atende pessoas com dificuldades ligadas às comunicações oral e escrita. É um trabalho de persistência, é acreditar sempre num “vir a ser”, e quando se vê o resultado é alcançado. Essa tarefa de ajudar as pessoas a se comunicarem bem, desde 2008, também é desenvolvida no IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu) por Aurélia. Uma vez por semana ela deixa o seu consultório, situado na Saúde – zona sul de São Paulo –, e vem até o NSE (Núcleo Socioeducativo Padre Gregório Westrupp) voluntariamente com a missão de fazer que as crianças com alterações de fala se desenvolvam. Em casos mais complexos e que não são passíveis de tratamentos na instituição, ela faz encaminhamentos. 140

De um lado as crianças são beneficiadas e de outro os educadores também. Para eles, Aurélia dá orientações e assessoria a fim de ajudá-los a lidar com aqueles que possuem dificuldades de expressão. Em meio a esse trabalho, ela se lembra da história marcante de um atendido: chegou a ela um garoto que não conseguia pronunciar a letra “L”, pois tinha problemas em elevar a ponta da língua, mas, após ser reabilitado, mesmo sendo pequenininho se tornou agente multiplicador do trabalho. Todas as vezes que ele via um colega da instituição com dificuldades parecidas, aconselhava-o a procurar a fonoaudióloga. Pouco a pouco Aurélia vai obtendo resultados e proporcionando um bem enorme a atendidos do IMSJT. Mas nada disso seria possível se talvez a formação solidária que recebeu na família não estivesse existido. “O voluntariado é natural na minha família, é natural a doação ao próximo, desde a minha avó. A gente tem tanto, que, se doarmos um pouquinho do nosso tempo para quem precisa, não vai fazer falta, e é muito gratificante.”


Nosso Convidado

Diabetes:

Divulgação

Entenda mais sobre essa doença, como prevenir e como controlar, nessa entrevista feita com o endocrinologista, professor universitário, escritor e consultor médico do programa Bem Estar da Rede Globo, doutor Alfredo Halpern. O que é diabetes? É a subida de açúcar no sangue. É uma doença cada vez mais prevalente e vem aumentando principalmente porque as pessoas estão ganhando peso, mas não é o fim do mundo. Antigamente se associavam com diabéticos os grandes riscos para os olhos, os rins, as pernas, os nervos, e hoje em dia cada vez menos a gente vê isso, porque o controle do diabetes é muito melhor do que antigamente. Quais os diferentes tipos de diabetes existentes? Basicamente há dois, mas provavelmente há muito mais. O tipo 1, que é insulinodependente, precisa de insulina porque o pâncreas não a produz mais. E o tipo 2, que não é insulinodependente na maior parte dos casos; às vezes pode ser que o pâncreas produza insulina, mas produzirá em quantidade geralmente insuficiente. Os casos do tipo 2 têm basicamente excesso de peso. Como regra, o tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças, e o tipo 2, em adultos com obesidade. Explique o que é insulina e qual sua função. Insulina é um hormônio fundamental para o organismo e é produzido por uma célula no chamado pâncreas endócrino. A insulina é um hormônio básico para colocar a glicose e a gordura dentro das células e é importante também pra colocar proteínas em várias estruturas, particularmente nos músculos. Então a deficiência de insulina causa açúcar alto, emagrecimento e perda de músculo (emagrecimento no sentido de gordura e no sentido de músculo nos casos mais graves). De que maneira se identifica o indivíduo com diabetes? No tipo 1 é muito claro, porque a pessoa de repente começa a urinar muito e a beber muita água, ficar com muita fome e mesmo assim perder peso. O que tem dia-

doença silenciosa

betes do tipo 2 pode começar a beber muita água, urinar muito; mas muitas vezes ela é identificada só em exame de sangue. Quando a taxa de glicemia no sangue está acima de 126, o paciente é diabético. Quem come muito alimento doce tem mais riscos de ter diabetes? Isso é um mito! Você fica diabético se ganha peso, não porque você come doce. Existem fatores que podem aumentar a probabilidade de desenvolver a doença? Obesidade, sedentarismo, fumo, família de diabéticos, aumento de triglicérides (é um tipo de gordura no sangue), são fatores prognósticos de diabéticos. O que muda na alimentação de um diabético? Hoje em dia não tem essa história de alimento proibido, açúcar e tudo mais. É claro que será necessário se conter um pouquinho nos produtos que levam açúcar no sangue, mas principalmente o que se deve fazer mesmo no tipo 2 é emagrecer. E o tipo 1 é fazer o controle com a insulina e não ganhar muito peso; porque muitos nesse caso acabam engordando, comendo muito e daí precisam de mais insulina, e vira um círculo vicioso. Como é o tratamento da diabetes? Há cura? Tratamento tem cura não, mas tem controle. E, dependendo da pessoa, ela pode chegar a ter glicemia normal sem tomar remédio, mas se teve diabetes significa que já tem a genética para diabetes. Hoje em dia, é quase unânime, o tratamento é com remédios. Quais hábitos a pessoa com diabetes devem deixar de lado? Nada. Deve apenas deixar de ser sedentário. É mais que comprovado que uma das melhores armas contra diabetes é a atividade física. O sedentarismo é uma das maiores razões para o aparecimento de diabetes, porque ele aumenta a resistência à insulina. E, quando eu falo em combater o sedentarismo, falo de mexer-se, não estou falando de academia, embora possa ser; não estou falando de um esporte que o indivíduo precisa fazer; mas em mexer-se no dia a dia. Sempre aproveitar a oportunidade para se locomover: subir escada, evitar escada rolante; ir para o trabalho, se for possível, andando ou andar o mais possível; na hora de lazer, em vez de se escarrapachar numa poltrona, andar, andar pelos parques, andar pelas ruas. Tudo isso é muito importante. Então, como lições básicas: não ganhar peso, tentar um hábito alimentar que seja o mais saudável possível, combater o sedentarismo e, claro, se você fuma, largue o cigarro hoje, agora! Novembro de 2013

01 5


“A esperança não decepciona” (Rm 5,5)

Esperança é uma virtude, antes de tudo, humana. Tem a ver com persistência, confiança, otimismo e determinação. Define-se como busca de algo melhor, que perdura como objetivo, com ânimo, apesar dos obstáculos. É, portanto, uma virtude irmã da fortaleza e da perseverança. Pela força da esperança nos abrimos ao futuro possível, ao amanhã vindouro, aos horizontes promissores. Neste sentido, a esperança perdura quando temos perspectivas para o presente (tempo próximo) e o futuro (tempo remoto). Por isso se diz que a esperança é uma virtude que nos faz jovens! A partir daí, podemos falar também de esperança teologal – entendida como dom da graça de Deus. Afinal, a graça supõe a natureza...

1. A ESPERANÇA COMO VIRTUDE HISTÓRICA

No curso da vida humana – tanto a nossa vida cotidiana quanto o percurso da humanidade ao longo dos séculos – somos desafiados a superar limites, a manter objetivos e a projetar o futuro. Assim acontecem todas as formas de desenvolvimento, de avanço humano, de aprimoramento ético e cultural, no campo do saber, da ética e das artes. Trata-se da esperança histórica, que transforma as utopias em projetos: com dedicação e confiança, o que parecia um mero sonho se torna realidade; o que antes era objetivo distante se realiza no presente, graças à determinação e à criatividade de quem se move pela esperança. Assim, Gandhi superou as injustiças e aproximou as classes sociais na edificação de uma nova sociedade na Índia; assim Mandela resistiu ao apartheid e projetou uma África do Sul renovada em termos de cidadania, com políticas inclusivas e desenvolvimento acessível a todos. A esperança move e co-move: motiva indivíduos que se fazem líderes, agregando mais pessoas em projetos de futuro. É como um esportista que – movido pela esperança na vitória – entra na competição como se já possuísse o prêmio! E não faz isso sozinho, mas agregando todo um time, sob a liderança de um treinador – igualmente motivado pela esperança (segura e possível) da vitória. O torneio avança para quem espera, jogando cada dia o seu melhor, rumo ao troféu. A esperança é uma virtude que move, que motiva e projeta, transformando sonhos em realidade. Todos os grandes líderes da História foram homens e mulheres de esperança, que persistiram no futuro possível, apesar das agruras do presente: Raoul Follereau levou tratamento aos leprosos; Golda Meir projetou tempos de paz; Paulo Freire renovou a educação; Ramos Horta abriu caminhos de direitos humanos; Betinho promoveu uma sociedade sem fome; Jacques Delors traçou os fundamentos de uma nova Europa; John Kennedy consolidou valores democráticos; Mohammad Yunus mostrou que os pobres têm um lugar ativo nas economias nacionais. Todos eles – humanos e terrenos como nós – se tornaram exemplo de resistência e inovação, inspirando milhares de pessoas a buscar novos caminhos de construção moral, cultural e social. Com eles, o que antes parecia apenas um sonho se tornou realidade sólida e duradoura em vários países.

2. A ESPERANÇA COMO VIRTUDE TEOLOGAL

É sobre esta base humana, persistente e solidária no bem, que atua a graça de Deus, conferindo à esperança histórica uma qualidade nova: as perspectivas do Reino de Deus. Assim, a graça assume e eleva tudo o que sonhamos, desejamos e projetamos de bom, belo e verdadeiro. Nada do que é humanamente bom é deixado de fora: a graça divina assume e aprimora nossos dotes humanos, para que sirvam de modo pleno e duradouro à edificação do Reino de Deus na Terra. Justamente por isso rezamos: “Venha a nós o vosso Reino!” (Mt 6,10). Dizer que

160

Novembro de 2013

a esperança se faz “teologal” não desvaloriza nem cancela seu caráter “histórico”. Ao contrário: a graça de Deus toma e eleva o que é histórico em nossa esperança, qualificando o cotidiano com a certeza da Ressurreição. Assim, nossos projetos e nossas expectativas cotidianas – movidas pela esperança histórica – ganham consistência e eficácia da parte de Deus, tornando-se esperança teologal: não só motivada pelas condições terrenas, mas pela certeza de que o bem vence o mal, a justiça vence a injustiça, a vida vence a morte, tal qual constatamos em Jesus Ressuscitado, princípio e fim de nossa esperança de “novos céus e nova terra” (2Pd 3,13). O mesmo apóstolo Pedro diz: “Deus, em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, nos fez nascer de novo para uma esperança viva, para uma herança que não se desfaz, não se estraga nem murcha, e que está reservada para vós nos céus” (1Pd 1,3-4). Essa esperança se consolida em nós pelo Espírito Santo: “A esperança não decepciona, pois o amor de Deus foi derramado em nossos corações, pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5,5). Assim, resistimos além de nossas forças; perseveramos além das expectativas; superamos as provações, animados pelo Consolador que nos fortalece, elevando nossa esperança histórica ao nível sobrenatural da graça: “Por Jesus Cristo, não só tivemos acesso – pela fé – a esta graça na qual estamos firmes, mas ainda nos ufanamos da glória de Deus. E mais: nos ufanamo-nos também de nossas tribulações, sabendo que a tribulação gera a constância; que a constância leva a uma virtude provada; que a virtude provada desabrocha em esperança” (Rm 5,3-4).

3. PERSEVERANDO NA ESPERANÇA

Animados por expectativas justas e confortados pelo Espírito Santo, somos movidos pela graça de Deus a construir “novos céus e nova terra, onde habitará a justiça” (2Pd 3,13). Quando muitos desistem e abandonam o caminho do bem, nós seguimos firmes adiante, “como se víssemos o invisível” (Hb 11,27). Quando a corrupção e a impiedade ganham mais e mais adeptos, nós pedimos ao Senhor: “Não nos deixeis cair em tentação” (Mt 6,13). Quando a ganância e a indiferença transtornam a consciência de muitos, nós insistimos na solidariedade: “O que fizestes a um desses meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes” (Mt 25,40). Quando a violência gera insegurança, resistimos ao medo e reivindicamos justiça e paz: “Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,9). Quando estamos abatidos, Jesus nos diz: “Não se perturbe o vosso coração!” (Jo 14,1). Quando a morte nos aflige, ouvimos o Senhor dizendo: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (Jo 11,25). A esperança se renova em nós pelo exercício da fé e da caridade (cf. 1Cor 13,13), acompanhada da oração perseverante (cf. Jo 14,13) e, acima de tudo, sustentada pelo dom do Espírito Santo, que nos concede fortaleza (cf. Jo 14,16-17).

Padre Marcial Maçaneiro, scj é religioso da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (dehonianos), doutor em Teologia, professor universitário e escritor.

Divulgação

Nossa Espiritualidade


Nossas Noticias

Novembro de 2013

01 7


Truques simple s

Nossa Dica

Espantar mosquitos e moscas Corte um limão ao meio e nas metades espete cravos-da-índia (15 em cada metade). Coloque onde desejar no interior de sua residência. Para locais externos é aconselhável dobrar a quantidade. Tirar mau cheiro da geladeira Coloque um copinho de café descartável na parte superior e outro na parte inferior da geladeira com bicarbonato de sódio. Dura cerca de um ano, mas uma vez por semana dê uma mexida no bicarbonato. Se desejar perfumar sua geladeira, coloque um algodão umedecido com essência de baunilha.

180

Novembro de 2013

para proble mas do dia a dia Tirar mau cheiro do liquidificador Coloque uma colher de bicarbonato de sódio no copo do liquidificador, esprema meio limão e lave-o normalmente com bucha e detergente. Remover manchas amareladas de roupa Em uma vasilha coloque uma colher de sopa de bicarbonato de sódio e vá acrescentando aos pouquinhos vinagre branco de álcool até formar uma pasta. Coloque essa pasta sobre a mancha da roupa e a deixe atuar por uns 30 minutos. Após esse tempo, esfregue e lave a peça normalmente. Sonia Maria Campos é coordenadora da limpeza no IMSJT.


Informativo - Novembro 2013