Issuu on Google+

PLANO DE MANEJO DA RESERVA NATURAL SALTO MORATO – GUARAQUEÇABA, PR – VOL.2 - ANEXOS

CURITIBA, DEZEMBRO DE 2011


Proprietário da Reserva Natural Salto Morato Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza Rua: Gonçalves Dias, 225 – Batel Curitiba – PR CEP 80.240-340 Fone: (041) 3340-2636 Fax: (041) 3340-2635

Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza Presidência Artur Noêmio Grynbaum Diretoria Executiva Maria de Lourdes Silva Nunes Gerência Leide Yassuco Takahashi Ceres Loise Bertelli Gabardo Coordenação de Áreas Protegidas Gustavo Adolfo Gatti

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

i


Equipe Técnica da Versão Final do Plano de Manejo Coordenação Técnica dos trabalhos Maísa Guapyassú Supervisão Gustavo Adolfo Gatti Equipe Eros Amaral Ferreira Maricy Rizzato Vismara Ernani Werle Philipp Stumpe Thabata de Quadros Luchtenberg Martins

Elaboração do Documento-Base 2010 Ecossistema Consultoria Ambiental ltda Coordenação Gisele C. Sessegolo Equipé Técnica Flavia Fernanda de Lima Luís Fernando Silva da Rocha Marília Thiara Rodrigues Basniak Equipe de Apoio Ana Carolina Rocha Ana Paula Sessegolo Pimpão Bruno David Rodrigues Neca Giselle de Fátima Alves

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

ii


Conteúdo Volume 2 Anexos ........................................................................................... 223 Anexo 1 - Decreto de criação da RNSM - DOU .................................. 224 Anexo 2 - Reconhecimento da RNSM pela UNESCO como Sítio do Patrimônio Natural da Humanidade ............................................. 226 Anexo 3 - Lista de espécies de flora ocorrentes na RNSM .................. 229 Anexo 4 - Lista de fauna na RNSM.................................................. 262 Anexo 5 - Manual de pesquisa na RSNM .......................................... 289 Anexo 6 - Pesquisas realizadas na RNSM ......................................... 297 Anexo 7 - Plano de combate a incêndios da Reserva Natural Salto Morato, Guaraqueçaba, Paraná .............................................................. 307

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

iii


Anexos

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

223


Anexo 1 - Decreto de criação da RNSM - DOU

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

224


Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

225


Anexo 2 - Reconhecimento da RNSM pela UNESCO como S铆tio do Patrim么nio Natural da Humanidade

WORLD HERITAGE NOMINATION - IUCN TECHNICAL EVALUATION ATLANTIC FORESTS (SOUTHEAST) (BRAZIL) Note: this evaluation is based on a revised nomination of the site as submitted by Brazil on 9 April 1999. 1. i)

DOCUMENTATION IUCN/WCMC Data sheet (4 References)

ii)

Additional literature consulted: Bibby et al, 1992. Putting Biodiversity on the Map. Priority Areas for Global Conservation. Cambridge, UK. Biodiversity Support Program, Conservation International et al, 1995. A Regional Analysis of Geographic Priorities for Biodiversity Conservation in Latin America and the Caribbean. Washington, DC. Brown, KS, 1987. In Biogeography and Quaternary History in Tropical America. pp 175-96. Whitmore and Prance, eds. Oxford: Clarendon Press. Duellman, WE (ed), 1979. The South American Herpetofauna: Its Origin, Evolution, and Dispersal. Univ Kansas Museum Natural History Monogram 7. Fundacao SOS Mata Atlantica, 1892. Dossie Mata Atlantica. Sao Paulo: Fundacao SOS Mata Atlantica. Fundacao SOS Mata Atlantica and Instituto Nacional de Pesquisas Espacias, 1993. Atlas da Evolucao dos remanescentes florestais e ecossistemas associados do Dominio da Mata Atlantica no periodo 1985 - 1990. IUCN Tropic Forest Program/Conservation Monitoring Centre, 1998. Brazil Atlantic Coastal Forests: Conservation of Biological Diversity and Forest Ecosystems. IUCN, 1996. Centres of Plant Diversity and Endemism. Chapter IV. Mata Atlantica. Lynch, JD. 1979. University Kansas Museum Natural History Monogram 7. pp189-215. Mori, SA. 1989. Eastern Extra-Amazonian Brazil, in Floristic Inventory of Tropical Countries: The Status of Plant Systematics. The New York Botanical Garden, New York. Padua, Maria Thereza Jorge, 1998. The Atlantic Forest in Brazil. Prance, 1987. Biogeography of Neotropical Plants. In Biogeography and Quaternary History in Tropical America. Whitmore and Prance, eds. pp 46-65. Oxford: Clarendon Press. Thomas, et al, 1998. Plant endemism in two forests in southern Bahia, Brazil.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

226


Biodiversity and Conservation, 7, p311-322. CIFOR/UNESCO. 1999. The World Heritage Convention as a Mechanism for Conserving Tropical Forest Biodiversity. 54p. iii)

Consultations: Local parks staff; staff of IBAMA Brazil; local NGOs;

WCPA-Brazil; local and Parana State Government representatives and external reviewers. iv)

Field visit: Warren Nicholls, March 1999.

2.

SUMMARY OF NATURAL VALUES

The Southeast Atlantic Forests (SAF) are located in the States of Parana and Sao Paolo in SE Brazil.

The nomination consists of 468 193 ha of Atlantic forest and associated shrubs (restingas). Elevation range is from sea level to 1,100 metres. The nominated property consists of 25 areas and comprises the following 6 IUCN Category I protected areas: Jureia - Itatins Ecological Station (79,270 ha); Chauas Ecological Station (2,699 ha); Guaraquecaba Ecological Station (13,638 ha); Ilha do Mel Ecological Station (2,241 ha); Xitue Ecological Station (3,095 ha); Guaraguacu Ecological Station (1,150 ha). State Park (2,360 ha); Jacupiranga State Park (part of) (119,000 ha); Ilha do Cardoso State Park (22,500 ha); Carlos Botelho State Park (37,644 ha); Pico do Marumbi State Park (2,342 ha); Intervales State Park (42,926 ha); Lauraceas State Park (27,524 ha); Alto Ribeira Touristic State Park (PETAR) (35,884 ha); Salto Morato Private Reserve (1,716 ha); Serras do Cordeiro, Paratiu, Itapua, e Itinga Wild Life Zone (5,000 ha); Serras do Arrepiado e Tombador Wild Life Zone (5,125 ha); Mangues Wild Life Zone (11,070 ha); Serra do Itapitangui (e Mandira) Wild Life Zone (3,437 ha); Ilhas oceanicas Wild Life Zone (93 ha); Roberto E Lange Turistical Preservation Zone & State Park (2,698 ha); Serra da Graciosa Turistical Preservation (1,189 ha); Zone & State Park Pau Oco Turistical Preservation Zone & State Park (905 ha); Ilha Comprida Wild Life Zone (7,687 ha). Biogeographically, the Atlantic forests of Brazil are divided into two distinct areas: the Northeastern (Discovery Coast) and Southeastern regions (Bibby et al, 1992). This nomination is focussed on the Southeastern region. The nominated area lies entirely within a much larger buffer zone of 1,223,557 ha which is managed as a UNESCO Biosphere Reserve. The buffer zone is protected by Federal legislation and provides an important corridors function. Atlantic forests are the world's richest rainforests in terms of biodiversity (along with the Choco forests of the Colombian Amazon basin and the Yanomono forests of Peru) and they are restricted to the Brazilian coastal region. Unfortunately, the Atlantic forests have suffered the impacts of colonialisation, farming, cattle grazing and urbanisation since the discovery Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

227


of Brazil. Of the original Atlantic forest, which comprised over 1,250,000 square kilometres and occupied some 15% of Brazil, less than 8% (or 90,000 km2) still remain (see map). Partially isolated since the Ice Age, the Atlantic forests have evolved into a complex ecosystem with exceptionally high endemism (70% the tree species, 85% of the primates and 39% of the mammals) and are considered to be among the world's richest forests for tree species (almost 300) per hectare (especially for Myrtaceae species). It is also the region in Brazil with the greatest number of endangered and threatened species. Brazil's Atlantic forests are perhaps the most endangered forest ecosystem on earth (Mori, 1989) and have been given the highest priority for biodiversity conservation (Bibby et al 1992, Biodiversity Support Program 1995). It is one of the "Global 200" ecoregions and one of the "Focal 25" priorities of WWF. The exceptionally high biodiversity and level of endemism may be explained by high tropical humidity (due primarily to the oceanic influence and hillside condensation effects), and the range of altitude and geographical extension leading to the creation of a wide range of climatic and ecological conditions. The SAF nomination comprises 25 discontinuous protected areas that contain Atlantic forest from the SE region and which are in an intact, or near intact, condition and with appropriate management arrangements in place. The nominated area is the largest continuous area of Atlantic forest with related littoral ecosystems in Brazil. From mountains covered by dense forests, down to wetlands, coastal islands with isolated mountains and dunes, the SAF comprises a natural environment of rich biodiversity and scenic beauty. Caves, waterfalls, rugged mountain ranges and sweeping coastal vistas contribute to the outstanding aesthetic values of the region. Both the flora and fauna are extremely diverse, with over 55,000 species of plants (22% of the total found on Earth), of which some 18,000 are endemic. There are 524 species of mammals (131 endemic), 1,622 bird species (191 endemic), 517 species of amphibians (294 endemic), 468 species of reptiles (172 endemic), over 3,000 species of freshwater fish and between 10 and 15 million estimated species of insects.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

228


Anexo 3 - Lista de espĂŠcies de flora ocorrentes na RNSM

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

229


Anexo 3 – Lista de flora ocorrente na RNSM Número de Espécies

Divisão

Família

1

Magnoliophyta

Acanthaceae

2

Magnoliophyta

Acanthaceae

3

Magnoliophyta

Acanthaceae

4 5

Magnoliophyta Magnoliophyta

Acanthaceae Acanthaceae

6

Magnoliophyta

Acanthaceae

7

Magnoliophyta

Acanthaceae

8

Magnoliophyta

Acanthaceae

9

Magnoliophyta

Acanthaceae

10

Magnoliophyta

Alismataceae

11

Magnoliophyta

Amaranthaceae

12

Magnoliophyta

Amaryllidaceae

13 14

Magnoliophyta Magnoliophyta

Anacardiaceae Annonaceae

15

Magnoliophyta

Annonaceae

16

Magnoliophyta

Annonaceae

17

Magnoliophyta

Annonaceae

Espécie

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Nome Vulgar

Aphelandra aff. liboniana Linden ex Bálsamo-de-duas-cores Hook. f. Aphelandra venosa Wasshausen & Bálsamo-de-lista L.B. Smith Hygrophila brasiliensis (Spreng.) Lindau Jacobinia sellowiana (Nees) Lindau Justicia anagallis Lindau Chamba Jacobínia, Justícia, Justicia carnea Lindl. Justícia-rosa Cipó-Azeitona, Mendoncia sp. Tarumã-de-Cipo Pseuderanthemum riedelianum (Nees) Radlk. Salpinga sp. Echinodorus grandiflorus (Cham. & Chapéu-de-Couro Schltdl.) Micheli Celosia grandifolia Moq. Bredo-do-mato Hippeastrum aulicum (Ker Gawl.) Lírio-do-campo Herb. Tapirira guianensis Aubl. Cupiúva Annona cacans Warm. Ariticum-cagão, Cortição Pindaúva-preta, cortiça, Guatteria cf. australis A. St.- Hil. embiú, imbiú, pindaúvabranca Guatteria dusenii R. E. Fries Cortiça, Embiú Araticum-do-mato, AraticumRollinia sericea (R. E. Fr.) R. E. Fr. alvadio, Araticum-de-porco, Cortiça

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

230


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

18

Magnoliophyta

Annonaceae

19

Magnoliophyta

Apiaceae

Centella asiatica (L.) Urb.

20

Magnoliophyta

Apiaceae

Hidrocotyle leucocephala Cham. & Schltdl.

21

Magnoliophyta

Apiaceae

Hidrocotyle sp.

22

Magnoliophyta

Apocynaceae

Allamanda cathartica Linn

23 24

Magnoliophyta Magnoliophyta

Apocynaceae Apocynaceae

Malouetia arborea (Vell.) Miers Peltatus peltatis

25

Magnoliophyta

Apocynaceae

26 27 28 29 30

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Aquifoliaceae Aquifoliaceae Aquifoliaceae Aquifoliaceae Araceae

31

Magnoliophyta

Araceae

32 33

Magnoliophyta Magnoliophyta

Araceae Araceae

Espécie Xylopia brasiliensis Sprengel

Tabernaemontana catharinensis A. DC. Ilex dumosa Reissek Ilex intergerrima (Vell.) Reissek Ilex sp. Ilex taubertiana Loes Anthurium crassipes Engl. Anthurium pentaphyllum (Aubl.) G. Don. Anthurium scandens (Aubl.) Engl. Anthurium solitarium Schott

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Pindaíba, Cortiça, Pandauvuna Cairuçu-asiático, Pata-deburro, Pata-de-cavalo, Centelha-asiática Acariçoba-miúda, Cicutafalsa, Erva-capitão, Ervacapitão-da-miúda, Orelhade-onça-rasteira Alamanda, Dedal-de-dama, Carolina, Alamanda-amarela Pé-de-coelho Catavento, Burra-leiteira, Cobrina, Esperta, Fruto-decobra, Jasmim, Jasmimcatavento, Jasmim-pipoca, Leiteira, Pau-de-leite, Quina, Sapirangui Caúna Caúna Caúna Caúna-da-serra Antúrio Antúrio

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

231


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

34

Magnoliophyta

Araceae

Caladium bicolor (Aiton) Vent.

35 36 37 38 39 40 41

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Araceae Araceae Araceae Araceae Araceae Araceae Araceae

42

Magnoliophyta

Araliaceae

Monstera adansonii Schott Philodendron cf. imbe Schott Philodendron crassinervium Lindl. Philodendron imbe Schott. Philodendron loefgrenii Engler Philodendron ochrostemon Schott Philodendron propinquum Schott Didymopanax angustissimum March.

Espécie

43

Magnoliophyta

Araliaceae

Didymopanax morototoni March.

44

Magnoliophyta

Araliaceae

45

Magnoliophyta

Arecaceae

Didymopanax sp. Astrocaryum aculeatissimum (Schott) Burret

46

Magnoliophyta

Arecaceae

Attalea dubia (Mart.) Bur.

47 48 49

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Arecaceae Arecaceae Arecaceae

Bactris setosa Mart. Euterpe edulis Mart. Geonoma elegans Mart.

50

Magnoliophyta

Arecaceae

Geonoma gamiova Barb. Rodr.

51

Magnoliophyta

Arecaceae

Geonoma schottiana Mart.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Caládio, Tinhorão, Tajá, Taiá, Coração-de-Jesus Planta-queijo

Curuba, Folha-de-fonte Imbé Imbé Mandiocão Amescla, Breu, Breu-preto, Caxeta, Mandiocão-do-mato, Mandioqueira, Marupaúbafalso, Mucututu Aipim-bravo Airi, Brejaúba Palmeira-indaiá, Anajá, Camarinha, Coqueiro-indaiá, Indaiá-guaçu, naiá, Naiá, Palmito-de-chão Tucum, Uva-de-Espinho Palmito Guaricanga-de-bengala Guaricanga-de-folha-larga, Rabo-de-peixe Guaricana, Aricana, Guaricanga

Baixo risco

Ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

232


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

Espécie

52

Magnoliophyta

Aristolochiaceae

53

Magnoliophyta

Asclepiadaceae

54

Magnoliophyta

Asclepiadaceae

55

Magnoliophyta

Asclepiadaceae

Aristolochia paulistana Hoehne Gonioanthela axillaris (Vell.) Fontella & E. Schwarz Matelea denticulata (Vahl) Fontella & E. Schwarz Oxypetalum alpinum var. pallidum (Hoehne) Fontella & E. Schwarz

56

Magnoliophyta

Asteraceae

Achyrocline alata DC.

57

Magnoliophyta

Asteraceae

Adenostemma brasilianum Cass.

58

Magnoliophyta

Asteraceae

Ageratum conyzoides L.

59

Magnoliophyta

Asteraceae

60 61

Magnoliophyta Magnoliophyta

Asteraceae Asteraceae

62

Magnoliophyta

Asteraceae

63

Magnoliophyta

Asteraceae

Baccharis trimera (Less.) A. P. DC.

64

Magnoliophyta

Asteraceae

Chaptalia nutans (L.) Polák

Baccharidastrum triplinervium (Less.) Cabr. Baccharis anomala DC. Baccharis cassinefolia DC. Baccharis semiserrata A. DC. var. elaeagnoides (Steud. ex Baker) G. M. Barroso

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Marcela, Macela-do-brejo, Macela-amarela, Cravinho-do-mato Erva-de-São-João, Catingade-Barrão, Celestina, ErvaMaria, Mentraz, Picão-roxo, SãoJoão Erva-de-santa-ana Cambará-de-cipó

Alecrim-do-mato Carqueja, Bacanta, Bacárida, Cacália, Cacáliaamarga, Vassoura Costa-branca, Erva-desangue, Fumo-do-mato, Língua-de-vaca-miúda, Paraqueda, Tapira

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

233


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

65

Magnoliophyta

Asteraceae

66

Magnoliophyta

Asteraceae

67

Magnoliophyta

Asteraceae

68

Magnoliophyta

Asteraceae

69 70 71 72

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Asteraceae Asteraceae Asteraceae Asteraceae

73

Magnoliophyta

Asteraceae

74

Magnoliophyta

Asteraceae

Mikania sp.

75 76

Magnoliophyta Magnoliophyta

Asteraceae Asteraceae

77

Magnoliophyta

Asteraceae

78 79 80

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Asteraceae Asteraceae Asteraceae

Mikania ternata (Vell.) Robinson Mikania ulei Hieron. Piptocarpha oblonga (Gardner) Baker Pluchea oblongifolia DC. Pterocaulon cf. balansae Chodat Senecio cf. oleosus Vell.

Espécie Elephantoppus mollis Humb., Bonpl. & Kunth Eupatorium cf. odoratum L. Eupatorium cf. zurpurascens Schultz Bipontinus ex Baker Eupatorium inulaefolium Humb., Bonpl. & Kunth Eupatorium itatiayense Hieron. Eupatorium sp1 Eupatorium sp2 Mikania cynanchifolia Hook. & Arn. Mikania micrantha Humb., Bonpl. & Kunth

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Nome Vulgar Saguassaiá Cruzadinha

Cambara-Branco, Cambara-de-Bicho Vassourão Vassourão Jasmim-do-brejo, Jasmimdo-campo Guaco, Guaco-de-casa, Uaco, Cipó-catinga, Cipósucuriju, Coração-de-jesus, Erva-de-cobra, Erva-cobre, Guaco-liso, Guaco-de-cheiro, Guaco-trepador, Guacoverdadeiro, Guape, Mikania

Margarida-melada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

234


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

81

Magnoliophyta

Asteraceae

82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Asteraceae Asteraceae Asteraceae Asteraceae Balanophoraceae Balsaminaceae Begoniaceae Begoniaceae Begoniaceae Begoniaceae Begoniaceae Bignoniaceae Bignoniaceae Bignoniaceae

96

Magnoliophyta

Bignoniaceae

97

Magnoliophyta

Bignoniaceae

98

Magnoliophyta

Bignoniaceae

99

Magnoliophyta

Bignoniaceae

100

Magnoliophyta

Bignoniaceae

101

Magnoliophyta

Bignoniaceae

102

Magnoliophyta

Bombacaceae

Espécie

Solidago cf. chilensis Meyen Vernonia beyrichii Less. Vernonia puberula Less. Vernonia scorpioides (Lam.) Pers. Wedelia paludosa DC. Lophophyton leandri Impatiens walleriana Hook. f. Begonia herbacea Vell. Begonia cf. hispida Schott Begonia fischeri Schranke Begonia radicans Vell. Begonia similis Brade Anemopaegma prostratum DC. Cybistax antisyphilitica Mart. Jacaranda puberula Cham. Mansoa difficilis (Cham.) Bureau & K. Schum. Memora peregrina (Miers) Sandwith Parabignonia unguiculata (Vell.) A. H. Gentry Pithecoctenium crucigerum A. H. Gentry Tabebuia catarinensis A. Gentry Tabebuia cf. umbellata (Sond.) Sandwith Pseudobombax grandiflorum (Cav.) A. Rob.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Erva-lanceta, Arnica, Arnicabrasileira, Espiga-de-ouro, Sapé-macho, Vara-defoguete Salsa-da-praia Cambará-guaçú Cambará-ussu, erva-preá Arnica-do-mato, Margaridão Beijinho Begônia-peluda Begônia Begônia Catuaba Ipê-verde Caroba Cipó-de-sino Ciganinha

Pente-de-macaco, Cipó-pente-de-macaco Ipê-da-serra

Ameaçada

Ipê-amarelo-do-brejo Embiruçu

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

235


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

103

Magnoliophyta

Bombacaceae

104

Magnoliophyta

Boraginaceae

105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Boraginaceae Boraginaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae

118

Magnoliophyta

Bromeliaceae

119

Magnoliophyta

Bromeliaceae

120

Magnoliophyta

Bromeliaceae

121

Magnoliophyta

Bromeliaceae

122 123 124 125 126

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae

127

Magnoliophyta

Bromeliaceae

Espécie Spirotheca passifloroides Cuatrec. Cordia monosperma Roem. & Schult. Cordia silvestris Fresen. Tournefortia bicolor Sw. Aechmea caudata Lindm. Aechmea cylindrata Lindm. Aechmea gamosepala Wittm. Aechmea nudicaulis (L.) Griseb. Aechmea ornata Baker Aechmea pectinata Baker Aechmea sp1 Aechmea sp2 Bilbergia amoena (Loddiges) Lindl. Edmundoa lindenii (Regel) Leme Neoregelia laevis (Mez) L. B. Sm. Nidularium amazonicum Linden & Morris. Nidularium innocentii Lem. var. paxianum Nidularium procerum Lindman Racinaea spiculosa (Griseb.) Spencer & Smith Tillandsia geminiflora Brongn. Tillandsia stricta Soland. Vriesea carinata Wawra Vriesea drepanocarpa Baker Mez. Vriesea ensiformis Beer Vriesea erythrodactylon E. Morr. ex Mez

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Nome Vulgar Mata-pau, Mata-pau-de-espinho Balieira Louro-branco Liana Bromélia, Monjola Bromélia Bromélia Bromélia Copo-de-vaqueiro Guaricana-uva Bromélia Ninho-de-passarinho Bromélia Bromélia Gravatá, Bromélia

Bromélia Cravo do Mato, Gravatazinho Gravatá, Bromélia

Bromélia

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

236


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

128 129 130 131 132 133 134 135

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae Bromeliaceae

136

Magnoliophyta

Bromeliaceae

137 138

Magnoliophyta Magnoliophyta

Bromeliaceae Cactaceae

139

Magnoliophyta

Cactaceae

Rhipsalis pachyptera Pfeiff.

140

Magnoliophyta

Cactaceae

Rhipsalis rhombea Pfeiffer

141

Magnoliophyta

Cactaceae

Rhipsalis teres (Vell.)Steud.

142

Magnoliophyta

Campanulaceae

143

Magnoliophyta

Canellaceae

144

Magnoliophyta

Cannaceae

145

Magnoliophyta

Cecropiaceae

Cecropia sp.

146

Magnoliophyta

Cecropiaceae

Cecropia glaziovii Sneth.

Espécie Vriesea flammea L. B. Sm. Vriesea friburgensis Mez Vriesea gigantea Gaudich. Vriesea incurvata E. Morr. Vriesea inflata Wawra Vriesea phillippocoburgii Wawra Vriesea platynema Gaudich. Vriesea rodigasiana E. Morris Vriesea vagans (L. B. Sm.) L. B. Sm. Wittrockia superba Lindm. Rhipsalis baccifera (Miller) Stearn

Syphocampyllus convolvulaceus (Cham.) G. Don Capsycodendron dinisii (Schw.)Occhioni. Canna limbata Roscoe

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Gravatá, Bromélia Bromélia Bromélia-gigante Gravatá, Bromélia Bromélia Bromélia Bromélia Bromélia Bromélia Ripsális, Cacto-macarrão Conambaia, Cacto-de-árvore Cacto-de-árvore Cacto-macarrão, Rabo-derato

Ameaçada

Pimenteira Beri-silvestre, Biri-silvestre, Bananeirinha Embaúba Embaúba, Árvore-dapreguiça, EmbaúbaVermelha, Imbaúba, Pau-de-lixa, Pau-formiga

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

237


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 147

Divisão

Família

Magnoliophyta

Cecropiaceae

148

Magnoliophyta

Cecropiaceae

149

Magnoliophyta

Celastraceae

150

Magnoliophyta

Chloranthaceae

151

Magnoliophyta

Chrysobalanaceae

152

Magnoliophyta

Clethraceae

153

Magnoliophyta

Clusiaceae

154

Magnoliophyta

Clusiaceae

155

Magnoliophyta

Commelinaceae

Commelina diffusa Burm. f.

Trapoeraba

156 157 158

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Commelinaceae Commelinaceae Commelinaceae

Erva-de-santa-luzia Trapoeraba-açu Trapoeraba-azul

159

Magnoliophyta

Commelinaceae

Commelina obliqua Kunth Commelina robusta Kunth Dichorisandra cf. thyrsiflora Dichorisandra hexandra (Aubl.) Stand.

160

Magnoliophyta

Commelinaceae

Dichorisandra sp.

161

Magnoliophyta

Commelinaceae

Gibasis geniculata Jacq.

162

Magnoliophyta

Commelinaceae

Tradescantia sellowiana Kunth

Espécie Cecropia pachystachya Trécul Coussapoa microcarpa (Schott) Rizz. Maytenus schumanniana Loes. Hedyosmum brasiliense Mart. ex Miq. Hirtella hebeclada Moric. ex A. DC. Clethra scabra Pers. Clusia criuva Camb. Garcinia gardneriana Planch. et Triana

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Embaúva Boiassúcanga, Caimbé-Í, Framboesa-de-Árvore Sustento, Cuinha Erva-cidreira, Chá-de-bugre, Chá-deíndio, Cidreira-do-mato, Erva-de-soldado, Limãozinho-do-mato Cinzeiro, Uvá-de-facho, Ubá Pau de cinzas, Carne de vaca, Vassourão Mangue-do-mato Bacupari Least Concern

Cana-de-macaco Marianhinha, Gengibre-azul Trapoeraba Trapoeraba, Marianinha, Trapoeraba-flor-rósea

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

238


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

163

Magnoliophyta

Commelinaceae

Tripogandra diuretica Kunth

164 165 166 167

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Convolvulaceae Cornaceae Costaceae Cucurbitaceae

168

Magnoliophyta

Cuniniaceae

169

Magnoliophyta

Cunoniaceae

170 171 172 173

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Cunoniaceae Cyperaceae Cyperaceae Cyperaceae

174

Magnoliophyta

Cyperaceae

175 176

Magnoliophyta Magnoliophyta

Cyperaceae Cyperaceae

Ipomoea cardiosepala Meissn. Griselinia ruscifolia (Clos.)Taubert Costus spiralis (Jacq.)Roscoe Cayaponia palmata Cogn. Lamanonia speciosa (Camb.) L. B. Sm. Weinmania cf. paulliniifolia Pohl ex Seringe Weinmania sp. Becquerelia cymosa Brongn. Bulbostylis sp. Cyperus aff. pohlii (Nees) Steud. Calyptrocarya longifolia (Rudge) Kunth Cyperus breviflorus A. Dietr. Cyperus cf. haspan L.

177

Magnoliophyta

Cyperaceae

Cyperus diffusus Vahl

Cíperos, Junça

178 179

Magnoliophyta Magnoliophyta

Cyperaceae Cyperaceae

Capim-de-Botas

180

Magnoliophyta

Cyperaceae

181

Magnoliophyta

Cyperaceae

182

Magnoliophyta

Cyperaceae

183

Magnoliophyta

Cyperaceae

184

Magnoliophyta

Cyperaceae

Cyperus luzulae (L.) Retz. Cyperus pohlii (Nees) Steud. Cyperus prolixus Humb., Bonpl. & Kunth Eleocharis geniculata (L.) Roem. & Schult. Eleocharis mutata (L.) Roem. & Schult. Rhynchospora brasiliensis Boeck. Rhynchospora holoschoenoides (Rich.) Herter

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA MMA IUCN

Trapoeraba, Marianinha, Trapoeraba-flor-rósea Erva-de-passarinho Cana-de-macaco Guaraperê Gramimunha

Barba-de-bode

Junquinho Least Concern

Pripriocão Least Concern Junco

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

239


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 185 186

Divisão

Família

Magnoliophyta Magnoliophyta

Cyperaceae Cyperaceae

Rhynchospora sp. Scleria hirtella Sw.

187

Magnoliophyta

Cyperaceae

Scleria pterota Presl

188 189 190 191

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Cyperaceae Cyperaceae Dilleniaceae Dilleniaceae

192

Magnoliophyta

Dioscoreaceae

193

Magnoliophyta

Elaeocarpaceae

194

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

195

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

196

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

197

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

198 199 200

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Euphorbiaceae Euphorbiaceae Euphorbiaceae

201

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

202

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

203

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

204

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

205

Magnoliophyta

Euphorbiaceae

206

Magnoliophyta

Flacourtiaceae

Scleria secans (L.) Urb. Scleria sp. Davilla rugosa Poir. Doliocarpus schottianus Eichl. Dioscorea cf. scabra Humb., Bonpl. ex Willd. Sloanea cf. guianensis (Aubl.) Benth. Alchornea glandulosa Poepp. & Endl. Alchornea sidaefolia Baill. Alchornea triplinernia (Spreng.) Müll. Arg. Alchornea triplinervia (Spreng.) M. Arg. Aparisthmium cordatum Baill. Casearia decandra Jacq. Croton floribundus Spreng. Hyeronima alchorneoides M. Allem. Pera glabrata (Schott) Baill. Phillanthus stipulatus (Raf.) Webster Sapium glandulatum (Vell.) Pax. Tetrorchydium rubrivenium Poepp. Casearia decandra Jacq.

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN

Barba-de-bode Navalha-de-mico Navalha-de-Macaco, Capim-navalha Tiriricão Capim-navalha Cipó-caboclo Cipó-caboclo

Laranjeira-do-mato

Tapiá-guaçu Pau-óleo Tapiá Pau-de-facho, Pau-sandra Canemão Capixingui, Velame Licurana Tabocuva

Leiteiro Canemão Guaçatunga

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

240


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 207 208 209 210 211

Divisão

Família

Espécie

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Flacourtiaceae Flacourtiaceae Flacourtiaceae Gentianaceae Gesneriaceae

212

Magnoliophyta

Gesneriaceae

213

Magnoliophyta

Gesneriaceae

214

Magnoliophyta

Gesneriaceae

215

Magnoliophyta

Gesneriaceae

216

Magnoliophyta

Gesneriaceae

217

Magnoliophyta

Gesneriaceae

218

Magnoliophyta

Gesneriaceae

219 220

Magnoliophyta

Gesneriaceae Gesneriaceae

Casearia obliqua Spreng. Casearia sp. Casearia sylvestris Sw. Macrocarpae rubra Malme Codonanthe devosiana Lem. Codonanthe gracilis (Mart.) Hanst. Napeanthus primulifolius (Raddi) Sandw. Nematanthus cf. australis A. Chautems Nematanthus jolyanus (Handro) A. Chautems Nematanthus tessmanii (Hoehne) Chautems Nematanthus tessmanii X fissus Sinningia douglasii (Lindl.) Chautems Sinningia sp. Napeanthus reitzii

221

Magnoliophyta

Heliconiaceae

Heliconia velloziana Emygdio

222

Magnoliophyta

Hypoxidaceae

Hypoxis decumbens Aubl.

223 224 225 226

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Lamiaceae Lamiaceae Lamiaceae Lamiaceae

Hyptis fasciculata Benth. Hyptis floribunda Briq. Hyptis inodora Schranke Ocimum selloi Benth.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Estralador Guaçatunga Cafezeiro-bravo

Codonante

Rainha-do-abismo Rainha-do-abismo Helicônia, Caetê, Bananeira-do-brejo, Bananeira-ornamental, Caeté, Papagaio Tiririca-de-flor-amarela, Falsa-tiririca, mariçó-bravo Erva-canudo

Alfavaquinha

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

241


Continuação do anexo 3 Número de Espécie s

Divisão

Família

227

Magnoliophyta

Lamiaceae

Scutellaria uliginosa A. St.- Hil.

228

Magnoliophyta

Lauraceae

Cryptocaria aschersoniana Mez

Canela-nhutinga

229

Magnoliophyta

Lauraceae

Endlicheria paniculata

230

Magnoliophyta

Lauraceae

Nectandra leucantha Nees

231

Magnoliophyta

Lauraceae

Canela-toiça, Canela-sebo Canela-seca, Canelabranca Canela-amarela, Canela-amarela-de-cheiro

232

Magnoliophyta

Lauraceae

233 234 235 236

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Lauraceae Lauraceae Lauraceae Lauraceae

237

Magnoliophyta

Lecythidaceae

238

Magnoliophyta

239

Magnoliophyta

240

Magnoliophyta

241

Magnoliophyta

242

Magnoliophyta

243

Magnoliophyta

244

Magnoliophyta

Status de conservação Espécie

Leguminosae Caesalpinioideae Leguminosae Caesalpinioideae Leguminosae Caesalpinioideae Leguminosae Caesalpinioideae Leguminosae Caesalpinioideae Leguminosae Caesalpinioideae Leguminosae Faboideae

Ocotea aciphylla Nees et Mart. ex Nees Ocotea cf. corymbosa (Meissn.) Mez Ocotea puberula (Rich.) Nees Ocotea pulchella Mart. Ocotea teleiandra Mez Persea sp. Cariniana estrellensis (Raddi) Kuntze Andira fraxinifolia Benth.

Nome Vulgar

LISTA MMA

LISTA IUCN

Baixo risco

Canela-amarela Canela-guaicá Canela-lageana Canela-pimenta

Baixo risco

Jequitibá-branco Pau-angelim

Bauhinia cf. microstachya (Raddi) Pata-de-vaca-de-baraço J. F. Macbr. Platymiscium floribundum Vog. Schizolobium parahybae (Vell.) Blake Senna multijuga (Rich.) H. S. Irwin & Barneby

Jacarandá-pitanga Guapuruvu Caquera

Senna sp.

Aleluieira

Acacia recurva Benth.

Nhapindá

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

242


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

245

Magnoliophyta

246

Magnoliophyta

247

Magnoliophyta

248

Magnoliophyta

249

Magnoliophyta

250

Magnoliophyta

Leguminosae Faboideae

Desmodium incanum DC.

251

Magnoliophyta

Leguminosae Faboideae

Erythryna cf. speciosa

252

Magnoliophyta

253

Magnoliophyta

254

Magnoliophyta

255

Magnoliophyta

256

Magnoliophyta

Família

Espécie

Leguminosae Faboideae Leguminosae Faboideae Leguminosae Faboideae Leguminosae Faboideae Leguminosae Faboideae

-

Leguminosae Faboideae Leguminosae Faboideae Leguminosae Faboideae

Andira anthelmintica (Vog.) Benth. Dahlstedtia pentaphylla (Taub.) Burkart

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Jacarandá-lombriga Falsa-eritrina, Timbó

Dalbergia brasiliensis Vog.

Jacarandá

Dalbergia frutescens Britton

Rabo-de-bugio

Desmodium adscendens (Sw.) DC.

Pega-pega, Amoragarrado, Carrapicho, Carrapicho-beiço-de-boi, Agarra-agarra, Amor-docampo, Amorzinho-seco, Barba-de-boi, Beiço-deboi Mulungu-do-litoral, Mulungu, Eritrinacandelabro, Corticeira, Eritrina-vermelha

Lonchocarpus cf. leucanthus Burkart

Rabo-de-mico

Lonchocarpus sp.

Timbó-do-graúdo

Machaerium sp.

Jacarandá

Leguminosae Faboideae

Mucuna urens L. DC.

Coronha, Olho-de-boi, Olho-de-burro, Pó-demico

Leguminosae Faboideae

Ormosia arborea (Vell.) Harms

Olho-de-cabra

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

243


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

257

Magnoliophyta

258

Magnoliophyta

259

Magnoliophyta

260

Magnoliophyta

261

Magnoliophyta

262

Magnoliophyta

263

Magnoliophyta

264

Magnoliophyta

265

Magnoliophyta

266

Magnoliophyta

267

Magnoliophyta

268

Magnoliophyta

269

Magnoliophyta

270

Magnoliophyta

Loganiaceae

271

Magnoliophyta

Loganiaceae

272

Magnoliophyta

Loganiaceae

273

Magnoliophyta

Loganiaceae

Família

Espécie

Leguminosae Faboideae Leguminosae Faboideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae Leguminosae Mimosoideae

Nome Vulgar

Pterocarpus rohri

Pau-sangue

Pterocarpus violaceus Vog.

Pau-sangue

Acacia grandistipula Benth.

Arranha-gato-de-babado

Dinizia excelsa Ducke

Angelim-pedra

Inga edulis Mart.

Inga-de-metro

Inga luschmatiana Benth.

Ingaçú

Inga marginata Humb., Bonpl. & Kunth

Ingá-feijão, Ingá

Inga marginata Willd.

Ingá-feijão, Ingá

Inga sessilis (Vell.) Mart.

Ingá-macaco

Inga spp.

Ingá

Piptadenia paniculata Benth.

Angico

Pseudopiptadenia warmingii (Harms) Burk.

Caovi

Zollernia ilicifolia (Brongn.) Vog.

Falsa-espinheira-santa

Spigelia dusenii L.B. Smith Spigelia tetraptera Taub. ex L. B. Sm. Spigellia sp. Strychnos brasiliensis (Spreng.) Mart.

Esporão-de-galo, Saltamartinho

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

244


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

274

Magnoliophyta

Loganiaceae

Strychnos trinervis (Vell.) Mart.

Quina-cruzeiro

275

Magnoliophyta

Loranthaceae

Struthanthus sp.

276

Magnoliophyta

Loranthaceae

Struthanthus vulgaris Mart.

Erva-de-passarinho Erva-de-passarinho-dafolha-graúda

277

Magnoliophyta

Lythraceae

278

Magnoliophyta

Lythraceae

279 280 281 282 283

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Magnoliaceae Malpighiaceae Marantaceae Marantaceae Marantaceae

284

Magnoliophyta

Marcgraviaceae

Marcgravia polyantha Delpino

285 286 287

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae

Bertolonia acuminata Gardner Bertolonia mosenii Cogn. Clidemia blepharodes DC.

288

Magnoliophyta

Melastomataceae

Clidemia hirta D. Don

289

Magnoliophyta

Melastomataceae

290

Magnoliophyta

Melastomataceae

291

Magnoliophyta

Melastomataceae

Leandra australis Cogn. Leandra cf. quinquedentata (DC.) Cogn. Leandra cordifolia (Naud.) Cogn.

Espécie

Cuphea carthagenensis (Jacq.) Macbr. Heimia myrtifolia Cham. & Schltdl. Talauma ovata St. Hil. Heteropterys aenea Griseb. Ctenanthe sp. Maranta divaricata Roscoe Stromanthe tonckart (Aubl.) Eichl.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Sete-sangrias Erva-da-vida Baguaçu Caetê

Hera-das-árvores, Dragona

Anhangapiri Pixirica, Meleca-decachorro Pixirica

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

245


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

292

Magnoliophyta

Melastomataceae

293 294 295 296 297 298 299 300 301 302

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae

303

Magnoliophyta

Melastomataceae

304

Magnoliophyta

Melastomataceae

305

Magnoliophyta

Melastomataceae

Miconia cubatanensis Hoehne

Pixirica

306 307

Magnoliophyta Magnoliophyta

Melastomataceae Melastomataceae

Miconia dodecandra (Desv.) Cogn. Miconia fasciculata Gardner

Pixirica Pixirica

308

Magnoliophyta

Melastomataceae

Miconia latecrenata (DC.) Naudin

Pixirica

309 310 311

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae

Pixirica Pixirica Pixirica

312

Magnoliophyta

Melastomataceae

313

Magnoliophyta

Melastomataceae

314

Magnoliophyta

Melastomataceae

Miconia pusilliflora (DC.) Naudin Miconia rigidiuscula Miconia sp. Miconia tristis Wurdack ssp. australis Ossaea cf. marginata (Desr.) Triana Ossaea confertiflora (DC.) Triana

Espécie Leandra dasytricha (A. Gray) Cogn. Leandra echinata Cogn. Leandra laevigata (Triana) Cogn. Leandra melastomoides Raddi Leandra reversa (DC.) Cogn. Leandra scabra DC. Leandra sp1 Leandra sp2 Miconia cabucu Hohene. Miconia cf. sellowiana Naudin Miconia chartacea Triana Miconia cinerascens Miq. var. robusta Miconia cinnamomifolia (DC.) Naud.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Pixirica-rosa Pixiriquinha Pixirica

Pixiricão Pixirica Mexeriquinha Jacatirão Jacatirão-de-copada

Pixirica

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

246


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

Espécie

315 316 317

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae

318

Magnoliophyta

Melastomataceae

319

Magnoliophyta

Melastomataceae

320 321 322 323 324 325 326 327 328 329 330 331 332 333

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Melastomataceae Melastomataceae Melastomataceae Meliaceae Meliaceae Meliaceae Meliaceae Menispermaceae Menispermaceae Monimiaceae Monimiaceae Monimiaceae Monimiaceae Monimiaceae

334

Magnoliophyta

Monimiaceae

335 336 337 338

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Monimiaceae Moraceae Moraceae Moraceae

Pleiochiton glaziovianum Cogn. Pleiochiton sp1. Pterolepis glomerata (Rottb.) Miq. Tibouchina clavata (Pers.) Wurdack Tibouchina clinopodifolia (DC.) Cogn. Tibouchina multiceps Cogn. Tibouchina pulchra (Cham.) Cogn. Tibouchina reitzii Brade Cabralea canjerana (Vell.) Mart. Cedrela fissilis Vell. Guarea macrophylla Vahl. Trichilia cassareti C. DC. Abuta selloana (Benth.) Eichl. Cissampelos andromorpha DC. Mollinedia schottianna Perkins Mollinedia sp. Mollinedia sp1 Mollinedia sp2 Mollinedia sp3 Mollinedia triflora (Spr.) Tul., M. Uleana. Perk. Mollinedia uleana Perkins Dorstenia sp. Ficus sp. Ficus gomelleira

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Orelha-de-onça

Jacatirão Quaresmeira-miúda Canjerana Cedro-rosa Baga-de-morcego

Em perigo

Butua, Uva-de-gentio Batatarana Pimenteira Pimenteira

Pimenteira-miuda Erva-de-Santo-Antônio Figueira-branca Gameleira-branca

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

247


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 339 340 341 342 343 344

Divisão

Família

Espécie

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Moraceae Musaceae Musaceae Musaceae Myristicaceae Myristicaceae

345

Magnoliophyta

Myristicaceae

346 347 348 349

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Miristicaceae Myristicaceae Myristicaceae Myrsinaceae

350

Magnoliophyta

Myrsinaceae

Sorocea bonplandii Musa cf. sapientum L. Musa rosacea Jacq. Musa ornata Virola oleifera (Schott.) A.C.Smith Conomorpha peruviana A. DC. Myrsine coriacea (Sw.) R. Br. ex Roem. & Schult. Virola guianensis Myrsine sp. Myrsine umbellata Mart. Rapanea ferruginea (R & P.) Mez. Rapanea umbellata (Mart. ex. A. D. C.) Mez

351

Magnoliophyta

Myrtaceae

Calycorectes australis Legrand

352 353 354

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae

355

Magnoliophyta

Myrtaceae

356 357 358 359

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae

Calypthranthes grandifolia Berg. Calyptranthes sp1 Calyptranthes sp2 Campomanesia xanthocarpa Berg. Eugenia cuprea (O. Berg) Nied Eugenia leitonii Legr. Eugenia multicostata D. Legrand Eugenia sp.

360

Magnoliophyta

Myrtaceae

Eugenia stigmatosa DC.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Espinheira-santa Banana-da-terra Banana-flor Banana-flor Bocuva Capororoquinha Capororoca Bocuva Capororoca Capororocão Capororoca Capororocão

Guapurunga

Guabiroba Cereja-do-cerrado Goiabão Araçá-piranga, Pau-alazão Jambeiro Vapurunga, UvaiaVermelha

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

248


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

361

Magnoliophyta

Myrtaceae

362

Magnoliophyta

Myrtaceae

Gomidesia cf. spectabilis (DC.) Berg Gomidesia flagelaris Legr.

363

Magnoliophyta

Myrtaceae

Gomidesia schaueriana Berg.

Guamirim-araçá

364 365 366 367 368 369

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae

Gomidesia spectabilis Marlieria cf. reitzii Marlieria obscura Berg. Marlieria sylvatica Berg. Marlieria tomentosa Camb. Myrceugenia sp.

Jaguapiroca Guapurunga Guaporanga Guamirim

370

Magnoliophyta

Myrtaceae

Myrcia acuminatissima Berg.

Batitô

371 372 373 374

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae Myrtaceae

Myrcia Myrcia Myrcia Myrcia

Caingá Guamirim-de-folha-miúda Folha-miúda, Maria-preta

375

Magnoliophyta

Myrtaceae

Psidium guajava L.

Goiabeira

376

Magnoliophyta

Myrtaceae

Psidium sp.

Araçá

377

Magnoliophyta

Nyctaginaceae

Guapira opposita

Maria-mole2

378

Magnoliophyta

Nyctaginaceae

Neea schwackeana Heimerl

Maria-mole

379

Magnoliophyta

Nyctaginaceae

Pisonia sp.

Maria-mole3

380

Magnoliophyta

Ochnaceae

Ouratea parviflora (DC.) Baill.

Canela-veado

381

Magnoliophyta

Ochnaceae

Sauvagesia erecta L.

382

Magnoliophyta

Olacaceae

Histeria silvianii Schwacke

Erva-de-são-martinho Brinco-de-mulata, Casca-de-tatu

383

Magnoliophyta

Onagraceae

384

Magnoliophyta

Onagraceae

Espécie

cf. formosiana DC. cf. hatschbachii rostrata DC. sp.

Fuchsia regia (Vand. ex Vell.) Muniz Ludwigia octovalvis (Jacq.) Raven

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Guamirim-folha-gigante Guamirim-miúdo

Brinco-de-princesa Cruz-de-malta

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

249


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

385

Magnoliophyta

Orchidaceae

386

Magnoliophyta

Orchidaceae

387

Magnoliophyta

Orchidaceae

388 389 390 391

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

392 393 394 395 396

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

397

Magnoliophyta

Orchidaceae

398 399 400 401 402 403

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

404

Magnoliophyta

Orchidaceae

405

Magnoliophyta

Orchidaceae

406 407 408 409

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

Espécie Bifrenaria cf. harrisoniae (Hook.) Richb. f. Bifrenaria sp1 Campylocentrum aromaticum Barb. Rodr. Cyclopogon cf. multiflorus Schltr. Dichaea ancorifera Cogn. Dichaea australis Cogn. Dichaea pendula (Aubl.) Cogn. Elleanthus brasiliensis Rchb. f. Encyclia fragrans (Sw.) Lemée Encyclia inversa (Lindl.) Pabst Encyclia patens Hook. Encyclia vespa (Vell.) Dressler Epidendrum armeniacum (Lindl.) Brieger ex Pabst Epidendrum densiflorum Hook. Epidendrum latilabre Lindl. Epidendrum ramosum Jacq. Epidendrum rigidum Jacq. Epidendrum sp1 Epidendrum strobiliferum Rchb. Eulophia cf. alta (L.) Fawc. & Rendl. Gomesa crispa (Lindl.) Klotzsch ex Rchb. f. Gomesa paranaensis Krzl. Habenaria repens Nutt. Habenaria sp. Lanium avicola Lindl. Ex Benth.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Orquídea

Orquídea

Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea

Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea Orquídia-da-praia Orquídea Orquídea Orquídea Orquídia Orquídea-terrestre Orquídia

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

250


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

410

Magnoliophyta

Orchidaceae

411

Magnoliophyta

Orchidaceae

412

Magnoliophyta

Orchidaceae

413

Magnoliophyta

Orchidaceae

414 415 416 417

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

418

Magnoliophyta

Orchidaceae

419 420 421

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

422

Magnoliophyta

Orchidaceae

423 424 425 426 427 428 429 430 431 432

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

Espécie Lankesterella ceracifolia (Barb. Rodr.) Mansf. Lokhartia lunifera (Lindl.) Rchb. f. Maxillaria bradei Schltr. ex Hoehne Maxillaria brasiliensis Brieger & R. D. Illg Maxillaria imbricata Rodr. Maxillaria leucaimata Barb. Rodr. Maxillaria marginata Fenzl Maxillaria notyglossa Rchb. f. Maxillaria parviflora (Poepp. & Endl.) Garay Maxillaria sp. Maxillaria sp1 Maxillaria sp2 Octomeria cf. iguapensis Schlecht. Octomeria fibrifera Schltr. Octomeria grandiflora Lindl. Oncidium cornigerum Lindl. Oncidium flexuosum Sims. Oncidium longipes Lindl. Phymatidium delicatum Lindl. Phymatidium falcifolium Lindl. Pleurothallis auriculata Lindl. Pleurothallis exaltata Rodr. Pleurothallis hypnicola Lindl.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Orquídia

Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea

Orquídea-chuva-de-ouro Orquídea, Dama-dançante Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea Orquídea

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

251


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

433 434 435 436 437

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

438

Magnoliophyta

Orchidaceae

439

Magnoliophyta

Orchidaceae

440

Magnoliophyta

Orchidaceae

441

Magnoliophyta

Orchidaceae

442

Magnoliophyta

Orchidaceae

443

Magnoliophyta

Orchidaceae

444 445 446 447

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae Orchidaceae

448

Magnoliophyta

Orchidaceae

449

Magnoliophyta

Passifloraceae

450 451 452 453 454 455

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Phytolaccaceae Phytolaccaceae Piperaceae Piperaceae Piperaceae Piperaceae

456

Magnoliophyta

Piperaceae

Espécie Pleurothallis pubescens Lindl. Pleurothallis punctata Lindl. Pleurothallis seriata Lindl. Pleurothallis sp1. Pleurothallis trifida Lindl. Polystachya concreta (Jacq.) Garay & H. R. Sweet Prescottia cf. densiflora Lindl. Promenaea stapelioides (Link. & Otto) Lindl.

Reichenbachanthus reflexus (Lindl.) Porto & Brade Rodriguesia bracteata (Vell.) Hoehne Scaphyglottis modesta (Rchb. f.) Schltr. Stelis dusenii Garay Stelis mucronata Porsch Stelis porschiana Schltr. Trigonidium latifolium Lindl. Xylobium variegatum (Ruiz & Pavón) Mansf.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN

Orquídea Orquídea

Orquidea-cacho-debanana Promenea

Orquídea

Orquídea-miúda Orquídea Orquídea-bananinha

Maracujá-amarelo, Maracujá-roxo, Maracujá Phytolacca dioica L. Umbu, Umbuzeiro Seguieria glaziovii Briq. Limoeiro-do-mato Peperomia alata Ruiz & Pav. Peperomia Peperomia corcovadensis Gardner Erva-de-vidro Peperomia glabella (Sw.) A. Dietr. Peperomia glaziouii C. DC. Passiflora edulis Sims

Peperomia pereskiaefolia (Jacq.) Humb., Bonpl. Kunth.

Erva-de-vidro

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

252


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 457

Divisão

Família

Magnoliophyta

Piperaceae

458

Magnoliophyta

Piperaceae

459

Magnoliophyta

Piperaceae

460 461

Magnoliophyta Magnoliophyta

Piperaceae Piperaceae

Peperomia pseudoestrellensis C. DC. Peperomia quadrifolia (L.) Humb. Bonpl. Kunth. Peperomia rupestris Humb. Bonpl. Kunth. Peperomia tenella (Sw.) A. Dietr. Peperomia urocarpa Fisch. & Meyer

462

Magnoliophyta

Piperaceae

Piper aduncum L.

463

Magnoliophyta

Piperaceae

Piper arboreum Aubl.

464 465 466

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Piperaceae Piperaceae Piperaceae

Piper caldense C. DC. Piper cernuum Vell. Piper dilatatum Rich.

467

Magnoliophyta

Piperaceae

Piper gaudichaudianum Kunth

468 469 470 471 472 473 474 475 476

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Piperaceae Piperaceae Piperaceae Poaceae Poaceae Poaceae Poaceae Poaceae Poaceae

Piper lindbergii DC. Piper solmsianum C. DC. Piper sp. Acroceras zizanioides (Kunth) Dandy Andropogon bicornis L. Axonopus fissifolius (Raddi) Kuhlmann Bambusa cf. tuldoides Munro Bambusa sp. Uruchoa decumbens Stapf

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Erva-de-vidro

Erva-de-vidro Falso-jaborandi, Jaborandi, Aperta-ruão, Pimenta-longa, Pimenta-de-macaco Pimenta-de-macaco, Jaborandi Jaborandi Pariparoba Pariparova, Jaborandi, Murta, Paripaioba, Pariparoba, Pimenteirado-mato Pau-de-junta

Braquiária-D’Água Capim-rabo-de-burro, Grama, Grama-Tapete Bambú-Brasil Bambú Braquiária

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

253


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

477

Magnoliophyta

Poaceae

Uruchoa mutica (Forsk.) Stapf

478

Magnoliophyta

Poaceae

479

Magnoliophyta

Poaceae

480

Magnoliophyta

Poaceae

481

Magnoliophyta

Poaceae

482

Magnoliophyta

Poaceae

483

Magnoliophyta

Poaceae

Chusquea oxylepsis Eragrostis bahiensis (Schrad. ex Schult.) Schult. Erianthus asper Nees Homolepis glutinosa (Sw.) Zuloaga & Soderstr. Hymenachne donacifolia (Raddi) Chase Ichnanthus pallens (Sw.) Munro ex Benth.

484

Magnoliophyta

Poaceae

485 486 487

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Poaceae Poaceae Poaceae

Merostachys sp1 Merostachys sp2 Olyra micrantha Kunth

488

Magnoliophyta

Poaceae

Panicum cf. rivulare Trin.

489 490

Magnoliophyta Magnoliophyta

Poaceae Poaceae

491

Magnoliophyta

Poaceae

492 493 494 495 496 497 498 499

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Poaceae Poaceae Poaceae Poaceae Poaceae Poaceae Poaceae Polygalaceae

Panicum polygonatum Schrad. Panicum sp. Panicum surrectum Zuloaga & Morrone Paspalum dilatatum Poir. Paspalum urvillei Steud.l Paspalum wettsteinii Hack. Pennisetum purpureum K. Schum. Poaceae NI1 Poaceae NI2 Setaria poiretiana (Schult.) Kunth Polygala laureola A.St. Hil.

Espécie

Melinis minutiflora P. Beauv.

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Braquiária, Capimangola, Criciúma

Capim-rabo-de-boi

Capim-rabo-de-pato

Capim-gordura, Capimmeloso

Taquari Capim-gigante-dasbaixas

Capim-das-roças Capim-das-roças Capim-elefante

Capim-canoão

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

254


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

500

Magnoliophyta

Polygalaceae

501 502 503

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Proteaceae Proteaceae Quiinaceae

Polygonum acuminatum Humb. Bonpl. & Kunth Euplassa cantareirae Sleumer Roupala brasiliensis Klotz. Quiina glaziovii Engl.

504

Magnoliophyta

Rosaceae

Rubus rosifolius Stokes var. rosifolius

505

Magnoliophyta

Rosaceae

Rubus sp.

506

Magnoliophyta

Rubiaceae

507

Magnoliophyta

Rubiaceae

508

Magnoliophyta

Rubiaceae

509

Magnoliophyta

Rubiaceae

Diodia alata Nees & Mart.

510

Magnoliophyta

Rubiaceae

511

Magnoliophyta

Rubiaceae

512 513 514 515 516 517 518

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Rubiaceae Rubiaceae Rubiaceae Rubiaceae Rubiaceae Rubiaceae Rubiaceae

519

Magnoliophyta

Rubiaceae

520 521 522

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Rubiaceae Rubiaceae Rubiaceae

Diodia radula Cham. & Schltdl. Diodia saponariifolia (Cham. & Schltdl.) K. Schum. Diodia sp. Geophila repens (L.) I. M. Johnst. Hillia illustris (Vell.) K. Schum. Manettia congesta (Vell.) K. Schum. Manettia congestoides Wernham Palicourea cf. blanchetiana Schlecht. Psichotria sp. Psychotria nuda (Cham. & Schltdl.) Wawra Psychotria pubigera Schltdl. Psychotria suterella M. Arg. Rudgea jasminoides (Cham.) M. Arg.

Espécie

Bathysa meridionalis L. B. Sm. & Downs Coccocypselum condalia Pers. Coccocypselum lanceolatum (Ruiz & Pavon) Pers

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Erva-de-bicho Carvalho Carvalho-brasileiro Juvarana Amora-vermelha, Amora-brava Framboesa, Framboeseira Macuqueiro Cauáborí Piririca Erva-de-lagarto, Poaiado-brejo Ervanço-Preto Poaia-do-brejo Tapioca-de-Inhambu

Erva-de-rato Erva-d’anta Erva-d’anta Jasmin-do-mato Casca-d’anta Véu-de-noiva

Ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

255


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 523

Divisão

Família

Magnoliophyta

Rutaceae

Pilocarpus pauciflora

Jaborandi

524

Magnoliophyta

Rutaceae

Zanthoxyllum hyemalis

Tambetaruga

525

Magnoliophyta

Rutaceae

Zanthoxyllum rhoifolium Lam.

526 527 528 529 530 531 532 533 534 535

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Sabiaceae Sapindaceae Sapindaceae Sapindaceae Sapindaceae Sapindaceae Sapindaceae Sapindaceae Sapindaceae Sapindaceae

Meliosma sellowii Allophyllus cf. petiolulatus Radlk. Allophyllus sp Cupania oblongifolia Matayba guianensis Aubl. Matayba junglandifolia (Camb.) Radlk. Paullinia carpopodea Camb. Paullinia meliaefolia A. Juss. Paullinia torta (Mart.) Radlk. Serjania spp.

536

Magnoliophyta

Sapotaceae

Chrysophyllum cf. marginatum Radlk.

537 538

Magnoliophyta Magnoliophyta

Sapotaceae Sapotaceae

539

Magnoliophyta

Sapotaceae

540

Magnoliophyta

Sapotaceae

Chrysophyllum dusenii Cronquist Chrysophyllum sp Chrysophyllum viride Mart. & Eichl. ex Miq. Manilkara subsericea (Mart.) Dubard

541

Magnoliophyta

Sapotaceae

Pouteria sp.

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Mamica-de-porca, Tembetari Sabiá Vacum-de-folha-larga Vacum Cuvatã Camboatá Camboatá Timbó-peba Cipó-uva Aguaí, Aguaí-vermelho, Vassourinha Tabica Guacá Guacá-de-leite

Baixo risco

Maçaranduba Abio, Abiu, Abiurana, Guapeva, Pariri

Baixo risco

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

256


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 542

Divisão

Família

Magnoliophyta

Sapotaceae

543

Magnoliophyta

Scrophullariaceae

544

Magnoliophyta

Scrophullariaceae

545 546

Magnoliophyta Magnoliophyta

Smilacaceae Smilacaceae

Smilax cf. cognata Kunth Smilax sp.

547

Magnoliophyta

Solanaceae

Acnistus arborescens (L.) Schult.

548

Magnoliophyta

Solanaceae

Brunfelsia pauciflora Benth.

549

Magnoliophyta

Solanaceae

Cestrum amictum Schltdl.

550

Magnoliophyta

Solanaceae

Cyphomandra diploconos

551 552 553

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Solanaceae Solanaceae Solanaceae

Solanum affine Sendtn. Solanum americanum Mill. Solanum cf. caavurana Vell.

554

Magnoliophyta

Solanaceae

Solanum fastigiatum Willd.

555

Magnoliophyta

Solanaceae

Solanum pseudoquina A. St.- Hil.

556

Magnoliophyta

Solanaceae

Solanum sp.

Espécie Pouteria torta (Mart.) Radlk. Achetaria ocymoides (Cham. & Schltdl.) Wettst. Lindernia rotundifolia (L.) Alston

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Abio

Caobá, Papaterra, Terezinha-do-mar Japecanga

Least Concern

Coarana, Fruta-depombo, Grão-de-galo, Marianeira Manacá-de-cheiro, Geretataca, Caágamba, Mercúrio, Romeu-ejulieta, Gerataca, Mercuri Coerana Baga-de-bugre, Bagade-veado

Baixo risco/ Quase Ameaçada

Aguaraguá, Araxim Caavurana Jurubeba-verdadeira, Jupeba, Juribeba, Jurupeba, Gerobeba, Joá-manso Buquê-de-noiva, Canema, Coerana-do-mato, Guaxixim Barrileira

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

257


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

557

Magnoliophyta

Solanaceae

Solanum viarum Dunal

558

Magnoliophyta

Styracaceae

Styrax sp.

559

Magnoliophyta

Theaceae

Gordonia fruticosa (Schrad.) H. Keng

560

Magnoliophyta

Tiliaceae

Triumfetta semitriloba L.

561

Magnoliophyta

Ulmaceae

Trema micrantha (L.) Blüme

562

Magnoliophyta

Urticaceae

Boehmeria caudata Sw.

563

Magnoliophyta

Urticaceae

Urera nitida (Vell.) P. Brack

Urtigão

564 565 566 567 568

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta

Verbenaceae Verbenaceae Verbenaceae Verbenaceae Verbenaceae

Aegiphila sellowiana Cham. Citharexylum myrianthum Cham. Lantana camara L. Stachytarpheta maximiliani Schranke Verbena multiflora Briq. Ex Moldenke

Tamanqueira Tucaneira Cambará, Cambarazinho

569

Magnoliophyta

Verbenaceae

Vitex polygama Cham.

570 571 572 573 574 575 576 577

Magnoliophyta Magnoliophyta Magnoliophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Vochysiaceae Zingiberaceae Zingiberaceae Aspleniaceae Aspleniaceae Aspleniaceae Aspleniaceae Aspleniaceae

578

Pteridophyta

Blechnaceae

579

Pteridophyta

Blechnaceae

Vochysia bifalcata Warm. Hedychium coronarium Koehne Renealmia petasites Gagnep. Asplenium mucronatum C. Presl Asplenium pteropus Kaulf. Asplenium scandicinum Kaulf. Asplenium serra Langsd. & Fisher. Asplenium serratum L. Blechnum binervatum ssp. Acutum (Desv.) R.M. Tryon & Stolze Blechnum brasiliense Desv.

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Joá-vermelho, Matacavalo Pau-de-santa-rita, Santa-rita Amor-do-campo, Guaxuma Crindiúva Assa-Peixe, Urtigamansa, Folha-de-Sant´ana

Tarumã-azul, Tarumade-folha-larga Guaricica Lírio-do-Brejo Pacová

Samambaia

Samambaia Xaxim

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

258


Continuação do anexo 3 Número de Espécies 580 581 582

Divisão

Família

Espécie

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Blechnaceae Blechnaceae Blechnaceae

583

Pteridophyta

Cyatheaceae

584 585

Pteridophyta Pteridophyta

Cyatheaceae Cyatheaceae

586

Pteridophyta

Davalliaceae

587 588 589 590

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Dennstaedtiaceae Dryopteridaceae Dryopteridaceae Dryopteridaceae

591

Pteridophyta

Dryopteridaceae

592

Pteridophyta

Grammitidaceae

593 594 595

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Hymenophyllaceae Hymenophyllaceae Hymenophyllaceae

596

Pteridophyta

Hymenophyllaceae

597 598 599 600 601

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Hymenophyllaceae Hymenophyllaceae Hymenophyllaceae Hymenophyllaceae Hymenophyllaceae

602

Pteridophyta

Lomariopsidaceae

603

Pteridophyta

Lomariopsidaceae

Blechnum cf. polypodioides Raddi Blechnum occidentale L. Blechnum serrulatum Rich. Cyathea atrovirens (Langsd. & Fisch.) Domin Dycksonia sellowiana (Pr.) Hook Trichiteris phalerata Nephrolepis rivularis (Vahl.) Mett. ex Krug Dennstaedtia cicutaria (Sw.) Moore Bolbitis serratifolia (Kaulf.) Schott Olfersia cervina (L.) Kunze Polybotrya cylindrica Kaulf. Rumohra adiantiformis (Forst.) Ching Cochlidium serrulatum (Sw.) L. E. Bishop Hymenophyllum cf. elegans Spr. Hymenophyllum hirsutum (L.) Sw. Hymenophyllum polyanthos Sw. Hymenophyllum pulchellum Schltr. & Cham. Trichomanes cf. reptans Sw. Trichomanes collariatum Bosch Trichomanes cristatum Kaulf. Trichomanes polypodioides L. Trichomanes pyxidiferum L. Elaphoglossum lingua (C. Presl) Brack. Elaphoglossum chrysolepis (Fée) Alston

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Samambaia-da-praia Samambaiaçú Xaxim Xaxim-com-espinho

Samambaia

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

259


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

604

Pteridophyta

Lomariopsidaceae

605

Pteridophyta

Lomariopsidaceae

606 607

Pteridophyta Pteridophyta

Lomariopsidaceae Lomariopsidaceae

608

Pteridophyta

Lomariopsidaceae

609

Pteridophyta

Lomariopsidaceae

610 611

Pteridophyta Pteridophyta

Lycopodiaceae Lycopodiaceae

612

Pteridophyta

Lycopodiaceae

613

Pteridophyta

Lycopodiaceae

614 615 616 617 618 619 620

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Lycopodiaceae Marattiaceae Ochnaceae Ophioglossaceae Ophioglossaceae Polypodiaceae Polypodiaceae

621

Pteridophyta

Polypodiaceae

622

Pteridophyta

Polypodiaceae

623

Pteridophyta

Polypodiaceae

624

Pteridophyta

Polypodiaceae

Espécie Elaphoglossum crassinerve (Kunze) T. Moore Elaphoglossum ornatum (Mett. ex Kuhn) H. Christ Elaphoglossum sp. Elaphoglossum sp1 Elaphoglossum subarborescens Rosenst. Lomagramma guianensis (Aubl.) Ching Huperzia acerosa (Sw.) Holub Huperzia flexibilis (Fée) B. Ollg. Huperzia mandiocana (Raddi) Trevis. Lycopodiella camporum B. Ollg. et P. G. Windisch Lycopodium clavathum L. Marattia laevis Sm. Auratea parvifolia Cheiroglossa palmata (L.) C. Presl Ophioglossum palmatum L. Campyloneurum acrocarpon Fée Campyloneurum minus Fée Microgramma percussa (Hook. & Grev.) de la Sota Microgramma tecta (Kaulf.) Alston Microgramma vacciniifolia (Langsd. & Fisch.) Copel. Pecluma recurvata (Kaulf.) M. G. Price

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Licopódio Batinga Língua-de-víbora

Samambaia

Samambaia

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

260


Continuação do anexo 3 Número de Espécies

Divisão

Família

625

Pteridophyta

Polypodiaceae

626

Pteridophyta

Polypodiaceae

627

Pteridophyta

Polypodiaceae

628 629 630 631

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Polypodiaceae Polypodiaceae Polypodiaceae Pteridaceae

632

Pteridophyta

Pteridaceae

633

Pteridophyta

Pteridaceae

634

Pteridophyta

Schizaeaceae

635 636 637 638 639

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Selaginellaceae Selaginellaceae Tectariaceae Tectariaceae Thelypteridaceae

Selaginella cf. sulcata (Desv.) Spring Selaginella flexuosa Spring Tectaria incisa Cav. Tectaria pilosa (Fée) R.C. Moran Thelypteris decussata (L.) Proctor Thelypteris dentata (Forssk.) E. P. St. John

640

Pteridophyta

Thelypteridaceae

641

Pteridophyta

Thelypteridaceae

642 643 644 645

Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta Pteridophyta

Thelypteridaceae Vittariaceae Vittariaceae Vittariaceae

646

Angiospermae

Zingiberaceae

Espécie Pleopeltis angusta Humb., Bonpl. ex Willd. Pleopeltis astrolepis (Liebm.) E. Forn. Polypodium catharinae Langsd. & Fischer Polypodium fraxinifolium Jacq. Polypodium hirsutissimum Raddi Polypodium latipes Langsd. & Fisch. Adianthum cf. latifolium Pityrogramma calomelanos (L.) Link var. calomelanos Pteridium cf. aquilinum (L.) Kuhn Anemia phyllitidis (L.) Sw.

Thelypteris interrupta (Will.) K. Iwats. Thelypteris serrata (Cav.) Alston

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN

Samambaia

Samambaia-pilosa

Samambaia-do-brejo Samambaia-do-campo, Samambaia-das-taperas Avenca-de-espiga, Avenca-de-cacho Erva-terrícola Samambaia-terrestre Samambaia Rabo-de-gato, Samambaia, Samambaia-do-mato

Samambaia-do-brejo

Least Concern

Samambaia

Hecistopteris pumila (Spreng.) J. Smith

Radiovittaria stipitata (Kunze) Crane Vittaria lineata (L.) Smith Hedychium gardnerianum

Vitária Gengibre-de-kahili, Gengibre-amarelo, Líro-do-brejo-amarelo, Conteira

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

261


Anexo 4 - Lista de fauna na RNSM

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

262


Anexo 4 – Lista de fauna da RNSM Número de Espécies 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Classe Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia

Espécie Chironectes minimus Didelphis albiventris Didelphis aurita Didelphis marsupialis Gracilinanus microtarsus Marmosops incanus Metachirus nudicaudatus Micoureus demerarae Monodelphis americana Monodelphis iheringi Monodelphis scalops Philander frenata Philander opossum Marmosa cinerea Lontra longicaudis Galictis cuja Eira barbara Tamandua tetradactyla Cabassous tatouay Euphractus sexcinctus Dasypus septemcinctus Dasypus sp. Dasypus novencinctus Myotis ruber

Nome Vulgar Cuíca d’ água Gambá-de-orelha-branca Gambá-de-orelha-preta Gambá-de-orelha-preta Cuíca, Catita, Guaiquica Cuíca Cuíca-marrom, Cuíca-cauda-de-rato Cuíca Cuíca, Cuida-tres-listras Cuíca Cuíca Cuíca Cuica-quatro-olhos, Cuíca-verdadeira Guaixica Lontra Furão Irara Tamanduá-mirim Tatu-de-rabo-mole Tatu-peludo, Tatu-peba Tatu-mulita Tatu Tatu-galinha Morcego-borboleta-avermelhado, morcego-vermelho

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Data Deficient Least Concern Least Concern Least Concern Data Deficient Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Ameaçada

Quase ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

263


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50

Classe Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia

Espécie Peropteryx macrotis Noctilio leporinus Anoura caudifera Artibeus lituratus Artibeus fimbriatus Carollia perspicillatta Pygoderma bilabiatum Sturnira lilium Sturnira tidae Desmodus rotundus Chrotopterus auritus Vampyressa pulsilla Glossophaga soricina Artibeus planirrostris Artibeus obscurus Artibeus cinereus Anoura geoffroyi Molossus molossus Promops nasutus Myotis riparius Myotis nigricans Myotis levis Epitesicus furinalis Alouatta fusca Alouatta caraya Cebus apella

Nome Vulgar Morcego Morcego-pescador Morcego-beija-flor Morcego-cara-branca Morcego, Morcego-das-frutas Morcego Morcego Morcego fruteiro

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Morcego-vampiro Morcego Morcego

Least Concern Least Concern Least Concern

Morcego Morcego Morcego Morcego Morcego-cauda-grossa Morcego-narigudo

Least Least Least Least Least Least Least Least

Morcego Bugio, Macaco-uivador Bugio, Guariba Macaco-prego

Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern

Least Concern Least Concern Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

264


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies

Classe

51

Mammalia

Brachyteles arachnoides

Muriqui, Monocarvoeiro, Muriqui-do-sul

52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75

Mammalia Mammalia

Cerdocyon thous Speothos venaticus Nasua nasua Procyon cancrivorus Herpailurus yaguarondi Leopardus pardalis Leopardus tigrinus Leopardus wiedii Puma concolor Felis yagouaroundi Felis tigrina Puma yaguarondi Panthera onca Tapirus terrestris Mazama americana Mazama rufina Pecari tajacu Tayassu pecari Tayassu tajacu Sciurus aestuans Akodon cursor Akodon sp. Oligoryzomys nigripes Oryzomys ratticeps

Cachorro-do-mato, Guaraxaim Cachorro-vinagre, Cachorro-aô Quati Mão-pelada / Guaxinim Jaguarondi, Gato-mourisco Jaguatirica Gato-do-mato-pequeno Gato-maracajá Onça-parda, Sussuarana, Puma Jaguarundi Gato-do-mato Gato-mourisco Onça-pintada Anta Veado-mateiro Veado, Veado-bororó Cateto Queixada Cateto, Caititu, Patira, Pecari, Porco-do-mato Serelepe, Caxinguelê Rato-do-mato Rato Rato-do-mato Rato

Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Ameaçada de Ameaçada extinção Least Concern Ameaçada Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Ameaçada Ameaçada Ameaçada Ameaçada

Ameaçada

Least Concern Vulnerável Quase Ameaçada Least Concern

Least Concern Quase Ameaçada Vulnerável Data Deficient Vulnerável Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

265


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94

Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Mammalia Reptilia

95 96 97 98 99 100

Classe

Espécie

Nome Vulgar

Oryzomys nitidus Oryzomys sp. Oryzomys russatus Oxymycterus sp. Oxymycterus sp. Oligoryzomys flavescens Delomys sublineatus Delomys dorsalis Nectomys squamipes Cavia aperea Hydrochaeris hydrochaeris Dasyprocta azarae Agouti paca Trinomys sp. Proechimys sp. Sphiggurus spinosus Sphiggurus sp. Sylvilagus brasiliensis Hydromedusa tectifera

Rato-do-mato Rato

Reptilia

Caiman latirostris

Jacaré-do-papo-amarelo

Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia

Hemidactylus mabouia Enyalius iheringii Diploglossus fasciatus Ophiodes fragilis Tupinambis merianae

Lagartixa-das-casas Camaleãozinho, Lagarto-verde, Papa-vento Lagarto-coral Cobra-de-vidro Lagarto-teií, Teiú

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Concern

Rato-do-mato Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Data deficient Least Concern

Rato Rato d’água Preá Capivara Cutia Paca Rato-de-espinho Ouriço-caxeiro Ouriço-amarelo Tapiti Cágado-pescoçudo

Least Concern Least Concern Baixo risco / Least concern

Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

266


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110

Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia

Colobodactylus taunayi Placosoma cordylinum Placosoma glabellum Leposternon microcephalum Chironius exoletus Chironius foveatus Chironius fuscus Chironius laevicollis Clelia plumbea Dipsas albifrons

111

Reptilia

Echinanthera bilineata

112 113 114

Reptilia Reptilia Reptilia

Echinanthera cyanopleura Helicops carinicaudus Imantodes cenchoa

115

Classe

Espécie

Liophis miliaris

116 117 118 119 120 121 122

Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia Reptilia

123

Reptilia

Xenodon neuwiedii

124 125 126

Reptilia Reptilia Reptilia

Sibynomorphus neuwiedi Micrurus corallinus Bothrops jararaca

Oxyrhopus clathratus Siphlophis pulcher Erythrolamprus aesculapii Sordellina punctata Spilotes pullatus Tropidodryas serra Uromacerina ricardinii

Nome Vulgar Lagarto, Lagartinho, Lagarto-cobra Lagartinho Lagartinho Cobra-de-duas-cabeças Cobra-cipó Cobra-cipó Cobra-cipó Cobra-cipó Muçurana Dormideira Cobra-cipó, Corredeira-de-mato-pequena, Corredeira-do-mato-de-duas-listras Cobra-cipó, Corredeira-grande-do-mato Cobra-d'água Dormideira, Cobra-cipó, Dorme-dorme Cobra-d'água, Cobra-lisa, Cobra-preta-di-banhado, Cobra-lisa-serrana Falsa-coral Falsa-coral, Cobra-cipó-listrada Falsa-coral Cobra-d'água Caninana Jiboinha, Cobra-cipó Cobra-bicuda, Cobra-cipó-metálica Boipevinha, Jararaquinha, Jararaca-falsa, Quiriripitá, Boipeva-rajada, Falsa-cotiara Dormideira Coral-verdadeira Jararaca

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern

Ameaçada

Least Concern Least Concern

Least Concern Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

267


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 127 128 129 130 131 132

Reptilia Reptilia Reptilia Amphibia Amphibia Amphibia

133

Amphibia

134

Amphibia

135 136 137 138

Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia

139 140 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150 151 152 153

Classe

Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia

Espécie Bothrops jararacussu Lachesis muta Liotyphlops beui Bufo ictericus Bufo cf crucifer Bufo sp.aff. margaritifer Dendrophryniscus leucomystax Dendrophryniscus berthalutzae Rhinella ictericus Rhinella hoogmoedi Rhinella abei Hyalinobatrachium sp. Hyalinobatrachium uranoscopum Hyla albomarginata Hyla berthalutzae Hyla elegans Hyla faber Hyla minuta Hyla semilineata Hyla werneri Phyllomedusa distincta Phrynohyas mesophaea Scinax aff. altera Scinax argireornata Scinax sp. (aff. cuspidata) Scinax fuscovarius Scinax sp.(aff.rubra)

Nome Vulgar Jararacuçu Surucucu Cobra-cega Sapo-cururu, Sapo-boi Sapo-cururu, Sapo-galinha, Sapo-de-floresta Sapo

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern

Sapo, Sapinho-da-restinga, Sapinho-arborícola

Least Concern

Sapinho-da-folhagem

Least Concern

Sapo-cururu Sapo-cururu

Least Concern Least Concern Least Concern

Perereca-de-vidro

Least Concern

Perereca Perereca-pequena Perereca Sapo-ferreiro, Sapo-martelo, Sapo-gameleiro Perereca-pequena Perereca Perereca Perereca-grudenta Perereca

Least Concern

Perereca Perereca-das-casas, Perereca-de-banheiro

Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

268


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies

Classe

Espécie

154 155 156 157 158 159 160 161 162 163 164 165 166 167

Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia

168 169 170 171 172 173 174 175

Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia

176

Amphibia

177 178 179

Amphibia Amphibia Amphibia

Scinax littoralis Scinax argyreornatus Scinax perereca Osteocephalus langsdorffii Bokermannohyla hylax Dendropsophus elegans Dendropsophus faber Dendropsophus microps Dendropsophus minutus Dendropsophus seniculus Dendropsophus werneri Hypsiboas semilineatus Hypsiboas albomarginatus Hypsiboas faber Trachycephalus mesophaeus Ololygon altera Adenomera bokermani Leptodactylus ocellatus Leptodactylus notoaktites Leptodactylus bokermanni Leptodactylus marmoratus Leptodactylus sp. Leptodactylus sp. (aff. marmoratus) Physalaemus spiniger Hylodes sp. (aff. heyeri) Hylodes sp. (aff. asper)

Nome Vulgar

Perereca

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Concern Least Concern

Perereca Perereca-de-moldura

Least Concern Least Concern

Perereca Perereca-chica Perereca Perereca Rã, Perereca-de-folhagem Perereca-verde Sapo-ferreiro Perereca-leiteira

Least Least Least Least Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern

Rã-manteiga, Rã-paulistinha, Rã-crioula Rã

Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern

Rãnzinha

Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

269


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 180 181 182 183 184

Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia

185

Amphibia

186 187 188 189 190 191 192

Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Amphibia Aves Aves

193

Aves

Scytalopus speluncae

194 195 196 197 198 199 200

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Scytalopus indigoticus Hypoedaleus guttatus Batara cinerea Mackenziaena leachii Mackenziaena severa Biatas nigropectus Thamnophilus caerulescens

201

Aves

Thamnophilus ruficapillus

202 203

Aves Aves

Dysithamnus stictothorax

Classe

Espécie Hylodes sp. (aff. nasus) Eleutherodactylus binotatus Hylodes heyeri Ischnocnema guentheri Ischnocnema sp. Physalaemus sp. (aff. olfersii) Ololygon catharinae Brachycephalus sp. Eleutherodactylus binotatus Flectonotus sp. Proceratophrys boiei Merulaxis ater Psilorhamphus guttatus

Dysithamnus mentalis

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Rã-tijolo, Rã-das-matas Rã Rã-da-mata

Least Concern Data Deficient Least Concern

Rã Rã Rã-da-mata Sapo-de-chifre Tapaculo-de-topete, Entufado Macuquinho-pintado, Tapaculo-pintado Macuquinho-cinzento, Macuquinho-de-peito-egarganta-brancos, Macuquinho-serrano, Tapaculocor-de-rato, Tapaculo-preto Macuquinho Chocão-carijó Matracão Brujara, Borralhara-assobiadora Borralheira, Borralhara, Borralhara-preta Chocão-de-bigode, Papo-branco, Choca-da-taquara Choca-da-mata Choca-de-coroa-castanha, Choca-de-chapéuvermelho Choca-de-cara-pintada, Choquinha-de-peito-pintado Choca, Choquinha-lisa

Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Quase Ameaçada Least Concern

Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Vulnerável Least Concern

Ameaçada Ameaçada

Least Concern Quase Ameaçada Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

270


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies

Classe

Espécie

204

Aves

Dysithamnus xanthopterus

205 206

Aves Aves

Myrmotherula gularis Myrmotherula unicolor

207

Aves

Herpsilochmus rufimarginatus

208 209 210 211 212

Aves Aves Aves Aves Aves

Drymophila Drymophila Drymophila Drymophila Drymophila

213

Aves

214 215

Aves Aves

Terenura maculata Pyriglena leucoptera Myrmeciza squamosa

216

Aves

Formicarius colma

217 218 219 220 221 222 223

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Chamaeza campanisona Chamaeza ruficauda Chamaeza meruloides Hylopezus nattereri Grallaria imperator Grallaria varia Conopophaga lineata

224

Aves

Conopophaga melanops

225 226 227 228 229

Aves Aves Aves Aves Aves

Furnarius rufus Synallaxis ruficapilla Synallaxis spixi Synallaxis cinerascens Cranioleuca obsoleta

rubricollis ferruginea ochropyga malura squamata

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA MMA

Choca-das-costas-castanhas, Choquinha-de-asaferrugem Choquinha-pintada Choquinha, Choquinha-cinzenta

LISTA IUCN

Least Concern Least Concern Quase Ameaçada

Formigueiro, Formigueiro-de-asa-vermelha, Chorozinho-de-asa-vermelha, Chorozinho-de-asa-ruiva

Trovoada-da-taquara, Trovoada-de-bertoni Trovoada, Dituí, Formigueiro-trovoada Choquinha-riscada, Choquinha-do-dorso-vermelho Choquinha-da-tranqueira, Choquinha-carijó Choquinha-escamosa, Pintadinho Choquinha-de-cabeça-riscada, Choquinha-anã, Zidedê Papa-toca, Papa-guajum Papa-taoca-do-sul Papa-formigas-das-grotas Pinto-do-mato, Galinha-do-mato, Pinto-do-matocoroado Tovaca, Codorninha, Sovaca, Tovaca-campainha Tovaca, Tovaca-de-rabo-vermelho Tovaca, Tovaca-cantadora Tovaca-cantora, Tovaca-caneluda, Pinto-do-mato Tovacuçu, Sorová Sorová, Tovacuçu-malhado Chupa-dente, Chupa-dente-marrom Chupa-dente-de-máscara, chaspe, Cuspidor-demáscara-preta João-de-barro João-teneném, Pixororé Bentererê, João-teneném Uí-tupi, Pi-puí Arredio-oliváceo

Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern

Ameaçada Ameaçada

Least Concern Least Concern

Ameaçada

Least Concern Least Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

271


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 230 231 232 233

Classe

Espécie

Aves Aves Aves Aves

Cranioleuca pallida Anabazenops fuscus Syndactyla rufosuperciliata Anabacerthia amaurotis

234

Aves

Philydor atricapillus

235 236 237 238 239 240 241

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Philydor lichtensteini Philydor rufum Automolus leucophthalmus Cichlocolaptes leucophrus Heliobletus contaminatus Xenops minutus Xenops rutilans

242

Aves

Lochmias nematura

243 244 245 246 247

Aves Aves Aves Aves Aves

Certhiaxis cinnamomeus Xiphorhynchus fuscus Dendrocincla fuliginosa Dendrocincla turdina Sittasomus griseicapillus

248

Aves

Xiphocolaptes albicollis

249

Aves

Dendrocolaptes platyrostris

250 251

Aves Aves

Lepidocolaptes falcinellus Lepidocolaptes fuscus

252

Aves

Campylorhamphus falcularius

253 254

Aves Aves

Phyllomyias griseocapilla Phyllomyias fasciatus

Nome Vulgar Arredio-de-coroa-castanha, Arredio-pálido Trepador-de-coleira-branca, Trepador-coleira Trepador-da-taquara, Trepador-quiete Trepador-coroado, Limpa-folha-miúdo Limpa-folhas, Limpa-folhas-de-coroa-negra, Limpa-folha-coroado Limpa-folhas, Limpa-folha-ocráceo Limpa-folhas, Limpa-folha-de-testa-baia Barranqueiro-de-olho-branco, Barranqueiro Trepador-bicudo, Trepador-sobrancelha Trepadorzinho Bico-virado, Bico-virado-miúdo, Arrebitado Bico-virado-riscado, Bico-virado-carijó João-porca, Capitão-da-porcaria, João-do-riacho, João-suiriri, Presidente-da-porcaria, Tiriri, Tridi Curitié, Curitié-do-banhado Arapaçu-rajado Arapaçu-turdina, Arapaçu-pardo, Arapaçu-liso Arapaçu-turdina, Arapaçu-liso Arapaçu-verde Arapaçu-grande, Luzia, Arapaçu-de-gargantabranca, Pica-pau-cutiá, Cochi-de-garganta-branca Arapaçu-estriado, Arapaçu-de-garganta-branca, Arapaçu-grande Arapaçu-escamoso, Arapaçu-escamado-do-sul Arapaçu-escamoso-pequeno Arapaçu-de-bico-preto,Arapaçu-de-bico-torto, Arapaçu-alfange, Gurizão Piolhinho-serrano Piolhinho

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Least Least Least Least Least Least

Ameaçada

Ameaçada

Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern

Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Ameaçada Ameaçada

Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

272


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 255

Classe

Espécie

Nome Vulgar

Aves

Phyllomyias virescens

Piolhinho-verde

256

Aves

Xanthomyias virescens

Piolhinho-verde, Poaieiro-verde

257

Aves

Camptostoma obsoletum

258 259 260 261 262 263 264 265

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Myiopagis caniceps Myiopagis viridicata Elaenia flavogaster Elaenia obscura Elaenia mesoleuca Serpophaga nigricans Serpophaga subcristata Euscarthmus meloryphus

266

Aves

Mionectes rufiventris

267 268 269 270 271 272 273 274

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Leptopogon amaurocephalus Platyrinchus mystaceus Platyrinchus leucoryphus Myiophobus fasciatus Contopus cinereus Lathrotriccus euleri Cnemotriccus fuscatus Knipolegus cyanirostris

275

Aves

Knipolegus nigerrimus

276

Aves

Colonia colonus

277

Aves

Satrapa icterophrys

Risadinha, Alegrinho, Assovia-cachorro, Miudinho, Papa-mosquito Cucurutado-cinzento, Guaracava-cinzenta Guaracava-de-crista-alaranjada Tuque, Maria-é-dia, Guaracava-de-barriga-amarela Tucão, João-bobo Tuque João-pobre Alegrinho Zipedede, Barulhento Supi-de-cabeça-cinza, Supi-choca, Abre-asa-decabeça-cinza Abre-asas, Cabeçudo Patinho Patinho-grande, Patinho-gigante Felipe, Filipe Papa-moscas-cinzento Papa-moscas-enferrujado, Enferrujado Enferrujado-grande, Guaracavuçu Maria-preta-de-bico-azul Maria-preta-da-serra, Maria-preta-de-gargantavermelha Viuvinha, Pito-de-velha Siriri-de-sobrancelhas, Suiri-pequeno, Suiriri-desobrancelhas-amarelas

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN Least Concern

Least Concern Least Least Least Least Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern

Least Concern Least Concern Least Concern Vulnerável Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Ameaçada

Least Concern Least Concern Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

273


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 278 279 280 281 282 283 284 285 286 287 288 289 290 291 292 293 294 295 296 297 298

Classe

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Hirundinea bellicosa Hirundinea ferruginea Muscipipra vetula Attila phoenicurus Attila rufus Syristes sibilator Myiarchus swainsoni Myiarchus ferox Tyrannus savana Tyrannus melancholicus Empidonomus varius Megarynchus pitangua Conopias trivirgata Myiodynastes maculatus Myiozetetes similis Legatus leucophaius Pitangus sulphuratus Machetornis rixosa Fluvicola nengeta Phylloscartes kronei Phylloscartes paulista

Birro Birro, Gibão-de-couro Tesoura-cinzenta Capitão-castanho Capitão-de-saíra Papa-moscas-assobiador , Assobiador Maria-cavaleira Maria-cavaleira Tesourinha Siriri Peitica Bem-te-vi-de-bico-chato, Neinei Mosqueteiro-assobiador, Mosqueteiro Bem-te-vi-rajado Bem-te-vi-pequeno, Bentevizinho Peitica-de-bico-curto Bem-te-vi Suiriri-cavaleiro Lavadeira-mascarada Maria-da-restinga, Borboletinha-da-restinga Borboletinha-paulista, Não-pode-parar

299

Aves

Phylloscartes oustaleti

Arrebita-rabo, Borboletinha-arrebita-rabo,Papa-moscas-deolheiras

Quase Ameaçada

300 301 302 303 304 305 306

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Phylloscartes difficilis Phylloscartes sylviolus Phylloscartes ventralis Leptotriccus sylviolus Myiornis auricularis Hemitriccus diops Hemitriccus obsoletus

Estalinho Maria-pequena Borboletinha, Borboletinha-do-mato Óculos-castanho, Verdinho-de-cara-canela Miudinho Mosqueteirinho-cinzento, Olho-falso Mosqueteirinho-marrom, Catraca

Quase Ameaçada Quase Ameaçada Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern

Least Least Least Least

Ameaçada

Concern Concern Concern Concern

Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Vulnerável Quase Ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

274


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 307 308 309 310 311 312 313 314 315

Classe

Espécie

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Hemitriccus orbitatus Tolmomyias sulphurescens Poecilotriccus plumbeiceps Todirostrum plumbeiceps Todirostrum poliocephalum Ramphotrigon megacephala Myiobius mastacalis Myiobius ridgwayi Myiobius barbatus

316

Aves

Myiobius atricaudus

317 318 319 320 321 322 323 324 325 326 327 328 329 330 331 332 333 334

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Onychorhynchus swainsoni Pachyramphus viridis Pachyramphus castaneus Pachyramphus polychopterus Pachyramphus validus Tityra cayana Tityra inquisitor Schiffornis virescens Oxyruncus cristatus Manacus gutturosus Ilicura militaris Chiroxiphia caudata Manacus manacus Carpornis melanocephalus Carpornis cucullatus Carpornis melanocephala Carpornis cucullata Lipaugus lanioides

Nome Vulgar Mosqueteirinho-de-óculos, Tiririzinho-do-mato Patinho-gritador, Bico-chato-de-orelha-preta Tororó Tororó Caga-sebo-de-óculos, Zóio-de-boi, Teque-teque Cabeçudo, Maria-cabeçuda Papa-moscas-dourado Papa-moscas-espoleta Papa-moscas-dourado, Assanhadinho Papa-moscas-espoleta, Assanhadinho-da-caudapreta Maria-lecre, Maria-leque, Maria-leque-do-sudeste Caneleirinho-verde Caneleirinho Caneleirinho-preto, Caneleirinho-cinzento Caneleiro-de-coroa Anambezinho-cara-vermelha Anambezinho Flautim Bico-agudo, Bombinha, Araponga-do-horto Rendeira Tangarazinho Tangará, Tangará-dançador Rendeira Peão-batata, Corocochó-do-litoral, Sabiá-pimenta Corocochó Sabiá-pimenta Corocochó Sabiá-da-serra

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Least Concern Least Concern Vulnerável Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Ameaçada

Least Concern Least Concern Least Concern Vulnerável Quase Ameaçada Vulnerável Quase Ameaçada Quase Ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

275


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 335 336 337 338 339 340 341 342 343 344 345 346 347 348 349 350 351 352 353 354 355 356 357 358 359 360

Classe Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Espécie Pyroderus scutatus Procnias nudicollis Piprites chloris Tachycineta albiventer Tachycineta leucorrhoa Progne tapera Progne chalybea Notiochelidon cyanoleuca Stelgidopteryx ruficollis Hirundo rustica Pygochelidon cyanoleuca Thryothorus longirostris Troglodytes musculus Cantorchilus longirostris Ramphocaenus melanurus Platycichla flavipes Turdus nigriceps Turdus rufiventris Turdus leucomelas Turdus amaurochalinus Turdus albicollis Cyclarhis gujanensis Vireo chivi Hylophilus poicilotis Vireo olivaceus Cyanocorax caeruleus

Nome Vulgar Pavó Araponga, Guiraponga Dançador-verde Andorinha-de-asa-branca Andorinha-asa-branca Andorinha-do-campo Andorinha-de-casa, Andorinha-doméstica Andorinha-pequena Andorinha-serradora, Andorinha-de-barranco Andorinha-de-bando Andorinha-pequena Corruiruçu-do-litoral, Corruiruçu Corruíra Garrinchão-de-bico-grande Chirito-bicudo Sabiá-preta, Sabiúna Sabiá-ferreiro, Correntina Sabiá-laranjeira Sabiá-pardo Sabiá-poca, Sabiá-branco Sabiá-coleira Pitiguari, Gente-de-fora-vem, Elvira Jiruviara Verdinho-coroado Jiruviara Gralha-azul

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN Least Concern Vulnerável Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Least Least Least Least Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern

Least Concern Least Concern Quase Ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

276


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 361 362 363 364 365 366 367 368 369 370 371 372 373 374 375 376 377 378 379 380 381 382 383 384 385 386

Classe Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Espécie Parula pitiayumi Geothlypis velata Phaeothlypis rivularis Geothlypis aequinoctialis Basileuterus culicivorus Basileuterus leucoblepharus Coereba flaveola Tachyphonus cristatus Tachyphonus coronatus Habia rubica Piranga flava Saltator fuliginosus Saltator grossus Saltator similis Saltator maxillosus Cyanocompsa brissonii Hemithraupis guira Hemithraupis ruficapilla Trichothraupis melanops Thraupis sayaca Thraupis ornata Thraupis cyanoptera Thraupis palmarum Ramphocelus bresilius Stephanophorus diadematus Pipraeidea melanonota

Nome Vulgar Mariquita Pia-cobra Pula-pula-do-rio Pia-cobra Pula-pula, Bispo Pula-pula-assobiador, Pula-pula-flautinha Sebinho, Cambacica Tié-galo Tié-preto Tié-do-mato-grosso, Tié-de-bando Sanhaço-de-fogo Bico-de-pimenta Bico-de-pimenta Trinca-ferro, Para-pelote Trinca-ferro-da-serra Azulão Saí-de-babador Saíra-de-cabeça-enferrujada Tié-de-topete, Sanhaçungorá Sanhaço Sanhaço-azul Sanhaço-azul, Sanhaço-de-encontro-azul Sanhaço-verde Tié-sangue Sanhaço-frade Saíra-viúva

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

277


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 387 388 389 390 391 392 393 394 395 396 397 398 399 400 401 402 403 404 405 406 407 408 409 410 411 412

Classe Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Espécie

Nome Vulgar

Tangara seledon Tangara cyanocephala Tangara pretiosa Tangara peruviana Tangara desmaresti Dacnis cayana Dacnis nigripes

Saíra-sete-cores Saíra-militar, Saíra-de-lenço Saíra-dourada Saíra-dourada-costas-pretas Saíra-lagarta Saí-azul Saí-azul-de-perna-preta

Conirostrum speciosum Tersina viridis Orchesticus abeillei

Figuinha-de-rabo-castanho Saí-andorinha Sanhaço-marrom

Orthogonys chloricterus Thlypopsis sordida Pyrrhocoma ruficeps Chlorophanes spiza Chlorophanes axillaris Zonotrichia capensis Haplospiza unicolor Poospiza thoracica Poospiza lateralis Poospiza cabanisi Sicalis flaveola Volatinia jacarina Tiaris fuliginosus Sporophila frontalis Sporophila falcirostris Sporophila lineola

Catirumbava, Sanhaço-amarelo, Jacinto Saí-canário Cabecinha-castanha Saí-verde Saí-verde, Saíra-tucano Tico-tico Cigarra-bambu Pinhãozinho Quete Tico-tico-da-taquara, Quete Canário-da-terra Tiziu Cigarra-fuligem Pichochó Cigarrinha, Cigarra-verdadeira, Patativa Bigodinho

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN

Ameaçada

Least Concern Least Concern Vulnerável Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Vulnerável Vulnerável Least Concern

Ameaçada Ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

278


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 413 414 415 416 417 418 419 420 421 422 423 424 425 426 427 428 429 430 431 432 433 434 435 436 437 438

Classe

Espécie

Nome Vulgar

Aves

Sporophila caerulescens

Coleirinha

Aves Aves Aves

Sporophila angolensis Oryzoborus angolensis Amaurospiza moesta

Curió Curió Negrinho-do-mato

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Arremon semitorquatus Passerina brissonii Passerina glaucocaerulea Sclerurus scansor Cacicus haemorrhous Cacicus chrysopterus Molothrus bonariensis Sturnella superciliaris Euphonia violacea Euphonia chalybea Euphonia cyanocephala Euphonia pectoralis Chlorophonia cyanea Carduelis magellanica Passer domesticus Mimus saturninus Tinamus solitarius Crypturellus noctivagus Crypturellus obsoletus Crypturellus tataupa Spizaetus ornatus Spizaetus tyrannus

Tico-tico-de-bico-preto Azulão Azulinho Vira-folha Guaxe, Guaxo Japuíra, Tecelão Chupim, Vira-bosta Polícia-inglesa Gaturamo, Bonito-lindo Gaturamo Gaturamo-rei Gaturamo-serrador, Ferro-velho Gaturamo-bandeira, Bandeirinha Pintassilgo Pardal Sabiá-do-campo Macuco Jaó-do-litoral, Jaó-do-Sul, Jaó Nambu-guaçu, Inhambu-guaçu, Inhambuguaçu Nambu-chintã, Inhambu-chintã Gavião-de-penacho Gavião-pega-macaco

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN Least Concern

Ameaçada

Ameaçada

Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

279


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 439 440 441 442 443 444 445 446 447 448 449 450 451 452 453 454 455 456 457 458 459 460 461 462 463

Classe

Espécie

Nome Vulgar

Aves Aves Aves Aves Aves

Elanoides forficatus Leptodon cayanensis Chondrohierax uncinatus Rupornis magnirostris Leucopternis polionota

Gavião-tesoura Gavião-de-cabeça-cinza Caracoleiro, Gavião-bico-de-gancho Gavião-carijó Gavião-pombo-grande, Gavião-pombo

Aves Aves Aves Aves Aves

Leucopternis lacernulatus Elanus leucurus Rostrhamus sociabilis Ictinia plumbea Accipiter striatus

Gavião-pombo-pequeno Gavião-peneira Gavião-caramujeiro Sovi, Gavião-sauveiro Gavião-miudinho, Gaviãozinho Gavião-bombachinha-grande, Gavião-caçador, Gavião-bicolor Gavião-caboclo Gavião-de-sobre-branco Gavião-pato Acauã, Macauá, Acanã, Cauã, Uacanã, Macaguá. Gavião-relógio Gavião-mateiro, Gavião-caburé Carrapateiro, Gavião-carrapateiro, Pinhé Carancho, Carcará, Caracará Quiri-quiri Aracuã, Aranguá Jacu-velho, Jacu-açu Jacupemba Jacutinga Uru, Uru-capoeira

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Accipiter bicolor Heterospizias meridionalis Percnohierax leucorrhous Spizastur melanoleucus Herpetotheres cachinnans Micrastur semitorquatus Micrastur ruficollis Milvago chimachima Caracara plancus Falco sparverius Ortalis guttata Penelope obscura Penelope superciliaris Pipile jacutinga Odontophorus capueira

Status de conservação LISTA MMA

LISTA IUCN Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Vulnerável Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Em perigo Least Concern

Ameaçada Ameaçada Ameaçada

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

280


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 464 465 466 467 468 469 470 471 472 473 474 475 476 477 478 479 480 481

Classe Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

482 483 484 485

Espécie Amaurolimnas concolor Aramides saracura Laterallus melanophaius Porzana albicollis Pardirallus nigricans Aramus guarauna Columbina talpacoti Claravis godefrida Leptotila verreauxi Leptotila rufaxilla Geotrygon montana Patagioenas plumbea Patagioenas picazuro Zenaida auriculata Pyrrhura frontalis Forpus xanthopterygius Brotogeris tirica Pionopsitta pileata Pionus maximiliani

Aves Aves Aves Aves

Amazona brasiliensis Triclaria malachitacea Coccyzus melacoryphus

Nome Vulgar Saracura-lisa Saracura-do-mato Monjolinho-cinzento Sanã-carijó, Franguinho-d'água Saracura-preta, Saracura-sanã Carão Rolinha, Pomba-rola Pomba-de-espelho, Pararu Juriti, Juriti-pupu Juriti, Juriti-gemedeira Juriti-do-chão, Pariri Pomba-preta, Pomba-amargosa, Pomba-verdadeira Pombão Amargosinha, Pomba de bando Tiriva, Tiriba-de-testa-vermelha, Cara-suja Tuim, Cu-tapado, Cuiúba, Periquitinho, Pacu, Papacu, Tuí Periquito, Periquito-rico, Periquito-verdadeiro, Periquito-verde Cuiú-cuiú Baitaca, Maitaca-verde, Maritaca, Maitacabronzeada, Maitaca-de-maximiliano, Maitaca-suia, Suia, Umaitá Papagaio-de-cara-roxa Sabiá-cica, Cunhataí, Araçuaíva, Mãe-de-sabiá Papa-lagarta-acanelado

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Criticamente em Ameaçada perigo Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Ameaçada

Vulnerável Quase Ameaçada Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

281


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies

Classe

486

Aves

Piaya cayana

487 488 489 490

Aves Aves Aves Aves

Tapera naevia Crotophaga ani Guira guira Dromococcyx pavoninus

491

Espécie

Tyto alba

492 493 494

Aves Aves Aves Aves

495

Aves

Glaucidium minutissimum

496

Aves

Strix hylophila

497

Aves

Asio clamator

498 499 500

Aves Aves Aves

Asio stygius Megascops choliba Megascops atricapilla

501

Aves

Athene cunicularia

502 503 504 505 506 507 508

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Rhinoptynx clamator Nyctibius griseus Podager nacunda Lurocalis nattereri Macropsalis forcipata Lurocalis semitorquatus Nyctidromus albicollis

Otus choliba Otus atricapillus Pulsatrix koeniswaldiana

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Alma-de-gatoTincoã, Tinguaçu, Titicuã, Uirapagé, Urraca Saci, Verão, Peitica, Anu-preto, Anu-pequeno, Anum Anu-branco Peixe-frito, Peixe-frito-pavonino Suindara, Coruja-das-torres, Coruja-da-igreja, Coruja-branca, Coruja-católica, Rasga-mortalha Corujinha-do-mato Corujinha-sapo Murucututu, Murucututu-de-barriga-amarela Caburé, Caburé-miudinho, Caburezinho, Caburédo-sol, Caburé-ferrugem Coruja-listrada, Corujão Coruja-orelhuda, Coruja-gato, Coruja-listrada, Mocho-orelhudo Mocho-diabo Corujinha-do-mato Corujinha-sapo Coruja-buraqueira, Caburé-de-cupim, Caburé-docampo Coruja-orelhuda Urutágua, Urutau, Mãe-da-lua, Kúa-kúa Corucão Tuju Rabo-de-palha, Bacurau-tesoura-grande Tuju Curiango

Least Concern Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern

Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

282


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 509 510 511 512 513 514 515 516 517 518 519

Classe

Espécie

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Hydropsalis torquata Streptoprocne zonaris Chaetura cinereiventris Chaetura meridionalis Reinarda squamata Panyptila cayennensis Caprimulgus parvulus Ramphodon naevius Anthracothorax nigricollis Lophornis magnificus Lophornis chalybeus

520

Aves

Phaethornis eurynome

521 522 523

Aves Aves Aves

Phaethornis squalidus Thalurania glaucopis Leucochloris albicollis

524

Aves

Amazilia versicolor

525

Aves

Amazilia fimbriata

526 527 528 529 530 531 532

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Aphantochroa cirrochloris Clytolaema rubricauda Calliphlox amethystina Eupetomena macroura Florisuga fusca Stephanoxis lalandi Heliothryx auritus

533

Aves

Melanotrochilus fuscus

Nome Vulgar Curiango-tesoura, Bacurau-tesoura Andorinhão-de-coleira, Taperuçu-de-coleira-branca Andorinhão, Andorinhão-de-sobre-cinzento Andorinhão-do-temporal Andorinhão-tesoura, Taperá, Taperá-do-buriti Andorinhão-estofador Bacurau-pequeno Beija-flor-rajado, Cuitelo, Cuitelão Beija-flor-de-veste-preta, Beija-flor-preto Topetinho-vermelho Topetinho, Topetinho-verde Rabo-branco-de-garganta-rajada, Beija-florrajado, Rabo-branco Rabo-branco-pequeno Beija-flor-de-fronte-violeta Beija-flor-de-papo-branco Beija-flor-de-ventre-branco, Beija-flor-de-bandabranca Beija-flor-de-barriga-branca, Beija-flor-degarganta-verde Beija-flor-de-fuligem, Beija-flor-cinza Beija-flor-rubi Estrelinha-zumbidor, Estrelinha-ametista Beija-flor-tesoura Beija-flor-preto Beija-flor-de-topete Beija-flor-de-bochecha-azul Beija-flor-de-rabo-branco, Beija-flor-branco-epreto

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Least Least Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern

Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

283


Continuação do Anexo 4 Status de conservação

Número de Espécies

Classe

534

Aves

Stephanoxis loddigesi

535

Aves

Chlorostilbon aureoventris

536

Aves

Trogon viridis

537

Aves

Espécie

Trogon rufus

Nome Vulgar

LISTA IUCN

Beija-flor-de-penacho, Beija-flor-de-topete Beija-flor-de-bico-vermelho, Besourinho-de-bicovermelho Surucuá-do-litoral, Surucuá-grande-de-barrigaamarela, Capitão-do-mato, Curuxuá, Surucuá-debarriga-dourada, Surucuá-de-cauda-branca, Urukuá Surucuá-de-cauda-barrada, Surucua-de-barrigaamarela Surucuá-de-barriga-vermelha, Surucuá-variado, Surucuá-de-peito-azul, Perua-choca, Peito-demoça Martim-pescador-grande Martim-pescador-médio, Martim-pescador-verde Martim-pescador-pequeno Martim-pescador-da-mata Martinho, Martim-pescador-anão, Arirambamiudinho, Arirambinha Martim-pescador-grande Juruva, Juruva-verde, Birivão Capitão-do-mato, Macuru-de-barriga-castanha João-barbudo, Barbudo-rajado Macuru, Freirinha-parda

538

Aves

Trogon surrucura

539 540 541 542

Aves Aves Aves Aves

Ceryle torquata Chloroceryle amazona Chloroceryle americana Chloroceryle inda

543

Aves

Chloroceryle aenea

544 545 546 547 548

Aves Aves Aves Aves Aves

Megaceryle torquata Baryphthengus ruficapillus Notharchus swainsoni Malacoptila striata Nonnula rubecula

549

Aves Aves Aves Aves Aves

Selenidera maculirostris

Tucaninho, Araçari-poca, Araçari-do-bico-pintalgado, Araçari-tirador-de-leite, Saripoca-de-bico-riscado

Baillonius bailloni Pteroglossus bailloni Ramphastos ariel Ramphastos dicolorus

Araçari-banana Araçari-banana Tucano-de-bico-preto Tucano-de-bico-verde

550 551 552 553

LISTA MMA

Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern

Least Concern Least Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern Concern

Least Concern Quase Ameaçada Quase Ameaçada Least Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

284


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 554 555 556 557

Classe Aves Aves Aves

Espécie Picumnus cirratus Picumnus temminckii Melanerpes candidus Melanerpes flavifrons

558

Aves Aves

559

Aves

Piculus flavigula

560 561 562

Aves Aves Aves

Piculus aurulentus Colaptes melanochloros Colaptes campestris

563

Aves

Celeus flavescens

564

Aves

Dryocopus galeatus

565 566 567 568 569 570 571 572

Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves Aves

Bubulcus ibis Ardea alba Syrigma sibilatrix Pilherodius pileatus Egretta thula Coragyps atratus Cathartes aura Jacana jacana

Veniliornis spilogaster

Nome Vulgar Pica-pau-anão, Pica-pau-anão-barrado Pica-pau-anão, Pica-pai-anão-de-coleira, Pica-pauanão-de-pescoço-castanho Pica-pau-branco, Birro Pica-pau-benedito, Benedito-de-testa-amarela, Pica-pau-de-testa-amarela Pica-pau-carijó, Picapauzinho-verde-carijó Pica-pau-dourado, Pica-pau-dourado-pequeno, Pica-pau-bufador, Pica-pau-de-cabeça-amarela, Pica-pauzinho-amarelo Pica-pau-dourado Pica-pau-verde-barrado, Pica-pau-carijó Pica-pau-do-campo Pica-pau-joão-velho, Pica-pau-de-cabeça-amarela, Cabeça-de-velho, João-velho, Pica-pau-amarelo, Pica-pau-loiro, Pica-pau-velho, Pica-pau-cabeçade-fogo Pica-pau-de-cara-acanelada, Pica-pau-de-caracanela, Pica-pau-de-cara-amarela Garça-vaqueira Garça-branca-grande Maria-faceira Garça-real Garça-branca-pequena Urubu, Corvo Urubu-de-cabeça-vermelha Jaçanã

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Least Concern Quase Ameaçada Least Concern Least Concern Least Concern Ameaçada

Vulnerável Least Least Least Least Least Least Least Least

Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern Concern

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

285


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 573 574 575 576 577 578 579 580 581 582 583 584 585 586 587 588 589 590 591 592 593 594 595

Classe

Espécie

Aves Aves Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii

596

Actinopterygii

597 598

Actinopterygii Actinopterygii

Vanellus chilensis Gallinago paraguaiae Hyphessobrycon reticulatus Hyphessobrycon biphasciatus Hyphessobrycon luetkeni Hyphessobrycon griemi Hyphessobrycon bifasciatus Hollandichthys multifasciatus Mimagoniates microlepis Oligosarcus jenynsii Oligosarcus hepsetus Characidium sp. Characidium pterostictum Characidium lanei Bryconamericus microcephalus Deuterodon langei Astyanax aff. Scabripinnis Hoplias lacerdae Hoplias malabaricus Cyphocharax santacatarinae Imparfinis piperatus Acentronichthys leptos Pseudotothyris cf. obtusa Microlepidogaster leucofrenatus Schizoleciys guntheri Kronichthys heylandi

Nome Vulgar Quero-quero Narceja Lambarizinho, Lambari-prata Tetra-amarelo

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA Least Concern

Lambari-listrado Piaba-azul Saicanga Saicanga Canivetinho

Piabinha

Trairão Traira Curimbatas Bagre, Quasca Bagrinho Cascudinho Cascudinho Cascudinho

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

286


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 599 600 601 602 603 604 605 606 607 608 609 610 611 612 613 614 615 616 617 618 619 620 621 622 623

Classe

Espécie

Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii

Kronichthys subteres Trichomycterus davisi cf. Trichomycterus proops Trichomycterus sp. Trichomycterus guaraquessaba Trichomycterus zonatus Trichomycterus cubataonis Corydoras barbatus Callichthys callichthys Steindachnerina biornata Pimelodella laterostriga Pimelodella pappenheimi Listrura boticario Rivulus cf. luelingi Rineloricaria sp. Rhamdioglanis frenatus Parotocinclus maculicauda Microglanis sp. Microglanis parahybae Hisonotus leucofrenatus Ancistrus multispinis Geophagus brasiliensis Cichlasoma facetum Crenicichla cf. lacustris Gymnotus carapo

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Candiru Candiru Candiru Cambeva Limpa-fundo Limpa-fundo, Tambuatá Curimbatas Mandizinho

Bagre Cumbaquinha Limpa-vidros Acará Acará-vovó Joaninha Carapó

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

287


Continuação do Anexo 4 Número de Espécies 624 625 626 627 628

Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii Actinopterygii

Awaous tajasica Phalloceros caudimaculatus Poecilia cf. vivipara Hypopomus artedi Synbranchus marmoratus

629

Actinopterygii

Rhamdia quelen

630 631 632 633 634 635 636 637 638

Osteichthyes

Glanidium melanopterum Trachops cirrhosus Platyrrhinus lineatus Mimmon bennettii Oligosarchus hepsetus Gymnotus sp. Astyanax sp. Trichodactylus fluviatilis Macrobrachium potiuna

Classe

Crustacea Crustacea

Espécie

Nome Vulgar

Status de conservação LISTA LISTA IUCN MMA

Muçum Jundiá, Bagre, Mandi, Nhurundia, Mandí-guaru, Bagre-sapo Bagre-bocudo Least Concern Least Concern

Carangueijo-de-água-doce Camarão-de-água-doce

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

288


Anexo 5 - Manual de pesquisa na RSNM

FUNDAÇÃO GRUPO BOTICÁRIO DE PROTEÇÃO À NATUREZA

ORIENTAÇÕES PARA PESQUISA NA RESERVA NATURAL SALTO MORATO

2011

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

289


A FUNDAÇÃO GRUPO BOTICÁRIO DE PROTEÇÃO À NATUREZA Criada em 1990, a partir do compromisso do Boticário em contribuir efetivamente com a conservação da natureza, a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é uma entidade sem fins lucrativos, que possui a missão de promover e realizar ações de conservação da natureza. A Fundação Grupo Boticário consolidou-se como uma das principais financiadoras de projetos de conservação no Brasil, tornando-se, também, referência em manejo de reservas privadas, além de ter inovado na criação de um mecanismo de pagamento por serviços ecossistêmicos em áreas de manancial. A organização também dissemina conhecimento, mobiliza a sociedade e estabelece parcerias para que mais instituições e pessoas contribuam para a causa conservacionista no país. Para alcançar sua missão de maneira mais efetiva, a Fundação Grupo Boticário mantém duas Reserva Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) com

o

propósito

de

protegerem

os

ecossistemas

que

abrigam

e

disseminarem as atitudes conservacionistas na sociedade como um todo. As reservas naturais são estabelecidas em regiões específicas de cada um dos biomas brasileiros e irradiam ações de proteção, pesquisa, apoio a projetos, educação e mobilização para conservação da natureza em seu entorno. As duas unidades de conservação da instituição protegem 11 mil hectares de Mata Atlântica e Cerrado, dois dos biomas mais ameaçados do país.

RESERVA NATURAL SALTO MORATO O primeiro Centro de Referência para a Conservação da Natureza da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é a Reserva Natural Salto Morato (RNSM), com uma área de 2.340ha, localiza-se no município de Guaraqueçaba, litoral norte do estado do Paraná, a 170 km de Curitiba. Localizada aos 25°09’ a 25°11’ de latitude Sul e 48°16’ a 48°20’ de longitude Oeste, a área se estende das planícies litorâneas (25 m snm) às encostas da Serra do Mar (918 m snm). Estas condições, associadas às

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

290


condicionantes geológicas, edáficas e climáticas, propiciam a ocorrência de variadas fitofisionomias da Floresta Atlântica. Ademais, usos humanos em parte da área, anteriores à sua aquisição e transformação em Reserva pela Fundação Grupo Boticário, determinaram, ainda, a ocorrência de diferentes fases sucessionais associadas a algumas dessas formações vegetais. Até o momento, com base nos levantamentos já realizados, a Reserva Natural Salto Morato possui mais de 650 espécies vegetais vasculares, 58 espécies de mamíferos, 311 espécies de aves, 34 espécies de répteis, 27 espécies de anfíbios e 38 espécies de peixes. A RNSM é uma unidade de conservação privada, de propriedade da Fundação Grupo Boticário e foi reconhecida oficialmente como Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN em 1994. Devido às suas características, a RNSM tem por objetivos a proteção de amostra da Floresta Atlântica, a proteção de belezas cênicas, a promoção de pesquisa científica, a realização de atividades de educação ambiental e de recreação em contato com a natureza. Para tanto, a Reserva conta com pessoal capacitado e infraestrutura, composta por: centro de visitantes, centro de capacitação, centro de pesquisas,

centro

quiosques

para

administrativo, piqueniques,

casa

centro de

de

manutenção,

hóspedes

e

camping,

residências

de

funcionários. Como chegar de carro • Via BR-277: saindo de Curitiba em direção ao litoral pela BR-277, no km 30 entrar na PR-408 (asfaltada) em direção a Antonina, passando por Morretes (existem placas indicativas). Antes de chegar à cidade de Antonina, tomar a PR-440 (Antonina-Cacatu) observando que placas já indicam Guaraqueçaba. Seguir por essa via pavimentada até a bifurcação com

a

PR-405

(Cacatu-Guaraqueçaba)

e

depois

continuar

por

65

quilômetros de estrada não pavimentada até o acesso à RNSM (sinalizado). A partir daí são 4 km até a portaria da RNSM. A viagem toda dura entre 3 horas e 4 horas.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

291


• Via BR-116 e Estrada da Graciosa: saindo de Curitiba pela BR-116 (Curitiba/São Paulo), no km 60 acessar a estrada da Graciosa e seguir por esta estrada histórica até a entrada de Antonina. Tomar então a PR-440 (Antonina-Cacatu) observando as placas de sinalização e seguir as indicações correspondentes ao trecho seguinte, conforme já indicado anteriormente (via BR-277). A viagem dura em média quatro horas. Como chegar de ônibus Diariamente

saem

Guaraqueçaba,

ônibus

pela

Viação

da

estação

Graciosa.

rodoviária O

tempo

de de

Curitiba viagem

para é

de

aproximadamente 5 horas. Como chegar de barco Há um sistema de transporte de barco rotineiro entre Guaraqueçaba e Paranaguá, é bom confirmar os horários e dias deste serviço junto à Prefeitura de Guaraqueçaba (41) 3482-1494. A viagem leva em média 3 horas. Outra opção é alugar um barco menor com antecedência e fazer o percurso em 1 hora ou menos. De Guaraqueçaba, pode-se tomar um ônibus ou um utilitário de turismo até a Reserva (19 km), o que leva 40 minutos adicionais. PRIORIDADES DE PESQUISAS E RECURSOS OFERECIDOS PELA RNSM Como comentado acima, a pesquisa científica é um dos objetivos primários da Reserva Natural Salto Morato. Por isso, a Fundação Grupo Boticário incentiva a realização de pesquisas conservacionistas na RPPN e pode apoiar pesquisas que venham a ser enquadradas nos níveis de mais alta prioridade. Não cabe ao pesquisador qualquer questionamento sobre a decisão de apoiar ou não uma pesquisa científica, pois essa é uma prerrogativa exclusiva da Fundação Grupo Boticário, que se reserva o direito de tomada de decisão conforme estratégias e recursos disponíveis. Para a priorização, utilizam-se os seguintes critérios:

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

292


Categoria

Característica

Tipo de apoio

Prioridade I

Tema indicado no plano de manejo e no programa de pesquisa específico da Reserva e atende especificamente uma necessidade imediata prevista no plano operacional, visando à gestão da unidade.

Conforme a disponibilidade de recursos, suporte financeiro para deslocamento, alimentação e suprimentos de campo.

Prioridade II

Tema indicado no plano de manejo, mas não no programa específico de prioridade da Reserva.

Hospedagem: prioridade no agendamento e utilização das instalações. Conforme a disponibilidade de recursos, suporte financeiro para deslocamento, alimentação e suprimentos de campo. Hospedagem: prioridade no agendamento e utilização das instalações.

Prioridade III

Tema não indicado no plano de manejo, mas que pode trazer informações aplicáveis no manejo da Reserva.

Hospedagem: dependendo disponibilidade.

Prioridade IV

Tema não indicado no plano de manejo e trará conhecimento geral sobre biodiversidade.

Pesquisador poderá ser cobrado pela taxa de uso das instalações de pesquisa e hospedagem de acordo com disponibilidade.

da

A RNSM dispõe de um Centro de Pesquisas dotado de um laboratório de preparação básica e alojamento para 12 pesquisadores. A definição de temas prioritários é dinâmica e de responsabilidade exclusiva da Fundação Grupo Boticário. O conjunto dos temas visa atender às lacunas de informações momentâneas que possam representar um avanço no conhecimento de um alvo de conservação da Reserva, visando uma melhoria no manejo da área. Atualmente, os temas prioritários são:  Impacto das mudanças climáticas para as espécies e para o ecossistema;  Autoecologia do palmiteiro-jussara (Euterpe edulis), incluindo sua fenologia e aspectos da biologia reprodutiva;  Autoecologia da jacutinga (Aburria jacutinga);  Autoecologia do macuco (Tinamus solitarius);  Invasões biológicas, controle e erradicação de espécies exóticas, com destaque para as gramíneas africanas (braquiárias e capim-gordura), líriodo-brejo, banana-flor, goiabeira e limoeiro; e monitoramento do caramujogigante-africano (Achatina fulica);  Estudo e monitoramento da sucessão natural nas áreas de regeneração primária e secundária.  Estabilidade dos solos e técnicas de combate aos processos erosivos;

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

293


Autoecologia de demais espécies ameaçadas, conforme lista MMA e IUCN; Autoecologia de espécies de forte endemismo; Estrutura populacional e autoecologia de espécie cinegéticas; Composição florística e faunística das formações vegetacionais da RNSM (Floresta Ombrófila Densa de formações submontana, montana, altomontana e aluvial);  Ecologia do Rio Morato;  Ecologia da paisagem: conectividade de áreas naturais protegidas; lacunas de conservação para proteção dos corredores.    

COLETA DE MATERIAL BIOLÓGICO A coleta de material biológico poderá ser permitida desde que seja de significativo interesse para a Reserva ou de importância para a conservação da natureza. Para tanto, o pesquisador deverá obedecer à legislação pertinente,

incluindo

licenças

e

autorizações

do

órgão

ambiental

competente, com destaque ao SISBIO (Instrução Normativa 154/2007 do IBAMA). Em todos os casos, o pesquisador deve requerer anuência prévia da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, conforme descrito neste manual.

PROPOSTAS DE PESQUISAS Os pesquisadores interessados em realizar pesquisas na Reserva Natural Salto Morato devem preencher o formulário em anexo e encaminhá-lo ao email morato@fundacaogrupoboticario.org.br. Dentro de até 30 dias a partir do recebimento do formulário preenchido a Fundação Grupo Boticário responderá ao proponente, deferindo ou não o seu pedido. PESQUISADORES ESTRANGEIROS Pesquisas

com

participação

de

pesquisador

estrangeiro,

além

da

apresentação da proposta de pesquisa, conforme descrito acima devem incluir licença específica do CNPq, conforme legislação vigente. REGULAMENTO PARA ATIVIDADES CIENTÍFICAS Ao ter uma solicitação de pesquisa aprovada, o pesquisador receberá um regulamento para a realização de atividades científicas nas reservas da

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

294


Fundação Grupo Boticário, contendo as diretrizes e procedimentos. O pesquisador

deverá

estar

de

acordo

com

tal

regulamento

e

será

responsabilizado pelo seu cumprimento, visando o mínimo impacto ao patrimônio natural da RNSM durante a execução de suas atividades. OBRIGAÇÕES DOS PESQUISADORES O pesquisador é responsável pelo cumprimento da legislação e normas de conservação, segurança e comportamento na RNSM. Os gestores da Reserva acompanharão o desenvolvimento das atividades não só por meio dos relatórios parciais e conclusivo, como também poderão demandar informações sobre questões que tenham sido observadas em campo, com o intuito de auxiliar no manejo da RNSM. Os pesquisadores serão convidados a participar do programa “dia de campo com pesquisador”, que é a oportunidade de contato entre os visitantes da RNSM com os pesquisadores da Reserva. Durante esses “dias de campo”, os visitantes participarão das atividades de campo com as equipes de pesquisa, auxiliando nos trabalhos e conhecendo sobre a importância das pesquisas para a conservação da biodiversidade. ORIENTAÇÕES GERAIS Os funcionários da RNSM têm expediente de dois turnos: das 8h00 às 12h00

e

das

13h30

às

17h30.

Atividades

que

necessitem

do

acompanhamento dos mesmos devem ser programadas dentro destes horários; em caso de pesquisas que requeiram acompanhamento durante todo o dia, o pesquisador deverá solicitar com a devida antecedência este serviço à administração da Reserva, que agendará uma data que não comprometa as demais atividades da RNSM. A RNSM não dispõe de serviço médico, mas possui orientação para encaminhamentos em caso de emergências. Qualquer necessidade de assistência deve ser imediatamente solicitada à administração da RNSM para as devidas providências. A RNSM solicitará ao pesquisador que apresente comprovação da existência de seguro de vida e contra acidentes pessoais.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

295


Contato e outras informações: Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza R. Gonçalves Dias, 225 - Batel 80240-340 Curitiba -PR Telefone: 41 3340-2636 Fax: 41 3340-2635 e-mail: panp@fundacaogrupoboticario.org.br www.fundacaogrupoboticario.org.br Reserva Natural Salto Morato Estrada do Morato, s/n caixa postal 38 83390-000 Guaraqueçaba – PR Telefone: 41 3381-9671 / 41 9109-6234 / 41 9825-1888 e-mail: morato@fundacaogrupoboticario.org.br Aguardamos sua proposta!

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

296


Anexo 6 - Pesquisas realizadas na RNSM

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

297


Anexo 6 – Lista das pesquisas realizadas na RNSM Número de Pesquisas

TÍTULO

PESQUISADOR

1

Rede Latino-Americana de Monitoramento Atmosférico de Juliana Leonel POPs

2

Dinâmica populacional de Monodelphis sp: para a conservação de pequenos mamíferos

3

Estudo de preferências em ecoturismo.

4 5

implicações

INSTITUIÇÃ O

TÉRMINO

FURG

OBS EM ANDAMENTO

Tatiane Uchoa

CONCLUÍDA

Ismael Nobre

CONCLUÍDA

Diagnóstico Faunístico Fazenda Salto Dourado e Fazenda Márcio Luís Bittencout et al Figueira Desenvolvimento, proteção e agricultura em Áreas de Jefferson Marçal da Rocha Proteção Ambiental – O caso de Guaraqueçaba –PR.

CONCLUÍDA CONCLUÍDA

6

Inferências sobre a conservação da Bacia Hidrográfica do Sul-sudeste e a Biogeografia da espécie Characidium lanei, Ana Paula de Amorim a partir de estudos citogenéticos

UFPR

CONCLUÍDA

7

Levantamento populacional e filogenético de fotobiontes de Rodrigo Arantes Reis líquens de diversos ecossistemas paranaenses

UFPR

CONCLUÍDA

8

Monitoramento das características físicas e químicas da água e da ocorrência de macroinvertebrados bentônicos José Adailton Caetano nos rios de Guaraqueçaba

9

Unidades de paisagem da Reserva Natural Salto Morato

10 11 12 13

Identificação de estádios sucessionais da Mata Atlântica: um novo método Impacto da ictiofauna sobre as comunidades bentônicas em diferentes habitats de riachos da RPPN Salto Morato Revisão sistemática do grupo de espécies de Physalaemus signifer Revisão Sistemática do grupo de Scinax catharinae

CONCLUÍDA

Lucas Pontes

CONCLUÍDA Instituto Neotropical

EM AVALIAÇÃO

UFPR

EM AVALIAÇÃO

Manoela Woitovcz Cardoso

UFRJ

EM AVALIAÇÃO

Ana Carolina Lourenço

UFRJ

EM AVALIAÇÃO

André Targa (RT) Ricardo Vitulle

Jean

Simões

Calijorne

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

298


Continuação do Anexo 6 Número de Pesquisas

14 15 16 17 18 19

20

21 22 23 24

TÍTULO

PESQUISADOR

Projeto Restauração

INSTITUIÇÃO

TÉRMIN O

EM ANDAMENTO

Rafael Zenni

Caracterização Fitossociológica Preliminar da RPPN Salto Dourado-Figueira Levantamento Pedológico da Área da Fazenda Salto Dourado e sua Interpretação como Subsídio para Plano de Manejo Diagnóstico e Análise Ambiental do Meio Físico – RNSM A assimetria flutuante em passeriformes (aves) da Mata Atlântica e sua aplicabilidade em conservação Avaliação da visitação pública e da eficiência de diferentes tipos de trilhas interpretativas no Parque Estadual Pico do Marumbi e Reserva Natural Salto Morato – PR

Maísa dos Santos Guapyassu

1994

CONCLUÍDA

Carlos H. Rocha, et al.

1994

CONCLUÍDA

Gil F.B. Polidoro, et al

1995

CONCLUÍDA

Marina Anciães

UFMG

1997

CONCLUÍDA

Jane Maria de Oliveira Vasconcelos

UFPR

1998

CONCLUÍDA

UFPR

1998

CONCLUÍDA

UFPR

1999

CONCLUÍDA

Francisco Giovanni David Vieira / Wânia Rezende Silva

1999

CONCLUÍDA

Cintya Granzotto Kuntze

1999

CONCLUÍDA

Mauro Castex

2000

CONCLUÍDA

Caracterização dos visitantes, suas preferências e percepções e avaliação dos impactos da visitação pública em 2 unidades de Leide Yassuco Takahashi conservação do Paraná

Aspectos bio-ecológicos de Puma concolor (Linnaeus, 1771), Leopardus pardalis (Schreber, 1775) na Reserva Natural Salto Morato. RPPN: Caminhos para a prática da administração rural e da educação ambiental. Sinalização Interpretativa da Trilha da Figueira: a serviço da educação ambiental Proposta metodológica para diagnóstico do potencial ecoturístico

OBS

Gisley Paula Vidolin

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

299


Continuação do Anexo 6 Número de Pesquisas 25

26

27 28 29 30

31 32 33

TÍTULO Estrutura das comunidades de Monogenoidea (Platyhelminthes) e a Distribuição das espécies hospedeiras: Modelo Corydoras spp. (Siluriformes, Callichthyidae) Aspectos Ecológicos de duas comunidades de pequenos roedores ocorrentes em estádios sucessionais diferentes de Floresta Atlântica do litoral norte do Estado do Paraná Composição Florística, Fenologia e Estrutura da Vegetação de uma área em restauração ambiental - Guaraqueçaba – PR O Componente Epifítico Vascular na Reserva Natural Salto Morato, Guaraqueçaba – PR Reservas Privadas da America Latina Ecologia populacional de Rhamdioglanis frenatus (Heptapterinae, Siluriformes) através do método de marcação e recaptura em um riacho de mata atlântica, RPPN Salto Morato, Guaraqueçaba, PR Levantamento de pontos amostrais da vegetação na RNSM, como subsídio a classificação da vegetação e outros na APA de Guaraqueçaba Recreação-temática mediante parcerias interdisciplinares direcionadas à realidade da Comunidadae da Vila do morato em Guaraqueçaba Características Ecomorfológica relacionadas à alimentação e ao uso do microhabitat em 4 spp de Characiformes no Rio Morato

PESQUISADOR

INSTITUIÇÃO

TÉRMINO

OBS

UFPR

2000

CONCLUÍDA

IpeC

2000

CONCLUÍDA

UFPR

2000

CONCLUÍDA

UFPR

2000

CONCLUÍDA

2000

CONCLUÍDA

Luiz Fernando Duboc

2001

CONCLUÍDA

Gracie Abad Maximiniano

2001

CONCLUÍDA

Fernanda Pires Bertuol

2001

CONCLUÍDA

2002

CONCLUÍDA

Flávio Popazoglo Marion Silva

Letícia

Bartolamei

Gustavo Adolfo Gatti Alexandra Luiza Schutz Gatti Carlos Alberto Mesquita

Almir Petersen Barreto

UFPR

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

300


Continuação do Anexo 6 Número de Pesquisas

TÍTULO

PESQUISADOR

INSTITUIÇÃO TÉRMINO

OBS

34

Diagnóstico da vegetação da Fazenda Esperança, RNSM

Gustavo Gatti et al.

2002

CONCLUÍDA

35

Diagnóstico de fauna de vertebrados terrestres da RNSM

Juliana Quadros

2002

CONCLUÍDA

2002

CONCLUÍDA

2002

CONCLUÍDA

2002

CONCLUÍDA

2002

CONCLUÍDA

2003

CONCLUÍDA

2003

CONCLUÍDA

2003

CONCLUÍDA

2003

CONCLUÍDA

2003

CONCLUÍDA

36

37

38 39 40 41 42 43 44

Dieta, dispersão de sementes e comportamento de forrageio do cachorro-do-mato Cerdocyon thous Carolina Carvalho Cheida (Carnivora, canidae) em uma área de Floresta Atlântica: RNSM, Guaraqueçaba PR Tatiane Uchôa, Gisley Ecologia populacional de Rhamdioglanis frenatus Paula Vidolin, Thaís (Heptapterinae, Siluriformes) através do método de Michele Fernandes, George marcação e recaptura em um riacho de mata atlântica, Ortemeir Velastin, Paulo RPPN Salto Morato, Guaraqueçaba, PR Rogerio Mangini Efetividade de manejo de áreas protegidas: Quatro estudos Carlos Alberto Mesquita de caso em RPPNs, Brasil. Camylla Stresser Simon Turismo e Voluntariado- Um estudo de caso na FBPN Jacques Ecologia de Bagres Heptapteríneos no Rio Morato, Luiz Fernando Duboc Guaraqueçaba, PR (Siluriformes: Heptapteridae) Estudo da Capacidade de Carga turística para a trilha do Priscila Abi-Zaid Salto na Reserva Natural Salto Morato – PR Ictiofauna do Rio Morato, Guaraqueçaba, Paraná Mariane Scultetus Tokarski Planejamento para a Implantação da Trilha do Salto Bracinho na Reserva Natural Salto Morato, Guaraqueçaba – Francine Rocha Paraná Proposta de um método para monitoramento das trilhas da Angela Pellin RNSM, Guaraqueçaba, PR

IB/USP

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

301


Continuação do Anexo 6 Número de Pesquisas

TÍTULO

PESQUISADOR

45

Tatiane Uchoa/Gisley Paula Aspectos ecológicos e sanitários da lontra (Lontra Vidolin/ Thaís Michele longicaudis OLFERS, 1818) na Reserva Natural Salto Fernandes/ George Morato, Guaraqueçaba, Paraná, Brasil. Ortemeir Velastin/ Paulo Rogerio Mangini

46

Ecologia e conservação da Floresta Atlântica na RNSM

47

Estudo Etnográfico da "Vila Morato"

48

Interpretação Ambiental na RNSM / PR Levantamento da flora liquênica da Área de Proteção Ambiental de Guaraqueçaba e Parque Nacional do Superagui, Paraná. Painel de ecoturismo - Salto Morato – Guaraqueçaba Proposta conceitual para o monitoramento de trilhas em áreas naturais protegidas: caso de estudo a Trilha da Figueira na RNSM, Guaraqueçaba – PR Relações entre floração de bromélias e uma comunidade de beija-flores numa área de Floresta Ombrófila Densa do sul do Brasil. Assembléia de peixes de um riacho da Floresta Atlântica: composição e distribuição espacial (Guaraqueçaba, Paraná, Brasil)

49 50 51 52 53

INSTITUIÇÃO TÉRMINO

OBS

2004

CONCLUÍDA

UFPR

2004

CONCLUÍDA

UFPR

2004

CONCLUÍDA

UFJF

2004

CONCLUÍDA

Cristine Gobel Donha

2004

CONCLUÍDA

Diogo Filus

2004

CONCLUÍDA

URI

2004

CONCLUÍDA

Vitor Piacentini

UFPR

2004

CONCLUÍDA

Almir Petersen Barreto / José Marcelo Rocha Aranha

UFPR

2005

CONCLUÍDA

Sociedade Fritz Müller de Ciências Naturais

2005

CONCLUÍDA

2005

CONCLUÍDA

Mônia Silvia Bazzo Santistevan Gisele de Lucas Mendes

Fernanda Viero Dias

54

Avifauna da Reserva Natural Salto Morato, Guaraqueçaba, Fernando Paraná Urben

55

Ecoturismo na RPPN de Salto Morato

Straube/Alberto

Viviane Oliveira Costa

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

302


Continuação do Anexo 6 Número de Pesquisas

56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66

TÍTULO Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) e sua Função Social na Propriedade Reservas Particulares do Patrimônio Natural do Estado do Paraná: Situação atual e perspectivas A Comunidade de Macroinvertebrados em dois trechos do Rio Morato (Guaraqueçaba, PR): Estrutura, composição e ocupação espacial Artesanato como alternativa de ecodesenvolvimento do entorno da RNSM, Guaraqueçaba - PR. Aves que nidificam em cavidades na Reserva Natural Salto Morato – Guaraqueçaba (PR) Ciclagem de Nutrientes em um Trecho de Floresta Ombrófila Densa Aluvial em Regeneração, Guaraqueçaba, PR Comunidades de pequenos mamíferos em dois estágios sucessicionais de Floresta Atlântica e suas implicações à ecologia e conservação, Estrutura e complexidade da teia trófica em dois poços de um rio da Mata Atlântica (Guaraqueçaba, PR) Gestão de Unidades de Conservação Ictiofauna em rios litorâneos do Paraná: estado de conservação e o papel das unidades de conservação. Proposta de ampliação e detalhamento do subprograma de turismo do plano de manejo da RNSM

PESQUISADOR

INSTITUIÇÃO

TÉRMINO

OBS

2005

CONCLUÍDA

UEM

2005

CONCLUÍDA

UFPR

2006

CONCLUÍDA

FBPN

2006

CONCLUÍDA

UFPR

2006

CONCLUÍDA

UFPR

2006

CONCLUÍDA

UFPR

2006

CONCLUÍDA

2006

CONCLUÍDA

2006

CONCLUÍDA

2006

CONCLUÍDA

2006

CONCLUÍDA

Thais Scorsin Antonio Cegana

Cristiano

Vieira

Maria Elisa Marques Vieira José Aurélio Caiut e Angela Pellin Carlos Augusto Krieck dos Santos Maurício Scheer

Bergamini

Tatiane Uchôa Célio Jonk Flávio Furtado Cristina Valente

Figueiredo

Bruna Pierdoná Portela

UFPR

67

Proposta para o estabelecimento de parcerias entre a RNSM e Andréia Argenton operadoras de ecoturismos que atuam na região de Guaraqueçaba

2006

CONCLUÍDA

68

Sistema de trilhas: a experiência da Reserva Natural Salto Alan Y. Mocochinski / Morato Antonio Cristiano Cegana

2006

CONCLUÍDA

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

303


Continuação do Anexo 6 Número de Pesquisas 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80

TÍTULO Dinâmica populacional de aves de sub-bosque em área de Floresta Ombrófila Densa no litoral do Paraná Diversidade de anfíbios anuros em três diferentes estágios sucessionais da Floresta Atlântica da Reserva Natural Salto Morato, Guaraqueçaba - PR Dieta de Morcegos frugívoros da RNSM Estrutura da comunidade de quirópteros da RNSM Programa de treinamento para estagiários da Reserva Natural Salto Morato - FBPN - Guaraqueçaba – PR, 2008 Padrão Termporal na Reprodução de Cinco Espécies de Morcegos na RNSM Estudo Taxônomico do Gênero Ocotea Aubl. Na Floresta Ombrófila Densa do Estado do Paraná, Brasil. PICN_2445_20082 Frugivoria e Dispersão de Sementes por Aves no Gênero Miconia, e sua Importância para a Regeneração Florestal na Reserva Salto Morato Uso do espaço por morcegos e seu potencial efeito em processos de sucessão e regeneração de áreas degradadas, na Reserva Natural do Salto Morato Análise da Visitação da Reserva Natural Salto Morato: Variáveis Influentes Parâmetros da Comunidade de Anuros de Folhiço da Mata Atlântica da RNSM

PESQUISADOR André Lima

Magnani

Xavier

INSTITUIÇÃO TÉRMINO de

OBS

UFPR

2007

CONCLUÍDA

Michel Varajão Garey

UFPR

2007

CONCLUÍDA

Luana Munster Nathalia Kaku Oliveira

UFPR UFPR

2008 2008

CONCLUÍDA CONCLUÍDA

2008

CONCLUÍDA

UFPR

2010

CONCLUÍDA

Marcelo Leandro Brotto

UFPR

2010

Ricardo Pamplona Campos

UFPR

2010

CONCLUÍDA

Marcelo Rubio

UFPR

2011

EM ANDAMENTO

UniBrasil

2011

CONCLUÍDA

UERJ

2011

EM ANDAMENTO

Hamadryas

2011

CONCLUÍDA

Alessander Pavanelo da Rosa Marcelo Rubio

Burigo

Thabata de Luchtenberg

Guimarães

Quadros

Manuela dos Santos Pereira

Daniel Alexandre Lainequer, Projeto Macuco - Distribuição, biologia e ecologia do Renato Mantelmacher, macuco Tinamus solitarius (Vieillot, 1819), na RNSM Alexander Stella

Continua

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

304


Continuação do Anexo 6 Número de Pesquisas

TÍTULO

PESQUISADOR

INSTITUIÇÃO TÉRMINO

81

Taxonomia e filogenia de Auchenorrhyncha e Insetos Daniela Maeda Aquáticos da Região Neotropical Jorge Luiz Nessimian

82

PICN_0848_20092 Levantamento da fauna de abelhas das orquídeas e abelhas nativas que nidificam em cavidades pré-existentes da Reserva Natural Salto Douglas Caldeira Giangarelli Morato visando a conservação destes polinizadores em remanescentes florestais do Paraná.

83

Projeto Jacutinga

84

85

Takiya

Roberto Boçon

Avaliação da vulnerabilidade de extinção das espécies da Floresta Atlântica mediante o uso de redes de Ricardo Pamplona Campos interação mutualística entre plantas zoocóricas e aves frugívoras PICN_0886_20102 Status de mamíferos de médio e grande porte ameaçados de extinção em áreas Roberto Fusco Costa (RT) protegidas de floresta atlântica costeira do litoral norte Bianca Ingeberman do estado do Paraná: estratégias para elaboração e implementação de um programa de monitoramento

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

OBS

UFRJ

2011

EM ANDAMENTO

UEL

2012

EM ANDAMENTO

Hamadryas

2012

EM ANDAMENTO

UFPR

2013

EM ANDAMENTO

Instituto de Pesquisas Cananéia

2013

EM ANDAMENTO

305


Lista de Artigos publicado originados das pesquisas realizadas Número 1 2 3 4 5 6 7

TÍTULO

PESQUISADOR

OBS

A new interstitial catfish of genus Listrura from Southern de Pinna, M.C.C. & W.B.Wosiacki. 2002. Biological Society of Brazil (Siluriformes: Trichomycteridae: Glanapteryginae). Washington 115: 720-726 A new species of Trichomycterus (Siluriformes: Trichomycteridae) from south Brazil and redescription of T. iheringi (Eigenmann) Decomposição e liberação de nutrientes da serapilheira foliar em um trecho de Floresta Ombrófila Densa Aluvial em regeneração, Guaraqueçaba (Pr) Novos exemplares de Listrura boticario de Pinna & Wosiacki (Siluriformes: Trichomycteridae). O Beija-Flor-Tesoura Eupetomena macroura (GMELIN, 1788) e sua ampliação de distribuição pelo sul do Brasil Population dynamics of the black-cheeked gnateater (Conopophaga melanops, Conopophagidae) in southern Brazil The use of playbacks can influence encounters with birds: an experiment

ARTIGO

Wolmar B. wosiacki

ARTIGO

Maurício Bergamini Scheer

ARTIGO

Leandro Villa-Verde / Marcelo R. Britto / Vinícius Abilhoa

ARTIGO

Fernando Costa Straube / Alberto Urben-Filho / Vítor de Queiroz Piacentini

ARTIGO

André Magnani Xavier de Lima / James Joseph Roper

ARTIGO

André Magnani Xavier de Lima / James Joseph Roper

ARTIGO

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

306


Anexo 7 - Plano de combate a incêndios da Reserva Natural Salto Morato, Guaraqueçaba, Paraná

1. Contexto A Reserva Natural Salto Morato é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de propriedade da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, uma organização não-governamental que tem por missão promover e realizar ações de conservação da natureza. A Reserva tem 2.340 ha, está localizada dentro da Área de Proteção Ambiental de Guaraqueçaba, no litoral Norte do Paraná, e protege um dos mais significativos remanescentes de Mata Atlântica do Brasil. Com 2.340 hectares Salto Morato recebe anualmente cerca de 7 mil visitantes, além de pesquisadores e grupos de estudantes das ciências da Conservação da Biodiversidade. Dezenas de pesquisas já foram realizadas tendo como campo a Reserva, localizada em uma área reconhecida pela UNESCO, em 1999, como Sítio do Patrimônio Natural da Humanidade. Por meio das suas Reservas do Patrimônio Natural, a Fundação Grupo Boticário protege áreas naturais, com características fundamentais para a manutenção da vida de todas as espécies. Elas cumprem o papel de proteção da natureza in situ, além de sensibilizar pessoas para a conservação e servir de campo para inúmeras pesquisas e atividades educativas e recreativas.

2. Objeto desse Plano de combate a incêndios Este plano tem como objetivo elaborar e operacionalizar na RNSM os procedimentos básicos com objetivo de combate a incêndios, sendo estes, florestais, na infra estrutura predial da reserva e em áreas de domínio público de uso coletivo. Orienta, também, como os colaboradores devem proceder em caso de incêndio, mostrando as precauções necessárias para atuação em campo.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

307


2.1. Objetos específicos a) Elaborar um plano para monitoramento e controle de incêndios e manejo de fogo, incluindo: 

Mapear áreas críticas, usando a plataforma SIG;

Criar planos de contingência e estratégias de ação para combate e controle de incêndios de origem externa e interna;

Definir estratégias de proteção/controle em ambientes mais raros e/ou preservados, com uso de modelagem para definição de áreas e circunstâncias críticas para ações preventivas;

Elaborar um programa de monitoramento de incêndios e de avaliação de performance na prevenção, controle, combate e manejo do fogo;

b)

Descrever

e

especificar

equipamentos

para

combate/controle

de

incêndios, necessidades de capacitação de pessoal; c) Indicar de lacunas de conhecimento e necessidade de pesquisas para embasar o manejo do fogo, a serem executadas pelo programa de pesquisas da Reserva.

3. Plano de prevenção e combate aos incêndios florestais Este plano contempla diversos itens, e teve como base o Guia do Chefe, publicação do IBAMA e que norteia os procedimentos que serão adotados pela RNSM com relação a combate a incêndios.

3.1 A Origem do Fogo O fogo é um fenômeno que produz calor a um corpo combustível na presença de ar. Uma vez iniciado o fogo, o calor gerado pela combustão proporcionará a energia necessária para continuidade do processo. Para iniciá-lo são indispensáveis três elementos básicos: combustível, ar e calor. Sem um desses três elementos não há fogo.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

308


3.2 Principais Causas dos Incêndios Florestais De modo geral, podemos dizer que o homem é o principal causador dos incêndios florestais, porque a maioria deles é iniciada em decorrência de algum tipo de atividade humana. Existem também, os incêndios causados por fenômenos naturais, porém eles são menos comuns.

3.3 Tipos de Incêndios Florestais É possível diferenciar três tipos de incêndios florestais. Incêndios de Superfície São caracterizados pela queima da vegetação morta e rasteira, como as herbáceas; da camada de folhas, galhos etc. que se misturam com a terra que cobre o solo da mata (serrapilheiras), bem como dos troncos e, especialmente, de material que tenha sofrido decomposição (húmus). Estes incêndios não causam danos significativos em árvores de grande porte, porém são extremamente prejudiciais às vegetações rasteiras e plantas jovens, principalmente para sua regeneração. Incêndios de Copa São aqueles que se desenvolvem nas copas das árvores, onde a velocidade e a intensidade do fogo são maiores e mais rápidas, devido à grande circulação do vento nessas áreas. Ocorrem com menor freqüência nas florestas tropicais. Incêndios Subterrâneos São incêndios que se propagam debaixo da superfície terrestre, alimentados por matéria orgânica seca, raízes e turfas _ matérias finas, bem compactadas, de combustão lenta e contínua. Ao contrário dos anteriores que se multiplicam com maior rapidez devido à presença de maior quantidade de oxigênio na combustão do material, este tipo de incêndio se espalha lentamente.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

309


Comportamento dos Incêndios Florestais Incêndio florestal é fogo sem controle que incide sobre qualquer forma de vegetação, podendo ser provocado, como já foi dito, pelo homem ou por causas naturais. Os incêndios florestais se comportam de acordo com o ambiente em que se desenvolvem. O número de fatores externos que influem no comportamento do fogo é tão grande que é impossível predizer com precisão o que sucederá quando se inicia um fogo. Para melhor compreendê-los, pode-se classificá-los em três grupos: 

Os combustíveis florestais

Os fatores climáticos

As características topográficas.

Os combustíveis florestais São os materiais disponíveis na RNSM que podem entrar em ignição e queimar. Quanto mais seco estiver o combustível florestal, maior a possibilidade de ele queimar mais rápido. Quanto maior a quantidade de material combustível sendo queimado, maior será a quantidade de calor desprendido. Quanto mais calor for sendo desprendido, mais se propagará e estenderá o incêndio. Alguns combustíveis florestais queimam melhor do que outros porque contêm ceras e óleos inflamáveis. A dimensão e a disposição

dos

combustíveis

florestais

também

influenciam

no

comportamento do fogo. Características dos combustíveis Tamanho: Os combustíveis leves constituídos de pastagens de gramíneas, herbáceas, cerrados limpos, pastagens nativas produzem incêndios de maior velocidade de propagação do que os combustíveis pesados como troncos, tocos e raízes.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

310


Quantidade:

A

descontinuidade

horizontal

da

vegetação

retarda

a

propagação do fogo. Já a sua continuidade vertical aumenta a probabilidade de ocorrência de incêndios de copa. Intensidade: A velocidade de propagação varia em proporção direta com o peso do combustível disponível. Quando seu peso duplica, a intensidade quadruplica. Fatores climáticos Estes fatores são também determinantes do comportamento do fogo. Quanto mais forte for o vento, mais rápido o fogo se propagará. O ar seco e a alta temperatura fazem com que os combustíveis florestais sequem mais rapidamente, favorecendo sua ignição, ativação e posterior combustão. Temperatura: Os materiais combustíveis pré-aquecidos pelo sol queimamse com maior facilidade do que aqueles que estão frios. A temperatura do solo também aumenta a corrente de ar que, aquecida pelo sol, seca o material combustível, fazendo com que ele se queime mais facilmente. Quanto mais forte for o vento, mais rápido o fogo se propagará. Assim, o ar seco e a alta temperatura fazem com que os combustíveis florestais sequem mais rapidamente, favorecendo sua ignição, ativação e posterior combustão. O calor excessivo afeta diretamente a extinção dos incêndios, uma vez que incomoda, dificulta e, muitas vezes, impede o trabalho de pessoas envolvidas no seu combate. Umidade: Os materiais combustíveis são afetados também pela quantidade de vapor de água encontrada no ar, pois eles absorvem a umidade existente no ar. Como o ar, geralmente, é mais seco durante o dia, é mais fácil controlar um grande incêndio durante a noite, quando os materiais combustíveis tonam-se úmidos, dificultando a propagação do fogo. Chuva: A ausência de chuvas é talvez o fator climático que mais influi sobre a ocorrência de incêndios florestais porque o ar torna-se mais rarefeito, fazendo

com

que

a

vegetação

constitua-se

no

principal

combustível.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

311

material


Vento: A forma e velocidade de propagação de um incêndio florestal são controladas

pelo

vento.

O

material

combustível

seco

queima

mais

facilmente e com mais força ao soprar do vento, levando as chamas ou labaredas a passarem de um material combustível para outro e, assim sucessivamente, transformando-se em um incêndio de grandes proporções e de difícil controle. Características topográficas Fatores também decisivos no comportamento do fogo são as características topográficas do terreno onde ele ocorre, ou seja, aquelas relativas à superfície terrestre, em particular à posição e configuração das colinas, montanhas, planos, vales, rios e lagos. Deste modo, as barreiras naturais, como rios, córregos, caminhos, terrenos pedregosos impedem e/ou dificultam a propagação do fogo.

3.4 - Planejamento contra Incêndios Florestais O planejamento contra incêndios florestais para RNSM é uma atividade prioritária, porém este plano estabelece a aplicação de táticas variadas, a utilização da equipe da Reserva e o auxilio externo com formação distinta e específica, incluindo-se Corpo de Bombeiro, BPAmb e funcionários das reservas da SPVS, e com funções diferentes. Neste sentido, é necessário: 

Instalar sistemas de detecção e comunicação que permitam atacar e extinguir rapidamente o fogo;

3.5 - Prevenção contra Incêndios Florestais Impedir totalmente que os incêndios ocorram é praticamente impossível. Porém, é fundamental impedir seu avanço. Assim, medidas e ações para evitar a ocorrência e propagação dos incêndios são de vital importância no trabalho de combate, e a colaboração de todos é fundamental. As atividades de prevenção começam com a construção de acessos livres junto às divisas e trilhas da Reserva, nas para facilitar a segurança e penetração de brigadas nas áreas de ocorrência dos incêndios.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

312


3.6 - Extinção dos Incêndios Florestais As táticas operacionais que serão usadas para extinção de focos de incêndios florestais na RNSM: 

Comunicar a administração da RNSM, acionando o chefe de brigada;

Chefe de brigada avalia proporções do incêndio e se for o caso aciona auxilio externo, pela seguinte ordem, Corpo de Bombeiros, BPAmb, SPVS;

Começar atacando imediatamente as partes mais difíceis, onde existe maior perigo de o fogo avançar;

Sufocar brasas e materiais que permanecerem incendiados;

Eliminar árvores mortas, em pé ou caídas, nas linhas de aceiros de corta-fogo;

Apagar troncos e tocos incendiados na linha de aceiros, cobrindo-os com terra;

Eliminar raízes, troncos, tocos, galhos na linha de corta-fogo;

Extinguir totalmente os incêndios pequenos;

Em incêndios grandes, atacar as áreas adjacentes a uma distância de 30 m da linha de fogo;

Cortar galhos e árvores mortos, chamuscados, em pé ou caídos, que possam provocar faíscas ou chamas na linha de aceiros;

Queimar ilhas (restos) de materiais não queimados;

Localizar e sufocar focos latentes;

Dispersar montes de materiais de alta inflamabilidade para reduzir o calor e o perigo de expansão das chamas;

Sempre que possível, usar água para extinguir o incêndio;

Dispersar bem, dentro da área queimada, todo material latente que não possa ser apagado;

Procurar desenterrar tocos e raízes incendiados na linha de aceiros;

Utilizar água economicamente, combinado-a com outras ferramentas para extinguir o incêndio.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

313


3.6.1 Planejamento das Atividades de Campo O planejamento compreende a programação de todas as medidas e ações de combate aos incêndios florestais, envolvendo as seguintes atividades: 

Detecção do incêndio

Comunicação

Anotações e análises de dados

Mapas para localização

Organização de pessoal

Transporte de pessoal

Abastecimento e transporte de combustíveis

Abastecimento de água/alimentação

Apoio logístico/primeiros socorros

Acampamento/alojamento

3.6.2 Normas Gerais de Segurança A extinção de incêndios florestais, normalmente, acontece em condições tensas, uma vez que a própria natureza desta atividade obriga a uma atuação de emergência. São, assim, trabalhos perigosos que se desenvolvem em ambiente de precipitação e nervosismo, sendo, em grande parte, executados por pessoas não habituadas a trabalhar em matas e florestas. Além de ser um trabalho duro e estafante, conta muitas vezes com o agravante de as pessoas desconhecerem o uso correto das ferramentas que irão manusear. Portanto, é oportuno estar atento às seguintes normas de segurança: 

Estar em contato com seus superiores

Trabalhar em equipe

Carregar as ferramentas corretamente

Olhar onde pisa

Manter a calma em qualquer circunstância

Avisar quando se afastar da equipe e/ou do local do incêndio.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

314


3.6.3 Deslocamento da Equipe Rumo ao Incêndio 

Escolher a rota mais curta, mais segura, que ofereça menor esforço físico e que leve de forma mais rápida aos incêndios. Para tanto, usar mapas e/ou GPS, ou pedir orientação às pessoas que conheçam a região;

Caminhar sempre em ritmo normal e adequado, para não gastar tempo e nem energia desnecessária;

Ter tempo para descanso, necessário ao restabelecimento das energias;

Observar bem por onde passar, tendo cuidado com materiais no solo, galhos, tocos, ramos, olhando sempre em frente;

Se não for necessário, não saltar e nem correr;

Não caminhar no escuro, em hipótese alguma;

Quando for tomar água, beber calmamente;

Ao chegar próximo de incêndios ou queimadas, certificar-se de que escolheu a forma mais segura possível;

Ao escalar morros, serras, montanhas, subir em forma de ziguezague para não gastar energia;

Quando estiver desorientado e perdido no campo ou floresta, procurar os pontos mais altos ou mais elevados, e tomá-los como referencial para se posicionar;

Não se separar da equipe a uma distância maior que dez metros.

3.6.4 Segurança em Combate no Campo Quando for a campo levar: 

Roupa adequada

Capacete leve e resistente

Estojos com protetores e máscaras

Camisas de mangas longas

Calças resistentes e adequadas

Botas de couro

Kits de primeiros socorros

Lanterna

Cantil

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

315


Seguir as normas da RNSM estabelecidas para o uso de ferramentas. 

Ao delimitar uma área de controle para operacionalização das ações, tomar todos os cuidados possíveis com a borda do perímetro delimitado;

Ao delimitar a área, ter o máximo de cuidado em deixar vias de escape bem visíveis, mostrando-as aos demais componentes da equipe;

Se possível manter um vigiapara avisar quando houver perigo eminente de fogo;

Estar sempre em alerta, manter a calma, pensar claramente e agir decididamente;

Ao cair ou atrapalhar-se com o fogo, procurar proteger-se por um dos seguintes métodos: - Escapar por vias de controle, previamente estabelecidas, até chegar a um corta-fogo, caminho ou estrada - Se as chamas forem pequenas, entrar em áreas anteriormente queimadas, passando pelo espaço que contiver as menores chamas - Se as chamas forem grandes e o incêndio de alta intensidade, fazer outro fogo para eliminar os combustíveis vegetais e proteger-se na área queimada.

3.6.5 Organização do Pessoal em Combate Na

RNSM

o

administrador

é

quem

comanda

a

distribuição

das

responsabilidades. Na Reserva trabalhar-se com uma equipe pequena, sob o comando de um chefe da brigada que deve dirigir, comandar e supervisionar sua equipe com firmeza e objetividade. O número de trabalhadores mobilizados depende da topografia local, da reação do fogo, do trabalho a ser executado e do grau de entendimento entre o chefe e seus comandados que devem ser de no máximo oito.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

316


3.6.6 Função do Chefe da Brigada A função de chefe de brigada na RNSM será exercida pelo colaborador que exerce o cargo de técnico I da RNSM. Ao ser informado do incêndio, o chefe da brigada tem que: 

Informar-se da situação do incêndio;

Fazer uma pré-avaliação do incêndio e de todas as informações disponíveis;

Informar-se sobre o acesso ao local, caminho, estrada, topografia, meio de transporte;

Dirigir-se com a equipe ao local do incêndio pela rota mais viável e apropriada;

Estudar o comportamento do incêndio;

Fazer uma segunda avaliação da situação e solicitar ajuda, se necessária;

Preparar plano de combate, com base na equipe e nos recursos técnicos disponíveis para a operacionalização das ações;

Designar uma pessoa para executar cada trabalho específico;

Dirigir o combate e supervisionar os combatentes;

Comunicar-se, com freqüência, com a coordenação central;

Durante o incêndio, deve fazer uma avaliação do plano de extinção e os ajustes necessários;

Assegurar o bem-estar dos combatentes.

3.6.7 Responsabilidades do Chefe da Brigada 

Explicar aos combatentes a natureza do trabalho a ser realizado;

Organizar os combatentes para efetuar eficazmente os trabalhos específicos;

Demonstrar métodos de trabalho seguros e eficientes;

Assegurar que toda a equipe se encontre em perfeito estado;

Registrar os nomes dos combatentes e as horas de trabalho;

Assegurar que as normas de segurança sejam observadas.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

317


3.7 Brigada Morato 3.7.1 Uso de Ferramentas Para a realização adequada de um trabalho desta natureza é preciso contar com ferramentas apropriadas, além, é claro, do perfeito conhecimento de seu uso e conservação. Equipamentos Necessários: 

Machado: para cortar árvores em pé ou caídas e abrir linhas de cortafogo;

Enxada: para carpir as gramíneas, herbáceas e outros tipos de vegetação rasteira, limpar trilhas;

Enxadão: para cavar valas e buracos, fazer trincheiras;

Foice: para abrir picadas, cortar galhos;

Facão: para marcar árvores onde o fogo possa passar, delimitar área para posterior aceiro, cortar galhos, podar árvores;

Serra: para serrar árvores e galhos;

Motosserra: para serrar árvores em pé, podar galhos, árvores caídas;

Pás: para cavar terras e jogá-las sobre as chamas;

Rastelos: para raspar o solo, retirando serrapilheira e outros tipos de combustíveis vegetais;

Abafadores: para apagar as chamas, em ação direta contra o fogo;

Bombas costais: para lançar água sobre as chamas e reduzir a intensidade do fogo.

3.7.2 - Manutenção das Ferramentas Na RNSM o período de maior possibilidade de ocorrência de incêndios florestais é o que compreende os meses de maio a setembro; a manutenção geral em todos os equipamentos de uso nesta atividade deve ser estabelecida em cronograma, verificando se estão em perfeitas condições de utilização. 

Utilizar sempre ferramentas adequadas para a função certa

Guardar e acondicionar cada ferramenta de forma adequada

Conservar em bom estado todas as ferramentas

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

318


Ao transportá-las, acondicioná-las de forma adequada

Embalar todas as ferramentas perigosas ou defeituosas

Utilizar roupas de proteção e luvas, quando forem necessárias.

3.7 3 Monitoramento de Incêndios Para quantificar e avaliar os danos, bem como para planejar ações de prevenção, controle e combate, na RNSM uma planilha estatística completa sobre ocorrências é uma ferramenta a ser desenvolvida e implementada. 3.7.4 Glossário de Termos Usuais Relativos a Incêndios Florestais ABAFADOR: equipamento simples para combate direto do fogo, composto de um cabo preso, em uma de suas extremidades, a um retângulo de borracha (resistente ao fogo) permeado de furos. ACEIRO: barreira natural ou construída destinada a causar descontinuidade do material combustível (ex.: rios, estradas). ADVECÇÃO: transmissão do calor por um movimento horizontal de massa de ar. ANTROPISMO: alteração no meio físico provocada pela ação do homem. ATAQUE DIRETO:

método de

combate

em que o

fogo é

atacado

diretamente, com abafadores ou por meio da aplicação de água, espuma, retardante ou terra. ATAQUE INDIRETO: consiste em eliminar o material combustível existente na superfície compreendida entre a frente do fogo e a barreira delimitada como linha de defesa (aceiro). ATAQUE INICIAL: esforço inicial de controle realizado pelo grupo que primeiro chegar ao local do fogo. ATAQUE PARALELO: método intermediário de combate ao fogo entre o direto e o indireto. É usado quando o calor produzido pelo fogo permite certa aproximação, mas não o suficiente para o ataque direto. BORDA DO INCÊNDIO: é a parte de seu perímetro que se encontra em chamas.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

319


CABEÇA OU FRENTE DO INCÊNDIO: é a parte da frente do incêndio onde o fogo avança com mais força, intensidade e rapidez. COMBUSTÍVEL FLORESTAL: material orgânico disponível no meio ambiente, que pode entrar em ignição e queimar-se. CONTRA-FOGO: técnica de combate em que, tendo como base um aceiro natural ou construído, é ateado fogo na vegetação existente entre o aceiro e a linha de fogo do incêndio de forma a eliminar o combustível existente. CORTA-FOGO: barreira natural ou construída, antes que se produza o incêndio, destinada a deter o fogo superficial e a facilitar a movimentação de pessoal em operação na área. CORTINA DE SEGURANÇA: faixa plantada com espécies higrófilas (que oferecem maior resistência à propagação do fogo). DETECÇÃO: ato ou sistema de descobrir e localizar focos de incêndio e queimadas. ECOSSISTEMA:

sistema

formado

pelas

comunidades

biológicas

em

integração com os fatores do meio. ESTRATOS: é a estrutura da vegetação compreendida entre certos limites. O estrato herbáceo compreende as plantas não-lenhosas; os arbustivos e os lenhosos chegam a adquirir porte arbóreo. Os estratos arbóreos são compostos de árvores. FOCOS DE CALOR: áreas que transmitem intensidade de calor elevada, identificadas pelo sensor AVHRR do Satélite NOAA e, normalmente, associadas a queimadas. FAIXA DE APOIO: linha básica que se prepara para operacionalização da atividade do pessoal envolvido em trabalho de combate ao incêndio florestal referencial. FOGO DOMINADO: é aquele que se consegue isolar e/ou dominar enquanto ainda está baixo ou pequeno. FOGO EXTINTO: é aquele em que não há mais perigo de propagação, por não haver mais material em combustão ou quente.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

320


FOGO REATIVADO: é o fogo que se reproduz quando parecia estar extinto. FOGO SUFOCADO: é aquele em cuja borda se tenha apagado as chamas. INCÊNDIO DE COPA: tipo de incêndio que se caracteriza pela propagação do fogo através das copas das árvores. Considera-se incêndio de copa aquele que ocorre em combustíveis acima de 1,80 m de altura. INCÊNDIO FLORESTAL: fogo sem controle que incide sobre qualquer forma de vegetação, podendo tanto ser provocado pelo homem como por fonte natural (raio). INCÊNDIO SUBTERRÂNEO: tipo de incêndio que se propaga através das camadas de húmus ou turfa existentes sobre o solo mineral e abaixo do piso da floresta. INCÊNDIO SUPERFICIAL: tipo de incêndio que se propaga na superfície do piso da floresta, queimando os vegetais não decompostos, serrapilheira, gramíneas, arbustos, enfim, todo material combustível até cerca de 1,80 m de altura. INTENSIDADE DO FOGO: taxa de energia ou calor liberada, por unidade de tempo e de comprimento, da frente de fogo. LINHA DE DEFESA: barreira selecionada, entre as naturais e artificiais existentes, ou completada para conter e dominar o incêndio florestal. MONITORAMENTO: medição repetitiva, discreta ou contínua, ou observação sistemática da qualidade ambiental. PLANO DE ATAQUE: método de atuação selecionado para um determinado incêndio, levando-se em consideração as circunstâncias de sua ocorrência. QUEIMA CONTRA O VENTO: linhas de fogo colocadas ao longo de aceiros naturais ou artificiais somente permitindo a propagação contra o vento. QUEIMADA PRESCRITA OU CONTROLADA: aplicação controlada de fogo à vegetação natural ou plantada sob certas condições ambientais que permitam ao fogo manter-se confinado a uma determinada área e ao mesmo tempo produzir intensidade de calor e velocidade de espalhamento desejáveis aos objetivos do manejo.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

321


RESCALDO: ato de checar a existência e apagar qualquer foco de possível reignição de um incêndio recém-extinto. TORRE DE OBSERVAÇÃO: Construção situada em local privilegiado que possibilita a visão total ou a melhor possível de uma determinada área, viabilizando a detecção de qualquer foco de incêndio.

Literatura consultada BROWN, A. A. & DAVIS K. P. Forest fire - control and use. New York, 1973. IBAMA/PREVFOGO. Como fazer uma queimada controlada. Brasília, 1995. IBAMA/PREVFOGO. Termos usuais relativos aos incêndios florestais. Brasília, 1994. COUTINHO, L. M. O Cerrado e a ecologia do fogo. Ciência Hoje, nov. 1990. MINISTERIO DE AGRICULTURA, PESCA Y ALIMENTAÇÃO. Defesa contra incendios forestales. Curso Superior, Madrid, 1989. DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO. Portaria 060, seção I, n. 165, p. 13.086 de 25 de agosto de 1995. FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Recursos naturais - meio ambiente e poluição. Rio de Janeiro, 1977, v. 2 INSTITUTO NACIONAL PARA LA CONSERVACION DE LA NATUREZA. Manual de operação contra incendios forestales, Gran Via de San Francisco. n 4, 28.005, Madrid. VENTURA, José F. Lebrón. Manual de prevención y control de incendios forestales. República Dominicana, 1995. VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO: velocidade em que o fogo se propaga em uma determinada área por unidade de tempo. VÉLEZ Múñoz Ricardo. Manual para el primer ataque a un incendio forestal. Publicaciones del Ministerio de Agricultura, Pesca e Alimentación. Instituto Nacional para la Conservación de la Naturaleza, Madrid 1982. FAO. Métodos de luchas contra incendios forestales. 1953. NATURALEZA, Instituto Nacional para la Conservación de la. PLAN DE acciones prioritarias contra los incendios forestales. Publicaciones del Ministerio de Agricultura, Pesca y Alimentación., Madrid 1988. REVISTA MONTES, n. 149, enero-febrero 1969.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

322


SOARES, R. V. & CORDEIRO, L. Análise das causas e épocas de ocorrências de incêndios florestais na região Centro-Paranaense. Floresta, 1974 SOARES, R. V. Prevenção e controle dos incêndios florestais. Curitiba, FUPEV, 1982. VICTORY, J. A. Y SAEZ, A. Valoración de pérdidas en los incendios forestales. Instituto Forestal de Investigaciones y Experiencias, Madrid, 1969.

Plano de Manejo da Reserva Natural Salto Morato

323


21686_20120425_115338