Issuu on Google+

ESPORTES BRASILEIRÃO

Muricy soube usar as pausas do Brasileirão para as duas últimas Copas e acabou campeão com São Paulo e Fluminense

Em nova pausa, Muricy pode repetir feitos alcançados em 2006 e 2010

Renato Silvestre/Lance Press

O

técnico Muricy Ramalho parece ter a fórmula para aproveitar a pausa no Campeonato Brasileiro e fazer os ajustes necessários em sua equipe no período. Pelo menos em 2006 e 2010, quando estava no comando do São Paulo e Fluminense, respectivamente, os times deslancharam na volta da paralisação para a Copa do Mundo e foram campeões do Nacional. Nesta temporada, o Tricolor paulista ocupa a quarta colocação do Brasileirão, com 16 pontos somados em nove jogos. No ano da Copa da Alemanha, dez rodadas foram disputadas, e quando houve a parada, o São Paulo era o terceiro da tabela, com 20 pontos. Na volta, a equipe de Muricy venceu as suas duas primeiras partidas, assumiu a liderança na 12ª rodada e não saiu mais do topo. Foram apenas duas derrotas no período depois do Mundial daquele ano.

Aquele elenco contava com Rogério Ceni e Denilson, presentes também no grupo deste ano. Para a sequência da temporada de 2014, Muricy Ramalho está com o time praticamente fechado. Primeiro contratado da gestão de Carlos Miguel Aidar, o atacante Alan Kardec reforça a equipe tricolor depois da Copa

do Mundo. Por outro lado, a defesa preocupa bastante e virou prioridade da diretoria. Além da possível volta de Rafael Toloi, o nome de Diego Lugano ganhou força e é pedido pela torcida. O uruguaio chegou a entrar em campo no Brasileirão de 2006 pelo Tricolor, mas em agosto foi vendido para o Fenerbahçe (TUR). Esse ano,

ele teve seu contrato encerrado com o West Bromwich (ING) e disputará a Copa sem clube. Enquanto os dirigentes procuram por um defensor, os jogadores curtem férias antes da viagem para os Estados Unidos. Na volta do Brasileirão, a expectativa é para que Muricy repita o passado vencedor. Lance Press

UFC

Belfort foi flagrado em antidoping surpresa, diz comentarista O banimento da terapia de reposição de testosterona (TRT) agitou o mundo do MMA no início do ano e deixou perplexos os lutadores que se utilizavam do tratamento. Um dos maiores prejudicados com a medida foi Vitor Belfort, que perdeu a

oportunidade de disputar o cinturão dos médios do UFC com a proibição da TRT. Joe Rogan, comentarista oficial do UFC, afirmou, sem citar sua fonte, que o banimento só ocorreu porque Belfort foi flagrado em um exame antidoping surpresa

realizado em fevereiro. “Eles fizeram um teste aleatório com Vitor e ele estava com testosterona. Esse é o motivo pelo qual baniram a testosterona em primeiro lugar. Tudo isso foi abaixo quando ele testou positivo com a Comissão Atlética do Estado

de Nevada (NSAC). Antes, eles estavam considerando dar a ele uma isenção para a testosterona. Pelo fato de ele ter testado positivo, eles derrubaram todo o programa de testosterona”, revelou Rogan em seu podcast, The Joe Rogan Experience.

PREOCUPAÇÃO EFE

Real Madrid teme que CR7 agrave sua lesão durante a Copa Convivendo com problemas físicos nos últimos meses, Cristiano Ronaldo passou a ser um enorme motivo de preocupação para o Real Madrid. De acordo com o jornal "Marca", o clube merengue teme que o luso agrave sua lesão no joelho esquerdo ao forçar a participação no Mundial junto à seleção portuguesa, o que poderia gerar reflexos em suas condições físicas na próxima temporada. A publicação madrilenha afirma que o

problema no tendão da rótula do joelho esquerdo do português já vem se manifestando há alguns meses, mas jamais foi 100% curado pelo fato de CR7 não desejar perder jogos decisivos na reta final da temporada europeia. Ao não ficar parado pelo tempo necessário, Cristiano teria sobrecarregado o tendão, que poderia se romper em caso de mais esforço antes de ficar plenamente restaurado. Globo Esporte

CADERNO A4 Quarta-feira, 4 de junho de 2014

E-mail: jornalimpactoms@hotmail.com

PALMEIRAS

Nobre revela elogios de Gareca ao time: “Fica tranquilo, presidente”

Fernando Dantas/Gazeta Press

Apesar dos resultados pouco animadores nas últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro – derrotas para Botafogo e Chapecoense e empate contra o Grêmio -, o argentino Ricardo Gareca confia na força do elenco do Palmeiras. Quem garante isso é o presidente Paulo Nobre, que assistiu aos jogos contra Figueirense, Botafogo e Chapecoense na companhia do novo treinador alviverde. “Durante os jogos, ele me disse: ‘Fica tranquilo, presidente, o time do Palmeiras é muito interessante, muito aplicado e tem jogadores muito disciplinados’. Ele está muito animado para começar a trabalhar, o que, por consequência, deixa-me muito animado”, afirmou Nobre em entrevista coletiva concedida na Academia de Futebol, nesta segundafeira. O mandatário do Verdão acredita que a experiência do treinador de 56 anos no futebol será suficiente para que Gareca não enfrente problemas de adaptação ao Brasil. “Ele está há quase 40 anos militando no futebol, metade como jogador e

Ricardo Gareca assumirá o Palmeiras na 10ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 13 pontos

metade como técnico. Tem experiência suficiente para se adaptar rapidamente. Na primeira conversa que tivemos por telefone, ele quis saber a possibilidade de ter aulas de português para se comunicar com os jogadores, o que mostra o profissionalismo dele”, disse o presidente. Ricardo Gareca comandará seu primeiro treinamento no próximo dia 16, quando o elenco se reapresenta após as férias de duas semanas. A estreia do novo treinador acontecerá exatamente um mês depois, contra o Santos, na Vila Belmiro, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Gazeta Esportiva

REFORÇO

Ángel Romero aceita proposta do "poderoso" Corinthians: "Já dei o ok" Tudo indica que o Corinthians anunciará mais um reforço estrangeiro para o setor ofensivo: o paraguaio Ángel Romero. Na segundafeira, o atacante confirmou ter recebido propostas e revelou ter grande interesse em defender o Timão. A última pendência para a transferência é o Cerro Porteño, atual clube do jogador, que ainda não aceitou oficial-

mente negociá-lo. “Eu já dei o ok, da minha parte está tudo certo. Somente o Cerro precisa decidir e se decidirem que não, não vou. Estou em um bom momento, mas seria um passo grande (a ida ao Timão)”, afirma o atacante à rádio 730 AM. Ele ainda revela que o contrato com o Corinthians teria duração de quatro anos.


4__