__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Ramon Cardoso

FARROUPILHA

|

ANO XIII

|

EDIÇÃO 658

|

2 DE OUTUBRO DE 2020

Sábado de Gre-Nal

Irmãos Valmir e Vladimir eleveram a maior rivalidade do Brasil e uma das maiores do mundo a um outro patamar no Santo Antônio Páginas 2 e 3 e Editorial

|

R$ 3,00


2

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

CLÁSSICO GRE-NAL

Rivalidade no bairro, Fotos: Ramon Cardoso

Irmãos Valmir e Vladimir Lago Allmer escancararam seu amor por Grêmio e Internacional na fachada de casa e viraram atração no bairro Santo Antônio

A

maior rivalidade do futebol no Brasil e uma das maiores do mundo também se faz presente em Farroupilha, por óbvio. Mas na rua Raineri Petrini, no bairro Santo Antônio, ela está ainda mais evidente. Quem primeiro expôs todo esse sentimento de amor ao clube do coração foi Vladimir Lago Allmer, 50 anos, o irmão mais velho. Há uns sete anos sua residência virou um ponto de referência no bairro. A fachada, de momento, não está tão decorada, mas é por conta de uma reforma. Logo ela voltará a receber os adornos em vermelho e branco. Na parte interna, porém, não faltam objetos que lembrem o Internacional. Vladimir até adaptou um Fusca e um reboque com som todo decorado nas cores da agremiação. Muito atuante, ele não perde nenhum jogo do clube e inclusive fez viagens para outros Estados para acompanhar o colorado. São muitas as fotos com atletas e Vladimir goza até de uma espécie de “passe livre” no Beira-Rio. “Sou conhecido como o Alemão do Fuca. Na final da Copa do Brasil, no ano passado, o pessoal da RBSTV, da ESPN, me entrevistaram. Uma pergunta era comum: ‘Por que investir tanto dinheiro nessa paixão pelo clube?’. Eu falei para eles: ‘Olhem em volta’. Tinha uma multidão em torno da gente. Ver essa felicidade, essa alegria no rosto das pessoas, nem que seja por uns segundos, é espetacular. Proporcionar isso para eles, fazer

Fanatismo em vermelho e branco Vladimir carrega o amor pelo Internacional desde a infância e fez questão de externar essa paixão em sua residência

com que esqueçam dos problemas, nem que seja por um momento, já faz tudo isso valer a pena”, comentou Vladimir. Mas isso também é feito por amor, claro. Um desmedido, que nem o próprio torcedor é capaz de saber de onde veio. O pai, Willi, já falecido, era um gremista fanático. Porém, desde pequeno, Vladimir foi colorado. Ele acredita que tenha sido uma herança materna. A mãe, Verônica Lago Allmer,

faleceu quando ele era criança e é possível que tenha vindo dela essa paixão colorada. A família é natural de Santa Rosa, morou em Giruá, mas Vladimir também residiu por dois anos em Porto Alegre, dos 16 aos 18 anos. Foi quando o fanatismo pelo Inter aflorou de vez. “É algo que não tem explicação o que eu sinto pelo clube. É de coração, é por ter me identificado com o vermelho mesmo, desde criança. Acho


3

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

na rua e em família

Fanatismo em azul, preto e branco A partir de uma simples pintura na calçada surgiu a ideia de Valmir ressaltar seu amor pelo Grêmio para um pouco além

que isso nasceu comigo”, comenta. O fanatismo de Vladimir é intenso. No bairro, sua residência é ponto de referência e, embora ocorram discussões intensas por conta do time, o ambiente é sempre respeitoso e fica mais na brincadeira e nas provocações sadias mesmo. Morador em Farroupilha desde 1989, faz sete anos que Vladimir se mudou para o Santo Antônio e deu início à divulgação pelo amor ao Internacional.

“Aqui no bairro quase todo mundo é gremista. Pessoal passa aqui na frente, buzina, toca flauta, me provoca. Eu devolvo a provocação. Faz parte. A fase em Gre-Nais não é lá das melhores, mas estou confiante para o jogo deste sábado. Vamos vencer o Grêmio na Arena e acabar com esse jejum”, declara o confiante torcedor. Esse cenário de rivalidade ganhou contornos em azul, preto e branco recentemente. Valmir, que mora na frente do irmão, no

outro lado da rua, começou a pintar sua residência e a adornou com referências ao Grêmio. “Minha família é toda gremista e minha esposa, Cláudia, tinha solicitado que pintasse a casa em tons de azul. Primeiro eu pintei a calçada com as cores do clube. O pessoal passava, tirava foto, parabenizava. Aí eu pensei: ‘Por que não pintar a casa com escudo, mascote, com a Arena?’. Isso faz uns três meses, fui tomando gosto e agora minha casa virou uma atração turística no bairro”, brinca Valmir, que além do incentivo da esposa teve também do filho, Guilherme. Diferente do irmão, ele não é tão fanático assim pelo Grêmio. “Eu sou mais calmo, levo na boa. Meu irmão é muito fanático. Às vezes nem é bom brincar com ele. Mas fiquei satisfeito com o resultado. O pessoal que descobre que somos irmãos acha que eu fiz isso para provocá-lo. Eles pedem: ‘Vocês não se matam?’. Eu fiquei muito contente com o resultado da pintura, dos desenhos e, mais do que isso, de como o pessoal gostou. Vem de crianças até senhores de idade, tiram foto, filmam. É algo muito gratificante”, comentou Valmir, que reside no local há 14 anos. Evidente que sossego é algo raro. Extremamente movimentada, a rua ouve constantes buzinaços por conta da recente decoração tricolor, ainda mais pela ótima fase recente em Gre-Nais. “Vamos ganhar a partida deste sábado e manter a sequência que é muito boa”, acredita Valmir. Independente do resultado do clássico 428, que abre a rodada do Brasileirão, neste sábado, às 17h, na Arena do Grêmio, duas coisas permanecerão intactas: o amor de Vladimir e Valmir pelos clubes e a série de flautas e provocações de quem passa pela Raineri Petrini. Resta saber se as atuais serão mantidas ou se a partir das 19h de sábado elas mudarão de lado.


4

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

A aposentadoria da saúde em um Rita Riff *

N

ão é de hoje que os profissionais de saúde lutam para ter seus direitos assegurados, não só para receber o cobiçado “Adicional de Insalubridade”, mas, também, para terem o direito a uma condição de aposentadoria mais benéfica, uma vez que estão sujeitos, durante toda a sua vida profissional, a agentes biológicos, químicos e até cancerígenos. Diante disso, precisou aparecer um inimigo iminente, um vírus que atende pelo nome de covid-19, para que o mundo entendesse o quão perigoso e insalubre é o trabalho dos profissionais de saúde. Vale lembrar que os mesmos profissionais que hoje são tão exaltados por sua coragem ao arriscar-se diante deste famigerado vírus, são os mesmos profissionais que, na maioria das vezes anônimos, estão expostos durante anos e em tempo integral a inúmeros outros microrganismos invisíveis, numa situação onde, apesar de todo o cuidado e uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), acabam contaminados, prejudicando não só sua saúde, mas também a de suas famílias. Diante da atual realidade foi preciso chegar uma pandemia mundial para que pudéssemos verificar o quão implacáveis podem ser os agentes biológicos e que o uso de EPI’s e de todas as medidas de segurança necessárias podem ser eficientes, entretanto, não eficazes para preservar a saúde dos profissionais,

permitindo que os levem a enfermidades graves ou até mesmo à morte no exercício do seu ofício. Para esses profissionais, que mais do que nunca são essenciais para a nossa sobrevivência, é importante esclarecer: apesar da reforma da previdência ter sido aprovada em novembro de 2019, ainda há a possibilidade de os profissionais de saúde, que completaram 25 anos de contribuição até tal data, terem a possibilidade de se beneficiar com uma aposentadoria que permite auferir 100% do salário de benefício. Isto, independentemente de idade mínima, uma vez que, para o cálculo, não se aplica o fator previdenciário, garantindo, portanto, que a renda seja mais alta e, consequentemente, mais benéfica. Vale esclarecer que, dependendo do tempo contribuído e da idade do segurado, estas aposentadorias podem ser na modalidade especial ou pela fórmula 86/96. Os médicos e demais profissionais de saúde possuem esse direito, tendo em vista a exposição contínua com os agentes químicos e biológicos, bem como ao fato de que não há EPI eficaz que previna o contágio, expondo aqueles que trabalham diariamente em contato direto com pacientes, doenças, sangue humano, secreções, vírus, bactérias e materiais contaminados. O fato é que aqueles que se formaram e iniciaram seu trabalho até o ano de 1994 devem calcular suas opções de aposentadoria, pois podem se encaixar nas regras acima mencionadas, onde o valor da aposentado-


5

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

especial para os profissionais cenário pandêmico ria pode chegar até ao teto do INSS, mesmo após a reforma da previdência, uma vez que se trata de direito adquirido. Para aqueles que não completaram 25 anos de trabalho até a aprovação da reforma, também é importante ficar atento, uma vez que existem regras de transição que podem assegurar uma aposentadoria mais benéfica do que a concedida pelo INSS. Assim, é importante que todo o setor de saúde tenha cautela e não descuide quando for conferir o cálculo de tempo e a Renda Mensal Inicial (RMI) de sua aposentadoria. Em suma, mesmo após a aprovação da reforma da previdência, os profissionais da área da saúde que tiverem exercido a Medicina por 25 anos antes da reforma, terão direito adquirido a uma aposentadoria que não exige idade mínima e garante 100% do benefício, podendo atingir a aposentadoria especial ou a fórmula 86/96! E, quem atingiu após a reforma, deve consultar as regras de transição ou terão que obedecer o requisito idade (mulher 60 anos e homem 65 anos, ambos com 25 anos de atividade insalubre). Então, por que muitas pessoas têm a falsa crença de que a aposentadoria aos 25 anos não existe mais? Por que o INSS, recorrentemente, nega o direito e, ainda, por que não há orientações aos segurados na agência e no momento de solicitar a aposentadoria especial? Simples! Porque não há interesse do INSS em divulgar, mesmo sendo obrigatório por parte do servidor esclarecer aos segurados acerca de todos os seus

Im

ag

direitos. Em suma, essa instrução simplesmente não existe. Como já é sabido todo o EPI fornecido não é suficiente, estando distante de garantir que o profissional retorne íntegro para sua casa. O mínimo que se espera é que este profissional seja, não só respeitado, mas reconhecido como uma categoria especial. Mais do que nunca, é preciso que os profissionais sejam esclarecidos sobre os seus

direitos. Há o dever de tranquilizá-los. Orientar aqueles que já estão em vias de se aposentar ou até mesmo já concluíram o tempo necessário. É por esse motivo que esse cenário deve mudar; os profissionais da saúde devem saber que possuem direito a uma aposentadoria mais vantajosa após 25 anos de profissão. E graças a esses profissionais que usam “farda” e máscaras brancas, temos he-

em

:R

ep

rod

ão

róis de verdade. Podemos até nomeá-los, contudo, queremos heróis e não mártires que perdem suas vidas para salvar outras e, ainda, não recebem a valorização e a recompensa merecida após anos de dedicação à sociedade. * Advogada especializada em Direito Previdenciário. Diretora do Brazilian Prev Consultoria em Previdência no Brasil e exterior


6

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

História muito além do futebol Arquivo Pessoal

Neste sábado há um novo Gre-Nal, o de número 428 na maior rivalidade do Brasil e uma das maiores do planeta, mas o que isso tem a ver com Farroupilha? Basta passar pela rua Raineri Petrini, no final do bairro Santo Antônio, para obter a resposta (veja Matéria Especial nas páginas 2 e 3). Quem circula pelo local já sabia da residência do colorado Vladimir, há anos decorada com símbolos do Internacional, mas nas últimas semanas não é só o vermelho e branco que chama a atenção, mas também o azul, o preto e o branco, que colorem a casa do gremista Valmir. Uma residência de frente para a outra, às vésperas de um Gre-Nal, em um ano que já tivemos cinco clássicos e com pelo menos mais dois garantidos rende uma ótima pauta, certo? Vladimir não estava em casa quando a Redação se deslocou até lá, mas Valmir estava. Falamos sobre a intenção da matéria e tal e fomos nos certificar se ele se dava bem com o vizinho da frente. Vai saber, né, com esse tipo de rivalidade não se brinca. A resposta foi desconcertante e nos deu a certeza de que a pauta sairia melhor do que a encomenda inicial. “Sim, é o meu irmão”, respon-

deu o gremista Valmir. Embora não seja incomum irmãos torcerem para times rivais, evidente que a questão foi potencializada pela pintura e adornos nas duas casas que viraram uma atração no bairro. Mais surpreendente ainda foi ver que Valmir nem é tão fanático assim (imagina se fosse?), e que acabou pintando a calçada e, a partir dela, foi estimulado pela mulher e filho, mais gremistas do que ele, a dar sequência aos trabalhos.

Índice

Editorial

Matéria Especial ....................................... Páginas 2 e 3 Editorial ..................................................... Página 6 Opinião ........................................................ Página 7 Economia ..................................................... Página 8 Saúde ............................................................ Páginas 10 e 11 Cidade........................................................... Página 12 Política........................................................ Páginas 14 a 18 Esporte ........................................................ Página 19

Inside

Especial..................................................... Capa

Crônicas da Redação ............................. Página 2

Moda .......................................................... Páginas 2 e 3 Guilherme Macalossi ............................ Página 3

Social ........................................................ Páginas 4 e 5

Egui Baldasso ......................................... Página 6

Sétima Arte .............................................. Páginas 6 e 7 Lauro Edson Da Cás ............................... Página 7

Horóscopo ............................................... Contracapa Classificados .......................................... 8 páginas

Já a residência de Vladimir, embora a fachada não esteja, no momento, tão decorada quanto no passado (mas vem novidade por aí, ele assegura), a parte interna é repleta de referências ao colorado. Também surpreende o fato de Vladimir desconhecer a origem de seu fanatismo pelo Inter, já que seu pai era gremista doente, situações que só o futebol pode proporcionar mesmo. Aquele tipo de sentimento que é puro e que deixa a razão quase sempre num

Redação: redacao@jornalinformante.com.br Ramon Cardoso ramon@jornalinformante.com.br

Comercial: comercial@jornalinformante.com.br Fabiano Luiz Gasperin gasperin@jornalinformante.com.br Maria da Graça Potricos Leite maria@jornalinformante.com.br

Anúncios: anuncios@jornalinformante.com.br Marcelo Bortagaray Mello marcelo@jornalinformante.com.br

Financeiro: financeiro@jornalinformante.com.br Keli de Almeida Maciel keli@jornalinformante.com.br

@jornalinformante

segundo plano. A prova de que esse vínculo vem de longa data é a foto ao lado, em que Valmir aparece de manto tricolor e Vladimir de colorado, numa festa de aniversário da irmã caçula (eles ainda têm uma irmã mais velha), quando residiam em Giruá, já que são naturais de Santa Rosa e vieram para Farroupilha em 1989, trazendo também esse sentimento pelos clubes que está devidamente registrado no bairro Santo Antônio. O que vale destacar também é que, embora a exposição e o amor pela Dupla esteja estampado de maneira evidente, sempre houve respeito por parte de vizinhos e visitantes que passam pelo local, muitos inclusive para tirar fotos, o que mostra que essa rivalidade é especial e uma das maiores do mundo também por conta disso, dessa convivência harmoniosa entre quem veste azul e vermelho. No final da tarde deste sábado, um novo capítulo desse clássico gigante será escrito e certamente as agitadas residências de Valmir e Vladimir não passarão incólumes por ele. Resta saber qual será celebrada e, mais do que isso, qual será alvo de flautas. Façam suas apostas. Excelente Gre-Nal a todos.

Assinaturas: assinaturas@jornalinformante.com.br Assinatura Bienal: R$ 250,00 Assinatura Anual: R$ 150,00

Telefones (54) 3401-3200 / (54) 3401-3201 (54) 9.9194.9192

Endereço Rua Dr. Jaime Romeu Rössler, 348, Bairro Planalto

Colunistas Crônicas da Redação Dolores Maggioni Egui Baldasso Fabrício Oliboni

Guilherme Macalossi Lauro Edson Da Cás Paulo Roque Gasparetto Rita Rosa Baretta

A manifestação dos colunistas é livre e independente e não necessariamente reflete a opinião do Tabloide sobre os temas abordados nas colunas

@PaperInformante www.jornalinformante.com.br

/jornalinformante


7

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

Um olhar para a adolescência! Fernanda Passos Lima * Defino o período da adolescência como um desafio, primeiramente para o próprio adolescente que passa por grandes transformações físicas, emocionais e sociais. Para a família que acompanha todas essas transformações e precisa se repensar e também para mim que acolho, cuido e acompanho essa população e suas famílias na Psicoterapia. Na adolescência ocorrem muitas oscilações e instabilidades emocionais e comportamentais, podem ir do turbilhão à calmaria e apatia. Faz-se necessário olhar atento para esse período, a transição da infância para a vida adulta deve ser acolhida com amor, respeito e paciência. Precisamos lembrar do luto presente na fase, o adolescente perde a infância, o corpo infantil, os pais idealizados e ainda tem que conviver

com uma sociedade nem sempre receptiva aos seus anseios e, por fim, ainda lidar com seus hormônios em ebulição. A autoestima nessa fase passa por muitas mudanças, muitas vezes sofrendo um impacto muito mais negativo do que positivo. Na adolescência a construção da identidade e autoestima estará muito ligada às relações sociais e de amizade que o adolescente construiu e vem construindo, acrescentando outros fatores como, por exemplo, as influências das mídias. O adolescente neste período se afasta dos pais não mais idealizados e busca novas referências, surgindo aí a busca pela interação grupal. Cabe aos pais fazerem a sua parte em ajudá-los em sua autoestima. Listarei apenas algumas estratégias para que a aproximação dos pais seja positiva e estimuladora da autoestima de seus filhos adolescentes.

Estabelecer limites e expectativas alinhados à sua faixa etária É importante o estabelecimento de regras e expectativas que se ajustem ao que eles desejam, de modo a contribuir para o seu desenvolvimento. Aqui entra a capacidade dos pais de negociar para estabelecer regras que sejam aceitas pelo adolescente, sem que essas regras sejam muito permissivas. Dentro de uma comunicação aberta, o que favorece uma relação flexível, onde os pais exerçam a sua autoridade sem serem autoritários. As regras devem ser muito claras e comunicar valores específicos.

permitam pensar livremente. Incentivar a tomada de decisões e fortalecer sua autonomia Os adolescentes devem aprender a tomar as suas próprias decisões, a ser responsáveis por elas e decidir de acordo com os seus valores pessoais. Os pais podem ajudar o adolescente a agir de acordo com as suas escolhas, entendendo e lidando com as consequências das suas ações e decisões. Devem oferecer apoio para solucionar os seus problemas, mas sem super protegê-los ou fazer por eles.

E como eu sempre reforço aos Incentivar a formação pais, quando não souberem o cade opiniões próprias minho a tomar, escute seu coração, Sem impor as suas opiniões ou de sua intuição e quando necessitar qualquer outra pessoa, oferecendo- busque ajuda profissional. -lhes uma visão ampla do mundo e facilitando as experiências que lhes * Psicóloga (CRP 07/16219)

O rato roeu a roupa do rei de Roma Ricardo Viveiros * Se ele roeu mesmo, ninguém sabe. Mas que a Fonoaudiologia usa a palavra para trabalhar a fala das pessoas que têm problemas com a pronúncia da letra “R”, isso é verdade. Como também é certo que ninguém gosta de ser chamado de “rato”, sinônimo de ladrão. E da pior espécie, pequeno e furtivo, que ataca de noite. Por outro lado, se você é conhecido como “rato de livraria”, isso já significa um outro status. Condição sofisticada, atraente, que remete à intelectualidade. Camundongo, ratazana, rato-preto, rato-de-esgoto, rato-branco o que importa o tipo? São, todos, ratos que assustam até mesmo os elefantes, um dos maiores animais do planeta. Quando, entretanto, estamos falando de Mickey Mouse, da dupla Bernardo e Bianca, do Remy (do “Ratatouille”), de Stuart Little ou, até mesmo, do Topo Gigio (lembram dele?), tudo se torna mais inteligente, terno, afetuoso e

engraçado. São alguns dos ratos que, sem entrar em considerações sobre as agruras causadas por sua espécie, tornaram-se famosos e queridos em todo o mundo. Os ratos, segundo os limites da ciência, são originários da Ásia e há mais de 1.700 espécies. O rato-preto, por exemplo, invadiu a Europa à época das Cruzadas. A ratazana, por sua vez, apareceu nas cortes do Velho Mundo apenas no século XVIII. Todos trazendo muitos males, graves enfermidades ao homem: peste bubônica, tifo, leptospirose, febre do rato, hantavirose e por aí vão. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), ratos podem transmitir aproximadamente 200 doenças. Em contrapartida, o rato-branco (uma variedade albina) e os ratos cinzas já velhos têm – com o sacrifício da própria vida –, salvado os humanos de inúmeras doenças. São cobaias de laboratório, usados por cientistas para inocular os vírus e pesquisar a melhor maneira de combater seus próprios estra-

gos à saúde humana. E por sua atuação no Camboja, uma rata africana gigante acaba de ser premiada com honras e glórias por, “corajosamente”, farejar minas deixadas pela guerra. A medalha de ouro foi entregue pela Associação Veterinária Britânica (PDSA). Magawa, a rata, já “limpou” com segurança o equivalente a 20 campos de futebol. Ratos se amam de maneira intensa, um casal pode ter mais de 200 filhotes em apenas um ano. Ratos adultos podem alcançar 50 centímetros de comprimento e pesar até um quilo. Um casal de ratos em um celeiro, apenas durante duas estações, pode consumir cerca de 14 quilos de grãos. Ratos causam 45% dos incêndios tidos como de origem desconhecida, 20% dos danos em linhas telefônicas, 31% dos rompimentos de cabos elétricos. Como tudo na vida tem um outro lado, ratos mantêm a cidade limpa. Ágeis e flexíveis entram pelo esgoto, correm por apertadas tu-

bulações que são suas rodovias, promovendo necessária desobstrução. Sem eles, haveria ainda mais entupimentos e enchentes. Em uma entrevista que nos tempos de repórter fiz para a mídia, ouvi do veterinário italiano Angelo Boggio, um dos maiores “ratólogos” deste planeta, então contratado pelo Metrô de São Paulo e carinhosamente apelidado pelos colegas como Doutor Ratão, a seguinte máxima: “Ratos integram o equilíbrio ambiental. Escorpiões matam e comem ratos. Galinhas comem escorpiões. E nós comemos galinhas”. Quem “come” o corrupto que come os recursos do povo? Essa espécie de rato está no topo da cadeia alimentar, causa doenças crônicas como a raiva, move-se com agilidade pelos canais burocráticos do sistema e rói a dignidade. Começou a campanha política para as eleições deste ano em todo o País. Não deixe o seu voto ser roído pelos ratos, escolha bem os seus candidatos. * Jornalista e escritor


8

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

CONSTRUÇÃO CIVIL

Soprano amplia portfólio de produtos na plataforma BIM Área é referência em tecnologia e inovação e aumenta as possibilidades para os profissionais do segmento

S

etembro foi encerrado, na Soprano, com o incremento do portfólio de produtos da plataforma BIM, referência em tecnologia e inovação na área de projetos elétricos no setor da construção civil. Por meio da Unidade de Materiais Elétricos, a farroupilhense passa a disponibilizar também as linhas de lâmpadas de led, interruptores e tomadas. Os novos produtos juntam-se aos já oferecidos, como quadros de distribuição e acessórios, mini-

disjuntores, Dispositivos de Proteção contra Surtos e Interruptores Diferenciais Residuais. A ampliação da oferta na plataforma BIM permite que os profissionais que atuam no segmento criem as chamadas “plantas de construções inteligentes”, onde é possível inserir informações detalhadas de cada projeto. O software, desenvolvido pela AltoQI, é muito utilizado na área elétrica para a execução de cálculos de acordo com as normas técnicas vigentes (nesse caso, a 5410). Após essa etapa, projetistas e engenheiros elétricos rece-

bem automaticamente uma lista com todos os produtos Soprano disponíveis para as instalações necessárias. A BIM integra informações de planejamento, orçamentos, estruturas e instalações elétricas. A Soprano, primeira empresa nacional a dispor de biblioteca na linha de proteção elétrica na plataforma, agora consolida essa oportunidade de mercado, já que os projetistas poderão ampliar a especificação dos itens da marca nas construções. Depois que um produto da Soprano é citado em algum projeto da plataforma,

por exemplo, o pedido de cotação do produto automaticamente é realizado para o setor de compras. BIM é a sigla para Building Information Modeling (BIM), ou seja, Modelagem da Informação da Construção. Um projeto realizado nesse modelo de plataforma conta com uma visão virtual 3D, bem diferente do desenho usual em 2D, que é uma representação planificada das construções. Em uma comparação prática, o programa trabalha os projetos de uma forma mais semelhante a maquetes do que a desenhos em folhas estáticas.


10

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

Drenagem linfática facia pós-cirúrgica e melhora olheiras Tratamento também ameniza linhas finas e renova a pele Equipe Espaço da Beleza *

P

ele de diva? Mais um tratamento pode entrar para a sua lista de cuidados. A drenagem linfática facial. A técnica de massagem é cheia de benefícios. Ajuda ativar a circulação sanguínea, promovendo o relaxamento dos músculos da face e a eliminar as toxinas (que formam as linfas), causadoras das linhas finas e marcas de expressão. Suas vantagens vão desde revitalizar a pele do rosto, amenizar olheiras e até tratar hematomas decorrentes de traumas, doenças e cirurgias. Pós-operatório Após as primeiras sessões, é possível visualizar os resultados do tratamento, com diminuição do edema e uma melhora geral na aparência da pele. Quando a drenagem é realizada na área da cirurgia, há a compressão do líquido retido e sua eliminação de maneira mais rápida pelo organismo, evitando o perigo de infecções. Em relação às cicatrizes, a drenagem é eficiente logo após a lesão, pois melhora a capacidade linfática e a circulação, diminuindo o edema. Caso seja feita muito tempo depois, as chances são menores de

ficar sem nenhuma marquinha, já que a circulação ficou comprometida em função do inchaço provocado pela lesão. Olheiras e marcas de expressão Como atua na melhora da circulação sanguínea, a drenagem amplia a vascularização da região onde é aplicada. O resultado é a redução de bolsas e marcas de


11

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

al auxilia a cicatrização

expressão na região dos olhos. Saiba mais Lembrando que a drenagem linfática facial traz benefícios para pacientes de todas as idades incluindo adolescentes, com problemas de acne, pois promove a diminuição da acne, mantendo a aparência de uma pele limpa e jovem

por mais tempo. * Espaço da Beleza Centro Estético Independência, 555 Centro de Farroupilha Fone (54) 3268-5511 WhatsApp: 981.195.645 Fan Page: Espaço da Beleza Site: www.spabeleza.com.br


12

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

EM ALTO E BOM SOM

Obituário

Alguém quer me adotar? Esse simpático na foto ao lado é o Costelinha, tem 3 anos e se interage muito bem com outros cães. Interessados em adotá-lo podem ligar para os fones 3261-7914 ou 999.580.954. Este e muitos bichanos estão aguardando por um lar no Centro de Amparo Animal de Farroupilha. Seja você a diferença na vida deles. Não compre, adote.

Divulgação

Dia das Crianças roqueiro Cine Drive-In em comemoração à data acontece na próxima sexta

P

ara celebrar o Dia das Crianças, uma nova edição do Cine Drive-In está a caminho, na realização da Prefeitura com o Serviço Social do Comércio (Sesc) Farroupilhense e que conta com o apoio do Sindilojas, Sindigêneros e Senac. Na próxima sexta, dia 9, ocorre a exibição do filme “Escola de Rock”, a partir das 19h30min, no Largo Carlos Fetter (Nataly Valentini, s/nº). A entrada é franca e por ordem de chegada dos veículos, com limite de 80 carros, e abertura do acesso a partir das 18h30min. Logo na chegada, uma equipe do programa Mesa Brasil receberá doações voluntárias de alimentos não perecíveis que serão destinadas a entidades sociais da região. Cada espectador também receberá uma porção de pipoca grátis para acompanhar a sessão. O evento acontece atendendo todos os protocolos de segurança recomendados pelas autoridades sanitárias, evitando aglomerações e com cuidado redobrado para equipes que estão envolvidas na ação e público. O uso da máscara é obrigatório.

Imagem: Reprodução

25 de setembro * José Valdir de Moraes, 42 anos. Sepultamento no Cemitério Público Municipal (CPM); * Iracema Valério Andriotti, 80 anos. Memorial Crematório São José de Caxias do Sul; * Gentila Gedoz Borsoi, 85 anos. Sepultamento no cemitério da comunidade de Nova Sardenha (3º Distrito). 26 de setembro * Cornélia Taís Von Muhlen Schwarzer, 38 anos. Sepultamento no CPM. 27 de setembro * André Luiz Pretto, 40 anos. Sepultamento no cemitério da comunidade de Linha Caravaggetto (4º Distrito); * Cercia Camargo dos Santos, 89 anos. Sepultamento no CPM. 28 de setembro * Jussanan dos Santos Colonia, 70 anos. Memorial Crematório São José de Caxias do Sul; * Ignes Maria Toso, 84 anos. Sepultamento no CPM.

Em cartaz Dirigido pelo americano Richard Linklater, obra é destaque no Cine Drive-In que ocorre na próxima sexta

Programe-se O que: Cine Drive-In especial Dia das Crianças, com a exibição do filme “Escola de Rock” Quando: na próxima sexta, às 19h30min (abertura do acesso às 18h30min) Onde: Largo Carlos Fetter (Nataly Valentini, s/nº) Quanto: entrada franca, mas limitada a 80 veículos. Serão aceitas doações voluntárias de alimentos não perecíveis que serão destinadas a entidades sociais por meio do programa Mesa Brasil do Sesc Informações: pelo fone 3261-6526


14

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

ELEIÇÃO 2020

Pedrozo e Francis, retorno positivo e atenção às novas reivindicações

C

andidatos da situação, Pedro Pedrozo (PSB) e Francis Casali (PDT) têm, no período de gestão à frente do Executivo, conquistas que usam como trunfo para a manutenção das siglas no comando da Prefeitura. Os primeiros dias de campanha, contudo, não tem sido muito tranquilos para o cabeça de chapa. “Por ora, muita luta e pouca campanha. Eu não vou poder estar na rua o tempo inteiro como os outros candidatos porque a cidade exige muito e a minha primeira responsabilidade, antes da campanha, é administrar Farroupilha e esse tem sido o meu foco”, destacou o prefeito, que assumiu o Executivo neste ano, em meio à pandemia, no lugar de Claiton Gonçalves, de quem foi vice nas duas úl-

timas eleições. Francis reporta como tem sido esse começo de jornada. “Esse início de caminhada tem sido muito agradável. Temos escutado a população, ouvido suas reivindicações, que são pontuais, mas importantes, para que possamos montar nosso Plano de Governo a partir desses apontamentos. A recepção tem sido extremamente calorosa e temos recebido um feedback muito positivo do trabalho executado. Um acolhimento muito interessante”, ressaltou Francis, que pela primeira vez está concorrendo, mas tudo dentro do que imaginava. “Eu me preparei muito para esse momento. Me capacitei, adquiri um conhecimento suficiente para concorrer a um cargo eletivo. Foi uma decisão acertada concorrer agora, com uma formação melhor, mais expe-

Divulgação

Integrantes da chapa situacionista reforçam as conquistas do período e focam em melhorias

riente. Na gestão pública é necessário trabalhar com erro zero e esse é o nosso foco”, destacou o vice, comentando que a semana foi de visitas ao interior, ao comércio e também aos bairros farroupilhenses.

Em Santos Anjos Pedrozo fala à comunidade em agenda noturna neste começo de corrida: legado destacado e atento às novas demandas


15

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

ELEIÇÃO 2020

Feltrin e Jonas chamam atenção para boa receptividade dos farroupilhenses

P

ostulante ao cargo de prefeito, Fabiano Feltrin (Progressistas) comentou que não sabia ao certo como os farroupilhenses iriam receber os candidatos, muito por conta da pandemia, e que existiam muitas dúvidas acerca da caminhada eleitoral. Elas acabaram sanadas já nos primeiros dias de corrida. “Foi muito impressionante, me chamou muito atenção a receptividade. Achamos que as pessoas iam nos receber no portão de casa, mas não foi bem assim. Elas querem que a gente entre, sente, converse. Querem ouvir dos candidatos quais os planos para o futuro, para o pós-pandemia. Acho que por conta desse momento excepcional as pessoas estão mais carentes, pensando mais na coletividade, solícitas e também muito inte-

ressadas em saber que propostas temos para áreas vitais do município”, comentou Feltrin, que já havia disputado um pleito à majoritária, mas como vice na eleição de 2008. “Claro que é diferente estar na condição de candidato a prefeito, mas esta campanha também apresenta algumas particularidades por conta da pandemia. Eu e o Jonas somos nossos próprios cabos eleitorais. Contamos com uma equipe enxuta e quando sairmos às ruas vamos ser nós dois e mais uma ou duas pessoas. Mas tem sido muito especial”, assegura Feltrin. Seu vice, Jonas Tomazini (MDB), que já havia encarado eleições legislativas, fez questão de também enaltecer a acolhida do eleitor. “Tem sido uma grande experiência. Extremamente gratificante a receptividade das pessoas para a conversa, para ouvir nossas propostas. Temos

Matheus Paim

Candidatos atestam interesse da comunidade em ouvir as propostas da chapa e apostam no desejo de mudança

percebido também uma tendência forte à mudança e é isso que propomos, que a cidade tenha um novo ciclo pelos próximos quatro anos, e temos sentido e percebido que representamos esse desejo da comunidade”, pontuou o emedebista.

Largada na corrida Feltrin e Jonas, da chapa “Novo Ciclo, Nova Farroupilha”, estiveram visitando empresas da cidade neste início de jornada eleitoral


16

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

ELEIÇÃO 2020

Glória e Darci e o desejo de ajudar a comunidade de maneira efetiva

N

ão é a primeira vez que Maria da Glória Menegotto (Rede) concorre ao Executivo, mas sim a terceira candidatura, desta vez tendo Darci Levis (PSDB), como vice. Mais experiente, a candidata se diz preparada para assumir o cargo máximo no município. “Já concorri outras vezes, mas agora está diferente porque eu também mudei, não na minha vontade de ajudar fazer o melhor para a minha cidade, mas pela experiência que adquiri. Isso me faz acreditar que a população irá eleger a mim e a meu vice Darci

Levis, porque nós podemos mudar esta cidade para melhor”, aposta Glória, que também avaliou os primeiros dias de corrida eleitoral. “A nossa caminhada tem sido muito agradável neste início de campanha. A população, as empresas que visitamos nos bairros da cidade, estão nos recebendo de braços abertos, com muita alegria. Uma recepção agradável e calorosa. Acredito que nossa cidade está cansada de promessas e atos errados e não quer mais ser enganada. A prefeitura precisa de uma pessoa com capacidade e vontade de ajudar de verdade”, reforça a cabeça de chapa. Seu vice confirma

Divulgação

Postulantes ao Poder Executivo reforçam o compromisso de mudar a cidade para melhor

a receptividade. “As pessoas estão vendo com bons olhos os nossos nomes. A primeira impressão é ótima, espetacular. A Glória todos conhecem, ela tem uma boa penetração em todos os eleitorados, é um

exemplo de ajuda, de auxílio a quem mais precisa. A população tem nos informado sobre demandas, dando ideias e estamos adequando nosso Plano de Governo sobre o que é melhor para Farroupilha”, finalizou Darci.

Corpo a corpo Darci e Glória no contato permanente com eleitores farroupilhenses: candidatos muito atentos às demandas


17

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

ELEIÇÃO 2020

Catafesta e Vilas-Bôas destacam boa acolhida do eleitor farroupilhense

A

caminhada ainda está no início, mas a dupla de postulantes ao Centro Administrativo Prefeito Avelino Maggioni, Sedinei Catafesta e Leonardo Vilas-Bôas, na chapa pura do PSD, já percebeu a boa receptividade do eleitor farroupilhense. Os candidatos a prefeito e vice também citaram a identificação da comunidade com as propostas que integram o Plano de Governo. “A campanha tem sido uma maravilha. Fomos muito bem recebidos em todos os lugares e temos muitas pessoas que se dirigem até o nosso Diretório, para conversar e em busca das nossas propostas. As pessoas têm se identificado com nosso Plano de Governo, que prioriza, sobretudo, o corte de gastos. Nosso lema é ‘che-

ga dos mesmos’ e isso a gente vê no rosto da população, esse desejo, essa identificação com aquilo que defendemos”, destacou Catafesta, que encara sua primeira corrida eleitoral ao Poder Executivo após três eleições bem sucedidas ao Legislativo. “É muito diferente uma disputa à Prefeitura de uma à Câmara. Eu tenho meu eleitorado que vai me acompanhar, mas hoje eu percebo muito mais apoio, além de podermos mostrar aquilo que pretendemos fazer, que é enxugar a máquina pública, nossa maior bandeira. A partir disso, podemos fazer muito pelo município”, salientou o cabeça de chapa. Seu vice também comentou o carinho da população. “Estamos em um início de caminhada, o eleitor está conhecendo os candidatos, as propostas de cada um. Temos percebido muitos aqui no Di-

Silviana Graff

Candidatos pela chapa pura do PSD avaliam primeiros dias de campanha e reforçam bandeira de enxugamento da máquina

retório, buscando se informar sobre nossos planos. O Catafesta é conhecido, ficam até emocionados quando falam com ele. Parte do pessoal me conhece pela atuação na Delegacia de Polícia. Essa receptividade é muito boa. Até aqui tudo está sendo perfeito”, comentou Vilas-Bôas.

Pontapé inicial Os candidatos Catafesta e Vilas-Bôas recebem o apoiador Reison Machado no QG do PSD: corpo a corpo intenso marcou começo da trajetória da dupla


18

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

ECONOMIA

Propostas das chapas para a Geração de Emprego & Renda Segundo tema das áreas de interesse público, no espaço que o Jornal Informante confere aos candidatos da eleição majoritária, aborda uma questão das mais relevantes e que necessita, justamente por conta da pandemia, de uma atenção especial. Confira abaixo a proposta dos postulantes ao Poder Executivo destacada pela ordem de envio à Redação e respeitando o número de caracteres similar solicitado

Maria da Glória Menegotto (Rede) e Darci Levis (PSDB)

Sedinei Catafesta (PSD) e Leonardo Vilas-Bôas (PSD)

Farroupilha é um município de múltiplas oportunidades. Temos indústrias que são exemplo, uma agricultura rica e diversificada que nos brinda com a beleza divina de nossos vinhedos, pomares e paisagens. Farroupilha é singular, aqui temos tudo, e quando falamos tudo, nos referimos ao trabalho da nossa gente, os pontos turísticos, indústrias diversas, um comércio atrativo de destaque na linha do vestuário e uma agricultura familiar forte. O incentivo às nossas empresas é primordial, pois é através da geração de empregos que indústria, comércio e serviços suprem suas necessidades e objetivos. Por conta de um evento mundial pandêmico, a covid-19, sofremos graves reflexos em forma de crise, que influenciaram diretamente todos os setores da economia e ocasionaram a necessidade de uma retomada do equilíbrio. Portanto, com força, determinação e esperança, aliadas a uma estratégica gestão de governo, venceremos este desafio, bem como qualquer outro que poderá vir. Queremos e vamos estabelecer políticas públicas que estejam direcionadas para: a recuperação de vagas de emprego nas empresas existentes, fortalecendo-as; o aumento das vendas no comércio e maior estímulo nos serviços; e a busca de novas empresas para se estabelecerem no município. O trabalho se faz prioridade para o bem estar de cada família, seu desenvolvimento e dignidade. De Mãos Dadas com Glória e Levis Farroupilha será uma terra completa, onde a felicidade e as realizações acontecerão!

Em nosso plano de governo, temos dois programas de fomento à geração de empregos: o “Programa Farroupilha Cresce” e o “Projeto do Fundo Municipal do Empreendedorismo”, que terá por finalidade auxiliar as empresas, já existentes no município, que hoje pagam altíssimos aluguéis, para que possam ter acesso ao seu terreno próprio. Depois de contemplado, o proprietário do terreno irá pagar à Prefeitura pequenas parcelas e este dinheiro será aplicado no fundo de reserva, dentro do Programa do Empreendedorismo, gerando receita para a aquisição de novos terrenos para comtemplar demais empresários. Este mesmo fundo também irá prover o pagamento do Programa Juros Zero. O empresário irá solicitar uma linha de crédito junto a uma cooperativa para subsidiar esta obra e a Prefeitura, irá através do “Programa Juro Zero”, auxiliar no pagamento das parcelas, diminuindo encargos dos financiamentos. Implantar o “Projeto Incentivo às nossas Empresas” e também buscar parcerias com empresas de fora para se instalarem em Farroupilha, gerando novas vagas de empregos e a diversificação na produção de novos insumos e produtos, tornando o município um polo atrativo para novos empreendedores. Vamos regularizar os aplicativos de transportes de passageiros, fazer a abertura de vagas de estágio para inclusão de jovens portadores de necessidades especiais. Temos muito mais projetos, que serão possíveis de realizar e que com certeza comtemplarão diversas áreas do nosso comércio e indústria. Vamos implantar o “Projeto de Criação de Startups”, incentivando os jovens a criarem suas próprias empresas.

Pedro Pedrozo (PSB) e Francis Casali (PDT)

Fabiano Feltrin (Progressitas e Jonas Tomazini (MDB)

Entendemos que um governo necessita ter uma gestão de coerência, seriedade, democracia, objetividade e, principalmente, propósito de melhorar cada dia mais a qualidade de vida da população. Com base nisso, quando falamos em Geração de Emprego e Renda, um dos pilares do nosso plano de governo, reforçamos o compromisso com os alicerces que remetem à inovação, tecnologia e mais empregabilidade, com o objetivo de seguir trabalhando voltados ao crescimento econômico e desenvolvimento do município. Dar continuidade às ações desenvolvidas até aqui e fortalecer as práticas que visam a desburocratização para abertura de empresas e estabelecer um canal de prospecção da atividade econômica junto ao setor empresarial com vistas à implantação de novas empresas e a geração de trabalho e renda. Nosso município teve reconhecimento através da Sala do Empreendedor, Alvará Digital, que virou exemplo nacional, sendo copiado por vários Estados. Passamos de um período de cerca de 400 dias de espera pelo alvará, para um processo de 12 horas: uma conquista importante. Esses são apenas alguns dos inúmeros exemplos das boas práticas desenvolvidas. Nos últimos anos muito foi investido em novos sistemas e programas que contribuíram para desburocratizar e agilizar a vida dos empreendedores. Nossa meta é continuar a incentivar e valorizar empreendimentos locais, estimulando o setor, com atenção especial aos micro empreendedores individuais e pequenos empresários, desenvolvendo ações conjuntas com órgãos e entidades públicas e privadas.

Se tem uma virtude que nossa terra tem é a de ser um povo trabalhador. Desde o início da nossa história sempre foi assim. E é por isso que somos um povo tão próspero. E todos nós sabemos que diante do atual cenário, com tantas pessoas perdendo seus empregos, será preciso muito planejamento. Um projeto que retome a economia, especialmente a partir do ano que vem, quando os reflexos da crise serão ainda maiores. Assim, se eleitos, vamos lançar o Plano de Recuperação Econômica para incentivar a vinda de novas empresas à cidade, fomentar novos postos de trabalho, além de criar políticas que façam a manutenção dos já existentes. Queremos fazer isso a partir do estímulo às micro, pequenas e grandes empresas, para que expandam suas atividades e, consequentemente, aumentem seu faturamento e possam contratar mais pessoas. Se trata de um ciclo simples, mas que necessita de ações inteligentes por parte do poder público. Também faz parte do nosso projeto dar espaço e oportunidades para os jovens, com a oferta de cursos profissionalizantes. Desta forma, terão competitividade no mercado de trabalho, serão valorizados com salários dignos e levarão renda para suas famílias. Diante disso é que nós dois, Fabiano e Jonas, estamos humildemente colocando nossos nomes à disposição. Entendemos que podemos ajudar nosso município com toda a nossa experiência em gestão e administração. Farroupilha sempre foi a terra das oportunidades. Tudo isso fruto do trabalho e do empenho de toda a comunidade. Precisamos mantê-la com essa marca que tanto nos orgulha. Gerar renda. É o que faremos.


19

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

BRASIL FEMININO

Semana de trabalhos específicos Faltando três para a volta do Brasileirão Série A2, gurias rubro-verdes aprimoram fundamentos na reta final de preparação Ramon Cardoso

temos que aperfeiçoar alguns aspectos nessas antes do retorno à competição nacional”, comentou o técnico Luciano. O treino desta sexta ainda depende do clima. A ideia inicial era de realizar um novo coletivo, mas ele será feito apenas com tempo seco. O Brasil regressa à Série A2 no próximo dia 25, diante da outra equipe catarinense do Grupo F: o Napoli, de Caçador, valendo a liderança da chave. A equipe farroupilhense venceu, em Xanxerê, a Chapecoense por 4 a 3 na estreia. Já o rival também começou bem a disputa ao triunfou em casa, goleando o Athletico por 4 a 0.

J

Brasil Feminino

á com ritmo acelerado, pautado pelos três treinos semanais, os trabalhos desta semana das gurias rubro-verdes estiveram focados nos fundamentos. Desde as ações de aquecimento, comandado pelo preparador físico Rafael dos Santos, o Brasa, com atenção especial ao passe, até os trabalhos específicos do técnico Luciano Almeida, que no treino de quarta à noite, nas Castanheiras, foram direcionados especialmente à finalização. “Foi um treinamento em que reproduzimos situações de jogo, com movimentação, passe, deslocamento, cruzamento e finalização. Tivemos uma boa semana de trabalho, mas ainda

Jogo-treino e amistoso

Aquecimento Bianca, Laís e Ana no início do treinamento de quarta à noite, nas Castanheiras: amistosos devem conferir ritmo de jogo à equipe que ingressa, finalmente, no mês de retorno da A2

Os dois finais de semana que antecedem a estreia em casa das gurias rubro-verdes serão agitados. Um jogo-treino, contra um Combinado de Caxias do Sul, acontece no sábado, dia 10, às 20h, nas Castanheiras. No dia 18, às 15h30min, o time vai até Santa Cruz do Sul enfrentar o Flamengo, retribuindo visita feita no início de março. Na oportunidade, o Brasil venceu por 3 a 1.


Pedrozo e Francis Recepção calorosa dos munícipes e retorno positivo do trabalho executado

Fotos: Ramon Cardoso

Feltrin e Jonas Eleitor interessado em propostas para Farroupilha e com anseio de mudança

Da Redação às ruas

Candidatos avaliam primeiros dias de campanha e falam sobre suas propostas para a geração de emprego e renda Editoria de Política, páginas 14 a 18

Glória e Darci Visitas agradáveis e vontade de auxiliar a comunidade farroupilhense

Catafesta e Vilas-Bôas Corpo a corpo com o eleitor e bandeira pelo enxugamento da máquina pública


Moda

Golden Center comemora números positivos e reforça alta qualidade farroupilhense para as estações quentes Páginas 2 e 3

Inside

Sétima Arte

Uma abusiva e doentia relação pauta “Remédio Amargo”, novo suspense espanhol da Netflix Páginas 6 e 7

LITERATURA

Os frutos do saber em tempo de pandemia e também pelo aplicativo de celular “Árvore de Livros”, compatível com todos os sistemas operacionais, ela permite ao usuário baixar livros e ler de maneira off-line. Para ingressar na plataforma é necessário utilizar um código, que foi enviado para os estudantes pelas instituições de ensino. Os alunos poderão acessar a plataforma e escolher livremente entre as obras que estão disponíveis de acordo com a sua faixa etária, além de realizar atividades propostas pelos professores. Mais informações estão disponíveis na aba “Livros” da plataforma Estuda em Casa Farroupilha, que pode ser acessada pelo farroupilha.rs.gov.br/ estudaemcasa ou diretamente com os professores das escolas municipais de Ensino Fundamental.

Imagem

C

om o objetivo de proporcionar aos alunos da Rede Municipal de Ensino (RME) acesso à cultura e estímulo à leitura, a Secretaria Municipal de Educação firmou uma parceria com a “Árvore de Livros”, uma plataforma de obras digitais. Ela conta com um acervo de mais de 30 mil títulos de diversos gêneros e em vários idiomas, que vão de clássicos da Literatura a recentes best sellers, além de jornais e revistas de todo o mundo. O conteúdo é gratuito e pode ser acessado por meio de um computador, tablet ou até mesmo smartphone por todos os estudantes do Ensino Fundamental da RME. Disponibilizada no formato Web, através do site www.arvoredelivros.com.br

: Repro dução

Plataforma digital “Árvore de Livros” firma parceria com a Secretaria Municipal da Educação e disponibiliza vasto acervo online para os estudantes farroupilhenses

Colheita literária Parceria permite que alunos tenham acesso a milhares de obras


Inside

2

Crônicas da Redação Ramon Cardoso

ramon@jornalinformante.com.br

Um show de horrores que, infelizmente, está a caminho

Moda

Golden Center Atacado e a aposta na moda verão Resultados se aproximam dos obtidos no período pré-pandemia e mostram que Farroupilha não é referência no setor apenas nas estações frias

Fotos: Daniel Hendler

O Grupo RBS promoveu um debate com os candidatos a prefeito de Porto Alegre em formato drive-in. Uma coisa bizarra, eu sei, que deve ter sido aplaudida pelo governador Eduardo Leite, um entusiasta do distanciamento social, um modelo que não serviu para absolutamente nada a não ser quebrar ainda mais com a economia gaúcha. Mas esse não é o ponto e, sim, o debate. O formato só não foi mais surreal do que as propostas apresentadas pelos candidatos. Estava esperando o Globo Esporte (único programa que ainda assisto na Rede Globo) e peguei a parte final do Jornal do Almoço na segunda, quando a equipe do programa, além de enaltecer o debate drive-in como algo inovador, entrevistou os 13 candidatos. Parte deles falou que a meta número 1 era “Fora Bolsonaro” e que a pauta número 2 era “Lula Presidente”. Porto Alegre não deve ter problema algum para resolver pelo jeito. Naqueles poucos segundos que foram abertos para os postulantes falarem num espaço nobre, sobre suas propostas, já foi possível eliminar mais da metade. Tirando os que querem expulsar Bolsonaro (eu não sabia que ele morava em Porto Alegre) e que desejam um condenado pela justiça como presidente (ficha suja é inelegível), outra parte mentiu descaradamente. Que Deus tenha piedade da Capital se algum desses for eleito para o cargo. Esse é um fenômeno que estará muito presente nesta eleição. O atual prefeito, Nelson Marchezan Júnior, está com um processo de impeachment a caminho e escapará dele só com um milagre, o que faz com que muitos tenham visto a oportunidade de se lançarem candidatos. Caxias do Sul, o segundo colégio eleitoral do Estado, teve seu prefeito deposto e isso também fez explodir o número de candidaturas: são 11, incluindo algumas figurinhas carimbadas que perceberam o vácuo no poder. Para não dizer que não falei do município, Farroupilha passou por uma situação similar à caxiense e também registra um número incomum de candidatos: quatro, algo que havia ocorrido apenas na eleição de 1992. Porém, vale destacar também que a cidade tem um nível de postulantes muito, mas muito superior a Porto Alegre, levando em conta a quantidade de mentiras e a agenda nonsense detalhada pelos prefeituráveis. Não há a menor dúvida que o eleitor está mais politizado a cada novo pleito, que tem conhecimento sobre as atribuições de cada cargo, mas o nível de candidaturas par essas grandes cidades parece ser cada vez pior. Margaret Thatcher, a lendária premier britânica, disse certa vez que “a democracia não é um sistema feito para garantir que os melhores sejam eleitos, mas sim para impedir que os ruins fiquem para sempre”. Em alguns municípios, não haverá solução. A quantidade de candidatos ruins é tamanha que só um milagre proporcionará que os capacitados (a esmagadora minoria) cheguem ao poder. De nada adianta o eleitor aprimorar a capacidade de escolha se os potenciais eleitos não reúnem as mínimas condições para o cargo. É premente uma melhora no nível de candidaturas. O que temos visto é algo assustador.

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

O

último fim de semana foi revelador para o Golden Center Atacado. O empreendimento colheu bons resultados com o lançamento da Coleção Verão 2020/2021. A iniciativa atraiu mais de 1,1 mil lojistas, cadastrou cerca de 150 novos CNPJs e expandiu ainda mais o alcance de compradores de fora do Rio Grande do Sul. O fluxo de lojistas de outros Estados praticamente triplicou na oportunidade. Clientes que buscam artigos para as estações quentes e veem Farroupilha, famosa e tradicional com a moda outono/inverno, como uma ótima opção em compras também para a primavera/verão. Para se ter uma ideia, em comparação com a edição de 2019, o volume de novos potenciais clientes para os fabricantes e distribuidores instalados no Golden Center cresceu mais de 50%. Da mesma forma ocorreu com o fluxo de guias de compras, com grupos de fora do Rio Grande do Sul, que praticamente triplicou em relação ao último ano, mesmo com a pandemia. O empreendimento, com seu desempenho atual, atingiu números muito próximos aos apresentados antes do aparecimento do coronavírus e seu impacto no setor econômico. Além do trabalho feito pelo Golden Center, na busca do shopping por lojistas desde março, para o lançamento da nova coleção, a gerente Ana Maria Dal Santo Fabro também atribuiu o incremen-

No comando Gerente do Golden Center Atacado, Ana Maria Dal Santo Fabro celebra resultado obtido mesmo em ano atípico

to de 2,6 mil novos compradores por conta do fechamento de tradicionais centros de compras, principalmente na região Sudeste, que foi a mais afetada pela pandemia. Um público que foi naturalmente absorvido pela Serra e por Farroupilha, que a cada ano se notabiliza como referência


FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

Inside Guilherme Macalossi

Moda

cisperter@hotmail.com

os bons números com

também na moda verão. “Os lojistas sabem que aqui encontrarão produtos de qualidade direto de fábrica e que, em comparação a outros lugares, há grande facilidade de troca e flexibilidade de prazo, que se tornou um diferencial ainda mais acentuado com a pandemia. Aliado a isso, mantivemos as operações, dentro do possível e com total cumprimento aos protocolos de saúde, enquanto São Paulo permaneceu fechado, durante boa parte do ano”, comenta Ana Maria. Mas não foi apenas isso que contribuiu na atração dos visitantes. Uma outra grife serrana também foi bem utilizada. “Em articulação com guias, agências e outros empreendimentos, trabalhamos o conceito de viagem de turismo alinhado à compra. Ofe-

3

As novidades Transmissão de desfile pré-gravado, via telão, foi inovação proposta pelo Golden Center para evitar aglomerações e respeitar os protocolos de saúde: adaptações foram necessárias, mas não serviram de óbice à captação e ampliação de novos clientes

recemos hospedagem aos lojistas de longa distância. Assim, muitos vieram no sábado para passear pela Serra Gaúcha, pernoitaram, e no domingo fizeram suas compras, aproveitando o tempo ao máximo”, ressaltou Ana Maria. Uma ideia que vingou e certamente fará parte permanente das ações do shopping, ampliando ainda mais a cadeia econômica envolvida no turismo de compras farroupilhense.

Querem dar lições de racismo para Glória Maria Vivemos tempos de incivilidade e barbárie. Tempos em que bons propósitos acabam instrumentalizados por criminosos mascarados e radicais interessados em promover tumultos e desordem contra o sistema econômico a quem atribuem todos os problemas humanos. O exemplo mais recente desse modus operandi foi o caso de George Floyd, o homem negro que foi morto em uma abordagem policial nos EUA. Por óbvio, tratou-se de um homicídio com motivação racial, e a reação popular seria proporcional à gravidade do caso não tivesse tudo descambado para uma onda de violência premeditada que se espalhou pelo mundo. Sim, premeditada. Grupos políticos usaram o assassinato de Floyd para cometer uma série infindável de crimes, incluindo vandalismo, depredações e outras muitas mortes. Muitos dos que foram às ruas nos EUA e na Inglaterra para praticar depredação contra patrimônio público e privado não eram negros e nem tinham qualquer outro objetivo que não aproveitar o momento de enorme comoção com o assassinato de Floyd para pôr em prática o ódio anticapitalista que fora sedimentado em suas mentes. Idiotas úteis compelidos por uma retórica atrativa de igualitarismo. Hoje, o antirracismo, uma das temáticas mais importantes e sensíveis em voga, virou, em boa medida, ferramenta de uma agenda que não tem como objetivo real combater a discriminação existente. Os movimentos negros radicalizados, aliás, ajudam a impedir a solução do problema ao difundir parâmetros de conduta que são profundamente entrelaçados com determinadas visões de mundo. Quando se trata de racismo, por exemplo, o negro só é visto como tal se assumir uma postura pré-definida. É preciso que ele acredite em racismo estrutural e defenda medidas de reparação históricas. E ai do negro que não se enquadrar nessa caixinha. Nessa semana foi a vez da jornalista Glória Maria se tornar alvo daqueles que acreditam que negros não podem ter diversidade de pensamento. Em entrevista para Joice Pascowitch, ela criticou o politicamente correto e suas consequências no cotidiano. “Eu acho tudo isso um saco. Hoje tudo é racismo, preconceito e assédio”, disse. Foi suficiente para ser condenada nas redes sociais. Levou um pito até mesmo de Sônia Abraão, apresentadora branca de um programa de fofocas. A espetacularização do que respondeu Glória Maria é relativa ao clima de imposição de pensamento que tangencia o debate público sobre o tema. A jornalista não negou a existência do racismo, apenas apontou para generalizações tacanhas que enfraquecem a discussão séria. Não, nem tudo é racismo, nem tudo é preconceito e nem tudo é assédio, como alguns tentam fazer acreditar. O caso de Glória Maria é ilustrativo dessa verdadeira apropriação indébita das demandas sociais, que deixam de ser protagonizadas por indivíduos livres, uma vez que reimaginadas à luz de teorias das mais enviesadas. De maneira que o combate ao preconceito passa a ser exercido a partir da imposição de uma narrativa que se aplica até mesmo para aqueles que pertencem aos grupos que supostamente se busca proteger. * Redator e radialista


Daniel Hendler

C

Energia da Casa

Tati Rodriguez

om a chegada da pandemia todos nós tivemos que ficar mais em casa e buscar ocupações dentro dela. E com isso, muita gente mudou a forma de ver este espaço, que agora passa a ser nosso local de sossego, lazer, passatempo, atividades, entre outros. E em alguns materiais recentes li o quanto é importante tornarmos nossas casas especiais, trazendo uma energia de alegria para dentro dela. E, às vezes, isso significa mudar coisas de lugar, tirar o que não é mais útil, colocar flores e plantas, acender um incenso. Como você tem tratado este espaço no qual passa tanto tempo?

Dia das Crianças

Para celebrar o Dia das Crianças em grande estilo, a Prefeitura e o Sesc realizam uma nova edição do Cine Drive-In, especial para a data. A sessão ocorre na próxima sexta e exibirá o filme Escola de Rock. O evento acontece no Largo Carlos Fetter e os espectadores receberão uma porção de pipocas grátis. A entrada é gratuita e os interessados podem fazer a doação voluntária de um quilo de alimento não perecível. Veja mais na Editoria de Cidade, página 12.

A tatuadora Raquel Roman iniciou seus trabalhos na cidade e o diferencial está em suas tatuagens exclusivas. O estúdio da profissional está localizado no Edifício Firenze

Gerente do Golden Center Atacado, Ana Maria Dal Santo Fabro esteve à frente da ação realizada no Shopping no último domingo, que trouxe lojistas para conhecerem as lojas do empreendimento Divulgação

Cultura

A Casa de Cultura de Farroupilha está promovendo o Festival Primavera Piano neste sábado. A programação será online, onde 19 participantes apresentam novas músicas e pontuam para chegar à final dia 9 de novembro. O vencedor do festival ganha um clipe gravado no estúdio Recanto de Farroupilha. Confira as apresentações às 14h, 16h e 18h30min no Facebook da Casa de Cultura.

Reta Final

A Estação Férrea Nova Vicenza em breve estará de cara nova. A estrutura do local histórico está passando por obras e tem previsão para ficar pronta em novembro deste ano. O local contará com memorial, biblioteca, espaço gastronômico e centro de atendimento ao turista. O projeto foi idealizado pelo CDL Farroupilha e financiado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura do Estado.

Os cozinheiros voluntários Marcos Piccoli, Daniel Reche, Samuel Roth, Cícero Roth e Fabiano Gasperin prepararam os deliciosos pratos da ação solidária Gente Boa na Cozinha, realizada pelo Grupo RSCOM

Vanessa Longo Vic marido, Dair Vicen aniversário, celeb


#EmCasa Tatiane Moraes

Juliano Tofolo e Cléia Gisele Giehl confirmaram sua união no sábado passado, com reunião íntima na casa da família

cenzi recebeu o carinho do nzi, pela passagem do seu brado em casa, no domingo

Fotos: Arquivo Pessoal

No sábado, Isadora comemorou seus 3 aninhos com o mano Augusto De Rocco Giacomoni e pais Maurício Giacomoni e Daniela De Rocco Giacomoni. O tema da festa foi Masha e o Urso

Os manos Iago e Yasmin comemoraram juntos o aniversário no domingo e receberam o carinho dos pais Tiago Riefel e Vanderleia Dal Bello


Inside

6

Egui Baldasso e.baldasso@gmail.com

A tua vida é tua Eu não sou bom de conselhos. Eu acredito que você já saiba disso. Mas eu sou um belo teimoso também, caso isso tenha passado despercebido. A eterna balança entre as falhas e o que não funciona que tanto nos caracteriza. E quando o defeito vence a incapacidade, eu me arrisco e saio colocando em risco todos que ainda me escutam. Divido o que penso da vida, e do que nós fizemos das nossas. É uma espécie de cuidado. Eu me preocupo mesmo com quem me lê, e tento fazer com que entendam o meu jeito de prever alguns tombos. É por isso que eu preciso avisar, lembrando que jamais me responsabilizo por toda a chance de erro. Mal consigo lidar com os meus. Boa sorte com os teus. Mas lá vai! O meu conselho é pra não colocar toda tua vida na mão de alguém. Deixa sempre momentos e lugares intactos, onde só você chega. Não por egoísmo, mas para ter a chance de, a qualquer momento, lembrar quem se é, e ter o mínimo para começar a reerguer-se quando a vida, tão fantástica, lembrar que também sabe ser bem cruel. Vale a entrega, os planos a dois. No amor ou no profissional. A vida de mãos ou projetos juntos. Mas um lado nosso há de viver sozinho, respirando a liberdade de existir com e apesar de tudo. Um espaço que decoramos a nosso gosto, sem influências, interferências, onde não existe ausência. Com a nossa breguice e falta de jeito. A cama que sempre espera a volta da nossa raridade. Fomos feitos para o abraço, para o encontro, e jamais abrir mão deles. Mas precisamos precisar do outro, e não depender. Precisamos ser feliz com o outro, e não viver com medo de perdê-lo. De quando a vida bater, voltarmos a ser apenas um. Eu sei que é muito mais fácil caminhar tendo o amparo, escutado num ombro, mesmo que viva ausente. A figura do outro nos faz pensar que completamos uma parte da nossa vida, a de encontrar alguém. Vencida essa etapa, podemos reclamar de novas, na eterna insatisfação que buscamos. Nesse conforto que a mão alheia nos traz, esquecemos da força das nossas, e que sabem por onde tatear para simplificar todo destino que sabemos ir atrás, e não apenas sucumbir. A vida, tua, nunca vai ser de mais ninguém. * Jornalista e escritor

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

Sétima Arte

O peso de uma

relação doentia

“Remédio Amargo”, suspense espanhol do catalão Carles Torras, mostra como um relacionamento possessivo pode se transformar em algo perigoso

N

ão se sabe ao certo como ocorreu o relacionamento entre o paramédico Ángel Hernández (Mario Casas) e a estudante de Medicina Veterinária Vanesa François (Déborah François), o que se sabe é que ele está em vias de deterioração. Ciumento e possessivo, o comportamento de Ángel é cada vez mais opressor e sufocante, deixando Vanesa em situação de aflição permanente, como se tivesse que medir cada palavra e gesto a fim de evitar um acesso de fúria do companheiro. O paramédico estava longe de ser um modelo de virtude.

Afinal de contas, um indivíduo que consegue furtar objetos de quem está prestando socorro não pode ser considerado um exemplo de decência. Mas o grande problema que acaba destruindo a relação é a ausência de um filho. Vanesa tem dificuldades para engravidar e Ángel tem a mais absoluta certeza de que o problema é ela. Esse relacionamento, já com permanente violência psicológica, rumava a passos largos para uma física quando o processo acaba acelerado por conta de uma tragédia. O paramédico sofre um acidente no trabalho e fica paraplégico. A partir daí, a carga de ressentimentos de Ángel é ainda maior e Vanesa pas-

sa a ser a depositária de toda essa frustração e raiva. Não demora nada para o paramédico começar a vigiar a namorada, o que mostra que a situação fugiu completamente do controle. Contudo, a questão não ficará resumida a um desenlace natural, de uma relação que chegou ao limite e não deu certo. Ángel não aceitará a condição e Vanesa, de certa forma, sente-se culpada e com uma ponta de remorso pelo acontecido, por mais que não tenha absolutamente nada a ver com a história e, mais do que isso, seja vítima de violência permanente por parte do namorado. O drama é que esse relacionamento possessivo foi sendo


Inside

FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

Sétima Arte

7

Lauro Edson Da Cás ldacas@hotmail.com Divulgação

Imagem: Reprodução

Online: a virtualidade real

construído aos poucos e Vanesa foi o aceitando, dando margem para que o comportamento agressivo do paramédico se transformasse em algo rotineiro. Ao não se impor, também por uma necessidade financeira, ela deu margem para que a violência fosse recorrente, como se fizesse parte do pacote. Mas a trama do catalão Carles Torras, criada a partir de sua ideia e escrita em parceria com Hector Fernández Vicens e David Desola, não faz muitos rodeios, tem uma série de desdobramentos bem objetivos e um mergulho numa espiral de barbárie e violência que acaba envolvendo o espectador. Em muitos aspectos lembra o ótimo “Carne Trêmula”,

De mal a pior Antes mesmo do acidente com Ángel Hernández (Mario Casas), a relação com Déborah François (Vanesa François) já apresentava sinais evidentes de desgaste

de Pedro Almodóvar. Thrillers que envolvem família parecem ser uma especialidade dessa nova safra de cineastas espanhóis. “A Casa”, dos irmãos David e Alex Pastor, que conta inclusive com Mario Casas no elenco, no papel de vítima desta vez, e “Quem com Ferro Fere”, de Paco Plaza, são bons exemplos e estão disponíveis na Netflix. Vale a pena ficar atento a essa geração talentosa de diretores.

Título original El Practicante Título traduzido Remédio Amargo Direção Carles Torras Roteiro Carles Torras Hector Fernández Vicens David Desola Gênero Suspense Duração 94 minutos País Espanha Ano de produção 2020 Estúdio Babieka Films Zabriskie Films Distribuição Netflix

O ano de 2020 trouxe, até para quem não havia se ambientado com o meio virtual, a forma online de vida. A maneira digital de nossa vida econômica e social, bem como, de comunicação, se dá através da internet. Estamos totalmente envoltos de uma sociedade digital. Por sinal, nós já vivíamos, mas como cita Manuel Castells, “não havíamos assumido”. Manuel Castells, para não obstruir nossa reflexão, é doutor em Sociologia pela Universidade de Paris (professor nas áreas de sociologia, comunicação e planejamento urbano e regional e pesquisador dos efeitos da informação sobre a economia, a cultura e a sociedade em geral). Pesquisador e crítico, se debruça sobre a análise desta era da informação, bem como, das sociedades conectadas em rede. Assim apresentado, Castells, numa das suas análises, destaca que o “novo normal não será o que conhecíamos (...). A digitalização se tornará uma estrutura permanente para manter nossa comunicação em todas as circunstâncias. E a comunicação é a base da vida”. Em outras palavras, a magnitude da internet, que nos faz mais comunicativos, condicionou experiências do teletrabalho; propiciou até que o curso da faculdade fosse concluído; entre outras coisas. A análise de Castells prescreve dados sobre esta transformação da vida. Ele considera que atualmente existem mais linhas telefônicas do que pessoas. Inclusive aponta, que 97% das pessoas têm celulares e 87% dos celulares são os smartphones, isto é, um computador acessível aos dados móveis que se leva no bolso e/ou na palma da mão. Outra dimensão levantada é que os mais velhos, embora não utilizam a internet constantemente, conseguem, pelo menos, usar o WhatsApp regularmente. Através de pesquisas encontramos elementos que nos fazem compreender esse ou aquele sintoma social. No contexto da internet, o sociólogo afirma que uma pessoa passa 5,5 horas por dia online. Por certo, ele faz uma interpretação certeira de que a própria transição que o mundo passou (confinamento e a condição de continuar trabalhando, de maneira online), foi menos complexa. Ao fazer referências ao mundo digital (internet) sempre se esbarra na complexidade do fato de que uns conseguem acessar instantaneamente, enquanto outros, nem condições apresentam e/ou não possuem algum celular. Para tanto, Castells, sublinha que “há desigualdade social na sociedade digital. Como há também na sociedade em geral”. Evidentemente que isso existe em diversos cantos do nosso planeta, porém, “a desigualdade no acesso à internet é muito menor que a desigualdade de renda ou riqueza (...). O motivo é simples: a comunicação é o que a pessoas mais valorizam como recurso, pois é essencial para o trabalho, relacionamentos, informações, entretenimento, educação, saúde e qualquer outra coisa”. Definitivamente, convivemos com nossa realidade carnal e agora, também, com a realidade virtual. O mundo híbrido com uma cultura da virtualidade real. Todavia, por mais ameaçados que nos sintamos, o caminho do abraço ainda nos faz entender que somos frágeis, isto é, nem tudo poderá ser virtualizado. Pasmem. * Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade


FARROUPILHA, 2 DE OUTUBRO DE 2020

Está a fim de fugir da rotina com uma gata sensacional? Então venha passar esse momento comigo. Sou a Pati, uma moreninha pronta para te enlouquecer. Atendimento em local central e discreto (54) 996.145.503 ou (54) 991.430.723, das 13h30min às 18h.

Farroupilha: para você homem discreto, que procura uma boa massagem para relaxar, agora você já tem o local certo! “PRAZER PICANTE”, você encontra as mais BELAS GAROTAS! Oi! Me chamo Manu, tenho Local central. Venha conhecer! 28 anos, sou morena clara com Fone: (54) 991.430.723. Segunda cabelos cacheados! Carinhosa a sábado. e atenciosa! Para você que está naqueles momentos, precisanPriscila, casada e carente, do de uma massagem relaxante com atendimento central em e tântrica, venha se descontrair! Farroupilha! Agende seu horário (54) 996.145.503, (54) 991.430.723. (54) 999.761.562. Julia, 22 anos e pronta para aquela sacanagem! Atendimento com local central em Farroupilha, agende seu horário (54) 991.430.723. Dani, loirinha de olhos claros! Sempre pronta para o prazer! Disponível das 9h às 16h, com atendimento com local próprio. Contatar pelo fone (54) 996.145.503.


Profile for Informantef Informantef

Edição 658  

Jornal Informante (Farroupilha/RS)

Edição 658  

Jornal Informante (Farroupilha/RS)

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded