Page 1

ÓRGÃO MENSAL DE DIVULGAÇÃO ESPÍRITA PARA TODO O BRASIL • MARÇO DE 2017 • ANO 4 • Nº 42 • 15.000 EXEMPLARES • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA www.institutocairbarschutel.org – www.associacaochicoxavier.com.br

Solução está na criança!

Foto: http://familiesforchildren.org.uk/wp-content/uploads/2014/11/adoption-the-children-high-res.jpg

Tarefa é urgente e inadiável – veja página 5

Pedimos a você: a) Distribua de mão em mão b) Estimule o leitor para o conteúdo c) Não deixar acumular jornais

E os jornais? Avaré aguarda você! Veja oportuna Página 9

reflexão na página 5. Acesse também pelo celular

Pais, educadores e cidadãos

Observe atentamente as páginas 4, 8 e 11

Reflexão de Marcus de Mario, educador radicado no Rio de Janeiro (RJ) e palestrante escalado para o EAC 2017, chama atenção pela lucidez e oportunidade do grave assunto para o qual todos somos chamados.

Entre eventos importantes, reflexões de profundidade, além de orientação para planejamento de eventos, páginas trazem conteúdo que despertam interesse e motivam a participação. Não deixe de ver.

Página 3

Fechamento autorizado Pode ser aberto pela ECT

Páginas 4, 8 e 11

Veja novo livro de Chico Xavier – página 7


PÁGINA 2

Março de 2017

Editorial

E

160 anos

m abril próximo alcançamos 160 anos de publicação de O Livro dos Espíritos, marco inicial do trabalho de Kardec, que nos legou a riqueza do conhecimento espírita. A data de 18 de abril de 1857 sugere para os espíritas a realização de palestras, estudos, seminários e eventos que relembrem a data e destaquem a importância da obra para o exato conhecimento do Espiritismo em seus fundamentos. Em março igualmente recorda-se a data da desencarnação do Codificador, ocorrida em 31 de março de 1848, ensejando estudos e pesquisas sobre a vida de Allan Kardec. A presente edição destaca matérias importantes, para as quais convidamos o leitor. E não deixamos de solicitar continuamente o apoio na distribuição do jornal para que não fique esquecido ou amarelado nas prateleiras e armários. Seu destino é circular entre olhos atentos e pesquisadores no papel principal de divulgar o Espiritismo e estimular seu estudo. Afinal isso significa lucidez para caminhar com segurança. r

Todos em março Mês também é propício para recordar outros vultos espíritas. Redação

institutocairbarschutel@gmail.com

D

a mesma forma que a família espírita recorda que o 31 de março é a data da desencarnação de Kardec (em 1869), o mês também assinala a desencarnação de outros (nem todos aqui citados) importantes vultos da história do Espiritismo no planeta. Yvonne Pereira, a notável escritora e médium que atuou no Rio de Janeiro (em 1984, no dia 9), Herculano Pires, o grande pensador espírita que nasceu em Avaré e já tem agora seu encontro anual naquela cidade (em 1979, no dia 9), Luiz Olímpio Teles de Menezes, pioneiro do Espiritismo no Brasil (em 1893, no dia 16), Watson Campelo, praticamente o continuador da obra de Schutel em Matão (no dia 19, em 1963). Todos eles retornaram em março. Mas o mês de março também assinala um nascimento importante: Gabriel Delanne (dia 23, em 1857), autor clássico da literatura espírita, de fundamental importância nos estudos doutrinários. A recordação e destaques dessas datas e personagens convida ao estudo e pesquisa espírita, ampliando os horizontes de entendimento. r

Oradores do EAC 2017

O EAC – Encontro Anual Cairbar Schutel, em sua 7ª edição, a de 2017, já deu importantes passos na definição do programa e na logística que envolverá o evento, com características totalmente diferentes da edição anterior. Sugerimos sempre acompanhar pelo site do Instituto Cairbar Schutel e pelas postagens no face as notícias que gradativamente serão colocadas para situar as informações do magno evento de Matão.

Para entusiasmar-se ainda mais, procure pesquisar no youtube as falas marcantes de Sandra Borba e Marcus de Mário, que são os oradores do evento. Ambos são referência nacional na área da educação, tema central do evento. Muitas surpresas novamente estão reservadas aos participantes e desde já estimulamos o leitor a se inteirar, pesquisar para adequar-se na própria agenda reservando a data para estar conosco em Matão no primeiro final de semana de setembro: 2 e 3 de setembro.


PÁGINA 3

Março de 2017

que chega na posição de filho, e a escola é segunda instituição, da creche à universidade, que recebe, ampara e orienta o espírito que se coloca na posição de aluno. Mas não pode haver uma linha demarcatória de onde vai uma e começa a outra no processo educativo. Devem sempre interagir. Outras instituições sociais exercem igualmente influência na educação do espírito imortal pre-

685a de O Livro dos Espíritos: “Há um elemento que não se ponderou bastante, e sem o qual a ciência econômica não passa de teoria: a educação. Não a educação intelectual, mas a moral, e nem ainda a educação moral pelos livros, mas a que consiste na arte de formar os caracteres, aquela que cria os hábitos (...). Quando se pensa na massa de indivíduos diariamente lançados na corrente da população, sem princípios, sem freios, entregues aos próprios instintos, deve-se admirar das consequências desastrosas desse fato? Quando essa arte for conhecida, compreendida e praticada, o homem seguirá no mundo os hábitos de ordem e previdência para si mesmo e para as seus, de respeito pelo que é respeitável, hábitos que lhe permitirão atravessar de maneira menos penosa os maus dias inevitáveis.

essa tarefa da educação moral para esta e aquela instituição social, estamos vivendo momentos difíceis, em que o egoísmo e o materialismo têm propiciado espetáculos deprimentes e gerado tanta dor e sofrimento. Não temos dúvida da importância da família, do lar, como primeira “escola” do espírito que renasce, e do papel fundamental dos pais e responsáveis na educação dos filhos, mas também entendemos que a escola e os professores não existem apenas para instruir, para passar conteúdos, para preparar para provas, testes e vestibulares. A escola é instituição educacional, e o professor deve cumprir o papel de educador. Teremos dias vindouros bastante promissores quando família e escola

sentemente reencarnado. Entre elas estão as instituições públicas, políticas e religiosas, as mídias sociais, as chamadas ONGs, e assim por diante, num amálgama social intenso e influente, portanto igualmente participantes desse processo. Mas o Espiritismo desdobra uma educação diferenciada, ou seja, a educação moral, como muito bem situada por Kardec no comentário à questão

A desordem e a imprevidência são duas chagas que somente uma educação bem compreendida pode curar. Nisso está o ponto de partida, o elemento real do bem estar, a garantia da segurança de todos”. A educação moral não pode ser tarefa exclusiva ou da família ou da escola. Nem pode ser delegada a uma instituição religiosa, como o Centro Espírita. É tarefa de todos. Por estarmos há muito tempo empurrando

se derem as mãos na tarefa divina de educar os espíritos que reencarnam, esperançosos de serem amados, orientados, de terem suas más tendências corrigidas, e suas virtudes potencializadas, assim podendo, todos, construir um mundo melhor, tão sonhado e esperado. Que a educação moral, nas luzes da imortalidade da alma e da reencarnação, possa estar presente tanto na família quanto na escola. r

De mãos dadas A quem cabe a tarefa? Marcus De Mario

marcusdemario@gmail.com

A

final, a quem pertence a tarefa de educar? À família ou à escola? Essa é uma discussão que não possui um senso comum. Será que o Espiritismo pode elucidar essa questão: a quem compete a tarefa de educação das novas gerações? Iniciemos por um enunciado muito importante: toda criança é um espírito reencarnado. É, portanto, gente, é uma pessoa, é um ser humano que pensa e sente. E mais: traz em si uma bagagem de aprendizados e experiências cognitivas-emocionais desenvolvidas em vidas passadas. E ainda mais: carrega consigo um planejamento reencarnatório para a atual existência. Não é uma página, ou um livro, em branco. Qual o objetivo de estar de volta à existência terrena? Dar continuidade ao seu desenvolvimento intelectual e emocional rumo à perfeição a qual é destinado por Deus, e para isso deve receber o concurso, o auxílio, dos adultos encarregados de sua criação, de sua educação, de sua estada aqui em nosso planeta, sejam pais, professores responsáveis ou simplesmente adultos. Na visão espírita a tarefa de educar as novas gerações pertence tanto à família quanto à escola, que devem se dar as mãos no mesmo ideal, para que o espírito reencarnado possa ser auxiliado no aprendizado e na vivência do amor ao próximo, podendo desenvolver suas virtudes e direcionar sua inteligência para o bem. Uma educação que não deve ser jogada a responsabilidade para esta ou aquela instituição, mas sim ser prodigalizada por ambas, em conjunto, pois a família é a primeira a receber, amparar e orientar o espírito


Março de 2017

A grandeza das migalhas Processo é lento e sempre por etapas Fernando Peron

Projeto Saber e Mudar - http://www.saberemudar.com.br/

T

odos os segmentos da Ciência, desde a Química e a Biologia até a Geologia e a Astronomia, atestam quão lento e diligente é o trabalho da Natureza, em todos os seus processos. E sabemos que em nossa evolução espiritual o mesmo se dá. Sabemos, mas nem sempre conseguimos, pelo raciocínio e pela consciência, abarcar toda a profundidade da questão, talvez por falta de reflexão adequada. Os que atingem este entendimento supremo, tornam-se altamente tolerantes para com a vida e com o próximo: são os sábios, aqueles espíritos tão mais evoluídos que servem de exemplo a nós, que ainda levamos tombos espetaculares na ignorância.

Tudo ocorre por etapas e não podemos burlar a sequência natural do aprendizado, pois isto é lógico, justo e está contido nos Estatutos das Leis Universais – os mesmos que regem a Química, a Biologia, a Geologia e a Astronomia, aos poucos desvendados pela inteligência humana. É necessário que valorizemos, portanto, cada ação menor que possa promover nossa iluminação interior. A gentileza na via pública,

por exemplo, não é mera formalidade, mas um investimento digno de autoeducação. Esta conquista primária nos exercita para a paciência no ambiente familiar (onde passamos por provas decisivas ao nosso crescimento). A partir daí, outros estágios deverão ser alcançados, como o perdão, a pacificação, o desprendimento e, aos mais preparados, a renúncia. Nos apresentamos pretensiosos e estúpidos quando queremos transformar o mundo e as pessoas repentinamente, antes mesmo de agirmos com as mais elementares noções de equilíbrio emocional. Da mesma forma, não desfrutaremos de júbilos espirituais mais refinados e apreciação intelectual mais exata da Verdade, se não formos, aos poucos, superando defeitos triviais.

PÁGINA 4 O Espírito Chiquito de Morais, pela cristalina psicografia de Chico Xavier, expõe em poucas palavras esta sabedoria fundamental: Honrar pequeninas coisas É o processo em que te engrenas Para fazer grandes coisas Como se fossem pequenas.* O pouco é ingrediente para o muito. Ao compreendermos semelhante realidade, adquirimos leveza e lidamos com os servicinhos mais singelos do cotidiano com o esmero de um artista e a alegria de uma criança. r (*) – Livro: Orvalho de Luz. Francisco Cândido Xavier, por Espíritos Diversos. CEC – Comunhão Espírita Cristã. Uberaba (MG), 1989. 9ª edição, pág. 28.


PÁGINA 5

Março de 2017

Tarefa urgente e inadiável Mensagens convocam ao amor para com a criança, onde reside a decifração dos inquietantes enigmas da felicidade para o mundo. ` Emmanuel / Chico Xavier Em auxílio à criança – Emmanuel/Chico Xavier Dentro das tarefas que o Espiritismo nos impõe, uma delas avulta pela importância e significação com que se destaca no presente para a garantia do futuro de nosso trabalho, regenerativo e santificante. Referimo-nos à imprescindível assistência espiritual que a criança exige de nós, a fim de que não estejamos descuidados no erguimento das colunas vivas do Reino do Senhor, na Terra. Não levantaremos um edifício, sem assegurar a firmeza dos alicerces. Não escreveremos um livro, sem, antes, penetrar o sentido do alfabeto. Não chegaremos a produzir uma sinfonia, sem abordar os segredos primários das notas simples. Não colheremos em seara feliz, sem sacrifícios na sementeira. Como esperar o aprimoramento da Humanidade, sem a melhoria do

homem, e como aguardar o homem renovado sem o amparo à criança? O menino de agora dominará depois. Na urna do coração infantil, reside a decifração dos inquietantes enigmas da felicidade sobre o mundo. Façamos de nossos templos de fé espírita-cristã não somente santuários de socorro às aflições e aos problemas da experiência humana, mas também lares de adestramento espiritual, com vistas à plantação do bem, onde nossos filhos encontrem a primeira escola de comunhão com o Senhor e com o próximo. A recuperação da mente infantil para o equilíbrio da vida planetária é trabalho urgente e inadiável, que devemos executar, se nos propomos alcançar o porvir com a verdadeira regeneração. Na criança, ergue-se o amanhã. Talvez, por isso mesmo, à frente da multidão aflita, proclamou o

nosso Divino Mestre: – Deixai vir a mim os pequeninos... Dirijamo-nos para o Cristo, conduzindo conosco os tenros corações das criancinhas e, mais cedo que possamos esperar, a Terra encontrará o caminho glorioso da paz imperecível. *extraído da obra Juca Lambisca, de Casimiro Cunha/Chico Xavier.

Oração da Criança – Emmanuel/Chico Xavier Amigo: Ajuda-me agora, para que eu te auxilie depois. Não me relegues ao esquecimento, nem me condenes à ignorância e à crueldade. Venho ao encontro de tua aspiração, de teu convívio, de tua obra... Em tua companhia, estou na condição da argila nas mãos do oleiro. Hoje, sou sementeira, fragilidade, promessa...

Amanhã, porém, serei tua própria realização. Corrige-me, com amor, quando a sombra do erro envolver-me o caminho, para que a confiança não me abandone. Protege-me contra o mal. Ensina-me a descobrir o bem. Não me afastes de Deus e estimula-me a conservar o amor e o respeito que devo às pessoas, aos animais e às coisas que nos cercam. Não me negues tua boa-vontade, teu carinho e tua paciência. Tenho tanta necessidade do teu coração, quanto a plantinha tenra precisa de água para viver e prosperar. Dá-me tua bondade e dar-te-ei cooperação. De ti depende que eu seja pior ou melhor amanhã. r Nota: ambas as mensagens de Emmanuel foram extraídas do livro Juca Lambisca, de Casimiro Cunha/Chico Xavier. A de Meimei extraída da internet.

Mensagem da Criança - Meimei / Chico Xavier Dizes que sou o futuro. Não me desampares o presente. Dizes que sou a esperança da paz. Não me induzas à guerra. Dizes que sou a promessa do bem. Não me confies ao mal. Dizes que sou a luz dos teus olhos. Não me abandones às trevas. Não espero somente o teu pão. Dá-me luz e entendimento. Não desejo tão só a festa de teu carinho. Suplico-te amor com que me eduques. Não te rogo apenas brinquedos. Peço-te bons exemplos e boas palavras.

Não sou simples ornamento de teu caminho. Sou alguém que bate à porta em nome de Deus. Ensina-me o trabalho e a humildade, o devotamento e o perdão. Compadece-te de mim e orienta-me para o que seja bom e justo... Ajuda-me hoje para que amanhã eu não te faça chorar.

Veja vídeo no Youtube a Mensagem da Criança de Meimei e Chico Xavier


PÁGINA 6

Março de 2017

Mocidade Espírita Evento estadual integra jovem e movimento espírita Redação – institutocairbarschutel@gmail.com

A

COMJESP – Confraternização das Mocidades e Juventudes Espíritas de São Paulo –, que ocorre a cada cinco anos, em sua 10ª. edição é sediada por Bauru (veja cartaz ao lado). Informações com Gustavo pelo zap 14 99828 9866 (vivo). A Mocidade é o Núcleo de Trabalho na instituição espírita que irá atender, acompanhar e direcionar o jovem, a partir de 12 anos, nas atividades da Casa Espírita, bem como propiciar trocas de experiências e oportunidades de contribuições dos jovens para a própria Mocidade e para o Centro Espírita que estão vinculados. Propõe em seu trabalho, cursos, atividades práticas, oficinas de arte e recreação,

atividades de reforma íntima e alegria cristã que visam enriquecer o patrimônio espiritual do jovem e prepará-lo para as atividades do Centro Espírita, fortalecendo-o na atual encarnação. Sendo ainda um núcleo onde formará amigos/ companheiros para a sua jornada terrestre. “A mocidade tem capital importância, porque é a primeira orientação para o destino; nela, o esquecimento do passado é completo; este não existe mais, e todas as suas potências estão voltadas para o futuro. Eis por que os moralistas e os educadores concentraram sua experiência e seus esforços nesse prefácio da vida humana [...].” (Léon Denis, O grande enigma, 9. ed., p. 200). r


PÁGINA 7

Março de 2017

Novo livro de Chico Xavier Obra seleciona mensagens psicografadas pelo médium e publicadas nos anos de 1964 a 2002 no conhecido Anuário Espírita, surgido de sugestão dele mesmo. Orson Peter Carrara

orsonepeter92@gmail.com

D

esde 1964, ano de seu lançamento, o ANUÁRIO ESPÍRITA – de publicação do IDE de Araras (SP), veio recebendo preciosa colaboração de Chico Xavier, através de mensagens, poemas, trovas, cartas, entrevistas, até o ano de 2002, quando ocorreu sua desencarnação. A nova obra, Chico Xavier no Anuário Espírita, recém-lançada, reúne 89 mensagens de diversos benfeitores espirituais, como Emmanuel, André Luiz, Bezerra de Menezes, Meimei e muitos outros. Reproduzimos a capa da nova obra, já disponível, e também a capa do Anuário Espírita 2017, igualmente lançado juntamente com a nova obra do médium. Por ter sido indicação do médium a publicação do Anuário, muito oportuno que ambas as obras surjam juntas agora para apreciação do movimento espírita. A preciosa edição 2017 destaca no subtítulo Criança, Adolescente e Educação Espirita, com entrevistas variadas (destaque-se Ricardo Orestes Forni, abordando família e seus desafios, Cíntia Viera Soares sobre evangelização de bebês

e Cândida Flávia de Oliveira Barbosa, viúva do médico, escritor e palestrante Elias Barbosa, de larga convivência com Chico Xavier e de expressiva atuação nas edições do IDE), entre outras matérias e reportagens. Da Apresentação,

extraímos parcialmente: “(...) procuramos destacar o relacionamento da criança, do adolescente, entre si e com os pais e irmãos, encarando o desenvolvimento moral, a educação, a saúde; também analisamos a ansiedade, a depressão, o suicídio,

o namoro, o casamento, o sexo, os devidos limites, e a religião como fator elucidativo para todos esses temas (...)”. Ambas as obras podem ser adquiridas pelo site www.idelivraria. com.br. r


PÁGINA 8

Março de 2017

Magnetismo, a medicina dos desvalidos Vários fatores importantes englobam a questão Rogério Miguez rogmig55@gmail.com

U

m dos maiores e desejados bens, inquestionavelmente, é a saúde do corpo. Ferramenta do Espírito, o corpo físico, em boas condições, proporciona ao seu detentor possibilidades múltiplas de evolução. De modo a manter este instrumento de trabalho “operacional”, viabilizando o progresso, é preciso bem cuidar do corpo humano, através das ciências médicas, com suas múltiplas terapias. Entretanto, em nosso país, poucos podem bem utilizar o sistema vigente de apoio à saúde, pois, além de se apresentar geralmente muito oneroso aos usuários, apresenta muitas falhas e só o tempo poderá saná-las. Contudo, a bondade e misericórdia divinas sempre ofereceram indiscriminadamente, um possível caminho de cura das mazelas orgânicas através do Magnetismo Animal. Desde priscas eras, esta caridosa lei se fez presente, sem que ao menos soubéssemos, e mesmo nos

dias atuais, nem todos a utilizam, descrentes ou desinformados, não buscam a saúde, somatória do equilíbrio físico e psíquico, por meio dos fluidos movimentados seguindo os princípios da ciência do magnetismo. Recurso gratuito, embora alguns poucos cobrem para transmitir os salutares fluidos magnéticos, é de fácil ação, não exigindo nenhum complexo aparato para sua realização. Nestes tempos, quando as grandes corporações impõem suas caríssimas drogas, em muitos casos, sequer foram exaustivamente testadas de modo a determinar efeitos colaterais e mesmo se são plenamente eficazes em suas propostas terapêuticas, o magnetismo se apresenta como providencial mecanismo colaborando no combate às doenças de toda ordem. No passado, notadamente nos séculos XVIII e XIX, o magnetismo foi extensamente utilizado, não só entre os mais necessitados,

bem como nos salões da nobreza das maiores cortes europeias, estas muito se utilizaram dos fluidos curadores. Foi Mesmer, certamente um Espírito missionário, quem iniciou esta verdadeira avalanche de curas se realizando nas barbas do pensamento científico, sem que este se curvasse às evidências, apoiando e incentivando o saneamento das doenças pelos populares passes magnéticos. Neste, como em outros capítulos de nossa História, os homens de ciência responderão pelas posições conservadoras adotadas, impedindo o deslanchar da marcha da humanidade, neste caso particular, na área da saúde. Allan Kardec, outro missionário divino, também magnetizador, soube bem aproveitar a sua particular experiência neste campo, bem registrando e consolidando sistematicamente informes sobre esta verdadeira dádiva de Deus, não só na teoria como na prática, trazendo de novo à tona as imensas possibi-

lidades do magnetismo, lei divina ao alcance de nossas mãos, que em princípio todos podem praticar. Atualmente, inspiradas pelos escritos de Kardec, as agremiações espíritas mantém serviços de passes magnéticos sem distinção a qualquer um procurando pelos efeitos salutares desta prática. Os cursos se multiplicam, as reuniões com aplicação de passes prosperam, pois a demanda é imensa. Aos passistas, a lembrança da importância em se apresentarem aptos moral e fisicamente ao trabalho, pois a responsabilidade é grande ao lidar com os doentes e suas variadas doenças. Não sendo outra razão do Apóstolo do Espiritismo ter escrito1: “[...] o magnetismo vem a ser a medicina dos humildes e dos crentes, do pai de família, da mãe para seus filhos, de quantos sabem verdadeiramente amar.” r 1. DENIS, Léon. No invisível. Trad. Leopoldo Cirne. 9. ed. Rio de Janeiro: FEB Editora, 1981. Parte 2, cap. XV.

Boulevard Shopping Bauru novamente recebe o livro espírita A Associação Chico Xavier para Divulgação Espírita realiza em abril de 2017 mais uma edição da Feira do Livro Espírita. Com mais de 14 dias de duração, a programação do evento inclui palestras, músicas, artesanatos e a maior seleção de livros da atualidade: clássicos, lançamentos com preços especiais. O Shopping Boulevard, localizado à Rua Marcondes Salgado, 11-39 - Chácara das Flores, novamente receberá as atividades, com expectativa de grande público, espíritas e simpatizantes. Na próxima edição publicaremos a programação. Acompanhe também pelo facebook: www.facebook. com/associacaochicoxavier.


PÁGINA 9

Março de 2017

Participou de eventos doutrinários, debate em rádios, TV e jornais. Chamado de APÓSTOLO DE KARPor que Encontro José Herculano Pires? DEC, sua filha Heloisa Pires, declara: “Como homem de ação a tarefa de Coordenação do evento Herculano foi libertar os Centros Espíritas do igrejamento, dos rituais, da “caridade” estéril, da incompreensão da númeras são as respostas, mas para a capital, onde trabalhou em culdade de Filosofia de Araraqua- finalidade da existência.” (...) “Falava temos que Emmanuel declarou diversos órgãos de imprensa. Nos ra-SP e professor e presidente do sobre tudo e sabia ouvir, pacientemenser Herculano “O METRO Diários Associados, por 30 anos, Instituto Paulista de Parapsicologia. te, encarnados e desencanados” (...) QUE MELHOR MEDIU KARDEC” e “A MAIOR INTELIGÊNCIA ESPÍRITA CONTEMPORÂNEA” e segundo sua filha Heloisa Pires: “Herculano não teorizou sobre a Doutrina Espírita, ele a viveu”. Sendo natural de Avaré(SP), faz-se merecida essa homenagem. Jornalista, filósofo, parapsicólogo, romancista, poeta, escritor, professor, fiel tradutor de Kardec, filho de José Pires Correa e de Bonina Simonetti Pires, nasceu em 25/09/1914 e desencarnou em 09/03/1979, em São Paulo. Passou sua infância em Avaré, Itaí e Cerqueira Cesar, interior paulista. Menino prodígio, aos 9 anos redigiu foi repórter, secretário, cronista Presidiu também o Sindicato dos “... quebrava as barreiras intelectuais um soneto, aos 16 publicou seu parlamentar e crítico literário. Jornalistas Profissionais do Est. SP ou morais através do Amor. Amava o primeiro livro (Sonhos Azuis) e aos Presidiu a Associação dos Cro- e fundador da revista EDUCA- Criador e as Criaturas. Amava o Uni18 anos escreve “Coração”, livro de nistas Parlamentares da Câmara ÇÃO ESPÍRITA. verso e a Natureza”(...) “Um exemplo sonetos e poemas. Municipal de São Paulo, membro Autor de 81 livros, em diversas a ser seguido...”1 r De família católica, teosofis- da Academia Paulista de Jornalis- áreas de conhecimento. Tradutor ta, aos 22 anos, ao conhecer “O mo, lançou uma Rádio emissora das obras de Kardec enriquecendo- 1. Herculano Pires, o Homem no Mundo – LIVRO DOS ESPÍRITOS”, doutrinária, colaborou com o 1º -as com notas de rodapé, colaborou Heloisa Pires – Edições FEESP; 2) J. Herculando Pires “O apóstolo de Karencontra seu caminho e dedica Congresso Espírita Paulista, em na tradução da Revista Espírita, dec”- Jorge Rizzini; sua vida ao estudo e divulgação da 1947, quando foi fundada a USE. de Kardec. 3) site da Fundação Herculano Pires Doutrina Espírita. Durante 20 anos, com pseuEm Cerqueira Cesar os primei- dônimo de IRMÃO SAULO, ros contatos. Em 1936, em Ipaussu publicou crônicas diárias sobre (SP), proferiu sua primeira palestra, Espiritismo. Em 1948, fundou quando conheceu a futura esposa, “O Clube dos Jornalistas Espíritas Maria Virgínia, filha de pais espíri- do Estado de São Paulo”, tendo Inscrições: A partir de 15/02, Data: 11/06/2017 – domingo tas. Em 1938, se reencontram. Ca- através dele lançado o jornal “O nas casas espíritas de Avaré e reHorário: das 9 às 16 horas saram-se e vieram 4 filhos: Helena, Kardecista”. Em 1958, realizou o Palestrantes: Orson P. Carrara, gião e pelo site do Instituto CairHeloisa, Herculano e Helenilda. 2º Congresso Brasileiro de JornaKennedy Martins, Alan Vilches bar Schutel. Valor: R$ 25,00 e R$ Em 1946, realizou o 1º Con- listas e Escritores Espíritas. gresso Espírita da Alta Paulista, em Graduado em Filosofia pela e Heloísa Pires. Tema central: Fé 30,00 (quando feito pelo site) e um litro de leite longa vida. Marília. No mesmo ano muda-se USP em 1958, foi docente na Fa- raciocinada e ação!

Avaré espera você!

I

Encontro Anual José Herculano Pires


PÁGINA 10

Março de 2017

Das atitudes antifraternas Orgulho e personalismo dificultam a marcha evolutiva. Rogério Coelho

rcoelho47@yahoo.com.br

N

ão raro - por um “dá cá essa palha” -, implanta-se a divisão no seio de um agrupamento de trabalhadores onde a fraternidade legítima deveria comandar as ações. Nos arraiais espiritistas não é diferente!... Ainda que se entenda que “fora da caridade não há salvação”; que “a casa dividida rui”; que o mandamento “amai-vos uns aos

(...) a invigilância vezes sem conta espraia-se silenciosa e traiçoeira, fomentando a intolerância que alastra incontrolável e destruidora...

outros” não é mero enfeite de lentejoulas, a invigilância - vezes sem conta - espraia-se silenciosa e traiçoeira, fomentando a intolerância que alastra incontrolável e destruidora... Vez por outra surpreendemos uma explosão de desânimo mais ou menos assim: “só desistindo de ser espírita! Viu só o que fulano fez? Que adianta ser espírita?!” Na verdade, essas tristes expressões não passam de sofismas para encobrir a preguiça e a má-vontade que impedem a reforma íntima e acoroçoam a acomodação... Esses fatos, porém, nunca deixaram de causar-nos perplexidade e, por mais que procurássemos explicação lógica (deixando sossegados os coitados dos obsessores), esbarrávamos numa inquietante incógnita.

Mas, eis que chega, finalmente, a explicação!... Lemos no livro “Chico e Emmanuel” do Dr. Carlos A. Baccelli as elucidações de Emmanuel e do Dr. Bezerra de Menezes. Passemos a palavra a Chico Xavier: “(...) um dia, encontrando-me com Yvonne do Amaral Pereira no Rio de Janeiro, pergunteilhe se estava indo ao Mundo Espiritual... Ela respondeu-me que, algumas vezes, conseguia o seu intento de desdobrar-se do corpo físico. Questionei-a se os Espíritos, com os quais se encontrava na oportunidade, tinham alguma opinião formada sobre as atitudes pouco fraternas dos Espíritas. Ela disse-me que o Dr. Bezerra de Menezes conversava muito com ela sobre o assunto e que, embora demonstrasse preocupação, dizia que os espíritas estavam fazendo o que podiam fazer, vez que a maioria deles era delinquente, isto é, Espíritos que haviam caído nas vidas anteriores pelos abusos da inteligência ou pelo excesso de personalismo... (...) É por isso, meu filho, que encontramos nas fileiras espíritas tanta gente que se diz ter sido barão, príncipe, marquesa, rainha ou algo semelhante, numa existência passada... Afirma Emmanuel que eles foram mesmo e hoje estão por aí resgatando os seus débitos, envolvidos por todo tipo de dificuldades e limitações. As lavadeiras, os lavradores, os serviçais humildes, estão todos nos Planos Superiores!...” r

Centro Espírita comemora 94 anos Com Artur Valadares e Orson Peter Carrara e inclui roteiro de casal de palestrantes pela região.

E

vento ocorre no dia 18 de março, sábado, das 14 às 18 horas. Fundado em 1923, exatamente no dia 22 de março, o Centro Espírita Francisco Xavier dos Santos alcança seus 94 anos de funcionamento ininterrupto. Localizada na cidade de Mineiros do Tietê, à rua Municipal, 310, no interior paulista, a instituição preparou evento de estudos e confraternização regional, reunindo Orson Peter Carrara e Artur Valadares no dia 18 de março de 2017, sábado, das 14 às 18 horas, em evento que contará com a participação artística do casal Paulo e Leya, de São José dos Campos (SP).

Os dois palestrantes farão palestras doutrinárias, separadas por intervalo com lanche, e os participantes serão recepcionados pelo casal de cantores. O casal, que também profere palestras, se apresenta ainda num circuito pela região: na quinta 16, às 20h (em Brotas, no Irmão Agostinho), na sexta 17, às 20h (no mesmo local do sábado, em Mineiros do Tietê), no domingo 19, às 9h (em Barra Bonita, no CE Bezerra de Menezes), e às 19h (do mesmo domingo), em Avaré, na Colônia Espírita Fraternidade. Local: Rua Municipal, 310, em Mineiros do Tietê (SP). r


PÁGINA 11

Março de 2017

Antecedência primordial Para um bom planejamento, item citado é essencial. Redação

institutocairbarschutel@gmail.com

A

revista eletrônica O consolador (edição 495, de 11/12/16) publicou entrevista com RONALDO PIRES, professor de Educação Física e empresário da VIVA em Araraquara (SP), que sugerimos lerem na íntegra no portal www.oconsolador.com.br e pesquisando pela edição, abordando a questão da organização do eventos, em cuja área o entrevistado acumula vasta experiências. Destacamos alguns trechos, em transcrição parcial: De sua experiência com eventos de pequeno, médio ou grande porte, qual o primeiro aspecto a ser considerado para um bom planejamento? (...) Existe uma série de aspectos a serem considerados e para qualquer evento faço estas perguntas: por quê, onde, quando, como e quem? Parece simples, mas para cada uma dessas perguntas tem de existir um projeto bem detalhado, profissional, humano e ético. (...) Quais as maiores dificuldades encontradas na organização de um evento qualquer? As maiores dificuldades somos nós mesmos. Como somos seres imperfeitos, ainda carregamos o orgulho e egoísmo que nos deixam cegos na hora de ter que abrir mão de alguma opinião que gostaríamos de implantar. (...) Outro aspecto é que somos muito tímidos, queremos fazer tudo de forma amadora, dependendo apenas de bondosos voluntários, que sempre se doam, esquecendo que vivemos para nos amar e nos relacionar e que, às vezes, precisamos recorrer a pessoas mais capacitadas e esclarecidas que

nós em determinados assuntos que não dominamos. (...) O que é bastante facilitador no planejamento e mesmo durante o transcorrer de um evento? Para um bom planejamento, a antecedência é primordial. O ideal é formarmos um calendário anual, começando os trabalhos com um ano de antecedência; dessa forma conseguimos prever e corrigir possíveis falhas, mesmo durante o evento, pois toda equipe envolvida foi treinada e desenvolvida. (...) Existe um método ideal para motivar a equipe para a harmonia de um trabalho coletivo? Para se ter um método ideal de motivação, faz-se necessário um bom líder que tenha como principal virtude a humildade, porque numa construção de equipe devemos ouvir muito e criar estratégias com planos A, B e C do evento. Esse líder deve ser também um bom observador para poder extrair os talentos de cada um da equipe. Em termos de recursos materiais - inclusive financeiros e tecnológicos - o que é mais expressivo para o êxito de um evento? (...) Independente do tamanho do evento, temos que nos preocupar com o conforto das pessoas, cadeiras ou poltronas confortáveis, ambientes climatizados, arejados ou ventilados, quantidade e limpeza dos banheiros, prestar atenção também na iluminação do local, para não atrapalhar as projeções, se houver, a acústica do ambiente, a limpeza; (...) Do que tem visto no movimento espírita, o que sobressai nos eventos? Acreditamos que a diversificação dos eventos, utilizando arte, cultura

e tecnologia, fará toda a diferença. Outra questão são as ferramentas de tecnologia de transmissão, mídias sociais e TV. Se não avançarmos nessas questões, nossos objetivos serão

O ideal é formarmos um calendário anual, começando os trabalhos com um ano de antecedência; dessa forma conseguimos prever e corrigir possíveis falhas, mesmo durante o evento, pois toda equipe envolvida foi treinada e desenvolvida.

alcançados de forma mais demorada. Devemos também nos adequar à velocidade das crianças, não podemos utilizar a mesma linguagem de anos atrás, todos os eventos devem agregar espaços e estrutura para atendê-las e ajudá-las no processo de evolução. Você considera que os eventos do movimento espírita têm atingido sua finalidade? Sou muito crítico comigo mesmo, sempre acho que poderia fazer mais, sempre acho que estou devendo, sempre acho que podemos melhorar, todavia o movimento vem crescendo muito e, de variadas formas, a internet tem ajudado muito nessa questão. A TV Mundo Maior também nos ajuda muito a divulgar a Doutrina Espírita (...) Suas palavras finais. Dentro das minhas pequenas possibilidades, coloco-me à disposição para ajudar voluntariamente em qualquer tipo de Evento Espírita. Meus contatos: ronaldo@ vivaararaquara.com.br, (16) 981496807, Facebook: Ronaldo Pires. r Nota: Sugerimos leitura integral da entrevista no portal indicado.


REMETENTE:

PÁGINA 12

Instituto Cairbar Schutel. Março de 2017

Caixa postal 2013

15997-970 - Matão-SP

Felicidade Serenidade é a principal condição. Eduardo L. Oliveira eduoli@gmail.com

O

que é felicidade? Para cada pessoa a felicidade tem um significado diferente, normalmente está relacionado com as expectativas de vida que ela estabeleceu para si e para os seus. Esta busca então se relaciona com o que achamos que seria bom para nós e para aqueles mais próximos; quando conseguimos realizar estes “sonhos”, outros ocupam nosso imaginário e quando não conseguimos, nos trazem angústias, desânimos e frustrações. Parece até que tudo para à espera destas realizações, as quais colocamos como possível meio de felicidade a se manifestar em nós. Muitas vezes aquilo que pensávamos ser motivo de felicidade, passa a ser motivo de dores e fraquezas, que vem pouco a pouco minar nossas forças para seguirmos em frente. Pois bem, questionemo-nos; quais são as verdadeiras razões para nosso estado de desânimo?

Será que não foram expectativas exageradas, em certas realizações ou coisas que achamos ser imprescindível para que a felicidade batesse em nossa porta?

outros também quererem o que nos é importante? Aí pode residir toda diferença da realização de nossas expectativas, se não depende só de nós, significa que não nos é dado a certeza de alcançar nossos objetivos, pois,

Em que grau de ansiedade nos encontramos na busca daquilo que para nós seria um estado de felicidade? Será que as expectativas em que apoiamos nossas realizações são realmente reais? Depende exclusivamente da nossa vontade ou estamos na dependência de

o querer, neste caso, não pertence a apenas uma pessoa, mas sim a uma conjunção de fatos e desejos que não temos controle. O quanto estamos preparados para esta realidade? O quanto aceitamos não estar no controle total das ações? Perguntas que

não são fáceis de responder, mas se fizermos uma reflexão sobre nossas frustrações e nossas angústias talvez fique mais fácil a resposta; são elas que nos mostram o quanto estamos aceitando de verdade o comando de DEUS em nossa vida. Felicidade então é uma coisa efêmera (de breve duração)? Só é alcançada em outros mundos? Depende do ponto de vista em que insistimos olhar, saibamos buscar a felicidade nos lugares certos, não a colocando na mão de ninguém. Rever nossas expectativas com relação aos outros e a nós mesmo é fundamental para que possamos ver com outros olhos os acontecimentos que nos entristecem. Não queiramos que os outros deem o que ainda não podem dar e não exijamos de nós mesmos o que também não podemos dar. Aceitar os outros como são nos remete sem dúvida a uma vida de mais harmonia com as Leis Divinas de Amor e Caridade nos beneficiando com a serenidade que é a condição principal para o estado de felicidade da alma. r

Tribuna do Espiritismo - março de 2017  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you