Issuu on Google+

Economia Verde e Rio + 20

Rachel Biderman twitter: @rachel_biderman


Primeiramente, Muito Obrigada!

Betty Feffer, Jo達o Furtado, Jo達o Lobato e equipe


Instituto Jatobás • Ampliação de Consciência e Produção de Conhecimento • Sistema Ecopolo : modelo de desenvolvimento sustentável em municípios – Pardinho - SP • processo participativo, democrático e inclusivo • Empoderamento da população local • Cultura, Meio Ambiente, Educação, Saúde, Emprego-renda


Livro: Excelente Norteador •

Universidades – inclusão em todo currículo – eixo mestre dos cursos – não só em eletivas no final do curso Empresas – internalização da sustentabilidade • em todas as áreas, desafios e na estrutura de governança Governos – Políticas Públicas – Instrumentos econômicos ONGs – literatura obrigatória – Ativismo embasado – Demanda por políticas públicas e corporativas consistentes Indivíduos – Inspiração para ação – Esperança para nova presença humana no planeta Mídia – cobertura com base em visão sistêmica


Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio +20 • Foco em dois grandes temas – Economia verde no contexto do Desenvolvimento Sustentável e a Erradicação da Pobreza – Estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável

• Espera-se compromisso dos países com medidas práticas para promoção do desenvolvimento sustentável


Sustainable Development Goals: Algo concreto?

• Inspirados nas Metas do Milênio – Objetivos concretos – A partir de medidas de mensuração concreta – Inspirados na Agenda 21 e no Plano de Johannesburgo • Baseados em indicadores, ajustados a prioridades e realidades nacionais • Servem para comparar resultados e identificar oportunidades para cooperação • Devem priorizar questões críticas relacionadas à erradicação da pobreza • Preciso definir como MDGs e SDGs iriam se relacionar – seriam complementares • Proposta original da Colombia + Guatemala


Livro 50 + : Grandes Desafios para a Humanidade • Saber compartimentado, materialismo dominante, cartesianismo • Superespecialização leva à extinção = não permite enxergar o sistema todo, suas inter-relações • Racionalismo analítico desapaixonado • Limites do planeta – ultrapassada capacidade de suporte (estamos no overshoot) • Necessidade de conhecimento da ecologia do planeta • Falta de Internalização na Economia das Externalidades • Falta enxergar conexão entre dimensões (Economica, Social, Ambiental) • Poucos enxergam uma quarta dimensão: espiritual


Livro 50 + : Grandes Desafios para a Humanidade • Explosão populacional: insustentável para a civilização e para o planeta • Principais problemas da humanidade: clima, biodiversidade, águas • Degradação ambiental = problemas de saúde pública, migração em massa, perda econômica, instabilidade social • Limites biofísicos podem ser alcançados nos próximos 100 anos • O sistema capitalista atual é ilógico e insustentável • Capitalismo extingue sistemas de suporte da vida • Economia de mercado pode aprofundar diferenças • A democracia e o mercado livres são rivais, não aliados


Livro 50 + : Grandes Desafios para a Humanidade

• Pobres estão presos na armadilha da pobreza • Empecilhos à liberdade: pobreza, tirania, falta de oportunidades, privação social sistêmica • Corporações multinacionais suplantam governos e se tornam agentes políticos dirigentes de nossa era • Ganância tornou-se culturalmente aceitável e é parte do sistema • Ambientalismo convencional não foi capaz de conquistar corações e mentes • A fé na tecnologia como solução definitiva pode nos desviar do problema fundamental


Para Reflex達o


A Raiz do Problema residiria no “Evangelho do Consumo de Massa” ? Jeremy Rifkin – O Fim dos Empregos – No início do século XX as pessoas se contentavam em consumir o suficiente para necessidades básicas, e poucos luxos – Doutrina protestante – virtude na parcimônia

– Como converter americanos da ética da parcimônia para a de consumidores perdulários? – Era preciso criar o consumidor insatisfeito. Era preciso fazer as pessoas desejarem o que jamais haviam desejado antes... Charles Kettering Executivo da General Motors


Da cultura da produção à cultura do consumo • John Kenneth Galbraith: A função dos negócios é criar o desejo e satisfazê-los • Henry Ford : os trabalhadores devem ser suficientemente pagos para que possam comprar os produtos, senão, quem irá comprar meus carros? • Marx: as mercadorias são consumidas de acordo com seu valor como objeto de status, ou expressão da personalidade do comprador.

Marketing ganha importância – para criar necessidades até então inexistentes


Produção de consumidores • Problema – Pós 1ª Guerra : Excedente de produção – Como encontrar consumidores para tudo o que a indústria era capaz de produzir?

• Edward Bernays – Consumidores são aqueles que não necessitam daquilo que desejam e não desejam aquilo de que necessitam

• Publicidade • Apelar para as instâncias inconscientes, às motivações irracionais, aos desejos inconfessáveis das pessoas • Atribui aos produtos um sentido simbólico


Produção de hiper-consumidores • Gilles Lipovetski Passagem do consumo familiar para o consumo individual – pluriequipamento s

Séc 20 -Consumo Séc 21 -Consumo familiar per capita

Uma TV por casa

Uma TV por quarto ou individuo

Um Radio por familia

Um Ipod ou MP3 por pessoa

Um Computador por casa

Computador individual


Al Gore – Inconvenient Truth


Livro 50 + : Soluções • Mudança do paradigma do nosso modo de pensar • Nova Visão (macrovisão, cosmovisão, etc) • Crise atual é uma oportunidade • A Terra é um sistema de partes interdependentes que deve ser entendida como uma comunidade : ética da Terra • Gaia (hipótese ou teoria) • Visão sistêmica, holística • Os seres humanos não têm controle sobre a natureza, são apenas UMA de suas partes


Livro 50 + : Soluções • Responsabilidade Corporativa – Triple Bottom Line • Produzir e consumir localmente • Atingir o máximo de bem estar com o mínimo de consumo • Tecnologia em escala humana a serviço dos humanos é preferível à tecnologia de grande escala

• Novas formas de cooperação internacional • Elevar níveis de compreensão e comprometimento de indivíduos, ONGs, governos, academia, empresas, mídia, todos. • Promover mudança científico-material e psicoespiritual


Soluções • Setor privado – GHG Protocol – Ferramenta para Contabilização e Reporting de GEE (World Resources Institute) – Norma ISO (Inventário) baseada no GHG Protocol – Indices de Sustentabilidade de Bolsas de Valores - ISE, DJSI, FTSE4GOOD – Finanças Sustentáveis – Análise de Risco e Oportunidades Ex: CDP – Carbon Disclosure Project


Soluções – Natura: Projeto Carbono Neutro • Inventário e Medidas – produtos são responsáveis por 80% do CO2 emitido – 20% são atribuídos ao transporte

• Metas de Redução (operações e cadeia de suprimento) • Compensação – Projeto Carbono Neutro vai investir aproximadamente R$ 1,5 milhão em projetos de redução de emissões ou de absorção de carbono


Soluções – Suzano • ações efetivas: participação em iniciativas e plataformas empresariais, gestão de emissões de GEE e gestão de captura de carbono. • Inventário Corporativo de Emissões de GEE e a Pegada de Carbono de produtos. • Participa de: – Programa Brasileiro GHG-Protocol – WRI / FGV – EPC – Empresas Pelo Clima, FGV – CLG – Fórum Clima – Ação Empresarial sobre Mudanças Climáticas- Instituto Ethos – CT Clima - Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS).


Políticas Públicas em MC • Nacionais – Brasil, Holanda, Reino Unido, Espanha

• Regional – California – Oregon – Nordeste EUA

• Locais – – – – –

Londres Nova York Berlim São Paulo Forums Estaduais de Mudanças Climáticas (SP, BA, PR, ES)


Cidadão • Opção pelo transporte sustentável (a pé, ônibus, metrô, trem, bicicleta) • Combate ao consumismo – reduzir consumo de supérfluos • No consumo ´necessário´ optar por produtos gerados com critérios de sustentabilidade ambiental e social verificáveis (ex: através de certificações e selos) • Aderir a projetos de ONGs • Participar de iniciativas de sua comunidade • Transformar-se num ´educador´ • Votar em representantes que apresentem clara agenda de sustentabilidade e tenha histórico comprovado nos temas


Energias Renovรกveis


Energias Renovรกveis โ€ข Turbinas geradoras de energia eรณlica na Califรณrnia - 2000


• Turbinas geradoras de energia eólica no oceano – Dinamarca

Energias Renováveis


Transporte Sustentรกvel


WWW.UNCSD2012.ORG United Nations Conference on Sustainable Development


Eventos no Rio • Ultima PrepCom – 13 a 15 de junho de 2012 • Conferencia : 20 a 22 de Junho de 2012 • Governo Brasileiro propõe seu próprio evento paralelo ‘ Diálogos sobre Desenvolvimento Sustentável’ : 16 a 19 de junho - 9 mesas redondas • Inúmeros eventos paralelos


Histórico : Rio + 20 • A Rio+20 acumula o legado de décadas de mobilização da comunidade internacional para o debate das questões socioambientais, entre elas – Conferência sobre o Meio Ambiente Humano de Estocolmo, na Suécia, em 1972 – Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento do Rio de Janeiro, em 1992 – Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável de Johanesburgo, na África do Sul, em 2002.


Objetivo: Rio + 20 – Renovação de compromisso politico com o Desenvolvimento Sustentavel – Avaliar progresso até hoje – Identificar gargalos na implementação dos compromissos das cúpulas anteriores – Abordar e encaminhar novos e urgentes desafios – http://www.uncsd2012.org/rio20/index.php?menu= 61 ios


Economia Verde - Conceito : PNUMA • Relatório “Towards Green Economy” • Economia verde é aquela que resulta em melhoria do bem-estar do ser humano e igualdade social, ao mesmo tempo em que reduz significativamente os riscos ambientais e a escassez ecológica. – Em termos mais simples: economia de baixo carbono, com eficiência de recursos e socialmente inclusiva – Foco: o crescimento da renda e do emprego deve ser impulsionada por investimentos públicos e privados em iniciativas que reduzem as emissões de carbono e poluição, melhoram a eficiência energética e de recursos e evitam a perda de biodiversidade e dos ecossistemas.


Quão distantes estamos de uma Economia Verde? • Estudo PNUMA – Economia Verde • Nos últimos 25 anos a economia global quadruplicou de tamanho • 60% dos ecossistemas que sustentam vidas foram degradados ou usados de forma insustentável • Economia cresceu as custas da exploração insustentável dos recursos naturais – Hoje apenas 20% dos estoques de peixes ainda não foram explorados – 20% dos estoques já foram explorados alem de sua capacidade de regeneração – 8% dos estoques já foram extintos


Quão distantes estamos de uma Economia Verde? • Estudo PNUMA – Economia Verde • • • • • • • •

Água potável cada vez mais escassa Agricultura cresce, mas com uso pesado de agrotóxicos Redução da qualidade do solos Aumento do desmatamento Crescimento acompanhado de inequidade social Mais da metade da população vive em áreas urbanas Aumentam emissões de GEE Poluição do ar nas cidades afeta saude public a


Rio + 20 • Governança – Os europeus acham que a gestão ambiental na ONU tem que ser favorecida. • Propoem transformar o PNUMA, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em agência

– O Brasil não favorece essa idéia porque entende que esta não é uma conferência de Meio Ambiente, mas de desenvolvimento sustentável


Estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável • Exemplos de sugestões de governos, atores relevantes e organizações internacionais: – Transformar CSD num conselho de Desenvolvimento Sustentável sob a égide da Assembleia Geral – Transformar o “UN Trusteeship Council” em um Conselho de Desenvolvimento Sustentavel – Levar os temas de Desenvolvimento Sustentável para o Conselho de Segurança – Criar segmento sobre Desenvolvimento Sustentável dentro das sessões anuais do UN Economic and Social Council


Aspectos Gerais - Conteúdo • A conferência não gerará acordo internacional • Não será uma cúpula de chefes de estado, mas acredita-se que muitos deles estarão presentes • Documento da ONU = construção coletiva pelos países em consulta com seus stakeholders


Zero Draft • “O futuro que queremos” • Documento de 19 páginas • Elaborado pelo secretariado da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. • Rascunho incial da declaração que será produzida como resultado do processo oficial dessa conferência, em 22 de • Junho de 2012 • Referência para as políticas e práticas de sustentabilidade nos próximos anos. • Elaborado com base em mais de 6.000 páginas de sugestões recebidas nas consultas prévias • Conteúdo: – reafirmação dos compromissos com os princípios fundantes do multilateralismo, os direitos humanos e sociais e os compromissos assumidos na Rio92 – reconhecimento amplo da agenda da sustentabilidade com propostas e caminhos para ação – não enfrenta a questão dos limites do planeta


Depoimentos • Brice Lalonde, Coordenador Executivo da Rio + 20 – Devemos iniciar uma nova revolução cultural para alcançarmos o desenvolvimento sustentável – Ainda “não há liderança mundial” que direcione para uma economia verde.

• Achim Steiner, Diretor Executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e Subsecretário-Geral da ONU – “o mundo tem tratado dos desafios separadamente, não estrategicamente”.

• (28/9) http://www.onu.org.br/falta-lideranca-mundialpara-alcancar-o-desenvolvimento-sustentavel-dizcoordenador-da-rio20/


Depoimento • “A conferência é um marco. É o evento mais importante do Governo Dilma, do ponto de vista político. Dá uma oportunidade ímpar de o Brasil mostrar quais as perspectivas de desenvolvimento que temos e como as questões ambientais e a sustentabilidade se relacionam com essa nova agenda de desenvolvimento em que o País está inserido” – Izabella Teixeira, Ministra do Meio Ambiente • 5/8/2011, ASCOM/MMA


Desafios para o Brasil • Ao mesmo tempo em que o governo trabalha na construção de uma proposta a ser apresentada à ONU para um desenvolvimento mais verde, as mudanças no Código Florestal e a manutenção de investimentos em grandes projetos na Amazônia são contraditórios com esse processo


Aspectos Gerais Logística • Governo Brasileiro criou: – Comissão Nacional • co-presidida pelo MMA e MRE • promover a interlocução entre os órgãos e entidades federais, estaduais, municipais e da sociedade civil.

– Comitê Nacional • Responsável pelo planejamento, organização e execução


Aspectos Gerais Logística • O Rio de Janeiro deverá receber entre 20 mil e 50 mil pessoas para a Rio+20 • Governo Federal bloqueou hotéis + navios para hospedagem • Bloqueadas áreas para eventos: Rio Centro, Aterro Flamengo, Pier Mauá, São Cristóvão, Arena HSBC, etc. • Eventos paralelos – Aterro Flamengo, Forte Copacabana, Hoteis, etc – Sergio Besserman: “Temos que aplicar uma arte logística a partir da qual as reuniões oficial e a da sociedade civil se falem perfeitamente, sem a bagunça que foi a COP15 de Mudanças Climáticas, em Copenhague, e o apartheid que ocorreu durante a COP16, em Cancún”,



Economia Verde e Rio + 20