Page 1

joostderaeymaeker luanda - edifício escom 28/07/2011-04/08/2011

lisboa - cyber sol 09/2011

Convite 28/07/2011 - 18:30 piso 2 - edifício escom

Obrigado, sim Exposição de fotografia

Uma viagem com meios reduzidos, por 12 províncias de Angola. Ao encontro do país real, passando os dias em transportes comuns, grandes e pequenas cidades, e as noites em hospedarias simples, longe dos resorts e das estrelas. Uma espreitadela para dentro das vidas que uma grande parte dos angolanos leva.

O autor

A obra

Joost De Raeymaeker é um fotojornalista/escritor belga residente em Lisboa. Depois de ter tirado um curso superior como músico no Jazz-Studio em Antuérpia e de ter feito a licenciatura em história na UFSIA em Antuérpia, na FLUP no Porto e na RUG em Gent, dedicou-se durante alguns anos à segurança informática como sócio gerente de uma empresa do ramo.

Ao saber da forma como as fotografias foram recolhidas, não pude deixar de pensar no grande livro de Jack Kerouac “Pela Estrada Fora”, a diferença sendo apenas a troca dos vagões dos comboios que atravessavam os EUA pelos candongueiros de Angola e a troca do jazz vibrante dos anos 50 e 60 pelo Kuduro e a Kizomba.

Depois destes anos a usar demasiado o seu hemisfério cerebral esquerdo, voltou aos bocados a activar o seu hemisfério direito através de uma paixão dormente, a fotografia. Primeiro dedicouse à impressão a preto e branco e usou o tempo para aperfeiçoar a técnica fotográfica.

Imagino esta viagem como uma verdadeira descoberta pelo país, do qual estas 30 fotografias aqui expostas são o resultado. Enrique Vila-Matas, novelista espanhol caricaturava no seu romance “Paris nunca se acaba”, a forma como ele, jovem escritor e fã de Ernest Hemingway decidiu ir viver para Paris sem dinheiro para sofrer as agruras que Hemingway teria sofrido pois só assim conseguiria vir a escrever como ele. Claro que a forma como as coisas são feitas não determina o seu resultado final, mas acredito que este trabalho de Joost realmente desvela pormenores e momentos do dia-a-dia angolano que nunca poderiam ser retratados se não tivessem sido, de alguma forma, vividos.

Em 2004 dedica-se definitivamente à fotografia, na área do fotojornalismo e posteriormente ao desenvolvimento de trabalhos completos com texto e fotografia. Expôs em Portugal, na Irlanda, na Bélgica e publicou em vários títulos internacionais como Time Magazine, Marie Claire, Metro, Télérama, le Monde 2 (França), TV Sorrisi, Pop’s (Itália), Souls, The Express (EUA). Em 2011 foi autor convidado da exposição colectiva “Plaisirs Partagés”, do Institut de la Francophonie de Lisboa, e tem neste momento o seu trabalho exposto pela Unesco no quadro de uma exposição viajante sobre a presença africana em Portugal.

A candura de alguns momentos, a força e a singularidade de outros só podem ser capturados pela máquina de Joost quando existe uma partilha sentimental, uma vivencia comum e uma história que pede para ser contada. Assim sendo, convido-vos a todos a retirar o mesmo prazer que eu retirei a ver esta colecção de fotografias e ao tentar sentir a aventura que foi o trajecto da sua recolha. Andrew Schnitzer Silva

patrocínios traga este convite

Convite exposição "obrigado, sim"  

Uma exposição de fotografias de angolanos comuns, no seu dia a dia, feitas numa viagem ao longo de dois meses pelo país. Abre no dia 28/07/2...