Issuu on Google+

Ano 8 – Número 57 – Maio de 2013

Nossa Voz VÍNCULOS RESTABELECIDOS A alegria de retornar ao JOVENS seio familiar

EVANGELIZANDO Página 5

JOVENS Página 5

Maio de 2013

01 1

Divulgação

Distribuição Gratuita

In f or m at i v o


Nossa Mensagem Querido benfeitor,

Tempos de mudanças (parte 1)

Com a morte de padre Gregório Westrupp,scj (1909-1983), pe. Mauro Jungklaus,scj (19161999), assumiu a direção. Ele, que chegou à instituição em 1980 a fim de colaborar com pe. Gregório, abriu uma nova fase na história do IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu). Padre Mauro tinha um estilo diferente de seu antecessor, porém, o mesmo dinamismo. Padre Lorival João Back, scj é dehoniano da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, gaúcho de Crissiumal décimo filho e de Albrecht e Casilda Back. É especialista em Psicopedago atuou em comunidade gia e sempre s de vulneração social. Dedicou os primeiros anos de seu sacerdócio na região Alegre do Pindaré missionária Alto (MA). Depois, na Paróquia trabalhou São José de Americanóp em São Paulo olis, (SP), onde foi pároco por seis anos, e na coordenação das pastorais sociais da Diocese de Santo Amaro Desde 2005 é diretor do Instituto (SP). de São Judas Meninos Tadeu. Neste livro, quis registrar com transparênci ele históricos e a bela experiência a os fatos de Deus testemunhad do amor pessoas generosas. a na vida de tantas

Nossa miss

ão

Acolher, amparar e situação de educar crianças risco e de alcancem vulnerabilidade , adolescentes e jovens em o pleno exercíci pessoal e social, a responsabilidad o de sua cidadan ia e despert fim de que e social e em-se a solidari edade humana para a .

“Do lado

Nossa míst ica

aberto de

(Padre Dehon

Amor restaur

Cristo na

ador

Conheça mais lendo o livro: “Uma história de amor e doação” Terêzia Dias, nascida em Belo Horizonte (MG) em 1951, é jornalista, a primeira dos seis filhos de Dimas e Célia da Silva Dias e mãe de dois filhos. Trabalha muitos anos há na imprensa católica, tendo atuado na revista revista IRaoPovo Família Cristã, na e, mais recentement como redatora e, do departament comunicação o de do São Judas Tadeu. Instituto Meninos de Ao escrever em parceria esse livro com o pe. João Back, ela pretendeu, sobretudo, mostrar bondade e a união das pessoas como a construir uma podem sociedade mais humana e solidária. justa,

– fundador

Amor Gratuidade Solidariedade Fraternidade

cruz, nasce

da Congrega

o

ção dos Padreshomem de coração do Sagrado novo” Coração de Jesus).

Nossos valo res Integridade Bondade Acolhida

Responsabilidad Sinceridade e Generosidade Cidadania

“Esta história d décadas, regad tantas lágrimas do e iluminad a por sorrisos vitoriosom por si mesma. Cont autores, pe. Loriva Back e Terêzia Dias, palavras e nomes às p e aos fatos, aos sentim e aos atos. E aqui está, resultado, um lindo li Padre Mariano Weizenmann,scj

Terêzia Padre Lorival Dias João Back, scj

que salva e chama os homens à conversão de vida por meio da remissão dos pecados (cf. At 5, 31)”. Agora, em uma de suas catequeses sobre o Ano da Fé, o papa Francisco acrescentou que “a fé se professa com a boca e com o coração, com a palavra e com o amor”. Em comunhão com toda a Igreja, nós, do IMSJT, vamos celebrar em comunidade o Ano da Fé. Nosso desejo é ajudar funcionários, amigos, voluntários e benfeitores de nossa casa a revigorarem na fé e no desejo autêntico de buscar a conversão. Você, benfeitor, é convidado a renovar sua fé nesse Deus amor e também suas promessas batismais como compromisso de cristãos e de cristãs. No dia 26 de abril faremos retiro espiritual com todos os funcionários e voluntários do IMSJT. Nesse dia, todos terão a oportunidade de maior aprofundamento na fé, de renovar suas promessas batismais e de fazer a peregrinação rumo ao Santuário São Judas Tadeu, local de indulgências. E, nas missas dos dias 27 (sábado às 10h e às 17h) e 28 de abril (domingo às 10h, 12h, 14h30 e 17h30), faremos a renovação de nossas promessas batismais. Venha você também se unir a nós neste tempo de fé, reflexão e aprofundamento de nossa vivência cristã. Venha celebrar conosco o Ano da Fé! Que Maria ajude a despertar em nós a fé e a aprofundá-la em nossos corações, nos ensine a caminhar com o Senhor e a entregar cada dia e cada momento de nossas vidas nas mãos Dele. As mães benfeitoras, recebam nosso carinho e nossa gratidão! Feliz Dia das Mães!

Uma histó ria de amo r e doação

Maio é mês mariano, mês de Maria e de todas as mães. Nele, vêm à tona diversas manifestações de carinho e reconhecimento da importância dessas mulheres de garra e de coragem. Sem dúvida alguma, a maternidade é uma das maiores glórias da mulher e uma das experiências mais profundas do amor humano e divino. Tenho propriedade para dizer o quanto as mães se esmeram no cuidado com seus filhos e naquilo em que acreditam, pois temos no IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu) exemplos de inúmeras benfeitoras, voluntárias e funcionárias que se dedicam a nossos atendidos como se fossem seus próprios filhos a precisar de apoio, proteção e carinho. São corações que se desdobram na arte humana de doar e educar. Em meio a tantos talentos e valores que as mães possuem, quero falar de seu discipulado. Olhando para Nossa Senhora, descobrimos que a plenitude dela está na intensidade de sua opção por Deus, na abertura de coração, na capacidade de descobrir que não bastava ser simplesmente a mãe de Jesus, mas também sua discípula. Com isso, ela assumiu a missão de ser companheira na comunidade e pedagoga da fé. Outro papel fundamental das mulheres foi na expansão do Evangelho, que se realizou com a ativa colaboração de inúmeras delas. Assim, toda mãe também deve ser: a primeira evangelizadora, exemplo de fé e esperança. Nessa perspectiva, o papa emérito Bento XVI explicou sobre o Ano da Fé que a Igreja dedica até novembro: “o Ano da Fé é convite para uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo. No mistério de sua morte e ressurreição, Deus revelou plenamente o Amor

Nossa Historia

Capa-A_Histori

a_do_IMSJT-04

.indd 1

Padre Lorival João Back,scj Diretor do IMSJT

EXPEDIENTE Diretor Pe. Lorival João Back,scj Jornalistas Responsáveis Elisângela Borges – MTb 51.973 Bruno Lourenço – MTb 62.799 Designer gráfico Rejane Souza Impressão Jetgrafia – Gráfica e Serviços Tiragem 17.000

120

Terêzia Padre Loriva Dias l João Back,

scj

15/02/2012

MISSAS E ATENDIMENTO RELIGIOSO Fale conosco: Envie sugestões, opiniões, dicas para: imprensa@imsjt.org.br www.imsjt.org.br Para doações: Bradesco - ag. 2818-5 | c/c 11.000-0 Itaú - ag. 0150 | c/c 73.410-1 Instituto Meninos de São Judas Tadeu Associação Dehoniana Brasil Meridional Av. Itacira, 2801 – CEP.: 04061-003 Planalto Paulista – São Paulo (SP) (11) 5586-8666

Maio de 2013

“O Instituto Meninos d São Judas Tadeu singular, entre é um oá outros, qu restaura a vida das adolescentes criança na cidade de e jovens São Paulo. Ele nasceu e vive como fruto da vida Congregação e da ação da dos Sagrado Coração Padres do de Jesus – Dehonianos, que faz pelas crianças, adolescen tes e jovens o que pela sociedad lhes é negado e e pelo Estado.” Dom Tomé Ferreira da Silva

Convênios:

Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus

Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que mencionado a fonte. As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores.

Missas: • Segunda a sexta-feira, às 10h • Sábado, às 10h e 17h • Domingo, às 10h, 12h e 17h30 • Dia 21 – missa em memória de pe. Gregório, às 10h • Dia 28 – missa em honra a São Judas Tadeu, às 10h, 14h30, 17h e 20h Adoração: • Quarta-feira, às 19h e missa às 20h • Sexta-feira e sábado, das 9h às 10h Bênçãos e confissões: • Diariamente, das 10h às 18h

Batizados e Casamentos: • Informações na recepção do IMSJT ou pelo telefone (11) 5586-8666.

13:34:


Nossa Espiritualidade

Um papa chamado Francisco! Quanta coisa eu gostaria de escrever neste breve artigo! Antes de tudo, louvor à Providência de Deus, que não deixa faltar pastores a sua Igreja que a conduzam conforme o coração de Cristo. Logo após a eleição do novo papa, ainda na Capela Sistina, os cardeais cantaram a plenos pulmões o hino de louvor à Santíssima Trindade – Te Deum laudamus! Muitos tinham lágrimas nos olhos. A Igreja recebeu um novo sucessor de Pedro para conduzi-la nos caminhos do Evangelho e para animar todos os seus membros no testemunho da salvação de Deus, manifestada a toda a humanidade por meio de Jesus Cristo. Participei pela primeira vez de um Conclave e posso dizer que foi ocasião para uma experiência eclesial única e profunda! Pude perceber a sincera busca do melhor para a Igreja e sua missão. O Espírito Santo não dorme! Antes de entrar no Conclave, rezamos muito, tratamos com franqueza, respeito e profundo senso de responsabilidade as questões que precisavam ser tratadas em vista da escolha do novo pontífice. O clima no Colégio Cardinalício era sereno e fraterno. A entrada em Conclave, com o canto da ladainha de todos os Santos e da especial invocação do Espírito Criador – Veni Creator Spiritus – foi o início de um ato continuado de oração, que durou até à escolha do novo papa. Para tudo isso, não podia haver espaço mais apropriado que a Capela Sistina, com os esplêndidos afrescos de Michelangelo, especialmente da grande cena do juízo universal. Eleito o cardeal Jorge Mario Bergoglio, arcebispo de Buenos Aires, ele escolheu o nome de Francisco, em memória a São Francisco de Assis. Várias surpresas deixaram desconcertados os “vaticanistas” mais experientes: um papa não-europeu, já nem tão jovem, um latino-americano da Argentina, o primeiro papa jesuíta, que toma o nome de Francisco ainda não usado por nenhum pontífice anteriormente! Bem que Jesus disse: o Espírito Santo sopra onde quer e ninguém sabe de onde seu sopro vital vem, nem para onde vai... Precisamos todos estar atentos a sua ação, deixando-nos conduzir por ele! Certamente, Francisco é um nome muito indicativo das características que o novo papa quer dar a seu pontificado. São Francisco tinha sido um pecador, dado às vaidades do mundo; mas encontrou a misericórdia de Deus e se voltou inteiramente para ele: “meu Deus e meu tudo!”. A partir de sua conversão, procurou viver o Evangelho em profundidade, cultivando a comunhão com Deus e desejando voltar-se sempre mais para Cristo, a ponto de ser chamado de “homem inteiramente cristificado”. *Artigo publicado no jornal “O São Paulo”, edição de 19.03.2013.

Não é esse mesmo o apelo que a Igreja recebe e faz a todos, desde há mais tempo? Conversão para um renovado encontro com Deus, um discipulado verdadeiro, para a santidade de vida através da comunhão profunda com Deus, deixando-se abraçar e amar por ele? Em sua primeira missa com o Colégio Cardinalício, no dia seguinte a sua eleição, o papa Francisco observou que, sem essa comunhão profunda com Deus e a identificação com Jesus Cristo “crucificado”, sem confessar seu nome, a Igreja não passa de uma “ONG piedosa”... Na basílica de São Francisco, em Assis, há uma bela escultura do santo abraçado aos pés do Crucificado, que baixa a mão direita para abraçar Francisco. Mas não é só isso: tendo conhecido a misericórdia e o amor infinito de Deus Pai, São Francisco passou a reconhecer em cada criatura um irmão e uma irmã; sobretudo nos homens e mulheres, buscando viver com todos a fraternidade universal, sem excluir ninguém. Coração livre, ele podia amar a todos de coração inteiro e puro. Amou, sobretudo, os doentes (o leproso!), os pobres, os pecadores, os supostos “inimigos”; conseguia dialogar com os “diferentes”, sem mais nenhum dos preconceitos que regulam, geralmente, as relações humanas. Que grande desafio para a Igreja e a humanidade inteira! Outra dimensão nada secundária na escolha do papa Francisco: após sua conversão, o Santo de Assis ardia pelo desejo de falar a todos do amor misericordioso de Deus: “O Amor não é amado, o Amor não é amado!” – saiu a gritar pelas ruas e as pessoas acharam que estivesse louco. Louco de amor a Deus! Havia compreendido a loucura de Jesus Cristo crucificado e que era preciso anunciar a todos essa bela notícia. Assim, São Francisco enviou seus frades como missionários em todas as direções. E essa dimensão missionária urge mais do que nunca em nossos dias. Papa Francisco já entrou no coração do povo. Deus o ilumine e fortaleça! Deus abençoe toda a Igreja e a humanidade inteira através do seu ministério petrino, como servidor das ovelhas do Supremo Pastor! E que São José, que festejamos no dia da inauguração solene de seu pontificado, interceda paternalmente pelo papa Francisco!

Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer é arcebispo de São Paulo (SP).

Maio de 2013

01 3


Nosso Voluntario

O amor acima de tudo

O tempo de cada ser humano é precioso. Doá-lo em prol das necessidades do próximo é um ato solidário que demonstra muito amor. A psicóloga Jacqueline Maradei dos Santos é uma dessas pessoas que, independente dos compromissos, dedica um tempo à Creche Padre Gregório Westrupp. Há um ano a psicóloga vem desenvolvendo um trabalho voluntário na unidade com a coordenadora, com os pais das crianças atendidas e com os funcionários. Jacqueline é natural de Viçosa (AL) e mora em São Paulo (SP) desde 1984. Durante 15 anos trabalhou no terceiro setor, com psicologia institucional, e hoje atende famílias e crianças em clínica particular. A escolha da creche do IMSJT (Instituto Meninos de São Judas Tadeu) para realizar esse bonito trabalho foi motivada e incentivada por seu marido, Luiz Carlos Berto, que conhecia e admirava muito o pe. Gregório Westrupp, o idealizador e construtor da institui-

ção. “Meu esposo constantemente frequentava o IMSJT e sempre apreciou todo o trabalho, por isso me despertou a conhecer a creche e contribuir da melhor forma possível. É gratificante e acredito que faço a diferença aqui”, destaca. Neste ano, antes do início das aulas, foi feito um encontro diferente: logo na primeira reunião os pais puderam conhecer a direção da creche, o corpo docente e também a psicóloga. De tantos pontos positivos do encontro, ela ressalta que os pais ficaram muito tranquilos no período de adaptação das crianças. “A proposta inicial é que o os pais tenham a consciência de que na instituição eles também encontram um espaço para falarem das necessidades e dificuldades. O importante é que eles se sintam acolhidos”, relata. Por meio de dinâmicas de grupo, Jacqueline também ajudou a aumentar a união entre os funcionários da creche. Ela mostrou que todos possuem seu valor e que é importante sempre se colocar no lugar do outro antes de dizer ou fazer alguma coisa. Para Jacqueline todo esse trabalho é realizado com muito amor e muita dedicação. “Amo a psicologia. Primeiramente, procuro ver como é a estrutura da instituição, quais são seus objetivos, para que através dessa análise eu perceba qual a melhor forma de ajudar.” Ela ainda ressalta que o trabalho de investigação é essencial na psicologia. “Sempre junto com a equipe realizo esse trabalho de conversar, de questionar, de buscar soluções, de aproximar, de colaborar, de sermos mais solidários uns com os outros, porque essa relação interpessoal na realidade é sempre difícil, mas ajuda no crescimento e até no autoconhecimento.” A psicóloga acredita que é muito importante contribuir no trabalho voluntário. “Trabalhar de coração, além de colaborar, ajuda no crescimento pessoal e profissional. Toda essa experiência se leva para o resto de nossas vidas.” Jacqueline vê o “amor” entre as pessoas como a peça fundamental na vida do ser humano. “O amor desperta solidariedade e compreensão. Olhar para o outro, com amor, e vê-lo como ser humano, isso faz a diferença. Dá outro sentido à vida.”

140

Maio de 2013


Nosso Convidado

Jornada Mundial da Juventude Qual é o objetivo central da Jornada Mundial da Juventude? É levar os jovens católicos a se encontrarem com Cristo num tempo de peregrinação, além de dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo. E, através deles, o ‘rosto’ jovem de Cristo se mostra ao mundo. Os jovens são os protagonistas desse grande encontro de fé, esperança e unidade.

Depart. Comunicação JMJ Rio 2013

Como se deram as escolhas do Brasil e da capital carioca para sediar o evento de 2013? Em 2007, por ocasião da primeira visita de Bento XVI ao Brasil, os bispos da CNBB, após votação em Assembleia, fizeram o pedido público, no estádio do Pacaembu, no dia 10 de maio. O Brasil se candidatou. Coube ao Santo Padre a escolha. No dia 21 de agosto de 2011, Bento XVI anunciou o Rio de Janeiro.

O evento que reúne jovens do mundo inteiro em torno da mensagem do Evangelho será realizado neste ano na capital carioca. Esta será a 28ª edição e, desde a primeira, em 1986, em Roma, o Brasil nunca havia sediado uma Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ, conta um pouco dos preparativos e expectativas para este grande evento, que o papa Francisco fez questão de ressaltar na celebração de Domingo de Ramos, no Vaticano: “Olho com alegria para o próximo mês de julho, no Rio de Janeiro. Vinde! Encontramo-nos naquela grande cidade do Brasil! Preparai-vos bem, sobretudo espiritualmente, nas vossas comunidades, para que o referido encontro seja um sinal de fé para o mundo inteiro”.

O que o evento representará para a Igreja Católica do Brasil e do mundo todo? A JMJ sempre deixa um rastro positivo de renovação, e ficará marcada não só pela curiosidade de ver uma multidão de jovens virem ao Brasil, animando a Cidade Maravilhosa, mas também de observar que novidade que ela trará para a vida de cada um de nós. Entre tantos legados que esperamos dos grandes eventos, esse terá um incomparável: deixará a presença de um Deus amor no coração dos jovens arautos da manhã e anunciadores de um mundo novo. Tem alguma estimativa da quantidade de peregrinos aguardados? Estamos nos preparando para receber em torno de dois milhões de peregrinos. O senhor sente que o Brasil está preparado para receber esse grande evento? Todos os países, que já receberam ou irão receber uma JMJ, precisam se preparar também. O Brasil está se preparando para receber o evento tanto espiritualmente quanto no aspecto logístico. Uma comissão do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio 2013, composta por mim, pelos vice-presidentes do COL, dom Antonio Augusto Dias Duarte e dom Paulo Cezar, pelo secretário executivo do COL, monsenhor Joel Portella e pelos padres responsáveis por alguns setores da JMJ, cumpriu uma agenda de reuniões em Roma, em janeiro. Também participaram da comissão integrantes dos governos federal, estadual e municipal. As reuniões foram sobre diversos temas, como liturgia e alimentação. Foram analisadas propostas elaboradas pelo COL. O que acontecerá durante a JMJ? A programação da JMJ é formada por Atos Centrais, Atos Especiais, Catequeses, Feira Vocacional, Atos Religiosos e Culturais e Festival da Juventude. São eventos que fazem parte de todas as Jornadas Mundiais da Juventude, além dos espaços para confissão. Os Atos Centrais acontecem, em geral, com a participação do papa. A primeira grande cerimônia da JMJ Rio 2013 é a missa no dia 23 de julho. É o único Ato Central que não conta com a presença do Sumo Pontífice.

01


No dia 25 de julho, é celebrada a cerimônia de acolhida do Sumo Pontífice. No dia 26 de julho, é realizada a Via-Sacra. Esses três eventos serão realizados na Praia de Copacabana. Os Atos Centrais do final de semana acontecerão no Campus Fidei, em Guaratiba. No dia 27 de julho, é a Vigília com o papa, reunindo todos os peregrinos. No dia 28 de julho, será celebrada a Missa de Envio. Nos dias 24, 25 e 26 de julho, acontecem as catequeses, sempre pelas manhãs. São formações que aprofundam o lema da JMJ: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19), e são ministradas pelos bispos de vários países para atender todos os idiomas. Os Atos Especiais são eventos protocolares e locais. A programação dos Atos Religiosos e Culturais se concentram no Festival da Juventude. Serão do grafite à arte sacra, além de shows de música, cinema, dança e exposições, os atos acontecerão em vários espaços espalhados pelo Rio de Janeiro. A Feira Vocacional reúne várias congregações, movimentos e comunidades religiosas, além de confessionários, praça de alimentação, palco e tendas para missas, adoração e oficinas. Tudo isso nos arredores da praça General Tibúrcio, na Urca, de 23 a 26 de julho. Ao centro da praça, uma tenda recebe a Adoração ao Santíssimo, coordenada pelas irmãs de Madre Tereza, as Missionárias da Caridade. Em 18 de setembro de 2011 chegaram ao Brasil a Cruz e o Ícone de Nossa Senhora, símbolos da JMJ, e desde então eles têm percorrido as dioceses do país. Como o senhor vê a acolhida dos símbolos pelos fieis e em especial pelos jovens? É uma grande preparação rumo à JMJ. A peregrinação nos locais de sofrimento, como hospitais e presídios, sensibiliza a todos que presenciam esses momentos. Vidas são transformadas. Muitos vivem uma forte experiência com

Nossa Estrutura

Deus. No Brasil, a acolhida dos símbolos da JMJ é também celebrada com muito entusiasmo. Uma das novidades da JMJ no Brasil será a Semana Missionária. O que é e como acontecerá? As paróquias se farão representar ao receberem os peregrinos. Temos 400 mil vagas em todo o país para receber os peregrinos estrangeiros de 16 a 20 de julho de 2013. Mais de 200 dioceses são responsáveis pela programação da Semana Missionária em seu local de atuação. É um momento para acolher os peregrinos estrangeiros em atividades espirituais, de solidariedade missionária e cultura, uma semana antes de eles chegarem ao Rio para a JMJ. Em outras Jornadas, esse período era conhecido como Pré-Jornada ou Dias nas Dioceses. A partir da JMJ Rio 2013, esse momento da “semana anterior à JMJ” levará sempre o nome de Semana Missionária. O fato de a JMJ realizarse dentro do Ano da Fé tem um significado maior? O Ano da Fé é significativo para a JMJ no Rio. Essas duas experiências fortalecem a transmissão da fé. A Igreja prepara a JMJ como um ato do Ano da Fé. Após o evento, como será a mobilização para que as “sementes” lançadas na JMJ deem frutos? A JMJ deixa muitos legados por onde passa. Um deles é o espírito de solidariedade para aqueles que abriram suas casas para os peregrinos, para os voluntários que se consumiram no serviço a Deus. O setor Juventude da Arquidiocese também se fortalecerá. No Rio, outro legado social é o esforço para combater a dependência química. Um dos projetos é o ônibus, chamado “Passaporte da Cidadania”, que foi lançado no início de dezembro. Outra ação, mais ampla em seu atendimento, será um trabalho mais profundo com os dependentes químicos, que acontecerá a longo prazo.

Quadra do NSE O espaço poliesportivo do NSE (Núcleo Socioeducativo Padre Gregório Westrupp) ficou mais agradável após as reformas realizadas. Foram trocadas as calhas, as telhas furadas e amassadas e toda a estrutura metálica. Por último, a quadra recebeu polimento, pintura e novas redes.

160

Maio de 2013


Nossas Noticias

Maio de 2013

01 7


Se prepare

porque está chegando a nossa

Dias 2, 9, 16, 23 e 30 de junho

Ilustração: Rebeca Venturini

Não vai perder um trem bom desses!

Nossa Dica

A figur a mat

erna na sét ima arte

“Zuzu Angel” se baseia na história

real da estilista brasileira que dá nome ao filme. O enredo dramático mostra as dificuldades e também a coragem de uma mãe que enfrentou tudo e todos em busca de notícias de seu filho, que, envolvido nos movimentos estudantis contra a ditadura, desaparece. A luta de Zuzu Angel é semelhante à de muitas outras mães que também perderam seus filhos nos porões da ditadura militar brasileira.

“Sexta-feira muito louca”

é uma comédia que retrata a relação de mãe e filha, que vivem se desentendendo. Após comerem um biscoito da sorte, subitamente mãe e filha se veem no corpo uma da outra. Assim, uma aprende a entender e a respeitar os pontos de vista tão diferentes, mas elas precisam encontrar rapidamente uma maneira de desfazer essa confusão. 180 Maio de 2013

Aline Denadai Fernandes é coordenadora pedagógica da Creche Padre Dehon/Núcleo Marisa.


Informativo - Maio 2013