Issuu on Google+

Portef贸lio


10ยบ ANO


Contorno Cego


A tĂŠcnica do contorno cego consiste em observar atentamente um objeto ou figura e desenhĂĄ-los sem olhar para o papel.

Setembro de 2011, grafite A4.

Setembro de 2011, grafite A4.


Setembro de 2011, grafite A4.

Setembro de 2011, grafite 3B A4.


Setembro de 2011, grafite 3B A4.

Setembro de 2011, grafite 3B A4.


Setembro de 2012, grafite A4 (desenho de 1 minuto).

Setembro de 2012, grafite A4 (desenho de 2 minutos).

Setembro de 2012, grafite A4 (desenho de 3 minutos).


Setembro de 2012, grafite A4.


Setembro de 2011, grafite 4B A4.

Setembro de 2011, grafite 4B A4.


figura humana


JĂĄ feito o contorno cego partimos

O trabalho foi de procura,

para um tipo de desenho normal.

tentativa e enquadramento. Surge um novo tema: o desenho de modelo e o estudo da mĂŁo.

Outubro de 2011, grafite 8B A4.

Outubro de 2011, grafite 6B A4.

Outubro de 2011, grafite 4B A4.


Outubro de 2012, grafite A4.

Outubro de 2012, grafite A4.


Estudo do corpo: eixos e relações, Outubro de 2011, grafite A4.

Estudo do corpo: eixos e relações, Outubro de 2011, grafite A4.


Estudo da mão, Outubro de 2011, grafite A4.

Estudo da mão, Outubro de 2011, grafite A4.

Estudo da mão: diferentes posições, Outubro de 2011, grafite A4.

Estudo da mão, Outubro de 2011, grafite A4.


Formas Artificiais


Partimos para o estudo de formas artificiais. O objetivo era retomar alguns dos desenhos do contorno cego e tirar partido deles. Tivemos também como modelos panejamentos e pedras, explorámos as suas dobras, sombras e volumetria através de

pontos e linhas. Observámos ainda outros objetos do quotidiano: furador, tesoura, agrafador

e guarda-papéis. Novembro de 2011, grafite A4.


Estudo de um objeto tĂŠcnico, Novembro de 2011, grafite A4.

Estudo de um objeto tĂŠcnico, Novembro de 2011, grafite A4.


Estudo de um objeto tĂŠcnico, Novembro de 2011, grafite A4.

Estudo de um objeto tĂŠcnico, Novembro de 2011, grafite A4.


Estudo de um objeto pessoal, Novembro de 2011, grafite A4.

Estudo de um objeto pessoal, Novembro de 2011, grafite A4. Estudo de um objeto pessoal, Novembro de 2011, grafite A4.


Estudo de uma pedra, Novembro de 2011, caneta esferogrรกfica A4.


Estudo de um panejamento, Novembro de 2011, grafite A4.


Estudo de um objeto tĂŠcnico, Novembro de 2011, grafite A4.

Estudo de um objeto tĂŠcnico, Novembro de 2011, grafite A4.


Novembro de 2011, sanguĂ­nea A4.

Novembro de 2011, sanguĂ­nea A4.


Novembro de 2011, sanguĂ­nea A4.

Novembro de 2011, sanguĂ­nea A4.


Formas Naturais


O tema que se segue são as formas naturais.

Utilizámos diversos materiais, identificámos sombras e linhas. Observámos e desconstruímos. O nosso objetivo era procurar explorar todo o tipo de objetos concluindo assim o primeiro período do

10ºano.

Estudo do alho, Dezembro de 2011, carvão A4.

Estudo do alho, Dezembro de 2011, pastel seco A4.


Estudo do alho, Dezembro de 2012, caneta esferogrรกfica A4.

Estudo do alho, Dezembro de 2012, caneta esferogrรกfica A4.


Estudo da maçã, Dezembro de 2011, grafite A4.

Estudo da maçã: linhas, Dezembro de 2011, grafite A4.

Estudo da maçã, Dezembro de 2011, grafite A4.


Estudo da folha, Dezembro de 2011, grafite A4.

Estudo da folha, Dezembro de 2011, caneta esferogrรกfica A4.


Cartaz Audição final


Uma vez que a Audição Final se aproximava, foi-nos proposto que

fizéssemos um cartaz. Escolhi representar o violoncelo, um

instrumento que já tinha estudado, e, através dos seus ramos imaginários,

trabalhar a letra. Janeiro de 2012, tinta da china A3.


Bolo rei


O projeto proposto era, através de uma fotografia de um bolo rei, fazer uma representação variando os materiais e explorando-os de diferentes formas. Houve a preocupação de trabalhar o fundo, as

linhas, e a ideia de positivo e negativo.

Estudo do bolo rei, Janeiro de 2012, grafite A3.

Estudo do bolo rei (linhas e tramas) , Janeiro de 2012, grafite A3.


Estudo do bolo rei (positivo/negativo), Janeiro de 2012, tinta da china A3.

Estudo do bolo rei (positivo/negativo), Janeiro de 2012, tinta da china A3.


Estudo do bolo rei (positivo/negativo atravĂŠs da mancha), Janeiro de 2012, tinta da china A3. Estudo do bolo rei (positivo/negativo), Janeiro de 2012, tinta da china A3.


Estudo do bolo rei, Janeiro de 2012, lรกpis de cera A3.

Estudo do bolo rei, Janeiro de 2012, pastel de รณleo e lรกpis de cera A3.


Stencil


Neste projeto escolhemos uma fotografia que

gostávamos ou que tivesse para nós algum significado em especial. Primeiro ampliámos a imagem com o auxílio de uma grelha. Depois, utilizámos a grafite, a tinta

da china e o pastel de óleo.

Fevereiro de 2012, grafite A3.

Como produto final resultou um stencil: o recorte de formas e letras. Sobre ele, foi aplicada tinta em spray numa cartolina.

Fevereiro de 2012, tinta da china A3.


Fevereiro de 2012, pastel de 贸leo A3.


Violino


Inicia-se aqui o estudo dos instrumentos musicais. Os primeiros são os violinos. Era nos pedido que

estudássemos algumas das suas componentes e que depois fizéssemos uma composição. Os materiais usados foram variando. A preocupação fundamental era a introdução da cor.

Março de 2012, tinta da china e pastel de óleo A2.


Marรงo, tinta da china e aguarela A3.

Marรงo de 2012, caneta esferogrรกfica A4.

Marรงo de 2012, tinta da china e pastel de รณleo A3.


Acorde達o e cadeira


Centramo-nos agora no pouco conhecido acordeão e na forma de o combinar com uma cadeira.

Abril de 2012, carvão e grafite A2.

Variámos os suportes e os materiais. O desafio era

representar os dois em diferentes tamanhos e posições.

Abril de 2012, lápis de cor vermelho A3.


Abril de 2012, grafite A4.

Abril de 2012, lรกpis de cor A5. Abril de 2012, grafite A4.


Instrumentistas


De seguida, decidimos explorar o movimento e a dinâmica dos instrumentistas. Fomos observar dois colegas a tocar e desenhåmo-los à vista.

Maio de 2012, grafite A3.

Maio de 2012, grafite A3.


Sopros e Violoncelo


A última unidade deste ano letivo ainda abordou o mundo da música. Começámos por

representar o violoncelo, estudando as suas proporções e mudando-o de posição. De seguida, encontrámos um instrumento de sopro. Foi este o nosso último modelo.

Junho de 2012, sanguínea A3.

Junho de 2012, sanguínea A3.


Estudo de um trompete, Junho de 2012, pastel de 贸leo. Estudo de um trompete, Junho de 2012, l谩pis de cor e pastel de 贸leo.

Estudo de um trompete, Junho de 2012, tinta da china.


11ยบ ANO


Perspetivas


No início deste ano letivo foi abordado o estudo da perspetiva, já estudado por nós no 9ºano.

O objetivo era representar algumas partes da escola e arredores e, posteriormente, cenários imaginados.

Perspetiva de uma mesa, Setembro de 2012, caneta de feltro preta A3.

Setembro de 2012, caneta de feltro preta A3.


Setembro de 2012, caneta de feltro preta A3.

Setembro de 2012, caneta de feltro preta A3.


Paisagens


Estas paisagens imaginadas foram feitas através da técnica do blotting.

Outubro de 2012, tinta da china, corretor e ecolines A4.

Tínhamos que criar uma composição a partir de uma gota de tinta ou mancha acidental no papel. Combinámos diferentes materiais, embora tivéssemos que construir um conjunto, relacionando-as através de um elemento, cor, forma ou movimento repetido.

Outubro de 2012, tinta da china, corretor e ecolines A4.


Outubro de 2012, tinta da china, corretor e ecolines A4.

Outubro de 2012, tinta da china, corretor e ecolines A4.


Ilustração Científica


Esta unidade consistia em fazer uma representação de uma oliveira e de um plátano, como se de uma ilustração científica se tratasse. Este projeto diferenciou-se do outros por ser mais rigoroso e não apelar tanto à criatividade. O produto final foi uma prancha expositiva que colocámos na escola.

Ilustração científica de uma oliveira, Novembro de 2012, grafite A3.


Ilustração científica de um plátano, tinta da china, grafite A3.


Senhor Juarroz


No início do 2º período foi-nos apresentado o livro “O Senhor Juarroz”

de Gonçalo M. Tavares. O nosso trabalho foi ilustrar as aventuras e histórias da sua vida.

“Duas cadeiras”, Janeiro de 2013, tinta da china e caneta esferográfica A4.

“O organismo”, Janeiro de 2013, tinta da china e caneta esferográfica A4.


“A biblioteca”, Janeiro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica e ecolines A4.

“A música”, Janeiro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica e ecolines A4.

“A água a ferver”, Janeiro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica e ecolines A4.


“O árbitro”, Janeiro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica e ecolines A4.

“Educação e natureza”, Janeiro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica e ecolines A4.


Desenho a partir dos mestres


A partir de desenhos de grandes mestres da Histรณria da Arte, escolhemos alguns para estudar e

redesenhar. No decurso deste trabalho conheci alguns artistas que me despertaram o interesse.

A partir de Rafael Sanzio, Marรงo de 2013, caneta esferogrรกfica A3.

A partir de Leonardo da Vinci, Marรงo de 2013, grafite A3.


A partir de Edgar Degas, Março de 2013, grafite e carvão A3.

A partir de John Henry Fuseli, Março de 2013, carvão A3.


A partir de Edgar Degas, Março de 2013, carvão A3. A partir de Leonardo da Vinci, Março de 2013, caneta esferográfica A3.

A partir de Annibale Carraci, Março de 2013, sanguínea A3.


Estรกtua e Estatuetas


A última unidade deste ano letivo incidiu no estudo da figura humana, estátuas e estatuetas. O objetivo era explorar sombras, luz, cor, profundidade e volumetria.

Abril/Maio de 2013, sanguínea A3.

Abril/Maio de 2013, carvão A3.


Abril/Maio de 2013, carvão A3.

Abril/Maio de 2013, sanguínea A3.


Abril/Maio de 2013, carv達o A4.

Abril/Maio de 2013, grafite A4.


Desenho de modelo, Abril/Maio de 2013, tinta da china e caneta esferográfica A3.

Representação da estátua de Santa Cecília, Abril/Maio de 2013, grafite A3.


12ยบ ANO


Papel dobrado


O primeiro exercício deste ano letivo consistiu na

dobragem de uma única folha e a sua respetiva representação numa sequência, dobragem após dobragem. Da mesma folha dobrada, experimentou-se ainda sobrepor representações

tendo em conta o volume e a profundidade, podendo ser também trabalhado o fundo.

Papel dobrado, Setembro de 2013, grafite A3.

Depois era pedido uma representação de várias

composições de folhas de papel e de cartolina, tendo em conta os seguintes aspetos: a forma do papel em si e a oposição luz/sombra. O objetivo deste exercício era trabalhar e analisar um dos exercícios-tipo presentes no exame de Desenho A.

Papel dobrado, Setembro de 2013, grafite A3.


Papel dobrado, Setembro de 2013, grafite A3.

Papel dobrado, Setembro de 2013, grafite A3.


Papel dobrado, Setembro de 2013, tinta da china e caneta esferogrรกfica A3.

Papel dobrado, Setembro de 2013, tinta da china e caneta esferogrรกfica A3.


Papel dobrado, Setembro de 2013, tinta da china e caneta esferogrรกfica A3.

Papel dobrado, Setembro de 2013, tinta da china e caneta esferogrรกfica A3.


O olho em Grande plano


Com esta unidade pretendeu-se representar, aproximada e pormenorizadamente, um olho humano tipificado. Centrei-me em detalhes como a posição correta da pupila em relação

à pálpebra superior, a proporcionalidade do círculo da íris, os vincos, pregas e espessura das pálpebras em diferentes tamanhos e formatos. Depois exploraram-se

representações do olho real refletido em espelhos portáteis, variando os suportes. Foram feitas representações das mãos e autorretratos em superfícies convexas, com materiais tão diferentes como a grafite, o carvão, a sanguínea e o pastel de óleo. Outubro de 2013, grafite A5.


Outubro de 2013, grafite A4.

Outubro de 2013, grafite A3.


Outubro de 2013, grafite A3.

Outubro de 2013, sanguĂ­nea A3.


Outubro de 2013, pastel de 贸leo A5.

Outubro de 2013, carv茫o A3.


Composição futurista


Esta foi a última unidade do primeiro período. Começou com a observação e cópia a grafite de uma reprodução da pintura «Nu

descendo uma escada» de Marcel Duchamp.

De seguida, e após a apresentação de obras modernistas e futuristas, escolhemos um

motivo dinâmico para representar, capaz de exprimir o mesmo tipo de movimento fragmentado e de se relacionar com a linguagem gráfica dos exemplos dados.

Explorei três escalas diferentes, suportes e materiais variados. Uma vez já trabalhada, decidi usar a mão Cópia de “Nu descendo a escada” de Marcel Duchamp 1912, Outubro de 2013, grafite A3.

como elemento dado o seu dinamismo e

movimento naturais.


Composição futurista, Dezembro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica, pastel de óleo e grafite A4.

Composição futurista, Dezembro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica, pastel de óleo e grafite A3.


Composição futurista, Dezembro de 2013, tinta da china, caneta esferográfica, pastel de óleo e grafite A2.


Autorretrato


Através de uma fotografia de cada uma de nós, foi pedido que

fizéssemos um autorretrato em plano normal e em plano americano.

De seguida, representámos um colega e por fim construímos uma composição de

modo a trabalhar o fundo.

Plano normal, Janeiro de 2014, caneta esferográfica e caneta de feltro A3. Plano americano, Janeiro de 2014, caneta esferográfica e caneta de feltro A2.


Desenho de modelo, Fevereiro de 2014, caneta esferogrรกfica e caneta de feltro A3.

Desenho de modelo, Fevereiro de 2014, caneta esferogrรกfica e caneta de feltro A3.


Composição dos desenhos de modelo, Fevereiro de 2014, caneta de feltro A2.


Painel cer창mico


Cópia do padrão geométrico de Maria Keil, Março 2014, aguarela e guache, A3


Criação de um padrão a partir de Maria Keil, Março 2014, aguarela e guache, A3


Nesta unidade fomos desafiadas a levantar e recriar um trabalho de

um artista português. Numa visita de estudo ao Metro de Lisboa escolhemos um painel de azulejo que gostássemos e quiséssemos

desenvolver. Escolhi a estação do Campo Pequeno e os padrões geométricos de Maria Keil.

Recriação a partir do padrão criado, Março 2014, aguarela e guache, A4



Portefólio