Issuu on Google+

Edição: 28 Setembro de 2011

Notícias da Semana

Órgão de divulgação do mandato do deputado estadual Valdeci Oliveira (PT)

aniversário

Emoção e grande público marcam 54 anos de Valdeci

O

s 54 anos do deputado estadual Valdeci Oliveira (PT) foram comemorados ao lado de familiares, amigos, militantes e autoridade no CPF Piá do Sul, em Santa Maria, na noite de terça-feira (6). Cerca de mil pessoas lotaram o CPF para confraternizar o aniversário do ex –prefeito de Santa Maria. “Esta cidade é minha casa e a minha história. Faço questão de festejar com todos que estão aqui”, declarou. Um dos momentos mais emocionantes foi a exibição do vídeo gravado pelo presidente do Partido dos Trabalhadores em Santa Maria, Valdir Oliveira, irmão de Valdeci, que está hospitalizado. “Nunca deixei de estar presente no aniversário do meu irmão e hoje não seria diferente, mesmo não podendo estar aí, mando essa mensagem declarando todo meu carinho e admiração”, falou Valdir no vídeo. Entre as atrações musicais o destaque foi o coral Catando Cidadania, composto por catadores e criado

na administração de Valdeci como prefeito. O secretário da Justiça e Desenvolvimento Social, Fabiano Pereira, os vereadores Helen Cabral, Jorge Trindade, Luiz Carlos Fort, Marion Mortari, e Admar Pozzobom também estiveram presentes na comemoração. O deputado estadual Jorge Pozzobom (PSBD) prestigiou o aniversário de Valdeci comprovando que as diferenças ideológicas não afetam o respeito e a consideração entre os dois parlamentares. “Eu disse para o Pozzobom que se ele atrasasse minha vinda com longos discursos durante a sessão extraordinária na Assembleia eu não deixaria ele entrar aqui”, declarou Valdeci sob risos e aplauso dos presentes. Participaram ainda da comemoração o prefeito de Lagoa Bonita do Sul José Valdemar Santana Filho; o prefeito de Ivorá José Fernado Marin; a prefeita de São João do Polêsine, Denise Predebon Milanesi; o vice –prefeito de Rosário do Sul, Dimar Nequi, além outras autoridades.


INFRAESTRUTURA

ENERGIA

Deputados do PT buscam solução para estradas gaúchas concedidas

Novas mobilizações pelo carvão mineral

Petistas reunidos com o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Cezar Miola

A

bancada estadual do PT reuniu-se, na manhã de terça-feira (6), com o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Cezar Miola, para tratar da fiscalização das estradas concedidas no estado. Os deputados expressaram a preocupação com os altos preços e a baixa qualidade dos serviços, sem que esteja explicitado quem é o gestor das concessões. O governo Yeda Crusius unilateralmente devolveu à União a gestão dos contratos e eximiu o Daer dessa responsabilidade. Por sua vez, a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs) deixou de fiscalizar a prestação de serviços de operação, exploração, conservação e manutenção de trechos rodoviários pelas empresas concessionárias. Em consequência, aumentaram as queixas dos usuários tanto em relação aos preços dos pedágios quanto à baixa qualidade das estradas. Para que o governo federal recebesse as rodovias elas deveriam estar em perfeitas condições, o que não se verificou. Antes de comple-

tar o inventário de toda a malha rodoviária não seria possível examinar se houve algum desequilíbrio nos contratos. No relatório preliminar de uma auditoria operacional, o TCE já havia apontado que enquanto a União não declarar que aceita a devolução das rodovias, elas continuam sob a responsabilidade do Estado, por serem patrimônio público, a quem cabe exercer a fiscalização dos contratos de concessão. Acompanhado do diretor-geral, do diretor de controle e fiscalização e de auditores do TCE, o presidente Cezar Miola informou aos deputados Daniel Bordignon, Edegar Pretto, Jeferson Fernandes, Marisa Formolo e Valdeci Oliveira, que, na sessão da quarta-feira (14), o Tribunal retomará o julgamento dos dois agravos apresentados pelo governo Yeda. Se eles forem derrubados, estará reafirmada a responsabilidade do Governo do Estado e a obrigatoriedade da Agergs fiscalizar o cumprimento da qualidade dos serviços contratados. Fonte: Paulo de Tarso Riccordi Bancada Estadual do PT na AL

O carvão mineral ficou de fora do Leilão de Energia A-5 do Governo Federal, que será realizado em dezembro deste ano. Para tentar reverter a decisão do governo foi promovido, na sexta-feira (2), um novo ato em defesa da matéria-prima no município de Minas do Leão. O deputado estadual Valdeci Oliveira (PT), coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Carvão Mineral Gaúcho na Assembleia Legislativa, participou da atividade. Cerca de mil pessoas ocuparam as margens de BR – 290 na mobilização. Para Valdeci, a manifestação pode ajudar a convencer o governo. “Precisamos comprovar que a extração e comercialização do nosso carvão, só tem a agregar na economia do país e principalmente do nosso Estado. Garantir a inclusão do carvão neste processo é dar uma chance ao desenvolvimento da Metade Sul Gaúcha”, declarou. Vereadores, prefeitos e entidades da região carbonífera participaram do evento. No dia 13 de setembro, uma grande comitiva vai a Brasília para mobilizar senadores, ministros e deputados sobre a importância da causa.

Mais de mil pessoas participaram da mobilização


GOVERNO FEDERAL

Tablets para alunos de escola pública em 2012 Foto: Stúdio Aronis/ Divulgação

GOVERNO RS

Butiá: fábrica de blocos de concreto a partir de cinzas de carvão mineral

O O Ministério da Educação (MEC) vai distribuir tablets (computadores pessoais portáteis do tipo prancheta, da espessura de um livro) para escolas públicas a partir do próximo ano. A informação foi divulgada pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, durante palestra a editores de livros escolares, na segunda-feira (5), na 15ª Bienal do Livro, no Rio de Janeiro - RS. O objetivo, segundo o ministro, é universalizar o acesso dos alunos à tecnologia. Haddad afirmou que o edital para a compra dos equipamentos será publicado ainda este ano. “Nós estamos investindo em conteúdos digitais educacionais. O MEC investiu, só no último período, R$ 70 milhões em produção de conteúdos digitais. Temos portais importantes, como o Portal do Professor e o Portal Domínio Público. São 13 mil objetos educacionais digitais disponíveis, cobrindo quase toda a grade do ensino médio e boa parte do ensino fundamental”. O ministro disse que o MEC está em processo de transformação. “Precisamos, agora, dar um salto, com os tablets. Mas temos que fazer isso de maneira a fortalecer a indústria, os autores, as editoras, para que não venhamos a sofrer um problema de sustentabilidade, com a questão da pirataria.” Haddad não soube precisar o volume de tablets que será comprado pelo MEC, mas disse que estaria na casa das “centenas de milhares”. Ele destacou que a iniciativa está sendo executada em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). “O MEC, neste ano, já publica o edital de tablets, com produção local, totalmente desonerado de impostos, com aval do Ministério da Fazenda. A ordem de grandeza do MEC é de centenas de milhares. Em 2012, já haverá uma escala razoável na Fonte: Agência Brasil distribuição de tablets”.

governador Tarso Genro recebeu, na terça-feira (06), no Palácio Piratini, executivos do grupo alemão Wehrhahn, liderados pelo presidente Lothar Hofbauer. A empresa é parceira da brasileira Vogel Ecobloc. Na audiência, foi apresentado à equipe de Governo, o projeto da primeira fábrica brasileira com produção de blocos de concreto a partir das cinzas de carvão. A unidade deverá ser instalada no município de Butiá. O projeto tem previsão de investimentos da ordem de R$ 40 milhões e está em fase final de negociação junto ao Badesul. Segundo a assessora técnica da instituição, Doris Couto, que fez a apresentação formal da proposta na reunião, o processo é adaptável a qualquer clima, reduz em 40% o custo de produção e obedece à tendência ecológica correta. “É um processo ágil que permite que se construa uma casa em três dias. Os testes feitos com as cinzas produzidas em solo gaúcho são as de melhor qualidade, segundo as comprovações nos quatro anos de pesquisa com o produto, na Alemanha”, destacou. O governador considerou a tecnologia extraordinária e que responde a duas questões importantes para o Rio Grande do Sul: “a do barateamento de custo na construção civil e do destino correto das cinzas das usinas”. A unidade de Butiá deverá gerar 70 postos de trabalho diretos e 3,2 mil indiretos. A empresa pretende investir no trabalho dos jovens e a tecnologia absorverá também, de forma significativa, a mão de obra feminina na construção civil. As oito usinas de carvão no Rio Grande do Sul produzem 10 milhões de toneladas de cinza. A partir dessa tecnologia, os resíduos retornam ao ciclo produtivo, por meio de blocos ecológicos, adaptáveis a qualquer clima e barateando consideravelmente a construção civil. De acordo com a empresa, as novas casas construídas neste sistema possuem qualidade e durabilidade comprovada e são superiores ao método tradicional. Fonte: Anamaria Bessil Pires/Redação Secom


ARTIGO

Cada vez mais

INDEPENDENTE T ive o privilégio de nascer no mesmo dia que oficialmente ocorreu a independência do Brasil, ou seja, dia 7 de setembro. Talvez por isso a passagem desta data seja tão marcante e me faça refletir sobre a situação da nossa independência atual. Sobretudo, porque a independência de um país não decorre apenas de um fato isolado. Ela deve ser contínua e atualizada permanentemente. De nada adiantaria o ato, em 1822, do então príncipe-regente do Brasil, Dom Pedro, de bradar “Independência ou Morte”, às margens do riacho Ipiranga, se nossa nação, no desenrolar da história, não assumisse o protagonismo que a iniciativa exige. Felizmente, a independência do nosso país se consolida a cada dia e projeta um cenário favorável para as gerações futuras. Se analisarmos tanto o contexto econômico, quanto social observamos que o Brasil hoje atinge um patamar alentador. Não que estejamos na situação ideal. Mas vivemos avanços reais muito significativos e talvez o maior deles seja representado pelo fato do país crescer e se desenvolver distribuindo oportunidades e garantindo acesso à educação. O Brasil cresce já há algum tempo permitindo que a base da sua pirâmide social também cresça e não apenas as castas bem-nascidas. Ou seja, o bolo cresce e o mesmo bolo é dividido. E não pensem que o con-

texto macroeconômico internacional foi doce nos últimos anos. Em 2009, uma crise financeira derrubou economias de gigantes, como a do Japão, e a de diversos países europeus. Neste ano, outra crise mundial, ainda em andamento, abateu a antes inabalável economia norte-americano. Mesmo face a estas turbulências, a economia brasileira tem sofrido o mínimo possível e se mantido em estágio de crescimento e de plena geração de empregos. Por sermos cada vez mais independentes é que palavras tão corriqueiras em um passado recente praticamente sumiram do vocabulário nacional, como o risco-Brasil, FMI, inflação alta, etc. Até os famigerados juros começam a ser reduzidos. Não é à toa que nosso país está na vitrine mundial e será sede a seguir de uma Copa do Mundo e de uma Olimpíada. O bom cenário econômico e social permite que o fortalecimento da independência do nosso país se volte agora para dois setores fundamentais do país: a saúde e o combate à corrupção. Reside aí, ao meu ver, o salto definitivo do Brasil para o grupo de países que conseguem oferecer qualidade de vida para a esmagadora maioria da sua população. O fato da presidenta Dilma ter confirmado que a saúde será a prioridade 1 da sua gestão anima. Precisamos que todos os gestores também tenham esta visão e que os planos não fiquem só no papel.

Quanto ao combate a corrupção, apl au d o a política da depuração em curso. Mas aqui um alerta se faz necessário: aqueles que acreditam que vivemos hoje uma escalada da corrupção e da imoralidade devem ter cuidado. Há oito, 10 e 20 anos, também existia corrupção e malfeitos. Porém eles permaneciam encobertos ou pela cortina de fumaça da falta de liberdade de expressão e de informação ou encobertos pela falta de vontade de se investigar. Felizmente hoje a mordaça da censura e da própria autocensura caiu. Não há mais “engavetadores-gerais da República” e qualquer cidadão pode formalizar uma denúncia por diversos canais. Temos órgãos de controle qualificados para apurar se há ou não corrupção ou desvios e uma imprensa livre para dar amplitude midiática aos fatos. Que esta prática continue e se aperfeiçoe - inclusive atacando os corruptores também - pois ela é sinalizadora de um país democrático e independente. E país verdadeiramente democrático e independente é país sem miséria, com saúde e com ética. •Artigo de Valdeci Oliveira publicado no jornal A Razão de sexta-feira (09/09/11)

Gabinete do Deputado Estadual Valdeci Oliveira PT/RS Fone: (51) 3210-1880│imprensavaldecioliveira@gmail.com │www.twitter.com/valdeci13 │www.valdeci13.com.br Jornalista responsável: Rita Barchet - MTB 15415 │ Projeto gráfico e diagramação: Sarah Souza │ Fotos: Christiano Ercolani


110909 28