Issuu on Google+

276

Avaliação do equilíbrio de crianças com deficiência auditiva por meio da escala de desenvolvimento motor

talizadas por pneumonia ou bron-

mente a um estudo realizado em

os olhos abertos ou executando

copneumonia por pelo menos três

2001(18), onde as crianças de 10 a

movimentos lentos, mas na au-

dias, sendo que o uso de drogas

14 anos de idade, portadoras de

sência da informação visual ou na

ototóxicas para o tratamento de

deficiência auditiva neurossensorial

execução de movimentos rápidos,

broncopneumonias e enterocolites,

apresentavam fraco desempenho

perdem o equilíbrio (21).

principalmente antibióticos amino-

nas tarefas de equilíbrio em rela-

Com relação à idade positiva/

glicosídeos, pode determinar per-

ção às crianças ouvintes, quando

negativa, a análise demonstrou

das neurossensoriais em índices

era solicitado que permanecessem

que as crianças do grupo controle

expressivos(13).

em apoio unipodal com o membro

obtiveram uma idade positiva de

inferior dominante.

aproximadamente 6,4 meses além

Em um levantamento retrospectivo realizado em 2007, no

A possível justificativa para

da sua idade cronológica e as do

que diz respeito à intensidade, as

estes resultados é que o aparelho

Grupo 1 uma média de idade de

perdas neurossensoriais são se-

vestibular dessa população possui

-30,6 meses de atraso comparan-

veras/profundas em 47,3% dos

características que não favorecem o

do com sua idade cronológica. De

recém-nascidos e moderadas em

bom desempenho nessa capacidade

acordo com o resultado da escala

52,7%(12). Os achados em nosso

motora em especial

. Outro estu-

descrito no manual da EDM, 50%

estudo foram sete crianças com

do realizado em 1996 detectou que

da amostra de G1 obteve o resulta-

perda

neurossensorial

o desequilíbrio é uma das principais

do “muito inferior”, 10% “inferior”,

profundas bilaterais, uma perda

características do deficiente audi-

30% “normal baixo” e 10% “normal

auditiva

tivo já que o aparelho vestibular é

alto” enquanto 70% dos sujeitos do

afetado pelas perdas auditivas (18).

grupo controle apresentaram o re-

auditiva

neurossensorial

seve-

ra bilateral e duas crianças com

(19)

neurossensorial

As tarefas motoras correspon-

sultado “normal médio” e os três in-

profunda à esquerda e severa à

dentes às idades de 10 e 11 anos

divíduos restantes “normal baixo”,

direita.

que solicitam que a criança feche

“superior” e “muito superior”, o que

Duas crianças do G1 permane-

seus olhos foram as que apresen-

evidencia o maior desenvolvimen-

ceram internadas na UTI Neonatal e

taram mais falhas em ambos os

to motor na área do equilíbrio das

foram submetidas à ventilação me-

grupos. No grupo 1 na prova cor-

crianças ouvintes.

cânica logo após o nascimento sen-

respondente aos 10 anos, apenas

do que ambos representam fator de

3 crianças pontuaram parcialmente

risco para perda auditiva (11,16).

sendo que todas as outras falha-

Através da aplicação da Es-

A etiologia não definida foi a

ram, na prova de 11 anos, 80%

cala de Desenvolvimento Motor

que teve maior representação com

da amostra não obteve êxito e so-

(EDM) na área correspondente ao

40%

corroborando

mente 2 crianças tiveram acerto

equilíbrio, pudemos observar um

com estudos realizados em 2005(17)

parcial. Já no grupo controle (G2),

déficit na manutenção deste nas

(27% dos casos desconhecidos)

os resultados foram melhores sen-

crianças portadoras de deficiência

num estudo que pesquisou a fun-

do que 70% tiveram acerto parcial

auditiva neurossensorial (Grupo 1)

ção vestibular grau e etiologia de

na prova de 10 anos, 10% de êxi-

quando as comparamos a crianças

deficiência auditiva e em 2003(13)

to total e 20% de falha. Na prova

ouvintes (Grupo 2). Concomitante-

(25,2%) em uma análise das prin-

correspondente a 11 anos, 3 crian-

mente foi observado que o Grupo

cipais etiologias de deficiência au-

ças obtiveram acerto parcial e uma

1 apresenta idade negativa apro-

ditiva em uma escola de ensino es-

êxito total. Este resultado foi obti-

ximadamente de 30,6 meses e o

pecial em São Caetano do Sul.

do pelo fato de que a informação

Grupo 2 apresenta idade positiva

Quanto à avaliação da esca-

visual parece ser a mais importan-

em torno de 6,4 meses, ou seja, os

la aplicada (Escala do Desenvol-

te das informações relacionadas ao

grupos têm idades motoras inferior

vimento Motor – EDM), a figura 1

equilíbrio, pois em estudos realiza-

e superior à idade cronológica res-

aponta que o grupo controle (G2)

dos em pessoas cujo mecanismo

pectivamente. De acordo com o re-

apresentou Idade Cronológica me-

vestibular foi totalmente destruído,

sultado da escala 50% da amostra

nor que G1, apesar de terem Idade

foi possível verificar uma pequena

de G1 obtiveram o resultado “muito

Motora Geral e Quociente Motor Ge-

inabilidade em suas vidas diárias,

inferior” enquanto 70% dos sujeitos

ral superiores a este grupo, o que

estas

apresentam

do grupo controle apresentaram o

indica que crianças com deficiência

sérias dificuldades de equilíbrio,

resultado “normal médio”, o que

auditiva neurossensorial apresen-

enquanto o sistema visual, recep-

evidencia o maior desenvolvimen-

tam um déficit na manutenção do

tores articulares e cutâneos estão

to motor na área do equilíbrio das

equilíbrio

funcionando

perda

auditiva

da

amostra

estático,

semelhante-

pessoas

não

(20)

, quando estão com

CONCLUSÃO

crianças ouvintes.

Ter Man. 2009; 7(32):270-277

terapia manual 32.indd 276

25/8/2009 10:43:47


040