Page 1

R$ 3,00 | 22 DE FEVEREIRO DE 2019 | | EDIÇÃO 576 ANO XI | FARROUPILHA

Apresentação homenageia maior compositor brasileiro da música clássica na próxima terça Inside, página 3

Arquivo Jornal Informante

OSUCS toca Villa-Lobos na Matriz


2

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

PARCERIA DE SUCESSO

Em nova frente, Maioli Assados promove curso com El Topador Evento gastronômico, ministrado por Antônio Costaguta, se estendeu ao longo do sábado e reuniu adeptos da parrilla El Topador se deve muito a isso”, destacou. Após três anos de cursos mensais, passou a ter um espaço fixo na Casa Destemperados, no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre, um restaurante que atende de terça a domingo, e venera a cultura parrillera. “A ideia é proporcionar boas experiências gastronômicas com a carne, algo que é tão cultuado no Rio Grande do Sul. É a primeira vez que venho a Farroupilha, graças à parceria com o Maioli Assados, mas tenho certeza que retornarei mais vezes”, destacou. O empresário Felipe Maioli aprovou o evento e destacou que, diante do sucesso, é provável que aconteça mais uma edição ainda neste ano. Os cortes servidos foram ofertados pela Rubi Beef (que podem ser encontrados no Maioli), do empresário Henrique Ribas, outro parceiro da atividade, junto com a Frutaria Saint Pierre e a Freuden Bier. A atividade ainda contou com a Design Churrasqueiras e a Gonzalo Condimentos como apoiadores. Veja nesta e na página ao lado fotos da atividade gastronômica.

Matéria prima e mão de obra Henrique Ribas, da Rubi Beef, veio de São Gabriel especialmente para prestigiar o evento e forneceu os cortes que foram preparados e servidos por Antônio Costaguta, que coordena o projeto El Topador

Fotos: Ramon Cardoso

R

ealizado do pela primeira vez pelo Maioli Assados, o curso com o mestre parrillero Antônio Costaguta, que capitaneia o projeto “El Topador”, ocorreu no último sábado, na Chácara Maioli, no 3º Distrito. Ao longo do dia, Antônio explicou técnicas de preparo de mais de uma dezena de cortes, que foram servidos aos participantes à medida que ficavam prontos. Natural de Santana do Livramento, Antônio fixou residência em Porto Alegre para estudos, se formou, iniciou trabalho no Departamento Comercial da RBS, mas nunca deixou de lado sua paixão pela parrilla. Em 2015 deixou o grupo e passou a atuar na área gastronômica. Conseguiu projeção em 2016, durante o Festival Fartura Gastronomia, na Capital, que abriu muitas portas para que percorresse o País e desse início ao El Topador. “Esse projeto é a história da minha vida. Tem muita verdade e alma por trás disso e acho que o êxito do

Clã Maioli O patriarca Avelino com os filhos Felipe e Ricardo e o mestre parrillero: experiência exitosa

Aprendizes Desde as primeiras horas da manhã os participantes estiveram atentos às dicas de Antônio


3

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Fotos: Ramon Cardoso

Adesão em massa Farroupilhenses não perderam tempo e rapidamente esgotaram as inscrições para o evento promovido pelo Maioli Assados: elogios à iniciativa deve render uma nova edição ainda em 2019

No comando El Topador explicou técnicas que foram do preparo do fogo ao corte da carne, devidamente servida e aprovada pelos participantes do curso


4

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Dicas importantes para Marcus Novaes *

P

ara muitas pessoas, comprar um imóvel é realizar um sonho, para outras significa fazer um investimento. Em qualquer caso, é importante deixar a emoção e ansiedade de lado, para olhar com mais coerência e conscientização para que todo o processo seja realizado da forma mais saudável possível. Ao pensar em questionamentos corriqueiros, separamos dicas que podem ser vistas como base para a concretização dessa aquisição. Veja as três primeiras nesta semana. Saiba todas as despesas Entenda muito bem sobre todas as despesas envolvidas nesse processo. Algumas pessoas sonham com a realização e se esquecem de todos os gastos envolvidos nessa transação. Além do preço do imóvel, temos o valor da imobiliária, pagamento de impostos, despesas de escritura e também o Cartório de Registro de Imóveis. Portanto, esses valores devem ser incluídos no montante desse planejamento. Por exemplo, na aquisição de um imóvel até R$ 700 mil em São Paulo, você gastaria R$ 27.635,75, relação a todos os itens citados, lembrando que, neste valor não está incluído comissão do corretor ou imobiliária e com assessoria jurídica. Localização A compra de um imóvel não é a mesma que a de um produto cuja desistência pode ocorrer em 7 dias e a troca em até 30 dias, como previsto no Código de Defesa do Consumidor, pois esta Lei não se aplica nesse cenário. Por isso, é importante tomar muito cuidado. Aconselho o investidor, além de fazer a visita tradicional acompanhado pelo corretor para conhecer o imóvel, a visitar a região em dias e horários diferentes para ter noção de como é o “território”, costumo sempre citar o exem-

plo de dois casos que tive, um da feira livre e outro da buffet aos fundos do prédio, que foram descobertos apenas depois da mudança dos meus clientes (imagine a dor de cabeça!). Financiamento Os financiamentos utilizam a lei de alienação fiduciária, o que facilita e desburocratiza o leilão do imóvel por parte dos credores, sem processo judicial. Vale ressaltar que o Supremo Tribunal Federal (STF) pautou a análise desta lei, para levar à discussão jurídica da legalidade e inconstitucionalidade da perda do imóvel sem processo judicial. Mas como o STF ainda não julgou a questão, a lei continua valendo e hoje, quem assinou e comprou um imóvel financiado, tem o próprio imóvel como garantia, inclusive com a averbação da alienação fiduciária na matrícula. A partir do momento em que o imóvel não foi pago regularmente, o credor consegue facilmente iniciar o procedimento para retomar os direitos do imóvel no próprio Registro de Imóveis. Neste caso, o cartório que notifica o devedor para pagar as parcelas em atraso e, que caso não pague, acaba perdendo o imóvel e não pode exercer o direito de quitação. Se o prazo de pagamento não é respeitado, só é possível evitar o leilão do imóvel se os valores devidos e as parcelas futuras sejam pagos à vista com todos os acréscimos, de juros, correção monetária, despesas do credor com o procedimento. Por isso, o adquirente deve saber quais são os riscos que corre em caso de não pagamento do financiamento. Corriqueiramente sou procurado após os imóveis já terem sido leiloados. Não há mais nada a fazer e os adquirentes inocentemente alegam que estavam esperando uma citação judicial que nunca vai ocorrer, exceto quando a citação judicial é da pessoa que arrematou o imóvel no leilão e quer retirar os ocupantes. Portanto, o adquirente deve entender exatamen-


5

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

aquisição de imóvel te o que acontece em caso de não pagamento, em especial, respeitar os prazos e notificações do cartório em caso de não pagamento, para minimizar os riscos de perda do imóvel. Impostos Em qualquer forma de aquisição de imóvel é cobrado o Imposto de Transmissão de Bens e Imóveis (ITBI), devido à prefeitura da cidade que imóvel pertence. A alíquota desse imposto varia, pois cada município tem legislação própria. Normalmente fica entre 2% e 3% do valor pago pelo imóvel ou, no mínimo, o valor venal declarado pela prefeitura. Ainda assim, muitos municípios, bem como entes do governo, criam medidas para mudar a base desse cálculo, ou seja, avaliam os imóveis em valores maiores para poderem arrecadar mais com esse imposto. Vale destacar o município de São Paulo, que criou o Valor Venal de Referência, que em muitas regiões é maior que o valor de mercado. Já o Governo do Estado de São Paulo, criou uma Avaliação através do Instituto de Economia Agrícola (IEA) da Universidade de São Paulo (USP), para avaliar Imóveis Rurais e, na maioria dos casos, cobram o ITBI e também o ITCMD (Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação), em caso de herança e doação, sobre esse valor, para também arrecadar mais imposto. Vejamos um exemplo: um imóvel pode ser adquirido por R$ 1 milhão, mas a Prefeitura ou o Estado (dependendo da forma aquisição) pode achar vale R$ 3 milhões e cobram o Imposto de Transmissão sobre esse maior valor (R$ 90.000,00 ou invés de R$ 30.000,00 se o imóvel foi em São Paulo). Pouquíssimos corretores sabem da possibilidade de combater essa ilegalidade cometida pelas Prefeituras e pelo Estado (em caso de ITCMD) e os cartórios que fazem as escrituras não alertam, pois para eles é interessante cobrar seus emolumentos sobre o maior valor. Portanto, não pague imposto sem

buscar auxílio jurídico para fazer a redução desse imposto, porque para restituir esse valor pago ilegalmente reconhecido pela Justiça demora muito. Consultoria jurídica e imobiliária Existem inúmeras certidões a serem levantadas e analisadas antes de assinar a escritura do imóvel, tornando-se essencial a análise e interpretação dos resultados, pois muitas vezes possíveis apontamentos não inviabilizam o negócio. Enxergo a atuação de um corretor e de um advogado imobiliário como uma consultoria para dar suporte ao cliente e investidor e, por este motivo, tais assessorias devem ser encaradas como um investimento a longo prazo, ao invés de um gasto. Todas as questões que mencionei acima são provisionadas por estes profissionais que são capazes de analisar e dar segurança a todos os trâmites com expertise. Atualmente, brinco que com o “Senhor Google” tudo está muito desburocratizado. O cliente já chega em uma consultoria com noções do que pode acontecer na sua compra, mas apesar das informações serem mais horizontais, a interpretação dessas informações e as lacunas na lei só são vistas de forma mais consciente por profissionais preparados. O processo de aquisição de um imóvel funciona como um jogo de xadrez e a melhor jogada vai ser feita pelo profissional, seja o corretor ou o advogado. E os dois devem procurar saber muito bem sobre seu nicho de atuação, mas também ter noções básicas em outros segmentos ligados aquilo que a gente faz, a fim de oferecer um melhor serviço para os clientes. Muitos advogados têm soluções para economizar com impostos, justificando inclusive o investimento na assessoria, outros ajudam na realização de bons negócios, mesmo com apontamentos nas certidões forenses. * Advogado


6

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Regra que vale para os outros A Lei Kandir, que entrou em vigor em 1º de novembro de 1996, e recebeu o nome em virtude da autoria do ex-deputado paulista Antônio Kandir, nasceu, como tantas outras leis, aliás, como a esmagadora maioria das legislações no Brasil, com um propósito nobre, mas se tornou completamente inócua ao longo dos anos por conta de sua inaplicabilidade e desrespeito por parte da União. Prejudicado por gestões ridículas no período logo após a redemocratização (que foram sucedidas por outras gestões ridículas e criminosas), que fecharam o mercado nacional ao invés de abri-lo para o mundo, a Lei Kandir surgiu com a necessidade de incrementar o desenvolvimento da indústria brasileira, que mais importava do que exportava, resultando em déficit da balança comercial. Para isso, ela desonerou as exportações de bens primários e semielaborados, ou seja, os chamados não industrializados, do pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Como o tributo é estadual, as Unidades Federativas que tinham um Setor Secundário exportador, acabaram prejudicadas, mas foi criada, por meio da lei, um mecanismo de compensação por parte da União, que ressarciria os Estados dos valores que deixaram de ser arrecadados por conta da isenção do ICMS. Até aí, tudo bem, o grande problema é que a legislação valeu apenas para os primeiros anos e, desde o início dos anos 2000, ela carece de regulamentação, fazendo com que a União não repasse os valores ou repasse de maneira muito aquém da realidade. Deputados gaúchos, inclusive a farroupilhense Fran Somensi (PRB) estiveram em Brasília para discutir a questão (veja matéria na Editoria de Política, página 13). Nesse meio tempo em que o repasse de recursos compensatórios teve

Índice

Editorial

Matéria Especial....................................... Páginas 2 e 3 Editorial e Opinião.................................. Páginas 6 e 7 Economia ..................................................... Páginas 8 e 10 Cidade .......................................................... Página 12 Política ....................................................... Página 13 Educação..................................................... Página 14 Esporte........................................................ Página 15

Inside

Especial ....................................................... Capa Cinemas ........................................................ Página 2 Música .......................................................... Página 3 Crônicas da Redação............................... Página 4 Agenda ......................................................... Página 4 Bem-Estar ................................................... Página 5 Paulo Roque Gasparetto ....................... Página 5 Social ........................................................... Páginas 6 e 7 Fabrício Oliboni ....................................... Página 8 Primeiro Parágrafo................................. Páginas 8 e 9 Dolores Maggioni .................................... Página 9 Sétima Arte................................................. Páginas 10 e 11 Horóscopo ................................................. Contracapa Saúde, Beleza & Estética...................... 4 páginas Classificados .......................................... 8 páginas

odução

Imagem: Repr

que ser discutido de maneira individual pelos governadores com a União, estima-se que o Rio Grande do Sul, um dos Estados que mais exporta, tenha um crédito com Brasília que chega aos R$ 58 bilhões. São cerca de R$ 500 bilhões que a União deve aos Estados. No Brasil, infelizmente, essa lógica é perversa. Ninguém controla a União, que faz o que bem entende. A Lei Kandir é talvez o exemplo mais longevo e latente dessa política. Em contrapartida, Brasília não alivia a dívida dos Estados, a grande maioria endividado até o pescoço, fazendo inclusive bloqueio nas contas para que os valores sejam pagos, débitos que são acrescidos de juros exorbitantes e que se refletem drasticamente nos reiterados atrasos de salários aos servidores e entrada em colapso de alguns serviços públicos essenciais. Não resta a menor dúvida que os Estados também precisam fazer sua parte, com um necessário e oportuno ajuste fiscal, mas a ausência do repasse de valores da Lei Kandir agrava o quadro. Isso é fruto de uma série de governos populistas Redação - redacao@jornalinformante.com.br Juliana Inês Casa Barbieri juliana@jornalinformante.com.br Ramon Cardoso ramon@jornalinformante.com.br Yasmin Signori Andrade yasmin@jornalinformante.com.br

Comercial - comercial@jornalinformante.com.br Fabiano Luiz Gasperin gasperin@jornalinformante.com.br Maria da Graça Potricos Leite maria@jornalinformante.com.br

Anúncios - anuncios@jornalinformante.com.br Marcelo Bortagaray Mello marcelo@jornalinformante.com.br Tiago Rodrigues da Silva tiago@jornalinformante.com.br

Financeiro - financeiro@jornalinformante.com.br Keli de Almeida Maciel keli@jornalinformante.com.br

que levaram apenas em conta sua gestão ou, forçando a barra, a possibilidade de reeleição. Faltou, tanto aos presidentes quanto aos governadores, um mínimo de responsabilidade com o futuro. Uma hora, a bomba ia explodir. Se lei no Brasil resolvesse alguma coisa, nós estaríamos ao lado da Noruega no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Não vale para nada. Ainda no campo das contas públicas, até mesmo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), celebrada como avanço para o controle de gastos na esfera pública, permite que a despesa com pessoal chegue a 50% para a União e 60% para Estados e Municípios. São números surreais. Como um município conseguirá investir algo se tem autorização para dispender até 60% de seu orçamento em pessoal? Acrescentem a isso os valores de despesas regulares é claro que não sobra praticamente nada para investimento. Os percentuais elevados para a folha foram praticamente um cheque em branco para gastos desenfreados, que agora não conseguem ser contornados. Quem forçou o limite teve dificuldade para se manter dentro dele a partir do momento que ocorriam reajustes nos vencimentos. Houve, claro, muito irresponsabilidade de gestores municipais e estaduais, mas a LRF estimulou esse tipo de comportamento ao estabelecer regras tão flexíveis para gastos com pessoal. Mas o que mais chama a atenção nessa balbúrdia fiscal é que prefeitos e governadores têm um controle que a União não tem. Espera-se que, com o novo governo federal, essa história seja revista. O passivo da Lei Kandir precisa ser quitado, ainda que a legislação passe por um processo de revisão a partir de agora. O que é insustentável é a vigência dessa lógica que permite que a União faça o que bem entenda e Estados e Municípios tenham que andar na linha. Assinaturas - assinaturas@jornalinformante.com.br Assinatura Bienal: R$ 240,00 Assinatura Anual: R$ 140,00

Telefones (54) 3401-3200 / (54) 3401-3201 (54) 3401-3202 / (54) 3401-3203

Endereço Rua Dr. Jaime Romeu Rössler, 348, Bairro Planalto

Colunistas Crônicas da Redação Dolores Maggioni Egui Baldasso Fabrício Oliboni

Guilherme Macalossi Gustavo Pimentel Lauro Edson Da Cás Paulo Roque Gasparetto

A manifestação dos colunistas é livre e independente e não necessariamente reflete a opinião do Tabloide sobre os temas abordados nas colunas

@PaperInformante www.jornalinformante.com.br

/jornalinformante


7

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

A máquina do desenvolvimento e a graxa da corrupção No último dia 29, a Transparência Internacional (TI) divulgou sua tradicional pesquisa do Índice de Percepção da Corrupção. O resultado brasileiro, como era de se esperar, foi muito ruim, consolidando um aumento contínuo da percepção da corrupção (em 2012 eram 43 pontos e, em 2018, 35 pontos, sendo que quanto maior a pontuação, menos a corrupção é percebida). Ainda que a TI tenha exposto a deterioração da relação da sociedade brasileira com o Estado, não é difícil explicar o resultado. A Operação Lava-Jato continua progredindo com novas fases e em novas frentes. Fora dos Tribunais, o tema da corrupção foi pauta do debate político nacional, tendo influenciado decisivamente nos resultados dos pleitos de outubro passado. Explicar o “caso brasileiro” frente o momento singular e particular em que vivemos é relativamente simples. O que não parece nem um pouco explicável é a média das notas dos demais Países que fazem parte dos BRICS: Brasil (35 pontos com o 9º PIB mundial), Rússia (28 pontos com o 11º PIB mundial), Índia (41 pontos com o 7º PIB mundial), China (39 pontos com o 2º PIB mundial) e África do Sul (43 pontos com o 34º PIB mundial), todos abaixo da média mundial 43 pontos, os BRICS são uma contradição ao próprio conceito de desenvolvimento que eles representam. Os Países juntos ocupam um quarto da área total do planeta, possuem 42% da população mundial e seus PIBs agregam 22% da economia mundial. O resultado pode levar à crença que a corrupção pode ser um fator indutor ao desenvolvimento, já que em

Imagem: Reprodução CNN

Yuri Sahione * Leandro Coutinho **

muitos casos é a partir de práticas ilegais que negócios são desenvolvidos, empregos gerados e muito dinheiro é injetado na economia. A euforia que a corrupção, como indutora da economia pode trazer, está longe de se confundir com desenvolvimento. A história recente do Brasil é um grande exemplo. O governo e as empresas por ele controladas injetam muito dinheiro na economia, em projetos mal planejados, com discutível retorno e superfaturados. O resultado, no médio prazo, é superendividamento, perda da capacidade de geração de receitas, completa desestruturação econômica e administrativa, além de acentuar as desigualdades sociais. O cenário desolador que vemos atualmente no País demonstra que muito se gastou, mas nada se investiu. Muito se fez, mas pouco se aproveita. O desenvolvimento azeitado pela corrupção é aquele em que começamos a construir e, em pou-

co tempo, constatamos que tudo desmoronou e já não há mais nada a se fazer. Se o momento é de investir nos BRICS, devemos aproveitar a oportunidade para nos apropriarmos do dinheiro investido e do conhecimento depositado para construirmos alicerces econômicos, sociais e culturais, pavimentando o caminho para sermos uma potência global. Se, ao contrário, preferirmos o desenvolvimento engraxado, estaremos fadados a sermos eternas promessas, Países em desenvolvimento, futuras potências, enfim, nada melhor do que já somos hoje. * Advogado, especialista em Direito Penal e presidente da Comissão Especial de Estudos Permanentes sobre Compliance da OAB ** Advogado e presidente do Instituto Compliance Rio (ICRio)

Mortes evitáveis: como fazê-lo? Gleriani Ferreira * A ONU utiliza o conceito de mortes evitáveis para tratar daquelas mortes preveníveis por ações efetivas dos serviços de saúde que devem ser acessíveis em um determinado local e época. No entanto, a perplexidade diante das tragédias que vivenciamos nos últimos dias no Brasil nos fazem refletir se elas também não seriam evitáveis. O que faltou para que isso acontecesse? Tivessem os gestores da Vale pensado que suas residências poderiam estar localizadas em Brumadinho para que garantissem a segurança da barragem da Mina Córrego do Feijão. Tivessem os gestores do Flamengo organizado o alojamento como se fosse para seus filhos e netos, a infraestrutura estaria adequada para garantir o sono seguro dos meninos.

Tivessem os responsáveis não priorizado a economia e a ganância, e o time da Chapecoense teria viajado em segurança, com combustível suficiente, da mesma forma que os jovens da boate Kiss teriam comemorado os próximos aniversários de vida e tantos outros choros teriam sido evitados. Mas a valorização da vida passa por cada um de nós em nossas escolhas rotineiras. Bastaria lembrar que, decorridos 10 minutos de uma discussão no trânsito, o episódio já não terá mais nenhuma influência nas nossas vidas. Fôssemos capazes de evitar a discussão, aquele pai retornaria à sua família como em um dia normal. Depois de uma tragédia, nos resta lutar e esperar por justiça, seja lá o que isso possa significar no ambiente legal e financeiro. No entanto, como cidadãos, precisamos desenvolver a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro. O que faltou é o que

falta toda vez: que não cuidamos do outro como cuidaríamos de nós ou dos nossos. Muito diferente do que se diz no ambiente corporativo, precisamos lembrar que as pessoas são insubstituíveis, sim! Pergunte para uma mãe, um pai, uma esposa ou um irmão se é possível esquecer a saudade de quem se foi. Tente descobrir quem conseguiu abafar essa dor. No campo da sustentabilidade, o elo chamado social clama por este entendimento. Sejamos capazes de assumir nossos papéis sociais e corporativos, assim como assumimos os papéis familiares. Liderar significa, inclusive, garantir que cada colaborador retorne para seu lar, para os braços daqueles que o aguardam incondicionalmente. * Professora de Sustentabilidade da Universidade Presbiteriana Mackenzie Alphaville


8

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Edição especial do 5º melhor vinho Casa Perini Moscatel lança garrafa comemorativa ao reconhecimento mundial

A

preciadores do Casa Perini Moscatel agora podem ter a qualidade do produto com o up de uma garrafa edição especial. Lançada nos últimos dias, recebeu nova roupagem enaltecendo o título que a certificou como o 5º melhor vinho do mundo. A garrafa reproduz a medalha que foi conferida em 2017 pela Associação Mundial de Escritores e Jornalistas de Vinhos e Destilados. A lista dos destaques foi elaborada a partir do conjunto de premiações nos melhores concursos do mundo. “A garrafa é prateada, que é a cor em predominância no rótulo moscatel desde 1998 e essa edição especial traz ainda a reprodução da medalha em alto relevo”, ressalta Pablo Perini, diretor de Marketing da empresa. Com edição limitada, a garrafa comemorativa pode ser encontrada em empórios, supermercados premium e diretamente na loja da vinícola, no Vale Trentino, comunidade de Santos Anjos, 4º Distrito de Farroupilha. Desde 2003 foram 43 premiações e reconheci-

mentos ao Casa Perini Moscatel que vão de promoções brasileiras até as realizadas na França, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Israel e Argentina, celebrando os feitos da marca que tem Indicação de Procedência (IP) da Capital Nacional do Moscatel. A Casa Perini oferece mais de 90 itens de produtos derivados de uva, como a Linha Perini (Premium), Casa Perini (vinhos finos e espumantes), Arbo e Macaw (vinhos finos) e sucos de uva integral.

Perini até no Japão

Para provar que o Moscatel Perini cai bem mesmo nos paladares mais distintos, ele faturou mais uma medalha de ouro, desta vez no “The 6th Sakura Japan Women’s Wine Awards 2019” que aconteceu no Japão, no final de janeiro. “Apesar de ser um mercado pouco usual, é muito importante. Não temos o Japão tão associado ao mundo do vinho, mas o mercado oriental é extremamente criterioso e essa distinção nos deixa muito orgulhosos”, reforça Pablo.

Imagem: Re produção

SETOR VINÍCOLA

Edição limitada Nova garrafa do Casa Perini Moscatel reproduz a medalha de 5º melhor vinho do mundo


10

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Enoturismo

Renovação no Dia do Vinho 10ª edição do evento chega com propósito de se expandir para novas regiões e passa a se chamar Dia do Vinho Brasileiro cha, maior região produtora do País, e está se expandindo cada vez mais. “Iniciamos com descontos em produtos até chegarmos ao desenvolvimento de atrações específicas para o Dia do Vinho. Em 2019, completando uma década, podemos brindar a chegada de novos roteiros e a consolidação de regiões já conhecidas. Todo esse movimento é importante para ampliarmos a cultura do vinho no País e a promoção do turismo”, destaca Oscar Ló, presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), promotor do evento. Além disto, o presidente do Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria (SEGH) da Região Uva e Vinho, Vicente Perini, destaca que há um aumento médio entre 10% e 15% na ocupação hoteleira, boa movimentação nos restaurantes e em outros atrativos turísticos durante as duas semanas de evento, se consolidando como uma das melhores épocas para o setor de vinho, gastronomia e hotelaria.

Dandy Marchetti/Ibravin

A

partir deste ano, com a intenção de expandir para novas regiões a programação do evento que envolve o enoturismo, “Brasileiro” complementa o nome do Dia do Vinho. Nesta edição, além de produtores do Rio Grande do Sul, Bahia e São Paulo, municípios e empreendimentos de Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina passam a integrar a série de ações simultâneas que vão acontecer entre 17 de maio e 2 de junho. A relação completa das cidades ainda será divulgada nos próximos dias. Além da abrangência nacional, este ano será apresentada a nova identidade visual, com traços contemporâneos e linguagem moderna. As peças buscam mostrar a expansão do evento, mantendo algumas das características já conhecidas pelo público. Nos 10 anos de ações, o Dia do Vinho incrementou o fluxo turístico, inicialmente na Serra Gaú-

Ampliado Dia do Vinho Brasileiro passa a abranger mais Estados nesta histórica edição: na Serra Gaúcha há um incremento médio de 15% na ocupação da rede hoteleira durante as duas semanas de realização do evento


12

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

COMPETIÇÃO

Inscrições para Torneio de Natação Será a 1ª edição, sendo realizada na Piscina Pública Municipal e são cinco categorias que podem participar

E

stá programado para o próximo dia 9 o 1º Torneio Farroupilhense de Natação. Acontece na modalidade nado livre, com distâncias de 25, 50 e 100 metros. Os participantes serão divididos em cinco categorias e a competição será realizada na

Piscina Pública Municipal, localizada no complexo do Parque dos Pinheiros. Podem participar o público masculino e feminino, divididos de acordo com a idade dos nadadores: pré-mirim para crianças até 8 anos; na mirim participam os de 9 a 12 anos; infantil, de 13 a 16 anos; juvenil, de 17 a 21 anos e na categoria adultosão os

Alguém quer me adotar?

bairro Cinquentenário. Para participar é preciso fazer a doação de algum item de material escolar, no ato

da inscrição, que será doado a crianças de famílias carentes. As inscrições seguem até o próximo dia 8.

Programe-se O que: 1º Torneio Farroupilhense de Natação Quando: 9 de março Onde: Piscina Pública Municipal, no Parque dos Pinheiros Quanto: a taxa é doação de material escolar. Inscrições até o próximo dia 8, no Ceac ou na Secretaria de Esporte

Obituário Divulgação

Esse é o Moleque, já está castrado e se dá bem com outros cães. Ele tem aproximadamente 4 anos e é de porte grande. Foi recolhido em 2015 quando foi abandonado e deste então aguarda adoção. Interessados em adotar podem manter contato pelo fone 999.371.647.

inscritos a partir de 22 anos. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas no Centro de Atendimento do Cidadão (Ceac), localizado na rua 14 de Julho, 713, no Centro, ou diretamente na Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude, que é promotora da ação e está localizada na Avenida Prefeito Arno Domingos Busetti, s/nº, no

16 de fevereiro * Valdo Foss, 79 anos. Sepultamento no Cemitério Público Municipal; * Arceu Favero, 76 anos. Sepultamento no Cemitério Público Municipal; * Ovídio Toazzi, 78 anos. Sepultamento no cemitério da Capela São José, em Sete Colônias (4º Distrito). 17 de fevereiro * Lurdes Dal Ri Onzi, 85 anos. Sepultamento no Cemitério Público Municipal; * Angelo De Bona, 78 anos. Sepultamento no cemitério da comunidade de São Marcos (1º Distrito). 20 de fevereiro * Luiza Catarina Crippa, 84 anos. Sepultamento no Cemitério Público Municipal; Orildo Colombo, 88 anos. Sepultamento no Cemitério Municipal de Concórdia, em Santa Catarina.


13

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

COMPENSAÇÃO DEFASADA

Lei Kandir retorna à pauta e Fran integra comissão gaúcha Ao lado de parlamentares do Estado, deputada farroupilhense esteve em Brasília na defesa do cumprimento da norma

C

riada como uma forma de estimular as exportações e obter um saldo positivo na balança comercial, a Lei Kandir é uma das pautas políticas mais antigas em discussão na esfera nacional. Em vigor desde 1º de novembro de 1996, ela desonerou as exportações de bens primários e semielaborados (não industrializados) do pagamento de ICMS. Como o tributo é administrado pelos Estados, os exportadores tiveram diminuída de maneira expressiva sua arrecadação e a norma garantia a eles compensações, por parte da União, a partir da perda de receita. A Lei Kandir garantiu aos Estados esse repasse compensatório, por conta da isenção de ICMS, até 2003. No ano seguinte, a Lei Complementar 115, deixou de fixar o valor. Por conta disso,

Prejuízos aos cofres estaduais

Na quarta, Eduardo Leite esteve em Brasília, no Fórum dos Governadores, e a Lei Kandir foi uma das pautas em discussão. Segundo o governo do Estado, a União deve R$ 58 bilhões em compensações ao Rio Grande do Sul. Desde o início da vigência da Lei Kandir, no final de 1996, as Unidades Federativas deixaram de arrecadar cerca de R$ 500 bilhões em valores não repassados por Brasília. os governadores necessitam negociar a cada ano com a União o montante a ser repassado. No fim de 2018, o STF determinou que o Congresso Nacional estabeleça, no prazo de 12 meses, o valor do ressarcimento devido aos Estados, tendo em vista que a norma de compensação tributária carece de regulamentação desde 2003. A deputada farroupilhense Fran Somensi (PRB), junto com outros parlamentares gaúchos, esteve em Brasília discutindo a questão com os presiden-

tes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM/AP), além do ministro chefe da Casa Civil, Onix Lorenzoni, e presidente do STF, Dias Toffoli. Enquanto com o primeiro o debate foi raso a ponto de Maia defender até mesmo sua extinção, os demais foram sensíveis às dificuldades do Rio Grande do Sul. “Nós ficamos uma hora e 45 minutos esperando o Rodrigo Maia, que chegou na reunião já dizendo que estava atrasado para uma viagem, e mal ficou

sentado na cadeira. E para ele o que está no passado não existe, que teria que ser tratado daqui para a frente. Ele deixou a entender que a Lei Kandir deve ser revista ou até extinta, sem considerar os repasses que ficaram para trás”, revelou Fran. As conversas com Onix e com Davi foram mais animadoras. “Vimos ali a importância de termos um gaúcho (Onix) lá dentro. Ao mesmo tempo em que ele mostrou interesse e compreensão da nossa causa, ficou claro que tem um bom diálogo com o presidente do Senado, que também nos atendeu muito bem”, relatou a farroupilhense. Tanto o ministro quanto o senador foram enfáticos em reconhecer o passivo e, caso seja necessário, reconsiderar a legislação a partir de agora. Toffoli reforçou que a questão do repasse já foi decidida pela Suprema Corte e que deve ser cumprida pela União.


14

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

EDUCAÇÃO INFANTIL

Para melhor acolher a infância

A

creditar na criança como um ser em potência é uma das premissas da Escola de Educação Infantil Esconderijo Mágico. A nova instituição passou a operar neste mês e oferece às famílias uma concepção mais aprofundada sobre aprendizagem e vivências. Localizada na rua Thomaz Edison, 324, Centro, é dirigida por Cléia Monteiro Tumelero e pela sócia Marinês Brunetto. A intenção foi unir a experiência das profissionais, ambas pedagogas e que já atuavam na Educação Infantil, com uma equipe qualificada e uma proposta diferenciada de atuação. “Acreditamos no protagonismo infantil, aqui o adulto é corresponsável pela aprendizagem, apresentando propostas e contextos potentes para que ela aconteça”, considera Alana Ferreira, assessora pedagógica da instituição. “Fala-

mos a mesma linguagem pautada no respeito com a criança, com coerência e propósito”, reforça. Um ponto importante é a participação da família em todos os processos, acompanhando de perto as etapas do desenvolvimento dos pequenos. Outro destaque é a orientação nutricional e a preparação das refeições, que é realizada na própria instituição, zelando pela qualidade do que é colocado à mesa. São 10 profissionais que atuam no Esconderijo Mágico, sendo que os docentes têm formação em Pedagogia e a cada 15 dias é realizado um encontro de atualização e treinamento da equipe, aperfeiçoando os métodos e qualificando os atendimentos. A escola funciona de segunda a sexta, das 6h30min às 18h30min. As matrículas estão abertas e os pais interessados em conhecer a estrutura e abordagem pedagógica da instituição podem agendar visitas pelo fone 3035.9024.

Juliana Inês Casa Barbieri

Nova instituição atende crianças de quatro meses a 5 anos com proposta pedagógica diferenciada

Nova escola na cidade Esconderijo Mágico traz proposta pedagógica inovadora e está com inscrições abertas

Espaços de apoio e atividades

Os alunos contam com salas referência e outros espaços de interação, potencializando as múltiplas linguagens da criança, como o Ateliê de Arte, que disponibiliza materiais para a experimentação, fomento da criatividade, ludicidade e diversão. Há pátio interno e externo para recreação, além de horta, incentivando práticas e cuidados ambientais. Atividades extras deverão ser ofertadas em breve, como Ballet, Capoeira, Natação e Inglês.


15

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

ENTRE OS MELHORES

Farroupilha define representantes na final do Circuito Verão do Sesc Duplas Sabrina de Paula Camargo e Bruna Castagna e Tonian Zuquetto e Juliano Jardim venceram a Etapa Farroupilhense e estão habilitadas à decisão estadual, que acontece em Torres

O

sábado foi de muito vôlei na quadra de areia do Parque dos Pinheiros, com a disputa da Etapa Farroupilha do Circuito Verão Sesc de Esportes, no Vôlei de Duplas Feminino e Masculino. Foram 24 duplas, 12 por categoria, que ingressaram na competição, organizada pelo Sesc Farroupilha, em busca da vaga na final estadual. No Feminino, quem levou a melhor foi Sabrina de Paula Camargo e Bruna Castagna, que venceram na final a du-

pla Bruna Freitas Machado e Michele Borges. O pódio da categoria ainda foi finalizado por Aline Marini Magoga e Huliana Mendo, que receberam medalhas e troféus pela participação. Já no Masculino, a vaga na final ficou com Tonian Zuquetto e Juliano Jardim, que triunfaram sobre a dupla Guilherme Meneguzzo e Norton Nascimento. O 3º lugar ficou com Claiton Biotto e Júnior Scapini. As três duplas também levaram medalhas e troféus. A decisão estadual ocorre nos dias 16 e 17 de março, na Praia Grande, em Torres, encerrando a temporada.

Sesc Farroupilha

Ramon Cardoso

Em Torres Sabrina e Bruna levaram no Feminino e Tonian e Juliano, ao lado de Carlos Alberto Fritsch, coordenador de Esportes do Sesc Farroupilha, venceram a disputa no Masculino


Para um brinde de excelência Eleito o 5º melhor vinho do mundo, Casa Perini Moscatel lança garrafa comemorativa à honrosa conquista em edição limitada Página 8

Imagens: Reprodução

ECONOMIA

CRÔNICAS DA REDAÇÃO

Fiasco de Moura no Berlinale, após o sucesso do Capitão Nascimento, é algo repleto de simbolismo Um dos responsáveis pela conquista do Urso de Ouro em Berlim, em 2008, icônico personagem é muito maior que novato diretor Inside, página 4 MATÉRIA ESPECIAL

EDUCAÇÃO

Maioli Assados celebra Aprendizagem eficaz é sucesso em novo curso na Esconderijo Mágico Evento gastronômico com “El Escola de Educação Infantil Topador” agradou presentes inova proposta pedagógica Páginas 2 e 3 Página 14 SAÚDE, BELEZA & ESTÉTICA

Secretaria Estadual da Saúde prepara linha de crédito para hospitais e HBSC busca habilitação

Com financiamento junto ao Banrisul e juros subsidiados pelo Estado, medida deve garantir fôlego às instituições hospitalares Capa

INSIDE

Telona no cartão postal

Parceria do Sesc Farroupilha com a Prefeitura, “O Menino no Espelho” será exibido nesta sexta, às 19h, no Parque dos Pinheiros Capa


Compromisso com a Cidade. Compromisso com você.

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Ramon Cardoso

RECURSOS

HBSC deve buscar linha de crédito subsidiado Secretaria Estadual da Saúde divulgou nesta semana listagem de 116 unidades pré-habilitadas a receberem benefício e São Carlos é uma delas

D

e olho nas oportunidades para angariar recursos e manter os serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), tendo em vista ainda o não repasse dos valores mensais pelo governo gaúcho, o Hospital Beneficente São Carlos (HBSC) recebeu nesta semana a portaria publicada pela Secretaria Estadual da Saúde que habilita hospitais a receberem um financiamento subsidiado pelo governo do Estado. Ao total são 116 hospitais filantrópicos e Santas Casas pré-habilitadas a receberem o financiamento, todos atendendo SUS. Na Serra Gaúcha são 16 as unidades de saúde aptas (veja no box ao lado algumas das instituições). O financiamento deve ser realizado junto ao Banrisul, com prazo de carência de 12 meses. Os juros serão subsidiados pelo Estado.

O valor é de R$ 100 milhões, por meio de linha de crédito com intermédio do Fundo de Apoio Financeiro e de Recuperação dos Hospitais Privados, Sem Fins Lucrativos e Hospitais Públicos (Funafir). De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, a distribuição dos recursos entre as instituições será por fator técnico, de acordo com o porte e serviços prestados pelas unidades. Janete Toigo, superintendente geral do Hospital São Carlos, explica que a equipe do HBSC está aguardando a publicação do edital para conferir detalhes e verificar mais a fundo a possibilidade. “Faz seis meses que não recebemos do Estado. Estamos numa situação crítica financeiramente decorrente desse atraso. Esse financiamento a princípio seria para amenizar as pendências de custeio do hospital. Conforme informações, seriam disponibilizados apenas os valores

referentes a janeiro e fevereiro, o que é muito pouco diante do atraso que vigora desde setembro do ano passado”, considera Janete. O prazo para habilitação e entrega de documentação é de 30 dias a partir da abertura do Programa que está prevista para a próxima semana. Após a liberação dos recursos, as instituições terão até 180 dias para prestarem contas aos respectivos Conselhos Municipais de Saúde, bem como ao Conselho Diretor do Funafir. “Não temos maiores informações, pois o processo é recente, mas a nossa área financeira prevê que o recurso disponibilizado fica em torno de R$ 300 mil, que corresponde ao recurso estadual de dois meses”, observa Janete. Ao aderir à linha de crédito, as entidades se comprometem a manter, no mínimo, os serviços prestados ao SUS existentes na data da concessão do financiamento.

Financiamento em boa hora Superintendente Janete verifica a possibilidade de buscar R$ 300 mil

Outros hospitais pré-habilitados

Também estão aptos a se habilitarem para o recebimento dos recursos os municípios de Antônio Prado, para a Sociedade Hospitalar São José; Bento Gonçalves, para a Associação Dr. Bartholomeu Tacchini; Carlos Barbosa, para a Associação Hospital Beneficente São Roque; Caxias do Sul, para a Pio Sodalício das Damas de Caridade e a Fundação Universidade de Caxias do Sul – Hospital Geral; Garibaldi, para o Hospital Beneficente São Pedro; Flores da Cunha, para o Hospital Beneficente Nossa Senhora de Fátima; e São Marcos, para o Hospital Beneficente São João Bosco.


Compromisso com a Cidade. Compromisso com Você

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Por que fazer dep Equipe Espaço da Beleza *

P

ara muitas pessoas, a palavra depilação é sinônimo de incômodo e dor. Isso porque no caso da depilação com lâmina, elas se veem na obrigação de se depilarem com grande frequência, já que os pelos crescem rápido e muitas sofrem reações desagradáveis como irritações e coceiras, além do risco de surgirem pelos encravados. Outras fazem a depilação com cera, um procedimento bastante doloroso e que também pode causar alergias e irritação. Mas é possível se livrar desses incômodos aderindo ao laser. Quer conhecer as principais vantagens desse método? Confira neste espaço porque fazer depilação a laser e veja, abaixo, algumas das vantagens. Retirada de pelos Na depilação a laser, os bulbos capilares são destruídos, dificultando ou impedindo o crescimento dos pelos. Isso ocorre pois, durante o procedimento, o laser é emitido e, por contraste de tonalidade, é absorvido pela melanina concentrada na raiz do pelo. Aqueles pelos que estão junto à raiz e com maior quantidade de cor são superaquecidos, o que ocasiona a morte do bulbo. Como os pelos têm fases de crescimento distintas, nem todos são atingidos na primeira sessão, mas no decorrer das demais sessões ocasionalmente também serão eliminados. Eficácia Além de ser mais rápido e seguro, menos incômodo e doloroso, o procedimento de depilação a laser é o mais eficaz para a remoção dos pelos dentre os métodos disponíveis. É um tratamento bastante duradouro, para não dizer definitivo, pois pode acontecer em alguns casos o surgimento de novos pelos, dependendo da região depilada e da ação dos hormônios do corpo. Em muitas pessoas, a manutenção do tratamento é necessária somente depois de anos. Pele mais lisa A depilação a laser promove uma sensação de pele lisa e macia após o tratamento. Além disso, elimina o problema de pelos encravados e irritações na área depilada, o que garante uma pele muito mais lisa na região, por tempo prolongado. Não demanda muitos cuidados O principal cuidado é não retirar os pelos que forem nascendo com métodos que arrancam o fio pela raiz, como cera, pinça e aparelhos depilatórios. O ideal é que sejam utilizadas lâminas ou cremes para depilar. Outro cuidado deve ser com relação à exposição ao sol. Pelo menos duas semanas antes da depilação a laser, a área não deve ser exposta. Fora isso, não há nada com o


Compromisso com a Cidade. Compromisso com Você

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

pilação a laser?

Imagem: Reprodução

que se preocupar! Não tem contraindicação Atualmente, praticamente todos os tipos de pele podem fazer depilação a laser, basta fazer uma avaliação na clínica antes de iniciar o tratamento. Saiba mais São várias as vantagens e os benefícios desse tipo de procedimento. E então, ainda se perguntando por que fazer depilação a laser? Restou alguma dúvida sobre o assunto? Agende sua avaliação sem custo. * Espaço da Beleza Centro Estético Independência, 555 – Centro de Farroupilha Fone (54) 3268-5511 WhatsApp: 981.195.645 Fan Page: Espaço da Beleza


Compromisso com a Cidade. Compromisso com você.

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

OPINIÃO

Transtorno de Perturbação Borderline Rita Rosa Baretta *

O

Transtorno de Personalidade Borderline (TPB) afeta avida da pessoa causando significativos prejuízos, tanto a si próprio quanto às pessoas ao seu entorno. Entende-se caráter ou personalidade como o modo habitual de conduta de uma pessoa. Resultado de operações complexas com relação a forma como o ego (eu) se adapta ao mundo externo e equilibra sua tarefa de equilibrar as exigências do ID (impulsos internos) e o Superego (exigências morais) e a realidade. Instinto entendido como elementos básicos que impulsionam o comportamento. Freud diz que nós, seres humanos, estamos em constante tensão em nossos instintos. Dois instintos se evidenciam. O de vida que busca a sobrevivência, o crescimento, é a libido, a energia psíquica. E o instinto de morte, surgindo o desejo inconsciente de morte, que são os instintos de agressividade direciona-

do ao mundo externo. Freud também dividia a personalidade em três instâncias: consciente, inconsciente e pré-conscinete. Consciente, referindo-se as experiências e sensações do que vivemos a todo momento. O pré-consciente é o depositário de nossas lembranças, ideias, percepções que não estão conscientes no momento, mas que podem vir a estar. E o inconsciente se refere ao que se vive e por algum modo nos é doloroso ou lembranças que são armazenadas sem que possamos conhecer. No final da década de 30 e início da de 40, surgem observações em pacientes que não se enquadravam na Esquizofrenia, mas que sinalizavam perturbações de origem defensiva, em defesa do próprio ego. Surgindo o que chamamos de paciente Borderline. Isto é, o indivíduo diante das ideias vindas do outro teme ser invadido e deixar de ser ele próprio. Tais pessoas tendem a ser rígidas em relação ao posicionamento na vida. Geralmente mantendo-se organizados, porém, muito ansiosos e agressivos.

Fazem partes daquelas pessoas que, por qualquer ação do outro, já saem gritando, com dificuldades de relações amistosas. Numa forma de defesa projetiva, são indivíduos que veem seus defeitos colocados no outro e não em si mesmo. São indivíduos que apresentam uma história pessoal de sofrimento e terror. Quando na clínica, fica difícil estabelecer uma distinção entre a fantasia e a realidade manifestada pelo indivíduo, justamente por usarem de forma intensa a identificação projetiva, perceber no outro o que de fato lhe pertence. São pessoas que no dia a dia estão sempre com a palavra pronta, são muito rápidas para se defender de qualquer ameaça de ataque. É comum se notar que esse indivíduo não mantém, ao longo do tempo, relações amistosas, pois com o passar do tempo, não estando em análise ou no uso de psicotrópicos, irá mostrar suas garras no dia a dia constantemente. Enfim, em nossas vidas estaremos convivendo com pessoas que tendem a mudar seu ânimo e humor

de forma súbita, que necessitam de ajuda por estrarem muito atrapalhadas financeiramente, justamente por fazerem gastos de forma muito impulsiva, que podem ter dificuldades de controlar seu peso em função do comer também compulsivamente e, em função de tudo isso, esses indivíduos mantêm sérias dificuldades de se relacionar de maneira adequada em função de todo aspecto de irritabilidade e instabilidade, de dificuldades em aceitar críticas. Em resumo é aquela pessoa que sempre se percebe correta e jamais se coloca num lugar de aprendiz, mas em um lugar de superior. Tendemos a nos sentir incomodados com pessoas que parecem estar propensas a uma discussão, um bate-boca, pois ela está sempre ligada para uma defesa. O tratamento de tais sintomatologias poderá ser compreendido pela Psicanálise e auxiliado pela Psiquiatria que, através da medicação, promove a estabilidade de humor com antidepressivos. * Psicanalista


Primeiro Parágrafo

Escritora americana Kristin Hannah mostra o que é o verdadeiro empoderamento feminino em “O Rouxinol” Páginas 8 e 9

Inside

Sétima Arte

Damien Chazelle e Ryan Gosling reeditam parceria de sucesso no drama “O Primeiro Homem” Páginas 10 e 11

Imagem: Reprodução

Cinema

Sétima Arte a céu aberto

Promovido pelo Sesc, o Cinema no Parque vai acontecer nesta sexta, no Parque dos Pinheiros, exibindo “O Menino no Espelho”

I

ntegrando a programação do CineSesc, o Cinema no Parque vai exibir gratuitamente o filme “O Menino no Espelho”, nesta sexta, às 19h, no Parque dos Pinheiros. A exibição a céu aberto é uma parceria do Serviço Social do Comércio (Sesc) com a Prefeitura Municipal. Para participar do evento basta levar cadeiras, cangas ou almofadas para garantir o conforto na hora de assistir ao filme. O Parque já recebeu este ano o Parque Musical, e agora mais uma edição do cinema para curti natureza e arte ao mesmo tempo. O drama se passa em 1930, em Belo Horizonte, e conta a história de

Fernando, um menino de 10 anos. O protagonista está cansado de fazer as coisas chatas da vida e deseja ter um sósia que realize as atividades que não gosta, enquanto ele se diverte à vontade. Até que um dia acontece o inesperado: seu reflexo deixa o espelho e ganha vida. A classificação indicativa do filme é livre. O projeto de cinema ao ar livre tem como objetivo levar a Sétima Arte para todos os públicos, aproximando as pessoas da linguagem audiovisual e do desenvolvimento artístico cultural. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo fone 3261-6526. Em caso de chuva o evento será transferido com data ainda a definir.

Programe-se O que: Cinema no Parque, com o filme “O Menino no Espelho” Quando: nesta sexta, às 19h Onde: Parque dos Pinheiros Quanto: entrada franca

Cinema para todos Abrindo o fim de semana: O Menino no Espelho será exibido gratuitamente em telão no Parque


Inside

2

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Cinemas Imagens: Reprodução

Shopping Iguatemi (RST-453, quilômetro 3,5) Cinemas GNC 1: Minha Vida em Marte - às 14h (com legenda descritiva), 16h25min, 18h40min e 21h GNC 2: Uma Aventura Lego 2 (dublado) - às 13h e 15h10min GNC 2: Wi-Fi Ralph (dublado) - às 17h20min GNC 2: A Mula - às 19h40min e 22h GNC 3: Sai de Baixo: O Filme - às 14h30min, 16h45min, 19h10min e 21h15min GNC 4: Alita: Anjo de Combate - às 13h20min e 18h50min (dublado), 16h e 21h30min (legendado e em 3d) GNC 5: A Morte te Dá Parabéns 2 - às 13h30min, 17h50min e 20h (dublado), 15h40min e 22h10min (legendado) GNC 6: Como Treinar seu Dragão 3 (dublado) - às 13h10min, 15h30min e 17h40min GNC 6: Escape Room - às 19h50min (dublado) e 22h (legendado) Ingressos: segunda e quinta (exceto feriado e Carnaval) a R$ 22,00 e R$ 28,00 (salas 3d); terça e quartas (exceto feriado e Carnaval) todos pagam meia entrada; sexta a domingo e feriado a R$ 26,00 e R$ 32,00 (salas 3d). Meia entrada todos os dias para menores de 18 anos e maiores de 60 (mediante apresentação de identidade), estudantes (mediante apresentação de Carteira de Identificação Estudantil), pessoas com deficiência (com documento que a comprove) e para o Movie Club Preferencial.

Shopping San Pelegrino (Avenida Rio Branco, 425) * Obs: o site do Cinépolis traz apenas os horários dos filmes, mas não informa em qual sala serão exibidos A Morte te Dá Parabéns 2 - às 13h, 15h15min, 17h45min, 20h e 22h15min (dublado), 21h15min (legendado) A Mula - às 13h15min, 16h, 18h30min e 21h Alita: Anjo de Combate - às 14h, 16h30min e 19h15min (dublado e em 3d), 22h (legendado e em 3d) Como Treinar seu Dragão 3 (dublado) - 14h15min, 16h45min e 19h Escape Room - às 18h45min Green Book: O Guia - às 21h45min Minha Vida em Marte - às 16h15min Sai de Baixo: O Filme - às 13h30min, 15h30min, 17h30min, 19h30min e 21h30min Uma Aventura Lego 2 (dublado) - às 13h50min Ingressos: nas salas tradicionais, segunda a quarta (exceto feriado) a R$ 23,00 e R$ 11,50 (meia); quinta (exceto feriado) a R$ 25,00 e R$ 11,50 (meia); sexta a domingo e feriado a R$ 26,00 e R$ 13,00 (meia). Nas salas 3d, segunda a quarta (exceto feriado) a R$ 29,00 e R$ 14,50 (meia); quinta (exceto feriado) a R$ 29,00 e R$ 15,00 (meia); sexta a domingo e feriado a R$ 32,00 e R$ 16,00 (meia).

Sala de Cinema Ulysses Geremia (Luiz Antunes, 312) Culpa - sexta a domingo às 19h30min Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (estudantes e sênior)

Estreias do fim de semana Veterano Clint Eastwood segue na ativa aos 88 anos, dirige e protagoniza “A Mula”, um drama baseado em fatos reais, anunciado como seu último trabalho como ator. Na esfera nacional, “Sai de Baixo: O Filme”, revive o sitcom de sucesso da TV Globo nos anos 90, e conta com a direção de Cris D’Amato e roteiro de Miguel Falabella


Inside

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

3

Música

Música clássica ao anoitecer Orquestra Sinfônica da UCS apresenta espetáculo em homenagem a Villa-Lobos na Matriz, terça, às 20h, com entrada franca Arquivo Jornal Informante

A

Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (OSUCS) está realizando apresentações na região de abrangência da instituição, e a próxima cidade a receber o concerto é Farroupilha. A Orquestra estará apresentando o projeto “130 Anos de Heitor Villa-Lobos: Um Índio de Casaca”, na terça, às 20h, na Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus, com entrada franca. O projeto viabilizado pela Lei Rouanet, já foi apresentado em Flores da Cunha, Nova Prata, Vacaria, Canela e Bento Gonçalves, sempre em performances gratuitas. Sob regência do maestro Manfredo Schmiedt, as apresentações contam também com a presença dos solistas Elisa Machado, soprano, e Alexandre Diel, violoncelista. O concerto homenageia o maestro e compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos. Ele foi considerado o maior expoente da música modernista no Brasil, compondo obras que contém nuances das culturas regionais, com elementos das canções populares e indígenas. Na data de seu nascimento, 5 de março, é celebrado o Dia Nacional da Música Clássica. Em 2017 foi celebrado seus 130 anos de nascimento, que deu origem ao projeto.

Programe-se O que: espetáculo “130 Anos de Heitor Villa-Lobos: um Índio de Casaca” da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (OSUCS) Quando: próxima terça, às 20h Onde: Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus Quanto: entrada franca

Noite de gala OSUCS retorna à Igreja Matriz para uma apresentação especial na próxima terça


Inside

4

Crônicas da Redação Ramon Cardoso

ramon@jornalinformante.com.br

Existe um País onde a violência é banalizada, vira pano de fundo do noticiário a ponto de não impressionar mais ninguém. Neste mesmo País, que não vive uma guerra civil, ao menos não uma declarada, são registrados 60 mil assassinatos por ano. Neste mesmo País, há pouco mais de 11 anos, em 2007, nascia um herói. Para muitos, mais que isso: um ícone, um mito. O Capitão Roberto Nascimento nasceu na ficção, nas telonas, mas como estamos no Brasil, ele foi visto em DVDs piratas, mas isso apenas ajudou a potencializar o impacto de seu comportamento. O Cinema tem essas particularidades, de elevar personagens a outros patamares. Diferente de Don Vito Corleone, encarnado com maestria por Marlon Brando, ou de Hannibal Lecter, na atuação assustadora de Anthony Hopkins, o ícone brasileiro não comandava a Cosa Nostra com seus tentáculos criminosos se alastrando por Nova Iorque, tampouco assassinava suas vítimas para servi-las em pratos da alta gastronomia. O herói nacional era um apelo da sociedade de bem, um grito desesperado por socorro. Embora também venerados, Corleone e Lecter atendiam a seus próprios interesses, seja enriquecendo o clã em uma Nova Iorque cada vez mais próspera pós II Guerra Mundial, seja melhorando ainda mais a qualidade da talentosa Orquestra Sinfônica de Baltimore. Com Nascimento era muito diferente. O Capitão era um dos nossos, já que ele atendia ao anseio e interesse da esmagadora maioria da sociedade brasileira. Essa sociedade que foi assaltada, em todos os sentidos possíveis e imagináveis, pela quadrilha da esquerda que, por uma década e meia, defendeu criminosos e criminalizou a polícia. Essa sociedade que acorda cedo para trabalhar ou para procurar emprego, que anda a pé por vielas e ruas escuras, e que tem plena consciência que pode perder a vida por um celular ou por R$ 20,00. Essa sociedade que sabe que ingressar no mundo do crime é uma escolha, uma opção e está longe de ser o único caminho. Essa sociedade que acha, sim, que bandido bom é bandido morto, por um motivo muito simples: essa sociedade está cansada de enterrar seus filhos, esposas, maridos, irmãos, pais, amigos. Essa sociedade precisa de Capitães Nascimentos, não de Wagners Mouras, o ator que conseguiu, desgraçadamente, arranhar a imagem de seu papel mais icônico, já que é impossível dissociar o personagem de quem o interpretou. Moura, mais uma vez, deu uma prova inequívoca de que não é Capitão Nascimento. Não é nem um aspira. Não passa de um moleque. O retumbante fracasso de “Marighella”, financiado via Lei Rouanet, no Festival de Berlim, no último sábado, é uma tragédia repleta de simbolismo. Foi no mesmo palco que Nascimento brilhou e “Tropa de Elite”, do genial José Padilha, levou o Urso de Ouro em 2008. Marighella, o guerrilheiro pé de chinelo, não era negro, mais foi interpretado por Seu Jorge. Um filme que é desonesto a partir do ator principal só podia mesmo levar um sonoro “pede pra sair” da Berlinale.

Agenda SEXTA

Divulgação

Capitão Nascimento para Wagner Moura: “Pede pra sair, moleque”

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Igor Guimarães e Thiago Oliveira Caverna Comedy Club (República, 445, subsolo), às 22h Encerramento Verão 2019 no Boteco Boteco do Chá (Rômulo Noro, 555), às 23h30min Pop Rock Retrô, Acústico tbt Live Yesterday Hits Armazém Retrô Pub (Guerino Tartarotti, 106), às 22h

SÁBADO Cara ou Coroa com Gio Lisboa e Thiago Oliveira Caverna Comedy Club (República, 445, subsolo), às 22h Encerramento Verão 2019 no Boteco: Parte 2 Boteco do Chá (Rômulo Noro, 555), às 23h30min Pré-Carnaval: Farra + Boteco Antonielle Farra Pizza Burguer (Júlio de Castilhos, 973), às 16h

Sertanejo com Gabriel Rech Armazém Retrô Pub (Guerino Tartarotti, 106), às 22h

DOMINGO

Me Leva Summer com Grupo sem Razão Favorita Beer Store (Ernesto Fetter, 18), às 18h


FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Inside

Bem-Estar

Arquivo Sesc

Sábado ocorre treino do Grupo de Corrida e Caminhada do Sesc aberto ao público

Oportunidade para se mexer Primeira atividade aberta do grupo do Sesc Farroupilha vai acontecer neste sábado, no cartão-postal do município

O

Paulo Roque Gasparetto prgasparetto@terra.com.br

Forma em dia no Parque

Parque dos Pinheiro vai receber o primeiro treino aberto do Grupo de Corrida e Caminhada da Academia do Serviço Social do Comércio (Sesc) de Farroupilha. A ação vai acontecer neste sábado, das 17h às 19h, e é gratuita. O evento é aberto ao público, sem restrição de idade, para que todos tenham a oportunidade de se exercitar, promovendo assim o bem-estar dos farroupilhenses. Para fazer parte basta chegar no horário agendado, sem necessidade de inscrição. “O treino começa com alongamento e circuito funcional e depois haverá a caminhada e corrida para quem quiser participar”, explica a professo-

5

ra Vera Lúvia Alves da Silva. Além de Vera, estarão no Parque o professor David Jonatan Cabral e o estagiário Rafael Rossetti. É interessante estar com roupa adequada para o treino, com uma garrafa de água, boné e protetor solar. Em caso de chuva o evento será cancelado. Mais informações pelo fone 3261-6526.

Programe-se O que: treino aberto do Grupo de Corrida e Caminhada do Sesc Farroupilha Quando: sábado, das 17h às 19h Onde: Parque dos Pinheiros Quanto: evento gratuito

Fraternidade e políticas públicas A Campanha da Fraternidade, realizada durante o período da Quaresma de 2019, vai chamar atenção sobre as políticas públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja. Mas afinal de contas o que são políticas públicas? São as ações discutidas, aprovadas e programadas para que todos os cidadãos possam ter vida digna. São soluções específicas para necessidades e problemas da sociedade. É a ação do Estado que busca garantir a segurança, a ordem, o bem-estar e a dignidade, por meio de ações baseadas no direito e na justiça. Segundo Pedrinho Guareschi, entende-se por Políticas Públicas “o conjunto de ações coletivas voltadas para a garantia dos direitos sociais, configurando um compromisso público que visa dar conta de determinada demanda, em diversas áreas. Expressa a transformação daquilo que é do âmbito privado em ações coletivas no espaço público”. Assim, a política pública compreende um elenco de ações e procedimentos que visam à resolução pacífica de conflitos em torno da alocação de bens e recursos públicos, sendo os personagens envolvidos nesses conflitos denominados “atores políticos”. Neste sentido, a Campanha da Fraternidade deste ano chama atenção para a importância da participação das lideranças na elaboração e no monitoramento de políticas públicas. As comunidades devem ser um lugar do anúncio e denúncia de tudo que pode ferir a dignidade das pessoas, especialmente daquelas que são privadas de seus direitos. É preciso conquistar políticas sociais (públicas) que garantam uma vida digna aos pobres, ou seja, formas de construir a vida dos cidadãos. Quando olhamos para Jesus, percebemos que em sua vida ensinou ao povo do seu tempo a justiça, o amor e a fraternidade, aliviou o sofrimento. Jesus, o libertador, soube se compadecer dos pobres, e a igreja, por sua vez, acolhendo o mandato de seu Senhor, também procura seguir as mesmas pegadas, para promover a justiça em nossa sociedade. Este ano, a Campanha da Fraternidade terá início em todo o País no dia 6 de março. Com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Serás Libertado pelo Direito e pela Justiça”. Uma novidade é de que as Edições da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), disponibilizou a playlist com todas as músicas para as celebrações litúrgicas. O material pode ser acessado nas principais plataformas digitais: iTunes, Spotify, YouTube e SoundCloud. * Pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e doutor em Comunicação


D

Multifotos Studio

Diego Frigo

Anselmi em Milão

iretora criativa e estilista da Malharia Anselmi, Sandra Anselmi está na Itália para acompanhar a Semana de Moda de Milão. Além de gerar conteúdo para a grife farroupilhense, ela encontrou-se com a influenciadora de estilo Consuelo Blocker, filha da empresária e consultora de moda Costanza Pascolato, um dos nomes mais influentes e respeitados do segmento. A dupla vai mapear tendências europeias que serão destaque em 2019.

Cristiane Giacomini comemorou sua formatura em Odontologia, no último sábado. Recebeu amigos e familiares no Clube do Comércio com decoração e buffet de Dirceu Dalla Riva e organização da D&C Eventos

Pré-Carnaval

Neste sábado, a partir das 16h, ocorre o Pré-Carnaval no Farra Pizza Burger (Júlio de Castilhos, 973, Centro). Atrações com a Banda Dukaramba e Grupo Tombayê. O evento conta com o apoio do Boteco Antonielle e terá decoração especial, chopp e pizzas.

Bloco da Velha

Lidiane Pes

Foliões estão em contagem regressiva para o maior Carnaval da Serra Gaúcha. O Bloco da Velha, que neste ano fará homenagem a Cartola, ocorre nos dias 3 e 5 de março, na rua Dom José Barea, entre a Andrade Neves e a 13 de Maio, no bairro Exposição, em Caxias do Sul. O agito começa às 14h no domingo e às 15h na terça e se estende até às 22h. A entrada é franca.

Fique por Dentro Domingo+Arte

Arquivo Pessoal

O projeto promovido pelo Sesc, adia mau tempo há duas semanas, finalmen Cinquentenário. A ação dominical, que tralizar a cultura, acontece na rua Augu bach, 76, no pátio e quadra da Escol a partir das 15h30min. Entre as atraçõ o espetáculo musical com Paloma & M franca. Não vá ficar de fora!

Monja Coen

O primeiro lote de ingressos para a p na segunda e se estende até o dia 30 de R$ 35,00 para quem conta com ca R$ 40,00 para empresários e R$ 45,00 em geral. Mais informações no Sesc Fa de promotora do evento, pelo fone (54)

Aline Caron e Juliano Dal Ponte curtem férias na Tailândia

Ao ar livre

Proprietária da Candy Eventos, Djéssica Batisti celebrou, em seu estabelecimento, a formatura em Biblioteconomia pela UCS

Nesta sexta acontece a 10ª edição Estrelas, em Bento Gonçalves. O even Herny Hugo Dreher e na avenida Pla mais de 100 estabelecimentos, das 1 entrada para o evento é franca e o trân será interrompido às 16h30min.


Pâmela Pasuch Nicolini comemorou, ao lado de familiares e amigos, festa de formatura em Gestão de Recurso Humanos pela UCS, em celebração que ocorreu no Restaurante Morada do Sabor

ado em virtude do nte chega ao bairro pretende descenusto Lino Breitemla Cinquentenário, ões principais está Miqüi. A entrada é

palestra foi aberto de março no valor artão Sesc/Senac, 0 para comunidade arroupilha, entida) 3261-6526.

o do Jantar sob as nto ocorre na rua analto, vai reunir 19h30min à 1h. A nsito nas duas vias

Diego Frigo

Bruna Pacini reuniu amigos e familiares para sua formatura em Administração de Empresas na última sexta, no Parque dos Pinheiros. O DJ Cris Pacheco animou a pista até altas horas. A recepção e cerimonial esteve a cargo de Denise Balbinot Colombo


Inside

8

Fabrício Oliboni fabrioliboni@gmail.com

Ser crítico

* Agente de intercâmbio e bacharel em Relações Internacionais

Primeiro Parágrafo

Empoderamento feminino em estado puro Best-seller de escritora americana, “O Rouxinol” é homenagem às mulheres e a sua capacidade de resistência e sobrevivência na II Guerra Mundial Sirlei Cardoso Masiero Especial para o Jornal Informante

“O

Rouxinol”, da escritora americana Kristin Hannah, permaneceu por 6 meses como o mais vendido na tradicional lista do The New York Times. Tem como cenário a invasão de soldados alemães na pequena cidade de Carriveau, na França, em 1939, durante a II Guerra Mundial. O diferencial é que traz como protagonistas duas mulheres, duas irmãs, que tentam sobreviver à guerra, cada uma do seu jeito. Interessante o fato de que são duas francesas não judias e de como sofreram com a dominação da França pelos nazistas. O comum é ler sobre o sofrimento do povo judeu. As duas irmãs assumem papeis distintos durante a guerra. Vianne luta para manter a família unida, enquanto espera o regresso do marido. Quando um oficial das tropas de Hitler requisita

Imagem: Reprodução

A crítica tende a ter um aspecto negativo para a maioria. Tem a crítica que é somente isso mesmo, uma forma de apontar erros e defeitos de forma escrita ou verbal, criticando simplesmente algo, independente de motivos. Aí tem a crítica construtiva, que aponta erros, mas voltados para que estes sejam corrigidos, passados em um tom diferente, visando a melhora e frequentemente acompanhado de soluções, ou apenas dicas de como reverter as causas da crítica. E também tem a crítica de alguma obra, como cinema, teatro, música, literatura, etc., que faz uma análise de algo, que pode ser positiva ou negativa, então nesse ponto a palavra crítica tem um outro significado. Acredito que no parágrafo acima falei das três formas que a palavra crítica pode ser usada. Se faltou algo, azar do goleiro, e talvez em alguns anos eu faça outra coluna atualizada sobre o assunto. Seguimos. Bom, em tempos onde qualquer opinião necessita vir anexada de uma longa explicação, reflexo do politicamente correto que tomou conta de tudo, ser crítico em relação às coisas pode significar muita coisa. O que mais se tem visto é a crítica pela crítica, a parte de xingar mesmo, onde nada tá certo e desagradar alguém é um crime, independente das intenções e, principalmente da interpretação (falta de) na maioria dos casos. É fácil criticar. Talvez seja engraçado em alguns casos, no caso de uma piada, mas aí já diferencia bastante, onde fica nítido se foi apenas um gracejo ou algo ofensivo. Mas na grande maioria das vezes não leva a nada. Não passa de um ataque gratuito, não ajuda em nada. Já a crítica construtiva é algo que faz bastante falta hoje. Vejo como sempre válida, principalmente quando se tem “tato”, se sabe passar isso deixando claro que a intenção é ajudar. Por incrível que pareça, não é para todos. Mesmo que o intuito seja positivo, tem muita gente que não sai da defensiva e sempre tem um “peraí, mas...”, há algo que discorda, não gosta e por aí vai. Ouvir mais, compreender mais, assimilar mais e pensar um pouco antes de falar fariam uma diferença gigante hoje. Para melhor. Da crítica na questão de obras literárias, cinema, música, séries, arte, etc., não tem muito o que falar não, o recado era mais em favor da crítica construtiva e menos da crítica por criticar mesmo. Então é isso e ficamos no aguardo das críticas.

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019


FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Inside

9

Primeiro Parágrafo sua casa, ela e sua filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente todos os seus movimentos são vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis. Precisa colaborar com os nazistas para manter sua família viva. Essa personagem é dona de uma grande propriedade e tem, como sua maior riqueza, uma horta. A escritora relata o sentimento dessa personagem que vê sua casa e sua vida invadida, saqueada e dominada por um comandante alemão e vê também sua filha crescer com fome e dor. Vianne, no início da história, é uma mulher temerosa e capaz de tudo para não irritar os alemães, mas com o passar dos anos vai mostrando, à sua maneira, sua força. Rouxinol, codinome da irmã Isabelle, é a revolucionária, que trabalha às escondidas, auxiliando os perseguidos pelo governo de Hitler. É uma jovem corajosa e até inconsequente, mergulhando em missões perigosas. Vianne e Isabelle são personagens incríveis. A autora trabalhou muito bem com a personalidade de cada uma e o processo de amadurecimento pelo qual elas passam. A narrativa é feita em 3ª pessoa com capítulos que se alternam entre as irmãs. Alguns capítulos são narrados em 1ª pessoa, no tempo presente da trama por uma personagem identificada apenas no final do livro. Essa personagem conta a história de duas irmãs, ela é uma delas, mas no início não revela qual. A trajetória, seguida pelas duas mulheres,

Dolores Maggioni doloresmaggioni@terra.com.br

desvenda o lado esquecido da história. O Rouxinol é uma narrativa que celebra o espírito humano e a força das mulheres que travaram batalhas diárias longe do front. Separadas pelas circunstâncias, diferentes em seus ideais e distanciadas por suas experiências, as duas irmãs têm um penoso destino em comum. Precisam proteger aqueles que amam em meio à devastação da guerra e pagam um preço alto por seus atos de heroísmo. Divulgação

O Rouxinol Autor: Kristin Hannah Gênero: Romance Literatura Americana Ano de publicação: 2015 Editora: Arqueiro Nº de páginas: 432 Preço médio: R$ 35,00

Bastidores Altamente premiada, escritora californiana Kristin Hannah mostra, em “O Rouxinol”, os horrores da II Guerra Mundial pela perspectiva dos civis, que não estavam no epicentro do conflito

Fazia-se o dia Na quarta página do caderno da infância, concebi o sol. Fazia-se o dia. Abro a manhã com o bastão mágico da ternura. Chove muito e a chuva guarda uma imagem de serpente e flauta. As franjas da chuva têm o sabor intenso e comovido de alegrias e tristezas. Sem sangrar machucaduras, sigo mendiga do milagre. Medito. Cuido a manhã como o borrifo cuida da roseira em dias de sol ardente, como alguém que, numa mistura de cores, busca o tom que possa colorir o que, entre a moldura, há muito tempo era em preto e branco. Eu hoje cancelo audiências com o inédito e inauguro um diálogo de amor com o belo esquecido. Hoje, eu visceral e íntegra roubo o arco-íris e teço o enredo como eu o quero. Liberto âncoras correnteza abaixo e atravesso toadas sem bússola ou salva-vidas. Movida pelo coração, sem juízo, perco o medo e exponho meus sentimentos, quase convencida que vejo uma flor naquilo que ainda é um botão. Retraio-me e reclamo ao coração, para que não me exponha a encantos descabidos. Mas ele, teimoso e impulsivo, se faz indiferente ao racional e continua focando a direção do olhar no que lhe descompassa, fragiliza e me arremessa à urgência de quem procura matar a sede em tempos de águas secas. Eu hoje, astronauta não credenciado, piloto sem brevê, cancelo audiências com o inédito, inauguro um diálogo de amor com o belo esquecido e estilhaço o sono com estilingue de estrelas. Eu hoje me invento de poeta. Fotografo manhãs e versos para o álbum das memórias. Abro o picadeiro do circo cotidiano e sorrio na bêbada histeria do trem fantasma. Na revirada da montanha russa, o ingresso é franco. Eu hoje construo um barco imaginário para velejar na chuva e remo a imensidão sonho adentro... barcarola, raça anônima, velejo solitária pelo tempo deduzido em curador. É só um salto. Basta um pulo para velejar a aragem calma e sentir na boca o gosto das goiabas. Separo do meu corpo a alma, ciro os muros impostos do silêncio. Não esfacelo o peito em órbitas distantes... retorno o amor à pia batismal e busco copiar a fórmula da pétala. Como arlequim eu sonho e brinco de ser Deus. Lá fora, sob a intensidade desta chuva, flamboyants em flores, odores, gemidos de mãos aconchegadas me ensinam a alquimia de cruzar os oceanos num ritual pacífico. Eu hoje esbarro doçuras, aromas e sementes que o vento dedilha em ressonâncias... ostras, pássaros, borboletas, serpentinas, semibreves regem a vida com batutas de cristais. E a chuva cai... generosamente sobre cantos, brasas, ventres... tudo são asas. E eu... cirando aleluias num peito sem rubéola... desafio canastras aeróbicas e bingo... e guardo nos meus olhos o anúncio de um domingo. * Escritora


Inside

10

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Sétima Arte

Armstrong humanizado Diretor Damien Chazelle e roteirista Josh Singer focam longa em dramas pessoais e familiares do astronauta em “O Primeiro Homem”

“E

sse é um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade”. Uma das frases mais emblemáticas de todos os tempos está prestes a completar meio século. Foi em 20 de julho de 1969 que o astronauta Neil Armstrong, comandante da Apollo 11, proferiu a sentença que entrou para a história ao pisar em solo lunar e colocar os Estados Unidos à frente na corrida espacial. Comedido e avesso a aparições públicas, Armstrong teve parte de sua vida relatada na biografia “O Primeiro Homem”, de James Hansen. Se na obra literária o autor já havia humanizado o astronauta, a perspectiva foi ainda mais eviscerada no filme, que teve roteiro de Josh Singer (oscarizado ao lado de Tom McCarthy no ótimo Spotlight) e direção de Damien Chazelle (oscarizado por La La Land). Para o papel, o talentoso Ryan Gosling. O ator canadense teve mais uma atuação de impacto em uma carreira repleta de performances destacadas. Ele encarna o astronauta com maestria. Embora o filme esteja longe de ser uma obra-prima, a falta de indicação de Gosling ao Globo de Ouro e Oscar é de se estranhar. Aliás, o longa concorre apenas em categorias técnicas no Oscar e no Globo levou Trilha Sonora Original e concorreu a Atriz Coadjuvante com Claire Foy. Voltando à obra, no início dos anos 60, a Guer-

ra Fria vivia seu ápice e a demonstração de força e poder não ocorria apenas no arsenal militar de Estados Unidos e União Soviética, mas também no desenvolvimento de tecnologia de ponta, que era materializado na corrida espacial. Nela, os soviéticos estavam muito à frente e essa rivalidade fazia com que fossem empregados recursos ilimitados na Nasa, a Agência Espacial Americana. Entretanto, as seguidas conquistas soviéticas levantavam dúvidas sobre os valores gastos. O cenário doméstico era dos mais conturbados. Os Estados Unidos viviam o apogeu da segregação racial, tinham se embretado na Guerra do Vietnã, um conflito que não parava de contabilizar vítimas, e parte de sua população sequer tinha acesso a serviços básicos. Ou seja, sobravam recursos para guerras e desenvolvimento de tecnologia, mas faltava para geração de empregos, saúde e segurança pública. Em 13 de agosto de 1962 foi lançado o projeto Gemini, que foi idealizado para trabalhar nos avanços espaciais, um embrião que, no final da década, levaria o homem à Lua. Mas seu início não foi dos mais fáceis. Deke Slayton (Kyle Chandler) era o chefe do Programa Espacial Americano. Um dos primeiros astronautas estadunidenses, era ele que selecionava os habilitados a permitir que o projeto fosse à frente. Entre eles, estava Armstrong. Porém, nem de perto ele estava entre os mais capacitados e tampouco tinha pretensões de ser a estrela do grupo. Atormentado por um pesado drama familiar com o precoce falecimento de sua filha, Armstrong ganha um impulso para ficar ainda mais devotado à causa que defende e isso traz consequências trágicas para sua família, que é deixada de lado. Quem segura a barra é sua esposa Janet (Claire Foy), mas o envolvimento

visceral com o trabalho, aos poucos, lhe garante destaque entre o grupo. Os inúmeros insucessos do Gemini, que resultavam inclusive na morte de astronautas, tinham um impacto ainda maior para Armstrong, jogando-o praticamente em um luto permanente. Esse contexto humano está incrivelmente retratado no longa e na atuação de Gosling. Ele abraça todos os percalços e problemas e coloca a sua missão em primeiro lugar, como se fosse uma espécie de redenção para todos os dramas que enfrentou com a perda da filha e dos amigos mais próximos. A atenção de Chazelle não está propriamente na missão à Lua, mas em toda a preparação que envolveu o trabalho anterior à Apollo 11 e, fundamentalmente, nas mazelas que Armstrong teve de enfrentar e que não foram poucas. Evidente que o grau de tensão e angústia nos voos do astro-


FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

Inside

11

Sétima Arte Divulgação

Imagem: Reprodução

Título original First Man Título traduzido O Primeiro Homem nauta merece uma consideração especial. O mais incrível foi a forma como Armstrong absorveu a pesada carga e, embora seu foco aumentasse a cada novo revés, era nítido que necessitava de auxílio. Contudo, para ele a meta estabelecida era o que mais importava. Apenas o fim da obra é dedicado ao histórico voo tripulado da Apollo 11, com Armstrong, Buzz Aldrin (Corey Stoll) e Mike Collins (Lukas Haas), e se concentra tão somente na ida à Lua, sem retratar nada sobre o retorno do trio, que já aparece na Terra no período de quarentena. Mas esse é um filme que fala muito mais sobre o homem do que sobre o astronauta, o herói ou a missão em si. Armstrong tem sua vida exposta de maneira crua, algo que ele não queria em hipótese alguma, mas que aumenta ainda mais seu peso e representatividade na história.

Pronto para a missão Neil Armstrong (Ryan Gosling) é preparado para iniciar a jornada à Lua à frente da Apollo 11: um marco histórico que completa 50 anos em 2019

Material de apoio

Se há poucas imagens históricas retratadas na trama, nos extras elas aparecem a todo momento. Em pouco mais de 30 minutos, vários ícones destacam pontos específicos do longa, de inovações nas filmagens com um telão de Led, que muito facilitou a atuação dos atores, à incursão pela Nasa. O material também conta com depoimento do autor da biografia de Armstrong, de seus filhos Rick e Mark, do diretor, roteirista, elenco e equipe de produção. Ainda há a opção de conferir cenas excluídas e a obra comentada por Chazelle, Singer e pelo montador Tom Cross.

Direção Damien Chazelle Roteiro Josh Singer Gênero Drama Duração 141 minutos País Estados Unidos Ano de produção 2018 Estúdio DreamWorks Distribuição Universal Pictures


12

Horóscopo Áries - 21/03 a 20/04

O seu maior aprendizado na semana é aprender a lidar com o outro. As relações sociais são tocadas consideravelmente e pedem de você maiores habilidades nessa troca. É tocada uma pessoa importante para o seu desenvolvimento e cura pessoal.

Touro - 21/04 a 20/05

Para obter a liberdade que almeja no trabalho, a solução está na flexibilidade e na arte de se relacionar. Seja amável, cooperativo e cordial. Busque entender as relações de trabalho, colocando-se no lugar do outro.

Gêmeos - 21/05 a 20/06

Semana ótima para desenvolver as suas capacidades e talentos. O campo afetivo é aberto e lhe proporciona movimentos harmônicos e equilibrados com a pessoa amada. O autoconhecimento é mais indicado do que a espera pelo reconhecimento externo.

Câncer - 21/06 a 20/07

É uma semana para entender as relações familiares com particularidades que agregam o seu crescimento. Seja harmônico e equilibre as relações para que consiga seguir com os seus planos futuros. Há cura entre as pessoas.

Leão - 21/07 a 22/08

É importante se relacionar com as pessoas próximas de uma forma mais harmônica. O céu favorece o movimento das ideias e o deixa mais aberto a expressar o que pensa com a pessoa amada e, assim, ativar uma cura entre vocês.

Vírgem - 23/08 a 22/09

Seja flexível para lidar com os assuntos financeiros. As relações profissionais podem acionar novas oportunidades de trabalho e também negociações favoráveis para o seu desenvolvimento profissional. Um novo olhar para a sua vocação se faz necessário.

Libra - 23/09 a 22/10

É importante olhar para você e analisar as mudanças pelas quais passou e que lhe trouxeram para este momento atual. Veja o quanto cresceu e o quanto a vida vem lhe ofertando novos caminhos. Acima de tudo, seja você mesmo, livre e autêntico.

Escorpião - 23/10 a 21/11

É uma semana para silenciar e avaliar os seus sentimentos. A forma de se relacionar com as pessoas em geral, e principalmente no seu próprio relacionamento, ativa vários questionamentos necessários para o seu amadurecimento emocional.

Sagitário - 22/11 a 21/12

As relações com os amigos vêm passando por mudanças necessárias de cura e reciclagem. É uma semana para examinar os projetos e a obtenção de melhor aproveitamento nessas trocas. Está aberto às parcerias e contato mais direto com clientes.

Capricórnio - 22/12 a 20/01

As relações com chefes ou com uma pessoa importante ficam mais evidentes e claras. É uma semana em que terá que se expor de alguma forma. Não evite essa troca. Seja harmônico, cooperativo e analise as propostas.

Aquário - 21/01 a 19/02

As relações com parentes ou mesmo com uma nova linha de pensamento vêm lhe trazendo curas e reflexões necessárias para o seu desenvolvimento. É uma semana para ampliar o seu campo de visão sobre a vida e os seus anseios.

Peixes - 20/02 a 20/03

É importante se relacionar com qualidade daqui para frente. As dificuldades podem prejudicar o seu desenvolvimento e tocar os seus recursos financeiros. Busque agir com equilíbrio e cooperatividade.

Inside

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019


FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

VENDO APARTAMENTOS com áreas privadas de 72m² no bairro são Luiz, próximo a Bigfer. Configurado de 02 quartos, 1 banheiro, sala de jantar e estar. Cozinha com churrasqueira, sacada ampla, cerâmica nas áreas frias e laminado nos quartos. Medidores individuais, espera para água quente. Esquadrias em alumínio. Com elevador e 1 box de garagem. Excelente localização e ótima posição solar. Prédio com 4 andares em faze de acabamento. Valores a partir de R$ 240.000,00. Vendas direto com proprietário. Whats: 9 8135.8555. VENDE-SE TERRENO, plano, medindo 50m² X 14m², localizado na Linha Paese, com poço artesiano, luz e acesso a internet. Apenas 100 metros do asfalto e com entrada particular. OPORTUNIDADE ÚNICA. Ligue: (54) 9 9941.7541, (54) 9 9627.7537 ou Whats (54) 9 9191.8892. VENDO TERRENO de esquina com 1.377m² a uma quadra da rodoviária e do Shopping Centro de compras. F. 9 9118.1642. VENDO TERRENO e casa no Litoral, localização central em Arroio do Sal, somente duas quadras do mar. F. 9 9118.1642.


2

FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019


FARROUPILHA, 22 DE FEVEREIRO DE 2019

3

VENDO terreno de Cooperativa já com área comprada. R$25.000,00 F.: 9 9118.1642. VENDO CASA MISTA localizada no Bairro Pio X, (a mesma já está alugada através de imobiliária por R$1.500,00). Tratar: (54) 9 9118 1642. CRÉDITO DE IMÓVEL LIBERADO R$ 170.000,00 com 7 pagas de R$ 1.222,74, estudo carro como entrada: compra/ reformas/rural ou capital de giro. Telefone: (51) 3597-1474 ou (51) 99739-6368. CRÉDITO DE IMÓVEL LIBERADO R$ 285.532,50 com 10 pagas de R$ 1.935,28, estudo carro como entrada: compra/ reforma/rural ou capital de giro. Telefone: (51) 3597-1474 ou (51) 99739-6368. CRÉDITO DE CAMINHÃO LIBERADO R$ 164.541,00 com 9 pagas de R$ 1.892,22, estudo troca. Telefone: (51) 3597-1474 ou (51) 99739-6368. CRÉDITO DE CAMINHÃO LIBERADO R$ 213.571,75 com 6 pagas de R$ 2.456,08, estudo troca. Telefone: (51) 3597-1474 ou (51) 99739-6368.


CRECI 23909 J


Profile for Informantef Informantef

Edição 576  

Edição 576  

Advertisement