Page 1


A hemodiálise é um método mecânico que tem como base a filtração de tornar mais puro o sangue através da remoção das substâncias maléficas ao organismo, no qual as pessoas que devem se submeter a este procedimento sofre de insuficiência renal, assim necessitam de uma purificação do sangue externamente.


A máquina ou dialisador, assim denominada por muitos, retira o sangue do organismo do paciente e o encaminha para o dialisador para ser filtrado e por fim volta ao organismo sem impurezas. Desta forma, para realiza a hemodiálise é preciso usar uma veia ou artéria superficial para maior facilidade ao acesso ao sangue para realizar a sessão de purificação do sangue. Assim, a máquina tem a mesma finalidade do rim humano, ou melhor, faz uma limpeza semelhante ao órgão, sendo que a grande diferença de ambos é que a hemodiálise realiza o trabalho de purificação pelo menos três vezes na semana com sessões que duram no máximo quatro horas cada, já o rim realize seu trabalho diariamente.


Mรกquina de Hemodiรกlise


O serviço de Hemodiálise do Hospital Samaritano foi criado em setembro de 1980, idealizado pelo médico Francisco Mendes. Originalmente, contava com 12 máquinas de diálise, que funcionavam em dois turnos (manhã e tarde). Hoje, a área conta com mais de 27 equipamentos de última geração, atendendo adultos e crianças em três turnos (manhã, tarde e noite), e dispõe de uma equipe multiprofissional altamente qualificada, composta de médicos nefrologistas, nefrologistas pediátricos, nutricionistas, psicólogas, assistentes sociais e enfermeiros. Pensando no paciente renal crônico, a Hemodiálise do Hospital Samaritano trabalha em parceria com o Núcleo de Transplantes da Instituição, visando garantir sua qualidade de vida e recuperação adequada.


Willem Kolff ( 1911-2009), médico holandês, inventou uma máquina de diálise, ou seja, um aparelho capaz de separar substâncias no estado líquido, filtrando-as através duma membrana que as restantes substâncias não conseguem atravessar. Willem J. Kolff é considerado o Pai dos Órgãos Artificiais. Inventou a máquina de hemodiálise (rim artificial) em 1941 e tratou o primeiro paciente em 1943.


O aparelho de hemodiálise funciona como filtro de sangue no rim, eliminando os excessos de alimentos e bebidas de dentro de nós, o que é útil é preservado e o que não é útil é excretado pela urina. O aparelho de hemodiálise é utilizado por aquelas pessoas que por algum motivo seu rim não funciona corretamente e necessita de um aparelho para que substitua a função desse órgão. O sangue do paciente, proveniente de uma artéria, chega ao aparelho para ser depurado, regressando posteriormente ao corpo através de uma veia. Estes aparelhos utilizados na hemodiálise são fundamentais para salvar varias pessoas. Os pacientes que necessitam fazer hemodiálise, têm que realizar esse procedimentos pelo menos 3 vezes na semana para que o rim posso funcionar. Esses pacientes aguardam na fila de espera transplantes do órgão. Este aparelho foi uma das evoluções na área da saúde, um aparelho fundamental para milhares de pessoas, e que é utilizado diariamente.


Desvantagens : * A insuficiência cardíaca * Doença cardíaca coronária * Dor de Angina *A hemodiálise pode levar a acidente vascular cerebral *Vascular periférica suficiência *Anemia, fadiga A desvantagem é a necessidade de realização do tratamento diário.


Principais problemas iniciais do mau funcionamento dos rins são anemia leve, pressão alta, edema (inchaço) dos olhos e pés, mudança nos hábitos de urinar (levantar diversas vezes à noite para urinar) e da coloração da urina (muito clara, com sangue, etc.) Deste ponto até que os rins estejam funcionando somente com 10% a 12% da função normal, pode-se tratar os pacientes com medicamentos e dieta. Quando a função renal se reduz abaixo destes valores, torna-se necessário o uso de outros métodos de tratamento da Insuficiência renal: diálise ou transplante renal.


Sistema Urinário humano O Sistema Urinário humano é de extrema importância para o funcionamento do nosso corpo. O Sistema Urinário humano é composto por: - Rins - Bexiga urinária - Ureteres - Uretra - Esfíncteres Funções do sistema Urinário - Produzir, armazenar e eliminar a urina; - Regular o volume a composição química do sangue e seu volume; - Eliminar o excesso de água e resíduos do corpo humano, através da urina; - Garantir a manutenção do equilíbrio dos minerais no corpo humano; - Auxílio na regulagem de produção das hemácias (células vermelhas sanguíneas


Ciências/Informática

Sistema Urinário Instituto Dona Placidina Nome : Bruna Weides, Maria Laura, Victória Cabral, Giullia Pupo, Matheus Alvim e João Paulo Dias Série : 7ª Série E


A urina humana, assim como a urina de outros animais, é composto principalmente de água (95%, em média), mas contém também ureia, ácido úrico, sal e outras substâncias, sendo expelida durante o acto de urinar. A urina é o produto final, resultante da excreção renal. O volume, a acidez e a concentração de sais na urina são regulados por hormónios, entre os quais o hormónio antidiurético e a aldosterona, sendo que estes hormónios actuam nos rins para garantir que a água, os sais e o equilíbrio, ácido-base (acidez ou alcalinidade do sangue e do fluido intersticial) do organismo se mantenham dentro de estreitos limites. A presença na urina de açúcar, albumina, pigmentos biliares ou quantidades anormais de algumas substâncias, incluindo as constituintes habituais, é indicador de doenças. A urina é normalmente estéril quando é expelida e tem apenas uma vago odor. O cheiro desagradável da urina deteriorada deve-se à acção de bactérias que provocam a libertação de amoníaco. Alterações da urina A urina pode ser produzida em quantidades anormais ou ter um aspecto ou composição anormais.


Volume anormal Num estáco, uma produção diária de urina superior a 2,5 L é invulgar, a menos que o indivíduo beba líquidos em excesso ou sofra de alguma doença (ex:poliúria). Pode haver uma ardo nas tubas urinárias ,produção anormalmente reduzida de urina - menos de 0,4 L - em casos de desidratação grave ou de insuficiência renal aguda. Esta situação pode também ocorrer quando os rins não recebem o seu abastecimento normal de sangue em virtude de situações como insuficiência cardíaca, choque ou doenças como leptospirose larimiringite bacteriana. A falta de produção de urina pelos rins (anúria) pode dever-se a lesões graves nos rins


Aspecto anormal A urina turva pode dever-se a uma infecção do trato urinário e, nesse caso, tem um cheiro fétido. Os cálculos do trato urinário podem também originar uma urina turva, mas não necessariamente infectada. A urina turva é resultado da presença de determinados sais, como fosfatos. Em casos raros, pode aparecer linfa misturada com a urina, o que lhe confere um aspecto leitoso. Quando ligeira, a hematúria (presença de sangue na urina) dá à urina um aspecto escurecido. Quando a quantidade de sangue na urina aumenta, esta torna-se avermelhada e pode conter coágulos. Contudo, a urina avermelhada não é apenas provocada pela presença de sangue. Alguns corantes alimentares podem ser expelidos pela urina e existe uma grande variedade de fármacos que podem alterar-lhe a cor (por exemplo, a rifampicina e a dipirona pode torna-la alaranjada).


Sistema excretor Componentes do sistema urinário humano Partes da bexiga urinária. Néfron - Unidade funcional dos rins; - Etapas da atividade renal em cada néfron: O filtrado glomerular passa para o túbulo contorcido proximal, ocorrendo transporte activo de sódio de volta para o sangue. Processo este estimulado pelo hormônio chamado aldosterona (das supra-renais). Na alça de Henle, há reabsorção de água, e a urina primária torna-se mais concentrada. Este é o local de maior reabsorção de água. O líquido que chega nos tubos colectores já não contém mais aminoácidos, glicose ou vitaminas, o seu teor de água é relativamente pequeno, e ele já pode ser considerado urina.


- Uréia: Excretada por animais terrestres não ovíparos (anfíbios e mamíferos), menos tóxica que a amônia. O que representa uma economia hídrica. Chamados de ureotélicos.


- Ácido úrico: O menos tóxico dos três, e também o menos solúvel em água. Excretado por insetos e vertebrados ovíparos terrestres (maioria dos répteis e aves). Chamados de uricotélicos.


Qual a composição da urina ? A urina é um liquido excretado pelos rins através das vias urinárias, pelo qual são eliminadas substâncias desnecessárias ao organismo. Desempenha um papel importante na regulação do balanço de líquidos e no equilíbrio entre ácidos e bases. Composição da urina A urina é composta aproximadamente por 95% de água e 2% de uréia. Nos 3% restantes, podemos encontrar fosfato, sulfato, amônia, magnésio, cálcio, ácido úrico, creatina, sódio, potássio e outros elementos.


Quanto produzimos de urina diariamente? Um adulto saudável de dieta comum pode produzir entre 1000 e 2000 ml de urina por dia. O volume mínimo de urina necessário para remover do organismo todos os produtos residuais é de cerca de 0,5 L em um homem de 70 kg; todo o volume produzido acima deste consiste em excesso de água.


Como a urina é produzida? A urina é produzida nos rins, mais precisamente nos nefrónios, em diversas etapas que permitem eliminar uma parte dos resíduos do organismo, entre outras funções. As restantes funções renais envolve diferentes regulações, nomeadamente iónicas acidobásicas.


A urina humana, assim como a urina de outros animais, é composto principalmente de água (95%, em média), mas contém também ureia, ácido úrico, sal e outras substâncias, sendo expelida durante o acto de urinar. A urina é o produto final, resultante da excreção renal. O volume, a acidez e a concentração de sais na urina são regulados por hormónios, entre os quais o hormónio antidiurético e a aldosterona, sendo que estes hormónios actuam nos rins para garantir que a água, os sais e o equilíbrio, ácido-base (acidez ou alcalinidade do sangue e do fluido intersticial) do organismo se mantenham dentro de estreitos limites. A presença na urina de açúcar, albumina, pigmentos biliares ou quantidades anormais de algumas substâncias, incluindo as constituintes habituais, é indicador de doenças. A urina é normalmente estéril quando é expelida e tem apenas uma vago odor. O cheiro desagradável da urina deteriorada deve-se à acção de bactérias que provocam a libertação de amoníaco.


Os rins tem várias funções indispensáveis para manter a vida através da produção da urina. Por ela são evacuados materiais tóxicos, mantém-se o equilíbrio ácido-base e o metabolismo eletrolítico. O sangue é filtrado pela cadeia de pequenos orifícios no interior do rim. Há uma membrana que filtra umas 7.000 moléculas de uréia e ácido úrico e deixam passar em torno de 50.000 moléculas de proteínas ou glóbulos. A quantidade de filtração é de 120 ml por minuto ou 180 litros por dia. O líquido filtrado passa por tubos urinários e é reabsorvido ou secretado. 99% é reabsorvido e circula como sangue e 1% sai como urina (aproximadamente 1,5 litros). Desta forma concluímos que a urina é um produto do sangue. Materiais reabsorvidos: água, sódio, d-glicose, aminoácidos, ou seja, a maioria dos componentes do sangue. Materiais não absorvidos: uréia, ácido úrico, creatinina, sais minerais inorgânicos e produtos tóxicos. Apresentação: coloração amarela. Uma pessoa produz, aproximadamente, 1,5 litros por dia, PH 5 a 8 (geralmente PH 5 a 6 ácidos), pressão osmótica 50-1500 m OSM por litro, peso específico 1050 a 1025. 5.


Diariamente, passam pelos rins 180 litros de sangue. Destes, 99% retornam para o organismo filtrado e 1% sai como urina. Os ingredientes, cor e cheiro são muito semelhantes ao soro do sangue. As pessoas sadias não possuem bacilos ou micróbios em seu sangue e tampouco em sua urina. Quando alguém tem um infecção renal ou outro tipo, é possível que tenha mas em tão pequena quantidade que não afeta em nada um tratamento feito pela urina. Antes, essa pequena quantidade funciona como uma auto vacina. Há o caso do médico R. Nakao, fundador da Associação Acadêmica da Sociedade Médica do Japão, que aplicou , na segunda guerra mundial, tratamento urinoterápico a casos de gonorréia em soldados e civis com bons resultados. Em casos de aplicação de urina em infecção do aparelho urogenital, a cura se dá em pouco tempo. Consideremos o caso do feto que cresce entro de uma bolsa do útero. Ele cresce tomando diariamente um quantidade líquido amniótico, que é semelhante a urina em seu conteúdo. Estudos desenvolvidos dizem que o feto nos últimos meses urina 500 cc diariamente. E toma a mesma quantidade do líquido contendo a urina.


Os cálculos renais, popularmente chamados de pedra no rim, são formações sólidas de sais minerais e uma série de outras substâncias. Essas cristalizações podem migrar pelas vias urinárias causando muita dor e complicações. Os cálculos podem atingir os mais variados tamanhos, variando de pequeninos grãos, até o tamanho do próprio rim. Eles se formam tanto nos rins quanto na bexiga.


A formação de cálculos depende da ação de fatores individuais e ambientais (infecções, distúrbios metabólicos, alterações anatômicas, baixo fluxo urinário, etc.) sobre as propriedades físico-químicas da urina, modificando tais características e favorecendo a litogênese urinária.


A quebra do equilíbrio no sentido da cristalização, devido alterações físico-químicas da urina, resulta na formação de cálculos. Mesmo após a precipitação, os cristais são facilmente eliminados através do fluxo urinário constante. No entanto, quando determinados fatores favorecem a retenção e crescimento dos cristais nas vias urinárias, ocorre a formação do cálculo propriamente dito.


Os cálculos renais podem conter variáveis combinações de elementos químicos. O tipo mais comum de cálculo renal contém cálcio em combinação com oxalato ou fosfato (que estão presentes em uma dieta normal e fazem parte dos ossos e músculos).


Um tipo menos comum de cálculo é causado pela infecção urinária. Esse tipo de cálculo é chamado cálculo infeccioso. Eles podem ser de grande tamanho e obstruir a via urinária. Ainda menos comuns são os cálculos de ácido úrico, que estão associados com a gota ou quimioterapia, compreendendo cerce de 10% dos cálculos renais.


O primeiro objetivo do tratamento é aliviar a dor do paciente, o que se faz com analgésicos e antiespasmódicos. Muitas pedras pequenas serão eliminadas espontaneamente pelo paciente. Outras precisam de um tratamento específico. Cálculos de ácido úrico poderão ser tratados clinicamente com grande ingestão de água. Já os cálculos de cálcio não dissolvem dessa maneira.


Os sintomas mais comuns do cálculo renal envolvem a cólica renal, com dor forte e intensa nas costas, na região abdominal lateral, embaixo das costelas, no testículo ou no grande lábio vaginal. Em caso de infecção urinária, o paciente terá febre. O sangue na urina é outro provável sintoma.


Para os cálculos de estruvita, também chamados de infecciosos, após a sua remoção é importante manter a urina livre da bactéria que pode causar a infecção. Exames de urina regulares são indicados para monitorar a presença da bactéria da urina.


Nยบ

Nome: Carolina Hiromi

Leonel Matheus Mariana Lara Luana Feliciana Gisele Cabral

06 14 19 27 28


Trabalho Interdisciplinar Ciências e Informática Sistema Urinário Instituto Dona Placidina


Import창ncia dos rim


O volume de água que os rins eliminam depende das necessidades do organismo. O volume constante de água no organismo é mantido graças ao funcionamento dos rins. Se o organismo dispõe de mais água do que necessita para suas atividades metabólicas, o excesso é eliminado pelos rins que deixam de absorvê-la em grande quantidade no processo de filtragem e a urina produzida é bastante diluída. No caso oposto, mais água é reabsorvida, produzindo uma urina mais concentrada. Desta forma, os rins contribuem para manter estável o volume do meio interno. Uma urina saudável tem cor amarelo clara e transparente, porém, algumas doenças podem alterar a coloração e o aspecto da urina.


Doação de órgãos no Brasil


Só no Estado de São Paulo, no ano de 2008, o transplante de órgãos atingiu recorde histórico. Até 15 de dezembro, foram 1.386 cirurgias, superando em 23% o ano passado. Foram 72 transplantes de coração, 117 de pâncreas, 752 de rim, 400 de fígado e 45 de pulmão. Esses são dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Inclusive, São Paulo registra quase um transplante por hora. Um problema que pode impedir a doação é o paciente sofrer uma parada cardíaca durante a cirurgia, o que inviabiliza a retirada de alguns órgãos para doação. Além disso; resultados de sorologia positiva para HIV e outras doenças infecciosas, também tornam os órgãos inviáveis para o transplante. Quanto à medula óssea, um acontecimento que vem favorecer a localização de um doador compatível; é a participação do Brasil na maior rede de registros de doadores de medula óssea do mundo; a americana National Marrow Donor Program (NMDP). Isso aumenta consideravelmente as chances de quem está à espera de um doador compatível. Só ela agrega 7 milhões de americanos cadastrados e mais 3 milhões de pessoas de outros países. O banco brasileiro tem 800 mil.


Doação de Órgãos. Ajude as pessoas com a doação de Rim.


Doar órgãos é um ato de amor e solidariedade. Quando um transplante é bem sucedido, uma vida é salva e com ele resgate-se também a saúde física e psicológica de toda a família envolvida com o paciente transplantado. No Brasil, atingimos a marca de aproximadamente 70.000 pessoas (2007) aguardando por um transplante. Essas vidas dependem da autorização da família do paciente com morte encefálica comprovada autorizar a doação. Um gesto que pode transformar a dor da morte em continuidade da vida.


Quem pode doar


Pode haver três tipos de doadores. Um deles é o doador vivo relacionado, ou seja, um parente (avós, pai, mãe, irmãos, irmãs, filhos, tios, sobrinhos, primos até segundo grau, inclusive cônjuges), maior de idade e capaz, que durante a sua vida doa, gratuitamente, um de seus rins ao paciente. Outro tipo é o doador vivo não relacionado, que é o indivíduo que não tem nenhum dos graus de parentescos definidos acima e que, sendo maior e capaz perante a lei, decide espontaneamente, sem coação e sem remuneração financeira, doar um de seus rins a outra pessoa. Este tipo de doação só é autorizada mediante autorização judicial. Nestes dois casos acima o doador tem que ser pessoa saudável, sem doenças, comprovada através de avaliação médica e laboratorial. Outro tipo de doador é o doador cadáver. Neste caso o doador é uma pessoa que está em morte encefálica e cuja família autorizou a equipe médica a realizar a retirada de órgãos para transplante.


Nós concluímos que os principais doadores de órgãos são os parentes e as pessoas que podem doar o rim e que sejam compatíveis. A importância dos rins é que eles filtram e eliminam as substâncias tóxicas em forma de urina. Em São Paulo o Transplante de rins foi recorde no ano de 2008. Um problema que pode impedir a doação e o paciente sofrer uma parada cardíaca durante a cirurgia. A importância dos olhos e um transplante bem sucedido. Um gesto que pode transformar a dor em vida.

Sistema Urinário  

Trabalho Interdisciplinar Ciências e Informática. Nesta pesquisa cada grupo buscaram informações sobre a Hemodiálise, Composição da urina, C...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you