Page 1


06 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


Ă­ndice e equipe

| 07


08 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


nota da editora

Olá, hello, ciao, hola, namaste,

hallo,

bonjour,

merhaba e muito mais, se eu falasse todos os idiomas. Globalização... Uma palavra que gera muitas discussões a favor e contra. Os “tradicionais” lutam para manter seus costumes e cultura, e aqueles que conseguem ver além do horizonte

frente

entendem

que

aos é

seus um

olhos,

processo

irreversível e muito benéfico, quando bem direcionado. Seria uma “heresia” abrir a mente para além de nossas fronteiras ou uma visão privilegiada e inteligente? Como a Second Life pode ser uma ferramenta para a Globalização e o que temos obtido dessa experiência? Somos uma tribo ou o universo é pequeno demais para quem vê o infinito como seu lar? Nesta edição eu discuto as questões entre povos, o que tornou o mundo tão

| 09


pequeno e a sua relação com a Second Life. O que podemos extrair de bom disso tudo? Em uma edição repleta de cultura, ideias e diferenças, apresentamos designers e criadores de vários países, suas idéias e contribuições, com o destaque para Zaara Kohime, uma indiana que trouxe beleza e tradição para a SL, com sua moda étnica e rica. Mais designers, criadores e talentos enriquecem e te convidam a ler a InnerWorld deste mês. Saiba mais sobre Camilla Yosuke da Insolence e Suelen Almodovar que criou a Mata Atlântica. Patou Dumont e Teagah Beck e machinima, e muito mais. A diversão continua com a arte e humor de Geppex McCaw. Moda em tatoos incríveis e sensuais; o Top 5 dá a dica de óculos de sol charmosos. E a viagem continua com TP para Emvee Cuba! Certamente será uma volta ao mundo! Beijos Doces Ananda Valeeva Editora-Chefe

10 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


desafio da capa

E chegamos a mais uma edição que nos revela o quão maravilhoso é ter ao nosso alcance milhares de outras culturas dentro do Second Life, o contato com pessoas

de

outros

países

e

nos

apaixonarmos por culturas diferentes. Zaara Kohime é um exemplo com sua moda inspirada na Índia em peças únicas em beleza e riqueza de detalhes. Além de tudo, seu avatar é belíssimo e logo a imaginei na capa. A idéia tomou consistência e pensei... Ela TEM que ser a capa para a edição de Globalização! Não havia outra possibilidade. O desafio da capa consiste em relatar os processos e dificuldades que eu teria ao criar a capa da edição, mas onde é que estão essas tais dificuldades? Fiz um esboço da capa utilizando uma das fotos que tirei de Zaara em uma visita à loja, Ananda aprovou! Marcada a sessão de fotos na sede da revista, eu já tinha em mente exatamente o que precisava.

| 11


Quando criei o logotipo junto com Ananda, o criei dourado, porém com a flexibilidade de poder mudá-lo de cor para melhor se adaptar ao conteúdo da capa. Foi o que aconteceu na edição de número 2, onde foi rosa por conta do Relay for Life; e conforme aconteceu na edição de número 3, com verde e rosa, por conta de Torley Linden. Usei um dos tons de azul muito usado por Zaara em suas criações, assim como o vermelho escuro. A foto em close de seu rosto dá conta de fechar a beleza e simplicidade da capa. Arte, simplicidade e elegância, em uma capa que adorei ter criado para vocês. Espero que gostem, Thereaver Barrymore Diretora de Arte

12 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


16 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


matéria da capa: globalização

| 17


Você poderia imaginar um mundo sem Internet, telefone ou TV? Isso era real não há muito tempo atrás. Este processo tem sido discutido por economistas e não somente em ciências sociais. É realidade que pessoas no mundo têm sido unificadas em uma sociedade ou ao menos muitas delas. Este processo de integração é uma combinação de uma incrível variedade de áreas e um meio de remover barreiras entre fronteiras. O ritmo da Globalização acelerou e ampliou a integração de culturas e do complexo sistema global de produção. O impacto dessa influência global alterou o mundo permanentemente, para ambos, o melhor e o pior. Este processo de homogeneização é importante e trás a harmonização da propriedade intelectual. A globalização cultural trouxe um incrível progresso guiado pela tecnologia da comunicação e o marketing mundial, mas algumas pessoas defendem sua singularidade e identidade e não aceitam facilmente tais mudanças. Podemos celebrar a globalização como um modo de melhorar muitas áreas como: Informação, que flui entre locais remotos geograficamente; Idiomas, que podemos aprender, incluindo o mais popular, Inglês; Ecologia, na qual a cooperação internacional pode ajudar muito na situação dos desafios no meio ambiente global; Cultural, o contato entre diferentes culturas torna a vida mais rica, aumenta a conscientização e propaga a difusão cultural, os produtos estrangeiros e ideias para criar uma “cultura mundial”. Naturalmente muitas pessoas querem manter suas tradições e identidade, o que é muito importante, já que essa nova “cultura” pode ser perigosa e talvez suplante a cultura local. Entretanto, globalização também

18 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


Londres

| 19


significa transformação da cultura,

Meditação tem sido uma prática

multiculturalismo e melhor acesso

sagrada por séculos na mesma cultura

individual à diversidade cultural. Esta

Indiana. Antes da globalização o

pode ser uma forma maravilhosa para

mundo não meditava ou praticava Yoga

promover a paz e compreensão entre os

e assim há tantos costumes aprendidos

povos.

de várias outras culturas. Como no artigo “Globalização”, da National

Bem, é fato que o desenvolvimento de

Geographic, Erla Zwingle diz “Quando

uma

as

infraestrutura

global

de

culturas

recebem

influências

telecomunicações que usa tecnologias

externas, elas ignoram algumas e

como

de

adotam outras, e então, quase que

comunicação, cabos de fibra ótica e

imediatamente começa a transformá-

telefonia sem fio tornam nossa vida

las.”

Internet,

satélites

mais fácil e o mundo menor. Todos sabem das muitas possibilidades Quem pode negar os benefícios de

da Globalização e não poderia ser

como a Internet derruba as barreiras

diferente quando falamos em Mundos

culturais facilitando a comunicação

Virtuais. Second Life é uma Torre de

entre povos em qualquer lugar? A

Babel onde podemos encontrar pessoas

Internet é parte desse processo de

do mundo todo. É simplesmente

globalização e oferece interação entre

fascinante que, enquanto alguém está

povos de diferentes culturas e estilos de

despertando na Austrália e diz “bom

vida. É fascinante como alguém na

dia”, alguém está quase indo jantar em

Austrália

noodles

outra parte do mundo. Sempre me

(macarrão) Japonês, enquanto alguém

considerei uma “cidadã do mundo”, já

na Europa aprecia curry de vegetais, um

que amo conhecer culturas, lugares e

prato típico Indiano.

povos diferentes, e quando não é

20 |

pode

saborear

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 21


Cristo Redentor Esculpido por DeMarco Galthie

22 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


possível viajar, por que não fazer um tour e conhecer essas diversas culturas inworld? É fácil e rápido (eu adoraria ter o poder de teleportar-me para todos os lugares, oh Deus!) Um aspecto importante em cada cultura é a forma peculiar em que vivem e de suas crenças, mas quem disse que somos

tribos

e

deveríamos

nos

enclausurar e ter contato apenas com nossa gente e cultura? Onde está escrito que um país ou o seu povo é melhor ou pior do que os outros? Não importa quem somos e de onde viemos... Somos TODOS importantes, temos qualidades e defeitos; e nossas qualidades podem contribuir para fazer nosso planeta e sociedade

melhores.

Na

realidade

somos Seres Humanos e algumas de nossas idéias e comportamentos são iguais. Quem tem caráter e bom coração ou é do mal, certamente o é, independente de sua nacionalidade. O que impressiona muitos de nós, são os novos meios que aprendemos para Estátua da Liberdade

| 23


24 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


RĂŠplica fiel da Torre Eifell SIM: Paris New York

| 25


melhorar habilidades e ser pessoas melhores. E por que então deveríamos ser “globais” e não viver apenas em nosso microcosmo (cultura, país, tribo ou família)? Você concorda que quanto mais você expande sua mente e é flexível e tolerante quando encontra o “diferente e o novo”, melhor e mais rica será a sua vida? Por que alguns têm medo de concorrência, de perder algo para o novo ou diferente e entram em autodefesa ou agridem gratuitamente e até geram guerras, ao invés de sentir alegria e ver que o sol nasceu para todos e que quanto mais cooperarmos e unirmos forças, mais completos e harmoniosos seremos? O planeta é maravilhoso e todos aprendem de cada cultura, idéia e povo. Temos no mínimo a obrigação de viver em harmonia, com respeito e amor a tudo e todos. Talvez, possamos fazer um paralelo e considerar nossa Second Life e nós como o microcosmo, e o mundo real

26 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


como o nosso macrocosmo (o universo em si). O mistério entre estes conceitos nos compara como indivíduos, nos quais o comportamento é típico de um corpo social maior. A cultura de nosso país e a forma como podemos alterar nosso comportamento e interagir em uma realidade diferente como a Second Life, poderiam ser um microcosmo, um tipo de forma em miniatura de nosso mundo real. Pense apenas sobre o que pode encontrar in-world quando explora ilhas, criações fantásticas, moda, arquitetura, arte, música e até mesmo crenças de muitos países. A experiência de divulgar culturas diferentes é uma forma incrível para aprender e aceitar novas idéias. Os residentes da SL têm visto tantos talentos que têm contribuído para tornar este meio ambiente virtual, um berço para desafios e comunicação entre as raças, crenças e sonhos. A SL pode ser uma grande escola de cidadania, ética e educação para a tolerância. Lá nós temos nossos avatares, muitos sonhos e a esperança de fazer o melhor. Alguns contribuirão com seu amor pela arte, ou natureza, tecnologia, caridade, música e milhares de possibilidades que podem oferecer e ensinar sobre seus países e cultura. Vida (real ou virtual) é aquilo que fazemos dela! Portanto, apenas para mencionar alguns de tantos nomes de pessoas que fazem diferença e oferecem maravilhosos presentes e talento na SL: Eshi Otawara é da Croácia e é uma das melhores artistas da SL e ativista que luta contra várias formas de preconceito. Suas criações e atos são muito especiais; Naiman Broome é Europeu e encanta como artista em arte digital e multi talentoso designer, que tem criado

| 27


maravilhas

e

preciosidades

como

Arenas Rosadas dentre outras ilhas, as melhores ondas realistas da SL, moda e muito mais; Patou Dumont é uma designer Brasileira que nos orgulha muito por tudo o que tem criado. Vive nos USA há alguns anos e por isso tem experiência

e

mente

ampla

para

entender as diferenças entre povos. Second Life a inspirou a criar um dos blogs de maior sucesso www.secondnews.net, do qual tive o prazer em ser colaboradora por dois anos; Patou criou o primeiro Gibi sobre SL e ainda faz machinima. Sua mais recente produção, a qual escreveu e dirigiu, Alice e a Jóia terá o lançamento em grande gala em breve. Saiba mais em www.secondnews.net/alice. Frolic Mills é da Venezuela e tem alcançado enorme sucesso em todos os seus projetos. Seu carisma e gentileza com todos, conquista e faz de sua revista the BOSL e seu Boulevard Casablanca um exemplo de talento inteligente. Um de seus segredos é o

Patou Dumont

28 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


Frolic Mills

| 29


time de colaboradores de vários países e culturas, do qual tenho o prazer de fazer parte; Azufr3 Catteneo (DJ Azu) é da Colômbia e trouxe seu mix de ritmos como incrível DJ; Kal Rau da KR é um designer Brasileiro que cria moda urbana para homens. Ele oferece algumas das melhores criações inspiradas em esboços reais, e Anderson Toll, que é outro designer do Brasil, cria alguns dos melhores móveis da SL com script para a sua intimidade e momentos de romance. A Sex Machine é uma marca de sucesso, que é compatível com os produtos da Xcite; bankinha Papp é de Portugal e uma criadora fantástica. Seu avatar é mais que especial como uma tiny bonequinha e uma mostra de sua Tiny Lab::TINY-FARM, uma fazenda miniatura onde ela cria tudo e encanta de 8 a 80 anos; Kayleigh McMillan da Holanda é uma pessoa e designer muito especial, que tem criado jóias perfeitas e extremamente ricas para a ByKay Creations. Sua maior qualidade é ter um coração de ouro e montar campanhas para o Relay for Life e associação anticâncer. Estes são apenas poucos dos inúmeros nomes que eu poderia mencionar aqui, de pessoas maravilhosas, generosas, gentis, inteligentes, talentosas e “fofas” de muitos países. O que nós temos em comum? Somos todos Seres humanos com sonhos e o desejo de fazer o melhor. A Globalização pode ser algo maravilhoso !!!!! ★

30 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


Japan Tempura, de kikunosuke Eel

| 31


traรงos e casos por geppex mccaw

| 39


42 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


merece um selo: camilla yosuke

Camilla Yosuke nasceu na SL em 7/12/2006. Ela é designer e proprietária da marca INSOLENCE. Suas criações charmosas e sensuais são únicas, tanto quanto ela! Foi estudante de artes e comunicação há algum tempo e acredita que seu conhecimento de aplicativos 2D e 3D a ajudam muito a expressar sua criatividade e quando fotografa e prepara o material para vendors e anúncios, o que também melhora o processo de criação. Devido a este conhecimento a decisão de criar na Second Life surgiu muito naturalmente em seus primeiros dias na SL. Duas razões foram importantes para que começasse a criar, quando ela notou que não tinha nada elegante para vestir e nenhum $L para comprar. Suas habilidades permitem que ela crie incríveis texturas para suas camadas de roupas íntimas. A primeira “aventura” no “país das maravilhas das criações” foi quando ela começou rapidamente criando um par de sapatos. Nas semanas seguintes Camilla entendeu que poderia abrir uma pequena loja. Naqueles tempos era bastante difícil encontrar conjuntos de lingerie realmente bonitas, então ela resolveu que esta seria sua linha principal de produtos e, desde então, tem oferecido algumas das lingeries mais elegantes, sensuais e finas da SL. Além de tudo, ela acredita que sua habilidade principal é amar tanto o seu trabalho. O que ela mais gosta em todo o processo da criação é a fase em que desenha à mão livre as rendas ou bordados. Para ela, este é provavelmente o momento preferido ao criar lingerie. – “É tudo muito relaxante e agradável. Eu amo experimentar os padrões, ver como ficam juntos, e como eles se casam com as linhas das peças de roupas. Além de lingerie, eu também adoro o momento de desenhar um novo par de sapatos. A tarefa mais repetitiva de esculpir/unir é menos divertida para mim. De fato, eu diria que prefiro todo o trabalho de preparação e

| 43


42 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


desenho. Provavelmente porque é onde todo o processo de criatividade reside?” – Camilla disse. Não é uma tarefa fácil para ela nomear uma loja favorita, já que ela conhece algumas onde gosta de ir às vezes. – “Sem ordem de preferência, eu poderia citar Hexed, pelo toque levemente-punk-masnão-muito; Surfline, pelos vestidos floridos, sempre leves e fáceis de usar; [Y.M.X], por ser o mais fofo; Nyte'N'Day, pelo casual que gosto para todos os dias. E então, eu também adoro a Boon pelos cabelos. Eles são tão únicos e ousados!” – Camilla ensina. Quanto às coisas favoritas que gosta de fazer em sua Segunda Vida além de criar, o que ela mais gosta é de explorar novos lugares, preferivelmente com amigos, quando estão on. Ela adora passar seu tempo nesses sims de roleplay, mesmo que ela não vá jogar; mesmo que seja apenas para apreciar aquelas fantásticas cidades ou paisagens, já é uma grande fonte de prazer; admirar o trabalho feito e claro, apenas bater papo sobre a vida, calmamente nos jardins.

Quando questionada sobre uma lingerie favorita e outra de suas criações Camilla diz – “Eu ainda sou e serei sempre apaixonada pela lingerie Louise. Deve ser mais porque me lembra o tempo em que a criei do que pelo próprio modelo em si. Eu realmente tive muito prazer em fazer o bordado e encontrar a perfeita combinação para as partes em tule. Eu adoraria usar o toque de uma varinha mágica para ter uma dessa lingerie real! Eu adoro como ela faz sentir como vestindo quase nada, mas ainda assim te envolve com sensualidade e sexualidade deliberada”. Oh Camilla, seria maravilhoso se pudéssemos encontrar suas criações não somente na SL, mas na RL! (por favor, pense a respeito e nos avise rsrs). Não vejo a hora de correr para a sua loja e ver as novidades, e não somente a incrível lingerie, mas tudo o que tem lá. Muito obrigada pela entrevista e o presente que suas criações representam, querida. ★

| 45


48 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


merece um selo: suelen almodovar

Esta brasileira encanta pelo talento incrível e simplicidade; está na área de Design Gráfico, ilustrações e atualmente trabalha em desenvolvimento de Web na RL. Escolheu ter um avatar mítico, que vive em florestas como elfo, criando maravilhas. Suelen Almodóvar começou sua Second Life em Janeiro de 2007 e conta – “na época eu lia muito em revistas e sites, falando sobre Second Life. Criei minha conta e decidi participar um pouquinho desse mundo de fantasias. A princípio criei a Suelen para ser apenas uma personagem. Queria uma experiência imersiva na plataforma, por isso caracterizei o avatar como um ser mitológico ou personagens que gosto. Mas, ao criar laços de amizade é difícil não ser você mesmo e o lado afetivo fala mais forte. Conservei então as características externas do avatar, mas ela passou a ser eu, minha personalidade e tem minha forma de pensar e agir”. Suelen teve a curiosidade de criar na SL desde o início, logo que se familiarizou com as ferramentas. Sempre teve paixão por criar, desenhar, pintar e modelar, e na SL foi possível explorar e aprender coisas que ainda não conhecia. “–” “É um verdadeiro laboratório, nunca havia trabalhado com modelagem 3D ou criação de texturas para games, por exemplo, até conhecer o SL”. Sua maior criação até o momento foi reproduzir de forma soberba a Mata Atlântica Brasileira, em uma bela floresta,

| 49


com vegetação local. O projeto surgiu de forma inesperada. A Claudia, uma amiga, resolveu comprar uma "ilha" e a nomeou de "Ilha Mata Atlântica". Ela é paisagista na RL e também gosta muito de natureza e lhe deu a liberdade de criar e trabalhar no tema da ilha como quisesse. Então, Suelen quis exaltar a magia e exuberância da Mata Atlântica brasileira, que é um ecossistema único em todo o mundo. A idéia não era fazer uma réplica fiel, mas pegar características e exaltar como algo mágico e fantástico, usando as possibilidades que o SL permite para dar vida à imaginação. Depois de algumas experiências resolveu criar algumas plantas presentes na flora dessa região. A pesquisa foi facilitada pela Internet e felizmente na cidade onde mora existe um horto florestal com uma área de preservação de Mata Atlântica e viveiro de mudas de espécies ameaçadas de extinção. – “Fui até o local pesquisar, tirar fotos e reuni as informações que consegui obter. Então, recolhi as características principais de cada espécie escolhida e reproduzi dentro do metaverso”.

50 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009

Seu trabalho é todo desenhado e pintado digitalmente; as fotos foram usadas somente como referência visual para facilitar ante as limitações da plataforma. Foram escolhidas algumas espécies mais conhecidas e ameaçadas de extinção tais como o Pau-Brasil, Jequitibá, Sapucaia e outras que são típicas. Ela aprendeu a trabalhar com software de modelagem 3D para poder criar de forma mais orgânica os troncos, raízes e galhos. E claro, o principal de tudo e que foi fundamental para o trabalho, é a inspiração que recebeu de amigos e de uma pessoa muito especial e amada, que foi a peça chave de tudo que a levou a criar a Mata Atlântica. Sua indicação para um local favorito e que é fonte de inspiração é a Botanical Straylight, onde já passou muito tempo online. E para momentos de diversão e compras seus lugares favoritos são onde pode encontrar fantasia e mitologia. Suas maiores paixões na SL se dividem entre criar, conhecer lugares novos e ver como a criatividade das pessoas contribui para dar mais vida ao SL.


Dentre inúmeros criadores talentosíssimos que admira Suelen destaca Thereaver Barrymore por seu incrível talento e o que vem realizando na SL, que está cada vez melhor e Brianna Stenvaag que é sua companheirinha de quem se orgulha pela superação que alcançou em criar skins do zero, sem copiar nada de ninguém. Ela chegou a um nível que surpreende e em breve todos poderão conhecer seu trabalho. Seu novo projeto será a loja Le Pinceau que será inaugurada em breve e onde venderá skins e moda exclusiva, seguindo outros segmentos como meta de expansão futura. É um meio para angariar fundos para outros projetos como a Mata Atlântica, que infelizmente por falta de recursos será fechada em breve. –“Tomem nota deste nome “Le Pinceau” e não se esqueçam de fazer uma visita, heim”! A InnerWorld agradece sua atenção e aplaude tanto talento e dedicação. ★

| 51


Nome: Teagah Beck Desde quando na SL: 06 de abril de 2007 Por que decidiu entrar e criar na SL? Para pesquisar networking. Na RL sou comunicólogo habilitado em cinema, pela FAAP e ao saber que era possível produzir machinima, me apaixonei e resolvi estudar. Participei de um grupo de estudos de machinimatógrafos de vários países. Acho importante utilizar os metaversos para produzir arte e todo tipo de expressão artística. Talentos: Olha, sinceridade...nunca me vi com talento. Sempre foi mais curiosidade, estudo e muito esforço. Mas, creio que saber contar uma boa história é um talento sim. Ainda estou aprendendo a manipular as ferramentas do SL para isso. Ilha e loja favoritas: Não tenho uma ilha preferida, mas dou atenção maior a qualquer ilha com perfil voltado a arte e cultura. Eu gasto bem em algumas lojas: Alphamale, Armidi, Redgrave, Body Politik, MADesigns, Mhaijik Things, Muism, Shiny Things e Sweetest Goodbye, e me divirto muito na Bare Rose. Graças aos personagens que crio, ando muito atrás de bons freebies. O que mais você gosta de fazer na SL: Trocar experiências na área de machinima, conhecer e compartilhar com diversos profissionais do Brasil e exterior. E deixar o boneco no rebolation ... (risos) e

54 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


curtas: teagah beck

curtir um bom som; adoro uma balada em Ibiza. Desde o início frequento essas ilhas. Era ótimo no início, pois alguns sets vinham direto da boate RL e os Djs mandavam demais. Um criador que você admira na SL: SL Shakespeare Company (SLSC) são vários criadores, mas, quem conhece o trabalho incrível desta trupe entende as possibilidades artísticas dentro do metaverso. Dica da boa: http://slshakespeare.com/ Um novo projeto: Bet – machinima. 3 minutos. ficção. drama. inglês. sobre a estupidez humana. 3 personagens numa encruzilhada da vida. Grato à Ananda e There, duas belas, gentis e inteligentes editoras. Foi um prazer. Namaste ★

| 56


58 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


raio-x | anita costagravas

| 59


60 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 61


InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


64 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


entrevista: zaara kohime

| 65


Ela é especial e uma artista muito talentosa não somente na SL. Zaara Kohime traz suas habilidades de sua experiência como diretora de arte na RL. Ela sabe como observar a vida ao redor, ama glamour e mais que tudo, ela adora a Realeza. O que faz as suas criações mais ricas é o fato de que esta designer fascinante entende mesmo o que são suas criações e de onde vieram. Inner: Por que você começou uma vida virtual e a Second Life? Zaara Kohime: Um amigo me falou sobre a Second Life e eu entrei por curiosidade. Sempre fui interessada por novas mídias interativas, então eu quis apenas me manter informada sobre as novidades.

Inner: O que a inspirou a criar moda na SL e nesse estilo que faz? Você é da Índia na RL? Zaara Kohime: Sim, eu sou da Índia na RL. Então, foi natural ter sido inspirada pela cultura de onde venho. Como tenho formação em Design Gráfico/ilustração também foi natural que eu tentasse roupas; havia muitas pessoas criando roupas Indianas, as quais foram as minhas peças iniciais – Moda Tradicional Indiana. Eu realmente não pensei nisso como um negócio sério na época e só queria alguns lindens, assim eu não teria que usar freebies. Mais que tudo, eu usava o que criava e gastava comprando sapatos e cabelos; Mas, os negócios cresceram lentamente para algo muito maior do que poderia imaginar e agora é o meu trabalho RL.

Inner: Suas criações são incríveis e muito exóticas. Como você se sente quanto a

66 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 67


divulgar esta moda e cultura in-world? Zaara Kohime: Oh é uma boa diversão. Eu sinto satisfação especialmente em criar fusão cultural nas roupas; isto motiva e é mais criativo do que a moda tradicional. E claro que é um orgulho para uma marca influenciada pela Índia e uma Indiana ter crescido dessa forma. A maioria de minhas criações tende a ser

coberta

com

um

toque

de

caprichosa opulência.

Inner: O que você pensa de partilhar diferentes culturas, idiomas e idéias em um mundo virtual? Zaara

Kohime:

É

demais,

especialmente ver estilos diferentes como o Japonês. Cada cultura tem seus próprios

truques

e

eu

não

os

conheceria se eu não estivesse na SL. É incrível interagir e colaborar com outros criadores; Eu trabalhei com Onyx da Maitreya no lançamento de jóias e foi super divertido. Eu acho que a Second Life faz o mundo um espaço

68 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


realmente pequeno. :P

Inner: Conte sobre o processo de criação, onde você busca idéias e como você cria tão maravilhosa e eclética moda fusion? Zaara Kohime: De fato é muito simples. Eu apenas olho em volta e incorporo as coisas que gosto a uma forma prática e usável... ou coloco um toque a mais como costumam dizer. Acho que tenho uma vantagem porque a Índia é muito, muito rica em cor e tradição, e modernizar tudo isso é divertido. Eu mantenho pesquisas em moda RL, coleciono

muito

referência

e

normalmente

material

desenho tenho

muito. comigo

para Eu um

caderno de rascunho em branco. Particularmente a realeza Indiana me interessa muito, a qual resultou nos sets de jóias Nizam. Enquanto meu estilo usual é mais o boho (Bohemian Look Chic ou Boho Chic) ou étnico chic, eu talvez goste de fazer o que é opulento também. Eu gosto de misturar tudo

| 69


isso.

Inner: Você desenvolveu alguma nova habilidade por causa da SL? Zaara Kohime: Bem, a SL nos faz mais informados e espertos quanto à forma como o resto do mundo trabalha. Sou uma diretora de arte na RL e estava habituada a trabalhar com dimensão 2D; SL me ensinou não somente como trabalhar em 3D, mas também o aspecto dos negócios, os quais não são muito diferentes da RL. Assim, tudo isso tem sido incrível...

Inner: Você é uma designer de roupas e jóias extremamente talentosa. Como você coordena cores e as texturas perfeitas? Zaara Kohime: Oh, eu não sei, rsrs. Eu apenas penso o que poderia ficar bom. É realmente algo que penso que vem naturalmente para uma pessoa, suas idéias e o que a rodeia. Isso é muito questionado para mim e eu acho que a chave é apenas abraçar tudo a sua volta... bom/ruim/feio e encontrar algo belo naquilo. Acho que meu trabalho não é realmente perfeito; eu faço mais por instinto e “sentimento”. Eu amo cores... eu devoro o catálogo de cores (Pantone). :P

Inner: Conte sobre a sua nova coleção e a incrível coleção de jóias que acabou de lançar. Ela nos faz sentir como Rainhas! Zaara Kohime: A coleção Nizam é baseada em jóias da Realeza Indiana, ou na técnica chamada 'Jadau', na qual pedras preciosas e diamantes (a maioria brutos) são incrustados em ouro. A realeza Indiana sempre me interessou e tenho planejado criar coleções elaboradas há muito tempo. Eu fiz um set há um ano, mas eu não

70 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 71


72 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 73


acho que eu tinha muitas habilidades na época. Entendi que agora estou pronta para fazer uma coleção daquele tipo e tem sido uma tarefa gigantesca, já que são 11 peças diferentes, talvez 13 se você contar as pequenas. Eu não sou uma joalheira, então eu tentei meu melhor, e o resultado parece muito bom para mim. Eu adorei criar jóias e deverei fazer muito mais.

Inner: Você tem alguma nova parceria e produto para surpreender a SL mais uma vez? Zaara Kohime: Não me instigue :P

Inner: O que você gostaria de encontrar na SL, talvez uma ferramenta que pudesse facilitar seu processo de criação e a sua Second Life? Zaara Kohime: Humm… Acho que se a SL carregasse mais rápido e o lag fosse eliminado pra sempre... rsrs Acho que é pedir demais :D Já há muitas ferramentas e eu apenas preciso encontrar tempo para aprender a usá-las, então seria mais fácil.

Inner: Muito obrigada por sua atenção e criações fascinantes. ★

74 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 75


80 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


teleporte para ... emvee cuba

| 81


82 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


Emvee Cuba Viva La Rezzolution!!! Uma homenagem bem humorada (nos trocadilhos dos nomes) a esta ilha tropical paradisíaca e sua cultura e arquitetura foi criada com primor e riqueza nos detalhes. Desde as incríveis texturas, até a disposição das Plazas como a Plaza de La Metaversatility, que em seu pátio imponente distribui charmosas construções com amplas varandas, pátios e a igreja matriz. Um passeio entre becos e corredores estreitos reserva surpresas frente ao mar turquesa. O charme e elegante forma de mostrar paredes envelhecidas, que completam a beleza de pisos, com toques de arquitetura colonial espanhola criam uma nostalgia especial e é a tônica deste Sim fantástico. As cores quentes e terracota e as texturas impressionam pela harmonia e fidelidade reais. Emvree Café é cenário para encontros furtivos ou um papo despretensioso sobre política ou a vida. (Não espere encontrar Fidel por lá), mas você poderá saborear um cappuccino ou Jumbo Muffins e apreciar arte local em estilos variados. A esplêndida arquitetura local reproduz fielmente os cafés, “tiendas” e “heladerias” de Cuba. Se você estiver inspirado caminhe por toda ilha e veja a barraca de frutas e legumes... Um convite a desejar preparar ou provar pratos deliciosos sob a atmosfera misteriosa de Cuba... E não deixe de visitar as charmosas lojas por entre as ruas com chão rústico de pedras. ★

| 83


84 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 85


86 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 87


88 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 89


90 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 91


92 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 93


94 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 95


96 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


Onde: Emvee Cuba, Metaversatility (123, 127, 25)

| 97


100 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


fashion: tatuagens

| 101


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Al.Uzza by Garden of Ku

102 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 103


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: A Night in Kandahar by Garden of Ku

104 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 105


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Shooting Stars by AITUI

106 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 107


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Romance by AITUI

108 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 109


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Old School Tattoo 2 Artilleri

110 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 111


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Brazilian Indian Couture Tattoo 02 by Designina

112 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 113


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Brazilian Indian Couture Tattoo 03 by Designina

114 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 115


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Oriental Karp by Xtreme Bodyart

116 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 117


Cabelo: PETRA Hair - Bleached Blonde by Lelutka Skin: London Pale - makeup 6 by Lelutka Shape: Custom Shape by Designina Shorts: Destroyed Shorts Light Blue by SG Tattoo: Oriental Dragon by Xtreme Bodyart

118 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 119


126 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


top 5: 贸culos de sol

| 127


128 |

InnerWorld Magazine | Ed. 05 - Junho 2009


| 129


Revista InnerWorld # 5 em Português  

Nesta edição eu discuto as questões entre povos, o que tornou o mundo tão pequeno e a sua relação com a Second Life. O que podemos extrair d...