Page 1

A"vidade(2

Infecções

Projeto

São$Paulo,$2013

Imunologia nas Escolas


$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ São$Paulo,$abril$de$2013
 Responsáveis$pela$revisão$deste$material
 Luciana$C.$Miro@$e$Carlo$MarAns 
 Diagramação
 Patricia$Santos

Sumário • Roteiro(do(Professor..........................................3 • Material(necessário(para(a(a6vidade................4 • Fichas(de(discussão...........................................5( • Roteiro(para(o(jogo:(células(da((
 resposta(imune................................................18( • Roteiro(para(a(a6vidade(prá6ca:
 cultura(de(células(............................................19 • A6vidade(para(Casa.........................................20

2


Roteiro$do$Professor Conceitos$estruturantes$da$aAvidade$Infecções: i.$O$microscópio$e$o$mundo$microscópico$(retomada$da$AposAla$1$ –$encontro$anterior); ii.$Microrganismos:$situações$em$que$causam$ou$não$infecções.$$$ Tipos$de$microrganismos$patogênicos; iii.$Infecção:$o$que$é;

apenas$aproximadamente$200$anos$mais$tarde$descobriuUse$que$ microrganismos$podem$causar$doenças; •Despertar$a$discussão$fazendo$perguntas$aos$alunos. Obje"vo:$os$alunos$estabelecerem$relações$entre$conceitos$prévios$ e$os$novos$conceitos,$favorecendo$a$(re)construção$dos$seus$conheU cimentos$associados$ao$tema.

iv.$Como$o$sistema$imune$responde$–$inflamação$U$base$da$resposU ta$imune;

2)(Discussão(das(fichas(em(grupos((1h)

v.$Possíveis$desfechos$da$infecção$U$cura$U$morte$U$infecção$crônica$U$ infecção$latente.

• Os$alunos$podem$ler$a$ficha$ou$o$monitor$pode$guiarUse$por$ela$e$ elaborar$a$discussão$a$parAr$de$perguntas$baseadas$no$texto;$

1)(Apresentação(em(data(show((10(min.).(Revisão$da$aAvidade$1$U$ “Mundo$Microscópico”

• Fazer$perguntas$para$esAmular$discussão$como:$quem$já$teve$ uma$infecção?$Qual?$Apresentar$algumas$doenças$para$cada$Apo$ de$microrganismo.

•AAvidade$para$toda$a$sala; •Começar$relembrando$que$a$invenção$do$microscópio$permiAu$a$ descoberta$do$mundo$microscópico$e$de$microrganismos.$Porém,$

3


3) Jogo(“Células(da(Resposta(Imune”((20(min.)

Material(necessário(para(a(a"vidade:

Ver$roteiro$completo$na$página$18.

• Apresentação$Power$Point$para$a$revisão$da$aAvidade$1;

4) (A"vidade(Prá"ca((20(a(30(min.)

• AposAlas;

Placas$de$cultura$de$microrganismos$da$nossa$microbiota.$Ver$roteiU ro$completo$na$página$19.

• Jogo$“Células$da$Resposta$Imune”;

4) Tarefa(para(Casa((5(min.)

• Placas$com$culturas$já$crescidas,$placas$estéreis$(mínimo$4),$cotoU netes,$caneta$permanente$para$escrever$nas$placas;$

Explicar$a$aAvidade$para$casa$nos$grupos.

• Filme;$

5)(Avaliação(da(a"vidade((5(min.)

• Tarefa$de$casa;

Os$alunos$devem$responder$o$quesAonário$e$dar$sugestões.$

• Avaliações.

6)(Vídeo(sobre(como(o(sistema(imune(responde(à(infecção$(cerca$ de$20$min.,$se$houver$tempo$no$fim$da$aula).$ O$objeAvo$é$esAmular$os$alunos$a$pensar$sobre$a$dinâmica$da$resU posta$imune$durante$uma$infecção.$O$professor$deve$ir$apontando$ e$fazendo$alguns$comentários$ao$longo$da$exposição$do$vídeo.$É$imU portante$$trabalhar$com$o$conceito$de$especialização$celular,$pois$ muitos$alunos$não$compreendem$bem$que$cada$célula$tem$uma$ função$bastante$específica$e$única.$É$possível$fazer$referências$a$siU tuações$do$coAdiano$e$requisitar$aos$alunos$que$façam$estas$comU parações$para$entender$como$eles$estão$compreendendo$e$reforU mulando$este$conceito.$O$vídeo$demonstra$a$dinâmica$da$resposta$ imune$à$infecção,$ressaltando$que$é$um$trabalho$de$cooperação$enU tre$os$diversos$componentes$do$sistema$imune.$

4


A$maioria$dos$microrganismos$causam$doenças? NÃO.*A*maioria*dos*microrganismos*não*causam*doenças*e*são*nossos*parceiros*evoluDvos. Em(nosso(corpo(temos(10(vezes(mais( bactérias(do(que(células(humanas.(

100.000.000.000.000 bactérias 10.000.000.000.000 células

Os*microrganismos*que*habitam*nosso*corpo*formam*a*nossa*microbiota,*que*tem*função*importante*para*a*nossa*saúde.* Eles*localizam?se*principalmente*na*super@cie*da*pele*e*no*sistema*digestório*(boca,*estômago,*intesDno).

Intes6no

Estômago

Pele

O(que(aconteceria(se(eliminássemos(nossa(microbiota?( 5


Microbiota$humana

25.000 genes humanos 1.000.000 genes bacterianos

Imagem:*adaptada*de**hKp://protomag.com/assets/gut?microbiota?our?naDve?ora?page=3

6


Exercício O*recipiente*contém*um*caldo*de*cultura.*O*que*você*acha*que*vai*acontecer*depois*de*um* dia,*em*temperatura*ambiente? A

B

?

? D

C

?

? Imagens*adaptadas*de:*hKp://www.handipoints.com 7


Mudança$de$paradigma$ No*início*século*XIX,*prevalecia*a*Teoria*da*Geração*Espontânea:*seres*vivos*são*gerados*de* matéria*não?viva,*como*a*poeira*do*ar,*por*exemplo.

OBSERVAÇÃO

Problema

Ao$microscópio:$há$micróbios$ no$ar.$Eles$podem$putrefar$$$ carne,$leite,$vinho$e$cerveja.

A*Teoria*da*Geração*Espontânea* de*Aristóteles*não*explica*de**** forma*saDsfatória*a*ocorrência** de*doenças*contagiosas.

Louis$Pasteur$(1822U1895)

E M I C HE

HIPÓTESE Os$mesmos$micróbios$$$$$$$$ presentes$no$ar$podem$$$$$$ causar$putrefação$e$
 também$doenças.

EXPERIMENTAÇÃO Dois$tubos$contendo$caldo$nutriAvo$foram$aquecidos$até$matar$ possíveis$microrganismos.$Um$tubo$foi$aberto$e$outro$manAdo$ selado.$Somente$o$caldo$do$tubo$aberto$entra$em$putrefação.$ O$caldo$manAdo$selado$só$entra$em$putrefação$após$aberto.$

N

O V O

O T N

N O CCONCLUSÃO

Microrganismos$não$são$geraU dos$espontaneamente.$A$$$$ Teoria$da$Geração$$$$$$$$$$$$$ Espontânea$não$é$válida. 8


Curiosidade$ Assim*surgiu*a*PASTEURização:*processo*que*elimina*microrganismos*patogênicos*de* alimentos.*

Embalagem$selada$hermeAcamente$ para$evitar$nova$contaminação

Exemplo:$leite$de$vaca

Aquecer 65°C$por$30$minutos$ ou$ 75°C$$por$20$segundos

9


História$do$jaleco$branco Nos*dias*atuais*é*di@cil*desvincular*a*imagem*do*profissional*da*saúde*do*jaleco*na*cor*branca.* Entretanto,*a*cor*branca*e*o*jaleco*são*recentes*na*história*da*medicina.* Há*200*anos,*os*jalecos*dos*médicos*eram*de*cor* escura*e,*quanto*mais**manchado*de*sangue*fosse* o*avental,*mais*respeitado*era*o*profissional*pela* comunidade,*indicando*muitos*feitos*na*profissão.

Robert$C.$Hincley,$1893$

Jan$Steen,$século$XVII$

Rembrandt$van$Rijn,$1632$ 10


O$mundo$microscópico$e$as$novas$descobertas No*século*XIX,*uma*doença*chamada*de(febre(puerperal(acomeDa*mulheres*no*período*após* o*parto,*sobretudo*quando*o*procedimento*era*realizado*em*hospitais,*causando*a*morte*de* milhares*de*mulheres*e*crianças.

Frase(do(diário(do(médico(Semmelweis((1818A1865)(sobre(a( doença: Dezembro(de(1846.(Por(que(é(que(tantas(mulheres(morrem( com(esta(febre,(depois(de(partos(sem(quaisquer(problemas?( Durante(séculos,(a(ciência(disse@nos(que(se(trata(de(uma(epide@ mia(invisível(que(mata(as(mães.(As(causas(podem(ser(a(altera@ ção(do(ar,(alguma(influência(extraterrestre,(ou(algum(movi@ mento(da(própria(Terra,(como(um(tremor(de(terra.

Fonte:*Enciclopédia*das*Grandes*Invenções*e*Descobertas,*1967

11


O$mundo$microscópico$as$novas$descobertas Semmelweis*reparou*que*um*amigo* morreu*com*os*mesmos*sintomas*da* febre*puerperal.*A*doença*se*manifes? tou*depois*que*ele*se*acidentou*com*o* bisturi*enquanto*dissecava*cadáveres.

OBSERVAÇÃO

HIPÓTESE Com*o*raciocínio* aguçado,*o*médico* supôs*que*a*febre* poderia*ser*transmi? Dda*pelo*contato.

EXPERIMENTAÇÃO Ele*propôs*a* lavagem*das* mãos*entre*os* procedimen? tos.

Com(base(nas(suas(observações(e(na(sua(hipótese,(Semmelweis(impôs(a(seguinte(regra(no( hospital(onde(trabalhava: A(parKr(de(hoje,(15(de(maio(de(1847,(todo(estudante(ou(médico(é(obrigado,(antes(de(entrar( nas(salas(da(clínica(obstétrica,(a(lavar(as(mãos,(com(uma(solução(de(ácido(clórico,(na(bacia(( colocada(na(entrada.(Esta(disposição(vigorará(para(todos,(sem(exceção. 12


O$mundo$microscópico$as$novas$descobertas RESULTADO Houve(grande(redução(das(mortes.

CONCLUSÃO Hoje(sabemos(que(a(febre(puerperal( ocorria(porque(as(mulheres(eram(in` fectadas(por(bactérias(presentes(nas( mãos(sujas(dos(médicos(e(seus(intru` mentos(cirúrgicos,(pois(antes(de(exa` miná`las,(eles(faziam(autópsias.

NOVO CONHECIMENTO

Ao*obrigar*médicos*e** estudantes*de*medicina* a*lavarem*as*mãos,* Semmelweis*foi*expulso* do*hospital*e*obrigado*a* deixar*Viena.*Magoado* pela*indiferença*dos**** colegas,*escreveu*cartas* aos*obstetras*denuncian? do*as*irresponsabilida? des*e*culpando?os*pelos* assassinatos.*Foi*chama? do*de*louco*e*morreu** depois*de*ter*sido******** internado*em*um******* hospital*psiquiátrico.

13


Patógenos:$microrganismos$que$causam$doenças

Patógenos Há*muitos*microrganismos*que*causam*** doenças.*Esses*são*chamados*de************** patógenos.*Após*o*rompimento*da********* barreira*@sica*e*química*que*protege*nosso** corpo*(a*pele,*por*exemplo),*os*agentes******** infecciosos*penetram*no*organismo*e*se* mulDplicam,*esDmulando*o*sistema*imune.* No*início*de*uma*infecção*a*quanDdade*de*** patógenos,*geralmente,*é*baixa.*

14


Agentes$causadores$de$infecções$no$organismo$ Vírus

Fungos

Bactéria

agentes$$ patogênicos

Parasitas

Imagens:$(1$e$2)$Portal$G1$Ciência$e$Saúde;$(3)$hwp://www.not1.xpg.com.br;($4)$Revista$Galileu. 15


O$que$é$infecção Quando*o*organismo*é*colonizado*por*um*microrganismo*que*causa*doença.*

Microrganismos*podem*entrar*no*corpo*por*meio: • do*ar • da*água • dos*alimentos • do*sangue • por*lesões*na*pele*ou*mucosas*(oral,*uro?genital,*gastro?intesDnal)

O(microrganismo(u6liza(o(hospedeiro(para(se(mul6plicar.(( Como(o(sistema(imune(reage?

16


Resposta$imune$na$infecção ONDE(ocorre:*no*local*da*infecção,*nos*linfonodos*e*na*circulação**

Fonte:*Imunologia**Celular*e*Molecular,*Abbas*et(al. 17


Roteiro$para$o$jogo:$células$da$resposta$imune 1.Apresentar$os$microrganismos$(bolinhas$vermelhas)$e$retomar$o$ conceito$de$ANTÍGENO.$Sugerir$que$estaremos$simulando$uma$$$ primoinfecção$em$um$indivíduo$imunocompetente.

2.Qual$é$a$primeira$célula$que$se$apresenta$na$resposta$imune$iniciU al?$Retomar$a$resposta$imune$inata$e$falar$sobre$o$MACRÓFAGO.

5.O$LINFÓCITO$T$também$esAmula$o$LINFÓCITO(B,$aAvandoUo.$

6.O$LINFÓCITO$B$aAvado,$se$transforma$em$plasmócito$(célula$proU dutora$de$ANTICORPOS).$

3.O$macrófago$FAGOCITA$o$microrganismo$e$expressa$em$sua$$$$$ superycie$fragmentos$deste$microrganismo$(ANTÍGENO)$que$serão$ apresentados$ao$LINFÓCITO(T.$

7.Os$anAcorpos$facilitam$a$eliminação$do$an~geno$e$do$microrganisU mo,$por$exemplo,$neutralizandoUo.

4.O$LINFÓCITO$T$pode$aAvar$o$LINFÓCITO(T(Killer$que$vai$provoU car$a$lise$das$células$infectadas.$

8.Num$segundo$contato$do$indivíduo$com$o$mesmo$microrganisU mo,$temos$uma$resposta$imune$mais$potente$e$rápida:$RESPOSTA$ ADQUIRIDA.$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

18


Roteiro$da$aAvidade$práAca:$cultura$de$células a)$Placas$para$cultura$de$bactérias$e$fungos:$ 1.$Cada$grupo$deve$ficar$com$uma$placa$estéril$feita$com$meio$sóliU do$(ágar)$para$cultura$de$bactérias$e$fungos,$dividida$em$quatro$ quadrantes$para$melhor$aproveitamento;$ 2.$Esfregar$cotonete$em$regiões$escolhidas$(para$regiões$secas$umeU decer$o$cotonete).$Sugestões:$mucosa$oral,$língua,$pele$(mãos,$pés,$ rosto$e$embaixo$das$unhas),$bancada$do$laboratório.$Deixar$os$aluU nos$escolherem$o$local.$Abrir$a$placa$e$passar$o$cotonete$em$um$ quarto$da$superycie$do$ágar$cuidadosamente$para$não$rasgáUlo;$ 3.$Esperar$secar$e$fechar$a$placa.$As$placas$vão$para$estufas$a$37°C$ por$24h$$(laboratório); 4.$Mostrar$placas$prontas:$placas$contaminadas$da$mesma$maneira$ e$colocadas$na$estufa$a$37°C$por$24h.$Observar$o$crescimento$de$ colônias$de$fungos$e$bactérias$nestas$placas;

Comentar$com$os$alunos$que,$apesar$de$não$ser$possível$enxergar$ uma$$$bactéria$$$ou$$$um$fungo,$$a$olho$nu$podemos$enxergar$suas$ colônias.$

19


ADvidade*2:*Infecções ADvidade*para*Casa Aluno:__________________________________*Turma:____*Data:*__/__/___ A$tarefa$deverá$ser$entregue$à$Profa.$Maria$Tereza,$dentro$de$15$ dias.$A$correção$será$feita$pela$equipe$do$Projeto$Imunologia$nas$ Escolas$e$depois$você$terá$o$retorno.$Caso$queira,$você$poderá$faU zer$esta$aAvidade$em$dupla.

Texto(1
 Bactéria$KPC,$a$superbactéria
 Portal$Drauzio$Varella


Instruções:

Texto(2
 Casos$de$infecção$por$bactéria$KPC$estão$controlados,$afirma$SecreU taria$de$Saúde$em$SC
 Uol$no~cias$–$12$de$fevereiro$de$2012


1)$Leia$a$seguir$as$matérias$jornalísAcas$que$tratam$da$infecção$ pela$“superbactéria”$chamada$KPC.$Escreva$um$texto$contendo: • as$razões$que$tornam$as$infecções$por$essa$bactéria$um$grave$proU blema$de$saúde$pública; • em$que$locais$a$bactéria$pode$ser$encontrada$e$de$que$maneira$ as$pessoas$podem$ser$infectadas; • os$fatores$que$levaram$ao$surgimento$dessas$bactérias$fatores$ que$podem$tornar$pessoas$mais$susce~veis$à$bactéria;

Texto(3
 Casos$de$infecção$por$superbactéria$KPC$crescem$no$país
 Uol$no~cias$–$29$de$março$de$2012


• que$cuidados$devem$ser$tomados$para$evitar$a$propagação$desU sas$bactérias; • qual$o$estado$atual$de$infecção$pela$KPC$no$país$.

20 20


Texto(1 Bacteria(KPC,(a(superbactéria
 Do*Portal*Drauzio*Varella

A$bactéria$KPC$(Klebsiella$Pneumoniae$ Carbapenemase)$,$a“superbactéria”,$foi$ idenAficada$pela$primeira$vez$nos$Estados$ Unidos,$em$2000,$depois$de$ter$sofrido$ uma$mutação$genéAca,$que$lhe$conferiu$ resistência$a$múlAplos$anAbióAcos$(aos$carU bapenêmicos,$especialmente)$e$a$capacidaU de$de$tornar$resistentes$outras$bactérias.$ Essa$caracterísAca$pode$estar$diretamente$ relacionada$com$o$uso$indiscriminado$ou$ incorreto$de$anAbióAcos. A$bactéria$KPC$pode$ser$encontrada$em$ fezes,$na$água,$no$solo,$em$vegetais,$cereU ais$e$frutas.$A$transmissão$ocorre$em$ambiU ente$hospitalar,$através$do$contato$com$seU creções$do$paciente$infectado,$desde$que$ não$sejam$respeitadas$normas$básicas$de$ desinfecção$e$higiene. A$KPC$pode$causar$pneumonia,$infecções$ sanguíneas,$no$trato$urinário,$em$feridas$ cirúrgicas,$enfermidades$que$podem$evoluU

ir$para$um$quadro$de$infecção$generalizaU da,$muitas$vezes,$mortal. Crianças,$idosos,$pessoas$debilitadas,$com$ doenças$crônicas$e$imunidade$baixa$ou$ submeAdas$a$longos$períodos$de$internaU ção$hospitalar$(dentro$ou$fora$da$UTI)$corU rem$risco$maior$de$contrair$esse$Apo$de$ infecção. A$resistência$aos$anAbióAcos$não$é$um$feU nômeno$novo$nem$específico$da$ espécieKlebsiella.$Felizmente,$esses$gerU mes$mulArresistentes$não$conseguem$proU pagarUse$fora$do$ambiente$hospitalar. Sintomas
 Os$sintomas$são$os$mesmos$de$qualquer$ outra$infecção:$febre,$prostração,$dores$no$ corpo,$especialmente$na$bexiga,$quando$a$ infecção$aAnge$o$trato$urinário,$e$tosse$ nos$episódios$de$pneumonia. DiagnósKco
 A$confirmação$do$diagnósAco$se$dá$por$ meio$de$um$exame$de$laboratório$que$ idenAfica$a$presença$da$bactéria$em$mateU rial$reArado$do$sistema$digesAvo.$InfelizU mente,$nem$todos$os$hospitais$estão$suficiU entemente$aparelhados$para$realizar$esse$ exame.

Prevenção
 A$prevenção$é$fundamental$no$controle$da$ infecção$hospitalar.$Por$isso,$todos$os$paciU entes$portadores$da$bactéria$KPC,$mesmo$ que$assintomáAcos,$devem$ser$manAdos$ em$isolamento. Lavar$as$mãos$com$bastante$água$e$sabão$ e$desinfetáUlas$com$álcool$em$gel$são$mediU das$de$extrema$eficácia$para$evitar$a$propaU gação$das$bactérias.$Esses$recursos$devem$ ser$uAlizados,$tanto$pelos$profissionais$de$ saúde$que$lidam$com$os$doentes,$como$peU las$visitas. Outras$formas$de$prevenir$a$propagação$ das$bactérias$incluem$o$uso$sistemáAco$de$ aventais$de$mangas$compridas,$luvas$e$ máscaras$descartáveis,$sempre$que$houver$ contato$direto$com$os$pacientes,$a$desinU fecção$roAneira$dos$equipamentos$hospitaU lares$e$a$esterilização$dos$instrumentos$méU dicoUcirúrgicos. Tratamento
 Existem$poucas$classes$de$anAbióAcos$que$ se$mostram$efeAvas$para$o$tratamento$das$ infecções$hospitalares$pela$bactéria$KPC.$ Daí,$a$importância$dos$cuidados$com$a$preU venção.
 21


Recomendações
 *$Lave$as$mãos$com$frequência,$especialU mente$antes$e$depois$de$entrar$em$contaU to$com$pessoas$doentes;
 *$Só$tome$anAbióAcos$se$forem$prescritos$ sob$orientação$médica;
 *$Saiba$que$a$maioria$das$infecções$respiraU tórias$não$é$causada$por$bactérias,$mas,$ sim,$por$vírus$sobre$os$quais$os$anAbióAU cos$não$exercem$nenhum$efeito;
 *$Mantenha$as$visitas$afastadas$dos$pacienU tes$infectados;
 *$Higienize$as$mãos$com$álcool$gel,$semU pre$que$possível;
 *$Esteja$atento$à$nova$regulamentação$da$ Anvisa$sobre$o$uso$dos$anAbióAcos;
 *Procure$reduzir$ao$mínimo$necessário$as$ visitas$e$consultas$nos$hospitais.

Texto(2 Casos(de(infecção(por(bactéria(KPC(estão( controlados,(afirma(Secretaria(de(Saúde( em(SC Do*Portal*UOL,*em*São*Paulo

$Os$casos$de$infecção$pela$bactéria$KPC$no$ Hospital$Governador$Celso$Ramos,$em$FloU rianópolis$(SC),$já$estão$controlados.$A$inU formação$é$da$Secretaria$Estadual$de$SaúU de.$“Não$idenAficamos$novos$casos$e$os$ pacientes$já$estão$tendo$alta",$afirma$Ida$ Zoz,$coordenadora$de$controle$de$infecção$ da$Secretaria$Estadual$de$Saúde. Os$pacientes$infectados$pela$bactéria$foU ram$isolados$dos$demais$nesta$terçaUfeira$ (29)$e,$segundo$reportagem$publicada$no$ Diário$Catarinense,$o$isolamento$não$Anha$ sido$realizado$antes$por$falta$de$profissioU nais$capacitados$para$lidar$com$a$situação.

isolados$na$unidade$semiUintensiva$do$hosU pital. O$comunicado$oficial$da$Secretaria$de$SaúU de$registra$sete$casos$de$infecção$pela$bacU téria$e$12$de$colonização,$sendo$todos$paciU entes$de$doenças$préUexistentes$graves.$ Três$pacientes$morreram.$Conhecida$como$ "superbactéria",$a$infecção$pela$KPC$não$ tem$se$manAdo$no$ambiente$hospitalar.$"A$ KPC$é$resistente$a$um$grupo$de$anAbióAU cos,$mas$ainda$há$vários$outros$disponíveis$ e$usados$para$tratar$essa$infecção",$explica$ Zoz.$Além$disso,$a$bactéria$costuma$aAngir$ pacientes$com$quebra$de$barreira$imunolóU gica,$isto$é,$insuficiência$renal,$câncer,$doU enças$reumáAcas$crônicas,$doenças$hepáAU cas,$neurológicas,$autoUimunes$e$casos$de$ internações$longas$repeAdas.

Zoz$afirma$que$o$hospital$não$contava$anteU riormente$com$um$setor$específico$para$ casos$de$isolamento,$mas$que$este$foi$criaU do$e$os$profissionais$passaram$por$treinaU mentos$para$poder$atuar$no$local.$Todos$ os$casos$de$infecção$ou$colonização$foram$

22


Texto(3 Casos(de(infecção(por(superbactéria(KPC( crescem(no(país Do*Portal*Folha*de*S.Paulo,*Luiza*Bandeira

$A$superbactéria$KPC,$resistente$à$maior$ parte$dos$anAbióAcos,$avançou$nos$hospiU tais$desde$o$surto$de$2010.$No$Distrito$FeU deral,$principal$foco$das$infecções$naquele$ ano,$as$noAficações$de$casos$aumentaram$ 68%$de$2010$(426)$para$2011$(715).$SegunU do$a$Secretaria$de$Saúde$do$DF,$56$pessoU as$morreram.$No$Espírito$Santo,$eram$sete$ os$casos$confirmados$em$2010.$Em$2011,$ o$número$subiu$para$37,$nos$três$primeiU ros$meses$deste$ano,$15.$Nove$pessoas$ morreram.$Santa$Catarina$Anha$registrado$ três$casos$até$outubro$de$2010,$quando,$ por$causa$do$surto,$a$Anvisa$(Agência$NaciU onal$de$Vigilância$Sanitária)$pediu$aos$EstaU dos$que$enviassem$dados$sobre$KPC.$DeU pois$disso,$houve$43$casos$e$três$mortes. Como$a$KPC$normalmente$aAnge$pessoas$ com$doenças$graves,$não$é$possível$dizer$ que$todas$as$mortes$foram$causadas$pela$ superbactéria.$Outros$Estados$que$em$ 2010$não$Anham$relatado$casos$à$Anvisa$ também$já$têm$registros.$No$Ceará,$foram$

103$casos$suspeitos$no$ano$passado.$Neste$ ano,$já$há$45.$Duas$pessoas$morreram.$SeU gundo$a$Anvisa,$o$primeiro$caso$de$infecU ção$hospitalar$causada$por$KPC$no$Brasil$ foi$registrado$em$2005.$ A$superbactéria$existe$em$hospitais$porU que$nesses$ambientes$há$uso$frequente$de$ anAbióAcos,$o$que$favorece$o$aumento$da$ resistência.$Entre$as$recomendações$para$ evitáUla$estão$o$isolamento$de$pacientes$ infectados$e$o$controle$da$higiene$hospitaU lar.$Minas$Gerais,$São$Paulo$e$Goiás$tamU bém$registraram$casos$em$2010.$Em$MiU nas,$houve$uma$ligeira$queda$no$números$ da$infecção$(12$em$2010,$11$em$2011).$ São$Paulo,$que$registrou$70$pessoas$infecU tadas$em$2010,$não$forneceu$dados$do$ ano$passado.$Goiás$também$não$informou$ dados$de$2011.

A$coordenadora$de$controle$de$infecção$ de$Santa$Catarina,$Ida$Zoz,$disse$que$o$treiU namento$de$funcionários$para$evitar$a$conU taminação$foi$reforçado$e$que$o$aumento$ de$registros$pode$ter$ocorrido$porque$a$noU Aficação$dos$casos$foi$reforçada$em$2010.$ Espírito$Santo$e$Ceará$também$dizem$que$ pode$ter$havido$subnoAficação$antes$de$ 2010.$Segundo$a$Anvisa,$nenhum$Estado$ registrou$surtos$neste$ano$ou$em$2011.

Prevenção
 A$Secretaria$de$Saúde$do$DF$afirmou$que$ dá$cursos$para$profissionais$de$hospitais.$ Segundo$a$pasta,$apesar$do$aumento$no$ número$de$casos,$houve$queda$em$alguns$ locais,$o$que$mostraria$que$não$há$uma$enU demia.

23


Equipe(do(Projeto(Imunologia(nas(Escolas Coordenação

Visitas(ao(Laboratório(iiiAINCT

Verônica*Coelho

Andrea*Kuramoto

Paulo*Cunha

Carlo*MarDns

Sandra*Moraes*

Maria*Lucia*Aparecida*C.*Marin

Silvia*Sampaio

Karen*Kohler

Patricia*Santos

Karine*De*Amicis Simone*Regina*Santos

Equipe(do(Projeto(na(

Sede:*InsDtuto*do*Coração*da*Faculdade*de* Medicina,*Universidade*de*São*Paulo*(InCor/ FMUSP)**|*Av.*Dr.*Enéas*de*Carvalho*Aguiar,* 44,*9o*andar,*bloco*2*–*Cerqueira*César*|*São* Paulo,*SP*?*Cep:*05043?000.*Tel:*11?2661*5907 www.iii.org.br

projetoimunologianasescolas.blogspot.com
 facebook.com/imunologianasescolas
 @imunonasescolas educação@iii.org.br

Escola(Estadual(Romeu(de(Moraes

Parceiros(na(Escola(Estadual(

Ana*Paula*Freitas

Romeu(de(Moraes

Carla*Crude

Neusa*Maria*J.*Oliveira*?*Diretora

Carlo*MarDns*

Maria*Tereza*Bergamin*?*Coord.*Pedagógica

ChrisDane*Nogueira

Filipe*de*Freitas*Silva*–*Prof.*Filosofia

Daniel*Manzoni* Fernanda*Bruni

Parceiros(da(Faculdade(de(Educação(da

Fernando*Roberto*Real

Universidade(de(São(Paulo((USP)

Jacqueline*F.*Vacynyn

Nélio*Bizzo*

Layra*Albuquerque*da*Costa

Paulo*Sérgio*Garcia*

Luciana*P.*Medina

Paulo*Henrique*Monteiro

Luciana*C.*Mirot* Narciso*Junior*Vieira Pilar*FlorenDno Vanessa*Oliveira*dos*Reis Vinícius*Santana*

xxiv

Infecções - Material Didático 2013  

Material didático 2013 / Projeto Imunologia nas Escolas. Atividade 2 - Infecções

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you