Issuu on Google+

MUNICÍPIOS CAMPO GRANDE

Nesta etapa, serão investidos R$ 4 milhões em obras de controle de erosão, drenagem e pavimentação

CADERNO C2 Segunda-feira, 2 de junho de 2014

E-mail: jornalimpactoms@hotmail.com

RIO NEGRO Eduardo Lopes

Prefeitura inicia obras de contenção de enchentes e erosão no Cidade Morena

Marlon Ganassin

A

o participar do início das obras de contenção de enchentes e erosão no Bairro Cidade Morena e Jardim Novo Século, o prefeito Gilmar Olarte anunciou a última etapa de pavimentação do bairro, onde há mais de 30 anos a população residente na região próxima à Avenida Gury Marques, além da poeira e do barro, sofre com os alagamentos. "Vamos destinar parte dos R$ 35 milhões da segunda etapa do PAC da Requalificação das Vias Urbanas que conseguimos habilitar junto ao Ministério das Cidades, para completar a urbanização do bairro, resgatando uma dívida de três décadas do poder público com esta comunidade”, garantiu o prefeito. Nesta etapa, serão investidos R$ 4 milhões em obras de controle de erosão, drenagem e pavimentação, mas os recursos não são suficientes para asfaltar todo o bairro. Estão programadas obras de drenagem nas ruas Campos do Jordão até a Israelândia; da Israelândia entre a Campos do Jordão e a Inconfidentes; Rua Ubirajara Guarani entre a Israelândia e a Cana Verde; Rua Jaguariúna entre a Floreal e a Ubirajara Guarani; Rua Buenópolis entre a Avenida Alto da Serra até a Rua Cana Verde; travessa Gramados do seu início até a Rua Buenópolis; prolongamento da Rua Neferson Clair de Moraes, além da travessia da Avenida Gury Marques. O ato que marcou o início das obras, realizado na esquina das ruas Cana Verde e Buenópolis, foi prestigiado por lideranças comunitárias, além dos vereadores Chiquinho Teles, Curinga e Chocolate. Muitos empre-

Gilson e a primeira-dama Maria Luiza posando com o prêmio conquistado

Recepção da população de Rio Negro leva prefeito Gilson às lágrimas

Olarte anunciou que serão destinados R$ 35 milhões da segunda etapa do PAC da Requalificação das Vias Urbanas

sários estabelecidos na região, como o ex-vice-prefeito Oswaldo Possari, além de moradores, foram conferir a chegada das máquinas e tubulações. “Foram tantas as promessas nos últimos anos que não acreditei muito quando falaram que as obras começariam nesta sextafeira”, admite a dona de casa Marlei Chimatti . Residente há 30 anos na Rua Ubirajara Guarani, ela, o marido e os filhos já perderam o número de vezes que passaram a noite em claro, com a casa alagada e mudando de lugar os móveis para não estragarem. O servidor público Daniel Souza, residente na Rua Buenópolis,mesmo sob sol forte do início da tarde, foi prestigiar o início dos serviços “Esta é uma reivindicação de décadas. Significa o fim dos alagamentos, que

além de prejuízo aos moradores, praticamente impedia o acesso, nos dias chuvas, às empresas desta região”. Execução - A expectativa dos técnicos da Seintrha é de que em cinco meses esta etapa das obras esteja concluída. Serão investidos aproximadamente R$ 4 milhões em obras de drenagem no Cidade Morena e controle da erosão na nascente do Córrego Gameleira, destino final da enxurrada que desce de toda a região das Moreninhas e Santa Felicidade. “Esta é uma obra que não atende apenas a população das Moreninhas. É um projeto do interesse de Campo Grande, porque resolve os problemas de alagamento numa das principais vias de acesso da Capital, além de dar solução a um problema ambiental, uma voçoroca que

zefotograforochedo@gmail.com

coloca em risco um bairro inteiro, que é o Novo Século”, destaca o secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Semy Ferraz. As obras de controle de enchente no Cidade Morena estavam emperradas há mais de dois anos porque a Caixa Econômica Federal exigia o controle da erosão na nascente do Córrego Gameleira que recebe toda a enxurrada que desce das Moreninhas e do Bairro Santa Felicidade. O temor dos técnicos d a Caixa é de que a drenagem no Cidade Morena (onde há pontos de alagamentos) agravasse a erosão no Gameleira. A Prefeitura foi, então, em busca da autorização da Caixa para usar o saldo de recursos do PAC Lagoa na implantação de uma represa de contenção que vai estabilizar o processo erosivo.

Um fato sem precedentes emocionou a população da pacata cidade de Rio Negro. O prefeito Gilson Romano ao ser recepcionado ao retornar de uma viagem ao Estado da Bahia onde foi agraciado com um prêmio por ser um dos 30 melhores prefeitos do Brasil, ele foi às lagrimas. Gilson, que estava acompanhado da primeira-dama Maria Luiza Vieira, conquistou mais uma importante honraria como administrador público que respeita o eleitor (a): ele é reconhecidamente um dos 30 melhores prefeitos do Brasil, recebendo o Prêmio JK. Durante o evento, a notícia que já era boa ficou ainda melhor, pois Rio Negro é a 4ª cidade melhor administrada do País, fi-

cando atrás somente das cidades de Governador Celso Ramos/SC, Gramado/RS e Ouro Preto/MG, respectivamente. Visivelmente emocionado, o prefeito rio-negrense fez questão de dizer que “este prêmio é da população da cidade pantaneira que antes se quer aparecia nas pesquisas”. Convém destacar que recentemente ele já havia sido inserido entre os 100 melhores administradores do país. A forma ordenada e muito bem organizada com que Rio Negro vem sendo administrada tem chamado a atenção de outras localidades brasileiras. A população reconhece que “o prefeito Gilson Romano colocou Rio Negro nos trilhos e a cidade segue rumo ao desenvolvimento”.

SAÚDE DOS OLHOS

Prefeitura e Hospital Regional de Coxim vão realizar 91 cirurgias de catarata Eduardo Bampi

A prefeitura municipal de Coxim, por meio da Secretária Municipal de Saúde em parceria com o Hospital Regional Álvaro Fontoura, vão realizar 91 cirurgias de catarata. Os procedimentos serão feitos em duas etapas, uma foi realizada sexta-feira (30) e sábado (31), enquanto a segunda etapa está confirmada para a segunda quinzena de Junho. Conforme o secretário de saúde Rogério Souto, será atendido os pacientes cadastrados na fila de espera do Sistema Único de Saúde (SUS). Para o prefeito Aluizio São José (PSB) esta é uma ex-

celente oportunidade para que as pessoas com este problema ocular possam ser operadas com segurança, com toda a estrutura que o hospital oferece e de forma gratuita. Segundo o diretor geral do Hospital Regional, Marcelo Cesar de Arruda Ferreira, a Unidade Hospitalar tem buscado novas ações em diversas áreas médicas e cirúrgicas para melhorar o atendimento a população coxinense. “A nossa luta é diária, não paramos e estamos sempre trabalhando dentro do nosso orçamento”, afirmou o diretor. Eduardo Bampi


10_