Issuu on Google+

Junho/Julho de 2013 - Edição 004 - Ano 01 - Distribuição Gratuita - 4.000 exemplares

Desmotivado? Inspire-se com ex-alunos da UEL Formados na UEL contam como conquistaram o sucesso na carreira e conseguiram ser destaque na profissão Pág. 4 BIOLOGIA

DESIGN GRÁFICO

Ivan Lima: pós-doutorado na NASA

MÚSICA

Bruna Scalco: melhor aluna em 2012 e publicação pela EDUEL

Yuri Marqueze: violonista de destaque na música erudita

ESTÁ ACONTECENDO

Banco de sangue do HV precisa de cães doadores Pág. 3

JORNALISMO

ESPECIAL

Rogério Tavares: apresentador do Globo Esporte Paraná

Conta universitária: como faço para ter uma?

MEDICINA

Leandro Diehl: premiado pela Microsoft

Pág. 8

COMPETIÇÃO

OPORTUNIDADE

EU FAÇO DIFERENTE

Atléticas participam dos Jogos Universitários Pág. 7

Universidade recebe I Feira de Estágios Pág. 2

Estudantes da UEL jogam no Londrina Rugby Pág. 6


2 Oportunidade

Expediente

UEL recebe a I Feira de Estágios

Projeto Gráfico/Reportagem: BIA BOTELHO Jornalismo (43) 9655-7250

A Empresa Júnior de Administração da UEL Business Consultoria realiza em junho a “Crescer – 1ª Feira de Estágios da UEL”. O evento tem como objetivo promover a aproximação dos universitários com as empresas de Londrina e região, proporcionando novas oportunidades de estágios aos estudantes. É uma forma de promover o fortalecimento da marca das empresas participantes e a captação de novos talentos.

Publicidade/Comercial: GUSTAVO PAGLIARI Ciências Econômicas (43) 9637-0085 gustavo.informativo@gmail.com Edição/Revisão: GUILHERME SANTANA Colaboradores: LARISSA CANASSA (fotos) LEONARDO GONÇALVES (juridico) Periodicidade: Mensal Tiragem: 4.000 exemplares Circulação: Campus da UEL Impressão: Folha de Londrina Distribuição Gratuita

A feira conta com a participação de 14 empresas expositoras de diferentes áreas de atuação, sendo elas: Atos, Sandoz, A. Yoshii Engenharia, PADO, Rondopar, Milenia Agrociências, Belagrícola, Brasil Kirin, Employer, Experimento, Folha de Londrina, Embrapa e ALL (America Latina Logística). Os estudantes tem a oportunidade do contato pessoal com os profissionais dessas empresas e tem a

chance de distribuir seus currículos diretamente para membros especializados em recrutamento e seleção, aumentando as chances de obter uma vaga de estágio e crescimento profissional. A primeira edição da feira tem como tema “A oportunidade de hoje, o sucesso de amanhã”. O local do evento é o Ginásio João Santana do Centro de Educação Física e Esportes (CEFE), na UEL.

11 e 12 de Junho

Jornal LONDRINA

ia.jornal@gmail.com /informativoacademico

Vagas de estágio

Como devo fazer um currículo?

CURSO

VAGAS

PERÍODO

ANO

Administração

15

Matutino/Noturno

A partir do 1º ano

Ciências Contábeis

02

Matutino/Noturno

A partir do 2º ano

Ciências Econômicas

02

Matutino/Noturno

A partir do 1º ano

Artes Visuais

02

Matutino/Noturno

A partir do 2º sem.

Arquivologia

01

Matutino/Noturno

A partir do 2º ano

Engenharia Civil

01

Matutino/Noturno

A partir do 4º ano

Ciências da Computação

01

Noturno

A partir do 1º ano

Design Gráfico

02

Matutino/Noturno

A partir do 2º ano

Pedagogia/ Magistério

2

Matutino/Noturno

A partir do 1º ano

Rua Piauí, 399 - Ed. São Paulo Towers, Loja 08 FONE: (43) 3324-4455 londrina@portalabre.com.br

• Cabeçalho: Não é necessário colocar “Currículo”. Destaque o seu nome na 1ª linha e nas linhas abaixo as suas informações de contato (idade, endereço, telefone e e-mail). Redes sociais como Facebook e LinkedIn também são bem vindas. • Formação acadêmica: Destaque sua graduação, pós-graduações e especializações (se houver). Não é necessário colocar 1º e 2º graus (a não ser que você ainda não esteja cursando o nível superior).

• Layout: Prefira um layout simples e clean e não ultrapasse duas páginas. • Cursos: Destaque os cursos que são relevantes a área para a qual a vaga foi aberta. Basta nome, carga horária, mês/ano e instituição. • Conhecimentos: Destaque seus conhecimentos que são relevantes para o cargo em questão. Ressalte também os idiomas e o nível de domínio (le, escreve, fala?).

• Experiência Profissional: Aqui é onde a empresa concentra a maior parte de sua avaliação. As empresas devem vir em ordem cronológica decrescente (da mais atual para a mais antiga). Para quem é o primeiro emprego, reforce as duas últimas etapas: Cursos e Conhecimentos. Se não tiver cursos também, somente nos conhecimentos e aptidões. Use o seguinte esquema: o Período (Mês/Ano a Mês/Ano) – Nome da Empresa. Ex.: Jun/11 a Fev/13 – Informativo Acadêmico o Cargo o Resumo rápido das atribuições o Resultados Alcançados Fonte: http://www.quarteldigital.com.br


3

Junho/Julho de 2013

Está Acontecendo

Banco de sangue do HV precisa de doação O Projeto Vida – Banco de Sangue de Animais do Hospital Veterinário (HV) precisa de cães doadores de sangue. A transfusão é para ajudar animais que apresentam anemia grave provocada por doenças contagiosas, crônicas, traumatismos, infecções ou cirurgias. Os animais devem ser mansos e de grande porte, com peso acima de 28 quilos, com idade de 2 e 8 anos. As doações são feitas com hora marcada e a coleta pode ser feita aos finais de semana ou após o horário comercial. Os cães doadores ganham consulta médica e um check-up geral completo, com exame de sangue e verificação das condições de saúde geral do animal. Todos os resultados são repassados para o responsável. O Projeto Vida existe desde 1998 e foi implantado pioneiramente na Universidade Estadual de Londrina como

o primeiro banco de sangue canino cadastrado como projeto acadêmico em todo o país. Ele está ligado ao Departamento de Clínicas Veterinárias do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da UEL. Segundo a coordenadora do Projeto Vida, professora Patrícia Mendes, já foram realizadas mais de mil doações de sangue desde o início do Projeto e, do começo do ano até agora, quase 100. “Só não foram realizadas mais doações devido a falta de animais cadastrados”, afirma. Para ajudar o Banco de Sangue, basta cadastrar seu cachorro como doador de sangue enviando os dados do animal para o e-mail projetovidauel@hotmail.com. Interessados podem entrar em contato pelo telefone do Projeto (43) 8803-0241 ou do Hospital Veterinário da UEL (43) 3371-4559.

“O Jornal Universitário que faltava na UEL”

Ajude-nos a manter esta ideia Anuncie aqui (43) 9637-0085

Juliana Lobato/Agência BOM DIA

Para ser um doador, seu cão precisa: • Ter entre 2 e 8 anos; • Pesar mais de 28Kg; • Ser manso e de grande porte.


4

Profissionais formados na UEL são desta Ex-alunos da UEL contam como trilharam a carreira profissional e o que fizeram e têm feito para se Rede Globo/RPCTV

Por Bia Botelho Terminar a faculdade e trilhar uma carreira de sucesso é o desejo de todo recém-formado. Cinco profissionais que passaram pela UEL também tinham esse desejo e hoje são destaque na profissão que escolheram: um jornalista, um médico, um biólogo, uma designer e um músico contam aqui um resumo de suas histórias e como fizeram para alcançar o sucesso profissional.

Pós-doutorado

na

NASA

Ivan Lima: professor integra time de pesquisa no exterior Em entrevista para o IA Londrina, o professor da UEL Ivan Lima afirmou que refletir sobre sua trajetória científica o encheu de alegria e revigorou suas aspirações para uma carreira científica bem sucedida. Hoje ele está na NASA, fazendo seu pós-doutorado em Astrobiologia e afirma: “é muito cedo para dizer que sou um profissional bem sucedido. Mas me sinto muito feliz por ter alcançado uma posição tão importante, mesmo sem imaginar que um dia isso seria possível”. O interesse pelo tema surgiu em 1998, ano em que ingressou na UEL, quando ganhou de um amigo o livro intitulado “Astrobiologia”, do autor Flavio Pereira. “Fiquei fascinado com a abordagem científica da busca por vida extraterrestre e da possibilidade de me aprofundar em física (astronomia) e biologia, meus grandes interesses científicos. Neste período eu fiz estágio em Astronomia, com a Professora Rute Helena Trevisan, do Departamento de Física. Aprendi a fazer cartas celestes e a observar o céu noturno”, conta o professor. Durante a graduação, o estudante fez estágio nos Laboratórios de Mutagênese, de Citogenética Vegetal e de Genética de Microorganismos. Concluiu a

Apresentador

do

Globo Esporte

Rogério Tavares: destaque no jornalismo esportivo paranaense Apresentador do Globo Esporte Paraná (GE PR) desde 2012, Rogério Tavares, cresceu rápido na carreira de jornalista. Cursou Jornalismo na UEL entre 1995 e 1999 e no último semestre da graduação trabalhou na TV Tarobá de Londrina. Depois que se formou, começou a trabalhar na RPCTV de Maringá, onde ficou um ano. Em 2000, foi convidado para ser repórter do Globo Esporte, em Curitiba, onde ficou até 2010, quando deu um tempo no trabalho para voltar a estudar. Foi para a Alemanha fazer um Mestrado na Universidade de Leipzig, voltou em 2012 e logo assumiu como apresentador do GE PR. No período da graduação, estagiou na Radio UEL em 96, onde escrevia notas para o jornal das seis da tarde. De muitas maneiras o que ele aprendeu na UEL o ajudou a arrumar um emprego e se manter nele. Ele ainda lembra dos professores da universidade que o ajuda-

licenciatura em 2001 e, em 2002, fez a monografia de bacharelado. Iniciou o caminho da pós-graduação com o Mestrado em Genética e Biologia Molecular na UEL e, logo em seguida, começou o Doutorado em Biofísica no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IBCCF/UFRJ). O pesquisador queria algo relacionado à astrobiologia e teve a orientação da Professora Claudia Lage para os estudos. Realizou estágio com Bolsa Sanduíche do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), em 2009, e na Open University da Inglaterra. Em 2010, defendeu a tese “Investigação das Condições de Sobrevivência de Microrganismos Extremófilos em Ambientes Extraterrestres Simulados”, com participação de membro estrangeiro na banca avaliadora, a atual supervisora de pós-doutorado da NASA Ames Research Center, a professora Lynn Justine Rothschild. Conseguiu o primeiro emprego contratado em 2011 como professor temporário de Bioquímica no Departamento de Bioquímica e Biotecnologia da UEL. Mas, em agosto daquele ano, teve que se afastar para fazer o pós-doutorado. Recebeu bolsas de estudos da Capes e também da NASA para se manter no Estados Unidos. A pesquisa no exterior segue até setembro de 2014, quando Ivan Lima planeja retornar ao Brasil. “Quando eu digo que sou pesquisador da NASA, sinto muita satisfação. É como se o meu esforço durante a graduação e pós-graduação estivesse sendo recompensado. Mas fico também tentando imaginar onde estarei daqui 10 ou 20 anos. As possibilidades são muitas, mas tenho um profundo desejo de voltar para o Brasil e trabalhar efetivamente com Astrobiologia, tendo meus próprios projetos e alunos em uma universidade pública, como a UEL”, afirma o pesquisador. Foto: Assessoria Unesp

ram a crescer: “As aulas de TV com as professoras Neusa Maria do Amaral e Flora das Neves, de rádio com a professora Francisca Sousa Mota e Pinheiro, e as aulas com o professor Mário Benedito Sales, me deram alguns bons horizontes,

Concertos

na

República Tcheca

Yuri Marqueze: violonista de destaque nacional na música erudita Para os que pensam que o curso de Música é só para quem possui habilidades refinadas, Yuri Marqueze vem para provar o oposto: “Quando entrei na faculdade, era um guitarrista de rock que nem sabia como lixar as unhas da mão direita para tocar violão. Quatro anos depois, consegui convites para tocar na Europa e ainda tinha passado em um mestrado em violão em Portugal”. Os convites vieram de quatro concertos na República Tcheca, uma realização profissional e de reconhecimento internacional, e a vaga de mestrado foi conquistada na Universidade de Aveiro para a área de Performance Musical. “Essas oportunidades vieram como prêmios pelos quatro anos de trabalho árduo em cima do violão”, afirma. Foi no país lusitano que o violinista conseguiu o primeiro emprego de salário fixo como músico, que além da dedicações às matérias do mestrado, ocupava 28 horas semanais dos quatro meses que ficou por lá. Yuri Marqueze tem sido um nome de destaque na música erudita. Em junho do ano passado, venceu o concurso da FITO (Fundação Instituto Tecnológico de Osasco). Depois, no meio de novembro, foi para o concurso Musicalis, em São Paulo e ficou em segundo lugar. E no final do


5

ques no Brasil e no Mundo

Agência UEL

tornarem bem sucedidos me ajudaram e, principalmente, me deram muita noção de responsabilidade”. Por estar na televisão todos os dias, ele precisa lidar com o fato de ser conhecido no Estado, mas não acredita na fama, que isso não existe para os jornalistas. “No meu caso, por exemplo, não é o Rogério que é conhecido, e sim o apresentador do Globo Esporte do Paraná, o repórter da RPCTV. Não adianta se iludir e achar que você é o ‘famoso’”. “Não sei dizer se posso me considerar um profissional bem sucedido. Sei que gosto muito do que faço. Estou feliz, mas não satisfeito. Quero sempre aprender mais, e crescer mais. Estudo muito e me preparo pra isso”, afirma o jornalista. Colaboração de Marielli Baratto, jornalista formada na UEL Arquivo pessoal

mesmo mês participou do concurso do MASP (Museu de Arte de São Paulo) e conseguiu o terceiro lugar. No período em que esteve na Universidade, aproveitou ao máximo as oportunidades que teve. Do primeiro ano ao início do quarto fez parte da Camerata (pequeno grupo musical que se especializa em executar composições de gênero particular) de Violões da UEL, coordenada pelo professor Inácio Rabaioli. Fez estágio do início ao fim do curso, dando aulas de musicalização para crianças entre 2 e 4 anos. Também participou de Iniciação Artística, uma iniciação científica voltada aos alunos das faculdades de artes. “Como a UEL foi importante nisso? Bem, eu aprendi a ser um profissional da minha área ali dentro do curso, tendo meus professores e meus colegas de classe como modelo. O violão, como encaro hoje, começou ali na faculdade e tem sido o princípio de todas as minhas escolhas profissionais”, afirma o músico. Atualmente trabalha na área da produção cultural através de projetos de recitais de violão. Estuda em São Paulo com o Fábio Zanon, principal violonista em atividade no Brasil e é também professor particular, “algo que nenhum músico deixa de ser”.

Premiado

pela

Microsoft

Leandro Diehl: campeão brasileiro no concurso ImagineCup Médico e professor na Universidade Estadual de Londrina, Leandro Diehl foi campeão brasileiro no concurso da Microsoft, Imagine Cup, que premia os melhores projetos de tecnologia desenvolvidos por estudantes em todo o mundo, na categoria Cidadania Mundial. O motivo? Ele desenvolveu um game para ensinar clínico gerais sobre como usar insulina adequadamente para o tratamento do diabetes mellitus – um assunto em que os médicos que não são especialistas acabam tendo grande dificuldade. “A ideia de montar esse game foi de um grande professor, o Dr. Pedro Gordan, que era docente da Nefrologia na UEL e está se aposentando. Foi ele quem propôs o desafio de construirmos um game para ensino dos médicos”, afirma o ganhador. Na mesma época em que surgiu essa ideia, ingressou na nova linha de pesquisa de Ensino em Saúde, na pós-graduação das Faculdades Pequeno Príncipe, de Curitiba, e conseguiu uma parceria com uma indústria privada de softwares de Londrina, a Oniria Softwares, que está fazendo a parte de programação do game. O prêmio da Microsof foi, segundo o médico, um grande incentivo para que ele continuasse trabalhando no projeto. Agora, ele vai ter a responsabilidade de representar o Brasil na final mundial da Imagine Cup 2013, que acontece em julho, na Rússia. A avaliação da eficácia desse game como ferramenta de ensino sobre insulina para clínicos gerais, será também sua tese de doutorado, junto às Faculdades Pequeno Príncipe, em 2014. Leandro revela que nunca teve vontade de sair da UEL. Cursou Medicina entre 1995 e 2000, fez duas residências e, em seguida, prestou concurso para ser docente temporário de Endocrinologia. Renovou o contrato de docente temporário algumas vezes, e agora é docente concursado da Clínica Médica e médico concursado do Hemocentro. “Graças à preparação e às experiências que tive na UEL, hoje faço o que gosto de fazer: trabalho na Universidade, em uma área desafiadora de Clínica Médica e Endocrinologia. Sinto-me feliz e realizado por tudo que já conseguimos conquistar, e com muitos planos para o futuro”, finaliza. Jornal de Londrina

Publicação

pela

EDUEL

Bruna Fernandes Scalco: prêmio de melhor aluna e publicação de livro infantil A recém-formada em Design Bruna Fernandes Scalco está prestes a publicar seu primeiro livro. Produzido para o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) como um livro interativo para crianças de 5 a 7 anos, com historinhas, ilustrações e montagem inteiramente manual, o trabalho ganhou destaque e foi considerado de tão grande qualidade, que a Eduel (Editora da UEL) decidiu viabilizar o projeto. Bruna Scalco sempre se dedicou aos estudos, o que lhe rendeu o prêmio de melhor aluna da UEL em 2012. Com média geral de 9,68, a maior média da universidade, ela recebeu R$10 mil da Caixa Econômica Federal. Atualmente, a designer trabalha no escritório Phorma Design, na cidade de Arapongas, onde ela mora. Ela acredita que ter feito UEL foi fundamental para a conquista do emprego e que o histórico escolar, no caso dela com notas acima da média, também ajuda na hora de procurar emprego, pois “demonstra responsabilidade e comprometimento”, como afirma. A autora ingressou na Universidade em 2009. Além da graduação, ela optou por fazer atividades extras, como participar do projeto de Ilustração da professora Danielle De Marchi, que despertou o interesse para o tema do TCC, e também o estágio na Eduel, que contribuiu para a sua inserção no mercado de trabalho logo após a faculdade. Além de aluna dedicada, Bruna Scalco também acredita que é uma profissional que se dedica ao que faz, pois estabelece objetivos e se esforça para alcançá-los. Para ter sucesso na profissão, ela afirma que são necessárias algumas características: “responsabilidade, comprometimento e dedicação são fundamentais, assim como buscar ser diferente, inovar, não deixar de estudar e nunca se acomodar”.


6 Bia Botelho

FicaDica

Eu Faço Diferente:

eu jogo rugby

A coluna foi sugerida pela relações públicas Ana Carolina Sciena

Música Lana del Rey

“Eu gosto bastante de Lana del Rey. Ela fez uma música para o filme “The Great Gatsby” que estreia em junho, e que eu gosto muito, chama ‘Young and beautiful’.” Henrique Rondem Ciências Contábeis

Filme Into the wild - Na natureza selvagem

A UEL no rugby feminino de Londrina Arquivo pessoal

“É a história de um jovem que não quis seguir o que todo mundo seguia, o que a sociedade determinava. Envolve temas que a gente vive na juventude, questão de liberdade e de morar sozinho.” Thaís Colombo Farmácia

Lugar Salto do Apucaraninha

Cachoeira de 116 metros de altura localizada na região sul ilme “Ela fica dentro de de Londrina. uma reserva indígena, que também vale uma visita. O acesso não é fácil, por que é em estrada de terra, mas o salto e a paisagem compensam a viagem”.

F

Renato Mazzer Agronomia

Site

B

Treino do time feminino do Londrina Rugby

http://superplayer.fm/ log

Site de músicas de todos os estilos. Você pode escolher a música de acordo com o que está fazendo ou sentindo.

“O rugby é diferente dos outros esportes. É algo de paixão: ou você gosta ou você não gosta”. É assim que a estudante do 2º ano de Arquitetura e Urbanismo da UEL Erika Bordoni vê o esporte que pratica desde 2010. Ela é de São Paulo e veio para Londrina para cursar Engenharia de Materiais na UTFPR (Universidade Tecnológica do Paraná), mas acabou desistindo do curso. Foi nessa época, através de uma amiga com quem dividia apartamento, que ela conheceu o time da cidade e começou a treinar. O rugby é conhecido como um esporte que se parece com o futebol americano, mas que não utiliza acessórios de proteção. É de muito contato físico e, “diferentemente do que as pessoas pensam, não é violento”, enfatiza Erika, que já se machucou muito mais praticando outros esportes do que o rugby. Não é um esporte muito conhecido no Brasil, tanto que a maioria das nomenclaturas utilizadas é em inglês. Por exemplo, a posição em que Erika joga se chama scrum-half (ela fica entre as jogadoras de defesa e as de ataque e faz a ligação entre elas), a lateral do campo chama line, a pontuação do jogo é chamada de try. Mas a jogadora acredita que o esporte vai ser mais difundido agora que se tornou modalidade olímpica e estará nas Olimpíadas de 2016. Em Londrina, o time feminino existe há 11 anos. Ele parou por um tempo, mas voltou em 2010. A maioria das atletas são universitárias com estudan-

tes da UNOPAR, PUC, UTFPR e mais outras duas da UEL: a estudante de Direito Luana Alves Vieira e, a também a aluna de Arquitetura e Urbanismo, Verônica Iamamoto. Mas também jogam meninas de 12 a 16 anos, que treinam, mas que ainda não podem competir. Para a jogadora, o laço de amizade que se cria no rugby, ela não encontrou em nenhum outro esporte que já praticou. “O rugby é uma paixão pra mim. Não é só um esporte, é uma segunda família. A gente tem amigos, cria vínculos. Tem muito companheirismo. A gente brinca muito, mas joga sério”. E elas se dedicam aos treinamentos dados por Nei Vanconcelos, pois precisam ter muito condicionamento e velocidade para aguentarem o jogo todo. Como elas jogam uma variação da modalidade convencional, o rugby sevens, com sete jogadores em cada time e dois tempos de sete minutos cada, isso exige muito do preparo físico de cada uma – é um esporte de velocidade. O time participa do Campeonato Paranaense de Rugby (os jogos são realizados durante o ano todo, com uma partida por mês) e disputou, como convidado, o Campeonato Sul Brasil junto com grandes time do país, no qual ficaram na 5º colocação. “Muitos times nem conheciam o time de Londrina, e ficar bem colocado nesse campeonato deu visibilidade para a gente”, afirma Erika. Apesar do espaço e do reconhecimento que o Londrina Rugby vem conquistando, ele ainda não tem patrocínio nem da federação de Esportes,

Erika Bordoni faz Ar quitetura na UEL e joga rugby desde 20 10

nem da Prefeitura. Os treinos são feitos no aterro do lago Igapó, que pertence à Associação dos Moradores do Jardim Maringá (ASSOMAR) e no Zerão. Por fazer ações sociais na cidade, como ensinar o esporte aos alunos do Colégio Vicente Rijo, fazer campanhas, como a do agasalho, entre outros, o time conseguiu recentemente o título de utilidade pública. Com isso, as meninas estão confiantes de que vão conseguir outros modos de apoio. Todas as despesas com viagens de jogos, uniformes e demais gastos vem do próprio bolso do time. Para arrecadar fundos, as meninas se viram como podem: fazem salgado, bolo, rifas e pagam mensalidade para manter um caixa para o time. E ninguém recebe nada, elas jogam pelo prazer de praticar rugby. TREINOS: 3ª e 5ª feira - 22 as 0h, Zerão Domingo - 16 as 18h, Aterro do Lago Igapó

Você também faz algo diferente e gostaria de contar? Fale com o INFORMATIVO ACADÊMICO. Nós publicaremos a sua história aqui.


7

Junho/Julho de 2013

Jogos Universitários: competição e diversão Nas últimas semanas, oito atléticas da UEL participaram dos Jogos Universitários, que aconteceram nos estados do Paraná e de São Paulo. A Atlética Sete de Março, de Direito, foi para os Jogos Jurídicos Estaduais realizado em Toledo-PR. Segundo a presidente da Atlética, Ana Flávia Moreira, a equipe da UEL ficou em segundo lugar, mas comemorou como se tivesse ganhado os jogos. “Nossa torcida comemorou como campeã e demonstrou o amor pela camisa, digno de elogios de varias faculdades.” Os Jogos de Engenharia, o Engenharíadas, também teve presença da

UEL. A Atlética XXI de Agosto, dos cursos de Engenharia Civil, Engenharia Elétrica e Arquitetura. A equipe também não foi campeã do campeonato, mas no “Desafio de Baterias” a bateria Demônios da Lagoa foi a vencedora. A Atlética XV de Setembro, dos cursos de Adminstração, Ciências Econônomicas e Ciências Contábeis foi para Taquaritinga-SP, participar do Economíadas Caipira. A equipe foi vice-campeã do Desafio de Baterias, com a Tubatuque. Os alunos de Farmácia, da Atlética John Pemberton, foram para o JUSEFA

Bateria “Tubatuque” da Atlética XV de Setembro

(Jogos Universitários Somente para Estudantes de Farmácia). Universidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e do Paraná participaram da competição em Altinópolis - SP. Mais quatro atléticas foram para São Paulo. Química participou do TIQ (Torneio InterQuímicas) em Socorro-SP. E Biologia foi para a InterBio na cidade de São Carlos-SP. A Atlética 7 Copas, de Fisioterapia, viajou para Jarinu-SP, para a CopaFisio, e a 1º de Abril, de Medicina Veterinária, foi para Mineiros do Tietê-SP, onde ficou em terceiro lugar na classificação geral da CopaVet.

Veterinária da UEL na CopaVet

“Demônios da Lagoa” campeã do Desafio de Bateria

Atlética Sete de Março nos Jogos Jurídicos As fotos foram retiradas do Facebook de estudantes da UEL que participaram dos jogos

Coluna Universitária

Vai uma cantada aí? Criada em Abril deste ano, a página do Spotted UEL possui quase 3 mil curtidas no Facebook e é sucesso entre os estudantes da universidade. E o que faz essa página ter tão conhecida? Cantadas anônimas! Alguém envia uma cantada para um aluno da UEL e os participantes identificam quem é a pessoa descrita. O Informativo Acadêmico conversou com o/a responsável pelo Spotted e, sem revelar sua identidade, ele (a) contou algumas curiosidades da página. Da onde surgiu a ideia de criar um Spotted na UEL? Spotted UEL: Como o pessoal que cuida da página é bem ligado às redes sociais, nós já tínhamos conhecimento dessa nova moda entre as faculdades: o tal do Spotted. Com a falta de um com a cara da UEL, surgiu a ideia de criá-lo; e pela procura após a criação (mais de 1000 curtidas em menos de uma semana) da mesma, percebemos que realmente fazia falta. Só uma pessoa é responsável pelo Spotted UEL? Alguém sabe que é você quem administra a página? Spotted UEL: Na grande maioria do tempo, a página tem um único administrador(a), no caso, eu (risos). Eventualmen-

te, em semanas de provas ou muito ‘trampo’, eu peço a ajuda de um único amigo, que só tem acesso à página através de um dispositivo móvel que é meu. Além dele, ninguém mais sabe minha identidade. Qual o critério que você utiliza para publicar as mensagens? Spotted UEL: Praticamente todas as mensagens são publicadas, só existe um filtro caso haja algo muito fora do contexto da página, ou caso alguém se sinta ofendido com alguma mensagem e peça a retirada da mesma. Quantas mensagens você recebe em média por dia? Spotted UEL: Varia bastante, em média entre 7 e 9. Mas em dias movimentados já tivemos picos de 15 mensagens. Muita gente manda mensagem para si mesma? Spotted UEL: No começo da página houve uns 4 ou 5 casos, mesmo assim todos foram publicados. Logo depois dessa onda de auto massagem de ego, eu mandei um na página avisando do ocorrido, e acho que as pessoas se sentiram meio envergonhadas já que não ocorreu mais casos parecidos. O que rola muito é amigo mandando pra amigo, pra tirar um sarro ou levantar um pouco a auto-estima dos colegas (risos).

15 de Junho

Londrina

I Analgésico Caipira (Agro/Farma)

Local: Rep. Full House OPEN BAR - 14h30 até 19h30 Ingresso + 1kg de alimento (Obrigatório)

JONNY SIZE FESTIVAL

Local: Ney Braga - 18h

22 de Junho CeCêBebi

Local: Pq. Ney Braga OPEN BAR - 22h

29 de Junho

Arraiá No PS - “PURA SACANAGEM” Local: Espaço Avila - Perto do Aeroporto OPEN BAR - 14h Traje Caipira OBRIGATÓRIO

3 de Agosto VI COMUNICACHAÇA

Em breve mais informações facebook.com/groups/colunauniversitaria


8 Especial

Quais as vantagens de uma conta universitária? A conta universitária é uma boa opção para os estudantes universitários. Como muitos ainda não trabalham, esse tipo de conta tem a vantagem de não precisar comprovar a renda e, além disso, oferece tarifas inferiores das contas comuns. Vários bancos oferecem a modalidade de conta univesitária e muitos trabalham com planos muito sedutores, que oferecem pequenas taxas bancárias, que variam entre R$3 e R$4, e tarifas de cartões de crédito reduzidas, com anuidade bem inferior às demais contas. Alguns bancos oferecem ainda direito a cheque especial e crédito pessoal. Confira algumas taxas no quadros ao lado.

O que é preciso para fazer uma conta universitária?

• Ser universitário; • Apresentar comprovante de re-

sidência atual (máximo 2 meses); • RG; • CPF; • Cópia do comprovante de matrícula da Universidade.

Banco do Brasil

Bradesco

BB Conta Universitária Tarifa: grátis nos 6 primeiros meses, depois taxa de R$ 3,80 • Ourocard Universitário Internacional Limite: até R$800,00 - com comprovante de renda o limite pode ser maior Anuidade: R$ 72,00 em 6x de R$ 12,00

Conta Universitária Bradesco Tarifas: R$ 4,00 - gratuita nos primeiros 6 meses • Cartão de Crédito Anuidade: a 1ª é gratuita e as demais tem 50% de desconto Cheques: 1 talão de 10 folhas gratuito

Caixa Econônima Federal Conta Universitária CAIXA Tarifas: 3 meses grátis, depois taxa de R$ 3,45 por mês • Cheque Especial Universitário Limite: R$ 400,00; • Cartão de Crédito Universitário Internacional Limite: R$ 700,00 e desconto de 75% na 1° anuidade

Cartão universitário Vantagens: Os cartões universitários em geral oferecem anuidades muito baixas, assistência para usuários inexperientes e promoções para estudantes. Uma ótima pedida pra quem está começando na universidade.

Itaú Maxiconta Universitária Itaú Tarifa: grátis por 6 meses, depois taxa de R$ 3,95 Limite de crédito a partir de R$1000,00 • ItauCard Universitário Visa Anuidade: há isenção no 1º ano, depois 1ª a 6ª anuidade: R$ 64,50 em 6x de R$ 10,75 A partir do 7º ano: R$ 129,00 em 6x de R$ 21,50

Desvantagens: Em geral, oferecem crédito limitado. Uma outra dificuldade é que esse tipo de cartão tem um público alvo muito específico e nem todos podem escolher ter um cartão universitário. Um outro problema é que o crédito para quem não tem experiência com dinheiro pode ser uma combinação muito perigosa. É preciso tomar cuidado com os gastos, especialmente se você começou a usar o cartão há pouco tempo.


4ª Edição - Junho e Julho 2013