Page 1

ANO 1 / NÚMERO 1 / MARÇO 2012

GRATUITO

SANATIVO

ECOATIVO

VIDATIVA

por Erick Silva

por Erick Silva

por Erick Silva

DEPEDRAÇÃO

TERRENOS BALDIOS DESINTOXICAÇÃO

O

foto e manipulação: Osvaldo Morais

DEPREDAÇÃO PÓS-FOLIA

prejuízo após o carnaval, esse ano, foi grande para as empresas de transporte público, mas, principalmente, para os usuários de ônibus da cidade do Recife. Balanço do Grande Recife Consórcio de Transporte mostra que neste durante os festejos de Momo 80 coletivos sofreram algum tipo de dano a mais do que em 2011. Foram 612 veículos depredados, enquanto que no ano passado foram 532. A ponderação do poder público é de que, se compararmos a frota que estava circulando, há uma redução de 5%. Isso porque, em 2012, a frota disponível para atender os focos da folia no Grande Recife foi de 1.803 veículos. Se 612 foram depredados, isso representa 34% da frota. Já em 2011, a quantidade de coletivos foi menor: dos 1.362 ônibus que estavam circulando, 532 foram danificados, o que significa dizer que 39% da frota foi depredada. “A depredação é um fator que

prejudica muito a operação do transporte público.O ônibus utilizado pelos foliões e torcedores, no dia seguinte, é o mesmo que é utilizado pelos trabalhadores e estudantes. Às vezes, em função da demanda, nós temos que autorizar a circulação até sem as janelas”, diz a diretora de operações do Grande Recife, Taciana Ferreira, ao site PE 360 GRAUS. A empresa Itamaracá Transportes chegou a fazer uma campanha de conscientização antes do carnaval, mas que parece não ter surtido efeito, dado o alto grau de coletivos depredados durante as festividades. O problema é que, nem sempre as empresas possuem peças de reposição suficientes, o que acarreta menos ônibus nas ruas até que os que foram danificados possam ser consertados. SERVIÇO:
 Consórcio Grande Recife

0800 081 0158


ECOATIVO

TERRENOS BALDIOS:

COMO CUIDAR? VIDATIVA

01

02

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

SEM AGROTÓXICOS uso desenfreado de agrotóxicos das 3.130 amostras de 20 alimentos O resulta em níveis severos de po- (frutas, verduras, legumes e grãos) coleluição e intoxicação humana, não só tadas pela agência em 2009, 29% apreos agrotóxicos, mas também pelo uso de fertilizantes sintéticos, pela forma de extração onde são usados produtos químicos como o ácido sulfúrico; fora o descarte incorreto das embalagens. Uma proposta é a agricultura orgânica, que é o sistema de produção que não usa fertilizantes sintéticos, agrotóxicos, reguladores de crescimento ou aditivos sintéticos para alimentação de animais. O Brasil está se destacando como um grande produtor e exportador de alimentos orgânicos, hoje já com o apoio do governo.

sentaram algum tipo de irregularidade, como resíduos de agrotóxicos acima do permitido e ingredientes ativos não autorizados. Os dados fazem parte do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA). Lideram o ranking de problemas o pimentão (80% das amostras insatisfatórias); a uva (com 56,4%); o pepino (54,8% irregulares); e o morango, que teve 50,8%. A cultura que apresentou melhor resultado foi a da batata com irregularidades em apenas 1,2% das amostras analisadas.
De acordo com

P

ela cidade do Recife, e em alguns bairros como San Martin, os terrenos baldios são motivo de preocupação para os moradores próximos a eles. Os vizinhos desses terrenos, geralmente, temem pela segurança, sem contar com a sujeira depositada neles. Não há um levantamento sobre o número de terrenos baldios na Região Metropolitana do Recife (RMR), mas as prefeituras admitem que o problema é generalizado. Quem mora numa rua ou bairro que tem um terreno abandonado reclama. “Normalmente ninguém sabe quem é o dono”, afirma Pollyana Diniz, diretamente do site do Cidadão Repórter, do

03

foto: Osvaldo Morais Feira de Alimentos Orgânicos do IPA

O alimento orgânico é aquele que não sofreu adição de nenhum produto químico. Geralmente feita por agricultores familiares, oferecendo uma melhor qualidade de vida e uma melhor renda familiar quando trabalhado em cooperativas. Em questões de saúde, além de serem mais nutritivos em comparação com os produtos convencionais, não possuem nenhum tipo de produto químico que possa ser nocivo. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é responsável por regulamentar os limites toleráveis e substâncias permitidas no cultivo de alimentos. Porém, muitos produtores não seguem a regulamentação, e os mais prejudicados são os consumidores. Um relatório da ANVISA, publicado recentemente, traz dados alarmantes:

Diários Associados. “Ou até sabe, mas o proprietário não se responsabiliza. Ou então o dono da área até colabora, manda limpar regularmente, mas aí é a própria população que não ajuda e joga lixo no local.” É bom lembrar que muitas famílias ocupam certas áreas, e fazem suas casas nesses locais. Porém, algumas habitações ficam inacabadas, tornando o local propício para diversos problemas, como falta de limpeza e proliferação de animais nocivos à saúde. Uma das intranquilidades mais comuns é com a geração de focos do mosquito da dengue, principalmente se levarmos em consideração que entre os meses de janeiro de 2011 e 2012 houve o aumento de casos da

doença no estado de Pernambuco. A responsabilidade pela manutenção de um terreno privado é do proprietário. Quando os moradores da localidade onde se encontra um terreno baldio estiverem sendo prejudicados pela falta de conservação dele, eles devem fazer a denúncia à Secretaria de Planejamento do município, no caso de Recife, a Diretoria de Controle Urbano do Recife (Dircon). O órgão intima o proprietário do terreno para que a limpeza do local seja realizada. Se o problema não for solucionado, a prefeitura pode entrar na Justiça solicitando autorização para fazer a limpeza através de uma

04

medida judicial. Nestes casos, o dono da área deve ressarcir a prefeitura. Já se o terreno está servindo como foco de doenças, no Recife, os moradores devem ligar para a Secretaria Municipal de Saúde, que envia uma equipe de Vigilância Ambiental ao local. E, por fim, se o lugar está servindo como abrigo para bandidos e para o tráfico de drogas, a comunidade deve ligar para a polícia.

o diretor da Anvisa, os produtos em excesso são ingredientes ativos com elevado grau de toxicidade aguda SERVIÇO: comprovada e que causam problemas neurológicos, reprodutivos, de DIRCON - Diretoria de Controle Urbano do desregulação hormonal e até câncer. Recife:
3355-2121 
 Secretaria Municipal de Saúde do Recife:
 “Apesar de serem proibidos em vários 0800-281-1520 locais do mundo, como União EuDisque-denúncia da Polícia Militar : 
 ropéia e Estados Unidos, há pressões 3421-9595 do setor agrícola para manter esses três produtos (endossulfan, acefato, metamidofós) no Brasil”, diz Barbano. 05 06 Até o momento, a única desvantagem é que os alimentos orgânicos ainda são mais caros do que os convencionais, pois são produzidos em menor escala e os custos de produção também são maiores. Mesmo assim, caso o consumo aumente, a maior demanda fará, inevitavelmente, seus preços caífoto: Osvaldo Morais rem, no futuro. Além de formar uma 01 - Canal da Boa Ideia ; 02 - Avenida General San Martin ; 03 - Rua José Veloso geração mais saudável. 04 - Rua Mossoró ; 05 e 06 - Rua Comendador José Vita

INFORNATIVO 1º EDIÇÃO  
INFORNATIVO 1º EDIÇÃO  

Diagramação: Osvaldo MoraisRedação: Erick Silva

Advertisement