Issuu on Google+

261

Camila Fregadolli Gonçalves, José Luis Feltrin Oréfice, Rosalbina Santiago Rubint Oréfice, Filipe Abdalla dos Reis

Quadro 2. Média de desvio padrão inicial e final. Domínios

Média Início (Desvio Padrão)

Média Final (Desvio Padrão)

Capacidade Funcional

46,91 (± 20,15)

52,73 (± 21,02)

0,051

0,030*

Aspectos Físicos

4,5 (± 15,08)

11,36 (± 23,35)

0,108

0,040*

Dor

70,09 (± 21,13)

76,09 (± 16,29)

0,19

0,071

Estado Geral de Saúde

82,27 (± 15,87)

87,45 (± 11,54)

0,13

0,042*

Vitalidade

72,73 (± 19,41)

70,00 (± 20,25)

0,44

0,264

Aspectos Sociais

62,50 (± 22,36)

71,56 (± 17,76)

0,018

0,0019*

Aspectos Emocionais

51,46 (± 45,62)

52,18 (±39,23)

0,73

0,47

Saúde Mental

74,91 (± 24,07)

77,45 (± 15,10)

0,54

0,32

Wilcoxon

Teste-t p (Unilateral)

p

*valores que apresentaram significância estatística.

a visualização dos poucos dados

Figura 1. Médias iniciais e finais dos domínios avaliados.

significativos em relação à média e desvio-padrão citados anteriormente são mais facilmente visualizados (Figura 1). De acordo com os resultados obtidos através dos testes estatísticos não paramétricos, constatouse que para o teste de Wilcoxon, os valores não apresentaram significância estatística já para o Teste-t de Student os valores apresentaram 50% de significância em relação aos domínios analisados. DISCUSSÃO Para o domínio capacidade funcional foi observado que o teste Wilcoxon com p= 0,051 não apre-

Com relação aos aspectos fí-

testes não apresentaram signi-

sentou significância estatística, po-

sicos, o teste Wilcoxon, p= 0,108,

ficância estatística, porém, para

rém, para o Teste-t com p= 0,030

não teve significância estatística,

Skinner e Thomson

houve significância estatística. Uma possível justificativa é que, segundo Umphred

(13)

, as dis-

(10)

(15)

, Becker

, a modulação da dor é

já que para o Teste-t, p=0,040,

e Cole

mostrou significância, pois, se-

afetada por um aumento no seu

gundo Degani

funções motoras do AVE são sinais

(10)

óbvios da doença, o que leva à in-

Thomson

(14)

, Becker e Cole (6)

limiar, o que diminui com a tem-

, Skinner e

peratura e a turbulência da água,

, os exercícios exe-

pelo efeito terapêutico de rela-

capacidade funcional; com isso, o

cutados em água aquecida pro-

xamento e de inibição das vias

recurso hidrocinesioterapêutico de

põem efeitos sobre o sistema

sensório-perceptivo-motora

musculoesquelético,

estes

são estimuladas por meio a ação da feedback sensorial, no entanto,

acordo com Fiorelli e Arca (9)

(6)

e Ruo-

, Fiorelli e Arca (15)

onde

que

auxilia para uma melhora da

são causados pelos efeitos com-

capacidade funcional através dos

pressivos da imersão, bem como

segundo Rowland

efeitos físicos da água, que relacio-

a regulação reflexa do tônus dos

a extensão da lesão, a incapaci-

nam o empuxo e a gravidade espe-

vasos sanguíneos, que promove

dade física, a idade do paciente o

cífica, os quais agem como redução

uma performance global, onde os

tempo de instalação da patologia,

do peso de suporte e equilíbrio do

músculos possam ser relaxados e

o tipo de AVE, o tempo de trata-

corpo juntamente com a pressão

o metabolismo estimulado.

mento e a frequência da terapia

ti

(16)

, Cordeiro

(17)

,

hidrostática, que desenvolve a co-

No aspecto dor (para o tes-

influenciam na sintomatologia clí-

ordenação dos movimentos, melhor

te de Wilcoxon, p= 0,19 e Teste-t,

nica, no processo de tratamento e

suporte e sustentação do corpo em

p= 0,071) e vitalidade (Wilcoxon,

na qualidade de vida.

todas as posições no espaço (1,2,3).

p=0,44 e Teste-t, p=0,264), os

O domínio estado geral de

Ter Man. 2009; 7(32):258-262

terapia manual 32.indd 261

25/8/2009 10:43:44


025