Issuu on Google+

Informativo INFORMATIVO DA LIDERANÇA DO PSD NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

ANO II - NO 131 - 15 DE AGOSTO DE 2013

PSD reforça apoio à indústria contra vetos presidenciais Em café da manhã promovido pelo deputado Guilherme Campos (SP), ex-líder do PSD, nessa quarta-feira (14), na Câmara, representantes da indústria brasileira afinaram o discurso sobre os vetos da presidente Dilma Rousseff à prorrogação do Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras (Reintegra) e à extinção do adicional de 10% sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para dispensa sem justa causa. Guilherme Campos voltou a afirmar que a reconstituição do fundo já exerceu seu papel e não tem porque ser mantida. “A nossa bancada, sob a condução do líder, Eduardo Sciarra, votou unanimemente pela extinção do FGTS, é favorável à prorrogação do Reintegra e é dessa forma que vamos nos comportar em relação aos vetos”, afirmou.

Márcio Ribaldo, diretor de relações institucionais da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), destacou que a produção industrial no Brasil custa 38% mais que em países como a Alemanha e os Estados Unidos. “Se não tirarmos o que era provisório da situação definitiva, como no caso dos 10% do FGTS, cada vez mais a empresa será onerada. Consequentemente, esse ônus continuará sendo transmitido aos custos e, obviamente, perderemos competitividade”, pontuou. Sobre o veto à prorrogação do Reintegra (percentual de 3% que a empresa recebe de volta da União pelo valor exportado), Humberto Barbato, presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), disse que o regime tem papel importantíssimo

Deputado Guilherme Campos (SP)

como agente de competitividade. “Precisamos derrubar esse veto porque comércio exterior não se faz em curto prazo. Normalmente, o plano considera vários anos e 2014 é um prazo muito curto. Ter o Reintegra até dezembro deste ano é o mesmo que não ter”, argumentou.

Concluída votação de royalties para saúde e educação Após mais de dois meses, o plenário da Câmara concluiu ontem (14) a votação do Projeto de Lei 323/07, que destina os recursos dos royalties de petróleo para a educação (75%) e para a saúde (25%). O texto, já aprovado pelo Senado, segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff. O deputado Eduardo Sciarra (PR), líder do PSD na Câmara, destacou que o acordo para votação da proposta foi construído para equilibrar as necessidades mais urgentes do país. O partido foi um dos principais defensores da inclusão da saúde no rateio. “Muitos municípios têm sua situação de educação resolvida e não teriam como aplicar esse volume

Deputado Eduardo Sciarra (PR)

de recursos. O que queremos é que a saúde, outra área carente de investimentos, também seja atendida”, disse. Eleuses Paiva (SP), médico e vice-líder do PSD, foi um dos articuladores da proposta. Ele ressal-

INFORMATIVO DA LIDERANÇA DO PSD NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

tou que a necessidade de investimentos na saúde incentivou a luta do partido. “O setor vive uma enorme crise e precisamos de financiamentos. Daí a importância de parte desses royalties”. A votação dos destaques só foi encerrada este mês devido à necessidade de acordo entre o Executivo e o Legislativo. O entendimento, definido ontem no colégio de líderes, garantiu o uso de 50% de todos os recursos do Fundo Social em educação e saúde. O governo, no entanto, defende o uso de 50% sobre os rendimentos do fundo. Dessa forma, assim que o texto for sancionado, o Planalto deverá propor um novo projeto de lei que atenda essa demanda.


Eleuses critica justificativas de Padilha para programa Mais Médicos A Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) recebeu, nessa quarta-feira (14), o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para debater os pontos do programa Mais Médicos (MP 621/13). O ministro apresentou dados sobre as condições do Brasil quanto à necessidade de atrair mais médicos para o país. Membro da Comissão e vice-líder do PSD, o deputado Eleuses Paiva (SP) criticou o plano apresentado por Padilha. “Todos somos favoráveis a ter mais médicos. O que nos difere do ministro é que somos contra maus profissionais. A proposta do governo cria uma ilusão para a sociedade, que não conhece os baixos padrões de qualidade dos médicos que estão sendo importados por meio dessa malfadada MP”, afirmou. Eleuses mostrou-se indignado com a falta de parâmetros para a

Deputado Eleuses Paiva (SP)

entrada dos médicos estrangeiros no país. “Quem faz o Revalida é o próprio governo. Se o ministro da Saúde diz que não aplicará o exame por considerar que, dessa forma, essas pes-soas não poderão exercer a profissão, é porque esses médicos não estão adequadamente capacitados”. Membro da comissão, o deputa-

Projeto incentiva formalização de profissionais da beleza A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio (CDEIC) aprovou o Projeto de Lei Complementar (PLP) 255/13, do deputado Ricardo Izar (SP), que dispõe sobre a base de tributação do ‘salão e profissionalparceiro’. Izar destacou que a proposta atende as particularidades do segmento dos salões de beleza, no intuito de que os profissionais e os empresários do setor sejam induzidos à formalização e/ou sua manutenção. “O objetivo é excluir da base tributável do ‘salão-parceiro’, no que se refere ao pagamento do imposto pelo Simples Nacional e do Imposto sobre Serviços (ISS), os valores que foram efetivamente repassados ao ‘profissional-parceiro’”. O projeto permite ainda que o profissional, que presta seus trabalhos na sede do salão seja

incluído na regra do Micro Empreendedor Individual (MEI), reduzindo os encargos trabalhistas que o estabelecimento possui. “O próprio percentual recebido sobre o faturamento de seus serviços demonstra que o reconhecimento de relação empregatícia entre as partes é inviável e incoerente, já que os salões arcam com os custos do empreendimento e ainda teriam que arcar com os encargos sociais e trabalhistas dos profissionais que pretendem ser empregados”, explicou Izar. Ainda segundo a justificativa do projeto, atualmente, a maioria dos salões de beleza não se adequa à Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), uma vez que torna o regime matematicamente inviável para o negócio, pois nenhuma outra categoria recebe percentuais nos patamares do ramo da beleza.

do Dr. Paulo César (RJ) disse estar preocupado com a urgência de uma solução para o problema. “Esse é um tema de extrema importância para o país. Devemos colocar em primeiro lugar a necessidade imperiosa de termos mais médicos no interior e nas periferias das metrópoles. Assistimos, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, uma falta completa desses profissionais”. Padilha rebateu as críticas afirmando que em países como Inglaterra e Estados Unidos são empregados 25% e 37%, respectivamente, de médicos estrangeiros. “Esse dado é verdadeiro, mas o ministro se esquece que eles atraem os melhores profissionais do mundo. No Brasil, não vejo política para trazer o que há de melhor, só para o que há de pior”, concluiu Eleuses.

Adiada votação de relatório para cassação de Donadon O deputado Sergio Zveiter (RJ), vice-líder do PSD, realizou ontem (14) a leitura do relatório final no qual sugere a perda de mandato do deputado Natan Donadon (RO). O parlamentar foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de peculato e formação de quadrilha. “Os fatos são estarrecedores e incompatíveis com os requisitos de probidade e decoro exigidos”, declarou Zveiter aos componentes da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), responsável pelo processo. A votação foi impedida pelo pedido de vistas do deputado Wladimir Costa (PMDB-PA). Ele alegou a necessidade de avaliar melhor o processo em decorrência de sua ausência durante três meses devido a uma cirurgia na coluna.

INFORMATIVO DA LIDERANÇA DO PSD NA CÂMARA DOS DEPUTADOS


Arolde de Oliveira defende acordos bilaterais para controle de informações sigilosas

Deputado Arolde de Oliveira (RJ)

“Diversos países fazem espionagem para proteger seus mercados e cidadãos. A diferença é que hoje são utilizadas tecnologias mais modernas, no caso, a internet”. A afirmação é do deputado Arolde de Oliveira (RJ) que participou, ontem (14), de audiência pública na Câmara para discutir fragilidades que afetam o sigilo de informações pessoais, oficiais ou economicamente estratégicas de cidadãos, do Estado e do setor privado.

Para o parlamentar, o controle da espionagem deve ser feito por meio de acordos bilaterais e multilaterais com os demais países com os quais o Brasil tem relações. Segundo ele, a forma adotada no debate sobre o controle da internet não é a mais adequada. “A preocupação com a rede é, de certa forma, hipócrita, uma vez que se trata de uma relação global e internacional. Precisamos, na verdade, é cuidar bem dos dados de nossos cidadãos para garantir a privacidade que eles merecem”. O deputado José Carlos Araújo (BA), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC), destacou a importância da audiência e pediu providências para garantir a segurança do consumidor. “Estamos sem proteção e queremos que o governo nos dê atenção para que não fiquemos a mercê do que está acontecendo no Brasil e no mundo”, justificou. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, ressaltou que o

Brasil não está satisfeito com as explicações dadas pelo governo dos Estados Unidos para as denúncias de espionagem. “Na verdade, eles não deram praticamente nenhuma informação. O que estão falando é um conjunto de generalidades que você pode achar na Wikipédia se quiser”. Paulo Bernardo afirmou que o governo está tomando providências. “Temos que conversar e dialogar. Vamos protestar como é compatível nesses casos”. O ministro lembrou ainda que nenhum dado sensível do governo foi afetado. “Eles trafegam apenas em rede segura e estão preservados. Agora, se o cidadão tiver algum dado sensível e colocar na rede, pode ter certeza que estão acessando”. A audiência pública foi realizada em conjunto pelas Comissões de Fiscalização Financeira e Controle (CFT); de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN); de Defesa do Consumidor (CDC); e de Legislação Participativa (CLP).

LDO: emendas priorizam saúde e segurança pública Os deputados Dr. Paulo César (RJ), Carlos Souza (AM) e Moreira Mendes (RO) apresentaram, ontem (14), à Comissão Mista de Planos, Orçamentos e Fiscalização (CMO), emendas ao parecer preliminar da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2014, priorizando investimentos para a saúde e segurança pública. As emendas seguem para apreciação do relator da medida. Durante reunião da Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF), Dr. Paulo César reforçou sua luta por programas de aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde (SUS) para combater o crack. A emenda de comissão prevê mais recursos para políticas de enfrentamento ao uso

Deputado Dr. Paulo César (RJ)

dessa droga. “Houve toda uma sensibilidade do governo e desta Casa a favor da questão. Essa emenda

INFORMATIVO DA LIDERANÇA DO PSD NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

será muito positiva. Esperamos que ela possa ser contingenciada e assim somar mais recursos aos já existentes”, explicou o deputado. Carlos Souza apresentou nove emendas. Dentre elas, o parlamentar destacou uma de caráter moralizador, que permite um controle mais efetivo sobre a arrecadação e destinação de receitas públicas. Para ele, ela será essencial para combater a guerra fiscal. Já a emenda de Moreira, apresentada na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO), requer a inclusão de meta para apoio à estruturação, reaparelhamento e modernização das instituições de segurança do país.


Junji quer adiar municipalização da iluminação pública O deputado Junji Abe (SP) defendeu, nessa quarta-feira (14), em audiência pública realizada na Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), que a transferência das responsabilidades e dos custos pela iluminação pública às cidades brasileiras com até 30 mil habitantes, seja adiada até que os municípios estejam preparados para tanto. A determinação consta da Resolução Normativa 414/10 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “Essas cidades possuem orçamento reduzido e não têm possibilidade de assumir tamanha responsabilidade das concessionárias para iluminação pública. Então, as prefeituras precisam estar prepara-

Deputado Junji Abe (SP)

das com melhor posição financeira para assumir esse compromisso”, justificou. Para o parlamentar, os pequenos

municípios já sofrem com a queda dos repasses do governo federal, decorrentes da desoneração de produtos e serviços e não têm como arcar com mais esse ônus. “É preciso rever esse processo que, se efetivado, aniquilará essas cidades com ônus que podem superar R$ 600 mil por ano”. Representantes da Aneel e do Ministério de Minas e Energia (MME) afirmaram durante a audiência que a norma constitucional deverá ser cumprida. Junji garantiu que continuará o esforço para prorrogar o início da vigência da resolução. “Se for preciso, levaremos o assunto para a presidente Dilma e provaremos que as prefeituras precisam de mais tempo”, concluiu.

Mendes vai presidir subcomissão de combate à cartelização do agronegócio

Deputado Moreira Mendes (RO)

Foi instalada ontem (14) a Subcomissão Permanente de Controle à Cartelização do Agronegócio no Brasil. O deputado Moreira Mendes (RO) foi escolhido presidente do colegiado. Os trabalhos serão

desenvolvidos para evitar práticas monopolistas que provocam prejuízo aos produtores rurais e buscar soluções no mercado nacional para proteger a produção agropecuária. Moreira Mendes ressaltou a importância da iniciativa. Segundo ele, a prática do cartel prejudica os produtores e consumidores em benefício de um único grupo econômico. “O cartel é a centralização de poder na mão de um único prestador de serviço. Em Rondônia, temos quase 100% dessa prática no abate de bovinos. Nosso objetivo é identificar esses casos para pedirmos providências do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), que é responsável por fiscalizar esses

abusos”, afirmou. Os membros do colegiado explicaram que a cartelização tem desestimulado a produção agrícola, atingindo a pecuária, a citricultura, o mercado de insumos, fertilizantes e medicamentos de uso veterinário. Por conta disso, aprovaram cinco requerimentos de convocação do presidente da Marfrig, Marcos Molina; da Friboi, Joesley Batista; da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), Antônio Jorge Camardelli; da Ouro Fino Agronegócio, Dolivar Neto; e o secretário de Defesa Animal do Ministério da Agricultura, Rodrigo Figueiredo, para prestarem esclarecimentos sobre a cadeia produtiva da carne no Brasil.*

EXPEDIENTE PSD - Partido Social Democrático Líder do PSD: Eduardo Sciarra (PR) Chefe de Gabinete: Fernando César Editora-Chefe: Danielle Arouche Redatora: Raquel Sacheto Diagramação: Jorge Ribeiro Fotografia: Heleno Rezende e Cláudio Araújo

Reportagens: Carola Ribeiro, Emmanuelle Lamounier, Luís Lourenço, Jaque Bassetto, Verônica Gomes e Danielle Marques Liderança do PSD na Câmara dos Deputados Assessoria de Imprensa - Sala 150B - Fone: 3215-9073 Anexo II @psdcamara PSD Câmara

Acompanhe as matérias de áudio e vídeo no nosso site: www.psdcamara.org.br * Com informações da Assessoria de Imprensa

INFORMATIVO DA LIDERANÇA DO PSD NA CÂMARA DOS DEPUTADOS


informativo-psd-131-site