Page 1

polícia

CADERNO C1 Terça-feira, 6 de maio de 2014

E-mail: jornalimpactoms@hotmail.com

Tentativa de suicídio foi no viaduto da Rua Ceará na faixa que dá acesso a Afonso Pena

SUPERLOTAÇÃO

TENTATIVA DE SUICIDIO

Presos aproveitam falha na segurança e fogem da cadeia pública de Nova Andradina

Advogado se joga do viaduto da Ceará

Na noite do último domingo (4), por volta das 20h20, um policial que prestava plantão na Delegacia de Polícia Civil constatou a fuga de seis detentos da Cadeia Pública de Nova Andradina. De acordo com o registro, um policial realizava ronda nos arredores da unidade quando, ao passar pela Rua Luiz Antônio da Silva, constatou um homem pulando o muro. O homem foi preso e encaminhado novamente para a cela do bloco II. Durante procedimento, o agente notou que uma barra de ferro da porta da cela estava cerrada e constatou a ausência dos presos Dione de Campos Bispano, José Fernando dos Santos, Ismael Batista Argilero Junior, Andrey Gonçalves Costa, Marcos Lima de Souza e Rodriallen Rodrigues de Alencar. Os sete presos que permaneceram na cela informaram que a fuga ocorreu na noite de sábado (3), por volta das 21h. Em revista ao interior da cela, os policiais encontraram na posse de um dos detentos, um aparelho celular e R$ 117 em moedas. Já com o preso que havia sido flagrado pulando o muro, foi apreendido um aparelho celular, R$ 6 em moedas, um frasco de 500 ml de bebida alcoólica e um pedaço de serra de aproximadamente 10 centímetros. Desconforto Recentemente, quatro homens armados, fizeram

guardas e funcionários reféns e explodiram o caixa eletrônico de um frigorífico localizado às margens da MS-134 em Batayporã. Três suspeitos foram presos pela Polícia Militar Rodoviária, na Rodovia Raposo Tavares, no município de Presidente Epitácio (SP). O delegado de policia de Batayporã, em companhia de outros policiais civis, se deslocou até o interior paulista a fim de acompanhar as investigações. Na oportunidade, o delegado conseguiu trazer para Batayporã o veículo utilizado na ação, algumas cédulas do dinheiro que continham vestígios de pólvora e roupas dos autores para serem periciadas. Cogitou-se a hipótese de cumprir o protocolo da ocorrência e transferir os suspeitos para a região de Nova Andradina, o que daria mais precisão nas investigações, fato que gerou certo desconforto no meio policial. Em recente declaração ao Nova News, autoridades já haviam declarado que tanto a cadeia de Batayporã quanto a de Nova Andradina não apresentam suporte necessário para acomodar presos de alta periculosidade. A Cadeia Pública de Nova Andradina apresenta capacidade para acomodar 24 presos, mas, atualmente, conta com 94 detentos, um número quatro vezes maior que o normal. Reprodução

A superlotação estimula tentativa de fuga constante na cadeia pública

CRIME HEDIONDO

Polícia prende assaltante que estuprou menina de 12 anos Um homem de 29 anos foi preso no último domingo (4), suspeito de roubar uma família e estuprar uma menina de 12 anos. O crime aconteceu na BR-163, em Mundo Novo. De acordo com nota divulgada pela Polícia Civil, Jorge dos Santos foi preso após a polícia realizar um cerco policial na região onde o crime aconteceu. Conforme a Polícia Civil, o pai e os dois filhos, um menino de nove anos e uma menina de 12 retornavam para casa em uma motocicleta. O suspeito teria abordado a família pedindo socorro. Ao pararem, eles foram rendidos por Jorge, que estava armado. O suspeito obrigou a família a seguir em direção

a uma estrada vicinal de acesso ao Paraguai. Durante o trajeto, eles caíram da motocicleta e o suspeito fez dois disparos em direção ao pai das crianças e arrastou a menina para uma plantação de mandioca. Ele teria estuprado a menina várias vezes. Foi feito um cerco policial para impedir a fuga do suspeito para o Paraguai e durante a noite, os policiais conseguiram prender o suspeito. Com ele foi apreendida uma pistola semiautomática, calibre 45. Jorge, conforme apurou o site Midiamax, possui diversas passagens policiais, inclusive mandado de prisão em aberto expedido pelo Poder Judiciário de Itaquiraí (MS).

Foto: Arlindo Florentino/Midiamax

O avanço das chamas foi devastador provocando a morte de pelo menos cinco membros de uma família

O Corpo de Bombeiros atendeu este ano pelo menos 19 casos de pessoas que se jogaram de algum local elevado

U

homem de 26 anos se jogou na manhã dessa segunda-feira (5), por volta das 6h30, do viaduto da Avenida Afonso Pena com a Rua Ceará, em Campo Grande. De acordo com testemunhas, A.J.K seguia na via sentido shopping ao centro. Ele estacionou seu carro, um Fiesta branco, e ao se aproximar da mureta do viaduto, teria se lançado para a pista de baixo. A possível tentativa de suicídio foi no viaduto da Rua Ceará na faixa que dá acesso a Afonso Pena. A vítima foi socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu (Serviço de atendimento Médico de Urgência), com suspeita de fratura de tórax e face. Ele foi encaminhado para a Santa Casa. OS NÚMEROS O Corpo de Bombeiros atendeu pelo menos 19 casos de pessoas que se jogaram de algum local elevado em Mato Grosso do Sul. É como são registradas as tentativas de suicídio. Este dado diz respeito ao dia 1º de janeiro deste ano até o dia 5 deste mês. Já no ano passado, houve nove atendimentos, sendo do primeiro dia do ano a 31 de dezembro de 2013. O número é considerado alarmante pelos socorristas. Além disso, todas as vítimas envolvidas neste tipo de ocorrência sofreram algum tipo de ferimento, tendo que ser encaminhadas a unidades hospitalares. Mesmo assim, não

houve registro de mortes. Há inúmeras possibilidades para que uma pessoa tome uma atitude como esta, como a depressão ou mesmo a expectativa que é criada sobre ela e ela não sabe lidar com a decepção. “Nosso trabalho é totalmente voluntário e estamos aqui para ajudar, a questão da propagação de fatos como este ou mesmo chacotas a quem tem dúvidas levam algumas pessoas a tomarem atitudes erradas e que possam se arrepender”, explica Roberto Sinai, responsável pelo setor de relações públicas do CVV. Ele conta que o Centro de Valoração atende a 60 ligações ao dia e que em época de Natal, Ano Novo, Dia das Mães e Carnaval, o atendimento chega a 80. “São datas comemorativas, quando muitas passam com familiares e para outros a data é considerada triste, seja porque não tem com quem passar ou porque teve a perda de algum parente nesta época”, explica e completa, “já no Carnaval tem muitas pessoas que acabaram se submetendo ao procedimento do aborto e que precisam desabafar sobre isso”. Roberto esclarece que qualquer atitude de ajuda sempre é vinda. “As pessoas precisam ser mais ouvidas e menos julgadas”, frisa. Além disso, ele comenta que o número de atendimentos no CVV aumentou nesta época pelo número de concursos públicos. “As pessoas criam expectativas demais sobre as ou-

tras, seja de um concurso, de um curso ou de uma chance de emprego, e quando isso não acontece, elas não sabem como lidar com a frustração. Há muitas ligações sobre fatos desta natureza, elas precisam desabafar, falar de medo e ansiedade, e isso vem muitas vezes de uma simples ligação”, comenta. VOLUNTÁRIOS Sinai revela que houve uma descentralização do CVV. “Agora o ‘Grupo de Amor e Vida’ não tem vínculo com São Paulo, mas continua atuando da mesma forma e estamos de postas abertas a receber mais voluntários. A nossa única reivindicação é que esta pessoa tenha bom coração para ajudar o próximo”, afirma. “Voluntários que tenham quaisquer tipos de necessidades especiais podem participar do CVV. Temos condições de ajudar a esta pessoa a ajudar outras”, fala. “Aqui ele vai cumprir uma jornada de quatro horas, uma vez por semana, em um horário de sua escolha, não atrapalhando a sua atividade”, completa. A atividade é totalmente voluntária e todas as ligações feitas ao Centro de Valoração à Vida são sigilosas. CRIMES Trotes para o telefone do Corpo de Bombeiros e até mesmo para serviços como o CVV são considerados crimes de “comunicação falsa de crime ou de contravenção”, previsto no artigo 340 do Código Penal, que prevê provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe

a ocorrência de crime ou de contravenção que sabe não se ter verificado. A penalidade é de detenção, prisão em regime semiaberto, de um a seis meses, ou multa. Já comentários maldosos ou mesmo incitações de como alguém pode cometer um atentado contra a própria vida ou que a diminua a tal ponto que ela comece a considerar a praticar este fato, também é considerado crime e está previsto no Código Penal Brasileiro. No artigo 122, prevê Induzimento que é, “induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça”, a penalidade será de reclusão, prisão em regime fechado, de dois a seis anos, se o suicídio se consumar ou reclusão, de um a três anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave. Além disso, a medida ainda ressalta dois agravantes que podem aumentar a pena de quem cometer tal ilícito. O caput do parágrafo único do artigo 122, diz que, a pena é duplicada: I - se o crime é praticado por motivo egoístico; II - se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência. SERVIÇO: Para ligar de Campo Grande para o CVV o número é 141. Para quaisquer outras cidades de Mato Grosso do Sul, os números são (67) 3383-4112 e (67) 3383-4113. Com informações do site Midiamax

9__  
Advertisement