Issuu on Google+

esportes UFC Natal

Shogun: Nariz quebrado e o fim da desconfiança Claro que quando Maurício Shogun e Dan Henderson subiram no octógono para a luta principal do UFC Natal, a primeira luta entre eles, dois anos e meio atrás, veio à mente. Fariam eles outra batalha épica de cinco rounds? O brasileiro aproveitaria seu melhor momento? Hendo conseguiria uma “Bomba H”? Eles precisaram de pouco mais de 2 minutos de estudo no primeiro round para mostrar que cumpririam as expectativas. Shogun mostrou nos dois primeiros rounds que a época da desconfiança, dos altos e baixos, da falta de gás, do cansaço precoce ficou para trás. Maurício achou o tempo e a distância para boxear, depois de testar os chutes baixos. Com isso, conseguiu dois knock-downs, um em cada round. O do segundo foi com um upper que apenas caras com queixo duro, como Dan, conseguiriam sobreviver. O árbitro Herb Dean por pouco não parou o combate. Mas quando tudo encaminhava para uma vitória tranquila para o brasileiro,

entrosar

Corintianos lamentam, mas esperam aproveitar mês de "folga" O Corinthians se despediu do Campeonato Paulista. Romarinho foi o grande destaque da partida, fazendo todos os gols. Apesar do resultado, o time entrou em campo sem nenhuma possibilidade de avançar para as quartas de final. Assim, o time terá quase um mês pela frente até o próximo jogo oficial, marcado para o dia 20 de abril, contra o Atlético-MG, pelo Brasileirão. Jadson reclamou do tempo em que ficará parado, mas destacou que o período pode ser benéfico ao time. "Nenhum jogador gosta de ficar só treinando. Mas vai ser importante, já que ficamos nessa posição no Paulistão. Tanto na parte física quanto tática. O Mano sabe o que faz. O Brasileirão é um dos campeonatos mais difíceis do mundo e temos que chegar bem entrosado". Até lá, o Corinthians pode sofrer mudanças. A diretoria busca reforços e outros atletas podem deixar o time, como o atacante Emerson Sheik.

Henderson mostrou porque ficou famoso pela potência na mão direita. Era a “Bomba H” fazendo mais uma vítima. Muitos podem falar que foi um golpe de sorte – ainda mais se analisarmos que Shogun acertou 75 golpes contra 32 do americano – mas não consigo ver dessa maneira, pelo menos não completamente. Todo mundo sabe da fama força da mão direita de Henderson, de como ele tem a capacidade de acabar com suas lutas com um único golpe. E foi isso que aconteceu. Se olharmos toda sua carreira, achamos um padrão. Ele se aproveitou de uma fração de segundo que teve para golpear o brasileiro, com um cruzado impressionante, que tirou seus pés do chão. Mas apesar da derrota, do nocaute, e do nariz destruído, como pode ser visto na foto acima. Shogun não saiu completamente derrotado. Ele foi vítima de um rival muito técnico e experiente, mas teve uma grande apresentação. O curitibano já está pronto para voltar a enfrentar os grandes nomes da categoria.

Paulista

CADERNO A8 Terça-feira, 25 de março de 2014

E-mail: jornalimpactoms@hotmail.com

Agora o São Paulo enfrentará o Penapolense pelas quartas de final do Paulistão, em partida que acontece no meio dessa semana

Muricy vê SP melhor para decisões e chance de ‘zebra’ contra grandes O São Paulo fechou a primeira fase do Paulistão neste domingo com vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, em Ribeirão Preto, com time repleto de reservas. Para o técnico Muricy Ramalho, o time que terminou essa fase inicial de estadual está muito acima do que iniciou o torneio, com alguns tropeços. O São Paulo chegou a demorar para conseguir consolidar um time. O principal motivo foi a reformulação que contou com cinco contratações para o time titular. Três delas já entraram: o uruguaio Alvaro Pereira, o volante Souza e o atacante Dorlan Pabon. Muricy avalia que tal encaixe, com entrosamento, é responsável pela evolução. "A gente melhorou no jogo contra o Santos e no jogo contra o Corinthians, no Pacaembu. Dá a esperança de que está muito melhor do que no começo. O time está mais entrosado do que antes. Animou no jogo contra Corinthians e Santos. O São Paulo já chega

Eduardo Knapp/Folhapress

Muricy Ramalho, técnico do São Paulo, cumprimenta Luis Fabiano

muito melhor do que no início do campeonato", avaliou o treinador, ainda em Ribeirão Preto, após o último jogo da primeira fase. Agora o São Paulo enfrentará o Penapolense pelas quartas de final do Paulistão, em partida que acontece no meio dessa semana. É o mesmo adversário das quartas de final do ano passado, que o time então com Ney Franco venceu por 1 a 0. Agora, o Palmeiras enfrenta o Bragantino e o Santos pega

a Ponte Preta. Para Muricy, os rivais são favoritos, mas há chances de que os times menos expressivos conquistem vagas para as semifinais. "Se fosse mata-mata, poderia falar em favoritismo. Mas uma partida só é complicado. Teve um ano, acho que há dois anos, que a Ponte Preta eliminou o Corinthians. Tudo pode acontecer. É muito difícil. Mas com certeza esses times, Santos e Palmeiras, são favoritos porque estão jogando

muito melhor que os outros", completou o técnico, relembrando o Paulistão de 2012, em que a Ponte Preta eliminou o Corinthians com vitória por 3 a 2 nas quartas de final. Muricy Ramalho ainda não deverá poder contar com Souza para o meio de campo. Por isso, Wellington, que atuou neste fim de semana, deverá formar o setor com Maicon. O lateral direito Douglas também é dúvida, e Luis Ricardo poderá ser mantido.


8__