Page 1

ICARUS-Sherri L.King

Icarus Sherri L.King

Publicação Elloras Cave Romantica

1-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Traduzido do inglês Pesquisa e disponibilização: Mell Revisão Inicial: Camilla Revisão Final e Formatação: Paulinha

ICARUS Sherri L. King

Descrição: Ele vem a ela em sonhos, quando ela é mais vulnerável aos seus toques e beijos ardentes. Ele bebe seu sangue e a ligou a ele de modos que nenhum amante mortal jamais poderia… mas Morrigan não quer acreditar que seu bebedor de sangue seja nada mais que uma invenção de sua imaginação carente. Morrigan quer ser livre de seu vício, da criatura altamente sexual que ela conhece apenas como AZ. Mas AZ tem outros planos… e logo ele espera que Morrigan esteja profundamente sob seu encanto para não se importar que ele queira levá-la de volta para sua terra natal para… para ser sua companheira por toda eternidade.

2-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

3-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Um Morrigan Mederos olhou para a grande mansão além do portão. Depois de vários momentos quietos ela moveu o veículo adiante e tentou aquietar a corrida de seu coração. Um estranho e miúdo medo era prevalecente em sua mente e coração enquanto inspecionava seu ambiente. A casa parecia um mausoléu – escura e pesada sob a copa de sorveiras e carvalhos. A atmosfera do lugar enviou calafrios de apreensão abaixo por sua espinha. Mas isto era para ser sua casa agora, ela lembrou a si mesma. Este grande monumento de tijolo, pedra, e argamassa eram para ser seu abrigo. Tão longe do stress de seu antigo estilo de vida de Nova Iorque como ela podia administrar. Ela tomou este último passo de deixar sua vida pública como uma poetisa e compositora para trás. Agora não era o tempo para deixar seus medos arruinarem qualquer felicidade que ela poderia achar aqui. Não havia como voltar atrás agora. Sua nova casa era abrigada na Escócia, longe das exigências incessantes de seus fãs e colegas. Longe o suficiente, também, dos sonhos que tinha começado a roubá-la de seu descanso… e de sua sanidade. Embora nesta terra fosse uma estrangeira e proibitiva, considerou na esperança de ajudar durante a tempestade que sua vida se tornou. Estava frio. Morrigan tentou agitar o frio invasor de seus ossos, mas percebeu que era um esforço em futilidade. O ar fresco de setembro de Meigle, úmido e frio, não podia ser repelido com um mero calafrio. Esta terra, no bonito Vale de Strathmore, sempre era úmida e fria nesta época do ano. A casa estava aninhada em um terreno nos subúrbios da aldeia de Meigle—a aldeia mais velha na Escócia. Existiu bem antes da época de Cristo. Os Pictos antigos viveram e adoraram aqui, suas pedras sagradas permanecendo de pé até hoje residindo em um museu local. A Pedra do rei Arthur, como também a pedra de MacBeth, residido em seu lugar de eterno descansando nas proximidades. Isto era um lugar antigo e místico, perfeitamente adequado para o temperamento do artista. Era uma terra mágica. Fundo em sua alma ela tinha certeza que este lugar podia trazer a paz e felicidade que ela buscava. Uma paz dos dias passados entre o sentimento de solidão numa multidão cada vez maior de pessoas. Da massa sem cara das pessoas que não queria nada dela, mas o que seus dons e talentos podiam trazer para eles. Nos últimos anos ela esqueceu toda felicidade. Ela esperava que esta mudança inspirasse novamente. Os anos que ela passou para uma escalada ao topo da indústria de entretenimento, ela esqueceu o que era a verdadeira alegria. Sua 4-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

vida se tornou um passeio infinito para aclamação crítica. Era algo que ela nunca quis— não realmente. Ela estava pronta para começar novamente. Com esperança súbita jorrando dentro de seu coração, ela parou no pátio de sua nova mansão. Todas as apreensões foram postas de lado e esquecidas. Chegando a uma parada brusca na frente da grande porta de carvalho da casa, ela desligou o motor de seu carro e suspirou. Vários dias antes, sua equipe de mudança tinha chegado com os pertences pessoais que ela decidiu manter quando saiu de sua cobertura fria e estéril. Ela estava mais do que ansiosa para desempacotar e aguardava com expectativa em torno de si mesma com o conforto familiar. Por semanas ela viajou pela paisagem local e se familiarizou com a população e cultura de sua recentemente adotada casa. Agora ela estava cansada da viagens. Na verdade, sentiu às vezes que ela tinha viajado por toda sua vida—procurando por este lugar desde o início. Desde que a decisão de mudar foi feita, ela sentiu à deriva e sem propósito. Sua vida ocupada nunca a permitiu muito tempo para relaxar. Mas agora que ela tinha todo o tempo que ela precisar, ela se achou em uma perda. Que nova direção sua vida tomaria agora? Seus instintos estavam corretos ao levá-la a crer que algo… monumental, esteja à espera para ela logo acima do horizonte? Morrigan estava incerta sobre o que o futuro reservava para ela — mas estava mais que pronta para descobrir. Quando ela saiu do carro, o vento frio a cortava como uma lâmina. Sob o manto negro chicoteando, o cabelo cor de cobre até a cintura estava domado em uma trança gorda ao longo das costas. Suas pernas longas, figura exuberante, e características exóticas de um elfo, fizeram dela uma personagem reconhecível no meio da elite das produções. Mas ela não teria muito uso de seus recursos aqui em seu novo mundo. Ela precisava se misturar, não distinguir-se, ela pensou com um sorriso. Seu terninho cinza carvão parecia caro e chique, e suas meia-botas de couro italiano combinando, fizeram um som quando ela atravessou à calçada. Ela aproximou da porta da frente com joelhos fracos. O vento assobiando sobre ela, o odor de chuva que se aproximava chegou à suas narinas, ela estendeu a mão para segurar o ferro. Segurando sua respiração ela abriu a porta de sua nova casa com movimentos lentos, cautelosos. Arriscando uma olhadinha, ela examinou o hall de entrada escuro além e suspirou em alívio. Ela sorriu e riu um pouco para ela mesma em seu próprio comportamento tolo. O interior parecia o mesmo que teve nos retratos do agente imobiliário. Estava cheio de alegria morna e confortável boasvindas — todos os sentimentos a ela associou com uma boa casa. Tinha sido uma coisa impulsiva— para comprar esta casa à vista, mas invisível para Polaroids do agente imobiliário. Mas ela ficou obcecada com a casa desde o começo. A descrição do corretor imobiliário declarou que a casa e a terra eram situadas na Escócia, próximo a vários lagos e vias fluviais. Uma compulsão arrojada a levou, a dirigindo até parar em nada a fim de possuir a propriedade. 5-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Sapatos chapinhando suavemente no chão, ela examinou cada quarto da casa. Apaixonando-se por ela fácil. Era maravilhoso, completa, com tetos de catedral, janelas altas e quartos espaçosos. Seu quarto alojava uma adorável cama king-size com dossel por grandes quedas de gaze e cetim branco. Era seu quarto favorito. Caminhando para as portas francesas no lado longe da câmara, ela as abriu e andou sobre a varanda que se estendia além. Galhos sorveiras verde escuro deitavam perto do corrimão, dando a sensação de uma varanda privada e fechada. Morrigan respirou profundamente do ar encaracolado, fresco, saboreando o silêncio em tonro. A tranquilidade de sua nova casa começou a se infiltrar em seus ossos cansados do mundo. Era a terra dela e a fez se sentir como se finalmente estivesse aceita como parte de seu ambiente. Com uma serenidade que tinha sido um estranho para ela, em anos recentes, ela voltou para dentro e estava pronta para desempacotar. A noite se aproximava. Espero que ela não tenha sonhos. ***** O sono a envolveu como a escuridão de uma tumba, e o sonho a encontrou acidentalmente uma vez mais. O realismo a consumiu totalmente, e ela esqueceu que os sonhos não eram reais. Esqueceu de lembrar que estava em seu novo lar— supostamente livre de preocupações— para ela já não era suposto ter estes sonhos. Seu terapeuta disse que os sonhos eram apenas subprodutos de seu estressante estilo de vida—que eles eram fantasias produzidas por uma imaginação sobrecarregada. Mas quando os sonhos conquistaram sua mente dormente, todo pensamento racional foi esquecido. Ela sabia apenas a realidade de que sua mente sonhadora revelou a ela. Correndo através da floresta escura na noite, sua camisola branca virginal voou atrás dela no vento. Seu cabelo caia solto junto suas costas e ombros, a escuridão fazendo as ondas de cobre parecem como sangue derramando acima dela. Seu coração martelando em seu peito. Seus olhos e bochechas queimando da mordida cruel do vento. Ainda assim, ela continuava correndo, sempre adiante no negro coração da floresta. As mãos estendidas à frente dela para afastar galhos ávidos por arranhá-la, ela mal notou quão distante ela fugiu. Seus pés estavam nus abaixo da queda do vestido, mas ela nem mesmo sentia o chão em baixo deles. No infinito escuro de seus olhos procuravam freneticamente. Por algo. Por alguém que ela não ousaria falar o nome com medo que duvidar de sua sanidade. Ela procurou por ele. Por fim, ela encontrou acidentalmente a escura lisa superfície espelhada de um plácido lago. Seus pés pararam aos tropeços no contorno da costa. A água estava fria quando ele rodou suavemente em seus dedos expostos, e ela esperou lá com respiração rebatida. Nuvens de névoa soprada de sua boca trêmula. O silêncio pesado continuou irrompível. 6-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Ela tentou tragar o amontoado de medo e antecipação em sua garganta, mas achou sua boca extremamente seca. De repente, lá diante dela, uma ondulação quebrou o tranqüilo da superfície da água. Era seguido por outro, e outro, até a água espirrar contra seus tornozelos pela força das ondas. Morrigan ofegou e mordeu seu lábio, lutando contra o desejo para fugir como uma cabeça escura emersa do coração do lago. Foi seguida pela pálida e fortemente musculosa forma de um homem desnudo. O homem andava acima da água.

7-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Seus pés caminhando através de sua superfície com apenas uma ondulação à medida que eles passaram. Um sorriso pequeno, misterioso tocou sobre lábios eroticamente esculpidos. A visão acelerou seu coração, entretanto com medo ou antecipação ela não podia dizer. Seu cabelo era ônix, estava seco e provido de suaves cachos ondulantes abaixo de suas costas para suas nádegas. Entretanto ele veio da água, ele estava completamente seco, como se por mágica. De pé a seis pés e meio de altura, ele se elevou acima dela. Seu corpo fortemente musculado ainda gracioso lotado chegava cada vez mais perto dela. Sua pele brilhou prata no luar, e a única cor que ele pareceu possuir ardeu de seus olhos. Seus olhos eram purpúreo profundo, uma impossivelmente sombra inumana. Eles a queimaram por baixo de suas pestanas pecaminosamente pesadas, a marcando com uma posse que era impossível negar. Morrigan sentiu uma excitação de medo correr por seu coração, e ela girou para fugir. Com um choque, ela descobriu que suas pernas recusaram mover-se. Afinal o homem veio para ficar diante dela, e seus olhos não podiam escapar dos dele. Seus dedos longos, bonitos a agarraram e ela tentou protestar, mas não emitiu nenhum som adiante de sues lábios entreabertos. O homem sorriu e traçou suas bochechas com as pontas de seus dedos frescos. Ele lentamente moveu sua cabeça até ela, até que eles estavam separados só pelo espaço de suas respirações. Seus olhos em chamas perambulando acima de seu rosto com uma fome indisfarçável. Ela foi incapaz de satisfazer as paixões escuras emanando de seu olhar, e ela fechou seus olhos em autodefesa. Como o toque gentil de uma pena, ela sentiu sua carícia de polegares em suas pestanas abaixadas, e eles abriram de repente mais uma vez. O homem fechou seus olhos, e se debruçou mais íntimo para ela, suas narinas queimaram quando ele respirou profundamente de seu perfume. Seus movimentos eram inumanos, extremamente cheios de graça e poder suprimido. Sua cabeça movia-se em um movimento circular, como se estivesse rolando acerca da nuvem de seu perfume. Ela perguntou-se o que ele cheirou nela já que ela não estava usando nenhum perfume. Uma vez mais seus deslumbrantes olhos abertos, pegaram seu olhar por um momento longo. O único som que quebrou o silêncio foi o assombroso ritmo das batidas irregulares de seu coração. —É você. Afinal você veio. —ele disse, e sua voz tocou fora como um eco na noite. Seu sotaque era lírico, como uma melodia doce que estava familiarizado com ela, entretanto ela não poderia colocá-lo isto. Quando suas palavras enfraqueceram na escuridão, ele sorriu, e seus olhos ardiam mais brilhantes que antes. Um olhar possessivo encheu seu rosto antes de suas características caírem em uma máscara de antecipação má. Acima de sua cabeça curvada ela viu por um momento as asas translúcidas que brotavam de suas costas. Elas eram magras e membranosas, e penduravam quietamente dobradas atrás dele como as barbatanas de um peixe gigante. Embora fosse um testamento assustador da inumanidade do homem, elas eram, todavia 8-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

estranhamente bonitas, como um arco-íris iridescente flutuando abaixo por sua espinha. Ele era de tirar o fôlego. Morrigan não podia achar sua voz, nem podia virar-se dele. Ela ficou congelada no lugar, olhando para o homem mais bonito que ela já vira, temerosa do que ele poderia fazer a seguir. Suas mãos desviaram abaixo de suas bochechas para seu queixo, que ele levantou, arqueando seu pescoço até que seu cabelo caiu fluindo bem abaixo de suas nádegas. Ela fechou seus olhos para melhor saborear seu toque, e suas mãos desviaram mais abaixo, através de seu ombro e braços até que ele segurou as mãos dela nas suas próprias. Seu sedoso cabelo roçou através de seu rosto quando ele se debruçou mais íntimo e apertou um beijo fresco em seus olhos fechados. Lentamente, seus lábios guerrearam contra ela—obtendo emprestado seu calor. Eles viajaram sob suas bochechas e nariz—tão suave quanto o roçar das asas de uma borboleta. Sua respiração era quente e abanava sobre seu rosto como uma carícia física. Arrepios apareceram inesperadamente sobre de sua pele. Seus lábios apertados contra os dela, suavemente e então mais firmemente quando ela não deu nenhum protesto. O beijo se aprofundou, e ela sentiu uma dor minúscula. O doce gosto acobreado de sangue encheu sua boca… e a dele. Seus olhos abriram de repente em um pânico. Ela começou a lutar quando sua língua rodou faminta no sangue que jorrou do corte em seu lábio. Um olhar voraz de fome e arrebatamento jogaram através de seu rosto. Sua língua aveludada lavou acima do pequeno ferimento antes dele desenhar seu lábio em sua boca — ordenhando o sangue dela com beijos vorazes. Um medo opressivo a pegou, e ela afinal achou a força para se mover. Apavorada e empurrando contra ele, ela torceu sua cabeça longe, lutando seu beijo enquanto ele seguia. Ela sentiu como se estivesse acordando do feitiço de um feiticeiro. Ela lutou contra a vontade de gritar, mas sua luta passou despercebida por seu capturador. Sua força era opressivamente superior à dela. Ela gemeu em pânico contra seus lábios agora em chamas. Ele continuou a alimentar em sua boca. O homem agarrou mais firmemente com suas mãos quando ela continuou a lutar, fechando seus braços a seu lado. Lentamente, relutantemente, ele puxou longe de seus lábios. Sua erótica boca estava inchada e manchada de carmesim de seu sangue. Entretanto a visão devia tê-la adoecido, serviu para despertá-la ao invés. Ele parecia de repente mais bonito e assustador do que nunca, e ele a puxou por razões que ela não podia entender. Bonito não era uma palavra poderosa o suficiente para descrever como ela o viu agora. Ele era muito perigoso, muito pecador para ser etiquetado bonito— entretanto ele era isto também. A situação era mais que perigosa. Morrigan reconheceu isso, mas perversamente agora ela não queria fugir, mas o atraí-lo mais íntimo. Ela queria perder-se dentro dele como uma mariposa numa chama, não importa o custo para sua sanidade. 9-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Sentindo sua rendição próxima, o homem levantou suas mãos até seus lábios para apertar um beijo fervente em sua palma. Assistindo ele tão próximo quanto ela estava, Morrigan viu o brilhante flash de seus caninos antes de seus lábios serem enterrados em sua mão. O susto a colheu mais uma vez.

10-GrupoRR 10-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Ela quase desfaleceu com a visão. Um grito quebrado escapou seu lábio como do côo de uma pomba, e ela renovou a luta para escapar dele. Seu captor não estava perturbado por sua luta, nem a sua espera por seu enfraquecimento. Seu temperamento queimando lentamente à vida para acoplar com seu medo. Ela odiou parecer tão impotente. Ele nem mesmo grunhiu quando ela aterrissou um pontapé em sua canela. A combinação de sua estimulação, raiva e temor só serviram para excitá-lo ainda mais, o que era fácil de ver quando seus olhos desviaram para sua ereção pesada. Ela arquejou com a força de seus esforços, e logo ele arquejou com ela, mas por razões diferentes. O homem moveu sua cabeça em um modo reptiliano, rápido e gracioso, e sua boca trabalhou como se saboreando os últimos sabores de seu sangue em sua língua. —Eu saboreei você agora, beleza. Nós nunca mais nos separaremos. —Sua respiração era severa e suas narinas chamejaram. O escuro olhar, possessão crua que brilhou de seus olhos inumanos secos por ela, marcando-a como sua. Um segundo mais tarde ela caiu na escuridão que veio e a tragou como o frio interior de um sepulcro. Morrigan atirou–se de pé em sua cama. Suas respirações rápidas saqueando seus pulmões. Seu coração trovejando em seu tórax. Com as mãos trêmulas ela ligou a luminária da cabeceira da cama e lançou seu olhar sobre o quarto. Parecia uma tola por procurar monstros escondidos nas sombras. Seu medo no sonho deixou um gosto prolongado, amargo em sua boca. Ela gemeu entrecortadamente quando ela enterrou seu rosto em suas mãos. Depois de algumas respirações profundas, calmantes, ela riu trêmulo. Em sua mente, ela sabia que os sonhos não eram reais e que seus medos eram tolos, mas seu coração estava ainda trovejando em seu tórax. Ela se levantou da cama e caminhou através dos tapetes espessos cobrindo o chão frio, indo para o banheiro para um copo com água. Os dedos desastrados e desajeitados, ela ligou a luz e se aproximou da pia. Vendo-se por um momento por vaidade, ela gritou em choque.

11-GrupoRR 11-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Dois Olhos de jóia verdes olhando fixamente de volta de seu reflexo, escuras e assombradas com tudo que eles viram. Sua pele normalmente pêssego e creme estava pálida e translúcida na luz severa. Ondas emaranhadas e selvagens fizeram um halo de seu cabelo, que escapou a trança apertada que ela sempre usava para a cama. Ela apressadamente espirrou água contra seu rosto. Fazendo uma xícara de suas mãos ela bebeu sofregamente, lavando longe o gosto acobreado de medo e sangue de seu sonho. Suas mãos roçaram seu lábio inferior e ela estremeceu de dor. De repente ela caiu quieta e depois de algumas batidas frenéticas do coração ela lentamente abaixou suas mãos longe de seu rosto. Seus olhos estavam arregalados de choque. O olhar dentro deles se aproximava ao terror quando ela estudou o interior de seu lábio. Vendo como também sentindo o corte pequeno lá, ela soltou uma risadinha estridente. O corte era fresco, entretanto o sangramento parou. Por uma fração de segundo temeu que seu sonho fosse real antes dela rir novamente e empurrar o pensado desesperadamente longe. Ela não era louca. Os sonhos, entretanto realistas, não eram reais. O ferimento em seu lábio provavelmente aconteceu por morder o lábio durante o sono enquanto se debatia e girava nos lençóis. As memórias de seu sonho, ao mesmo tempo assustador e de consumo, deviam ser esquecidas ao despertar. Apegando-se a seu mantra, ela rastejou de volta para a cama. Aconchegando abaixo nas coberturas com desespero próximo, ela estremeceu com o frio da noite. Foi quase uma hora antes dela voltar a dormir. Ela deixou a luz acesa. ***** A manhã chegou, e o sol nascente saudou Morrigan quando ela estava em sua sacada. O ar fresco do amanhecer deixou sua pele fria e úmida. Bebendo em sua caneca de café fumegante, ela olhava fixamente confusamente fora na distância. Suas últimas horas de sono tinham sido inquietas, consumida por ainda outro sonho. Se algo não mudasse logo ela se quebraria completamente. Ela estava tão cansada. Este último sonho tinha sido tão real—tanto mais que um pesadelo. A consumiu totalmente, ficando com ela muito depois que ela deixou sua cama e o sono para trás. Este último sonho aconteceu— não bosque como tantos outros no passado — mas na sala de jantar de sua nova casa. O homem estava sentado na mesa longa em sua sala de jantar, comendo bagas vermelhas de uma tigela. Seus sucos carmesim manchando sua boca, da mesma maneira que seu sangue no sonho anterior. Suas asas iridescentes caíam 12-GrupoRR 12-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

como uma capa atrás do encosto de sua cadeira. Olhos purpúreos brilhavam sob a varrer, ondas entrelaçadas de seu cabelo negro, olhando-a firmemente enquanto ela estava lá com um vestido de veludo escarlate que caia ao chão. Até em seus sonhos ela tinha excelente gosto para roupa. Obedecendo algum comando não dito ela caminhou adiante, mais próximo para onde seu homem do sonho sentava à espera. O pesado vestido arrastava nela, agarrando em suas costas como uma mão desesperada. Mas por mais que ela quisesse correr, ela era compelida para mover mais perto. Os lábios do homem torcidos num pequeno, escuro sorriso, como se ele soubesse seu dilema. Ele estava completamente desnudo, como sempre. Até lutando como ela estava contra a atração sensual, ela foi forçada a admitir como erótico e perfeito espécime ele era. Sensual e perigoso, ele dominava sobre a sala de jantar como um rei. O poder e controle escoavam de seus poros, fazendo ela se sentir como uma bruxa na sua presença. Ele ofereceu a ela uma das bagas estranhamente formadas com um floreio gracioso. —Prove de seu néctar, minha bela. —ele disse em sua assombrosa, lírica voz. Chuva batia contra as altas janelas envidraçadas, saturando o ar com o odor de ozônio e oceano. Os flashs brilhantes de raias do relâmpago iluminaram sua pele pálida de forma que foi inundada em um brilho de prata que a cegou. Morrigan sentiu a compulsão opressiva que acompanhou seu comando. Os últimos passos que a trouxeram para seu lado estavam um pouco hesitantes, mas ela não podia resistir sua poderosa atração. Com as mãos trêmulas ela pegou a fruta de seus dedos fortes. Ele puxou de volta dela e agitou sua cabeça ligeiramente. Com o movimento pequeno seus cachos escuros escovados acima de suas asas e eles mexeram ligeiramente. Oferecendo a fruta mais uma vez, seus olhos queimaram nela com uma promessa má. —Alimente de minha mão, ou de modo nenhum. —ele comandou. Sua voz ecoada em torno do quarto e nos cantos mais escuros de sua mente. Que escolha ela tinha senão obedecer a um comando tão forte? Ela estava cansada de lutar contra seu controle nela — sua vontade era muito mais forte do que ela própria. A fruta certamente pareceu convidativa, e ela estava muito faminta. Imergindo da cintura em um gesto quase formal, ela afundou seus dentes na carne suculenta da baga. Seu lábio escovou seus dedos com uma sacudida elétrica. Sua vista escureceu e embriagadamente nadou. O mundo balançou, levando-a junto. Quanto tempo passou, ela não soube, mas ela veio com relutância sonhadora. Ela estava sentada em seu colo, quando ele a segurou firme com uma mão, ela bebeu sofregamente da outra quando ele a segurou em seus lábios. Um líquido escarlate alagou em sua boca enquanto ela utilizou um ferimento em seu pulso. Visões a assaltaram. Visões de maravilhas inimagináveis inundaram sua mente quando ela tragou cada arrojado inebriante. 13-GrupoRR 13-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Sua boca estava cheia do sabor doce picante de seu sangue, e ela chamou profundamente por ele mais uma vez antes de finalmente vir a seus sentidos completa. Em desespero ela torceu seu corpo de seu abraço, tremendo e agitando quando ela caiu no chão. Um buquê selvagem e penetrante descansou em sua língua. Este último bocado de seu sangue era doce, rico, e intoxicante. Resistindo o desejo para tragar o elixir potente, ela fez cuspir no chão. O homem moveu com uma velocidade que ela não podia seguir com seus olhos. Um momento ele sentava calmamente, o próximo ele abaixava diante dela. Sua mão colocada sobre sua boca, gentil, mas imóvel, prevenindo ela de expelir seu sangue. Olhos selvagens, ela lutou para se afastar, mas ele era extremamente forte e a segurava firmemente. —Não, minha bela, engula. Engula até a última gota e beba isto fundo. Isto é minha essência — que me ligará a você — e você não vai cuspi-lo. Morrigan agitou sua cabeça contra sua mão. O sangue queimou ainda, gosto doce em sua boca. Sua mão a segurava firme, e o olhar em seus olhos eficazmente calaram seus protestos. Com um movimento súbito ele trouxe o corpo dela contra seu. Sua carne desnuda gravada através do seu vestido. Ele deitou suas costas com um movimento rápido, e descansou sobre ela. Nesta nova posição suas lutas desapareceram com exceção da recusa para tragar seu sangue. A sensação deliciosa de seu peso ancorado a ela. A outra mão que segurava ela levantou-se para fechar seus dedos suavemente ao redor suas narinas, cortando seu fornecimento de ar. Os momentos passados batalhando com suas vontades, olhos purpúreos a furavam. Sua vista nadou e ela começou a ver lugares. Quando ela debatia contra ele, ele meramente instalado entre suas pernas, dando sua prova de como suas lutas só serviram para excitá-lo na evidência de sua ereção. Era inevitável, sem ar para respirar, que ela tragasse seu sangue em uma ação reflexiva. Imediatamente ele a permitiu o uso de seus pulmões mais uma vez. Ele ternamente arrastou uma mão por seu cabelo. Seu corpo aconchegado abaixo nela, e ele enterrou seus lábios contra sua garganta em um beijo aquecido que a deixou sentir a pressão de suas presas afiadas… O sonho terminou, e Morrigan mais uma vez arremessou vertical em sua cama. Fora do terraço de seu quarto, a chuva batia gentil contra a casa, e sua boca esteve cheia com o sabor selvagem do sonho. Ela mordeu seu lábio novamente, manchando seus dentes de carmesim que ela imediatamente afastou. Ela esteve extremamente assustada a voltar dormir, preferindo ao invés esperar pelo amanhecer com ajuda de cafeína. O sentimento de perda e solidão e profundamente assustada da frequência crescente desses sonhos, ela chamou uma amiga em Nova Iorque. Deixando uma mensagem em sua secretária eletrônica quando não houve nenhuma resposta, Morrigan recostou-se e meditou. O sol estava alto quando o telefone tocou estridente, quebrando o silêncio e fazendo Morrigan saltar. Ela correu para alcançar o telefone em sua mesa de cabeceira, o coração disparado. 14-GrupoRR 14-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

sabe?

—Alô? —Você está bem, hein? Eu acabei de ver sua mensagem - longa noite fora

—Oh Verônica, eu estou tão contente por ouvir sua voz. Eu estou bem agora que você chamou. Como Ronnie o Ator está se saindo? —Menina, você está uma semana atrás dos tempos. Eu sou com Navarre o Designer agora. Você está certa que você está bem? Você soa estranho. —Eu estou só cansada. Viajar me deixou lenta. —ela riu, e até para suas próprias orelhas soou um pouco louco. —Parece mais do que a viagem — você soa terrível. Nenhuma ofensa, boneca, mas é a verdade. —Bem, você sabe, eu só estou tendo dificuldade para dormir com todas estas mudanças. —Você não continua tendo aqueles malditos pesadelos, não é? Eu disse a você mudar-se e deixar sua vida para trás não muda nada. Você só precisa de alguns medicamentos fortes, um cruzeiro caribenho de uma semana, e um amante com muita resistência. —Eu não quero acabar dependente de drogas e sexo como metade das pessoas que eu conheço. —Como eu, você quer dizer. —Voz de Verônica era plana. —Não! É—não foi isso que eu quis dizer... —ela suspirou. —É só que eu quero resolver este problema sem causar um grupo de outros. Eu precisei desta mudança, Verônica. Eu desejo que você entenda isto. —Oh, eu entendo que você se sentia presa aqui. Eu entendo que você sentia que aquela fama era demais para você. Mas a Escócia? Quando você disse que você queria mudar para perto da água eu pensei talvez que você quisesse dizer Flórida ou Califórnia—em algum lugar morno e feliz. Mas apenas olhe para você — você escolheu algum lugar frio e a água é preta e nojenta, não azul. —Eu penso que eu gostarei disto aqui. A terra é selvagem e inspiradora. — apenas o lugar certo para um poeta. —Você deixou tudo que para trás, lembra? —Eu sempre serei uma poetisa, Verônica. A poesia está em meu sangue. Eu só não escreverei por dinheiro tanto como por prazer agora. —Ela sorriu no pensamento. —Eu penso que você está louca para desistir da vida de produções. Você nunca pode ter dinheiro demais, e se você gosta de escrever por que não ser pago por isto? Você sabe o que eu penso? Eu penso que você voltará aqui em seis meses —que você é muito esperta para deixar a fama e a glória atrás, você gosta disto. —Bem eu certamente espero que você esteja errada. Eu estou pronta acomodar-me e viver minha vida por eu mesma. Eu tenho dinheiro mais que suficiente para viver no colo de luxo até minha velhice—mais longa se eu for cuidadosa. Eu nunca procurei a fama e a tensão de uma vida de alto perfil. Eu penso que eu serei muito feliz aqui. 15-GrupoRR 15-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Bem você certamente parece ter achado tanto estresse aí quanto o que você tinha aqui. Olhe para você, em menos que três meses você se mudou para um país diferente, aposentado da música, e separou-se de todos os seus amigos. Mas tudo que fez foi dar-lhe um novo ambiente para se preocupar — e muita solidão nisso. —Você precisa voltar para casa, onde o ambiente e as pessoas são familiarizares. Sua insônia e pesadelos e tudo isso irá embora num instante, e então você pode voltar aos negócios como sempre. Ela realmente pensou alguém entenderia ou simpatizaria? Agora, ouvindo todas essas conversas gastas que vinha da boca de sua amiga mais íntima, ela não estava certa por que ela se incomodou ligar em primeiro lugar. Ela conquistaria estes pesadelos por ela e seria mais forte por isto, era tão simples. Tinha que ser. As palavras da Verônica estavam ainda afluindo sua orelha. —Eu nem sei por que você está tão assustada sobre estes sonhos em primeiro lugar. Você pode apostar que se eu sonhasse algum pedaço magnífico como seu sujeito do sonho, eu estaria por toda parte dele como branco no arroz. Da próxima vez que você sonhar com ele que você devia apenas saltar de seus ossos e acabar com isso. Eu aposto isso tornará aqueles pesadelos em fantasias em uma batida do coração. Antes que perceba você estará esperando ansiosamente por eles. —Você não entende Verônica. Estes sonhos não são assim—este homem não é assim. Ele é perigoso e as coisas que acontecem nos sonhos são perigosas. Enquanto eles estiverem ocorrendo tudo que eu posso pensar em fazer fugir. —É só uma coisa de Freudiana. O que ele faz? Ele vive na água e você corre para ele. Estas provavelmente são apenas projeções mentais de suas inseguranças ou qualquer que—eu estou certa, seu terapeuta examinou cuidadosamente isto com você. —Mas eles são diferentes agora. Ele é um vampiro agora, ou… ou algo. Completo com caninos e asas e apetite faminto. Eu sei que é esquisito, mas estes sonhos parecem tão reais que eu sinto como se perdesse o toque com a realidade toda vez que eu acordo. —Então talvez eu estivesse mais certa que você sabe sobre precisar de um cravo jovem. Parece para mim como se você estivesse apenas com tesão—e que seus caninos representam um pênis e suas asas representam você espalhando suas pernas e ‘alçando vôo', por assim dizer. Morrigan riu a despeito dela mesma. —Isto é a coisa mais retardada que eu já ouvi que você dizer. Eu penso que sua ereção em todo sonho representa um pênis e o resto é só um grupo de visões de pesadelo porque eu estou ainda sofrendo de todas as mesmas preocupações. —Escute amiga. Eu sei que pode não parecer com isto, mas eu só quero que você seja muito feliz. Eu não posso entender como você achará felicidade nesse frio, país escarpado, mas eu espero que você faça. Eu nunca entenderei como você pôde só ir embora da alta vida, mas eu não tentarei julgar você muito severamente. 16-GrupoRR 16-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Eu aprecio isto, Verônica, eu realmente faço. Se ele for qualquer consolação, isto não foi uma coisa fácil para eu fazer. Mas ele teve que ser feito ou eu teria só perdido isto completamente. Eu não podia viver no refletor mais. Eu me senti como um espécime debaixo de um microscópio. Não era saudável para mim. —Só lembre que se você quiser voltar, não deixe seu orgulho afastá-la. Você sempre terá um lugar aqui. Morrigan perguntou-se se Verônica diria o mesmo em seis meses. A indústria de entretenimento tem um período de atenção muito curto… era algo que ela estava contando especialmente com este movimento. Ela só nunca daria muito pensamento sobre quantos amigos ela perderia no caminho. —Obrigado, Verônica. Eu manterei tudo isso em mente, eu prometo. As duas mulheres disseram seu adeus. Morrigan soube que provavelmente seria o último adeus entre elas.

17-GrupoRR 17-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Três Mais tarde, naquela mesma tarde enquanto Morrigan terminava com o último pacote, de repente estava consumida com o desejo para caminhar a pé por sua nova propriedade. Ela calçou suas melhores botas de caminhada, calça jeans e camisa de moletom, antes de sair pela porta dos fundos. Enquanto ela caminhou pelo quintal, sua trança de cobre refletia na luz solar. Apesar do clima frio, ela logo esquentou por seus esforços. Seus passos levaram-na além do quintal para além de floresta arborizada. Um minúsculo animal na trilha a levou mais fundo no abrigo das árvores, entretanto ela foi cuidadosa para manter sua casa à vista. Não familiarizada com o terreno como ela estava, ela não quis arriscar se perder na mata densa de árvores. Depois de vários momentos de caminhada, ela se sentiu isolada do mundo completamente. Aqui a espessa cobertura da floresta, a protegia dos raios de sol. O crepúsculo jogava sombras em toda parte. Era fresco aqui longe do sol, e ela estremeceu. O canto de pássaros selvagens e o farfalhar de animais lentamente desapareceu até o silêncio. O único som que atravessou foi o da madeira quebrada pelos seus pés como ela marchou entre os arbustos. Morrigan procurou nas árvores e matagais, respirando profundamente do ar crispado da floresta. Pela primeira vez em meses ela começou a sentir uma sensação real de calma e paz a alcançando. Ela fez a escolha certa em mudar para aqui, ela decidiu com um sorriso minúsculo. Apesar das advertências de todo mundo em sentido contrário, sua vinda aqui era exatamente o que ela precisava. Se já existia um lugar para se redescobrir, era este. Seja ou não este lugar se tornaria seu verdadeiro lar continuaram a ser visto. Mas no fundo ela soube que este era o lugar certo no tempo certo para… o que fosse que ela estava buscando. Depois de só dois dias curtos ela sentiu mais à vontade — mais feliz — do que ela já sentira em sua Nova Iorque nativa. Qualquer compulsão a dirigiu para vir para esta terra estrangeira, ela estava contente disto. Ela estava contente por estar aqui. Localizando um tronco coberto de musgo, ela se sentou e inspecionou seu ambiente com um olho apreciativo. Era escuro aqui no coração da floresta, crepúsculo azul e calmante. Alguns fragmentos perdidos de luz solar atravessava pelas copas espessa para alcançar o chão de bosque. Emprestou uma qualidade de conto de fadas para a terra. Morrigan podia quase imaginar fadas e gnomos minúsculos viajando pela madeira e ela riu. Seguramente em todo o mundo este era um lugar de magia e maravilha. Era o lugar perfeito para uma alma criativa progredir e prosperar. 18-GrupoRR 18-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Cheiros de coisas crescentes, terras ricas, e cascas úmidas assaltaram suas narinas, junto com o cheiro de ozônio penetrante da água fresca que corria. Procurando em volta, ela não podia ver nenhum sinal de um riacho ou lago, entretanto existia provavelmente um muito perto dali. Preguiçosamente ela perguntou-se a que distância ela se afastou da casa, percebendo apenas quanto tempo tinha sido desde que ela perdeu a visibilidade do quintal. De repente ela ficou tensa. Nervosa agora, ela apressadamente fez para subir de seu poleiro no tronco caído. Mãos fortes, frias agarraram firmemente sobre seus ombros. O cheiro de chuva e água corrente era mais forte agora. Sedoso, cachos negros como meia-noite caíram sobre os ombros como o homem por trás dela se debruçou até sussurrar em sua orelha. —Não vá só ainda. Morrigan soltou um grito estrangulado e tentou subir do tronco mais uma vez. Para seu desânimo o homem não iria liberar seu poder sobre ela. Ela foi forçada a ficar sentada, entretanto ele era forte suficiente para segurá-la quieta, ele era gentil e não a machucava. Seu coração estremeceu em seu peito e seus lábios tremeram com um medo vertiginoso. —Deus, eu estou ficando louca. Eu estou ficando louca. —ela murmurou. Sua respiração severa pareceu expandir no silêncio espesso ao redor eles. —Shh, não minha bela, nunca pense assim. Tente se acalmar. Eu posso saborear seu medo e o cheirar no vento. Eu não desejo que você me tema. Nunca isto. Morrigan não estava escutando suas palavras, mas o tom de sua voz a acalmou como nada mais podia. Seu doce tom ecoado em sua mente, enviando um thrum profundo de calma lavando por seu corpo. Logo as batidas do coração diminuíram a velocidade até que era quase normal, e suas respirações apavoradas aliviaram sua cadência à medida que ela se acalmou. Um langor sonhador a colheu, e ela involuntariamente se debruçou de volta contra ele. Sua cabeça caiu ao lado, descansando contra seu braço em seu ombro. Vários momentos passados em silêncio, os olhos preguiçosos e cobertos que ela chegou perto de cochilar. Sem quebrar contato com ela reclinando de volta, o homem moveu mais baixo para agachar atrás dela. Sua cabeça para trás para descansar em seu ombro, expondo seu pescoço completamente para ele. O toque fresco de seus lábios em sua garganta nem a chocou, ela estava tão completamente à vontade. Com a carícia mais suave que um sussurro ele apertou um beijo contra a batida de seu pulso, correndo sua língua para fora para saboreá-la. Lambendo e lavando ela lá, sua língua parecia muito mais quente que seus lábios. Ele pareceu marcar com ferro. Ele suavemente rosnou, apertando mais firmemente contra ela, deixando-a sentir as pontas de seus dentes. Qualquer 19-GrupoRR 19-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

encanto escuro a segurava quieta vacilou por um momento e ela sentiu um frisson de seu medo antigo rastejar de volta. —Por favor, não faça. —ela administrou. —Mas eu devo, bela. A memória do gosto, a sensação e seu cheiro, me assombram. A especiaria e doçura que se prolongam em meus sentidos. Eu devo saborear de você novamente. Nenhuma simples memória pode durar tempo suficiente para sustentar minha fome por você. —Não faça. —ela engasgou-se como ele baixou sua cabeça para apertar outro beijo quente contra que seu pulso. Suas palavras eram amortizadas contra sua carne. —Não resista. Sinta apenas o prazer — a retidão —. O poder de sua voz musical a enfeitiçou mais uma vez. Felizmente ele aliviou o pânico que tentava alcançá-la. Como ele a lambeu novamente, uma trilha longa molhada junto a seu pescoço, ela sentiu seus dentes localizarem ligeiramente acima de sua carne mais uma vez. Desta vez ela não teve medo dele. Ao invés, uma onda de luxúria tão crua e forte precipitou-se nela a fazendo suspirar. Calor agrupou abaixo em sua barriga, deixando-a fraca contra ele. Um calmo, gemido sussurrado escapou dos lábios, e ela arqueou seu pescoço mais completamente para seu beijo. —Sim... —ele respirou. —Você sente o calor e a força de nosso laço, não é? Eu posso cheirar sua estimulação. É um perfume tão delicioso. —Suas mãos a apertaram convulsivamente. —Você me faz te querer tanto. —Ele murmurou qualquer outra coisa, algo soando escuro e erótico, mas ela não conseguia distinguir suas palavras. Suas mãos moveram abaixo de seus ombros para o copo de seus seios amorosamente, amassando eles até que eles se sentiram inchados e doloridos. Dedos polegares arreliavam seus mamilos a pontos excitados através do algodão espesso de sua camisa de moletom. Ele rolou seus mamilos entre seu polegar e indicador, a fricção de seus movimentos deixando seu corpo chamejante com desejo acordado. Ofegando suavemente, ela arqueou suas costas desenfreadamente, enviando seus peitos mais firmemente em suas qualificadas e sábias mãos. Suas coxas se separaram por sua própria iniciativa e imediatamente sua mão em concha a carne íntima entre eles. Ele a esfregou lá, colocando pressão no primoroso clitóris inchado através do tecido de sua calça jeans e fazendo-a tremer com necessidade. Os beijos aquecidos em seu pescoço eram exigentes e ela sentiu sua boca aberta contra ela. Ele afundou suas presas profundamente na veia pulsante em seu pescoço, rosnando baixo em sua garganta. Não existia nenhuma dor, só uma onda enorme de prazer que ameaçava afogá-la em sua intensidade. Ela foi empurrada diretamente nos braços de um orgasmo violento. No fundo de sua mente ofuscada ela ficou atordoada com sua reação para ele. Ele estava bebendo seu sangue e ela estava divertindo-se como uma devassa. 20-GrupoRR 20-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Garras de primoroso êxtase ajuntado abaixo por seu corpo, fazendo-a estremecer e se contorcer, mas sua mente correu para tentar recuperar o controle de suas emoções traiçoeiras. Era inútil, ela estava no encalço do prazer que ele deu tão livremente e sem reservas. Ela estava perdida. O calor pulsante de seu êxtase irradiava para fora de seus dentes profundamente enraizados. Inundou abaixo por seus seios e diretamente para seu útero. Ela gritou com o seu lançamento, girando seus quadris contra suas mãos manipuladoras.

21-GrupoRR 21-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Ele desenhou fundo de sua veia, sua mandíbula trabalhando contra ela como uma criança amamentando de sua mãe. Quanto mais ele bebeu dela mais duro ela veio. Com um movimento inesperado súbito, ele puxou de volta dela. Sua língua varreu ao longo do ferimento quando seus dentes se retiraram de sua carne. Aquela carícia prolongada causou tal aperto em seu útero que seu corpo inteiro empurrou e quase a desmontou. O vento era um frio súbito contra seu pescoço enquanto ele a deixou, e seu orgasmo lentamente baixou, deixando-a fraca e gasta. Ela deitou sem ossos contra ele, chocada com seu comportamento. Mas ela estava muito ofuscada do prazer para mudar-se. Depois de um tapinha, por último, amou sua vagina ainda formigando, ele se moveu. Suas mãos tomaram uma alça firme para mantê-la na vertical e ele veio ao redor para ficar diante dela. Seus olhos purpúreos olhando profundamente nos dela por uma batida longa do coração. Morrigan foi a primeira a desviar o olhar, como se ela pudesse fazê-lo desaparecer não reconhecendo sua presença. Uma mão em seu queixo a moveu para enfrentá-lo, e ele apertou seus lábios suavemente nos dela. Seus lábios não eram mais frescos. Eles eram aquecidos com o calor do sangue que ele bebeu dela. Curiosamente, este pensamento surgiu, mas não a alarmou. Bastante, enviou uma excitação de desejo renovado cursando por ela. Sua boca aberta na dela, e ela deu boas-vindas a sua língua, encontrando seus golpes com seus próprios. O gosto dele era selvagem e excitante, e a sensação de seus caninos contra seu lábio fez suas coxas apertarem com necessidade de erótica. Suas mãos surgiram e cercou seu pescoço quando ela se perdeu no beijo. Ela devia ter sido assustada pela força de sua resposta por este homem de sonho. Por tudo que ela sabia que ela finalmente perdeu rédeas de sua sanidade. Este parecia tão real. Ver a manifestação física e muito real de um vampiro alado enquanto acordada era… louco. Mas ela não sentiu nenhum medo, e nenhum pânico—não agora. Agora, em seus braços, ela sentiu só prazer e aceitação dentro dela mesma. Ela cedeu alegremente ao maravilhoso sentimento que queria consumir e dominála. Ávida e excitada, ela o beijou com uma fome e fervor que combinava com o dele próprio, debruçando contra sua carne desnuda. Presas beliscavam suavemente em seu lábio, antes dele morder abaixo em sua própria língua, derramando sangue. Ele empurrou sua língua e seu sangue em sua boca. Suas mãos fortes moveram para sua cabeça, segurando-a cativa. Suas línguas duelando, e sua boca inundada com o calor doce de seu sangue. Sem parar para pensar, nem mesmo dando tempo a si para temê-lo, ela amamentou sofregamente em sua língua. A umidade de seu sangue manchando seus lábios enlaçados como ele sangrou livremente nela. Ela tragou toda gota preciosa que ele alimentou para ela. Ela era insaciável. 22-GrupoRR 22-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Seu corpo foi inundado com o gosto, o cheiro e a sensação dele. A intoxicou, esta alimentação primitiva, e sua visão nadou abaixo de suas pálpebras fechadas. Seu mundo queimou com o fogo purpúreo existente em seus olhos, e ela perdeu toda sensação de tempo e lugar, dando-se mais de seus desejos escuros. Ela voltou para ela mesma lentamente, momentos — talvez horas — mais tarde, quando ele gemeu contra sua boca com a força de seu próprio orgasmo. Era óbvio que ele achou muito prazer quando ela bebeu seu sangue. Ela alcançou e sentiu seu derramamento de sêmen quente e molhado acima de sua mão. Acariciando seu pênis poderoso como pulsou em sua mão, ela foi humilhada pela magia crua do momento. Seu gemido de liberação zumbindo contra sua boca e em sua garganta à medida que ele moveu-se, empurrando em sua mão. Naquele momento ela se sentiu completa. Com sua mão inundada com sua semente e com sua boca cheia do gosto dele, ela sentiu como se ela voltasse para casa. Ela o queria tanto que doía, e ele perguntou se tinha de que ela teria alegremente dado a ele qualquer coisa—tudo. Era loucura. Ele puxou relutantemente de seu beijo, beliscando seu lábio antes dele se afastar dela. Ele limpou seu esperma de sua mão com algumas folhas caídas antes dele varrer sua mão por seu cabelo. Desmanchando sua trança ele enredou seu punho dentro das ondas de cobre. O movimento era impossível enquanto ele a segurou com sua mão e com seus olhos. —Morrigan, minha bela, você me conhece agora? Visões a assaltaram, e ela nadou no fundo oceano purpúreo de seu olhar. Com súbita, surpreendente claridade ela o conhecia. —Azure. —sua voz hesitou rouca com emoção. —Seu nome é Azure, mas você é chamado Az por seus amigos e família. Uma cegueira, amplo sorriso foi sua recompensa, e ele apertou um beijo suave em sua sobrancelha. Ele a juntou mais próximo a ele, este novo abraço um conforto onde os outros foram excitantes. Ela retornou o abraço, no encalço da magia do momento. Era um momento de descoberta e revelação. Como ela soube seu nome? Como ela podia saber que ele tinha procurado por ela — seu companheiro — por anos, e que ele quase perdera a esperança de sequer encontrála? Naqueles momentos não importou como ela soube. Não importou que isto fosse provavelmente um sonho, ou alucinação. Correndo as mãos amorosamente para baixo pela capa de seda suave de suas asas, ela suspirou e descansou contra ele. Ela sentiu tão direito, então contente que ele a segurou. Não havia lugar para medo. Az se afastou dela e segurou seus braços em um aperto firme, mas gentil. —Você não terá mais medo de mim, Morrigan, minha bela. Você me dará boas-vindas em seus sonhos e não mais terá medo. A lembrança de seus sonhos, falado em voz alta assim, a deixou tímida. Ele segurou-a firma.

23-GrupoRR 23-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Eu não tenho a força para encontrar você acima água como isto, em suas horas de vigília, muitas vezes. Seus sonhos são um ponto de encontro mais fácil para você e eu até que eu esteja em minha força completa. Eu visitarei você lá com maior facilidade agora que nós compartilhamos sangue. Nós estamos ligados agora, e logo nós poderemos ficar juntos para toda eternidade. Mas no momento, eu devo retornar a água.

Morrigan se sentiu tonta enquanto ele a ajudou a levantar. Ele apertou um beijo aquecido em sua palma, e com uma rajada pequena de vento ele desapareceu bem diante de seus olhos. A rudeza de sua partida, juntamente com sua perda de sangue, serviu como sua perdição. Com uma expulsão minúscula de ar, seus olhos rolaram acima na parte de trás de sua cabeça. Ela caiu no chão, desmaiada.

24-GrupoRR 24-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Quatro O relógio atingiu meia-noite e Morrigan saltou em sua cadeira com um grito agudo de surpresa. Em uma mão ela segurava um taco de beisebol de alumínio, enquanto com a outra que ela agarrava ainda outra xícara de café que se já estava fria em seu lado. Ela se amontoou em seu esconderijo diante de uma lareira, os pés enrolados em baixo dela sobre a cadeira de pelúcia enquanto lutava contra o sono. O sono era seu inimigo agora. Em sua mente ela soube que estava além de tolo para pensar que poderia evitar sono para sempre, mas ela lutou contra isto de qualquer maneira. Seus nervos estavam saltando do excesso de cafeína absorvida, mas neste momento ela não sabia o que mais fazer—ela temia dormir mais que qualquer coisa agora. Provavelmente seria mais sábio para ela agora buscar ajuda médica. Mas ela não podia arriscar ir para o hospital para tratamento imediatamente porque a publicidade que se seguiria com certeza arruinaria quaisquer chances que ela tivesse para paz em sua nova casa. Era muito cedo depois de sua aposentadoria pública para arriscar chamar atenção para ela mesma. A mídia teria um dia de campo. Mas ela obviamente não podia lidar com seu estado mental sozinha. Especialmente não depois dos mais novos desenvolvimentos desta histeria. Qualquer que seja as causas para suas alucinações, eles não tinham sido resolvidos por sua mudança recente de estilo de vida. Se qualquer coisa, eles cresceram muito pior. Morrigan não tinha nenhuma idéia do que estava acontecendo com ela. Depois de acordar no bosque no pôr-do-sol, ela caminhou para casa. Por incrível que pareça ela estava tranquila e à vontade. Sua mente tinha sido abençoada em branco. Não tinha sido até muito mais tarde que ela descobriu a contusão tenra em seu pescoço. Foi então que aquela realidade veio colidir diretamente nela. Olhando no espelho ela não podia negar a evidência de dois ferimentos de perfuração arruinando sua pele. O que na Terra estava acontecendo com ela? As linhas entre sonho e realidade estavam obscurecendo em sua mente. Seus pensamentos eram uma confusão sem tamanho. Os ferimentos em seu pescoço eram reais—como qualquer coisa, exceto um conjunto de caninos muito afiados lhes causou ela não podia dizer. Não existia nenhuma explicação racional. Era opressivo, visões eróticas do verdadeiro Az? Mas isso seria impossível — o homem não era nem humano. Obviamente. Ele ostentava presas e asas, e ele bebeu sangue. Seu sangue! Além de, existia nenhum modo que ela de boa vontade teria bebido seu sangue. Não a menos que seja um sonho ou alucinação. Certo? Certo. 25-GrupoRR 25-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Talvez se ela repetisse estas coisas várias vezes em sua cabeça, os faria muito… mas enquanto isso ela recusou adormecer. Az prometeu vê-la em seus sonhos. Ela recusava dar a ele a chance.

26-GrupoRR 26-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Ela tinha que ser cuidadosa não dar a ele uma oportunidade para consumi-la muito completamente novamente, como ele teve esta tarde na floresta. Ora! Az—ela estava pensando sobre ele como se ele fosse real e não uma invenção de sua super estressada imaginação. Ele era um monstro de conto de fadas das dragas de seu subconsciente, certo? Um demônio ou monstro, vinha para atormentá-la com visões de pesadelo de beber sangue. Seguramente, ela apreciou cada momento disto. Mas isso era loucura, certo? Nenhuma pessoa sã acharia prazer em tais visões escuras. Por que seu corpo pulsou com o prazer lembrando-se de seu abraço? Por que ela não podia parar de pensar sobre sua beleza e poder? Como sua voz embrulhou ao redor ela como lençóis de seda fresca, e o quão sensual era seu beijo. Ela não soube por que, e não se importou também. No momento era suficiente que ela tivesse um pouco da vontade remanescente que era dela própria. Ela lutaria com este homem de sonho estrangulando em seu corpo e emoções. Recusando adormecer hoje à noite era o curso mais seguro que ela podia ver. Então ela ficaria aqui, amontoada diante do fogo, pegando a única arma que ela podia achar como se fosse um salva-vidas. Drenando sua caneca, estremecendo contra o calor do café que queimou sua garganta, ela piscava furiosamente. Era difícil não ficar hipnotizada pela dança dourada das chamas antes diante dela. Seus olhos eram pesados, com as pálpebras queimando de falta de descanso. Tinha sido dias desde que ela teve qualquer sono pacífico. Os sonhos de Az tiveram a assombrando com frequência crescente, e ela sabia que se ela dormisse agora ele já estaria lá esperando por ela. Ambos os pensamentos a assustavam e a emocionavam. Ela não se entendia mais. As horas da noite esticavam, e ela trabalhou para achar coisas que ocupassem sua mente cansada. Ela ligou a televisão, tentou escrever um pouco de poesia, chegou até a tomar um banho frio. O choque enviou seus músculos gritando, mas ele a despertou o suficiente que ela ganhou uma hora sólida de vigilância sem ter que lutar por isto. Mas sono não seria mitigado por muito tempo. Suas noites acordadas estavam pegando até ela tudo de uma vez, e não existia muito que ela pudesse fazer sobre isto. Seu corpo estava tremendo com fadiga. Ela soube que era só questão de tempo agora. O amanhecer pintou o horizonte com matizes de violeta e laranja, ela afinal cedeu. Ela adormeceu, sentando vertical em sua cadeira com a televisão falando sem parar para quebrar o silêncio. Seu taco de beisebol caiu desadvertido no chão, e sua cabeça afundou ao lado. Todos seus sonhos felizmente deixaram-na só. Ou ela estava muito cansada para sonhar ou muito confortada pela luz do dia. Não importou. Ela pacificamente dormiu, todo o dia. ***** 27-GrupoRR 27-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Era quase quatro horas quando Morrigan afinal acordou. Ela estirou. Seu corpo estava espasmódico de se sentar afundada na cadeira por tanto tempo. Seu pescoço e espinha estalavam audivelmente, mas apesar de todas as suas dores ela sentiu deliciosamente bem descansada. Ela sorriu quando se levantou de sua cama improvisada. —Nenhum sonho, graças a Deus. —ela disse em voz alta para ela mesma. Ela esperava que eles estivessem no passado. Ela esperava que tivesse exorcizado eles de sua mente subconsciente com a culminante alucinação de ontem. Alguma coisa tinha que dar porque ela não podia continuar vivendo assim — com medo de dormir, com medo de sonhos. Vigorosamente ela empurrou de lado suas reflexões. Tal assombro não a levaria em nenhuma parte. Eles serviriam apenas para chateá-la. Seu estômago rosnou e ela foi para a cozinha à procura de comida. Examinando a geladeira e em seus armários — ambos completamente providos por seu serviço de administração interna a véspera sua chegada—ela achou para seu desgosto que nada apelava para ela. Nada pareceu apetitoso, entretanto seu estômago queimava insatisfeito com fome, tornando conhecido seu descontentamento com gargarejos ruidosos. A náusea a assaltou quando ela tentou comer algumas bolachas salgadas. Ela temeu que pudesse estar descendo com uma forte gripe. Com um pouco de descanso ela estava conseguindo, não seria nenhuma maravilha se ela ficasse doente em cima de coisas. Em um de seus armários ela encontrou uma lata de sopa de tomate e percebeu com surpresa que o pensamento de comer era bastante agradável para seu estômago nauseado. Ela odiava simples sopa de tomate — nunca comeu o material a menos que fosse usado como um ingrediente para qualquer outra coisa. Isso era estranho. Oh bem, melhor a sopa que nada. E agora mesmo seu estômago não quis nada exceto a sopa. Ela saiu sobre a varanda do quintal para consumir sua generosidade de sopa de tomate e vinho tinto. Surpreendentemente era bastante saboroso e ela não teve nenhuma dificuldade para tomá-la. —Bem, isso não foi tão ruim. —ela disse para quebrar o silêncio. Seu estômago estava cheio, sua mente e corpo bem descansados. O que mais alguém podia pedir? Com um coração mais leve ela limpou as sobras de sua comida e entrou para escrever. O tempo todo ela rezou que seu sonho acordado da véspera não viria para se intrometer com ela hoje.

28-GrupoRR 28-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Cinco Mais tarde aquela mesma noite, Morrigan correu um banho quente para ela mesma em seu banheiro principal. A banheira enorme afundada no centro do grande quarto era feita de mármore sólido e era grande suficiente para quatro pessoas reclinar facilmente. Era uma das principais razões para ela desejar comprar a casa. Ela amou a água e apreciou uma embebição relaxante em um banho quente longo. Ela adicionou bolhas perfumadas e acendeu velas de chá ao redor da beira da banheira gigante. Sem outra fonte de luz, o quarto cintilava com sombras dançantes expressas pelas chamas. O vapor de água brilhou onde as bolhas se separaram para permitir uma olhada no líquido embaixo. Removendo seu roupão de cetim azul até o chão, ela entrou na banheira acolhedora. Seu cabelo estava solto e quando seu corpo ajustou na temperatura da água, ela baixou sua cabeça abaixo da superfície para saturar. Ela lavou seu cabelo e corpo até que ela brilhou com um brilho rosado. Inclinando para trás ela deixou a dança das chamas das velas a acalmar. Seus olhos ficaram pesados no vapor nascente, e sua respiração diminuía a velocidade. Fazia tempo que ela tinha estado tão relaxada. Bem, aparte daqueles momentos depois de seu orgasmo nos braços do Az ontem. Mas isso tinha sido um sonho e isto era realidade, e ela se sentiu totalmente relaxada pela primeira vez que em anos. O sono rapidamente a colheu, muito depressa para ela lutar contra isto. Um momento ela estava acordada — o próximo ela estava em estado de sonho. Tão depressa a cena mudou e ela ficou nua na banheira antes afundada. Dentro dele Az reclinou preguiçosamente, esperando por ela. A água estava cheia de pétalas de rosas carmesins flutuantes. Tão cheias, de fato, que a água estava tão escura e espessa quanto sangue. Os cachos pretos do cabelo do Az eram como um remendo profundo da meia-noite, nem mesmo refletindo o brilho dos milhares de velas circundantes. Sua normalmente pálida pele estava dourada na luz e seu tórax musculoso subiu acima da linha de água. Ele levantou uma mão das profundidades da água escura e estendeu para ela, acenando para mais perto. —Venha e junte-se mim, doce Morrigan. Eu anseio por seu… toque. Sem pensar duas vezes, seus medos antigos de um encontro com ele esquecido, ela moveu na água carmesim aromática. Ela suspirou em felicidade quando a água bateu em seus quadris e cintura. Ela sorriu e tomou sua mão estendida com ela própria. Sua pele estava fria e estranhamente seca apesar da água. Ela notou isto sobre ele antes. Ele nunca pareceu ficar molhado. Ela era movida a observar isto. 29-GrupoRR 29-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Você nunca está molhado quando você vem da água. Nem mesmo seu cabelo fica molhado. —Até para suas próprias orelhas sua voz era gutural de suas paixões nascentes. Az sorriu, seus olhos perambulando apreciativamente acima de seus peitos como eles foram para cima e para baixo na água. Seu faminto olhar era quente suficiente para queimá-la. Instintivamente seu corpo reagiu para a promessa segura em seu purpúreo olhar. Ele falou naquela voz bonita que ela amou muito ouvir. —Meu corpo é diferente de seu. Eu tenho que mover rapidamente pela água e seria impedido se a água grudasse em mim — pesaria abaixo. Então minha pele e cabelo secam até quando eu estou submerso. Todos da minha espécie são assim. Mas sua pele... —ele retraiu uma respiração funda. —Brilha graciosamente com a água. Ela brilha como um espelho, ou uma estrela. Deixa-me sedento por um gole da água de sua carne. Aquela voz escura lavada através ela. Enviou calor alagou baixo dentro de sua barriga. Sua vagina apertou e inundou com calor molhado, sedoso que não teve nada a ver com a água cercando eles. O ar tremeu suas respirações. As ondulações na água moveram ao redor seus peitos, atraindo seus olhos lá uma vez mais. Ele estendeu uma mão e a colocou em cima de um mamilo já ereto. Sua pele, como sempre, foi um contraste fresco contra o calor dela. A sensação só exaltou o prazer de seu toque. Seu mamilo inchou quase dolorosamente e ele o aliviou com um bater de seu dedo polegar. —O que você é? —Aliviaria seus medos um pouco se eu dissesse a você? —Você não é humano. —ela evitou a pergunta. Seus medos estavam rastejando em cima dela. Como podia ele saber? —Eu posso cheirar seu medo. —ele respondeu sua pergunta não dita. — Talvez você não esteja pronta para saber. —Eu tenho que saber. Eu estou ficando louca e eu preciso de algumas respostas. —Você não está ficando louca. —ele enfatizou. —Eu direi a você o que eu sou se ajudará a aliviar suas preocupações. Eu não sou de seu mundo. Eu não sou um humano — entretanto você já percebeu isso. Eu sou de uma raça chamada Icari. Meu mundo é longe daqui, passadas muitas estrelas e galáxias. —Como você chegou aqui? —Por portais na água de nossos mundos, portais pelo espaço. Eu vim de longe, por muitos portais, para achar você. Morrigan tragou severamente e tentou se concentrar mais em suas palavras que nas carícias leves de sua mão em seu peito. Seus dedos arrancados à toa em seu mamilo, como se ele não tivesse conhecimento de suas ações ou seu efeito nela. Seu corpo cantou com prazer que irradiava de cada toque. Era muito difícil de manter sua mente na conversação. —P-por que você estava procurando por mim? 30-GrupoRR 30-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Você não pode supor tanto? Você pode negar até aquela pequena admissão para você e para mim? —Sua voz endureceu com as últimas palavras. Olhando profundamente em seus olhos flamejantes, ela esquivou da verdade que encontrou dentro de si. —Sim. Você sabe. Você é minha companheira, minha mulher. —Eu não acredito em você. —Sim você acredita. Mentir não mudará a verdade. —Eu não acredito em tais coisas. —Você não acredita em destino? Apaixonar-se e em paixão? —Sua voz estava repreendendo. —Você não é real! Você é uma invenção de minha imaginação super estressada, e facilmente tratável com medicamento. —Ela apertou seus olhos e balançou a cabeça para trás e para frente. Ela não poderia deixar este sonho sair da mão. —Quantas vezes você disse isso para si mesma? E quantas vezes você acordou achando provas que estes não são meros sonhos? Nós estamos destinados um para o outro. É um laço instintivo que ambos partilham — entretanto você luta contra isto agora. Eu vim para reivindicar você, como é meu direito pelas leis do Destino. —Se for garantia que você busca, eu posso dar a você e alegremente. Eu juro que o prazer será o seu corpo, sua mente e sua alma, de modo que você não pode nem começar a imaginar. Eu vou te virar do avesso e fazer você gritar com êxtase como você nunca conheceu. Você nunca conheceu alegria e felicidade como a que eu posso te dar. —Eu manterei você protegida de dano. Eu amarei e adorarei vocês todos os meus dias. O que você pedir, eu darei e alegremente. Você sabe a verdade de minhas palavras, profundamente, embora você obstinadamente lute contra isto. —Por que você está dizendo estas coisas? —Ela não podia evitar a pergunta. Seus olhos arderam. —Porque eu quero dizê-las. Porque por anos eu tenho estado só. Agora eu achei você… e eu não vou deixar você ir. —Suas palavras ecoaram no quarto escuro à luz de velas, excitando e a assustando com sua intensidade. Ele curvou sua cabeça e abanou sua respiração quente acima de seus lábios entreabertos. —Eu estou mantendo você. —ele disse, antes de voar para baixo como uma ave de rapina e reivindicar seus lábios em um beijo comovente. Morrigan o beijou de volta com um fervor que ela não soube que possuía. Ele cavou as mãos na carne de seus quadris e a trouxe mais perto dele, erguendo as pernas dela e a montando nas suas próprias. Ele puxou o calor úmido dela em contato chocante, súbito com sua seta de pedra dura. Ela ofegou como os músculos de sua vagina apertaram sofregamente, deixando seu já inchado clitóris pulsando contra o peso pesado de seu pênis. Quando ele beijou seus dentes rasparam em seus lábios tenros. Ela moveu contra 31-GrupoRR 31-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

ele brutalmente. Nunca antes se sentiu com tal fome a consumindo, nunca pareceu tão molhada ou pronta para sexo como ela estava agora. Seu corpo estava tremendo com a força de seu desejo, e ela não podia entender isto. Ela soube que ela devia estar lutando, com medo de sua inteligência — mas ela não tinha medo mesmo. Não mais. A realidade podia vir para mais tarde, mas no momento ela quis se perder em seus braços. Certamente era o que ela sempre quis desde o princípio. Az enviou sua procura boca até seu peito e sorveu o mamilo com um puxão em sua boca. Ela gemeu em voz alta com a carícia. Sua boca era muito mais quente que o resto dele, e ele a escaldou com seu erotismo escuro. Seus músculos vaginais contraíram e formigaram quando seu pênis roçou contra seu clitóris. Ela perguntou-se como seria a sensação de um orgasmo ao redor seu pênis. Livrando seu mamilo com um molhado e estalando som, ele partiu para o outro, seus dentes raspando contra ela em seu ardor. Ela ofegou na pequena dor e gemeu quando ele acalmou isto com sua língua. Sua cabeça foi lançada para trás e seu braço sustentou suas costas à medida que curvou. Eles gemeram e suspiraram. Eles estavam ambos perdidos no calor do momento. Rosnando, ele girou com ela na água. Puxando ela em baixo dele, ele levou ambos para baixo da água. Eles vieram à tona, com Morrigan estalando sua surpresa, seu cabelo e pele flutuante com pétalas de rosas vermelhas. Ele sorriu maldosamente, relampejando seus caninos. Com as mãos fortes ele a ergueu até deitá-la encostada contra a borda da banheira. Ela foi alargada fora antes dele, vulnerável, com suas costas curvadas e seus peitos levantados para sua conveniência. Ela olhou para ele, olhos arregalados, e assistiu enquanto ele banhava seu corpo com os lábios, dentes e língua. Beijando cada peito uma última vez, ele arrastou lábios para baixo através de suas costelas e estômago. Ele imergiu sua língua no escuro oco de seu umbigo, fazendo-a arquejar e gemer com sua ardente atenção. Em recompensa para sua resposta abandonada ele suavemente beliscou em sua carne com as pontas de seus dentes. Uma gota solitária de sangue apareceu em sua carne. Ele a lambeu longe com sua língua longa, aveludado. A imagem de sua língua descaradamente erótica enrolou contra sua carne enviando uma pulsação de luxúria crua furiosa por seu corpo. Ele moveu mais baixo, e mais baixo, espalhando suas pernas tão largas quanto eles iriam com a largura imensa de seus ombros musculosos. Morrigan alerta foi dado um momento como seus olhos ardentes encontrou os dela, antes dele imergir sua cabeça para lamber seu brilhante, inchado clitóris. Língua aveludada lambendo os lábios, ele mergulhou ainda mais para o mel escondido dentro. Ele gemeu contra ela, as vibrações contra suas dobras ultrasensíveis fazendo-a subir rapidamente. Usando seus lábios, dentes, e língua impiedosamente contra ela, ele rodou em seus sucos. Ele bebeu profundamente de sua resposta apaixonada. Morrigan jogou a cabeça para trás e arqueou mais firmemente contra sua boca voraz. Ela dirigiu suas mãos em seu cabelo e puxou seu rosto vigorosamente 32-GrupoRR 32-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

contra sua boceta em chamas, clamando como ele zerou conscientemente em seu clitóris. Quando ele amamentava dela, ela ondulou de modo selvagem contra ele. Ela veio contra sua boca com gritos de abandono. —Deus, Deus, eu não posso suportar isso. Por favor… eu não posso tomar mais. —ela clamou entrecortadamente enquanto seu orgasmo espiralava sempre avante, ganhando intensidade com cada movimento de seus lábios contra seu clitóris. Seus músculos vaginais apertaram como um punho. Ela pulsou e estremeceu contra sua boca. Az empurrou um dedo longo nela, o torcendo em um gancho para raspar mais naquele lugar mágico dentro dela. Seu corpo convulsionou e as contrações de seu orgasmo renovado em sua intensidade. Sentiu como se seu corpo fosse esticado em uma prateleira de prazer tão intenso que foi perto de doer. Ela nunca se sentiu tão perfeitamente viva. Morrigan afinal prendeu a respiração e desceu do tempo, dança perversa nos céus. Ela olhou por baixo das pestanas pesadas e viu por um momento Az quando ele baixou a cabeça para pressionar um beijo ardente em sua coxa interna. Ela realmente podia sentir sua fome em seu sangue como se fosse dela própria. Ela soube instintivamente que ele queria se alimentar dela. Ela perguntouse por que ele não subiu acima dela e bebeu de sua jugular como ele fez antes. Ela arqueou contra ele, caladamente oferecendo a tudo que ele desejou, lançando se no altar de seu prazer. Az olhou para ela e Morrigan encontrou seus olhos continuamente. Suas características estavam quase absorvidas pela chama ametista de seus olhos. Nunca em sua vida ela tinha visto uma visão mais erótica que a cabeça dele lá entre suas pernas extensamente alargadas. Ela sentiu uma pulsação renovada de êxtase irradiar fora de seu núcleo até o resto de seu corpo. Seu corpo todo estremecia com a força dele. Quando seus olhos desviaram de volta para a carne de sua coxa interna, ela sabia o que ele procurava. Surpreendentemente, ela queria dar-lhe tudo que ele desejava. E mais. —Por favor. —ela implorou, sem vergonha. —Alimente de mim, tome tudo que você quer. Ele não precisava de nenhuma persuasão adicional e atingiu, afundando seus dentes profundamente na carne de sua coxa interna. Ele bebeu fundo do sangue quente, rico ele desenhou lá. Morrigan gritou com a força de outro orgasmo. Era incrível. Ela perdeu vários momentos como ele alimentou lá, sua boca a bebendo vorazmente. Quando ela voltou a si, ela o viu posicionando a ponta de sua ereção espessa entre os lábios brilhantes, carne molhada. Seu cabelo preto ondulado protegeu seu rosto de sua visão e provocou cócegas contra sua barriga. Ela conseguiu um vislumbre claro de seu pênis entre o balançar de seu cabelo e ofegante de excitação. Estava escuro e cheio de sangue, um talo espesso longo—muito espesso para ela colocar sua mão ao redor dele. A cabeça em forma de ameixa escorregou em sua umidade quando ele mudou de posição, fazendo-a arfar de prazer. 33-GrupoRR 33-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

A cabeça volumosa deslizou nela lentamente. Firmemente estirou sua carne, uma vez que violou a boca de sua vagina. Ela estava tão molhada que ele deslizou com facilidade, e depois de um momento breve de resistência seu corpo tragou seu pênis gulosamente. Ele o empurrou nela lentamente, com extremo cuidado, como se com medo de machucá-la se ele movesse muito depressa. Morrigan se levantou e trouxe seus lábios aos dele. —Eu quero áspero e duro. —ela disse em sua boca. Suas palavras estalaram as últimas linhas de seu controle e ele surgiu para casa. A espessura de seu pênis a invadiu, assentando profundamente. Afinal ele veio para descansar com suas bolas batendo contra suas nádegas. A grande cabeça de seu pênis descansado na boca de seu útero. A cabeça do Az foi arremessada para trás, e a visão de seu prazer era a coisa mais comovente que Morrigan já viu. Lentamente ele saiu dela, sua seta vindo quase livre dela antes de surgir de volta nela. Repetidas vezes ele moveu, incansavelmente empurrando dentro e fora dela. Com cada estocada e retirada ela podia sentir sua mudança de comprimento por todo seu corpo, alcançando profundidades impossíveis. Ela nunca se sentira tão invadida por um homem antes, e ela amou isto. Ela moveu contra ele, querendo mais, e ainda mais. Tudo que ele tivesse para dar. —Foda-me mais duro, Az. —ela descaradamente implorou. —Oh bebê, sim. —ele disse em grunhido com um silvo antes de esmurrar impiedosamente nela. Seus corpos golpeando um contra o outro. A força de suas punhaladas fez a água ao redor deles agitar e salpicar. Os sons molhados só serviram para inflamar ainda mais, e ele bateu nela repetidas vezes. Eles espirraram água acima da beira da banheira, enviando pétalas de rosas dispersas ao redor de seus corpos e ao longo do chão. —Deus, eu estou vindo, eu estou vindo novamente. —ela gritou com uma voz que não soava nada com a dela própria. —Vamos, bebê, ordenhe-me. Tome tudo isso. —ele disse, fodendo-a tão duro que suas bolas batiam na bunda dela com um som audível. Suas palavras a inflamaram, enviando num espiral acima do cume de um clímax violento como ela nunca experimentara. Ela gritou longo e alto, contorcendose incontrolavelmente debaixo de sua força empurrando o corpo. Az jogou sua cabeça para trás e soltou um grito que soou como o grito de um gato selvagem. Ecoou em torno do quarto quando ele esplodiu em gozo dentro dela. Ele banhou seu útero em ondas de sua nata quente. Seu pênis pulsando repetidas vezes dentro dela como o pulsar de uma batida do coração gigante. Eles desmoronaram um nos braços do outro e desgastados, ofegantes, durante vários minutos. Tudo estava quieto, exceto o som de suas respirações. Depois de certo tempo, Az puxou acima dela, e olhou profundamente em seus olhos. Interesse e preocupação estavam claramente escritos em seu rosto. 34-GrupoRR 34-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Eu não alimentei você, bebê. Eu sinto muito, perdoe minha rudeza. Eu só estava muito quente para ter você e não pensei sobre isto. —Eu não quero beber seu sangue, Az. —Embora a memória do gosto dele fosse suficiente para fazê-la ansiar mais. —Você deve se alimentar, Morrigan, antes de você debilitar de fome e depravação. —Eu não estou com fome. —ela disse e esperou que seu estômago não rosnasse e desmentisse suas palavras. —Além disso, eu posso comer comida quando eu ficar faminta. Eu não preciso beber sangue para sobreviver. Az mandou a ela um olhar possessivo que a emocionou, mesmo que suas próximas palavras a gelaram até o osso. —Você irá agora.

Capítulo Seis —O que você quer dizer? —Ela perguntou, sabendo que seu tom caiu visivelmente após uma pressa súbita de medo. —Você sabe exatamente o que eu quero dizer. —Não, eu não faço. Diga a mim o que você quis dizer por isto. Ele suspirou. —Você saboreou de meu sangue, e eu o seu. Nós somos companheiros, e com o vínculo de sangue você está ligada a mim em todos os sentidos. Você precisa de meu sangue para sobreviver ou você enfraquecerá. —Hoje você deve ter notado seu desgosto para comida normal. Mesmo assim, eu aposto que você vorazmente faminta para seu sustento. Era só seu corpo adaptando propriamente para os modos de um Icari. É crescente usado para almejar meu sangue. Você pode comer outras comidas, como a fruta apriss ou sang-bagas, mas você precisa de meu sangue para permanecer saudável. Morrigan rastejou para trás fora da banheira para se sentar nua no chão molhado. Seu núcleo aquecido descansando nos azulejos molhados, frescos. Era uma lembrança de seu prazer abandonado em seus braços, até como seus olhos chamejaram de modo selvagem com susto renovado. — fruta apriss, ou sang-berry? Eu comi uma tigela inteira de sopa de tomate, isto é bonita comida normal para um humano. Como você explica isto? —Esta sopa de tomate é vermelha? —S-sim. —ela gaguejou. —Então o que? —Existe sua explicação. Você pode ingerir comidas vermelhas, quanto mais próximas da forma líquida melhor. Você almejará só estas comidas vermelhas de agora em diante. Meu povo se alimenta de tais coisas também. Nós temos muitos para escolher de — como o apriss ou sang-berry — que eles compõem uma parte 35-GrupoRR 35-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

grande de nossa dieta. Nós não meramente vivemos de sangue, entretanto é disso que nos faz o mais forte. Você se acostumará a isto com o tempo. —Eu não acredito em você! —Por que você está negando isto para si mesma? Você sabe que eu estou certo. Entretanto eu posso ver que o conhecimento assusta você, você precisa chegar a um acordo com isto logo. Eu sei que você aprecia se alimentar de mim, que você saboreia meu gosto. Você será mais forte quando minha essência encher e sustentar você. Como que pode ser uma coisa ruim? —Eu não estou virando algum tipo de vampiro alien. Eu saí ao sol hoje. Eu comi comida sólida e eu estou usando uma cruz de prata ao redor meu pescoço pelo amor de Deus! —sua voz levantou-se mais e mais alta com seu pânico. AZ moveu mais próximo a ela. Embora ele se levantasse da água, nenhuma gota de agarrou em sua pele. —Nós não somos estes vampiros que você obviamente tem medo, Morrigan. Eu já disse a você que nossa espécie são Icari. Nós somos moradores da água, não vampiros. Por favor, fique tranquila. —Ele estendeu uma mão calmante em seu joelho, mas ela puxou suas pernas para trás longe dele. —Não toque em mim! —É muito tarde para você ter estes medos, Morrigan. Mesmo agora minha semente está brilhando em sua carne, prova suficiente para nós dois que o tempo para dúvidas é passado. Você apreciou meu toque. Por que lutar por uma coisa pequena? —Coisa pequena? Coisa pequena? Você está dizendo a mim que eu preciso beber sangue para sobreviver e você chama de uma coisa pequena? —Sua voz levantou-se num grito agudo. —Por que você está tão assustada? Você apreciou se alimentar de mim. Eu apreciei isto também. Como você pode pensar que algo tão bonito e direito podiam ser ruins? —Eu não sou como você. Espere — por que eu sequer estou tendo esta conversação? Isto é só um sonho estúpido. Eu só tenho que tomar o controle e acordar e tudo ficará bem. Eu tenho que acordar. —Ela repetiu como um mantra, beliscando a pele de seus braços como se a dor ajudasse a acordar. —Eu não deixarei você sair este sonho. Não até que você esteja mais tranqüila. Nós temos muito para discutir, coisas você precisa saber para chegar a um acordo antes deste sonho terminar. —ele disse. Morrigan olhou para ele. Ela ignorou suas palavras e desesperadamente continuou para cantar. —Acorde… acorde. —Fique calma, meu amor. Nós podemos aliviar seus medos juntos. —Um olhar cansado, apavorado cruzou suas características. —Não! Morrigan, você deve deixar lutar contra mim. Você não está pronta para acordar. Sua voz enfraqueceu até um nada. 36-GrupoRR 36-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Os olhos do Morrigan abriram de repente só para se achar completamente submersa em baixo da água da banheira. Por um segundo ela deitou lá, ainda em baixo da superfície tranqüila. Então a realidade a abateu. Ela sufocou com um bocado da água e atirou vertical na banheira. —Deus, o que está errado comigo? —Ela soluçou. Cuspindo em cima da água, ela tropeçou da banheira, a mente numa confusão Ela podia ter se afogado. Não tinha como dizer quanto tempo ela esteve ali abaixo da superfície da água. A água estava gelada, e as velas queimaram… quanto tempo ela esteve adormecida? Nua, ela correu para seu quarto em pânico. Seu cabelo e pele já estavam secando — mais rápidos que ela podia ter esperado dadas as circunstâncias. Ela vestiu sua roupa sem remover a toalha primeiro. Antes de colocar uma calcinha ela notou as reveladoras marcas de dentes em sua coxa interna e novamente soluçou. Era demais. Ela estava louca? Sua mente estava completamente quebrada… ou Az era real? Neste momento particular ela quase teria preferido ser informada que ela era louca. Era melhor que ter que enfrentar a idéia de Az que a torna em uma sanguessuga. Era demais, muito rápido. Uma umidade morna gotejou abaixo por sua coxa e ela olhou para ele. Um líquido purpúreo brilhante arrastou preguiçosamente por debaixo da seda de sua calcinha fio dental. Instintivamente ela soube que era sêmen do Az. Ela gritou quando seu pânico alcançou níveis críticos e ela às pressas terminou de se vestir. Ela sentiu seu longo cabelo fluindo por atrás dela quando calçou um par de sapatos e correu para a porta. Agarrando as chaves do carro e a bolsa ela fugiu, ela saltou em seu carro e ligou o motor impiedosamente. Por um momento ela parou indecisa. O que podia ela possivelmente realizar indo embora, afinal? Mas ficando aqui significava que ela teria que enfrentar seu medo… e Az. Isso era algo que ela simplesmente não estava pronta para fazer. Os pneus guincharam quando ela acelerou longe. Sentiu como se ela estivesse deixando seu coração para trás. Mas ela estava muito assustada para perguntar para ele. ***** A taverna estava vagamente iluminada e cheia de fumaça quando Morrigan entrou. Subindo em uma cabine sombreada, ela ordenou uma Bloody Mary a uma garçonete que passava. Ela tentou se misturar com o ambiente. Ela queria desaparecer no fundo de forma que ela não fosse notada por ninguém ao redor dela. O que ela precisava era paz e tranqüilidade. Ela precisava de tempo para pensar. Por mais de uma hora ela dirigiu ao redor. Sem rumo e em círculos ao que pareceu, até que ela finalmente fez seu caminho para a aldeia propriamente dita. Localizando a taverna em que ela agora se encontrava, seu estômago rosnou queixoso. Lembrando a ela que tinha comido muito pouco o dia todo. Sua mente corria desde que ela fugiu de seu banho. Ela não sabia o que pensar sobre sua situação. Em sua mente ela já tinha desistido da ilusão que os 37-GrupoRR 37-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

sonhos eram… bem, sonhos. Se isso a tornava louca, então ela não mais se importava. Muitas pistas físicas empilhavam-se, uma em cima da outra, para ela continuar ignorando eles. Desde o início ela tem mudado. Meses atrás, quando ela teve o primeiro sonho com Az, ela começou a parecer… diferente. A princípio era só seu desejo súbito que a movia mais próximo dos lagos da Escócia. Oh, ela tem planejado por mais de um ano se aposentar dos negócios de música — mas a decisão para sair do país tinha sido bastante súbita. Naquela época Az tinha sido apenas um homem alcançando até ela no coração da água, uma figura confusa que intrigou e a assustou. Direito sobre os calcanhares daqueles primeiros sonhos que ela viu a casa em Meigle e a comprou em um capricho. Ela quis estar mais próximo da água. Desde então os sonhos cresceram consumindo mais. Mais real. Az andou do lago e a reivindicou com seu beijo. Ele alimentou dela e ela dele — vinculando-os mais íntimos do que ela poderia entender no momento. As linhas entre seu mundo desperto e seu mundo de sonho fora borrado além de sua compreensão. Não era mais possível para ela ignorar os sinais físicos que a seguiam no mundo desperto. As marcas de presas em seu pescoço e coxas talvez uma vez podiam ter sido desculpadas como um arranhão ou mordida de inseto. Mas mais do que isso e ela ficou sem explicações. E a maior virada de todas era o brilho úmido de seu sêmen quando gotejou abaixo por sua perna. Não existia nenhuma explicação lógica para isto. Nenhuma mesmo, além do óbvio. Que ela fez amor para — deliciosamente extasiada — por um ser alienígena. Como os passados dias estavam chegando a um fim, ela agora admitia que seus apetites mudaram. Dramaticamente. Nunca foi uma amante de tomates, suco, sopa ou caso contrário — ela estava agora almejando eles. Apenas com o pensamento de sua ordenada Bloody Mary deu água na boca. Pensando sobre morangos, cerejas, ou romãs fez seu estomago resmungar. O bife ou hambúrguer crus teria sido ambrosia. Todos estes eram comidas vermelhas. Da mesma maneira que Az predisse, ela só pareceu almejar os pratos mais vermelhos que ela podia pensar sobre. A idéia de comer qualquer coisa que não era pelo menos um pouco rosa a fez parecer verde em torno das brânquias. A imagem a fezela sufocar contra uma risadinha quando ela lembrou que Az era um morador da água. Ela perguntou-se se ele tinha brânquias e então abruptamente perdeu sua alegria. Seu corpo estava mudando em algo… outro. Era mais que evidentes por suas conversações com Az e por suas próprias observações. Tendo brânquias para aceitar sua dieta sangrenta não faria dela um campista feliz. Qualquer que Az fosse, quem ele era, ele era real. E ele a reivindicou para si. O que isso significou para ela no futuro que ela não podia adivinhar. Ela foi forçada a admitir que a única pessoa que podia responder suas perguntas era o homem que ela estava fugindo. 38-GrupoRR 38-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Tudo isso voltou para Az. Ela teria que voltar e ouvi-lo. Dar a ele uma chance de explicar tudo e acalmar seus medos. —Eu posso me sentar com você? —A voz profunda quebrou acima de seu devaneio. A surpreendeu. Morrigan olhou em cima… e em cima. Quando seus olhos encontraram o olhar cinza nublado do homem alto ao lado dela, ela sentiu um momento de vertigem antes dela rapidamente afastar o olhar. Engolindo, ela encontrou sua voz com alguma dificuldade. —Este é um país livre, não é? O homem riu. O som ecoando estranhamente em suas orelhas. Um calafrio tímido parou sua espinha. —Claro que é. Você é americana. —Sim. Sim sou. Você não soa como se você fosse daqui também, mas eu não posso reconhecer seu sotaque. —Eu vivo na Grécia atualmente, entretanto eu não sou de lá originalmente. — Ele sorriu e ofereceu a ela sua mão com um show praticado de bom humor. —Eu sou Peter Smith. Morrigan agitou sua mão. O contato de sua pele contra a dela enviou uma sacudida por ela. Foi uma sensação menos que agradável. —Morrigan. —ela disse, deliberadamente deixando fora seu último nome. Em sua experiência, extremamente muitas pessoas lembravam seu nome. Era difícil para ela até um aperto de mão casual. Não importou, ele a reconheceu de qualquer maneira. —Eu muito admiro seu trabalho, Sra. Mederos. —Ele se sentou na cadeira de banco oposta a ela. Quando ele não pareceu propenso para dizer mais, ela respirou um suspiro pequeno de alívio. Ela não podia lidar com um fã radical agora mesmo. —Obrigada. —ela disse, rapidamente perguntando-se como ela podia escapar de sua presença. Seus olhos faziam coisas estranhas para ela. Eles eram quase desagradáveis em sua consideração intensa. —Você parece cansada, se você não se importar com minha declaração. Você está de férias aqui ou… —Sim, eu estou de férias. —ela mentiu facilmente. Ela não sabia por que, mas ela tinha certeza que ela não queria este homem soubesse que ela estava fazendo sua estadia em Meigle permanente. Talvez ele fosse um repórter, ela pensou inquieta. Isso explicaria sua antipatia imediata. —É uma cidade adorável, cheia de história. Mas eu estou certo que é por isso que um artista como você mesma escolheria vir aqui. Não há muito a entregar ao longo das linhas de turismo e semelhantes, entretanto. A área ao redor é essencialmente de lagos e fazendas. —Eu gosto do lagos. —ela foi movida para protestar. —Eles são adoráveis. —Mas claro que você acha. —ele disse obscuramente. Ela não podia ajudar, mas sentia que ele estava fazendo uma piada em sua despesa. 39-GrupoRR 39-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

A garçonete depositou sua bebida na mesa. Ela estudou a cor de rubi escuro do líquido e se lembrou do sangue do Az. Seu estômago rosnou, alto suficiente para o homem ouvir. —Você está com fome? Deixe-me comprar para você alguma comida. —ele ofereceu, enquanto ele acenou para uma garçonete. —Não, está tudo bem. Eu não estou realmente tão faminta. —ela protestou. —Nós dois sabemos isto não é verdade, Morrigan. Eu posso ouvir seu estômago murmurar daqui. O que você gostaria? Eu ouvi que eles têm um guisado excelente aqui. Ou talvez você prefira um sanduíche leve como é tão tarde? —Não, obrigado. —ela disse às pressas. —Eu estou apenas recuperando-me uma virose estomacal e celebrando meu retorno a saúde com minha bebida. Eu não estou no humor para testar a tarifa local justo agora. Eu só agarrarei algumas bolachas quando eu voltar para meu… hotel. —Onde você está ficando? Talvez eu possa escoltar você lá se você estiver sentindo sob o tempo. —Não, está tudo bem. Eu penso que eu vou agora. —Seus olhos cinza nunca oscilando dos seus e ela sentiu um desejo inexplicável para fugir. Ele a estava deixando nervosa e agitada, que era algo que ela realmente não precisava no momento. —Obrigado por sua companhia. —ela disse enquanto juntava sua bolsa e se dirigia até a porta. —Até nos encontrarmos novamente, Morrigan. —ela o ouviu murmurar escuramente como ela fugiu a taverna. Ela certamente esperara que esse dia nunca chegasse. Ela estava muito arrepiada.

Capítulo Sete Um pouco mais tarde, Morrigan lentamente abriu a porta da frente de sua casa. Ela se sentia como uma adolescente entrando sorrateiramente em sua casa depois de perder o toque de recolher, mas ela não podia se ajudar. Como tentativa, ela deixou suas chaves e bolsa em uma mesa perto da porta e andou nas pontas dos pés em sua guarida. Ela não sabia o que ela esperava. Ela certamente nunca viu Az dentro de sua casa fora de sua mente sonhadora, mas ela procurou por sinais de sua presença de qualquer maneira. Com precaução dramática ela entrou em cada quarto, quietamente procurando por ele. Ele não estava lá. 40-GrupoRR 40-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Ela estava quase desapontada, mas não podia definir por que. Ela não deveria supostamente temer esta confrontação? Bem… não era? Seu estômago rosnou como se em protesto contra seus pensamentos escuros. Morrigan caminhou suavemente em seu banheiro onde as velas que havia deixado queimando já tinham apagado. Ela drenou a tina de sua água gelada e limpou a bagunça no chão. Agarrando uma escova ela passou a trabalhar os emaranhados de suas madeixas longas, friccionando seus dentes quando as cerdas emperravam nos nós maiores. Examinando no espelho, ela viu as sombras fundas em baixo de seus olhos. Sua pele estava mais pálida que o normal, translúcida e frágil olhando na penumbra de seu quarto. Ela estremeceu e viu um flash breve de seus dentes refletidos atrás no vidro. O coração afundou, ela levantou mãos instáveis para seus lábios e sentiu o cume de seus dentes além. Seu incisivo estava mais longo? Sim, talvez só um pouco. Eles certamente se pareceram mais afiados, mais pontudos. Com uma arfada severa ela empurrou afastou suas mãos. Ela deve ter se confundido… tinha que ser. Seus dentes estavam bem, nem mais afiados ou mais longos que o normal. Se ela não tivesse cuidado ela logo se imaginaria com asas crescentes como as do Az. Com um sorriso nervoso ela girou seus ombros. Eles pareceram tão normais como sempre. —Basta verificar. —ela disse em voz alta em uma voz trêmula. Por um momento mais longo ela se sentou diante do espelho, estudando seu reflexo. Seus pensamentos estavam alvoroçados. Seria tão ruim, afinal, parar de se preocupar sobre o futuro e só ver onde ele levava? Como ela se sentia sobre Az, seu amante alienígena estranho? Ela o temia ou o desejava ou o que? —Eu o amo. —uma voz minúscula sussurrou das profundidades de sua alma. Como ela podia amá-lo? Ela nem mesmo sabia o que ele era. Não realmente. Menos que algumas horas antes tinha ficado apavorada por ele. Bem, para ser honesta, ela tinha sido aterrorizada pelo que ele era—o que ela estava aparentemente se transformando também. Nunca em sua vida ela esteve tão confusa, ou mais em conflito com os próprios sentimentos. O que ela soube era que ela sentiu alegria e prazer em seus braços. Nunca antes de ter ao Az ela se sentiu tão estimada, tão preciosa. Tão amada. Quando ele a segurou em seus braços, ou a levou com seus caninos e pênis, ela se sentiu mais viva que ela já teve com qualquer outro amante. Os orgasmos que ele deu a ela unicamente fariam Az valer à pena lutar. Ela se sentiu tão viva na banheira como ele bateu nela. Quando seu quente esperma encheu seu sexo ela quis torcer cada gota possível que ele tinha para dar e mantê-lo lá dentro dela. Ela nunca quereria deixá-lo ir. Era loucura—era irracional. Era amor. Tudo esse tempo ela correu dele em seus sonhos, uma vez que ele nunca a ameaçou com perigo. Ele sempre veria para seu prazer, em todos os sentidos, não 41-GrupoRR 41-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

importa como ela gritou e chorou para ele. Toda vez ela negava-se a ele com medo, ele só buscou confortá-la. Ele tentou beijá-la com cuidado, enchendo ela com êxtase. Tentado fazer ela entender que não estava perdendo sua mente. Ninguém jamais colocou seu bem-estar muito altamente acima de seu próprio. E o que ela fez? Ela fugiu dele como uma criança assustada, indigna de seu amor. Empurrando ele longe sem consideração para como ele se sentia, ela tinha estado muito auto-absorvida para ver o presente que estava sendo oferecido para ela. Ela tem que achá-lo. Deixando seu cabelo solto sobre ela, ela girou de seu quarto e dirigiu-se de volta à porta. Com uma determinação súbita, desesperada ela decidiu que procuraria por Az no único outro lugar que ela soube que o acharia fora de seus sonhos. Seus tênis batiam com estrondo contra o chão como ela adentrou para a floresta além de seu quintal. Na escuridão. Na noite.

Capítulo Oito O cobertor escuro da noite a cercou. Uma névoa leve cobriu tudo em vista, tornando difícil para ela ver onde estava indo. Ela jogou suas mãos na frente dela para afastar os galhos ávidos de arranhar seu rosto e embaraçar em seu cabelo. Seus olhos corriam de modo selvagem sobre, buscando na névoa escura antes dela por algum sinal da pequena clareira em que ela encontrou Az apenas um dia antes. Só tinha sido ontem? Parecia como anos passaram desde então. Ela correu sem parar pela floresta, sua respiração deixando seus pulmões em duros, suspiros soluçantes. Quanto tempo passou, ela não estava certa, mas seu lado começou a ter câimbra. Seus músculos queimados. Ela há muito tempo deixou para trás o brilho suave das luzes da casa e por um momento breve ela temeu que estivesse perdida. Mas ainda sim ela correu, procurando por Az. Morrigan afinal encontrou acidentalmente para a escuridão, espelho liso de um pequeno lago onde ela tropeçou em uma parada na beira da água. Ela nunca veria este pequeno corpo da água e soube que ela estava desesperadamente perdida na floresta escura. Seus tênis ficaram molhados como a água batia em seus dedões do pé, que depressa ficaram entorpecidos da água gelada. Encharcava e agarrava-se como tinta negra na escuridão. 42-GrupoRR 42-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Com antecipação crescente ela esteve lá, olhando fixamente. Seus seios tremiam, subindo e descendo com suas duras e rápidas passadas. Sua respiração nublava no ar frio da noite, flutuando fora em bolhas prateadas de boca trêmula. Ela caiu de joelhos junto à lagoa, indiferente da lama e água fria que depressa ensopavam por sua calça jeans. —Az, onde você está? —Sua voz ecoando através da água. —Az! Lá antes dela, uma ondulação quebrou a superfície tranquila do charco preto da água. Foi seguido por outro, e outro. A água bateu e rodou mais vigorosamente contra seus joelhos com a força das ondas. Morrigan pensou de volta para seus sonhos antigos de Az, quando ele emergiu das águas escuras de um lago para ficar com ela. —AZ. —Seu coração estremeceu dentro de seu peito. Morrigan ofegou e mordeu seu lábio quando uma cabeça escura emergiu do coração do lago. Foi seguido por uma pálida e fortemente musculosa forma do Az. Ele andou acima da água. Seus pés caminhando através de sua superfície com apenas uma ondulação à medida que ele passou. Um sorriso pequeno, misterioso tocou sobre seus eróticos lábios. Seu cabelo preto estava seco e em cachos ondulantes suaves abaixo por suas costas para suas nádegas. Ele veio para ficar diante dela em toda sua glória masculina. —Afinal você veio para mim sem coerção. Eu estava começando a achar que você nunca viria. —ele disse e levou suas mãos às dele. Sua pele era fresca, como sempre era quando ele primeiro a tocou. —Eu não vou lutar mais contra isso. Eu estava errada em ser tão cruel com você, mas eu estava assustada. Eu nunca encontrei ninguém como você antes. —Ela deu uma risada ofegante. —Eu vim para… eu não sei. Eu tinha que vir e achar você. Eu tive que dizer a você is-isto embora eu realmente não sei como —não, está certo. —Ela agitou as mãos em agitação sobre sua própria ineloquencia. —O que eu quero dizer é que… eu amo você. Eu não sei como ou por que, mas eu sinto. Eu realmente sinto isso. Seu sorriso era deslumbrante, e seus dentes brilharam ao luar. Dois dias atrás a visão teria mandado a ela gritando em terror, mas agora só serviu para despertá-la. Ele deu uma risada crescente. Ela saltou de surpresa e então riu junto com ele. Em um movimento rápido ele juntou-a em seus braços e a balançou em um círculo. Teria sido o momento mais romântico de sua vida se ela não estivesse tão assustada com a velocidade dele. Ele riu mais uma vez e diminuiu a velocidade. Ele parou, ainda a segurando com seus pés oscilando acima do chão. —Eu procurei por você por anos, Morrigan. Nunca pensei que eu realmente acharia você, mas minha esperança manteve-me procurando. Eu estou tão contente. Você me faz feliz—verdadeiramente feliz. Eu prometo fazer você feliz também. Ele a beijou longo e duro para lacrar o voto. Ela tremeu contra ele, então ele puxou de volta. 43-GrupoRR 43-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Eu sou um grosseirão. Você tem fome. Eu posso sentir sua fome batendo em mim através de nosso laço. —S-sim. Eu estou com fome. —ela admitiu. Seus lábios tremeram, e até que seu estômago rosnou em prova, as palavras que ela falou tinham mais do que só que um significado. —Então me deixe saciar sua fome. —Sua voz era baixa e escura, encantando ela. Escravizando ela. —Deixe-me saciá-la em todos os sentidos.

44-GrupoRR 44-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Nove Ela soltou o fôlego num gemido e inclinou-se em seu esperado abraço. Az alcançou com uma mão, e uma garra longa, afiada apareceu da ponta de um de seus dedos. Ele desenhou com uma perversa unha uma linha longa através do músculo espesso de seu peito bem acima de seu mamilo. Sangue brotou do ferimento, e sua garra recolhida de volta na pele de seus dígitos. Seus olhos seguiram o caminho de uma única gota carmesim quando arrastou abaixo de seu tórax. Seu estômago rosnou ruidosamente em resposta a sua fome acordada. —Beba de mim, minha companheira. Seja um comigo afinal. —Ele alcançou e puxou sua cabeça para o ferimento. Era tão fácil para ela lutar contra a fome primitiva que assola dentro dela. Ela perguntou-se por que tinha tomado tanto tempo. Então ela caiu em cima dele vorazmente. Seu sangue encheu a boca dela como um elixir doce e mágico, enchendo-a com força como ela nunca antes de conheceu. Ela a trouxe mãos ao alto para seu tórax e ligeiramente o amassou com suas unhas. Choramingando como um gatinho, ela desenhou profundamente de sua vitalícia-essência. Sem parar ela amamentou, saciando a profunda fome dela, até que ela se sentiu repleta finalmente. Desenhando longe dele que ela olhou para cima com pálpebras pesadas. Ela sabia que sua boca estava manchada com seu sangue. Ela levantou-se para beijá-lo, lambuzando seus lábios com o gosto selvagem, doce dele. Eles beijaram-se avidamente por vários momentos, alimentando o fogo entre eles. Morrigan podia sentir a inchação de seu desejo por ela ficando pesado e quente contra sua barriga. Ela soube instintivamente que ele lutou e negou sua liberação quando ela alimentou dele. Seus lábios arrastaram por seu pescoço, demorando em sua pulsação, beliscando suavemente nele com seus dentes. Ela ouviu sua inspiração rápida em suas ações e sorriu secretamente para si. Movendo-se mais abaixo ela beijou e lambeu o já curando ferimento em seu tórax, desenhando os últimos rastros de sangue longe com sua língua e lábios. Seus dentes rasparam suavemente em seu mamilo, e sua língua rodou ao redor de sua aréola para lavar longe a dor. Ela soube desde o pequeno gemido que escapou seus lábios que ele estava apreciando suas atenções. Avidamente, ela deu o mesmo tratamento para seu outro mamilo. Lambendo um caminho quente e úmido abaixo seu tórax, Morrigan moveu para ajoelhar aos seus pés. A nova posição trouxe seu rosto diretamente na frente de sua pulsante ereção. Suas mãos perambularam sobre seu estômago e coxas antes de mover entre as pernas dele. Seu pênis pesado era poderoso em suas mãos, cru e selvagem. 45-GrupoRR 45-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Morrigan adorou lá no altar de seu corpo poderoso. Suas mãos amorosamente acariciaram ao longo do grande comprimento e largura de seu pênis. Conscientemente, ela prestou atenção especial à ameixa volumosa formando a cabeça em sua ponta. Uma única gota brilhante de pré-sêmen brilhou na abertura e ela lambeu-a. Ele tinha um gosto açucarado, diferentemente de qualquer homem que ela já saboreara antes. Ela encontrou-se faminta por mais. Inclinado nele, ela apertou um beijo de sucção para a ponta de sua seta. Sua língua disparou para fora quando ela se afastou para olhar para ele e perguntar-se o que ele estava pensando. O que ele estava sentindo? Az gemeu a vista de sua fome erótica. Ele segurou seu cabelo longe do rosto com uma mão para melhor ver como ela trouxe seu rosto mais perto dele mais uma vez. Viu sua brilhante língua fora para lamber da base de sua seta para a ponta. Então seus lábios abriram-se mais para atraí-lo profundamente dentro da caverna de sua boca. Ele sentiu a raspadura leve de seus dentes contra ele e os movimentos circulares de sua língua como ela amamentou nele. Ele nunca sentira tal prazer opressivo em toda a sua vida. Esta era sua mulher — sua companheira. Ele tinha perdido a esperança de tê-la sempre a seu lado de bom grado. Ela lutou tão forte desde o início. Não importa o que tinha acontecido, ele teria esperado por ela, mas seu coração disparou rapidamente que sua espera houvesse terminado agora. Ela era sua. Ele entregou-se ao prazer de sua boca enquanto ela desenhou nele. A ponta de seu pênis escovou o fundo de sua garganta e ele gemeu em voz alta. Os músculos de sua garganta trabalharam ao redor dele. Sua língua acariciou sua seta como uma escova aquecida de veludo molhado. O prazer foi tão intenso que ele não podia ajudar, mas moveu-se contra ela, fodendo sua boca como ele desejava foder sua apertada vagina. Sentiu mãos de Morrigan acariciando suas bolas apertando e parando firmemente contra seu corpo. Ela soube que seu clímax estava próximo e renovou suas ministrações em seu pênis. Sacudiu a cabeça, movendo-se movendo mais e mais rápido. Ela sentiu seu punho apertar em seu cabelo como ele empurrava em sua boca. Ela nunca se sentiu mais poderosa. Seu pênis era pesado e quente em sua boca, a carne mais lisa que cetim. Ela o chupou por tudo que ela valia a pena, levando-o tão profundamente em sua garganta, ela devia ter amordaçado. A cabeça pulsante de seu pênis, uma vez dentro de sua boca, um segundo antes de seu quente sêmen espirrar contra a parte de trás de sua garganta. Ela o engoliu avidamente, saboreando o gosto doce de seu orgasmo. Az soltou um grito que ecoou por toda floresta. A excitou até seus dedões do pé. Ele estremeceu e empurrou sem ajuda contra sua quieta e succionante boca. Ela tragou tudo que ele tinha para dar e gulosamente chupou na abertura de seu pênis para mais. Az puxou relutantemente longe dela e olhou abaixo para seus lábios inchados. Uma gota de seu esperma brilhava em seu lábio inferior, e ele empurrou-a 46-GrupoRR 46-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

em sua boca com seu dedo indicador, correndo o dedo contra sua língua como ela rodou nele, saboreando seu sabor sem igual. Seu pênis permaneceu duro, faminto para encontrar mais um lançamento dentro de sua molhada e acolhedora vagina. Ele a puxou de seus pés para ficar diante dele. —Tire suas roupas, minha bela. Eu quero você nua e pronta para mim. Sempre que você estiver comigo eu quero que você esteja nua. Mais que ávido para ele cumprir a promessa sensual que estava claramente escrita em seus olhos, ela rapidamente retirou sua roupa. Quando ela permaneceu com nada além de sua calcinha fio dental de seda preta, Az a preveniu de removê-la. —Deuses, mas eu nunca vi tal visão tão tentadora. —ele murmurou sombriamente antes de ajoelhar em seus pés, quase da mesma forma como ela fez diante dele mais cedo. Az ergueu a correia de sua calcinha com seus dentes afiados, lambendo e lavando a curva suave de seu quadril como ele puxou para baixo. Ele brincava com ela através da seda com beliscões minúsculos, curvando sua língua com a busca em baixo dela. Morrigan ofegou e cravou suas unhas na pele de seus ombros largos. Ele lambeu e mordeu em sua carne sensível. Movendo abaixo ele chupou no cerne inchado de seu clitóris abaixo da seda escura, e ela arqueou contra ele com um grito estrangulado. Ele a descobriu, puxando a tanga longe de sua imersa feminilidade. Ele usou os lábios, dentes e língua contra os lábios impiedosamente. Afinal ela ficou nua diante dele, sua calcinha fio dental em seus tornozelos. Ela se aproximou, trazendo-a junto aos cachos acobreados mais perto de seu rosto. Ele gemeu e correu suas mãos até as coxas, fazendo seus joelhos fraquejarem com a sensação erótica de seu toque. Ela estava ofegante com antecipação quando ele lentamente abaixou sua cabeça para ela mais uma vez. Sua língua arremessou para fora além da costura dos lábios para cavar em seu núcleo aquecido. —Eu vou cair. —ela disse com um gemido. Seus dedos cavaram na carne musculosa de seus ombros. —Eu pegarei você. —ele prometeu. Sua voz vibrou contra ela. Ela puxou de volta ligeiramente para assistir como ele separou suas dobras femininas com os dedos. Ele expôs seu clitóris inchado e distendido com a intensidade de seu olhar ardente. As pontas de seus dedos pastaram seu cerne pulsante de prazer uma vez, duas, meias dúzia vezes. Morrigan guinchou com o torturante prazer dele e seus joelhos cederam embaixo dela. Como ele prometeu, Az a pegou. Seu show de força foi imenso quando ele a ergueu diante dele e lançou suas pernas sobre seus ombros. Ele enterrou seu rosto entre suas pernas. As mãos sustentaram suas nádegas como ele enterrou seu rosto em sua carne molhada, rosa. Seu língua buscando roçar contra seu clitóris repetidas vezes, trazendo-a mais e mais perto do pico. Tão inchado quanto seu clitóris estava em seu prazer que era fácil para ele a chupar tão completamente quanto ela o chupou. Seu clitóris desaparecia em sua 47-GrupoRR 47-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

boca e seus lábios e língua trabalharam até que ela estava gritando em êxtase. Um momento mais tarde ela perdeu seu último fragmento de autocontrole e ela veio pulsando contra seus lábios e língua. —AZ. —ela clamou na noite. Ele fez sons de sorvos enquanto lambia sua carne molhada e inchada. Quando as últimas ondas de seu orgasmo baixaram, Az subiu com ela em seus braços. Morrigan embrulhou suas pernas ao redor dele e tentou empalar a si mesma na massa volumosa, desesperada pela sensação de seu pênis espesso a enchendo. AZ riu e segurou-a buscando corpo longe de seu objetivo. Ele beijou sua boca ferozmente, seus lábios ainda saboreando um pouco de sua essência. —Não se apresse minha companheira. Eu darei a você tudo que você deseja a seu devido tempo. —ele disse em sua voz encantada. —Foda-me, por favor. —ela descaradamente implorou, arrastando seu sedoso cabelo em sua frustração. —Eu vou foder você em só um momento se você for paciente. —ele rosnou em sua orelha, claramente inflamadas em suas palavras. Az a deixou abaixo no chão da floresta com as mãos fortes, estáveis. Ele virou-se longe dele e trouxe-lhe as mãos ao alto para descansar contra o tronco de uma árvore de carvalho. Rosnando baixo em sua garganta, ele chegou mais perto atrás dela. Ele usou seus pés para empurrar os dela, espalhando suas pernas largas. Sua palma larga veio descansar contra a inchação leve de seu estômago, trazendo-a firmemente contra seu pênis quente. Com um movimento rápido, severo ele empurrou em sua molhada boceta de sua posição atrás dela. Ela choramingou e clamou, empurrando mais vigorosamente contra ele como ele mergulhou bolas no fundo dela. —Você quer isto duro e rápido, ou lento e fundo? —Ele rosnou em sua orelha. Sua voz mágica invadiu seu corpo quase do mesmo modo como sua seta densamente despertada. —Eu não me importo, eu quero isso tudo. —ela desesperadamente chorou. Sua respiração estava entrando numa corrida severa. —Então eu darei isto para você. Tudo que você puder tomar bebê. —ele prometeu antes dele se retirar de sua carne adesiva. Az retirou dela até que sua ereção estava quase livre dela. Então ele empurrou de volta nela com uma força que aplainou suas nádegas contra ele e ergueu seus pés do chão. Ela clamou com o prazer que caiu sobre, a afogando em ondas. De sua grande altura ele se debruçou beliscou em seu ombro. Então ele lavou o minúsculo machucado com sua língua aveludada. Suas mãos cavaram na casca da árvore e ela empurrou de volta para encontrar seu pênis esmurrando. Sua carne fez sons molhados como ele bateu-a lá contra a árvore. A mão que estava em cima de seu estômago moveu descendo para enredar nos cachos entre suas pernas, a outra mão deu a volta para tocar em seus mamilos. Ele puxou em seus mamilos e clitóris, subjugando ela com o prazer de sua carícia 48-GrupoRR 48-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

perita. Sua boceta estava estirada apertada acima de sua barra deliciosamente ardente com cada punhalada funda. Ela gemeu e ofegou em voz alta seu prazer, fazendo correr para romper na beira de um glorioso clímax. De repente, Az afastou-se dela. Sua vagina fez um som molhado sorvendo, uma vez que avidamente se esforçou para manter seu pênis preso. Az gemeu severamente e girou para enfrentá-lo. —Eu quero você acima de mim. —ele sussurrou em sua boca quando ele a beijou. —Eu quero que você me monte. Duro. Então eu posso ver seus peitos saltarem e seu rosto vai relaxar com prazer. Eu quero ver seu rosto quando você vier a si para meu pênis. —Ele chupou em seu lábio antes de se afastar para se deitar no chão de floresta. —Você não ficará desconfortável? —Ela perguntou, preocupada, mesmo quando seu útero apertou com prazer emocionante em suas palavras. —Minhas asas me manterão almofadado. —ele disse. Então suas asas de prata estenderam em baixo dele. As asas eram tão bonitas desfraldadas. Pelo menos doze pés de ponta a ponta. Eles caiam como seda leve em baixo dele. Morrigan nunca viu tal visão tão erótica como Az espalhado no cobertor de suas asas iridescentes. Seu pênis era grande e duro, balançando e brilhando no luar, molhado de seu corpo. Ela caiu nele, atordoada com a força de sua fome opressiva. Já passando fome para o prazer de estar em seus braços. As mãos de mestre do Az guiaram suas pernas de forma que ela veio montado ele, e ela alcançou entre eles para a posição de seu pênis. Ela afundou abaixo nele com um sopro gemido. Sua carne molhada o tragou fundo dentro dela. Eles podiam ambos sentir sua carne pulsar ao redor dele e ele cavou seus dedos na carne de sua bunda. Ele visivelmente estava lutando para não perder o controle. Ele jogou a cabeça para trás ligeiramente e seus olhos brilhantes estavam ofuscados. Sua boca separada para revelar incisivos longos, afiados. Ela caiu nele apertando seus lábios contra seus dentes. Ela enviou seu pênis impossivelmente mais fundo nela. Eles beijaram e Az guiou seus movimentos nele com as mãos em sua bunda. Ele a moveu acima de seu pênis, empurrando seus quadris com cada ondulação de seus quadris contra ele. Seus dentes mordiam em seus lábios, desenhando um rastro de lânguido de sangue com seus beijos apaixonados. Ele lavou o pequeno machucado que ele infligiu, mas ela amou a dor de prazer e apertou seus lábios mais duro contra seus dentes. Ambas as bocas estavam cheias com o sabor acobreado de seu sangue. Sua resposta selvagem o enviou sobre a extremidade de seu controle. Seu corpo batia ferozmente nela, mais e mais rápido. Ele puxou-a vigorosamente contra ele como ele moveu dentro dela, moendo contra seu clitóris com toda pressão para baixo. O orgasmo de Morrigan caiu sobre ela, torcendo seu corpo em uma prateleira de prazer inimaginável. Sua vagina apertou ao redor contra a esmurrada carne, ordenhando-o com seus pulsantes músculos até que ele também achou liberação. 49-GrupoRR 49-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Ele bombeou seu quente esperma em suas profundidades, rugindo sua satisfação na noite. Morrigan desmoronou em cima dele, tola e ofegando. As mãos do Az ternamente surgiram para embalá-la dirigindo um beijo em sua cabeça antes delas descansarem languidamente nas costas dela. Ele foi incapaz de se mover, mas para sua respiração severa e coração batendo forte. —Eu nunca senti tanto prazer em toda minha vida. —ele a louvou. Sua voz era funda e rota. —Eu também não. —ela confessou tremendo contra seu tórax. Ela escavou contra ele como um gatinho, respirando fundo seu delicioso odor masculino. —Nós fomos feitos para isso — um para o outro. —ele declarou. —Eu acredito em você. —ela disse, sabendo que suas palavras eram verdade e sincera. Ela concordou com ele. Ela se sentiu tão certa em seu abraço. Ela soube que não podia ter sido de qualquer outro modo. Seu coração inchou com emoção e ela beijou seu tórax, descansando seu rosto contra ele. Eles deitaram lá quietamente no chão de floresta por vários momentos. As asas do Az vieram a si para envolva-la mais firmemente contra ele. As sedosas asas protegiam sua pele exposta do ar da noite fria, mantendo-a segura e perto dele. Morrigan suspirou com satisfação, sentindo-se verdadeiramente em paz pela primeira vez que ela não podia lembrar-se de quanto tempo. Com seu núcleo quieto molhado e pulsando, seta quieta do Az enterrada profundamente dentro dela, ela deixa seus olhos fechassem pesados. Ela relaxou completamente contra ele e caiu em uma luz cochila.

50-GrupoRR 50-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Dez —Bem, bem, bem. O que nós temos aqui? Um Icari córneo e sua vadia humana. —A voz masculina quebrou acima de sua satisfação. Az ficou em baixo de Morrigan, suas asas envolvendo-a ainda mais firmemente contra ele. Seus olhos de ametista ardiam furiosamente. —Eu conheço essa voz. —Az falou obscuramente, como ele fez para subir. Morrigan estava ainda segura protetoramente em seus braços como ele ganhou seus pés. —Realmente? Eu estava quase certo que você teria esquecido seu amigo velho de infância até agora, Azure. —a voz incorpórea chamou da escuridão. —Mostre-se Petiyr. —Az exigiu em um tom real que não tolerava nenhum argumento. A figura alta e escura de um homem emergiu da moita de árvores diretamente na frente deles. Morrigan ofegou quando um raio de luar prateado iluminou as características de um rosto familiar. —Peter Smith? —Ela perguntou confusa. —Não minha querida, o nome é Petiyr. Por favor, pegue-o agora mesmo que você o ouviu pronunciado corretamente. —Peter, Petiyr, quem dá asno do rato voador como você pronuncia isto? O que eu quero saber é por que o inferno você está aqui? —Eu segui você claro, minha tola pequena humana. Eu soube que você mentiu para mim sobre ficar em um hotel e eu quis saber por que. Você não voltou para um hotel, mas para uma casa. Sua casa. E embora você pareça estar apreciando um pouco de atividade recreativa aqui com nosso amigo alado, eu não penso que você está apenas de férias também. AZ apertou seus braços nela. —Como você conhece este homem, Morrigan? —Nós nos encontramos em um bar mais cedo hoje à noite. Ele estava olhando para mim estranhamente e ofereceu me comprar um jantar. Ele me deixou desconfortável assim eu parti. Eu não soube que ele seguiria-me. —Sim, bem, talvez eu estava um pouco preocupado sobre você. Entretanto novamente, talvez não. Você olhou um pouco emaciado hoje à noite, Morrigan. Sua pele estava pálida, e eu claramente podia ver que suas gengivas estavam se afastando de seu incisivo. Era um olhar que eu tinha visto antes. Um que eu estou muito familiarizado. Além disso, eu também cheirei o sêmen de nosso amigo aqui, combinado entre suas coxas adoráveis. —Ele riu maníacamante quando suas bochechas coraram com mortificação. 51-GrupoRR 51-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Eu pensei que você estava banido para o longe dos confins de Icaria, para sua traição contra as mulheres de nossa terra natal. Como foi que você parou aqui, Petiyr? —As palavras que saíram da boca do Az soaram tão formal e real que Morrigan não podia ajudar, mas olhar muda de um homem até o outro. —Ahh, sim. Seu irmão, o Rei, baniu-me do Azrine por minha corte à Ilyana. Sem um julgamento justo, eu poderia adicionar. Como ele podia ter tomado a palavra da prostituta mais infame da cidade acima da palavra do melhor amigo do seu pequeno irmão? Ela estava pedindo minha atenção — mendigando por ela. Eu meramente dei a ela o que ela muito desesperadamente procurava. —Você a brutalizou. Você negou todos os títulos de amizade entre nós com suas ações cruéis. Nossos machos estão destinados por lei para proteger todas as fêmeas, sejam eles família, amigo ou estranho. Nós somos muito fortes para visitar violência em suas formas delicadas. Ainda você desobedeceu nossa lei mais sagrada estuprando e batendo em Ilyana. Você mereceu seu castigo. Olhos cinza do Petiyr ardiam, entretanto não próximo como brilhantemente ou etereamente os do Az. Morrigan lutou para acompanhar a conversação. —Você é um Icari, também? —Ela perguntou, perplexa. Petiyr relampejou seu um sorriso por detrás firmemente apertando os dentes. —É isso o que eu sou, Morrigan. —Mas onde estão suas asas? Onde estão seus caninos? E seus olhos têm pupilas e brancos visíveis, mas os do Az não. Você não parece nada como ele. —Bem, nós não estamos só cheios de observações? Minhas asas foram cortadas como parte do castigo quando eu fui banido injustamente de nossa Azrine. Foi feito para me prevenir de nadar de volta muito facilmente, e me afastar de deixar nossa terra natal. —Mas eu não ligava muito para meu exílio nas planícies desertas de Navbeth. Eu voltei atrás para civilização, sequestrando o primeiro Icari alado que cruzou meu caminho. Foi fácil. Eu o forcei a me levar aqui, para este planeta dos deuses abandonado. Eu estive aqui, uma vez antes, com Azure quando ele partiu na procura por sua companheira muitos anos atrás. Eu lembrei o quão fracas e delicadas as pessoas aqui eram comparadas a meu tipo, e decidi que eu gostaria de ser um dos mais poderosos, seres mais rápidos no planeta. Em nossa chegada, eu matei meu transporte e dei fim a seu corpo. Morrigan tentou não reagir ao tom morto frio de voz do Petiyr quando ele falou muito casualmente de matar alguém. Ela escavou de volta contra a parede firme do tórax de Az, ganhando conforto em sua força. —Mas que tal seus dentes e seus olhos? Eu nunca conheci um Icari que parecia tão… enfraquecido. —A voz bonita do Az quebrou o silêncio pequeno. —Quando eu cheguei aqui, estava tudo bem. Suave agudo, como Morrigan poderia dizer. — Ele piscou-lhe um sorriso maligno, e ela lutou não bajular longe da visão perturbadora. — Eu bebi o sangue destes humanos fracos, e usei meus 52-GrupoRR 52-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

charmes para seduzir centenas de mulheres. Eu cresci rico fora da pilhagem daqueles quem eu matei.

53-GrupoRR 53-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Eu fui cuidadoso para não alarmar muitas pessoas. Este planeta é notório por eliminar a existência de seres como eu sem um segundo pensamento. Não importa o quão forte eu era, eu não teria sido nenhuma chance contra um show grande de força devia eu fosse descoberto. Então eu quietamente vivi, tomando o que eu quis de quem eu procurava. Era uma existência perfeita para mim. Eu tinha muito prazer em como eu nunca tinha tido. —Mas anos passaram. Dez anos longos. Meu corpo começou a mudar. Parece, velho amigo, que a atmosfera deste planeta não é completamente amigável para nosso tipo com prolongada exposição. Meus caninos retrocederam em minha linha de gengiva, e eu não podia alongá-los adiante — nem com alicate, que eu tolamente usei em meu desespero. O ardente brilho de meus olhos enfraqueceu até que eles pareceram mais humano que Icari. Eu regressei em algo menos que um Icari, perdendo um pouco de minha beleza e antinaturais sentidos. Eu cresci odiando minha nova prisão tanto como eu odiei meu velho. —E sua força? Você está ainda forte suficiente para me enfrentar, Petiyr? —Você não podia deixar aquela mentira de pergunta não dita entre nós, você podia Az? Eu podia mentir e dizer que eu permaneço tão forte como sempre fui, mas eu não desperdiçarei minha respiração. Eu não posso enfrentar você em um teste razoável de força. Este planeta maldito viu a isso. Az moveu para fixar Morrigan atrás dele, e começou adiante, mas Petiyr o parou com uma risada. A mão do Petiyr moveu e o luar refletiu no barril de uma arma de fogo. —Não seja tolo, Az. Eu não sou totalmente desprevenido para enfrentar você, como você pode ver. —O que você quer conosco, Desterrado? —Bem, eu lego provavelmente foder esta pequena cadela aqui antes de matá-la. Então você pode me levar de volta para Icari, e a corte Azrine. Com você como meu refém, Azure, eu estou certo de ganhar um perdão de seu irmão, e ainda voltarei onde eu pertenço. Morrigan põe suas mãos contra asas do Az, aplicando pressão quando ele tentou se mover para Petiyr. Sua raiva lavada acima dela em ondas. Era uma coisa fisicamente palpável no ar da noite fria. Mas ele não tinha chance contra uma arma de fogo não importa o quão bravo ele estava. Ela não podia aguentar o pensamento de Petiyr machucando Az. Ela provavelmente devia ter estado mais preocupada por seu próprio bemestar, especialmente depois de ouvir os planos de Petiyr para ela. Mas ela podia só pensar sobre a segurança do Az. Ela o amava, mais que sua própria vida. Ela não se importava com o que acontecesse com ela. Embora ela só o conhecesse por seus sonhos e, recentemente, seu corpo, ela sabia instintivamente que eles eram perfeitos um para ao outro. Sabia que eles pertenciam um ao outro sob suas almas. Ela o amava e faria tudo que ela pudesse para mantê-lo seguro. Até arriscando de sua própria vida. 54-GrupoRR 54-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Capítulo Onze —Deixe Morrigan ir livre, incólume, e eu farei como você pergunta. —Az ralou fora. —Não, eu não acho, Az. Você não está corretamente intimidado ainda. Não se pode dizer o que você poderia fazer quando eu estiver em sua clemência nos charcos entre nossos mundos. Eu vou foder ela, matar ela, e você começará a ver. Se ela for realmente sua companheira, como suas mudanças físicas parecem atestar, então você debilitará com sua morte. Você estará totalmente em meu poder, e então menos de uma ameaça em nossa jornada. —Eu nunca serei fraco suficiente para você controlar. Se você a prejudicar então eu simplesmente recusarei ajudar você. Se você deixar ela ir, eu aceitarei levá-lo seguramente para Icari. Eu dou a você minha palavra de honra. Petiyr bufou. —Eu não me importo com sua honra professada. Eu não confio nela. —Isto é simplesmente porque você não tem nenhuma honra, Petiyr. Eu nunca quebrei minha palavra uma vez que a proferi, isto você sabe. Deixe ela ir, e eu farei como você deseja. Houve um momento longo de silêncio como os dois homens enfrentados um ao outro. —Não. Eu não estou partindo sem um pedaço bom de traseiro para ajudarme a superar uma dificuldade. —Petiyr disse antes dele o apressar. Desprevenido do ataque, Az caiu por terra, ofuscado debaixo do sopro cruel de arma de fogo do Petiyr contra sua têmpora. Petiyr girou e caiu em Morrigan, sua língua longa áspera fora para lamber uma linha áspera abaixo sua bochecha. Eles dois tropeçaram e caíram por terra. —Você é um total, lunático fodido. —Morrigan gritou, lutando contra ele. Petiyr riu como um louco, seus olhos selvagens caíram sobre suas mãos em seus peitos expostos com a força de contusões. Sua arma voou de sua mão quando seu braço encontrou seu pulso com um golpe brusco, mas ele não pareceu se importar. Ele tentou insinuar ele mesmo entre suas coxas, mas suas pernas estavam chutando muito violentamente para permitir isto. —Lute comigo, bebê. Eu amo quando prostitutas como você põe em cima de uma briga. Faz sua tudo tão mais doce. Morrigan amordaçou quando ele tentou a beijar. Então ela conseguiu morder abaixo em seu lábio rasgando carne e tirando sangue. O gosto de seu sangue era azedo e acobreado — nada como do Az. Ela cuspiu de volta nele quando encheu sua boca. Petiyr clamou e puxou de volta. Ela subiu longe dele, rastejando como um caranguejo em suas mãos e pés para trás na escuridão. —Sua cadela! Você pagará por isto. —ele rugiu, avançando acima dela mais uma vez. Ele subiu de volta para bater nela com seu punho fechado. 55-GrupoRR 55-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

A mão fechada de Morrigan caiu acima da alça da arma do Petiyr. Com grata surpresa, ela pegou-a com dedos desesperados. Ela não foi rápida suficiente e seu punho caiu contra sua maçã do rosto, fazendo ela ver estrelas. Sua vista escureceu e nadou como Petiyr caiu nela com violência renovada. Como seu atacante caiu entre suas pernas, sua mudança da mão para a fixação de sua calça comprida, ela recuperou ligeiramente de seu sopro maligno. Seus dedos apertados em sua arma e ela balançou até nivelar isto em seu rosto. —Para trás, babaca. —ela disse em uma voz que soou diamante duro, até para ela própria ainda tocando orelhas. —Que merda é essa? —Petiyr sufocou em descrença quando ele olhou fixamente abaixo estrábico de sua própria arma. —Sim, está certo. Sua candidata a vítima — pequena como eu — achou sua arma. E oh — adivinhe o que! Eu sei como usar isto, também. —ela disse quando ela lançou seu dedo polegar na trava de segurança da arma. Ela empurrou a arma cruelmente em seu rosto, batendo-o contra seu nariz com força para machucar. —Agora se afaste psicopata, ou eu puxarei este gatilho. Petiyr recuou de sua lentidão. —Você não poderia me matar. —ele ridicularizou. —Você não tem que fazer para acabar com uma vida. —Eu acabei de gastar vários anos de minha vida aprendendo a me proteger de fãs e espreitadores radicais. Eu posso assegurar você que depois de tanto tempo eu estou completamente pronta para atirar em seu traseiro. Você realmente quer tentar comigo? Aparentemente ele não queria porque ele continuou afastado longe dela, até que ela teve suficiente espaço para mudar-se e ganhar seus pés. Ela olhou abaixo nele com olhos duros, a arma segura continuamente em seu rosto. Seus olhos nunca afastaram dele quando ela foi verificar Az. O corpo poderoso do Az mexeu quando ela o abordou, e ela lutou um olhar rápido nele. Obviamente ele estava um pouco ofuscado, e uma gota escura de sangue arruinou sua têmpora e bochecha. Além de que ele parecia tão magnífico como sempre. —Você está bem? —Ela perguntou, cuidadosa para manter a arma apontada em Petiyr, que estava abaixado no chão. AZ sorriu como ele vertiginosamente ganhou seus pés. Ele veio ao lado dela e viu a figura ranzinza amontoada de Petiyr quando Morrigan segurou a arma apontada nele. Ele agitou sua cabeça e apertou um beijo passageiro contra sua bochecha. —Eu nunca pensei que você seria a única a me salvar, meu amor. —ele disse. —Nunca menospreze uma mulher com uma arma. Nós não somos todo marshmallows e raio de sol — nós temos um lado escuro uma milha larga. Az riu ruidosamente na noite. Morrigan não podia resistir sorrir no som de seu bom humor. 56-GrupoRR 56-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

—Deuses, você dois me deixam doente. —Petiyr murmurou. Seu lábio curvado em uma feia zombaria. —Quanto a você, Petiyr. Você, eu levarei de volta para Icari para ser julgado por seus crimes contra nossas pessoas e as pessoas da Terra. Entretanto nós não condenamos a morte para ninguém em séculos, eu estou certo que meu irmão julgará conveniente fazer uma exceção para você. Você é uma vergonha para nosso povo, Petiyr. Você merece o último castigo da morte. As palavras do Az pareceram enfureceram Petiyr novamente e ele parecia perder o que era remanescente de seu autocontrole. Ele apressou em AZ uma vez mais, mas nesse momento Az estava preparado. Em um movimento rápido como relâmpago, antes mesmo de Morrigan ter uma chance de puxar o gatilho de sua arma, Az tinha algemado Petiyr sobre a cabeça com suficiente força para nocauteálo friamente. Morrigan nem mesmo o viu se mover. —Bom soco. —ela sufocou fora, olhando fixamente para Az com olhos arregalados. Aparte do sangue em sua têmpora ele não parecia perturbado em toda por sua exibição atordoante de velocidade e força. —Você está bem, meu amor? —Seus olhos ternamente perambulando sobre dela, lembrando a ela que estava ainda completamente nua. —Eu estou bem, só um pouco machucada é tudo. —ela disse sem fôlego debaixo de seus olhos de cobiça. Incrivelmente ela sentiu seu desejo por ele mexer novamente, apesar da situação estranha em que se encontravam eles mesmos. Ela perguntou-se se sempre seria deste modo entre eles. —Seu rosto está machucado. Seus seios também, onde ele bateu você. Eu sinto muito, eu estava muito fraco para ajudar você, Morrigan. —Seus olhos estavam escuros com vergonha. Morrigan sorriu travessa e abaixou a arma de fogo quando ele a abordou. —Não sinta. Não foi sua culpa que ele não lutou justo. Além disso, eu sou uma mulher do século XXI. Eu sei como cuidar de homens psicopatas com armas. — ela disse, rindo. —Oh realmente? E você pode cuidar de mim? —Ele perguntou com um sorriso mau. Ele deslizou seus braços ao redor de sua cintura, trazendo seu corpo em pleno contato com seu próprio. Seu pênis já estava duro e pesado. Ela não podia deixar de responde ziguezagueando contra ele eroticamente, acariciando sua ereção. Az afastou dela com um olhar sério em seus olhos. —Você pensará sobre ir comigo de volta para minha terra natal? Eu tenho que partir sem você no momento. Eu tenho que levar Petiyr antes do tribunal para enfrentar a justiça do meu irmão. Mas eu voltarei em alguns poucos dias para conversar sobre isso com você, se você quiser. Morrigan pensou sobre isto. Um novo mundo! A idéia estava excitando, tanto quanto estava apavorando. —Eu não tenho qualquer família aqui, ou amigos que eu sentiria falta se eu partisse. —ela disse, aquecendo com essa idéia. Então outro pensamento 57-GrupoRR 57-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

intrometeu. —Mas espere. Como eu posso ir com você? Eu não posso exatamente respirar sob a água, sabe. Olhos sérios, a observaram mais perto. —Você já está mudando, meu amor. Com o tempo você parecerá ser mais como eu, e respirar sob a água será uma das primeiras dessas mudanças. Ou foi o que me disseram. Nós esperaremos o quanto for necessário para seu corpo se adaptar propriamente antes de nós irmos para Icaria. Tempo não tem nenhuma importância para nós agora, com sua longevidade aumentada. —O que você quer dizer por longevidade aumentada? Espere um minuto, só que idade você tem, Az? —Eu tenho apenas cento e doze anos. Eu sou ainda um homem jovem entre meu povo. Você e eu temos muitas vidas da Terra ainda para ficarmos juntos. —Bom! Isso levará algum tempo para me acostumar. Você tem certeza que você quer me ter por perto por tanto tempo? —Você é minha companheira, destinada a estar em meu lado por nossa vida e além. Eu não posso viver minha vida sem você. Eu amo você. Os olhos de Morrigan encheram de lágrimas. —Oh AZ, eu amo você, também. Eu não sei como ou por que, mas eu amo. Mais que eu já amei alguém ou qualquer coisa. Claro que eu irei com você para Icaria. —Ela enterrou seu rosto em seu pescoço quando ele a segurou firmemente para ele. Morrigan foi o primeiro a se afastar. —Agora seria melhor você ir e levar o menino de psicótico aqui atrás para seu irmão, o rei. Rei! Isso faz você um príncipe, Az? —Ela não podia manter a apreensão de sua voz. Ela tinha deixado uma vida de alto nível para trás. Ela certamente não apreciou de embarcar em outro. —Realmente sim, entretanto é meramente um título vazio. Não existe nenhum poder real por trás disto. Isso desagrada você, meu amor? —Bom Deus, não. —ela riu, em alivio. —Eu tive suficiente de fama e glória para durar várias vidas, obrigado. Eu estou pronta acomodar-me no anonimato quieto para o resto de meus dias, e isto não é nenhuma mentira. Petiyr escolheu aquele momento para gemer, e ele mexeu no chão em seus pés. Az suspirou. —Seria melhor eu ir com ele agora. Você estará aqui esperando por mim, Morrigan, quando eu retornar? —Eu esperarei o tempo que levar. —ela prometeu. Ela não teve muito tempo para esperar. Três dias mais tarde, seu amado retornou para ela, e juntos eles entraram nas águas que levariam eles para sua casa.

FIM 58-GrupoRR 58-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Sobre o Autor Sherri L.King vive no Meio Oeste Americano com seu marido, artista e ilustrador Darrell King. Aclamados por funcionários da indústria como um fenômeno de taverna, Sherri é a autora de uma série extremamente aclamada The Horde Wars e Sterling Files, como também a literatura erótica de horror, Venereus. Ela é atualmente trabalha em Beijo do Viajante, livro seis de The Horde Wars.

Livros também por SherrI L.King Bachelorette Beyond Illusion Ellora’s Cavemen: Tales From the Temple III anthology Ferocious Fetish Full Moon Xmas Horde Wars 1: Ravenous Horde Wars 2: Wanton Fire Horde Wars 3: Razor’s Edge Horde Wars 4: Sacred Eden Horde Wars 5: Lord of the Deep Hung Like a Dead Man (Traduzido GrupoRR) Lover’s Key Moon Lust Moon Lust: Bitten Moon Lust: Feral Heat Moon Lust: Mating Season Rayven’s Awakening Sanctuary Sexy Beast (Traduzido GrupoRR) Shikar: Caress of Flame Shikar: Ride the Lightning Sin and Salvation Sterling Files 1: Steele Sterling Files 2: Vicious Sterling Files 3: Fyre 59-GrupoRR 59-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/


ICARUS-Sherri L.King

Sterling Files 4: Hyde Sterling Files: Selfless (Na Revis達o) The Jewel Venereus(Na Revis達o) ICARUS(Traduzido GrupoRR)

Visitem nossos blogs: RomantiCon http://romanticonlivroshot.blogspot.com/ Calientes http://ebookshotmell.blogspot.com/ Western http://livrosemtraducao.blogspot.com/

60-GrupoRR 60-GrupoRR http://romanticonlivroshot.blogspot.com/

Profile for Ingridy Fratucci

Icarus  

Icarus  

Advertisement