Page 1

FARROUPILHA

|

ANO XI

| EDIÇÃO 548

| 27 DE JULHO DE 2018 |

R$ 3,00

Para fechar bons negócios Ramon Cardoso

José Carlos Trujillo, vice da Indústria, Vinícius Pessin, diretor do Núcleo de Desenvolvimento Anselmi foca no Sportwear SERC Brasil jogará Copinha Empresarial, e Daniel Bampi, presidente da CICS, Malharia farroupilhense lança nova Rubro-verde confirma participação na coleção direcionada à estação fria Wianey Carlet após oficializar parceria estão na linha de frente do 2º Business to Business Editoria de Economia, página 8, e Editorial Página 10 Página 15 ECONOMIA

ESPORTE


2

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

ESTADUAL FEMININO

Meninas rubro-verdes fazem estreia Time feminino da Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural Brasil participa pela primeira vez do campeonato estadual e inicia

Gauchão Feminino Grupo A (turno) 1ª rodada

X Domingo, às 11h Complexo do Sesc (Porto Alegre) 2ª rodada

X Dia 5, às 15h Castanheiras (Farroupilha) 3ª rodada - dia 12/08 (folga) 4ª rodada

X Dia 19/08, às 15h30min Bertholdo Christmann (Ijuí) 5ª rodada

X Dia 26/08, às 15h30min Castanheiras (Farroupilha)

Brasil Feminino

A

Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural (SERC) Brasil fará história neste domingo. Porém, desta vez com as mulheres. Às 11h, no Complexo Esportivo do Sesc, em Porto Alegre, as meninas rubro-verdes encaram o Internacional, atual campeão, na estreia do Brasil no Gauchão Feminino. “Nossa expectativa é a melhor possível. Trabalhamos forte, mesmo com todas as dificuldades. Estamos confiantes em fazer uma ótima competição. Para a estreia pegamos o Internacional, mas estamos totalmente confiantes para o jogo”, destacou o técnico Eder Vanzin. O Brasil está no Grupo A, que também conta com o Estrela, Ijuí e Palestra de Carazinho. “Pensamos jogo a jogo, mas vamos entrar para brigar pelo título. Se ele não vier, vamos aprender, pois é o nosso primeiro ano. Gostaria de pedir que os torcedores rubro-verdes e comunidade farroupilhense apoiem o futebol feminino. O projeto é muito bom e quem está envolvido nele tem muito amor pelo esporte”, ressaltou Eder. A estreia em casa é diante do Estrela, no próximo dia 5 (domingo), às 15h, no Estádio das Castanheiras. A convocação aos torcedores rubro-verdes também foi reforçada pelo


3

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

no Gauchão diante do Internacional disputa no domingo pela manhã encarando o atual campeão, fora de casa, no Complexo Esportivo do Sesc, em Porto Alegre Ramon Cardoso

presidente Elenir Bonetto. “O Brasil faz história com esse time. Pela primeira vez a agremiação disputa uma competição estadual no Feminino. É um trabalho que foi iniciado no ano passado e tem total apoio da direção do clube. Somos a única equipe da Serra a disputar o Gauchão e esperamos que todos apoiem o time e compareçam aos jogos nas Castanheiras”, conclamou o presidente do Brasil. O Gauchão Feminino é disputado por 10 equipes. No Grupo B estão Grêmio, atual vice-campeão, Black Show de Guaíba, João Emílio de Candiota, Oriente de Canoas e Rio Grande. Na fase classificatória as partidas ocorrem dentro de cada grupo, em turno e returno (veja jogos do rubro-verde ao lado). Ao final dela, os quatro primeiros se habilitam à fase de quartas de final (1º de A x 4º de B, 1º de B x 4º de A, 2º de A x 3º de B e 2º de B x 3º de A). A partir daí a competição estadual segue em mata-mata até a decisão. O time feminino do Brasil conta com o apoio da Cervejaria Favorita e Favorita Beer Store, Rede de Academias Spartan Gym, Atômica Comunicação Visual, DM Trabalhos em Pedras, Instituto Bordin (Odontologia, Nutrição e Coaching), Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude, e Boessio. Apronte para a estreia Na fria manhã de domingo equipe rubro-verde fez, nas Castanheiras, o penúltimo treino antes do pontapé inicial da competição estadual, que acontece domingo, em Porto Alegre, diante do Inter, atual campeão

Gauchão Feminino Grupo A (returno) 6ª rodada - dia 2/09 (folga) 7ª rodada

X Dia 9/09, às 16h Castanheiras (Farroupilha) 8ª rodada

X Dia 16/09, às 16h Paulo Coutinho (Carazinho) 9ª rodada

X Dia 23/09, às 16h Jardim do Cedro (Estrela) 10ª rodada

X Dia 30/09, às 16h Castanheiras (Farroupilha)


4

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Novas regras dos Bruno Boris *

A

resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), de nº 433, de 27 de junho de 2018, atualmente com efeitos suspensos em decorrência de decisão liminar da ministra Carmem Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), regulamenta os planos de saúde da modalidade coparticipação, além de tratar da modalidade de franquia. Importante deixar claro que o plano de saúde mensal não está sendo extinto, mas a ANS procurou esclarecer as regras da coparticipação, bem como permitir a modalidade de franquia, semelhante a um seguro padrão (seguro de veículo ou seguro residencial, por exemplo) com franquia mínima. Não gera surpresa que a resolução da ANS tenha causado movimentação de associações e órgãos de proteção e defesa do consumidor, pois como a saúde pública no País encontra-se em situação lamentável, é previsível que o brasileiro com mínimas condições procure socorrer-se de operadoras privadas de saúde, esperando obter atendimento à saúde com mais eficiência do que o paciente pode encontrar no segmento público. Mas ainda que as regras de coparticipação possam majorar a participação do segurado (como em 40% do valor do procedimento), o fato é que atualmente não há regra de limite na coparticipação, permitindo, em tese, percentuais superiores ao teto de 40% indicado na resolução suspensa. Em relação ao plano mediante franquia, não há muita diferença de

um seguro padrão de veículo, com franquia mínima. Esse tipo de plano pode ser interessante ao segurado que possuiu a perspectiva de usar pouco o plano. Logo, a opção da franquia pode ser mais interessante. Algumas entidades de proteção e defesa do consumidor afirmam que os planos mensais serão descontinuados, pelo interesse em migrar para os planos em coparticipação ou por franquia. De fato, talvez exista maior


5

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

planos de saúde Divulgação

migração para essas modalidades de planos, mas os planos mensais devem continuar, pois existem no mercado pessoas interessadas em arcar com um custo mensal elevado por uma cobertura maior. Apenas o tempo dirá como irá se comportar o mercado. Há o questionamento sobre o fato da resolução, de alguma forma, legislar sobre tema de viés constitucional (a saúde) e até mesmo criar regras que podem afetar a Lei 9.656/98, e

este ponto deve ser debatido judicialmente, mas seria interessante que a ANS tornasse o debate mais amplo a fim de orientar melhor o consumidor e também de ouvir especialistas da área, evitando diversos ruídos de informação num segmento de nítido interesse nacional. * Advogado e professor de Direito do Consumidor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas


6

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Para simplificar a negociação Filosofia de trabalho incorporada à rotina da nova direção da CICS, que assumiu a entidade de classe no início do ano passado, a visita a empresas revelou uma realidade que necessitava ser alterada. O pujante Setor Secundário da cidade dominava questões fundamentais, de gestão às técnicas de produção, mas não tinha a menor ideia no que a empresa vizinha trabalhava. E isso é particularmente prejudicial em um município que tem uma matriz econômica tão diversificada e horizontal quanto Farroupilha.

Reuniões começaram a ocorrer todas as terças à noite e o grupo sempre convidada um novo empresário para participar destes encontros. Estava lançada a semente que daria origem ao Business to Business, um evento muito simples, mas de grande utilidade. Nele, o empresário mostra o que produz e acaba conhecendo o que seus colegas produzem, trocam cartões e contatos, e conseguem, em muitos casos, fechar parcerias com um vizinho ao invés de buscar suprir sua necessidade com uma produção

de outro município, às vezes localizado em outro Estado. O fomento a essas relações comerciais e pessoais, de maneira simples, sem qualquer tipo de formalidade, acaba fortalecendo a economia local. A indústria farroupilhense produz praticamente tudo e estabelecer esse contato traz benefícios para quem vende, compra e, em última análise, para a própria cidade, já que o dinheiro acaba circulando aqui. A concorrida 2ª edição do Business to Business acontece na próxima

quarta, das 17h às 20h, na UCS Farroupilha (veja mais na Editoria de Economia, página 8). É mais uma ótima oportunidade para as empresas farroupilhenses mostrarem seu potencial, conversarem e encontrarem soluções para problemas comuns, isso sem falar na possibilidade de fechar bons negócios no futuro ou, quem sabe, até mesmo no local. Em tempos de crise e incertezas, a CICS cumpre seu papel e merece todos elogios pela iniciativa de estímulo ao desenvolvimento da economia.

OPINIÃO

Você acredita em sustentabilidade? Gleriani Ferreira * Para muitas pessoas a resposta é “não”. Um dos principais motivos para esta descrença está relacionado ao mau uso do conceito de sustentabilidade. Muitas empresas utilizam esta palavra de maneira indevida e isso prejudica o tema. Tais empresas fazem algumas ações capazes de ajudar poucas pessoas ou garantir uma pequena preservação ambiental e já se apresentam como empresas sustentáveis. Já existe um termo para isso: “greenwashing”, que significa uma espécie de maquiagem verde. O que determina se uma ação é grande ou pequena é o seu impacto no sentido de mitigar ou compensar possíveis danos que estejam sendo

causados como decorrência da operação daquela empresa. Nesse sentido, é comum encontrar relatórios de sustentabilidade que tratam de números absolutos sem mostrar sua representatividade no contexto geral. Por exemplo, um relatório menciona que a empresa utilizou 5.000 unidades de embalagens descartáveis, mas não informa o volume total de embalagens manuseadas. Sendo assim, é impossível mensurar a representatividade das embalagens recicladas dentro do contexto geral da empresa. Da mesma forma, há indícios de greenwashing quando uma empresa busca um reconhecimento sustentável, mas omite dados históricos que seriam capazes de demonstrar a evolução do consumo de água, energia

Índice

Editorial

Matéria Especial....................................... Páginas 2 e 3 Editorial e Opinião.................................. Página 6 Economia ..................................................... Páginas 8 e 10 Cidade .......................................................... Página 11 Política ....................................................... Página 12 Educação..................................................... Página 13 Esporte........................................................ Páginas 14 e 15

Inside

Especial ....................................................... Capa Cinemas ........................................................ Página 2 Pintura ........................................................ Página 3 Crônicas da Redação............................... Página 4 Agenda ......................................................... Página 4 Gastronomia .............................................. Página 5 Paulo Roque Gasparetto ....................... Página 5 Social ........................................................... Páginas 6 e 7 Fabrício Oliboni ....................................... Página 8 Primeiro Parágrafo................................. Páginas 8 e 9 Dolores Maggioni .................................... Página 9 Sétima Arte................................................. Páginas 10 e 11 Horóscopo ................................................. Contracapa Saúde, Beleza & Estética...................... 4 páginas Classificados .......................................... 8 páginas

ou algum outro recurso natural. Em se tratando de questões sociais, não relatar dados referentes à quantidade de mulheres em cargos de liderança ou a diferença salarial entre homens e mulheres são atitudes criticadas em função da facilidade para a obtenção destes dados. Nenhuma empresa pode alegar que não os possui. Então, se não reportam, estimulam uma desconfiança sobre o real motivo desta omissão. Certamente trata-se de um assunto delicado, mas que precisa ser discutido, inclusive para garantir o devido reconhecimento das empresas que empenham esforços para implementar e expandir as boas práticas sociais e ambientais. Assim como as ações de corrup-

Redação - redacao@jornalinformante.com.br Juliana Inês Casa Barbieri juliana@jornalinformante.com.br Ramon Cardoso ramon@jornalinformante.com.br Yasmin Signori Andrade yasmin@jornalinformante.com.br

Comercial-comercial@jornalinformante.com.br Camila de Lima Alves camila@jornalinformante.com.br Fabiano Luiz Gasperin gasperin@jornalinformante.com.br Maria da Graça Potricos Leite maria@jornalinformante.com.br Rafaella Anhaia Alvarenga comercial3@jornalinformante.com.br

Anúncios-anuncios@jornalinformante.com.br Marcelo Bortagaray Mello marcelo@jornalinformante.com.br Tiago Rodrigues da Silva tiago@jornalinformante.com.br

Financeiro-financeiro@jornalinformante.com.br Keli de Almeida Maciel keli@jornalinformante.com.br

ção encontradas na Lava Jato tornam o cidadão brasileiro descrente quanto à política brasileira, maus exemplos de empresas também prejudicam a imagem da sustentabilidade como um instrumento para transformação do futuro. É preciso empenhar esforços para um movimento contrário no sentido de explicitar boas ideias e bons exemplos que estão trazendo benefícios sociais, preservação ambiental e resultado econômico. Somente assim estaremos atendendo o tripé da sustentabilidade que envolve aspectos sociais, ambientais e econômicos. * Consultora e professora doutora da Universidade Presbiteriana Mackenzie Alphaville

Assinaturas-assinaturas@jornalinformante.com.br Assinatura Bienal: R$ 240,00 Assinatura Anual: R$ 140,00

Telefones (54) 3401-3200 / (54) 3401-3201 (54) 3401-3202 / (54) 3401-3203

Endereço Rua Dr. Jaime Romeu Rössler, 348, Bairro Planalto

Colunistas Crônicas da Redação Dolores Maggioni Egui Baldasso Fabrício Oliboni

Guilherme Macalossi Gustavo Pimentel Lauro Edson Da Cás Paulo Roque Gasparetto

A manifestação dos colunistas é livre e independente e não necessariamente reflete a opinião do Tabloide sobre os temas abordados nas colunas

@PaperInformante www.jornalinformante.com.br

/jornalinformante


8

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

PARCERIAS A CAMINHO

Regressiva para bons negócios 2ª edição do Business to Business da CICS acontece na próxima quarta, das 17h às 20h, na UCS Farroupilha

P

romovido pela CICS, o Business to Business surgiu no ano passado, com o propósito de dar visibilidade à cadeia produtiva farroupilhense de maneira bem simples e informal. Associados à CICS se reúnem e mostram o que produzem ou oferecem, seja no ramo da indústria, comércio, serviços ou até mesmo no agronegócio. “Quando eu assumi a CICS (no início de 2017) me comprometi a visitar as empresas e muitas não conheciam o vizinho, não sabiam no que a indústria ao lado trabalhava ou o que produzia. Acho que é sempre bom fomentar relações comerciais locais e a função da CICS é de promover essa integração. Foi algo muito simples, mas um sucesso tão grande que estamos agora na 2ª edição, que vai ser ainda maior”, aposta Daniel Bampi, presidente da CICS. Ele destacou que muitos bons negócios foram formalizados até mesmo no dia do evento, que ocorreu em novembro passado, no Restaurante do Parque dos Pinheiros. Bampi relatou satisfação em oportunizar aos empresários esse contato e ofertar essa visibilidade. Em muitas visitas, o presidente foi acompanhado por José Carlos Trujillo, vice da Indústria. “Nessas visitas percebemos que as pessoas não se conheciam. Formamos um grupo que se reunia às terças à noite e sempre solicitávamos que os associa-

dos levassem mais um empresário no encontro. Muitos também não conheciam o que a CICS oferecia e cabia à entidade mostrar o que oferece ao associado. Quem mais precisa fazer uso da entidade são as pequenas e micro empresas”, salientou Trujillo. Esse foi o embrião que deu origem ao Business to Business. “Os problemas geralmente são comuns, as dificuldades são as mesmas. Então, a meta foi de criar um espaço para troca de ideias, sugestões e, claro, para formalizar bons negócios de maneira muito informal, sem custo ou perda de tempo e com objetividade. O propósito foi de colocar a cadeia produtiva da cidade em contato e o sucesso da edição inaugural muito se deve a esse direcionamento”, destacou Vinícius Pessin, diretor do Núcleo de Desenvolvimento Empresarial da CICS. A 2ª edição do Business to Business acontece na próxima quarta, das 17h às 20h, no Auditório da UCS Farroupilha (Rodovia dos Romeiros, 567). Estão habilitados a expor seus produtos e serviços os associados da CICS. Quem é associado, ainda não está inscrito e deseja expor pode fazer contato com a entidade de classe pelo fone 3261-3460. Vale destacar que o evento é aberto à comunidade, tanto para o público em geral como para os empresários. O ótimo resultado do evento inaugural fez com que instituições financeiras, universidade e inte-

grantes do Sistema S manifestassem interesse em participar. Por conta disso, a novidade deste ano é que uma série de palestras também acontece de maneira paralela ao evento (veja abaixo). O patrocínio é do Sicredi, Universidade de Caxias do Sul, Gosto Caseiro e Casa Perini.

Programe-se O que: 2º Business to Business Quando: próxima quarta, das 17h às 20h Onde: UCS Farroupilha (Rod. dos Romeiros, 567) Quanto: entrada franca

Palestras paralelas ao evento

17h30min: “Cenários Econômicos Para 2019”, com a doutora Maria Rosa Gullo 18h30min: “Marcas de Sucesso Vendem Preço ou Experiência”, com Paulo Kendzerski, do Instituto da Transformação Digital 19h30min: “Pensar Grande, Começar Pequeno”, com Celso Martins, executivo internacional com experiência em exportação de produtos gaúchos para mais de 60 Países 20h: Banco do Brasil e Exporta RS: opções de financiamento e dicas de incentivos do governo do Estado


10

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Inverno de conforto e praticidade com a linha Sportwear da Anselmi Novidade da grife farroupilhense é ideal para a estação fria e focada no bem-estar

A

propriada para a estação fria, a coleção Sportwear da Malharia Anselmi é a novidade da marca para o inverno. Atenta às novas tendências, a grife farroupilhense aposta em um estilo mais despojado, conciliando bem-estar e conforto na medida certa e com uma linha que pode ser usada no cotidiano, seja no trabalho ou até mesmo para sair. Para que a coleção não fique restrita a ambientes caseiros ou informais, os designers de moda criaram peças sofisticadas, abusando de tecidos em malha, elastano, algodão e que ganham estampas e modelagens que

vão do clássico ao moderno, consagrando o estilo Sportwear e fazendo com que ele seja incorporado naturalmente ao guarda-roupa. O grande destaque da coleção é o combo tricot, calça e tênis. O calçado é produzido em malha e conta com um solado leve e macio, tão fácil de vestir quanto uma meia, já que não possui cadarço. As calças, confeccionadas com fios 100% algodão mescla, garantem total liberdade para os movimentos e um look muito mais moderno e prático. Os tecidos utilizados são de origem vegetal, com produção mais limpa e sustentável. A textura macia e delicada do algodão não agride a pele e sua

fibra tem ótima respirabilidade, facilitando a transpiração e permitindo, desta forma, que a mesma peça possa ser usada em diferentes estações. Além disso, os tecidos 100% algodão são resistentes às lavagens e ao ferro de passar, garantindo uma peça bonita e nova por muito mais tempo.

Look completo Coleção, que preza pelo conforto e sobriedade, pode ser incorporada facilmente à rotina diária

Patrícia Anselmi

BEM À VONTADE


11

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Varal solidário

Gesto de compaixão Yasmin Signori Andrade

CFC promove em Farroupilha projeto “Doar Aquece a Alma do Doador”

Generosidade que contagia Parte da equipe do CFC que contribui com doações e organização do varal solidário

A

o frio começou. Os clientes e pessoas que passavam e viam a ação se interessaram e começaram a se mobilizar, doando parte de roupas que

não faziam mais uso. O gesto simples que pode fazer toda a diferença na vida de alguém se estende até o final do inverno.

Alguém quer me adotar? A pequena pinscher chamada Princesinha está em busca de um lar. Tem 3 anos e não fica sozinha em casa. Informações para adoção pelo fone 999.515.440 ou pelo 981.663.349 (WhatsApp) Importante: A ONG dos Peludos informa que não serão doados cães para ficarem presos em correntes.

Obituário O material não foi enviado pelo Memorial São José até o fechamento desta Edição.

ONG dos Peludos

ação já acontece há três anos no Centro de Formação de Condutores (CFC) de Caxias e, pela primeira vez, Farroupilha recebeu a iniciativa. A mensagem do varal solidário é clara: “Se precisar pegue, se não precisar doe”. O varal está em frente ao estabelecimento, que fica localizado na Avenida Santa Rita, 65, Centro. Percebendo que existiam pessoas necessitadas de roupas para se aquecer no inverno, os funcionários do CFC, junto com a diretora Natalina Silvestrin, se uniram e colocaram algumas roupas para doação logo que


12

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

RELATÓRIO DO APRENDIZADO

Uma aula sobre cultura do kiwi Jovens farroupilhenses que fizeram intercâmbio em Latina, na Itália, relatam resultado da viagem no Legislativo

F

oram apenas 30 dias, mas de muito conhecimento. Bruno Girelli (engenheiro agrônomo), Edevilson Pozza (engenheiro agrônomo), Edgar Antônio Dal Pizzol (técnico em Agropecuária), Fernando Miguel Regalin (enólogo) e Júnior Marchet (tecnólogo em Horticultura), aprovados em seleção promovida pelo Executivo, apresentaram, na segunda, na Casa Legislativa Lidovino Antônio Fanton, o resultado do breve intercâmbio realizado em Latina, na Itália, do início de junho ao início deste mês, especialmente voltado ao aprendizado sobre a cultura do kiwi, a principal da cidade irmã farroupilhense. O convite para a exposição da viagem partiu do vereador Fabiano André Piccoli (PT). De maneira muito didática, o quinteto se revezou para explicar como foi a atividade desenvolvida no município italiano, onde trabalharam em uma propriedade que tinha o kiwi como principal cultura, mostrando da-

Cultura ameaçada em Farroupilha Ano

2008 2011 2014 2016 2017

Área plantada (em hectares) 120 130 120 95 95

Colheita (em toneladas) 1,8 mil 2 mil 1,35 mil 500 1,52 mil

Produtores 120 85 80 80 80

Fonte: Emater Farroupilha

dos que reforçavam as informações prestadas aos vereadores. O que mais chamou a atenção dos jovens foi o avanço tecnológico e as técnicas que envolvem a produção do kiwi. “Estamos no mínimo 40 anos atrás em termos de manejo do solo, técnica e produção”, salientou Fernando. Acometida por um fungo, a cultura teve um decréscimo expressivo de sua produção no País e em Farroupilha, que era a principal produtora da fruta. O quinteto destacou que, com manejo adequado, é possível reverter o quadro e tornar novamente o kiwi uma cultura forte na fruticultura. Relataram que na

Itália o problema é muito mais sério, já que os kiwizeiros foram afetados por uma bacteriose, mas que mesmo assim foram buscadas alternativas para enfrentar e superar o problema. “Em Latina eles possuem variedades novas de kiwi. Produzidas a partir de um manejo correto, em atmosfera controlada (câmaras frias), a fruta tem seu tempo de consumo estendido para até 11 meses”, relatou Júnior. Ele, ao lado de Fernando e Edevilson conseguiram, junto à empresa Ocmea Pennacchi, de Latina, duas máquinas que fazem polinização e recolhimento de pólen. Para isso, o trio criou uma em-

presa, a Kiwi Brasil, para realizar a importação. O trio ficou responsável pelos custos de transporte do maquinário e o processo já está a caminho. A Ocmea, que trabalha com a importação de máquinas, demonstrou interesse em acessar o mercado brasileiro. Além de esclarecerem dúvidas dos vereadores, os jovens farroupilhenses também se colocaram à disposição para transmitir os conhecimentos que aprenderam no curto período em solo italiano para os agricultores que trabalham com o kiwi. Ações neste sentido devem ser viabilizadas por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural, que viabilizou o processo seletivo e ida do quinteto ao Velho Continente. A demanda doméstica é enorme, já que o Brasil importa cerca de 30 mil toneladas de kiwi. Farroupilha produz pouco mais de 1,5 mil atualmente (veja na tabela acima). Em 2006, no auge da cultura, a produção brasileira havia superado 4 mil toneladas, maior parte dela farroupilhense. Em Latina, a produção chega a 50 toneladas por hectare.


13

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Literatura

Período para se dedicar à leitura Com as férias escolares o número de leitores cresce na Biblioteca Pública Municipal e os projetos oferecidos se intensificam

yasmin@jornalinformante.com.br

C

om as férias escolares o tempo é maior, portanto, os leitores que vão até a Biblioteca Pública Municipal Olavo Bilac acabam usufruindo mais do espaço. Todos os projetos oferecidos continuam durante as férias com mais intensidade, entre eles a doação de livros para a comunidade nomeado “Prazer em Ler”, o troca-troca de livros “Troque Livros, Leia Sempre” e a contação de histórias infantis “Estação Leitura: Trilhando Histórias”, que acontece de segunda a sexta, das 10h às 11h e das 14h às 16h, independentemente do número de crianças e sem necessidade de agendamento.

“Percebe-se o aumento de crianças que vêm acompanhadas pelos pais. Tanto para fazer a leitura local, quanto para retirar livros” esclarece Magda Ganzer, funcionária da Biblioteca. Além disso, ela conta que muitas pessoas estão buscando materiais para estudar para o concurso da prefeitura, que acontece no dia 26 de agosto. A Olavo Bilac também recebeu algumas doações de livros por parte da comunidade como “Contagem Regressiva”, de Ken Follett, e “A Montanha”, de Lori Lansens, que já estão disponíveis no acervo. “Frequento diariamente a Biblioteca no período da manhã e da tarde para conferir os jornais e ler livros”, comenta Jamir Francisco Ruaro, leitor assíduo da Biblioteca que no momento está lendo “O Inocente”, de Harlan Coben. É possível acessar o acervo

Yasmin Signori Andrade

Yasmin Signori Andrade

pelo site biblioteca.farroupilha. rs.gov.br. A Olavo Bilac fica localizada na 13 de Maio, nº 10, Centro, e para se cadastrar é necessário documento com

foto, comprovante de endereço atualizado, doação de um livro de Literatura em bom estado e o cadastro de imagem para o sistema é feito na Biblioteca.

espaço de conhecimento O leitor Jamir desfruta da Biblioteca todos os dias: quem estiver em período de férias pode aproveitar para seguir seu exemplo


14

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Lamento também no rubro-verde

A notícia que abriu a semana foi de perplexidade e tristeza. Beto Campos, 54 anos, vítima de um infarto, faleceu em Santa Cruz do Sul. O técnico, campeão gaúcho no ano passado com o Novo Hamburgo, também foi atleta e teve uma ótima passagem pelo Brasil, no Gauchão de 1994. Apesar de estatura mediana, Beto era um centroavante clássico, com faro de gol, bom posicionamento na área e que também saía para buscar jogo. Ele ajudou o rubro-verde na grande campanha, que deixou o Brasil em 8º lugar entre 23 equipes que disputaram o estadual naquela temporada. Recentemente, em uma matéria do Globo Esporte, às vésperas da final do Gauchão do ano passado, Beto relembrou com carinho sua passagem pelas Castanheiras. A direção do rubro-verde postou uma justa nota de pesar em nome do clube.

Fotos: Divulgação

Relembrando Beto Campos citou passagem por Farroupilha como um dos pontos altos de sua carreira como atleta no Gauchão

Farroupilhenses ultramaratonistas

Neste mês, na cidade de Tijucas do Sul (PR), os farroupilhenses Vanessa Borsoi e Samuel Maikel Polli participaram e concluíram uma das provas mais difíceis de Ultramaratona Trail do Brasil: a Ultramaratona dos Perdidos, que tem uma distância de 45 quilômetros. A dupla fez a prova em 9h47min. O percurso é todo realizado em trilhas técnicas, com altimetria positiva de 2,9 mil metros e passou por trechos no Morro dos Perdidos (1.440 metros) e Morro do Araçatuba (1.675 metros), além de cachoeiras, travessias de rios, subidas e descidas íngremes, sem contar as paisagens de tirar o fôlego. Destaque para Vanessa que obteve a 5ª colocação no Feminino.

Grêmio São Luiz na Copa Brasil Sul

A equipe jogou a Copa Brasil Sul, disputada em Garibaldi, com quatro categorias: Sub-11, 13, 15 e 17. As três primeiras foram até a decisão da disputa com a AABG, conquistando três canecos. O Sub-11 e o Sub-15 venceram nos pênaltis por 4 a 2 após empate em 1 a 1. O Sub-13 triunfou por 2 a 1. O trio conquistou o título de maneira invicta. Já o time Sub-17 acabou ficando com o vice superado pela equipe do Vasco de Portão, por 1 a 0 na final.

Para contemplar Cenário espetacular é um plus da Ultramaratona dos Perdidos, disputada por Samuel e Vanessa, em cidade paranaense

Turchetto com Seleção em Acapulco

Atleta e professor da Academy of Martial Arts (Unidade Boa Forma de Artes Marciais), Yuri Turchetto esteve em Acapulco, no México, no último fim de semana, junto com a Seleção Brasileira de Arte Marcial Sambo, participando do Panamericano, que reuniu atletas de 25 Países. Ele conquistou o 3º lugar no Sambo Combat, na categoria 82 quilos. O foco agora está na preparação para a disputa do Mundial, que neste ano será realizado na Romênia.


15

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

NA COPINHA

Brasil na ativa no segundo semestre Rubro-verde alinhava últimos detalhes de parceria que viabilizará participação do clube na Copa Wianey Carlet nhamos uma parceria, que está prestes a ser oficializada. Mas tudo foi muito bem pensado e planejado com o Comitê Gestor ao longo das últimas semanas”, ressaltou Bonetto. Além do profissional, ainda existe uma vaga possibilidade da formação de um time Sub-19 para participar do estadual da categoria. Um grupo de investidores de São Paulo manifestou interesse em formalizar a acordo com o clube farroupilhense. Eles entrariam com o elenco e a comissão técnica e o Brasil ficaria responsável pela infraestrutura (alimentação, alojamento, transporte e locais de treinamento) e pelo setor administrativo com o Comitê Gestor. A Copinha contará com 22 equipes, divididas em três grupos regionalizados (veja ao lado), com jogos em turno e returno. No grupo do Brasil,

o B, que conta com sete times, os cinco primeiros avançam à 2ª fase. Elas juntam-se às seis classificadas do A e mais cinco do C. A partir daí a competição segue em mata-mata, de ida e volta, até a grande final. A tabela deve ser divulgada nos próximos dias. A última temporada que o rubro-verde atuou no segundo semestre foi em 2015.

Arquivo Jornal Informante

A

Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural (SERC) Brasil deve manter as atividades no segundo semestre. A diretoria confirmou a participação da equipe na Copa Wianey Carlet, que tem início previsto para o dia 12 de agosto e movimenta o futebol do interior até o final da temporada. “Estamos acertando os detalhes finais de uma parceria que viabilizará a participação do Brasil na competição estadual”, destacou o presidente Elenir Bonetto. Ele participou de Congresso Técnico da competição na segunda à tarde, na sede da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), em Porto Alegre. “Nossa ideia inicial sempre foi de manter as atividades do clube, só não tí-

Em atividade Presidente espera acertar detalhes finais da negociação nesta sexta

Copa Wianey Carlet Grupo A Atlético (Carazinho) Elite (Santo Ângelo) Gaúcho (Passo Fundo) Internacional (Sub-23) São Borja Soledade Três Passos Ypiranga (Erechim)

Grupo B SERC Brasil (Farroupilha) Avenida (Santa Cruz) Grêmio (Transição) Inter (Santa Maria) Lajeadense (Lajeado) Nova Prata Real (Capão da Canoa)

Grupo C Aimoré (São Leopoldo) Barra (Porto Alegre) Cruzeiro (Cachoeirinha) Farroupilha (Pelotas) Grêmio Bagé Pelotas São José (Porto Alegre)


Leitura nas férias Aula sobre kiwi na Câmara Yasmin Signori Andrade

Fotos: Ramon Cardoso

Jamir Ruaro aproveita o período para usufruir da Biblioteca Pública e valorizar a Literatura Editoria de Educação, página 13

Fernando Miguel Regalin, Edevilson Pozza, Bruno Girelli, Júnior Marchet e Edgar Dal Pizzol relataram, no Legislativo, intercâmbio feito em Latina Editoria de Política, página 12

SERC Brasil pronto para fazer história

Pela primeira vez clube participa do Gauchão Feminino e estreia acontece neste domingo, diante do atual campeão, o Internacional, no Complexo Esportivo do Sesc, em Porto Alegre Matéria Especial, páginas 2 e 3


Compromisso com a Cidade. Compromisso com você.

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

AmpAro

Banco Ortopédico desfalcado Projeto do Rotary Club de Farroupilha já beneficiou mais de 3,5 mil pessoas, porém, está com poucos equipamentos disponíveis pela falta de devolução de quem usufruiu e não necessita mais mesmos por parte dos usuários, que, por esquecimento ou outros motivos que não sabemos, não devolvem”, declara Jadriani Pellizza, que assumiu o cargo de presidente este ano e pretende dar continuidade aos projetos sociais da entidade. É preciso do apoio da comunidade para que o projeto dê certo. O apelo é para os pacientes que já estão reabilitados e não estiverem mais usufruindo dos equipamentos façam a devolução dos mesmos, para assim, poder ajudar quem está necessitando.

Yasmin Signori Andrade

O

Banco Ortopédico é uma das causas mais antigas da entidade e já beneficiou mais de 3,5 mil pessoas na comunidade. O Rotary Club já comprou mais de mil equipamentos para auxiliar quem está com problemas de saúde e locomoção, entre eles: cadeiras de rodas, andadores, muletas e tipoias, porém, estão sofrendo com a falta dos equipamentos. “Estão praticamente todos emprestados. Temos dificuldade na devolução dos

Se você quer doar

Se possui algum equipamento ortopédico que não faz mais uso, é possível doar para Rotary entrando em contato com Ivanir ou Nestor Colombo, pelos telefones 3268-8237 ou 3268-8223, ou levando diretamente o material para o Depósito da Colombo (José Achiles Colombo, nº 50).

Se você precisa de equipamento

É só ir até o Depósito da Colombo, preencher um formulário e, se o local contar com equipamento disponível, levar emprestado na mesma hora.

Assistência Cadeiras de rodas e outros equipamentos são oferecidos pelo Rotary Club para quem estiver necessitando


Compromisso com a Cidade. Compromisso com você.

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Corpo de verão se c Equipe Espaço da Beleza *

O

s dias frios já chegaram e a vontade de ficar embaixo da coberta é maior que tudo. Mas, para manter o corpo em dia, é necessário deixar a preguiça de lado, fazer exercícios físicos, se alimentar corretamente e ainda apostar em tratamentos estéticos que se tornam grandes aliados do corpo em dia. Preparamos para a estação mais fria tratamentos que vão aquecer sua autoestima, confira abaixo o casamento perfeito em tratamentos estéticos. * Ultrassom focado, aliado à radiofrequência: o ultrassom é um aparelho da área da estética muito procurado para tratamentos de celulite, fibroses, pós-cirúrgico, entre outros, porque promove oxigenação na pele, nutrição, vascularização resultando em uma pele mais bonita e sem ondulações. O aparelho possui ondas sonoras que ativam as moléculas por meio de vibração, ativando a circulação e preparando esse tecido para melhor receber tratamentos associados. A radiofrequência, por sua vez, remodela os contornos corporais, melhorando a qualidade da pele e flacidez. * Lipo Shock: o corpo recebe uma combinação de massomodelagem manual, cremes que promovem a ciclotermia (combinação de frio com calor simultâneo) e manta térmica. Neste processo indolor podemos tratar barriga, braços, pernas e bumbum. Esta técnica aumenta o metabolismo em até 300 vezes resultando em um gasto maior de energia e acelera o metabolismo daquela área, fazendo com que o organismo busque mais energia nas células que armazenam gordura. Ocorre então uma perda significativa de vários centímetros em poucas sessões.

Entre os benefícios estão * Vasodilatação (aumenta a ci * Aumenta a queima de gordu * Aumenta o metabolismo * Auxilia no combate de radic * Ajuda na permeação de ativ * Melhora a elasticidade da p * Ajuda na perda de peso * Ajuda a eliminar líquido * Promove relaxamento musc


Compromisso com a Cidade. Compromisso com você.

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

constrói no inverno

irculação e oxigenação do tecido) ura

cais livres e toxinas (efeito detox) vos aplicados no corpo pele

cular

Divulgação

Contagem regressiva Agora falta pouco. Agende sua avalição sem custo e comece seu projeto verão sem canga. * Espaço da Beleza Centro Estético Independência, 555 – Centro de Farroupilha Fone (54) 3268-5511 WhatsApp: 981.195.645 Fan Page: Espaço da Beleza


Compromisso com a Cidade. Compromisso com você.

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

ESTÉTICA BUCAL

Tratamento ortodôntico Quando é indicado o uso do aparelho? O uso do aparelho é indicado toda vez que for constatado, pelo cirurgião-dentista ou pelo paciente, um mau posicionamento dos dentes ou uma diferença entre as arcadas superior e inferior. Quais os exames que preciso para detectar esses problemas? O exame de rotina para ver se o paciente tem esses problemas é a pasta ortodôntica. Estas pastas contêm diversos exames que darão o diagnóstico preciso para que o ortodontista possa ter certeza do diagnóstico e, assim, planejar o seu tratamento. Qual é o tempo de duração do tratamento ortodôntico? Na verdade, não existe uma receita de bolo. O principal fator que irá determinar o tempo é a severidade do caso a ser tratado. Quanto mais complexo for, mais tempo levará. No entanto, é possível prever alguns cenários a partir de certas características. Em pacientes adultos com casos de extrações dentárias, por exemplo, o tratamento tende

a ser mais longo. Já nos mais jovens, quanto mais cedo for feita a intervenção, mais rapidamente se chegará ao resultado esperado. De um modo geral, pode se dizer que, em média, um tratamento ortodôntico dura 36 meses. Mas se forem obedecidos todos os protocolos para que seja eficaz e seguro. Pode se usar aparelho em qualquer idade? Não existe limite de idade para um tratamento ortodôntico. Basta que a saúde gengival esteja boa, sem perda óssea. Os dentes ficam estáveis por toda vida após o tratamento ortodôntico? Em muitos casos podem haver modificações nas posições dos dentes após a interrupção do uso dos aparelhos de contenções. Isto é devido às mudanças que ocorrem com o passar dos anos, com os ossos e músculos da face. O que acontece se problemas ortodônticos não forem tratados? Dentes mal posicionados podem facilitar o aparecimento de cáries, doenças gengivais, perda de osso ao redor dos dentes, alterações da fala e

Divulgação

Indiamara Rech *

problemas funcionais. Qual a diferença entre o tratamento de adultos e crianças/adolescentes? O adulto não apresenta mais crescimento ósseo, o que limita em alguns casos a correção total da má oclusão. * Cirurgiã Dentista (CRO 24.866)

Caso a caso Indiamara Rech esclarece que tratamento ortodôntico deve ser avaliado em seu particular, mas que pode resultar em muitos benefícios


Primeiro Parágrafo

“A Tradutora”, de Cristovão Tezza, fala muito sobre a necessidade de soltar amarras e se reinventar Páginas 8 e 9

Inside

Sétima Arte

Nos 90 anos de nascimento do cineasta Stanley Kubrick, os 50 anos do clássico “2001: Uma Odisseia no Espaço” Páginas 10 e 11

cultura da terra

Tradição com identidade comum A programação da 6ª edição do Farroupilha Bem Gaúcha será lançada na próxima terça, no Salão Nobre da Prefeitura identidade, será demonstrada por meio de música, dança, poesia, das vestimentas e da gastronomia no tradicional concurso artístico. O evento, que vai acontecer nos dias 14 a 23 de setembro, no Largo Carlos Fetter, junto ao Acampamento Farrapo, é uma realização da Prefeitura de Farroupilha por meio da Secretara de Turismo e Cultura, e conta com o patrocínio da Grendene, Freüden Bier, Silvestrin Frutas e Lojas Colombo. O apoio é do Di Capri Hotel, Fachini Extintores, Ferragem Debiasi, Vento Negro, Ecofar, Fachini Bebidas, Entidades Tradicionalistas e Brigada Militar. A produção cultural é da AM9 Produções.

Arquivo Jornal Informante

O

lançamento da 6ª Farroupilha Bem Gaúcha será feito na terça, às 19h, no Salão Nobre do Centro Administrativo Avelino Maggioni. Serão apresentados os grupos musicais que participarão do evento, os palestrantes que contarão a história gaúcha, os CTGs e os grupos que servirão a gastronomia típica. O tema “Argentina, Brasil e Uruguai: três pátrias gaúchas e uma só tradição” pretende mostrar que a miscigenação de nativos, imigrantes europeus e indígenas deu início ao modo de vida gaúcho. A união dos povos, da cultura e costumes dessas três nações, que compartilham da mesma

Programe-se O que: Lançamento do Farroupilha Bem Gaúcha 2018 Quando: próxima terça, às 19h Onde: Salão Nobre da Prefeitura (Praça da Emancipação, s/nº) Quanto: entrada franca

Grande participação No ano passado mais de 600 alunos se envolveram no concurso que é destaque na cidade


Inside

2

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Cinemas Imagens: Reprodução

Shopping Iguatemi (RST-453, quilômetro 3,5) Cinemas GNC 1: Uma Quase Dupla - às 14h30min, 16h45min, 18h40min e 20h45min GNC 2: Os Incríveis 2 (dublado) - às 13h45min e 19h15min GNC 2: Todo Dia - às 16h30min (dublado) e 21h45min (legendado) GNC 3: Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas (dublado) - às 13h30min, 15h30min e 19h40min GNC 3: Arranha-Céu: Coragem sem Limite - às 17h30min GNC 3: Jurassic World: Reino Ameaçado - às 21h40min GNC 4: Os Incríveis (dublado e em 3d) - às 13h20min, 16h e 18h50min GNC 4: Homem-Formiga e a Vespa (em 3d) - às 21h30min GNC 5: Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas (dublado e em 3d) - às 13h10min, 15h10min e 17h10min GNC 5: Missão Impossível: Efeito Fallout - às 19h10min (dublado e em 3d) e 22h (legendado e em 3d) GNC 6: Missão Impossível: Efeito Fallout - às 13h e 21h50min (dublado), 16h e 19h (legendado) Ingressos: segunda e quinta (exceto feriado e Carnaval) a R$ 22,00 e R$ 28,00 (salas 3d); terça e quartas (exceto feriado e Carnaval) todos pagam meia entrada; sexta a domingo e feriado a R$ 26,00 e R$ 32,00 (salas 3d). Meia entrada todos os dias para menores de 18 anos e maiores de 60 (mediante apresentação de identidade), estudantes (mediante apresentação de Carteira de Identificação Estudantil), pessoas com deficiência (com documento que a comprove) e para o Movie Club Preferencial.

Shopping San Pelegrino (Avenida Rio Branco, 425) * Obs: o site do Cinépolis traz apenas os horários dos filmes, mas não informa em qual sala serão exibidos Homem-Formiga e a Vespa - às 19h30min Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas (dublado) - às 13h, 15h30min e 20h Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas - às 12h20min (legendado), 14h20min, 17h50min e 22h20min (dublado) Jurassic World: Reino Ameaçado (dublado) - às 16h40min Missão Impossível: Efeito Fallout (dublado e em 3d) - às 12h, 17h30min e 21h Missão Impossível: Efeito Fallout (dublado e em 3d) - às 14h, 18h30min e 22h Missão Impossível: Efeito Fallout (3d) - às 15h10min Os Incríveis 2 - às 13h20min (dublado), 16h, 18h50min e 21h40min (dublado e em 3d) Todo Dia - às 14h40min, 17h e 19h10min (dublado), 21h20min (legendado) Ingressos: nas salas tradicionais, segunda a quarta (exceto feriado) a R$ 23,00 e R$ 11,50 (meia); quinta (exceto feriado) a R$ 25,00 e R$ 11,50 (meia); sexta a domingo e feriado a R$ 26,00 e R$ 13,00 (meia). Nas salas 3d, segunda a quarta (exceto feriado) a R$ 29,00 e R$ 14,50 (meia); quinta (exceto feriado) a R$ 29,00 e R$ 15,00 (meia); sexta a domingo e feriado a R$ 32,00 e R$ 16,00 (meia).

Sala de Cinema Ulysses Geremia (Luiz Antunes, 312) O Insulto - sexta a domingo, às 19h30min Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (estudantes e sênior)

Estreias do fim de semana Baseado no best-seller de David Levithan, o romance “Todo Dia”, de Michael Sucsy, divide atenções com o astro Tom Cruise em sua nova “Missão Impossível: Efeito Fallout”, sexto longa da franquia, dirigido, assim como o anterior, por Christopher McQuarrie


Inside

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

3

Pintura

A arte que conscientiza “A Água é Essencial à Vida”, exposição de José Antonio Troitiño, estará na Câmara de Vereadores até 28 de agosto Yasmin Signori Andrade

D

e segunda a sexta, com término previsto para 28 de agosto, das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min, ficará exposta na Câmara de Vereadores “A Água é Essencial à Vida: É Preciso Preservar a Natureza”, mostra do artista plástico José Antonio Troitiño. “A motivação para as obras foram os problemas com a qualidade e a falta de água que está sendo recorrente”, explica Troitiño. Esta foi uma forma de tentar conscientizar as pessoas para preservarem o planeta por meio da arte. O artista cita na descrição de uma das obras: “A água é abundante, mas nem sempre é saudável para todos. A água é a essência da vida. Já foi o tempo em que a água potável era disponível a todos gratuitamente. Hoje necessitamos pagar pela água limpa ou tratada”. O artista começou a pintar desde cedo e teve sua primeira obra catalogada em 1962. Desde então, são mais de 150 obras. De alguns anos para cá, tem se dedicado exclusivamente as pinturas. Utiliza a técnica de óleo sobre tela para reproduzir suas obras de realismo e naturalismo. Duas obras estão estreando na exposição, são elas “Para Viver Necessitamos de Água, Como a Encontramos” e “Água Abundante, Nem Sempre Saudável”.

Programe-se O que: exposição “A Água é Essencial à Vida: É Preciso Preservar a Natureza” Quando: até o dia 28 de agosto, das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 17h30min Onde: Casa Legislativa Lidovino Antônio Fanton (Júlio de Castilhos, nº 420, Centro) Quanto: entrada franca

Motivação respeitável O objetivo da mostra de Troitiño é alertar que precisamos cuidar mais do planeta em que vivemos e, fundamentalmente, das fontes e reservas de água potável


Inside

4

Crônicas da Redação Ramon Cardoso

ramon@jornalinformante.com.br

Copa além do futebol

Agenda SEXTA

Acústico Junto & Misturado, com Juh Moreira Hamburgueria Santa Rita, às 20h

Divulgação

Por concentrar atenção de praticamente todo o globo, a Copa do Mundo, por óbvio, sempre mostra muito mais do que acontece dentro das quatro linhas. Nesse particular, o Mundial da Rússia não foi diferente. Especialmente para nós, brasileiros, ele deixou alguns ensinamentos, embora ache difícil que os alvos das indiretas, do alto de sua arrogância, prepotência e soberba, tenham a menor condição de perceber. Kylian Mbappé, 19 anos, o excelente e veloz atacante da Seleção Francesa, para mim o melhor jogador da Copa, não achava justo receber para defender seu País. Cada atleta da França embolsava cerca de € 20 mil por jogo (cerca de R$ 90 mil). Ele doou o valor de cada uma das sete partidas para diferentes instituições de caridade. Fez o mesmo com os € 300 mil recebidos pelo título. Neymar, por sua vez, que fez um Mundial quase tão ridículo quanto seu penteado de Calopsita, não deu declarações após a Copa. Segundo ele, estava muito triste com a eliminação da Seleção. Sei. Sua tristeza é traduzida nos R$ milhões que deixou de receber pelo papelão que fez na competição, virando uma chacota mundial. Sua tristeza tem a mesma honestidade que o choro simulado após o jogo contra a Costa Rica. Voltou para Paris quietinho, cabeça baixa e tendo que cumprir o contrato com o PSG, que tem agora em Mbappé a sua maior estrela. Voltando à França. Outro jogador que merece ser reverenciado é N’Golo Kanté e não apenas pelo futebol. Em 98, quando a França foi campeã, ele tinha 7 anos e recolhia lixo nas ruas de Paris para ajudar a família a sobreviver. Na festa do título, o volante Steven N’Zonzi pediu licença aos colegas, pegou a taça e entregou a Kanté, que estava constrangido de solicitar aos amigos para fazer uma foto com o troféu. Muitos jogadores brasileiros também tiveram uma infância pobre, mas boa parte riscou a palavra humildade do dicionário com a fama. A esquerda, como sempre oportunista, declarou que a vitória não foi da França, mas da África, porque muitos jogadores tinham origem nas ex-colônias francesas, o que é uma afirmação falsa, porque a quase totalidade dos atletas é francês nato, inclusive tendo nascido em solo francês. Engraçado que o tão celebrado multiculturalismo e abertura da França não foi falado nas badernas promovidas em Paris, Marselha e Nice. Essas certamente foram protagonizadas por franceses. Os imigrantes se comportaram de maneira ordeira na celebração. Em outro ponto do continente europeu, essa mesma esquerda lunática torceu contra a Croácia pelo fato de ser um País com forte identidade e raiz nacionalista, o que não é problema algum, muito pelo contrário, é uma virtude. Mas a Croácia foi taxada de preconceituosa, racista e xenófoba. A festa que os croatas fizeram para receber sua Seleção foi similar à que os franceses fizeram. Aliás, foi superior porque sequer uma lixeira foi danificada. Para encerrar, quem roubou a cena na Copa foi Kolinda Grabar-Kitarovic. A presidente da Croácia assistiu alguns jogos no meio da torcida, deixou de lado trajes formais e envergou a camiseta croata, vibrou como um torcedor comum, fez festa com os jogadores e a comissão técnica no vestiário e deu show de simpatia na premiação, cumprimentando franceses de maneira tão efusiva quanto os croatas. Kolinda é uma política de direita. Pagou do próprio bolso por passagens e ingressos e os dias em que não trabalhou descontou de seu salário. Vamos traçar um paralelo? Dilma Rousseff levou um batalhão de puxa-sacos para a posse do Papa Francisco. A comitiva presidencial gastou R$ 325 mil apenas em hospedagem em dois dos mais luxuosos hotéis de Roma. Na entrevista pós cerimônia, ela ainda teve a cara de pau de dizer que o que mais gostou no discurso do Papa foi o pedido dele para as pessoas viverem de maneira simples. Eu achei que era deboche. Temos muito que evoluir.

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Show CPM 22 Shiva Music Club, em Caxias do Sul, às 21h Sertanejo com Jhonatan e Tiago e DJ Carlos Pergher Favorita Beer Store, às 22h

SÁBADO Pista Certa Din Din Din, Funk, Pop e Reggaeton Muinho Club, às 23h Vem pro Boteco, Enche o Caneco Boteco do Chá, às 23h

Pop Rock com Felipe’s Favorita Beer Store, às 22h


Inside

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Gastronomia

Divulgação

Tradicional evento beneficente do DNA da Alma ocorre dia 5 e ingressos estão à venda

A

Paulo Roque Gasparetto prgasparetto@terra.com.br

Feijão com solidariedade

Almoço pela generosidade Cerca de 500 pessoas se reuniram na feijoada do ano passado em prol do grupo de adoção

6ª edição da Feijoada Beneficente do DNA da Alma: Grupo de Apoio à Adoção vai acontecer no próximo dia 5, no Salão do Bairro São Luiz. O evento acontece anualmente e os recursos arrecadados são utilizados de diversas formas pelo Grupo durante o ano. Devido à grande procura de ingressos, é recomendável a aquisição antecipada no Cartório Kunzler (Cel. Pena de Moraes, 661, Centro), com Jorge Bonalume. O valor para adultos é R$ 40,00, de 6 a 12 anos R$ 20,00 e até 5 anos a entrada é franca. Mais informações podem ser obtidas pelos fones 999.776.864 ou 981.081.471 (WhatsApp).

5

Cardápio

Tradicional feijoada (com opção sem carne), arroz, couve cozida, farofa, carne de porco, laranja fatiada, pão e saladas. Acompanha sobremesa de sagu com creme.

Programe-se O que: 6ª Feijoada Beneficente Quando: 5 de agosto, às 12h Onde: Salão do Bairro São Luiz (13 de Maio, 908) Quanto: adulto, R$ 40,00; crianças de 6 a 12 anos, R$ 20,00; crianças até 5 anos, entrada franca

Deus nos ama, nos chama e nos envia Estamos terminando o mês sete desse ano. Logo iniciamos o mês de agosto. Nas comunidades é dedicado às vocações. A palavra vocação significa chamado. Se fomos chamados é porque alguém nos chamou. Na primeira semana comemoramos a vocação do padre e na segunda semana somos levados a pensar e rezar por nossas famílias, o Santuário da Vida e o lugar onde nasce e por primeiro são cultivadas as vocações. Na terceira semana rezamos pelos religiosos e religiosas que dão seu sim ao serviço à vida consagrada e, na quarta semana, todos as lideranças das nossas comunidades que, gratuitamente, atuam em tantas pastorais, movimentos e serviços. Vocação, entre outras definições, é o chamado de Deus para fazermos o bem. Todos somos chamados a desenvolver nossa missão. O mês de agosto quer ajudar a comunidade no destaque e valorização das diversas formas de amar pelo testemunho alegre de quem se sente realizado, vivendo, assumindo sua missão, nos mais diversos ambientes e situações. Neste sentido, a grande missão só poderá ter sucesso se for precedida de pequenos gestos, de uma base sólida. Os três anos de vida pública de Jesus foram precedidos de 30 anos de uma convivência silenciosa com seu povo. Esse tempo de preparação foi determinante para a sua vida e a sua missão. Podemos dizer que o mês vocacional nas comunidades quer ser oportunidade para despertar a consciência vocacional, ressaltando esta dimensão em todo o trabalho de evangelização, dando espaço para a oração e para a compreensão de que a vocação se concretiza num coração que sabe escutar, amar e acolher. Assim, os que desejam servir devem aprender a viver o amor e a solidariedade a partir de pequenos gestos. Antes de pensar nos que vivem no outro lado do mundo, saibamos socorrer os que caminham ao nosso lado, especialmente aqueles que são os mais esquecidos. Podemos dizer que vocação e missão andam juntas. Todos somos chamados para alguma coisa. O chamado vem de Deus, mas a aceitação ou a resposta é humana. É convite para melhorar o mundo, começando na nossa casa, no nosso coração. Num mundo onde a tecnologia se faz presente e, com isso, marcado pela velocidade em todos os campos, o Senhor continua a chamar. A proposta é de Deus, porém, a resposta é sua, é minha, é nossa. Então, vamos lá, mãos à obra, porque Deus nos ama, nos chama e nos envia. * Pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e doutor em Comunicação


Diego Frigo

O

Felicidade

sábado invernal foi caloroso para os corações de quem esteve presente no casamento de Tamires Santos da Silva e Douglas Pegoraro. A cerimônia das areias ocupou os jardins da residência da família na Linha Müller. Após, o grupo de familiares e amigos foram recepcionados com almoço na casa do noivo e as festividades seguiram toda a tarde. A decoração esteve a cargo de Silvia Regina Neis, a cerimônia e recepção foi de Denise Balbinot Colombo.

Abre Portas

Fernanda Dorigon conquistou o diploma no curso de Enfermagem, pela UCS, no sábado, e celebrou com festa no Clube 1º de Maio. A decoração do espaço foi assinada por Aline Alves

Cristiano de Oliveira

Douglas Pegoraro e Tamires Santos da Silva dissera sim no sábado, durante a celebração do cas

Arquivo Pessoal

Marina Grandi

O empresário Airton Martins está liderando a casa de festas Bulls, que após uma pausa para reformas, abre nos próximos dias 3 e 4 para convidados. Com assinatura da arquiteta Jéssica De Carli, o espaço traz uma nova proposta abrindo às sextas e sábados. Para o fim de semana da reestreia, a dupla Edu e Rapha sobe ao palco, com a discotecagem de Lilo Lorandi e Luciano Lancini.

Kênia Chayanne e Kelvin Maciel curtin a noite de balada no Boteco do Chá

Márcia Bisleri recebeu o apoio de sua mãe, Lorena Mugnol Bisleri, durante o evento de apresentação das marcas de acessórios e semi-joias que comanda na cidade

Diego Yuppa e Graciele Grazzola curtem férias de inverno em Las Leñas, na cidade de Mendoza, na Argentina

Guilherme Pedrassani, Maria Carolin Meneghin, Gabriel Furlin e Mar marcante de festa na Casa P


Walter Finimundi

Multifotos Studio

Gabriel de Arruda da Silva completou seu 1º aninho com seus pais Jair Vieira da Silva e Zilma de Arruda e a mana Vitória. A festa ocorreu sábado, na Cupcake Casa de Festas

am o esperado samento

Novidade

Fique por Dentro

A família Maino expande os negócios e abre uma filial da loja A Dona do Santo em Carlos Barbosa. A inauguração do empreendimento ocorre na próxima quinta, a partir das 15h com recepção especial para convidados.

Empreendimento

Jeferson Deboni

O casal farroupilhense formado pela empresária Tais Refosco Puhl e o cirurgião dentista Fernando Puhl, junto com o cirurgião dentista caxiense Fernando Dalla Rosa, traz a Caxias do Sul a primeira filial gaúcha da Oral Unic. A Clínica de Odontologia inaugura na próxima terça, na rua Os Dezoito do Forte, 858, bairro Exposição, em uma estrutura moderna com mil metros quadrados. Sucesso ao trio empreendedor.

ndo á

na Brites, Maria Cristina ria Luiza Brites em noite Perini, no último sábado


Inside

8

Fabrício Oliboni fabrioliboni@gmail.com

Aviões e aeroportos Particularmente, gosto mais de viajar de ônibus. Melhor para dormir, mais simples, poder chegar 5 minutos antes da viagem... e também gosto de olhar a estrada durante a viagem. Até já escrevi em mais de uma ocasião por aqui falando direta ou indiretamente de viagens de ônibus. Hoje é dia de falar de aviões, todo o “ritual” envolvido em viajar pelos ares, prós e contras e, sei lá, vamos ver o que sai ao longo do texto. Para iniciar, já falo de uma desvantagem de viajar de avião: exige muito planejamento e antecedência. Chegar 3h antes em voos internacionais, depender de sorte muitas vezes para chegar no aeroporto em tempo, horários ruins e aeroportos nada acessíveis de se chegar, etc. Exige bastante, e se não for muito organizado certamente terão alguns voos perdidos e dinheiro jogado fora. Para finalizar, a parte que não gosto é a função de não ser lá muito confortável dormir, bancos que inclinam muito pouco e a esperar para decolar e pousar. Sim, são necessárias, mas é tudo muito cansativo. Fim da parte ruim de viajar de avião. Vantagens agora: velocidade. É, acho que vantagem mesmo essa é a única que não se pode negar. Mas ajuda, e muito. Em certos casos vale muito a pena até mesmo em valores, mas requer paciência e bastante sorte para poder encontrar voos com valores em conta hoje em dia. Antecedência, uma boa pesquisa e conhecimento na área são vitais nesse processo, podendo conseguir passagens por metade do preço padrão. Aliás, consegui uma hoje que se enquadra nisso. O ruim vai ser fazer uma viagem mais longa e com mais paradas que o previsto, mas o bolso agradece demais e o esforço vale a pena. Já perdi alguns desodorantes em voos. Mesmo sabendo que não pode levar na bagagem de mão, eu insisto. Na maioria das vezes passa, mas às vezes complicam e aí são aqueles 10 pila que tu vê no lixo do saguão. O cinto eu também insisto ao passar no raio-x. Mais de 80% não preciso tirar, então seguimos com essa política. Por fim, na categoria “chatices & manhas”, deixo as coisas mais pesadas ou maiores fora da bagagem de mão. Roupa se vai usando, mesmo que tu estejas pingando de suor. É economia, cara. Livros e coisas assim leve uma sacolinha como se tivesse comprado no aeroporto, tá valendo. Observar as idas e vindas nos aeroportos está entre as minhas coisas preferidas envolvendo aeroportos. Chegadas e despedidas. Isso tem em qualquer lugar, mas quando envolvem viagens de avião tem uma frequência maior de serem coisas definitivas, ou mesmo viagens mais longas, e aí potencializam tanto as idas quanto os retornos. Por passar mais tempo que em uma rodoviária, se vê muita coisa em aeroportos. Tem toda uma pluralidade de situações e estórias, gente de todos os cantos do mundo, chegando ou saindo em definitivo, de passagem ou aguardando alguém. Caminhar pelo aeroporto e prestar atenção ao que acontece em volta e o que se vê é uma experiência antropológica. Ponto para os aeroportos. Eu aguardo ansiosamente o dia que me oferecerão passar para a 1ª classe/executiva porque sobrou lugar, ou que por um problema no sistema o meu assento foi marcado errado e aí teriam que me promover para essa ala abonada dos voos. Algum dia vai rolar, aí ao menos poderei dizer o que rola nessa área reservada as minorias viajantes. Ao passar por esses assentos tu sempre vê uma bagunça generalizada, que é a forma de eles dizerem “sim, bagunço mesmo, porque eu posso”. Bom, talvez seja por isso que paguem mais, sei lá. Esqueci de falar nos pontos negativos de esperar pelas bagagens. Faz parte, mas a Lei de Murphy parece que sempre dá uma forcinha para a tua mala ser a última, ou, ainda mais radical, ser a mala sorteada para ter sido perdida ou extraviada. Aí eu recomendo paciência, muita paciência e autocontrole. Por essas que sempre tento viajar sempre com bagagem de mão apenas. Recomendo, sempre que possível. Assim como em voos, faltou espaço no bagageiro do avião e vou ter que fechar assim a coluna. Fim! * Agente de intercâmbio e bacharel em Relações Internacionais

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Primeiro Parágrafo

Traduzindo a percepção “A Tradutora”, de Cristovão Tezza, relata agruras e sonhos de profissional de meia idade e sua necessidade premente de amparo emocional Ramon Cardoso ramon@jornalinformante.com.br

“A

minha vida anda estéril, uma máquina de dar aulas particulares, produzir e revisar textos...”. O lamento, logo no começo de “A Tradutora”, de Cristovão Tezza, dá o tom da personagem central, Beatriz, que vive uma crise de meia idade que é potencializada ao extremo por sua carência afetiva e emocional. A jornalista curitibana, que sonha em ser escritora, faz bicos como professora de Português e está empenhada, no momento, em traduzir um ensaio pesado de Filosofia do pensador catalão Felip Xaveste, para uma editora paulista de seu amigo Chaves. Foi por meio dele que conheceu seu namorado, o escritor paulistano Paulo Donetti. Mas sua relação com ele, contudo, está pra lá de desgastada. Donetti fez um estrondoso sucesso em seu livro de estreia, o que de certa forma acabou sendo prejudicial, já que inflou ainda mais seu monumental ego. A sutileza de Beatriz se chocava frontalmente com a falta de humildade do escritor, que além de possessivo, colocava defeito em tudo e fazia impor sua opinião e vontade como se fosse o dono absoluto da verdade. Para ele não existia um meio termo e isso acabou por fazer com que o relacionamento passasse a navegar por águas turvas. Essa presença de Donetti diminuía ainda mais Beatriz. E sua irascibilidade, à medida que deixava de figurar na crista da onda da cena literária, fazia com que ela sentisse uma progressiva perda de encanto que, mais cedo ou mais tarde, redundaria em um inevitável afastamento.

Mas a vida de Beatriz sofreria uma guinada, inesperada e repentina. Às vésperas da Copa do Mundo no Brasil, seu nome havia sido indicado para atuar como tradutora de um cartola alemão, responsável pelo setor de Marketing da FIFA, que vinha até Curitiba para produzir um conteúdo da cidade para o Mundial. Beatriz viverá dias intensos. Em meio à correria que envolve a tradução do ensaio de Xaveste, ela passa a manter um certo distanciamento de Donetti e inevitavelmente acaba se sentindo atraída por Erik Höwes. Charmoso, educado e polido, o dirigente era tudo que ela não mais encontrava no namorado e o convívio próximo tornava o flerte algo quase que obrigatório. Porém, a obra de Tezza, nascido em Lages e há muito tempo radicado em Curitiba, não vai direto ao ponto, muito pelo contrário. Ela é narrada por Beatriz, digamos, como um fluxo de consciência resumido. Seus pensamentos permeiam o texto e são mesclados, de maneira permanente, com diálogos com Donetti, Chaves, Erik e sua amiga íntima e confidente Bernadete. Contudo, essas idas e vindas no tempo, essa narração não linear, é deliberadamente misturada e Tezza não deixa claro se os fatos aconteceram realmente ou foram tão somente imaginados por Beatriz. Suas impressões são intercaladas com trechos da obra que está traduzindo, o que deixa o cenário ainda mais difícil de ser recortado. Os dramas do passado da personagem principal pontuam a turbulenta história no presente e marca, de maneira indelével, a necessidade de Beatriz vislumbrar um futuro, feliz, seguro e, principalmente, com amparo afetivo e emocional. Embora seja comedida até mesmo em seus relatos, é


FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Inside

9

Dolores Maggioni

Primeiro Parágrafo

doloresmaggioni@terra.com.br

da busca pela felicidade Imagem: Reprodução

impossível não perceber, e mais, não se compadecer de sua carência. O momento pelo qual atravessava o Brasil, de convulsão política e social, às vésperas da Copa, está muito bem retratado de maneira sutil por Tezza, bem como a paisagem curitibana. É um pano de fundo que sedimenta a história, tornando-a plausível, mostrando que ela poderia mesmo ter sido real. Uma espécie de conto de fadas dos tempos modernos, narrado com a urgência que passa a reger a vida de sua tradutora. Joel Rocha

A Tradutora Autor: Cristovão Tezza Gênero: Romance Literatura Brasileira Ano de publicação: 2016 Editora: Record Nº de páginas: 203 Preço médio: R$ 29,00

Tradutor da realidade Tezza alicerça obra em turbulento momento político e social, mas os anseios e misérias humanas é que se destacam

Sobre o dorso da vida O sol começa a se pôr. Visto desde a minha janela, cada dia apresenta um espetáculo diferente. Amo o entardecer. A beleza que ele conserva. O ocaso do dia é o despertar do último brilho de sol. Guardo meus sonhos de beleza no bolso da alma. As cenas do entardecer vão se tornando invisíveis. Embora rotineiro, o ritual deste momento arrepia a pele. Perco meus olhos na curva do horizonte. Pássaros sonoros melodiam meu deleite. Passam as horas embrulhadas em carmim. E sequer deixam que se sintam passar. Noite agora. A casa já escurecida toma a coloração púrpura azulada. A noite impõe o seu domínio. Uma escuridão fosca e borrada veste as ruas. Minúsculas gotículas de sereno se parecem com insetos esbranquiçados ao passarem pelos raios de luz da rede pública. Algumas janelas iluminadas difusamente transformam-se em retângulos embaçados. A lua espia, apoiando seus braços sobre o dorso da vida. O ombro da noite se veste de estrelas. A imobilidade e o silêncio convidam à reflexão. O poder da existência... o cintilar do cosmos... As palmeiras da avenida tornam-se vultos esguios e esquálidos. A varanda entreaberta permite a entrada do hálito da noite. E a noite se arrasta, por entre rostos pálidos, ventos... corpos... beijos... saudades... dores liquefeitas... sonhos acordados... esperas... ausências... afagos... palavras... senões... vazios... paixões... Revejo a vida. A natureza dos fatos e das coisas rarefeitas pelo tempo... os sonhos que deixei morrer na sombra... os mitos que não passaram de mitos... as gentes que se foram para a viagem sem retorno... a casa da minha infância com seus canteiros floridos pelas dálias... as fogueiras de São João... os jogos de amarelinha... o cafezinho de cada tarde, com meu pai João... os casarios antigos de minha cidade, hoje tombados pela modernidade... o leiteiro e o padeiro em suas visitas diárias... os sinos da Matriz... o uniforme azul marinho... A vida dói rasgando as artérias das memórias. Irretorquíveis, as contradições que se escondem sobre nossa insignificância diante de certas histórias da vida. A terra ruminando a vida dos homens! Viver é estar cercado de vidas e, mesmo assim, estar só. Sob este céu vivemos, andamos, fazemos coisas. Há desejos e vontades... histórias incompletas... rotas impedidas... palavras silenciadas... reversos de nós mesmos. Já muito tarde olho o relógio sobre o piano e os ponteiros estão ali, mecânicos, como se deles dependesse o tempo para passar. Lá fora, por sobre os edifícios cinzentos, ainda mergulhados no nevoeiro, as pálpebras de um sol vermelho começam a ensanguentar a cidade que acorda. Abro as portas da alma. Embora adormecida, deixo-a inundar-se pelos rubros olhos do amanhecer. Permito que em seu colo se aconcheguem os sonhos que acalenta. Tomo o sol em meu regaço. Acarinho-o docemente. Pouso seus braços dourados sobre meus joelhos e segredo em seu ouvido um poema de amor. Baixinho. Para não acordar a alma. * Escritora


Inside

10

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

Sétima Arte

Meio século de jornada pelas inquietações maiores da espécie Marco do cinema, “2001: Uma Odisseia no Espaço”, de Kubrick, completa 50 anos em 2018 Giovani Antonio Capra Especial para o Jornal Informante

D

e onde viemos? Para onde vamos? Existe algo além – acima, no céu azul ou estrelado (ou nublado, que seja) para o qual nossos olhos insistem em voltar-se? Ou fica tudo por aqui mesmo? Há milênios, sistemas de crenças e teorias são desenvolvidos em busca de esclarecimentos a tais dúvidas – as inquietações maiores da espécie humana, aliás, a considerar a primazia que as religiões ocupam historicamente e, no espectro científico, a relevância das formulações evolucionistas e cosmológicas. Pois, em 2018, completa 50 anos uma das grandes tentativas da Sétima Arte (talvez a principal, levando-se em conta também que seu realizador é alguém a quem frequentemente as referências são superlativas) de oferecer respostas a essas questões. Em 2 de abril de 1968, nos Estados Unidos, foi lançado “2001: Uma Odisseia no Espaço”, de Stanley Kubrick (1928-1999, que, ontem, dia 26, completaria 90 anos). Trata-se de um marco do cinema, não só o de ficção científica, gênero em que se insere: “50 anos atrás, um filme mudou todos os fil-

mes para sempre”, foi, por exemplo, o que conclamou, a respeito da obra, o Festival de Cannes deste ano. No evento, foi exibida uma versão ‘unrestored’ (sem restauração digital, apenas com a manipulação fotoquímica da película original) sua. Há meio século, 2001 desconcertou já em sua ‘première’, no teatro Uptown, em Cleveland Park, Washington: no intervalo, os convidados, atordoados pelo que estavam vendo, levantaram-se e saíram correndo. Contudo, em cinco semanas de exibição em somente oito cinemas, a obra arrecadou mais de US$ 1 milhão. Daí em diante, vieram um Oscar, em 1969, na categoria de Efeitos Especiais (o único nominal a Kubrick, em sua carreira), e a aclamação, mundial – a ponto de um Steven Spielberg classificar 2001 como o “big bang” de sua geração cinematográfica. O ‘torpor’ provocado pela película em seu lançamento tem razão de ser, como muito provavelmente terá para quem for vê-la pela primeira vez, a qualquer tempo. É que o filme, cujo roteiro foi coescrito por Stanley Kubrick e pelo estandarte da literatura de ficção científica Arthur C. Clarke (1917-2008), prende a atenção, enleva e, definitiva e eloquentemente, perturba.

Seu primeiro capítulo, “A Aurora do Homem”, é um instigante ‘ensaio antropológico’ sobre a evolução da espécie, com foco em uma de suas mais importantes descobertas: a de que o corpo poderia ser dotado de extensões. Em miúdos, um macaco, ao mexer na carcaça de um animal morto, percebe que um osso deste pode ser uma ferramenta – para tocar outras coisas, para bater… Enfim, para ser utilizado como arma. O detalhe é que o descobrimento se dá por conta da inspiração que sobre o primata exerce um grande bloco de pedra negro, um monólito, semelhante a uma lápide, misteriosamente encravado na área em que habitava, enquanto seu bando dormia. A descoberta transcorre sob um dos pilares da trilha sonora de 2001: a obra “Assim Falou Zaratustra”, de Richard Strauss. Marcando a passagem da “Aurora” para a seção seguinte do filme, Kubrick realiza um prodígio técnico. Um dos mais exaltados ‘match-cuts’ (o ‘match-cut’ consiste, basicamente, em fundir duas cenas diferentes, mas, ao mesmo tempo, com semelhanças visuais, fazendo a transição de um plano para outro) da história do cinema: o osso que flutua, jogado para o alto por um dos símios que vencem seus inimigos, se transforma

numa plataforma orbital, cobrindo um lapso de milênios. Esse segmento da película apresenta-se como um harmônico balé sideral, em uma graciosa coreografia que une corpos celestes e espaçonaves, embalada pela célebre valsa ‘Danúbio Azul’, de Johann Strauss. A opção pelo compositor certamente não foi gratuita: se nos momentos mais densos de 2001 há um Strauss (Richard, com ‘Assim Falou’), em outros temos também um Strauss (Johann, com seu delicado ‘Danúbio’). As músicas, enfim, intercalam-se como as principais da obra. A propósito, é somente nesta segunda seção que finalmente se dão diálogos, depois de mais de 25 minutos de filme. Também ela é marcada pelo aparecimento de um monólito – mas na lua, onde foi enterrado quatro milhões de anos antes. Investigação sobre a misteriosa pedra tem um desfecho inquietante. O que se segue, com a ‘Missão Júpiter’, 18 meses depois do interlúdio


Inside

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

11

Sétima Arte Divulgação

Imagem: Reprodução

Título original 2001: A Space Odyssey Título traduzido 2001: Uma Odisseia no Espaço

Evolução Símio descobrindo que osso de animal morto pode ser uma ferramenta

lunar, é um tenso questionamento a respeito de um tema que, 50 anos depois da estreia da película, ainda aflige: até onde pode ir a inteligência artificial (personificada pelo computador HAL 9000, figura mais interessante do filme, aliás)? Ou: essas onipresentes máquinas serão o sucedâneo da humanidade – ou, ainda, como nos é lícito cogitar hoje, depois de ‘Matrix’, já são, e o problema é de quem optou pela pílula vermelha? De qualquer maneira, quando o astronauta David Bowman (Keir Dullea), o ator principal, desliga HAL, apresentado como um equipamento infalível, começa gravação do comando da missão, contando – o que só ao computador fora revelado anteriormente – que, há um ano e meio, a primeira evidência de vida inteligente fora da Terra havia sido descoberta. Tratava-se do monólito negro encontrado 15 metros abaixo da superfície da lua, o qual havia feito uma única emissão de rádio a Júpiter. 2001 transforma-se, então, num

lindo, mas obscuro, poema audiovisual, fulgurante e ao mesmo tempo fantasmagórico. O destino de Bowman fica subentendido. Mas, não fosse essa a intenção, Kubrick evidentemente não teria optado pela ausência de voz nos 23 minutos finais do filme. Se não responde, mas apenas esboça luz sobre as inquietações maiores do ser humano, 2001: Uma Odisseia no Espaço nos deixa com, pelo menos, uma certeza. A de que ninguém no planeta, exceto Stanley Kubrick, teria o talento necessário para filmar com perfeição, da forma mais convincente possível, uma falsa chegada do homem a lua, a 20 de julho de 1969, caso fosse verdade a ‘teoria de conspiração’ a respeito. No mais, eu e decerto alguns milhões – quiçá bilhões – mundo afora gostaríamos de saber se “Eram os deuses astronautas?” mesmo (como propõe o livro assim denominado, clássico da ufologia, escrito por Erich Von Däniken) ou não…

Direção Stanley Kubrick Roteiro Stanley Kubrick Arthur C. Clarke Gênero Ficção Científica Duração 142 minutos País Estados Unidos Ano de produção 1968 Estúdio Metro Goldwyn Mayer Stanley Kubrick Productions Distribuição Metro Goldwyn Mayer

Premiação e indicações ao Oscar de 1969

2001: Uma Odisseia no Espaço foi vencedor do Oscar de 1969 na categoria de Efeitos Especiais. Foi a única láurea nominal concedida pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood a Stanley Kubrick em toda sua carreira. A curiosidade é que foram quatro os supervisores de efeitos especiais do filme: Wally Veevers, Douglas Trumbull, Con Pederson e Tom Howard, mas nenhum deles concorreu, porque, como só podiam ser indicadas três pessoas por prêmio, a produção optou pelo nome apenas de Kubrick. Inclusive, em entrevista em 2014, Trumbull disse que o cineasta “não merecia” a estatueta. 2001 também concorreu ao Oscar de 1969 em outras três categorias. * Direção de Arte (Tony Masters, Harry Lange e Ernie Archer) * Direção (Stanley Kubrick) * Roteiro original (Stanley Kubrick e Arthur C. Clarke)


12

Horóscopo Áries - 21/03 a 20/04

Reflita com atenção sobre as experiências nas quais está inserido, porque nem tudo pode ser controlado! Para vencer o obstáculo será crucial desapegar de posturas rígidas, principalmente para eliminar os julgamentos que o consomem e que travam o seu destino. Seja forte para transpor os desafios!

Touro - 21/04 a 20/05

Mudar os padrões comportamentais e as crenças é um ato difícil e que requer muito de nós mesmos. Mas você está no caminho certo. Além disso, tem passado por mudanças profundas sobre o seu estilo de vida, a sua visão religiosa e também filosófica. Enfim, tudo isso está lhe trazendo condições de ser forte e transpor os desafios aparentes.

Gêmeos - 21/05 a 20/06

A mudança pela qual você vem passando é profunda e varre da sua vida tudo o que for negativo. Porém é essencial estar numa frequência elevada e com a clareza indispensável para esse ciclo atual. Caso contrário, estará apenas imerso em mudanças superficiais. Busque as pesquisas e fonte de linhas espirituais ocultas.

Câncer - 21/06 a 20/07

O cônjuge ou uma pessoa com quem tem uma ligação forte passa por transformações profundas, como se estivesse encerrando um livro para escrever agora uma nova história de vida. Entender esse ciclo pode ajudá-lo a aceitar os desafios com maior naturalidade e seguir pleno dentro da experiência atual.

Leão - 21/07 a 22/08

Assumir um controle mais saudável da sua rotina e da sua saúde é fundamental para conduzir a sua vida com mais naturalidade. Você encerrou um ciclo importante no trabalho, então agora é momento de avaliar os novos caminhos e as oportunidades que dependem exclusivamente de você. Não resista às mudanças e confie na vida.

Vírgem - 23/08 a 22/09

Você passa por um novo ciclo em sua vida, o que muda o seu olhar diante do seu autodesenvolvimento e da relação com filho(s). Está tudo certo e você é capaz de fazer grandes mudanças por meio do foco e da perseverança. É essencial permitir a entrada situações novas em sua vida. Você merece!

Libra - 23/09 a 22/10

As mudanças são profundas em sua vida, principalmente no campo familiar. Você está muito consciente do quanto pode alcançar por meio da superação e do entendimento das experiências desafiadoras. O seu aprendizado é desapegar daquilo que não pode controlar, seguindo de outra forma.

Escorpião - 23/10 a 21/11

O momento está excelente para superar os obstáculos que encontrou ou ainda encontra para lidar com pessoas do seu convívio ou com parentes. A lição é realizar o desapego essencial para o seu crescimento. Os estudos estão sendo significativos para o seu aprimoramento intelectual e profissional. Ir mais fundo é necessário.

Sagitário - 22/11 a 21/12

Mediante a tantas experiências que você viveu no campo financeiro, o céu lhe permite encarar de frente a sua vocação e reconstruir um novo cenário material. Mas para dar certo é preciso que se desapegue de controles prejudiciais e que crie condições de manifestar as suas qualidades de outra forma.

Capricórnio - 22/12 a 20/01

Você passa por mudanças significativas em todo o seu cenário de vida. Isso porque a mudança está inserida em você. Nada na vida é por acaso, tudo tem um objetivo e traz um aprendizado. Então, por favor, não resista às transformações e deixe o fluxo da vida trazer a verdade para você.

Aquário - 21/01 a 19/02

Pode ter certeza de que a porta do seu inconsciente foi aberta e, com ela, vieram crises e uma sensação de prisão. Mas você é livre e precisa entender que o cenário lhe pede terapia, autoconhecimento e espiritualidade. Se não estiver inserido numa dessas experiências, você pode estar vivendo um ciclo altamente desafiador.

Peixes - 20/02 a 20/03

O processo de transformação é favorável e lhe permite seguir mais forte e com superação. As atividades em grupo são viáveis para o seu crescimento e desenvolvimento pessoal. Pode ser natural a saída de algumas pessoas e o ingresso de outras pessoas, mas tudo isso com significados e superação.

Inside

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018


FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018

VENDO CHÁCARA de 2.105 m² localizada em SETE COLONIAS, incluindo uma casa de 95m², com água, luz e árvores frutíferas. Proximidades da BR 122. Tratar no fone/ Whats (54) 9 9643.1067. VENDE-SE TERRENO DE COOPERATIVA em frente a Bigfer, indo a Bento, com 10 anos pagos e licença ambiental liberada. Interessados tratar: (54) 9 9650.1353. ALUGO PAVILHÃO de 600m² no loteamento América, entrada para a Linha São Miguel, perto da Multi Nova. Altura interna de 8 metros, sem colunas. Amplo espaço para estacionamento. Tratar: (54) 3268-0522. Melhor negócio! 2 TERRENOS PELO PREÇO DE 1! 613m² em rua toda asfaltada no Monte Verde. Apenas R$ 140.000,00! Confira! (54) 9 9925-2068.


2

CHÁCARA em ALTO FELIZ. 2,5 hectares, com casa, água, luz e demais benfeitorias. 21km de asfalto e 1000 metros de acesso com estrada de chão. Somente R$ 135.000,00. Ligue agora! (54) 9 9925-2068. VENDO TERRENO de esquina com 1.377m² a uma quadra da rodoviária e do Shopping Centro de compras. F. 9 9118.1642. VENDO TERRENO, localização central em Arroio do Sal a duas quadras do mar. F. 9 9118.1642. SALA COMERCIAL. Alugue direto com a proprietária! 168m², na Independência, Bairro São Luiz. Fones: 9 9951.3583 / 3268-1062. VENDO 4 terrenos de Cooperativa já com área comprada. F.: 9 9118.1642. VENDO CASA MISTA localizada no Bairro Pio X, ao lado da Igreja. (A mesma já está alugada através de imobiliária pelos valores de R$ 1.500,00 por mês). Tratar: (54) 9 9118 1642.

2

FARROUPILHA, 27 DE JULHO DE 2018


Edição 548  
Edição 548  
Advertisement