Page 1

ÓRGÃO MENSAL DE DIVULGAÇÃO ESPÍRITA PARA TODO O BRASIL • JANEIRO DE 2017 • ANO 4 • Nº 40 • 14.500 EXEMPLARES • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA www.institutocairbarschutel.org – www.associacaochicoxavier.com.br

Educando os filhos com o perfume do amor puro

Foto: http://vinefortmyers.com/wp/wp-content/uploads/2013/07/pai-e-filho.jpg

Educar é transmitir valores do mais completo código de conduta moral. Páginas 3 e 12.

Datas históricas

Treinamento

Novo livro

15 anos

Tanto o mês de janeiro quanto o ano de 2017 reservam datas marcantes para o movimento espírita.

Veja oportunidade de crescimento pessoal e aprimoramento em favor da oratória espírita.

O palestrante e escritor Sidney Fernandes, de Bauru (SP), lança novo livro: “Luzes em Paris”.

Em Socorro (SP), Grupo de Estudos Espíritas Nosso Lar completa 15 anos de fundação.

Página 10

Fechamento autorizado Pode ser aberto pela ECT

Página 7

Página 6

Página 9

Encontro Cairbar Schutel tem nova data em 2017 - veja página 4


PÁGINA 2

Janeiro de 2017

Editorial

Perfil integrador

E

sta publicação, em sua 40ª. edição, surgida de um grupo de amigos anônimos em setembro de 2013 com sua primeira edição – e que posteriormente tornou-se porta-voz oficial do Instituto Cairbar Schutel – tem todas as edições disponíveis virtualmente no site do próprio jornal e que pode ser acessado pelo portal do próprio jornal: www. tribunadoespiritismo.org A publicação possui perfil e finalidade de integração do movimento espírita. Ele não é de Matão, embora seja aqui elaborado, pensado, e daqui expedido. Ele é de caráter nacional e sua finalidade é integrar o movimento espírita. Atingindo todo o país, ele apenas precisa de um detalhe das mãos a quem são entregues os exemplares: fazê-lo chegar a outras mãos para que atinja seu objetivo de informar, integrar, unir. Agradecemos, pois, às valorosas mãos que nos ajudam a viabilizá-lo e especialmente em sua distribuição, pois sem elas não teríamos aqui chegado. Com o novo ano que se inicia, nossos votos e vibrações de paz e harmonia ao leitor, razão maior da existência do Tribuna do Espiritismo, movido pelo ideal espírita. r

No mesmo janeiro de Schutel Datas importantes assinalam o primeiro mês do ano. Redação

institutocairbarschutel@gmail.com

S

chutel retornou à V ida Maior no dia 30 de janeiro de 1938. Sua história é muito conhecida e fartamente disponível por seus variados biógrafos e mesmo no site da editora que fundou. No mesmo mês de janeiro que assinala essa data do grande seareiro, outros fatos assinalam a história do Espiritismo. Foi no mesmo janeiro (no dia 6) e no ano de 1868 que surgiu primeira edição de A Gênese – obra integrante da Codificação Espírita. São tão importantes as datas espíritas relacionados ao mês em referência que temos em mãos um autêntico tesouro de informações para direcionar atividades de pesquisa, estudo e divulgação nas instituições, em favor da formação doutrinária do público espírita. Premiando o leitor, dedicamos a página 10 da presente edição com as principais informações. Confira! O legado de Schutel, por sua vez, em esforços continuados pela divulgação, desde a fundação do jornal e da revista, além dos livros que publicou e mesmo da fundação

de um centro espírita ou do pioneirismo pelo rádio, consolidam-se, todavia, com seus exemplos de humildade e amor ao próximo, aliado à fé ativa e operante. Tanto que solicitou fosse colocado na lápide pós o sepultamento a célebre frase que se imortalizou: “Vivi, vivo e viverei, porque sou imortal”. A convicção plena na imortalidade

da alma alicerçou sua plataforma de trabalho. A data sugere, portanto, esse espalhar do conceito de imortalidade da vida. É exatamente a ausência dessa noção a causa dos disparates morais que estamos vivendo. Esforcemo-nos, pois, na divulgação e vivência de nossa condição de seres imortais. r

Os tempos são chegados Nesse tempo, não se tratará mais de uma mudança parcial, de uma revolução limitada a uma região, a um povo, a uma raça; é um movimento universal que se opera no sentido do progresso moral. Uma nova ordem de coisas tende se estabelecer, e os homens que lhe fazem a maior oposição nela trabalham com o seu desconhecimento; a geração futura, desembaraçada das escórias do velho mundo, e formada por elementos mais depurados, se encontrará animada de ideias e de sentimentos diferentes dos da geração presente, que se vai a passo de gigante. O velho mundo está morto, e viverá na história, como hoje os tempos da Idade Média com os seus costumes bárbaros e as suas crenças supersticiosas. r Item 6, transcrição parcial, capítulo XVIII de A Gênese, lançada em janeiro de 1868


PÁGINA 3

Janeiro de 2017

Educando os Filhos Não podemos ficar apenas nos discursos. Marcus De Mario

marcusdemario@gmail.com

E

ducar é transmitir valores. Para transmitir bons valores os pais devem realizar a autoeducação, exemplificando aquilo que falam e solicitam dos filhos. É por esse motivo que a humanidade conheceu um único verdadeiro Mestre: Jesus, que ensinava e exemplificava ao mesmo tempo. Se os pais querem realmente educar seus filhos no bem, no amor, no respeito, na tolerância, em uma palavra, nas virtudes, não podem ficar apenas no discurso. Vigoroso exemplo Um belo exemplo dessa verdadeira educação nos é dado pelo Espírito André Luiz no capítulo 16 da obra Obreiros da Vida Eterna, psicografada por Chico Xavier. Nela encontramos o diálogo do personagem Fábio com seus filhos, na realização do último Culto do Evangelho em família, pois Fábio, muito doente, viria em seguida a desencarnar. Fábio era espírita e médium, procurando em toda sua vida colocar em prática os ensinamentos do Espiritismo, preocupando-se em espiritualizar igualmente esposa e filhos. Logo após a prece, e comentando a palavra do apóstolo Paulo, quando este diz “Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual. Há corpo animal, e há corpo espiritual”, conforme se lê em sua primeira epístola aos Coríntios, Fábio esclarece com resignação: “Algo me diz ao coração que esta será talvez a última noite em que me reunirei com vocês, neste corpo... Nos momentos em que o sono me abençoa, sinto-me nas vésperas da

grande liberdade... Vejo que amigos de tê-los preparado para a verdade iluminados me preparam o coração e da vida imortal, da realidade do estou certo de que partirei na primei- espírito, do corpo perispiritual. ra oportunidade. Acredito que todas Preparo esse feito não apenas por as providências já foram levadas a palavras, mas pelo exemplo cristão efeito, em benefício de nossa tranqui- dado ao longo dos anos, traduzindo lidade, nestes minutos de separação. em atos os estudos e as vivências Em verdade, não lhes deixo dinheiro, hauridos no Espiritismo. mas conforta-me a certeza de que Se os pais trabalhassem a educonstruímos o lar espiritual de nos- cação dos filhos na formação sa união sublime, do caráter, na ponto indelével de transmissão de Se os pais referência à felici- trabalhassem a educação valores, preodade imorredoura”. cupando-se em Somente um dos filhos na formação do que os filhos pai consciente caráter, na transmissão de a d q u i r i s s e m dos deveres cumbons hábitos, valores, preocupando-se pridos, que não nossa socieem que os filhos guardou somente d ad e e s t a r i a para si as lições adquirissem bons hábitos, transformada da Doutrina Espara melhor pírita, pode ter nossa sociedade estaria há muito temessa fala, sabe- transformada para melhor po, entretanto, dor que esposa muitos pais e há muito tempo (...). e também filhos, re s p on s á ve i s mesmo pequenos, estão prepara- deixam-se levar pelo egoísmo, dos para encarar a morte como pelo orgulho e pelo materialismo, uma breve separação, pois todos ou por uma culposa fraqueza de estão convictos de que a vida caráter, exigindo bons comporcontinua sempre. Após dirigir-se tamentos dos filhos, mas sem à esposa com palavras de afeto e corresponderem aos mesmos com encorajamento, Fábio voltou-se bons exemplos. aos filhos, trazendo esta expressiva fala: Evangelho no lar “A palavra apostólica no EvanChama-nos igualmente a gelho conforta-nos e esclarece-nos, atenção o fato do Culto do Evancomo se faz indispensável. Em breve gelho ser uma prática familiar cotempo, reunir-me-ei aos nossos na tidiana, incorporada aos hábitos vida maior. Perderei meu corpo semanais do grupo doméstico, animal, mas conquistarei a ressur- fazendo com que o lar reflita reição no corpo espiritual, a fim de as lições imorredouras da Boa esperá-los, alegremente”. Nova. Essa prática faz parte do Que belas palavras, de quem processo educacional a que todos possui a fé e a crença, podendo falar temos que estar sujeitos durante a claramente aos filhos pelo motivo encarnação, e a participação dos

filhos é imprescindível, pois são Espíritos ainda na fase infantil, quando se colocam mais maleáveis às boas influências. Muitos pais alegam não exigir a participação dos filhos porque ainda são crianças, não têm capacidade para entender as lições do Evangelho. Isso é um equívoco de consequências desastrosas para o ser e para a sociedade. As lições devem ser adequadas ao entendimento infantil, e para isso os pais podem utilizar o farto material oferecido pela literatura infantil espírita, preparando os corações para a prática do bem e do amor, sensibilizando-os para as lições imorredouras de Jesus. Conclusão Se é fato que muitos filhos apresentam ainda a rebeldia diante das leis divinas, também é fato que outros filhos apresentam a docilidade do Espírito que já compreendeu a Boa Nova. Para uns e outros a educação deve priorizar o desenvolvimento do senso moral, a sensibilização dos sentimentos, o despertar da consciência para as lições do Mestre dos Mestres, pois Jesus é o nosso modelo e guia. E se assim é, compete aos pais o mesmo esforço educativo para si mesmos, no cumprimento de sua sagrada missão, da qual prestarão contas no retorno ao mundo espiritual. Eduquemos nossos filhos com Jesus, para que seus corações abriguem para todo o sempre o sagrado roteiro de vida sintetizado na lição de Jesus: “faça ao outro somente o que queira que o outro lhe faça”. r


Janeiro de 2017

PÁGINA 4

Os talentos espirituais Como entender a diversidade? Joaquim Bueno Neto

escovajb@yahoo.com.br

D

os três Evangelhos Sinóticos, o texto de Mateus é o que possui mais citações judaicas. Desejando demonstrar, aos israelitas, que Jesus é o Messias anunciado, numa interessante alusão aos cinco livros sagrados do Judaísmo – a Torá, apresenta cinco discursos de Jesus. O último deles, o Sermão Profético, faz referências à destruição do Templo de Jerusalém, às tribulações que os cristãos sofreriam e ao julgamento das nações pelo “Filho do Homem”, todos, evidentemente, numa linguagem bastante simbólica e impressionista. Possui, ainda, quatro parábolas, cujo objetivo é a exortação à vigilância e à fidelidade às leis divinas. Exploraremos, aqui, a última delas: a Parábola dos Talentos. Segundo o texto mateano (25:14-30), um nobre senhor, ao partir para um lugar distante, remunerou seus servos, esperando que lucrassem em sua ausência. Três servos são remunerados com

cinco, dois e um Talento (quantia injusta: baseia-se na capacidade monetária equivalente a seis mil de cada um, adquirida antes da denários, moeda de prata romana presente encarnação, em outras que remunerava um dia de traba- jornadas evolutivas”1. lho no campo), respectivamente. Na esteira deste raciocínio, O discurso do Mestre dá, a esta comenta o venerando Cairbar r e m u n e r a ç ã o, S c hutel 2 que, Nestes tempos de um enfoque esse Deus reparte pecífico: os dons transição planetária em seus dons, dando espirituais que mais a uns que a que vivemos, urge Deus distribui a outros, é porque cada um de seus reconhecer a grandeza do leva em conta a filhos. Chama a capacidade de talento de que dispomos atenção o versícada um em adculo 15, em que na presente reencarnação, ministrá-los. A o senhor remu- verdadeiro presente da uns dá dinheiro, nera cada um a outros, sabeEspiritualidade Superior: “segundo a sua doria, a outros, própria capaci- o conhecimento espírita dons espirituais, dade”. e, finalmente, a (...) que nos permite Con quant o outros, concepossa parecer andar de olhos abertos, de todas essas injusta a distri- com passos menos dádivas reunibuição desigual, das. Não existe, lembra o sau- vacilantes (...). desta maneira, doso Rodolfo Calligaris que “ao privilégios ou exclusões. É preciso contrário do que possa parecer, reconhecer que não existe um só nada tem de arbitrária nem de indivíduo no mundo que não seja depositário de um talento divino. Ainda mesmo aqueles que se julgam miseráveis e mendigam a caridade pública, trazem aptidões

ocultas na alma. Basta que sejam criadas circunstâncias propícias, para que percebam não serem tão desgraçados como se julgam. Nestes tempos de transição planetária em que vivemos, urge reconhecer a grandeza do talento de que dispomos na presente reencarnação, verdadeiro presente da Espiritualidade Superior: o conhecimento espírita. Conhecimento que nos permite andar de olhos abertos, com passos menos vacilantes, nos capacitando, pela vivência dos seus preceitos, multiplicar os talentos de que somos depositários. Portanto, prezada(o) amiga(o), se você é um bom pai, uma boa mãe, um cidadão de bem que ama profundamente o que faz e se dispõe a servir voluntariamente, você está no caminho do servo bom e fiel. Caso contrário, aperte o passo, ainda existe tempo de “lucrar” os talentos espirituais. r 1. CALLIGARIS, Rodolfo. Parábolas evangélicas. 9. Ed. RJ: FEB, 2006. Item: Parábola dos talentos, p.55. 2. SCHUTEL, Cairbar. Parábolas e ensinos de Jesus. 18. Ed. Matão: Casa Ed. “O Clarim”, 2002. Cap. Parábolas dos Talentos e das Minas, p.85.


PÁGINA 5

Janeiro de 2017

Cristianismo & Espiritismo O Espiritismo revela ao homem a natureza da Alma e o seu destino Rogério Coelho

Rcoelho47@yahoo.com.br

N

ão fosse o advento do Espiritismo, que é o “Consolador” prometido por Jesus, o Cristianismo estaria hoje sepultado sob a ganga dos estranhos e absurdos dogmas de que o cumularam a ignorância, a insensatez e os interesses subalternos dos homens... À luz da Doutrina Espírita, o verdadeiro sentido das palavras de Jesus vem à tona e impossível se torna deturpá-las. A missão de Jesus não era resgatar com o Seu sangue os crimes da humanidade. O sangue, mesmo de um Deus, não seria capaz de resgatar ninguém. Cada qual deve resgatar-se a si mesmo, resgatar-se da ignorância e do mal. Nada de exterior a nós poderia fazê-lo. Das Esferas de Luz, onde tudo é serenidade, desceu o Cristo às nossas obscuras e tormentosas regiões, para mostrar-nos o caminho que conduz a Deus: tal o Seu sacrifício!

A efusão de amor em que envolve os homens, Sua identificação com eles, nas alegrias como nos sofrimentos, constituem a redenção que nos oferece e que somos livres de aceitar. Ninguém - antes - soube, como Ele, ensinar a amar as virtudes modestas e escondidas... Nisso reside o poder, a grandeza moral do Evangelho, o elemento vital do Cristianismo. Ele veio livrar-nos das fantasiosas concepções de Céu e Inferno que aterrorizavam nossos avoengos. Se repararmos em torno de nós, veremos que por toda parte, na Terra, a dor nos espreita... Não é necessário sair deste mundo para encontrar sofrimentos proporcionais a todas as faltas, condições expiatórias para todos os culpados. Por que buscar o inferno em regiões quiméricas? O inferno está em nós mesmos ou em torno de nós.

Qual o verdadeiro sentido da palavra “inferno”? Etimologicamente significa: lugar inferior. Ora, a Terra é um dos mundos inferiores do Universo. O destino do homem aqui é muitas vezes cruel; muito grande a soma de seus males, para que devam tornar sombrias as perspectivas do futuro. Semelhantes ideias são um ultraje lançado a Deus. Não pode haver sofrimentos eternos, mas unicamente sofrimentos temporários, apropriados às necessidades da lei de evolução e progresso, e nesse passo, o princípio das reencarnações sucessivas é mais equitativo que a noção do inferno eterno; torna efetiva a justiça e a harmonia do Universo. Sob o aguilhão da dor, sob o látego da necessidade, o homem caminha, avança, eleva-se e, de existência em existência, de progresso em progresso, chega a im-

primir ao mundo o cunho do seu domínio e inteligência. A marcha da humanidade se efetuará em demanda aos cimos elevados. O espírito moderno se libertará, cada vez mais, dos preconceitos do passado. A vida perderá o aspecto cruel dos séculos ferrenhos, para tornar-se o campo fecundo e pacífico, no qual o homem trabalhará no desenvolvimento de suas faculdades e qualidades morais. O Espiritismo revela ao homem a natureza da Alma e o seu destino. O pesadelo da condenação eterna esvanecer-se-á; as potências do inferno se dissiparão para sempre; o reino de Satanás terá findado; a Alma emancipada dos seus terrores conhecerá a verdade e esta a tornará livre. r Nota do autor: Este artigo está baseado em DENIS, Léon. Cristianismo e Espiritismo. 7.ed.Rio [de Janeiro]: FEB, 1978, cap. VII.


Janeiro de 2017

PÁGINA 6

LANÇAMENTO


PÁGINA 7

Janeiro de 2017

Treinamento para Palestrantes e Coordenadores Espíritas Evento adentra a capacitação individual para a própria vida Roosevelt Tiago

R

ealizaremos um Treinamento Profissional para Comunicadores, sejam Palestrantes, Coordenadores de Cursos ou qualquer outra pessoa que esteja à frente das Atividades Espíritas, ou tenha a necessidade de falar em público, seja em sua vida pessoal ou profissional. No entanto, muitos nos perguntam: – Por que esse treinamento não pode ser realizado nos Centros Espíritas ao invés de um hotel, diminuindo os custos? E a resposta é de fácil compreensão, onde as principais são: 1. Os eventos nas Instituições são, geralmente, marcados pelo amadorismo, as pessoas vão chegando depois do trabalho iniciado e muitos saem antes de concluir... Sem falar nos Dirigentes que, muitas vezes, ficam andando de um lado para outro, não participam de nada e depois aparecem no final, dizendo que adoraram o trabalho...

roosevelt@solidumeditora.com.br

2. O participante está preocupado com o horário de término e com as atividades particulares, que serão realizadas após o curso, dividindo sua atenção e causando ansiedade. O aprimoramento constante dos palestrantes Espíritas, está na base da Doutrina, assinalado pela Lei do Progresso e em O Evangelho Segundo o Espiritismo em “A fé Transporta Montanhas” no item 9, onde lemos: “A figueira que secou é o símbolo dos que apenas aparentam propensão para o bem, mas que, em realidade, nada de bom produzem; dos oradores que mais brilho têm do que solidez, cujas palavras trazem superficial verniz, de sorte que agradam aos ouvidos, sem que, entretanto, revelem, quando perscrutadas, algo de substancial para os corações”. A capacitação dos palestrantes Espíritas, dessa forma, deve ser constante e não um fato isolado ocorrido em alguma época de sua vida como expositor. Informações: www.solidumtreinamentos.com.br


Janeiro de 2017

Um dia especial de interação Evento reúne pais, filhos e evangelizadores. Alessandra Cintra cintraale@yahoo.com.br

C

omo também ocorreu anteriormente, a Comunidade Espírita Cairbar Schutel, de Matão (SP), encerrou as atividades da Evangelização Espírita em 2016, com a 3ª. edição da Feira Infanto-juvenil. Foi escolhido o tema Família. Todas as turmas, desde os bebês, desenvolveram o tema. A feira é uma possibilidade dos pais verem os filhos expondo o tema que foi anteriormente trabalhado em sala, e, mais uma vez,

as crianças e os jovens deram um show, mostraram dedicação, disciplina e conhecimento do assunto. Durante o evento as crianças expressaram a sua alegria por estar ali e poder mostrar ao público o que aprenderam. Do outro lado vimos pais orgulhos, sorridentes e felizes por proporcionarem aos filhos a oportunidade de conhecerem Deus, Jesus e a Doutrina Espírita. Qual não é o objetivo maior da evangelização que o de encami-

nhar crianças e jovens para bem? De se tornarem homens de bem? E quando esse trabalho é realizado juntamente com a família, em um dia especial para tal, o resultado é infinitamente maior, pois o comprometimento e a interação entre trabalhadores, pais e filhos aumentam. Muitas vezes a evangelização é no mesmo dia da palestra, como acontecia em nosso centro, e o que observávamos era falta de envolvimento da família,

PÁGINA 8 a qual muitas vezes não conhecia bem o trabalho dos evangelizadores. Atualmente temos um dia específico para evangelização infantojuvenil e reunião de estudos com os pais, o que promoveu um amadurecimento de todos, pois a família vai ao centro junto com o mesmo objetivo. A quantidade de evangelizandos hoje é muito maior do que antes, não que seja importante e devemos nos preocupar com números, mas apenas para observarmos os resultados. Fica aqui o registro da nossa alegria para que possa de alguma forma contagiar o leitor para que acredite na evangelização como uma sementinha que é plantada no espírito imortal e que, com certeza, a seu tempo, germinará! r


PÁGINA 9

Janeiro de 2017

Há 15 anos em Socorro (SP) Instituição caracteriza-se pela seriedade. Orson Peter Carrara

orsonpeter92@gmail.com

H

á muitos anos profiro palestras na estância turística de Socorro (SP), vizinha de outras cidades como Serra Negra, Pedreira, Amparo, Itapira, entre outras, onde mantemos saudáveis laços de relacionamento na divulgação espírita, que extrapolam a atividade espírita propriamente dita, dilatando-se em amizades sólidas. É o caso de Lúcia Mian,

dirigente e palestrante espírita naquela cidade, coordenadora de fecundo grupo espírita. A instituição, o GRUPO DE ESTUDOS ESPIRITAS NOSSO LAR, foi fundada em 30 de janeiro de 2002, alcançando, pois, neste janeiro de 2017, seus 15 anos de funcionamento ininterrupto. Com intensa atividade semanal, o grupo apresenta perfil de fide-

Culminando a comemoração Data: 26 de janeiro de 2017, quinta-feira, 20h Local: SOCIEDADE ITALIANA Rua Mal. Floriano, 90 – Centro, em Socorro (SP) Palestrante: Artur Valadares, de São Carlos (SP) Tema: Despertar Informações: (19) 99120-1266com Lúcia

lidade doutrinária, com destaque para os estudos e prática mediúnica embasada nos princípios da seriedade e da responsabilidade, como preconiza a orientação espírita. Um grupo de amigos, firmados pelo ideal espírita, juntaram-se para fazer da instituição um foco de estudos doutrinários que ofereça segurança e diretriz para os que chegam à casa encontrem a lúcida presença espírita que liberta de vícios e condicionamentos que tanto ainda infelicitam o ser humano. Desse ideal estabelecido, a instituição tem oferecido oportunidade para todos os que sejam servidores do ideal de servir e trabalhar para

o bem, oferecendo, contudo, a instrução sólida do Espiritismo. A consciência que prevalece muito clara para seus integrantes é a de que o alcance pleno desse ideal requer dedicação, estudo doutrinário firme em Kardec, e o que mais a espiritualidade nos orienta para o êxito das tarefas: disciplina e amor, respeito pela dor do próximo. Durante todo o ano de 2016 vários palestrantes, solicitados pelo público, visitaram a instituição, culminando com a presença de Allan Vilches em dezembro e Artur Valadares em janeiro de 2017, completando o ciclo de comemorações pelos 15 anos de intensa atividade. r


PÁGINA 10

Janeiro de 2017

Um mês pródigo na história do Espiritismo Datas sugerem eventos, estudos, pesquisas. Redação

J

aneiro reserva datas expressivas para o Espiritismo, que valem o conhecimento e também o incentivo ao estudo de obras e personagens marcantes da história da Doutrina. 01 de janeiro Em 1846, nasce o filósofo da Doutrina Espírita, Leon Denis, autor de vários livros doutrinários Em 1858, surge o primeiro número da Revista Espírita, fundada por Allan Kardec. 02 de janeiro Em 1884, é eleita a primeira diretoria da Federação Espírita Brasileira (FEB), tendo sido eleito como Presidente o major Francisco Raimundo Ewerton Quadros. Em 1984, é instalada em Brasília (DF), a sede central da FEB.

institutocairbarschutel@gmail.com

03 de janeiro Em 1412, nasce na França Joanna D`Arc, médium em que os fenômenos da clariaudiência chegam ao ápice. 04 de janeiro Em 1903, ocorre a desencarnação do cientista ligado ao Espiritismo, Alexandre Aksakof. 06 de janeiro Em 1868, surge nas livrarias a primeira edição de A Gênese, de Allan Kardec. 08 de janeiro Em 1958, é fundado no Rio de Janeiro-RJ, o Lar Fabiano de Cristo, por Jayme Rolemberg e Carlos Pastorino. 09 de janeiro Em 1862, nasce em Gênova, Itália, o grande pesquisador e cien-

Destaques de 2017 na história do Espiritismo 190 anos 02 de maio, em 1827 – Nasce Pierre Gaétan Leymarie, grande colaborador de Kardec.

05 de maio, em 1927 – Nascimento do médium Divaldo P. Franco, em Feira de Santana, Bahia.

160 anos 23 de março, em 1857 – nasce Gabriel Dellane, exponencial escritor e estudioso espírita. 18 de abril, em 1857 – é publicada a 1ª. edição de O Livro dos Espíritos.

70 anos 05 de junho, em 1947 – Fundação da USE – União das Soc. Espíritas do Est. SP. 07 de setembro, em 1947 – Fundação do C.E. Caminho da Redenção, por Divaldo Franco.

90 anos 12 de abril, em 1927 – Desencarnação de Leon Denis, o grande estudioso e filósofo espírita.

60 anos 22 de agosto, em 1957 – Desencarnação de Leopoldo Machado, grande escritor e educador espírita.

tista Ernesto Bozzano, pesquisador dos fenômenos espíritas. 10 de janeiro Em 1969, ocorre a desencarnação de Zilda Gama, médium psicógrafa, tendo produzido vários romances mediúnicos ditados pelo Espírito Victor Hugo. 11 de janeiro Em 1971, ocorre a desencarnação do médium Zé Arigó, vítima de acidente automobilístico. 15 de janeiro Em 1861, aparece a primeira edição de O Livro dos Médiuns, de Allan Kardec. Em 1875, surge no Brasil a primeira tradução para o português de O Livro dos Espíritos. 17 de janeiro Em 1875, nasce no Maranhão, Luis Olímpio Guillon Ribeiro, tradutor das obras de Kardec e Presidente da FEB. 18 de janeiro Em 1969, desencarnação de Ismael Gomes Braga, escritor e pa-

lestrante espírita, além de dedicado esperantista. 20 de janeiro Em 1919, desencarnação da professora Anália Franco, trabalhadora incansável da caridade, tendo fundado diversas instituições para abrigo de necessitados. 21 de janeiro Em 1883 fundada por Augusto Elias da Silva a revista REFORMADOR, órgão de divulgação da FEB. Em 1883, desencarnação de Amélie Gabrielle Boudet, esposa de Allan Kardec, aos 87 anos 22 de janeiro Em 1909, desencarnação de Antonio Gonçalves Batuíra, dedicado seareiro espírita, que atuou na capital paulista. 23 de janeiro Em 1906, nascimento de Deolindo Amorim, talentoso escritor e palestrante espírita. 30 de janeiro Em 1938 desencarnação de Cairbar Schutel, chamado O Bandeirante do Espiritismo, em Matão-SP. 31 de janeiro Em 1907, Eurípides Barsanulfo funda o Colégio Allan Kardec, em Sacramento (MG). Foi pioneiro na implantação de escolas espíritas pelo país. r


PÁGINA 11

Janeiro de 2017

O espírita e o Centro Espírita Precisamos dos templos espíritas? Raymundo Rodrigues Espelho espelho@myhands.com.br

C

riados à imagem e semelhança de Deus, que é espírito, temos natureza espiritual e, portanto, o “reino dos céus” está dentro de nós, como afirmou Jesus, e podemos adorar ao nosso Criador e prestar- lhe culto

do seu tempo e de seu povo. Era independente, sim, mas responsável e participante. Nosso relacionamento com o

a força. Em grupo, a ação espiritual fortalece nossos propósitos, alcança efeitos mais intensos e gerais e rompe bloqueios mentais ou fluídicos.

mundo espiritual pode ser individual, pessoal e direto, sem intermediários. Mas o faremos sempre segregados, em isolamento total e constante? Não, e quisermos resultados maiores e melhores. A união faz

E há multidões procurando o centro, buscando contato com o plano espiritual. Precisam de amparo, conforto, esclarecimento, alívio, vivência idealista, espiritualizada, cristã.

A união faz a força. Em grupo, a ação espiritual fortalece nossos propósitos, alcança efeitos mais intensos e gerais e rompe bloqueios mentais ou fluídicos. em qualquer momento e lugar sem precisarmos de intermediários. Talvez alguém pense então: Para que templos? Não preciso deles, nada tenho com eles, não preciso frequentá-los nem participar de movimento religioso algum. Pensar assim é não entender a atitude de Jesus, ante a religião

Palestra de Raul Teixeira Raul Teixeira - Missão Nossa Como Espírita ou Pessoa. Qual Nossa Missão? Veja e ouça a magnífica palestra de Raul Teixeira, disponível no portal Youtube, com a temática envolvendo o espírita, como adepto espírita e como pessoa humana. Acesse com o próprio título acima no portal www.google.com.br ou pelo celular clicando no código QR.

Quem atenderá a essas multidões? Como ignorar ou abandonar esses nossos semelhantes que carecem do pão da verdade e do amor? Queremos agradar a Deus sendo egoístas? Cumprir-lhe a vontade à distância do próximo? Não aprendemos no Espiritismo sobre a Lei da Sociedade? Quando sós, podemos cultuar a Deus em qualquer momento, mas, se vamos cultuar em grupo, organização da vida vai exigir horários e datas em que nos reunamos para as atividades. Adoremos a Deus em espírito e em Verdade. Edifiquemos em nossa alma em um templo. Cumpramos em tudo e sempre a vontade de nosso Pai Criador, amando-o, acima de todas as coisas, e ao próximo, como a nós mesmos onde, quando, e com quem estivermos. E façamos do Centro Espírita uma casa de fé e de ação benéfica, o templo da verdade e o santuário do amor! r

Jornada de Felipe Salomão (de Franca-SP) pela região 20 de janeiro, sexta, 20h = Paschoal Grossi, Araraquara 21 de janeiro, sábado, 15h = O Consolador, Araraquara 21 de janeiro, sábado, 20h – C. E. Cairbar Schutel, Matão 22 de janeiro, domingo, 09h – C.E. Nosso Lar, Matão


REMETENTE:

PÁGINA 12

Instituto Cairbar Schutel. Janeiro de 2017

Caixa postal 2013

15997-970 - Matão-SP

O perfume do amor puro Ele trouxe o mais completo código de conduta moral. Cláudio Bueno da Silva

klardec1857@yahoo.com.br

M

irar-se nos exemplos do Cristo é muito saudável. Ele é o maior de todos, e qualquer pensamento, palavra ou ação que nos faça aproximar do seu vulto imenso é altamente proveitoso para nós. Compararmo-nos ao Cristo não é uma afronta, uma heresia de nossa parte, mas uma forma de tentarmos enxergar a enorme distância moral que há entre ele e nós, colhendo desta constatação estímulos para o nosso progresso. Sim, porque embora ele esteja diariamente perto de nós nos templos de pedra, cultuado nas

imagens e nos livros, seus ensinos ainda estão bem longe do nosso coração. Contudo, ele próprio disse à humanidade: “Em verdade, em verdade eu vos digo: quem crê em mim fará as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas” ( João 14:12), numa referência clara a evolução contínua do Espírito imortal através das reencarnações. Isso nos dá forças para continuar e nos enche de esperança quanto ao futuro. Tendo vivido a mais rica das histórias no mundo, aceitou o sofrimento e sua morte precoce e hedionda é apenas um detalhe se avaliarmos o conteúdo da sua

ACESSE PARA MAIS INFORMAÇÕES www.usebarretos.wixsite.com/conrespi

missão, que redundou no mais completo código de conduta moral já posto sob as vistas humanas: o Evangelho. Embora vilipendiado pelas sujas mãos dos homens, esse código continuará recendendo através dos tempos o perfume do amor puro que o Cristo viveu na Terra.

Transcorram séculos, mas a humanidade inteira, aqui ou alhures, se curvará humilde qual Saulo de Tarso suplicando: “Senhor, que queres que eu faça?”1 r 1. Atos dos apóstolos, 22:10. Também em Paulo e Estêvão, “Breve notícia”, FEB, com adaptação livre de Emmanuel da expressão “Senhor, que farei?”.

Tribuna do Espiritismo - janeiro de 2017  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you