Page 1

Ramon Cardoso

FARROUPILHA

|

ANO XIII

|

EDIÇÃO 654

|

11 DE SETEMBRO DE 2020

|

R$ 3,00

Novos mantos rubro-verdes Departamento de Marketing do Brasil apresenta, com as meias Bruninha Andrade e Greyce Débora, da equipe feminina, e com o goleiro Felipe Pedot, do Sub-20, camisetas para a temporada 2020/2021, com fortalecimento não somente dos laços do campo com a arquibancada, mas também com a história Editoria de Esporte, página 18, e Editorial

POLÍTICA

PSB se aproxima do PDT para a majoritária

PRIMEIRO PARÁGRAFO E SÉTIMA ARTE

Conhecimento, uma ameaça ao totalitarismo

Convenção peessebista, na segunda à noite, deve selar nova Distopia imaginada por Ray Bradbury, apesar da escala menor, parceria entre as siglas na corrida eleitoral ao Poder Executivo desgraçadamente encontra eco e ressonância na atualidade Página 16 e Editorial Páginas 2, 3, 6 e 7 do Inside e Crônicas da Redação


2

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

BELEZA

Eleita: Farroupilha sedia o Miss RS Latina e o Man RS Organizadores do concurso estiveram no município realizando visitas técnicas para o evento que acontecerá pela primeira vez em sequência, entre os dias 9 e 12 de dezembro

C

onsiderado na atualidade o maior concurso de beleza do Estado, o Miss Rio Grande do Sul Latina escolherá a futura representante gaúcha para a disputa nacional, mas antes da sucessora de Daiara Stein ser conhecida será feita, pela primeira vez, a escolha do Man Rio Grande do Sul, com a passagem de faixa efetuada por Renato Souza, atual Man of the Brazil e que

disputará o Man of the World ano que vem, nas Filipinas. “Estamos fazendo uma visita técnica para vermos hotéis, estrutura necessária, enfim, tudo que envolve a organização do evento”, destacou o jornalista Michael Costa, diretor estadual do concurso. Ele salientou que a opção pelo município é uma espécie de retorno às origens, já que a edição inaugural ocorreu em Gramado. “Quando foi realizada a 10ª edição, no ano passado, tínhamos a ideia de

retornar à Serra e Farroupilha sempre esteve nos nossos planos para sediar a 11ª edição”, comentou o diretor. A pandemia acabou atrasando a realização do concurso e, de momento, o modelo a ser adotado deve ser o de confinamento, com todas as etapas sendo realizadas em um hotel. Evidente que o ideal era contar com presença de público como foram feitas as edições pregressas, mas a chance é remota de ocorrer neste formato. Nada, porém,

que tire o brilho do concurso, que já tem 35 inscritas no Feminino e 16 no Masculino. “Farroupilha é uma cidade muito ligada à moda e isso também pesou na escolha pelo município. Já vínhamos conversando sobre essa possibilidade desde o ano passado, mas há cerca de dois meses ficou definido que a cidade sediaria a edição 2020 do concurso”, ressaltou Fernando Amaral, responsável pelo Comercial do concurso. Os organizadores estiveram na Re-

Últimos ajustes Michael, Daiara, Renato e Fernando estiveram visitando a Redação quarta à tarde e falaram sobre a expectativa alta para realização da edição 2020 dos eventos na cidade


3

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Ramon Cardoso

dação do Jornal Informante junto com Daiara e Renato, na quarta à tarde, que relembraram o período de coroação. “É um momento de completa mudança. O concurso te abre muitas portas para quem pretende trabalhar como modelo ou na mídia da área e não envolve apenas beleza, mas postura, oratória, comportamento”, destaca Daiara, que foi eleita Miss Rio Grande do Sul Latina em 3 de agosto do ano passado, no concurso realizado em Canoas. A jovem de 23 anos é natural de Venâncio Aires e participará da etapa nacional que, em virtude da pandemia, foi adiada deste para o próximo ano, e acontece em Recife. “É um reinado estendido, já que o concurso nacional era para ter ocorrido em maio deste ano. Foi difícil essa situação porque a ansiedade era grande para o concurso e estava com uma expectativa alta, mas com o adiamento acabei ganhando um ano a

mais para me preparar melhor para bem representar o Rio Grande do Sul”, comentou Daiara, que foi rainha da Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim) em 2016. No entanto, o Estado terá uma dupla representação, já que Larissa Furlanetto, de Garibaldi, que ficou em 2º lugar na disputa estadual, também participará, uma medida adotada pelo fato do concurso não ter sido realizado em 2020. Independente disso, Daiara passará a faixa à sucessora gaúcha que será escolhida nos dias 11 e 12 de dezembro. Antes, nos dias 9 e 10, será realizado o Man Rio Grande do Sul, quando será a vez de Renato conhecer seu sucessor. A disputa nacional ocorre ano que vem, na catarinense Itajaí. “É um concurso que representa uma mudança de estereótipo, que envolve estilo, moda, comportamento, ou seja, vai além da questão que envolve a beleza”, ressaltou

Renato, que é engenheiro químico, professor de Química e que venceu a disputa nacional realizada neste ano, que o habilitou à etapa mundial. Ele foi o primeiro representante gaúcho no concurso e, de cara, triunfou na fase nacional. “O Miss Rio Grande do Sul Latina já é um concurso consagrado e o Man Rio Grande do Sul segue essa mesma linha, mais voltado à cultura, à moda”, comentou o postulante ao Man of the World, que é natural de Novo Hamburgo e tem 31 anos. Tanto Daiara quanto Renato e os organizadores, apenas citaram que está faltando candidata e candidato de Farroupilha no evento. Existem promotores espalhados por 14 regiões do Estado que são responsáveis pela avaliação prévia, mas no site www.missrslatina.com é possível se inscrever, bem como pelo www.fashionmanrs.com. O prazo vai até 5 de outubro. Então, alguma ou algum farroupilhense se habilita?


4

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Estabilidade da gestante durante a pandemia Silvia de Almeida Barros e Rodrigo Perrone *

D

tabilidade no emprego pelo mesmo período em que isso ocorreu, ou seja, considerando a data de vigência dessas normas, a empregada gestante poderá ter até 5 meses a mais de estabilidade, prazo esse que poderá ser ampliado a critério do Governo Federal por meio de Decreto. Importante ressaltar, que não obstante a garantia da estabilidade, o empregador poderá dispensar a empregada gestante a qualquer momento, devendo pagar uma indenização correspondente aos seus salários, conforme dispõe a Medida Provisória 936/20 e Lei 14.020/20. Outrossim, havendo a redução da jornada e dos salários ou a suspensão do contrato de trabalho, o valor do salário-maternidade sempre será o da remuneração original da empregada gestante, ou seja, não haverá redução salarial ou de valores pagos em decorrência da suspensão do contrato de trabalho, conforme previsão no Art. 22, III da 14.020/20. Por fim, caso ocorra a dispensa durante a estabilidade, sem o pagamento da devida indenização, a empregada gestante poderá pleitear perante a Justiça do Trabalho esses valores.

entre uma série de mudanças que trouxe a Medida Provisória 936, recentemente convertida na Lei 14.020, denominada Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda, está a questão da redução da jornada e salários ou a suspensão do contrato de trabalho da empregada gestante. Referida norma foi criada para proteger os empregados de dispensas durante o período da pandemia do covid-19, a qual gerou diversos efeitos, especialmente com relação às gestantes. Dentre os principais efeitos, citamos o direito à estabilidade de 5 meses, após o parto, da empregada gestante, conforme previsão na Constituição Federal. No caso da empregada gestante, no atual momento, havendo a redução da jornada e de salários ou a suspensão do contrato de trabalho, a estabilidade poderá ser de até 10 meses, pois será somado o tempo previsto na Constituição Federal mais o tempo previsto na Medida Provisória 936/2020 convertida na Lei 14.020/20, que dispõe que, havendo a redução do salário e da jornada ou a sus* Advogados, especialistas pensão do contrato de trabalho, o em relações do trabalho e sócios empregado terá direito a uma es- do Almeida Barros Advogados


5

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Impactos da LGPD nas relações de trabalho Elizabeth Greco *

O

Senado Federal decidiu que a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), não terá seu prazo adiado. O início da vigência está no aguardo de sanção presidencial. A Lei Geral de Proteção de Dados dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural. Neste contexto, as relações laborais encontram-se inseridas. Dada a complexidade do Direito do Trabalho e sua evolução, a utilização de dados pessoais do empregado pelo empregador, definidos como “sensíveis”, demandará dos Departamentos de Recursos Humanos das empresas, a realização de verdadeiro inventário das informações pessoais dos empregados, dado o alto poder lesivo de eventual tratamento irregular. A implementação de gestão de dados sensíveis pelo RH, com possibilidade de limitação ao acesso e o cor-

reto descarte, será medida urgente e necessária. Isso porque, em todas as fases que compõe as relações laborais, seja na fase de recrutamento e seleção, seja durante a vigência ou após o término do contrato de trabalho, o empregador lida com dados pessoais, tidos como sensíveis. Como parte do processo de adequação, as empresas devem revisar esse fluxo de dados pessoais sensíveis, e mais do que isso, estabelecer controles dos níveis de acesso às informações, para a garantia da segurança e da privacidade dos seus titulares, nos termos do que dispõe a LGPD. Ao contrário do que parece, o objetivo da LGPD não é a restrição da utilização dos dados pessoais, mas legitimar e protegê-los, publicizando aos titulares a existência de uma política de tratamento segura em relação aos mesmos. No âmbito das relações regidas pela Consolidação das Leis do Trabalho, a LGPD demandará que o empregador informe ao empregado sobre o modo como trata seus dados, por quanto tempo os guarda e com quem os compartilha, já que o tratamento dos dados pessoais deve observar os princípios da licitude,

lealdade e transparência. Relativamente ao tratamento lícito, o titular dos dados pessoais sensíveis deve emitir seu consentimento para uma ou mais finalidades, quando for aplicável, a depender da finalidade. Assim, os dados pessoais que já eram protegidos pela legislação brasileira e jurisprudência dos Tribunais, passaram a ser contemplados como de máxima proteção pela LGPD. Importa verificar que a Lei Geral de Proteção de Dados apresenta princípios de proteção de dados pessoais sensíveis comuns a todas as legislações que tratam da matéria no mundo, estabelecendo condições de legitimidade para o tratamento dos dados pessoais da pessoa natural e as responsabilidades para o caso de descumprimento. A nova Lei imporá às empresas que os procedimentos envolvendo os dados pessoais dos empregados devam ser desenvolvidos de forma a garantir tratamento seguro, a privacidade dos titulares e mecanismos de tratamento adequado às especificidades do empreendimento. Recomenda-se que sejam criadas regras de boas práticas e governança, que estabeleçam procedimen-

tos, normas de segurança e ações educativas para a mitigação de riscos, além de uma política de privacidade acessível e que descreva todos os processos relacionados a dados sensíveis dos empregados. De absoluta importância que busquem conhecer as operações possíveis de tratamento dos dados pessoais sensíveis dos empregadores e dos prestadores de serviços contratados, no sentido de viabilizar o processo de adequação e implementação das medidas de segurança inevitáveis. A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANDP) irá fiscalizar e editar normas sobre o tratamento de dados pessoais por pessoas físicas e jurídicas, sendo que as sanções administrativas pecuniárias são elevadíssimas aos responsáveis pelo tratamento de dados pessoais. A LGPD consagra direitos aos titulares dos dados pessoais sensíveis e impõe deveres aos responsáveis pelo tratamento, que deverão adequar suas operações sob a ótica da uma política segura de privacidade. * Especialista em relações de trabalho da Lopes & Castelo Sociedade de Advogados


6

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Candidaturas em profusão Ao que tudo indica, teremos quatro chapas na disputa pelo Centro Administrativo Prefeito Avelino Maggioni, algo inédito na história eleitoral farroupilhense. Não que haja qualquer tipo de problema nisso. Se os postulantes preencherem os requisitos para concorrer, é legítimo que se coloquem à disposição da população. Porém, também é evidente que um cenário com muitas candidaturas acabará beneficiando o grupo que estiver mais coeso. Essa também será uma eleição excepcional por conta da pandemia. Se as redes sociais já desempenharam um papel significativo nos últimos pleitos, neste, então, a questão está fora de discussão. Quem conseguir

trabalhar melhor no meio terá condições de potencializar ainda mais o eleitorado. É uma particularidade deste 2020, que já provocou, inclusive, o adiamento de outubro para novembro, além de gerar outros transtornos nas atividades pré-eleitorais. Contudo, o que vale destacar é que, ainda que a rede social tenha um papel importante dentro deste novo contexto, é nítido e certo também que o eleitor está mais habilitado, com acesso ampliado às informações e muito consciente do papel desempenhado por gestores e legisladores, o que é resultado de um amadurecimento natural do processo. É bem provável que em 2022 o eleitorado estará ainda mais vigilan-

te em relação ao pleito que se aproxima e assim por diante. Embora toda a eleição tenha suas consequências, é no plano municipal que as políticas são realmente executadas, que essa relação entre causa e efeito é sentida mais de perto, que o voto tem um simbolismo maior, afinal de contas, é comum o cidadão encontrar com prefeito, vice e vereadores nos mais variados espaços de convivência do município. Aos candidatos, independente destas excentricidades de um pleito numa reta final de pandemia, o que realmente importa é a transparência, uma agenda de propostas que seja viável e que esteja focada no bem-estar do farroupilhense. Certo que

os efeitos da pandemia vão gerar problemas que terão de ser resolvidos logo mais à frente, mas a cidade também dispõe de muitos recursos que, se bem aplicados, podem promover uma melhoria da qualidade de vida da população. Restam pouco mais de dois meses para o pleito. As próximas semanas serão pautadas pelo calendário eleitoral. Que tanto os candidatos quanto os eleitores dediquem atenção ao período e que essa interação seja capaz de não apenas contribuir para um novo avanço nessa sempre delicada relação que envolve a política, mas sobretudo para que as pautas farroupilhenses sejam colocadas acima de qualquer interesse.

Geralmente quando os Departamentos de Marketing dos grandes clubes de futebol do País realizam uma campanha diferente, isso, via de regra, gera uma pauta positiva que impacta diretamente nas receitas das agremiações. E estabelecer esse vínculo entre o campo e a arquibancada é a razão de existir desses setores, afinal de contas, eles lidam com paixão e ela, na esmagadora maioria, para não dizer na totalidade dos casos, é descontrolada e impulsiva mesmo. O Marketing da Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural (SERC) Brasil

tem, em uma série de iniciativas, trabalhado de forma muito efetiva para estreitar ainda mais os laços do clube com a comunidade. Não custa lembrar que Farroupilha é um município que, nas décadas passadas, recebeu muitos migrantes, ou seja, moradores de outras cidades que, de certa forma, não tinham aquele vínculo afetivo com representações farroupilhenses e o Brasil se insere neste contexto. Essa realidade, contudo, tem sido alterada à medida que essa população passou a se fixar no município e aqui construiu sua família. Ou seja,

a cidade em que predominava os migrantes hoje é, certamente, uma das que mais conta com nativos, e isso tem que ser aproveitado. São inúmeras as ações, campanhas e trabalhos desenvolvidos (e de forma abnegada e voluntária, convém lembrar) pelo Brasil ao longo dos últimos anos. Nesta semana, na mais recente iniciativa, o rubro-verde lançou as novas camisetas para a temporada 2020/2021, que contam com nomes de sócios, apoiadores, colaboradores, atletas, ex-atletas, dirigentes, ex-dirigentes e figuras farroupilhenses em-

blemáticas que ajudaram a construir a trajetória do clube ao longo de seus mais de 81 anos de vida. Pode parecer algo simples, mas essa lembrança tem um valor significativo (veja matéria na Editoria de Esporte, página 18). Que essa identidade, essa busca constante de conexão com a comunidade siga de maneira permanente e que essa raiz do Brasil, não custa lembrar, de Farroupilha, seja sedimentada na terra. Se assim for, em breve renderão os frutos que orgulharão ainda mais a instituição e a comunidade em que está inserida.

Uma ligação com a história

Índice

Editorial

Matéria Especial ....................................... Páginas 2 e 3 Editorial ..................................................... Página 6 Opinião ........................................................ Página 7 Saúde ............................................................ Páginas 8 e 9 Economia ..................................................... Página 10 Cidade........................................................... Página 12 Política........................................................ Páginas 14 a 16 Educação ..................................................... Página 17 Esporte ........................................................ Páginas 18 e 19

Inside

Especial..................................................... Capa Crônicas da Redação ............................. Página 2 Primeiro Parágrafo............................... Páginas 2 e 3 Rita Rosa Baretta................................... Página 3 Social ........................................................ Páginas 4 e 5 Fabrício Oliboni ..................................... Página 6 Sétima Arte .............................................. Páginas 6 e 7 Paulo Roque Gasparetto ..................... Página 7 Horóscopo ............................................... Contracapa Classificados .......................................... 4 páginas

Redação: redacao@jornalinformante.com.br Ramon Cardoso ramon@jornalinformante.com.br

Comercial: comercial@jornalinformante.com.br Fabiano Luiz Gasperin gasperin@jornalinformante.com.br Maria da Graça Potricos Leite maria@jornalinformante.com.br

Anúncios: anuncios@jornalinformante.com.br Marcelo Bortagaray Mello marcelo@jornalinformante.com.br

Financeiro: financeiro@jornalinformante.com.br Keli de Almeida Maciel keli@jornalinformante.com.br

@jornalinformante

Assinaturas: assinaturas@jornalinformante.com.br Assinatura Bienal: R$ 250,00 Assinatura Anual: R$ 150,00

Telefones (54) 3401-3200 / (54) 3401-3201 (54) 9.9194.9192

Endereço Rua Dr. Jaime Romeu Rössler, 348, Bairro Planalto

Colunistas Crônicas da Redação Dolores Maggioni Egui Baldasso Fabrício Oliboni

Guilherme Macalossi Lauro Edson Da Cás Paulo Roque Gasparetto Rita Rosa Baretta

A manifestação dos colunistas é livre e independente e não necessariamente reflete a opinião do Tabloide sobre os temas abordados nas colunas

@PaperInformante www.jornalinformante.com.br

/jornalinformante


7

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Setembro Amarelo: suicídio infanto-juvenil, precisamos falar sobre isso! Fernanda Passos Lima * Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o índice de suicídio entre jovens tem crescido no mundo todo. Porém, pouco se fala sobre o assunto, o tema ainda é percebido por muitos como um tabu. No entanto, ainda é visto como um tabu. No Brasil, a taxa de crescimento de suicídio na faixa etária de 10 a 14 anos aumentou 40% em 10 anos e 33,5% entre adolescentes de 15 a 19 anos, aparecendo nesta última faixa etária como a segunda causa de mortes entre as meninas e a terceira entre os meninos. Em média, dois adolescentes tiram a própria vida por dia, segundo pesquisas. Dados assustadores com certeza. Faz-se necessário ampliar e promover canais de diálogos, incentivar mais pesquisas sobre o assunto, realizar ações que minimizem a gravidade do

quadro. O jogo Baleia Azul, a Momo e o Homem Pateta, escancararam a questão do suicídio entre os jovens. Há também uma série – 13 Reasons Why – com várias temporadas disponíveis que vem despertando grande interesse junto aos adolescentes. A série aborda o suicídio de uma adolescente de 17 anos que decide se matar após ser vítima de bullying, isolamento, assédio sexual e estupro na escola em que estuda. A série despertou opiniões diversas entre especialistas no assunto, porém pesquisas apontam que adolescentes que assistiram a série aumentaram os pensamentos suicidas. Atualmente, crianças e adolescentes têm o mundo na palma da mão, com infinitas possibilidades, sendo necessária muita atenção ao conteúdo acessado, pois há certamente muitos perigos e vulnerabilidades neste universo digital. Precisamos estar abertos à reflexão sobre o assunto,

sendo este o primeiro passo. Esta discussão precisa ser contínua e atualizada por pesquisas científicas. Vários são os tópicos que interagem antes que a ideação suicida se torne comportamento suicida. Com frequência há um distúrbio da saúde mental subjacente e um evento estressante que desencadeia o comportamento. Impulsividade, isolamento social, insatisfação com imagem corporal, presença de transtornos mentais, jogos de asfixia, desentendimentos com colegas, bullying, influência das mídias digitais, ruptura de relacionamentos afetivos, mau desempenho escolar, estrutura e funcionamento familiar prejudicados, histórico familiar de depressão e suicídio são apontados como fatores de risco. Entretanto, apesar de sinalizarem um alerta em relação à saúde mental dessa população, deve-se destacar a natureza multifatorial deste evento, não incorrendo no equívoco de

descortinarmos a questão buscando a atribuição de uma única causa a um fenômeno tão complexo. Faz-se fundamental que profissionais da saúde, familiares e professores ficarem atentos aos sinais enviados pelos adolescentes. Precisamos chamar atenção para o tema, comover a comunidade científica e a sociedade para que se possa criar estratégias de prevenção, reduzindo o risco dos adolescentes. Mostrar-se disposto a ouvir de forma sensível e ver o adolescente é fundamental, assim como percebê-lo e senti-lo. Captar e compreender seus desejos, inquietudes e angústias, estar verdadeiramente ao seu lado. Na busca pela redução dos casos de suicídio no mundo, a OMS definiu a data de 10 de setembro como o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. * Psicóloga (CRP 07/16219)

A pandemia e a humanização da educação a distância Melissa Danda * Durante a pandemia muitas atividades precisaram se reinventar. A educação presencial migrou para os ambientes virtuais, mas e a Educação a Distância? Certamente algumas coisas mudaram para nós também. A atividade de educar a distância é por natureza um grande desafio. O educar, o desenvolver, a conexão entre aquela que ensina e quem aprende é uma necessidade constante. Ao entrar numa turma do Técnico em Administração do Senac EAD, me apresento, conto um pouco da minha trajetória profissional e coloco algumas fotos da minha família. Percebi

que mesmo fazendo esta apresentação por escrito, as fotos já dão o caráter de humanização da figura docente. Com a pandemia, o isolamento social fez com que nossos alunos e alunas estejam mais em casa, e, por conta disso, interagindo ainda mais no ambiente virtual. Com o aumento da demanda de interações e respostas, busquei novas formas de dar feedback das atividades além do modo escrito. Nosso Ambiente Virtual de Aprendizagem permite o envio do feedback também em áudio ou vídeo. Receber o feedback sobre as atividades é algo que necessita confiança. Para que a turma adquira esta confiança

é necessário utilizar todos os recursos tecnológicos como aliados. Ao gravar as mensagens percebi que o vínculo com a turma ficou ainda maior. Meu filho Daniel tem um ano e meio e faz a participação especial em alguns vídeos. Os alunos e alunas passam a perceber que mesmo com a distância ou com a frieza da tela, nossa conexão pode existir. O resultado do que eu chamo desse feedback mais humanizado é a entrega de trabalhos e atividades com ainda mais qualidade e dedicação. O áudio entrega ao aluno(a) algo além da explicação ou da crítica. Ele(a) recebe também o tom da voz, o acolhimento, a disponibilidade e a

vontade de dialogar sobre a tarefa. Em tempos difíceis como o que estamos vivendo, certamente a atenção é algo muito valorizado. Por diversas vezes recebo retornos dizendo que entenderam melhor a explicação, ou então elogiando minha família e contando algo sobre as suas rotinas que gostariam de compartilhar. Fazer a diferença na vida das pessoas vai além da entrega do conteúdo. É preciso perceber o ser humano em toda a sua complexidade. Mesmo com a distância é possível que nossas palavras mudem vidas. * Tutora do Técnico em Administração do Senac EAD


8

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Setembro: mês mundial da Juliana Hoeckele *

A

Doença de Alzheimer é uma enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, mas pode e deve ser tratada. Quase todas as suas vítimas são pessoas idosas. Talvez, por isso, a doença tenha ficado erroneamente conhecida como “esclerose” ou “caduquice”. O Alzheimer se apresenta como demência, trazendo consigo a perda de funções cognitivas como memória, orientação, atenção e linguagem, causada pela morte de células cerebrais. Quando diagnosticada no início, é possível retardar o seu avanço e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família. O diagnóstico do Alzheimer é baseado também em seus prejuízos que, necessariamente, interferem na habilidade do sujeito de desempenhar seu trabalho ou suas atividades usuais, representando declínio no seu funcionamento e desempenho. Não há um consenso do motivo do Alzheimer ocorrer em determinadas pessoas. O que se observa é uma redução no número das células nervosas (neurônios) e das ligações que ocorrem entre essas células, as chamadas sinapses. As células nervosas, por sua vez, são responsáveis pela memória e pelas funções executivas que envolvem o planejamento e a execução de funções mais complexas, como a capacidade de manter e manipular informações, inibir um comportamento ou mesmo filtrar os pensamentos e ainda mudar o foco da atenção entre múltiplas tarefas. Segundo a Associação Brasileira de Alzheimer, entre os principais sintomas pode-se citar: perda de memória recente com repetição das mesmas perguntas ou dos mesmos assuntos. Esquecimento de eventos, de compromissos ou do lugar onde guardou seus pertences. Dificuldade para perceber uma situação de risco, para cuidar do próprio dinheiro e de seus bens pessoais, para tomar decisões e para planejar atividades mais complexas. Dificuldade para se orientar no tempo e no espaço.

Incapacidade em reconhecer faces ou objetos comuns, podendo não conseguir reconhecer pessoas conhecidas. Dificuldade para manusear utensílios, para vestir-se, e em atividades que envolvam autocuidado. Dificuldade para encontrar e/ou compreender palavras, cometendo erros ao falar e ao escrever. Alterações no comportamento ou na personalidade: pode se tornar agitado, apático, desinteressado, isolado, desinibido, inadequado e até agressivo. Interpretações delirantes da realidade, sendo comuns quadros paranoicos ao achar que está sendo roubado, perseguido ou enganado por alguém. Esquecer o que aconteceu ou o que ficou combinado pode contribuir para esse quadro. Alucinações visuais (ver o que não existe) ou auditivas (ouvir vozes) podem ocorrer. Alteração do apetite com tendência a comer exageradamente, ou, ao contrário, pode ocorrer diminuição da fome. Agitação noturna ou insônia com troca do dia pela noite. Porém, os sintomas não são sempre os mesmos para todos os pacientes diagnosticados com demência, ainda que se trate da mesma doença. Assim como nem todos os sintomas serão observados em todos os pacientes. Algo muito comum nas fases inicias da demência é confundir-se os sintomas apresentados com o processo normal de envelhecimento dos sujeitos e isso tende a fazer-nos adiar a busca por orientação profissional, levando a doença a ser tardiamente diagnosticada. Recomenda-se, portanto, que as famílias procurem profissionais ou serviços de saúde especializados diante dos primeiros sinais ou sintomas. Isso fará com que a evolução e o prognóstico do paciente sejam favoráveis para uma maior qualidade de vida. Infelizmente, até o presente momento, ainda não foi encontrada a cura para a Doença de Alzheimer. No entanto, os avanços da Medicina têm permitido que os pacientes tenham uma melhor qualidade de vida e uma sobrevida maior, mesmo nas fases mais avançadas da doença. Ainda de acordo com a Associação Brasi-


9

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

doença de Alzheimer leira de Alzheimer, as pesquisas têm progredido na compreensão dos mecanismos que causam a doença e no desenvolvimento das drogas para o tratamento. Os objetivos dos tratamentos são aliviar os sintomas existentes, estabilizando-os ou, ao menos, permitindo que boa parte dos pacientes tenha uma progressão mais lenta da doença, conseguindo manterem-se independentes nas atividades da vida diária por mais tempo. Os tratamentos indicados podem ser divididos em farmacológico e não farmacológico. Estimulação cognitiva, social e física são exemplos de tratamentos não farmacológicos que beneficiam a manutenção de habilidades preservadas e favorecem a funcionalidade do indivíduo. O treinamento das funções cognitivas como atenção, memória, linguagem, orientação e a utilização de estratégias compensatórias são muito úteis para investimento em qualidade de vida e para estimulação cognitiva de pacientes com Alzheimer. A seleção, frequência e distribuição de tarefas deve ser criteriosa e, preferencialmente, orientada por profissionais. Ainda, a seleção dessas atividades deve ser agradável e compatível com a capacidade de cada paciente, o que irá facilitar a sua adesão ao tratamento proposto. Por fim, a Associação Brasileira de Alzheimer destaca que o intuito dos tratamentos não farmacológicos não é fazer com que a pessoa com demência volte a funcionar como antes da instalação da doença, mas que funcione o melhor possível a partir de novos e evolutivos parâmetros. Quando estimulados e submetidos a atividades que conseguem realizar, os pacientes apresentam ganho de autoestima e iniciativa, e assim tendem a otimizar o uso das funções ainda preservadas. Mesmo que não exista cura, é possível que o Alzheimer seja evitado, ou pelo menos postergado, seguindo algumas dicas simples, como as citadas abaixo. Mantenha a cabeça em funcionamento Estude, leia, desenvolva novas habilidades e conviva com diferentes tipos de pessoas. Tudo isso irá estimular os neurônios

a estabelecerem mais conexões entre si. E quanto maior for essa comunicação entre as células nervosas, melhor. Durma bem Uma boa noite de sono é fundamental para manter a cabeça em ordem. Afinal, é nesse período que gravamos tudo o que aprendemos. O ideal é um repouso sem interrupções e relaxar antes de ir para a cama. Pratique exercícios Estudos apontam que a atividade física protege contra demências. Os mecanismos envolvidos nesse processo ainda não são totalmente conhecidos. Porém, sabe-se que a atividade física libera neurotrofinas, substâncias que ajudam na memória. Tenha uma alimentação balanceada Coma de forma equilibrada. Isso é muito importante para manter o corpo saudável – da cabeça aos pés. Um menu aclamado por afastar males cardiovasculares e também o Alzheimer é a dieta do Mediterrâneo, que inclui frutas, verduras, cereais, peixes, azeite e o consumo moderado de vinho. Procure ajuda Se você ou seu familiar estiver apresentando sintomas similares aos apresentados na Doença de Alzheimer, ou se estiver com dúvidas sobre esta e outras doenças, procure um profissional de sua confiança. O diagnóstico precoce é o primeiro passo para uma melhor qualidade de vida. Saiba mais Entre em contato e obtenha mais informações. Que você e seus familiares possam ter um envelhecimento saudável! * Psicóloga (CRP 07/28763), pós-graduanda em Saúde do Idoso e Gerontologia e Concierge de Idosos Farroupilha – RS WhatsApp: (54) 99988.6642 E-mail: juli_hoeckele@hotmail.com Redes Sociais: @psicologajulianahoeckele


10

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

MERCADO

Soprano expande fornecimento da linha de Interruptores e Tomadas Ação faz parte do planejamento estratégico da empresa, tanto para oferecer soluções completas aos clientes como para fortalecer a participação da marca nos mercados de construção civil e elétrico se não adquiriu a Iriel e nem outros ativos, como prédios e instalações. A venda das linhas de interruptores e tomadas será realizada pela Iriel até o próximo dia 23. A partir da data e mediante aprovação da negociação pelos órgãos competentes, a Soprano dará início ao fornecimento para seus clientes e os da Iriel, fabricando os produtos em sua planta de Caxias do Sul. A iniciativa deverá gerar um acréscimo significativo nas receitas da Unidade de Materiais Elétricos, que já possui uma posição de destaque em produtos de proteção elétrica, geração fotovoltaica e iluminação, além da projeção de serem abertos 100 novos postos de trabalho. Tradicional fabricante e fornecedora de produtos para os mercados de Construção Civil, Materiais Elétricos, Moveleiro e Utilidades Domésticas,

Âncora Produções

A

Soprano anuncia a aquisição das linhas de Interruptores e Tomadas da Siemens e da Iriel Indústria e Comércio de Sistemas Elétricos Ltda. A ampliação dessa linha de produtos de alta qualidade, design moderno e tecnologia, integra o planejamento estratégico da empresa farroupilhense, por meio de sua Unidade de Materiais Elétricos, visando oferecer soluções completas para os clientes e consolidar, de forma ainda mais efetiva, a participação da marca nos mercados de construção civil e elétrico. Além da aquisição de todas as máquinas, moldes e projetos de produtos das linhas de Interruptores e Tomadas, a Soprano também obteve licença para o uso da marca por um tempo determinado. A empresa farroupilhen-

a Soprano é reconhecida como uma das melhores empresas para se trabalhar no Rio Grande do Sul e, no mês de julho, foi apontada pela Revista Amanhã como uma das 50 empresas mais inovadoras da Região Sul.

Consolidação Avanço: empresa farroupilhense faz alto investimento e deve sedimentar, de forma ainda mais incisiva, sua participação nos mercados da construção civil e elétrico


12

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

CELEBRANDO A HISTÓRIA

Tradição mantida em novo formato Semana Farroupilha será realizada em sistema drive-in e acontece de 17 a 20 de setembro, no Largo Carlos Fetter

O

tradicionalismo se adapta aos novos tempos. A Semana Farroupilha Drive-In ocorre a partir de quinta e se estende até o dia 20, no Largo Carlos Fetter. O evento tem entrada franca e possibilita a doação voluntária de alimentos não perecíveis. Para acessar é necessário retirar o ingresso até a

próxima quinta, no Sesc (Pena de Moraes, 320). Eles são limitados a 150 carros por dia e o estacionamento ocorre por ordem de chegada, com abertura do acesso a partir das 18h. Será disponibilizado telão para o público para melhor visualização das atrações. Quem não puder comparecer e quiser acompanhar, o tradicional evento contará com transmissão ao vivo pelo Facebook do Sesc Farroupilha.

Obituário 4 de setembro * Luiz Onzi, 66 anos. Sepultamento no Cemitério Público Municipal (CPM). 6 de setembro * Valdomiro Gomes Nunes, 72 anos. Sepultamento no CPM; * João Arthur Jonson, 64 anos. Sepultamento no cemitério da comunidade de Vila Seca, em Caxias do Sul. 8 de setembro * Alzira Schwingel Bertani, 90 anos. Sepultamento no CPM * Joanna Zamboni Masiero, 91 anos. Sepultamento no cemitério da comunidade de Linha 30. 9 de setembro * Joaquim Rodrigues de Oliveira, 72 anos. Sepultamento no cemitério da comunidade de Forqueta; * José Dal Pizzol, 81 anos. Sepultamento no cemitério da comunidade de Monte Bérico (2º Distrito).

Programação Semana Farroupilha Drive-In Quinta, dia 17 19h30min: Família Ávila 20h30min: Grupo Gurizada da Serra Sexta, dia 18 19h: Diuran Matani e Grupo 20h: Grupo Bolicho 21h: Stand Up Bagual do Gaudêncio

Alguém quer nos adotar? Lindos filhotes estão à disposição para uma adoção responsável. Alguém com um bom coração quer dar um lar para algum deles? São novinhos e merecem uma família para cuidar deles da melhor forma. Se interessou? Contato e mais informações podem ser obtidas pelos fones 3261-7914 ou 999.580.954.

Sábado, dia 19 19h: Vozes da Serra 20h: Fábio Soares 21h: Grupo Eco das Coxilhas Domingo, dia 20 19h: Alexandre Battisti e Grupo Paiol 20h: Grupo Estradero


14

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

ELEIÇÕES 2020

Glória e Levis sedimentam a parceria entre Rede e PSDB Convenção apenas ratificou dobradinha na corrida ao Executivo que vinha sendo desenhada há um bom tempo

A

cordo costurado nos últimos meses, a parceria entre a Rede e o PSDB foi finalizada na última sexta, com a convenção da Rede, já que os tucanos haviam indicado Darci Levis como vice na chapa encabeçada por Maria da Glória Menegotto. A coligação também conta com o apoio do Democratas e do PTB e cogita também o suporte do Podemos, que ainda irá realizar sua convenção. Pré-candidata a prefeita, Glória ressaltou que a convenção transcorreu de maneira harmoniosa e que a oficialização permite avançar ainda mais no projeto das siglas para a disputa eleitoral que se aproxima. O alinhamento, segundo a postulante ao Executivo, não fica restrito à eleição majoritária, mas também se reflete na nominata que disputará as cadeiras na Casa Legislativa. “Isto me alegra muito, me deixa muito feliz, pois observo que os candidatos de nossa coligação estão realmente alinhados com nossos propósitos.

Divulgação

Martelo batido Levis, do PSDB, e Glória, da Rede, confirmam acerto para disputa

Todos temos objetivos comuns. Queremos andar de mãos dadas com Farroupilha”, ressalta Glória. Ela salienta que o Plano de Governo está pronto, mas não fechado, sendo uma construção diária e baseado nas impressões colhidas junto à comunidade. “Estamos construindo uma proposta de governo com pés no chão. Vamos melhorar o que está bom e mudar, com critérios técnicos, o que for necessário. Vamos aplicar melhor os recursos, diminuir gastos significativamente, reduzindo o número de Secretarias e aproveitando a qualidade técnica de nosso servidor público”, observou Glória. Ela comentou a forma como os investimentos devem ser feitos. “Nosso programa estabelece segurança nas ações anunciando obras somente depois que tivermos recursos para isso. Teremos condições de buscar, junto ao Governo Federal, verbas para a execução de projetos para que, junto com recursos próprios de nosso orçamento, possamos realizar mais, evitando sempre financiamentos que acabam comprometendo o município”, frisou a pré-candidata.


15

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

ELEIÇÕES 2020

PSD vai para a eleição de chapa pura com Catafesta e Vilas-Bôas Convenção do partido, realizada quarta, na Câmara de Vereadores, confirmou a dupla na corrida ao Poder Executivo zendo uso do dinheiro público ao invés de trabalhar pela população. Nossa sigla fez a opção por chapa pura em várias cidades”, comentou o cabeça de chapa. O político também destacou algumas diretrizes que devem pautar o programa de governo, como o enxugamento da máquina pública e a unificação de Secretarias. Ele também falou sobre o vice. “O Vilas-Bôas vem da área da segurança pública e, caso nossa chapa seja eleita, ele será também o secretário de Obras, Trânsito e Segurança Pública. Temos uma carência na área e isso foi determinante para buscarmos o seu nome”, apontou Catafesta.

Um dos focos também está na nominata que disputará cadeiras na Câmara de Vereadores. O pré-candidato do PSD, por fim, salientou quais as principais propostas da sigla para o município. “Nosso plano está sustentado em quatro pilares: Saúde, Habitação, Emprego e Segurança. Vamos comprar mais serviços do Hospital Beneficente São Carlos, colocar à disposição da população medicamentos e abrir o posto 24h com várias áreas para atendimento. Vamos colocar em prática, no primeiro ano, um núcleo habitacional e um núcleo industrial sustentável. O Vilas-Bôas ficará responsável pela área da Segurança

Divulgação

D

esde 2018, o PSD vinha projetando a possibilidade de lançar uma candidatura a prefeito. Na quarta à noite, ela foi confirmada e em dose dupla, em chapa pura, com o vereador Sedinei Catafesta de cabeça e o policial aposentado Leonardo Vilas-Bôas Conceição ocupando o posto de vice. Catafesta ressaltou que a ideia de evitar uma coligação faz parte da linha de ação da legenda. “A opção de chapa pura veio de um anseio, de um pedido da comunidade. A população quer mudança. Não quer mais partidos fa-

e vamos implantar a Guarda Municipal Armada e fortalecer a parceria com a Brigada Militar”, enumerou o pré-candidato do PSD.

Confirmados Vilas-Bôas e Catafesta fizeram a convenção do PSD na quarta, evento que contou com presença do deputado federal Danrlei


16

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

ELEIÇÕES 2020

Prefeito Pedro Pedrozo deve ter Francis Casali como vice e homologação da nova dobradinha entre as legendas deve ser confirmada na segunda

I

nicialmente projetando ficar de fora de uma disputa à Prefeitura, o PDT realizou sua convenção na quinta à noite, após o fechamento desta edição. Em pauta estava a indicação do ex-secretário Francis Casali como pré-candidato a vice na chapa encabeçada pelo prefeito Pedro Pedrozo. O PSB realiza sua convenção na próxima segunda e, nos últimos dias, consolidou uma reaproximação com os pedetistas, que deve ser chancelada pelas duas siglas, algo que ocorreu nos dois últimos pleitos, apenas com a inversão das posições na majoritária, que teve o pedetista Claiton Gonçalves como cabeça de chapa e o pes-

sebista Pedrozo como vice. Com a saída de alguns partidos do bloco situacionista, que devem lançar candidaturas próprias, o entendimento das siglas era de que uma reaproximação seria indispensável para uma corrida ao Executivo. Com bom trânsito junto ao PSB, o nome de Francis ganhou força nos bastidores e deve ser confirmado em nova dobradinha entre as legendas que foram vitoriosas nas duas últimas eleições municipais. Acerto próximo Francis, do PDT, deve ser confirmado como vice na chapa encabeçada por Pedrozo, do PSB

Divulgação

PSB se aproxima do PDT para a eleição majoritária


17

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

SEXTA DE CINEMA

CPM e Direção da Oscar Bertholdo promovem Cine Drive-In nesta sexta Evento é realizado em parceria com o Serviço Social do Comércio e conta com apoio do Centro de Compras Farroupilha dá direito ao ingresso, que pode ser adquirido na secretaria da EMOB (Fridolino Altaus, 50, bairro Imigrante) ou na loja Tricofibra do CCF. Da mesma forma será feita a venda antecipada de refri, pipoca, palha italiana e pas-

tel, todos comercializados a R$ 4,50. Ainda restam algumas unidades, mas é bom se apressar porque os ingressos são limitados. O acesso à sessão acontece exclusivamente pela rua Silveira Martins, ao lado da cascata.

Programe-se O que: Cine EMOB Drive-In, com O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes Quando: nesta sexta, às 19h30min Onde: estacionamento do Centro de Compras Farroupilha (CCF) Quanto: ingressos a R$ 9,00 que dão direito a um combo com um refrigerante e uma pipoca Comercialização: na secretaria da Escola Municipal Oscar Bertholdo (Fridolino Altaus, 50, bairro Imigrante) ou na loja Tricofibra do CCF (Silveira Martins, 720, bairro Volta Grande)

Imagem: Reprodução

C

hega a sexta e bate aquela saudade de frequentar um Cinema, certo? Bom, para esta sexta, pelo menos, uma opção é oferecida. Organizado pelo Círculo de Pais e Mestres (CPM) e Direção da Escola Municipal Oscar Bertholdo (EMOB), o Cine Drive-In exibirá o filme “O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes”, a partir das 19h30min, no estacionamento do Centro de Compras Farroupilha (CCF), que apoia a iniciativa, realizada em parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc). A compra do combo (um refrigerante e uma pipoca), por R$ 9,00,


18

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

MANTOS RUBRO-VERDES

Brasil apresenta camisetas para temporada 2020/2021 Nomes dos sócios rubro-verdes estão em destaque no uniforme que está sendo comercializado em três modelos Ramon Cardoso

A

Brasil

temporada 2020 do futebol profissional da Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural (SERC) Brasil, infelizmente, foi encerrada por conta da pandemia, um episódio alheio a vontade do clube, que era de dar sequência à Segundona Gaúcha. Mas isso não fez com que o rubro-verde permanecesse parado, muito pelo contrário. Na quarta o Departamento de Marketing do Gigante das Castanheiras apresentou as novas camisetas da edição especial 2020/2021. Produzidas pela Clas’sport em três modelos, elas contam com nomes de sócios, apoiadores, colaboradores, dirigentes, ex-dirigentes, atletas, ex-atletas, imprensa e forças vivas da comunidade vinculadas ao clube, uma forma dos torcedores eternizarem seu vínculo com a instituição e dela prestar uma homenagem aos fãs do rubro-verde farroupilhense. A ideia foi implementada junto ao Plano de Sócios da modalidade Ouro, que foi lançado no início do ano, e que buscava estampar o nome do associado no uniforme dos atletas. Mesmo com a interrupção do futebol por conta da crise sanitária, o Marketing decidiu que era o momento oportuno dar seguimento à ação, acrescendo aos nomes dos sócios o de personalidades que ajudaram a construir a história do Brasil ao longo de seus 81 anos. Além de estreitar os laços do torcedor com o clube,

Para a história As meias Bruninha Andrade e Greyce Débora, do Brasil Feminino, e o goleiro Felipe Pedot, do time Sub-20, apresentaram na semana a novidade para os torcedores do clube farroupilhense

a iniciativa busca suprir o déficit gerado pela paralisação do futebol na temporada. O lote inicial é destinado aos sócios Ouro de 2020, que já poderão buscar gratuitamente uma unidade da camiseta a partir desta semana. Quem quiser também pode se associar na categoria pelo valor de R$ 220,00. As camisas também estão sendo comercializadas no Estádio das Castanheiras (mediante agendamento), Mercado De Cesaro (Rota do Sol, 10, bairro Bela Vista), Yeah Capas (Cel. Pena de Moraes, 547, Centro) ou na Malu Modas (Antônio Sachet, 303, bairro 1º de Maio) a R$

90,00. Informações podem ser obtidas pelos fones (54) 981.618.350 ou (54) 999.423.873. De acordo com os diretores Cristiano Nery e Douglas Winicki, novos lotes devem ser produzidos ainda em 2020 e os associados que desejarem se associar visando a temporada 2021 já poderão fazê-lo no ato da aquisição da camiseta. Além dos novos sócios, mais personalidades vinculadas à história do clube deverão ser homenageadas nos lotes futuros. A intenção do clube é de utilizar o modelo como uniforme de jogo de todas as modalidades em 2021.


19

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Por um lugar no time titular Nesta sexta chega ao fim a 10ª semana de treinamentos das gurias rubro-verdes e briga entre as 11 começa a ficar mais acirrada

Brasil Feminino

R

estando seis semanas para a retomada do Brasileirão Série A2, os treinamentos das gurias rubro-verdes ganham cada vez mais em dinâmica de jogo e até mesmo um coletivo pode ser realizado nesta sexta à noite, que finaliza a 10ª semana de trabalhos retomados após 111 dias de paralisação devido à pandemia. Com boa parte da carga física já assimilada, os treinos tendem a ser mais voltados à parte técnica e, sobretudo, tática, com o técnico Luciano Almeida projetando possíveis formações para o regresso à competição nacional. “Tivemos uma evolução muito grande. Ainda não chegamos ao ponto de acertar só os detalhes da preparação física, mas falta pouco. O Luciano já tem definido como quer compor taticamente a equipe e as fases do jogo. Meu objetivo agora é afinar o grupo na parte física com esse sistema”, destacou o preparador físico Rafael Dos Santos, o Brasa, que iniciou os trabalhos no clube farroupilhense justamente neste re-

torno em meio à crise sanitária. Parte das atividades físicas inclusive são feitas com bola, como no treino de terça à noite, nas Castanheiras. “Fizemos um trabalho de transição, da defesa para o ataque. O objetivo era defender bem, evitar o gol e sair em velocidade para surpreender o adversário, que é o cenário que imaginamos que vai acontecer no duelo contra o Napoli”, salientou Luciano, que tem a ideia de realizar um coletivo no encerramento desta semana. “Nesta sexta pretendo fazer um trabalho tático, com campo mais aberto, quem sabe até utilizando o campo inteiro, para começarmos a dar cara para essa equipe e projetarmos uma formação ideal para o próximo confronto e a sequência da temporada”, antecipou Luciano. O Brasil volta a campo no dia 25

de outubro, na 2ª rodada do Brasileirão, no Estádio das Castanheiras, encarando o Napoli, de Caçador, que na estreia também venceu. O time rubro-verde fez 4 a 3 na Chapecoense, em Xanxerê, no melhor jogo da abertura do nacional. Já o novo adversário catarinense aplicou 4 a 0 no Athletico, em casa. Ou seja, o embate vale a liderança do Grupo F do nacional.

Reforço na zaga

Com passagem recente pelo futebol paulista, onde atuou pelo Rio Branco de Americana e XV de Piracicaba, a zagueira Alice (foto ao lado) é a nova contratação do rubro-verde farroupilhense para a sequência da temporada. Natural de Ariquemes, em Rondônia, a atleta tem 18 anos e reforça o setor defensivo das gurias rubro-verdes.

Pegado Treinamentos ficam mais intensos com a proximidade de retomada do Brasileirão: coletivos devem ser a tônica dos trabalhos

Fotos: Ramon Cardoso

BRASIL FEMININO


Política

Política

Rede e PSDB PSD concorre firmam parceria com chapa pura

s rafia otog

Neyre Fotografia

F ello Tond

Maria da Glória Menegotto, como cabeça de chapa, e Darci Levis, como vice, lançam as pré-candidaturas ao Executivo Página 14 e Editorial

Leonardo Vilas-Bôas Conceição e Sedinei Catafesta fazem dobradinha como os pré-candidatos da sigla à Prefeitura Página 15 e Editorial

MATÉRIA ESPECIAL

EDUCAÇÃO

Miss RS Latina e Man RS ocorrem na cidade em dezembro Páginas 2 e 3

Evento organizado por CPM e Direção acontece nesta sexta Página 17

Farroupilha na rota dos concursos de beleza

Escola Oscar Bertholdo promove Cine Drive-In


Social

Os destaques da semana em Farroupilha e as dicas e sugestões da colunista social Valéria Vettorazzi Páginas 4 e 5

Inside

Opinião

Colunista Fabrício Oliboni levanta uma interessante questão que envolveu o futebol nesta semana Página 6

TEMPOS SOMBRIOS

Distopia nossa de cada dia Como estamos vivendo uma pandemia há um semestre e com elementos de fazer inveja a qualquer futuro distópico projetado na telona, listamos 10 obras que falam sobre o impactante tema

S

e no final de 2019 alguém arriscasse 10% do que estamos vivemos em 2020, esse indivíduo certamente seria taxado de maluco e com um grande potencial para roteirista ou diretor de Cinema. De fato, as distopias têm esse poder, de tirar o espectador de uma zona de conforto e transportá-lo em uma realidade desconectada daquilo que habitualmente estamos acostumados a vivenciar. Evidente que escritores, roteiristas e cineastas terão muito trabalho, a partir de agora, para conseguir criar uma história que seja mais surreal do que a do presente ano, até mesmo porque há, em 2020, elementos distópicos evidenciados em várias frentes de análise, sobretudo nas que envolvem essa tirania bizarra (travestida de preocupação humanitária) de prefeitos e governadores que, desavergonhada e criminosamente, deixaram aflorar sua veia totalitária. Alguns, felizmente, por pouco tempo. O Inside desta semana é dedicado à pauta, com as resenhas de “Fahrenheit 451”, tanto do livro de Ray Bradbury, como do recente filme adaptado à telona pelo diretor Ramin Bahrani, obra que foi amplamente popularizada na primeira versão feita para o Cinema, com roteiro e direção assinados pelo lendário François Truffaut. Ficamos com a ver-

Divulgação

são atual que carrega elementos mais próximos do livro, tanto no aspecto futurista projetado quanto na própria contextualização, que não fala em datas, mas se reporta a um período que poderia muito bem ser aceito como atualidade. A grande maioria dos filmes já foi resenhado na seção Sétima Arte e, no Primeiro Parágrafo, até o fim do ano, ainda iremos resenhar outros dois clássicos da distopia: “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley, e “1984”, de George Orwell. Porém, nada que se compare a esse 2020, uma realidade que miseravelmente se impõe de maneira avassaladora sobre Literatura e Cinema.

Top 10 de filmes distópicos

Fahrenheit de Truffaut Oskar Werner e Julie Christie estrelaram a primeira adaptação da obra de Ray Bradbury à telona: o fogo como instrumento de controle do Estado

Metrópolis Fahrenheit 451 Laranja Mecânica Blade Runner O Exterminador do Futuro 1984 Matrix V de Vingança Ensaio Sobre a Cegueira Blade Runner 2049

Imagem: Reprodução


Inside

2

Crônicas da Redação Ramon Cardoso

ramon@jornalinformante.com.br

Nossa distopia é a triste realidade

Um dos pilares de qualquer distopia é, sem sombra de dúvida, um regime totalitário. Há muito tempo tinha a intenção de ler “Fahrenheit 451”, do escritor americano Ray Bradbury, e este ano, que completa seu centenário de nascimento, foi o momento mais do que apropriado, também pelo fato de estarmos vivendo nossa distopia particular. Na obra de Bradbury (veja resenha ao lado), o Corpo de Bombeiros, um braço do Estado criminoso, não está aí para apagar incêndios, mas para iniciá-los com a queima de livros. É uma perspectiva interessante a feita pelo autor, não resta a menor dúvida. Afinal de contas, o conhecimento é perigoso, especialmente contra aqueles que buscam, de maneira incondicional, se perpetuarem no poder. Não é uma realidade distante. Esses processos de emburrecimento em massa da população, viabilizados por governos de esquerda, que necessitam da miséria (seja a financeira seja a intelectual) para justificar seu discurso e arregimentar massas de manobra, foram implementados sem freio ao longo de gestões catastróficas e que nos jogaram no caos. Duvidam? O processo de aprovação automática, que impedia a reprovação de alunos, fazia com que estudantes chegassem à metade do Ensino Fundamental sem terem sido alfabetizados. A quem interessa isso? A quem está preocupado com o bem-estar e futuro do País ou quem deseja se perpetuar no poder? Vale o mesmo para a abertura desenfreada de universidades, que transformou o ensino superior em uma indústria, arregimentou votos, conquistou eleitores, mas não garantiu emprego de ninguém. Vale como uma estatística, mas de pouco efeito prático. Porém, o que mais impacta no momento nem é essa velada ‘boa intenção’ de governos pregressos, mas sim a sanha ditatorial e totalitária de prefeitos e governadores, que sob o pretexto de “salvar vidas”, solaparam as liberdades individuais mais básicas. Vivemos uma distopia diária, tamanha a quantidade absurda de atitudes bizarras que foram tomadas durante a pandemia, decisões que escancararam a incompetência e jogaram uma luz forte no real propósito da crise sanitária: a roubalheira de dinheiro público. São muitas as idiotices do período. Elas vão da aplicação retal de ozônio no combate ao vírus a veículos circulando dentro de shoppings. Vão de aplicativos para reservar um quadrado de areia na praia à projeção do número de óbitos com uma certeza Matemática. Vão do veto à circulação de pessoas em locais públicos (uma liberdade básica tolhida de maneira surreal) à superlotação do transporte coletivo devido à redução do número de linhas à disposição da população. Eu acredito que os novos livros sobre distopias terão muita dificuldade de serem comercializados no Brasil. A menos que os autores tenham uma criatividade absurda e consigam trazer elementos novos à assustadora realidade que estamos vivendo. Que nossa distopia diária chegue ao fim o quanto antes, de preferência com esses gestores tiranos depostos, processados e presos. É o que todos desejam para o futuro.

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Primeiro Parágrafo

O futuro sombrio Para marcar o centenário de nascimento do escritor norte-americano, resenhamos “Fahrenheit 451”, sua obra mais célebre e assustadoramente atual neste momento de pandemia, em que o viés totalitário ganha corpo na ação de gestores tiranos Ramon Cardoso ramon@jornalinformante.com.br

A

o retornar para casa, o bombeiro Guy Montag tem uma primeira conversa com sua vizinha, a jovem Clarisse McClellan. O papo é sobre amenidades e não teria uma consequência maior não estivéssemos falando do futuro sombrio e distópico imaginado pelo americano Ray Bradbury em “Fahrenheit 451”. Em uma sociedade adestrada e inerte, mais ou menos como a nossa nesse período de barbáries perpetradas durante a pandemia, qualquer pergunta é inconveniente. E isso Clarisse faz aos montes. “Tenho 17 anos e sou doida. Meu tio diz que essas duas coisas andam sempre juntas”, revela a jovem, conferindo uma espécie de segurança a Montag, desconfortável com as observações. Os próprios questionamentos da vizinha, por mais simples que sejam, são capazes de gerar um incômodo, o que mostra que a realidade atual se faz muito presente e que

o desconhecimento é a chave para a supressão da verdade e a imposição de uma narrativa que atenda ao totalitarismo. Montag integrava o Corpo de Bombeiros que tinha uma finalidade específica. Como braço do Estado, a corporação atuava na queima de livros. O objetivo era claro e direto: destruir toda e qualquer obra literária da face da Terra, algo que era feito de maneira completamente mecânica. Logo após a conversa com Clarisse, o bombeiro chega em casa e se depara com a esposa, Mildred, completamente dopada de medicamentos, um dos instrumentos de controle estatal, junto com os programas televisivos que passavam a todo instante em paredes transformadas em telões. Aos poucos, essa vida completamente vazia passa a ser analisada de forma crítica pelo bombeiro. Seu chefe, o capitão John Beatty, faz questão de suprimir todas as suas dúvidas justamente porque a história tinha que ser negada e adequada a uma narrativa que atendesse ao totalitarismo imposto. Essa revisão histórica, que era completa-

mente dissociada da realidade, constituía-se em um componente vital na consolidação da estrutura estatal, tanto que a intervenção do Corpo de Bombeiros era algo isolado e cada vez mais raro. A população já tinha deixado os livros de lado. Alguma similaridade com o hipócrita “fique em casa”? Mas o nosso personagem principal, ao que parece, sai da bolha em que se encontra e percebe a miséria de um mundo cru e plastificado, um enlatado oferecido como único caminho para a felicidade. O desaparecimento de Clarisse de forma abrupta e sem deixar vestígios, o comportamento bipolar de sua esposa, uma investida que acabou com uma mulher preferindo morrer queimada junto aos seus livros do que viver


Inside

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Primeiro Parágrafo

3

Rita Rosa Baretta ritarosabaretta@gmail.com

de Ray Bradbury Fahrenheit 451 Autor: Ray Bradbury Tradução: Cid Knipel Gênero: Distopia, Ficção Científica Literatura Americana Ano de publicação: 1953 Editora: Biblioteca Azul Nº de páginas: 199 Preço médio: R$ 30,00 sem eles são situações que provocam Montag e despertam um mínimo de consciência crítica sobre o sistema vigente. A autoimolação da mulher que possuía uma biblioteca impactou a vida do bombeiro a ponto de fazê-lo lembrar o contato que teve, anos antes, com Faber, um velho professor, que havia lhe dado seu endereço e despertado nele, ainda que involuntariamente, uma ponta de dúvida acerca da realidade que viviam, já opressora à época, um encontro que é revisitado com força na atualidade e que pode ajudar Montag a compreender não só o momento atual, mas os rumos que a humanidade tomou ao se submeter, sem ressalvas, à tirania. Faber será um personagem vital nessa história, justamente porque oferecerá uma alternativa ao bombeiro, não somente de se libertar das amarras que o prendem a um Estado totalitário, mas em ser um agente de trans-

formação para o futuro, para deflagrar uma revolução em prol da autonomia, do conhecimento e da liberdade. O preço será alto, claro, mas é uma causa que vale a pena ser defendida. Escrito em 1953, com a Guerra Fria assombrando o mundo, a distopia de Bradbury pode ser exagerada, mas ela escancara o quanto pode ser nefasta a atuação de um regime tirânico e como o conhecimento é a arma mais poderosa contra o totalitarismo. O escritor, nascido em 1920, faleceu em 2012, e questionado sobre o impacto de seu livro falava que “ficção científica é uma ótima maneira de fingir que você está falando do futuro quando, na realidade, está atacando o passado recente e o presente”. Nada mais atual.

Fahrenheit 451

É a temperatura de queima do papel em graus Fahrenheit, o que corresponde a 233 graus Celsius.

Um autor visionário

Ao final da obra, Bradbury faz uma coda, que é uma seção conclusiva do livro, em que realiza uma espécie de desabafo contra essa praga que atende pelo nome de “politicamente correto” e como isso tem uma influência nefasta na Literatura, como em qualquer forma de manifestação artística. O autor

havia recebido pedidos de reedições de suas obras, mas com a inclusão de personagens (minorias) e supressão de termos. “O leitor está começando a captar o odioso e inacreditável quadro?”, questiona o americano, que prossegue: “Existe mais de uma maneira de queimar um livro. E o mundo está cheio de pessoas carregando fósforos acesos. Cada minoria acha que tem a vontade, o direito e o dever de esparramar a querosene e acender o pavio”, comenta Bradbury. O autor é ainda mais incisivo ao refutar qualquer tipo de mudança estética. “O mundo real é o terreno em que todo e qualquer grupo formula ou revoga leis como num grande jogo. Mas a ponta do nariz do meu livro ou dos meus contos ou poemas é onde seus direitos terminam e meus imperativos territoriais começam, mandam e comandam”, esclarece o célebre escritor, que finaliza. “Não me insultem com decapitações, decepações de dedos ou esvaziamento de pulmões que pretendem fazer em minhas obras. Não irei gentilmente para uma prateleira, eviscerado, para me tornar um não livro”. O autor faleceu em 2012. Imagina se ainda estivesse vivo? O quadro, de lá para cá, só piorou. Bradbury certamente seria uma voz ativa contra essa nova tirania.

Setembro Setembro no calendário gregoriano é o nono mês, tem 30 dias. Ele vem da palavra latina septem que significa sete, sétimo mês do calendário romano, que começa em março. Em 21 ou 22 de setembro, o sol cruza o equador celeste em direção ao Sul iniciando o Outono no Hemisfério Norte e a Primavera no Hemisfério Sul. Muitas são as datas comemorativas no mês de setembro, cada uma tem seu significado, cada uma tem seu valor diante da sociedade, quer seja por seu valor social, patriota ou pela importância da conscientização do ser humano. A exemplo das datas, setembro foi instituído como mês de Prevenção do Suicídio, escolhido pois desde 2003 o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio nos Estados Unidos. A cor amarela foi inspirada numa história de um jovem americano de 17 anos, Mike Emme, que tirou a própria vida em seu Mustang 1968 Amarelo. Em seu funeral amigos e familiares distribuíram cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio para as pessoas que estivessem enfrentando dificuldades ou estivessem diante do mesmo desespero de Mike e pudessem pedir ajuda. Essa mensagem se espalhou pelo mundo todo. A família de Mike iniciou assim, uma campanha de prevenção do suicídio intitulada “Fita Amarela”, inspirada na cor amarela do Mustang de Mike, que acabou dando nome à Campanha Brasileira do Setembro Amarelo. Em nosso País, o suicídio é considerado um problema de saúde pública em função da quantidade e número crescente de casos, principalmente na adolescência. Embora seja importante termos consciência do conhecimento teórico a respeito dos números e dados de tal em nossa contemporaneidade, entendo que nosso conhecer vá muito além. O sujeito com sintomas de depressão apresenta comportamento mais retraído, com dificuldades de relacionamento social, certa irritabilidade, pessimismo, apatia, dificuldades em manter o sono e alimentação regulares, instabilidade no humor, sentimento constante de solidão, impotência e desesperança diante da vida. Podemos compreender que, às vezes, estamos desatentos ao que nos cerca e aos sinais que as pessoas à nossa volta podem estar nos dando acerca de seu comportamento e sentido a respeito da vida. Não se trata somente de uma pessoa que esteja querendo “chamar a atenção”, mas de alguém que precisa de ajuda, precisa de acolhida e escuta à sua dor interna de destrutividade, cuja única solução lhe parece fugir. Fugir deste sentimento interno que lhe sufoca do qual não consegue encontrar saída pela palavra, pela busca de conforto, pela acolhida amiga. A relação que existe entre trauma, dor psíquica e ato, permite compreender com que o sujeito busque como solução de sua dor, solução de todo seu sofrimento interno, como via de descarga possível, o suicídio. O ato suicida pode parecer a marca, o ato que de algum modo se repete do trauma em sua intensidade, ao buscar a própria morte marcando a impossibilidade de um processo de simbolização. Marcando o desespero, marcando o quanto o sujeito não suporta mais tanto sofrimento. Marcando de fato a desistência. * Psicanalista


E

Ansiedade

Fotos: Arquivo Pessoal

ssa semana quero abordar o tema ansiedade. Tenho visto muitas pessoas, inclusive eu, não sabendo lidar com essa sensação nova, que foi acelerada pela pandemia. Pensando nisso, tenho lido mais sobre isso e entendido como podemos tentar amenizar alguns sintomas que aparecem, quando menos esperamos. Seguem algumas dicas. Desacelere e respire, é preciso se dar um momento de pausa. Tente pensar positivo, por mais difícil que seja a situação, vai passar. Avalie o que está te causando essa ansiedade, para que seja mais fácil lidar com isso. E, por fim, não tenha medo de procurar ajuda profissional.

Energias

O Espaço Holístico Despertar realiza, na próxima segunda, em sua página do Facebook, a live "Despertar da Consciência" com as facilitadoras Magda Ely e Adriana De Cesero, com mediação da professora Maria Folle. A ação conta com a participação das trabalhadoras da casa, Rosane Maso Garbin, Cristine Prezzi e Maria Cleufe Bianchi Ponivass, que contarão mais sobre o funcionamento do espaço. Participe!

Andrelize da Motta Trubian aproveitou um final de semana de sol para conhecer o espaço da Casa da Erva Mate, no Caminhos de Pedra

O empresário André Bisol completou um ano de atu novo endereço de sua loja, a Hermelu Esportes, nest

Cinema

A Casa Perini realiza a 2ª edição do evento Cine Drive-inho, nos dias 18 e 19 neste mês. A proposta do evento é um cinema à moda antiga, onde as pessoas veem o filme dentro do carro. A sessão, em ambos os dias, inicia às 19h30min e a entrada a partir das 18h. Na sexta será exibido o longa “Sob o Sol da Toscana” e no sábado “O Tempo e o Vento”. Será possível adquirir também comidas e bebidas que estarão sendo comercializadas no local. Os ingressos estão à venda no site Uhulu.com.

Foto Itália

Semana Brasil Iguatemi

Neste final de semana segue a liquidação da Semana Brasil no Shopping Iguatemi. A ação, que foi lançada ano passado, por conta da nova data comercial do varejo, conta com descontos exclusivos, de até 70%. Para os interessados, é possível fazer as compras de maneira online e retirar os produtos em formato drive-thru, sem sair do carro.

Live Solidária

O Rotary Club Nova Vicenza realiza, na próxima sexta, a live "Farroupilha Solidária". A ação visa arrecadar fundos para o projeto beneficente De Olho no Futuro e para o grupo Voluntárias da Saúde de Farroupilha. A live tem previsão de duração de duas horas e conta com o show das bandas Os Neutrons, Lady Rock e Grupo Chasque.

Pedro Rotili colou grau em Arquitetura e Urbanismo, pela Centro Universitário da Serra Gaúcha, com cerimônia online

Isadora Spinelli la de Abreu Spine 8 anos, que aco


Divulgação

#MinhaÚltimaViagem

uação em ta semana

Gabriela Pozza, em suas últimas férias, conheceu a Praia do Francês, em Alagoas

#EmCasa Daiane Cavalini

adeada pelos pais Risclif Spinelli e Eliane elli, na celebração do seu aniversário de onteceu no domingo, na casa da família

Bibiana Silveira de Souza recebeu o carinho do namorado Alex Schmitz durante seu aniver, celebrado no sábado


Inside

6

Fabrício Oliboni fabrioliboni@gmail.com

Igualdade forçada Há alguns dias a CBF anunciou algumas equiparações do futebol feminino e futebol masculino, no que tange às Seleções. Isso significa que os gastos com relação às diárias, preparação e premiações passarão a ser os mesmos. Além disso, já podemos ver grandes avanços recentes na modalidade, com campeonatos cada vez mais organizados, mais apoio, patrocínios, visibilidade, etc. Até aqui, tudo ótimo, tudo lindo. É bom que o futebol feminino cresça, melhore e se torne atrativo ao público e rentável financeiramente. No entanto, por mais que eu torça para que o esporte ganhe espaço, a diferença para o futebol masculino é gigantesca. Se tiver a opção de assistir a um jogo de futebol masculino ou feminino hoje, qual você escolheria? No que gera de dinheiro, interesse, desempenho de alta performance, qual é o que faz a coisa girar, em escala global? O futebol masculino. Se um campeonato de futebol gera uma receita de, sei lá, R$ 100 milhões, para uma modalidade, e para a outra R$ 10 milhões. As premiações e condições devem ser as mesmas? Se as mulheres desempenham as mesmas funções que os homens, com os mesmos resultados, sim, obviamente que devem ganhar a mesma coisa. Felizmente, essa é uma luta geral para que isso não ocorra mais, mas ainda há muito disso, de as mulheres serem preteridas em algumas funções/cargos apenas por uma questão sexista, sendo que poderiam fazer o mesmo ou melhor que um homem. Mas a questão não é essa aqui, sendo que por mais que seja ótimo o apoio ao futebol feminino, ele tem que ser um produto mais atrativo para que isso seja possível. No mundo da moda, quem ganha mais, uma modelo ou um modelo? Uma modelo. Qual a razão disso? Porque ela entrega muito mais, tem um retorno muito mais significativo e, em razão disso, a sua remuneração é superior. Vôlei, por exemplo. Gosto de assistir aos jogos do masculino e do feminino, porque os dois são de alto nível. Acredito que em questão de investimentos, os dois tenham números semelhantes, se não iguais, porque ambos têm relevância. Um jogo de vôlei feminino, não raro, tem ginásio lotado no Brasil. Porque é algo interessante. O futebol nos EUA é muito mais valorizado no feminino. Motivo? Porque é melhor que o masculino. Atrai público, é popular, tem um bom trabalho de base... e não é uma imposição, e sim resultado de um produto melhor acabado, que atrai interesse pelo seu nível, não porque “todos temos que ver futebol feminino”. Ao meu ver, essa ação é uma oportunidade de “lacrar” da CBF, algo que é interessante para a imprensa, rende notícias de igualdade e afins. Mas não é assim. Se um vendedor vende 100 vezes mais, porque o que vende bem menos tem de receber o mesmo? Um restaurante melhora o seu serviço antes de subir o valor dos pratos, e não o contrário. É uma igualdade forçada, e assim não valoriza, e sim empurra algo que é mais uma jogada para tentar ganhar a mídia do que tentar resolver algo. Você não vê algo porque alguém te obriga, porque te falaram que você tem que ver, e sim porque é algo que te atrai e é bom. Há mulheres que amam futebol, e o que elas assistem? Futebol masculino. Se o feminino for atrativo, certamente elas irão começar a assistir, e os homens também. Mas enquanto isso não ocorre, não dá pra comparar. É uma imposição mentirosa e que mais engana que ajuda. * Agente de intercâmbio e bacharel em Relações Internacionais

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Sétima Arte

O perigo do conhecimento “Fahrenheit 451” ganhou uma versão moderna na percepção de Ramin Bahrani, que sedimenta o clássico de Ray Bradbury num universo futurista

N

inguém tem dúvida que o instrumento de controle mais efetivo que um Estado pode ter sobre o indivíduo é o do conhecimento. Impedir acesso a ele é cercear e tolher a possibilidade de evolução de uma sociedade. Evidente que a força também é um componente mais do que essencial, mas ela está incorporada ao ente, até mesmo entre as democracias mais sólidas, a prerrogativa do emprego e uso da força é do Estado. Contudo, restringir seu uso passa, efetivamente, por um adestramento da população e nada melhor do que fazer isso através da impossibilidade do conhecimento. O cineasta americano Ramin Bahrani refilmou o clássico literário de Ray Bradbury, que já tinha recebido uma versão para a telona do lendário diretor francês François Truffaut, aproximando

a distopia literária de um plano futurista, mais adequada ao momento atual, bebendo um pouco da fonte de “Blade Runner” (outra distopia, assinada por Philip K. Dick), nem tanto do original do conterrâneo Ridley Scott, mas especialmente o 2049, na sequência do canadense Denis Villeneuve. Evidente que correu todos os riscos, não apenas pelo livro como também pelo peso de uma versão assinada por Truffaut. Porém, o remake cumpre bem o seu papel. Guy Montag (Michael B. Jordan) é um dedicado mestre do Corpo de Bombeiros, uma cria do capitão John Beatty (Michael Shannon), que treinou o pupilo para ser seu sucessor na corporação. Entre uma que outra instrução aos jovens estudantes sobre o perigo que o livro pode oferecer, os dedicados servidores do Estado realizam incursões para queimar as poucas obras literárias que ainda restam em Cleveland, mas é justamente nestas chamadas que parte da memória afetiva da infância de Montag vem à tona, no breve contato com seu falecido pai, e só é necessário alguém despertá-la para gerar questionamento, algo completamente fora de cogitação em

um regime totalitário. O Estado sabe tudo e ponto final. Com o lema “Viva Intensamente” espalhado por todos cantos da cidade, de ambientes fechados a gigantescos arranha-céus, a população vive uma era futurista em que um dispositivo de inteligência artificial, o Yuxie, comanda todas as ações. Aliás, o modo de vida estava tão condicionado às regras do governo que havia inclusive obediência aos pedidos de denúncia sobre os que, inadvertidamente, mantinham livros guardados. E para chegar nesses locais, muitas vezes eram necessários informantes, como a bela jovem Clarisse McClellan (Sofia Boutella). Se no romance de Bradbury ela é a vizinha de Montag, aqui


Inside

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Sétima Arte

7

Paulo Roque Gasparetto prgasparetto@terra.com.br Divulgação

Imagem: Reprodução

Destruição e caos O capitão John Beatty (Michael Shannon) e o mestre Guy Montag (Michael B. Jordan): os braços do terror de um Estado criminoso

ela faz o papel de uma Rebelde que se passa por nativa (qualquer semelhança com os Replicantes, de Blade Runner, certamente não é mera coincidência). Seu contato é com Beatty, mas logo ela acaba despertando o fascínio de Montag. Ao participar de uma investida contra uma moradora que mantinha uma biblioteca, o bombeiro fica surpreso com sua atitude, de rejeitar uma vida sem livros, o que acaba fazendo-o se aproximar de Clarisse e ver que a verdade que lhe foi transmitida é uma narrativa distorcida. Ele percebe isso até mesmo no contato com o capitão, que faz uma espécie de desabafo. “Como podemos ver qualquer coisa, além das sombras que o fogo projeta na caverna, se es-

tamos condenados a ficar com a cabeça imóvel?”, questiona Beatty, deixando seu comandado sem entender a que estava se referindo. Um dos pilares desse controle estatal também passava por reescrever a história. A Segunda Guerra Civil americana é o pretexto utilizado para distorcer os fatos e contar o que interessa para o Estado, uma espécie de cruzada em prol da ignorância. Quando Montag percebe que a vida vai muito além do que imagina, ele confrontará Beatty e buscará em Clarisse a possibilidade de mudar o curso da história. Uma luta que vale e muito a pena, afinal de contas, como diz o lema estatal: “felicidade é verdade e liberdade é escolha”. Tudo que não era oferecido aos cidadãos da distopia.

Fahrenheit 451 Direção Ramin Bahrani Roteiro Ramin Bahrani Amir Naderi Gênero Distopia Duração 100 minutos País Estados Unidos Ano de produção 2018 Estúdio HBO Films Brace Cove Noruz Films Outlier Society Distribuição HBO Films

Somos todos irmãos É evidente, que todos nós sabemos, que os tempos são mesmos difíceis ou estranhos. Você há de concordar comigo que há um clima de incertezas no ar. O nível de tolerância e de compreensão atingiu seu estágio mais crítico. Embora, percebemos que também existem muitos sinais de solidariedade em que pessoas e empresas, neste momento de pandemia, fazem a sua parte de corresponsabilidade. Segundo o educador Paulo Freire é preciso ter esperança, mas tem que ser a esperança do verbo “esperançar”. A grande maioria das pessoas tem esperança de o verbo esperar de braços cruzados. É sobre isso que o Papa Francisco nos quer fazer pensar, na sua terceira Encíclica, que fala sobre a fraternidade e a amizade social, e será assinada no dia 3 de outubro, em Assis, onde São Francisco viu a fraternidade em cada criatura de Deus e a transformou em um canto universal. Enquanto o mundo sofre uma pandemia, a maior dos últimos 100 anos, que coloca tantos povos em dificuldade, Francisco nos diz: “fratelli tutti” ou “todos irmãos”. A verdadeira esperança não é um “esperar passivo” ou com “belos sonhos”, mas ser capaz de entender que o amor e a doação podem ser uma ferramenta de vida e liberdade. Neste sentido, este gesto do Papa Francisco dá a cada um de nós coragem para construirmos a fraternidade que nos une a todos. Sobre a nossa vida, nossas atitudes de cristão e de cidadãos. Quais são os valores em que eu deposito a minha confiança, por quem estou correndo, por quem estou vivendo, por quem estou entregando a minha vida. Eu acredito que Deus se revela nas pequenas coisas. Ele se fez ser humano em Jesus e se revela ao mundo numa criança indefesa, frágil, desprotegida como tantas outras nesse nosso mundo. Deus é maior que as nossas dificuldades, mas depende principalmente de cada um de nós para sermos “fratelli tutti”. * Pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e doutor em Comunicação


Inside

8

Horóscopo Áries - 21/03 a 20/04

A Lua Minguante traz encerramentos com pessoas do seu convívio ou com parentes. Também é uma excelente oportunidade para mudar o seu campo de visão sobre situações e se libertar de frustrações que ainda pairam em seus pensamentos.

Touro - 21/04 a 20/05

A Lua Minguante traz encerramentos para o setor financeiro e profissional. É importante entender os aspectos emocionais que podem bloquear o seu desenvolvimento financeiro. Examine quais expectativas precisam de reparos.

Gêmeos - 21/05 a 20/06

A Lua Minguante desta semana mexe muito com você e traz reparos importantes na forma de se posicionar. Provavelmente haverá necessidade de encerrar experiências que vêm gerando desgastes emocionais e frustrações.

Câncer - 21/06 a 20/07

A Lua Minguante fala de mágoas e ressentimentos que podem estar depositados no seu emocional, gerando silêncio e introspecção. Busque entender os aspectos emocionais que o aprisionam e os elimine por meio da autocura e do autoperdão.

Leão - 21/07 a 22/08

A Lua Minguante fala dos desafios que você pode estar enfrentando ao desenvolver projetos e um grupo de pessoas. O mesmo pode ser dito em relação aos amigos. É um período para encerrar algumas atividades e talvez seja necessário se expressar.

Vírgem - 23/08 a 22/09

A Lua Minguante traz encerramentos importantes no campo profissional e na forma de assumir responsabilidades futuras. É um período para avaliar as expectativas com a intenção de encerrar compromissos e atribuições.

Libra - 23/09 a 22/10

A Lua Minguante traz encerramentos importantes em cursos, campo filosófico e atividades que envolvem outras cidades. Você vai sentir a necessidade de expor o que sente e se liberar de expectativas emocionais que podem mantê-lo aprisionado.

Escorpião - 23/10 a 21/11

A Lua Minguante traz encerramentos na forma de lidar com os recursos compartilhados e bens materiais. Pode ser que você se sinta frustrado com algumas pessoas e precisará atuar de uma forma desapegada para seguir leve daqui para frente.

Sagitário - 22/11 a 21/12

A Lua Minguante traz encerramentos importantes no relacionamento com uma pessoa. A experiência pode afetar o casamento ou parcerias. Busque entender as expectativas envolvidas e como é possível lidar com isso tudo de uma forma saudável.

Capricórnio - 22/12 a 20/01

A Lua Minguante vai pedir encerramentos no trabalho ou mudanças na forma de lidar com a rotina e os hábitos. É uma semana para retirar o que não lhe serve mais. A experiência também pode tocar o ambiente de trabalho e os colaboradores.

Aquário - 21/01 a 19/02

A Lua Minguante traz encerramentos no namoro ou com pessoas com quem você compartilha afetos. É importante avaliar as expectativas que estão inseridas nesses contextos e promover o autoperdão. A experiência também pode tocar a relação com os filhos.

Peixes - 20/02 a 20/03

A Lua Minguante traz encerramentos em família, o que pode mexer com os pais e os sogros. É uma semana importante para curar as expectativas envolvidas e para promover o perdão e a ressignificação de fatos que não estão sob o seu controle.

FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020


FARROUPILHA, 11 DE SETEMBRO DE 2020

Farroupilha: para você homem discreto, que procura uma boa massagem para relaxar, agora você já tem o local certo! “PRAZER PICANTE”, você encontra as mais BELAS GAROTAS! Local central. Venha conhecer! Fone: (54) 991.430.723. Segunda a sábado. Priscila, casada e carente, com atendimento central em Farroupilha! Agende seu horário (54) 999.761.562. Julia, 22 anos e pronta para aquela sacanagem! Atendimento com local central em Farroupilha, agende seu horário (54) 991.430.723. Dani, loirinha de olhos claros! Sempre pronta para o prazer! Disponível das 9h às 16h, com atendimento com local próprio. Contatar pelo fone (54) 996.145.503. Está a fim de fugir da rotina com uma gata sensacional? Então venha passar esse momento comigo. Sou a Pati, uma moreninha pronta para te enlouquecer. Atendimento em local central e discreto (54) 996.145.503 ou (54) 991.430.723, das 13h30min às 18h.

Oi! Me chamo Manu, tenho 28 anos, sou morena clara com cabelos cacheados! Carinhosa e atenciosa! Para você que está naque-

les momentos, precisando de uma massagem relaxante e tântrica, venha se descontrair! (54) 996.145.503, (54) 991.430.723.


Profile for Informantef Informantef

Edição 654  

Jornal Informante (Farroupiha/RS)

Edição 654  

Jornal Informante (Farroupiha/RS)

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded