Page 1

CADERNO A3 Segunda-feira, 26 de maio de 2014

E-mail: jornalimpactoms@hotmail.com

política

Na opinião do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) - Admar Gonzaga Neto, a profissão do vereador é de fé, porque ele é o representante do povo.

UCVMS

Autoridades reconhecem a força política dos vereadores

Fotos Jornal Impacto e Cristina Gomes

D

urante o V Congresso Nacional de Vereadores, realizado pela União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso do Sul (UCVMS), na Capital, nos últimos dias 21, 22 e 23, representativas lideranças do Estado e do País reconheceram a força política dos vereadores. Para o prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP, o evento ajudou a reforçar a visão sobre a importância do poder Legislativo. “O Legislativo precisa se rediscutir, evoluir e se transformar”, declarou ao observar que “agora o que precisa é uma relação de respeito e harmonia e isso em muitos municípios já se tem”. Segundo o deputado estadual Eduardo Rocha (PMDB), “os vereadores são os verdadeiros para-choques da classe política. São àqueles que têm contato todos os dias com a população. Com eles fortalecidos, estaremos fortalecendo toda a classe política”. A vice-governadora Simone Tebet (PMDB) afirmou que o vereador é o primeiro a ser abordado pela população. “O vereador é àquele que intermedeia, que está sempre buscando solucionar os problemas da cidade junto ao prefeito”, no entanto, lamentou “é àquele que é mais cobrado e é o menos reconhecido, porque quem leva os louros é o prefeito”. De acordo com Simone Tebet, encontros como o V Congresso Nacional de Vereadores do MS são importantes para conscientizar os vereadores sobre a força política que eles têm, sendo que muitos dos quais sequer se dão conta dessa força. O senador Magno Malta (PR/ ES) reconheceu que o vereador é a base, é o pilar de tudo. “A eleição para vereador é a mais difícil do mundo. O cara que ganha merece uma salva de palmas. Já o que é reeleito merece um busto e o que fica por mais de duas eleições já merece ser canonizado... O alicerce da nação é Câmara de Vereadores

Willams Araújo

Ministro Admar Gonzaga

Deputado estadual Eduardo Rocha

de cada município”, enalteceu. O vice prefeito Paulo Cezar Tucura, foi o responsavel pela vitória do prefeito Zé Cabelo, na ultima eleição. Paulo Tucura como é conhecido em Ribas do Rio Pardo, tinha uma candidatura ao cargo de prefeito garantida pelo partido(PMDB) e aprovado pela população rio-pardense, retirou sua candidatura para apoiar a do Zé Cabelo, isso ocorreu por entender que o grupo na época precisa de seu prestigio politico para vencer a eleição. “Quando retirei minha pré- candidatura a prefeito de

Satisfeito Embora apareça em terceiro lugar na pesquisa, o tucano Reinaldo Azambuja avalia como estimulantes os 22,8 das intenções de voto dadas a ele para governador. Último a declarar-se candidato ao Parque dos Poderes, começa a ter resposta positiva do eleitor sul-matogrossense ao seu nome. Outra questão que conta a seu favor é o fato de ser o menos rejeitado entre os demais adversários. Isso em pesquisa eleitoral é determinante no momento final da disputa.

Senador Magno Malta

Prefeito Gilmar Olarte

Ribas do Rio Pardo, houveram muitas indagações por parte de alguns amigos e correligionários do meu partido pedindo explicações sobre o meu apoio ao grupo do Zé, mesmo assim continuei a apoia-lo, porquê para mim compromisso é compromisso,o homem público tem que ter palavra. Hoje vejo que todo mundo foi enganado pelo atual prefeito Zé Cabelo”. ressaltou O que mais indigna Paulo Tucura, são as promessas de campanha que até hoje nem uma foi colocada em prática, foram só falacias, palavras

Vice-governadora Simone Tebet

jogadas ao vento. O atual vice prefeito vai continuar fazendo sua parte como cidadão riopardense, mesmo sem está no poder, para ele o novo grupo que está surgindo no Município vem ao encontro dos anseios da população. Na opinião do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) - Admar Gonzaga Neto - a profissão do vereador é de fé, porque ele é o representante do povo. Conforme ele “o vereador é um elo importante entre a vontade do eleitor e aquilo que ele quer que seja construído e que ocorra”.

Vice-prefeito de Ribas do Rio Pardo, Paulo Tucura

UNIÃO DE ESFORÇOS

ENCONTRO DE LÍDERES

Presidente da UCVMS desabafa durante V Congresso Nacional de Vereadores

Pedrossian orienta Olarte “como realizar um bom governo”

Jornal Impacto MS

Jeovani cobra maior participação das Câmaras para o fortalecimento da entidade

Em discurso proferido durante o V Congresso Nacional de Vereadores, realizado em Campo Grande, nos últimos dias 21, 22 e 23, o presidente da União das Câmaras de Vereadores do Mato Grosso do Sul (UCVMS), Jeovani Vieira, fez apelo e desabafo dirigidos principalmente aos presidentes das Câmaras Municipais do Estado. Frente à entidade há pouco mais de um ano, Jeovani Vieira disse que tem empreendido esforços para o fortalecimento e reconhecimento dos vereadores sul-mato-grossenses. “No segmento político somos a maioria, somando no Estado 833 vereadores. Mas apesar de eu ir pessoalmente as Câmaras Municipais, procurando conscientizar os ve-

readores de a necessidade de fortalecer sua entidade maior que é a UCVMS, não estamos recebendo um retorno satisfatório”, lamentou. Segundo o presidente, a UCVMS só está conseguindo superar as dificuldades financeiras, porque recebe grande apoio da Câmara Municipal de Campo Grande. Ele desabafou que “se não fosse o Mario Cesar, onde temos batido na porta, sendo socorridos sempre, não conseguiríamos honrar sequer com a nossa folha de pagamento”. Conforme informações prestadas por Jeovani, das 79 Câmaras Municipais, somente 29 são filiadas à entidade, o que atualmente resulta na arrecadação de R$ 11,8 mil. “Isso é uma vergonha para nós vereadores. É necessário termos consciência de que precisamos fortalecer a UCVMS, seguindo os exemplos dos 79 prefeitos sul-mato-grossenses que são, em 100%, associados à Assomasul [Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul]”. Existem prefeitos de cidades consideradas pequenas, ressaltou o presidente, que contribui com cerca de R$ 30 mil para a Assomasul. Exemplificando, ele citou Laguna Carapã. “Em contrapartida

os prefeitos recebem todo o respaldo que precisam de sua entidade maior em MS”, disse. Ações e metas Mesmo com todas as dificuldades que vem enfrentando, Jeovani logo que assumiu a presidência da UCVMS, investiu em ampla reforma de sua sede, além de adquirir um veículo para atender, em caso de necessidade, principalmente os vereadores do interior. Ainda neste mês, está prevista a implantação da “Sala do Vereador”, que será equipada com computador e demais recursos tecnológicos para servir de suporte aos vereadores. A recepção da entidade também está recebendo mobília nova. Com apoio do Governo do Estado, pretende-se até final do ano construir, na sede da UCVMS, um auditório com capacidade para 350 lugares. O projeto para a execução da obra já está pronto. Com recursos próprios, a entidade planeja ainda a construção de um hotel, evitando que as Câmaras tenham gastos com a rede hoteleira, visto que o valor das diárias que os vereadores recebem torna-se muito difícil arcar com custos de hospedagem.

O chefe do Executivo Municipal, que estava acompanhado do secretário municipal de Planejamento, Finanças e Controle, André Scaff, ouviu conselhos de Pedrossian, que aos com 85 anos demonstra serenidade em suas palavras e sabedoria em suas colocações. “Para atingir êxito em sua administração, componha uma boa equipe, mesmo com indicações políticas, pois se não der certo você tem o poder de reparar, e dê autonomia para que você permaneça o menor tempo no gabinete. Pois as demandas do coletivo devem ser acompanhadas na rua. É pisando nos bairros, olhando nos olhos da população e entendendo o que vai bem e o que não vai para buscar as soluções”, sugeriu o anfitrião. Pedro Pedrossian demonstrou satisfação com o rumo da gestão de Olarte e disse que para saber se um gestor vai bem tem que medir o grau de satisfação a partir das palavras da população. “Eu tenho escutado o que o senhor, em pouco tempo, tem feito. Fico feliz com as notícias que chegam até mim e vendo agora o senhor tão jovem e motivado me anima bastante. Um prefeito tem que ter energia e estar junto do povo. Espero que o senhor possa corresponder às expectativas de todos”, desejou.

O ex-governador alertou o prefeito para três questões que, segundo ele, são as mais delicadas enfrentadas por todos os prefeitos: a corrupção, a saúde pública e a mobilidade urbana. “Se o senhor tiver uma prioridade na saúde, o restante passa a caminhar, pois é o clamor da população. Sem saúde a pessoa não faz nada. A corrupção tomou uma proporção que assistimos todos os dias nos noticiários e o senhor precisa se proteger disso. Por fim, desde que estava na ativa já se falava que o metrô de superfície seria a solução dos problemas para Campo Grande, mas sabemos que bons e eficientes projetos de mobilidade trazem o resultado esperado no trânsito e esse fator não deve ser colocado como pauta para depois”, aconselhou. O prefeito explicou ao exgovernador como será o projeto da mobilidade urbana, que apesar de estar aprovado pelo Ministério das Cidades desde 2011, começará a sair do papel este ano com a assinatura do contrato de financiamento no próximo dia 9 de junho. “São R$ 180 milhões investidos em uma série de intervenções para dar maior fluidez ao transporte coletivo, incluindo recapeamento, viaduto e novos terminais”, detalhou Olarte.

Melhor opção O Partido da República tem difícil decisão pela frente. Ou indica um nome na chapa majoritária do petista Delcídio Amaral ou se alia a Nelsinho Trad (PMDB), mesmo sem ter à disposição uma boa vaga na chapa peemedebista. A segunda hipótese, se acontecer, será por interferência direta do governador André Puccinelli (PMDB) que, sem pedir segredos, diz que o PR vem por bem, por bem se incorporar à campanha do partido à sua sucessão. Papos de aranha Outro partido que precisa definir sua situação é o Partido Trabalhista Brasileiro. Seu presidente regional, Ivan Louzada, tem dito que tem convites do PT e do PSDB para composição na chapa majoritária. Porém, o canto da sereia vindo do lado peemedebista tem deixado o getulista inebriado. Tudo porque há correligionários espalhados por várias esferas do governo, o que dificulta a discussão e, consequentemente, um possível acerto com outro projeto. Sem discussão E o italiano está mesmo decidido a apoiar à reeleição de Dilma Rousseff (PT), mesmo que pra isso tenha que se licenciar do partido. No entanto, ainda torce para que os peemedebistas também o acompanhem em sua caminhada política. Porém, se o partido decidir em convenção o apoio à candidatura do socialista Eduardo Campos (PSB/PE), como vem prometendo, ele avisou que pedirá licença e vai cuidar dos preparativos do seu ‘palanquinho’ pró-Dilma. Alerta máximo Pelo ‘avant premiere’ da campanha que se aproxima, o nível promete ser um dos mais acirrados dos últimos tempos. Denúncias de todos os lados já começam a pipocar na mídia e devem, de certa forma, prejudicar ou vitimizar candidatos. Quem conseguir escapar ileso desse tiroteio levará grande vantagem sobre os adversários. Mas é bom ficar atento a tudo, pois o período é propício para desenterrar defuntos. Portanto, muita cautela nessa hora.


3__  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you