Issuu on Google+

Diário de três dias fora de casa Em Visita de Estudo Inês Leite

Maio de 2013


Agrupamento de Escolas de Oliveira do Douro: nº1 Escola EB/23 Adriano Correia de Oliveira Rua Castanheira do Ribatejo: 4430-784 Avintes/Vila Nova de Gaia

Centro de Recursos/ Biblioteca Escolar Inês Leite em Avintes, Vila Nova de Gaia, Porto, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira, Tui, Valença, Vila Nova de Cerveira, Porto, Avintes.


Preparação para a Visita de estudo Ao longo do ano letivo, eu a Ana Catarina, o David, a Débora, o Ricardo, Tiago, a nossa professora de português, a professora Georgina e com o professor Hilário fomos preparando a Visita de Estudo, que se veio a realizar no 3º período, com a ajuda da minha professora de português e de alguns pais que se voluntariaram para ajudar na iniciativa. Eu e os meus colegas, ao longo do tempo, fomos tendo ideias para angariarmos fundos. Algumas das nossas ideias foram: fazer alguns bolos para depois vendermos, a venda de rifas entre outras. O grande dia estava prestes a chegar e nós tínhamos que fazer as nossas malas para partirmos para a nossa grande aventura. Decidimos fazer esta Visita de Estudo porque tínhamos curiosidade em saber como seria fazer uma viagem para longe da nossa zona de conforto. Tínhamos como objectivo adquirir mais conhecimentos do que aqueles que já tínhamos. Tudo isto surgiu porque decidimos começar com o projecto “Diálogos Transmarinos”. Quando começamos falamos com pessoas do Continente Americano. Para esta visita fomos visitar e falar com pessoas do nosso país vizinho.


Durante a nossa Visita de Estudo Dia 7 de Maio De Manhã

No dia 7 de Maio pelas 7:30 da manhã, fomos todos para a Estação do Porto (Campanhã) para apanharmos o comboio com destino a Viana do Castelo. Após termos apanhado o nosso meio de transporte «fomos andando»... Paramos em várias estações: Ermesinde, Trofa, Famalicão e até Nine. Paramos em Barcelos e Barroselas até que chegamos ao nosso destino: Viana do Castelo.

Depois de passarmos por todas estas estações, fomos de Viana do Castelo até Vila Nova de Cerveira.

Foi nesta localidade que passamos a nossa estadia: Vila Nova de Cerveira.


Dia 8 de Maio De tarde Ainda em Viana do Castelo, demos um passeio para conhecer a zona e depois fomos ao shopping, visto que ficava muito próximo da estação de Viana do Castelo. Foi no shopping que acabamos por ficar a almoçar. Cada um de nós comeu a sua comida mas no fim fomos quase todos comprar um gelado para refrescar. No final do nosso almoço, fomos dar uma volta por todo o shopping para ficar a conhecer o espaço. De seguida, saímos do Centro Comercial e tiramos todos uma foto nas estátuas existentes em frente da estação.


Continuamos o nosso caminho até apanharmos o comboio que nos iria levar até ao nosso principal destino “ Vila Nova de Cerveira”. Depois de lá chegarmos avistamos uma escultura feita com imensas cadeiras (arte contemporânea), uma coisa que todos nós achamos muito interessante.

De seguida avistamos um parque onde estivemos, para podermos brincar e divertirmo-nos com todas as diversões lá existentes. Brincamos nos baloiços, no escorrega e em outros divertimentos igualmente divertidos. Foi muito fixe!


Aquamuseu

O Aquamuseu: Está dividido em 2 partes: nos aquários; no museu.

Aquários dois tipos de aquários:  Água doce – 6 aquários  Água salgada – 3 aquários


Água Doce Espécies: Truta normal

A Truta normal e a Truta arco-íris lutam constantemente por espaço e comida.

Truta arco-íris Pequena curiosidade: As trutas arco-íris crescem mais rapidamente do que a truta normal. Sendo assim as trutas normais ficam em desvantagem em relação às trutas arco-íris porque se reproduzem primeiro.

Problema dos pescadores As trutas só podem ser pescadas quando estiverem com, no mínimo, 19 centimetros. Os pescadores estão proibidos de pescar na zonas onde as trutas põem os ovos.

Curiosidade: As trutas arco-íris são encontradas nas zonas do alto rio. Espécies: Boga – boca interminável Escalo-do-norte – boca como a dos humanos Espécies introduzidas: Gabio/gudgeum


Zona média do rio Na zona média do rio existem peixes emigrantes. Rio: anádromos Mar: catádromos Nascem no rio: lampreias e salmões; Nascem no mar: caraibas – no tamanho adulto podem atingir no máximo 1,60m. Zona média do rio O ruivaco é autónomo e é obrigado a competir com os outros peixes. Esses peixes são: os pipões e as tencas. Os barbos vivem nos rios e não está em perigo. As carpas são provenientes do Continente Asiático. O axigam come exactamente os mesmos peixes que os pescadores tentam pescar.

Estuário do rio O peixe mosquito foi introduzido no rio ara prevenir doenças. O esganagata tem dois espinhos que usa para autodefesa.


Água Salgada Estuário: Tainhas; Negrões;

A tainha e os negrões são da mesma família.

Truta marisca; Pequena curiosidade: Os linguados são achatados e são da mesma cor que a areia.

Sapal Pequena curiosidade: No sapal existem muitos alimentos.

Peixes marinhos oportunistas: Douradas; Sarbo; Bodiões; Salmonete;

Ranhosa; Solha: usa os mesmos modos de camuflagem que o linguado; Julianas;


Mar – Praia de Moledo Sargo; Robalos; Bodiões; Sargo veado;

Margem do rio

Peixe Mosquito

Curiosidade: Os peixes mosquito comem larvas. Um apequena curiosidade é que as barbatanas ventais terminam antes da barbatana anal. Alimentam-se de insetos e detritos. O peixe Mosquito é vivíparo.

Se for macho pode atingir até 4cm de comprimento.

Se for femea pode atingir até 7cm de comprimento.


Anfíbios Alguns anfíbios que nos foram mostrados foram: Tritão de patas; Tritão de ventre; Rã verde; Rã – de focinho pontiagudo; Tritão marmoreado;


Museu No museu do Aquamuseu vimos vários instrumentos que os pescadores usavam antigamente. Foi super interessante!

Vimos canas de pesca, redes de pesca antigas e modos de pesca que os pescadores usavam que nós desconhecíamos.


Dia 9 de Maio De manhã Hoje de manhã, levantamo-nos e fomos tomar o pequeno-almoço. Tínhamos combinado ir até Espanha e perguntar às pessoas do nosso país vizinho como comemoravam o dia 9 de Maio.

De tarde Fomos até Espanha para saber mais coisas sobre os espanhóis e claro para fazer a pergunta que tínhamos preparado. Primeiro tentamos nós fazer a pergunta “Como festejam o dia 9 de Maio”, mas em português e claro que eles não perceberam. De seguida pedimos à nossa professora Amélia Rosa Macedo para nos ajudar. Então a professora foi ter com os espanhóis e fez a mesma pergunta e eles perceberam, mas infelizmente não celebravam o dia 9 de Maio. Tudo isto se passou em Tui, foi nessa localidade espanhola que ficamos a almoçar. Depois do almoço, fomos ver uma catedral grande e ficamos todos muito espantados com tamanha beleza. Quando entramos ficamos maravilhados com tantas estátuas que lá existiam. Fomos conhecendo a catedral e também fomos ouvindo as histórias que a professora ia contando sobre aquele maravilhoso local. Estávamos a ver uma exposição dentro da catedral de Tui. Depois fomos dar uma enorme caminhada pelo monte para conseguirmos chegar à estação de comboio para irmos finalmente para Vila Nova de Cerveira, novamente.


Dia 10 de Maio De manhã Dia 10 de Maio era o último dia em que estávamos na Pousada da Juventude em Vila Nova de Cerveira. Como sempre, levantamo-nos e tomamos o pequeno-almoço. De seguida fomos dar uma volta por Cerveira. Vimos uma biblioteca, um castelo, uma igreja e vimos lojas. Após termos visitado a biblioteca os rapazes foram o professor Hilário caminhar pelo monte.

De tarde Passado pouco tempo dos rapazes terem chegado, fomos todos almoçar. O almoço soube-nos muito bem! Para grande espanto nosso, a professora Amélia disse-nos que tínhamos que apanhar o comboio ás 14:05h. Fomos nós a correr o caminho todo até à Pousada para irmos buscar as malas, mas afinal quando chegamos lá é que nos disseram que o comboio era só às 14:58h. Que trabalheira!


Apanhados

A Ana Catarina a fazer pose

A Débora a tirar fotografia s

Que cara David!!!

para a camara.

Tiago França com a sua câmara

Ricardo muito concentrado, a jogar Pou.


Diário de três dias fora de casa