Issuu on Google+

––

Reflexão dos três anos no curso

Maio/ Junho. 2012


Maio/ Junho. 2011

Índice 6 A Artista

Pequena entrevista

8 O 3º Período

Reflexão do trabalho realizado ao longo do período

10 Projeto Final

Processo Criativo e trabalho final

14 O Percurso em Artes Visuais

Reflexão dos três anos

16 O Novo Portfolio Site


Maio/ Junho. 2011

Editorial Para o último portefólio optei por fazer uma revista, visto que já conhecia o seu formato e que me tinha divertido imenso a fazer a anterior, não achei má ideia acabar o ano com a última edição de INÊS CAIXEIRO PORTEFÓLIO. Pelo facto de ser a última decidi fazer uma capa exclusiva e, para isso, trabalhei no

PhotoShop, seguindo um tutorial até chegar ao resultado final, que na minha opinião foi bom. Tal como a outra revista, tive que fazer vários esboços de maneira a que o resultado fosse novamente similar. No entanto, ao contrário dos outros portefólios este é muito mais pessoal e possui diversas reflexões, não só sobre este período, mas também sobre os três anos que tive em Artes Visuais. Nas páginas que se seguem pode-se encontrar todo o meu trabalho. Espero que seja do agrado do leitor.


Esde pequena que gosto de desenhar, mesmo quando estava doente era a única coisa que me alegrava. Quando acabei o 9º ano e tive que escolher a área para que ia, não tive dúvidas, era Artes. Considero-me uma pessoa que gosta de trabalhar e é focada no que faz, pois gosto de obter bons resultados, no entanto quando um trabalho não me agrada acabo por não dar tanta importância. Nos tempos livres gosto de ver filmes e séries, também gosto de ouvir música, estar com os amigos, ler e claro, desenhar e pintar. Após a conclusão do Ensino Secundário pretendo ir para Cinema ou para Multimédia. Sou uma pessoa que adora desenhar e pintar e que vou sempre gostar.



Neste perído trabalhamos os modelos de exame e foi muito útil, pois ao princípio os resultados não saíram muito bem, mas com o tempo foi melhorando Foi útil também porque podemos trabalhar em diversos materiai e, tenho que admitir que antes a tinta da china não era dos meus materiais preferidos, mas após a sua utilização percebi que afinal gosto do material, mas só se usar com aparo. Para além disto foi bom representar a transparência, visto que não é um material muito fácil de representar ao princípio tive dificuldades, mas mais uma vez consegui superá-las após termos feito algumas experiências. Neste período ainda trabalhamos no nosso projeto final, mas isso é um assunto para as próximas páginas.


George Bernard Shaw


ara o projeto final decidi fazer uma comparação entre o crescimento de um criança e os vários tipo de arte. Começei com dadaísmo, visto que este movimento se chama dada por serem as primeiras palavras que o bebe diz, optei por representar a criança até aos 2 anos. Para a idade dos 3 aos 5, representei cubismo, pois é nesta idade que a nossa personalidade começa a ser formada e o cubismo tem como principal caraterística a cara feita de várias perspetivas. Já dos 6 aos 8 anos optei por fazer minimalismo, visto que é nesta idade que aprendemos o mínimo, as bases que nos vão servir para o resto da vida.

EM CONSTRUÇÃO

Expressionismo, para este movimento representei dos 9 aos 11, pois é aqui que começamos a expressarmo-nos. Com o tão conhecido PopArt representei a idade dos 12 ao 14, visto que é nesta idade que tentamos descobrir quem realmente somos, daí os multiplos “eu’s”. Por fim na idade dos 15 aos 17 anos,


começamos a ter mais responsabilidades e a prepararmo-nos para atingir a maioridade, por isso representei o realismo. Neste trabalho foram utilizadas fotos minhas para representar as idades. Foi um trabalho que me deu muito muito gosto a fazer, embora tenha tido algumas dificuldades a representar o futurimo e o realismo, pois a nossa cara é sempre mais dificil a desenhar, temos que perceber quais são as nossas feições e torna-se mais complicado. Acho que o resultado final do trabalho ficou bom e está bem apresentado.


Quando entrei para o 10º ano em Artes Visuais estava muito entusiasmada, pois finalmente estava no curso que queria, ir às aulas já não era aborrecido, mas sim divertido. No primeiro ano do curso desenhava imenso no diário gráfico e os meus desenhos eram sobretudo a lápis de cor, acho que foi aqui que começei a

gostar realmente deste material. Nesse ano começei a testar os meus limites em desenho, a tentar ver o que conseguia fazer e supreendia-me. No 11º ano desenvolvi capacidades, aprendi a texturas, como utilizar adequada cada material e,

as minhas representar de forma se calhar o


o mais importante, aprendi a fazer um portefólio, a valorizar o meu trabalho. Já no 12º ano aprendi que o processo criativo é muito importante, aliás é indespensável em qualquer trabalho de artes plásticas, às vezes o seu valor ainda é maior do que o resultado final. Para concluir, evolui imenso desde que começei até agora, mas para isto ter acontecido tive que trabalhar muito, não desistir quando apareciam dificuldades à frente, aliás tentar ainda mais, pois só assim é que se consegue resultados. Um bom exemplo disto é diferença de como eu desenhava caras no 10º ano e como desenho agora, ainda não estão perfeitas, mas nota-se definitivamente uma melhoria. E assim, acabo o meu percurso em Artes Visuais, contente com o trabalho que fiz até agora e esforçar-me para continuar a melhorá-lo.

Janeiro.2007

Abril.2012

Maio.2011 Março.2010


Depois deste ano vou querer continuar a divulgar os meus trabalhos, por isso optei por fazer um portfolio mais profissional do que o anterior, O Mundo da Arte. Deste modo posso continuar a expor os meus trabalhos e fazer o que aprendi ao longo destes dois anos, como fazer um bom portfolio.


Imagem da capa- feita no PhotoShop atravĂŠs do tutorial http://10steps.sg/photoshop/creating-an-abstract-watercolorwallpaper/ Desenhos realizados por InĂŞs Caixeiro Revista baseada na Happy, Vogue e Cosmo Trabalho realizado para a disciplina de Desenho A Portfolio Maio/Junho.2012


Portfolio