Page 1

política

CADERNO A3 Sexta-feira, 6 de junho de 2014

E-mail: jornalimpactoms@hotmail.com

DESASTRE AMBIENTAL

Senadores estiveram acompanhados dos prefeitos de São Gabriel do Oeste, Costa Rica, Rio Verde, Pedro Gomes e Camapuã

Senadores pedem apoio do Ministério da Agricultura para recuperação do Taquari

O

s senadores de Mato Grosso do Sul Ruben Figueiró (PSDB), Waldemir Moka (PMDB) e Delcídio do Amaral (PT), acompanhados dos prefeitos de São Gabriel do Oeste, Costa Rica, Rio Verde, Pedro Gomes e Camapuã, ouviram do ministro da Agricultura, Neri Geller, a promessa de apoio ao projeto de recuperação do Rio Taquari. Em reunião ocorrida na manhã dessa quinta-feira (5) no gabinete do ministro, os parlamentares expuseram a situação de desastre ambiental provocada pelo assoreamento do rio, problema que tem se agravado ao longo dos últimos 30 anos. O prefeito de São Gabriel do Oeste, Adão Rolim, presidente do COINTA (Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Taquari), informou o que tem sido feito pelo grupo. Segundo Rolim, o projeto inicial com previsão de equipamentos e custeio está estimado em R$ 42 milhões, ao longo de 5 anos. Neri Geller disse que o ministério pode apoiar os produtores por meio do programa ABC. Também garantiu que se houverem recursos previstos por meio de emendas parla-

Luis Carlos Campos Sales

mentares no Ministério da Agricultura para este projeto ele se compromete a lutar pela liberação junto à presidência da República. Para Neri Geller, não é interessante que a recuperação do Taquari seja incluída nas obras do PAC. O ministro ainda disse que o consórcio é a melhor forma de solucionar o problema e que é preciso dividir a responsabilidade entre municípios, estado, governo federal e produtor rural. “Não há mistério. É necessário fazer um trabalho topográfico nas microbacias e ter equipe competente, maquinário e óleo diesel para fazer a contenção das águas. É preciso principalmente vontade política”, disse o ministro da Agricultura. Para Waldeli dos Santos, prefeito de Costa Rica, a reunião foi muito produtiva em função da união dos três senadores em favor da recuperação do Rio Taquari. “Essas coisas acontecem quando há esse tipo de entrosamento entre prefeitos e parlamentares”, afirmou. Os senadores de Mato Grosso do Sul vão reunir-se em breve com os ministros da Integração Nacional, da Agricultura e do Planejamento para decidir sobre a possibi-

ENCONTRO

Willams Araújo Carrapato Aos poucos, o governador André Puccinelli (PMDB) vai aumentando o tamanho de seu ‘palanquinho’ de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). A bola da vez entre os peemedebistas é o vereador Vanderlei Cabeludo. Se dizendo ‘soldado de André’, ele está disposto a contribuir com a petista aqui no Estado. Ele, no entanto, manteve suspense sobre o candidato regional que irá apoiar. Pelo jeito, o senador Delcídio está no páreo. Os parlamentares expuseram a situação de desastre ambiental provocada pelo assoreamento do rio

lidade de realocação parcial dos recursos destinados via emendas parlamentares no orçamento de 2014 para o projeto de recuperação do Taquari. A intenção é permitir que o Ministério da Agricultura viabilize algumas ações ainda este ano. “O ministério da Agricultura pode se responsabilizar como repassador de recursos e fiscalizador. Mas é preciso ter todo o recurso necessário. Caso contrário, é queimar

dinheiro, porque sem continuidade, se perde o que já foi aplicado”, disse o ministro Neri Geller. Persistência de Figueiró - Os senadores Delcídio e Moka comentaram com o ministro que já estavam desestimulados em relação à recuperação do rio Taquari devido aos longos anos em que se arrastam propostas sem solução para o problema. “Figueiró, homem digno, com sua determinação trouxe

sangue novo quando assumiu o mandato e resolveu retomar o assunto com força total e aqui estamos”, disse Delcídio. Figueiró lembrou que o tema o preocupa desde a década de 80 e que quando foi Secretário Estadual de Agricultura implantou de forma bem sucedida um programa de microbacias do Alto Taquari, mas lamentou que o projeto não teve prosseguimento.

MEIO AMBIENTE Assessoria

Decretos fortalecem política estadual de gestão ambiental

Fotos Rachid Waqued

Aécio e produtores vão debater as demandas de Mato Grosso do Sul

Aécio se reúne na Famasul com setor produtivo de MS O senador por Minas Gerais e pré-candidato à presidente da República, Aécio Neves (PSDB), será recepcionado por representantes dos setores do agronegócio, da indústria e do comércio para debater as demandas de Mato Grosso do Sul. O encontro acontecerá nesta sexta-feira (6), às 11h30, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária (Sistema Famasul). O senador será recebido por dirigentes da Famasul, Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/ MS), Federação das Indústrias de MS (Fiems), Federação das

Associações Empresariais de MS (Faems), Federação do Comércio (Fecomércio), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), entre outras entidades.Para o presidente da Famasul, Eduardo Riedel, esta é a oportunidade do setor produtivo ouvir e levar suas demandas ao pré-candidato. “Precisamos de lideranças que sejam comprometidas de fato com o desenvolvimento brasileiro, que apresente propostas concretas e que se mostrem capazes de impulsionar o crescimento econômico e social do País”, considera Riedel.

DIREITO E JUSTIÇA

Comissão deve votar na terça mudanças em lei para facilitar solução de conflitos Entre 2010 e 2013 ocorreram 603 processos de arbitragem no Brasil, que somaram decisões sobre R$ 13 bilhões. Geralmente a arbitragem ocorre entre empresas, porque o processo é mais caro, e requer pareceres de especialistas e o acompanhamento de juristas. A comissão especial que ana-

lisa o projeto (PL7108/14) que propõe mudanças na Lei de Arbitragem (9.307/96) deve votar o parecer do relator, deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), na próxima terça-feira (10). Para o relator, a discussão está bem adiantada, e é possível que os deputados votem no mesmo dia.

O governador André Puccinelli e o secretário de Estado de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia, Carlos Alberto Said Menezes, assinaram ontem (5), em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, quatro decretos que fortalecem a política estadual de gestão ambiental e aprimoram mecanismos para a promoção da conservação ambiental. O evento foi no auditório do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). Destaque para o decreto que dispõe sobre o Cadastro Ambiental Rural de Mato Grosso do Sul e sobre o Programa MS Mais Sustentável. O Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o Programa de Regularização Ambiental (PRA) de imóveis rurais foram criados pela lei federal 12.651/2012 (Código Florestal). O decreto estadual regulamenta estas questões no âmbito do Estado por meio do Cadastro Ambiental Rural de Mato Grosso do Sul (CAR-MS) e do Programa MS Mais Sustentável, que constituem ferramentas das mais importantes no sentido de consolidar a segurança jurídica aos empreendedores rurais e à gestão ambiental do espaço rural em nosso Estado. “Por meio da sistematização do Cadastro Ambiental Rural (CAR), teremos um diagnóstico efetivo sobre a real situação do Estado. Saberemos exatamente a situação das áreas degradadas, as áreas preservadas e os procedimentos adequados a serem tomados. Estes decretos representam uma evolução científica ambiental em nosso Estado e contribuem para a preservação do meio

André Puccinelli: “Estes decretos representam uma evolução científica ambiental em nosso Estado”

ambiente, proporcionando o desenvolvimento e a produção em Mato Grosso do Sul sem passivo ambiental”, afirmou o governador. Os outros três decretos instituem Conselhos Consultivos em Unidades de Conservação: decreto que institui o Conselho Consultivo do Monumento Natural da Gruta do Lago Azul; decreto que institui o Conselho Consultivo do Monumento Natural do Rio Formoso (Ilha do Padre) e decreto que institui o Conselho Consultivo da Área de Proteção Ambiental

(APA) Rio Cênico Rotas Monçoeiras. Para o secretário de Estado de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia, Carlos Alberto Said Menezes, Mato Grosso do Sul avança nas questões ambientais. “Temos proporcionado qualidade e avanços nos mecanismos de preservação ambiental em nosso Estado, pensando também no desenvolvimento econômico aliado à sustentabilidade e à preservação do meio ambiente”, declarou Carlos Alberto.

Carlos Alberto: “Temos proporcionado qualidade e avanços nos mecanismos de preservação”

Holofotes Ao perceber possíveis manobras de correligionários rebeldes e contrários à candidatura de Antonio João Hugo Rodrigues (PSD) ao Senado na chapa majoritária a ser encabeçada pelo deputado federal Reinaldo Azambuja, a alta cúpula tucana se apressou e distribuiu nota à imprensa reafirmando o compromisso com o empresário. O ninho tucano sabe que, além das boas qualidades de Antonio João, o PSD dispõe de tempo invejável no programa eleitoral gratuito de rádio e televisão que começa em agosto. Número 1 O deputado estadual Zé Teixeira (DEM) poderá ter que disputar a vaga de vice na chapa do tucano Reinaldo Azambuja com o vereador Herculano Borges (SDD). Alinhado com o précandidato do PSDB ao Planalto, o partido pode exigir o cargo para poder reforçar a campanha em Mato Grosso do Sul. No entanto, o Democrata, além de ser liderança de maior expressão, tem um bom trecho à frente nessa disputa por ter se declarado pró-Reinaldo antes mesmo de ele se lançar governador. Stop Desde meados do ano passado que a população brasileira vem demonstrando seu descontentamento com os seus governantes e com a classe política de maneira geral. Exigem investimentos na saúde, educação, segurança pública, entre outros. Toda essa insatisfação desaguou, infelizmente, na Copa do Mundo. Mas em MS é diferente. Existe espaço até para discutir e proibir por lei tomar ‘tereré’ e comer ‘sobá’. Isso que é viver sem problemas. Boca de siri Os vereadores Paulo Siufi (PMDB) e Eduardo Romeiro (PT do B) defendiam a abertura da CPI da Folia como forma de dar uma resposta à sociedade sobre os gastos com o carnaval na gestão anterior. No entanto, se calam sobre a CPI aberta na Casa para investigar a máfia do câncer. Uma das primeiras comissões abertas pelos vereadores, a CPI da Saúde estranhamente recuou e ninguém mais fala no assunto. Por que será que todos se calam sobre isso?

3__  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you