Issuu on Google+

®


2


3


A EDUCAÇÃO QUE ACREDITAMOS

assista a nossa apresentação Acesse: bit.ly/CriarEmMovimento


O Audiovisual é um dispositivo que possibilita aos jovens uma experiência formativa e de produção criativa de transformação de si e do mundo em que vivem. É para nós ponto de partida e de chegada. Reconhecemos diferentes saberes como cultura. Todo mundo tem cultura. Todo mundo tem saber. Todo mundo sabe. Aqui, olhamos para a cultura de cada um – ela é matéria prima da educação. A cultura de paz sobrepõe à violência. Trocas e compartilhamentos desenvolvem a gente. Apreciamos a corresponsabilidade, ao invés da obrigação. Para nós, educador é aquele que conduz alguém ao encontro de si. TODOS são mestres e a gente aprende junto. Acreditamos na cidade como espaço educativo. A educação acontece, nas ruas, nas praças, museus, cinemas e teatros. A rua, o bairro e a cidade nos pertence. Queremos conhecer e nos apropriar do centro e da periferia, intervir no espaço urbano e participar das discussões sobre a cidade. Apreciamos iniciativas de mobilização comunitária. Acreditamos que existem muitas formas de estar no mundo. Não um jeito só. Apostamos nas buscas por novas formas autônomas, colaborativas e coletivas de produção que reinventam as relações de trabalho. Valorizamos o comprometimento com as futuras gerações, com os princípios da sociedade democrática, do respeito aos direitos humanos e da diversidade cultural que instiguem a reflexão, provoquem mudanças comportamentais e culturais. Reconhecer e acolher sensações, emoções e pensamentos que estão vivos em nós colabora para o processo de desenvolvimento de cada um. Para nós a arte é a partilha do sensível. A generosidade é a marca da distribuição. O diálogo se dá quando existe escuta e fala. Acreditamos que perguntas são melhores que respostas. Aqui, a gente acredita que todo mundo tem lugar de fala. O autoconhecimento contribui para recriar a forma de ser e estar no mundo. Incentivamos que cada um construa sua estrada de conhecimento. Ninguém está pronto nunca. A vida é uma jornada de aprendizagem constante.

5


6 sabe como surgiu o instituto criar? Assista: bit.ly/ComoSurgiuOCriar


Idealizado pelo apresentador de TV Luciano Huck, o Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias tem como missão promover o desenvolvimento profissional, sociocultural e pessoal de jovens por meio do audiovisual. Mais de 1.900 pessoas foram beneficiadas desde o início de suas atividades em 2003. Mais de 1.900 vozes, mais de 1.900 projetos de vida. Um mundo com oportunidades ampliadas, no qual os jovens vivenciam o audiovisual como elemento de transformação.

7


8 Foto: Mariana Campos | Turma 13


O setor audiovisual

já gera R$24,5 bilhões

de renda para a economia do País. A expansão beira 9% ao ano e vem acompanhada de um salto no volume de produções para cinema, TV e outras mídias, com aumento na oferta de

empregos,

de

acordo

com

pesquisa

realizada pela Agência Nacional do Cinema. A Economia Criativa, que engloba a indústria cultural e do entretenimento com suas cadeias produtivas, desponta como uma importante oportunidade para o ingresso e permanência dos jovens no mundo do trabalho. Financiamento, produções e número de empresas estão em expansão. Dados colhidos pela Firjan mostram que o PIB da indústria criativa brasileira cresceu 69,8% em dez anos, acima dos 36,4% registrados pelo PIB nacional no mesmo período. Nesse contexto, o Instituto Criar busca transformar a habilidade criativa natural dos jovens em ativo econômico e estimula modelos inovadores para a produção audiovisual.

9


10


O Instituto Criar acredita que a expressão audiovisual é o ponto de partida e de chegada para a transformação dos jovens e do mundo em que vivem. Para tanto, possibilita à juventude: •

Expressar sua visão de mundo facilitando o acesso aos serviços, plataformas e instrumentos do fazer cultural em sua diversidade.

Reconhecer e desenvolver seus talentos e suas habilidades

Viver o universo audiovisual na prática e na teoria

Expressar sua visão de mundo

Conquistar um trabalho e a independência

Transformação social

11


TEM ENTRE

17-20 ANOS É INDICADO POR UM ALIADO SOCIAL

TEM UM RENDA MENSAL PERCAPITA DE ATÉ SALÁRIO MÍNIMO.

1/2

(ONGS E ESCOLAS PÚBLICAS PARCEIRAS)

ESTÁ CURSANDO OU JÁ CONCLUIU O o ANO DO ENSINO MÉDIO

3

MORA EM SÃO PAULO OU OSASCO


52% NA ÁREA DO AUDIOVISUAL 44% EM PRODUTORAS

89%

ESTÃO TRABALHANDO

PARA 74% DESTAS FAMÍLIAS, ESTA RENDA ESTÁ ENTRE 1 E 5 SALÁRIOS E PARA 13% ESTÁ ACIMA DESTE TETO

16% EM EMISSORAS DE TV

TÊM ENTRE

19-30 ANOS 52%

DERAM CONTINUIDADE AOS ESTUDOS E CURSAM OU CONCLUÍRAM O ENSINO SUPERIOR

*Dados da Pesquisa de Impacto socioeconômico realizada em 2014 com os veteranos (com pelo menos dois anos depois de formados).

confira a pesquisa completa Posicione seu leitor sobre o código ao lado ou acesse: bit.ly/Pesquisa10anosCriar


11

o desafio 1370

29.040

2.420

1.436

14

3.963


8.972

0

6

O percurso formativo dos jovens, com duração de um ano em período integral, articula oficinas técnicas e socioculturais. Os educandos podem escolher se especializar em um dos 5 núcleos técnicos. Ao final do Programa de Formação, o jovem pode obter até 3 DRTs, registro concedido pela Delegacia Regional do Trabalho que regulamenta a profissão de artistas e técnicos para trabalhar em TV, cinema, teatro ou publicidade. As 5 oficinas socioculturais contemplam conteúdos e experiências pessoais e sociais importantes para o desenvolvimento. O Programa de Formação também visa a ampliação dos espaços de aprendizagens para além dos muros do Instituto, buscando garantir o direito à cidade pela circulação e experimentação dos jovens nos diversos territórios de moradia e convivência

+50

15


oficinas

audiovisuais

Mais de 770 horas de aulas técnicas com direito a muita mão na massa para colocar em prática tudo que se aprende em sala de aula e realizar diversos produtos audiovisuais. Os núcleos desenvolvem competências específicas em 5 diferentes áreas e cada jovem participa de um deles: Arte (Oficina de Cabelo e Maquiagem, Oficina de Figurino e Oficina de Cenografia e Objeto); Fotografia (Oficina de Câmera e Maquinária, Oficina de Iluminação e Elétrica e Oficina de Fotografia e Imagem); Produção; Som; e Pós-Produção (Oficina de Animação, Oficina de Edição e Oficina de Computação Gráfica).

16


17


18


TODOS os jovens participam das 5 oficinas socioculturais. São 600 horas de formação nas quais os jovens são convidados a desenvolver e explorar habilidades ligadas à criatividade, expressão, comunicação, história do audiovisual, diferentes linguagens, participação social e mundo do trabalho. São elas: Oficina de Roteiro, Leitura, Escrita e Narrativa; Oficina de Direção, Linguagem e Imagem; Oficina de Criatividade e Pesquisa; Oficina de Desenvolvimento Humano; e Oficina de Participação Social.

19


20 Foto: Mariana Campos | MIS - Museu da Imagem e Som | Truffaut: um cineasta apaixonado


Além da formação integral e oportunidade de inserção no mercado de trabalho, o Instituto Criar investe no fomento de produções audiovisuais para que os alunos e veteranos expressem suas visões de mundo, sejam ativos no processo de transformação social e acessem a cultura em sua diversidade. Empréstimo de equipamentos para produções autorais, edital de prêmio para tirar projetos do papel, visibilidade e reconhecimento de criações, agenda cultural com rolês em exposições, espetáculos de teatro e muito mais.

21


O PRÊMIO CRIANDO ASAS tem como objetivo incentivar o protagonismo social dos educandos e veteranos do Criar, que multiplicam o impacto social do Instituto com suas próprias mãos e câmeras. O Prêmio fomenta e viabiliza projetos que utilizam o audiovisual como ferramenta de transformação social. Por meio de edital anual, os projetos são apresentados e selecionados por uma banca de especialistas. Os vencedores recebem apoio financeiro para viabilizar seus projetos, além do benefício de utilizar os equipamentos e a estrutura do Criar para realizar suas produções. Em suas 9 edições, mais de 90.000 pessoas foram beneficiadas por projetos sociais criados e implantados pelos jovens através do Criando Asas.

Durante todo ano, o CINE CRIAR abre suas portas para sessões especiais, seguidas de bate papo com profissionais ligados aos filmes exibidos ou aos temas propostos. A programação inclui filmes do circuito comercial, de festivais e do cinema independente. O Cine Criar também é uma ação de difusão dos vídeos autorais produzidos pelos jovens.

22


A USINA CRIAR disponibiliza aos alunos e veteranos toda a estrutura necessária para a produção de vídeos autorais. Câmeras profissionais, kits de iluminação de set, equipamentos de áudio, softwares de animação, ilhas de edição e finalização de imagem e som estão à disposição dos jovens sem nenhum custo. Os estúdios e outras dependências do Instituto também podem ser utilizadas como locação. Videoclipes, documentários, curtas metragens, entre outros produtos autorais, podem ser feitos na Usina Criar. Os jovens também contam com o apoio de orientadores e técnicos voluntários para tirar seu projeto do papel. As CHAMADAS CRIATIVAS fazem parte da estratégia de ativar e fomentar o potencial de criação dos alunos e veteranos do Instituto Criar e dar reconhecimento e visibilidade ao conteúdo produzido pelos jovens, além de geração de renda. É uma parceria com a It´sNOON, rede social criativa que conecta pessoas, ideias e remuneração e geração de valor compartilhado.

Durante todo ano letivo, os jovens têm a oportunidade de ampliar e fortalecer seu repertório cultural. A AGENDA CULTURAL reúne visitas a exposições de artes plásticas, espetáculos teatrais, musicais e de dança, festivais de audiovisuais, sessões de cinema, entre outros eventos.

23


24

ta´ na area ´


Hora de colher os frutos da dedicação dispensada durante o período de estudos e iniciar uma nova e importante etapa na trajetória dos jovens: a oportunidade profissional no mercado audiovisual.

De um lado os jovens, que desenvolveram ao longo do ano suas competências e talentos. Na outra ponta, produtoras, emissoras de TV, agências de publicidade e empresas que estão em busca de profissionais qualificados e que abrem espaço para a primeira experiência profissional dos formados.

Durante todo o ano letivo, o programa de inserção do Instituto Criar busca oportunidade de prática profissional para os jovens em empresas do audiovisual. Em média, 70% dos alunos tiveram sua primeira experiência na área articulada pelo Criar.

25


26


Com a convergência de meios, com a economia criativa, com as novas mídias, os jovens têm um grande campo de atuação no mundo do audiovisual, que não se limita às contratações em produtoras, emissoras, agências de propaganda. São oportunidades de trabalhos freelancers que permitem que eles transitem pelo mercado; participação em editais que apoiam financeiramente atividades artístico-culturais como o Programa VAI; criação de canais de conteúdo variado nas plataformas sociais como Youtube e Facebook. Nessa trajetória, o papel do Instituto Criar é continuar apoiando o jovem na formação, na produção e no protagonismo.

3%

Apenas das famílias destes jovens permanecem com o perfil inicial de renda percapta de até meio salário mínimo.

74% 13%

para destas famílias, esta renda está entre 1 e 5 salários e para está acima deste teto;

62%

dos jovens participam de projetos sociais

23%

passou a fazer isto após participarem do Instituto Criar;

27


Curtas-metragens, documentários, ficções, animações, stopmotion. Durante o ano letivo, os alunos desenvolvem diversos produtos audiovisuais com temas ligados à cidadania e de interesse da juventude. Toda essa produção é utilizada por eles para promover a reflexão sobre importantes questões sociais nas comunidades, ONGs e escolas públicas.

28


29 CONFIRA OS VÍDEOS PRODUZIDOS PELOS JOVENS Acesse nosso canal no Youtube: www.youtube.com/institutocriar


®

30


O Instituto Criar entende que o país possui grandes desafios sociais e econômicos, principalmente no que tange a formação e inserção dos jovens em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. O Instituto Criar acredita na união de esforços para transformar essa realidade e possui redes de parceiros que são estratégicos para a consecução de sua missão. A primeira é uma rede de ONGs e Escolas Públicas que encaminham jovens para o processo seletivo, dentro do perfil socioeconômico escolhido pelo Instituto. A segunda é uma rede de empresas que atuam na área do audiovisual (produtoras, emissoras, agências, etc.) e propiciam a primeira oportunidade de prática profissional dos jovens formados no Instituto Criar. A terceira rede é dos parceiros apoiadores do Instituto, são empresas, fundações e doadores individuais que aportam os recursos necessários para a operação do Instituto. Além disso, o Criar possui parcerias estratégicas com o poder público nas esferas federal, estadual e municipal, que garantem o investimento via leis de incentivo fiscal e bolsas de estudo para os jovens atendidos.

31


32


Depois de Los Angeles, Londres, Tóquio e Nova Iorque, o Youtube firmou parceria com o Instituto Criar e trouxe para São Paulo o Youtube Space. O YouTube Space São Paulo atua há 2 anos e reuniu ao longo dessa trajetória mais de 10.000 YouTubers, Produtores, Assistentes e Influenciadores para Aprender, Conectar, e Criar novos conteúdos. Aproximadamente 400 vídeos foram produzidos, mais de 200 aulas (técnicas e teóricas) ministradas e mais de 20 eventos realizados para a comunidade do YouTube no Brasil. Também passaram pelo estúdio mais de 5 cenários para suportar as gravações que ocorrem diariamente, alguns desses, produzidos por diretores e cenógrafos de renome internacional. Assim como os criadores do Youtube no Brasil, os alunos do Criar, educadores e veteranos têm acesso aos equipamentos, treinamentos e cursos que fazem parte do Programa de Formação.

33


A sede do Instituto Criar está localizada no Bom Retiro, na região central da cidade de São Paulo, foi especialmente projetada para atender ao Programa de Formação. São três mil metros quadrados de instalações equipadas como uma produtora profissional com o diferencial de ser utilizada para o ensino.

34

Conta com espaço para os 5 núcleos audiovisuais e para as oficinas socioculturais, dois estúdios para gravações com tratamento acústico e térmico (tendo o estúdio principal 155 metros quadrados), estúdio de áudio, marcenaria, ilhas de edição, finalização e web, laboratório digital, switcher, sala de vídeo, sala de cabelo e maquiagem, acervo e sala de figurino, central de equipamentos de iluminação e câmera, biblioteca e videoteca, além de restaurante e os espaços de apoio para equipe.


35


SIGA O

CRIAR 36


Endereรงo Rua Solรณn, 1121 - Bom Retiro - Sรฃo Paulo / SP 01127-010 Telefone +55 011 3333-7676

facebook.com/institutocriar youtube.com/institutocriar instagram.com/institutocriar institutocriar.org 37


®

38


39


40


41


42


Ano letivo: agosto de 2014 a junho de 2015! Depois do Oficinão, exercício coletivo que marca o primeiro contato com o audiovisual, a Turma 11 produziu 5 curtas-metragens sob a supervisão e direção dos educadores. Logo depois, os jovens experimentaram a realização de uma web série dirigida pelo premiado diretor de fotografia Alziro Barbosa. A turma teve o desafio de pensar e desenvolver a continuidade narrativa, estética e fílmica de uma produção composta por 5 episódios que se passaram em tempos e espaços distintos. Nos Trabalhos de Conclusão de Curso, os alunos se dividiram em grupos e tiraram seus projetos autorais do papel, resultando em 9 curtas-metragens, entre ficção, documentário e animação. Os vídeos realizados, de forma coletiva e colaborativa, circularam em salas de cinema, mostras e festivais. A parceria construída durante o processo do TCC extrapolou os muros do Instituto Criar e os jovens deram continuidade em coletivos independentes de produções audiovisuais.

43


exercício coletivo 1

Boa noite minha vó (2’33”) Direção: Olindo Estevam

Elemento Alma (3’44”) Direção: Guta Bodick e Marcelo Rodriguez

44


Receita (1’) Direção: Rafael Dourado

Sou Criança (4’02”) Direção: Celso Toledo e Antonio Rodrigues

Tira Teima (1’53”) Direção: Roberto Sócrates

45


exercício coletivo 2

Preta, Zóio e o Mundo - Episódio 1 (7’47”) Direção: Rita Piffer 1995, Zóio encontra a figurinha mais difícil de se conseguir. O que ele não imaginava é que, com ela, descobriria algo muito maior: o valor da amizade.

Preta, Zóio e o Mundo - Episódio 2 (9’14”) Direção: Rita Piffer Cinco anos se passaram, mas Preta&Zóio continuam inseparáveis. Agora, na adolescência, eles descobrem, juntos, novos desafios e enfrentam os medos e incertezas dessa fase.

46


Preta, Zóio e o Mundo - Episódio 3 (11’32”) Direção: Alziro Barbosa Mesmo diante de dificuldades e diferenças em seus mundos, Zóio e Preta conseguem entender e fortalecer sua amizade, percebendo nela a importância do sonho de cada um.

Preta, Zóio e o Mundo - Episódio 4 (9’56”) Direção: Aloísio Araújo Preta está determinada a se dedicar à sua verdadeira paixão: o rap! O que ela não contava é que teria que enfrentar o passado nesse momento tão importante.

Preta, Zóio e o Mundo - Episódio 5 (9’51”) Direção: Alziro Barbosa Mesmo seguindo caminhos tão diferentes, a admiração e o respeito que Preta e Zoio sentem um pelo outro, manteve essa amizade tão verdadeira. Ao longo de 20 anos, eles aprenderam, diante de tantos desafios, a respeitar suas próprias vontades e sonhos.

47


exercício coletivo 3

Cartas para alguém (18”36) Direção: Jader Monteiro O filme busca investigar as histórias de vida que as cartas nos contam, por meio de uma abordagem sensível e poética, ressaltando a importância da comunicação entre remetente e destinatários.Trata-se de um resgate das relações humanas, interpessoais e afetivas por meio desses fragmentos de histórias escritas, por vezes esquecidas.

Felicidade (7’14”) Direção: André Magno e Alex Rocha

Fidedigno (7”45) Direção: Henrique Tavares Fidedigno fala sobre um professor paraplégico vitima de uma conspiração de uma empresa farmacêuticas, um documentário sobre como a manipulação de noticias se comporta, como a sociedade se

48

conforma com poucas explicações para acreditar fielmente.


ONG x Escola (9’06”) Direção: Beatriz Bispo

Relações Familiares (5”) Direção: Pâmela Lima Um grupo de adolescentes sai em busca de entender sobre a sua família, só que para ter esse entendimento eles foram em busca de outras famílias.

Rotina (Mal)Dita (10’47”) Direção: Caio Canine

49


exercício coletivo 3

Rua como Palco (13’25”) Direção: Thamires Cabral O Rua Como Palco tem como objetivo beneficiar os artistas músicos de rua com um certo reconhecimento e visibilidade. Este documentário irá mostrar as diferentes realidades de alguns músicos, que utilizam de fato a rua como palco. Sou o que eu quero ser (9’29”) Direção: Coletiva Questionar verdadeiramente quem somos e quem nos tornamos diariamente, em uma sociedade que o sobrenome se tornou padrão.

Translúcidos (14”20) Direção: Asaph Luccas e Guilherme Candido Em uma clínica onde a transgeneridade é tratada como patologia, os pacientes que ali residem contam suas histórias.

50


51


52


• 8 sessões do Cine Criar • 6 Mini Cine Debates

• • • •

8 saídas para Rolês Culturais 28 Workshops audiovisuais e culturais 1 Sarau 4 Clubes de escrita

• 380 solicitações para utilização de equipamentos e locação dos espaços do Criar pela Usina Criar;

• 5 projetos premiados com R$5.000 e 1 projeto premiado com R$7.000 no Prêmio Criando Asas

53


ta´ na area ´ Enquanto a turma 11 começava a jornada de aprendizado no Estúdio-Escola, os jovens da turma 10 com seus DRTs e portfólios em mãos marcavam presença em entrevistas em emissoras de TV, produtoras, agências de publicidade, entre outras empresas, em busca de colocar em prática tudo o que aprenderam e vivenciaram durante um ano no Instituto Criar. Foram 125 oportunidades de atuação conquistadas no mercado, sendo 53 vagas fixas e 74 freelas.

54


As empresas parceiras que contribuíram com o Núcleo de Inserção do Instituto Criar foram:

Agencia Rai

Play TV

AIC - Academia Internacional de Cinema

Polishop

Araruna Filmes

Pródigo

Produtora Boia Fria Bossa Nova Films Capa Cia de Teatro Heliópolis EduK

Publivideo SBT Super Toons TV Cultura TVT

ElliteCam

Vapt Filmes

Studio AS

Vetor Zero

Fábrica de Locações

Luc Comunicação

Foto Jump

Via Web TV

Latino Estudio

Teatro Alfa

LocaWeb LPL Maxi Online Namu NovaCia O Panda Criativo O2 Filmes Oliver Videio Filme

Creative Mornings: Rughby - Um encontro esportivo financiado pela Heineken e pela Red Bull O Sonho Brasileiro Ricardo Napoleão - Web Serie de Comédia Sampa Criativa: Virada Sutentável 2014

55


56


57


58


59


60


61


62


63


64


65


66


67


68


69


demon stracoes ˜ conta´ beis 70

Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2015 e 2014 acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes


1.

Contexto operacional

O Instituto Criar de TV e Cinema (“Instituto Criar” e “Instituto”), criado em maio de 2003, com sede na Rua Solon, 1.121, Bom Retiro, no Estado de São Paulo, é uma associação civil de caráter filantrópico sem fins lucrativos, com o objetivo essencialmente de naturezas cultural e social, voltado ao ramo de produção televisiva e cinematográfica, direcionado, principalmente, mas não exclusivamente, à formação cultural de jovens oriundos de famílias de baixa renda. As atividades do Instituto são dirigidas, direta e indiretamente, para a melhor adequação e integração desses jovens na sociedade. Para tanto, o Instituto poderá promover e praticar todos os atos inerentes e conducentes a esses fins, bem como realizar qualquer atividade a eles relacionada, angariando e administrando seus fundos com o intuito de atingir seus objetivos. O Instituto atende cerca de 150 (cento e cinquenta) jovens, distribuídos nas oficinas disponíveis para o aprendizado, conforme demonstrado a seguir:

Oficinas

2014 Turma 11

2015 Turma 12

Animação

10

12

Áudio

14

14

Cabelo e maquiagem

16

14

Câmera

19

20

Cenografia

15

14

Computação gráfica

17

17

Edição

20

21

Figurino

10

9

Iluminação

13

14

Produção

16

15

Total

150

150

71


O Instituto Criar é qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), por despacho da Secretaria Nacional da Justiça datado de 08 de julho de 2003, de acordo com a Lei nº 9.790 de 23 de março de 1999. A renovação da certidão é efetuada anualmente pelo órgão competente da União, mediante ato formal. O Instituo tem sua condição de OSCIP renovada por esse órgão até 30 de setembro de 2016, por ter atendido o que determina a legislação vigente. Aprovação para conclusão das demonstrações contábeis A aprovação para conclusão das demonstrações contábeis ocorreu em 12 de abril de 2016 pela Administração do Instituto.

2.

Apresentação das demonstrações contábeis

Base para elaboração As demonstrações contábeis foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis a entidades sem finalidade de lucros, considerando o Pronunciamento NBC TG 1000 – Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas e a Interpretação Técnica Geral ITG 2002 (R1) – Entidade sem Finalidade de Lucros, aprovados pelas Resoluções 1.255/09 e 1.409/2012 do Conselho Federal de Contabilidade, respectivamente. Base de mensuração As demonstrações contábeis foram preparadas com base no custo histórico com exceção dos instrumentos financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado reconhecido no balanço patrimonial.

72


Moeda funcional e moeda de apresentação A moeda funcional da Associação é o Real e todos os valores apresentados nestas demonstrações contábeis estão expressos reais, exceto quando indicado de outra forma. Novas normas, alterações e interpretações de normas As práticas contábeis adotadas para a elaboração e divulgação das demonstrações contábeis do Instituto em 31 de dezembro de 2015 e 2014 são consistentes. As novas normas que entrarão em vigor, bem como as alterações nas normas existentes ou novas interpretações não trarão efeitos sobre as demonstrações contábeis do Instituto. Uso de estimativas A preparação das demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis a Entidades sem Finalidade de Lucros requer que a Administração realize estimativas para determinação e registro de certos ativos, passivos, receitas e despesas, bem como a divulgação de informações sobre suas demonstrações contábeis. Tais estimativas são feitas com base no princípio da continuidade e suportadas pela melhor informação disponível na data da apresentação das demonstrações contábeis, bem como na experiência da Administração. As estimativas são revisadas quando novas informações se tornam disponíveis ou as situações em que estavam baseadas se alterem. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar valores diferentes dos estimados em razão das imprecisões inerentes ao processo de sua determinação. As estimativas podem vir a divergir para com o resultado real. As principais estimativas se referem a: •

Vida útil do ativo imobilizado;

Avaliações de impairment;

Provisões em geral.

73


Não houve mudanças significativas nas estimativas no período em relação àquelas que vinham sendo aplicadas. Gestão de capital O Instituto busca alternativas de capital com o objetivo de satisfazer as suas necessidades operacionais, com base nas doações e contribuições recebidas, objetivando uma estrutura de capital que leve em consideração parâmetros adequados para os custos financeiros, prazos dos aportes e orçamento anual. O Instituto acompanha seu grau de alavancagem financeira, o qual corresponde à dívida líquida, incluindo as obrigações de curto e longo prazo, dividida pelo capital total.

3.

Principais práticas contábeis

As práticas contábeis do Instituto descritas em detalhes a seguir têm sido aplicadas de maneira consistente a todos os períodos apresentados nas demonstrações contábeis.

3.1.

Instrumentos financeiros

Ativos financeiros não derivativos O Instituto reconhece os empréstimos e recebíveis inicialmente na data em que foram originados. Todos os outros ativos financeiros (incluindo os ativos designados pelo valor justo por meio do resultado) são reconhecidos inicialmente na data da negociação em que se torna uma das partes das disposições contratuais do instrumento. O Instituto mantém nas suas demonstrações contábeis ativos financeiros registrados pelo valor justo por meio do resultado e empréstimos e recebíveis.

74


Ativos financeiros registrados pelo valor justo por meio do resultado Um ativo financeiro é classificado pelo valor justo por meio do resultado caso seja classificado como mantido para negociação e seja designado como tal no momento do reconhecimento inicial. Os custos da transação após o reconhecimento inicial são reconhecidos no resultado quando incorridos. Ativos financeiros registrados pelo valor justo por meio do resultado são medidos pelo valor justo, e mudanças no valor justo desses ativos são reconhecidas no resultado do exercício. Caixa e equivalente de caixa abrangem saldos de caixas, conta corrente e aplicações financeiras. O Instituto mantinha saldo de investimentos e aplicações financeiras nas demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2015 e 2014. Empréstimos e recebíveis Empréstimos e recebíveis são ativos financeiros com pagamentos fixos ou calculáveis que não são cotados no mercado ativo. Estes ativos são reconhecidos inicialmente pelo valor justo acrescido de quaisquer custos de transação atribuíveis. Após o reconhecimento inicial, os empréstimos e recebíveis são medidos pelo custo amortizado através do método dos juros efetivos, decrescidos de qualquer perda por redução ao valor recuperável. Os empréstimos e recebíveis abrange a rubrica de contas a receber. Passivos financeiros não derivativos Todos os passivos financeiros são reconhecidos inicialmente na data da negociação em que se torna uma parte das disposições contratuais do instrumento. O Instituto baixa um passivo financeiro quando tem suas obrigações contratuais retiradas, canceladas ou vencidas. Os ativos e passivos financeiros são compensados e o valor líquido é apresentado no balanço

75


patrimonial quando, e somente quando, tenha o direito legal de compensar os valores e tenha a intenção de liquidar em uma base líquida ou de realizar o ativo e quitar o passivo simultaneamente. O Instituto mantém os seguintes passivos financeiros não derivativos: Fornecedores Estes passivos são reconhecidos inicialmente pelo valor justo acrescido de quaisquer custos de transação atribuíveis. Após o reconhecimento inicial, esses passivos financeiros são mensurados pelo custo amortizado através do método de juros efetivos. Instrumentos financeiros derivativos O Instituto não possui instrumentos financeiros derivativos em 31 de dezembro de 2015 e 2014.

3.2.

Caixa e equivalentes de caixa

Incluem os saldos de caixa, contas bancárias e aplicações financeiras que podem ser resgatados a qualquer tempo e com risco insignificante de mudança de seu valor de mercado, com e sem restrições de uso.

3.3.

Demais ativos circulantes

São demonstrados aos valores de custo ou realização, incluindo, quando aplicáveis, os rendimentos auferidos.

3.4. Imobilizado •

76

Reconhecimento e mensuração

O ativo imobilizado está demonstrado pelo custo de aquisição dos bens.


Depreciação

As depreciações dos bens do imobilizado são calculadas pelo método linear sobre o custo de aquisição, com base em taxas determinadas em função do prazo de vida útil dos bens e depreciação de benfeitorias em bens de terceiros, cuja depreciação pode ser determinada de acordo com o prazo de locação do imóvel, conforme Nota Explicativa nº 5.   As vidas úteis estimadas para os períodos correntes e comparativos são as seguintes: Descrição

Vida útil

Benfeitorias em imóveis de terceiros

25 anos

Biblioteca

20 anos

Móveis e utensílios

10 anos

Máquinas e equipamentos

10 anos

Instalações

10 anos

Equipamentos de informáticas

5 anos

Os métodos de depreciação, as vidas úteis e os valores residuais serão revistos a cada encerramento de exercício financeiro e eventuais ajustes são reconhecidos como mudança de estimativas contábeis.

3.5.

Demais passivos circulantes

São demonstrados pelos valores conhecidos ou exigíveis, acrescidos, quando aplicáveis, dos respectivos encargos e variações monetárias e cambiais.

3.6.

Apuração do superávit ou déficit

O superávit (déficit) é apurado em conformidade com o regime contábil de competência de exercícios.

77


As receitas do Instituto são provenientes de contribuições, subvenções e doações, recebidas em caixa ou em ativos, de órgãos públicos federais e municipais, de parceiros mantenedores, organizações madrinhas e terceiros, desde que utilizado de acordo com a sua atividade-fim. As doações são registradas como receita somente quando aplicadas aos projetos. As receitas são com gratuidade e não sofrem nenhum tipo de tributação. As receitas com prestação de serviços, sem gratuidade, referem-se principalmente as produções audiovisuais de cunho social e que são tributadas de acordo com a legislação tributária vigente. O Instituto não recebeu qualquer tipo de trabalho voluntário relevante para os períodos findos em 31 de dezembro de 2015 e 2014. Em 31 de dezembro de 2015, o Instituto não registrou receitas que não estivessem dentro do seu objetivo social.

3.7.

Demonstrações dos fluxos de caixa

Foram preparadas e estão apresentadas de acordo com o Pronunciamento Técnico CPC nº 03 (R2) – Demonstrações dos fluxos de caixa. As demonstrações dos fluxos de caixa refletem as modificações no caixa que ocorreram nos exercícios apresentados utilizando o método indireto. Os termos utilizados na demonstração do fluxo de caixa são os seguintes: •

Atividades operacionais: referem-se às principais receitas da Entidade e outras atividades que

não são de investimento e de financiamento; •

78

Atividades de investimento: referem-se às adições e baixas dos ativos não circulantes e outros

investimentos não incluídos no caixa e equivalentes de caixa; e


Atividades de financiamento: referem-se a atividades que resultam mudanças na composição

do patrimônio e empréstimos.

Descrição

2015

2014

Conta corrente bancária

48

227

Aplicações financeiras

608,954

1,324,766

Total do caixa e equivalente de caixa com restrição

609,002

1,324,993

Caixa

118

311

Conta corrente bancária

170

2,204

Aplicações financeiras

4,903,980

5,572,425

Total do caixa e equivalente de caixa sem restrição

4,904,268

5,574,940

5,513,270

6,899,933

Recursos com restrição

Recursos sem restrição

79


4.

Caixa e equivalentes de caixa

Recursos com restrição O grupo contábil de caixa e equivalentes de caixa com restrição é proveniente dos projetos FUMCAD e MINC e corresponde aos recursos recebidos antecipadamente a título de execução e andamento do projeto conforme nota explicativa nº 8. Recursos sem restrição Os saldos de caixas e equivalentes de caixa são representados, principalmente, por caixa fundo fixo e depósitos contas correntes mantidas em instituições financeiras nacionais. As aplicações financeiras são realizadas junto a instituições financeiras nacionais e refletem as condições usuais de mercado, e as datas dos balanços estão substancialmente compostas por aplicações em fundos de renda fixa e CDB, possuem vencimentos inferiores a 90 (noventa) dias ou não possuem prazos fixados para seu resgate, sendo, portanto, de liquidez imediata, e estão sujeitas a um insignificante risco de mudança de valor.

80


5. Imobilizado Em 31 de dezembro de 2015 e 2014, o total de imobilizado, sem restrição, era composto da seguinte

2015

2014

Descrição

Taxa anual de depreciação

Imobilizado Custo

Depreciação acumulada

Imobilizado Líquido

Imobilizado Líquido

Benfeitorias em bens de terceiros

25%

2,092,941

(1,773,303)

319,638

-

Máquinas e equipamentos

10%

723,997

(521,473)

202,524

233,728

Equipamentos de informática

20%

478,374

(463,660)

14,714

28,114

Móveis e utensílios

10%

110,691

(94,622)

16,069

17,742

Software

20%

155,083

(155,083)

-

90

Biblioteca

20%

8,461

(8,461)

-

-

Outras imobilizações

10%

1,295

(1,295)

-

-

Instalações

10%

3,535

(3,535)

-

-

3,574,377

(3,021,432)

552,945

279,674

forma: O ativo imobilizado do Instituto está integralmente localizado no Brasil e é empregado, exclusivamente, nas operações relacionadas a ele.

81


Máquinas e equipamentos

Saldo em 2014

Aquisição

Baixas

Depreciação

Saldo em 2015

233,728

13,944

-

(45,147)

202,525

Equipamentos de informática

28,114

8,394

-

(21,794)

14,714

Móveis e utensílios

17,742

2,946

-

(4,619)

16,069

Benfeitorias em propriedades de 3º Software

-

330,204

-

(10,567)

319,637

90

-

-

(90)

-

279,674

355,488

-

(82,217)

552,945

A movimentação do ativo imobilizado em 31 de dezembro de 2015 está representada a seguir:

6.

Contas a pagar

A rubrica “Contas a pagar” é composta por valores a liquidar a diversos fornecedores de materiais, consumo, prestadores de serviços, aluguéis e outros. Em 2015, o montante registrado é de R$ 93.873 (R$768.185 em 2014).

82


7.

Obrigações trabalhistas

Em 31 de dezembro de 2015 e 2014, a rubrica de obrigações trabalhistas era composta da seguinte forma: Descrição

2015

2014

143,483

121,129

INSS a recolher

27,493

28,980

IRRF sobre salários

17,810

18,125

-

348

FGTS a recolher

9,603

-

Pis s/folha a recolher

1,200

864

199,589

169,446

Provisão de férias

Salários e ordenados

8.

Projetos a executar

Lei Rouanet e Fumcad Estão representados por valores recebidos a título de doações e patrocínios para aplicação nos projetos incentivados pelo PRONAC, aprovados pelo Ministério da Cultura, conforme determinação da Lei nº 8.313/91 e pelo FUMCAD, conforme Lei nº 11.247/92. Os recursos aplicados estão apresentados como receitas das atividades, assim como os custos incorridos, pelo mesmo montante, em conformidade com o Pronunciamento Técnico CPC 07 (R2). A movimentação dos recursos pode ser assim demonstrada:

83


Descrição

2015

2014

Saldos iniciais

1,324,993

1,137,540

Recebimento de recursos

2,127,422

2,230,390

43,381

19,653

(17,700)

(104,054)

3,478,096

3,283,529

(1,088,332)

(664,659)

(296,315)

(241,431)

(11,672)

(40,525)

Inserção

(107,409)

(40,943)

Gerencia de Programas

(241,953)

(152,344)

Receitas financeiras líquida do projeto Devolução de custos antecipados Gastos incorridos na execução dos projetos Núcleo Administrativo e Financeiro Desenvolvimento e Comunicação Ação Social

Cultura e expressão

(78,545)

(129,219)

Formação

(886,288)

(560,061)

Video Criar

(158,579)

(129,354)

(2,869,094)

(1,958,536)

609,002

1,324,993

48

227

608,954

1,324,766

609,002

1,324,993

Saldos em 31 de dezembro Composição do saldo em 31 de dezembro Saldo e conta corrente do projeto Saldo de aplicação financeira

84


FUMCAD – Cultura Audiovisual na Escola O projeto do FUMCAD tem como objeto a concentração de esforços para a implementação do projeto “Cultura Audiovisual na Escola”, cujo escopo do convênio é ativar os potenciais de comunidades com alto índice de vulnerabilidade social no sentido de ampliar a oferta de espaços de produção e exibição de vídeos que promovam o despertar para a possibilidade de transformação social, de 300 jovens com idade entre 14 e 18 anos incompletos, na cidade de São Paulo, localizadas nas regiões CentroOeste, Leste e Sul do município de São Paulo.

PRONAC 1410963 – Sua Vez, Sua Voz! 2015 O Projeto PRONAC 1410963 “Sua Vez, Sua Voz! 2015” visa promover o desenvolvimento profissional, sociocultural e pessoal de jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por meio do audiovisual. Trata-se de um projeto que procura democratizar o acesso à cultura em sua diversidade, fomentar a produção autoral e contribuir para a inserção de jovens de baixa renda no mundo do trabalho do audiovisual.

9.

Provisão para contingencias

O Instituto é parte envolvida em processos fiscais e trabalhistas, e está discutindo essas questões tanto na esfera administrativa como na judicial. As provisões para as perdas decorrentes desses processos são estimadas e atualizadas pela Administração do Instituto, amparada pela opinião de seus assessores jurídicos.

85


Contingências Trabalhista Fiscal

2015

2014

287,326

347,315

53,238

-

340,564

347,315

A movimentação das provisões para contingências em 2015 é representada da seguinte forma: Contingências Trabalhista Fiscal

2014

Adições

Baixas

2015

347,315

-

(59,989)

287,326

-

53,238

-

53,238

347,315

53,238

(59,989)

340,564

Contingências trabalhistas A Administração Instituto constituiu provisão para processo trabalhista no montante de R$ 287.326 (R$ 347.315 em 2014), no qual a assessoria jurídica da Administração julga ser provável a probabilidade de perda para o Instituto. Contingências fiscais A Administração Instituto constituiu provisão para processo fiscal no montante de R$53.238, no qual a assessoria jurídica da Administração julga ser provável a probabilidade de perda para o Instituto. O valor provisionado correspondente ação declaratória de inexistência de relação jurídico tributária

86

ajuizada por dependência à Medida Cautelar Inominada n.º 0002844-58.2005.4.03.6100, tendo por objeto o pedido de reconhecimento de imunidade do Instituto Criar com relação ao II e ao IPI,


exigidos na importação de equipamentos audiovisuais destinados ao programa “Estúdio Escola.

10.

Patrimônio líquido

Patrimônio social O Patrimônio Social é constituído pela adoção inicial, por bens e valores que a ele venham a ser adicionados por meio de doações de pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, ouvindo-se o Ministério Público nos casos de doações com encargos, subvenções que eventualmente lhe sejam destinadas pelo Poder Público, bens que a qualquer título que vier a adquirir, rendas originárias de seus bens e dos superávits (déficits) acumulados. Conforme parágrafo 3º do artigo 6º do Estatuto Social, caso o Instituto venha a perder a qualificação de que trata a Lei nº 9.790, de 23 de março de 1999, o respectivo acervo patrimonial disponível, adquirido com recursos públicos durante o período em que perdurou a qualificação, será contabilmente apurado e transferido a outra pessoa jurídica qualificada nos termos daquela lei, preferencialmente que tenha o mesmo objeto social, conforme indicação da Assembleia Geral.

11.

Contribuições dos mantenedores e organizações madrinhas

As contribuições dos mantenedores e organizações madrinhas no montante de R$1.312.255 (R$1.593.137 em 2014), são aquelas derivadas de doações e incentivos de empresas privadas que possuem identificação com as atividades do Instituto.


87


12.

Receitas de aluguéis

As receitas de aluguéis no montante de R$495.963 (R$240.049 em 2014), corresponde à sublocação de espaço para a empresa Google para a realização do projeto YouSpace, cujo prazo de locação é de 2 (dois) anos, com opção de renovação após esse período. Os pagamentos são reajustados a cada ano, de acordo com os índices estabelecidos em cada contrato.

13.

Custos com projetos

Em 31 de dezembro de 2015 e 2014, a rubrica de custos com projetos era composta da seguinte forma: Descrição

88

2015

2014

Núcleo Administrativo Financeiro

-

(1.416.307)

(1.162.177)

Desnvolvimento e comunicação

-

(385.612)

(453.827)

Gerência de Programas

-

(314.866)

(326.944)

Programa de Formação

12.a

(1.153.375)

(1.091.024)

Programa Vídeo Criar

12.b

(206.368)

(200.415)

Programa de Inserção no Mundo do Trabalho

12.c

(139.777)

(102.931)

Núcleo de Cultura e Expressão

12.d

(102.215)

(177.949)

Núcleo de Ação Social

12.e

(15.190)

(109.928)

(3.733.710)

(3.625.195)


13.a.

Programa de Formação

Objetivo: promover a formação integral de 150 (cento e cinquenta) jovens por meio do desenvolvimento de competências da área produtiva do audiovisual e de competências cognitivas, pessoais e sociais. Benefícios oferecidos •

1.370 horas distribuídas em 10 oficinas técnicas (Animação, Áudio, Cabelo e Maquiagem,

Câmera, Cenografia, Computação Gráfica, Edição, Figurino, Iluminação e Produção); •

Quatro sócio-culturais (Criatividade e Desenvolvimento Humano, História e Linguagem do

Audiovisual, Projeto e Participação Social e Trabalho e Projeto de Vida). Resultado: formação de 150 jovens em 2015. 13.b. Programa Vídeo Criar Objetivo: ampliar as oportunidades de sensibilização e instrumentalização para o uso do audiovisual como ferramenta de expressão e transformação social. Benefícios oferecidos •

Oficinas de sensibilização para o audiovisual;

Encontros de formação de mediadores e formadores;

Articulação do grupo de multiplicadores.

Resultados: aplicação da experiência em 10 (dez) escolas, formando 127 (cento e vinte e sete) jovens em 2015.

89


13.c. Programa de Inserção no Mundo do Trabalho Objetivo: promover a inserção qualificada dos jovens no mundo do trabalho do audiovisual. Benefícios oferecidos •

Orientação para o trabalho articulada com o programa de formação;

Inserção no mundo do trabalho;

Acompanhamento das experiências profissionais.

Resultado: cerca de 70% dos jovens inseridos no mercado de trabalho. 13.d. Núcleo de Cultura e Expressão Objetivo: possibilitar o acesso de jovens a diversas manifestações culturais e estimular a expressividade por meio do audiovisual. Benefícios oferecidos:

90

Saídas culturais;

Biblioteca;

Encontros culturais;

Cine Criar;

Incentivo à programação cultural;

Usina Criar (projetos autorais).


13.e. Núcleo de Ação Social Objetivo: proporcionar aos jovens oportunidades de serem ativos em processos de transformação social, tendo como ferramenta o audiovisual. Benefícios oferecidos •

Oficina de Projeto e Ação Social / Campanha Social;

Prêmio Criando Asas;

Ações com aliados sociais.

Resultado: 150 jovens ao ano capacitados para a promoção de ações sociais transformadoras.

14.

Despesas gerais e administrativas

As despesas gerais e administrativas são gastos incorridos no exercício para manutenção dos núcleos operacionais do Instituto Criar, conforme demonstrado a seguir: Descrição

2015

2014

Despesas com Pessoal

(596,173)

(678,806)

Despesas com serviços de terceiros

(338,247)

(321,054)

Água, luz, gás e telefone

(52,081)

(41,456)

Aluguel e Condominio

(18,622)

(15,934)

Outras despesas

(90,304)

(98,886)

(1,095,427)

(1,156,136)

91


15.

Despesas tributárias

Em 31 de dezembro de 2015 e 2014, a rubrica de despesas tributárias era composta da seguinte forma:

Descrição Contingências fiscais

2014

(37,266)

-

IPTU

(2,351)

(2,205)

IRRF aplicações financeiras

(4,505)

(940)

Taxa de licença

(1,370)

(774)

Contribuição sindical patronal

(1,231)

(1,349)

(37,038)

-

(7)

-

(83,768)

(5,268)

Outros tributos ISS

92

2015


16.

Resultado financeiro líquido

Em 31 de dezembro de 2015 e 2014, o resultado financeiro líquido era composto da seguinte forma:

Descrição

2015

2014

502,178

414,951

(124)

-

502,054

414,951

Receitas financeiras Aplicações financeiras Descontos

Despesas financeiras IOF

(1,734 )

-

Despesas bancárias

(1,732 )

(1,428 )

(750 )

(1,246 )

-

(318 )

(4,216 )

(2,992 )

497,838

411,959

Juros passivos, multas e encargos Outras Despesas Financeiras

Resultado financeiro líquido

93


17.

Partes relacionadas

A Administração do Instituto não efetuou nenhuma transação ou contratou serviços de partes relacionadas. Remuneração da Administração A remuneração do pessoal-chave da Administração, que contempla o Superintendente, totalizou R$ 350.992 (R$ 324.669 em 2014). Conforme parágrafo 2º do artigo 6º do seu Estatuto, os Conselheiros não são remunerados por suas funções e nem recebem vantagens ou benefícios. A Administração do Instituto não possui outros benefícios como pós-emprego, benefícios de rescisão de contrato, pagamento baseado em ações e outros benefícios de longo prazo para o pessoal-chave da Administração.

18.

Benefício fiscal por entidade sem fins lucrativos

O Instituto é isento do recolhimento de Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), de acordo com o artigo 15 da Lei nº 9.532/97. O Instituto não está imune em suas obrigações previdenciárias e não goza de qualquer benefício desta natureza. Suas obrigações trabalhistas, tais como contribuições ao INSS e FGTS, são calculadas sobre os proventos da Folha de Pagamentos, assim como o PIS que é calculado pela aplicação do percentual de 1% sobre os proventos pagos aos funcionários.

94


A partir de julho de 2015 o Instituto passou a recolher a COFINS sobre suas receitas financeiras, reestabelecido pelo Decreto nº 8.426/2015 conforme previsão legal com base na Lei 10.865/2004. Impostos a recuperar

Descrição

2015

2014

Cofins a recuperar

18,982

92,981

Cofins recolhido a maior

84,635

84,635

2,279

2,279

(105,896)

(179,895)

-

-

Outros impostos a recuperar (-) Provisão de Cofins a recuperar

A rubrica “Impostos a recuperar” corresponde aos créditos básicos de COFINS contabilizados de acordo com a Lei nº 10.833, referentes a pagamentos sobre doações em períodos anteriores. De acordo com a posição dos assessores jurídicos, fundamentados no artigo 1º, § 3º, inciso I da Lei nº 10.833, não integram a base de cálculo as receitas das atividades próprias (artigo 14, inciso X, MP 2158-35, IN nº 247 e PN nº 05/92). O ressarcimento dos valores eventualmente pagos ou não creditados está ocorrendo através de procedimentos administrativos conduzidos pela Administração do Instituto, junto à Secretaria da Receita Federal.

95


19.

Eventos subsequentes

Renovação da cobertura de seguro O Instituto mantinha seguro para proteção de seu patrimônio que foi doado pelo ACS Seguros, o que foi efetuado de acordo com as características dos bens, a relevância e o valor de reposição dos ativos, e os riscos a que estejam expostos, observando-se os fundamentos de ordens legal, contratual e técnica. Os montantes foram considerados suficientes pela Administração para a cobertura dos riscos envolvidos. As premissas de riscos adotadas, dada a sua natureza não fizeram parte do escopo de auditoria e, consequentemente, não foram examinadas pelos auditores independentes. Em 1º março de 2016, venceu a apólice de seguro de proteção do patrimônio do Instituto. A Administração do Instituto está tomando as providências contratuais junto a Seguradora para renovação da parceria com o Doador e efetivação da cobertura para o exercício de 2016.

96


97


®

98


Relatório Turma 11 - 2014/2015