__MAIN_TEXT__

Page 1


TÍTULO Catálogo ID&I de Competências e Projectos em Angola Agricultura, Agro-indústria, Indústria Alimentar, Floresta e Recursos Naturais

ANO DE PUBLICAÇÃO 2019

COORDENAÇÃO TÉCNICA

RESPONSÁVEIS Ana Teresa Vaz Inês Pacheco

DESIGN IMPRESSÃO

Raquel Gonçalves Aos Papéis—Reproduções de Imagens, Lda.

As fotografias ilustrativas dos projectos foram cedidas pelos responsáveis dos mesmos.

APOIOS

O presente catálogo não foi escrito ao abrigo do Acordo Ortográfico de 1990. DISTRIBUIÇÃO GRATUITA


Agricultura . Agro-indústria . Indústria Alimentar . Floresta . Recursos Naturais

CATÁLOGO

ID&I

Competências Projectos

Angola


Catálogo Angola

ÍNDICE Nota Prévia ........................................................................................................................................................................ 8 Lista de Abreviaturas ......................................................................................................................................................... 10 COMPETÊNCIAS Institutos de Investigação CNIC - Centro Nacional de Investigação Científica .......................................................................................................... 18

IDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário ....................................................................................................................... 20 IDF - Instituto de Desenvolvimento Florestal ....................................................................................................................... 22 IIA - Instituto de Investigação Agronómica ........................................................................................................................ 24 IIV - Instituto de Investigação Veterinária .......................................................................................................................... 42 INCA - Instituto Nacional do Café .................................................................................................................................. 56 INCER - Instituto Nacional dos Cereais ............................................................................................................................ 66 Universidades Universidade Agostinho Neto CB - Centro de Estudos e Investigação Científica de Botânica ............................................................................................ 72

CRF - Centro de Recursos Fitogenéticos ............................................................................................................................ 76

4


Índice

Universidade José Eduardo dos Santos FCA - Faculdade de Ciências Agrárias ........................................................................................................................... 80

FMV - Faculdade de Medicina Veterinária ...................................................................................................................... 88 Universidade Mandume ya Ndemufayo ESPtN - Escola Superior Politécnica do Namibe ............................................................................................................... 96 ISPH - Instituto Superior Politécnico da Huíla .................................................................................................................. 100

ISPM - Instituto Superior Politécnico de Malanje ............................................................................................................... 104 ISPKS - Instituto Superior Politécnico do Cuanza Sul .......................................................................................................... 108 PROJECTOS Agrojovem - projecto de apoio aos jovens camponeses e agricultores no município da Caála ............................................ 114 Aplicação de técnicas agronómicas integradas no melhoramento da produtividade do cafeeiro ......................................... 116 Apoio ao desenvolvimento de cooperativas agrícolas nas províncias do Huambo e Benguela ............................................ 118 APPSA - Programa de produtividade agrícola para a África Austral - Angola e Lesoto ....................................................... 120 Avaliação da adaptabilidade de variedades de mandioca como alternativa à alimentação de animais ............................... 122

Caracterização higiosanitária dos leites fermentados (omavele) artesanalmente nos municípios de Caimbambo e Chogoroi .. 124

5


Catálogo Angola

CDAIS - Desenvolvimento de competências para a inovação dos sistemas agrários ............................................................ 126 Cooperativismo no sector agropecuário no município de Cacuaco - Contribuição para a revitalização das economias locais

128

Criação da fazenda experimental universitária do ISPH com vista a implementação das aulas práticas e ensaios ................. 130 Degradação química do solo da Funda ......................................................................................................................... 132 Diagnóstico das principais parasitoses e pragas que afectam as abelhas dos apiários da província do Huambo .................. 134 FRESAN - Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola ............................................. 136 Gestão ecologicamente sustentável de espécies espontâneas de Angola ........................................................................... 138 Gestão sustentável dos recursos naturais ....................................................................................................................... 140

Instalação de banco de germoplasma da palmeira de dendém ........................................................................................ 142 IRCEA - Integração da resiliência climática nos sistemas de produção agrícola e agro-pastoril ............................................ 144 Levantamento etnofarmacológico das potencialidades terapêuticas das plantas de Malanje ................................................ 146

6


Índice

Mitigação do efeito da erosão do solo na cidade do Luena: contenção de ravinas e gestão sustentável dos solos ................ 148 MOSAP II - Projecto de desenvolvimento da agricultura familiar e comercialização (SADCP) .............................................. 150 Obtenção de plantas tolerantes à seca nos solos da província do Cunene por mutação induzida com raios gama ............... 152 Organização do maneio reprodutivo do gado de corte nas estações zootécnicas do IIV .................................................... 154 PAI - Projecto agropecuário inclusivo ............................................................................................................................ 156 Produção de pesticidas naturais a partir de plantas aromáticas e medicinais .................................................................... 158 Promoção do carvão vegetal sustentável sobre uma abordagem de cadeia de valor em Angola ........................................ 160 RETESA - reabilitação de terras e gestão das áreas de pastagem nos sistemas de produção agro-pastoril ............................ 162

Tecnologia de produção agrícola para a alimentação humana e animal no município da Humpata .................................... 164 Tecnologias de reprodução do cafeeiro ........................................................................................................................ 166 VirFree - Viveiros de fruteiras isentos de vírus ................................................................................................................. 168

7


Catálogo Angola

NOTA PRÉVIA O aumento exponencial da população mundial tem vindo a trazer enormes desafios à humanidade. Por um lado, é essencial aumentar a produtividade agrícola de modo a garantir a Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) das populações. Por outro lado, uma gestão sustentável de recursos naturais deverá acompanhar o aumento da produtividade para que esta possa ser mantida ao longo das próximas gerações. É partindo destes pressupostos que emerge a necessidade de melhorar, através da aplicação de novas tecnologias e conhecimento científico, os sistemas agrícolas e as cadeias de valor dos sectores alimentar, florestal e ambiental. Os mecanismos de partilha de informação permitem conectar os actores que geram esses novos conhecimentos

(universidades, institutos de investigação, etc.) e os actores que os utilizam na sua actividade comercial (agricultores, produtores, empresas, etc.) ou outro tipo de iniciativas e aplicações (organizações não governamentais e governamentais, associações, etc.). A Plataforma SKAN – Sharing Knowledge Agrifood Networks (www.skanplatform.org) é uma rede de partilha de conhecimento e tecnologia, com enfoque nos países de língua portuguesa, apoiada pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e pela CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e coordenada pela INOVISA – Associação para a Inovação e

Desenvolvimento Empresarial. Em Angola, tem desenvolvido as suas actividades em parceria com a Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos (FCA-UJES) e com o Instituto de Investigação Agronómica (IIA). A realização do presente catálogo teve como objectivo sistematizar e disseminar projectos de ID&I (Investigação, Desenvolvimento

e Inovação) de diversas entidades públicas e privadas, com actuação nos sectores agrícola, alimentar, florestal e ambiental em Angola.

8


Nota Prévia

Pretende-se assim contribuir para o fortalecimento da ligação entre os diversos actores, potenciando a criação de novas parcerias, projectos e iniciativas em consórcio, contribuindo para o desenvolvimento destes sectores e para uma maior SAN. O processo de levantamento das informações relativas aos projectos de ID&I foi realizado através do contacto com as entidades e através de formulários específicos, que foram entregues aos responsáveis destas entidades por via presencial ou por correio electrónico, tendo-se posteriormente procedido a um cuidadoso processo de verificação e validação. No entanto, poderão sempre existir incorrecções ou desactualizações nas informações constantes do presente catálogo, incluindo a escassez ou mesmo ausência

de dados sobre algumas entidades ou projectos de ID&I. Por motivos de edição e limitação de espaço, foi necessário proceder a uma selecção dos projectos e tecnologias submetidos para o catálogo. Tal selecção teve por base os critérios de grau de inovação e potencial de valorização para Angola, com especial enfoque nas áreas de actuação da Plataforma SKAN.

A todas as entidades que colaboraram e contribuíram no fornecimento de informações para o catálogo, a equipa da Plataforma SKAN expressa a sua gratidão.

9


Catálogo Angola

LISTA DE ABREVIATURAS ADRA - Acção Para o Desenvolvimento Rural e Ambiente

CNRA - Centro Nacional de Recherche Agrícole da Cote D`Ivoir

AIEA - Agência Internacional de Energia Atómica

CRF-UAN - Centro de Recursos Fitogenéticos da Universidade Agostinho Neto

APPSA - Agricultural Productivity Program for Southern Africa BIRD - Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento

CRL - Centros Regionais de Liderança

BNA - Banco Nacional de Angola

DNELIID - Direcção Nacional de Expansão e Licenciamento das Instituições de Investigação & Desenvolvimento Científico Tecnológico e Inovação

CEAER - Centro de Estudos Ambientais e Energias Renováveis

ECA - Escola de Campo do Agricultor

CB-UAN - Centro de Botânica da Universidade Agostinho Neto

EDA - Estação de Desenvolvimento Agrário

CCARDESA - Centre for Coordination of Agricultural Research and Development for Southern Africa

EEA - Estação Experimental Agrícola

CDAIS - Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários

ESPtN - Escola Superior Politécnica do Namibe

BMBF - Ministério Federal Alemão de Educação e Pesquisa

CENIPALMA - Centro Nacional da Palmeira do Óleo da Colômbia CIMO - Centro de Investigação de Montanha CNIC - Centro Nacional de Investigação Científica CNR - Consiglio Nazionale di Ricerca (Itália)

EEF - Estação Experimental Florestal

FAO - Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura FCA - Faculdade de Ciências Agrárias (da UJES)

FED - Fundo Europeu do Desenvolvimento FMV - Faculdade de Medicina Veterinária (da UJES) GEF - Global Environment Facility 10


Lista de Abreviaturas

GreeNTD - Green Negotiated Territorial Development

IPB - Instituto Politécnico de Bragança

GST - Gestão Sustentável da Terra

ISA/Ulisboa - Instituto Superior de Agronomia, Universidade de Lisboa

ha - hectare

ISPH - Instituto Superior Politécnico da Huíla

I&D - Investigação e Desenvolvimento

ISPM - Instituto Superior Politécnico de Malanje

IBAF - Istituto di Biologia Agroambientale e Forestale (Itália)

ISPKS - Instituto Superior Politécnico do Cuanza Sul

ID&I - Investigação, Desenvolvimento e Inovação

MAFS - Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar (Lesoto)

IDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário

MASFAMU - Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (Angola)

IDF - Instituto de Desenvolvimento Florestal IIA - Instituto de Investigação Agronómica

IIV - Instituto de Investigação Veterinária

MESCTI - Ministério do Ensino Superior Ciência, Tecnologia e Inovação (Angola)

INAMET - Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (Angola)

MINAGRIF - Ministério da Agricultura e Florestas (Angola)

INCA - Instituto Nacional do Café

MINAMB - Ministério do Ambiente (Angola)

INCER - Instituto Nacional de Cereais

MINCO - Ministério do Comércio (Angola)

INRH - Instituto Nacional de Recursos Hídricos de Angola

MPOB - Malaysian Palm Oil Board

IOPRI - Indonesian Oil Palm Research Institut

11


Catálogo Angola

OGE - Orçamento Geral do Estado

UAlg - Universidade do Algarve

OIE - Organização Mundial da Saúde Animal

UAN - Universidade Agostinho Neto

OMS - Organização Mundial de Saúde

UCO - Consórcio Universidade de Córdoba

ONG - Organização Não Governamental

UE - União Europeia

PISCCA - Projecto Inovador das Sociedades Civis e Coligação de Actores

UHH - Universidade de Hamburgo

PNIC - Plano Nacional de Investigação dos Cereais PNIF - Plano Nacional de Investigação Fruticultura PNIL - Plano Nacional de Investigação de Leguminosas

UJES - Universidade José Eduardo dos Santos UNACA - União Nacional das Associações de Camponeses UnIA - Universidade Independente de Angola USAID - United States Agency for International Development

PNIRT - Plano Nacional de Investigação de Raízes e Tubérculos PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PPCB - Peripneumonia contagiosa PPR - Peste dos Pequenos Ruminantes SADC - Southern African Development Community SIG - Sistema de Informação Geográfica SKAN - Sharing Knowledge Agrifood Networks 12


Lista de Abreviaturas

13


CompetĂŞncias


Institutos de Investigação


Catálogo Angola

CNIC Este é o organograma actual, sendo que está em curso o desenvolvimento de um novo resultante da reforma institucional.

Conselho Directivo

Director Geral Conselho Científico

Conselho Fiscal

Director Geral Adjunto para Área Científica

Director Geral Adjunto para Área Administrativa

Serviços de Apoio a Gestão de Investigação Científica, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação

Serviços de Apoio Agrupados

Centro de Investigação em Agroecologia

Laboratório de História e Arqueologia

Laboratório Qualidade de Fármacos e Cultura dos Povos de Angola

Laboratório de Biotecnologia Alimentar

Serviços Locais, Províncias e Regionais

18

Laboratório de Química Fina


Competências

CNIC - Centro Nacional de Investigação Científica

DESCRIÇÃO O CNIC é uma instituição de investigação científica de âmbito nacional, tutelada pelo MESCTI. Realiza investigação científica fundamental, experimental e aplicada multidisciplinar em diversos domínios da ciência, de acordo com o seu objecto social. Dá suporte à formação avançada e diferenciada de investigadores científicos e de outros actores do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

UNIDADES

Centro de Investigação em Agroecologia

Laboratório de História e Arqueologia

Laboratório de Biotecnologia Alimentar

Laboratório de Química Fina

Laboratório de Qualidade de Fármacos e Cultura dos Povos de Angola

19


Catálogo Angola

IDA Conselho Directivo Director Geral Conselho Fiscal Directores Gerais Adjuntos Conselho Técnico Consultivo

Serviços Executivos

Assistência Técnica e Inovações Tecnológicas

Extensões Rurais

Organização Comunitária e Comercialização

Serviços Apoio Agrupados

Monotoria, Avaliação e Estatística

Apoio ao Director Geral

Serviços Locais

Secção Administrativa

Secção Técnica Serviços Municipais (EDAS)

20

Administração e Serviços Gerais

Recursos Humanos e Tecnologias de Informação


Competências

IDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário

DESCRIÇÃO O Instituto de Desenvolvimento Agrário, abreviadamente designado por IDA, é uma pessoa colectiva de direito público, dotada de personalidade jurídica e de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, criado para assegurar o fomento, coordenação e execução das políticas e estratégias no domínio do desenvolvimento agropecuário e de transferência tecnológica, em especial a promoção da agricultura familiar e apoio às comunidades rurais. A missão do IDA prende-se com a eliminação da fome e da pobreza das populações rurais e sua integração no desenvolvimento socioeconómico do país. A visão do IDA é apoiar o desenvolvimento agrário de Angola através da (i) promoção e reforço da organização das comunidades rurais; (ii) assistência técnica aos pequenos e médios produtores; (iii) participação na promoção da comercialização da produção agropecuária; (iv) melhoria das condições sociais das populações.

21


Catálogo Angola

IDF

Conselho Directivo Director Geral Conselho Fiscal Directores Gerais Adjuntos

Conselho Técnico Científico

Dep. Fomento Florestal

Dep. Inventário e Maneio Florestal

Dep. Fomento Faunístico

Dep. Fiscalização

Gab. Apoio ao Director Geral

Dep. Fomento Apícola

Departamentos Provinciais de Desenvolv. Florestal

Secção de Serviços Técnicos e Fiscalização

Estações de Fomento Florestal e Apícola

22

Dep. Adminis. e Serviços Gerais

Dep. Gestão RH e Tecnologias de Informação


Competências

IDF - Instituto de Desenvolvimento Florestal

DESCRIÇÃO O Instituto de Desenvolvimento Florestal, abreviadamente designado por IDF, é uma pessoa colectiva de direito público, dotada de personalidade jurídica e de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, criado para assegurar o fomento, coordenação e execução das políticas traçadas no domínio florestal, faunístico, rural e de desenvolvimento de transferência tecnológica. O IDF tem a sua sede em Luanda e a sua actividade circunscreve-se a todo o território nacional. Está sujeito à tutela e superintendência do Executivo, através do Ministério da Agricultura. Algumas das principais atribuições do IDF passam por: apoiar a formulação e executar a política florestal nacional, concretizando os seus objectivos nos domínios da gestão, produção florestal, cinegética e apícola; proceder à extensão de uma gestão florestal faunística e apícola qualificada; assegurar a implementação de projectos de desenvolvimento da flora e fauna fora das áreas de conservação; proceder ao licenciamento de actividades de exploração florestal e faunística, e importação e exportação dos produtos e subprodutos florestais e faunísticos; fiscalizar a aplicação e cumprimento da

DEPARTAMENTOS

Departamento Fomento Florestal

Departamento Fomento Apícola

Departamento Fomento Faunístico

Departamentos Provinciais de Desenvolvimento Florestal

23


Catálogo Angola

IIA Conselho Directivo

Director Geral Conselho Fiscal

Conselho Científico Directores Gerais Adjuntos

Serviços de Apoio Agrupados

Serviços Executivos Centrais

Dep. Apoio ao Director Geral

Dep. Biologia Agrícola

Dep. Administração e Serviços Gerais

Dep. Eng. Agrícola e Florestal

Dep. RH e Tecnologias de Informação

Dep. Fitotecnia Dep. Estudos Socioeconómicos Dep. Documentação e Transf. Tecnologia

Serviços Locais

EEA do Cavaco

EEA da Cela

EEA da Chianga

EEA da Humpata

EEA do Kilombo

EEA de Malanje

24

EEA do Mazozo

EEA do Namíbe

EEA de S. Vicente

EEF do Sacaála


Competências

IIA - Instituto de Investigação Agronómica

www.iia-minagri.com

DESCRIÇÃO

O IIA é uma instituição pública de investigação científica e desenvolvimento tecnológico, de âmbito nacional, tutelada pelo MINAGRIF - Ministério da Agricultura e Florestas. Criado em 1961, realiza trabalhos de investigação aplicada e adaptativa e desenvolvimento tecnológico que visam aumentar a produção e a produtividade, melhorar a qualidade dos produtos, reduzir os custos de produção e viabilizar o aproveitamento das áreas subaproveitadas para a exploração agrícola e florestal. A sua missão passa por desenvolver inovações tecnológicas para a melhoria do desempenho das cadeias produtivas agrícolas e a segurança alimentar das populações, respeitando a sustentabilidade do meio ambiente. A sua visão passa por assumir uma posição de referência em excelência técnicocientífica no contexto da investigação agronómica do país e na Região Austral da África. Os valores do IIA incluem a transparência e ética profissional o respeito pela diversidade de opinião, a valorização do conhecimento e auto-desenvolvimento, o rigor científico, a visão sistemática e interdisciplinaridade e a responsabilidade social.

DEPARTAMENTOS

Departamento de Biologia Agrícola

Estações Experimentais Agrícolas (EEA)

Departamento de Engenharia Agrícola e Florestal

Estação Experimental Florestal da Sacaala

Departamento de Fitotecnia

25


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Departamento de Biologia Agrícola

DESCRIÇÃO

GRUPOS DE ID&I

O Departamento de Biologia Agrícola é o serviço executivo do IIA encarregue de realizar estudos de genética de plantas, botânica agrícola, fitossanidade e fisiologia vegetal. O departamento pertence à EEA da Chianga.

 Laboratório de Fitopatologia

Ao Departamento de Biologia Agrícola compete, em especial: assegurar a disponibilidade de germoplasma; desenvolver tecnologias sustentáveis de maneio integrado de pragas e infestantes; desenvolver variedades e assegurar a manutenção das suas qualidades genéticas; recolher, introduzir e caracterizar o germoplasma de espécies vegetais; realizar pesquisas sobre o desempenho fisiológico das culturas em diferentes estágios e condições especificas do meio ambiente; desempenhar as demais tarefas que lhe sejam acometidas por lei ou por determinação superior.

26


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica Departamento de Biologia Agrícola

Laboratório de Fitopatologia COMPETÊNCIAS As competências do Laboratório de Fitopatologia prendem-se com:

 Investigação de doenças causadas por fungos, vírus e bactérias em todas as culturas de importância agrícola (sub-áreas: micologia, virologia e bacteriologia);

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Agricultura e Ciências Agrárias

 Desenvolver tecnologias sustentáveis de maneio integrado de pragas e infestantes;

Pragas e doenças

 Diagnóstico de pragas e doenças que ocorrem nas culturas;

Produtividade das culturas

 Estudos epidemiológicos de pragas e doenças de importância agrícola. Ciências Biológicas Biologia vegetal Biotecnologia

SERVIÇOS ID&I

COORDENAÇÃO

 Assistência técnica;  Formação e capacitação dos extensionistas produtores e líderes de cooperativas.

27

Dissoluquele Daniel Manuel Bassimba bassimba@gmail.com dissolu15@hotmail.com


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Departamento de Engenharia Agrícola e Florestal

DESCRIÇÃO

GRUPOS DE ID&I

O departamento de Engenharia Agrícola e Florestal é o serviço executivo do IIA, encarregue de realizar estudos sobre técnicas de maneio e conservação de recursos do meio físico (solo, água e clima) para fins agro-silvo-pastoril. Ao departamento compete: desenvolver técnicas de uso eficiente da água para as culturas, bem como dos recursos florestais; propor estratégias e técnicas de maneio e conservação dos recursos naturais; realizar estudos de análise e avaliação de impactos ambientas decorrentes da actividade agro-silvo-pastoril; desenvolver e adaptar técnicas de maneio e conservação do solo para fins agrícolas; realizar estudos sobre tecnologias de conservação e armazenamento de produtos agrícolas; desenvolver estudos sobre mudanças climáticas e adaptabilidade das culturas ao meio ambiente; caracterizar os recursos hídricos, edáficos e climáticos, fazendo uso dos sistemas de informação geográfica; desenvolver e aferir métodos de análise de solos, água e do estado nutricional de plantas.

 Laboratório de Solo

28


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica Departamento de Engenharia Agrícola e Florestal

Laboratório de Solo COMPETÊNCIAS São competências deste laboratório:

 Realizar análises do solo, de plantas e de alguns elementos do solo, nomeadamente: textura, matéria orgânica, pH, sódio, potássio, fósforo, azoto, cálcio, magnésio, condutividade hidráulica, carbonato de cálcio, humidade do solo, carbono orgânico;

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Agricultura e Ciências Agrárias Nutrição vegetal e fertilização

 Realizar estudos de cartografia de solos com recurso aos sistemas de informação geográfica (SIG).

COORDENAÇÃO Santos João da Costa Quizembe santosquizembe@yahoo.com.br 29


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Departamento de Fitotecnia

DESCRIÇÃO O Departamento de Fitotecnia é serviço executivo do IIA encarregue de desenvolver actividades no domínio de técnicas agronómicas de maneio das culturas e seus produtos.

SERVIÇOS ID&I  Assistência técnica no controlo de pragas e doenças;  Ensaios de melhoramento genético;  Produção de sementes básicas;  Análise de resultados de instituições públicas e privadas;  Consulta fitossanitária.

30


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica Departamento de Fitotecnia

Departamento de Fitotecnia (cont.) COMPETÊNCIAS Ao Departamento de Fitotecnia compete, em especial:

 Desenvolver estudos de sistemas culturais;

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

 Desenvolver técnicas de fertilização e uso eficiente de adubos;

Agricultura e Ciências Agrárias

 Realizar estudos de tecnologias de produção de sementes e mudas;

Pragas e doenças

 Desenvolver tecnologias de maneio pós-colheita de produtos agrícolas;

Sementes e propagação

 Colaborar em estudos de maneio de plantas daninhas e sobre sensibilidade das

Sistemas de produção agrícola

culturas as variações das condições ambientais.

COORDENAÇÃO Dibanzilua Nguinamau dnginamau@gmail.com 31


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola do Cavaco

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA do Cavaco localiza-se no Vale do Cavaco e faz parte da cintura verde da província de Benguela. A estação encontra-se numa zona com um elevado potencial agrícola devido aos seus solos aluviais e ao rico lençol freático que permite a irrigação durante todo ano. Com uma altitude de 100m, situa-se numa região de clima árido megatérmico com precipitações anuais abaixo dos 500 mm e temperaturas médias anuais a rondar os 25 - 27 C. Esta estação possui uma subestação localizada no Alto Capaca, município do Cubal.

Agricultura e Ciências Agrárias Produtividade das culturas Sementes e propagação Sistemas de produção agrícola

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO  Experimentação, produção e produção de mudas das culturas de hortaliças, cereais, citrinos, manga, banana e outras fruteiras;

 Manutenção e conservação das variedades de bananas;  Realização de ensaios de adaptação de diferentes variedades de leguminosas e

COORDENAÇÃO

hortaliças. Diassonama Cala

SERVIÇOS ID&I

diassonamadiassy@yahoo.com.br

 Assistência técnica aos agricultores 32


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola da Cela

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA da Cela foi fundada em 1972. Fica localizada a 35 Km da Vila do Waco Cungo, sede municipal da Cela, Província do Cuanza Sul, com uma área total de 620 ha. Conta ainda com uma subestação no Sumbe. A estação sede coordena todas as actividades desenvolvidas na subestação.

Agricultura e Ciências Agrárias Genética e melhoramento de plantas Produtividade das culturas Sementes e propagação

Está situada a uma altitude de 1300 m, numa região com precipitação anual de 900 a 1000 mm, e um microclima específico, circunscrito por pequenas ilhas de florestas naturais, polígono de eucaliptos e pinheiros e uma cortina de cedros.

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO  Especialização em forragicultura, em primeiro plano;  Investigação em fruticultura (ananás), leguminosas, cereais, raízes e tubérculos,

COORDENAÇÃO

nomeadamente no âmbito dos programas de investigação destas culturas. António João Zuke azuke@yandex.ru 33


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola da Chianga

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA da Chianga constitui um dos principais suportes de investigação e trabalho experimental do IIA. Situada a 13 km da cidade do Huambo, possui uma área aproximada de 2550 ha. Dispõe de infraestruturas de apoio como laboratórios e campos experimentais, que proporcionam actividades de investigação com um certo rigor científico.

Agricultura e Ciências Agrárias Genética e melhoramento de plantas Produtividade das culturas Sistema de produção agrícola

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO Estudo e investigação de diversas culturas de interesse agrícola e florestal, tais como milho, feijão, hortícolas, fruteiras tropicais, batata, trigo, soja, florestas e forragens.

SERVIÇOS ID&I  Análises de solos;

COORDENAÇÃO

 Assistência técnica aos produtores;

Helena da Conceição Malite

 Consulta fitossanitária;

malitisao@yahoo.com.br

 Produção de sementes básicas e mudas certificadas. 34


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola da Humpata

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA da Humpata situa-se a 22 km da cidade do Lubango (Província da Huíla) e a 3 km do eixo da estrada Lubango - Namibe. A estação dispõe de laboratórios de análises de plantas, fitopatologia, pós-colheita, estufas agrícolas, estação meteorológica e campos experimentais agrícolas.

Agricultura e Ciências Agrárias Produtividade das culturas Sementes e propagação Sistemas de produção agrícola

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO  Elaboração de trabalhos de investigação no domínio da fruticultura de regiões temperadas, citrinos em grande escala e cereais em pequena escala;

 Produção de semente pré-básica e básica.

COORDENAÇÃO Carlos José Xavier cjxavier7@hotmail.com

35


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola do Kilombo

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA do Kilombo está localizada na província do Cuanza Norte, município do Cazengo, a cerca de 5 km da cidade de Ndalatando. Enquadra-se no clima tropical húmido. A sua altitude varia de 500m a 1500m em relação ao nível do mar, e situase numa região que apresenta temperaturas médias entre os 22 e 24°C. Esta estação conserva um importante Jardim Botânico com plantas naturais e exóticas, muitas delas em fase de extinção.

Agricultura e Ciências Agrárias Nutrição vegetal e fertilização Produtividade das culturas Sistema de produção agrícola

Floresta Sistemas de produção florestal

Possui laboratório de fitopatologia e análises de plantas, herbário, estufas agrícolas, estação meteorológica, residências, escritórios e campos de experimentação agrícola.

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO  Experimentação, multiplicação e divulgação dos conhecimentos relativos as culturas de raízes e tubérculos, floricultura e plantas ornamentais e florestais.

COORDENAÇÃO João Domingos Lambaiala joao.lambaila@yahoo.com.br

36


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola de Malanje

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA de Malanje, localiza-se no bairro Camibafo na área Administrativa do Município Sede, da Província de Malanje, entre as coordenadas 9º 32´ 06´´ Latitude Sul e 16º 17´ 45´´ Longitude. A estação possui uma área de 224,39 hectares de terreno. A estação está vocacionada para trabalhos de investigação aplicada, adaptativa e participativa, no domínio agrícola. A investigação e trabalhos experimentais focam-se nas culturas da mandioca, feijão, amendoim e fruteiras. Nesta estação, também se realiza a produção de material vegetativo de mandioca, mudas de fruteiras e de plantas florestais.

Agricultura e Ciências Agrárias Genética e melhoramento de plantas Sementes e propagação Sistemas de produção agrícola

LABORATÓRIOS  Laboratório de Solos  Laboratório de Plantas e Cultura de Tecidos

COORDENAÇÃO

 Laboratório de Qualidade de Sementes

António Gonçalves Neto agneto6@hotmail.com 37


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola do Mazozo

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA do Mazozo foi criada em 1994 e situa-se no Município de Icolo Bengo. Possui uma superfície de 4 896 ha, dos quais 100 são utilizados para fins agrícolas e os restantes como reserva estratégica do estado. Possui um laboratório de cultura de tecidos e análises de plantas, bem como escritórios e campos de experimentação agrícola.

Agricultura e Ciências Agrárias Nutrição vegetal e fertilização Produtividade das culturas Sistema de produção agrícola

A estação está vocacionada para o estudo dos sistemas de regadio em fruteiras e culturas alimentares de ciclo curto, focando a tolerância ao stress hídrico e estudos fitotécnicos. Tem com objectivos principais a criação e transferência de tecnologias agrícolas através dos PNI - Planos Nacionais de Investigação (Cereais, Raízes e Tubérculos, Leguminosas e Fruticultura) para o desenvolvimento da região.

SERVIÇOS ID&I    

Apoiar os programas de desenvolvimento agrário;

COORDENAÇÃO

Assistir tecnicamente os camponeses e agricultores;

Moniz Paulo Mutunda

Realizar estudos integrados de culturas alimentares e métodos de irrigação; Constituir bancos de germoplasma e fazer a testagem e selecção de novo material genético introduzido através das instituições congéneres. 38

m.mutunda@gmail.com


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola do Namibe

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA do Namibe situa-se na região sudoeste de Angola, na Província do Namibe, a 6 km da cidade. Encontra-se numa região com um clima desértico quente, com temperatura média de 21C e precipitação média anual de 61mm.

Agricultura e Ciências Agrárias Irrigação e drenagem Produtividade das culturas Sistemas de produção agrícola

A EEA possui escritórios e campos agrícolas.

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO  Cultivo em regadio de fruteiras temperadas e tropicais  Forragicultura

COORDENAÇÃO

 Cereais

Adriano Muiocoto André

 Leguminosas

Kulondoc@yahoo.com.br

 Hortícolas 39


Catálogo Angola IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Agrícola de S. Vicente

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEA de S. Vicente situa-se na localidade de S. Vicente, em Cabinda. Encontra-se numa região que apresenta um clima sub-tropical húmido, com chuvas abundantes, onde a precipitação anual varia entre os 900 e os 1200mm.

Agricultura e Ciências Agrárias

Possui laboratórios de solos, fitopatologia, análises de plantas, estufas agrícolas, estação meteorológica e campos agrícolas.

Sementes e propagação

Genética e melhoramento de plantas Pragas e doenças

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO  Genética e melhoramento de sementes;  Selecção de material genético, com vista a formar um banco de germoplasma, para avaliação das principais características agronómicas e fitopatogénicas das seguintes culturas: milho, feijão, amendoim, feijão macunde, soja, girassol, ervilha do congo (Cajanus cajan), mandioca, batata doce, taro e inhame, na perspectiva de se obter variedades resistentes a doenças e pragas da região e, consequentemente, aumentar os rendimentos.

40

COORDENAÇÃO Francisco Puati franciscopuati@gmail.com


Competências IIA - Instituto de Investigação Agronómica

Estação Experimental Florestal da Sacaála

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

A EEF da Sacaála é a única Estação do IIA vocacionada para a área florestal. Está localizada na Província do Huambo, entre as Latitudes 12° 06´- 12° 12’ S e Longitudes 15°45´-15°50 E. Situa-se a cerca de 4 Km a este da cidade do Huambo, com uma área (que reduziu nas três últimas décadas, devido à expansão da cidade) de 500 hectares. A Estação encontra-se a uma altitude entre 1750 a 1830m, numa região que possui um bioma Zambezíaco e Miombo, solos ferralíticos e um clima temperado húmido.

Floresta Genética e melhoramento florestal Sistemas de produção florestal

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO As linhas de investigação da EEF da Sacaála passam pela elaboração de estudos silvícolas, tais como:

 Ensaios de avaliação de comportamento específico;  Comparação da plasticidade das espécies florestais;  Selecção de clones mais interessantes para produção de semente de boa qualidade;

 Produção de mudas de espécies florestais;  Realização estudos na área da apicultura.

COORDENAÇÃO Óscar Morais oscarmorais2006@yahoo.com.br

41


Catálogo Angola

IIV

O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura do Instituto de Investigação Veterinária.

Conselho Directivo Director-Geral

Conselho Científico

Directores Gerais Adjuntos

Conselho Fiscal

Serviços Executivos Centrais

Dep. Estudos, Projecto e Estatística

Dep. Patologia

Dep. Produtos Biológicos

Serviços de Apoio Agrupados

Dep. Tecn. E Controlo Qualidade

Dep. Apoio ao DirectorGeral

Dep. Zootecnia

Dep. Adminis. e Serviços Gerais

Serviços Locais

Estações Zootécnicas

Centro de Inseminação Artificial

42

Laboratórios

Dep. Recursos Humanos e Tecnologias


Competências

IIV - Instituto de Investigação Veterinária

DESCRIÇÃO O IIV é uma instituição pública de carácter científico e de desenvolvimento tecnológico, dotada de personalidade jurídica e de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, criado para assegurar a coordenação e execução dos trabalhos de investigação, experimentais e de desenvolvimento tecnológico nos domínios das ciências médico-veterinárias e zootécnicas. Possui uma direcção geral, ao nível da unidade orgânica central no Huambo, e várias unidades regionais, noutras localidades. Certos centros e departamentos têm representação nas unidades regionais, sendo coordenados pela unidade central (como é o caso dos Laboratórios de Veterinária); outros funcionam apenas a nível central (nomeadamente o Departamento de Estudos, Projectos e Estatística).

DEPARTAMENTOS

Departamento de Estudos, Projectos e Estatística

Departamento de Zootecnia

Departamento de Patologia

Centro de Inseminação Artificial

Departamento de Produtos Biológicos

Laboratórios de Veterinária

Departamento de Tecnologia e Controlo de Qualidade 43


Competências IIV - Instituto de Investigação Veterinária

Departamento de Estudos, Projectos e Estatística

O Departamento de Estudos, Projectos e Estatística pertence à unidade orgânica do Huambo, servindo de apoio à gestão do IIV. Está encarregue de desenvolver estudos no que diz respeito à transferência de tecnologias e gestão de projectos.

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Ciências Animais e Veterinárias Genética e melhoramento florestal Sistemas de produção florestal

COMPETÊNCIAS  Coordenar as actividades de transferência de tecnologias;  Elaborar estudos de avaliação agro-tecnológicos e conhecimento gerado pelo IIV;  Associar os serviços de apoio na elaboração e gestão de programas e projectos;  Monitorizar e avaliar a implementação de programas e projectos;  Elaborar planos e relatórios.

SERVIÇOS ID&I

COORDENAÇÃO

 Elaboração de estudos;

Joaquim Manuel Canduco

 Elaboração e avaliação de projectos e programas.

canducomi23@msn.com 45


Catálogo Angola IIV - Instituto de Investigação Veterinária

Departamento de Patologia

DESCRIÇÃO

GRUPOS DE ID&I

O Departamento de Patologia é o serviço executivo do IIV, no Huambo, encarregue de realizar estudos de patologia animal dando prioridade aos trabalhos de análise e diagnóstico.

 Laboratório central do Huambo

O departamento coordena todos os serviços desenvolvidos em laboratórios ligados a análises patológicos, tanto a nível local assim como ao nível dos laboratórios que se encontram fora da província do Huambo.

 Laboratório regional de Benguela  Laboratório regional da Humpata  Laboratório regional de Cabinda  Laboratório regional de Malanje  Laboratório regional de Luanda

46


Competências IIV - Instituto de Investigação Veterinária Departamento de patologia

Departamento de patologia (cont.) COMPETÊNCIAS Ao Departamento de Patologia compete, em especial:

 Acompanhar as actividades dos laboratórios regionais e prestar o apoio necessário;

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Ciências Animais e Veterinárias

 Elaborar os programas de profilaxia terapêutica;

Sanidade animal e epidemiologia

 Contribuir, em colaboração com outros órgãos, na actualização do quadro

Saúde animal

nosológico do país.

 Análises de diagnóstico e pesquisa de agentes, parasitas, bacteriologia  Testes sorológicos.

COORDENAÇÃO Odette Idalina António Vicente Gimi odettegimi@gmail.com 47


Catálogo Angola IIV - Instituto de Investigação Veterinária

Departamento de Produtos Biológicos

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Produtos Biológicos é o serviço executivo do IIV encarregue de produzir os imunogénios, antigénios e alergénios de acordo com a importância socioeconómica das doenças animais. Ao departamento compete proceder ao controlo de qualidade de produtos biológicos importados e produzidos localmente e que se destinam ao fim de diagnóstico e prevenção das doenças animais; e participação na campanha agrícola e verificar a eficiência das vacinas aplicadas durante a campanha de vacinação de animais.

Ciências Animais e Veterinárias Sanidade animal e epidemiologia Saúde animal

COORDENAÇÃO Maria C.A. Massampo dra_massampo@yahoo.com.br 48


Competências IIV - Instituto de Investigação Veterinária [Nome Direção/Departamento/Grupo]

Departamento de Tecnologia e Controlo de Qualidade

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Tecnologia e Controlo de Qualidade é o serviço executivo do IIV, localizado na cidade de Huambo, encarregue de elaborar estudos sobre as técnicas de conservação, transformação e processamento dos produtos de origem animal. Compete ao departamento: realizar trabalhos de controlo de qualidade de matéria-prima e ração animal, produtos alimentares de origem animal, medicamentos e produtos biológicos de uso veterinário, bem como serviço de análises; e realizar estudos tecnológicos com vista ao melhoramento de qualidade, conservação, salubridade e padronização dos produtos alimentares de origem animal.

Agro-indústria e Produção Alimentar Conservação e pós-colheita Qualidade e segurança dos alimentos Tecnologia dos produtos de origem animal

COORDENAÇÃO Maria Isabel Domingues belasantos2001@yahoo.com.br 49


Catálogo Angola IIV - Instituto de Investigação Veterinária

Departamento de Zootecnia

DESCRIÇÃO

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO

O Departamento de Zootecnia é o serviço executivo do IIV encarregue de conceber estudos zootécnicos e programas conducentes à protecção e correcta utilização de recursos zoo-genéticos, bem como desempenhar as demais tarefas que lhe sejam acometidas por lei ou por determinação superior. Elaborar programas de exploração pecuária e de melhoramento genético e nutricional das espécies animais. Conceber e coordenar estudos zootécnicos e de adaptação e conservação de forragens. Tem 10 estações zootécnicas a nível regional, 6 delas em funcionamento: Quilengues, Lau, Ganda, Humpata, Cacanda e Caraculo; e 4 sem funcionamento: Huije, Lungo, Calu e Cabinda.

 Nutrição e alimentação animal

50

 Caracterização e melhoramento de raças autóctones

 Caracterização de melhoramento de pastagens naturais

 Pecuarização de animais roedores  Estudo de cadeias produtivas


Competências IIV - Instituto de Investigação Veterinária Departamento de Zootecnia

Departamento de Zootecnia (cont.) COMPETÊNCIAS Ao Departamento de Zootecnia compete, em especial:

 

Alimentação e nutrição animal; nomeadamente adaptação e conservação de

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

forragens;

Ciências Animais e Veterinárias

Caracterização e melhoramento das raças autóctones (bovinos, caprinos, suínos e

Alimentação e nutrição animal

aves);

Melhoramento e genómica animal

Caracterização e melhoramento dos recursos pascigosos;

Estudos e conservação das plantas forrageiras;

Caracterização e melhoramento das pastagens naturais.

Sistemas de produção animal

Ciências Biológicas Biotecnologia

COORDENAÇÃO Maria da Conceição Teixeira mariateixeira2007@yahoo.com.br 51


Catálogo Angola IIV - Instituto de Investigação Veterinária

Centro de Inseminação Artificial

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Centro de Inseminação Artificial está localizado no Cuanza Sul, no município da Cela, cidade do Waco Kungo. É uma unidade orgânica do IIV. O propósito do centro é produção, processamento, comercialização e armazenamento de sémen de animais. Além disso, visa a formação de inseminadores, estimular o melhoramento genético dos animais de produção de leite e carne, estimular o melhoramento dos animais da raça local, formação do banco de sémen dos animais de produção e dos que estão em via de extinção.

Ciências Animais e Veterinárias Genética e melhoramento de plantas Pragas e doenças Sementes e propagação

COORDENAÇÃO Alberto Anzol Beneguer anzol_be@yahoo.com.br 52


Catálogo Angola IIV - Instituto de Investigação Veterinária

Laboratórios de Veterinária

DESCRIÇÃO

GRUPOS DE ID&I

Compete ao departamento empreender trabalhos de pesquisa científica e de desenvolvimento tecnológico, no âmbito do diagnóstico das principais patologias do gado (rasteio na fazenda, explorações animais, etc.), participar na definição de políticas pecuárias.

Secção técnica de Parasitológia

Secção técnica de Bacteriologia

Secção técnica de Tecnologia alimentar

Tem 7 Laboratórios regionais: Luanda, Malanje, Benguela, Cela, Humpata, Newcastle e Namibe (este último sem funcionamento), além do central no Huambo.

(microbiologia)

Secção técnica de Anatomia patológica

Secção técnica de Meios de cultura e Biologia molecular

54


Competências IIV - Instituto de Investigação Veterinária Laboratórios de Veterinária

Laboratórios de Veterinária (cont.) COMPETÊNCIAS  Nos laboratórios veterinários provinciais funcionam as áreas de parasitologia, bacteriologia, serologia, controlo de qualidade de alimentos e água e biologia molecular, bem como os serviços de entomologia (estudo de insectos, identificação de parasitas adultos e das suas formas larvais).

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Ciências Animais e Veterinárias Melhoramento e genómica animal

 Diagnóstico de patologias: tuberculose, brucelose, peripneumonia contagiosa (PPCB), dermatofilose, parasitoses gastrointestinais, respiratórias, hemo-parasitoses, parasitoses cutâneas, peste dos pequenos ruminantes (PPR), mamites, entre outras doenças e zoonoses de grande importância económica. No diagnóstico das patologias aplicam-se as técnicas recomendadas pela OIE - Organização Mundial da Saúde Animal, FAO e pelas normas ISO.

Ciências Biológicas Microbiologia

 O diagnóstico de doenças como a febre aftosa, peste suína africana e raiva é feito apenas no laboratório central (Huambo).

COORDENAÇÃO Mavilde Leopoldina Campos Pires mavildepires66@hotmail.com 55


Catálogo Angola

INCA Director Geral Conselho Fiscal

Directores Gerais Adjuntos

Serviços de Apoio Agrupados

Serviços Executivos

Dep. Experiment. e Investig.

Dep. Vulg e Ass. Técnica

Dep. Lic Classificação e Fiscalização

Dep. Estudo, Proj. Estatísticos

Dep. Apoio ao DirectorGeral

Dep. Economia, Soc. Rural

Dep. de Adm. e Serviços Gerais

Serviços Locais

Departamentos Provinciais

Estações Experimentais

Brigadas Técnicas

56

Dep. de RH e Tec. de Informação.


Competências

INCA - Instituto Nacional do Café

DESCRIÇÃO O Instituto Nacional do Café abreviadamente designado por INCA é uma pessoa colectiva de direito público, dotado de personalidade jurídica e de autonomia administrativa, financeira e patrimonial. Foi criado para assegurar o fomento e a coordenação técnica, o acompanhamento e o controlo da actividade cafeeira. Além disso, assegura a execução das políticas traçadas no domínio da fileira do café, palmar e cacau. Está também ligado ao desenvolvimento de transferência tecnológica. Tem a sua sede em Luanda e projecta-se a nível regional, consoante a especificidade da sua actuação, através de departamentos provinciais, estações experimentais, brigadas técnicas e agências certificadoras.

DEPARTAMENTOS

Departamento de Experimentação e Investigação

Departamento de Economia e Sociologia Rural

Departamentos Provinciais

57

Estações Experimentais


Catálogo Angola INCA - Instituto Nacional do Café

Departamento de Experimentação e Investigação

DESCRIÇÃO

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO

O Departamento de Experimentação e Investigação é o serviço que estabelece as normas técnico-científicas conducentes à melhoria da produtividade e qualidade dos cafezais, do palmar e cacau. O departamento tem a sua sede em Luanda e a sua actividade circunscreve-se ao acompanhamento e monitorização dos programas e projectos de investigação cientifica nas estações experimentais nas províncias do Uíge, Cuanza Sul e Benguela.

 Produção e produtividade

58

 Melhoramento e produção de plantas

 Sistemas de produção, extensão rural, cooperativismo e agro-negócios

 Gestão de processo pós-colheita


Competências INCA - Instituto Nacional do Café Departamento de Experimentação e Investigação

Departamento de Experimentação e Investigação (cont.) COMPETÊNCIAS Ao Departamento de Experimentação e Investigação compete em especial o seguinte:

 Promover, em colaboração com outros organismos de investigação nacionais e estrangeiros o trabalho de pesquisa agronómica indispensável à melhoria da produtividade dos cafezais e da qualidade dos cafés, bem como da cultura de palmeira de dendém e cacau;

 Acompanhar e monitorizar os programas e projectos de investigação científica nas

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Agricultura e Ciências Agrárias Genética e melhoramento de plantas

Produtividade das culturas Sistemas de produção agrícola

estações experimentais;

 Estudar as pragas e doenças do café, cacau e palmar;  Responder as necessidades de assistência técnica, nos vários domínios da pesquisa cafeícola;

 Trabalhar na obtenção de variedades ou cultivares de café, cacau e palmar

Agro-indústria e Produção Alimentar Conservação e pós-colheita Qualidade e segurança dos alimentos Tecnologia dos produtos de origem vegetal

geneticamente melhoradas e com elevada capacidade produtiva e resistência à pragas e enfermidades.

COORDENAÇÃO Rita Laçallete dos Santos Gama dei.inca@gmail.com 59


Catálogo Angola INCA - Instituto Nacional do Café

Departamento de Economia e Sociologia Rural

DESCRIÇÃO O Departamento de Economia e Sociologia Rural é o serviço de assessoria geral encarregue de identificar e avaliar ao longo de toda a cadeia, visando a sua melhoria, o sistema produtivo do café, palmar e cacau na vertente económica e social.

60


Competências INCA - Instituto Nacional do Café Departamento de Economia e Sociologia Rural

Departamento de Economia e Sociologia Rural (cont.) COMPETÊNCIAS Ao Departamento de Economia e Sociologia Rural compete em especial o seguinte:

 Formular propostas de políticas, estratégias e prioridades de desenvolvimento comercial e agro-industrial;

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Desenvolvimento Rural

 Promover oportunidades de agro-negócios, atração e monitoria de investimentos

Economia rural

no sector;

 Promover programas e serviços de colaboração e apoio aos agentes económicos que actuam no sector produtivo e agro-industrial;

 Estudar os custos de produção, rendimentos das explorações, tanto empresariais quanto familiares e agrupados, e formular propostas para a sua melhoria permanente;

 Avaliar do ponto de vista económico a cadeia de valor e os sistemas produtivos do café, palmar e cacau;

 Estudar as relações (input/output) no domínio da exploração agrícola, visando auferir sobre os resultados das técnicas empregues e sua correlação económica, como critério de base para selecção de novas técnicas a vulgarização;

 Estudar a estrutura e composição dos intervenientes na cadeia produtiva, visando

COORDENAÇÃO Samuel Aleluia Chinga samuelchinga@gmail.com

prever o rumo das actividades do sector.

61


Catálogo Angola INCA - Instituto Nacional do Café

Departamentos Provinciais

DESCRIÇÃO O INCA é representado a nível provincial por Departamentos Provinciais com as seguintes atribuições: (i) assegurar todas as acções relativas ao desenvolvimento do sector, materializando as orientações da estrutura central do INCA e do Governo local nas esferas competentes; (ii) assegurar a prestação de assistência técnica aos produtores, visando o aumento da produção e produtividade; (iii) analisar, fiscalizar e acompanhar a implementação dos programas e projectos em curso na sua área de jurisdição; (iv) planificar e controlar a produção do sector e garantir uma melhor utilização de recursos materiais, financeiros e humanos. Os Departamentos Provinciais estão implantados nas Províncias de Cabinda, Bengo, Cuanza Sul, Cuanza Norte, Benguela, Huambo, Bié e Huíla. Estes garantem que a assistência técnica chegue aos produtores por intermédio das Brigadas Técnicas.

COMPETÊNCIAS As Brigadas Técnicas são estruturas do INCA, localizadas nos municípios e vocacionadas para prestar assistência técnica aos cafeicultores e outros camponeses isolados ou associados, estabelecendo assim a ligação entre a investigação e a vulgarização. Às Brigadas Técnicas compete em especial o seguinte:

 Executar os programas de intervenção no meio rural e nas zonas da sua jurisdição;  Efectuar o registo, promover a vulgarização de tecnologias e prestar assistência técnica aos produtores de café nas respectivas zonas de produção.

62


Catálogo Angola INCA - Instituto Nacional do Café

Estações Experimentais

DESCRIÇÃO As Estações Experimentais são órgãos de pesquisa técnica e científica às quais compete o seguinte: (i) promover a investigação científica e a experimentação conducentes ao aumento da produção de café, palmar e cacau e de outras plantas sombreadoras, sua protecção contra pragas e doenças, visando a melhoria da qualidade; (ii) fomentar a investigação científica no domínio da botânica, fisiologia vegetal, melhoramento genético, fertilidade do solo, nutrição de plantas e fitossanidade; (iii) produzir sementes e material vegetal melhorado de variedades de café, cacau, palmeira e plantas sombreadoras; (iv) promover a investigação, por bioma, das espécies e variedades locais de café, palmar e cacau visando o seu desenvolvimento sustentável; (v) promover em colaboração com os outros departamentos e instituições afins, as jornadas, seminários, colóquios técnico-científicos.

64


Competências INCA - Instituto Nacional do Café Estações Experimentais

Estação Experimental do Uíge

COORDENAÇÃO

Estação Experimental do Uige: dedicada à investigação e experimentação do café robusta variedade Ambriz e Cazengo bem como da palmeira de dendém e o cacau, que tem o seu habitat natural nas províncias do Uige, Cuanza Norte, Bengo e Cabinda.

Vasco Gonçalves vascogon2003@yahoo.com

Estação Experimental do Amboim

COORDENAÇÃO

A Estação Experimental do Amboim está dedicada à investigação e experimentação do café robusta variedade Amboim e palmeira de dendem que vegeta e se desenvolve naturalmente na província do Cuanza Sul.

Samuel Barata samuelbarata@hotmail.com

Estação Experimental da Ganda

COORDENAÇÃO

Estação Experimental da Ganda: dedicada à investigação e experimentação do café arábica e da cultura do Palmar cujo polo de desenvolvimento situa-se nas regiões de clima de altitude e do litoral, mormente nas províncias do Bié, Benguela, Huíla e Huambo. 65

Aragão de Carvalho aragaodecarvalho2012@gmail.com


Catálogo Angola

INCER Conselho Directivo Director Geral Conselho Científico Conselho Fiscal

Serviços de Apoio Agrupados

Serviços Executivos

Dep. Fomento, Inovação e Desenvolv. Tecnológico

Dep. Estudos Económicos e Estatísticas

Dep. Apoio às Infra-estruturas de Armazenagem

Laboratório Análises e Controlo Qualidade

Departamento de Apoio ao Director Geral

Departamento Administração e Serviços Gerais

Departamento RH e Tecnologias Informação

O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura do Instituto Nacional dos Cereais.

66


Competências

INCER - Instituto Nacional dos Cereais

DESCRIÇÃO Pessoa de direito colectivo público, dotada de personalidade jurídica e de autonomia administrativa financeira e patrimonial, criada para assegurar o fomento, a coordenação e a execução das políticas e estratégias traçadas no domínio da produção, importação, exportação, comercialização e transformação industrial de cereais. Superintende e promove a coordenação técnico-económica e técnico-científica da produção de cereais, leguminosas, oleaginosas de grão e seus derivados. O INCER promove o desenvolvimento de laboratórios de grãos no âmbito da produção, do comércio, importação e exportação visando a classificação e certificação dos cereais, leguminosas e oleaginosas de grão; assegura os preços mínimos de referência dos cereais, leguminosas, e oleaginosas de grão; promove a formação e capacitação dos quadros do INCER; participa na Gestão das Reservas do Estado em produtos cerealíferos, leguminosas e oleaginosas de grão, promovendo de igual modo os produtores, agentes económicos dos mesmos; participa na promoção do desenvolvimento técnico e tecnológico no âmbito da pós-colheita dos cereais, leguminosas e oleaginosas de grãos. Além do mais, o INCER é responsável por elaborar regulamentos e velar pelo cumprimento das leis e demais prescrições respeitantes à produção e comércio de cereais, leguminosas, oleaginosas de grão e seus derivados.

DEPARTAMENTOS

Departamento de Fomento Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

67


Catálogo Angola INCER - Instituto Nacional dos Cereais

Departamento de Fomento Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

DESCRIÇÃO O Departamento de Fomento Inovação e Desenvolvimento Tecnológico é o serviço executivo que assegura o fomento, pesquisa aplicada, inovação e desenvolvimento tecnológico das atividades ligadas às fileiras produtivas de cereais, leguminosas e oleaginosas de grão e de outras culturas afins.

SERVIÇOS Serviços de experimentação e adaptação desenvolvidos por unidades experimentais e laboratórios de classificação e certificação

68


Competências INCER - Instituto Nacional dos Cereais Departamento de Fomento Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Departamento de Fomento Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (cont.) COMPETÊNCIAS  Elaborar a metodologia da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas a grão, com a introdução de pacotes tecnológicos adaptados visando o aumento da produtividade e assegurar a monitoria da sua implementação;

 Elaborar, a partir de planos técnico - económicos locais, programas de produção de cereais e formular projectos para a materialização desses programas;

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Agricultura e Ciências Agrárias Produtividade das culturas

Sistemas de produção agrícola

 Participar na promoção da valorização e rentabilização das bacias hidrográficas;  Participar no desenvolvimento da produção e multiplicação de sementes de cereais e de culturas afins, de acordo com as necessidades;

 Garantir a assistência técnica para o desenvolvimento dos programas e projectos de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas a grão;

 Assegurar e monitorar a instalação dos experimentos tecnológicos e inovações

Agro-indústria e Produção Alimentar Conservação e pós-colheita Qualidade e segurança dos alimentos

decorrentes nos centros tecnológicos e inovação;

 Servir de elo entre as instituições de investigação e os produtores e agente comerciais;

 Elaborar os planos anuais de treinamento dos quadros em fomento e extensão agrícola, bem como de outras superações para a adequação de sector;

 Promover e apoiar a organização e desenvolvimento de associações e cooperativas de produtores e comerciantes de cereais. 69

COORDENAÇÃO Santos Victor Ferreira svictor.incer@minagrif.gov.ao


Universidades


Catálogo Angola

CB - UAN Director

Comissão Científica

Coordenador de Programas

Herbário

Secretário Administrativo

Grupos de Trabalho

72

Jardim Botânico


Competências

CB - Centro de Estudos e Investigação Científica de Botânica Universidade Agostinho Neto

DESCRIÇÃO O Centro de Estudos e Investigação Científica de Botânica, designado de Centro de Botânica, é uma instituição de investigação, desenvolvimento e estudos avançados pertencentes à UAN - Universidade Agostinho Neto. Esta unidade orgânica constitui uma importante instituição implementadora de políticas nacionais de investigação de utilização potencial da diversidade vegetal de Angola. A unidade está vocacionada a estudos avançados e investigação científica em diversidade vegetal, desenvolvendo programas fitossociológicos e etnobotânicos. Este centro realiza: (i) a inventariação da diversidade vegetal de todo o país de interesse alimentar, medicinal, florestal, ornamental e outros; (ii) estudos taxonómicos; (iii) estudo de plantas medicinais/farmacognosia. O centro está envolvido em programas em desenvolvimento nomeadamente: mapeamento da vegetação e plantas ameaçadas de extinção. O centro iniciou em 1999 um programa de fase inicial a construção do Jardim Botânico, um espaço de 5 hectares no Campus Universitário. Além disso, o CB está envolvido na 2ª edição do mestrado em Gestão e Governança Ambiental.

DEPARTAMENTOS

Grupos de Trabalho

73


Catálogo Angola CB - Centro de Estudos e Investigação Científica de Botânica

Grupos de Trabalho

COMPETÊNCIAS

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

Compete aos grupos de trabalho: (i) elaborar projectos de investigação científica nas áreas de intervenção do CB e submetê-los à apreciação da Comissão Científica; (ii) levar a cabo os trabalhos de investigação do CB, aprovados nos termos do presente estatuto.

Ambiente Gestão de recursos naturais Meteorologia, clima e alterações climáticas

Ciências Biológicas Biologia vegetal Ecossistemas, biodiversidade e conservação

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO

    

Plantas Medicinais RED DATA-LIST Estudo da flora e vegetação (Miombo)

COORDENAÇÃO

Alterações Climáticas

Esperança da Costa

Digitalização de espécimes da flora (Specify-Software)

esperancacosta@yahoo.com 74


Catálogo Angola

CRF - UAN Director

Comissão Científica

Coordenador de Programas

Banco Genético

Secretário Administrativo

Grupos de Trabalho

76


Competências

CRF - Centro de Recursos Fitogenéticos Universidade Agostinho Neto

DESCRIÇÃO É um Centro de Investigação Científica e Pós-Graduação da UAN, que trabalha em estreita colaboração com o MINAGRIF como resultado de um protocolo entre as duas instituições assinado no ano 2000. Tem como objectivo principal estudar o grande património genético de recursos fitogenéticos nacional, com vista à sua conservação e utilização para a segurança alimentar sustentável e no desenvolvimento da economia nacional. Sendo Angola um país com ampla variedade de ecoregiões e zonas agrícolas, e associada variabilidade de recursos genéticos de plantas silvestres e cultivadas, pode ter maior potencial para mitigar alguns efeitos das mudanças climáticas.

DEPARTAMENTOS

Grupos de Trabalho

77


Catálogo Angola CRF - Centro de Recursos Fitogenéticos

Grupos de Trabalho

COMPETÊNCIAS

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

Compete aos grupos de trabalho: (i) elaborar projectos de investigação científica nas áreas de intervenção do CRF e submetê-los à apreciação da Comissão Científica; (ii) levar a cabo os trabalhos de investigação do CRF, aprovados nos termos do presente estatuto.

Agricultura e Ciências Agrárias Genética e melhoramento de plantas Sementes e propagação

SERVIÇOS

  

Análise molecular dos acessos de sementes Estudo da viabilidade das sementes Caracterização fenotípica das sementes

GRUPOS

Laboratório de caracterização molecular

COORDENAÇÃO

 

Campo Experimental

Pedro António Moçambique

Banco de Sementes

crf.uan@gmail.com

Laboratório de semente 78


Catálogo Angola

FCA O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura da Faculdade de Ciências Agrárias.

Decano

Conselho de Direcção

Conselho Científico

Conselho Pedagógico

Vice Decano para Assuntos Académicos

Vice Decano para Assuntos Científicos

Departamentos de Ensino e Investigação

Gestão e Transf. Florestal

Engenharia e Economia Rural

Produção e Protecção Vegetal

Tecnologia Alimentar

Centro de Investigação

Departamentos de Apoio

Agromatemáticas

80

Investigação Científica e Publicações

Académico

Administração Geral


Competências

FCA - Faculdade de Ciências Agrárias Universidade José Eduardo dos Santos

www.ujes.co.ao

DESCRIÇÃO

A FCA do Huambo é uma unidade orgânica do ensino superior que pertence à UJES - Universidade José Eduardo dos Santos, focada em ensino, investigação e extensão. Foi instalada na Estação Experimental Agrícola da Chianga para em parceria com o IIA promover o desenvolvimento da investigação agrária nacional, podendo utilizar os campos experimentais e de demonstração para as aulas práticas. A FCA actua como centro de criação, transmissão e difusão da ciência e da tecnologia, nas áreas das ciências agrárias e afins, através da docência, da investigação e da extensão rural em resposta às exigências do desenvolvimento e progresso da sociedade, em particular da comunidade rural. A actuação pedagógica da FCA está voltada para a plena formação do profissional em ciências agrárias através de uma articulação do ensino-pesquisa-extensão. Está constituída por dois sectores operacionais: o sector da Chianga e o sector do Ngongoinga.

DEPARTAMENTOS

Departamento de Agro-Matemáticas

Departamento de Produção e Protecção de Plantas

Departamento de Engenharia Rural

Departamento de Tecnologia de Alimentos

Departamento de Gestão e Transformação de Produtos Florestais

81


Catálogo Angola FCA - Faculdade de Ciências Agrárias

Departamento de Agro-Matemáticas

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Agro-Matemáticas tem por finalidade a aplicação correcta das matérias de matemática I e II, informática, metodologia de investigação científica, estatística e experimentação florestal do ponto de vista docente-educativo. O departamento também orienta trabalhos de fim do curso, apoiando os estudantes em termos de elaboração dos desenhos experimentais e recolha e análise estatística de dados. Para além disso, o departamento foca-se no estabelecimento de parcerias que visam melhorar os processos em curso na FCA.

Agricultura e Ciências Agrárias Irrigação e drenagem Nutrição vegetal e fertilização Sistemas de produção agrícola

Floresta Genética e melhoramento florestal Sistemas de produção florestal Tecnologia e processamento florestal

COMPETÊNCIAS  Aplicação de ferramentas estatístico-matemáticas;

COORDENAÇÃO

 Metodologias de investigação para a solução de problemas agrícolas e/ou

André Ndjamba

florestais.

ndjamba72@hotmail.com 82


Competências FCA - Faculdade de Ciências Agrárias

Departamento de Engenharia Rural

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Engenharia Rural esta dividido em quatro grupos, que visam procurar resolver e desenvolver trabalhos de extensão rural. O departamento desenvolve também trabalhos de investigação científica de várias naturezas.

Ambiente Energia renováveis e bioenergia Gestão de recursos naturais Meteorologia, clima e alterações climáticas

Desenvolvimento Rural

LINHAS DE INVESTIGAÇÃO

Cadeias de valores

 Irrigação e drenagem

Economia rural

 Maquinaria e infraestruturas agrária

Sociologia rural

 Gestão de recursos naturais  Desenvolvimento rural

COORDENAÇÃO

SERVIÇOS ID&I

António Manuel Teixeira

Serviços no âmbito de detecção remota para o desenvolvimento agrícola; laboratório de sistemas de informação geográfica.

antmanuelteixeira@gmail.com

83


Catálogo Angola FCA - Faculdade de Ciências Agrárias

Departamento de Gestão e Transformação de Produtos Florestais

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Gestão e Transformação de Produtos Florestais está vocacionado para desenvolver trabalhos de investigação científica no ramo florestal, e tem como missão contribuir na formação de quadros em engenharia florestal.

COMPETÊNCIAS

 Tecnologia de produtos florestais: desenvolvimento de processos industriais, estudos para utilização industrial da madeira e utilização da biomassa florestal para produção de energia;

Ambiente Gestão de resíduos e subprodutos

Floresta Genética e melhoramento florestal Sistemas de produção florestal Tecnologia e processamento florestal

 Produção florestal: estudos de implantação, manutenção, manejo e utilização de plantações florestais e de florestas naturais (Miombo). Estudo de sementes, técnicas de produção de mudas, melhoramento genético, medições e monitoramento;

 Inventário das florestas para uso múltiplo. COORDENAÇÃO

SERVIÇOS ID&I

Daniel Lucas Lino Jenje

 Actividades de formação e capacitação de âmbito florestal;

daniellucas39@hotmail.com

 Recolha e análise estatística de dados. 84


Competências FCA - Faculdade de Ciências Agrárias

Departamento de Produção e Protecção de Plantas

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Produção e Protecção de Plantas tem como missão promover a pesquisa, o progresso das ciências agrárias, especificamente a produção e a protecção vegetal; transmitir pelo ensino, conhecimentos que enriqueçam o desenvolvimento da agricultura numa perspectiva social, ambiental e economicamente viável; formar especialistas no ramo da fitopatologia, e técnicos e profissionais em planificação, execução e análise da investigação no domínio da gestão dos inimigos das culturas (pragas, doenças e infestantes); realizar obra social de divulgação das ciências agrárias por meio dos serviços de extensão.

Agricultura e Ciências Agrárias Genética e melhoramento de plantas Nutrição vegetal e fertilização Pragas e doenças

Agro-indústria e Produção Alimentar Conservação e pós-colheita Qualidade e segurança dos alimentos

COMPETÊNCIAS

Produção, conservação e comércio de produtos agrícolas e sistemas agrícolas sustentáveis.

COORDENAÇÃO Carlos Conceição carlosconceicao6@htmail.com 85


Catálogo Angola FCA - Faculdade de Ciências Agrárias

Departamento de Tecnologia de Alimentos

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Tecnologia de Alimentos participa de forma activa na formação contínua dos estudantes e em pesquisas científicas. O departamento presta formação de curta duração a outras entidades institucionais públicas ou privadas no âmbito de processamento e controlo de qualidade de alimentos. A missão do departamento prende-se com identificar e estabelecer parcerias de vantagem mútua com empresas públicas ou privadas; desenvolver avanços seguros e rápidos através do processo de ensino/aprendizagem e pesquisa na área agro-industrial; serve como um suporte básico para micro, pequenas e médias empresas agro-alimentares; e assiste a cadeira de transformação e conservação de produtos agrícolas.

Agro-indústria e Produção Alimentar Conservação e pós-colheita Qualidade e segurança dos alimentos Tecnologia dos produtos de origem vegetal

Desenvolvimento Rural Cadeias de Valor

COMPETÊNCIAS

 Qualidade alimentar, teor nutricional, qualidade e integridade dos alimentos na indústria, selecção de matérias-primas e definição dos processos de produção.

COORDENAÇÃO SERVIÇOS ID&I

Yuri Rufino Jamba Chipuio

 Ensaio de novos produtos e análise de qualidade de produtos alimentares de

jamba.chipuio@gmail.com

empresas públicas e privadas. 86


Catálogo Angola

FMV

Assembleia da FMV Decano da FMV Gabinete do Decano

Vice-Decano P/A Científicos

Gabinete de Apoio aos ViceDecanos

Vice-Decano P/A Académicos

Conselho de Direcção

Departamentos de Ensino e Investigação

Dep. Ciências Base Dep. Sanidade Animal Dep. Produção Animal

O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura da Faculdade de Medicina Veterinária da UJES.

Dep. H. e Tec. Alimentos

88

Serviços Executivos de apoio

Gabinete Gestão de Projectos e Cooperação


Competências

FMV - Faculdade de Medicina Veterinária Universidade José Eduardo dos Santos

www.fmv-ujes.ed.ao

DESCRIÇÃO

A Faculdade de Medicina Veterinária do Huambo é uma unidade orgânica da Universidade José Eduardo dos Santos, foi criada à luz do Decreto nº 07/2009 de 12 de Maio. A Faculdade está localizada no Bairro Santo António, no Município do Huambo, sector Comandante Vilinga e faz parte da Região Académica nº 5 (Huambo, Bié e Moxico). Está vocacionada para a formação de quadros superiores de graduação e pós-graduação nas áreas de medicina veterinária e aquicultura. A partir de uma necessidade de desenvolvimento sustentável de Angola, a faculdade de medicina veterinária propõe-se ser uma instituição de referência nacional na produção e disseminação de conhecimentos científicos, inovação e extensão universitária.

DEPARTAMENTOS

Departamento de Ciências de Base

Departamento de Produção Animal

Departamento de Sanidade Animal

Departamento de Higiene, Inspeção e Tecnologia de Alimentos

89


Catálogo Angola FMV - Faculdade de Medicina Veterinária

Departamento de Ciências de Base

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Ciências de Base faz parte dos departamentos da FMV do Huambo, unidade orgânica da UJES. Inclui as disciplinas do ciclo básico do curso de Licenciatura em Medicina Veterinária e Aquicultura.

Ciências Animais e Veterinárias Alimentação e nutrição animal Melhoramento e genómica animal Saúde Animal

Recursos Marinhos e Dulciaquícolas Aquacultura Biotecnologia dos recursos aquáticos

COMPETÊNCIAS

Pescas

 Avaliação da qualidade da água para consumo e criação de peixes  Morfometria de órgãos de animais e caracterização histológica

COORDENAÇÃO Justo Cassinda Victor dos Santos cassinda2012@gmail.com 90


Competências FMV - Faculdade de Medicina Veterinária

Departamento de Sanidade Animal

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

O Departamento de Sanidade Animal é um departamento de ensino e investigação com um total de 17 docentes nacionais, 4 expatriados e 1 funcionária não docente, que participam na formação da Licenciatura em Medicina Veterinária.

Ciências Animais e Veterinárias Sanidade animal e epidemiologia Saúde animal

Ciências Biológicas Microbiologia

COMPETÊNCIAS  Microbiologia  Imunologia veterinária  Anatomia patológica  Farmacologia e toxicologia

COORDENAÇÃO

 Semiologia, medicina interna, cirurgia  Parasitologia, doenças infecto-contagiosa, epidemiologia veterinária e deontologia veterinária.

Alexandre Manuel Vieira Duarte almavidu@gmail.com

91


Catálogo Angola FMV - Faculdade de Medicina Veterinária

Departamento de Produção Animal

DESCRIÇÃO O Departamento de Produção Animal está sediado no campus de Santo António, na cidade do Huambo, província do Huambo. O departamento participa nos cursos de Licenciatura em Medicina Veterinária e Aquacultura e visa contribuir na formação académica e profissional de médicos veterinários, com conhecimentos sólidos, capazes de responder às tarefas relacionadas com o exercício da profissão, em todos os campos de actuação. Tem também como objetivo contribuir para o desenvolvimento da produção animal por meio da investigação cientifica.

SERVIÇOS ID&I  Extensão rural;  Prestar colaboração cientifica com órgãos públicos e privados em Angola e no exterior na pesquisa, ensino e extensão;

 Proporcionar à comunidade, actividades de extensão universitária e serviços relacionados com áreas ligadas a produção animal.

92


Competências FMV - Faculdade de Medicina Veterinária Departamento de Produção Animal

Departamento de Produção Animal (cont.) COMPETÊNCIAS  Caracterização bromatológica de forrageiras nativas de Angola: Mapear por regiões as forrageiras típicas; Caracterizar bromatologicamente as forragens nativas; Elaborar e publicar uma tabela nutricional das forragens típicas de Angola;

 Caracterização fenotípica das diferentes espécies de importância pecuária: Avaliar as características qualitativas das diferentes espécies pecuárias exploradas em Angola. Determinar as características morfométricas das diferentes espécies pecuárias exploradas em Angola;

 Determinar os índices produtivos e reprodutivos das principais espécies pecuárias:

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Ciências Animais e Veterinárias Alimentação e nutrição animal

Sistemas de produção animal Tecnologias de reprodução

Recursos Marinhos e Dulciaquícolas Aquacultura

Determinar os principais parâmetros zootécnicos produtivos (peso ao nascimento, desmame, adulto, ganho médio diário em diferentes fases, etc.) das espécies pecuárias exploradas em Angola. Determinar os principais parâmetros zootécnicos reprodutivos (idade ao primeiro parto, intervalo entre partos, prolificidade, etc.) das espécies pecuárias exploradas em Angola.

COORDENAÇÃO Hermenegildo Lucas Justino Chiaia prod.animal@fmv-ujes.ed.ao 93


Catálogo Angola FMV - Faculdade de Medicina Veterinária

Departamento de Higiene, Inspeção e Tecnologia de Alimentos

DESCRIÇÃO O Departamento de Higiene, Inspeção e Tecnologia de Alimentos é um departamento de ensino e investigação da FMV, da UJES que congrega uma disciplina do 3º ano do curso de licenciatura de Medicina Veterinária: Higiene e segurança alimentar e duas disciplinas do 5º ano do mesmo curso, nomeadamente: Higiene, Inspecção e Tecnologia dos Alimentos, e a disciplina de Saúde Publica Veterinária. O departamento é composto por um conselho departamental constituído por todos os docentes e não docentes, concelho científico que integram os docentes com grau de Mestre e Doutores, concelho pedagógico formado por docentes regentes de disciplinas e coordenadores pedagógicos de anos académicos ligados ao departamento. O departamento esta composto pelas seguintes áreas funcionais, anexas no Centro de Ensino e Pesquisa e Tecnologia Alimentar (CEPTA): Laboratório de Microbiologia dos Alimentos, Laboratório de Química dos Alimentos, Gabinetes de Apoio, uma sala de aulas teóricas e salas de apoio.

94


Competências FMV - Faculdade de Medicina Veterinária Departamento de Higiene, Inspeção e Tecnologia de Alimentos

Departamento de Higiene, Inspeção e Tecnologia de Alimentos (cont.) COMPETÊNCIAS  Avaliação da qualidade dos alimentos fornecidos aos doentes dos hospitais da Província do Huambo;

 Avaliação da qualidade dos alimentos fornecidos na merenda escolar;

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Agro-indústria e Produção Alimentar Qualidade e segurança dos alimentos

 Mapeamento das principais zoonoses na Província do Huambo;

Tecnologia dos produtos de origem animal

 Caracterização higiosanitária dos leites fermentados (omavele) artesanalmente nos municípios de Caimbambo e Chogoroi em Benguela;

 Formação do pessoal ligado a indústria hotelaria e restauração em matérias de higiene e manipulação de alimentos;

 Capacitação a nível institucional na área de higiene, inspeção e segurança alimentar de produtos de origem animal e sobre a implementação do sistema HACCP a nível da indústria de alimentos.

COORDENAÇÃO Feliciano Muto Tito Canjinji canjinji@hotmail.com

95


Catálogo Angola

ESPtN Assembleia

Director Gabinete do Director Conselho de Direcção

Director-Adjunto para a Área Científica

Director-Adjunto para a Área Académica

Departamentos de Ensino e Investigação (DEIs)

Departamento de Administração Geral

Centros de Investigação Científica e Pós-Graduação

Centro de Estudos Ambientais e Energias

Centro de Estudos e Investigação em Contab.

O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura da ESPtN - Escola Superior Politécnica do Namibe.

Centro de Estudos e Inovação Tecnológica

96


Competências

ESPtN - Escola Superior Politécnica do Namibe

DESCRIÇÃO A ESPtN - Escola Superior Politécnica do Namibe é uma instituição de ensino superior pública inserida na Universidade Mandume ya Ndemufayo. Criada em 2004 com o nome de Escola Superior de Ciência e Tecnologia do Namibe da Universidade Agostinho Neto, em 2009 com o redimensionamento da Universidade Agostinho Neto, passou a pertencer a Universidade Mandume ya Ndemufayo. Lecciona seis cursos de graduação no nível de Licenciatura desde 2014, nomeadamente: Contabilidade e Gestão, Biologia Marinha, Engenharia Eléctrica, Engenharia Mecânica, Engenharia do Ambiente e Engenharia Metalúrgica e de Materiais

DEPARTAMENTOS

Centro de Estudos Ambientais e Energias Renováveis (CEAER)

97


Catálogo Angola ESPtN - Escola Superior Politécnica do Namibe

CEAER - Centro de Estudos Ambientais e Energias Renováveis

DESCRIÇÃO

GRUPOS DE ID&I

O CEAER foi criado para assistir os Departamentos de Biologia Marinha e Engenharia do Ambiente. O CEAER é um órgão investigativo da ESPtN, vocacionado para a investigação científica e extensão universitária em matérias relacionadas com o ambiente e energias renováveis existentes no território da província de Namibe. Formado fundamentalmente por estudantes e sob a coordenação de um docente, os constituintes deste centro desenvolvem acções viradas para a limpeza das praias e manutenção do ambiente marinho, bem como de conhecimento, conservação e preservação dos estuários e da sua biodiversidade.

SERVIÇOS ID&I  Estudo e caracterização dos estuários do Namibe;  Estudo e caracterização das aves migratórias que transitam pelos estuários no Namibe;

 Recolha dos resíduos sólidos antrópicos nas praias de Moçâmedes;  Estudo e caracterização das acções antrópicas negativas nos ecossistemas estuarinos do Namibe. 98

VIDA-MAR


Competências ESPtN - Escola Superior Politécnica do Namibe Centro de Estudos Ambientais e Energias Renováveis (CEAER)

VIDA-MAR COMPETÊNCIAS O Grupo de Investigação VIDA-MAR tem como principal objectivo das suas investigações a salvação dos ambientes marinhos de forma a mantê-los saudáveis na sua globalidade. Um sub-grupo desenvolve acções de limpeza das praias e sensibilização dos utentes destes locais para os riscos do mau uso das mesmas bem como realiza campanhas de recolha de resíduos sólidos deixados pelos banhistas bem como aqueles que tenham sido devolvidos pelo mar após as enxurradas. Outro subgrupo realiza estudos conducentes a preservação das aves migratórias nos estuários do Namibe e realiza acções de sensibilização aos utentes de tais ecossistemas com vista a mantê-los em equilíbrio biológico fluente.

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Ambiente Gestão de recursos naturais

Gestão de resíduos e subprodutos

Ciências Biológicas Ecossistemas, biodiversidade e conservação

COORDENAÇÃO Agostinho Adriano Manuel da Silva agamsilva62@gmail.com 99


Catálogo Angola

ISPH Assembleia

Decano Gabinete de Apoio Decano Conselho de Direcção

Vice-Decano p/ Assuntos Científicos e Pós-Graduação

Vice-Decano p/ Assuntos Académicos e Vida Estudantil

Departamentos de Ensino e Investigação

Departamento de Administração Geral

Centros de Estudos e Investigação

DICET DAZ DECA DOICV

DGM O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura da ISPH - Instituto Superior Politécnico da Huíla.

DEMST DCBDC

100


Competências

ISPH - Instituto Superior Politécnico da Huíla

DESCRIÇÃO O Instituto Superior Politécnico da Huíla, ISPH foi Criado em 2011, no âmbito da criação da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, à luz do Decreto Presidencial nº 236/11 do Artigo 40, na alínea a) do ponto 3 do 3º capítulo, cuja missão é a formação integral e contínua de profissionais com competências técnico-científicas sólidas no domínio das engenharias, e que se propõem contribuir significativamente para o desenvolvimento sustentável de Angola, assim a sua visão consiste em afirmar-se como Instituto Superior Politécnico moderno de referência regional, nacional e internacional no ensino e pesquisa.

DEPARTAMENTOS

Departamento de Agronomia e Zootecnia

101


Catálogo Angola ISPH - Instituto Superior Politécnico da Huíla

Departamento de Agronomia e Zootecnia

DESCRIÇÃO O departamento de Agronomia e Zootecnia ministra os Cursos de Agronomia e Zootecnia encontra-se nas instalações do Instituto Superior Politécnico da Huila, pertencente à Universidade Mandume Ya Ndemufayo, na Província da Huila, na Comuna da Arimba.

SERVIÇOS ID&I  Assistência técnica no âmbito dos seus programas de extensão rural;  Actividades de transferência de técnicas cientificas nas escolas de campo, cooperativas de camponeses e criadores de gado da região.

102


Competências ISPH - Instituto Superior Politécnico da Huíla Departamento de Agronomia e Zootecnia

Departamento de Agronomia e Zootecnia (cont.) COMPETÊNCIAS As linhas de investigação do departamento são focadas no melhoramento genético animal, produção sustentável de alimentos para o consumo humano e animal, melhoramento genético de plantas e extensão rural.

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS Agricultura e Ciências Agrárias Genética e melhoramento de plantas

Irrigação e drenagem Pragas e doenças

Ciências Animais e Veterinárias Sanidade animal e epidemiologia Sistemas de produção animal

COORDENAÇÃO João Baptista Zacarias baptista74@yahoo.com.br 103


Catálogo Angola

ISPM Assembleia

Director Geral Conselho de Direcção

Director Geral Adjunto para Área Académica e Vida Estudantil

Conselho Científico

Director Geral Adjunto para Área Administrativa

Conselho Pedagógico

Director Geral para Extensão e Cooperação Secretária Geral

Dep. de Ciências e Tecnologias da Saúde O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura do Instituto Superior Politécnico de Malanje.

Dep. de Ciências Agrárias Dep. de Engenharias

104


Competências

ISPM - Instituto Superior Politécnico de Malanje

www.ispmalanje.ed.ao

DESCRIÇÃO

O Instituto Superior Politécnico de Malanje (ISPM) surge com o redimensionamento do subsistema de ensino superior público, que extingue o monopólio da Universidade Agostinho Neto e cria novas regiões académicas (Decreto 07/09). Não obstante esta criação de jus, o seu arranque formal só veio a acontecer em 2014. O ISPM tem como missão contribuir para o desenvolvimento do ser humano, promovendo um ensino superior de excelência e qualidade, formação de profissionais com competências técnicas, científicas e éticas sólidas. A visão da instituição é de oferecer diferentes cursos superiores, pautados nas acções de ensino, investigação e extensão, tendo como directrizes a interdisciplinaridade, sustentabilidade nacional, regional e internacional.

DEPARTAMENTOS

Departamento de Ensino e Investigação em Ciências Agrárias

105


Catálogo Angola ISPM - Instituto Superior Politécnico de Malanje

Departamento de Ensino e Investigação em Ciências Agrárias

DESCRIÇÃO

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

É um dos três departamentos que compõem o Instituto Superior Politécnico de Malanje, legalmente criados pelo Decreto Presidencial 25/16 de 18 de Janeiro. O mesmo emerge da necessidade de formação de competências na vocação agrária do país e para a província de Malanje em particular. Apesar de inoperante no momento, é pretensão que este venha coordenar o processo de ensino e aprendizagem, bem como realizar investigação e extensão nas áreas de Produção e Protecção Vegetal e Produção Animal.

106

Agricultura e Ciências Agrárias Pragas e doenças Produtividade das culturas Sistemas de produção agrícola

Ciências Animais e Veterinárias Sistemas de produção animal


Catálogo Angola

O presente organograma apenas se refere a uma parte da estrutura do Instituto Superior Politécnico do Cuanza Sul.

ISPKS Assembleia Director Geral

Conselho de Direcção

Directores Gerais-Adjuntos Secretário Geral

Conselho Científico Conselho Pedagógico

Dep. Ass. Académicos

Dep. Inv. Cient. e Pós-Graduação

Dep. Coop. e Intercâmbio Internacional

Dep. Est. Plan. e Estatística

108

Dep. Inform. Cient. e Document.

Unidades Orgân. de Ensino e Invetsigação

Outros Departamentos


Competências

ISPKS - Instituto Superior Politécnico do Cuanza Sul

DESCRIÇÃO O Instituto Superior Politécnico do Cuanza Sul (ISPKS) é uma instituição de ensino superior que se dedica à docência, à investigação e à transferência de tecnologia na Província do Cuanza Sul. A instituição está localizada na Província do Cuanza Sul que se estende em uma grande parte, ao sul do rio Cuanza. Criado pelo Decreto nº 7/09, de 12 de Maio, ministrando os Cursos de Licenciatura (Agronomia, Zootecnia, Gestão de Empresa Agrárias, Contabilidade e Gestão e Enfermagem). No âmbito da extensão Universitária e apoio a Comunidade, tem prestado serviços de apoio as comunidades em diferentes áreas dos cursos que ministra.

UNIDADES ORGÂNICAS DE ENSINO E INVESTIGAÇÃO

Departamento de Agronomia

109


Catálogo Angola ISPKS - Instituto Superior Politécnico do Cuanza Sul

Departamento de Agronomia

COMPETÊNCIAS

ÁREAS E SUB-ÁREAS CIENTÍFICAS

• Ensino técnico profissional e superior, potenciando a pesquisa, a inovação, e extensão universitária, como a divulgação dos resultados de pesquisa;

Agricultura e Ciências Agrárias

• Produção vegetal, ao nível dos cereais, plantas sacarinas e banana comercial;

Pragas e doenças

Nutrição vegetal e fertilização

Sistemas de produção agrícola

• Maneio de solo, especificamente a realização de estudo de solos da província do Cuanza Sul; • Biotecnologia vegetal - produção de plantas in vitro.

SERVIÇOS ID&I COORDENAÇÃO

 Investigação Científica

Sandra Domingos João Afonso

 Apoio a Comunidade

sandrafonso30@gmail.com

 Extensão Universitária 110


Projectos


Catálogo Angola

Agrojovem - projecto de apoio aos jovens camponeses e agricultores no município da Caála

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Desenvolvimento Rural

A agricultura familiar em Angola domina a estrutura agrária do país, representando quase 100% das explorações agrícolas. Contudo, a saída dos jovens das zonas rurais tem aumentado nos últimos anos e isso compromete a sustentabilidade da agricultura familiar. Neste sentido, o objectivo principal do projecto é o de contribuir para a sustentabilidade da agricultura familiar no município da Caála através da reinserção produtiva e social dos jovens camponeses e agricultores familiares. De modo específico, o projecto visa fortalecer as iniciativas empreendedoras dos jovens camponeses e agricultores familiares das aldeias de Sacaliñga e Camunda nos domínios da produção agropecuária, pequeno comércio e organização social. Os beneficiários finais do projecto são constituídos por 804 famílias, num total de 4083 habitantes.

114


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto pretende apoiar a produção agropecuária, dinamizar empreendimentos económicos não agrícolas, o reforço organizativo, apoiar a formação prática dos estudantes finalistas e promover actividades educativas e sócio culturais. Mais especificamente o projecto irá: (i) fomentar a capacitação de jovens agricultores e camponeses em práticas sustentáveis, de gestão de pequenos negócios e temas como o associativismo e cooperativismo; (ii) prestar assistência técnica aos jovens agricultores; (iii) apoiar o escoamento e comercialização dos produtos agropecuários; e (iv) constituir um fundo rotativo de apoio aos empreendimentos.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 10/2018 a 10/2019

FINANCIAMENTO PISCCA

PALAVRAS-CHAVE Agricultura familiar, Agropecuária, Capacitação, Comercialização, Empreendedorismo

INOVAÇÃO O projecto é inovador na medida em que pretende contribuir para a mitigação do problema do abandono da actividade agrícola por parte dos jovens, proporcionandolhes recursos que permitam criar condições para a concretização gradual das suas expectativas enquanto agricultores, tirando proveito das suas ligações com os centros urbanos como factor de maximização da combinação das actividades agrícolas e não agrícolas.

PARCEIROS Instituto Médio Agrário do Huambo 115

Coordenação ADRA Adalberto Pascoal Lopes lopesadalt86@hotmail.com


Catálogo Angola

Aplicação de técnicas agronómicas integradas no melhoramento da produtividade do cafeeiro

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Desenvolvimento Rural

Segurança Alimentar e Nutricional

Trata-se de um projecto de âmbito nacional que tem como principal meta, o melhoramento da produtividade do cafeeiro pela aplicação de várias técnicas agronómicas combinadas. Este projecto será desenvolvido nas províncias de Uíge, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Bengo e Cabinda em estações, centros de estudos ou fazendas cafeícolas selecionadas. Serão realizados, nos cafezais, de forma integrada e combinada, um conjunto de práticas e técnicas agronómicas como capinas, podas, fertilizações, tratamento fitossanitários, adensamento da plantação, mecanização do cultivo e das colheitas e irrigações, para que no fim de cada experimento, seja possível, efectuar-se uma avaliação da resposta dos cafeeiros submetidos a tal exercício. Caso a resposta seja positiva em termos de melhoria da produção, produtividade e fertilidade dos solos, os seus resultados serão divulgados e postos a disposição dos cafeicultores.

116


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Com o objectivo da aplicação de técnicas agronómicas integradas nas plantações de café das pequenas, médias e grandes explorações familiares, para o melhoramento da produtividade do cafeeiro, concebeu-se este projecto tendo em conta a real situação que atravessa a cafeicultura angolana. Com a implementação deste projecto pretendese alcançar os seguintes resultados: (i) melhorar a produção e a produtividade do cafeeiro; (ii) melhorar a fertilidade dos solos; (iii) melhorar a arquitectura e a condução do cafeeiro; (iv) melhorar a densidade das plantações cafeícolas; (v) encontrar um modelo tecnológico adequado para o cultivo do café angolano.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2019 a 2024

FINANCIAMENTO OGE

PALAVRAS-CHAVE Aplicação, Cafeeiro, Melhoramento, Produtividade, Técnicas agronómicas

INOVAÇÃO O projecto adapta uma tecnologia a um contexto diferente, uma vez que faz a combinação de várias técnicas agronómicas para a obtenção de bons rendimentos nas colheitas.

PARCEIROS CRF-UAN, MESCTI, MINAGRIF

117

Coordenação INCA Luzolo Manuel luzolo@gmail.com


Catálogo Angola

Apoio ao desenvolvimento de cooperativas agrícolas nas províncias do Huambo e Benguela

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Desenvolvimento Rural

O projecto visa contribuir para os processos de desenvolvimento económico local através do fortalecimento da capacidade dos actores locais na implementação de iniciativas económicas e sociais integradas. Tem como objectivo específico fortalecer a capacidade de 4 cooperativas agropecuárias nos municípios do Bailundo, Caála e Longonjo (Huambo), Ganda e Cubal (Benguela), na prestação de serviços de assistência técnica à produção agrícola, ao crédito e à comercialização com integração no mercado formal. O projecto incidirá a sua acção directa junto de 437 produtores (camponeses e pequenos agricultores familiares). Os beneficiários do projecto têm como principais actividades agrícolas os cultivos de milho, feijão, soja, batata-rena e hortícolas.

118


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Com a implementação deste projecto pretende-se reforçar as cooperativas agropecuárias de pequena dimensão nas vertentes, organizativa, produtiva e empreendedora, introduzindo novos modelos de prestação de serviços de assistência técnica à produção agrícola, ao crédito e à comercialização com integração no mercado formal.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 12/2017 a 12/2021

FINANCIAMENTO BP Angola

PALAVRAS-CHAVE

INOVAÇÃO Angola vive dificuldades económicas muito marcadas pela escassez de receitas necessárias ao financiamento da sua economia. Trata-se de um quadro crítico com implicações em vários sectores da vida nacional, como a disponibilidade de alimentos, de insumos agrícolas, de postos de trabalho, entre outros. É neste contexto que o projecto é inovador porque constituí uma oportunidade de acesso a bens e serviços para os membros das comunidades rurais, tornando-os actores da mudança da economia local. Além disso, ira possibilitar o desenvolvimento de uma estratégia de engajamento do sector privado.

PARCEIROS Administrações locais do Estado, IDA (através das Estações de Desenvolvimento Agrário – EDAs), MASFAMU, UNACA

119

Agrícola, Capacitação, Comercialização, Economia rural, Produção

Coordenação ADRA Armando Chiteculo Pintar achite05@hotmail.com


Catálogo Angola

APPSA - Programa de produtividade agrícola para a África Austral - Angola e Lesoto

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Desenvolvimento Rural

O projecto tem como objectivo aumentar a disponibilidade de tecnologias agrícolas melhoradas nos países participantes da região da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral. O APPSA visa o fortalecimento de capacidade dos sistemas nacionais de I&D e do reforço da colaboração regional, através de: (i) apoio à colaboração regional em investigação agrária e disseminação de tecnologia; (ii) estabelecimento de Centros Regionais de Liderança (CRL) em produtos de importância regional; e (iii) facilitação do aumento da partilha de informação, conhecimento e tecnologia agrícola entre os países participantes. Os principais beneficiários do projecto são agricultores familiares organizados em cooperativas, associações e singulares incluindo mulheres nas zonas rurais, instituições de investigação, ensino e desenvolvimento.

120


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto estabelecerá o CRL de mandioca em Angola, que permitirá gerar soluções tecnológicas de forma a aumentar a produção e a produtividade e agregar valor à cultura da mandioca no país. O projecto permitirá também o desenvolvimento de subprojectos de P&D agrícola para desenvolver e transferir novas tecnologias que visem aumentar a produtividade e renda agrícola através: da criação da capacidade institucional para desenvolver técnicas aperfeiçoadas de produção; transferência de técnicas melhoradas; e adopção e uso dessas técnicas.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 07/2018 a 01/2025

FINANCIAMENTO Banco Mundial, BIRD e International Development Association

PALAVRAS-CHAVE Capacitação, Mandioca, Produção, Produtividade, Tecnologia Agrícola

INOVAÇÃO Espera-se que o estabelecimento do CRL de mandioca se torne num elemento propulsor para reforçar o sistema de pesquisa agrícola em Angola, que permitam: a produção de ferramentas inovadoras de treinamento e comunicação; desenvolvimento da capacitação para a extensão e a disseminação de tecnologias; e o desenvolvimento de pacotes de tecnologia sustentáveis e de fácil adopção para o cultivo de mandioca, incluindo técnicas de agroprocessamento e outras técnicas de valor agregado.

PARCEIROS CCARDESA, MINAGRIF

121

Coordenação IIA João Ferreira da Costa Neto jneto65@hotmail.com


Catálogo Angola

Avaliação da adaptabilidade de variedades de mandioca como alternativa à alimentação de animais de interesse zootécnicos nas zonas afectadas pela seca na região sul de Angola

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Segurança Alimentar e Nutricional

O estudo da mandioca consiste em identificar variedades adaptáveis às zonas em estudo para serem multiplicadas e utilizadas para a alimentação animal e humana, tendo como grupo alvo a comunidade da região do sul de Angola nomeadamente na provincial da Huíla, Namibe e Cunene, zonas afectadas pela seca. O mesmo visa contribuir na redução da escassez de matérias-primas para a produção de ração para a alimentação animal, mediante o uso da raiz de mandioca. Para a execução do projecto, será necessária a transição por 4 etapas: 1ª etapa: aquisição dos meios necessários para a implementação do projecto; 2ª etapa: serão montados ensaios de diferentes variedades de mandioca, numa parcela de terra, localizada na região dos Gambos, onde o efeito da seca é mais acentuado, para seleccionar-se a melhor variedade para esta região; 3ª etapa: far-se-á a plantação da mandioca seleccionada e multiplicada numa parcela de 1 ha de terra; 4ª etapa: construção de instalações para o sistema de lavagem, corte, secagem e armazenamento da mandioca. 122


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO A implementação do presente projecto, vai permitir testar variedades de mandioca compatíveis com as condições edafo-climáticas da região, sua multiplicação e disponibilidade para os agricultores das zonas afectadas pela seca, com a tecnologia adequada. Neste sentido o projecto tem como objectivo, procurar alternativas alimentares para combater este fenómeno natural, sendo que a mandioca apresenta – se como uma alternativa viável devido as suas características.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO

INOVAÇÃO

PALAVRAS-CHAVE

Desconhece-se o uso da mandioca como matéria-prima para a substituição do milho nas rações para os animais. Deste modo, a implantação de um modelo nutricional para os animais monogástricos e poligástricos tendo como base a mandioca, é uma novidade oportuna nas regiões afectadas pela seca.

Alternativa, Alimentação, Animal, Mandioca, Seca

2020 a 2023

FINANCIAMENTO Governo Provincial da Huila

Coordenação ISPH João Baptista Zacarias baptista74@yahoo.com.br

PARCEIROS ADRA, Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola, IDA, Serviços de Veterinária

123


Catálogo Angola

Caracterização higiosanitária dos leites fermentados (omavele) artesanalmente nos municípios de Caimbambo e Chogoroi em Benguela

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Segurança Alimentar e Nutricional

Devido ao incumprimento das boas práticas de higiene e de fabricação de leites fermentados artesanalmente no Sul de Angola, existe uma grande possibilidade da presença de microrganismos patogénicos que afectam a saúde dos consumidores. As análises microbiológicas dos leites cru e fermentados irão demostrar o incumprimentos das boas práticas de higiene e fabricação, contribuindo na consciencialização dos produtores familiares nas aldeias dos municípios de Caimbambo e Chogoroi na província de Benguela, facilitando a compreensão dos métodos de boas práticas de higiene e produção durante os seminários de capacitação nas suas aldeias. Os resultados esperados passam pela possibilidade do consumo e comercialização de leites fermentados de boa qualidade sanitária, protegendo a saúde dos consumidores.

124


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto vai promover a capacitação das comunidades através de dois seminários que serão realizados na sede de cada município, Caimbambo e Chogoroi. A consciencialização e capacitação dos produtores e técnicos municipais de veterinária irá contribuir na produção de leite e leite fermentado artesanalmente de qualidade promovendo a renda das famílias e boa saúde para os consumidores locais e outros. Deste modo, o projecto oferece um serviço de boa qualidade protegendo a saúde dos produtores e consumidores.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 02/2019 a 01/2021

FINANCIAMENTO AIEA, MESCTI

PALAVRAS-CHAVE Leites fermentados, Omavele, Qualidade higiosanitária, Sáude pública, Toxifencções alimentares

INOVAÇÃO O projecto é inédito nos municípios de Caimbambo e Chogoroi, porque ancestralmente não lhes foi transmitido o conhecimento do uso de técnicas sustentáveis através da água, sabão e calor para esterilizar (eliminação e destruição dos microrganismos patogénicos e outros) os instrumentos e utensílios que entrarão em contacto com o leite e derivados. Assim, a aplicação de boas práticas de higiene pessoal e de fabricação contribuem na boa saúde dos produtores e consumidores. O projecto irá contribuir para o controlo das toxinfecções alimentares que é um problema de saúde pública em Angola.

Coordenação FMV - UJES

Feliciano Muto Tito Canjinji canjinji@hotmail.com

Joaquim Morais joaqiumm@yahoo.com.br

PARCEIROS Sem entidades parceiras

125


Catálogo Angola

CDAIS - Desenvolvimento de competências para a inovação dos sistemas agrários

www.cdais.net/home/

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Desenvolvimento Rural

O CDAIS é uma parceria global dedicada ao desenvolvimento de competências nos sistemas de inovação agrícola, de forma a torná-los mais eficientes e sustentáveis na resposta às necessidades dos agricultores, empresários agrícolas e consumidores, contribuindo, assim, para melhorar a segurança alimentar.

O CDAIS actua em oito países piloto localizados em África, na Ásia e na América Latina. As intervenções de desenvolvimento de competências nestes oito países são orientadas para as necessidades dos stakeholders, integrando as componentes individual e organizacional e incluindo diálogos políticos.

126


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Uma das maiores vantagens deste projecto é o envolvimento de todos os níveis de sistema de inovação agrícola (individual, parcerias, organizações e governo), levando as necessidades e potencialidades identificadas ao nível de parcerias de inovação aos decisores de alto nível. Ao desenvolver competências funcionais, permite ainda que os envolvidos identifiquem os próprios problemas e encontrem soluções para eles, o que se reflete em mudanças mais sustentáveis e duradouras.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 01/2015 a 07/2019

FINANCIAMENTO UE

PALAVRAS-CHAVE

INOVAÇÃO O CDAIS diferencia-se dos projectos tradicionalmente implementados em Angola, por se focar em competências funcionais (colaborar, refletir e aprender, navegar complexidades, e envolvimento em processos políticos) e não em competências técnicas. É implementado através de ciclos de aprendizagem onde as parcerias de inovação (grupo de indivíduos e/ou organizações que trabalham em conjunto, formal ou informalmente, num projeto de inovação) identificam objetivos comuns e constrangimentos e definem atividades para alcançar os objectivos. Em cada ciclo existe um momento de reflexão onde os vários actores reflectem sobre o que foi feito e alteram o plano se necessário. Apesar de o projecto não se centrar em competências técnicas ou equipamento, contribui para que necessidades deste tipo também sejam ultrapassadas, devido à criação de parcerias, por exemplo.

PARCEIROS Agrinatura, EEIG, FAO, ISA/ULisboa 127

Competências, Facilitação, Inovação, Parcerias, Sistema

Coordenação IIA/MINAGRIF Armando Valente zambela4@yahoo.es FAO—Unidade de Gestão Maria de Fátima do Nascimento Maria.donascimento@fao.org Ponto Focal Agrinatura Madalena Teles


Catálogo Angola

Cooperativismo no sector agropecuário no município de Cacuaco - Contribuição para a revitalização das economias locais

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agro-indústria e Produção Alimentar

Desenvolvimento Rural

Este é um estudo com âmbito de desenvolvimento das comunidades locais. Pretende-se demonstrar se a representação do cooperativismo influência o desempenho dos membros, o desenvolvimento das cooperativas e o seu impacto na comunidade. Espera-se compreender os mecanismos de funcionamento das economias locais, em particular as iniciativas dos actores sociais e dos decisores públicos que promovem acções para mitigar a pobreza. Desta forma pretende-se desenhar uma estratégia que permita revitalizar as cooperativas, promover o desenvolvimento integral a partir da base (bottom up). Realizar-se-ão trabalhos de campo, entrevistas com base em questionários dirigidos aos membros das cooperativas agropecuárias, em especial as da Comuna da Funda.

128


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O estudo pretende contribuir para a percepção das iniciativas de cooperativismo agropecuário. Visa contribuir para a revitalização das cooperativas de modo que estes sejam capazes de gerar empregos, bens e serviços indispensáveis à segurança alimentar e nutricional. É um estudo que pretende envolver os autores sociais destas comunidades.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 06/2019 a 12/2020

FINANCIAMENTO CNIC

PALAVRAS-CHAVE Comunidades, Cooperativa agropecuária, Cooperativismo, Desenvolvimento, Economia

INOVAÇÃO O estudo propõe publicar conhecimentos sobre a percepção do cooperativismo podendo contribuir para a definição de mecanismos de avaliação da afectação de recursos escassos, empreendedorismo local e a viabilidade económica e social das cooperativas agropecuárias.

PARCEIROS Administração comunal da Funda, Administração municipal de Cacuaco, Centro de Estudos e Investigação em População da Faculdade de Ciências Sociais da UAN

129

Coordenação CNIC Malilo Kaluiji Kayimbo malilokkayimbo@hotmail.com


Catálogo Angola

Criação da fazenda experimental universitária do ISPH com vista a implementação das aulas práticas e ensaios de produção animal e vegetal

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Agro-indústria e Produção Alimentar

O projecto visa a criação de uma fazenda experimental modelo com vista à disponibilização de condições para a implementação das aulas práticas dos estudantes do ISPH e da UMN - Universidade Mandume ya Ndemufayo de forma geral. A fazenda também estará disponível para receber os estudantes finalistas que queiram implementar os ensaios dos seus trabalhos de fim do curso. No presente projecto, far-se-á a aquisição dos meios básicos necessários para o funcionamento de uma fazenda, no que concerne a materiais para a realização das lavouras, equipamentos, sementes, tractor com as suas respectivas alfaias, animais, pequena fábrica de rações, entre outros.

130


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto prevê a criação de uma reserva genética de animais de pequeno porte, a qual ajudará na introdução, conservação, uso e extensão no território de linhas genéticas reguláveis, o que permitirá assegurar uma maior produção de alimentos (fundamentalmente proteína de origem animal) a partir das criações existentes das referidas espécies nas distintas formas de produção da província. O projecto pretende igualmente criar condições para o estudo dos recursos naturais existentes na região como alternativa à alimentação convencional dos animais, como é por exemplo o uso da mandioca na alimentação animal, assim como o estudo dos diferentes sistemas de produção bovina.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2020 a 2021

FINANCIAMENTO Governo Provincial da Huila

PALAVRAS-CHAVE Bovina, Experimental, Fazenda, Genética, Reserva

INOVAÇÃO Este projecto é inovador na medida em que pretende-se: seleccionar e criar uma reserva genética de animais de pequeno porte, a qual ajudará na introdução, conservação, uso e extensão no território de linhas genéticas puras e reguláveis; seleccionar e multiplicar variedades de mandioca adaptáveis às condições edafo-climáticas da zona a ser implantada a Fazenda; avaliar diferentes sistemas de produção bovina para determinar os que melhores resultados apresentam nas condições edafo-climáticas da região em estudo. De um modo geral, com a realização destes estudos estaríamos a valorizar e potenciar os nossos recursos naturais.

Coordenação ISPH João Baptista Zacarias baptista74@yahoo.com.br

PARCEIROS ADRA, Associação de criadores de gado do Sul de Angola, IDA, Serviços de Veterinária 131


Catálogo Angola

Degradação química do solo da Funda

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Ambiente

O solo do tipo vertíssolos da comuna da Funda, na província de Luanda, pode ser afectado pela qualidade da água de rega e pelo uso excessivo de fertilizantes. Neste trabalho avaliou-se a degradação química do solo Vertíssolo do perímetro agrícola da Funda Prédio da comuna em referência. Para o efeito, determinou-se os teores de sais na água de rega e a quantidade de nutrientes no solo. As amostras da água foram recolhidas na Vala de Espanha e foram igualmente recolhidas amostras do solo na camada de 0 a 20 cm. Nas amostras de água determinou-se a relação de adsorção do sódio e a condutividade eléctrica; no solo foram determinados os nutrientes minerais: Ca2+, Mg2+, K+, e Na+ para calcular a soma de bases, além do fósforo (P), alumínio (Al3+) e acidez activa.

132


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Este projecto visa apoiar os agricultores do perímetro da Funda Prédio nos seguintes aspectos: (i) análise química do solo antes da aplicação de fertilizantes para avaliar o grau de suficiência e deficiência de nutrientes na solução do solo; (ii) deposição de resíduos vegetais na superfície do solo, para melhorar a drenagem, a fertilidade e reduzir a evaporação da água; (iii) maneio adequado da água de rega, com teores moderados de sais, para evitar a concentração de sais na rizosfera; (iv) em áreas com concentrações acentuadas de sais, deve-se utilizar plantas tolerantes a sais; (v) promover uma agricultura não dependente dos fertilizantes sintéticos.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 09/2017 a 09/2022

FINANCIAMENTO OGE

PALAVRAS-CHAVE Adubos químicos, Degradação, Sais, Vertíssolos

INOVAÇÃO O projecto é inovador porque poderá proporcionar informações aos profissionais do sector agrário, e à sociedade em geral, sobre os efeitos da qualidade da água de rega e do uso excessivo de fertilizantes na degradação dos solos.

PARCEIROS MINAGRIF, UnIA

133

Coordenação CNIC Domingos Bongue dbongue@hotmail.com


Catálogo Angola

Diagnóstico das principais parasitoses e pragas que afectam as abelhas dos apiários da província do Huambo

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Ciências Animais e Veterinárias

O projecto enquadra-se no âmbito de preservação e conservação da biodiversidade no que tange ao estudo das principais parasitoses que afectam as abelhas da região e que tem seu impacto no desenvolvimento da actividade aquícola. O objectivo geral é diagnosticar as principais parasitoses e pragas que afectam as abelhas da província do Huambo. Mais especificamente, pretende-se: diagnosticar varroose nas abelhas melíferas da província de Huambo; diagnosticar acarapisose nas colmeias de abelhas nos apiários em estudo e diagnosticar a presença da traça da cera em apiários desta província. O presente projecto de investigação científica será baseado fundamentalmente na observação dos favos das colmeias para detectar a presença de larvas das traças da cera e determinar a presença dos ácaros Varroa destructor e Acarapis woodi nas abelhas. O projecto enquadra-se no sector agropecuário para o aumento da produção e qualidade apícola sustentável. 134


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto promove a capacitação dos produtores sobre a importância das abelhas no ecossistema, a sua biologia e protecção, tipos de flora melífera, técnicas de boas prácticas de maneio, normas de higiene de colheita e processamento de mel, pragas e doenças das abelhas, mercado e comercialização. Estas capacitações são realizadas continuamente sempre que haja trabalhos de campo nos apiários dos referidos produtores, através de palestras, workshops, campanhas de sensibilizações usando como suporte físico panfletos e cartazes.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 08/2018 a 08/2021

FINANCIAMENTO

PALAVRAS-CHAVE Abelhas, Apiário, Parasitoses

INOVAÇÃO Em Angola o projecto é inovador, visto que, as últimas pesquisas sobre a temática remontam da década de 60, isto é, na era colonial. À falta de pesquisas nessa área, surgiu a necessidade de realizar um estudo exploratório a respeito da produção de mel e de seus derivados e vem despertando muito interesse em diversos segmentos da sociedade por se tratar de uma actividade que corresponde ao tripé da sustentabilidade. Para que esta sustentabilidade seja realmente efectiva, a questão fitosanitária do sector tem que ser pesquisada, documentado, controlado e monitorado.

PARCEIROS Angola Network-Lda, FCA-UJES, IDF, IIV, MINAGRI

135

Coordenação FMV - UJES Max Vicente maxvicente@hotmail.com maxvicente@usp.br


Catálogo Angola

FRESAN - Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola

ÁREAS DE ACTUAÇÃO

© Rodrigo Subtil / Camões, IP

Desenvolvimento Rural

Segurança Alimentar e Nutricional

O projecto visa contribuir para a redução da fome, pobreza e vulnerabilidade à insegurança alimentar e nutricional, através do fortalecimento sustentável da agricultura familiar, nas províncias do sul de Angola mais afetadas pelas alterações climáticas: Cunene, Huíla e Namibe.

São grupo alvo agregados familiares rurais vulneráveis, com incidência particular nos agregados cujo chefe de família é uma mulher, população rural, raparigas, adolescentes e crianças menores de 5 anos, organizações da sociedade civil, instituições públicas locais, provinciais e centrais.

136


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Reforço sustentável das comunidades rurais, através de metodologias e práticas das escolas de campo, de tecnologias inovadoras e práticas adaptadas e de iniciativas locais para criação de rendimentos e acesso aos mercados; melhoria da nutrição através de transferências sociais (apoio financeiro mediante esquemas de trabalho remunerado, infraestruturas de acesso a águas, diversificação do consumo alimentar); reforço institucional através da coordenação multissectorial e de mecanismos de gestão para a segurança alimentar e nutricional, especialmente nas tutelas da agricultura, nutrição, ambiente, proteção civil e INAMET.

05/2018 a 08/2022

FINANCIAMENTO EU - FED

PALAVRAS-CHAVE Água, Alterações Climáticas, Capacitação Institucional, Resiliência, Segurança Alimentar

INOVAÇÃO O FRESAN pretende reforçar a produção e resiliência da agricultura familiar, num contexto de alterações climáticas, através da valorização de práticas tradicionais, adoção e uso de tecnologias, práticas agroecológicas e soluções inovadoras; pela divulgação de sistemas de conservação de solo e de captação e conservação de água; introdução de culturas adaptadas; apoio à organização dos agricultores, em particular das mulheres; reforço da capacidade de processamento e conservação de produtos alimentares e de gestão e marketing recorrendo a instituições portuguesas especializadas; aplicação de um modelo de governação descentralizado.

Coordenação Camões I.P.

Margarida Madureira Margarida.Madureira@camoes.mne.pt

Matteo Tonini matteotonini.fresan@gmail.com

PARCEIROS Governos Províncias, MINAGRIF, MINAMB Detentores de Interesses: MINSA, MINT, MINTEL Parceiros Técnicos: ANPC, INIAV, IPMA, UPORTO

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO

137


Catálogo Angola

Gestão ecologicamente sustentável de espécies espontâneas de Angola

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Segurança Alimentar e Nutricional

O projecto insere-se no âmbito do controlo integrado de espécies de plantas infestantes nativas de Angola, que competem directamente com as principais culturas de base alimentar da população Angolana, nomeadamente, Milho, Mandioca, Feijão e Soja. A germinação representa uma passagem importante para as plantas perenes, uma vez que apenas as sementes são sensíveis à dispersão de longas distâncias para estas espécies. Melhorar o conhecimento do processo de germinação facilita a estratégia de gestão racional para plantas perenes, visto que os métodos de controlo químico ou mecânico podem ter uma eficácia diferente nas plântulas do que em adultas. O projecto está a ser implementado no município do Sumbe (11 ° 11'42''S, 13 ° 50'51''E, Cuanza Sul, Angola), onde experiências têm sido conduzidas com o objectivo de avaliar o efeito da temperatura, humidade e luminosidade na germinação de sementes.

138


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto desenvolve uma metodologia de controlo sustentável mais eficiente das espécies de infestantes, e recomendações técnicas sobre o tempo de sementeira das culturas de formas a ter melhor produtividade, evitando a competição com as infestantes.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 08/2016 a 08/2020

FINANCIAMENTO CNIC, IBAF-CNR e ISPKS

INOVAÇÃO

PALAVRAS-CHAVE

O projecto é inovador na medida em que permite enfrentar com sucesso o desafio de fornecer uma estratégia de controlo integrado de ervas daninhas livre de fitofármacos químicos que ponham em risco o equilíbrio do ecossistema, a vida humana e animal. Este estudo foca-se nas estratégias de maneio que reduzem o uso de herbicidas, equilíbrio ecológico e aumentam a produção de alimentos. O estudo também fornece novos conhecimentos e abordagens para os camponeses, agricultores e extensionistas.

Controlo de infestantes, Emergência, Erva espontânea, Germinação, Temperatura

PARCEIROS Sem entidades parceiras

139

Coordenação CNIC Adérito Tomás Pais da Cunha aderito.cunha@ciencia.ao


Catálogo Angola

Gestão sustentável dos recursos naturais

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Ambiente

Desenvolvimento Rural

O projecto é uma iniciativa de intervenção comunitária que visa promover iniciativas de produção agro-ecológicas nas comunidades, reforçar a capacidade de integração dos camponeses nos circuitos de comercialização e promoção de actividades de geração de renda agrícola. Pretende-se com o projecto, fortalecer a capacidade e a igualdade de género de 18 associações camponesas e cooperativas para obter uma produção e consumo ambientalmente mais sustentável nas comunas de Sede, Lepi, Chilata e Catabola e Município de Longonjo. A metodologia utilizada para a implementação do projecto é a Escola de Campo do Agricultor (ECA), que consiste na experimentação e aprendizagem a partir dos problemas concretos ligados à actividade agrícola dos produtores, assente no princípio da participação, valorização das experiências e recursos locais, contribuindo para o reforço dos sistemas de produção na óptica da sustentabilidade ambiental. 140


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto pretende contribuir para a valorização do ambiente com a promoção de espaços de reflexão em torno de questões ambientais, introdução dos sistemas agroflorestais nas unidades de produção familiar e instalação de pequenos polígonos florestais. Além disso, pretende promover a capacitação das famílias camponesas com técnicas agro-florestal ecológicas e técnicas de conservação dos solos.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO

INOVAÇÃO

PALAVRAS-CHAVE

O projecto está a contribuir para a minimização do uso excessivo e irracional de fertilizantes químicos promovendo práticas agrícolas ecológicas, tais como o uso da adubação orgânica, adubação verde, introdução de sistemas de produção agroflorestais e fabrico de pesticidas naturais. Estas práticas irão por um lado ajudar a recuperar a fertilidade dos solos, aumentando os níveis de produção e, por outro garantir aos consumidores, produtos mais saudáveis para a dieta. Em adição, permite que as famílias e comunidade rural, se apropriem de conhecimentos científicos, de forma produzir de forma sustentável e económica, garantindo a conservação dos recursos naturais.

PARCEIROS Administrações Municipais e Comunais do Longonjo, EDA

141

01/2017 a 12/2019

FINANCIAMENTO Fórum Syd, Solidariedade Prática da Suécia

Agricultura, Ambiente, Produtores, Recursos naturais, Sustentabilidade

Coordenação ADRA Cidália Odeth Baca Gomes gomesod25@gmail.com


Catálogo Angola

Instalação de banco de germoplasma da palmeira de dendém

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Desenvolvimento Rural

O projecto está a ser desenvolvido em plantações antigas da palmeira do dendém em estado de abandono, concretamente no Bengo, Uíge, Cuanza Sul, Cuanza Norte, Cabinda e Benguela. Este projecto visa apoiar os agricultores na produção deste importante recurso agrícola que serve de fonte de rendimento na zona rural através de técnicas melhoradas de cultivo da palmeira de dendém. Consiste na recuperação de cerca de 300 ha de antigas plantações para a preservação do património genético, através da instalação de 4 bancos de germoplasma. Incidirá na produção de sementes híbridas a partir de material genético de origem nacional. Pretende-se assim, o relançamento da investigação e experimentação da cultura da palmeira do dendém que terá um impacto directo no aumento da produção de óleo de palma e derivados. Os bancos de germoplasma servirão de igual forma para a realização de diversos estudos e ensaios. 142


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO A capacidade de produção de óleo por hectare, a pouca exigência agrotécnica, bem como a versatilidade no uso do óleo de palma, facilitam a sua inserção nos sistemas de produção praticados pelas populações rurais. É deste modo que podemos encontrá-la em extreme, ou na maior parte das vezes, consociada com outras culturas, sobretudo com o café, nas principais regiões cafeícolas do país.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO

INOVAÇÃO

PALAVRAS-CHAVE

O projecto propõe uma nova solução para o problema de conservação de germoplasma de palmeira de dendém, pois Angola é dos poucos países da região onde existem ainda palmares naturais.

Banco de germoplasma, Estudos, Híbridas, Palmeira de dendém, Variabilidade genética

2019 a 2024

FINANCIAMENTO OGE

Coordenação INCA Vasco António Joaquim Gonçalves vascogon2003@yahoo.com

PARCEIROS CENIPALMA, CNRA, CRF-UAN, IOPRI, MESCTI, MINAGRIF, MPOB

143


Catálogo Angola

IRCEA - Integração da resiliência climática nos sistemas de produção agrícola e agropastoril através da gestão da fertilidade de solo em áreas produtivas e vulneráveis usando a abordagem de escolas de campo

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Ambiente

O Projecto IRCEA visa contribuir para o fortalecimento da resiliência ao clima dos sistemas de produção agropecuários em áreas vulneráveis chave nas províncias do Bié, Huambo, Malanje e Huila. Tem como objectivos especificos a integração da adaptação às alterações climáticas (CCA) nas políticas agrícolas e do sector do ambiente; e o reforço das capacidades e promoção da CCA através de fertilidade do solo e da gestão sustentável de terras (SLM) usando a abordagem de Escolas de Campo (ECA). A estratégia do projecto IRCEA assenta em quatro componentes principais: (1) fortalecimento do conhecimento e a compreensão da vulnerabilidade e da adaptação às alterações climáticas; (2) expansão das melhores práticas de CCA/ SLM através das ECAs; (3) integração da CCA nas políticas e programas dos sectores agrícola e ambiental e (4) monitoria e avaliação.

144


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Espera-se que com o projecto IRCEA promova o reforço do conhecimento e da compreensão sobre a vulnerabilidade e adaptação às alterações climáticas, assim como, a introdução e expansão das práticas melhoradas de adaptação as alterações climáticas através das Escolas de Campo. Além do mais, o projecto permitirá a integração dos conceitos e metodologias da adaptação as alterações climáticas nas políticas e programas dos sectores da agricultura e ambiente.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 10/2016 a 09/2021

FINANCIAMENTO GEF

PALAVRAS-CHAVE Resiliência, Alterações climáticas, Agropecuária, Capacitação

INOVAÇÃO O projecto é inovador na medida em que utiliza uma metodologia participativa de capacitação baseada nos princípios da educação de adultos, que permite o empoderamento dos camponeses através do conhecimento e fortalecimento das suas capacidades para que sejam “técnicos” nas suas próprias lavras. Permite assim, a partir dos seus conhecimentos e experiências melhorar as práticas culturais, gestão dos animais e dos ecossistemas. Através de técnicas experimentais e participativas os camponeses aprendem a fazer melhor uso dos recursos disponíveis.

PARCEIROS MASFAMU, MINAGRIF, MINAMB

145

Coordenação FAO João da Costa Vintém Joao.Vintem@fao.org


Catálogo Angola

Levantamento etnofarmacológico das potencialidades terapêuticas das plantas de Malanje

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Ciências Biológicas

Concebeu-se o projecto com o objectivo de identificar e avaliar etnofarmacológicamente as plantas com potencial terapêutico existente em Malanje. Pretende-se aferir as enfermidades tratadas tradicionalmente por tais plantas, descrever as formas de administração de uso tradicional, os métodos mais usados na preparação de extractos e identificar metabólitos activos. Empregar-seá a metodologia definida pela OMS (2016) que estabelece a estandardização farmacognóstica para a validação de plantas medicinais de uso tradicional.

146


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO A materialização do presente projecto abre caminho no longo processo que poderá culminar com a validação científica de conhecimento tradicional local sobre plantas medicinais, e contribuirá para o aumento da literacia das populações sobre o assunto e, consequentemente ajudar a mitigar as complicações advindas do uso indiscriminado das mesmas.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2019 a 2021

FINANCIAMENTO ISPM

INOVAÇÃO A validação dos efeitos farmacológicos através da caracterização do perfil químico, realização de bio-ensaios, e estudos de biotecnologia/farmacognosia são ainda escassos em Angola. Este projecto permitirá a identificação de plantas com potencial terapêutico, classificação do ponto de vista botânico e identificação fitoquímica preliminar dos seus constituintes. É o primeiro passo no conjunto de acções necessárias para construção de uma base científica sobre a problemática das plantas medicinais, e poderá servir de suporte para projectar a implantação de um herbário na província de Malanje, bem como para a elaboração de projectos alicerçados em modelos experimentais de doença (in vivo, in vitro, ex-vivo) visando a validação do rico conhecimento empírico detido pela população, assegurando-se da identificação dos efeitos tóxicos, efeitos secundários, interações, contra-indicações, mutagenicidade, dentre outros, contribuindo assim para disponibilização de informação técnica credível sobre as plantas medicinais de Malanje, e assim garantir a qualidade, eficácia e segurança no uso das mesmas.

PARCEIROS CB-UAN 147

PALAVRAS-CHAVE Etnofarmacologia, Fitoterápicos, Plantas medicinais

Coordenação ISPM Eduardo Ekundi Valentim ispmalanje@gmail.com


Catálogo Angola

Mitigação do efeito da erosão do solo na cidade do Luena: contenção de ravinas e gestão sustentável dos solos

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Segurança Alimentar e Nutricional

Pretende-se com este projecto apresentar as atividades que estão a ser desenvolvidas para mitigar o impacto da erosão hídrica, ocasionada pelas frequentes precipitações, que afecta a população e as infraestruturas públicas ao redor da cidade do Luena. Para tal, foram utilizados os seguintes métodos: (i) mecânico - construção de taludes em terra (aterro), de valas e canaletas; (ii) biológico - diversificação de práticas agrícolas com a plantação em contorno de árvores agroflorestais e alimentares para garantir a disponibilidade de alimentos para uma população em crescimento e reduzir o impacto da gota de água sobre o solo. O projecto pretende ainda promover a educação ambiental da população, através da sensibilização da população na redução de queimadas.

148


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto promoveu a partilha de conhecimento e sensibilização da estrutura governamental e da sociedade civil sobre o impacto nocivo do fenómeno da erosão do solo, redução de queimadas e do uso sustentável dos recursos florestais, pedológicos e hídricos. Este projecto promoveu a educação ambiental através de palestras de sensibilização para desincentivar a população à prática de queimadas florestais e enquadramento de jovens ao primeiro emprego. Visa a redução da fome e da pobreza.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO

INOVAÇÃO

PALAVRAS-CHAVE

O projecto é inovador pois permitiu a implementação na zona de obras de construção de taludes (aterro), de valas e canaletas para correção torrencial das águas pluviais, assim como a plantação em contorno da cobertura vegetal para a mitigação dos efeitos de intensa atividade erosiva na zona, a montante e a jusante das linhas de água. Além disso, é inovador pois introduziu educação ambiental no seio da população local sobre a redução de incêndios florestais e sensibilização para a diversificação de práticas agrícolas, plantação da cobertura agroflorestal e alimentar para reduzir o impacto da erosão hídrica.

Agricultura, Biodiversidade, Clima, Erosão, Mitigação

PARCEIROS CNIC; Direcção Provincial da Agricultura; Direcção Provincial de Desenvolvimento Florestal; Direcção Provincial de Obras Públicas e Urbanismo; Direcção Provincial do Ambiente; DNELIID; Governo Provincial do Moxico; Empresa 7 CUNHAS; Luena-Rega, S.A.; Sociedade Gestora do Perímetro Irrigado, S.A.; UAlg 149

07/2014 a 04/2018

FINANCIAMENTO BMBF, MESCTI, SASSCAL, UHH

Coordenação CNIC João Carlos Ferreira ferreirarusso1965@gmail.com


Catálogo Angola

MOSAP II - Projecto de desenvolvimento da agricultura familiar e comercialização (SADCP)

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Desenvolvimento Rural

O MOSAP II é um projecto que pertence ao MINAGRIF e é implementado pelo IDA por meio de uma Unidade de Implementação do Projecto. É um projecto cujo objectivo é contribuir para o aumento da produção e produtividade das explorações agrícolas familiares e na comercialização da sua produção, através do reforço das ligações com o mercado, contratos agrícolas e construção de instalações de agronegócio. O projecto vai apoiar as organizações de produtores familiares (cooperativas, associações, ECAs), que se encontram na área geográfica das províncias do Huambo, Bié e Malanje. O projecto abrange assim 25 municípios e 80 comunas. Este projecto vai fomentar a produção das culturas de milho, mandioca, batata rena, feijão e horticultura. Tem as seguintes metas de produção: mandioca 505 mil toneladas, milho 105 mil toneladas e 21 mil toneladas de feijão.

150


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto visa a melhoria das condições económicas e sociais das famílias camponesas com base no rendimento das produções. Pretende-se também fomentar a disseminação de tecnologia para o aumento da produtividade e produção agrícola e partilhar o interesse comum no desenvolvimento da agricultura de pequena escala. Até ao ano de 2021 serão cerca de 175 mil famílias beneficiárias do projecto.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 09/2016 a 12/2021

FINANCIAMENTO Banco mundial, Beneficiários (comparticipação), Governo de Angola

PALAVRAS-CHAVE Capacitação, Comercialização, Investigação, Organização comunitária, Produção

INOVAÇÃO O projecto é inovador porque procura introduzir nas comunidades através das escolas de campo recomendações de fertilização, aplicação de corretivos, produção de sementes básicas, bem como a sua multiplicação pelas comunidades.

PARCEIROS ADPP, Consórcio CESO/IMFV, FAO, IIA

151

Coordenação IDA Maria Júlia Vaz Grave vazgrave@hotmail.com


Catálogo Angola

Obtenção de plantas tolerantes à seca nos solos da província do Cunene por mutação induzida com raios gama

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Segurança Alimentar e Nutricional

Com o presente trabalho pretende-se implementar um programa de melhoramento genético das principais culturas alimentares da região do Cunene, de modo a obter-se plantas com melhor fitness agronómico, mais resistentes ou tolerantes ao stresse hídrico. O objectivo geral do projecto passa por obter plantas alimentares e protectoras do ambiente com sistemas radiculares mais robustos e eficientes na extracção de água do solo. Pretende-se identificar as principais culturas de interesse agronómico e ambiental, recolher as suas sementes e conservá-las em banco de germoplasma. Destas sementes irão seleccionar-se 100 de cada cultura e expô-las à radiação gama (mutação induzida com raios gama no valor de 20 Gy/h). Desta forma, permitirá seleccionar as plantas mutantes, e com maior desenvolvimento radicular, acondicioná-las às condições de laboratório, realizar a sua propagação in vitro e selecção; e por fim verificar a sua adaptação às condições edafo-climáticas da região do Cunene, localidades do Evale, Ombala Yo Mungu e Mukov. 152


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO A província do Cunene (Sul de Angola) tem um clima semi-árido, com precipitação irregular. Nos últimos anos, a seca devastou a província, provocando enormes prejuízos no sector agrícola, graves carências de alimentos e problemas nutricionais nas populações residentes das comunas do Evale, Ombala yo Mungu e Mukope. O problema acentua-se ainda mais pelo facto de a população local não possuir água para consumo e para o gado. É necessário intervir de forma a mitigar os efeitos da estiagem que assola mais de 5 mil famílias. Este projecto permitirá incrementar a produção agrícola, melhorar a agricultura de sequeiro e estender o período de produção. Além do mais, permitirá a criação de emprego rural, aumentar o rendimento dos camponeses, mitigar a escassez de alimentos, redução da fome, pobreza e êxodo rural.

INOVAÇÃO Este projecto é uma solução inovadora para um problema cíclico, através da introdução de novas culturas e variedades, mais resilientes ao défice hídrico e ricas organoleticamente, utilizando pela primeira vez o método de melhoramento genético por mutação induzida com raios gama. Logo, acredita-se que o projecto poderá minimizar a carência de nutrientes e a introdução de novas tecnologias e meios de produção inovadores a um contexto de baixo emprego de tecnologias e de variedades melhoradas.

PARCEIROS CCSM/IAC, Governo da Província do Cunene, IDA, IIAA, INRH 153

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 01/2017 a 12/2019

FINANCIAMENTO AIEA, MESCTI

PALAVRAS-CHAVE Défice hídrico, Melhoramento genético, Mutação, Sustentabilidade ambiental, Raios gama

Coordenação CNIC


Catálogo Angola

Organização do maneio reprodutivo do gado de corte nas estações zootécnicas do IIV

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Ciências Animais e Veterinárias

Angola está a empenhar esforços no sentido de se efectivar a produção de sémen, no Waco–Kungo , a partir do centro de inseminação artificial e de outros lugares. Contudo o maneio no gado de corte é 100% extensivo. Este tipo de maneio não facilita a multiplicação nem a implementação da inseminação artificial (i.a.), sendo difícil prever e programar os nascimentos para um determinada época. Além do mais, o rebanho não cresce, ocorre regressão da manada devido à consanguinidade e não existe um melhoramento genético. Assim sendo, o projecto propõe a realização de um trabalho prático de organização de maneio reprodutivo no gado de corte para multiplicação do efectivo bovino e posterior implementação da inseminação artificial como ferramenta para o melhoramento genético dos animais.

154


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto pretende contribuir na multiplicação do rebanho nacional de bovinos e pequenos ruminantes, para o aumento da carne no mercado nacional. Deste modo, aumentando a oferta melhora o preço da procura. Além disso o projecto pretende ajudar o país a poupar divisas na importação de carne bovina, e dos pequenos ruminantes. Os resultados servirão para a demostração das melhores formas de maneio tanto nutricional como reprodutivo, aos criadores familiares, empresariais, associação de criadores de animais, cooperativas e outros.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2019 a 2022

FINANCIAMENTO IIV, MINAGRIF

PALAVRAS-CHAVE Estação de monta, Época de reprodução, Multiplicação

INOVAÇÃO O projecto é inovador na medida em que adopta uma nova tecnologia nomeadamente a implementação da estação de monta ou época de reprodução ou ainda mais reprodução dirigida.

Coordenação IIV Alberto Anzol Beneguer anzol_be@yahoo.com.br

Kinsukulu Landu Kama ladukama@gmail.com

PARCEIROS ECT, IDA, IIA, ISV

155


Catálogo Angola

PAI - Projecto agropecuário inclusivo

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Desenvolvimento Rural

Segurança Alimentar e Nutricional

O Projecto PAI pretende contribuir para o fomento agropecuário e horto-frutícolas dotando os grupos minoritários indígenas San de Angola. Pretende-se habilitar essas comunidades caçadoras e recolectores de conhecimentos agrícolas, pecuários para a inclusão social produtiva com base em recortes teórico-metodológicos determinados pelas ciências sociais e agronómicas. O projecto tem carácter mais técnico e prático e está voltado para três unidades de produção de hortaliças, fruticultura e agropecuária por meio de distribuição de animais de pequeno porte e gado de tracção para fomento de agroecologia e de biofertilizantes. O objectivo do projecto é capacitar 100 Famílias dos grupos vulneráveis San, com uma intervenção em determinada realidade rural, procurando melhorar a qualidade de vida das crianças, mulheres grávidas e idosos das comunidades do Jamba Cueio, Capico e Mucundi, comuna do Caiundo, município de Menongue, província do Cuando Cubango. 156


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto pretende fomentar a agricultura familiar para garantir o acesso a alimentos frescos, saudáveis em quantidade e qualidade desenvolvendo práticas e hábitos de produção de hortaliças e frutas no seio de 100 famílias das comunidades indígenas San de Angola. Além disso, também visa ampliar o fortalecimento da segurança alimentar e nutricional nas comunidades participantes.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO

INOVAÇÃO

PALAVRAS-CHAVE

O projecto PAI aplicará técnicas sustentáveis de criação de hortas comunitárias com recurso a sementes de alto rendimento, utilizando biofertilizantes ecológicos e irrigação gota-a-gota. Terá como suporte campanhas de consciencialização, mobilização e educação comunitária para a prática de culturas de alto rendimento, utilização de sementes tolerantes à seca e boas práticas de irrigação a baixo custo. Além da gestão e prevenção de catástrofes, que visam contribuir para a inclusão social e produtiva das comunidades que vivem nos arredores das zonas propensas aos eventos naturais, estimula também acções de educação, empreendedorismo, melhoria da alimentação e qualidade de vida. Irá promover o resgate da cidadania por meio do trabalho e capacitação. O PAI irá apoiar a formação de parcerias multissetoriais, envolvendo o Gabinete Municipal de Agricultura, ONGs com experiência em matéria de hortas comunitárias, Lideranças Religiosas, Associações e Lideranças Comunitárias.

Agroecologia, Empoderamento, Inclusão social, Qualidade de vida, Sustentabilidade

PARCEIROS MASFAMU, MINADEF, CARITAS 157

11/2019 a 10/2021

FINANCIAMENTO

Coordenação MBAKITA Elisa Manuel Correia mbakita.comunicaçao@gmail.com


Catálogo Angola

Produção de pesticidas naturais a partir de plantas aromáticas e medicinais

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Segurança Alimentar e Nutricional

O projecto tem o âmbito da protecção integrada de pragas e como metas procurar meios de controlo alternativos, ecológicos e eficientes com o intuito de reduzir o uso de fitofármacos de síntese químicos na horticultura, e minimizar os impactes ambientais e na saúde dos consumidores. A sua metodologia passa pela extração de componentes activos de plantas aromáticas e medicinais, elaborar uma solução de pesticida que posteriormente será testado em diferentes doses. Avaliar a taxa de sobrevivência e de mortalidade das pragas-alvo; determinar a produtividade das culturas após tratamento com diferentes soluções de pesticidas vegetais. As áreas de implementação são: Zona agrícola do Cuanza Sul e de Luanda. Os grupos alvos são insectos, ácaros e lesmas

158


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Uma vez que os insecticidas de síntese química são muito caros e nocivos ao ambiente, com este projecto pretende-se desenvolver fitofármacos de baixo custo, de base ecológico e de baixo espectro de acção. Uma vez concluída, a metodologia será difundida aos pequenos agricultores, com a perspectiva de minimizar os impactos das pragas e aumentar a produtividade das culturas e o rendimento das famílias camponesas.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2017 a 2021

FINANCIAMENTO CNIC, Governo de Angola, ISPKS

PALAVRAS-CHAVE Extractos aquosos, Insecticidas naturais, Pesticidas, Plantas medicinais, Protecção Integrada

INOVAÇÃO O projecto é inovador na medida em que produz um fitofármaco de baixo custo e eficaz, cuja matéria-prima é de síntese natural. É uma solução para reduzir as perdas de produção, (considerando que 50% das perdas são causadas por insectos). Projectos do género são raros em Angola, e poderá contribuir para o desenvolvimento de novos produtos fitofármacos, o conhecimento das propriedades químicas das plantas e o aumento de rendimento da agricultura familiar.

PARCEIROS CNR di Padova e di Bari (Italia)

159

Coordenação CNIC Adérito Tomás Pais da Cunha aderito.cunha@ciencia.ao


Catálogo Angola

Promoção do carvão vegetal sustentável sobre uma abordagem de cadeia de valor em Angola

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Ambiente

Floresta

O projecto visa formar as comunidades rurais e capacitar os técnicos do IDF em matéria de gestão sustentável dos recursos naturais com realce nas florestas. Este projecto está sendo implementado nos sectores de Cachindongo, comuna de Cuima, município da Caála e no sector de Bonga, comuna de alto-Hama, município de Londuimbali, ambos da Província do Huambo. No que diz respeito à componente de capacitação do projecto, participam técnicos do IDF e do MINAMB das seguintes províncias: Luanda, Cuanza Sul e Norte, Uíje, Namibe, Benguela, Bié, Huambo, Kuando Kubango. As formações e as capacitações estão subdivididas em vários módulos, organizados de forma sistemática, privilegiando sempre três aspectos: aulas teóricas, práticas e visitas de campo.

160


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O potencial do projecto é preservar o meio ambiente, mediante sensibilização do grupo alvo, minimizar o abate de árvores que servem para a produção de carvão e introdução de fornos melhorados, valorização dos produtos florestais não madeireiros com realce a produção de mel e seus derivados, bem como, a promoção de uma cadeia de valor para a colheita, conservação e comercialização de frutos silvestres nas zonas de estudo. Igualmente, o projecto pretende dinamizar e promover a produção de briquetes no corredor Huambo-Luanda.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 09/2016 a 09/2022

FINANCIAMENTO GEF, PNUD

PALAVRAS-CHAVE Capacitação, Carvão, Comunidades rurais, Sustentabilidade

INOVAÇÃO O projecto é inovador na medida em que introduz nas comunidades novas ferramentas eficientes, desde o ponto de vista económico, social e ambiental. Por outro lado, minimiza as dificuldades relacionadas com as doenças respiratórias agudas, mediante a introdução de chaminés que reduzem a inalação da fumaça produzido na combustão do carvão e da lenha.

Coordenação FCA-UJES Abílio Santos Malengue abmalengue@gmail.com UCO David Ariza Mateo b42armad@uco.es

PARCEIROS MINAMB

161


Catálogo Angola

RETESA - reabilitação de terras e gestão das áreas de pastagem nos sistemas de produção agro-pastoril de pequenos produtores no Sudoeste de Angola

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Ambiente

Desenvolvimento Rural

O consumo dos pastos que surgem após as primeiras chuvas, por parte dos animais, faz com que os pastos não consigam desenvolver um sistema radicular adequado que lhes permita sobreviver durante o período seco do ano. Como consequência das alterações climáticas estes períodos tendem a ser cada vez mais longos. Associado também à gestão inadequada dos ciclos de pastagem dos animais, como por exemplo o pastoreio livre que ocorre em Angola, tem levado à maior degradação dos pastos. Pretende-se assim com o projecto mitigar o impacto dos processos de degradação do solo e reabilitar as terras degradadas através da integração de tecnologias de Gestão Sustentável da Terra (GST) em iniciativas de desenvolvimento agropastoril e agrícola. Simultaneamente, tem-se como objectivo melhorar a subsistência das comunidades alvo, introduzindo abordagens de GST adaptadas localmente para o fortalecimento e diversificação das cadeias de valor animal, agrícola e de produtos não agrícola e pecuários. 162


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Através da abordagem de Desenvolvimento Territorial Negociado Verde (GreeNTD), que integra disciplinas como a sociologia, ecologia, agropecuária, entre outras, consegue-se estabelecer acordos para a gestão melhorada dos bens comuns, de uma forma organizada e monitorada. Através destas metodologias participativas foi possível reabilitar mais de 750 hectares de pastagens, estabelecer cerca de 30 000 hectares de áreas de reserva de pastagens (mise en défense) e reabilitar 28 pontos de água.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2014 a 2018

FINANCIAMENTO GEF

PALAVRAS-CHAVE

INOVAÇÃO O projeto introduziu várias inovações ao nível dos mecanismos de tomada de decisão para a gestão participativa e negociada de áreas de pastagem. Permitiu a criação de áreas de reserva ou, mise en defense, livres de pastoreio durante a época de chuvas conseguido mediante a introdução da abordagem GreeNTD, no Sul de Angola. Esta abordagem tem por objectivo que os diferentes actores interessados num ou vários recursos (neste caso o pasto) cheguem a um acordo (pacto social territorial) para implementar um mecanismo de gestão melhorada desse recurso de uma maneira participativa e negociada entre todos os actores.

PARCEIROS Governos das províncias de Namibe, Huila e de Benguela, MINAMB, MINAGRIF

163

Agro-pastoril, Degradação do solo, Gestão sustentável, Pastagem, Reabilitação

Coordenação FAO Txaran Basterrechea Txaran.Basterrechea@fao.org


Catálogo Angola

Tecnologia de produção agrícola para a alimentação humana e animal no município da Humpata, província da Huíla, Angola

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Segurança Alimentar e Nutricional

Actualmente uma das maiores premissas sociais é satisfazer as necessidades alimentares crescentes da população. Para isto é necessário a introdução de novas tecnologias para a produção agrícola tendo como objectivo, fomentar uma área de produção agrícola que permita o desenvolvimento de diferentes culturas que sirvam para a segurança alimentar da população e aporte a alimentação do gado numa fazenda do Município da Humpata. Para tal, serão identificados os factores bioprodutivos para produção agrícola que influem na produtividade das diferentes culturas, assim como serão caracterizadas fazendas e tecnologias de produção agrícola para o incremento produtivo das culturas. Também serão capacitados os produtores e estudantes envolvidos no projecto, para assim fomentar a produção nas áreas agrícolas empregues e assim permitir o desenvolvimento de diferentes culturas para a segurança alimentar da população e alimentação do gado na fazenda acima referenciada. 164


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto visa fortalecer a formação e actualização dos recursos humanos da fazenda no que tange ao emprego das tecnologias de cultivo que permitam alcançar maior rendimento das diferentes culturas. Este projecto permitirá o desenvolvimento de estudos técnico-científicos no âmbito de graduações e pós-graduações, abrangendo estudantes e professores na especialidade de Agronomia. Os resultados obtidos serão demonstrados através de relatórios técnicos, trabalhos de fim de curso, teses de mestrado e doutoramento, assim como em eventos científicos, conferências e artigos científicos.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2020 a 2022

FINANCIAMENTO Governo Provincial da Huila

PALAVRAS-CHAVE Agrícola, Alimentação, Fazenda, Produção, Tecnologia

INOVAÇÃO O projecto é inovador na medida em que permitirá seleccionar e multiplicar variedades de mandioca adaptáveis às condições edafo-climáticas da zona onde será implantada a Fazenda. Além disso, com a realização destes estudos estaríamos a valorizar e potenciar os nossos recursos naturais.

PARCEIROS ADRA, Associação de criadores de gado do Sul de Angola, IDA, Serviços de Veterinária

165

Coordenação ISPH Rodrigues de Oliveira Major oliveiraady2014@gmail.com


Catálogo Angola

Tecnologias de reprodução do cafeeiro

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Desenvolvimento Rural

O projecto visa o melhoramento da economia dos municípios e comunas onde existam produtores de café robusta. As actividades do projecto serão realizadas nas províncias do Cuanza Sul, Uíge, Cuanza Norte e Bengo. A metodologia do trabalho passa pela selecção de 100 plantas em cada região, a colheita de estacas, a preparação de propagadores, a aquisição de estimulantes para o enraizamento das estacas, o enviveiramento, a preparação do terreno e a instalação do jardim de produção de estacas, a instalação de ensaios multilocais através do esquema de mistura de clones, a distribuição de mudas produzidas a partir dos clones e/ou também de estacas enraizadas para enviveiramento. O projecto constituirá um indicador de crescimento importante, podendo influenciar no sistema tributário local para o aumento das receitas, empregos e diminuição da pobreza.

166


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO O projecto visa estudar e melhorar o material vegetal a distribuir aos cafeicultores, como também dotá-los de conhecimentos na utilização de tecnologias de reprodução de plantas (estaquia). Além disso, irá possibilitar o aparecimento de empresas agrícolas que produzam material certificado. O ponto de partida será a selecção de plantas com alto potencial produtivo, cloná-las e tornar os seus descendentes como plantas com igual ou melhor potencial produtivo.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 2019 a 2024

FINANCIAMENTO OGE

PALAVRAS-CHAVE Cafeeiro, Melhoramento Genético, Reprodução, Tecnologia

INOVAÇÃO A inovação deste projecto prende-se com a introdução da tecnologia de reprodução vegetativa por estacas. Com a introdução deste método haverá a diminuição do tempo de entrada em produção do cafeeiro, haverá maior uniformidade na entrada em produção influenciando no aumento da qualidade, rendimento de café por hectare, o que vai permitir que as famílias se sintam mais seguras a produzirem o café e consigam sobreviver das receitas geradas com a venda deste.

PARCEIROS CRF-UAN, MESCTI, MINAGRIF

167

Coordenação INCA Pascoal Miranda pmiranda.angola@sapo.ao


Catálogo Angola

VirFree - Viveiros de fruteiras isentos de vírus

ÁREAS DE ACTUAÇÃO Agricultura e Ciências Agrárias

Agro-indústria e Produção Alimentar

O projecto tem como principais objectivos a identificação de novas estirpes ou espécies de vírus e viróides que afectam fruteiras e videiras; optimizar os métodos existentes e desenvolver novos métodos de detecção, melhorar os métodos de propagação e saneamento para produzir material vegetal de alta qualidade (testado por vírus) de fruteiras e videiras. Pretende combinar as ferramentas de diagnóstico actualmente usadas nos esquemas de certificação com tecnologias de ponta, como New Generation Sequence (NGS) e Nanobodies. Será implementado em: Angola, África do Sul, Espanha, França, Grécia, Itália, Turquia, China.

168


Projectos

POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO Formação de uma nova geração de investigadores para atender às necessidades dos sectores industrial e académico. Enriquecer o conhecimento sobre vírus e viróides associados a diferentes doenças. Reduzir os impactos das doenças virais e viróides associados, melhoria do material propagativo a ser disseminado aos viveiristas e agricultores e consequente aumento da produtividade de frutícola.

DATAS DE IMPLEMENTAÇÃO 01/2017 a 12/2020

FINANCIAMENTO H2020

PALAVRAS-CHAVE

INOVAÇÃO Melhorar a sensibilidade dos métodos de detecção e o desenvolvimento de novos métodos e produtos de diagnóstico e de detecção.

Certificação, Detecção, Diagnóstico, Virfree, Vírus

Coordenação Nacional Adérito Cunha aderito.cunha@ciencia.ao

PARCEIROS Consiglio Nazionale delle Ricerche di Bari, ISPKS, Laboratory of Plant Pathology, Aristotle University of Thessaloniki (Greece), Istituto per la Protezione Sostenibile delle Piante, CNR (Italy), Institut de Biologie Moleculaire des Plantes, CNRS (France), Institute of Molecular Biology and Biotechnology, FoRTH (Greece), Mustafa Kemal University (Turkey), Namik Kemal University (Turkey), Instituto Valenciano de Investigaciones Agrarias (Spain), University of Basilicata (Italy). AGRITEST S.r.l (Italy), Beta Fidan (Turkey), BIOREBA AG, REINACH (Switzerland), Fitotechniki -XILOGIANNIS BROS UN.CO. (Greece), Lifesequencing, S.L. (Spain) 169

Coordenação Internacional Universidade de Aristóteles de Salónica Varvara Maliogka vmaliogk@agro.auth.gr


Qualquer dúvida ou questão, contacte-nos através de geral@inovisa.pt ou info@skanplatform.org


Profile for INOVISA

Catálogo ID&I Angola | Competências e Projectos  

Este catálogo pretende sistematizar informação sobre competências de investigação, desenvolvimento e inovação (ID&I) das universidades e ins...

Catálogo ID&I Angola | Competências e Projectos  

Este catálogo pretende sistematizar informação sobre competências de investigação, desenvolvimento e inovação (ID&I) das universidades e ins...

Profile for inovisa
Advertisement